Cabeça. Ossos e Músculos 24/02/2016. Ossos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação ANATOMIA PALPATÓRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cabeça. Ossos e Músculos 24/02/2016. Ossos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação ANATOMIA PALPATÓRIA"

Transcrição

1 Ossos da Cabeça ANATOMIA PALPATÓRIA Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Douglas Lenz Cabeça MÚSCULOS DA CABEÇA Músculos da Cabeça Ossos e Músculos MÚSCULOS DA CABEÇA Músculos da Cabeça 1

2 ATM Ossos e Músculos DISCO ARTICULAR Cavidade Articular Superior Pterigóideo Lateral Fossa Mandibular Disco Articular Membrana Sinovial Cápsula Fibrocartilagem Articular Protrusão Tubérculo Articular Cavidade Articular Inferior Depressão ATM DISCO ARTICULAR A ATM é singular no corpo. A ATM é uma articulação sinovial do tipo gínglimo composta. As faces articulares envolvidas são: Côndilo da mandíbula Tubérculo articular do temporal Fossa da mandíbula. LUXAÇÃO ATM DISCO ARTICULAR Além das duas articulações distintas, cada ATM possui um disco que a separa em duas outras articulações: uma superior e outra inferior. A presença do disco articular permite a ATM desenvolver movimentos únicos. BRUXISMO 2

3 MANDÍBULA BRUXISMO MOVIMENTOS DA ATM Protrusão Pterigóideo Lateral Pterigóideo Medial Retração Temporal Masseter Genio-hióideo e Digástrico Mandíbula Retrusa Mandíbula Protrusa Depressão Pterigóideo Lateral Gravidade Supra-hióide Elevação Temporal Masseter Pterigóideo Medial MANDÍBULA MÚSCULOS DA ATM Temporal Masseter Pterigóideo Medial Pterigóideo Lateral 3

4 MÚSCULOS DA ATM PRÁTICA CABEÇA E ATM MASSETER PROTUBERÂNCIA OCCIPITAL EXTERNA PROCESSO MASTÓIDE 4

5 FOSSA TEMPORAL CABEÇA DA MANDÍBULA ARCO ZIGOMÁTICO OSSO HIÓIDE PESCOÇO RAMO E ÂNGULO DA MANDÍBULA 5

6 PESCOÇO MASSETER PESCOÇO TEMPORAL PESCOÇO Coluna Vertebral Ossos 6

7 COLUNA VERTEBRAL A coluna vertebral é constituída por 24 vértebras + sacro + cóccix. Estende-se do crânio até a pelve. Constitui, junto com a cabeça, esterno e costelas o ESQUELETO AXIAL. DIVISÕES DA COLUNA VERTEBRAL ESCOLIOSE REGIÃO CERVICAL 7 VÉRTEBRAS Coluna Normal Coluna com Escoliose Sinais de Escoliose Inclinação REGIÃO TORÁCICA 12 VÉRTEBRAS de Ombros Curvas na coluna Inclinação de Quadril REGIÃO LOMBAR 5 VÉRTEBRAS REGIÃO SACRAL 5 VÉRTEBRAS REGIÃO COCCÍGEA 4 VÉRTEBRAS CURVATURAS DA COLUNA VERTEBRAL PROCESSOS ESPINHOSOS Curvatura Cervical Curvatura Lombar São 4 curvaturas na Coluna Vertebral Curvatura Torácica Curvatura Sacral Os processos espinhosos aproximadamente medianos e projetando-se dorsalmente são a principal característica na vista posterior. Região cervical (exceto C2 e C7) Processos espinhosos curtos e quase horizontais. Região torácica superior Os processos espinhosos inclinam obliquamente para baixo Região torácica média Os processos espinhosos são longos e quase verticais Região torácica inferior e lombar Os processos espinhosos são quase horizontais 7

8 ESTRUTURAS DAS VÉRTEBRAS TÍPICAS MOVIMENTOS DAS VÉRTEBRAS ESTRUTURAS DAS VÉRTEBRAS TÍPICAS DISCO INTERVERTEBRAL C7 T1 FUNÇÃO DO DISCO INTERVERTEBRAL Absorção dos impactos MOVIMENTOS DAS VÉRTEBRAS ARTRODESE 8

9 ARTRODESE ANATOMIA PALPATÓRIA - Processos Espinhosos - Pilar Articular (Região Cervical) - Processos Transversos - Articulações Costovertebrais - Processos Articulares - Sacro - EIAS, EIPS e EIPI Região Cervical Região Torácica T1-T3 mesmo nível T4-T10 um nível acima T11-T12 mesmo nível Região Lombar OSTEÓFITOS MARGINAIS Protuberância Occipital Externa Processo espinhoso abaixo do occipital - C2 Vértebra proeminente 60/70% - C7 Final da espinha da escápula - T2 / T3 Ângulo inferior da escápula - T6 / T7 Deitado T6 Sentado T7 Crista Ilíaca - L4 OSTEÓFITOS MARGINAIS EM VÉRTEBRAS LOMBARES EIPS - S2 PRÁTICA OSSOS DA COLUNA VERTEBRAL PROCESSO TRANSVERSO DE C1 O examinador coloca seu dedo anular sobre o processo mastóide, o dedo indicador se situa sobre o ângulo mandibular e o dedo médio palpa o processo transverso, através do esternocleidomastóide. 9

10 PROCESSO ESPINHOSO DE C2 PILAR ARTICULAR CERVICAL Paciente sentado ou em decúbito dorsal. O processo espinhoso proeminente de C2 é o primeiro processo palpável da região da nuca. Constitui o limite inferior da nuca. PROCESSO ESPINHOSO DE C6 CORPOS VERTEBRAIS CERVICAIS É reconhecido acima do processo espinhoso da C7. PROCESSO ESPINHOSO DE C7 PROCESSO ESPINHOSOS TORÁCICOS DECÚBITO VENTRAL Vértebra mais móvel, diferenciada de T1 (fixa). Os processos espinhosos das vértebras torácicas são palpáveis facilmente à nível da linha média posterior. As lâminas e os processos transversos seguem das costelas, porém são inacessíveis. 10

11 DECÚBITO VENTRAL Os processos espinhosos das vértebras torácicas são palpáveis facilmente à nível da linha média posterior. As lâminas e os processos transversos seguem das costelas, porém são inacessíveis. PROCESSO ESPINHOSOS TORÁCICOS Palpa-se os processos espinhosos das vértebras lombares. Coloca-se os índex, sobre as cristas ilíacas, os polegares recaem sobre o espaço interespinhoso de L4/L5. Os processos articulares e transversos não são acessíveis nesta região. REGIÃO LOMBAR Palpa-se os processos espinhosos das vértebras lombares. Coloca-se os índex, sobre as cristas ilíacas, os polegares recaem sobre o espaço interespinhoso de L4/L5. REGIÃO LOMBAR Coluna Vertebral Músculos Posteriores Os processos articulares e transversos não são acessíveis nesta região. REGIÃO LOMBAR MÚSCULOS SUPERFICIAIS E PROFUNDOS Palpa-se os processos espinhosos das vértebras lombares. Coloca-se os índex, sobre as cristas ilíacas, os polegares recaem sobre o espaço interespinhoso de L4/L5. Os processos articulares e transversos não são acessíveis nesta região. 11

12 MÚSCULOS SUPERFICIAIS DA COLUNA Trapézio Latíssimo do Dorso Rombóide Levantador da Escápula TRAPÉZIO Face Superior TRAPÉZIO Sujeito em decúbito ventral, braço ao longo do corpo, realiza movimento de elevação do ombro com ligeiro componente de extensão contraresistência. 12

13 Face Média TRAPÉZIO Palpa-se a contração do trapézio acima da fossa supraespinhal, ao longo do bordo superior da espinha da escápula. Face Inferior Decúbito ventral, braço elevado a frente e ligeiramente afastado, realiza um movimento de abaixamento e adução da escápula. TRAPÉZIO Palpa-se na região vertebral infraescapular. LATÍSSIMO DO DORSO LATÍSSIMO DO DORSO Braço em abdução e rotação interna. Palpa-se obliquamente de cima para baixo, o bordo superior do grande dorsal no ângulo inferior da escápula e se dirige para a fossa axilar. Sobre a face lateral do tórax, palpamos quase verticalmente o bordo inferior e externo do músculo latíssimo do dorso. 13

14 LATÍSSIMO DO DORSO ROMBÓIDE ROMBÓIDE Rombóide Menor Rombóide Maior ROMBÓIDE Sujeito coloca o antebraço sobre a região dorsal, e realiza um movimento de adução e retropulsão do braço, contra-resistência. Palpa-se profundamente o rombóide maior ao longo do bordo medial da escápula. 14

15 LEVANTADOR DA ESCÁPULA SUBOCCIPITAIS Reto Posterior Maior da Cabeça Reto Posterior Menor da Cabeça Oblíquo Inferior da Cabeça Oblíquo Superior da Cabeça LEVANTADOR DA ESCÁPULA NÃO É POSSÍVEL FAZER SUA PALPAÇÃO DIRETA, APENAS INDIRETAMENTE ACIMA DO TRAPÉZIO MÚSCULOS PROFUNDOS DA COLUNA Suboccipitais Suboccipitais Eretores da Espinha Eretores da Espinha Rombóide Quadrado Lombar Levantador da Escápula 15

16 SUBOCCIPITAIS ERETORES DA ESPINHA TRIÂNGULO SUBOCCIPITAL NÃO É POSSÍVEL FAZER SUA PALPAÇÃO DIRETA, MAS PODEMOS TRABALHAR COM ESSES MÚSCULOS EM GRUPO, PALPANDO A REGIÃO LOGO ABAIXO DA BASE DO CRÂNIO (OCCIPITAL) Dorsal Longo ( INTERMÉDIO ) SUBOCCIPITAIS ERETORES DA ESPINHA Iliocostal ( + LATERAL ) ERETORES DA ESPINHA Espinhal ( + MEDIAL ) 16

17 ERETORES DA ESPINHA Movimento de extensão da coluna em decúbito ventral. Palpa-se a massa muscular que é recoberta pelos músculos trapézio e latíssimo do dorso. 17

18 ERETORES DA ESPINHA QUADRADO LOMBAR QUADRADO LOMBAR Tronco Músculos Anteriores Sujeito efetua uma elevação da bacia do lado examinado. Palpa-se em profundidade no espaço costo-ilíaco e lateralmente ao eretor da coluna. QUADRADO LOMBAR Pescoço Tórax MÚSCULOS ANTERIORES DO TÓRAX Esternocleidomastóide Escalenos Peitoral Maior Peitoral Menor Serrátil Anterior Abdome Reto Anterior Oblíquo Externo Oblíquo Interno Transverso Ilíopsoas 18

19 ESTERNOCLEIDOMASTÓIDE PEITORAL MAIOR Paciente com o braço em semiflexão realiza movimento de adução e rotação interna, contra-resistência. Os três feixes musculares se juntam num importante tendão que se insere no lábio lateral da crista do tubérculo maior. ESCALENOS PEITORAL MAIOR Paciente sentado, cotovelo na mão do examinador, que eleva o ombro de forma passiva, afim de ter acesso a zona deprimida entre a parte inferior da extremidade interna da clavícula. ESCALENOS PEITORAL MENOR O tendão do escaleno anterior é perceptível sobre a 1 a costela, e o escaleno posterior se coloca mais para fora, próximo a face superior da 2 a costela. 19

20 PEITORAL MENOR RETO ANTERIOR DO ABDOME Palpa-se seu ponto de inserção na borda medial e na face superior do processo coracóide da escápula. O sujeito realiza um movimento ativo de abaixamento do ombro contra-resistência. SERRÁTIL ANTERIOR RETO ANTERIOR DO ABDOME Na parede da região torácica, a face medial dos espaços intercostais e as costelas sobre as quais se fixam atrás das digitações do serrátil anterior. Palpar acima do corpo das costelas. SERRÁTIL ANTERIOR Membros inferiores fletidos, realiza movimento de flexão do tronco com enrolamento progressivo. Palpamos facilmente o músculo reto abdominal. RETO ANTERIOR DO ABDOME 20

21 OBLÍQUO EXTERNO DO ABDOME OBLÍQUO INTERNO DO ABDOME OBLÍQUO EXTERNO DO ABDOME OBLÍQUO INTERNO DO ABDOME Decúbito dorsal, membro inferior contralateral fletido, realiza movimento de rotação contralateral do tronco. Palpamos o oblíquo externo na região ântero-lateral e superior do abdome. OBLÍQUO EXTERNO DO ABDOME Decúbito dorsal, membro inferior contralateral fletido, realiza movimento de elevação da hemi-bacia e rotação contralateral. Palpamos o oblíquo interno na parte lateral e inferior do abdome, abaixo e para dentro da espinha ilíaca ântero-superior. OBLÍQUO INTERNO DO ABDOME 21

22 TRANSVERSO DO ABDOME Paciente em decúbito dorsal, joelhos semifletidos. O examinador deve deprimir progressivamente a zona entre o músculo reto anterior do abdome e o oblíquo externo do abdome. Para confirmar a palpação solicitar ligeira flexão do joelho sobre o quadril. ILIOPSOAS - ILÍACO TRANSVERSO DO ABDOME ILIOPSOAS - ILÍACO É inacessível, por estar recoberto pelos oblíquos. ILIOPSOAS ILIOPSOAS PSOAS MAIOR Psoas Maior Ilíaco Ílio-psoas 22

23 ILIOPSOAS PSOAS MAIOR LUXAÇÃO DA SACRO-ILÍACA ANTERIOR Púbis POSTERIOR Sacro-ilíaca LUXAÇÃO DA SACRO-ILÍACA Coluna Vertebral Ossos da Região Sacro-Ilíaca ANTERIOR Púbis POSTERIOR Sacro-ilíaca ARTICULAÇÕES DA SACRO-ILÍACA Sacro-ilíaca Coxo-Femoral Púbica 23

24 DIVISÃO DO DIVISÃO DO BORDAS A Ílio (2/3 superior) A Borda Superior Crista Ilíaca B Ísquio (1/3 posterior) Borda Inferior C Púbis (1/3 anterior) B C Túber Isquiático DIVISÃO DO BORDAS Borda Superior Crista Ilíaca Borda Inferior Túber Isquiático 24

25 Borda Superior Crista Ilíaca Borda Inferior Túber Isquiático Quadrado Lombar BORDAS Borda Anterior EIAS EIAI Tubérculo Púbico BORDAS Borda Superior Crista Ilíaca Borda Inferior Túber Isquiático BORDAS Borda Anterior EIAS EIAI Tubérculo Púbico 25

26 Borda Anterior EIAS BORDAS Borda Anterior EIAS EIAI Tubérculo Púbico Borda Anterior EIAI BORDAS Borda Anterior EIAS EIAI Tubérculo Púbico 26

27 Borda Anterior Tubérculo Púbico BORDAS Borda Posterior EIPS EIPI Túber Isquiático Borda Anterior Tubérculo Púbico BORDAS Borda Posterior EIPS EIPI Túber Isquiático Sínfise Púbica BORDAS Borda Posterior EIPS EIPI Túber Isquiático 27

28 SACRO BORDAS Face Posterior Borda Posterior Crista Sacral Mediana EIPS EIPI Crista Sacral Lateral Túber Isquiático SACRO SACRO Face Posterior Crista Sacral Mediana Face Posterior Crista Sacral Lateral Crista Sacral Lateral SACRO CÓCCIX Face Posterior Crista Sacral Mediana Crista Sacral Lateral Fratura de Cóccix 28

29 SACRO-ILÍACA SACRO-ILÍACA SACRO-ILÍACA PRÁTICA OSSOS DA SACRO-ILÍACA SACRO-ILÍACA CRISTAS ILÍACAS - PALPAÇÃO Índex dispostos horizontalmente ao limite dos flancos. Na altura do processo transverso de L4. 29

30 Polegares sobre as partes posteriores das cristas ilíacas. Normalmente correspondem as fossetas da articulação sacro-ilíaca. Na altura de S2. EIPS - PALPAÇÃO Coluna Vertebral Músculos da Região Sacro-Ilíaca CRISTAS SACRAIS - PALPAÇÃO MÚSCULOS DO QUADRIL Crista Sacra: entre a prega interglútea. Forames Sacrais: laterais à crista sacra, situados a um nível inferior a apófise espinhosa correspondente Glúteo Máximo Glúteo Médio Glúteo Mínimo Piriforme Gêmeo Superior Obturatório Interno Gêmeo Inferior Obturatório Externo Quadrado Femoral EIAS - PALPAÇÃO GLÚTEO MÁXIMO Inervação Parte saliente anterior e superior à crista ilíaca. Nervo Glúteo Inferior (L5, S1 e S2) Ação Extensão do quadril e rotação lateral da coxa 30

31 GLÚTEO MÁXIMO - PALPAÇÃO GLÚTEO MÍNIMO Inervação Nervo Glúteo Superior (L4, L5 e S1) Palpa-se resistindo ao movimento de extensão da coxa. Ação Abdução, rotação medial e flexão da coxa GLÚTEO MÉDIO GLÚTEO MÍNIMO - PALPAÇÃO Inervação Nervo Glúteo Superior (L4, L5 e S1) Ação Abdução e rotação medial da coxa Não é palpável. GLÚTEO MÉDIO - PALPAÇÃO PIRIFORME - PALPAÇÃO Decúbito lateral: Movimento de abdução e rotação lateral, com ligeira flexão do joelho. Palpa-se entre o trocânter maior e a crista ilíaca. 31

32 PIRIFORME - PALPAÇÃO 32

MÚSCULO ORIGEM INSERÇÃO INERVAÇÃO 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO ÚMERO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA

MÚSCULO ORIGEM INSERÇÃO INERVAÇÃO 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO ÚMERO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA 6MOD205 LOCOMOÇÃO E PREENSÃO MÚSCULOS DO MEMBRO SUPERIOR OMBRO MANGUITO ROTADOR 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA TUBÉRCULO > DO 3 SUBESCAPULAR

Leia mais

Músculos da Cabeça e Pescoço

Músculos da Cabeça e Pescoço UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos da Cabeça e Pescoço Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Cabeça e do Pescoço - Movimentam a cabeça

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ESQUELETO AXIAL 1) CABEÇA: a) Identificar e localizar os ossos da cabeça: - Crânio (8): Ossos pares ou bilaterais: Parietais e Temporais

Leia mais

Músculo Origem Inserção Inervação Ação

Músculo Origem Inserção Inervação Ação Músculos Toracoapendiculares Anteriores Músculo Origem Inserção Inervação Ação Peitoral Maior Porção clavicular: Face anterior da metade anterior da clavícula; Porção esternocostal: face anterior do esterno

Leia mais

OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO

OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO MOVIMENTOS DA ESCÁPULA PROTRAÇÃO RETRAÇÃO ELEVAÇÃO DEPRESSÃO ROTAÇÃO PARA CIMA (EXTERNA) ROTAÇÃO PARA BAIXO (INTERNA) MOVIMENTOS DOS OMBROS FLEXÃO E EXTENSÃO ADBUÇÃO E ADUÇÃO

Leia mais

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Coluna Vertebral Canal Vertebral Forames intervertebrais Características de uma vértebra típica Corpo vertebral

Leia mais

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA ANATOMIA HUMANA O conhecimento da Anatomia é de fundamental importância na hora de prescrever o exercício... Ossos e músculos; Tipos de articulações;

Leia mais

Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades

Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades Uma fixação é no esqueleto e outra na parte mais profunda da Pele Podem movimentar a pele do couro cabeludo e da face modificando

Leia mais

CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr.

CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. CINESIOLOGIA Músculos vs Movimentos Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR TRAPÉZIO: PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE) Na Cervical:

Leia mais

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR ELEVAÇÃO: TRAPÉZIO PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE), ELEVADOR (LEVANTADOR) DA ESCÁPULA, ROMBÓIDES. DEPRESSÃO:

Leia mais

s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 1 O Ombro é uma articulação de bastante importância para todos nós, visto que para fazermos até as atividades mais simples, como escovar os dentes e dirigir, precisamos dele. Devido a esta característica,

Leia mais

Músculos do Quadril e Coxa. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP

Músculos do Quadril e Coxa. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP Músculos do Quadril e Coxa Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP Movimentos da Articulação do Quadril (ou Coxa) -Flexão e Extensão -Adução e Abdução -Rotação Medial e Rotação

Leia mais

MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX. 1 Peitoral Maior. 1 Peitoral Maior. Região Ântero- Lateral

MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX. 1 Peitoral Maior. 1 Peitoral Maior. Região Ântero- Lateral Nervo Peitoral Lateral e Medial (C5 a T1) Marcelo Marques Soares Prof. Didi Rotação medial, adução, flexão e flexão horizontal do braço Região Ântero- Lateral 2 Peitoral Menor Subclávio Serrátil Anterior

Leia mais

TERMOS DE MOVIMENTO TERMOS DE MOVIMENTO POSIÇÃO ANATÔMICA POSIÇÃO ANATÔMICA TERMOS DE MOVIMENTO. Curso de. Marcelo Marques Soares Prof.

TERMOS DE MOVIMENTO TERMOS DE MOVIMENTO POSIÇÃO ANATÔMICA POSIÇÃO ANATÔMICA TERMOS DE MOVIMENTO. Curso de. Marcelo Marques Soares Prof. 2ª edição Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Douglas Lenz POSIÇÃO ANATÔMICA Linha Sagital Mediana POSIÇÃO ANATÔMICA 1 2 REGIÃO INFERIOR Reto Anterior Piramidal Oblíquo Externo Oblíquo Interno

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA História da Anatomia Terminologia Anatômica Osteologia HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA HISTÓRIA DA ANATOMIA

Leia mais

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA O homem que se esvazia do orgulho, dá espaço ao conhecimento. ANATOMIA HUMANA O conhecimento da Anatomia é de fundamental importância na hora de

Leia mais

Profa. Elen H. Miyabara

Profa. Elen H. Miyabara UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia MÚSCULOS DO QUADRIL E COXA Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Movimentos da Articulação do Quadril (ou Coxa) -Flexão

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata ANATOMIA MUSCULAR Músculos que movimentam o Ombro Anteriomente: Posteriomente: Deltóide (porção anterior) Grande Dorsal Peitoral Maior

Leia mais

Membro Superior. Sistema Esquelético. Cintura Escapular. Membro Superior. 1 Segmento ESCÁPULA E CLAVÍCULA 24/02/2016 CLAVÍCULA. CLAVÍCULA Articulações

Membro Superior. Sistema Esquelético. Cintura Escapular. Membro Superior. 1 Segmento ESCÁPULA E CLAVÍCULA 24/02/2016 CLAVÍCULA. CLAVÍCULA Articulações ANATOMIA PALPATÓRIA Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Douglas Lenz 1 Segmento Cintura Escapular E CLAVÍCULA Membro Superior Sistema Esquelético CLAVÍCULA Membro Superior 1 Segmento - Cintura

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal SISTEMA ESQUELÉTICO ANATOMIA HUMANA Laboratório de Morfofisiologia Funções: suporte, movimento, proteção, estoque de minerais e hematopoiese. O esqueleto

Leia mais

Coluna Vertebral e Crâneo

Coluna Vertebral e Crâneo Coluna Vertebral e Crâneo Nome: Turma: PL1/PL2 Aspectos gerais A. Legende a figura e refira o número de vértebras existentes em cada uma das regiões assinaladas: 1- Cervical 2- Toráxica 3- Lombar N.º de

Leia mais

NERVOS ESPINHAIS. Relação das Raízes Nervosas com as Vértebras

NERVOS ESPINHAIS. Relação das Raízes Nervosas com as Vértebras Page 1 of 7 NERVOS ESPINHAIS São aqueles que fazem conexão com a medula espinhal e são responsáveis pela inervação do tronco, dos membros superiores e partes da cabeça. São ao todo 31 pares, 33 se contados

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA História da Anatomia Terminologia Anatômica Osteologia HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA HISTÓRIA DA ANATOMIA

Leia mais

QUADRIL / PELVE. Prof. Gabriel Paulo Skroch

QUADRIL / PELVE. Prof. Gabriel Paulo Skroch QUADRIL / PELVE Prof. Gabriel Paulo Skroch 1. ANATOMIA Mulher Homem Ilíaco e extremidade superior do fêmur Vista anterior Vista posterior Superfícies articulares da articulação coxo-femural, cápsula e

Leia mais

Músculos do Cíngulo Escapular e Braço

Músculos do Cíngulo Escapular e Braço Músculos do Cíngulo Escapular e Braço 1 Músculos do Tronco ou Crânio ao Cíngulo Escapular (8) Serrátil Anterior Trapézio Rombóides Maior e Menor Peitoral Menor Levantador da Escápula Subclávio Esternocleidomastóideo

Leia mais

INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DO ESQUELETO AXIAL - COLUNA VERTEBRAL

INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DO ESQUELETO AXIAL - COLUNA VERTEBRAL INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DO ESQUELETO AXIAL - COLUNA VERTEBRAL 94 COLUNA CERVICAL AP COM A BOCA ABERTA (TRANSORAL) - BÁSICA ESTRUTURAS MAIS DEMONSTRADAS: Corpo e dente de C2, corpo de C1 e articulação

Leia mais

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação Psoas maior proc.

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação Psoas maior proc. MIOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MIOLOGIA DO MEMBRO INFERIOR Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Iliopsoas MÚSCULOS QUE ACIONAM A COXA Psoas maior

Leia mais

Coluna Vertebral. Coluna Vertebral Cinesiologia. Renato Almeida

Coluna Vertebral. Coluna Vertebral Cinesiologia. Renato Almeida Coluna Vertebral Questão de Concurso Treinando... (EBSERH) A escoliose é uma deformidade em curva da coluna vertebral, podendo ou não ser acompanhada de rotação das vértebras, a chamada giba. Em uma escoliose

Leia mais

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero Músculo Ligações Movimentos Esternocleidomastóideo Esterno, clavícula, Flexão, flexão lateral e rotação da processo mastóide cabeça Trapézio Osso occipital, apófises Extensão e flexão lateral da espinhosas

Leia mais

MÚSCULOS DO OMBRO. Músculos do Ombro

MÚSCULOS DO OMBRO. Músculos do Ombro MÚSCULOS DO OMBRO Músculos do Ombro Deltóide Supra-espinhal Infra-espinhal Redondo Menor Redondo Maior Subescapular DELTÓIDE Ombro Inserção Proximal: 1/3 lateral da borda anterior da clavícula, acrômio

Leia mais

ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES

ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES 2 SISTEMA MUSCULAR MÚSCULOS DO MEMBRO SUPERIOR 3 MÚSCULOS MOVIMENTOS OMOPLATA 4 MÚSCULOS TRAPÉZIO MOVIMENTOS OMOPLATA 5 ELEVADOR DA OMOPLATA Origem: Apófises transversas

Leia mais

Estão dispostos em 6 grupos:

Estão dispostos em 6 grupos: MÚSCULOS DO TRONCO Estão dispostos em 6 grupos: Músculos do dorso Abdome Músculos suboccipitais Pelve Tórax Períneo MÚSCULOS DO DORSO Há dois grupos principais: Músculos Extrínsecos do Dorso Superficiais

Leia mais

Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores

Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores Profª Esp.Flávia Medeiros M. Oblíquo Externo Origem: Margem inferior e face anterior da 5ª à 12ª costela Inserção: lábio externo da

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014 AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? A AVALIAÇÃO POSTURAL CONSISTE EM DETERMINAR E REGISTRAR SE POSSÍVEL ATRAVÉS DE FOTOS, OS DESVIOS OU ATITUDES POSTURAIS DOS INDIVÍDUOS, ONDE O MESMO É

Leia mais

15/03/2016 ESQUELETO APENDICULAR OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MEMBRO TORÁCICO. Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico

15/03/2016 ESQUELETO APENDICULAR OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MEMBRO TORÁCICO. Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico ESQUELETO APENDICULAR Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR Ombro - Escápula Braço - Úmero Antebraço Rádio e Ulna Joelho - Carpos Canela - Metacarpos

Leia mais

28/08/2015 CINTURA PÉLVICA E QUADRIL INTRODUÇÃO. Transmissão do peso da cabeça, tronco e MMSS para os MMII INTRODUÇÃO ÍNDICE DE ASSUNTOS

28/08/2015 CINTURA PÉLVICA E QUADRIL INTRODUÇÃO. Transmissão do peso da cabeça, tronco e MMSS para os MMII INTRODUÇÃO ÍNDICE DE ASSUNTOS ÍNDICE DE ASSUNTOS CINTURA PÉLVICA E QUADRIL PROF. DR. Wouber Hérickson de B. Vieira DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA - UFRN hericksonfisio@yahoo.com.br INTRODUÇÃO ANATOMIA FUNCIONAL Estrutura óssea Estrutura

Leia mais

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação MIOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MIOLOGIA DO MEMBRO SUPERIOR Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: MÚSCULOS QUE ACIONAM A CINTURA ESCAPULAR Trapézio

Leia mais

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica COLUNA LOMBAR Coluna lombar Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica 2 tipos de Articulações: Intervertebral cartilaginosa Proc. Articulares - sinovial Coluna lombar Coluna lombar

Leia mais

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento 4 1.3 Gastrulação, Neurulação e Formação dos

Leia mais

Biomecânica da Coluna Cervical

Biomecânica da Coluna Cervical Biomecânica da Coluna Cervical MFT 0833 Isabel de Camargo Neves Sacco Sacco ICN 2007 PROPEDÊUTICA E ANATOMIA DE SUPERFÍCIE Base da cabeça: C1 + occipital C3 - osso hióide C4 e C5 - cartilagem tireoidiana

Leia mais

Corpos vertebrais. Disco intervertebral

Corpos vertebrais. Disco intervertebral AULA 6 COLUNA VERTEBRAL 33 VÉRTEBRAS 7 Vértebras cervicais (C1-C7) C7) 12 vértebras torácicas (T1-T12) T12) 5 vértebras lombares (L1-L5) L5) 5 vértebras sacrais (S1-S5) S5) 4-5 vértebras coccígeas COLUNA

Leia mais

Avaliação do Quadril

Avaliação do Quadril Avaliação do Quadril Anatomia -Ossos do quadril constituem a cintura pélvica e unem-se anterior//e na sínfise púbica e posterior//te articulam-se com a parte superior do sacro. Anatomia - Ossos do quadril

Leia mais

Cinesiologia Aplicada. Quadril, Joelho e tornozelo

Cinesiologia Aplicada. Quadril, Joelho e tornozelo Cinesiologia Aplicada Quadril, Joelho e tornozelo Cintura Pélvica - Ossos Ossos Pélvicos: Ílio Isquio Púbis Femúr Cintura Pélvica - Movimentos Movimentos da Cintura Pélvica Rotação Pélvica posterior Retroversão

Leia mais

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral Sistema Esquelético 213 Esqueleto Apendicular 126 Esqueleto Axial 87 Crânio e ossos associados 29 Caixa torácica 25 Coluna vertebral 33 Crânio Abrigar e proteger o encéfalo Apresenta aberturas para passagem

Leia mais

Pelve: Ossos, Articulações e Ligamentos. Dante Pascali

Pelve: Ossos, Articulações e Ligamentos. Dante Pascali CAPÍTULO 1 Pelve: Ossos, Articulações e Ligamentos Dante Pascali Capítulo 1 Pelve: Ossos, Articulações e Ligamentos 3 OSSOS PÉLVICOS A pelve é a base óssea na qual o tronco se apóia e através da qual o

Leia mais

MANUAL TÉCNICO CÓD ESQUELETO HUMANO DE 85 CM

MANUAL TÉCNICO CÓD ESQUELETO HUMANO DE 85 CM MANUAL TÉCNICO CÓD. 6065 ESQUELETO HUMANO DE 85 CM Esta é uma pequena ferramenta de aprendizagem de anatomia do Sistema Esquelético Humano. Com o Modelo Anatômico de Esqueleto de 85 cm, é possível observar

Leia mais

1 2 PSOAS O = PROCESSOS TRANSVERSOS / CORPOS E DISCOS INTERVERTEBRAIS DE TODAS AS VÉRTEBRAS LOMBARES N. FEMURAL I = TROCANTER MENOR ILIACO O = FOSSA ILIACA N. FEMURAL I = TROCANTER MENOR RETO FEMURAL O

Leia mais

COLUNA: SEGMENTO TORÁCICO

COLUNA: SEGMENTO TORÁCICO COLUNA: SEGMENTO TORÁCICO Ft. Ms. Adriana de Sousa do Espírito Santo ANATOMIA 12 vértebras. 1a. e 2a. São de transição. O corpo possui o d ântero-posterior e transversal iguais e apresenta semifacetas

Leia mais

Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares.

Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares. ESQUELETO APENDICULAR INFERIOR OSTEOLOGIA DOS MEMBROS INFERIORES Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares. Cintura

Leia mais

Avaliação Integrada. Prof. Silvio Pecoraro

Avaliação Integrada. Prof. Silvio Pecoraro Avaliação Integrada slpecoraro@yahoo.com.br Prof. Silvio Pecoraro Corrente cinética: sistema muscular + sistema articular + sistema neural. Anatomia Funcional Biomecânica Funcional Educação Motora Definições

Leia mais

SISTEMA LOCOMOTOR 15/02/2011. Crânio. Composição óssea CABEÇA E PESCOÇO

SISTEMA LOCOMOTOR 15/02/2011. Crânio. Composição óssea CABEÇA E PESCOÇO SISTEMA LOCOMOTOR CABEÇA E PESCOÇO Crânio O crânio forma uma caixa óssea que tem a função primordial de abrigar e proteger o encéfalo. Outras funções importantes como: possui cavidades para órgãos da sensibilidade

Leia mais

Estrutura da Coluna Vertebral

Estrutura da Coluna Vertebral Fundamentos da Biomecânica CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA DA COLUNA VERTEBRAL Estrutura da Coluna Vertebral 33 Vértebras 7 cervicais 12 torácicas 5 lombares 5 sacrais (fundidas) 4-5 coccígeas (fundidas) 1

Leia mais

MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O que é Cintura Escapular? Duas clavículas e duas escápulas. Trata-se de uma estrutura que sofreu adaptações à bipedia, onde as

Leia mais

MENINGES E LIQUOR. Crânio Coluna Vertebral. Meninges e. Líquor 25/02/2016 1ª CAMADA. Crânio e Coluna Vertebral SISTEMA DE PROTEÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO

MENINGES E LIQUOR. Crânio Coluna Vertebral. Meninges e. Líquor 25/02/2016 1ª CAMADA. Crânio e Coluna Vertebral SISTEMA DE PROTEÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO ANATOMIA DO SISTEMA CRANIOCERVICOMANDIBULAR Crânio / Coluna Vertebral Curso de SOT Menínges Líquor Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Barreira Hematoencefálica Douglas Lenz

Leia mais

Anatomia Palpatória. Anatomia clínica. Anatomia clínica - Objetivos. Anatomia clínica. Princípios da palpação. Princípios da palpação

Anatomia Palpatória. Anatomia clínica. Anatomia clínica - Objetivos. Anatomia clínica. Princípios da palpação. Princípios da palpação Anatomia Palpatória Especialista Ortopedia e Esportes UFMG Fisioterapeuta da SPINE FISIOTERAPIA Professor da Pos Graduação Terapia Manual PUC-MG Professor do Curso de Terapia Manual da SPINE FISIOTERAPIA

Leia mais

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Parede abdominal Ântero-lateral Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Abdome A parte do tronco entre o tórax e a pelve, possui paredes musculotendíneas, exceto posteriormente onde a

Leia mais

S. Esq. Anatomia geral

S. Esq. Anatomia geral S. Esq. Anatomia geral Categorias da divisão dos ossos: No adulto o esqueleto é constituído por 206 ossos Esqueleto axial: Constituído pela cabeça óssea, osso hióide, coluna vertebral e caixa torácica

Leia mais

LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS

LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS 1. Base do crânio - Visão externa Canal Carótico Canal do Hipoglosso Canal e fossa condilar Canal incisivo Coana Côndilo Occipital Dorso da sela turca Espinha nasal

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA Diagnóstico Cinético-Funcional e Imaginologia: Membros Superiores, Cabeça e Tórax Unidade II OMBRO 1 2 3 4 5 Luxação anterior 6 Fratura de cabeça

Leia mais

Quadril. Quadril Cinesiologia. Renato Almeida

Quadril. Quadril Cinesiologia. Renato Almeida Quadril Questão de Concurso Treinando... (QUEIMADAS - PB) A capacidade do corpo de transformar movimentos angulares estereotipados das articulações em movimentos curvilineares mais eficientes das partes

Leia mais

Anatomia da Cabeça e do Pescoço. Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio

Anatomia da Cabeça e do Pescoço. Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Anatomia da Cabeça e do Pescoço Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Introdução Area anatomicamente rica e complexa Indice de complicações depende

Leia mais

Anatomia Humana Módulo 02 Conceitos Gerais do Sistema Osteomioarticular

Anatomia Humana Módulo 02 Conceitos Gerais do Sistema Osteomioarticular Anatomia Humana 1 Profª Fabíola Claudia Henrique da Costa Parte 01 Osteologia Partedaanatomiaque estuda o esqueleto, o qual é constituído por ossos e cartilagens. 1 Axial Ossos da cabeça, pescoço e tronco

Leia mais

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular Provas de função muscular MMII Graduação de força muscular Grau 0:Consiste me palpar o músculo avaliado e encontrar como resposta ausência de contração muscular. Grau 1:Ao palpar o músculo a ser avaliado

Leia mais

MANOBRAS DE EXAME MUSCULOESQUELÉTICO CABEÇA, PESCOÇO E CINTURA ESCAPULAR

MANOBRAS DE EXAME MUSCULOESQUELÉTICO CABEÇA, PESCOÇO E CINTURA ESCAPULAR MANOBRAS DE EXAME MUSCULOESQUELÉTICO CABEÇA, PESCOÇO E CINTURA ESCAPULAR ESTÁTICO ANTERO-POSTERIOR Observar posicionamento da cabeça em relação ao tronco, que pode evidenciar deslocamentos laterais, posicionamento

Leia mais

Sumário. Anatomia Geral

Sumário. Anatomia Geral Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana................................. 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento.................................

Leia mais

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 )

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 ) Complexo Articular do Ombro Articulação mais móvel do corpo humano, porém muito instável = estabilidade dinâmica. Posição de referência Graus de Liberdade 3 graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180

Leia mais

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO MEMBRO INFERIOR ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR Articulação SacroiIíaca: Ligamento sacrotuberal Lig. sacroespinal Lig. Sacroilíacos post. e ant. Lig. Sacroilíacos interósseos Articulação

Leia mais

Total de 11 páginas 1

Total de 11 páginas 1 SISTEMA ESQUELÉTICO O esqueleto Esqueleto grego: corpo ressecado Entretanto é um tecido vivo Endoesqueleto 206 ossos Funções Sustentação; Proteção; Reserva de minerais; Movimentação; Formação de células

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA FACULDADE DE ENSINO E CULTURA DO CEARÁ CURSOS DE SAÚDE ANATOMIA ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Profs. Musse Jereissati, Rosi Paixão e Ana Cláudia Queiroz Ossos do membro superior: Clavícula, escápula (que constituem

Leia mais

COLUNA CERVICAL - POCISIONAMENTO RADIOLÓGICO. Coluna Cervical (AP)

COLUNA CERVICAL - POCISIONAMENTO RADIOLÓGICO. Coluna Cervical (AP) Coluna Cervical (AP) COLUNA CERVICAL - POCISIONAMENTO RADIOLÓGICO Solicitar ao paciente que retire brincos, colar, presilhas do cabelo, aparelho móvel da boca e qualquer objeto radiopaco que venha comprometer

Leia mais

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL *

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * A. POSTURA DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * 1 POSTURA LORDÓTICA Trabalho realizado por: Karina Mothé Bianor Orientador: Prof. Blair José Rosa Filho Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o

Leia mais

Sistema Muscular. Descrição dos musculo. Corpo ou ventre porção mais larga do musculo. Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta

Sistema Muscular. Descrição dos musculo. Corpo ou ventre porção mais larga do musculo. Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta Descrição dos musculo Inserção de rigem no mais fixo dos dois ossos Corpo ou ventre porção mais larga do musculo Anatomia do musculo Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta Descrição dos musculo

Leia mais

HUC Clínica Universitária de Imagiologia. Protocolos de Exames de Radiologia Geral. Orientação do Feixe. Região Anatómica. Critério de Qualidade Kv

HUC Clínica Universitária de Imagiologia. Protocolos de Exames de Radiologia Geral. Orientação do Feixe. Região Anatómica. Critério de Qualidade Kv Exposição Automática Exposição Manual Região Anatómica Designação Protecção Orientação do Feixe Critério de Qualidade Obs Kv Exposi. Autom. S (ISO) Foco Colima ção Distância fonte detector Grelha Potter

Leia mais

ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII. Prof.: Gustavo Martins Pires

ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII. Prof.: Gustavo Martins Pires ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII Prof.: Gustavo Martins Pires OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO MEMBRO INFERIOR Tem por principal função de locomoção e sustentação do peso. Os ossos do quadril, constituem

Leia mais

Anatomia Humana. A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor. B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório

Anatomia Humana. A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor. B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório Anatomia Humana A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório C- Anatomia dos Sistemas Endócrino e Digestório D- Anatomia do Aparelho Genitourinário E- Anatomia do

Leia mais

ERGONOMIA AULA 2 RICARDO LUIZ PACE JUNIOR

ERGONOMIA AULA 2 RICARDO LUIZ PACE JUNIOR ERGONOMIA AULA 2 RICARDO LUIZ PACE JUNIOR Noções Básicas de Anatomia e Fisiologia Identificação das Limitações do Organismo Humano Sabendo-se que a Ergonomia tem por objetivo adequar o trabalho às características

Leia mais

Anatomia do Membro Superior

Anatomia do Membro Superior Composição Cíngulo do Membro Superior Braço Antebraço Mão Cíngulo do Membro Superior CLAVÍCULA CULA - Extremidades: esternal e acromial - Diáfise: - 2/3 mediais convexos anteriormente - 1/3 lateral côncavo

Leia mais

Ano Letivo: 2015/2016

Ano Letivo: 2015/2016 Ano Letivo: 2015/2016 Ano de escolaridade: 3º TAGD Disciplina: Estudo do Movimento Período 1º Conteúdos Programados Módulo 1 Osteologia e Artrologia. Posição descritiva anatómica;. Planos descritivos:

Leia mais

Osteologia e Artrologia. Tema F Descrição e caraterização funcional do sistema ósseo e articular do membro inferior.

Osteologia e Artrologia. Tema F Descrição e caraterização funcional do sistema ósseo e articular do membro inferior. Tema F Descrição e caraterização funcional do 1 Cintura pélvica; 2 Bacia 3 Articulação coxo-femural e seu funcionamento nos movimentos da coxa. 4 Complexo articular do joelho e seu funcionamento nos movimentos

Leia mais

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior COLUNA VERTEBRAL 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais 4 vértebras coccígeas anterior

Leia mais

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular OMBRO Complexo articular (20 mm, 3 art, 3 art funcionais) Articulação proximal do MS Direciona a mão Aumenta o alcance Osteologia Úmero, escápula, clavícula, esterno, costelas Úmero Cabeça Colo Tubérculo

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço Músculos do Cotovelo Bicípite braquial Braquial Braquiorradial Tricípite braquial Ancôneo Bicípite Braquial Bicípite Braquial Origem: Cabeça

Leia mais

MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES

MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES MANUAL DE GONIOMETRIA MEDIÇÃO DOS ÂNGULOS ARTICULARES Apresentação A goniometria é a medição dos ângulos articulares presentes nas articulações humanas. Este manual tem como objetivo, esclarecer e orientar

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE NITERÓI CURSO TÉCNICO ALMIR MADEIRA Estrada Caetano Monteiro, 857 Pendotiba. Niterói- RJ Tel: 21994400/21.26202173 (Centro) CURSO: DISCIPLINA: Anatomia e Fisiologia Humana DOCENTE:

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Articulação do Quadril: É uma articulação sinovial esferóidea com 3 graus de liberdade; Posição de

Leia mais

Tronco. Funções. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com) Coluna vertebral

Tronco. Funções. You created this PDF from an application that is not licensed to print to novapdf printer (http://www.novapdf.com) Coluna vertebral Tronco Coluna vertebral Caixa torácica Cintura escapular Cintura pélvica Funções Proteção da medula espinhal. Base de suporte e mobilidade para a cabeça. Base estável para fixação de ossos, mm., lig.e

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação Esternoclavicular: Artic.

Leia mais

OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA. Ricardo Yabumoto

OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA. Ricardo Yabumoto OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA Ricardo Yabumoto INTRODUCAO Cintura escapular = 4 articulacoes: Gleno umeral Acromioclavicular Esternoclavicular Escapulotoracica Pseudo-articulacao = espaco subacromial INTRODUCAO

Leia mais

OSSOS DO TRONCO PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1

OSSOS DO TRONCO PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1 OSSOS DO TRONCO PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1 1 COLUNA VERTEBRAL É formada por sobreposição de 24 vértebras, articula-se superiormente com o osso occipital da cabeça e para baixo com o osso sacro

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL COLUNA CERVICAL FUNÇÕES: Suporte e estabilidade à cabeça Dar mobilidade à cabeça Abrigar, conduzir e proteger a medula espinhal e a artéria vertebral INSPEÇÃO Postura Global

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior

ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior NERVOS Os nervos que inervam o membro inferior originam-se do plexo lombar, situado no abdome, e do plexo sacral, situado na pelve. Plexo Lombar: Plexo Sacral: Nervos

Leia mais

OSSOS DO CRÂNIO. Prof. ROMMEL BARRETO

OSSOS DO CRÂNIO. Prof. ROMMEL BARRETO OSSOS DO CRÂNIO Prof. ROMMEL BARRETO Crânio: lâmina externa diploe lâmina interna Crânio: Definição: Funções: Divisão Funcional: Ossos do Neurocrânio: Ossos do Viscerocrânio: Crânio: 22 ossos? Crânio

Leia mais