GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin. SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS Jurandir Fernandes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin. SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS Jurandir Fernandes"

Transcrição

1 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Geraldo Alckmin SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS Jurandir Fernandes 1

2 A Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM, nos termos da Ata da 52ª Reunião Ordinária do Conselho Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas, comunica aos interessados que realizará audiência Pública, em atendimento ao artigo 39 da Lei Federal nº 8.666/93, para tornar público o modelo de PPP, aprovado por aquele órgão deliberativo, visando a concessão patrocinada para a prestação dos serviços públicos de transporte de passageiros da LINHA 18 BRONZE de Metrô de São Paulo, com tecnologia de monotrilho, contemplando implantação, operação e manutenção, objetivando, em linhas gerais, colher contribuições para a elaboração do futuro edital. A Audiência será realizada no dia 12 de março de 2013, às 9:30 horas, na sede do Instituto de Engenharia de São Paulo, situado à Avenida Dr. Dante Pazzanese, nº 120, Vila Mariana, São Paulo/SP, ocasião em que os interessados terão acesso às informações necessárias. 2

3 OBJETO DA CONCESSÃO PATROCINADA CONCESSÃO PATROCINADA PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DA LINHA 18 BRONZE DE METRÔ DE SÃO PAULO, COM TECNOLOGIA DE MONOTRILHO, CONTEMPLANDO IMPLANTAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO 3

4 Linha 18 Bronze - Tamanduateí Paço Municipal LINHA 18

5 LINHA 18 BRONZE Integrações Metroferroviárias e EMTU Transferência para Linha 10 - Turquesa Winston Churchill Baeta Neves Fundação Santo André Afonsina Senador Vergueiro Paço Municipal Goiás Espaço Cerâmica Mauá Ligação Corredor ABD Carioca Estrada das Lágrimas Regina Matiello Tamanduateí Transferência para Linha 2 - Verde Pátio * inclui estação Carioca, a ser confirmada em função do Projeto Diagonal Sul da Prefeitura de São Paulo Extensão = m A Linha 18 Bronze de Tamanduateí até Paço Municipal interliga a região do ABC e o Sistema Metroferroviário da RMSP, com integração na estação Tamanduateí (Linha 2 verde do Metrô e Linha 10 Turquesa da CPTM) e no Corredor ABD, junto à estação Paço Municipal

6 HISTÓRICO Decreto Estadual nº , de 10 de agosto de 2004, alterado pelo Decreto nº , de 30/08/2011, que regulamenta a Lei nº , de 19 de maio de 2004, que institui o Programa de Parcerias Público-Privadas - PPP e dá outras providências Proposta Preliminar Aprovada pelo Conselho Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas CGPPP, em 09/12/2011 Publicação do Chamamento Público nº 01, 02/02/2012, com vistas à Manifestação de Interesse para Desenvolvimento de Estudos e Modelagem para Linha 18-Bronze da Rede Metroviária de São Paulo, com projeto funcional para Fases I e II e análise de concessão conjunta ou separada do Transporte Metropolitano de Ônibus da região (Área 5 da EMTU) No prazo determinado, 12 empresas declararam interesse no desenvolvimento dos estudos Prazo Final para apresentação dos estudos = 16 de Julho de 2012 Quatro empresas/grupos apresentaram propostas: Brasell; CMT; Invepar-Queiroz Galvão-Bombardier; Odebrecht. 6

7 HISTÓRICO Constituição de Grupo de Trabalho, sob a coordenação da Secretaria Executiva do CGPPP para análise dos estudos propostos e formulação da Modelagem Final da PPP ao Conselho Gestor O Grupo de Trabalho contou com assessoria do Banco Mundial BIRD para análise das propostas e consultoria para elaboração de premissas e diretrizes da concessão Definição do grau de aproveitamento das propostas recebidas Aprovação da Modelagem pelo Conselho Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privada no dia 18/12/2012 7

8 MODELAGEM FINAL ESTRUTURA DO PROJETO PPP Definição do Escopo e Responsabilidades da Concessionária Consolidação do Estudo de Demanda, elaborado pela STM/METRÔ e validado pelo BIRD Identificação dos Investimentos para implantação do empreendimento CAPEX Definição e montagem do modelo financeiro do Projeto PPP Concessão Patrocinada Definição das Diretrizes Básicas do Edital e Contrato Proposição do Cronograma do Projeto 8

9 MODELAGEM FINAL ESCOPO E RESPONSABILIDADES DA CONCESSIONÁRIA ESCOPO Implantação e operação da Linha 18 Bronze - Tamanduateí Paço Municipal no Centro de São Bernardo com as seguintes características: 12 Estações 14,355 km de extensão 1 Pátio de Manutenção e Manobras Frota Operacional para atendimento à demanda projetada RESPONSABILIDADES Obter Licenças de Instalação e Operação Efetuar as desapropriações e reassentamentos necessárias à implantação da Linha Realizar sondagens e estudos geotecnológicos e demais estudos e projetos das obras civis, sistemas, equipamentos e material rodante, necessários à implantação da Linha Executar obras civis e obter sistemas, equipamentos e material rodante, necessários à implantação da Linha 18 Operar e manter o empreendimento pelo prazo da concessão Reverter os bens da concessão, ao final do prazo contratado, em perfeitas condições de uso 9

10 MODELAGEM FINAL PROJEÇÃO DE DEMANDA Adotada projeção de demanda efetuada pela STM/Metrô e validada pelo BIRD, que melhor representa as variáveis para projeção do modelo: - cenário sócio econômico - crescimento segmentado da rede metro-ferroviária e integração tarifária existente Estimativa de Demanda ano 1 da operação: Fonte: STM/METRÔ 10

11 MODELAGEM FINAL IDENTIFICAÇÃO DOS INVESTIMENTOS PARA A LINHA 18 Investimentos com base na análise dos projetos de referência elaborados pelo grupo Invepar- Queiroz Galvão-Bombardier e pela Odebrecht Ajustes de quantitativos e de valores para adequar a demanda de referência, bem como as diretrizes técnicas e operacionais validadas entre STM/Metrô e BIRD Aplicada a desoneração da parcela de ICMS em Obras Civis, Sistemas e Material Rodante Consolidação do Orçamento Base de Investimentos para o projeto = R$ milhões 11

12 Prazo = 25 anos, sendo: MODELAGEM FINAL MODELO FINANCEIRO DA CONCESSÃO 4 anos para implantação do empreendimento, e 21 anos para a operação dos serviços de transporte público de passageiros da Linha 18 Contempla aportes de recursos do Poder Concedente durante a fase dos investimentos, nos termos da Lei Federal nº /04, no valor de R$ 1.676,0 milhões, sendo: R$ 400,0 milhões do Orçamento Geral da União ( Repasse por convênio), e R$ 1.276,0 milhões de Financiamentos PAC 2 Cidades para o Governo do Estado de São Paulo-GESP Aplicada a desoneração da parcela de ICMS em Obras Civis, Sistemas e Material Rodante Convênio nº 94 CONFAZ Não incidência do ISS 12

13 MODELAGEM FINAL MODELO FINANCEIRO DA CONCESSÃO Valor do Investimento = R$ milhões já considerada a desoneração do ICMS Remuneração tarifária = Tarifa de remuneração => R$ 1,50 por passageiro transportado Receitas Acessórias média 10,0% da Remuneração Tarifária Progressivo Excedente => 80% privado e 20% publico Receita anual média da SPE = R$ 335,4 milhões Remuneração Tarifária + Receita Acessória => R$ 165,4 milhões Contraprestação =>R$ 170 milhões 13

14 MODELAGEM FINAL DIRETRIZES BÁSICAS DO EDITAL E CONTRATO Concorrência Internacional - Admissão de empresas brasileiras e empresas estrangeiras - Inversão de Fases proposta de preço seguida de abertura do envelope de habilitação Permitida a participação Sociedades isoladas Consórcios Equiparadas a sociedades (para participação em consórcio) - Fundações ou fundos - Entidades privadas de previdência complementar - Instituições financeiras - Fundos de Investimento em Participações (FIP) - Empresas com atividade de investidoras financeiras - Fundos de private equity Obrigatoriedade da licitante vencedora se constituir em Sociedade de Propósito Específico-SPE 14

15 MODELAGEM FINAL DIRETRIZES BÁSICAS DO EDITAL E CONTRATO Garantias do Privado - Proposta - R$ 30,0 milhões => correspondente a 1,0 % do valor do Investimento - Execução - R$ 150,0 milhões => correspondente a 5,0 % do valor do Investimento Formas de Garantias do Privado - Caução em dinheiro - Caução de títulos da dívida pública - Seguro-garantia - Fiança bancária Qualificação Econômico-Financeira - Comprovação de Patrimônio Líquido Mínimo Habilitação Jurídica, Regularidade Fiscal, Capacitação Técnica e Declarações Critério de Julgamento = Menor Valor da Contraprestação 15

16 MODELAGEM FINAL DIRETRIZES BÁSICAS DO EDITAL E CONTRATO Participação Obrigatória do proponente isolado ou em consórcio 1- PARTICIPAÇÃO EM EMPREENDIMENTOS COM INVESTIMENTOS DE PELO MENOS R$ MILHÃO (equivalente a 30% do Investimento estimado) Descrição Individual Condição de Participação no Consórcio Como Investidor Como Responsável Direto / Executor 1 Atestado Mínimo de R$ 500 mi Participação Mínimo de R$ 100 mi cada mínima de 15% 5 Atestados atestado no consórcio Participação mínima de 30% no consórcio 2- OPERAÇÃO TRANSPORTE SOBRE TRILHOS OU MONOTRILHOS Atestado que indique a operação de pelo menos 100 mil entradas (MDU) Operação de pelo menos 6 meses consecutivos Somatório de até 2 atestados 16

17 MODELAGEM FINAL DIRETRIZES BÁSICAS DO EDITAL E CONTRATO Participação Obrigatória do proponente isolado ou em consórcio 3- CONSTRUÇÃO OBRAS SIMILARES ATESTADOS: - fabricação e fornecimento de material rodante, tipo monotrilho, com capacidade mínima de 200 (duzentos) passageiros por trem, em operação comercial mínima de 1 (um) ano, sem interrupção de serviço. - execução de viaduto ou ponte em concreto protendido, em região urbana que contenha edificações e dotada de sistema viário urbano e redes de utilidades públicas, onde condições especiais como, acompanhamento e medição de recalques, desvios de tráfego em ruas ou avenidas e remanejamentos de interferências, são requeridas na sua execução, em extensão mínima de m. 17

18 Riscos MODELAGEM FINAL DIRETRIZES BÁSICAS DO EDITAL E CONTRATO Demanda: mitigação - Bandas de demanda Engenharia (inclusive projetos): alocados exclusivamente para a Concessionária Riscos Geotecnológicos e Riscos de Interferências: alocados exclusivamente para a Concessionária Arqueológicos: alocados exclusivamente ao Poder Concedente Ambientais: Licença Prévia: responsabilidade do Estado (ações mitigadoras da Concessionária) Licença de Instalação e Licença de Operação: responsabilidade da Concessionária Garantia de 6 meses de contraprestação em conta especial da CPP Operação parcial incentivada no Edital Regulação do contrato e fiscalização da implantação e operação: STM 18

19 LEGISLAÇÃO Lei Federal nº /04 - Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria públicoprivada no âmbito da Administração Pública Lei Federal nº 8.987/95 - Dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências Lei Estadual nº 7.835/92 Dispõe sobre o regime de concessão de obras públicas, de concessão e permissão de serviços públicos e dá providências correlatas Lei Federal nº 8.666/93 - Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências Lei Estadual nº 6.544/89 - Dispõe sobre o estatuto jurídico das licitações e contratos pertinentes a obras, serviços, compras, alienações, concessões e locações no âmbito da Administração Centralizada e Autárquica do Estado de São Paulo Lei Estadual nº /04 - Institui o Programa de Parcerias Público-Privadas PPP Decreto Estadual nº /04 - Regulamenta a Lei nº , de 19 de maio de 2004, que institui o Programa de Parcerias Público-Privadas - PPP e dá outras providências Decreto Federal nº 7.888/13 - Estabelece a exigência de aquisição de produtos manufaturados nacionais e serviços nacionais nas ações de mobilidade urbana integrantes do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC 19

20 CRONOGRAMA EVENTOS AUDIÊNCIA PÚBLICA CONSULTA PÚBLICA INÍCIO (MINUTA DE EDITAL E DE CONTRATO) CONSULTA PÚBLICA - TÉRMINO APROVAÇÃO FINAL CONSELHO GESTOR PUBLICAÇÃO DA ATA PUBLICAÇÃO DO EDITAL DATAS-MARCO MARÇO-2013 ABRIL-2013 MAIO-2013 JUNHO-2013 JUNHO-2013 JULHO

PPP integral Regulação e fiscalização. Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP

PPP integral Regulação e fiscalização. Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP PPP integral Regulação e fiscalização Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP Linha 4: primeira linha de metrô implantada em modelo de PPP. Poder concedente responsável por: Obras civis

Leia mais

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 ENCONTRO COM O METRÔ Obras em andamento, Concessões e PPP Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 Antecedentes do Serviço Metroferroviário na RMSP Anterior à Constituição

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 Legislação Aplicável Esta Audiência Pública está sendo realizada nos termos do ART. 39 da Lei 8.666/1993. Lei nº 11.079, de 30 de Dezembro de 2004 Lei de Parcerias

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Painel 09 Participação Privada Como viabilizá-la? Apresentação da concessão patrocinada para a prestação dos serviços públicos de transporte de passageiros da Linha 6 Laranja do Metrô de São Paulo, contemplando

Leia mais

Terminal Rodoviário e Entorno

Terminal Rodoviário e Entorno Terminal Rodoviário e Entorno Agosto de 2010 ADVISORY Cronograma da Audiência Pública Agenda da audiência 1) Abertura 10 minutos 2) Apresentação do projeto 40 minutos 3) Manifestações e perguntas 40 minutos

Leia mais

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman AEERJ, 27 de julho de 2016 Fonte: Radar PPP Mercado de PPPs no Brasil Principais Conceitos Contratações de

Leia mais

REQUERIMENTO Nº DE 2013

REQUERIMENTO Nº DE 2013 REQUERIMENTO Nº DE 2013 Requeremos, nos termos do artigo 13, 2º, da Constituição do Estado de São Paulo e dos artigos 34 e seguintes da XIV Consolidação do Regimento Interno, a constituição de uma Comissão

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA INTRODUÇÃO AO MODELO CONCESSIONÁRIO E SUAS DIFERENÇAS EM RELAÇÃO AOS CONTRATOS ORDINÁRIOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA AUTOSSUSTENTABILIDADE FINANCEIRA AUTONOMIA DE GESTÃO FOCO EM OBRIGAÇÕES DE RESULTADO

Leia mais

Workshop Parcerias Público- Privadas em Saneamento Básico PPP Alto Tietê Sabesp

Workshop Parcerias Público- Privadas em Saneamento Básico PPP Alto Tietê Sabesp Workshop Parcerias Público- Privadas em Saneamento Básico PPP Alto Tietê Sabesp Clique para editar o estilo do subtítulo mestre O projeto e sua importância O Projeto e sua importância Escopo Concessão

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Estado de São Paulo ANTP Rio de Janeiro, 12/03/2014 Rede metropolitana em andamento

Leia mais

SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS:

SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS: SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS: SEGURANÇA JURÍDICA, TRANSPARÊNCIA E SIMPLICIDADE Sérgio Guerra Mudanças institucionais nas contratações públicas 23 de setembro de 2016 REGIMES DE CONTRATAÇÕES 1993 Licitações

Leia mais

MODERNIZAÇÃO DO TREM METROPOLITANO

MODERNIZAÇÃO DO TREM METROPOLITANO COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô de São Paulo 9ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DOS TRENS METROPOLITANOS

Leia mais

Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos

Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos Regulamento e financiamento da mobilidade urbana sustentável: como garantir qualidade sem aumentar os custos Dario Rais Lopes Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades

Leia mais

A estruturação da PPP do SPSL. A ótica do Público

A estruturação da PPP do SPSL. A ótica do Público A estruturação da PPP do SPSL A ótica do Público Sumário PPP Sistema Produtor São Lourenço; Ciclo de vida; Lições I Modelagem Técnica; II Modelagem Jurídica; III Modelagem Financeira; IV Edital; V Contrato.

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Jun/2012 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento e Projetos Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras

Leia mais

PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS. DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público

PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS. DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público PPPs PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DARCI FERNANDES PIMENTEL Advogada, Especialista em Direito Público 1 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS, DIRETA E INDIRETA: CONCESSÕES E PERMISSÕES 1.1 FUNDAMENTO CONSTITUCIONAL:

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro MODALIDADE DE PPP s Característica Contratos de Concessão Lei

Leia mais

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos SOLUÇÕES PARA A MOBILIDADE URBANA NO BRASIL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos 17 de setembro/2015 Estrutura

Leia mais

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1 São Leopoldo / Novo Hamburgo ESCRITÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Coordenação de Planejamento Coordenação de Medições, Controle Financeiro

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha Formatação Jurídica Formatação Jurídica - Estatuto das Cidades: Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001 Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece

Leia mais

Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação

Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação 14h00 às 15h30-Caso 3 Parcerias Público-Privadas no Setor de Habitação Jardins Mangueiral (DF) Novembro de 2014 1. Oportunidades e Desafios das PPP Habitacionais PPP Habitacionais Oportunidades Parceiro

Leia mais

Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil. Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro

Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil. Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo A Primeira PPP do Brasil Harald Peter Zwetkoff Presidente da ViaQuatro PPP ViaQuatro & Governo A PRIMEIRA PPP DO BRASIL O modelo utilizado foi o de Licitação 8.666

Leia mais

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968; Hoje, o Metrô de São Paulo possui

Leia mais

saber-fazer a partir da inclusão socioeconômica e

saber-fazer a partir da inclusão socioeconômica e Cotação Prévia de Preço Nº. 27/2016 Convênio Nº 811902/2014 - MTE/SENAES CAMP Projeto: Economia Solidária e População em Situação de Rua: estratégias de valorização do saber-fazer a partir da inclusão

Leia mais

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo NEGÓCIOS NOS TRILHOS JURANDI R FERNANDES Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos Estratégia de financiamento

Leia mais

6 O Projeto da MG-050

6 O Projeto da MG-050 61 6 O Projeto da MG-050 Em 2006, foi lançado o edital do Projeto PPP da MG-050 com o objetivo de recuperação, ampliação e manutenção da Rodovia MG-050. O projeto engloba ainda trechos da BR-265 (entre

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA - PPP 7 DE OUTUBRO DE 2016

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA - PPP 7 DE OUTUBRO DE 2016 PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA - PPP 7 DE OUTUBRO DE 2016 OBJETO DA PPP Parceria Público-Privada para: 1) Manutenção e Operação dos edifícios já existentes (câmpus Barcelona e Centro); 2) Construção do novo

Leia mais

SIM da RMBS. AUDIÊNCIA PÚBLICA DA PPP DO SIM DA RMBS 23/Outubro/2013

SIM da RMBS. AUDIÊNCIA PÚBLICA DA PPP DO SIM DA RMBS 23/Outubro/2013 SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS AUDIÊNCIA PÚBLICA DA PPP DO SIM DA RMBS 23/Outubro/2013

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito

Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito Fabio Doria Scatolin Secretario do Planejamento e Gestão CURITIBA 28 mar 2014 METRÔ DE CURITIBA GESTÃO GUSTAVO FRUET

Leia mais

Objetivos da Exposição

Objetivos da Exposição 1 Objetivos da Exposição Apresentar aos participantes do Fórum o modelo adotado pela Prefeitura Municipal de Caraguatatuba para gestão da Iluminação Pública seus principais desafios. 15 de setembro 2010

Leia mais

Parcerias para expansão da rede do Metrô

Parcerias para expansão da rede do Metrô m ciclo virtuoso de desenvolvimento, com geração de empregos e renda, qualidade de vida e inclusão social na metrópole de São Paulo, pressupõe a existência de sistemas de transporte público que garantam

Leia mais

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Câmara de Transporte e Logística FIESC Florianópolis/SC 26 de julho de 2012 Histórico O Reino Unido foi o pioneiro na institucionalização financeira,

Leia mais

Decreto N , de 06 de Outubro de (Publicação DOM de 07/10/2005)

Decreto N , de 06 de Outubro de (Publicação DOM de 07/10/2005) Decreto N 15.278, de 06 de Outubro de 2005. (Publicação DOM de 07/10/2005) REGULAMENTA OS ARTIGOS 18, 23, 24 e 25 DA LEI N 11.263, DE 05 DE JUNHO DE 2002, QUE DISPÕE SOBRE A ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE

Leia mais

Rodrigo Garcia Secretário de Estado da Habitação

Rodrigo Garcia Secretário de Estado da Habitação Rodrigo Garcia Secretário de Estado da Habitação outubro de 2017 ESTRUTURA INSTITUCIONAL DO SETOR HABITACIONAL Secretaria da Habitação Preside o Conselho Estadual de Habitação e os Conselhos Gestores do

Leia mais

Contrato de Concessão para a Exploração do Serviço Público de Abastecimento de Água e Esgoto do Município de Camboriú/SC

Contrato de Concessão para a Exploração do Serviço Público de Abastecimento de Água e Esgoto do Município de Camboriú/SC ÁGUAS DE CAMBORIÚ Contrato de Concessão para a Exploração do Serviço Público de Abastecimento de Água e Esgoto do Município de Camboriú/SC Concorrência Pública Nacional: Modalidade Técnica e Preço Concessão

Leia mais

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor Vanessa Duarte de Carvalho Deptº de Saneamento Ambiental do BNDES Belo Horizonte, 26 de novembro de 2010 Agenda RESÍDUOS SÓLIDOS BNDES

Leia mais

COPASA PPP SES DIVINÓPOLIS

COPASA PPP SES DIVINÓPOLIS COPASA PPP SES DIVINÓPOLIS Audiência Pública 03/09/2013 Divinópolis - MG PPP SES Divinópolis Modelagem nos termos de uma concessão administrativa para a construção, operação e manutenção do Sistema de

Leia mais

Apresentação FIESP 30/08/2016

Apresentação FIESP 30/08/2016 TRIBUNAL DE CONTAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Apresentação FIESP 30/08/2016 ARI DE SOEIRO ROCHA COORDENADOR CHEFE DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE V ANTÔNIO ALMEIDA DE SOUSA SUPERVISOR DE EQUIPES DE FISCALIZAÇÃO

Leia mais

Planos de Negócio das Operadoras Metropolitanas

Planos de Negócio das Operadoras Metropolitanas Operadoras Metropolitanas Operadoras Metropolitanas Companhia do Metropolitano de São Paulo 1 Operadoras Metropolitanas 2 Sistema Metroferroviário Rede Atual Operadoras Metropolitanas 3 Passageiros/ Dia

Leia mais

Parcerias do Estado de São Paulo. Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP

Parcerias do Estado de São Paulo. Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP Parcerias do Estado de São Paulo Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP Agenda Parcerias do Estado de São Paulo Programa Estadual de PPP Programa Estadual de Concessões Desafios para as parcerias

Leia mais

Saneamento Básico. Parcerias Público-Privadas. Uma solução inteligente para a região metropolitana do Estado do Rio de Janeiro

Saneamento Básico. Parcerias Público-Privadas. Uma solução inteligente para a região metropolitana do Estado do Rio de Janeiro Saneamento Básico Parcerias Público-Privadas Uma solução inteligente para a região metropolitana do Estado do Rio de Janeiro Sumário As PPPs na lei Federal nº 11.079/04 Estrutura econômico-jurídica dos

Leia mais

A transformação de um passivo ambiental em recurso energético

A transformação de um passivo ambiental em recurso energético A transformação de um passivo ambiental em recurso energético Contexto regulatório, institucional e de negócio Carlos Alberto R. silva Fórum Nacional Resíduos Sólidos 2010 26 e 27 de outubro de 2010 Empresa

Leia mais

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro 13/05/2015 VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Divisão de Competitividade Industrial e Investimentos Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Diretoria

Leia mais

Formação em PPP Edição Concessão Administrativa da Indústria Farmacêutica de Américo Brasiliense IFAB/FURP

Formação em PPP Edição Concessão Administrativa da Indústria Farmacêutica de Américo Brasiliense IFAB/FURP Formação em PPP Edição 2014 Concessão Administrativa da Indústria Farmacêutica de Américo Brasiliense IFAB/FURP Rosane Menezes Lohbauer MHM Advogados Novembro de 2014 AGENDA - Os motivos para a contratação

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO Programa Estadual

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. PROGRAMA ESTADUAL DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS Fórum Concessões

Leia mais

A REGULAÇÃO DE ATERROS SANITÁRIOS E O APROVEITAMENTO DO BIOGÁS Estado do Rio de Janeiro. Agosto

A REGULAÇÃO DE ATERROS SANITÁRIOS E O APROVEITAMENTO DO BIOGÁS Estado do Rio de Janeiro. Agosto A REGULAÇÃO DE ATERROS SANITÁRIOS E O APROVEITAMENTO DO BIOGÁS Estado do Rio de Janeiro ~ 16 milhões de habitantes - 92 municípios ~ 16 mil toneladas diárias SITUAÇÃO DO PROGRAMA LIXÃO ZERO MUNICÍPIOS

Leia mais

CCR S.A. Governança Corporativa: Contratação de Partes Relacionadas. Informação relativa à contratação realizada pela. Companhia do Metrô da Bahia

CCR S.A. Governança Corporativa: Contratação de Partes Relacionadas. Informação relativa à contratação realizada pela. Companhia do Metrô da Bahia CCR S.A. Governança Corporativa: Contratação de Partes Relacionadas Informação relativa à contratação realizada pela Companhia do Metrô da Bahia I. Preâmbulo: O Grupo CCR prima pela transparência, segurança

Leia mais

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016 Projetos de PPPs da Bahia Maio/2016 Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado da Bahia Situação Financeira do Estado Novos Projetos Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado

Leia mais

Comunicado ao Mercado Assinatura do Contrato PPP Sistema Metroviário - Salvador e Lauro de Freitas

Comunicado ao Mercado Assinatura do Contrato PPP Sistema Metroviário - Salvador e Lauro de Freitas Comunicado ao Mercado Assinatura do Contrato PPP Sistema Metroviário - Salvador e Lauro de Freitas São Paulo, 15 de outubro de 2013. A CCR S.A. ( CCR / Companhia ) (BM&FBovespa:CCRO3; Bloomberg: CCRO3BZ;

Leia mais

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS

PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS PNRS A IMPORTÂNCIA DOS CONSÓRCIOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS Consórcio público é uma pessoa jurídica criada por lei com a finalidade de executar a gestão associada de serviços públicos, onde

Leia mais

Obrigações Supervenientes. Implicações para o Equilíbrio dos Contratos

Obrigações Supervenientes. Implicações para o Equilíbrio dos Contratos Obrigações Supervenientes Implicações para o Equilíbrio dos Contratos Características das Concessões Investimentos significativos Poucos usos alternativos Contratos de longa duração Exigência dos Concessionários

Leia mais

Saneamento e Infraestrutura

Saneamento e Infraestrutura Saneamento e Infraestrutura Desempenho 2014 Contratação SUSAN Desempenho 2014 Desembolso SUSAN Perspectivas 2015 Linhas de Financiamento: SANEAMENTO PARA TODOS Tipos de Financiamento Financiamento Corporativo

Leia mais

FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA

FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA FINANCIAMENTO A INFRAESTRUTURA ADAILTON FERREIRA TRINDADE SUPERINTENDENTE NACIONAL PARA SANEAMENTO E INFRAESTRUTURA Atuação da CAIXA 2 Áreas de Atuação Carteira Ativa por Macrosegmento Saneamento e Infraestrutura

Leia mais

Por meio deste aditamento, alteramos o edital, conforme segue: 1. No Item 3. RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS, das Instruções à Proponente, onde se lê:

Por meio deste aditamento, alteramos o edital, conforme segue: 1. No Item 3. RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS, das Instruções à Proponente, onde se lê: Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 16/03323 Objeto: Contratação de empresa especializada para a prestação de serviço de apoio e assessoria no planejamento e definição dos projetos básicos preliminares

Leia mais

RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL

RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA RELAÇÃO DE ANEXOS AO EDITAL [CONTENDO AS INFORMAÇÕES E DADOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E ECONÔMICO-FINANCEIROS DO EMPREEENDIMENTO: PROJETO BÁSICO E ORÇAMENTO DA EXECUÇÃO DAS OBRAS

Leia mais

A PPP da Linha 4 Amarela do metrô de São Paulo. Erminio Casadei Jr. ViaQuatro

A PPP da Linha 4 Amarela do metrô de São Paulo. Erminio Casadei Jr. ViaQuatro A PPP da Linha 4 Amarela do metrô de São Paulo Erminio Casadei Jr. ViaQuatro Os governos brasileiros assumiram grandes metas no setor, em especial pelos grandes eventos que se aproximam, para enfrentarem

Leia mais

6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO

6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO 6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO São Paulo, 25 de Maio de 2017 ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO DADOS INSTITUCIONAIS DO METRÔ ESTRUTURA

Leia mais

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos Trens Regionais e Turísticos João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos O início Decreto nº 55.564, de 15 de março de 2010 amplia as atribuições da STM e permite que atue no transporte

Leia mais

Luís Felipe Valerim Pinheiro

Luís Felipe Valerim Pinheiro E s t r u t u r a ç ã o d e P r o j e t o s d e C o n c e s s õ e s e P a r c e r i a s P ú b l i c o - P r i v a d a s p e l o S e t o r P r i v a d o Luís Felipe Valerim Pinheiro Salvador, 19 de outubro

Leia mais

CONCORRÊNCIA Nº 01/2016 PROCESSO SESI-CN 0201/2016 SESSÃO DE ABERTURA: 16/12/2016 às 10h00 SESI - CONSELHO NACIONAL ESCLARECIMENTO 1

CONCORRÊNCIA Nº 01/2016 PROCESSO SESI-CN 0201/2016 SESSÃO DE ABERTURA: 16/12/2016 às 10h00 SESI - CONSELHO NACIONAL ESCLARECIMENTO 1 CONCORRÊNCIA Nº 01/2016 PROCESSO SESI-CN 0201/2016 SESSÃO DE ABERTURA: 16/12/2016 às 10h00 SESI - CONSELHO NACIONAL ESCLARECIMENTO 1 A Comissão de Licitação do Conselho Nacional do SESI vem por meio desta

Leia mais

Projetos de PPP na STM. Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos

Projetos de PPP na STM. Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Projetos de PPP na STM Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos São Paulo, 18/03/2013 Regiões metropolitanas do Estado de São Paulo América do Sul Brasil A.U. Jundiaí R.M Vale R.M.

Leia mais

AEAMESP 21ª. Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

AEAMESP 21ª. Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA 21ª Parceria Público-Privada Linha 4 Amarela Expectativas e Resultados ALAN SANTANA DE PAULA EDSON EIZI WATANABE ERMINIO CASADEI LEONARDO BOAVENTURA PAULO SHIBUYA REGINALDO DOS SANTOS ERMIDA SEMANA DE

Leia mais

A Expansão e Melhoria dos Sistemas Metroferroviários em São Paulo SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS

A Expansão e Melhoria dos Sistemas Metroferroviários em São Paulo SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS A Expansão e Melhoria dos Sistemas Metroferroviários em São Paulo SECRETARIA DOS TRANSPORTES METROPOLITANOS 2 Rede Atual Rede Atual 3 Atual 2010 2015 Essencial Extensão (km) 61,3 80 95 163 Quantidade de

Leia mais

A Lei n 8.666/93, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública, prevê em seus artigos 27 e 30:

A Lei n 8.666/93, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública, prevê em seus artigos 27 e 30: Of. Circ. N 003CRA/BA/Fisc. Salvador, 7 de março de 2017. Prezado (a) Senhor(a), O CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DA BAHIA CRA/BA, Autarquia Federal criada pela Lei n.º 4.769/65, regulamentada pelo

Leia mais

Ministério dos Transportes FERROVIAS PROJETOS ESTRUTURANTES REGIÃO NORTE 2007 / 2010

Ministério dos Transportes FERROVIAS PROJETOS ESTRUTURANTES REGIÃO NORTE 2007 / 2010 Ministério dos Transportes FERROVIAS PROJETOS ESTRUTURANTES REGIÃO NORTE / 2010 CONSTRUÇÃO DA FERROVIA NORTE-SUL: TRECHO ARAGUAÍNA/TO PALMAS/TO Categoria: IDF Conclusão Prevista: 2009 Descrição: Construção

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil. Ivan Camargo Assessor da Diretoria

A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil. Ivan Camargo Assessor da Diretoria A ANEEL e o Marco Regulatório do Brasil Ivan Camargo Assessor da Diretoria Sumário 1. Marco Regulatório Brasileiro. Resultados. 2. Atuação da Agência Nacional de Energia Elétrica. 3. Principais Desafios.

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS 18ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Painel 7 - Trens Regionais e de Longo Percurso com Média e Alta Velocidade PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS HÉLIO MAURO FRANÇA Superintendente Executivo

Leia mais

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Sumário Executivo Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Em 10/10/13 a CESAN realizou o leilão na Bovespa através da Concorrência

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária OBRAS DA LINHA 2 DO SISTEMA METROVIÁRIO SALVADOR E LAURO DE FREITAS Planejamento, concepção e impactos na capital baiana e na Região Metropolitana de Salvador Luís Valença Diretor-presidente da CCR Metrô

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES DEPARTAMENTO DE ALIMENTAÇÃO E ASSISTÊNCIA AO ALUNO TRANSPORTE ESCOLAR Fevereiro/2017 Legislação

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo

Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo Relatório contendo denúncias de irregularidades e ilegalidades cometidas no Edital de Concorrência Internacional nº 42325212 Concessão Patrocinada para Exploração da Operação dos Serviços de Transporte

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE ITEM RMR RECIFE População 4.048.845 hab

Leia mais

Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo. Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo

Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo. Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo Trens Intercidades Americana Campinas Jundiaí São Paulo Parcerias e Concessões no Governo do Estado de São Paulo TIC Contexto Macrometrópole Paulista Atendimento da Macrometrópole Paulista: 174 municípios

Leia mais

Universidade Federal da Bahia. Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento

Universidade Federal da Bahia. Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Processo Acordos tripartite entre a UFBA Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional 1 de 5 Glossário

Leia mais

ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos

ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos ANAC 2ª FASE Guarulhos Viracopos Brasília concessão para ampliação, manutenção e exploração dos aeroportos - Dia da Triunfo - 30-11-2011 1 Agenda Previsão inicial: 22/10/2011 Edital 22/12/2012 Leilão Obs:

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Projetos Ferroviários V BRASIL NOS TRILHOS 2012 Brasília, 4 e 5 de Setembro de 2012 Estratégia de atuação O Ministério das Cidades tomou como estratégia

Leia mais

Portfólio da Odebrecht TransPort

Portfólio da Odebrecht TransPort Iniciativas para investimentos em Mobilidade Urbana Seminário FIESP de Logística Rodrigo Carnaúba 6 de maio de 2013 Portfólio da Odebrecht TransPort RODOVIAS 100% OTP 75% OTP 50% OTP 50% OTP 8,5% OTP 33,3%

Leia mais

Critério: MENOR PREÇO GLOBAL.

Critério: MENOR PREÇO GLOBAL. Cotação Prévia de Preço n 25/2016 Convênio nº 775707/2012 MTE/SENAES Projeto: Centro de Formação e Apoio a Assessoria Técnica em Economia Solidária da Região Sul CFES Regional Sul. Critério: MENOR PREÇO

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Introdução e Fundamentos Constitucionais da Licitação Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo INTRODUÇÃO E FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DA

Leia mais

SECRETARIA DA HABITAÇÃO

SECRETARIA DA HABITAÇÃO SECRETARIA DA HABITAÇÃO CASA PAULISTA PPP HABITACIONAL ÁREA CENTRAL CIDADE DE SÃO PAULO SÃO PAULO 07 Agosto 2013 PPP HABITACIONAL CENTRO CIDADE DE SÃO PAULO Distritos da Intervenção: Sé, República, Santa

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS DA OUTORGA DA CONCESSÃO DO SERVIÇO COLETIVO PÚBLICO, NA MODALIDADE CONVENCIONAL, EM ÁREAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS.

ASPECTOS JURÍDICOS DA OUTORGA DA CONCESSÃO DO SERVIÇO COLETIVO PÚBLICO, NA MODALIDADE CONVENCIONAL, EM ÁREAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS. ASPECTOS JURÍDICOS DA OUTORGA DA CONCESSÃO DO SERVIÇO COLETIVO PÚBLICO, NA MODALIDADE CONVENCIONAL, EM ÁREAS NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS. Gabriela Pinheiro Travaini Sérgio Marasco Torrecillas Curitiba, setembro

Leia mais

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014

O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 O Regime Jurídico das SPEs, Sócios Estatais e Privados, Financiamento do setor. São Paulo 30 de outubro de 2014 Sociedade de Propósito Específico Legislação Antes 2004 Lei 8.666/93 (Lei de Licitações):

Leia mais

Desafogando as grandes cidades brasileira Seminário Transporte Interurbano de Passageiros AD=TREM

Desafogando as grandes cidades brasileira Seminário Transporte Interurbano de Passageiros AD=TREM Desafogando as grandes cidades brasileira Seminário Transporte Interurbano de Passageiros Agência de Desenvolvimento do Trem Rápido de Passageiros Entre Municípios Indústria Ferroviária Nacional A malha

Leia mais

Fórum PPPs em Iluminação Pública. São Paulo, 21 de outubro de 2014

Fórum PPPs em Iluminação Pública. São Paulo, 21 de outubro de 2014 Fórum PPPs em Iluminação Pública São Paulo, 21 de outubro de 2014 APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE PPP MODERNIZAÇÃO Remodelação* e/ou eficientização** de cerca de 580 mil pontos de iluminação pública de modo

Leia mais

20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. O BNDES e a Mobilidade Urbana. Setembro/2014

20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. O BNDES e a Mobilidade Urbana. Setembro/2014 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária O BNDES e a Mobilidade Urbana Setembro/2014 Contextualização A taxa de motorização no Brasil cresceu de 14 carros / 100 habitantes em 2001 para 26 carros / 100

Leia mais

COMO TUDO COMEÇOU...PORTO MARAVILHA

COMO TUDO COMEÇOU...PORTO MARAVILHA VLT Carioca COMO TUDO COMEÇOU...PORTO MARAVILHA Área de intervenção de 489 hectares, área comparável aos bairros de Copacabana (410 ha), Botafogo (480 ha) e ao Centro (572 ha) Concessão Administrativa

Leia mais

ANEXO 6. Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades

ANEXO 6. Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades ANEXO 6 Reajustes e Cálculos das Contraprestações Públicas Mensais de Amortização Fixa e Variável e Penalidades 1 1. OBJETIVO O objetivo deste anexo é detalhar a forma de cálculo e de reajustes da receita

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 287, DE 23 DE JULHO DE 2002 Revogada pela Resolução nº 752/2015

RESOLUÇÃO Nº 287, DE 23 DE JULHO DE 2002 Revogada pela Resolução nº 752/2015 RESOLUÇÃO Nº 287, DE 23 DE JULHO DE 2002 Revogada pela Resolução nº 752/2015 Institui linha de crédito denominada PROGER Urbano Micro e Pequena Empresa Capital de Giro, no âmbito do Programa de Geração

Leia mais

Licitação da Solução de Registro Eletrônico em Saúde. Paulo Cesar de Araújo Gerente

Licitação da Solução de Registro Eletrônico em Saúde. Paulo Cesar de Araújo Gerente Paulo Cesar de Araújo Gerente SRES Constituída dos seguintes serviços: 1. Disponibilização do Software RES 2. Serviços de Integração com a Base Única 3. Serviços de Manutenção Evolutiva 4. Serviços de

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras Metrô Leve de Goiânia Projeto Modelo para Cidades Brasileiras 1 Projeto modelo para cidades médias 1. Estrutura Institucional Pacto Metropolitano instituindo órgão gestor do transporte coletivo na região

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA A Rede de Desenvolvimento Humano - REDEH, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda sob o nº 39.064.233/0001-93, com sede na Rua Álvaro

Leia mais

Audiência Pública Lei 8.666/93

Audiência Pública Lei 8.666/93 Audiência Pública Lei 8.666/93 Art. 39. Sempre que o valor estimado para uma licitação ou para um conjunto de licitações simultâneas ou sucessivas for superior a 100 (cem) vezes o limite previsto no art.

Leia mais

ANEXO X GLOSSÁRIO. Página 1 de 8

ANEXO X GLOSSÁRIO. Página 1 de 8 ANEXO X GLOSSÁRIO Página 1 de 8 1. Para os fins do disposto neste EDITAL, entende-se por: ACESSIBILIDADE: condição para utilização, por qualquer pessoa (seja ela portadora ou não de deficiência ou com

Leia mais