antropologia & cultura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "antropologia & cultura"

Transcrição

1 antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades /2ºsemestre

2 Dopamina Serotonina Acetilcolina Glutamato Opiáceos (ex: endorfinas) Noradrelanina...

3 a presença de si é o sentir aquilo que acontece quando o seu ser é modificado pela acção de apreender alguma coisa. 1. sentimento de si associado à consciência do aqui e agora 2. mesmo quando estamos desatentos em relação a nós próprios, é sempre possível surpreender em cada acto de consciência um grau mínimo de auto-referência.

4 imagem de si sentimento de si nuclear - consciência do aqui e agora

5 imagem de si Devo ser eu porque eu estou aqui. Foi isto que a Emily disse, cautelosa e vagarosamente, ao contemplar o rosto que estava no espelho à sua frente. Tinha que ser ela; tinha-se colocado em frente ao espelho, por sua livre vontade, por isso tinha que ser dela a imagem do espelho, de quem mais poderia ser? Todavia, a Emily não era capaz de reconhecer o seu rosto no espelho, estava certa de que era uma cara de mulher, mas de quem não fazia ideia. Não parecia que fosse a dela, mas também não podia dizer que não fosse, uma vez que não conseguia visualizar a sua face na mente, mesmo que insistisse em recordá-la da memória. ( ) A situação mostrava-lhe de forma inequívoca que não podia ser outra pessoa senão ela, e foi isso que aceitou a minha afirmação de que era ela sem qualquer dúvida. ( ) Não era capaz de reconhecer o rosto do marido, o dos filhos ou de outros familiares, amigos e conhecidos. ( ). E quantos valores teve a Emily na minha classificação da consciência nuclear? Vinte. Não preciso de vos dizer que a Emily está vígil e atenta sob todos os pontos de vista. A sua atenção concentra-se facilmente e pode ser mantida em toda a espécie de tarefas. As emoções e os sentimentos que refere também são inteiramente normais. O seu comportamento é intencional e adequado em todos os contextos, imediatos ou a longo prazo prosopagnosia

6

7 linguagem

8 linguagem/1 "Nos tempos em que estudava medicina e neurologia, lembro-me de perguntar a algumas das pessoas mais sábias que me rodeavam como é que produzíamos a mente consciente. Curiosamente, a resposta era sempre a mesma: o segredo está na linguagem. Diziam-me que as criaturas sem linguagem estavam limitadas à sua ignorante existência, ao contrário de nós, felizardos humanos, a quem a linguagem permitia conhecer. A consciência era uma interpretação verbal dos processos mentais em curso. A linguagem providenciava o afastamento necessário para podermos olhar para as coisas com a distância necessária. Esta resposta pareceu-me sempre muito simples, simples demais para explicar um fenómeno que eu imaginava na altura impossível de explicar dada a sua complexidade. E a resposta não só era simples, mas também improvável, dado o que me era dado ver sempre que visitava o Jardim Zoológico. Nunca acreditei na resposta e agrada-me muito nunca ter acreditado. A linguagem, com as suas palavras e frases, é tradução de uma outra coisa, é uma conversão de imagens não-linguísticas que representam entidades, eventos, relações e inferências. Se a linguagem funciona em relação ao si e à consciência do mesmo modo que funciona para todas as outras coisas, ou seja, simbolizando em palavras e frases aquilo que começa por existir de uma forma não verbal, então deverá existir um sentimento de si não verbal

9 linguagem/2 "A melhor demonstração do que acabo de descrever ocorre em pessoas com aquilo a que chamamos afasia global. Trata-se de uma perturbação de todas as faculdades da linguagem. Os doentes são incapazes de compreender a linguagem, auditiva ou visualmente. Quando se fala com eles não compreendem o que dizemos e não conseguem ler uma única letra ou palavra; não são capazes de falar ( ) Não há qualquer prova de que, nas suas mentes atentas, se estejam a formar quaisquer palavras. Pelo contrário, o seu processo de pensamento parece não usar palavras. Todavia, enquanto manter uma conversa normal com afásicos globais está fora de questão, é possível comunicar com eles, duma forma rica e humana, se tivermos a paciência de nos adaptarmos ao vocabulário limitado e improvisado de sinais não linguísticos que estes doentes inventam e usam. ( ) Em termos de consciência nuclear, estas pessoas em nada diferem de mim ou do leitor, apesar da incapacidade de traduzirem o pensamento em linguagem e viceversa. ( ) Posso assegurar-vos que ninguém jamais pôs em causa a integridade da consciência de Earl e que ninguém com bom juízo clínico o faria nos dias de hoje. ( ) O Earl não só estava vígil e atento, como também produzia um comportamento apropriado à desgraçada situação que lhe tinha cabido em sorte. Não se limitava a produzir reflexos não pensados e não conscientes. ( ) A gratidão dos seres humanos para com a linguagem não requer de todo que a linguagem esteja na origem da consciência

filosofia contemporânea

filosofia contemporânea filosofia contemporânea carlos joão correia 2016-2017 1ºSemestre O que tem consciência da identidade numérica de si próprio em tempos diferentes é, a esse título, uma pessoa. Kant: A 361 Apercepção Transcendental

Leia mais

filosofia contemporânea

filosofia contemporânea filosofia contemporânea carlos joão correia 2014-2015 1ºSemestre 2000 1999 sentimento de si nuclear - consciência de si aqui e agora imagem corporal condição necessária sentimento de si sim não reconhecimento

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre 1. Homo habilis; 2. Homo sapiens; 3. Homo floresiensis; 4. Homo erectus; 5. Paranthropus

Leia mais

Curso: 1ºciclo Disciplina: Inglês Ano(s): 4º

Curso: 1ºciclo Disciplina: Inglês Ano(s): 4º Domínios Objetivos Instrumentos de avaliação Peso Domínio Intercultural Compreensão / Listening Interação Leitura / Reading e Escrita / Writing - Conhecer-se a si e ao outro. - Conhecer o dia a dia na

Leia mais

filosofia contemporânea

filosofia contemporânea filosofia contemporânea carlos joão correia 2014-2015 1ºSemestre John Perry Um amnésico, de nome Rudolf Lingens, perde-se na biblioteca da [Universidade] de Stanford. Lê várias coisas na biblioteca, incluindo

Leia mais

Aula 1 FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM

Aula 1 FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM Aula 1 FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM LANGACKER, Ronald W. A linguagem e sua estrutura: alguns conceitos fundamentais. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1972. cap. 1 (p. 11-19). MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de

Leia mais

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p Aula 6 GERATIVISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Linguística Gerativa Gerativismo Gramática Gerativa

Leia mais

Interação Social e Vida Cotidiana. Giddens Capítulo 4

Interação Social e Vida Cotidiana. Giddens Capítulo 4 Interação Social e Vida Cotidiana Giddens Capítulo 4 Interação Social Processo pelo qual agimos e reagimos em relação àqueles que estão ao nosso redor "Olhar do Turista" Papel da nossa vida cotidiana na

Leia mais

As crianças e a audiçao. Informações gerais sobre a audição e a perda auditiva das crianças, e a respectiva ajuda disponível.

As crianças e a audiçao. Informações gerais sobre a audição e a perda auditiva das crianças, e a respectiva ajuda disponível. As crianças e a audiçao 7 Informações gerais sobre a audição e a perda auditiva das crianças, e a respectiva ajuda disponível. 1 Esta brochura é o número 7 de uma série de publicações da Widex sobre a

Leia mais

Ao longo deste ano, fizeram-me muitas perguntas sobre temas variados relacionados com a sexualidade, perguntas essas feitas em diferentes contextos,

Ao longo deste ano, fizeram-me muitas perguntas sobre temas variados relacionados com a sexualidade, perguntas essas feitas em diferentes contextos, INTRODUÇÃO Falemos de Sexo sem Tabus, de uma forma simples, directa e de fácil compreensão, a todos os portugueses, homens e mulheres, curiosos e interessados em melhorar a sua sexualidade. Falar sobre

Leia mais

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros 6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros Saiba como ter uma conversa agradável que conquiste o homem Eu imagino que você possa provavelmente estar rindo e pensando, Eu nunca tive problemas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS

ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS Principles and Standards for School Mathematics (2000) Este documento reforça a ênfase dada no anterior documento, da importância e da adequabilidade, às crianças mais

Leia mais

Linguagem. Dr. Fábio Agertt

Linguagem. Dr. Fábio Agertt Dr. Fábio Agertt Linguagem Mecanismos não-verbais Linguagem é qualquer e todo sistema de sinais que serve de meio de comunicação de idéias ou sentimentos (sonoros, gráficos, gestuais) Embora os animais

Leia mais

11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Maio de 2017 Prova 367 2017 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Introdução Prova escrita e oral O presente documento

Leia mais

A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes

A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes A noção agostiniana de Tempo. Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Filosofia Professor Uilson Fernandes Tempo como sucessão... A ideia de tempo surge a partir da distinção entre passado presente e futuro.

Leia mais

Processos básicos envolvidos na aprendizagem. Psicologia da Aprendizagem Profa. Dra. Patricia Leila dos Santos

Processos básicos envolvidos na aprendizagem. Psicologia da Aprendizagem Profa. Dra. Patricia Leila dos Santos Processos básicos envolvidos na aprendizagem Psicologia da Aprendizagem Profa. Dra. Patricia Leila dos Santos ATENÇÃO Fenômeno pelo qual processamos ativamente uma quantidade limitada de informações do

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho A conta-gotas Ana Carolina Carvalho Agradeço a Regina Gulla pela leitura atenta e pelas sugestões. Para minha mãe, pela presença. Para Marina, minha afilhada, que quis ler o livro desde o começo. 1 A

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Ano Letivo 2012/2013

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Ano Letivo 2012/2013 Ensino Básico Informação Prova de Equivalência à Frequência - 15 Disciplina: Espanhol Ano Letivo 2012/2013 9º Ano de escolaridade 1. Objeto de avaliação A prova tem por referência o Programa de Espanhol

Leia mais

3º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei nº 17/2016, de 4 de abril)

3º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei nº 17/2016, de 4 de abril) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Nível 5 2016 Prova 21 / 2016 1ª e 2ª Fase 3º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei nº 17/2016, de 4 de abril) O presente documento divulga informação

Leia mais

Cláudia Moura. IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação. Centro Cultural Entroncamento,

Cláudia Moura. IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação. Centro Cultural Entroncamento, Cláudia Moura claudiamoura@portugalmail.pt IDOSOS: As Palavras e os Gestos na Comunicação Centro Cultural Entroncamento, 30 Setembro 2010 O envelhecimento demográfico é um fenómeno social e actual, mas

Leia mais

Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades. PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum

Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades. PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum Direção de Serviços da Região Norte Cursos Científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades PORTUGUÊS 11.º Ano Matriz do teste Comum 1. Informação O presente documento visa

Leia mais

ENCONTRO DE SECRETÁRIAS A CONSCIÊNCIA COMO PONTO DE PARTIDA PARA O DESENVOLVIMENTO 26/09/2009

ENCONTRO DE SECRETÁRIAS A CONSCIÊNCIA COMO PONTO DE PARTIDA PARA O DESENVOLVIMENTO 26/09/2009 ENCONTRO DE SECRETÁRIAS UNIMED JOÃO MONLEVADE A CONSCIÊNCIA COMO PONTO DE PARTIDA PARA O DESENVOLVIMENTO 26/09/2009 OS SETE PECADOS CAPITAIS DE UMA SECRETÁRIA A vida racional é o que distingue os homens

Leia mais

Você conhece a sua bíblia?

Você conhece a sua bíblia? Você conhece a sua bíblia? RECORDANDO... Um breve tratado sobre as Escrituras - 66 livros: 39 AT + 27 NT - Ela é a revelação de Deus - Autores diferentes mas uma mesma mente formadora Interpretando a Bíblia

Leia mais

Prova 45 (1.ª e 2ª Fase) Tipo de Prova Escrita e Oral

Prova 45 (1.ª e 2ª Fase) Tipo de Prova Escrita e Oral INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Inglês - 1.º Ciclo do Ensino Básico (prova escrita e oral) Prova 45 (1.ª e 2ª Fase) Maio 2017 Tipo de Prova Escrita e Oral Introdução: O presente documento

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre As inúmeras culturas no mundo não são tentativas falhadas de serem modernas, de serem como

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês. Prova Escrita + Oral

Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês. Prova Escrita + Oral Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês Prova Escrita + Oral Código 21 9ºAno de Escolaridade Ensino Básico 2016/2017 1. Introdução O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos

Leia mais

COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector

COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector País: Instituição: Qualificação: HUNGRIA TREBAG ltd Promotores e Dinamizadores de inovação no âmbito de grupos de trabalho em PMEs Metalúrgicas : :

Leia mais

J. A. Gaiarsa. O espelho mágico. Um fenômeno social chamado corpo e alma

J. A. Gaiarsa. O espelho mágico. Um fenômeno social chamado corpo e alma J. A. Gaiarsa O espelho mágico Um fenômeno social chamado corpo e alma O ESPELHO MÁGICO Um fenômeno social chamado corpo e alma Copyright 1973, 1984, 2013 by J. A. Gaiarsa Direitos desta edição reservados

Leia mais

Apresentação de trabalhos científicos

Apresentação de trabalhos científicos Apresentação de Apresentação oral de trabalhos trabalhos científicos COMUNICAÇÃO Prof. Dr. Adriano Canabarro Teixeira teixeira@upf.br Abril de 2008 É como uma conversa? Pressupõe uma interação social entre

Leia mais

Paciente Data / / Turno: Manhã Tarde Hora do Exame : Tipo de exame: Neuro, MSK, Abdómen, Pélvis, Mama Idade do Paciente Género Nacionalidade

Paciente Data / / Turno: Manhã Tarde Hora do Exame : Tipo de exame: Neuro, MSK, Abdómen, Pélvis, Mama Idade do Paciente Género Nacionalidade Anexos Anexo 1: Grelha de Observação Paciente Data / / Turno: Manhã Tarde Hora do Exame : Tipo de exame: Neuro, MSK, Abdómen, Pélvis, Mama Idade do Paciente Género Nacionalidade 1. Acolhimento/Apresentação

Leia mais

Formador Residente, Maurício Ferreira

Formador Residente, Maurício Ferreira A Compreensão do Oral A compreensão do oral consiste na atribuição de significado a cadeias fónicas produzidas de acordo com a gramática da língua. Formador Residente, Maurício Ferreira Factores de compreensão

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

Expectativas de Aprendizagem dos Cursos oferecidos pelo INCO

Expectativas de Aprendizagem dos Cursos oferecidos pelo INCO Level 1 Ao final do Nível 1, você será capaz de: Usar linguagem de sala de aula Apresentar-se em diferentes registros Formular e responder perguntas de forma simples Compreender e usar expressões do dia-a-dia

Leia mais

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos)

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Marketing/Processos Gerenciais UC: Comunicação e Expressão COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) A comunicação verbal baseia-se na interação

Leia mais

Diagnóstico PPA (Perfil e Potencial de Aprendizagem): como ler e interpretar o relatório do(a) seu(sua) filho(a)

Diagnóstico PPA (Perfil e Potencial de Aprendizagem): como ler e interpretar o relatório do(a) seu(sua) filho(a) Diagnóstico PPA (Perfil e Potencial de Aprendizagem): como ler e interpretar o relatório do(a) seu(sua) filho(a) Como parte integrante das ferramentas de gestão pedagógica disponibilizadas pelo sistema

Leia mais

Português. Inferência. Professor Carlos Zambeli.

Português. Inferência. Professor Carlos Zambeli. Português Inferência Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português INFERÊNCIA Que que é isso? INFERÊNCIA ideias implícitas, sugeridas, que podem ser depreendidas a partir da leitura

Leia mais

DILEMA DO OBJETIVO. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 2ª edição - 30 de julho de w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r

DILEMA DO OBJETIVO. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 2ª edição - 30 de julho de w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r DILEMA DO OBJETIVO Marcelo Ferrari 1 f i c i n a 2ª edição - 30 de julho de 2015 w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r DILEMA DO OBJETIVO Desejo é inconsciente. O que você experimenta e chama de desejo não

Leia mais

Então começamos por ali. Com quebracabeças. Cada um de vocês tem uma peça de um quebra-cabeça. Me fala um pouco sobre a sua peça. [Passa alguns minuto

Então começamos por ali. Com quebracabeças. Cada um de vocês tem uma peça de um quebra-cabeça. Me fala um pouco sobre a sua peça. [Passa alguns minuto ACHANDO SEU LUGAR A tema ou o rumo deste estudo será Achando Seu Lugar. Muitos nós temos lugares onde sentimos em casa: onde achamos amor e aceitação, um pouco do significado e propósito que buscamos.

Leia mais

BLOCH, Marc. A história, os homens e o tempo. In: Apologia da História ou O ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2001, pp

BLOCH, Marc. A história, os homens e o tempo. In: Apologia da História ou O ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2001, pp BLOCH, Marc. A história, os homens e o tempo. In: Apologia da História ou O ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2001, pp. 51-68. O que é História? Por Júlia S. Matos O tempo histórico

Leia mais

1º ANO PROPOSTA PEDAGÓGICA. Nas relações as pequenas coisas são as grandes.

1º ANO PROPOSTA PEDAGÓGICA. Nas relações as pequenas coisas são as grandes. Processo Admissão 1º ANO PROPOSTA PEDAGÓGICA Nas relações as pequenas coisas são as grandes. (Covey) Vemos a educação da criança como um processo educativo que possibilita a vivência da cidadania, das

Leia mais

PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01. A vida em cliques

PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01. A vida em cliques 14 PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01 A vida em cliques Era uma vidinha monótona sem perspectivas: medíocre emprego numa empresa, as conversas inconseqüentes com os amigos, o trânsito congestionado.

Leia mais

1. Texto publicado na revista In VIVO

1. Texto publicado na revista In VIVO Ética, Direitos Humanos, Saúde Mental e Enfermagem Ana Albuquerque Queiroz 1 Ninguém pode ficar indiferente a nada do que é humano, particularmente a doença mental. 1 Quando se trata de saúde mental, sabe-se

Leia mais

PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA

PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA ASSOCIAÇÃO ESCOLA 31 DE JANEIRO 2012/13 PROJETO DE LÍNGUA PORTUGUESA TRANSVERSALIDADE NA CORREÇÃO DA ESCRITA E DA EXPRESSÃO ORAL DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS INTRODUÇÃO A língua

Leia mais

Informação-Prova de PSICOLOGIA B Prova º Ano de Escolaridade

Informação-Prova de PSICOLOGIA B Prova º Ano de Escolaridade ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JOSÉ AFONSO Informação-Prova de PSICOLOGIA B Prova 340 2014 12º Ano de Escolaridade Objeto de avaliação A prova a que esta informação se refere incide nos conhecimentos e nas competências

Leia mais

IRMÃO NA HORA DA ANGÚSTIA. 08 de Dezembro de 2011 Ministério Loucura da Pregação. "Em todo o tempo ama o amigo. e na hora da angústia nasce o irmão.

IRMÃO NA HORA DA ANGÚSTIA. 08 de Dezembro de 2011 Ministério Loucura da Pregação. Em todo o tempo ama o amigo. e na hora da angústia nasce o irmão. IRMÃO NA HORA DA ANGÚSTIA 08 de Dezembro de 2011 Ministério Loucura da Pregação "Em todo o tempo ama o amigo e na hora da angústia nasce o irmão." 1 / 5 (Provérbios 17:17) Sempre que falamos sobre Amizade,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO MINHO

UNIVERSIDADE DO MINHO ANEXO I 151 UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA QUESTIONÁRIO O presente Questionário destina-se ao desenvolvimento de um estudo, integrado numa tese de Mestrado na área da Psicologia

Leia mais

VYGOTSKY Teoria sócio-cultural. Manuel Muñoz IMIH

VYGOTSKY Teoria sócio-cultural. Manuel Muñoz IMIH VYGOTSKY Teoria sócio-cultural Manuel Muñoz IMIH BIOGRAFIA Nome completo: Lev Semynovich Vygotsky Origem judaica, nasceu em 5.11.1896 em Orsha (Bielo- Rússia). Faleceu em 11.6.1934, aos 37 anos, devido

Leia mais

TEXTO E TEXTUALIDADE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO

TEXTO E TEXTUALIDADE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO TEXTO E TEXTUALIDADE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO O que é texto? TEXTO - escrito ou oral; O que as pessoas têm para dizer umas às outras não são palavras nem frases isoladas, são textos; TEXTO - dotada de unidade

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

Referir actividades relacionadas com as férias e os tempos livres. Saber orientar-se num aeroporto. Falar sobre a importância da língua inglesa

Referir actividades relacionadas com as férias e os tempos livres. Saber orientar-se num aeroporto. Falar sobre a importância da língua inglesa AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO - MEDAS LÌNGUA ESTRANGEIRA I (Inglês 9º Ano) 1º PERÍODO AULAS PREVISTAS ( 38 a 41 ) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2010/2011 Competências

Leia mais

LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO

LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO LIVRO PARADIDÁTICO: MANIA DE EXPLICAÇÃO (FALCÃO, Adriana. Mania de Explicação. São Paulo: Salamandra, 2013.) O livro utiliza a inocência e imaginação de uma menina muito esperta que adora inventar e imaginar

Leia mais

Uma palavra sobre a terminologia

Uma palavra sobre a terminologia Introdução O Mapa Mental (Mind Map ) é uma ferramenta dinâmica e estimulante que contribui para que o pensamento e o planejamento se tornem atividades mais inteligentes e rápidas. A criação de um Mapa

Leia mais

Transtornos Funcionais Específicos: compreender para ensinar

Transtornos Funcionais Específicos: compreender para ensinar Transtornos Funcionais Específicos: compreender para ensinar Diana Melissa Faria Fonoaudióloga Formação em Dislexia Autora de livro e softwares sobre Comunicação e Aprendizagem 01/04/2013 Premissa da PNL:

Leia mais

O Sentimento é o Segredo

O Sentimento é o Segredo O Sentimento é o Segredo Por Neville Goddard - Obra de 1944 Traduzido por Marcos Trombetta Parabéns! Você acabou de encontra a fonte dos desejos. Está em suas mãos a chave que abre todas as portas do céu.

Leia mais

ELEMENTOS DE TEXTUALIDADE

ELEMENTOS DE TEXTUALIDADE ELEMENTOS DE TEXTUALIDADE NOÇÃO DE TEXTO Texto ou discurso é uma ocorrência linguística falada ou escrita, de qualquer extensão. Para ser considerada um texto, uma ocorrência linguística precisa ser percebida

Leia mais

ELIZIANE PIVATO. Dicas infalíveis. para falar em público. e influenciar. elizianepivato.com.br

ELIZIANE PIVATO. Dicas infalíveis. para falar em público. e influenciar. elizianepivato.com.br ELIZIANE PIVATO 7 Dicas infalíveis para falar em público e influenciar elizianepivato.com.br Introdução Qual atitude fará diferença para sua vida? Por que as pessoas agem diferente de você? Já imaginou

Leia mais

3.3 A criança com dificuldades em aprender

3.3 A criança com dificuldades em aprender Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.3 A criança com dificuldades em aprender Introdução A aprendizagem escolar é uma área importante da vida da criança e os pais naturalmente preocupam-se

Leia mais

O grande erro do vendedor é não se capacitar

O grande erro do vendedor é não se capacitar VENDAS Acabou a era do emprego. Começa a era do trabalho. Vaclav Havel Emprego é fonte de renda, e o trabalho é fonte de vida Mario Sergio Cortella O grande erro do vendedor é não se capacitar DOMINE OS

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre Cultura é o termo sociológico para o comportamento aprendido [learned behaviour]; comportamento

Leia mais

Informação - Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional

Informação - Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional Informação - Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional Espanhol Prova 847 2016 10º e 11º Anos de Escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Caderno de Educação Especial O que devemos considerar no processo de Alfabetização? Criança Ouvinte Criança Surda Faz uso das propriedades fonológicas

Leia mais

Património do Xisto. Promotor PINUS VERDE Parceiro RØROS MUSEUM em colaboração com a cidade de Røros Patrimonio da Humanidade, Norway

Património do Xisto. Promotor PINUS VERDE Parceiro RØROS MUSEUM em colaboração com a cidade de Røros Patrimonio da Humanidade, Norway Património do Xisto um projecto EEAgrants Promotor PINUS VERDE Parceiro RØROS MUSEUM em colaboração com a cidade de Røros Patrimonio da Humanidade, Norway Património cultural memórias culturais Que memórias?

Leia mais

ESQUEMA CORPORAL: Noção e Imagem corporal. Aspectos Psicomotores de Base

ESQUEMA CORPORAL: Noção e Imagem corporal. Aspectos Psicomotores de Base ESQUEMA CORPORAL: Noção e Imagem corporal Aspectos Psicomotores de Base Definição É a representação global que a criança tem do próprio corpo É elemento básico e indispensável para a formação da personalidade

Leia mais

Introdução à Direção de Arte

Introdução à Direção de Arte Introdução à Direção de Arte A Tarefa do Publicitário O objetivo final de toda propaganda é vender mercadoria, mas para consegui-lo, o publicitário precisa vencer alguns obstáculos. A Tarefa do Publicitário

Leia mais

Avaliação Final - 3º Ano. Língua Portuguesa O SONHO

Avaliação Final - 3º Ano. Língua Portuguesa O SONHO Agrupamento de Escolas de Revelhe EB1 de Boavista Vila Cova Informação Avaliação Final - 3º Ano Língua Portuguesa Nome Data I- Leitura do texto O SONHO Eu não estava a perceber nada, mas agradava-me ouvir

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.588, DE 04 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer nº 034/07-CEG, que aprova o Projeto Político

Leia mais

Quando dividimos uma oração em partes para estudar as diferentes funções que as palavras podem desempenhar na oração e entre as orações de um texto, e

Quando dividimos uma oração em partes para estudar as diferentes funções que as palavras podem desempenhar na oração e entre as orações de um texto, e MORFOSSINTAXE Quando analisamos a que classe gramatical pertencem as palavras de determinada frase, estamos realizando sua análise morfológica. A morfologia é a parte da gramática que estuda a classificação,

Leia mais

Promover a Velocidade de Leitura e a Compreensão Leitora em Alunos do 4º Ano

Promover a Velocidade de Leitura e a Compreensão Leitora em Alunos do 4º Ano 1754 Promover a Velocidade de Leitura e a Compreensão Leitora em Alunos do 4º Ano Célia Silva 1 & Sara Almeida 1 1 Divisão de Educação e Formação Câmara Municipal de Matosinhos No 1º ciclo do ensino básico

Leia mais

Exame Unificado de Acesso (Línguas e Matemática) às Quatro Instituições do Ensino Superior de Macau. Modelo. Português A

Exame Unificado de Acesso (Línguas e Matemática) às Quatro Instituições do Ensino Superior de Macau. Modelo. Português A Exame Unificado de Acesso (Línguas e Matemática) às Quatro Instituições do Ensino Superior de Macau Modelo Português A 1 Exame unificado de acesso (Línguas e Matemática) às 4 Instituições do Ensino Superior

Leia mais

Metodologia Científica

Metodologia Científica Metodologia Científica O PROCESSO DE LEITURA E DA PRODUÇÃO DE TEXTOS Profª Ma. Fabiana Rocha O PROCESSO DE LEITURA Importância da Leitura Aprendizagem do ser humano; Enriquecer o vocabulário; Obter conhecimento;

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 8.º ANO DE PORTUGUÊS 8.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 8.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes graus de formalidade, finalidade

Leia mais

Aprender a ler: Dos sons às letras. Fernanda Leopoldina P. Viana Universidade do Minho

Aprender a ler: Dos sons às letras. Fernanda Leopoldina P. Viana Universidade do Minho Aprender a ler: Dos sons às letras Fernanda Leopoldina P. Viana Universidade do Minho fviana@iec.uminho.pt Leitura: PÁ-TÓ (para PATO) PAU (para RUA) RUA ( para RIO) J: Não gosto de ler, gosto mais de escrever

Leia mais

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ. Itinerário para formar discípulos missionários

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ. Itinerário para formar discípulos missionários INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ Itinerário para formar discípulos missionários CAPÍTULO I Um ícone bíblico: Jesus e a Samaritana Esperamos que o encontro de Jesus com a samaritana ilumine nossas reflexões sobre

Leia mais

ESPANHOL (Iniciação) Código 375

ESPANHOL (Iniciação) Código 375 Informação (1.ª e 2.ª fase) 2015 Prova de Equivalência à Frequência de ESPANHOL (Iniciação) Código 375 Cursos Científico-Humanísticos 11.º Ano de Escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar

Leia mais

Empirismo. Principais ideias e autores

Empirismo. Principais ideias e autores Empirismo Principais ideias e autores EMPIRISMO Empeiria (grego): forma de saber derivado da experiência sensível e de dados acumulados com base nessa experiência. Nada esta no intelecto que não tenha

Leia mais

DOMÍNIOS PARÂMETROS OBJETIVOS PERFIL DE SAÍDA

DOMÍNIOS PARÂMETROS OBJETIVOS PERFIL DE SAÍDA TRANSVERSALID ADE (5%) ATITUDES E VALORES (15%) CONHECIMENTOS (80%) DEPARTAMENTO CURRICULAR DE LÍNGUAS ANO LETIVO 2014/2015 DOMÍNIOS PARÂMETROS OBJETIVOS COMPREENSÃO/ INTERAÇÃO /PRODUÇÃO ORAL LEITURA ESCRITA

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES

CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES E MEDIADORES 1 COMPORTAMENTO HUMANO E COMUNICAÇÃO 2 A experiência mostra que os homens são governados por aquilo que costumam ver e fazer, a ponto de, mesmo as melhorias

Leia mais

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 6: Jesus, o Filho de Deus - 1ª parte.

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 6: Jesus, o Filho de Deus - 1ª parte. ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 6: Jesus, o Filho de Deus - 1ª parte. Frei Hipólito Martendal, OFM. São Paulo-SP, 31 de maio de 2012. revisão, comentários e dúvidas sobre as aulas anteriores.

Leia mais

AQUI VIVE A ESPERANÇA!

AQUI VIVE A ESPERANÇA! AQUI VIVE A ESPERANÇA! ANTONIO CARLOS COSTA AQUI VIVE A ESPERANÇA! Re exões Abra-se para a vida, pois esta é a única forma de encontrar a felicidade. Mensagens de incentivo à vida Frases - Pensamentos

Leia mais

Gilberto Antônio Silva. Fundamentos da. Felicidade. Saúde - Relacionamentos - Prosperidade - Espiritualidade

Gilberto Antônio Silva. Fundamentos da. Felicidade. Saúde - Relacionamentos - Prosperidade - Espiritualidade Gilberto Antônio Silva 4 Fundamentos da Felicidade Saúde - Relacionamentos - Prosperidade - Espiritualidade Gilberto Antônio Silva 1 4 Fundamentos da FELICIDADE Outras Obras do Autor 26 Dicas de Saúde

Leia mais

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Peculiaridades e formas de conduzir seus estudos Thaisa Bueno Uma breve diferenciação antes de começarmos Divulgação científica Jornalismo científico Disseminação científica

Leia mais

Colégio Nossa Senhora da Piedade

Colégio Nossa Senhora da Piedade Colégio Nossa Senhora da Piedade Docente: Marcela Rodriguês dos Santos/ Rubinaldo da Silva Araújo Carga horária: 80h Disciplina: Produção Textual Serie: 6 Ano Plano de Curso I Unidade Objetivo Geral: Desenvolver

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

SEXUALIDADE - definição

SEXUALIDADE - definição A sexualidade SEXUALIDADE - definição É uma energia que nos motiva a procurar o amor, contacto, ternura, intimidade; que se integra no modo como nos sentimos, movemos, tocamos, e somos tocados; é ser-se

Leia mais

A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Albert Einstein. Olá! Prepare se para um mergulho profundo em si mesmo.

A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Albert Einstein. Olá! Prepare se para um mergulho profundo em si mesmo. PLANO DE TRATAMENTO PROGRAMA SAÚDE INTEGRAL Os objetivos do PLANO DE TRATAMENTO são os seguintes: ensinar uma nova forma de pensar e agir, com o objetivo de atingir um estado optimum de saúde; ensinar

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 PSICOLOGIA B 12.º ANO COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Desenvolve a consciência, o respeito e a valorização da

Leia mais

TEMA DE HOJE: Inteligência Emocional

TEMA DE HOJE: Inteligência Emocional Inteligência Emocional TEMA DE HOJE: Inteligência Emocional Do que se trata? Utilizar a mente racional (consciente) para lidar melhor com as situações em que a mente emocional (inconsciente) nem sempre

Leia mais

POR QUE É TÃO IMPORTANTE TER EMPATIA NAS CONVERSAS COM NOSSOS FILHOS?

POR QUE É TÃO IMPORTANTE TER EMPATIA NAS CONVERSAS COM NOSSOS FILHOS? POR QUE É TÃO IMPORTANTE TER EMPATIA NAS CONVERSAS COM NOSSOS FILHOS? ACOMPANHE ESSE DIÁLOGO TODOS OS PAIS JÁ PASSARAM PELA SEGUINTE SITUAÇÃO COM OS FILHOS: VOCÊ ACABOU DE BUSCAR SEU FILHO NA ESCOLA. AINDA

Leia mais

Pensamento e linguagem

Pensamento e linguagem Pensamento e linguagem Função da linguagem Comunicar o pensamento É universal (há situações que nem todos sabem fazer), mas todos se comunicam Comunicação verbal Transmissão da informação Características

Leia mais

A Consciência do III Milênio. Árvore da Vida. Ideação e Manifestação Cósmica. Trabalhar, Amar e Perdoar. Prof. Instr. Eliseu Mocitaíba da Costa

A Consciência do III Milênio. Árvore da Vida. Ideação e Manifestação Cósmica. Trabalhar, Amar e Perdoar. Prof. Instr. Eliseu Mocitaíba da Costa A Consciência do III Milênio Árvore da Vida Ideação e Manifestação Cósmica Trabalhar, Amar e Perdoar. Prof. Instr. Eliseu Mocitaíba da Costa Acesso: www.portaldeaquario.com.br A grande Árvore da Vida trás

Leia mais

Fundamentos Monoteístas. por Sha ul Bensiyon

Fundamentos Monoteístas. por Sha ul Bensiyon Fundamentos Monoteístas por Sha ul Bensiyon Aula 1 O Eterno Ateus e o Universo Uma piada diz: A crença de que não havia nada, e nada aconteceu ao nada, e então o nada magicamente explodiu sem razão alguma,

Leia mais

UM OLHAR CIENTÍFICO PARA OS PROBLEMAS COGNITIVOS NA NF1

UM OLHAR CIENTÍFICO PARA OS PROBLEMAS COGNITIVOS NA NF1 UM OLHAR CIENTÍFICO PARA OS PROBLEMAS COGNITIVOS NA NF1 (ponto da situação do estudo apresentado em 2014) Inês Bernardino 21 Maio 2016 Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra Modelo animal de doença:

Leia mais

pra nós, arquiteto de sucesso é aquele feliz com a própria profissão, que recebe um valor justo pelo seu trabalho, é valorizado e respeitado pela

pra nós, arquiteto de sucesso é aquele feliz com a própria profissão, que recebe um valor justo pelo seu trabalho, é valorizado e respeitado pela pra nós, arquiteto de sucesso é aquele feliz com a própria profissão, que recebe um valor justo pelo seu trabalho, é valorizado e respeitado pela sociedade e tem tempo pra si mesmo e pra sua família +

Leia mais

Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos

Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos 1.1 Objectivos Após a primeira fase do ICCLE (sigla inglesa para Curriculum Internacional para o Ensino da Língua Chinesa) os estudantes compreendem definições

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS 4. a EDIÇÃO 1 O CICLO ENSINO BASICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA EVANGÉLICA PROGRAMA DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO À DESCOBERTA DE UM MUNDO DIFERENTE OBJECTIVOS GERAIS:

Leia mais

CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA

CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Dra. Maria Fernanda C. R. De Campos Neurologia Infantil -UNIFESP Ortografia x Grafia DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA Grafia: técnica do uso da linguagem

Leia mais

AGENDA SEJA BEM VINDO. PNL Vs Coaching. PNL Metodologia de Transformação baseada no Estudo Profundo do Ser Humano.

AGENDA SEJA BEM VINDO. PNL Vs Coaching. PNL Metodologia de Transformação baseada no Estudo Profundo do Ser Humano. AGENDA Introdução à PNL SEJA BEM VINDO O que é a PNL (Programação Neurolinguística)? Breve História da PNL; Verdades da PNL; Como a PNL pode te ajudar na sua Vida Pessoal e Profissional. O QUE É PNL? PNL

Leia mais

Misericórdia, o que é?

Misericórdia, o que é? Misericórdia, o que é? Certas realidades, umas mais comuns do que outras, só se tornam intuíveis em situações de excepção, em que o modo habitual, desatento, da nossa estadia na vida e no ser se vê forçado

Leia mais