A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial"

Transcrição

1 A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Caderno de Educação Especial

2 O que devemos considerar no processo de Alfabetização? Criança Ouvinte Criança Surda Faz uso das propriedades fonológicas das palavras da língua que ela já usa para pensar e se comunicar. Há compatibilidade entre os sistemas de representação linguística da língua falada e da língua escrita alfabética. Pensa e se comunica em uma língua visuoespacial, e escreve em uma língua oral auditiva. Enquanto a criança ouvinte recorre às propriedades fonológicas naturais de sua fala interna, a criança surda recorre às propriedades visuais que constituem a forma de sua sinalização interna.

3 Para Sánchez (2002), essa condição diferenciada dos surdos pode ser denominada de leitores não alfabetizados, ou seja, aprendem a ler e a escrever a língua portuguesa mesmo sem conhecer o seu sistema fonológico.

4 Lembramos que... As crianças com perda auditiva que se beneficiam de recursos tecnológicos como, por exemplo, aparelho auditivo, implante coclear ou sistema FM, poderão desenvolver a consciência fonológica mediante técnicas de oralização (leitura orofacial).

5 Procedimentos na alfabetização X Implicações para os alunos surdos Explora-se a oralidade por meio de: parlendas, trava-línguas, rimas, narrativas etc. Não há conhecimento oral internalizado; a criança não estrutura narrativas orais e desconhece o universo da oralidade. (FERNANDES, 2006)

6 Introduz-se o alfabeto relacionando-se letras a palavras estáveis: materiais escolares, brinquedos, frutas etc. Impossibilidade de estabelecer relações letra x som; falta de conhecimento do léxico da língua portuguesa,

7 Destacam-se as sílabas iniciais ou finais das palavras para a formação da consciência fonológica e percepção da reorganização interna da palavra. A percepção de sílabas precisa de outra abordagem, já que a palavra é percebida por suas propriedades visuais (ortográficas) e não auditivas.

8 Pronunciam-se sequências silábicas para a criança buscar a relação entre as imagens acústicas internalizadas e as unidades de significado (palavras). A palavra é vista como uma unidade compacta; na ausência de imagens acústicas que lhes remetam a um significado, as palavras são memorizadas sem sentido.

9 É importante considerar que... Da mesma forma que algumas crianças ouvintes ao escreverem a palavra AVIÃO escrevem AFIÃO, as crianças surdas poderão escrever ELETANTE, ao tentarem escrever a palavra ELEFANTE. Essa troca do F pelo T geralmente ocorre devido a semelhança de configuração que há. Observe a posição do dedo polegar. F T

10 Alfabeto Manual A B C D E F G H I J K L

11 Alfabeto Manual M N O P Q R S T U V W X Y Z Obs:. O Ç é o C oscilante

12 Quem é a criança surda?

13 É, antes de tudo, CRIANÇA. É um ser para quem a comunicação na perspectiva visual é fundamental. Sobre quem é importante saber que a surdez em si não implica outra particularidade como hiperatividade, déficit de atenção, irritabilidade, etc, mas que o isolamento linguístico pode desencadear o isolmento social e esse uma infinidade de prejuízos à criança. É um ser capaz de se expressar oralmente e por meio de língua de sinais, sendo a Libras uma língua, reconhecida como meio legal e mais funcional de comunicação para pessoas surdas.

14 Qual é o ponto de partida na alfabetização da criança surda? É de extrema importância que a LS seja adquirida para que a criança possa dominá-la e se constituir como ser da linguagem. Com uma primeira língua adquirida é que a criança surda poderá aprender a L2.

15 Por uma prática pedagógica visual Pensar as práticas pedagógicas a partir da perspectiva visual tem se mostrado uma estratégia eficaz de atingir melhor a todos os alunos, proporcionando naturalmente a inclusão de crianças surdas. Para a criança surda, é fundamental aprender Língua de sinais, e tão fundamental quanto isso é que os colegas, a família, os professores, as pessoas de sua convivência possam se comunicar com ele, portanto, uma ação inclusiva não pode ser pensada isoladamente.

16 No contexto do aluno surdo, a leitura passa por diversos níveis 1) Concreto sinal: ler o sinal que refere coisas concretas, diretamente relacionadas com a criança. 2) Desenho sinal: ler o sinal associado com o desenho que pode representar o objeto em si. 3) Desenho palavra escrita: ler a palavra representada por meio do desenho relacionada com o objeto em si. 4) Alfabeto manual sinal: estabelecer a relação entre o sinal e a palavra no português soletrada por meio do alfabeto manual. 5) Alfabeto manual palavra escrita: associar a palavra escrita com o alfabeto manual. 6) Palavra escrita no texto: ler a palavra no texto. (QUADROS; SCHMIEDT, 2006)

17 Recursos e jogos pedagógicos que poderão auxiliar no processo de Alfabetização

18 Contando histórias em Libras

19 Jogo de memória Desenho palavra escrita CARRO Alfabeto manual sinal

20 Jogo da Forca (Configuração de Mãos e Alfabeto Manual)

21 A configuração de mão é a forma que a mão assume durante a realização de um sinal. Trata-se de um dos cinco parâmetros para se formar um sinal na Libras, corresponde, assim, a um fonema.

22 Pareamento de letras com os dois alfabetos

23 Vocabulário Sinal - palavra escrita Material: folhas contendo meios de transporte misturados, em sinal e em português escrito, tesoura e cola. Recortar os sinais e as palavras da folha; juntar o sinal ao nome do meio de transporte correspondente e colar no caderno.

24 Outras sugestões de atividades Montar palavras em alfabeto manual para a criança montá-la abaixo em língua portuguesa; Brincar de palavras cruzadas com o alfabeto em língua portuguesa; Montar palavras e trocar letras para formar palavras diferentes; Brincar com as letras num saco, onde uma criança tira uma letra para que as demais apresentem sinais de objetos cujos nomes em língua portuguesa comecem ou terminem com a letra escolhida; Brincar de formação de frases onde todas as palavras comecem com a letra sorteada. Montar bingo utilizando este recurso: figuras e letras, palavras e letras,...

DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC

DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC DEFICIÊNCIA AUDITIVA Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC CONTEUDO - Conceitos; - Filosofias de Comunicação; - Atendimentos Educacionais especializados; - Surdez e L2; - Legislação. OBJETIVOS

Leia mais

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias Todas as crianças passam por níveis de hipóteses conceituais de escrita até atingirem a alfabetização: Uns alunos são mais rápidos que outros para se alfabetizarem;

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA REFLEXÕES E SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA CADA HIPÓTESE DE ESCRITA

LÍNGUA PORTUGUESA REFLEXÕES E SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA CADA HIPÓTESE DE ESCRITA LÍNGUA PORTUGUESA REFLEXÕES E SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA CADA HIPÓTESE DE ESCRITA ELABORAÇÃO: JOSIANE DE LIMA PIRAQUARA SMED- 2015 COMO INTERVIR EM CADA UMA DAS HIPÓTESES HIPÓTESE PRÉ-SILÁBICA: Criação

Leia mais

METODOLOGIA DA ALF L A F BE B TI T ZA Z ÇÃ Ç O

METODOLOGIA DA ALF L A F BE B TI T ZA Z ÇÃ Ç O METODOLOGIA DA ALFABETIZAÇÃO Prof. Tiago S. de Oliveira Faculdade Polis das Artes psicoptiago@gmail.com www.faculdadepolis.com.br www.professortiago.jimdo.com www.greatlive.jimdo.com Como você foi alfabetizado?

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PARA PESSOAS COM SURDEZ

LÍNGUA PORTUGUESA PARA PESSOAS COM SURDEZ LÍNGUA PORTUGUESA PARA PESSOAS COM SURDEZ Organização: Profª Esp. Ariane Polizel Objetivos: Se comunicar com maior repertório da Língua Portuguesa na modalidade escrita. Favorecer a aprendizagem dos conteúdos

Leia mais

PLANEJAMENTO (Rótulos) Portadores de texto - RÓTULOS Oralidade; ordem alfabética, produção de diferentes portadores de textos; argumentação;

PLANEJAMENTO (Rótulos) Portadores de texto - RÓTULOS Oralidade; ordem alfabética, produção de diferentes portadores de textos; argumentação; PLANEJAMENTO (Rótulos) Professor (a): Rosa Ilene Martini Garavaglia Portadores de texto - RÓTULOS Oralidade; ordem alfabética, produção de diferentes portadores de textos; argumentação; Competências criatividade.

Leia mais

Índice. Grupo Módulo 4

Índice. Grupo Módulo 4 GRUPO 5.4 MÓDULO 4 Índice 1. Níveis Conceituais Linguísticos...3 2. Nível 1 Pré-Silábico...3 3. Nível 2 Intermediário I...4 4. Nível 3 Silábico...5 5. Nível 4 Intermediário II ou Silábico-Alfabético...5

Leia mais

Projeto TRILHAS de Leitura

Projeto TRILHAS de Leitura Projeto TRILHAS de Leitura Agenda 1 2 3 Apresentação do Projeto TRILHAS Os Cadernos de Estudos e Orientação O Portal e o Curso de Ensino a Distância Distância Vídeo Formação do Leitor https://www.portaltrilhas.org.br/biblioteca/5734/video-formacao-do-leitor.html

Leia mais

Métodos de Alfabetização

Métodos de Alfabetização Aulas 12 e 13/04 Métodos de Alfabetização Conceito de método Os métodos tradicionais de alfabetização Métodos de marcha sintética Métodos de marcha analítica Método Global Métodos mistos ou analítico-sintéticos

Leia mais

PRÁTICAS DE LETRAMENTO DE ALUNOS COM SURDEZ NA PERSPECTIVA BILÍNGUE EM ESPAÇOS DE AEE MINICURSO

PRÁTICAS DE LETRAMENTO DE ALUNOS COM SURDEZ NA PERSPECTIVA BILÍNGUE EM ESPAÇOS DE AEE MINICURSO PRÁTICAS DE LETRAMENTO DE ALUNOS COM SURDEZ NA PERSPECTIVA BILÍNGUE EM ESPAÇOS DE AEE MINICURSO Francisca Maria Cerqueira da Silva 1 Eixo Temático: Práticas pedagógicas com alunos público-alvo da Educação

Leia mais

O que nós gestores temos com isto?

O que nós gestores temos com isto? O que nós gestores temos com isto? PRESSUPOSTO DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS Art. 1º Fica instituído o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, pelo qual o Ministério da Educação (MEC) e as

Leia mais

PLANEJAMENTO. NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos

PLANEJAMENTO. NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos Professora: Nelcí Sganzerla Girelli PLANEJAMENTO NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos Identificar a importância de

Leia mais

PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental

PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental UNIDADE I: GÊNEROS LITERÁRIOS Poesias Trabalhar conceitos, estruturas e produções do gênero. Biografia Entrevista Texto informativo

Leia mais

Consciência Fonológica

Consciência Fonológica Consciência Fonológica 25 de março/2017 ESECS Marta Violante O que é Capacidade de analisar a cadeia falada, reconhecendo que esta é constituída por segmentos (componentes fonológicos) passíveis de serem

Leia mais

OBJETIVOS E CONTEÚDOS

OBJETIVOS E CONTEÚDOS OBJETIVOS E CONTEÚDOS 1º BIMESTRE SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO Língua Portuguesa 1º ano Capítulo 1 O Mundo das Letras Reconhecer as letras do alfabeto em caixa-alta; Ler e escrever as letras do próprio

Leia mais

Exemplo: sinal NOME. VARIAÇÃO REGIONAL: representa as variações de sinais de uma região para outra, no mesmo país. Exemplo: sinal VERDE

Exemplo: sinal NOME. VARIAÇÃO REGIONAL: representa as variações de sinais de uma região para outra, no mesmo país. Exemplo: sinal VERDE Estruturas linguisticas da Libras Car@ alun@, já sabe como é a gramática da Libras, então vai observar como é a estrutura linguistica da Libras. Variação linguística A comunicação da comunidade surda do

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 2º Ano Oralidade O2 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Respeitar o princípio de cortesia

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 1º Ano Oralidade O1 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Escutar discursos breves para aprender

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO

LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO Escutar para aprender e construir conhecimentos LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO COMPREENSÂO DO ORAL Prestar atenção ao que ouve de modo a tornar possível: -apropriar-se de padrões de entoação e ritmo; - memorizar

Leia mais

INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS EM ESCOLAS REGULARES: ORIENTAÇÕES E PRÁTICAS DE ENSINO.

INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS EM ESCOLAS REGULARES: ORIENTAÇÕES E PRÁTICAS DE ENSINO. INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS EM ESCOLAS REGULARES: ORIENTAÇÕES E PRÁTICAS DE ENSINO. Orientações aos professores: Assim como os demais alunos, os surdos não são todos iguais; cada um tem uma trajetória e

Leia mais

Boas férias e um ótimo estudo! Um enorme abraço! Profª Juliana

Boas férias e um ótimo estudo! Um enorme abraço! Profª Juliana Espero, que ao retornarmos às aulas, todo o empenho desse 1º semestre e mais o esforço das férias sejam recompensados pela alegria de sentir o quanto é bom aprender!!! E o quanto vale a pena acreditar

Leia mais

Conceito de método. Os métodos tradicionais de alfabetização. Métodos de marcha sintética. Métodos de marcha analítica.

Conceito de método. Os métodos tradicionais de alfabetização. Métodos de marcha sintética. Métodos de marcha analítica. Conceito de método Os métodos tradicionais de alfabetização Métodos de marcha sintética Métodos de marcha analítica Método Global Métodos mistos ou analítico-sintéticos Caminho para atingir um fim Ação

Leia mais

PRÁTICAS DE LETRAMENTO PARA ALUNOS SURDOS A PARTIR DO MUSEU VIRTUAL DA HISTÓRIA E MEMÓRIA DA COMUNIDADE SURDA

PRÁTICAS DE LETRAMENTO PARA ALUNOS SURDOS A PARTIR DO MUSEU VIRTUAL DA HISTÓRIA E MEMÓRIA DA COMUNIDADE SURDA PRÁTICAS DE LETRAMENTO PARA ALUNOS SURDOS A PARTIR DO MUSEU VIRTUAL DA HISTÓRIA E MEMÓRIA DA COMUNIDADE SURDA Nome dos autores: Aline da Cruz Porto Silva¹, Natanael Reis Bomfim ² 1 Mestranda no Programa

Leia mais

UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA

UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA OBJETIVOS GERAIS: UNIDADE DE ESTUDO - 3ª ETAPA - 2016 Disciplina: Linguagem Oral e Escrita Professoras: Anália, Carla, Fabiana e Roberta Período: 2º Segmento: Educação Infantil Mostrar autonomia na utilização

Leia mais

O GÊNERO FÁBULA E VALORES HUMANOS

O GÊNERO FÁBULA E VALORES HUMANOS O GÊNERO FÁBULA E VALORES HUMANOS INTRODUÇÃO Este plano foi criado para trabalhar com uma turma de 2º ano do Ensino Fundamental, com alunos que possuem em torno de 7 a 8 anos de idade, para que se aprofundem

Leia mais

A REESCRITA DE CONTOS COMO GATILHO PARA A ALFABETIZAÇÃO INICIAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Escola Estadual Conselheiro Antônio Prado

A REESCRITA DE CONTOS COMO GATILHO PARA A ALFABETIZAÇÃO INICIAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Escola Estadual Conselheiro Antônio Prado A REESCRITA DE CONTOS COMO GATILHO PARA A ALFABETIZAÇÃO INICIAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Escola Estadual Conselheiro Antônio Prado Professor(es) Apresentador(es): Maria Gildacy Araújo Lôbo Gomes Realização:

Leia mais

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias

Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias Ano 02

Leia mais

PERFIL DE DESEMPENHO. PRÉ-ESCOLAR 4 anos

PERFIL DE DESEMPENHO. PRÉ-ESCOLAR 4 anos PRÉ-ESCOLAR 4 anos O aluno deverá ser capaz de: ÁREAS DE CONTEÚDO DOMÍNIO/COMPONENTES DESCRITOR Construção da identidade e autoestima - Saber dizer o seu nome próprio e a sua idade - Verbalizar as necessidades

Leia mais

Diferentes abordagens de alfabetização

Diferentes abordagens de alfabetização ALFABETIZAÇÃO Diferentes abordagens de alfabetização MODELO 1 (MÉTODO FONÉTICO OU DIRETO) Identificar oralmente os fonemas da língua (sons). Corresponder o fonema ao grafema: mostrar a letra e a pronuncia

Leia mais

Apresentação. Tem um aluno surdo em minha turma! E agora? Camila Francisco Módulo1 Vídeo 1

Apresentação. Tem um aluno surdo em minha turma! E agora? Camila Francisco Módulo1 Vídeo 1 Universidade do Vale do Itajaí Campus Itajaí Tem um aluno surdo em minha turma! E agora? Camila Francisco Módulo1 Vídeo 1 Apresentação Camila Francisco Bacharel em Letras Libras - UFSC Tradutora e intérprete

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos DGEstE Direção de Serviços da Região Norte Agrupamento de Escolas LEONARDO COIMBRA FILHO, PORTO Código 152213 Departamento da Educação Pré-Escolar Ano Letivo 2016/2017 Perfil de Aprendizagens Específicas,

Leia mais

CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA COMO SUPORTE NO LETRAMENTO Virginia Maria Chaves Alves 1, Luci Fagundes Oliveira 2, Sergio Domingues 3.

CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA COMO SUPORTE NO LETRAMENTO Virginia Maria Chaves Alves 1, Luci Fagundes Oliveira 2, Sergio Domingues 3. CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA COMO SUPORTE NO LETRAMENTO Virginia Maria Chaves Alves 1, Luci Fagundes Oliveira 2, Sergio Domingues 3 Resumo: Uma classe de 14 alunos, com idade variando entre cinco e seis anos,

Leia mais

PLANEJAMENTO (PARLENDA)

PLANEJAMENTO (PARLENDA) Professora: RAQUEL MARIA RADAELLI ROSSI NOME DA PARLENDA: CADÊ? Competências Objetivos Estratégias em Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; Análise Linguística)

Leia mais

Critérios de Avaliação. Desempenhos / Critérios

Critérios de Avaliação. Desempenhos / Critérios Português Ano Departamento de Ciclo 2012/2013 - Realização de fichas de trabalho - Trabalhos individuais - Envolvimento em trabalho de grupo - Testes escritos Desempenhos / Critérios Exprime-se com clareza

Leia mais

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral:

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral: PLANEJAMENTO Julho NOME DO LIVRO: Estratégias de outras áreas do conhecimento A BRUXA SALOMÉ Leitura e escrita; Oralidade; Dias da Semana; Rimas. -Desenvolver o gosto pela leitura, valorizando a como fonte

Leia mais

SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO Português 2º ano. Capítulo 1 Descobrir o mundo com palavras

SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO Português 2º ano. Capítulo 1 Descobrir o mundo com palavras SISTEMA INTERATIVO DE ENSINO Português 2º ano Capítulo 1 Descobrir o mundo com palavras Compreender a importância de valores, como o respeito, a cortesia e a tolerância, nos processos de interlocução (comunicação

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações

Leia mais

Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais PORTUGUÊS. Planificação Anual / Mensal 2º ANO

Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais PORTUGUÊS. Planificação Anual / Mensal 2º ANO Agrupamento de Escolas Piscinas Olivais PORTUGUÊS Planificação Anual / Mensal 2º ANO 2014/2015 Agrupamento PARA O de Escolas Piscinas - Olivais PLANIFICAÇÃO ANUAL / MENSAL DE PORTUGUÊS 2º ANO 1.º PERÍODO

Leia mais

Atividades de Ortografia

Atividades de Ortografia Atividades de Ortografia Atividades de Ortografia Atividades de Português, ortografia para alunos do 1, 2, 3 e 4 ano do ensino fundamental. A ortografia é um conjunto de regras estabelecidas pela gramática

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Oferecer aos alunos e profissionais interessados no assunto, subsídios

Leia mais

GESTÃO DE CONTEÚDOS 2017/2018

GESTÃO DE CONTEÚDOS 2017/2018 GESTÃO DE CONTEÚDOS 2017/2018 Ensino Básico 1.º Ciclo PORTUGUÊS 1.º ANO Domínios Subdomínios Conteúdos programáticos Nº Tempos previstos (Horas) ORALIDADE 1º Período: 13 de setembro a 15 de dezembro LEITURA

Leia mais

INTRODUÇÃO 1.º ANO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO PORTUGUÊS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS

INTRODUÇÃO 1.º ANO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO PORTUGUÊS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS 1.º ANO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO PORTUGUÊS INTRODUÇÃO A definição do objeto e dos objetivos para o ensino e a aprendizagem da língua portuguesa ao

Leia mais

D01 Reconhecer especificidades da linguagem escrita.

D01 Reconhecer especificidades da linguagem escrita. MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA PAEBES ALFA 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental Tópicos Competências Descritores Níveis de Complexidade 1º ANO 2º ANO 3º ANO T1- Reconhecimento de convenções do

Leia mais

Agrupamento de Escolas D. Dinis Escola Secundária Afonso Lopes Vieira Educação Bilingue de Alunos Surdos

Agrupamento de Escolas D. Dinis Escola Secundária Afonso Lopes Vieira Educação Bilingue de Alunos Surdos Agrupamento de Escolas D. Dinis Escola Secundária Afonso Lopes Vieira Educação Bilingue de Alunos Surdos DL 3/2008 Capítulo V Modalidades específicas de educação Artigo 23.º Educação bilingue de alunos

Leia mais

Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB

Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB PROJETO VIVENDO A IMAGINAÇÃO Professora: Adriana Maria de Sousa Espinhara Santa Cruz EMEF Brisa Nunes Braz Monteiro - PB MONTEIRO Localizada no Cariri Ocidental Paraibano; Área 986,370 km² População 30.844

Leia mais

Aprendizagem da Escrita: Revisitando saberes

Aprendizagem da Escrita: Revisitando saberes Sondagem Aprendizagem da Escrita: Revisitando saberes Pelas pesquisas de FERREIRO e TEBEROSKY (1979), sabe-se que a criança já pensa sobre a escrita antes mesmo da alfabetização, isto é, a aquisição da

Leia mais

PROGRAMA DE CONTEÚDOS

PROGRAMA DE CONTEÚDOS C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 000 - Fone (045) 35-1336 - Fax (045) 3379-58 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL: PROGRAMA

Leia mais

PRÁTICA SIGNIFICATIVA DO GÊNERO TEXTUAL AOS JOGOS DE CONSCIÊNCIA SILÁBICA PROFESSORA RAFAELA NATIVIDADE SE MARY CONTÊ CMEI RECANTO INFANTIL

PRÁTICA SIGNIFICATIVA DO GÊNERO TEXTUAL AOS JOGOS DE CONSCIÊNCIA SILÁBICA PROFESSORA RAFAELA NATIVIDADE SE MARY CONTÊ CMEI RECANTO INFANTIL PRÁTICA SIGNIFICATIVA DO GÊNERO TEXTUAL AOS JOGOS DE CONSCIÊNCIA SILÁBICA PROFESSORA RAFAELA NATIVIDADE SE MARY CONTÊ CMEI RECANTO INFANTIL Gêneros Textuais São modelos comunicativos que nos possibilitam

Leia mais

Avaliação Diagnóstica 1ºano

Avaliação Diagnóstica 1ºano Avaliação Diagnóstica 1ºano Manual do Educador Prezado Professor (a), Elaboramos este instrumento avaliativo a fim de contribuir no trabalho didático, bem como fazer com que você conheça de imediato os

Leia mais

PROCESSO DE GRAFIA DA LÍNGUA DE SINAIS: UMA ANÁLISE FONO-MORFOLÓGICA DA ESCRITA EM SIGN WRITING

PROCESSO DE GRAFIA DA LÍNGUA DE SINAIS: UMA ANÁLISE FONO-MORFOLÓGICA DA ESCRITA EM SIGN WRITING PROCESSO DE GRAFIA DA LÍNGUA DE SINAIS: UMA ANÁLISE FONO-MORFOLÓGICA DA ESCRITA EM SIGN WRITING OBJETIVO Quais ocorrências indicam padronização ou variação da ELS de surdos usando o SW? -Identificar quais

Leia mais

Relacionar o texto com conhecimentos anteriores. Compreender o essencial dos textos escutados e lidos.

Relacionar o texto com conhecimentos anteriores. Compreender o essencial dos textos escutados e lidos. METAS CURRICULARES 1º ANO Português ORALIDADE Respeitar regras da interação discursiva. Escutar discursos breves para aprender e construir conhecimentos. Produzir um discurso oral com correção. Produzir

Leia mais

Atividades Significativas: de 16/10/17 a 20/10/17

Atividades Significativas: de 16/10/17 a 20/10/17 PLANEJAMENTO SEMANAL GRUPO 4 e 5 2017 GRUPO ARARA ADI: JANAINA Atividades Significativas: de 16/10/17 a 20/10/17 Jogos Pedagógicos Massinha Desenho Dirigido da história contada Parque no Gramado Pesquisa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA : 6ºano ANO LECTIVO: 2007/2008 PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental

PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental PLANO DE CURSO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Série: 3º ano Ensino Fundamental UNIDADE I: GÊNEROS LITERÁRIOS Contos poemas Narração. Fábula Dicionário Receita Trabalhar conceitos, estruturas e produções

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

PÓS-GRADUAÇÃO ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO PÓS-GRADUAÇÃO ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos:

Leia mais

PLANEJAMENTO (Parlenda)

PLANEJAMENTO (Parlenda) PLANEJAMENTO (Parlenda) Professora: Denise Pfeiffer Nome da Parlenda: Competências Objetivos Estratégias em Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; Análise Linguística)

Leia mais

PLANEJAMENTO (TRABALHANDO COM O NOME/ IDENTIDADE)

PLANEJAMENTO (TRABALHANDO COM O NOME/ IDENTIDADE) PLANEJAMENTO (TRABALHANDO COM O NOME/ IDENTIDADE) Professor (a): Marines dos Santos Pereira Competências Objetivos Estratégias em Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos;

Leia mais

REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS. Aprendizagens. Construção da identidade e da autoestima

REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS. Aprendizagens. Construção da identidade e da autoestima ANO LETIVO 2016/217 REFERENCIAL DO PERFIL DE COMPETÊNCIAS AVALIAÇÃO 3 ANOS Área de Construção da identidade e da autoestima Sabe o seu primeiro nome Sabe a idade Tem consciência de si e do outro Reconhece

Leia mais

Atividades de português 1 ano alfabeto

Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto com atividades de português 1 ano para imprimir, atividades de alfabetização, atividades

Leia mais

LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS?

LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS? LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS? II Encontro Orientadores de Estudo PNAIC A criança no ciclo de alfabetização Mônica Correia Baptista monicacb.ufmg@gmail.com Professora Departamento de Administração

Leia mais

Abordagem Construtivista da alfabetização. Aula de 02/05/2010

Abordagem Construtivista da alfabetização. Aula de 02/05/2010 Abordagem Construtivista da alfabetização Aula de 02/05/2010 Dicas práticas para o planejamento do trabalho 1. LEIA EM VOZ ALTA TODOS OS DIAS... Textos literários: contos tradicionais, histórias contemporâneas,

Leia mais

Alfabetizar e letrar ENTREVISTA

Alfabetizar e letrar ENTREVISTA Alfabetizar e letrar ENTREVISTA Entrevistada: Maria Jovelina dos Santos É professora de Português da rede estadual de ensino em São Paulo, com 30 anos de experiência no magistério. Formada em Letras Português/Inglês

Leia mais

PLANO DE ENSINO 3º TRIMESTRE

PLANO DE ENSINO 3º TRIMESTRE Componente Linguagem oral e escrita Professor Alessandra, Juliana e Leticia Curricular: Segmento: Educação Infantil Ano/Série Jardim II Apresentação da disciplina A aprendizagem da linguagem oral e escrita

Leia mais

Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; Análise Linguística.

Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; Análise Linguística. PLANEJAMENTO: Identidade PROFESSORA: Iracema Pavão História trabalhada ao longo da sequência: Competências Objetivos Estratégias em Leitura; produção textual; oralidade; análise linguística. - Estimular

Leia mais

Disciplina: Fundamentos da Educação dos Surdos Professora: Karin Lilian Strobel

Disciplina: Fundamentos da Educação dos Surdos Professora: Karin Lilian Strobel Disciplina: Fundamentos da Educação dos Surdos Professora: Karin Lilian Strobel Graduandos: Ananda, Antonia, Jéssica, João, Kamilla, Michel, Rayana, Rodrigo e Valéria. PEDAGOGIA SURDA Definição e Surgimento

Leia mais

ANEXO I DADOS INDIVIDUAIS DO ALUNO COM SURDEZ/DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Nome: Data de nascimento: / / / Idade: Escola: ano/série: período:

ANEXO I DADOS INDIVIDUAIS DO ALUNO COM SURDEZ/DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Nome: Data de nascimento: / / / Idade: Escola: ano/série: período: ANEXO I DADOS INDIVIDUAIS DO ALUNO COM SURDEZ/DEFICIÊNCIA AUDITIVA Nome: Data de nascimento: / / / Idade: Escola: ano/série: período: Tipo de deficiência: Surdez () Deficiência Auditiva () Grau de surdez/deficiência

Leia mais

Sequência Didática Parlendas

Sequência Didática Parlendas Sequência Didática Parlendas Novembro 2011 Sequencia didática Parlendas Justificativa: A parlenda, como uma proposta de trabalho nas classes iniciais de alfabetização atende o educando integralmente, enriquecendo

Leia mais

Avaliações 2º ano 1º Trimestre 1ª Etapa. Avaliações 3º Ano 1º trimestre 1ª etapa

Avaliações 2º ano 1º Trimestre 1ª Etapa. Avaliações 3º Ano 1º trimestre 1ª etapa Avaliações 2º ano 1º Trimestre 1ª Etapa Data Disciplina Conteúdos 15/03 Língua Portuguesa 17/03 Ciências Humanas e da Natureza 22/03 Matemática Alfabeto / interpretação de texto Encontro consonantal e

Leia mais

Planejamento (Parlendas) PARLENDAS

Planejamento (Parlendas) PARLENDAS Professor (a): Silvana Mara Silvestrin Brustolin PARLENDAS Planejamento (Parlendas) Competências Objetivo Geral Leitura, oralidade, ritmo, produção textual. Desenvolver habilidades de leitura e compreensão

Leia mais

NÍVEIS DE ESCRITA, HABILIDADES DE CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA E REALISMO NOMINAL ENTRE CRIANÇAS

NÍVEIS DE ESCRITA, HABILIDADES DE CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA E REALISMO NOMINAL ENTRE CRIANÇAS NÍVEIS DE ESCRITA, HABILIDADES DE CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA E REALISMO NOMINAL ENTRE CRIANÇAS Introdução Denise Nunes Gonçalves;Acadêmica em Pedagogia/Unimontes; denise25nunes@hotmail.com Paula Souza Gonçalves;

Leia mais

Um recurso tecnológico para desenvolver a consciência fonológica em nível de sílaba e unidades intrassilábicas

Um recurso tecnológico para desenvolver a consciência fonológica em nível de sílaba e unidades intrassilábicas : Um recurso tecnológico para desenvolver a consciência fonológica em nível de sílaba e unidades intrassilábicas Melissa Bernardes Toffoli (PUCRS/Cnpq) Rosangela Marostega Santos (IPA) É o segundo volume

Leia mais

Conteúdos e Didática de Libras

Conteúdos e Didática de Libras Conteúdos e Didática de Libras Professora autora: Elisa tomoe moriya Schlünzen Departamento de Matemática, Estatística e Computação, Faculdade de Ciência e Tecnologia Unesp - Professoras assistentes: Renata

Leia mais

A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO

A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO A TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA DO GÊNERO BILHETE: UM CAMINHO DE APRENDIZAGEM PARA O ALUNO SURDO RESUMO Sonia Maria Deliberal Professora da rede estadual Mestranda de língua portuguesa PUC SP e-mail: Kamilio.deliberal@terra.com.br

Leia mais

HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO

HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO HABILIDADES (EF02LP01) Expressar-se em situações de intercâmbio oral com autoconfiança (sem medo de falar em público), liberdade e desenvoltura, preocupando-se

Leia mais

Critérios de Avaliação 1º Ciclo

Critérios de Avaliação 1º Ciclo Departamento Curricular do 1º Ciclo Critérios 1º Ciclo Setembro de 2015 1º Ano de escolaridade Todas as componentes do currículo serão avaliadas com 80% para a aquisição de conhecimentos e desenvolvimento

Leia mais

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos.

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Linguagem e Cultura Conceituação Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Cultura é todo saber humano, o cabedal de conhecimento de um

Leia mais

Apresentação do método sintético

Apresentação do método sintético Maria Cristina Pereira Cotta e Angela Maria Rodrigues Marques Galvão O tempo passa e, em Educação, continuam as dúvidas quanto à escolha do método ideal para alfabetizar. Para acertar nessa escolha, a

Leia mais

INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE PROPOSTA DE CONCURSO: SOLETRANDO

INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE PROPOSTA DE CONCURSO: SOLETRANDO INSTITUTO Programa de Desenvolvimento BRASIL da Educação SOLIDÁRIO - PDE PROPOSTA DE CONCURSO: SOLETRANDO Ler e escrever, não são capacidades natas. Precisam ser realizadas em situações reais, onde se

Leia mais

Dislexia. Dificuldade na área da leitura, gerando a troca de linhas, palavras, letras, sílabas e fonemas.

Dislexia. Dificuldade na área da leitura, gerando a troca de linhas, palavras, letras, sílabas e fonemas. Dislexia (BARROS, 2010; SILVA, 2009) Dificuldade na área da leitura, gerando a troca de linhas, palavras, letras, sílabas e fonemas. A troca de letras ocorre especialmente naquelas com diferenças sutis

Leia mais

PROJETO APRENDIZ Curso de Libras. WHARLLEY MARTINS Intérprete e Instrutor de Libras - FMPB Prolibras 2008

PROJETO APRENDIZ Curso de Libras. WHARLLEY MARTINS Intérprete e Instrutor de Libras - FMPB Prolibras 2008 PROJETO APRENDIZ Curso de Libras WHARLLEY MARTINS Intérprete e Instrutor de Libras - FMPB Prolibras 2008 TEMA DE HOJE CONCEPÇÕES DE SURDEZ SURDEZ x SURDO Surdez : surdez (ê) - (surdo + -ez) s. f.privação

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Português do Ensino Básico e Metas Curriculares de Português do Ensino Básico

Leia mais

Oficina de Língua Portuguesa 2º ano do Ensino Fundamental Profª Ana Letícia Duin Tavares

Oficina de Língua Portuguesa 2º ano do Ensino Fundamental Profª Ana Letícia Duin Tavares Oficina de Língua Portuguesa 2º ano do Ensino Fundamental Profª Ana Letícia Duin Tavares O que sabem as crianças ao final do Ciclo Inicial de Alfabetização? Por que essa é uma questão importante? Os resultados

Leia mais

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 GRUPO 5.4 MÓDULO 2 Índice 1. O Alfabetizador...3 1.1. Contribuições ao Educador-Alfabetizador... 4 1.2. Ações do professor alfabetizador... 4 2. Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 2 1. O ALFABETIZADOR

Leia mais

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL)

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) Professor (a): Silvana Mara Silvestrin Brustolin EMEF NOVA SARDENHA Turma: 2 Ano NOME DO LIVRO: O MENINO QUE DESCOBRIU AS PALAVRAS AUTORES: Cineas Santos e Gabriel Archanjo

Leia mais

Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia

Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia Formação Pessoal e Social-Independência/Autonomia 9% 91% EA- em aquisição A- adquirido Gráfico 2 Formação Pessoal e Social- Convivência Democrática/ Cidadania 9% 91% EA- em aquisição A- adquirido Gráfico

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 3º Ano Oralidade O3 Comprensão do oral Expressão oral Escutar para aprender e construir conhecimentos Produzir um discurso oral

Leia mais

CURSO O JOGO COMO ESPAÇO DE ALFABETIZAÇÃO CORPORAL II FORMAÇÃO INTERNACIONAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Prof. Fabio D Angelo Novembro 2017

CURSO O JOGO COMO ESPAÇO DE ALFABETIZAÇÃO CORPORAL II FORMAÇÃO INTERNACIONAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Prof. Fabio D Angelo Novembro 2017 II FORMAÇÃO INTERNACIONAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR MÓDULO 4 EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO FUNDAMENTAL CURSO O JOGO COMO ESPAÇO DE ALFABETIZAÇÃO CORPORAL Prof. Fabio D Angelo Novembro 2017 O JOGO

Leia mais

Critérios de Avaliação 2012/ º ano de escolaridade Disciplina: Português

Critérios de Avaliação 2012/ º ano de escolaridade Disciplina: Português Critérios de Avaliação 2012/2013 1.º ano de escolaridade Disciplina:Português Compreensão do oral Subdomínios NS SP S SB EXC Compreensão presta O aluno presta O aluno presta O aluno presta O aluno presta

Leia mais

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

SUGESTÕES DE ATIVIDADES HABILIDADES DE LEITURA, ESCRITA E MATEMÁTICA 1.º, 2.º E 3.º Anos SUGESTÕES DE ATIVIDADES 2017 HABILIDADES DE LEITURA 1º ANO Identificar a finalidade de um texto. Localizar informações explícitas em um

Leia mais

Planificação a médio/ longo prazo

Planificação a médio/ longo prazo Planificação a médio/ longo prazo 1º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2012/2013 Ano letivo 2012/2013 1 PORTUGUÊS Manual adotado: ALFA Editora: Porto Editora Oralidade Oralidade Oralidade - Respeitar as regras

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos de Português 2 º Ano Ano letivo 2015 2016 1º PERÍODO CONTEÚDOS - COMPREENSÃO DO ORAL manifestar ideias, sensações e sentimentos pessoais mobilizar conhecimentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Resolução 002/CUn/2007, de 02 de março de 2007 O Curso de Licenciatura em Letras/LIBRAS é uma iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina, com

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios Ano letivo 2012/2013 3º- ciclo 1 2 3 Domínios Afetivo Cognitivo Tem uma atitude negativa em relação à aprendizagem; Mostra-se desatento: não abre o livro, não copia apontamentos; Não faz, habitualmente,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Português CRITÉRIOS - 2.º ano 6 AL / ATITUDINAL língua portuguesa Respeita regras da interação discursiva. Escuta discursos breves para aprender e construir

Leia mais

Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins

Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins Um Olhar sobre a Cultura dos Povos Indígenas do Brasil: o cotidiano das crianças E.E. Dr Luis Arrôbas Martins Professor(es) Apresentador(es): Tatiane Cecilia da Silva Nardi Realização: Foco do Projeto

Leia mais

Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de Avaliação 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos

Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de Avaliação 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos Conteúdos Programáticos Critérios de Instrumentos de Comunicação oral Observação direta

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais