AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SOFTWARE DE DISPOSITIVO DE NAVEGAÇÃO POR GPS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SOFTWARE DE DISPOSITIVO DE NAVEGAÇÃO POR GPS"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SOFTWARE DE DISPOSITIVO DE NAVEGAÇÃO POR GPS Data de entrega dos originais à redação em 06/08/2013 e recebido para diagramação em 03/04/2014. Carlos Eduardo Beluzo 1 /Daniel da Cruz Santos 2 Danilo Giovanetti Cuzner 3 /Edson Cruz Marques dos Santos 4 Emanuel de Sousa Barbosa 5 /Thiago Schumacher Barcelos 6 Este artigo tem como objetivo investigar os problemas de usabilidade encontrados no software de dispositivo de GPS igo Primo, da marca Apontador, modelo T502. Realizaram-se avaliações heurísticas, onde um grupo de especialistas identificou problemas de interface no software, em complemento com testes de usabilidade, em que voluntários com diferentes fluências tecnológicas tiveram sua interação com o aparelho analisada. A avaliação heurística consolidou a quantidade de problemas da interface investigada, assim como sua severidade, identificando quais heurísticas foram violadas. Enquanto que com os testes de usabilidade foi possível identificar os problemas de usabilidade enfrentados pelos voluntários, bem como contabilizar o tempo médio para a realização de tarefas pré-definidas. Palavras-chave: Interação Humano-Computador. Teste de Usabilidade. Avaliação Heurística. Software de GPS. The aim of this article is to investigate the usability problems found in igo Primo GPS software, installed on GPS device brand Apontador, model T502. A heuristic evaluation was conducted, where a group of experts identified problems in the software interface object of this study. The evaluation was complemented by an usability test, in which volunteers with different levels of technological fluency had their interaction with the device examined. The heuristic evaluation made it possible to consolidate the quantity and severity level of usability issues, as well as identify which heuristics were violated. Conducting a usability testing it was possible to identify usability issues faced by volunteers as well as record the average time to achieve predefined tasks. Keywords: Human Computer Interaction. Usability Testing. Heuristic Evaluation. GPS Software. 1 INTRODUÇÃO A usabilidade é um aspecto de qualidade relevante para sistemas interativos em geral (PREECE; ROGERS; SHARP, 2005). Essa relevância é ainda mais presente em dispositivos móveis cujo uso é cada vez mais frequente, como os aparelhos de GPS (Global Positioning System). Algumas técnicas de avaliação de usabilidade utilizadas dentro da área de Interação Humano-Computador podem ser úteis para verificar o nível de usabilidade de tais dispositivos. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é a identificação de problemas de usabilidade no software igo Primo, do aparelho de GPS modelo T502 da marca Apontador. Para isto, foram utilizadas duas técnicas complementares de avaliação de usabilidade: a avaliação heurística e o teste de usabilidade. Este trabalho apresenta a definição de cada técnica, a maneira como foram aplicadas e os resultados obtidos, de forma a ilustrar as suas aplicabilidades à avaliação de usabilidade do dispositivo objeto deste estudo e de outros dispositivos similares. 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Interação Humano-Computador é um campo de estudo interdisciplinar que tem como objetivo geral entender como e porque as pessoas utilizam (ou não) a tecnologia da informação (ROSA; MORAES, 2005). Por sua vez, o processo de design de interação é fundamental para todas as disciplinas, campos e abordagens que se preocupam com a pesquisa e projeto de sistemas baseados em computador (PREECE et al., 2005). A usabilidade é a capacidade de um produto ou sistema, em termos funcionais, de ser usado com facilidade e eficácia por um segmento específico de usuários, fornecendo-lhes treinamento e suporte 1 Pós-Graduando em Gestão de Projetos em Desenvolvimento de Sistemas de Software no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. 2 Pós-Graduando em Gestão de Projetos em Desenvolvimento de Sistemas de Software no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. 3 Pós-Graduando em Gestão de Projetos em Desenvolvimento de Sistemas de Software no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. 4 Pós-Graduando em Gestão de Projetos em Desenvolvimento de Sistemas de Software no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. 5 Pós-Graduando em Gestão de Projetos em Desenvolvimento de Sistemas de Software no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. 6 Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo e Professor da área de Informática no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Campus Guarulhos. < >. Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun

2 específico, visando à execução de um conjunto específico de tarefas, em um contexto de utilização igualmente específico (ROSA; MORAES, 2005). De acordo com Preece et al. (2005), a usabilidade pode ser caracterizada pelas seguintes metas: eficácia, eficiência, segurança, utilidade, grau de dificuldade do aprendizado (learnability) e grau de dificuldade para memorização (memorability). 2.1 Avaliação heurística Segundo Nielsen (1995), a avaliação heurística é uma técnica de inspeção de usabilidade em que especialistas orientados por um conjunto de princípios de usabilidade (denominados como heurísticas) avaliam se os elementos de interface com o usuário caixas de diálogo, menus, estrutura de navegação, etc. estão de acordo com essas heurísticas. Na Tabela 1, são listadas dez heurísticas de usabilidade que foram utilizadas como base para execução da avaliação heurística realizada neste estudo. Tais heurísticas foram definidas por Nielsen (1995) com o objetivo de caracterizar os aspectos fundamentais da usabilidade a serem identificados em diferentes tipos de sistemas interativos. Para Cybis, Betiol e Faust (2010), uma avaliação heurística representa um julgamento de valor sobre as qualidades ergonômicas das interfaces humanocomputador. Essa avaliação deve ser realizada por especialistas em ergonomia que, com base em sua experiência e competência no assunto, examinam o sistema interativo e diagnosticam os problemas ou as barreiras que os usuários provavelmente encontrarão durante a interação. Ainda segundo os autores, as avaliações por especialistas podem produzir ótimos resultados no que diz respeito à rapidez de avaliação e à quantidade e importância de problemas diagnosticados. Entretanto, seus resultados dependem da competência dos avaliadores e das estratégias de avaliação empregadas. 2.1 Testes de usabilidade Os testes de usabilidade têm suas raízes na psicologia experimental, na qual se pede aos participantes que executem uma ou mais tarefas bem determinadas, um conjunto de medições são obtidas, a partir das quais se realiza algum tipo de análise estatística (ROSA; MORAES, 2005). Os testes de usabilidade envolvem avaliar o desempenho dos usuários típicos na realização de tarefas cuidadosamente preparadas e que representam tarefas típicas para as quais o sistema foi projetado. O desempenho dos usuários é geralmente avaliado em relação ao número de erros eventualmente cometidos e ao tempo gasto para completar a tarefa. Enquanto realizam as tarefas, os usuários são observados e filmados e as suas interações são registradas por meio de um software. Esses dados da observação são utilizados para se calcular o tempo de execução, para que os erros possam ser identificados e para ajudar a explicar por que os usuários fizeram o que fizeram. Os questionários e as entrevistas também são utilizados para levantar opiniões dos usuários (PREECE et al., 2005). De acordo com Agner (2005), um número grande de participantes seria o mais desejável para realizar testes de interfaces. Porém, para garantir que o escopo do estudo fosse atingido, foi adotado um número pequeno de participantes para viabilizar as avaliações. Nielsen (1993 apud ROSA; MORAES, 2005) sugere que a execução do teste de usabilidade com cerca de cinco participantes apresenta uma melhor relação entre o custo de execução do teste e os benefícios obtidos, ou seja, a identificação dos problemas de usabilidade mais críticos ou mais representativos. Tabela 1 - Dez heurísticas fundamentais. Fonte: Nielsen (1995) Heurística Visibilidade do estado do sistema Correspondência entre o sistema e o mundo real Controle do usuário e liberdade Consistência e padronização Ajudar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros Prevenção de erros Reconhecimento ao invés de lembrança Uso flexível e eficiente Projeto minimalista e estético Ajuda e documentação Descrição Os usuários são mantidos informados a respeito do que está acontecendo? É fornecido um feedback apropriado, dentro de um período de tempo razoável, sobre a ação de um usuário? A linguagem utilizada no sistema é simples? As palavras, frases e conceitos são familiares ao usuário? Existem maneiras para que os usuários saiam com facilidade de lugares que não esperavam encontrar-se? As maneiras de executar ações semelhantes são consistentes? As mensagens de erro são úteis? Utilizam uma linguagem simples para descrever a natureza do problema e sugerir uma maneira de resolvê-lo? É fácil cometer erros? Se sim, onde e por quê? Os objetos, as ações e operações são sempre visíveis? São oferecidos atalhos que permitem aos usuários mais experientes realizar suas tarefas mais rapidamente? Existem informações desnecessárias e irrelevantes? É oferecida uma ajuda que pode ser facilmente acessada e seguida? 100 Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun. 2014

3 3 APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO HEURÍSTICA Neste trabalho, cinco especialistas realizaram a avaliação heurística da interface de um software de dispositivo de GPS. O processo de avaliação foi executado em duas etapas: na primeira etapa, cada um dos avaliadores realizou a avaliação do software de forma individual e sem conhecimento dos resultados obtidos pelos demais avaliadores; na segunda etapa, foram avaliados elementos específicos da interface vinculados a um cenário de uso bastante comum do sistema a localização de uma rota. Dessa forma, para essa segunda etapa, a avaliação se pautou pelas seguintes tarefas: a) Ligar o Aparelho GPS; b) Pesquisar uma Nova Rota, destino: Av. Paulista, 100 São Paulo, SP ; c) Alterar a Rota inicial, escolhendo como rota alternativa a rota mais curta ; d) Alterar Rota, destino: Av. Nove de Julho, 100 São Paulo, SP ; e) Desligar o Aparelho GPS. De acordo com Rosa e Moraes (2005), a avaliação heurística pode ser aplicada em qualquer estágio de desenvolvimento do projeto, desde a prototipagem como método formativo até mesmo após a implementação. Neste trabalho, por se tratar da avaliação da interface de um software de dispositivo de GPS previamente existente, a avaliação heurística foi realizada com o software já implementado e comercializado. Ao final da avaliação, cada um dos problemas identificados foi relacionado a um dos princípios da Tabela 1, de acordo com o princípio que o problema violou. Os problemas encontrados foram também classificados de acordo com sua severidade, conforme Tabela 2. 4 APLICAÇÃO DO TESTE DE USABILIDADE Para aplicação de teste de usabilidade, cinco voluntários foram recrutados para terem avaliadas suas interações com o software objeto deste estudo. Para condução do teste de usabilidade, os voluntários foram apresentados ao mesmo cenário de uso definido para a aplicação da técnica de avaliação heurística, cujas tarefas foram descritas na seção 3. Devido à dificuldade logística, as tarefas foram realizadas em ambiente doméstico, portanto, não foi simulado o uso do aparelho de GPS com os voluntários se deslocando em um veículo. Durante os testes, os voluntários, um a um, foram observados por um dos especialistas. As interações dos voluntários com o aparelho foram filmadas para que os vídeos posteriormente fossem analisados pelos avaliadores, para obter o tempo médio de realização de cada tarefa e para observar as dificuldades encontradas pelos voluntários durante as interações com o aparelho. Antes da realização dos testes, os especialistas aplicaram questionários de pré-teste para fazer um levantamento do perfil dos voluntários para compreender suas características. Após a realização dos testes, foram aplicados questionários de pós-teste ( QUIS Questionnaire for User Interface Satisfaction) nos quais os voluntários relataram suas experiências com a utilização do software objeto deste estudo para que, desse modo, a satisfação dos voluntários quanto à usabilidade do produto pudesse ser mensurada. Os questionários on-line de pré-teste e pós-teste foram criados com a ferramenta de formulários do Google Docs. No pré-teste, os voluntários participantes do teste de usabilidade responderam questões relativas aos seus dados pessoais, fluência tecnológica e questões referentes ao uso do GPS. As respostas do questionário pré-teste foram utilizadas para classificar os voluntários de acordo com sua fluência tecnológica. Assim, para este trabalho, voluntários que não possuem smartphone e tablet foram classificados como usuários de baixa fluência tecnológica; voluntários que possuem smartphone ou tablet há menos de 2 anos foram classificados como usuários de fluência média; e os voluntários que possuem smartphone ou tablet há mais de 2 anos foram considerados usuários de alta fluência tecnológica. 5 RESULTADOS DA AVALIAÇÃO HEURÍSTICA Na avaliação heurística, cada especialista consolidou os problemas encontrados no software objeto deste estudo, agrupando os problemas observados de acordo com a similaridade, o grau de severidade, o princípio (heurística) violado e a respectiva tarefa a partir da qual o problema foi originado. Na avaliação realizada pelos especialistas, foram apontados, no total, 53 problemas que foram classificados por severidade conforme dados apresentados na Tabela 3. Tabela 3 - Quantidade de problemas encontrados x Severidade Severidade Problemas Apontados (4) Catastrófico 3 (3) Grave 19 (2) Menor 16 (1) Cosmético 10 (0) Não é um problema 5 Tabela 2 - Tabela de classificação de Severidade do problema. Fonte: Rosa e Moraes (2005) Severidade Descrição (4) Catastrófico Sua correção é imperativa antes do lançamento do produto (3) Grave Importante corrigi-lo. Tem alta prioridade (2) Menor Sua correção tem baixa prioridade (1) Cosmético Precisa ser corrigido apenas se sobrar tempo no projeto (0) Não é um problema Não há consenso quanto a problema de usabilidade Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun

4 Dentre os princípios (heurísticas) de usabilidade violados, o que apresentou o maior número de problemas associados foi o item Correspondência entre o sistema e o mundo real, conforme ilustra a Figura 1. Figura 1 - Princípios violados x Quantidade de problemas identificados Quando foram confrontados os problemas encontrados versus as funcionalidades específicas da interface do software de dispositivo de GPS, foi possível identificar e quantificar quais funcionalidades apresentavam a maior quantidade de problemas associados. A Figura 2, a seguir, mostra as funcionalidades específicas da interface do software de dispositivo de GPS onde foram identificados dois ou mais problemas de usabilidade: Através da análise do relatório consolidado de problemas conforme demonstra a Figura 2, é possível perceber que a maior concentração de problemas encontra-se associada às duas funcionalidades principais do sistema: seleção de nova rota e seleção de rota alternativa. Adicionalmente, a realização da atividade de avaliação heurística produziu comentários pertinentes à interface do software do aparelho de GPS. Dentre os comentários observados, é possível verificar diferentes preocupações associadas aos princípios (heurísticas) de usabilidade, a seguir: a) Ajudar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros: os avaliadores concordaram que a interface não propiciava um ambiente amigável, e a detecção de erros não é intuitiva, conclusão oriunda de comentários como: Ao terminar de digitar o endereço, não ficou claro qual botão deve ser pressionado para continuar ; b) Consistência e Padronização: a interface do software do dispositivo de GPS possui uma deficiência na padronização entre as diferentes funcionalidades existentes. Comentários como A confirmação da alteração é feita clicando no botão voltar!, são responsáveis por esta conclusão; c) Prevenção de Erros: houve mais de uma ocorrência ao longo da execução da atividade de avaliação heurística, onde os avaliadores manifestaram a sensação de estarem perdidos durante a utilização do sistema e teceram comentários como Localizei a opção de rota alternativa por tentativa e erro após entrar nas diversas opções do sistema, chegando a um ponto que não sabia mais onde estava. Figura 2 - Funcionalidade x Quantidade de problemas identificados De acordo com Nielsen (2005 apud ROSA; MORAES, 2005), embora a avaliação heurística encontre muitos problemas de usabilidade que não são encontrados no teste pelo usuário, deve ser 102 Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun. 2014

5 considerado que ela pode deixar passar alguns problemas que seriam encontrados no teste de usabilidade, sendo assim, ressalta-se a importância da execução também do teste de usabilidade. 6 RESULTADOS DA APLICAÇÃO DO TESTE DE USABILIDADE As filmagens dos testes possibilitaram que os avaliadores identificassem as principais dificuldades encontradas pelos voluntários. Além disso, as filmagens também foram utilizadas para contabilizar o tempo médio das tarefas realizadas. A Tabela 4 mostra o tempo gasto para execução de cada tarefa de acordo com a fluência tecnológica do voluntário, assim como o tempo médio para execução de cada uma das tarefas. Os principais problemas levantados pelos avaliadores a partir do teste de usabilidade foram: a) Dificuldade para inserir o endereço no campo destinado para criação da rota; b) Impossibilidade de se definir uma configuração de rota diferente da padrão; c) A ajuda oferecida pelo sistema era incompreendida e de difícil localização/visualização; d) O botão mais não oferecia opções suficientes; e) Tela sensível ao toque de baixa qualidade, tempo de resposta inadequado; e) Dificuldade em realizar o próximo passo da tarefa Criar uma nova Rota. Tabela 4 - Tempo em segundos gasto para executar cada tarefa Fluência Tecnológica do Voluntário Tarefa 1 Tarefa 2 Tarefa 3 Tarefa 4 Tarefa 5 Tempo Total Baixa 0:00:20 0:07:00 0:00:00 0:03:00 0:01:30 0:11:50 Média 0:01:46 0:03:43 0:00:00 0:00:00 0:01:50 0:07:19 Média 0:00:05 0:03:30 0:00:00 0:04:30 0:00:05 0:08:10 Alta 0:00:05 0:01:50 0:00:00 0:00:30 0:00:05 0:02:30 Alta/Usuário de GPS 0:00:05 0:01:35 0:01:10 0:01:00 0:00:10 0:04:00 Tempo médio 0:00:28 0:03:32 0:01:10 0:02:15 0:00:44 0:06:46 Para ajudar na identificação de problemas, também foram contabilizados o número de tarefas realizadas com sucesso, as tarefas que os voluntários acreditaram ter realizado e as tarefas que os voluntários não finalizaram por desistência, conforme Tabela 5. O questionário de pós-teste levantou informações referentes à interação dos voluntários com o aparelho de GPS. Os voluntários deveriam atribuir uma pontuação numa escala de 1 a 9, avaliando, por exemplo, a facilidade em realizar as tarefas (onde o valor 1 representa uma tarefa de difícil realização e o valor 9 uma tarefa de fácil realização). A Figura 3 consolida o resultado da aplicação do formulário de pós-teste: Tabela 5 - Quantidade de voluntários e tarefas realizadas com e sem sucesso Tarefa Quantidade de voluntários que realizaram a tarefa Quantidade de voluntários que acreditaram ter realizado a tarefa, mas não a realizou Quantidade de voluntários que desistiram da tarefa Figura 3 - Resultado do questionário pós-teste Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun

6 7 CONCLUSÃO A técnica de avaliação heurística e o teste de usabilidade foram eficazes para atingir o objetivo deste trabalho, que foi identificar problemas de usabilidade em um software de um aparelho de navegação por GPS. Foi evidenciado que o software objeto desse estudo apresenta problemas críticos de usabilidade, relacionados principalmente a uma das suas principais funcionalidades, que é a busca de uma rota. Assim, os resultados desse trabalho mostram que a interface do software do dispositivo de GPS deveria ser melhorada para que os usuários desse software pudessem utilizá-lo sem encontrar dificuldades ou entraves. Ainda que a avaliação tenha sido realizada utilizando apenas um modelo de GPS, alguns dos problemas poderiam ser identificados em outros modelos por conta das similaridades presentes na operação desses aparelhos. Um trabalho futuro bastante interessante seria aplicar as mesmas técnicas usadas neste trabalho na avaliação de usabilidade de outros softwares de aparelhos de GPS. Uma limitação deste trabalho foi que o perfil dos voluntários ficou restrito a rede social dos especialistas. Dessa forma, um trabalho futuro utilizando perfis mais heterogêneos de voluntários seria bastante adequado para identificar novos problemas. REFERÊNCIAS NIELSEN, Jakob. 10 Usability Heuristics for User Interface Design. Disponível em: <http://www.nngroup.com/articles/ ten-usability-heuristics>. Acesso em: 28 abr AGNER, Luiz. Ergodesign e Arquitetura de Informação: Trabalhando com o Usuário. Rio de Janeiro: Editora Quartet, p. CYBIS, Walter de Abreu; BETIOL, Adriana Holtz e FAUST, Richard. Ergonomia e Usabilidade Conhecimentos, Métodos e Aplicações. 2. ed. São Paulo: Editora Novatec, p. PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne e SHARP, Helen. Design de Interação Além da Interação Homem-Computador. Porto Alegre: Bookman, p. ROSA, José Guilherme Santa e MORAES, Anamaria de. Avaliação e Projeto no Design de Interfaces. Teresópolis: Editora 2AB, p Sinergia, São Paulo, v. 15, n. 2, p , abr./jun. 2014

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES Rafael Milani do Nascimento, Claudete Werner Universidade Paranaense (Unipar)

Leia mais

Usabilidade dos Sistemas Operacionais Móveis Android, ios e Windows Phone

Usabilidade dos Sistemas Operacionais Móveis Android, ios e Windows Phone Usabilidade dos Sistemas Operacionais Móveis Android, ios e Windows Phone Déborah S. Cardoso 1, Kátia Adriana A. L. de Barros 1 1 Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES) dehscardoso@gmail.com,

Leia mais

Usabilidade na WEB CCUEC. Roberto Romani. UNICAMP- Universidade Estadual de Campinas

Usabilidade na WEB CCUEC. Roberto Romani. UNICAMP- Universidade Estadual de Campinas CCUEC Roberto Romani UNICAMP- Universidade Estadual de Campinas Usabilidadena WEB Tópicos Principais O que é usabilidade? Por que usabilidade na Web 7 regras básicas de usabilidade na Web Inspeção de usabilidade

Leia mais

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller 1 Introdução O objetivo deste trabalho é verificar a eficiência da Avaliação com o Usuário e da

Leia mais

TESTE DE USABILIDADE DO SISTEMA OPERACIONAL MICROSOFT WINDOWS 8 - CONSUMER PREVIEW

TESTE DE USABILIDADE DO SISTEMA OPERACIONAL MICROSOFT WINDOWS 8 - CONSUMER PREVIEW TESTE DE USABILIDADE DO SISTEMA OPERACIONAL MICROSOFT WINDOWS 8 - CONSUMER PREVIEW Data de entrega dos originais à redação em 09/09/2013 e recebido para diagramação em 01/09/2014. Daniela Rodrigues Azevedo

Leia mais

Avaliação de Interfaces

Avaliação de Interfaces Especialização em Tecnologias de Software para Ambiente Web Avaliação de Interfaces Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Projeto e Avaliação de Interfaces: Ambiente Web

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Design

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Design Disciplina: Departamento: Interface Visual e Tecnológica Planejamento e Configuração - DEPC Carga Horária: 45 h/a Créditos: 03 Professor Responsável: Maria Regina Álvares Correia Dias EMENTA: Estudo dos

Leia mais

Testes de Usabilidade

Testes de Usabilidade Testes de Usabilidade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Setembro de 2012 Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Reflexão Ao fazer referência à questão da qualidade da relação

Leia mais

de uso do sistema a mais agradável e produtiva possível.

de uso do sistema a mais agradável e produtiva possível. APLICAÇÃO DO MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA NO SISTEMA COLABORATIVO HEDS Hudson Silva Oliveira (Pós-graduado em Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação) Márcia Maria Savoine (Orientadora,

Leia mais

Design de interface para questionário online do Censo Demográfico 2010

Design de interface para questionário online do Censo Demográfico 2010 Design de interface para questionário online do Censo Demográfico 2010 Taissa Abdalla Filgueiras de Sousa Designer e especialista em análise de sistemas IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísica

Leia mais

Avaliação dos aspectos de usabilidade do Sistema Financeiro Web: usuários novatos versus usuários experientes

Avaliação dos aspectos de usabilidade do Sistema Financeiro Web: usuários novatos versus usuários experientes Avaliação dos aspectos de usabilidade do Sistema Financeiro Web: usuários novatos versus usuários experientes Alan Braga, alansbraga@gmail.com Danillo da Silva Rocha, danrocha@ifsp.edu.br Evandro Fioravante

Leia mais

Avaliação de IHC: objetivos

Avaliação de IHC: objetivos Avaliação de IHC: objetivos Decisões de design afetam usabilidade Conhecimento dos usuários e de suas necessidade Design: Design: diferentes diferentes soluções soluções possíveis possíveis Interação:

Leia mais

AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing

AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing AlianaPereiraSimões Pós-graduadaemErgonomia,UsabilidadeeInteraçãoHumano-Computador PUC-RIO aliana@aliana.com.br

Leia mais

Utilização de conceitos de interface homem-máquina para adaptação da disciplina de requisitos do RUP

Utilização de conceitos de interface homem-máquina para adaptação da disciplina de requisitos do RUP Utilização de conceitos de interface homem-máquina para adaptação da disciplina de requisitos do RUP Renato Cordeiro 2, Marcos Roberto de Oliveira, Thaís Pereira Chanquini FIAP 1 São Paulo Brasil < renato.cordeiro,

Leia mais

IHM Interface Humano-Máquina

IHM Interface Humano-Máquina A IHM Interface Humano-Máquina Prof. Dra. Sílvia Dotta Aula 1 - Introdução Roteirodaaula Apresentação da disciplina Motivação, Objetivos Metodologia de ensino Introdução e conceituação de IHM Histórico

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR (OU HOMEM-MÁQUINA) E O DESAFIO DA MOBILIDADE

INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR (OU HOMEM-MÁQUINA) E O DESAFIO DA MOBILIDADE INTERFACE HUMANO-COMPUTADOR (OU HOMEM-MÁQUINA) E O DESAFIO DA MOBILIDADE Daniel da Cruz Santos 1 Rogério Homem da Costa 2 Data de entrega dos originais à redação em 06/08/2013 e recebido para diagramação

Leia mais

TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA

TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA TESTE DE USABILIDADE DO SITE DE UMA LOJA DE DEPARTAMENTOS VOLTADA PARA O VAREJO DE MODA Thaissa SCHNEIDER 1, Monique VANDRESEN 1, Flávio dos SANTOS 1 1 Universidade do Estado de Santa Catarina. SUMÁRIO

Leia mais

A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software

A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software Daniela Gibertoni¹, Mariana Trevisoli Gervino¹, Júlio C. C. Colombo¹, Fabian Venturini Cabau¹,

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG. Ementa. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG. Ementa. Objetivo Geral. Objetivos Específicos DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG Ementa Novas tendências em tecnologias, linguagem gráfica e conteúdo. Estilos de interface. As possibilidades técnicas de interação das novas mídias, questões

Leia mais

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina - FACAPE Centro de Engenharia e Ciências Tecnológicas CECT Curso de Ciência da Computação Desenvolvimento

Leia mais

Análise da Interface do Usuário de Sistemas de Gestão Hospitalar por meio de Testes de Usabilidade

Análise da Interface do Usuário de Sistemas de Gestão Hospitalar por meio de Testes de Usabilidade Análise da Interface do Usuário de Sistemas de Gestão Hospitalar por meio de Testes de Usabilidade Analysis of User Interface in Hospital Management Systems through Usability Testing Adni C. Aristides

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES Trabalho de Graduação Orientando: Vinicius Stein Dani vsdani@inf.ufsm.br Orientadora: Giliane

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO Caio Cesar Caio Cesar? Ensino / Pesquisa / Consultoria Comunicação online Marketing Design de Interação www.caiocesar.cc Tema de hoje Design Centrado no Usuário O quê? Por quê?

Leia mais

REVISTA CIENTIFICA DO ITPAC

REVISTA CIENTIFICA DO ITPAC _ AVALIAÇÃO DE USABILIDADE EM SITE DE RELACIONAMENTO: ORKUT UM ESTUDO DE CASO Cássio Cipriano Nogueira (Acadêmico do curso de Sistema de Informação do ITPAC) Márcia Maria Savoine (Mestre, docente do curso

Leia mais

AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL

AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL Samuel dos Santos Salimen 1 Clériston Ribeiro Ramos 2 Resumo: Disponibilizar informações que possam ser acessado

Leia mais

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PRÓXIMA AULA: APRESENTAÇÃO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO E O FILME DO YOUTUBE? AULA 12 A. EMAIL MARKETING - Objectivos e problemas - Ideias - Vantagens

Leia mais

Interface Humano -Computador

Interface Humano -Computador A Interface Humano -Computador Aula 04 Modelos de Processos de Design de IHC Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br http://nte.ufsm.br O Processode Design de IHC Relembrando Questões chave no projeto centrado

Leia mais

DOI: 10.5748/9788599693100-11CONTECSI/PS-1010 USABILITY ANALYSIS OF MOODLE - A COURSE MANAGEMENT TOOL (CMS)

DOI: 10.5748/9788599693100-11CONTECSI/PS-1010 USABILITY ANALYSIS OF MOODLE - A COURSE MANAGEMENT TOOL (CMS) DOI: 10.5748/9788599693100-11CONTECSI/PS-1010 USABILITY ANALYSIS OF MOODLE - A COURSE MANAGEMENT TOOL (CMS) Daniel da Cruz Santos (Instituto Federal São Paulo - Campus Guarulhos, São Paulo, Brasil) - dan_dcz@yahoo.com.br

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

A importância da Usabilidade em Ambientes de Educação a Distância

A importância da Usabilidade em Ambientes de Educação a Distância A importância da Usabilidade em Ambientes de Educação a Distância VANDER CARVALHO Centro Paula Souza São Paulo Brasil vandercarvalho@hotmail.com MARCELO DUDUCHI Centro Paula Souza São Paulo Brasil mduduchi@terra.com.br

Leia mais

APLICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO SUS PARA AVALIAR A USABILIDADE E A SATISFAÇÃO DO SOFTWARE DE EAD

APLICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO SUS PARA AVALIAR A USABILIDADE E A SATISFAÇÃO DO SOFTWARE DE EAD APLICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO SUS PARA AVALIAR A USABILIDADE E A SATISFAÇÃO DO SOFTWARE DE EAD IMPLEMENTATION OF THE SUS QUESTIONNAIRE TO EVALUATE THE USABILITY AND SATISFACTION OF E-LEARNING SOFTWARE Aliana

Leia mais

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ AVALIAÇÃO DE USABILIDADE DE INTERFACES DE SMARTPHONES: UM

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ AVALIAÇÃO DE USABILIDADE DE INTERFACES DE SMARTPHONES: UM FOZDOIGUAÇU,2015 XXVIENANGRAD AVALIAÇÃO DE USABILIDADE DE INTERFACES DE SMARTPHONES: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS SISTEMAS OPERACIONAIS ANDROID e ios Marcos Antonio Alves GIT%GestãodeInformaçõeseTecnologia

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

Técnicas para Avaliação de Interfaces

Técnicas para Avaliação de Interfaces Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação Técnicas para Avaliação de Interfaces Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Formosa Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Prof. M.Sc. Victor Hugo Lázaro Lopes IHC Paradigmas de IHC AGENDA Engenharia Cognitiva

Leia mais

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas Análise de Tarefas Em IHC, a análise de tarefas pode ser utilizada em diferentes momentos do desenvolvimento de software, destacando-se três atividades: (a) análise da situação atual (apoiada ou não por

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Produto de Software Qualidade de Software Um produto de software compreende os programas e procedimentos de computador e a documentação e dados associados, que foram projetados para serem liberados para

Leia mais

Avaliação de usabilidade das funcionalidades assíncronas de privacidade do Facebook

Avaliação de usabilidade das funcionalidades assíncronas de privacidade do Facebook Avaliação de usabilidade das funcionalidades assíncronas de privacidade do Facebook Marcos H. Kimura, Márcio José Mantau, Avanilde Kemczinski, Isabela Gasparini Departamento de Ciência da Computação Universidade

Leia mais

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA O que é Design de Interação? Flavio Barbosa professor@flaviobarbosa.com.br Definindo design de interação. Por design de interação entende-se: Projetar produtos interativos

Leia mais

ALÉM DA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR O Design de Interação, seus processos e metas, em busca da satisfação do usuário final

ALÉM DA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR O Design de Interação, seus processos e metas, em busca da satisfação do usuário final O Design de Interação, seus processos e metas, em busca da satisfação do usuário final Tatiane Cristine Arnold 1 RESUMO Atualmente são inúmeros os produtos interativos inseridos no dia-a-dia das pessoas,

Leia mais

Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário

Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário Anaís Schüler Bertoni Mestranda em Design Centro Universitário Ritter dos Reis anais@d750.com.br Silvia

Leia mais

Interface Homem- Computador

Interface Homem- Computador Interface Homem- Computador (IHC) Profª. Leticia Lopes Leite Software Educacional I Interface Deve ser entendida como sendo a parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física,

Leia mais

Usabilidade e Ergonomia. Usabilidade de Software. Ergonomia. Usabilidade. Ergonomia (International Ergonomics Association em 2000)

Usabilidade e Ergonomia. Usabilidade de Software. Ergonomia. Usabilidade. Ergonomia (International Ergonomics Association em 2000) Usabilidade e Ergonomia Usabilidade de Software INF01043 Interação Homem-Computador 2006/2 Ergonomia (International Ergonomics Association em 2000) Ergonomics (or human factors) is the scientific discipline

Leia mais

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE

ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DE INTERFACES HOMEM-MÁQUINA (IHM) EM EQUIPAMENTOS CONTROLADOS ELETRONICAMENTE Gustavo Peloi da Silva 1, Valdecir Bertoncelo 2, Filipe Cogo 3 RESUMO:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LUCIANA RODRIGUES COSTA USABILIDADE APLICADA À WEB EM SITES DO GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LUCIANA RODRIGUES COSTA USABILIDADE APLICADA À WEB EM SITES DO GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA 1 UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA LUCIANA RODRIGUES COSTA USABILIDADE APLICADA À WEB EM SITES DO GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA Florianópolis, 2011 2 LUCIANA RODRIGUES COSTA USABILIDADE APLICADA

Leia mais

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PARA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Ronei Ximenes Martins (Trabalho apresentado no II Colóquio Regional EAD Edição Internacional Outubro/2010 Juiz de Fora/MG) Introdução Um

Leia mais

Prova 2. Olá! Meu nome é João. Sou professor da Universidade X. Eu queria de te dar os parabéns pelo seu trabalho. Gostei muito dele.

Prova 2. Olá! Meu nome é João. Sou professor da Universidade X. Eu queria de te dar os parabéns pelo seu trabalho. Gostei muito dele. INF1303 Introdução a Interação Humano-Computador Turma: 3VB, das 19 até 21 horas Professor: Bruno Santana da Silva Data: 09/05/2006 Aluno: Matrícula: Prova 2 Cenário da Prova: Site da SBC Suponha que você

Leia mais

Hugo Leonardo D. Souza 1, Wilma Edysley Rosado 1 1 Instituto Federal da Bahia/Informática, Camaçari, Brasil

Hugo Leonardo D. Souza 1, Wilma Edysley Rosado 1 1 Instituto Federal da Bahia/Informática, Camaçari, Brasil INVESTIGAÇÃO E PROPOSTA DE MELHORIA DAS INTERFACES DOS AMBIENTES DE PROGRAMAÇÃO UTILIZADOS NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM DO INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA Hugo Leonardo D. Souza 1, Wilma Edysley Rosado

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

Apresentando o GNOME. Arlindo Pereira arlindo.pereira@uniriotec.br

Apresentando o GNOME. Arlindo Pereira arlindo.pereira@uniriotec.br Apresentando o GNOME Arlindo Pereira arlindo.pereira@uniriotec.br O que é o GNOME? GNOME é um ambiente desktop - a interface gráfica de usuário que roda sobre um sistema operacional - composta inteiramente

Leia mais

Avaliação por Peritos (Avaliação Heurística)

Avaliação por Peritos (Avaliação Heurística) Avaliação por Peritos (Avaliação Heurística) Capítulo 8 HCI, Cap. 9, AlanDix www.useit.com (webpage de Jakob Nielsen) Transparências da disciplina de Interfaces Homem-Máquina IST, Mário Rui Gomes e Joaquim

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

Análise dos procedimentos adotados na integração do desenvolvimento de software com a Interação Humano-Computador em empresas

Análise dos procedimentos adotados na integração do desenvolvimento de software com a Interação Humano-Computador em empresas Análise dos procedimentos adotados na integração do desenvolvimento de software com a Interação Humano-Computador em empresas Cristiano Cortez da Rocha, Eduardo Spolaor Mazzanti, Matheus Anversa Viera

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE

CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE CARACTERIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE NOS PROJETOS DE INCLUSÃO DIGITAL E AS AVALIAÇÕES DE USABILIDADE Luciara Wanglon Afonso 1 Daniele Pinto Andres 2 RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar algumas questões

Leia mais

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Gláucio Brandão de MATOS 1 ; Alisson RIBEIRO 2 ; Gabriel da SILVA 2 1 Ex-aluno do Curso Superior

Leia mais

ORÇAMENTO DE OBRAS Ângelo Augusto Gomes Carneiro 1 Rogério Santos Teixeira 2 Prof. Ricardo Antonio Pereira da Silva 3

ORÇAMENTO DE OBRAS Ângelo Augusto Gomes Carneiro 1 Rogério Santos Teixeira 2 Prof. Ricardo Antonio Pereira da Silva 3 ORÇAMENTO DE OBRAS Ângelo Augusto Gomes Carneiro 1 Rogério Santos Teixeira 2 Prof. Ricardo Antonio Pereira da Silva 3 RESUMO Este trabalho de pesquisa busca identificar os principais problemas encontrados

Leia mais

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC)

INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) INF1403 - Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo 09/04/2012 Departamento de Informática, PUC-Rio Testes com usuários Como avaliar? inspeção (por especialistas)

Leia mais

Técnicas Baseadas em Etnografia e Prototipagem no Design de interface de Aplicativo Mobile para Gerenciamento Acadêmico

Técnicas Baseadas em Etnografia e Prototipagem no Design de interface de Aplicativo Mobile para Gerenciamento Acadêmico Técnicas Baseadas em Etnografia e Prototipagem no Design de interface de Aplicativo Mobile para Gerenciamento Acadêmico Techniques Based on Ethnography and Prototyping in Interface Design on Mobile Application

Leia mais

Análise da usabilidade conforme as recomendações da norma ISO 9241 - Um estudo de caso

Análise da usabilidade conforme as recomendações da norma ISO 9241 - Um estudo de caso Análise da usabilidade conforme as recomendações da norma ISO 9241 - Um estudo de caso Usability analysis according to the standard of recommendations ISO 9241 - A case study Giorgio Gilwan da Silva Univali,

Leia mais

Usabilidade e Adaptabilidade Web: Uma proposta de Inovação de um Sistema de Apoio à Gestão Escolar

Usabilidade e Adaptabilidade Web: Uma proposta de Inovação de um Sistema de Apoio à Gestão Escolar Usabilidade e Adaptabilidade Web: Uma proposta de Inovação de um Sistema de Apoio à Gestão Escolar Sandro Marques de Carvalho 1, Eudis Oliveira Teixeira 2 1 Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de

Leia mais

ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL

ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL ACESSIBILIDADE E USABILIDADE: UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS MÓVEIS COM ÊNFASE EM NECESSIDADE ESPECIAL VISUAL Erick Lino Pedro 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE DE GESTÃO DE BIBLIOTECAS: foco na usabilidade da interface de pesquisa

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE DE GESTÃO DE BIBLIOTECAS: foco na usabilidade da interface de pesquisa TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Os catálogos WEB: políticas e impactos AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE DE GESTÃO DE BIBLIOTECAS: foco na usabilidade

Leia mais

Metodologias para. Avaliação de Interfaces. Humano Computador

Metodologias para. Avaliação de Interfaces. Humano Computador Metodologias para Avaliação de Interfaces Humano Computador Sérgio Furgeri Técnicas de Avaliação Técnicas de Avaliação Ergonômica Técnicas Empíricas Técnicas Diagnósticas Inspeção via Checklists Avaliação

Leia mais

Interface Usuário Máquina. Aula 06

Interface Usuário Máquina. Aula 06 Interface Usuário Máquina Aula 06 Conteúdo Qualidade do Design Acessibilidade Comunicabilidade Usabilidade Experiência do Usuário Usabilidade em Sistemas Computacionais Usabilidade O que você entende por

Leia mais

!!! Avaliação da Experiência de Uso Mobile. CEF, BB, Itaú e Bradesco

!!! Avaliação da Experiência de Uso Mobile. CEF, BB, Itaú e Bradesco Avaliação da Experiência de Uso Mobile CEF, BB, Itaú e Bradesco 1. Sumário Executivo 2. Resultados 3. Metodologia 4. Reações aos testes 1. Sumário Executivo No Brasil, há uma grande oportunidade para melhorar

Leia mais

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online.

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online. 1 Introdução Na época atual, as certezas definitivas já deram sinais de cansaço e à medida que avança a tecnologia, a sociedade se reformula. O conhecimento estabelecido durante séculos antes confinados

Leia mais

UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE

UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE UM ESTUDO DE CASO PARA AVALIAÇÃO DE COMUNICABILIDADE EM FÓRUNS ONLINE Juliano Ratusznei (BIC/UNICENTRO), Rodrigo Mattos Mengue (ICV/UNICENTRO), Lucélia de Souza (Orientadora Dep. de Ciência da Computação/UNICENTRO),

Leia mais

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)?

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Profa. Tatiana Aires Tavares tatiana@lavid.ufpb.br Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Criar desejos... Resolver problemas do nosso dia-a-dia Facilitar a vida da gente Tornar possível...

Leia mais

Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade *

Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade * Avaliação de Interfaces de Ferramentas Computacionais para o Ensino de Estruturas de Dados e Algoritmos em Grafos: Heurísticas de Usabilidade * Rodrigo Pereira dos Santos 1, Heitor Augustus Xavier Costa

Leia mais

Análise da interatividade de sites de e-commerce do ramo da moda em smartphone

Análise da interatividade de sites de e-commerce do ramo da moda em smartphone Análise da interatividade de sites de e-commerce do ramo da moda em smartphone Camila Barth Paiva Mestranda em Design - Uniritter milabarth@gmail.com Vinícius Gadis Ribeiro Doutor em Ciência da Computação

Leia mais

Avaliação de Interfaces Humano- Computador

Avaliação de Interfaces Humano- Computador Avaliação de Interfaces Humano- Computador Classificação de métodos de avaliação Inspeção de usabilidade Não envolve usuários Usado em qualquer fase do desenvolvimento do sistema Testes de usabilidade

Leia mais

Computer on the Beach 2014:: Usabilidade na Web :: Isabela Gasparini USABILIDADE NA WEB DO DESKTOP AOS DISPOSITIVOS MÓVEIS

Computer on the Beach 2014:: Usabilidade na Web :: Isabela Gasparini USABILIDADE NA WEB DO DESKTOP AOS DISPOSITIVOS MÓVEIS USABILIDADE NA WEB DO DESKTOP AOS DISPOSITIVOS MÓVEIS Isabela Gasparini isabela.gasparini @ udesc.br 2014 Roteiro IHC Conceito e áreas de atuação Qualidade de Uso Critérios para Qualidade de Uso Usabilidade

Leia mais

Processos de Design de IHC (Parte II)

Processos de Design de IHC (Parte II) Interface Homem/Máquina Aula 8 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-00.184 Roteiro da Aula de Hoje

Leia mais

Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final

Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Simone Diniz Junqueira Barbosa Versão: 1.0.4 Orientações para o Planejamento e Realização do Projeto Final Sumário 1 Introdução... 3 2 Projeto

Leia mais

Software Matemático para aplicação da Teoria dos Conjuntos

Software Matemático para aplicação da Teoria dos Conjuntos Software Matemático para aplicação da Teoria dos Conjuntos Ana Paula Cavalheiro Oliveira (man05103@feg.unesp.br) Diego Teixeira de Souza (man05109@feg.unesp.br) Rodrigo Alexandre Ribeiro (man04023@feg.unesp.br)

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

Introdução à Avaliação de Interfaces

Introdução à Avaliação de Interfaces Universidade Federal do Vale do São Francisco -UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação Introdução à Avaliação de Interfaces Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

A pesquisa com usuários como guia para o desenvolvimento de um aplicativo Web

A pesquisa com usuários como guia para o desenvolvimento de um aplicativo Web A pesquisa com usuários como guia para o desenvolvimento de um aplicativo Web User research as a guide to the development of a Web application Cardoso, Gabriel; Mestrando em Design; Universidade Federal

Leia mais

Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira

Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira Informação Usabilidade não é apenas o usuário conseguir usar o produto! Cinco atributos da usabilidade (NIELSEN, 1993): 1. Facilidade de aprendizagem 2.

Leia mais

MELHORIA DA QUALIDADE DE USO EM PORTAIS WEB DE ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO CONTÍNUA DE USABILIDADE

MELHORIA DA QUALIDADE DE USO EM PORTAIS WEB DE ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO CONTÍNUA DE USABILIDADE MELHORIA DA QUALIDADE DE USO EM PORTAIS WEB DE ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO CONTÍNUA DE USABILIDADE Thiago Nogueira Barbosa Universidade Federal do Ceará - Campus de Quixadá (UFC)

Leia mais

RICARDO DA SILVA LONGA AVALIAÇÃO DE USABILIDADE: O ESTUDO DE CASO NEXXERA

RICARDO DA SILVA LONGA AVALIAÇÃO DE USABILIDADE: O ESTUDO DE CASO NEXXERA RICARDO DA SILVA LONGA AVALIAÇÃO DE USABILIDADE: O ESTUDO DE CASO NEXXERA Florianópolis 2011 RICARDO DA SILVA LONGA AVALIAÇÃO DE USABILIDADE: O ESTUDO DE CASO NEXXERA Trabalho de conclusão de curso apresentado

Leia mais

Interfaces para Softwares Educativos

Interfaces para Softwares Educativos Interfaces para Softwares Educativos Eliseo Reategui eliseoreategui@gmail.com Departamento de Informática Universidade de Caxias do Sul Interfaces para Softwares Educativos Interfaces para Softwares Educativos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 05/2005 137-TC-C5 Sergio Ferreira do Amaral Faculdade de Educação da UNICAMP

Leia mais

Análise de Usabilidade de Sistemas de Geometria Interativa para Tablets

Análise de Usabilidade de Sistemas de Geometria Interativa para Tablets Análise de Usabilidade de Sistemas de Geometria Interativa para Tablets Helena Macedo Reis (helenamcd@icmc.usp.br) Simone de Sousa Borges (sborges@icmc.usp.br) Seiji Isotani (sisotani@icmc.usp.br) Instituto

Leia mais

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa Principais Estilo de Interação Fabricio de Sousa Principais Estilos de Interação Termo genérico que inclui todas as formas usadas pelos usuários para comunicarem ou interagirem com sistemas computacionais

Leia mais

Ferramenta de Testes de Programas para Auxílio na Aprendizagem de Programação

Ferramenta de Testes de Programas para Auxílio na Aprendizagem de Programação Ferramenta de Testes de Programas para Auxílio na Aprendizagem de Programação Denise Santiago (FURB) denise@senior.com.br Maurício Capobianco Lopes (FURB) mclopes@furb.br Resumo. Este artigo apresenta

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

think with técnicas infalíveis para ter o melhor 25site mobile

think with técnicas infalíveis para ter o melhor 25site mobile think with técnicas infalíveis para ter o melhor 25site mobile A internet no celular é uma realidade gigantesca no Brasil. Basta dizer que 72% dos usuários de smartphones acessam a web todos os dias em

Leia mais

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP Interação Humano-Computador Avaliação em IHC: Percurso Cognitivo www.inf.puc-rio.br/~inf1403 4 paradigmas para a avaliação de IHC 1. O rápido e rasteiro (que prima pela informalidade) 2. Os testes de usabilidade

Leia mais

NECESSIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE ADEQUADA PARA RESULTADOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM BEM SUCEDIDOS. TCC3047

NECESSIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE ADEQUADA PARA RESULTADOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM BEM SUCEDIDOS. TCC3047 1 NECESSIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE ADEQUADA PARA RESULTADOS DE ENSINO-APRENDIZAGEM BEM SUCEDIDOS. TCC3047 FEVEREIRO /2006 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares

Leia mais

Manual de instalação e configuração

Manual de instalação e configuração SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS SÃO BORJA Manual de instalação e configuração Autores Claiton Marques

Leia mais

Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção

Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção Práticas de IHC versus Processos de Engenharia de Software: Uma Análise para Adoção Joyce Cristina Souza Bastos 1, Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira 1 1 Faculdade de Computação - Instituto de Ciências Exatas

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO. José Alexandre Ducatti

DESIGN DE INTERAÇÃO. José Alexandre Ducatti DESIGN DE INTERAÇÃO José Alexandre Ducatti DESIGN DE I NTERAÇÃO PERCEPÇÃO DESIGN BOM E MAU DESIGN METAS DE DESIGN DE INTERAÇÃO METAS DE USABILIDADE METAS DECORRENTES DA EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO PRINCÍPIOS

Leia mais