O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara."

Transcrição

1

2 O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara. A segunda metade do século XIX presencia profundas modificações no modo de pensar e agir das pessoas. No plano das idéias, surgem inúmeras correntes científicas, que procuram explicar fenômenos sociais, naturais e psicológicos à luz de teorias materialistas. No plano da ação, vive-se a segunda etapa da Revolução Industrial, cujas contradições sociais começam a aparecer.

3 A arte e a literatura refletem essas mudanças. Em lugar do egocentrismo romântico, verifica-se um enorme interesse em descrever, analisar e até em criticar a realidade. A visão subjetiva e parcial da realidade é substituída pela visão que procura ser objetiva, fiel, sem distorções. Em lugar de fugir à realidade, os realistas procuram apontar suas falhas como forma de estimular a mudança das instituições e dos comportamentos humanos. Em lugar de heróis, surgem pessoas comuns, cheias de problemas e limitações como qualquer um de nós.

4 Na Europa, esses movimentos tiveram início, respectivamente, com a publicação do romance realista Madame Bovary (1857), de Gustave Flaubert e do romance naturalista Thérèse Raquin (1867), de Émile Zola. No Brasil, esses movimentos tiveram início, respectivamente, com a publicação do romance realista Memórias póstumas de Brás Cubas (1881), de Machado de Assis e do romance naturalista O Mulato (1881), de Aluísio Azevedo

5 O estilo realista fixa-se na realidade do homem em sociedade, cercado de problemas cotidianos e rotineiros. O foco de atenção éa estrutura social, descrita em todas as suas peculiaridades, identificando interesses, valores e mudanças. A preocupação em conhecer a sociedade, revelar seu funcionamento e os conflitos que ela gera torna a produção artística e literária analítica, desconfiada e desmistificadora.

6 Características da linguagem da prosa realista Objetivismo Precisão do tempo e espaço Narrativa lenta Tipos concretos não idealizados Introspecção psicológica Desmistificação do amor romântico Universalismo Contemporaneidade Valoriza a família (triângulo amoroso) de observação Casamento como arranjo conveniente O protagonista é anti-herói Os valores entram em crise perante o mundo degradado Crítica aos valores e às instituições decadentes da sociedade burguesa

7 Objetivismo Realismo Descrição e adjetivação objetivas, tentando captar o real como ele é Mulher não idealizada Amor e outros sentimentos subordinados aos interesses sociais. Herói problemático, cheio de fraquezas, manias e incertezas Narrativa lenta, acompanhando o tempo psicológico Personagens psicologicamente Universalismo trabalhadas Romantismo Subjetivismo Descrições e adjetivação idealizantes Mulher idealizada Amor sublime e puro, acima de qualquer interesse Herói íntegro Narrativa de ação e aventura Personagens planas Individualismo, culto do eu

8 O estilo naturalista, baseado em teorias científicas da época (Positivismo, Determinismo, Darwinismo), irá aprofundar alguns aspectos do Realismo, focalizando o homem como produto de leis físicas e sociais. O romance naturalista é marcado pela análise social a partir de grupos marginalizados em que o homem se torna produto do meio. Denunciou a hipocrisia e a degradação dos seres humanos, a decadência das instituições e as lutas sociais. O homem nessa perspectiva é caracterizado como animal cujo destino é determinado pela hereditariedade e pelo meio em que vive. Impossibilitado de direcionar sua vida, fica a mercê das influências sociais que o cercam.

9 Característica da linguagem da prosa naturalista Determinismo do meio e do momento Determinismo do instinto Determinismo da hereditariedade Determinismo patológico Crítica social Exatidão nas descrições Apelo àminúcia Linguagem simples e coloquial Descrição e narrativa lentas Impessoalidade Zoomorfismo

10 Realismo Naturalismo Origem na França (1857) Origem na França (1867) Romance documental Acumula documentos, fotografa a realidade Arte desinteressada, impassibilidade Seleciona temas Reproduz a realidade exterior, bem como a interior, análise psicológica Volta-se para a psicologia do indivíduo Romance experimental Imagina experiência que remetem a conclusões Arte engajada, de denúncia Detém-se nos aspectos mais degradantes Centra-se nos aspectos exteriores: atos, gestos, ambientes Prefere a biologia, a patologia, centra-se no social

11 Retrata as classes dominantes, a alta burguesia urbana. Éindireto na interpretação: o leitor tira as suas conclusões. Grande preocupação com o estilo. Espelha as camadas inferiores, o proletariado, os marginais. É direto na interpretação: expõe conclusões, cabendo ao leitor aceitá-las ou discuti-las. O estilo é relegado a segundo plano: no primeiro, a denúncia.

12 Representantes e Obras + Machado de Assis Memórias póstumas de Brás Cubas Quincas Borba Dom Casmurro Esaú e Jacó Memorial de Aires

13 +Aluísio Azevedo O Mulato Casa de Pensão O Cortiço +Raul Pompéia O Ateneu Canções sem Metro

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 15 - Realismo

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 15 - Realismo Bárbara da Silva Literatura Aula 15 - Realismo O Realismo é marcado por uma transição política, social e econômica no Brasil, que ainda era colônia, passando de Segundo Reinado. Neste momento o tráfico

Leia mais

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: CARLOS AUGUSTO NASCIMENTO SARMENTO-PANTOJA

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: CARLOS AUGUSTO NASCIMENTO SARMENTO-PANTOJA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE ABAETETUBA - CAAB FACULDADE DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM - FACL CURSO LETRAS LICENCIATURA EM LETRAS PLANO DE CURSO ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA

Leia mais

REALISMO NATURALISMO

REALISMO NATURALISMO REALISMO NATURALISMO O Realismo é uma reação contra o Romantismo: o Romantismo era a apoteose do sentimento; o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos próprios

Leia mais

01 - A escola realista, que contou com nomes como Machado de Assis, Raul Pompéia e Aluísio Azevedo, teve como principais características:

01 - A escola realista, que contou com nomes como Machado de Assis, Raul Pompéia e Aluísio Azevedo, teve como principais características: SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2ª TURMA(S): DISCIPLINA:

Leia mais

Escolas Literárias. Realismo/Naturalismo. Parnasianismo. Modernismo. Autores Contemporaneos

Escolas Literárias. Realismo/Naturalismo. Parnasianismo. Modernismo. Autores Contemporaneos LITERATURA 1 Escolas Literárias Quinhentismo Arcadismo Realismo/Naturalismo Simbolismo Modernismo Barroco Romantismo Parnasianismo Pré-Modernismo Autores Contemporaneos 2 Entrada do Passeio Público no

Leia mais

Prof. Paulo Alexandre

Prof. Paulo Alexandre Prof. Paulo Alexandre As indicações mostradas nesta apresentação funcionam como guia de estudos do Realismo e do Naturalismo. Todas as informações devem ser complementadas pelo aluno, com a utilização

Leia mais

Realismo e Naturalismo

Realismo e Naturalismo Realismo e Naturalismo O Realismo é uma reação contra o Romantismo: o Romantismo era a apoteose do sentimento; o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos

Leia mais

Prof. Abimael Luiz de Souza (org.)

Prof. Abimael Luiz de Souza (org.) DICAS ENEM Prof. Abimael Luiz de Souza (org.) abimael@cnsd.com.br Carlos Drummond de Andrade Obras do autor que mais caíram no Enem: "Poema de Sete Faces" e "A Dança e a Alma". Carlos Drummond de Andrade

Leia mais

Realismo A realidade como você vê

Realismo A realidade como você vê Realismo A realidade como você vê Até nos tempos contemporâneos, o Realismo ainda tem muito a a revelar. Art & History Produção favor utilizar espelho real na publicação. Confira o movimento realista,

Leia mais

latim persona máscara

latim persona máscara A PERSONAGEM latim persona máscara É um simulacro; personagem X pessoa; Verdade X verossimilhança; ela precisa ser verossímil. PERSONAGEM SÓ APARECE NO TEXTO LITERÁRIO???? Figura humana representada em

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES 1 NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: Um dos mais importantes escritores portugueses, Eça de Queirós foi um arguto analista da sociedade e das relações humanas. Crítico implacável, satirista

Leia mais

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E LITERATURAS CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS DISCIPLINA: Literatura Brasileira II Professor: Edson Soares Martins

Leia mais

O cortiço. Aluísio Azevedo

O cortiço. Aluísio Azevedo O cortiço Aluísio Azevedo Nasceu em São Luís (MA),em 1857 e faleceu em Buenos Aires, em 1913. Estudou irregularmente, foi escritor, pintor desenhista (caricatura) e diplomata. 1 Principais obras literárias

Leia mais

CARACTERÍSITICAS DO REALISMO

CARACTERÍSITICAS DO REALISMO REALISMO Entre 1850 e 1900 surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada Realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades.

Leia mais

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS E LITERATURAS CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS DISCIPLINA: Literatura Brasileira II Professor: Edson Soares Martins

Leia mais

Profº Fernando Pucharelli Literatura 2º ano do EM tarde

Profº Fernando Pucharelli Literatura 2º ano do EM tarde Profº Fernando Pucharelli Literatura 2º ano do EM tarde Romantismo no Brasil Começa o Romantismo no Brasil em 1836, com publicação de Suspiros Poéticos e Saudades, de Gonçalves de Magalhães. Aparece também,

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III AULA 23.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III Realismo: a sociedade no centro da obra literária O avanço do conhecimento científico sobre a natureza e as relações sociais a partir da segunda metade do século

Leia mais

Realismo e Naturalismo

Realismo e Naturalismo Realismo e Naturalismo Realismo - séc. XIX Destacam se as obras Madame Bovary (França) e O primo Basílio ( Portugal) Inicia no Brasil em 1881, com o romance em 1ª pessoa, de Machado de Assis, MEMÓRIAS

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Componente Curricular: Língua

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

REALISMO NATURALISMO

REALISMO NATURALISMO REALISMO NATURALISMO Pra começo de conversa... A poesia do final da década de 1860 já anunciava o fim do Romantismo; Castro Alves, Sousândrade e Tobias Barreto faziam uma poesia romântica na forma e na

Leia mais

Português 2º ano João J. Folhetim

Português 2º ano João J. Folhetim Português 2º ano João J. Folhetim Romantismo: Cultura e Estética Burguesa Individualismo Liberalismo Culto ao Novo Cristianismo Materialismo Subjetivismo Liberdade de Expressão Imaginação Criadora Espírito

Leia mais

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM - 2016 PORTUGUÊS FÍSICA Interpretação textual/ Análise de produção textual Diferença entre análise morfológica, sintática e semântica Verbos definição, exemplos,

Leia mais

LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO

LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ENSINO MÉDIO SÉRIE: 2ª TURMAS: ABCD ETAPA: 2ª ANO: 2017 PROFESSOR(A): LISBELA A. CARDOSO OLIVEIRA ALUNO(A): Nº: I INTRODUÇÃO Este roteiro tem como objetivo orientá-lo

Leia mais

Programação Anual VOLUME VOLUME VOLUME VOLUME

Programação Anual VOLUME VOLUME VOLUME VOLUME Programação Anual 1 ạ Série 1 ọ 3 ọ 1. O que é literatura? Textos literários e não-literários O mundo real e o mundo da literartura Funções da literatura Leitor e textos literários 2. Linguagem literária

Leia mais

A CIDADE E AS SERRAS (1901) Professor Kássio

A CIDADE E AS SERRAS (1901) Professor Kássio A CIDADE E AS SERRAS (1901) Professor Kássio Obra publicada um ano após a morte do escritor Eça de Queirós, é uma das últimas grandes publicações realistas em Portugal. O seu mote está em um conto publicado

Leia mais

Matéria: Literatura Assunto: naturalismo Prof. Ibirá costa

Matéria: Literatura Assunto: naturalismo Prof. Ibirá costa Matéria: Literatura Assunto: naturalismo Prof. Ibirá costa Literatura Naturalismo (Séc. XIX) O Naturalismo, e este sim, identificado com as matrizes européias do movimento, estrutura-se com O Mulato, de

Leia mais

Estudo dos gêneros literários

Estudo dos gêneros literários Estudo dos gêneros literários Os gêneros literários são um conjunto de obras que apresentam características semelhantes tanto em termos de forma como conteúdo. Existem três categorias básicas de gênero:

Leia mais

Professora: Aíla Rodrigues Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

Professora: Aíla Rodrigues Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. Professora: Aíla Rodrigues Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. O Movimento Romântico Movimento estético iniciado na Europa, no final do século XVIII, que durou até meados do século

Leia mais

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA GÊNEROS LITERÁRIOS A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA Na Antiguidade Clássica os textos literários dividiam em em três gêneros: GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente 2016

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 267 aprovado pela portaria Cetec nº 182 de 26/09/2016 Etec: Professora Maria Cristina Medeiros Código:

Leia mais

Aula A LITERATURA BRASILEIRA REALISTA-NATURALISTA: AUTORES E OBRAS META OBJETIVOS

Aula A LITERATURA BRASILEIRA REALISTA-NATURALISTA: AUTORES E OBRAS META OBJETIVOS A LITERATURA BRASILEIRA REALISTA-NATURALISTA: AUTORES E OBRAS META Fazer um breve panorama da literatura brasileira realista-naturalista produzida na segunda metade do OBJETIVOS estudo do texto; Releitura

Leia mais

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA 6º Ano A e B 24/10 Português 27/10 Ciências 25/10 Geografia / Inglês 28/10 Matemática 26/10 História - 21/11 Geografia / Inglês 24/11 Des. Geométrico 22/11 Ciências / Espanhol 25/11 Matemática 23/11 Português

Leia mais

COLTEC UFMG PLANO DE CURSO Disciplina: Língua Portuguesa Prof. Edson Santos de Oliveira Turma 204

COLTEC UFMG PLANO DE CURSO Disciplina: Língua Portuguesa Prof. Edson Santos de Oliveira Turma 204 COLTEC UFMG PLANO DE CURSO - 2015 Disciplina: Língua Portuguesa Prof. Edson Santos de Oliveira Turma 204 Disciplina: Carga horária total: Língua Portuguesa e Lit. Brasileira 160 aulas Ano: 2015 2015 Curso:

Leia mais

JAQUELINE PELLEGRINI. ( Voluntárias de pesquisa)

JAQUELINE PELLEGRINI. ( Voluntárias de pesquisa) JAQUELINE PELLEGRINI JULIANA PETKOFF ( Voluntárias de pesquisa) Alunas de Bacharelado em Letras Orientadora: Maria José B. Finatto Co-orientador: Antônio Marcos Sanseverino OBJETIVOS Verificar, na obra

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Considerando oenem 2016, a prova apresentou cerca de 37% dos itens (17 dos 45 propostos na 1ª e na 2ª aplicação) relativos

Leia mais

O REALISMO E O NATURALISMO NO BRASIL

O REALISMO E O NATURALISMO NO BRASIL GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 2 ano ALUNO(a): Data da prova: 21/10/2016. No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes

Leia mais

Slides por Carlos Daniel S. Vieira

Slides por Carlos Daniel S. Vieira Slides por Carlos Daniel S. Vieira Portugal (início do século XX) invasão das tropas de Napoleão vinda da Família Real para o Brasil Reino Unido a Portugal e Algarve A burguesia de Portugal entra em crise

Leia mais

RESOLUÇÃO. O nome do projeto DANÇANDO PARA NÃO DANÇAR é criativo, descontraído e atraente, abrange tanto o sentido da língua culta como o da gíria.

RESOLUÇÃO. O nome do projeto DANÇANDO PARA NÃO DANÇAR é criativo, descontraído e atraente, abrange tanto o sentido da língua culta como o da gíria. RESOLUÇÃO PORTUGUÊS QUESTÃO 01 Manuel Bandeira, poeta do modernismo brasileiro, canta a liberdade. Pasárgada seria o lugar criado e escolhido para exercê-la. Não se refere ao exílio ou à pátria, à infância,

Leia mais

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do ROMANTISMO O ROMANTISMO O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do século XVIII. Perdura até meados do século XIX. Opunhase ao classicismo, ao racionalismo e Iluminismo.

Leia mais

UNIDADES TEMÁTICAS PARA A PROVA 1º BIMESTRE - 23/02/2012 DISCIPLINA: PRODUÇÃO DE TEXTO (REDAÇÃO) 1ª SÉRIE DISCIPLINA: MATEMÁTICA 1ª SÉRIE

UNIDADES TEMÁTICAS PARA A PROVA 1º BIMESTRE - 23/02/2012 DISCIPLINA: PRODUÇÃO DE TEXTO (REDAÇÃO) 1ª SÉRIE DISCIPLINA: MATEMÁTICA 1ª SÉRIE Prova P1 24/02 Progressão Textual 2ª Chamada P1 17/03 Progressão Textual Prova P2 14/03 Elaboração de Narrativa 2ª Chamada P2 31/03 Elaboração de Narrativa Prova P3 04/04 Transposição de Linguagem 2ª Chamada

Leia mais

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL AULA 13 LITERATURA PROFª Edna Prado REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL Na aula de hoje falaremos sobre o Realismo português. Mas para começarmos é importante que você saiba o que é realismo. Veja: REAL+ISMO

Leia mais

MISCELÂNEA. Miscelânea, Assis, vol.4, jun./nov.2008

MISCELÂNEA.  Miscelânea, Assis, vol.4, jun./nov.2008 MISCELÂNEA Revista de Pós-Graduação em Letras UNESP Campus de Assis ISSN: 1984-2899 www.assis.unesp.br/miscelanea Miscelânea, Assis, vol.4, jun./nov.2008 DOM CASMURRO E A MULHER FATAL Camila Soares López

Leia mais

Literatura. Título: O cortiço. Título: Dois amigos e um chato. Autor: Azevedo, Aluísio. Autor: Preta, Stanislaw Ponte. Classificação: 869.

Literatura. Título: O cortiço. Título: Dois amigos e um chato. Autor: Azevedo, Aluísio. Autor: Preta, Stanislaw Ponte. Classificação: 869. Literatura Título: O cortiço Autor: Azevedo, Aluísio Classificação: 869.93 A994c Título: Dois amigos e um chato Autor: Preta, Stanislaw Ponte Edição: 2 ed. Classificação: 869.93 P942d Título: Dom Casmurro

Leia mais

Portuguesa. divulgação. Língua. Comparativos curriculares. Material de

Portuguesa. divulgação. Língua. Comparativos curriculares. Material de Comparativos curriculares SM Língua Portuguesa Material de divulgação de Edições SM A Língua Portuguesa e o currículo do Estado de Minas Gerais Apresentação Professor, Devido à inexistência de um currículo

Leia mais

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo Projeto Literatura Viva Tema: Nacionalismo 2017 Justificativa Expressar-se oralmente é algo que requer confiança em si mesmo. Isso se conquista em ambientes favoráveis à manifestação do que se pensa, do

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo PORTUGUÊS LITERATURA 1) Realismo 1.1) Introdução: É a denominação genérica da reação aos ideais românticos existentes na segunda metade do século XIX. As profundas transformações ocorridas na sociedade

Leia mais

OLÉGIO E CURSO MASTER

OLÉGIO E CURSO MASTER CORUJA CORPORATIONS PRESENTS OLÉGIO E CURSO MASTER ROMANTISMO EM PORTUGAL PROFESSOR RENATO TERTULIANO INÍCIO - 1825 - Publicação do poema narrativo Camões, de autoria de Almeida Garrett, que tem como conteúdo

Leia mais

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 14 - Romantismo

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 14 - Romantismo Bárbara da Silva Literatura Aula 14 - Romantismo O Romantismo brasileiro estava repleto de nacionalismo. A independência do Brasil, conquistada em 1822, reforçou a necessidade de afirmação a identidade

Leia mais

Data Horário Disciplina

Data Horário Disciplina São Paulo, 04 de dezembro de 2015. Avaliação Final - 2ª série - E. Médio Prezados Pais e Alunos, Após o fechamento das médias trimestrais, identificaremos quais alunos deverão realizar a Avaliação Final.

Leia mais

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa GÊNEROS LITERÁRIOS ÉPICO (OU NARRATIVO) Longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Atmosfera maravilhosa de acontecimentos heroicos passados que reúnem mitos,

Leia mais

Realismo REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE

Realismo REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE REALISMO E IMPRESSIONISMO TRADIÇÃO E RUPTURA O PROCESSO DA MODERNIDADE A invenção da fotografia em 1823 influencia as artes de diversas maneiras; Surgem duas correntes, os Realistas e os Impressionistas;

Leia mais

mas, com o intuito de rir, aqui não vamos mentir.

mas, com o intuito de rir, aqui não vamos mentir. O caráter universal das personagens em Dostoiévski Andreia A Pantano Mestre em Filosofia - UNESP Professora da Universidade Paulista Resumo Este trabalho tem por objetivo analisar como o escritor russo

Leia mais

ÍNDICE. Educação Infantil. Do 1. o ao 5. o ano do Ensino Fundamental. Do 6. o ao 9. o ano do Ensino Fundamental. Ensino Médio

ÍNDICE. Educação Infantil. Do 1. o ao 5. o ano do Ensino Fundamental. Do 6. o ao 9. o ano do Ensino Fundamental. Ensino Médio ÍNDICE Educação Infantil Coleção do material didático do aluno... 1 Coleção do material didático do professor... 2 Material de apoio às escolas... 2 Do 1. o ao 5. o ano do Ensino Fundamental Coleção do

Leia mais

Linguagens Literatura Realismo - Naturalismo

Linguagens Literatura Realismo - Naturalismo 1. Qual era o objetivo principal das obras do Naturalismo? Retomar padrões greco-romanos através de textos que primavam pelo equilíbrio, clareza e proporção. Supervalorizar a igreja, com seus altares luxuosos

Leia mais

CONTEÚDO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL 2 SÉRIE

CONTEÚDO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL 2 SÉRIE INGLÊS DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL Text Interpretation Reported Speech Conditional Sentences Infinitive with to or -ing PORTUGUÊS PATRÍCIA Regência verbal e nominal; Concordância verbal e nominal; Colocação

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES 1 NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: Considerado um dos mais importantes romances brasileiros, Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, se inscreveu de forma

Leia mais

DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série

DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série Possibilitar reflexões de cunho histórico-cultural por meio da literatura, entendendo o processo de formação desta no Brasil e no ocidente. Explorar variedades

Leia mais

Fraturas e interditos da loucura e suas representações na literatura brasileira

Fraturas e interditos da loucura e suas representações na literatura brasileira Fraturas e interditos da loucura e suas representações na literatura brasileira Roberta Torres de Moura, Estudante (IC), Jucelino de Sales, Pesquisador (PQ). robertamoura57@gmail.com Av. Universitária,

Leia mais

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias

TEXTOS SAGRADOS. Noções introdutórias TEXTOS SAGRADOS Noções introdutórias A ORIGEM Os Textos Sagrados, via de regra, tiveram uma origem comum: Experiência do sagrado. Oralidade. Pequenos textos. Primeiras redações. Redação definitiva. Organização

Leia mais

Bárbara da Silva. Literatura. Modernismo II

Bárbara da Silva. Literatura. Modernismo II Bárbara da Silva Literatura Modernismo II Em 1930 tiveram início os 15 anos de ditadura da ditadura de Getúlio Vargas. Com o intuito de obter o apoio das massas, Vargas adota uma série de medidas populistas,

Leia mais

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração 1.0 Contexto Histórico Prosa Pós Semana de Arte Moderna. Pós experimentalismo, apologia do novo. Vitória sobre o parnasianismo. Ditadura de Vargas.

Leia mais

Realismo significa um estilo de época que predominou na segunda metade do

Realismo significa um estilo de época que predominou na segunda metade do Realismo Realismo Realismo significa um estilo de época que predominou na segunda metade do século XIX. A palavra realismo designa uma maneira de agir, de interpretar a realidade. Esse comportamento caracteriza-se

Leia mais

Unidade de Revisão. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano

Unidade de Revisão. Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Revisor Textual: Profª Dra. Magalí Elisabete Sparano Old English Period Unidade 1 Os Primeiros Séculos Os primeiros escritos literatura de cunho religioso. Características: textos em versos (caesura e

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente 2017

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente 2017 Plano de Curso nº 213 aprovado pela portaria Cetec nº 134 de 12 / 09 /2012 Etec: Professora Maria Cristina Medeiros Código:

Leia mais

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa.

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social 1º ano Respeito à fala do outro e aos seus modos de falar. texto, com foco

Leia mais

Uma das mais importantes obras da literatura brasileira, SUPLEMENTO DE ATIVIDADES MEMORIAS POSTUMAS DE BRAS CUBAS MACHADO DE ASSIS NOME: SÉRIE/ANO:

Uma das mais importantes obras da literatura brasileira, SUPLEMENTO DE ATIVIDADES MEMORIAS POSTUMAS DE BRAS CUBAS MACHADO DE ASSIS NOME: SÉRIE/ANO: SUPLEMENTO DE ATIVIDADES MEMORIAS POSTUMAS DE BRAS CUBAS MACHADO DE ASSIS NOME: N o : ESCOLA: SÉRIE/ANO: 1 Uma das mais importantes obras da literatura brasileira, Memórias póstumas de Brás Cubas é um

Leia mais

Projeto REVISTA LITERÁRIA DIGITAL

Projeto REVISTA LITERÁRIA DIGITAL Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria Estadual de Educação Escola Estadual Luiz Soares Andrade PROEMI Jovem do Futuro Projeto REVISTA LITERÁRIA DIGITAL Nova Andradina-MS Governo do Estado

Leia mais

Centro Educacional Colúmbia 2000

Centro Educacional Colúmbia 2000 Discente: Centro Educacional Colúmbia 2000 2º Tri/2017 APOSTILA: Docente: Tatiana Angélica Data: / / Ens. Médio Turma: 2º ano Disciplina: Literatura Nº Dependência em Literatura 1) (CEFET-PR) O excerto

Leia mais

Figuras de linguagem são recursos estilísticos utilizados no nível dos sons, das palavras, das estruturas sintáticas ou do significado para dar maior

Figuras de linguagem são recursos estilísticos utilizados no nível dos sons, das palavras, das estruturas sintáticas ou do significado para dar maior Figuras de linguagem são recursos estilísticos utilizados no nível dos sons, das palavras, das estruturas sintáticas ou do significado para dar maior valor expressivo à linguagem. Figuras sonoras Em contextos

Leia mais

Corrente de pensamento filosófico, sociológico e político Surgiu em meados do século XIX, na França Positivismo X Idealismo Primado da ciência único

Corrente de pensamento filosófico, sociológico e político Surgiu em meados do século XIX, na França Positivismo X Idealismo Primado da ciência único Corrente de pensamento filosófico, sociológico e político Surgiu em meados do século XIX, na França Positivismo X Idealismo Primado da ciência único método de conhecimento Concepções idealistas e espiritualistas:

Leia mais

O CORTIÇO (1890) Professor Kássio

O CORTIÇO (1890) Professor Kássio O CORTIÇO (1890) Professor Kássio ALUÍSIO AZEVEDO Era pintor, desenhista, o que influenciou a sua obra. Com O mulato inaugurou o Naturalismo no Brasil, discutindo as questões raciais, de um ponto de vista

Leia mais

NEOCLASSICISMO Neoclassicismo

NEOCLASSICISMO Neoclassicismo NEOCLASSICISMO Movimento cultural do fim do século XVIII, e início do século XIX (1780 1830), o NEOCLASSICISMO está identificado com a retomada da cultura clássica (Grécia e Roma) por parte da Europa Ocidental

Leia mais

Comunicação e Semiótica e Análises Gráficas

Comunicação e Semiótica e Análises Gráficas Comunicação e Semiótica e Análises Gráficas Alunos: Camila de Souza Silva 200720331 Mayara Moreira da Silva 200711846 Renato Graça Duque 200720337 4º Período Apresentação do Projeto O cliente Cátedra UNESCO

Leia mais

CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1. Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM

CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1. Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM CRÔNICA O Primeiro Dia de Foca 1 Janaína Evelyn Miléo CALDERARO 2 Luana Geyselle Flores de MOURA 3 Macri COLOMBO 4 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO Tendo em vista que a crônica trata-se de uma narrativa

Leia mais

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE LETRAS CURSO LETRAS- HABILITAÇÃO PORTUGUÊS PLANO DE CURSO ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA

Leia mais

1º ano LINGUAGEM E INTERAÇÃO

1º ano LINGUAGEM E INTERAÇÃO A escrita com instrumento de interação social Opiniões e pontos de vista sobre as diferentes manifestações da linguagem verbal Unidade 4 - capítulo 12, 13 e 14 Palavras: emprego e valor semânticodiscursivo;

Leia mais

Histórias do Romantismo

Histórias do Romantismo LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS Material de Apoio / 9º ano Professor: Me. Renato Dering Histórias do Romantismo De sonhos e conquistas 1.0 A Bolsa de Seda Joaquim Manuel de Macedo 1.1 Personagens Escritor

Leia mais

LITERATURA. Professor: Vinícius

LITERATURA. Professor: Vinícius LITERATURA Professor: Vinícius Comentário Geral Nove das 10 obras foram utilizadas para a confecção das questões. Algo esperado de antemão. Como sempre, a UFPR apresentou questões que abrangem: - análise,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA (PROEJA-MODULO II) REALISMO E NATURALISMO 2ª Unidade

LÍNGUA PORTUGUESA (PROEJA-MODULO II) REALISMO E NATURALISMO 2ª Unidade CEEP CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NEWTON SUCUPIRA PROFESSORA: EZENETE SANTOS LÍNGUA PORTUGUESA (PROEJA-MODULO II) REALISMO E NATURALISMO 2ª Unidade CEEP NEWTON SUCUPIRA LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORA:

Leia mais

2. Comte, precursor da sociologia ou sociólogo? 3. A contribuição e limitações do POSITIVISMO. 4. Estrutura de análise das correntes teóricas

2. Comte, precursor da sociologia ou sociólogo? 3. A contribuição e limitações do POSITIVISMO. 4. Estrutura de análise das correntes teóricas 1. Breve história da ciência 2. Comte, precursor da sociologia ou sociólogo? 3. A contribuição e limitações do POSITIVISMO 4. Estrutura de análise das correntes teóricas 5. Primeira atividade do trabalho

Leia mais

Português 2º ano João J. Memórias de um sargento de milícias

Português 2º ano João J. Memórias de um sargento de milícias Português 2º ano João J. Memórias de um sargento de milícias Memórias de um sargento de milícias RESUMO Memórias de um Sargento de Milícias Manoel Antônio 1852 Autor: de Almeida Manuel Antônio de Almeida

Leia mais

DOM CASMURRO MACHADO DE ASSIS

DOM CASMURRO MACHADO DE ASSIS DOM CASMURRO MACHADO DE ASSIS JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS Nasceu aos 21 dias do mês de junho de 1839, no Rio de Janeiro. Filho de brasileiro, pintor de paredes e de portuguesa, lavadeira. Estudou em

Leia mais

ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI

ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI INÍCIO NA INGLATERRA E NA ALEMANHA ATÉ METADE DO SÉC. XIX; DISPUTAS DE PODER, FIM DA NOBREZA E ARISTOCRACIA; LITERATURA PARA A BURGUESIA E VISTA COMO ENTRETENIMENTO.

Leia mais

PORTUGUES II ANO. Realismo/Naturalismo - representantes e características (com questões)

PORTUGUES II ANO. Realismo/Naturalismo - representantes e características (com questões) PORTUGUES II ANO Realismo/Naturalismo - representantes e características (com questões) INTRODUÇÃO AO REALISMO/NATURALISMO O REALISMO SURGE EM MEIO AO FRACASSO DA REVOLUÇÃO DA FRANÇA E DE SEUS IDEAIS DE

Leia mais

O SONHO EM MACHADO DE ASSIS: UMA ANÁLISE ESPACIAL DO SONHO EM NARRATIVAS REALISTAS COM PECULIARIDADES FANTÁSTICAS.

O SONHO EM MACHADO DE ASSIS: UMA ANÁLISE ESPACIAL DO SONHO EM NARRATIVAS REALISTAS COM PECULIARIDADES FANTÁSTICAS. O SONHO EM MACHADO DE ASSIS: UMA ANÁLISE ESPACIAL DO SONHO EM NARRATIVAS REALISTAS COM PECULIARIDADES FANTÁSTICAS. I. Introdução Marli Cardoso dos Santos Orientadora: Profª.Dr ª. Marisa Martins Gama-khalil

Leia mais

Modernidade: o início do pensamento sociológico

Modernidade: o início do pensamento sociológico Modernidade: o início do pensamento sociológico Os dois tipos de solidariedade Solidariedade Mecânica Solidariedade Orgânica Laço de solidariedade Consciência Coletiva Divisão social do trabalho Organização

Leia mais

ROMANTISMO. Idealização e arrebatamento. Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra

ROMANTISMO. Idealização e arrebatamento. Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra ROMANTISMO Idealização e arrebatamento Literatura Brasileira 2ª série EM Prof.: Flávia Guerra CONTEXTO NO BRASIL Em 1822, o Brasil conquista sua independência política, mas não tem definida sua identidade.

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

REALISMO A Revolução Industrial muda a face da Europa provocou profundas alterações na sociedade

REALISMO A Revolução Industrial muda a face da Europa provocou profundas alterações na sociedade REALISMO A Revolução Industrial promoveu transformações profundas em todos os aspectos da vida na Europa. O Realismo surgiu como uma estética cujo objetivo era analisar e criticar essa nova sociedade sem

Leia mais

REALISMO E NATURALISMO

REALISMO E NATURALISMO REALISMO E NATURALISMO O Realismo é uma reação contra o Romantismo: O Romantismo era a apoteose do sentimento; o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos

Leia mais

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO PROFª Edna Prado I - CONTEXTO HISTÓRICO O tema da aula de hoje é a Estética Romântica, é o Romantismo com letra maiúscula. E por que com letra maiúscula? Porque é importante

Leia mais

Machado de Assis foi um dos principais responsáveis pela fundação da Academia Brasileira de Letras, sendo o seu primeiro presidente.

Machado de Assis foi um dos principais responsáveis pela fundação da Academia Brasileira de Letras, sendo o seu primeiro presidente. Aula 16 MACHADO DE ASSIS I CONTEXTO HISTÓRICO O Realismo brasileiro tem início em 1881, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, romance realista de Machado de Assis. Machado de Assis está

Leia mais

Sinopse e/ou Argumento

Sinopse e/ou Argumento Sinopse e/ou Argumento Uma vez que o conflito matriz se apresenta na story line, o segundo passo é conseguir personagens para viver uma história, que não é senão o conflito matriz desenvolvido. Sinopse

Leia mais

1. ROMANTISMO. 1.1 O Romantismo no Brasil A poesia romântica. Escolas Literárias e seus autores (Resumo).

1. ROMANTISMO. 1.1 O Romantismo no Brasil A poesia romântica. Escolas Literárias e seus autores (Resumo). Escolas Literárias e seus autores (Resumo). LITERATURA 2 ano Profª. Waleska 1. ROMANTISMO O Romantismo nasceu na Alemanha e na Inglaterra, chegou à França e em seguida espalhou-se por toda a Europa. Características

Leia mais

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO:

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: Temas cotidianos; Tom de realidade; Conteúdo subjetivo por não ser fiel à realidade.

Leia mais

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR

Expressionismo EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR Expressionismo ALUNOS: EDUARDO CARLETTO JUNIOR EDUARDO FALCHETTI SOVRANI GIAN CARLOS MENCATTO PAULO ROBERTO MASCARELLO VILMAR IBANOR BERTOTTI JUNIOR DEFINIÇÃO E PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Movimento heterogêneo

Leia mais

VIDA COTIDIANA NO SÉCULO XIX Belle Époque

VIDA COTIDIANA NO SÉCULO XIX Belle Époque VIDA COTIDIANA NO SÉCULO XIX Belle Époque Curso: Ensino Médio Integrado Prof. Msc. Manoel dos Passos da Silva Costa 1 Vida cotidiana I INTRODUÇÃO Os governos liberais europeus tentaram garantir a instrução

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Plano de Curso nº aprovado pela portaria Cetec nº de / / Etec: Tiquatira Código:208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Linguagens Habilitação

Leia mais