A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa"

Transcrição

1 GÊNEROS LITERÁRIOS

2 ÉPICO (OU NARRATIVO) Longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Atmosfera maravilhosa de acontecimentos heroicos passados que reúnem mitos, heróis e deuses. Pode ser em prosa (gestas* medievais) ou versos. (Classicismo). A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa *feitos memoráveis, heroicos; façanhas, proezas

3 CRÔNICA Vem de cronos (tempo) capta recortes da vida cotidiana. É um registro literário, poético e, muitas vezes, irônico, através do qual se capta o imaginário coletivo em suas manifestações cotidianas. O Homem Nu Fernando Sabino A Nuvem Rubem Braga A Velhinha Contrabandista Stanislaw Ponte Preta Comédias da Vida Privada Luís Fernando Veríssimo

4 CONTO Forma narrativa de menor extensão, episódio singular, ênfase no essencial. Elimina análises minuciosas, delimita o tempo e o espaço. Apresenta apenas uma célula dramática. Tende a apresentar personagens esféricos, redondos, isto é, complexos, que se modificam durante a narrativa e surpreendem o leitor. A Cartomante Machado de Assis A Avó Roseana Murray Elegíada Osman Lins A Terceira Margem do Rio Guimarães Rosa

5 NOVELA Narrativa unilinear, com episódios superficiais e várias células dramáticas que não se aprofundam. Personagens planas, previsíveis, os quais não se modificam durante a narrativa. Técnica de criar expectativas para os capítulos seguintes. ATENÇÃO! Novel ( em inglês) = romance Novela (em espanhol) = romance

6 NOVELAS DE CAVALARIA Narrativas ficcionais de acontecimentos históricos, originárias da prosificação de poemas épicos e das canções de gesta (guerra) francesas e inglesas. Ideais da nobreza feudal: espírito cavalheiresco, fidelidade, coragem, amor servil. Ligadas às aventuras dos cavaleiros medievais, na luta entre o "bem" e o "mal" das Cruzadas, em defesa da Europa Ocidental contra inimigos da cristandade. Cavaleiros dispostos a qualquer sacrifício para defender a honra cristã.

7 Novelas de Cavalaria - ciclos ciclo clássico: heróis "emprestados" da antiguidade greco-romana e da literatura clássica (Ulisses, Enéias...). Narrativas da Guerra de Tróia; Aventuras de Alexandre, o grande. ciclo carolíngio: aventuras de Carlos Magno e os Doze Pares de França. Seus heróis alimentam ainda hoje a literatura de cordel nordestina. ciclo bretão ou arturiano: histórias sobre o Reino de Camelot, o Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda. É, em Dom Quixote, de Cervantes, que se pode localizar o nascimento da narrativa moderna, em suas constantes transformações, desde o séc. XIX.

8 ROMANCE No séc. XIX, publicada em folhetins, caracterizou-se pela crítica de costumes ou pela temática histórica. Atualmente, nos moldes impressionistas, são calcadas no fluxo de consciência, nas análises psicológicas, ou optam pelo realismo maravilhoso, ou de ficção-ensaio. Ora perfeitamente delineadores e identificáveis, ora desestruturados e camuflados, o enredo, as personagens, o espaço, o tempo, o ponto de vista da narrativa constituem os elementos estruturadores do romance. Personagens podem ser planas ou redondas, dependendo da obra.

9 FÁBULA x APÓLOGO PONTOS EM COMUM: Narrativas curtas, espaço simplificado, sem variações de ambientes. Tempo cronológico, com um único conflito. Analogias entre a realidade humana e a situações vividas pelas personagens. Objetivam ensinar algo ou provar alguma verdade estabelecida (lição moral). Narram algo fantástico, alegórico, não corriqueiro ou inusitado. ASPECTO DIFERENCIADOR: AS PERSONAGENS FÁBULA - personagens são animais com características, personalidade e comportamento semelhantes aos dos seres humanos. APÓLOGO protagonizado por coisas inanimadas que adquirem, também, dotes humanos.

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico GÊNEROS LITERÁRIOS Dramático, Épico, Narrativo e Lírico O QUE SÃO GÊNEROS LITERÁRIOS? Designam as famílias de obras literárias dotadas de características iguais ou semelhantes. Porém, os gêneros não são

Leia mais

Soneto de Fidelidade. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama,

Soneto de Fidelidade. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama, Gêneros Literários 1. Gênero Lírico: caracteriza-se pela manifestação de sentimentos pessoais, sendo escrita, via de regra, em versos, podendo apresentar forma fixa ou livre. Entre as poesias de forma

Leia mais

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles:

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gêneros Literários Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gênero épico (fatos heroicos) Guerras, batalhas e grandes feitos 3ª pessoa; Expressa

Leia mais

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Prof. Thiago Robson Aletro As Trovas Medievais Contexto histórico-cultural Idade Média (Séc XII) Feudalismo/vassalage m Nobreza Teocentrismo Cruzadas Galego-Português

Leia mais

Slides por Carlos Daniel S. Vieira

Slides por Carlos Daniel S. Vieira Slides por Carlos Daniel S. Vieira Portugal (início do século XX) invasão das tropas de Napoleão vinda da Família Real para o Brasil Reino Unido a Portugal e Algarve A burguesia de Portugal entra em crise

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Claudia S. N. Vieira Disciplina: LPO Série: 1ª Tema da aula: O Trovadorismo Objetivo da aula: Trabalhar as principais características do estilo

Leia mais

ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI

ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI ROMANTISMO SÉC. XIX PROF. FERNANDO PUCHARELLI INÍCIO NA INGLATERRA E NA ALEMANHA ATÉ METADE DO SÉC. XIX; DISPUTAS DE PODER, FIM DA NOBREZA E ARISTOCRACIA; LITERATURA PARA A BURGUESIA E VISTA COMO ENTRETENIMENTO.

Leia mais

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo.

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo. ミ Trabalho de Literatura 彡 Tema: Classicismo e Humanismo. Movimento cultural que se desenvolveu na Europa ao longo dos séculos XV e XVI, com reflexos nas artes, nas ciências e em outros ramos da atividade

Leia mais

UMA ESPÉCIE DE INTRODUÇÃO PARA QUE POSSAMOS ENTENDER-NOS MELHOR

UMA ESPÉCIE DE INTRODUÇÃO PARA QUE POSSAMOS ENTENDER-NOS MELHOR 4 PLANO GERAL DA OBRA INTRODUÇÃO UMA ESPÉCIE DE INTRODUÇÃO PARA QUE POSSAMOS ENTENDER-NOS MELHOR 11 O que é a literatura? 11 Porquê História de Literatura em Portugal e não da Literatura Portuguesa? 12

Leia mais

História 6A Aula 17. A Cultura Medieval

História 6A Aula 17. A Cultura Medieval História 6A Aula 17 A Cultura Medieval Cultura Medieval Síntese de elementos grecoromanos, cristãos e germânicos, reformulados com novas experiências. IGREJA CATÓLICA Instituição mais poderosa do mundo

Leia mais

Português 2º ano João J. Folhetim

Português 2º ano João J. Folhetim Português 2º ano João J. Folhetim Romantismo: Cultura e Estética Burguesa Individualismo Liberalismo Culto ao Novo Cristianismo Materialismo Subjetivismo Liberdade de Expressão Imaginação Criadora Espírito

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

GUERRA DE TRÓIA PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO?

GUERRA DE TRÓIA PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? 2014 GUERRA DE TRÓIA PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? Homero foi um poeta épico da Grécia Antiga, ao qual tradicionalmente se atribui a autoria dos poemas épicos Ilíada e Odisseia.

Leia mais

LIVROS DE LITERATURA 2016 ENSINO FUNDAMENTAL II LIVROS DE LITERATURA 2016 ENSINO FUNDAMENTAL II

LIVROS DE LITERATURA 2016 ENSINO FUNDAMENTAL II LIVROS DE LITERATURA 2016 ENSINO FUNDAMENTAL II TURMA: 6º ANO A Fevereiro O OUTRO LADO DA ILHA JOSÉ MAVIAEL MONTEIRO Março O SUMIÇO DA ELEFANTA MARCELO R. L. OLIVEIRA FTD Abril DOM QUIXOTE DAS CRIANÇAS MONTEIRO LOBATO GLOBO Maio CONTOS E LENDAS DE MACAU

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO LITERÁRIO CAVN MEU COLÉGIO, MEU ORGULHO. CAPÍTULO I Dos Objetivos

EDITAL DO CONCURSO LITERÁRIO CAVN MEU COLÉGIO, MEU ORGULHO. CAPÍTULO I Dos Objetivos EDITAL DO CONCURSO LITERÁRIO CAVN MEU COLÉGIO, MEU ORGULHO CAPÍTULO I Dos Objetivos Art. 1 : O Colégio Agrícola Vidal de Negreiros, entidade de Ensino Médio e Técnico, vinculada à Universidade Federal

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano 6º ano 1º BIMESTRE Livro: Não se esqueçam da rosa Autora: Giselda Laporta Nicolelis / Ilustrações: Célia Kofuji Editora: Saraiva Livro: Viagem ao centro da Terra Autor: Júlio Verne / Tradução e adaptação:

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Planificação Anual. Disciplina de Português

Planificação Anual. Disciplina de Português Planificação Anual Disciplina de Português N.º e nome Módulo Horas Tempos (45 ) Conteúdos de cada módulo 1. Poesia trovadoresca - Contextualização histórico-literária - Espaços medievais, protagonistas

Leia mais

SEMIÓTICA, INTERTEXTUALIDADE E INTERDISCURSIVIDADE. 3º. Encontro

SEMIÓTICA, INTERTEXTUALIDADE E INTERDISCURSIVIDADE. 3º. Encontro SEMIÓTICA, INTERTEXTUALIDADE E INTERDISCURSIVIDADE 3º. Encontro RETOMADA Longe de refletir diretamente o real, os discursos sempre rearticulam (bricolent, como escreve Levi- Strauss a respeito do mito)

Leia mais

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho Planificação de Língua Portuguesa - 9º Ano - Ano Lectivo 2009/ 201 0

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho Planificação de Língua Portuguesa - 9º Ano - Ano Lectivo 2009/ 201 0 1º Período (5) Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho UNIDADE 0: ACTIVIDADES INICIAIS Apresentação dos objectivos da disciplina; Planificação anual e marcação de testes; Avaliação diagnóstica. UNIDADE

Leia mais

Metas de Aprendizagem Educação Literária

Metas de Aprendizagem Educação Literária (5.º ano) 1. Fábulas A lebre e a tartaruga, A raposa e a cegonha, O leão e o rato e A formiga e a pomba, Esopo (Manual) 2. Lendas A ilha de Timor e Os dois amigos, José Pedro Mésseder e Isabel Ramalhete

Leia mais

A. Análise do Jantar no Hotel Central Capítulo VI

A. Análise do Jantar no Hotel Central Capítulo VI Agrupamento de Escolas do Búzio Escola 2,3/S de Vale de Cambra Português 11ºano - A professora: Dina Baptista Ficha de trabalho sobre os Episódio da Crónica de Costumes d Os Maias, de Eça de Queirós A.

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO

PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2014 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO Jaguarari, novembro de 2014. CADERNO DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Este caderno contém: A proposta de redação; Os critérios

Leia mais

O ALEM-MAR LITERATURA PORTUGUESA

O ALEM-MAR LITERATURA PORTUGUESA JOÃO DE CASTRO OSÓRIO O ALEM-MAR NA LITERATURA PORTUGUESA (ÉPOCA DOS DESCOBRIMENTOS) NOVA ARRANCADA ÍNDICE DAS MATÉRIAS Breve nota sobre a vida e obra de João de Castro Osório., CAPÍTULO I CONDIÇÕES HISTÓRICAS

Leia mais

LISTA DE LIVROS INDICADOS PARA A BIBLIOTECA DE CLASSE DO 9º ANO 2015

LISTA DE LIVROS INDICADOS PARA A BIBLIOTECA DE CLASSE DO 9º ANO 2015 Amor por anexins & a capital federal - Artur Azevedo - Editora: Melhoramentos O diário de Anne Frank - Anne Frank - Editora: Record O diário de Zlata - Zlata Filipovíc - Editora:Cia das Letras A menina

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

ENSINO SECUNDÁRIO 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO Ano letivo 2015 / 2016 10º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL PLANIFICAÇÃO A MÉDIO E A LONGO PRAZO - PORTUGUÊS - 10º ANO MANUAL: SENTIDOS, ASA Período Domínios / Tópicos de Conteúdo Metas Curriculares

Leia mais

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do

O ROMANTISMO. O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do ROMANTISMO O ROMANTISMO O Romantismo é um movimento surgido na Europa e, a partir dela, no Brasil, no fim do século XVIII. Perdura até meados do século XIX. Opunhase ao classicismo, ao racionalismo e Iluminismo.

Leia mais

1-INTRODUÇÃO. Aula 2 Mito e filosofia:

1-INTRODUÇÃO. Aula 2 Mito e filosofia: Prof. Gilmar Dantas 1-INTRODUÇÃO Aula 2 Mito e filosofia: Nesta aula, vamos ver outras características da filosofia e ver também os mitos. Houve uma passagem dos mitos para a filosofia na Grécia Antiga.

Leia mais

História 7A Aula 20. A Cultura Medieval I

História 7A Aula 20. A Cultura Medieval I História 7A Aula 20 A Cultura Medieval I Cultura Medieval Síntese de elementos greco- romanos, cristãos e germânicos, reformulados com novas experiências. IGREJA CATÓLICA Instituição mais poderosa do mundo

Leia mais

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO DENOTAÇÃO Atribui às palavras significados claros, objetivos, que evocam um único sentido, aceito pelas pessoas como algo convencional. Ex.: A rosa é uma flor perfumada. CONOTAÇÃO

Leia mais

Prof. Osvaldo. Civilizações Escravistas da Antiguidade Clássica

Prof. Osvaldo. Civilizações Escravistas da Antiguidade Clássica Prof. Osvaldo Civilizações Escravistas da Antiguidade Clássica Modo de Produção Asiático Comunidades Primitivas Modo de Produção Escravista Grécia Roma sociedades cuja principal característica era o predomínio

Leia mais

MITO E RAZÃO. A passagem do mito à Filosofia

MITO E RAZÃO. A passagem do mito à Filosofia MITO E RAZÃO A passagem do mito à Filosofia O QUE PERGUNTAVAM OS PRIMEIROS FILÓSOFOS? Por que os seres nascem e morrem? Por que os semelhantes dão origem aos semelhantes, de uma árvore nasce outra árvore,

Leia mais

Tarefas de escrita. Planificação Redacção Revisão

Tarefas de escrita. Planificação Redacção Revisão MANUAL H Actividades de outros domínios Ficha demonstrativa das características estruturais e formais da biografia e autobiografia. (p. 95-96) Leitura e interpretação de 1 texto. (p.97) Referência à construção

Leia mais

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015

BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 BIBLIOTECA IRMÃ AGLAÉ Mostra Literária 29 e 30 de Abril de 2015 Infantil II Releitura dos livros: - Muitas Bolhas - Água Viva - A chuvarada Educação Infantil Infantil III Releitura dos livros: - O mistério

Leia mais

O Renascimento e a Criação Cultural

O Renascimento e a Criação Cultural O Renascimento e a Criação Cultural Contexto Histórico Os séculos XV e XVI foram de renovação cultural em toda a Europa. Essa renovação ocorreu como consequência da abertura da Europa ao Mundo e do maior

Leia mais

Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III

Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 O que é um Fato Histórico? Quando ultrapassa

Leia mais

4ª FASE. Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes

4ª FASE. Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes 4ª FASE Prof. Amaury Pio Prof. Eduardo Gomes A A Unidade I Natureza-Sociedade: questões ambientais. 2 A A Aula 9.2 Conteúdo As Grandes Civilizações Ocidentais Grécia II 3 A A Habilidade Conhecer a respeito

Leia mais

Grécia Antiga Das Diásporas Gregas a Alexandre o Grande. Prof. Alan Carlos Ghedini

Grécia Antiga Das Diásporas Gregas a Alexandre o Grande. Prof. Alan Carlos Ghedini Grécia Antiga Das Diásporas Gregas a Alexandre o Grande Prof. Alan Carlos Ghedini www.inventandohistoria.com O Mundo Grego Localizado ao Sul da Península Balcânica Terreno bastante irregular e montanhoso

Leia mais

CONCEITO CONTO POPULAR LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO GÊNERO NARRATIVO AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS

CONCEITO CONTO POPULAR LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO GÊNERO NARRATIVO AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS LITERATURA INFANTIL UNIVERSAL AULA 01: LITERATURA INFANTIL E GÊNEROS LITERÁRIOS TÓPICO 02: GÊNEROS LITERÁRIOS CONCEITO Segundo Victor Manuel de Aguiar e Silva em Teoria da Literatura, os gêneros literários

Leia mais

U.E.F.S DEPARTAMENTO: LETRAS E ARTES PROGRAMA DE DISCIPLINA

U.E.F.S DEPARTAMENTO: LETRAS E ARTES PROGRAMA DE DISCIPLINA U.E.F.S DEPARTAMENTO: LETRAS E ARTES PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA ------------- ------------------------------------------------------- LET 281 LITERATURA GRECO LATINA I CARGA HORÁRIA CRÉDITOS

Leia mais

Planificação anual de Português 12º ano

Planificação anual de Português 12º ano Planificação anual de Português 12º ano 1 OBJETIVOS Desenvolver os processos linguísticos, cognitivos e metacognitivos necessários à operacionalização de cada uma das competências de compreensão e produção

Leia mais

400 anos do cavaleiro sonhador

400 anos do cavaleiro sonhador 400 anos do cavaleiro sonhador Há 400 anos, Miguel de Cervantes publicava a primeira parte de Dom Quixote, livro que marcou a história da literatura. Críticos e estudiosos retomam a efeméride para discutir

Leia mais

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos.

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. CONTOS A ORIGEM DO CONTO A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. O ato de narrar um acontecimento oralmente

Leia mais

Conteúdos para as Avaliações da P2 2º TRIMESTRE/2013. Conteúdos para P2 Avaliações para Agosto/2012

Conteúdos para as Avaliações da P2 2º TRIMESTRE/2013. Conteúdos para P2 Avaliações para Agosto/2012 Conteúdos para as Avaliações da P2 2º TRIMESTRE/2013 Classe: Conteúdos para P2 Avaliações para Agosto/2012 Ciências Naturais: Rochas (pp. 53 62); Recursos Naturais (pp. 64 73); Caderno. História: Capítulo

Leia mais

SOCIOLOGIA. Prof. Carlos Eduardo Foganholo. Colégio CEC

SOCIOLOGIA. Prof. Carlos Eduardo Foganholo. Colégio CEC SOCIOLOGIA Prof. Carlos Eduardo Foganholo Colégio CEC Cultura - Conceitos Todos os seres humanos possuem cultura. Ninguém tem mais cultura que outra pessoa Não existe cultura superior ou inferior, uma

Leia mais

Literatura Portuguesa. Aula 02 de Literatura Portuguesa Professora Carolina Ferreira Leite

Literatura Portuguesa. Aula 02 de Literatura Portuguesa Professora Carolina Ferreira Leite Literatura Portuguesa Humanism mo séc. XV Aula 02 de Literatura Portuguesa Professora Carolina Ferreira Leite Humanismo (1434-1527) olítica, economia e sociedade: IDADE MÉDIA X RENASCIMENTO Feudalismo

Leia mais

trovadorismo história da literatura

trovadorismo história da literatura CONTEXTO HISTÓRICO.: Trovadorismo foi a primeira escola literária portuguesa. Esse movimento literário compreende o período que vai, aproximadamente do século XII ao século XIV. As atividades literárias

Leia mais

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL Educador: Luciola Santos C. Curricular: História Data: / /2013 Estudante: 7 Ano Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL 7º Ano Cap 1e 2 Feudalismo e Francos Cap 6 Mudanças no feudalismo Cap 7 Fortalecimento

Leia mais

1. Prova Teórica de Avaliação de História Contemporânea. 2. Prova Teórica de Avaliação de História das Artes Visuais

1. Prova Teórica de Avaliação de História Contemporânea. 2. Prova Teórica de Avaliação de História das Artes Visuais Índice 1. Prova Teórica de Avaliação de História Contemporânea 2. Prova Teórica de Avaliação de História das Artes Visuais 3. Prova Teórica de Avaliação de Língua Portuguesa 4. Prova Teórica de Avaliação

Leia mais

1º PERÍODO COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PORTUGUÊS DISCIPLINA: PORTUGUÊS 7º ANO ...

1º PERÍODO COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PORTUGUÊS DISCIPLINA: PORTUGUÊS 7º ANO ... ... DEPARTAMENTO DE PORTUGUÊS DISCIPLINA: PORTUGUÊS 7º ANO Conteúdos Aulas previstas 1º PERÍODO Textos jornalísticos (notícia, entrevista, reportagem, artigo de opinião, comentário, crónica) Textos biográficos

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II AULA 16.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II Segunda Geração: os ultrarromânticos O sentimentalismo, a imaginação e o egocentrismo atingiram seu ponto culminante nesta geração, que experimentou as formas

Leia mais

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo A GRÉCIA ANTIGA passo a passo ÉRIC DARS e ÉRIC TEYSSIER Ilustrações de Vincent Caut Tradução de Julia da Rosa Simões Copyright do texto 2011 by Éric Dars e Éric Teyssier Copyright das ilustrações 2011

Leia mais

PRINCIPAIS OBRAS DE LEODEGÁRIO A. DE AZEVEDO FILHO

PRINCIPAIS OBRAS DE LEODEGÁRIO A. DE AZEVEDO FILHO PRINCIPAIS OBRAS DE LEODEGÁRIO A. DE AZEVEDO FILHO 1. Alguns Problemas do Idioma. Rio de Janeiro: Gráfica Carioca, 1953. 2. Didática Especial de Português. Rio de Janeiro: Editora Conquista, 1958. 3. A

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO UL CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE ARTES VISUAIS Professor Dr. Isaac A. Camargo Apoio Pedagógico: AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: www.artevisualensino.com.br

Leia mais

Programa de História e Geografia de Portugal. 4º Ano

Programa de História e Geografia de Portugal. 4º Ano Programa de História e Geografia de Portugal Introdução 4º Ano É no 4º ano que os alunos aprendem, com alguma sistematização, os principais factos da História Pátria. Se o estudo dos acontecimentos e das

Leia mais

O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar), e no vocábulo greg

O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar), e no vocábulo greg O TEXTO DRAMÁTICO Ridendo castigat mores (a rir se criticam os costumes) O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar),

Leia mais

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014 C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 000 - Fone (05) 5-6 - Fax (05) 79-58 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL: PROGRAMA

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES - 10.º ANO ANO LECTIVO DE 2010/2011 Módulos/Conteúdos Tronco Comum Módulo inicial Criatividade e Rupturas A Cultura, a Arte e a História; as artes

Leia mais

Conteúdo da Prova Bimestral 1º Bimestre

Conteúdo da Prova Bimestral 1º Bimestre 1ª Série do Ensino Médio (1001) Matemática Conjuntos numéricos; Determinação da fração geratriz do decimal; Operações com intervalos; Relações; Funções; Tipos de funções; Os ângulos na circunferência;

Leia mais

Luís Vaz de Camões. 1º Abs Joana Santos nº2486

Luís Vaz de Camões. 1º Abs Joana Santos nº2486 Luís Vaz de Camões 1º Abs Joana Santos nº2486 Ano lectivo: 2010/2011 Índice.. 2 Introdução...3 Vida de Luís de Camões.. 4 Obra. 5 Conclusão 6 Bibliografia..7 2 Neste trabalho irei falar sobre Luís Vaz

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR ª

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR ª 5ª Série (6º Ano do Ensino Fundamental) Livro: O menino do dedo verde Autor: Maurice Druon Editora: José Olympio Livro: Um girassol na Janela Autor: Ganymedes José Livro: Eu, detetive. O caso do sumiço

Leia mais

Lista de Material Escolar

Lista de Material Escolar Lista de Material Escolar 2015 (16) 3633-5065 www.colegioviktorfrankl.com.br Av. do Café, 1295 - Vila Amélia - Ribeirão Preto/SP E-mail: colegioviktorfrankl@colegioviktorfrankl.com.br 6º 01 lápis grafite

Leia mais

Conceitos Domínios a trabalhar Experiências de aprendizagem Sugestões de recursos Avaliação Aulas

Conceitos Domínios a trabalhar Experiências de aprendizagem Sugestões de recursos Avaliação Aulas 7º ANO - PCA 1º PERÍODO 2012-2013 TEMA A Das sociedades recoletoras às primeiras civilizações A1 As sociedades recoletoras e as primeiras sociedades produtoras As primeiras conquistas do Homem Os grandes

Leia mais

Período Gênero textual Expectativa

Período Gênero textual Expectativa DISCIPLINA: Produção de texto ANO DE REFERÊNCIA: 2016 PROFESSORAS RESPONSÁVEIS: 6ºano Período Gênero textual Expectativa P35 Compreender o papel do conflito gerador no desencadeamento dos episódios narrados.

Leia mais

Possuem função comunicativa e estão inseridos em um contexto cultural.

Possuem função comunicativa e estão inseridos em um contexto cultural. Tipologias Textuais Tipos Textuais Os tipos textuais são caracterizados por propriedades linguísticas, como vocabulário, relações lógicas, tempos verbais, construções frasais etc. Gêneros textuais Possuem

Leia mais

FICHA DE LITERATURA - REVISÃO

FICHA DE LITERATURA - REVISÃO Albânia Nogueira 8º FICHA DE LITERATURA - REVISÃO TEXTO I A busca da razão Sofreu muito com a adolescência. Jovem, ainda se queixava. Depois, todos os dias subia numa cadeira, agarrava uma argola presa

Leia mais

Os Lusíadas Mensagem

Os Lusíadas Mensagem EDIÇÕES ASA A 369723 J. OLIVEIRA MACEDO Sob o signo do Império Os Lusíadas Mensagem LUÍS VAZ DE CAMÕES FERNANDO PESSOA Análise comparativa «O-, índice 1! Parte Os Poetas e os Poemas [11] Sumário [li] I

Leia mais

Prova Específica de Português

Prova Específica de Português ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO Prova destinada para avaliação das capacidades de português para a frequência do ensino superior nos cursos Técnicos de ensino Superior Profissional 2015 Prova Específica de

Leia mais

conheça sua Bíblia Estudos Panorâmicos no AT e NT TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP

conheça sua Bíblia Estudos Panorâmicos no AT e NT TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, 1332 - JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP 1 e 2 Samuel! DATA: Indefinida Abrangência: Do nascimento de Samuel ao fim do reinado de Davi (1.100 A.C. a

Leia mais

LETRAS PORTUGUÊS (BACHARELADO/ LICENCIATURA)

LETRAS PORTUGUÊS (BACHARELADO/ LICENCIATURA) assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa. a Transferência Facultativa/0 LETRAS PORTUGUÊS (BACHARELADO/ LICENCIATURA) Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Literatura 1º ano João J. Classicismo

Literatura 1º ano João J. Classicismo Literatura 1º ano João J. Classicismo LITERATURA 1º ANO Tema: CLASSICISMO O Classicismo, terceiro grande movimento literário da língua portuguesa, marca o início a chamada Era Clássica da Literatura. A

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM 3º Ciclo. Ano Letivo 2013-2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL PORTUGUÊS 9ºANO Documento(s) Orientador(es): Programas de Português do Ensino Básico, Metas Curriculares

Leia mais

Ao Correr da Pena, crônica, 1874;

Ao Correr da Pena, crônica, 1874; OBRA ANALISADA: Til -- 1872 GÊNERO Romance AUTOR José de Alencar DADOS BIOGRÁFICOS Nome completo: José Martiniano de Alencar BIBLIOGRAFIA Romance: Cinco Minutos, romance, 1856; O Guarani, romance, 1857;

Leia mais

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador Acção Espaço Tempo Personagem Narrador A acção é constituída por sequências narrativas (acontecimentos) provocadas ou experimentadas pelas personagens, que se situam num espaço e decorrem num tempo, mais

Leia mais

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

AULA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 30.1 Conteúdo: O Parnasianismo e o Simbolismo no Amazonas. 2 29.2 Habilidade: Reconhecer e valorizar a literatura simbolista produzida no Amazonas. 3 REVISÃO Simbolismo no Brasil: contexto histórico. Simbolismo

Leia mais

Análise de discursos textuais: questões

Análise de discursos textuais: questões Análise de discursos textuais: questões Com base no texto a seguir, responda às questões (1) e (2): Os Poemas Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas

Leia mais

OS LUSÍADAS, DE LUÍS DE CAMÕES

OS LUSÍADAS, DE LUÍS DE CAMÕES PORTUGUÊS 9º ANO Prof. António Alves OS LUSÍADAS, DE LUÍS DE CAMÕES PROVA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA I CONTEXTUALIZAÇÃO: RENASCIMENTO, HUMANISMO E CLASSICISMO 1. O Renascimento é a aceitação das formas artísticas:

Leia mais

UNIDADES DE ESTUDO 3ª ETAPA ª Séries / Ensino Médio Turmas: A/B

UNIDADES DE ESTUDO 3ª ETAPA ª Séries / Ensino Médio Turmas: A/B UNIDADES DE ESTUDO 3ª ETAPA - 2016 1ª Séries / Ensino Médio Turmas: A/B Basta que sejais jovens para que eu vos ame profundamente. Dom Bosco. 1 3ª Etapa Calendário de Avaliações do Ensino Médio Avaliações

Leia mais

1º ano 7º ano 2º ano 8º ano 3º ano 9º ano 4º ano 1º Médio 5º ano 2º Médio 6º ano 3º Médio

1º ano 7º ano 2º ano 8º ano 3º ano 9º ano 4º ano 1º Médio 5º ano 2º Médio 6º ano 3º Médio LIVROS PARADIDÁTICOS 2º BIMESTRE * CLIQUE NO LINK DESEJADO PARA VISUALIZAR * 1º ano 7º ano 2º ano 8º ano 3º ano 9º ano 4º ano 1º Médio 5º ano 2º Médio 6º ano 3º Médio Para: Pais e Alunos do 1º Ano do Ensino

Leia mais

Poderiam perderse todos os exemplares do Quixote, em castelhano e nas traduções

Poderiam perderse todos os exemplares do Quixote, em castelhano e nas traduções Aluno(a) Turma N o Série 5 a Ensino Fundamental Data / / 06 Matérias Português Professora Carmen Valverde LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA UNIDADE I Poderiam perderse todos os exemplares do Quixote, em castelhano

Leia mais

2º ano 5º ano Ensino Fundamental I

2º ano 5º ano Ensino Fundamental I 2º ano 5º ano Ensino Fundamental I Material Didático: uso das apostilas do Sistema Anglo de Ensino, inclusive a de Artes e Inglês. A cada bimestre, uma nova apostila é entregue aos alunos. Para as aulas

Leia mais

Como surgiram os MITOS?

Como surgiram os MITOS? PENSAMENTO MÍTICO MITO MITO Nasce do desejo de entender o mundo para afugentar o medo e a insegurança. é um relato de algo fabuloso que se supõe ter acontecido num passado remoto e quase sempre impreciso.

Leia mais

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES Simone de Souza Burguês (PIBIC/CNPq-UEM), Mirian Hisae Yaegashi Zappone (Orientadora), e-mail: mirianzappone@gmail.com Universidade Estadual de Maringá/Departamento

Leia mais

6 Os romances ou novelas de cavalaria em Portugal e o Amadis de Gaula

6 Os romances ou novelas de cavalaria em Portugal e o Amadis de Gaula 6 Os romances ou novelas de cavalaria em Portugal e o Amadis de Gaula Os romances ou novelas de cavalaria, chamada, matéria da Bretanha surgiram em ambiente palaciano, na época em que se reduziam a prosa

Leia mais

ATIVIDADES PARA CASA 5º ano DATA PROF LIVRO; PÁGINAS; EXERCÍCIO; ETC PRAZO

ATIVIDADES PARA CASA 5º ano DATA PROF LIVRO; PÁGINAS; EXERCÍCIO; ETC PRAZO ATIVIDADES PARA CASA 5º ano DATA PROF LIVRO; PÁGINAS; EXERCÍCIO; ETC PRAZO 03/06 Eliane Música Aula prática com flauta doce. 03/06 Eliane Arte Estudar flauta doce (partituras) 03/06 Eliane Matem. 268 e

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas North A meric an Divisio n Portuguese Mi nistry Treinamento de Instrutores Bíblicos Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Objetivo Uma compreensão clara

Leia mais

A PRESENÇA INDÍGENA NA FICÇÃO BRASILEIRA

A PRESENÇA INDÍGENA NA FICÇÃO BRASILEIRA A PRESENÇA INDÍGENA NA FICÇÃO BRASILEIRA Fernando CARVALHO* O indígena aparece na literatura brasileira desde as primeiras manifestações literárias; desde a carta de Pero Vaz Caminha aos cronistas dos

Leia mais

Como o conceito de beleza se transformou ao longo dos séculos?

Como o conceito de beleza se transformou ao longo dos séculos? Planejamento Como o conceito de beleza se transformou ao longo dos séculos? Laís Semis Desde a Antiguidade, o culto ao belo faz parte da cultura de diferentes sociedades, veja na galeria como o padrão

Leia mais

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS Conceito; Origem; Classificação. OS GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNERO ÉPICO OU NARRATIVO; LÍRICO OU POÉTICO; DRAMÁTICO OU TEATRAL. O GÊNERO

Leia mais

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA.

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. GÊNEROS LITERÁRIOS A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. Na Antiguidade Clássica os textos literários dividiam em em três gêneros: GÊNERO ÉPICO GÊNERO LÍRICO

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade 1º Período 1/13 Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Ano Lectivo

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL 2. Disciplina 6º 7º 8º 9º Redação Módulos 10, 11, Carta do Leitor; Conteúdo: Apostila;

ENSINO FUNDAMENTAL 2. Disciplina 6º 7º 8º 9º Redação Módulos 10, 11, Carta do Leitor; Conteúdo: Apostila; Disciplina 6º 7º 8º 9º Redação Módulos 10, 11, Carta do Leitor; Conteúdo: Romance; 12, 13, 14 e 15 Conto Fantástico. Notícia; Artigo de Opinião. Diário. Caderno da disciplina; Caderno da disciplina; Apostila;

Leia mais

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração

Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração Apostila de Língua Portuguesa 07 Modernismo Segunda Geração 1.0 Contexto Histórico Prosa Pós Semana de Arte Moderna. Pós experimentalismo, apologia do novo. Vitória sobre o parnasianismo. Ditadura de Vargas.

Leia mais

Gêneros literários Cícero Galeno Lopes

Gêneros literários Cícero Galeno Lopes Gêneros literários Cícero Galeno Lopes A palavra gênero se originou do substantivo latino generu(m), que significa família, raça. Mais remotamente, o radical, genus, -eneris (lat.), comunicava várias ideias,

Leia mais

OS PERSONAGENS DA PEÇA TEATRAL

OS PERSONAGENS DA PEÇA TEATRAL OS PERSONAGENS DA PEÇA TEATRAL Os personagens são o veículo da emoção. Comunicam sentimentos e estados de espírito, através dos diálogos e atitudes. Os primeiros personagens do teatro eram interpretados

Leia mais

CERTIFICADO. Prof. Dr. João Claudio Arendt Coordenador do Evento

CERTIFICADO. Prof. Dr. João Claudio Arendt Coordenador do Evento Certifico que BRUNO MISTURINI apresentou a comunicação intitulada Sertão e região: a representação de regionalidade em O sertanejo, de José de Alencar, na 27ª Semana de Letras Shakespeare e Cervantes 400

Leia mais

INSTITUTO LAURA VICUÑA PLANO DE ESTUDOS - 2º TRIMESTRE /2014 1º A/B DISCIPLINA DATA CONTEÚDO INSTRUMENTAIS

INSTITUTO LAURA VICUÑA PLANO DE ESTUDOS - 2º TRIMESTRE /2014 1º A/B DISCIPLINA DATA CONTEÚDO INSTRUMENTAIS INSTITUTO LAURA VICUÑA PLANO DE ESTUDOS - 2º TRIMESTRE /2014 1º A/B DISCIPLINA DATA CONTEÚDO INSTRUMENTAIS Linguagem verbal e não verbal; Denotação e conotação; Variedade Linguística; Funções da linguagem;

Leia mais