A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA"

Transcrição

1 GÊNEROS LITERÁRIOS

2 A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA

3 Na Antiguidade Clássica os textos literários dividiam em em três gêneros: GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO GÊNERO ÉPICO

4 GÊNERO LÍRICO Seu nome vem de lira, instrumento musical que acompanhava os cantos dos gregos. Textos de caráter emocional, centrados na subjetividade dos sentimentos da alma. Tem a presença do eu-lírico, a voz que fala no poema. O emissor é personagem única desse tipo de mensagem

5 Soneto de Fidelidade De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama, Eu possa me dizer do amor (que tive) Que não seja imortal posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.

6 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS Predominam as palavras e pontuações de 1a. pessoa. Segundo Aristóteles, a palavra cantada.

7 É importante ressaltar que o eu-lírico pode ser : masculino ou feminino independente do autor.

8 EU - LÍRICO Assim, podemos encontrar: Autor masculino eu-lírico masculino Autor masculino eu- lírico feminino Autor feminino eu- lírico feminino Autor feminino eu- lírico masculino

9 GÊNERO ÉPICO OU NARRATIVO A palavra "epopéia" vem do grego épos, verso + poieô, faço e se refere à narrativa em forma de versos, de um fato grandioso e maravilhoso que interessa a um povo

10 O GÊNERO ÉPICO O gênero épico: narrações de fatos grandiosos, centrados na figura de um herói. Tem a presença de um narrador

11 é provavelmente a mais antiga das manifestações literárias. Ele surgiu quando os homens primitivos sentiram necessidade de relatar suas experiências, centradas na dura batalha de sobrevida num mundo caótico, hostil e ameaçador.

12 OS ELEMENTOS ESSENCIAIS... Na estrutura épica temos: o narrador, o qual conta a história praticada por outros no passado; a história, a sucessão de acontecimentos; as personagens, em torno das quais giram os fatos; o tempo, o qual geralmente se apresenta no passado e o espaço, local onde se dá a ação das personagens.

13 Neste gênero, geralmente, há presença de figuras fantasiosas que ajudam ou atrapalham no curso dos acontecimentos. Presença de mitologia greco-latina - contracenando heróis mitológicos e heróis humanos. Quando as ações são narradas por versos, temos o poema épico ou Epopeia. Dentre as principais Epopeias, temos: Ilíada e Odisséia.

14 GÊNERO NARRATIVO O GÊNERO NARRATIVO é visto como uma variante do Gênero Épico, enquadrando, neste caso, as narrativas em prosa. TIPOS DE NARRATIVA: Romance Novela Conto Fábula

15 CONTO Conto: é uma narrativa de curta extensão, devendo restringir-se a apenas um fato. O tempo, o espaço e o número de personagens são reduzidos. Exemplos: Contos, de Machado de Assis; Contos Gauchescos, de Simões Lopes Neto; Primeiras Estórias, de Guimarães Rosa.

16 NOVELA Novela: não pode ser associada de forma alguma à telenovela. Por falta de uma definição mais precisa, dizemos que a novela, no que diz respeito à sua extensão, encontra-se entre o conto e o romance, ou ainda, é o gênero que condensa os elementos do romance. Exemplos: O Alienista, de Machado de Assis; A Hora da Estrela, de Clarice Lispector; O Pêndulo do Relógio, de Charles Kiefer.

17 ROMANCE Romance: não se trata, necessariamente, de uma história de amor. Tal concepção equivocada surgiu possivelmente junto com o próprio gênero, ou seja, no período romântico, o que talvez explique a origem da confusão. O romance é a mais longa das narrativas, apresentando as seguintes características: vários fatos que ocorrem simultaneamente, um elenco de personagens, tempo e espaço sem restrição. O romance tradicional estrutura-se a partir de um enredo que, normalmente, divide-se em cinco partes: situação inicial, complicação, desenvolvimento, clímax e desfecho. De maneira mais simples, podemos falar na seqüência harmonia, desarmonia e harmonia, ou seja, a situação inicial de equilíbrio é rompida e a história somente poderá chegar a seu final com a retomada do equilíbrio. Exemplos: A Moreninha, de Macedo; Dom Casmurro, de Machado de Assis; O Cortiço, de Aluísio de Azevedo; O Continente, de Érico Veríssimo; Cães da Província, de Assis Brasil.

LITERATURA: GÊNEROS E MODOS DE LEITURA - EM PROSA E VERSOS; - GÊNEROS LITERÁRIOS; -ELEMENTOS DA NARRATIVA. 1º ano OPVEST Mauricio Neves

LITERATURA: GÊNEROS E MODOS DE LEITURA - EM PROSA E VERSOS; - GÊNEROS LITERÁRIOS; -ELEMENTOS DA NARRATIVA. 1º ano OPVEST Mauricio Neves LITERATURA: GÊNEROS E MODOS DE LEITURA - EM PROSA E VERSOS; - GÊNEROS LITERÁRIOS; -ELEMENTOS DA NARRATIVA. 1º ano OPVEST Mauricio Neves EM VERSO E EM PROSA Prosa e Poesia: qual a diferença? A diferença

Leia mais

Soneto de Fidelidade. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama,

Soneto de Fidelidade. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama, Gêneros Literários 1. Gênero Lírico: caracteriza-se pela manifestação de sentimentos pessoais, sendo escrita, via de regra, em versos, podendo apresentar forma fixa ou livre. Entre as poesias de forma

Leia mais

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários GÊNERO ÉPICO (NARRATIVO) = Quando é contada uma história.

Leia mais

OS GÊNEROS LITERÁRIOS

OS GÊNEROS LITERÁRIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS A literatura, quanto à forma, pode se manifestar em prosa ou verso.quanto ao conteúdo e estrutura, podemos, inicialmente, enquadrar as obras literárias em três gêneros: o lírico,

Leia mais

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico

GÊNEROS LITERÁRIOS. Dramático, Épico, Narrativo e Lírico GÊNEROS LITERÁRIOS Dramático, Épico, Narrativo e Lírico O QUE SÃO GÊNEROS LITERÁRIOS? Designam as famílias de obras literárias dotadas de características iguais ou semelhantes. Porém, os gêneros não são

Leia mais

Estudo dos gêneros literários

Estudo dos gêneros literários Estudo dos gêneros literários Os gêneros literários são um conjunto de obras que apresentam características semelhantes tanto em termos de forma como conteúdo. Existem três categorias básicas de gênero:

Leia mais

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa

A Ilíada Homero Odisseia Homero Os Lusíadas Luís Vaz de Camões O Uraguai Basílio da Gama Mensagem Fernando Pessoa GÊNEROS LITERÁRIOS ÉPICO (OU NARRATIVO) Longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Atmosfera maravilhosa de acontecimentos heroicos passados que reúnem mitos,

Leia mais

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles:

Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gêneros Literários Há quatro GÊNEROS principais e clássicos e mais um gênero moderno (a partir do séc. XIX); são eles: Gênero épico (fatos heroicos) Guerras, batalhas e grandes feitos 3ª pessoa; Expressa

Leia mais

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA.

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. GÊNEROS LITERÁRIOS A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. Na Antiguidade Clássica os textos literários dividiam em em três gêneros: GÊNERO ÉPICO GÊNERO LÍRICO

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 4 Bimestre disciplina Gramática Conteúdo: Texto /concordância / colocação pronominal 2º m Lista de exercícios 1. Indique a alternativa correta: a)

Leia mais

GÊNEROS LITERÁRIOS FLÁVIA ANDRADE

GÊNEROS LITERÁRIOS FLÁVIA ANDRADE GÊNEROS LITERÁRIOS FLÁVIA ANDRADE Gênero Épico/Narrativo Epopeia: longos poemas São 3 gêneros Gênero Lírico Expressões humanas individuais e subjetivas - poesia Gênero Dramático Estruturado por diálogos

Leia mais

Noções de Texto. Introdução. Leia o texto a seguir, um poema de Horácio Dídimo.

Noções de Texto. Introdução. Leia o texto a seguir, um poema de Horácio Dídimo. Noções de Texto Introdução Leia o texto a seguir, um poema de Horácio Dídimo. A leitura do texto só poderá ser eficiente a partir de dados previamente adquiridos: o conhecimento de mundo, a leitura prévia:

Leia mais

Elementos da narrativa

Elementos da narrativa Elementos da narrativa Narrador presente narrador ausente O narrador é aquele que conta a história Uma narrativa Quando não participa na história narrada, relatando apenas acontecimentos na terceira pessoa

Leia mais

MODERNISMO 2ª GERAÇÃO. Por Carlos Daniel S. Vieira

MODERNISMO 2ª GERAÇÃO. Por Carlos Daniel S. Vieira MODERNISMO 2ª GERAÇÃO Por Carlos Daniel S. Vieira CONTEXTO HISTÓRICO-SOCIAL CONTEXTO HISTÓRICO-SOCIAL Duas guerras mundiais Crack da bolsa (1929) Instabilidade social e política O homem busca esperanças......

Leia mais

NÍVEIS DE LINGUAGEM/ GÊNEROS DO DISCURSO. Comunicação e Expressão Análise e Desenvolvimento de Sistemas Profa. Ms. Ana Helena Rufo Fiamengui

NÍVEIS DE LINGUAGEM/ GÊNEROS DO DISCURSO. Comunicação e Expressão Análise e Desenvolvimento de Sistemas Profa. Ms. Ana Helena Rufo Fiamengui NÍVEIS DE LINGUAGEM/ GÊNEROS DO DISCURSO Comunicação e Expressão Análise e Desenvolvimento de Sistemas Profa. Ms. Ana Helena Rufo Fiamengui PALAVRA NÍVEIS DE LINGUAGEM Dizem respeito ao uso da fala e da

Leia mais

FUNÇÕES DA LINGUAGEM. Iara Martins Santos

FUNÇÕES DA LINGUAGEM. Iara Martins Santos FUNÇÕES DA LINGUAGEM Iara Martins Santos REFERENTE EMISSOR MENSAGEM RECEPTOR CÓDIGO CANAL a) Emissor: é aquele que envia a mensagem (pode ser uma única pessoa ou um grupo de pessoas). b) Mensagem - é o

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO HISTÓRIA DA LITERATURA PROFESSORA: SOLANGE SANTANA GUIMARÃES MORAIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO HISTÓRIA DA LITERATURA PROFESSORA: SOLANGE SANTANA GUIMARÃES MORAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO HISTÓRIA DA LITERATURA PROFESSORA: SOLANGE SANTANA GUIMARÃES MORAIS RESENHA CRÍTICA DO FILME A ODISSEIA BASEADO NOS POEMAS ÉPICOS DE HOMERO ALUNO: ALCIDES WENNER FERREIRA

Leia mais

Português 1º ano João J. Gêneros Literários. Roberson de Oliveira 1. Roberson de Oliveira 1

Português 1º ano João J. Gêneros Literários. Roberson de Oliveira 1. Roberson de Oliveira 1 Português 1º ano João J. Gêneros Literários Roberson de Oliveira 1 Roberson de Oliveira 1 GÊNEROS LITERÁRIOS A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA. GÊNEROS LITERÁRIOS

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2017. PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

MODERNISMO 2ª FASE. Profa Giovana Uggioni Silveira

MODERNISMO 2ª FASE. Profa Giovana Uggioni Silveira MODERNISMO 2ª FASE Profa Giovana Uggioni Silveira CONTEXTO HISTÓRICO MUNDO: QUEDA DA BOLSA DE NOVA IORQUE FORTALECIMENTO DOS REGIMES TOTALITARISTAS 2ª GUERRA MUNDIAL BRASIL: FIM DA REPÚBLICA CAFÉ COM LEITE

Leia mais

Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto

Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Verso = cada linha da poesia Estrofes = cada conjunto de verso. Rima = coincidência de sons, geralmente no final dos versos. De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano

LISTA DE MATERIAL ESCOLAR º ano 6º ano 1º BIMESTRE Livro: Não se esqueçam da rosa Autora: Giselda Laporta Nicolelis / Ilustrações: Célia Kofuji Editora: Saraiva Livro: Viagem ao centro da Terra Autor: Júlio Verne / Tradução e adaptação:

Leia mais

Veja-se, por exemplo, o Soneto de Fidelidade, de Vinícius de Moraes:

Veja-se, por exemplo, o Soneto de Fidelidade, de Vinícius de Moraes: Que seja infinito enquanto dure. Existe duração infinita? A propósito da durée bergsoniana no desiderato do poeta Marcos Vinicio Guimarães Giusti (Instituto Federal Fluminense) marcos_giusti@uol.com.br

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO:

UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS. CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: UNICAMP II GÊNEROS DISCURSIVOS CRÔNICA: Trata fatos do cotidiano cujo objetivo é despertar no leitor reflexão. CONTEÚDO: Temas cotidianos; Tom de realidade; Conteúdo subjetivo por não ser fiel à realidade.

Leia mais

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto Narrativo P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto narrativo É um relato de um acontecimento ou uma série de acontecimentos, reais ou imaginários; Exemplos de textos narrativos: conto, novela, romance,

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 63/2002

RESOLUÇÃO Nº 63/2002 RESOLUÇÃO Nº 63/2002 Estabelece a relação de obras literárias do Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação nos anos letivos de 2004, 2005 e 2006. O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série

DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série DISCIPLINA DE LITERATURA OBJETIVOS: 1ª Série Possibilitar reflexões de cunho histórico-cultural por meio da literatura, entendendo o processo de formação desta no Brasil e no ocidente. Explorar variedades

Leia mais

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA.

Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / LISTA DE LITERATURA. Ensino Médio - Unidade Parque Atheneu Professor (a): Kellyda Martins de Carvalho Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2016. LISTA DE LITERATURA Orientações: - A lista deverá ser respondida na própria folha impressa

Leia mais

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO

DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO DENOTAÇÃO Atribui às palavras significados claros, objetivos, que evocam um único sentido, aceito pelas pessoas como algo convencional. Ex.: A rosa é uma flor perfumada. CONOTAÇÃO

Leia mais

Aula 9 à 12 GÊNEROS LITERÁRIOS

Aula 9 à 12 GÊNEROS LITERÁRIOS Aula 9 à 12 Prof. Sabrina Moraes GÊNEROS LITERÁRIOS O termo gênero é utilizado nas diferentes formas de arte, para denominar um conjunto de obras que apresentam características análogas de forma e conteúdo.

Leia mais

Mãos dadas Carlos Drummond de Andrade

Mãos dadas Carlos Drummond de Andrade Mãos dadas Carlos Drummond de Andrade Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos, mas nutrem grandes esperanças.

Leia mais

Classicismo. Literatura brasileira 1ª EM Prof.: Flávia Guerra

Classicismo. Literatura brasileira 1ª EM Prof.: Flávia Guerra Classicismo Literatura brasileira 1ª EM Prof.: Flávia Guerra Contexto O século XV traz o ser humano para o centro dos acontecimentos, relegando para segundo plano o deus todopoderoso do período medieval.

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Literatura

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Literatura Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Literatura 26. Alternativa (B) I A assertiva fala sobre haver uniformização pretendida pelo Barroco, o qual é marcado como sabemos pela dualidade. III O eu-lírico

Leia mais

Um olhar estético sobre as tragédias gregas. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr.

Um olhar estético sobre as tragédias gregas. Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. Um olhar estético sobre as tragédias gregas Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr. http://www.mural-2.com O QUE APRENDEMOS COM AS TRAGÉDIAS Uma visão política ou sociológica das cidades-estados gregas Uma manifestação

Leia mais

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 7 o ano EF

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 7 o ano EF Os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental 150 identificam a finalidade de produção do texto, com auxílio de elementos não verbais e das informações explícitas presentes em seu título, em cartaz de propaganda

Leia mais

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO?

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? AULAS 9 À 12 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? A narração é um tipo de texto que conta uma sequência de fatos, sejam eles reais ou imaginários, nos quais as personagens atuam em

Leia mais

Ele tomou emprestado sem meu consentimento, ou seja, roubou.

Ele tomou emprestado sem meu consentimento, ou seja, roubou. a paráfrase, que é uma atividade de reformulação de um texto-fonte. Comumente vem marcada por expressões introdutórias como isto é, ou seja, quer dizer, digo, ou melhor, em outras palavras: Ele tomou emprestado

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos.

A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. CONTOS A ORIGEM DO CONTO A origem do conto está na transmissão oral dos fatos, no ato de contar histórias, que antecede a escrita e nos remete a tempos remotos. O ato de narrar um acontecimento oralmente

Leia mais

Os textos podem ser agrupados segundo algumas características comuns.

Os textos podem ser agrupados segundo algumas características comuns. O Conto Os textos podem ser agrupados segundo algumas características comuns. Diante de um texto desconhecido, a pergunta o que é? leva-nos a uma primeira resposta que se fundamenta, muitas vezes, em uma

Leia mais

Gêneros Literários. Literatura Monitora: Maria Carolina Coelho 16 e 19/02/2016. Material de Apoio para Monitoria. 1. (UFSCAR) Soneto de fidelidade

Gêneros Literários. Literatura Monitora: Maria Carolina Coelho 16 e 19/02/2016. Material de Apoio para Monitoria. 1. (UFSCAR) Soneto de fidelidade Gêneros Literários 1. (UFSCAR) Soneto de fidelidade De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero

Leia mais

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário Elementos da narrativa Acção Tempo Espaço Personagens Narrador Modos de Expressão e representação Narratário O texto narrativo Conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas, o que implica

Leia mais

Narrativa e informação

Narrativa e informação Narrativa e informação emissor = formulador da sintaxe da mensagem receptor = intérprete da semântica A recepção qualifica a comunicação. É por isso que o receptor tem papel fundamental no processo de

Leia mais

II Olimpíada Darwin de Linguagens (ODL)

II Olimpíada Darwin de Linguagens (ODL) II Olimpíada Darwin de Linguagens (ODL) OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO Artigo 1º A Olimpíada Darwin de Linguagens (ODL) constitui um instrumento pedagógico de todas as unidades da rede Darwin de Ensino para os

Leia mais

MITO E RAZÃO. A passagem do mito à Filosofia

MITO E RAZÃO. A passagem do mito à Filosofia MITO E RAZÃO A passagem do mito à Filosofia O QUE PERGUNTAVAM OS PRIMEIROS FILÓSOFOS? Por que os seres nascem e morrem? Por que os semelhantes dão origem aos semelhantes, de uma árvore nasce outra árvore,

Leia mais

Renata Viol Ferreira da Silva. Lílian Veiga de Carvalho

Renata Viol Ferreira da Silva. Lílian Veiga de Carvalho MANSUR, Felipe. A sexta história: a face trágica da narrativa em A hora da estrela. São Paulo: Annablume, 2011. 122 p. ISBN: 978-85-3910-207-5 Renata Viol Ferreira da Silva Graduada em Normal Superior

Leia mais

Sumário. 1 a Parte - Homenagens. 2a Parte - Estudos. Sintaxe do Desejo. A José Costa Matos. Costa Matos. Costa Matos, o poeta ecumênico

Sumário. 1 a Parte - Homenagens. 2a Parte - Estudos. Sintaxe do Desejo. A José Costa Matos. Costa Matos. Costa Matos, o poeta ecumênico Sumário 1 a Parte - Homenagens A José Costa Matos Costa Matos Horácio Dídimo... Costa Matos, o poeta ecumênico 15 Francisco Hélder Catunda de Sabóia......... 16 Costa Matos e o seu Rio João Soares Neto......

Leia mais

Lista de livros 2018

Lista de livros 2018 6º ano Empreendedorismo e Projeto de Vida 6º Ano Fund.Il Emília no País da gramática Autor: Monteiro Lobato Editora: Globo O Pequeno Príncipe Autor: Antoine de Saint-Exupéry Editora: Agir Ei! Tem alguém

Leia mais

Apresentações e Cria.vidade

Apresentações e Cria.vidade Apresentações e Cria.vidade Comunicação e Impacto nas Exposições Corpora.vas Humberto E. Massareto Bom Dia O que temos para hoje? 1. 90 segundos para conquistar 2. Programas necessários 3. Equipamentos

Leia mais

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 5 o ano EF

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 5 o ano EF Os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental < 125 identificam o sentido de expressão típica da fala coloquial utilizada em segmento de história em quadrinhos; e o local em que se desenrola o enredo, em anedota.

Leia mais

O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara.

O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara. O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara. A segunda metade do século XIX presencia profundas modificações

Leia mais

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS

LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS LITERATURA PROFª Ma. DINA RIOS OS GÊNEROS LITERÁRIOS Conceito; Origem; Classificação. OS GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNERO ÉPICO OU NARRATIVO; LÍRICO OU POÉTICO; DRAMÁTICO OU TEATRAL. O GÊNERO

Leia mais

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa

Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Trovadorismo e Humanismo Literatura Portuguesa Prof. Thiago Robson Aletro As Trovas Medievais Contexto histórico-cultural Idade Média (Séc XII) Feudalismo/vassalage m Nobreza Teocentrismo Cruzadas Galego-Português

Leia mais

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: CARLOS AUGUSTO NASCIMENTO SARMENTO-PANTOJA

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: CARLOS AUGUSTO NASCIMENTO SARMENTO-PANTOJA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE ABAETETUBA - CAAB FACULDADE DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM - FACL CURSO LETRAS LICENCIATURA EM LETRAS PLANO DE CURSO ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA

Leia mais

CURCEP PROFª Drª CAMILA PASQUAL DISCIPLINA: LITERATURA ALUNO(A):...

CURCEP PROFª Drª CAMILA PASQUAL DISCIPLINA: LITERATURA ALUNO(A):... CURCEP PROFª Drª CAMILA PASQUAL DISCIPLINA: LITERATURA ALUNO(A):... GÊNEROS LITERÁRIOS/ VERSIFICAÇÃO Segundo a classificação, desde a Antiguidade Clássica, os gêneros são: 1) GÊNERO. GÊNERO LÍRICO A palavra

Leia mais

Introdução à Literatura

Introdução à Literatura L.E. Semana 3 Sexta Feira Introdução à Literatura Gênero Lírico Gênero Lírico Lírico vem do latim lyricu e quer dizer lira, um instrumento musical grego. Áudio: Musique de la Gréce Antique Épitaphe de

Leia mais

Literatura! Profª: Neusa Klein.

Literatura! Profª: Neusa Klein. Literatura! Profª: Neusa Klein. Conceitos de Literatura: Literatura é a linguagem carregada de significados (Ezra Pound) A distinção entre literatura e demais artes vai operar-se nos seus elementos intrínsecos,

Leia mais

1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5.

1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5. 1. Bagagem (Adélia Prado) 2. O Cortiço (Aluísio Azevedo) 3. Lira dos Vinte Anos (Álvares de Azevedo) 4. Noite na Taverna (Álvares de Azevedo) 5. Quarup (Antonio Callado) 6. Brás, Bexiga e Barra Funda (Antonio

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO MÉDIO PROF. DENILSON SATURNINO 1 ANO PROF.ª JOYCE MARTINS

LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO MÉDIO PROF. DENILSON SATURNINO 1 ANO PROF.ª JOYCE MARTINS LÍNGUA PORTUGUESA 1 ANO PROF.ª JOYCE MARTINS ENSINO MÉDIO PROF. DENILSON SATURNINO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Cultura A pluralidade na expressão humana 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 10.2 Conteúdo

Leia mais

I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo

I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série:2º ano Disciplina:Literatura Data da prova: 01/11/2014. P2-4º BIMESTRE I. Elementos narrativos e a linguagem de São Bernardo Tenciono contar a

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE CONTO COM 3º ANO C PROFESSORA: FERNANDA SILVA MELO ROCHA A BELA ADORMECIDA OBJETIVO

SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE CONTO COM 3º ANO C PROFESSORA: FERNANDA SILVA MELO ROCHA A BELA ADORMECIDA OBJETIVO SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE CONTO COM 3º ANO C PROFESSORA: FERNANDA SILVA MELO ROCHA A BELA ADORMECIDA OBJETIVO Proporciona no aluno a habilidade de conhecer os diversos tipos de contos, e desenvolver no aluno

Leia mais

Lit. Semana. Diogo Mendes (Rodrigo Pamplona)

Lit. Semana. Diogo Mendes (Rodrigo Pamplona) Semana 3 Diogo Mendes (Rodrigo Pamplona) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. CRONOGRAMA 10/02

Leia mais

Roteiro de estudos para recuperação final

Roteiro de estudos para recuperação final Roteiro de estudos para recuperação final Disciplina: Professor (a): Conteúdo: Referência para estudo: Literatura Raquel Solange Pinto Figuras de linguagem. Obra Dom Casmurro, de Machado de Assis. Interpretação

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS 2017 / 2018

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS 2017 / 2018 DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS 2017 / 2018 PLANIFICAÇÃO PORTUGUÊS -12º ANO Unidade 0 Diagnose. Artigo de opinião..texto de opinião. Identificar temas e ideias principais. Fazer inferências. Texto poético: estrofe,

Leia mais

PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO

PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO PROPOSTA SISTEMA DE INGRESSO À GRADUAÇÃO Por iniciativa da nova administração da Universidade Federal de Santa Maria, muitos projetos estão sendo reavaliados, o que também está ocorrendo com os processos

Leia mais

Narrativa: Elementos Estruturais (1)

Narrativa: Elementos Estruturais (1) Narrativa: Elementos Estruturais (1) Narrativa de ficção Discurso figurativo inscrito em coordenadas espaço-temporais. Sucessão temporal de ações (funções). Narrativa simples: passagem de um estado anterior

Leia mais

PERÍODO 83.1 / 87.2 PROGRAMA EMENTA:

PERÍODO 83.1 / 87.2 PROGRAMA EMENTA: UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PERÍODO 83.1 / 87.2 EMENTA: Os gêneros literários: divisão e evolução. Caracterização segundo critérios intrínsecos e / ou extrínsecos. A teoria clássica e as teorias modernas

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE LETRAS HORÁRIO 2017

PROPOSTA CURSO DE LETRAS HORÁRIO 2017 CURSO DE LETRAS 1 ANO - 1º SEMESTRE - PERÍODO DIURNO E NOTURNO Estudos Literários I LTE5028 Variação e Mudança Linguísticas LNG5027 Língua Alemã I *LEM5108 Introdução à Língua Italiana: noções gerais *LEM5152

Leia mais

Metáfora. Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas. Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes

Metáfora. Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas. Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes Metáfora Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas Trilhando luzes Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes Comparação ou símile Amar é comomudar

Leia mais

Serão avaliados: identificação das atividades (títulos e subtítulos), letra legível, paragrafação, consistência e clareza nas respostas.

Serão avaliados: identificação das atividades (títulos e subtítulos), letra legível, paragrafação, consistência e clareza nas respostas. Nome: Ano: 6 ANO Disciplina: P. textos Nº: Data: Professor: Valdeci Lopes 1. Organizar registros do caderno ( trazer o caderno para visto) Dica: como referencia para a proposta 1 - procure um amigo da

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1º ANO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1º ANO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA DEPARTAMENTO DE ENSINO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA 1º ANO DISCIPLINA: LITERATURA BRASILEIRA SIGLA: LIT Carga Horária

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

COUTINHO, A. Notas de teoria literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1973 (adaptado).

COUTINHO, A. Notas de teoria literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1973 (adaptado). O ENEM E OS GÊNEROS TEXTUAIS (LITERÁRIOS) (ENEM 2009) Gênero dramático é aquele em que o artista usa como intermediária entre si e o público a representação. A palavra vem do grego drao (fazer) e quer

Leia mais

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária Comunicação literária FICH INFORMTIV Disciplina: Português 2012 / 2013-1º no Módulo: 4 Texto narrativo O que faz do homem aquilo que ele é, um ser distinto de todos os demais seres vivos, é a linguagem,

Leia mais

Os Lusíadas Mensagem

Os Lusíadas Mensagem EDIÇÕES ASA A 369723 J. OLIVEIRA MACEDO Sob o signo do Império Os Lusíadas Mensagem LUÍS VAZ DE CAMÕES FERNANDO PESSOA Análise comparativa «O-, índice 1! Parte Os Poetas e os Poemas [11] Sumário [li] I

Leia mais

Ass. Resp.: Visto Coord.(a): Nota: INSTRUÇÕES PARA AVALIAÇÃO:

Ass. Resp.: Visto Coord.(a): Nota: INSTRUÇÕES PARA AVALIAÇÃO: Aluno(a): Nº: Série: 1ª Turma: ( ) 101 ( ) 102 ( ) 103 ( X ) 104 Data: 24 / 04 / 17 Disciplina: LITERATURA Professora: ARIANE Ass. Resp.: Visto Coord.(a): Nota: Leia atentamente as questões antes de responder.

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA BOM CONSELHO

LÍNGUA PORTUGUESA BOM CONSELHO LÍNGUA PORTUGUESA Ouça um bom conselho Que eu lhe dou de graça BOM CONSELHO Inútil dormir que a dor não passa Espere sentado Ou você se cansa Está provado, quem espera nunca alcança enha, meu amigo, Deixe

Leia mais

QUESTÕES OBSERVE, REFLITA E LEIA OS TEXTOS A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES.

QUESTÕES OBSERVE, REFLITA E LEIA OS TEXTOS A SEGUIR PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES. 3º EM Literatura Klaus Av. Dissertativa 09/03/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo.

ミ Trabalho de Literatura 彡. Tema: Classicismo e Humanismo. ミ Trabalho de Literatura 彡 Tema: Classicismo e Humanismo. Movimento cultural que se desenvolveu na Europa ao longo dos séculos XV e XVI, com reflexos nas artes, nas ciências e em outros ramos da atividade

Leia mais

TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA

TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA A narrativa é o relato de acontecimentos que remetem para o conhecimento do Homem e das suas realizações no mundo; é uma forma de literatura que compreende

Leia mais

Português 2º ano João J. Folhetim

Português 2º ano João J. Folhetim Português 2º ano João J. Folhetim Romantismo: Cultura e Estética Burguesa Individualismo Liberalismo Culto ao Novo Cristianismo Materialismo Subjetivismo Liberdade de Expressão Imaginação Criadora Espírito

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES 1 NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: Um dos mais importantes escritores portugueses, Eça de Queirós foi um arguto analista da sociedade e das relações humanas. Crítico implacável, satirista

Leia mais

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa.

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social 1º ano Respeito à fala do outro e aos seus modos de falar. texto, com foco

Leia mais

amor Os namorados têm se conhecido no trabalho, faculdade O jogo do No Dia dos Namorados, 30 Revista Expansão

amor Os namorados têm se conhecido no trabalho, faculdade O jogo do No Dia dos Namorados, 30 Revista Expansão Especial NAMORADOS Por Vera Fernandes/Especial* O jogo do amor No Dia dos Namorados, a Revista Expansão fez uma pesquisa qualitativa, na Internet, para descobrir qual a percepção dos internautas a respeito

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano

PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS ESCOLA BÁSICA DE VALE DE MILHAÇOS PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano Disciplina de Português Ano Letivo - 2016/2017 Metas de aprendizagem Conteúdos Nº de aulas previstas

Leia mais

REVISÃO. APOSTILA 02 Sistema Anglo. 8º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR. Colégio Sagrado Coração de Jesus

REVISÃO. APOSTILA 02 Sistema Anglo. 8º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR. Colégio Sagrado Coração de Jesus REVISÃO APOSTILA 02 Sistema Anglo 8º ano REDAÇÃO PROF. CLAUDIO JÚNIOR Colégio Sagrado Coração de Jesus NARRATIVA POLICIAL Objetivos: Narrativa cujo objetivo é contar uma história permeada de suspense e

Leia mais

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA

EDUCANDÁRIO SANTA RITA DE CÁSSIA 6º Ano A e B 24/10 Português 27/10 Ciências 25/10 Geografia / Inglês 28/10 Matemática 26/10 História - 21/11 Geografia / Inglês 24/11 Des. Geométrico 22/11 Ciências / Espanhol 25/11 Matemática 23/11 Português

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E DE LITERATURA BRASILEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA E DE LITERATURA BRASILEIRA LÍNGUA PORTUGUESA E DE LITERATURA BRASILEIRA Os programas de Língua Portuguesa e de Literatura Brasileira do Processo Seletivo Seriado (PSS) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), seguindo as Orientações

Leia mais

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

POESIA o que é? Língua Portuguesa Módulo V Prof. Samuel KühnK

POESIA o que é? Língua Portuguesa Módulo V Prof. Samuel KühnK POESIA o que é? Língua Portuguesa Módulo V Prof. Samuel KühnK Poesia ou Poema? verso? estrofe? rima? tem título? associação de palavras? métrica? sons? ritmo? Isto é uma poesia? No meio do caminho Isto

Leia mais

LETRAS JAPONÊS LICENCIATURA (NOTURNO)

LETRAS JAPONÊS LICENCIATURA (NOTURNO) assinatura do(a) candidato(a) ADMISSÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 2.ª DCS/2011 LETRAS JAPONÊS LICENCIATURA (NOTURNO) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Prova Dissertativa 1 Ao receber

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia FILOSOFIA UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia A curiosidade humana levou o homem a buscar explicações para os fenômenos do cotidiano. Numa época em que não havia nenhuma fundamentação científica capaz de

Leia mais

Bianca Grela (UEM) Camila Heloise Paes (UEM) Maria Heloisa Teixeira da Silva (UEM) Orientadora: Josimayre Novelli Coradim (UEM)

Bianca Grela (UEM) Camila Heloise Paes (UEM) Maria Heloisa Teixeira da Silva (UEM) Orientadora: Josimayre Novelli Coradim (UEM) Bianca Grela (UEM) Camila Heloise Paes (UEM) Maria Heloisa Teixeira da Silva (UEM) Orientadora: Josimayre Novelli Coradim (UEM) Apresentar uma análise comparativa entre o conto Cinderella (1812), dos Irmãos

Leia mais

Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN

Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN COLÉGIO SALESIANO DOM BOSCO Teatro e Cinema PROFESSORA: HILANETE PORPINO 7 ANO/2017 PARNAMIRIM/RN O QUE É TEATRO? Teatro é uma forma de arte em que um ator ou conjunto de atores interpreta uma história

Leia mais