Agrupamento de Escolas Joaquim Inácio da Cruz Sobral

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agrupamento de Escolas Joaquim Inácio da Cruz Sobral"

Transcrição

1 Agrupament de Esclas Jaquim Ináci da Cruz Sbral REGIMENTO INTERNO DE ESCOLA ESCOLA BÁSICA DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO E SANTO QUINTINO ANO LETIVO DE 2014/2015 (Especificações a Regulament Intern d Agrupament de Esclas Jaquim Ináci da Cruz Sbral)

2 Índice I Caraterizaçã d mei Caraterizaçã cntextual Cntext históric Lcalizaçã Gegráfica Cntext Sciecnómic lcal Serviçs da Cmunidade Serviçs de Açã Scial Equipaments... 5 II - CARATERIZAÇÃO DA ESCOLA BÁSICA DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO E DE SANTO QUINTINO IDENTIFICAÇÃO CARATERIZAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA EB1 DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO E DE SANTO QUINTINO Regime de funcinament Acess e circulaçã n estabeleciment de educaçã e ensin Aluns Encarregads de Educaçã Outras Pessas Cmpnente Letiva e Cmpnente de Api à Família (Pré-Esclar) Serviçs: refeitóri, reprgrafia Serviç de Refeições Reprgrafia Hráris ds diferentes serviçs Vigilância d recrei Atividades de Enriqueciment Curricular (AEC) Visitas de Estud - Regulament Segur esclar / acidentes Prcediment em cas de acidente Atendiment as Encarregads de Educaçã Ppulaçã esclar Aluns Direits e Deveres Delegad e Subdelegad Assiduidade Avaliaçã Pessal Dcente de 28

3 4.2.1 Direits e Deveres Assiduidade Pessal Nã Dcente Direits e Deveres Assiduidade Nrmas Livr de Pnt Gestã de Verbas da EB1 e d JI de SMA Estruturas de rientaçã educativa Serviçs Especializads de Educaçã Especial (SEEE) Encarregads de Educaçã Direits e Deveres Representantes ds Encarregads de Educaçã Dispsições finais Índice ds Anexs I - CARATERIZAÇÃO DO MEIO 1- CARATERIZAÇÃO CONTEXTUAL 1.1. Cntext históric O nme Mntagraç reprta-se a uma antiga pvaçã que existiu, muit próxima da atual vila. Esta denminaçã crreu pela primeira vez, há cerca de 800 ans, n temp de D. Sanch I, ns primórdis da mnarquia, em Durante a rerganizaçã administrativa manuelina, em 1519, fi-lhe dada pel Rei a cncessã de fral d regueng de Mnte Agraç Lcalizaçã Gegráfica O Cncelh de Sbral de Mnte Agraç situa-se n Distrit de Lisba, integrand em terms mais vasts a sub-regiã Oeste. Está cnfrntad a Sul e a Pente cm Cncelh de Mafra, a Nrte cm de Trres Vedras e Alenquer e a Nascente cm de Arruda ds Vinhs. Situad a cerca de 40 Km de Lisba e beneficiand da melhria prgressiva das acessibilidades rdviárias Cncelh apresenta ainda caraterísticas marcadamente rurais. Sbral de Mnte Agraç é a freguesia cm mair pder atrativ, cnstituind 3 de 28

4 pl rganizadr e unificadr d Cncelh. Aqui se cncentram as atividades ecnómicas mais imprtantes, nmeadamente as d setr terciári. É ainda centr ppulacinal que tem manifestad mair dinâmica gegráfica. N que se refere à sua rganizaçã territrial Cncelh apresenta-se dividid em mais duas freguesias: Sant Quintin e Sapataria. O Cncelh d Sbral tem uma superfície ttal de 51,95 Km2, que se distribui da seguinte frma: a freguesia de Sapataria cm uma área de 14,40 Km2, cupa 27,72%; a freguesia de Sbral cm uma área de 8,67Km2, cupa 16,69% e a freguesia de Sant Quintin cm uma área de 28,88Km2, cupa 55,59%. 1.3 Cntext Sciecnómic lcal Serviçs da Cmunidade Restaurantes, cafés; Ljas, cmérci; Agências Bancárias; Rádi Oásis; Serviçs de Açã Scial Os Serviçs de Açã Scial (SAS) da Câmara Municipal de Sbral de Mnte Agraç articulam-se cm múltiplas entidades, serviçs e rganizações de slidariedade scial e percrrem na sua intervençã as seguintes áreas: Espaç Internet: principal bjetiv deste espaç, que vei cmplementar a ferta já existente na Bibliteca Municipal, é fmentar a aprximaçã ds cidadãs às tecnlgias de infrmaçã e cmunicaçã. Send um espaç de acess gratuit, dispõe de 8 psts de cnsulta e também de serviç de impressã. Pretende-se cm este serviç facilitar acess de um cada vez mair númer de munícipes a recurss infrmativs, educativs e de lazer; Bibliteca Municipal: prmve cm regularidade diversas atividades culturais, nmeadamente na área da prmçã da leitura (atividades realizadas para s aluns das esclas d Cncelh, especialmente para a Educaçã Pré-esclar e 1º Cicl, desde visitas guiadas, ateliers, hras d cnt, encntr cm escritres, espetáculs, etc...); 4 de 28

5 Cine - teatr: espaç preparad para receber espetáculs nas áreas d Teatr, Cinema, Dança e Música; Galeria Municipal, nde sã feitas expsições de arte. Rendiment Scial de Inserçã; Atendiment à Ppulaçã; Educaçã/ Açã Scial: Serviçs de api especializads que intervêm desde que a criança nasce e acmpanhand-s a lng d 1.º cicl cm api na área da Psiclgia Educacinal e Terapia da Fala; Api e Dinamizaçã da Ppulaçã Idsa; Prevençã Primária de txicdependência; Cmissã de Prteçã de Crianças e Jvens em risc (CPCJ); Dinamizaçã da Ppulaçã Juvenil; Rede Scial / Cuidads cntinuads e Api scial Equipaments Equipament Esclar Assciaçã Ppular um centr de ATL cm Creche e jardim-de-infância; Sete Salas de jardins-de-infância Quatr Esclas d 1ºCicl Uma Escla cm 2º, 3º Cicl e Ensin Secundári Equipament Desprtiv Pavilhã Gimndesprtiv Mnte Agraç Futebl Clube Cmplex da Piscina Municipal cmpst pr piscina e tanque de aprendizagem, Ginási, Sauna e banh Turc e n espaç exterir Crte de Ténis; Pavilhã de Per Negr 5 de 28

6 5 Camps de jgs distribuíds pel Cncelh Equipament de Lazer Parque Urban e de Lazer das Bandrreiras Equipament de Saúde Um Centr de Atendiment Cmplementar Um Centr de Saúde Dis Psts Médics Três Farmácias Equipament de Segurança Scial Escuteirs - Agrupament 272 CNE Assciaçã Ppular - Creche e Jardim de Infância e CATL Câmara R.S. Scial - Delegaçã Cnferência Sã Vicente de Paul Centr de Dia Lar de Terceira Idade Bmbeirs Vluntáris Equipament de Segurança Pública Guarda Nacinal Republicana. QUINTINO II - CARATERIZAÇÃO DA ESCOLA BÁSICA DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO E SANTO 6 de 28

7 1- IDENTIFICAÇÃO Esta escla situada na parte mais limítrfe da vila, iniciu as suas atividades n an letiv de 2003/2004, cm nme de Escla EB 1,2,3 de Sbral de Mnte Agraç gravad na prtaria. Prvisriamente, segund a Direçã Reginal, abriu cm 1º cicl e 5º an de esclaridade. A 8 de setembr, a prtaria nº 951-A/2003 cria-a, cm a designaçã de Escla Básica Integrada de Sbral de Mnte Agraç cm 5 lugares de 1º cicl. A Direçã fi assegurada pr uma Cmissã Executiva Instaladra pel períd de 2 ans. N an letiv de 2004/2005, verticalizu cm agrupament hrizntal de esclas d 1º cicl d cncelh e passu a Agrupament Vertical cm 1º e 2º cicl (cm a indicaçã que 3º cicl seria n an seguinte). N an letiv 2008/2009 verticalizu cm a escla de 3º cicl e secundária e ganhu a tiplgia de EB1/JI cm a Educaçã Pré-esclar e 1º cicl passand, nvamente, 2º cicl para a utra escla, situaçã esta que se mantém atualmente. N an letiv de 2011/2012, passu a designar-se Escla Básica de Sbral de Mnte Agraç e Sant Quintin 2- CARATERIZAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA EB1 DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO E SANTO QUINTINO As instalações da Escla Básica d 1ºCicl/JI sã amplas e mdernas e cnsistem em dis Blcs de salas e um Pavilhã Gimndesprtiv. BLOCO 1 BLOCO 2 EXTERIOR PISO 0 PISO 1 PISO 0 PISO 1 PAVILHÃO LOGRADOUROS Reprgrafia 2 salas de BE Jardim de Infância Gabinete de Técnicas Refeitóri 1 Sala de Sala de prfessres WC aluns prlngament de Gabinete das Técnicas 2 Parques cm WC hrári da CM (TF e psicólga) Balneáris aparelhs fixs funcináris Arrecadaçã 5 salas de aula 1 plivalente c/ parede em espelh 1 sala de trabalh 4 salas de Aulas-1º cicl 1 Labrat. de Ciências e Mat. Sala de Estimulaçã (EI-Sbral) c/gabinete para técnicas Unidade de Ensin Estruturad Gabinete Dcentes Sala de arrums WC ds funcináris Gimn Camp de jgs Espaçs de Lazer relvads e cimentads que s aluns cupam para recrei WC aluns Sala de cnvívi de aluns 1 Gabinete de Gestã e sala Desprtiv Espaç que une Blc 1 a Blc 2 reuniões está cbert pr um WC aluns (Crdenadra de telheir. Pré Estabelec). WC aluns 1ºCicl Sala pessal 7 de 28

8 BLOCO 1 BLOCO 2 EXTERIOR PISO 0 PISO 1 PISO 0 PISO 1 PAVILHÃO LOGRADOUROS N/ dcente (Assistente Operacinal) Auditóri 3 salas de aulas Sala TIC WC funcináris N Pavilhã Gimndesprtiv sã lecinadas aulas as aluns da Educaçã Pré- Esclar e a Ensin Básic: 1º, 2º e 3º Cicls. Os aluns d 2º e 3º cicls sã transprtads para este Pavilhã, uma vez que a Escla Secundária nã tem este recurs. O cntrl d serviç de transprtes ds aluns através da Empresa Ba Viagem é efetuad, em impress própri (ANEXO 1), pel funcinári destacad n Pavilhã, qual também anta n mesm frmulári a ausência às aulas de Educaçã Física ds dcentes, tend cm referência Hrári de Ocupaçã d Pavilhã (ANEXO 2) elabrad pela Crdenadra de Estabeleciment, n qual as turmas de 1º cicl só sã cntempladas, após cnheciment ds hráris estipulads para 2º cicl. Desde a sua inauguraçã edifíci mantém-se bem cnservad, limp e cuidad, bem cm s materiais de us pedagógic u lúdic, nele existentes. A mairia ds espaçs de trabalh é relativamente ampla, gzand de ba iluminaçã natural e/ u artificial. O espaç exterir é partilhad cm s aluns d jardim-de-infância. Neste espaç fi cnstruíd um parque infantil que é utilizad preferencialmente pr estes aluns, embra as crianças d 1º Cicl mais nvas, também gstem de frequentar. A manutençã ds espaçs exterires é feita pr um Assistente Operacinal, pr uma empresa de jardinagem e pels serviçs Municipalizads. 3- REGIME DE FUNCIONAMENTO O calendári esclar deste Estabeleciment de ensin, evidenciad em ANEXO 3, é anualmente definid n iníci de cada an letiv, de acrd cm despach d Ministéri da Educaçã e Ciência, e aprvadas as suas especificidades em sede de Cnselh Pedagógic deste Agrupament de Esclas. 8 de 28

9 O hrári e calendári esclar sã aprvads pela Autarquia, pels pais e encarregads de educaçã, na primeira reuniã de pais, n cas da Educaçã Préesclar O hrári de funcinament letiv da EB1 de SMA é das 9:00h às 17:30m, embra s aluns d 1º Cicl pssam entrar na escla a partir das 8:00 e sair pr vlta das 18:00hras, hra em que a escla encerra. Os hráris d 1º Cicl estã assinalads pr tques de entrada e de saída, incluind interval da manhã e da tarde, crrespndentes a hrári d tip nrmal. Relativamente as utrs temps que se reprtam às atividades de enriqueciment curricular e de ferta curricular, sã s prfessres que cntrlam s temps, dentr ds hráris das suas turmas. As especificidades ds hráris e das turmas d JI e d 1º cicl, encntram-se arquivads n dssier da Crdenaçã de Estabeleciment. O atendiment as Encarregads de Educaçã pr parte ds dcentes, é definid n iníci d an letiv e, psterirmente, é frmalizad através de mapa que é afixad na prtaria da escla e que pde ser cnsultad em ANEXO 4. Os aluns d 1º Cicl que sã transprtads nas carrinhas d ATL, esperam dentr d recint da escla, nde sã rganizads pr grups pr respnsáveis dessa entidade, para ser feit transprte para as suas instalações, tant n interval para almç, cm a fim da tarde. Os aluns que almçam na escla, u que têm durante a tarde atividades de enriqueciment curricular, permanecem na escla até a limite d hrári previst para as atividades em que estã envlvids. A permanência ds aluns n recint esclar após u entre as atividades realizadas será da respnsabilidade da Assciaçã Ppular de Sbral de Mnte Agraç, cas s aluns sejam transprtads pr esta, u da respnsabilidade ds Encarregads de Educaçã, cas s educands estejam a cuidad destes. O leite esclar é distribuíd pelas 14 salas da EB pr dis Assistentes Operacinais que têm esta tarefa incumbida, um em cada blc, para melhr cntrl das quantidades de leite existente e sald d mesm (ANEXO 5). Este prcediment nã invalida mapa de regist diári d leite (ANEXO 6), distribuíd pr alun/turma, pr parte ds dcentes, qual é entregue n últim dia de cada mês à Crdenadra de 9 de 28

10 Estabeleciment que se encarrega de infrmatizar mapa final e de enviar à Direçã, até dia 3 d mês seguinte. A EBSMASQ tem um Plan de Evacuaçã atualizad cuj riginal fi entregue na Direçã Executiva, estand, também, arquivad n Gabinete da Crdenadra de Estabeleciment. A articulaçã cm a Câmara Municipal faz-se regularmente uma vez que s seus serviçs sustentam a manutençã ds edifícis da EB e d equipament infrmátic existente nas salas de aula, através de técnics da Autarquia e da Cmissã de Prteçã de Crianças e Jvens n acmpanhament as aluns que evidenciam necessidades especiais e cm s Serviçs Sciais que mnitrizam serviç de Refeitóri da Escla, cm api da Crdenadra de Estabeleciment. Existe também um trabalh de cperaçã cm Centr de Saúde, através ds Médics de Família e da Enfermeira Chefe. Na EBSMASQ, a limpeza ds espaçs e a manutençã ds equipaments está a carg das Assistentes Operacinais, uma tarefeira a quem fram atribuídas 5 hras diárias e um guarda-nturn Acess e circulaçã n estabeleciment de educaçã e ensin De acrd cm previst n Capítul I- Dispsições gerais d Regulament Intern, artig 6º, n Capítul VI, secçã 1, artig 78º e, sbretud, tend cm bjetiv um cntrle eficaz d acess à, de frma a garantir seu nrmal funcinament e, simultaneamente, a segurança das Crianças/Aluns que s frequentam define-se que: Aluns I- Têm livre acess à Escla / Agrupament de Esclas tds s aluns que a frequentam, excet se, lhes tiver sid aplicada medida disciplinar de suspensã de escla. II- A saída de Aluns d estabeleciment de ensin só é permitida n final d períd de aulas, salvaguardand-se as seguintes exceções: 10 de 28

11 a) Quand n Cartã d Alun cnstar essa autrizaçã; REGIMENTO INTERNO DE ESTABELECIMENTO b) Em qualquer mment, acmpanhad d Encarregad de Educaçã, após term de respnsabilidade d mesm; III- A autrizaçã de saída de Aluns durante hrári letiv deve ser requerida a Prfessr Titular de Turma d Alun, pel Encarregad de Educaçã, pr escrit na Caderneta d Alun, depis de devidamente assinada, mencinand dia e a hra da saída pretendida; IV- Nã é permitida a permanência n recint da escla a Aluns, que nã estejam devidamente integrads em atividades letivas e/u de enriqueciment curricular u cuj Encarregad de Educaçã nã manifeste na Caderneta d Alun tal necessidade, n respeit pel hrári de funcinament d estabeleciment de ensin. V- Sempre que Alun pretenda sair d recint esclar, deve mstrar a Funcinári da Prtaria Cartã de Alun e/u a Caderneta Esclar, cm a autrizaçã Encarregads de Educaçã O acess destes as blcs de sala de aulas/edifícis/crredres só é permitid mediante apresentaçã de dcument identificativ e nas seguintes cndições: a) Para atendiment pel Educadr/Prfessr Titular de Turma/Diretr(a) de Turma; c) Em cas de cnvcatória específica para efeit. d) Para festas e cnvívis que envlvam a sua presença. Os Encarregads de Educaçã, u utras pessas que necessitem tratar de qualquer assunt, dirigem-se à prtaria, identificand-se e infrmand-a ds seus bjetivs Outras Pessas Tem igualmente acess a estabeleciment de ensin qualquer pessa cm justificads mtivs e devidamente identificada. a) A entrada n estabeleciment de ensin deverá ser feita cm cnheciment d Funcinári de serviç na Prtaria, cm apresentaçã de dcument de identificaçã e preenchiment de impress própri; b) A presença de elements estranhs a Estabeleciment de Ensin, em situações nã previstas anterirmente, só pderá ser autrizada pel Diretr(a); 11 de 28

12 c) Nã é permitida a entrada u permanência na escla a pessas estranhas à mesma, sem mtiv justificad; d) Qualquer Dcente u Funcinári, desde que previamente identificad e sempre que a situaçã acnselhe, deve exigir a identificaçã a qualquer element estranh à escla. A recusa d cumpriment d dispst n pnt anterir cnstitui rdem de saída d recint esclar Cmpnente Letiva e Cmpnente de Api à Família (Pré-Esclar) A rganizaçã d temp n Jardim-de-Infância divide-se em duas cmpnentes: a cmpnente letiva e a cmpnente nã letiva, que abrange almç e prlngament de hrári, qual é assegurad até às 18.00hras, pr uma animadra que é cadjuvada pr uma Assistente Operacinal. A essa hra s aluns que ainda se encntram neste espaç, sã transprtads para ATL da Assciaçã. É de salientar que tds s aluns deste nível de ensin, almçam n refeitóri da escla. O Jardim de Infância de SMA tem em funcinament a Cmpnente de Api à Família (CAF) nas seguintes mdalidades: serviç de refeições, prlngament de hrári e transprte de aluns. Cmpnente Letiva Hrári Pessal Dcente Pessal nã Dcente 9h- 12h 13h-15h 2 Educadras d QA 2 AO da C.M. Cmpnente nã letiva Almç Prlngament Hrári 12h 13h 08h-09h 15h-18h00 Pessal Nã dcente 2 AO da C.M. 1 Animadra Scicultural 1 Assistente A Lei-Quadr (lei nº 5/97 de 10 de fevereir), prevê que, para além ds períds específics para desenvlviment das atividades pedagógicas, curriculares u letivas, 12 de 28

13 existam atividades de animaçã e api às famílias, de acrd cm as necessidades destas (art.12º). As duas Assistentes Operacinais das salas A e B da Câmara Municipal asseguram, para além da cmpnente letiva, as refeições das crianças e realizam as limpezas ds espaçs educativs Serviçs: refeitóri, reprgrafia Serviç de Refeições O Refeitóri da EB de SMASQ serve uma média de 200 refeições diárias. Este serviç é assegurad pr uma empresa d ram alimentar selecinada pr cncurs públic pela Câmara Municipal. Embra esta tenha a tutela d serviç d refeitóri, é a escla a gerir diariamente prcess, tend cm incumbência infrmar a Câmara Municipal de td e qualquer incumpriment relativ à linha, cumpriment das ementas e à qualidade d serviç prestad pelas funcinárias. Para esta mnitrizaçã d Serviç d Refeitóri a Crdenadra de Estabeleciment criu um mapa (ANEXO 7), n qual sã antadas as anmalias que se registam diariamente. Existe, também, um mapa (ANEXO 8) mensal ds aluns inscrits para almç, pr turma, qual é preenchid pr uma Assistente Operacinal, que recebe diariamente as desistências infrmadas pels Encarregads de Educaçã u via prfessres e as faz chegar à respnsável pel Refeitóri. A fim de agilizar prcess, slicita-se as Encarregads de Educaçã que sempre que s seus educands nã almcem infrmem a escla, até às h d dia anterir e excecinalmente n própri dia até às 9:30 (para a escla via telefne). O nã cumpriment desta nrma pr parte ds mesms implica pagament da refeiçã Existe, ainda, um mapa mensal ds adults inscrits para almçarem n refeitóri, que é preenchid pela referida funcinária (ANEXO 9). N final d mês, a Crdenadra de Estabeleciment entrega s mapas na Direçã d Agrupament que psterirmente s envia à Câmara Municipal, para que esta prceda a envi das respetivas faturas as utentes. 13 de 28

14 3.3.2 Reprgrafia O serviç de Reprgrafia funcina cm pedids realizads cm 48 hras de antecedência, salv situações de urgência justificadas. Os pedids para serviç de reprgrafia devem ser realizads pels prfessres, n própri lcal, u, excecinalmente, deixads num recipiente própri na secretária da respnsável pels assistentes peracinais, quand aquele espaç estiver encerrad. Os serviçs referentes à Reprgrafia têm um expediente reduzid, devid à falta de Assistente Operacinal que têm de manter limps s restantes espaçs da escla e ainda fazer a vigilância ds aluns Hráris ds diferentes serviçs Serviç Hrári Refeitóri Reprgrafia Das 12h às 13h (11.45 para as turmas que têm nataçã n períd da tarde) 09:00-11:00; 14:15-16:00 (2.ª/4ª); 14:15-17:00 (3.ª/5.ª/6.ª) 3.4. Vigilância d recrei Durante s intervals s aluns pdem percrrer td espaç físic exterir da escla, desde camp de futebl, a parque e às áreas abertas em que é pssível realizar jgs e utras brincadeiras, desde que devidamente supervisinads. Na EB1 a vigilância ds aluns é efetuada pels Assistentes Operacinais e pels prfessres que sã escalnads de acrd cm mapa apresentad em ANEXO 10. N jardim-de-infância a vigilância ds aluns é realizada pelas educadras-deinfância titulares de grup e pelas Assistentes Operacinais Atividades de Enriqueciment Curricular (AEC) O Agrupament dispnibiliza várias atividades de Enriqueciment Curricular a 1º Cicl, rientadas pr dcentes clcads pela Câmara Municipal, que sã cntratads 14 de 28

15 an a an, de acrd cm as necessidades. Sã elas Inglês, Expressã Musical e Nataçã. As turmas têm hráris definids para a realizaçã das diferentes atividades. Cada Prfessr Titular de Turma é respnsável pela supervisã das atividades prprcinadas à sua turma. A inscriçã nestas atividades é facultativa. N entant, s aluns só se pdem inscrever n cnjunt das atividades prpstas para respetiv an, trnand-se a sua frequência brigatória após inscriçã. Os aluns que nã estã inscrits nas referidas atividades pdem permanecer n recint esclar até serem levads pels Encarregads de Educaçã u pela carrinha d ATL, send s EE respnsáveis pels seus educands. Cm atividade, da respnsabilidade d agrupament, apresentams Atividades Lúdicas Expressivas. A EB de SMASQ tem cm serviçs pedagógics: Bibliteca Esclar (BE), animada pr uma dcente biblitecária a temp parcial, nã cbrind a mancha letiva ds aluns. A Prfessra Biblitecária articula cm s Prfessres Titulares de Turma/ Educadras das várias turmas d Pré-esclar e d 1º cicl d Agrupament. Sala de Infrmática, nde sã lecinadas as aulas de infrmática, as aluns d 3º e 4º ans de esclaridade, pels PTT e u prfessres api educativ. Auditóri que também funcina cm Sala de Víde. N presente an letiv a Escla integrará s seguintes Prjets de Desenvlviment Educativ d Agrupament, para além da BE: - Prjet Ec- Esclas - Prjet de Educaçã para a Saúde (PES) 3.6. Visitas de Estud - Regulament Entende-se pr Visita de Estud, n presente regiment, as deslcações a exterir da Escla, rganizadas pr prfessres e aluns, visand a bservaçã, análise, descriçã u melhr cmpreensã de manifestações sciais, culturais, científicas u humanas que, integradas em estratégias das disciplinas, cntribuam, de uma maneira psitiva, para a frmaçã integral ds aluns. 15 de 28

16 As atividades / visitas de estud a desenvlver para s estabeleciments de Ensin d 1º Cicl d Ensin Básic e da Educaçã Pré-esclar, sã planeadas pels PTT e enviadas para aprvaçã. Também Prjet Curricular de Grup (PCG), cnstruíd cm base nas Orientações Curriculares para a Educaçã Pré-Esclar, tend em cnta a especificidade e as necessidades d grup, prevê atividades de explraçã d mei e a participaçã em atividades de âmbit lcal cm a cmunidade educativa. O mesm se aplica a Plan de Turma (PT), n 1º cicl. Para a participaçã ds aluns nas Visitas de Estud é necessária a autrizaçã presencial d Encarregad de Educaçã, devend este para efeit, assinar um term de respnsabilidade. Neste, também serã dads a cnhecer s hráris, s bjetivs, as metas a atingir e itinerári a percrrer. Sem autrizaçã d Encarregad de Educaçã alun nã pde tmar parte nas Visitas de Estud, mas terá de cmparecer na escla vist estar em temp letiv e, pr este mtiv, deverá estar assegurada a sua cupaçã em atividades pré estabelecidas, numa turma d mesm an de esclaridade, de preferência. A prgramaçã das visitas e a sua rganizaçã (cntacts cm transprte, rçaments, reclha de verba, cntacts e marcações ds lcais a visitar, ) sã da respnsabilidade d Prfessr Titular de Turma/Crdenadr da Atividade, que pderá cntar cm a cadjuvaçã da Crdenadra de Estabeleciment. O dcument Prpsta de Visita de Estud é enviad pr para a Diretra seguind s prcediments em vigr. Após aprvaçã em Cnselh Pedagógic, a Crdenadra de Estabeleciment verifica a pssibilidade de dispnibilizaçã de Assistente Operacinal da própria Escla para cumprir ráci de um adult para cada dez aluns e infrma a Direçã. Para a realizaçã das visitas de estud, prfessr deverá infrmar s Encarregads de Educaçã das eventuais alterações n hrári e a Crdenaçã da escla infrmará as entidades respnsáveis pels transprtes esclares, pel cancelament das AEC e ds almçs. Sem detriment d dever de vigilância e custódia que recai sbre as funções ds prfessres em qualquer atividade, deverã ser bjet de crrespnsabilizaçã das famílias s eventuais dans que s aluns venham a causar n decurs da mesma que nã estejam cberts pel segur esclar, independentemente de qualquer prcediment disciplinar. 16 de 28

17 Após a realizaçã da Visita de Estud, dcente respnsável deverá infrmar, pr escrit, a Direçã, de qualquer crrência irregular, que tenha tid lugar durante a mesma Segur esclar / acidentes O segur esclar cbre s acidentes que s aluns tenham dentr d recint esclar, u nutras instalações nde decrrem as atividades esclares, bem cm n trajet casa/escla/casa, a pé e n temp anterir a iníci u psterir a term d hrári esclar, cnfrme Prtaria nº 413/99 de 8 de junh. Além de serem pagas as despesas imediatas (episódis de urgências e utrs) também sã cmparticipadas as despesas que decrrem d tratament das sequelas d acidente inicial, mediante apresentaçã de declaraçã médica que cmprve essas mesmas sequelas. (N entant é sempre necessári Cartã de Assistência Médica a que alun tem direit). Nta 1: O Segur só paga que subsistema/sistema (Caixa) nã pagar; Nta 2: Os aluns terã que ser assistids nas instituições hspitalares públicas. O Segur Esclar carece, sempre, d testemunh d acidentad, d prfessr presente (se fr cas diss) e de uma testemunha que tenha assistid a acidente d alun. Os inquérits de acidente sã de caráter brigatóri, já que só assim se pderã requisitar as verbas para se pder prceder as pagaments devids. A escla garante ainda acmpanhament d acidentad pr um funcinári da Escla a hspital e cntact cm Encarregad de Educaçã Prcediment em cas de acidente O prcediment a efetuar em cas de acidente cnta d seguinte: -Cmunicar acidente a Encarregad de Educaçã e, verificar a pssibilidade deste acmpanhar alun a Serviç de Saúde. -Cas nã se verifique essa pssibilidade, chamar mei de transprte adequad à situaçã (ambulância). -O alun deve ser acmpanhad pr uma Assistente Operacinal, cas EE nã tenha pssibilidade de fazer; -Deve fazer-se acmpanhar pela ficha de Segur Esclar/Inquérit de Ocrrência, ftcópia d Cartã de Utente e cntacts de urgência, assim cm infrmaçã sbre alguma dença u alergia relevante. 17 de 28

18 -Assim que pssível Encarregad de Educaçã deve cmparecer n Serviç de Saúde. -Slicitar Declaraçã de presença ns Serviçs de Saúde. -O regress d alun e d acmpanhante deve ser sempre efetuad em transprte públic, salv se huver indicaçã médica (pr escrit) de que alun deverá utilizar utr mei de transprte (ambulância). -O alun deve ser encaminhad para Centr de Saúde de Sbral de Mnte Agraç (depis das 14:00 hras) u para Centr Hspitalar de Trres Vedras. Númers de telefne: Bmbeirs Vluntári de S. M. A. Agrupament AEJICS Pagament n destinatári Atendiment as Encarregads de Educaçã O atendiment semanal as Encarregads de Educaçã, pr parte da Crdenadra de Estabeleciment, é feit às 2ª.feiras, das 9:00h às 10:30h. O mapa de atendiment mensal as encarregads de educaçã ds aluns da EB1/JI de SMA, pr parte ds prfessres, é apresentad em Anex 4. O atendiment as encarregads de educaçã pder-se-á efetuar nutr dia, mediante marcaçã prévia, se a Encarregad de Educaçã fr impssível cmparecer n dia estipulad. Para utras reuniões a realizar durante an letiv, s Encarregads de Educaçã serã infrmads pr escrit, cm a antecedência de quarenta e it hras. 4- POPULAÇÃO ESCOLAR 4.1. Aluns O crp discente é muit hetergéne, prvém da freguesia de Sbral de Mnte Agraç e das lcalidades vizinhas. A mairia destes aluns vive cm s pais e na sua mairia a mãe é seu Encarregad de Educaçã. O cmprtament ds aluns deve nrtear-se pel princípi da participaçã ativa, respnsável e cnstrutiva, na vida e rganizaçã da Escla, de frma a pssibilitar uma 18 de 28

19 aprendizagem que permita a preparaçã ds estudantes para plen exercíci das funções de cidadãs respnsáveis. N Quadr I pdems ver a distribuiçã da ppulaçã esclar da EB de SMASQ, referente a presente an letiv: Ppulaçã Esclar An Letiv de 2014/2015 N.º de Turmas N.º de Aluns Pré - Esclar º Cicl Ttal N ANEXO 11, encntra-se mapa ds aluns pr turmas da EBSMASQ Direits e Deveres Os direits e deveres ds aluns encntram-se definids na lei Vigente e n Regulament Intern, Capítul V, secçã 1, artigs 58º e 59º respetivamente Delegad e Subdelegad Um ds direits cntemplads é de eleger Delegad e Subdelegad de Turma encntrand n Regulament Intern, Capítul V, secçã 1, artig 60º as rientações para a eleiçã e respnsabilidades inerente a este papel Assiduidade Os terms da Assiduidade ds aluns encntram-se definids na lei Vigente e n Regulament Intern, Capítul V, secçã 1, artig62º. Para além d dever de frequência da esclaridade brigatória, ns terms da lei, s aluns sã respnsáveis pel cumpriment d dever de assiduidade. Os pais e encarregads de educaçã ds aluns menres de idade sã respnsáveis cnjuntamente cm estes pel cumpriment ds deveres referids anterirmente. O dever de assiduidade implica para alun quer a presença na sala de aula e demais lcais nde se desenvlva trabalh esclar, quer uma atitude de empenh intelectual e cmprtamental adequadas, de acrd cm a sua idade, a prcess de ensin e aprendizagem. 19 de 28

20 A falta é a ausência d alun a uma aula u a utra atividade de frequência brigatória, u facultativa cas tenha havid lugar a inscriçã. Tdas as situações referentes às faltas ds aluns, sã analisadas de acrd cm a legislaçã em vigr Avaliaçã A avaliaçã das aprendizagens ds aluns será realizada de acrd cm previst na Legislaçã em vigr e n Regulament Intern (Capítul IV, secçã 1). A avaliaçã ds aluns é cntínua e n fim ds períds letivs faz-se a avaliaçã através d preenchiment d respetiv Regist de Avaliaçã. A avaliaçã é feita tend em cnta s Critéris de Avaliaçã definids pel Agrupament de Esclas de Sbral de Mnte Agraç, s quais deverã ser d cnheciment ds encarregads de educaçã. Se s aluns (2º, 3º e 4º an de esclaridade) nã estiverem a atingir s bjetivs prpsts nem a desenvlver as cmpetências de final de cicl de frma satisfatória, s Encarregads de Educaçã/Pais serã avisads n devid mment de avaliaçã, de que s seus educands crrem risc de ficar retids. Para essas crianças, a prfessra tratará de estabelecer as medidas cnstantes na legislaçã em vigr Pessal Dcente O crp dcente da EB de SMASQ mairitariamente estável, é um fatr que abna a favr de um Prjet Educativ cnsistente, pis prmve a cntinuidade e slidez n desenvlviment de estratégias de enriqueciment rganizacinal e educativ d Agrupament. É cmpst pr: 1 Crdenadra de Estabeleciment que também exerce funções de prfessra de Api Educativ; 12 prfessres de 1º cicl cm turma; 2 educadras cm Grup; 1 biblitecária d Grup 200. Circulam, ainda, pela EB 11 dcentes cm funções letivas itinerantes/aec, 4 dcentes de Educaçã Especial, 4 dcentes de api educativ em temp parcial, 1 terapeuta da fala, 1 psicólga, 4 Técnicas da APERCIM Prjet CRI. As cmpetências ds educadres titulares de grup e prfessres titulares de turma encntram-se definidas na legislaçã vigente e n Regulament Intern Capítul III, secçã 1, artig 37º, D, pnt 2 e 3 respetivamente. 20 de 28

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: DOC. CA/N/15/08 PROGRAMA OPERACIONAL ALENTEJO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO URBANO E EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL INSTRUMENTO: MOBILIDADE TERRITORIAL O presente dcument suprta a apreciaçã d

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito

Aplicações Clinicas. Patologia Clínica. Luís Lito 0 Aplicações Clinicas Patlgia Clínica Luís Lit 1 Evluçã 1. 1993 - Infrmatizaçã parcial d Lab. de Química Clinica 2. 1996 - Inici da infrmatizaçã d Serviç de Patlgia Clínica Clinidata (sistema UNIX/COBOL

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 8º an Subdmíni Cmunicaçã e clabraçã CC8 Cnheciment e utilizaçã adequada e segura de diferentes tips de ferramentas de cmunicaçã,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE, CULTURA E LAZER DEPARTAMENTO DE ESPORTE E LAZER

PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE, CULTURA E LAZER DEPARTAMENTO DE ESPORTE E LAZER PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE, CULTURA E LAZER DEPARTAMENTO DE ESPORTE E LAZER CAMPEONATO MUNICIPAL ESTUDANTIL DE FUTEBOL DE CAMPO BOM DE BOLA, BOM NA ESCOLA. 2008

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS AUXILIAR DE SECRETARIA Organizar e manter atualizad serviç de escrituraçã esclar. Redigir fícis, expsições de mtivs, atas, declarações, certidões de cntagem

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

Plano de Formação 2012

Plano de Formação 2012 1 INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE Plan de Frmaçã 2012 Centr de Empreg e Frmaçã Prfissinal de Prtimã 2 APRENDIZAGEM nível IV SAÍDA PROFISSIONAL INICIO FINAL

Leia mais

Regulamento interno. Constituição da equipa pedagógica: Em Campo, Animação Turística Unipessoal, Lda. Entidade Promotora e Organizadora:

Regulamento interno. Constituição da equipa pedagógica: Em Campo, Animação Turística Unipessoal, Lda. Entidade Promotora e Organizadora: Regulament intern A Em Camp pera cm a marca MyCamp e é uma entidade que prmve e rganiza prgramas para crianças, nmeadamente camps de férias, estadias e circuits temátics. Realizams atividades destinadas

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados.

Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados. Quais sã as vantagens de criar uma assciaçã? A vantagem de criar uma assciaçã é pder agir legalmente em nme dela, mvimentand recurss e firmand cnvênis. Os cnvênis pdem ser firmads cm s órgãs públics e

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO

CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO EA.TAS.6.1.13 HELPCARE CURSO DE TRIPULANTE DE AMBULÂNCIA DE SOCORRO Prpsta Curs de Tripulante de Ambulância de Scrr Fundamentaçã O scrr e transprte de vítimas de dença súbita e/u trauma é executad pr váris

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Proposta de Plano de Atividades e Orçamento

Proposta de Plano de Atividades e Orçamento Prpsta de Plan de Atividades e Orçament Mandat 2013/2014 Direçã da Assciaçã de Estudantes d Externat Frei Luís de Susa Almada, 8 de utubr de 2013 Assciaçã de Estudantes d Externat Frei Luís de Susa Prpsta

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

Fund Sci al Trilh da Nascente 1 Índice 2 Intrduçã... 2 3 Participante... 2 3.1 Natureza de participante... 2 3.2 Definiçã d tip de participante... 2 4 Caracterizaçã... 2 4.1 Extensã... 2 4.2 Prpriedades...

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

ROTEIRO DE PROJETOS. 6 Email: Pirilampo.sede@hotmail.com

ROTEIRO DE PROJETOS. 6 Email: Pirilampo.sede@hotmail.com ATENÇÃO: Este frmulári cntém rientações quant a preenchiment de cada camp. Após preenchiment, excluir as rientações que aparecem em clchetes ([]). I. INFORMAÇÃO SOBRE A ORGANIZACAO RESPONSÁVEL PELO PROJETO

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais