PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013."

Transcrição

1 PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS OU MAIS DE DISTORÇÃO SÉRIE-IDADE, NÃO ALFABETIZADOS, MATRICULADOS NAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, n us das atribuições que lhe fram cnferidas pela Lei nº 3.043/75, e cnsiderand a necessidade de prmver a alfabetizaçã de tdas as crianças que frequentam a rede esclar pública estadual, bem cm dispst na Lei nº 9.878, publicada n Diári Oficial de 13 de julh de 2012, RESOLVE: Art. 1º Autrizar funcinament d Prjet AlfabetizAÇÃO para atendiment a estudantes das turmas d 2º, 3º e 4º ans e 4ª séries d ensin fundamental, cm dis ans u mais de distrçã série-idade, nã alfabetizads, n hrári regular das esclas estaduais, cm a finalidade de melhria na aprendizagem para 100% ds estudantes participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO, em leitura, escrita e cnheciment lógic matemátic. 1º Cnsideram-se estudantes das turmas d 2º, 3º e 4º ans e 4ª séries d ensin fundamental, cm distrçã série-idade e defasagem na aprendizagem: I. estudantes cm idade mínima de 09 ans cursand 2º an; II. estudantes cm idade mínima de 10 ans cursand 3º an; III. estudantes cm idade mínima de 11 ans cursand 4º an; IV. estudantes cm idade mínima de 11 ans cursand a 3ª série; V. estudantes cm idade mínima de 12 ans cursand a 4ª série; VI. estudantes das turmas d 2º, 3º e 4º ans e 4ª séries d ensin fundamental que nã dminam as cmpetências básicas de leitura, interpretaçã, prduçã escrita em língua prtuguesa e cnheciment lógic matemátic. 2º O Prjet AlfabetizAÇÃO em 2013 atenderá 78 esclas que tenham, n mínim, 10 aluns, cnsiderand dispst n 1º e adtand s seguintes critéris: I. esclas abaix da meta d IDEB; II. esclas participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO em 2012 até atingir númer de esclas para Art. 2º O Prjet AlfabetizAÇÃO, privilegiará trabalh cm s diferentes gêners textuais, ampliand a cmpetência linguística e discursiva de frma articulada cm s prfessres regentes, cnsiderand: I. a utilizaçã ds espaçs alternativs de aprendizagens dispníveis na escla para atendiment a grups de estudantes; II. desenvlviment de aulas articuladas cm prfessr da turma de rigem d estudante na própria sala de aula e/u utrs espaçs; III. a integraçã ds cnheciments, pr mei d trabalh intensiv cm a leitura, a escrita, a interpretaçã de texts e cnheciment lógic matemátic; IV. resgate da autestima e a crença na capacidade de aprender de cada estudante. Art. 3º A metdlgia utilizada n Prjet AlfabetizAÇÃO pressupõe a utilizaçã de material elabrad pela SEDU cm api de prfessres referência, atendend as cnteúds e habilidades definidas n Currícul Básic da Rede Estadual, cnfrme ANEXO I e cnstitui-se em: I. Cadern d Prfessr: destinad a rientar a prática d prfessr junt as estudantes d Prjet AlfabetizAÇÃO, cntempland a utilizaçã ds espaçs e recurss pedagógics dispníveis nas esclas; cntend 8 (it) sequências didáticas semanais; II. Cadern d Estudante: cmpreende atividades práticas de leitura e escrita para estudante, cntend 70 aulas, para serem utilizadas na sala de aula e em casa. Art. 4º O Prjet AlfabetizAÇÃO reginal. pressupõe a atuaçã de prfessres alfabetizadres e de crdenadr 1º - A lcalizaçã de prfessres d Prjet AlfabetizAÇÃO cnsidera: I. Entre 10 e 20 estudantes 1 prfessr alfabetizadr; II. Entre 21 a 35 estudantes - 2 prfessres alfabetizadres; III. Acima de 36 estudantes - 3 prfessres alfabetizadres. 2º - Para atuar na funçã dcente, prfessr cumprirá carga hrária semanal de 20 hras de trabalh n Prjet AlfabetizAÇÃO, cnfrme Anex Únic da Lei nº 9.878/12. 3º - Para atuar cm crdenadr será designad prfissinal efetiv da rede estadual a ser lcalizad na SRE, priritariamente, cm carga hrária de 40 hras semanais, cm a funçã de realizar assessrament/acmpanhament pedagógic na escla a um grup de, n mínim 10 esclas e n máxim 19 esclas pr crdenadr. 4º - N cas em que númer de esclas participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO nã cntemplar quantitativ previst n 3º, a designaçã de crdenadr, a ser lcalizad na SRE, pderá cnsiderar a sma d cnjunt ttal de esclas cm prjets/prgrama d ensin fundamental, mediante aprvaçã pela SEEB/GEIEF.

2 5º - A cntrataçã de prfessres em regime de designaçã temprária bservará quantitativ máxim estabelecid n Anex Únic da Lei nº 9.878/2012. Art. 5º Os critéris para prviment de prfessres serã prevists em edital específic, cntempland prfessres licenciads e, excepcinalmente, nã habilitads, admitind-se, a títul precári, prfissinais de áreas afins e estudantes de curs de licenciatura, a partir d 5º períd. 1º - A prática d prfessr que atuará n Prjet AlfabetizAÇÃO será avaliada durante td prcess, pela equipe gestra da escla, bem cm, pel crdenadr d Prjet AlfabetizAÇÃO, pr mei da bservaçã e registrs em frma de relatóris, devend ser imediatamente substituíd em cas de nã atendiment a art. 7º, incis V desta Prtaria. 2º - A prática d crdenadr d Prjet AlfabetizAÇÃO será avaliada durante td prcess pela SRE, pr mei da bservaçã e registrs em frma de relatóris, devend ser imediatamente substituíd em cas de nã atendiment às exigências d art. 7º, incis III desta Prtaria. Art. 6º Para aferir desempenh ds estudantes ns váris mments da aprendizagem serã adtadas as seguintes frmas de avaliaçã, sb a respnsabilidade da unidade esclar, cnfrme rientações da unidade central: I. Diagnóstica, na etapa inicial (perfil de entrada); II. Em prcess, para intervenções durante percurs de estuds; III. Avaliaçã final, a términ d Prjet AlfabetizAÇÃO (perfil de saída). Parágraf únic A avaliaçã geral sbre desenvlviment d Prjet AlfabetizAÇÃO será realizada n âmbit da escla, da Superintendência Reginal de Educaçã e da Unidade Central, em dis mments distints, send que n primeir haverá a apresentaçã ds resultads parciais e n últim, apresentaçã ds resultads finais. Art. 7º Sã atribuições das equipes gestras: I. SEEB/GEIEF: a) autrizar funcinament d Prjet AlfabetizAÇÃO ; b) realizar encntr de frmaçã para s técnics das Superintendências Reginais de Educaçã respnsáveis pela açã; c) reprduzir e distribuir material pedagógic específic para subsidiar a prática ds prfessres; d) mnitrar e avaliar Prjet AlfabetizAÇÃO pr mei de relatóris d sistema infrmatizad cm peridicidade mensal; e) participar da reuniã de avaliaçã d Prjet AlfabetizAÇÃO rganizada pela Superintendência Reginal de Educaçã; f) realizar reuniã de avaliaçã parcial e final d Prjet AlfabetizAÇÃO cm as reginais, para apresentaçã de resultads. II. SRE: a) realizar reuniã cm a equipe gestra da escla para apresentaçã e rientaçã sbre Prjet AlfabetizAÇÃO ; b) realizar encntr de frmaçã para s prfessres alfabetizadres que atuarã n Prjet AlfabetizAÇÃO ; c) rientar as esclas quant à rganizaçã das turmas, a elabraçã de crngrama das aulas, e a reuniã cm as famílias ds estudantes participantes; d) acmpanhar as esclas na implementaçã e desenvlviment d Prjet AlfabetizAÇÃO, na ausência d crdenadr designad; e) realizar reuniões mensais de avaliaçã cm s prfessres participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO ; f) prvidenciar a substituiçã d prfessr que nã atenda as exigências d Art. 8º incis V; g) realizar a avaliaçã prevista n Parágraf Únic d art. 7º. h) avaliar a prática d prfessr crdenadr d Prjet AlfabetizAÇÃO cnfrme previst n 2º d Art. 5º. i) analisar quinzenalmente s registrs das esclas em articulaçã cm relatóris de assessrament ds crdenadres pr mei d sistema infrmatizad; III. Crdenadr d Prjet AlfabetizAÇÃO : a) participar da rganizaçã d encntr de frmaçã para s prfessres alfabetizadres que atuarã n Prjet AlfabetizAÇÃO ; b) bservar interesse, envlviment e desempenh ds estudantes; c) participar da aplicaçã d perfil de entrada e saída ds estudantes d Prjet AlfabetizAÇÃO ; d) analisar, cm s prfessres, pedaggs e s diretres, s resultads btids a partir d perfil de entrada e saída; e) analisar cm prfessr desempenh d estudante, identificand pssíveis causas de baix aprendizad e a nã frequência; f) acmpanhar as esclas na implementaçã e desenvlviment d Prjet AlfabetizAÇÃO ; g) encaminhar à equipe gestra da escla s cass de infrequência de estudantes, slicitand prvidências, junt a Cnselh Tutelar e acmpanhar as prvidências adtadas, ferecend infrmações sbre estudante quand necessárias; h) bservar cmprtament e as atitudes ds estudantes, quand da visita as grups de atendiment, identificand pssíveis mudanças; i) rientar a prática d prfessr, requerend junt a pedagg e/u diretr material necessári para desenvlviment das aulas, a fim de trná-las dinâmicas e atraentes, cm precniza a metdlgia d Prjet AlfabetizAÇÃO ;

3 j) estabelecer uma relaçã de cnfiança e afet junt as estudantes e suas famílias, bjetivand identificar desinteresse d alun pela escla e pssíveis causas; k) administrar, planejar, rientar, acmpanhar e avaliar desempenh e s resultads ds prcesss de ensin e de aprendizagem. l) avaliar a prática d prfessr d Prjet AlfabetizAÇÃO cnfrme previst n 1º d Art. 5º. m) verificar semanalmente s registrs esclares n sistema infrmatizad cm devidas críticas e registrs de incnsistências; IV. Escla equipe técnica e pedagógica: diretr, pedagg e crdenadr de turn: a) crdenar, implementar e acmpanhar desenvlviment d Prjet AlfabetizAÇÃO ; b) prmver a articulaçã d prfessr d ensin regular cm d prfessr d Prjet AlfabetizAÇÃO ; c) dispnibilizar materiais pedagógics para subsidiar a prática dcente; d) acmpanhar trabalh d prfessr e avaliar s resultads; e) rientar a prática d prfessr d Prjet AlfabetizAÇÃO ; f) estabelecer cntat permanente cm a família ds aluns d Prjet AlfabetizAÇÃO e cm Cnselh Tutelar para prvidências quant as prblemas de infrequência a Prjet AlfabetizAÇÃO ; g) slicitar a substituiçã d prfessr que nã atenderem as exigências d Art. 8º incis V; h) elabrar para an seguinte, prpsta de acmpanhament as estuds ds aluns egresss d Prjet AlfabetizAÇÃO ; i) elabrar relatóri de desenvlviment d Prjet AlfabetizAÇÃO e apresentaçã de resultads. V. Prfessr alfabetizadr: a) participar d encntr de frmaçã sbre a metdlgia d Prjet AlfabetizAÇÃO ; b) desenvlver prcess de alfabetizaçã ds estudantes prmvend a sua cmpetência leitra e escritra; c) cmunicar-se, peridicamente, cm prfessr das turmas regulares de ensin cm bjetiv de prmver a articulaçã das atividades educativas; d) realizar estuds permanente sbre alfabetizaçã inclusive ns mments cletivs da escla; e) desenvlver atividades significativas e diversificadas que atendam as especificidades da turma; f) utilizar diferentes materiais pedagógics e ambientes educativs, cnfrme rienta dcument específic d Prjet AlfabetizAÇÃO ; g) cntrlar a frequência ds aluns a Prjet AlfabetizAÇÃO e infrmar à equipe gestra e prfessr crdenadr sbre a nã frequência ds estudantes para prvidências; h) alimentar diariamente sistema infrmatizad cm registrs da açã pedagógica realizada; Art. 8º Sã cmprmisss da família ds estudantes participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO, enquant instituiçã parceira da escla: a) acmpanhar a execuçã d Prjet AlfabetizAÇÃO da escla; b) incentivar filh a participar d Prjet AlfabetizAÇÃO ; c) cmprmeter-se cm a frequência d filh às aulas; d) incentivar filh na realizaçã das tarefas de casa; e) interessar-se pela vida esclar d filh; f) cmunicar à escla mtiv da falta d filh; g) cnhecer s prfessres d filh e manter diálg, cm eles, cmpartilhand infrmações sbre desenvlviment esclar da criança; h) ir à escla peridicamente para bter infrmações sbre desenvlviment esclar d filh; i) manter cm s prfessres um relacinament de respeit, clabraçã e urbanidade; j) incentivar filh a frequentar s espaçs de leitura da escla e da cmunidade, bjetivand desenvlver gst pela leitura. Art. 9º Para atuaçã n Prjet AlfabetizAÇÃO serã selecinads prfessres cnfrme previsã da Lei nº 9.878, publicada n Diári Oficial de 13/07/2012, pr mei de prcess seletiv. Art. 10. Esta Prtaria entra em vigr na data de sua publicaçã. Art. 11. Fica revgada a Prtaria nº 086-R, de 27 de agst de Vitória, 14 de març de KLINGER MARCOS BARBOSA ALVES Secretári de Estad da Educaçã

4 ANEXO I COMPETÊNCIA, HABILIDADES E CONTEÚDOS EM LÍNGUA PORTUGUESA COMPETÊNCIAS HABILIDADES CONTEÚDOS Ampliar a cmpetência cmunicativa d estudante. Ampliar a cmpetência leitra e a cmpetência escritra. Utilizar diferentes linguagens e diferentes tiplgias textuais. Cnviver, crítica e ludicamente, cm situações de prduçã de texts, atualizad em diferentes suprtes e sistemas de linguagem ral, escrita, imagética, digital dentre utras. Demnstrar capacidade de reflexã sistemática sbre a língua e a linguagem. Aprveitar s cnheciments desenvlvids na escla para elabraçã de prpstas de intervençã slidária na realidade, respeitand s valres humans, cnsiderand sua diversidade scicultural. Emitir piniã e fazer cmentáris pessais. Transmitir recads cm bjetividade e clareza. Observar e descrever detalhes de diferentes situações ctidianas. Expressar-se ralmente cm clareza e bjetividade. Cnhecer alfabet e a representaçã escrita de cada letra identificand-as na frmaçã das palavras. Recnhecer a rdem das letras n alfabet. Dminar cnvenções gráficas: rientaçã da escrita, alinhament da escrita, segmentaçã ds espaçs em branc e pntuaçã. Identificar aspects snrs da língua. Ler, e recnhecer, texts variads e de diferentes gêners. Ler cm fluência e cmpreensã, desenvlvend a capacidade de análise crítica. Interpretar texts rais (a partir de histórias uvidas), gravuras, gráfics e utrs. Cmpreender glbalmente text lid, identificand assunt principal. Prduzir texts de váris gêners, bedecend às estruturas e s mecanisms de articulaçã da língua. Reescrever texts lids e uvids identificand s diferentes tips de letras. Prcesss rais de interlcuçã: recads, diálgs, entrevistas, text cletiv, prduçã e interpretaçã de diverss gêners textuais (pemas, trava-línguas, quadrinhas cm rimas, história em quadrinhs, histórias mudas, gráfics, letras musicais, cantigas de rda). Práticas discursivas: descriçã de gravuras, atividade de escuta (história lida e cntada), relats rais, exercícis ds diferentes níveis de fala. A diferença entre letra, desenh e númer. As diferentes frmas, s sns e s nmes das letras d alfabet (habilidade de diferenciar). Ordem alfabética. Alinhament e direçã cnvencinal da escrita. Estrutura e articulaçã d text (segmentaçã das palavras n text, letra maiúsculas e minúsculas, pntuaçã, paragrafaçã, margem, separaçã de palavras. Leitura, interpretaçã ral e escrita. Leitura de gêners textuais diversificads e diferentes suprtes. Prduçã de diverss gêners textuais (estud de rótuls, cartazes, placas, símbls, jrnais, gibis, preenchiment de ficha e dads diverss e utrs). Atividades reflexivas de prduçã textual (reescrita e autcrreçã de text)

5 ANEXO II 1. SRE: 2. Escla: 3. Municípi: ALFABETIZAÇÃO Estrutura básica d Prjet AlfabetizAÇÃO Esclar I - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO 4. Justificativa: Os alts índices de evasã e de reprvaçã que caracterizam fracass esclar e revelam uma grande cntradiçã da escla. Fala-se em igualdade de direits e de prtunidades para tds s cidadãs e, n entant, a prática esclar se mstra excludente em relaçã à mairia da ppulaçã. O tema em questã tem sid bjet de estuds e reflexões de educadres e pesquisadres há várias décadas, prém, as pesquisas cntinuam apntand alts índices de reprvaçã n ensin públic brasileir. Segund teórics da educaçã, pr mei da aprvaçã-reprvaçã, a avaliaçã, na escla, separa s supsts capazes e incapazes. 5. Objetivs: Geral: Oferecer atendiment diferenciad as estudantes cm dis ans u mais de distrçã série-idade, frequentes das turmas d 2º, 3º, 4º e 5º ans e 3ª e 4ª séries, das esclas d ensin fundamental, nã alfabetizads, pr mei de nvas prtunidades de aprendizagens cm a utilizaçã de uma rtina didática semanal. Específics: Oferecer atendiment educacinal em pequens grups e individual a estudantes cm dificuldade de aprendizagem, n hrári regular das aulas desenvlvend sequencias didáticas estruturadas cm intervençã pedagógica que assegure a pela alfabetizaçã ds participantes d Prjet AlfabetizAÇÃO ; Atender as habilidades, cmpetência e cnteúds prevists n Currícul Básic da Rede Estadual; 6. Resultads esperads: 7. Nme d diretr: 8. Quantidade de aluns: 9. Quantidade de turmas: 10. Área d 11. Disciplinas 12. Cnteúd Trabalhad: 13. CH: Cnheciment: esclhidas: Linguagens Língua Prtuguesa Prcesss rais de interlcuçã: recads, diálgs, entrevistas, text cletiv, prduçã e interpretaçã de diverss gêners textuais (pemas, trava-línguas, quadrinhas cm rimas, história em quadrinhs, histórias mudas, gráfics, letras musicais, cantigas de rda). Práticas discursivas: descriçã de gravuras, atividade de escuta (história lida e cntada), relats rais, exercícis ds diferentes níveis de fala. A diferença entre letra, desenh e númer. As diferentes frmas, s sns e s nmes das letras d alfabet (habilidade de diferenciar). Ordem alfabética. Alinhament e direçã cnvencinal da escrita. Estrutura e articulaçã d text (segmentaçã das palavras n text, letra maiúsculas e minúsculas, pntuaçã, paragrafaçã, margem, separaçã de palavras. Leitura, interpretaçã ral e escrita. Leitura de gêners textuais diversificads e diferentes suprtes.

6 14. Infrmações adicinais: Prcesss rais de interlcuçã: recads, diálgs, entrevistas, text cletiv, prduçã e interpretaçã de diverss gêners textuais (pemas, trava-línguas, quadrinhas cm rimas, história em quadrinhs, histórias mudas, gráfics, letras musicais, cantigas de rda). Prduçã de diverss gêners textuais (estud de rótuls, cartazes, placas, símbls, jrnais, gibis, preenchiment de ficha e dads diverss e utrs). Atividades reflexivas de prduçã textual (reescrita e autcrreçã de text) 15. Parecer cnclusiv da SRE: Favrável ( ) Desfavrável ( ) 16. Parecer SEEB/GEIEF: Aprvad ( ) Nã aprvad ( )

7 ANEXO III Acmpanhament Diári da escla Cnteúds e Metdlgias Utilizads Frequência DIARIA d estudante e d prfessr

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COLÉGIO MILITAR INGLÊS 1º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2015 2016 Grup Disciplinar de Inglês/Alemã 08.09.2015 Preâmbul 1. Pretende-se que a avaliaçã em Língua Estrangeira valrize td percurs esclar d alun,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS An 2-B Frmulári de preenchiment brigatóri,

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 RESOLUÇÃO N 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 Aprva Regiment da Bibliteca Universitária - Sistema de Biblitecas da UFMG, e revga a Resluçã n 27/93, de 22/12/93, que aprvu Regiment da Bibliteca Universitária.

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA O presente dcument tem cm bjetiv dispnibilizar a divulgaçã ficial das cndições estabelecidas pel Sesc Santa Catarina para

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013 Salvadr, Bahia Sexta-feira 19 de Julh de 2013 An XCVII N 21.187 EDITAL Nº 073/2013 FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA SELEÇÃO DE DIVULGADORES DO PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014 DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

E.B. 2,3 VISCONDE DE CHANCELEIROS

E.B. 2,3 VISCONDE DE CHANCELEIROS DISCIPLINA: Educaçã Musical ANO LETIVO: 2015/2016 Critéris de Avaliaçã Avaliar nã é apenas examinar e classificar. A avaliaçã cnstitui um prcess reguladr das aprendizagens, rientadr d percurs esclar e

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Definir e padronizar os procedimentos para o planejamento e a execução de atividades de cerimonial no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre.

Definir e padronizar os procedimentos para o planejamento e a execução de atividades de cerimonial no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre. Códig: MAP-SERPU-001 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Secretaria de Relações Públicas e Cerimnial Aprvad pr: Presidência 1 OBJETIVO Definir e padrnizar s prcediments para planejament e

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos Labratóri Iber American de Invaçã Cidadã Cnvcatória de Prjets Cnvcatória aberta para prjets de invaçã cidadã A iniciativa da Secretaria Geral Iber Americana (SEGIB) Cidadania 2.0, a Agencia Espanhla de

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

Prefeitura Municipal

Prefeitura Municipal Prefeitura Municipal Publicad autmaticamente n Diári de / / Divisã de Prtcl Legislativ Dê-se encaminhament regimental. Sala das Sessões, / / Presidente Curitiba, 22 de julh de 2015. MENSAGEM Nº 049 Excelentíssim

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

OF. CIRCULAR GS Nº 01/2012 Assunto: PRIMEIRO DIA DE AULA - ANO LETIVO 2012 São Paulo, 23 de janeiro de 2012.

OF. CIRCULAR GS Nº 01/2012 Assunto: PRIMEIRO DIA DE AULA - ANO LETIVO 2012 São Paulo, 23 de janeiro de 2012. Praça da República, 53 - Centr SP SP CEP: 01045-903 Fne (11) 3218-2000 OF. CIRCULAR GS Nº 01/2012 Assunt: PRIMEIRO DIA DE AULA - ANO LETIVO 2012 Sã Paul, 23 de janeir de 2012. Senhres(as) Dirigentes e

Leia mais

Plano de Recuperação - Inglês

Plano de Recuperação - Inglês Escla: 9º 2005/2006 Prf. I- APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO Plan de Recuperaçã - Inglês Existência de dis níveis diferenciads: Nível I aluns cm graves deficiências de base. N.º Nme Nível II aluns cm algumas

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

1ª reunião do GD de TIC 03/03/2016 Cenpec. Registro da reunião INFORMES:

1ª reunião do GD de TIC 03/03/2016 Cenpec. Registro da reunião INFORMES: 1ª reuniã d GD de TIC 03/03/2016 Cenpec Registr da reuniã INFORMES: Bett Brasil Educar 2016 (mai) já tems a prgramaçã, é pssível que Cenpec ganhe alguns cnvites; será imprtante terms representantes d GD

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 027/ DE 19 DE NOVEMBRO DE VESTIBULAR 16/01 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

ANEXO I. Regulamentos do Estágio não-obrigatório dos cursos de graduação e sequenciais:

ANEXO I. Regulamentos do Estágio não-obrigatório dos cursos de graduação e sequenciais: ANEXO I Regulaments d Estági nã-brigatóri ds curss de graduaçã e sequenciais: CURSOS DE GRADUAÇÃO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS Curs: Ciências Sciais Bacharelad e Licenciatura; Curss: Filsfia Licenciatura e Filsfia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE FISIOTERAPIA Autrizad pela Prtaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seçã

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Infrmática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróle e Gás Objetiv: Elabrar e desenvlver um prjet na área prfissinal,

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 Índice 1. Missã, Visã e Valres 2. Enquadrament 3. Prjects e Actividades 4. Cnslidaçā Interna 4.1. Aspects Gerais da Organizaçā e Funcinament da AJU 4.2. Recurss Humans 4.3. Frmaçā

Leia mais

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Título: Proposta de critérios e procedimentos para seleção de chefias do INPE

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Título: Proposta de critérios e procedimentos para seleção de chefias do INPE Referência: CPA-077-2008 Versã: 1.0 Status: Ativ Data: 09/julh/2008 Natureza: Abert Númer de páginas: 13 Origem: GCMIG e GEOPI Revisad pr: GCMIG Aprvad pr: GCMIG Títul: Prpsta de critéris e prcediments

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 27/10/2014 a 21/11/2014 Carg: Auxiliar de Sala: Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 48,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.146,27 Nº Vagas: Cadastr de

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PDIPCCTAE

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PDIPCCTAE PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PDIPCCTAE Lei 11.091/2005 Decret 5.825/2006 Decret 5.707/2006 Resluçã

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação

Mestrado em Sistemas de Informação U n i v e r s i d a d e d M i n h Departament de Sistemas de Infrmaçã Mestrad em Sistemas de Infrmaçã 2003/2005 Tecnlgias de Streaming em Cntexts de Aprendizagem Sb a rientaçã d Prfessr Dutr Henrique Sants

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores www. escla-apel.cm Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres DESIGNAÇÃO DO CURSO Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres OBJECTIVOS GERAIS DO CURSO Cnsciencializar-se das cmpetências e d perfil de um frmadr;

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs 1. OBJETIVOS: fixar nrma para realizaçã ds prcediments de cleta interna de carcaças de animais de experimentaçã n Sistema FMUSP-HC, bservand-se as devidas cndições de higiene e segurança. 2. ABRANGÊNCIA:

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS AUXILIAR DE SECRETARIA Organizar e manter atualizad serviç de escrituraçã esclar. Redigir fícis, expsições de mtivs, atas, declarações, certidões de cntagem

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade.

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade. Sistema de Gestã de Prcesss Sistema de Gestã da Qualidade Utilizaçã ds Serviçs de Bibliteca 1- Objetiv Orientar e apiar a utilizaçã ds serviçs de Bibliteca pr parte d crp dcente, discente e cmunidade.

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS Julh 2007 INTRODUÇÃO As amplas, prfundas e rápidas transfrmações pr que passa a nssa sciedade prvcaram, frçsamente,

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Março de 2012. Relatório Consolidado

Março de 2012. Relatório Consolidado Març de 2012 Relatóri Cnslidad Apresentaçã O presente relatóri tem cm bjetiv reunir infrmações referentes à aplicaçã-pilt da versã intermediária ds Indicadres Eths 3ª Geraçã. Essas infrmações serã insum

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seçã 1. Pág. 20 Cmpnente Curricular: BIOLOGIA GERAL Códig: ENF - 101 Pré-requisit: Nenhum Períd Letiv: 2016.1 Prfessr:

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Instruções para as apresentações científicas

Instruções para as apresentações científicas Instruções para as apresentações científicas As apresentações pderã ser realizadas na frma de PÔSTER u ORAL, dentr das especialidades dntlógicas: Ciências Básicas, Estmatlgia/Radilgia/Patlgia, Cirurgia,

Leia mais

Palavras-chave: Violência contra a Mulher; Psicologia; Núcleo de Estudos. 1 O Núcleo de Estudos da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Palavras-chave: Violência contra a Mulher; Psicologia; Núcleo de Estudos. 1 O Núcleo de Estudos da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher Inserçã da Psiclgia em um Núcle de Estuds da Vilência Dméstica e Familiar Cntra a Mulher na Cidade de Pnta Grssa PR Geórgia Grube Marcinik * Gisah Cristine Salum** Resum: O presente artig tem cm tema principal

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2 A Faculdade ASCES, através d Núcle de Extensã e Atividades Cmplementares,

Leia mais

Regulamento interno. Constituição da equipa pedagógica: Em Campo, Animação Turística Unipessoal, Lda. Entidade Promotora e Organizadora:

Regulamento interno. Constituição da equipa pedagógica: Em Campo, Animação Turística Unipessoal, Lda. Entidade Promotora e Organizadora: Regulament intern A Em Camp pera cm a marca MyCamp e é uma entidade que prmve e rganiza prgramas para crianças, nmeadamente camps de férias, estadias e circuits temátics. Realizams atividades destinadas

Leia mais

D.O. D.O. LEIS SANCIONADAS E VETOS

D.O. D.O. LEIS SANCIONADAS E VETOS D.O. LEIS SANCIONADAS E VETOS Senhr Presidente, OFÍCIO GP N.º 85 /CMRJ EM 1º DE OUTUBRO DE 2013. Dirij-me a Vssa Excelência para cmunicar que, nesta data, sancinei Prjet de Lei n.º 389, de 2013, de autria

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

GUIA DO CURSO GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

GUIA DO CURSO GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GUIA DO CURSO GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Curs em regime de e-learning Curs de Frmaçã em Direit e Práticas Labrais 2 A dinâmica da gestã ds recurss humans deve acmpanhar a dinâmica das próprias rganizações.

Leia mais