PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso Tecnologia em Gestão de Turismo 2011

2 Presidente da República Federativa do Brasil Dilma Vana Roussef Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário da Educação Superior Luiz Cláudio Costa Secretário de Educação Profissional e Tecnológica Eliezer Pacheco Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Prof. Mário Sérgio Costa Vieira Pró-reitora de Ensino do IF Sudeste MG Prof. Vanessa Riani Olmi Silva Diretor-geral do câmpus Barbacena do IF Sudeste MG Prof. José Roberto Ribeiro Lima Coordenador do Curso de Tecnologia em Gestão de Turismo Prof. André Luís Martin de Araújo Pedagoga Responsável Vivian Mello Antunes 2

3 Sumário DADOS GERAIS... 5 CONTEXTO GERAL... 6 Apresentação... 6 Histórico da Instituição... 7 JUSTIFICATIVA... 8 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Planejamento e Filosofia Objetivo Geral Objetivos Específicos Perfil Profissiográfico Estrutura Curricular MATRIZ CURRICULAR REPRESENTAÇÃO GRÁFICA COMPONENTES CURRICULARES Disciplinas Obrigatórias Disciplinas Optativas ATIVIDADES ACADÊMICAS Estágio Supervisionado Atividades Complementares Trabalho de Conclusão de Curso Programas de Iniciação Científica e Projetos de Pesquisa AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO CURSO CORPO DOCENTE Coordenador Docentes COLEGIADO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE NDE INFRAESTRUTURA Gabinete de Trabalho para os Professores Sala de Professores Sala de Aula Sala de Coordenação Laboratórios Biblioteca Atendimento a Pessoas com Necessidades Específicas Recursos Audiovisuais Área de Lazer e Circulação Serviços Atendimento ao Discente REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXOS Regulamento de Utilização dos Laboratórios de Ensino do Núcleo de Informática Regulamento para Eleição dos Membros Docentes dos Colegiados dos Cursos 3

4 Superiores do IF SUDESTE MG Câmpus Barbacena Regulamento para Eleição dos Membros Discentes dos Colegiados dos Cursos Superiores do IF SUDESTE MG Câmpus Barbacena

5 DADOS GERAIS Nome do Curso: Tecnologia em Gestão de Turismo Área do Conhecimento/Eixo Tecnológico: Hospitalidade e Lazer Nível: Superior Educação Profissional e Tecnológica Modalidade: Presencial Carga Horária Total: 1980 horas Duração Prevista: 6 semestres Tempo de Integralização do Curso: Mínimo de 6 semestres e máximo de 10 semestres Habilitação: Tecnólogo em Gestão de Turismo Periodicidade de Oferta: Anual Turno: Noturno Número de Vagas Ofertadas por Turma: 36 vagas Períodos: 6 Requisitos de Acesso: Ensino médio completo ou equivalente e ter sido aprovado e classificado em processo seletivo, organizado e executado pela Comissão Permanente de Processo Seletivo COPESE ou SISU ou Vagas Remanescentes. Local de Funcionamento: IF Sudeste MG Câmpus Barbacena 5

6 CONTEXTO GERAL Apresentação O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, constituído pelos campi: Barbacena, Juiz de Fora, Rio Pomba, Muriaé, São João Del Rei e de Santos Dumont abrange duas mesorregiões do Estado de Minas Gerais: Zona da Mata e Campo das Vertentes, ambas de histórica importância ao Estado. Barbacena, com uma economia baseada na produção agropecuária e no comércio, abriga uma vasta rede de estabelecimentos de ensino, nos seus mais diversos níveis: educação básica, educação superior, educação profissional e tecnológica, destacando-se neste último o trabalho desenvolvido pela antiga Escola Agrotécnica Federal de Barbacena. Da mesma forma que a mesorregião da Zona da Mata, o Campo das Vertentes também precisa melhorar muitos dos seus marcadores sociais e econômicos de desenvolvimento e, para ambas, o caminho proposto é a intensificação das atividades ligadas a educação. Nesse aspecto é que a constituição do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) se impõe com uma atuação que irá colaborar na dinamização, na diversificação e na otimização de oportunidades de ensino à população das mesorregiões da Zona da Mata e da Zona Campo das Vertentes. Na esteira dessa ação educacional que intenta ser a materialização do discurso de que a educação é um dever do Estado e um direito de todos, o IF Sudeste MG, por meio de um trabalho de educação que procura conjugar ensino, pesquisa e extensão, possibilita às duas mesorregiões condições de enfrentarem o desafio de gerar um desenvolvimento socioeconômico sustentável dentro dos padrões desejáveis. O curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto 6

7 Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Câmpus Barbacena pertence ao eixo tecnológico de Hospitalidade e Lazer e visa preparar profissionais para atuar no planejamento e desenvolvimento da atividade turística nos segmentos públicos e privados, bem como dar o suporte necessário ao desenvolvimento e qualificação do ramo turístico, nos seus mais variados aspectos e setores. Pretende-se que o egresso do curso possua uma formação que lhe permita contribuir para a redução das desigualdades sociais e compreender a importância do desenvolvimento turístico nas sociedades atuais e futuras, não só em termos econômicos, mas também ambientais, sociais e culturais, especialmente no que tange ao desenvolvimento e oferta de produtos e serviços sustentáveis e coerentes com a capacidade de oferta das destinações turísticas e das comunidades locais inseridas nesta atividade. Histórico da Instituição Com a promulgação da Lei nº , de 29 de dezembro de 2008, que cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, inicia-se a história do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais. A Instituição multicampi é composta pelo câmpus Barbacena (Escola Agrotécnica Federal de Barbacena), câmpus Juiz de Fora (Colégio Técnico Universitário), câmpus Rio Pomba (CEFET Rio Pomba), câmpus Muriaé (expansão), câmpus São João Del Rei e câmpus Santos Dumont. Câmpus Barbacena Em 1910, momento político de consolidação da República, o Aprendizado Agrícola foi criado pelo Decreto nº 8.358, de 09 de novembro de 1910, do Exmº Senhor Presidente Nilo Peçanha. Sua finalidade era o cultivo de frutas nacionais e exóticas e o ensino prático da fruticultura, considerando a situação geográfica e o clima propício. De 1911 a 1913 ocorreu a construção da sede e dependências. O projeto da sede, em estilo rural francês, foi idealizado pelo arquiteto e paisagista francês Arsene Puttemas. As atividades da Escola tiveram início em 14 de julho de 1913 e 7

8 sua denominação e subordinação foram sucessivamente modificadas, firmando sua reputação de excelência que a distingue até hoje. No decorrer do século XX, a instituição recebeu diversos nomes: Escola Agrícola de Barbacena, Escola Agrotécnica de Barbacena e Escola Agrotécnica Diaulas Abreu. A partir da Lei nº 8.731, de 16 de novembro de 1993, a Escola Agrotécnica Federal de Barbacena Diaulas Abreu passou à condição de Autarquia Federal, vinculada à Secretaria de Educação Media e Tenológica SEMTEC, do Ministério da Educação. Em 2008, de acordo com a Lei nº , de 29 de dezembro, a Escola Agrotécnica Federal de Barbacena Diaulas Abreu passou a denominar-se Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Câmpus Barbacena, vinculado à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SETEC, do Ministério da Educação. JUSTIFICATIVA O Município de Barbacena está situado na região sudeste, especificamente na mesorregião do estado de Minas Gerais, denominada Campo das Vertentes. Esta se limita com as mesorregiões: metropolitana de Belo Horizonte, Zona da Mata, Sul de Minas e Oeste de Minas, demonstrando sua posição estratégica, favorecendo o recebimento de turistas, principalmente, dos estados do sudeste, que também são portais de entrada do turismo internacional. Segundo dados da Secretaria Estadual de Turismo, Barbacena encontrase situada no Circuito Turístico da Trilha dos Inconfidentes, um dos mais de cinquenta circuitos turísticos existentes no Estado de Minas Gerais. Considerando um raio de duzentos quilômetros, temos as seguintes localidades turísticas: São João Del Rei, Tiradentes, Prados, Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Carrancas, Juiz de Fora, Santa Rita do Ibitipoca, entre muitas outras que necessitam cada vez mais de profissionais da área do turismo. Faz-se necessário destacar o município de Tiradentes, distante apenas 55 km de Barbacena, considerado um dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico no Brasil pelo Ministério do Turismo. 8

9 A estruturação, pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), através do Instituto Estrada Real, com o apoio da Secretaria de Estado de Turismo de um dos maiores complexos turísticos do Brasil a Estrada Real é um fator relevante para a valorização do turismo na região, pois o município de Barbacena encontra-se situada no trecho conhecido como Caminho Novo da Estrada Real. Tal complexo turístico compreende 1400 quilômetros de estradas cujo entorno abriga atrativos turísticos dos segmentos de Turismo de Aventura, Ecoturismo, Turismo Rural, Turismo Cultural, entres outros. Tais produtos encontram-se em parte já ofertados no mercado, entretanto, há alguns ainda em fase de formatação, os quais em curto prazo demandarão por profissionais capazes de gerir e auxiliar na formatação de novos produtos turísticos. Diante dos grandes eventos esportivos dos próximos anos 1, as expectativas para o turismo mineiro são de franca expansão. Os olhos dos turistas do Brasil e do mundo estarão voltados para toda a nossa história, riqueza natural e a tão famosa hospitalidade do povo mineiro. Toda a estrutura montada para a atividade turística e a perspectiva de ampliação do setor turístico gera um número considerável de postos de trabalho em meios de hospedagem, agências de Viagens e Turismo, transportadoras e diversas ocupações no setor público. Também o Planos Nacional de Turismo (PNT s), do Ministério do Turismo (Mtur) vem, a partir da edição , contemplando entre seus objetivos induzir o desenvolvimento e a inclusão social através da criação de novos postos de trabalho, ocupação e renda na área de Turismo, Hospitalidade e Lazer. Porém, a geração de emprego depende, entre outros, de adequada formação. A educação profissional, nível de formação que melhor atinge a mobilidade social, possui papel estratégico como agente desse processo. O Projeto Interministerial Educação e Turismo - Oferta de Cursos pela Rede Federal de Educação Profissional busca articular programas (PDE e PNT) dos dois Ministérios, contribuindo para o alcance de objetivos complementares. Por um 1 Copa das confederações (2013), Copa do Mundo de Futebol (2014), Olimpíadas e Paraolimpíadas (2016), entre outros. 9

10 lado, o Ministério do Turismo estabelece metas de oferta de serviços de padrão internacional em 65 cidades brasileiras (Destinos indutores, como Tiradentes-MG). Para tanto, conta com o macro programa intitulado Qualificação dos Equipamentos e Serviços Turísticos; e os programas Certificação do Turismo e Qualificação Profissional. O Ministério da Educação, por sua vez, vem desenvolvendo o plano de expansão da rede de instituições de educação profissional e tecnológica (EPT), promovendo a oferta de cursos baseada em arranjos produtivos locais. O objetivo é unir as metas estabelecidas por ambos os ministérios e consolidar a oferta de formação profissional em Hospitalidade e Lazer pela Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Este programa baseia-se na concepção de que a educação profissional e tecnológica deve ser compreendida nos três níveis de formação (fundamental, médio e superior), e que os Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia IFETs devem ser referências na oferta desses cursos e no desenvolvimento local. O IF Sudeste MG Câmpus Barbacena oferece uma infraestrutura que é considerada uma das melhores na região. As instalações do curso de agropecuária podem ser utilizadas para atividades práticas das disciplinas que tratam do Turismo Rural, assim como as matas pertencentes à escola contêm trilhas e recursos turísticos que podem servir de laboratórios a céu aberto para as disciplinas que tratam do Ecoturismo. Diante de um quadro positivo relacionado ao crescimento da demanda por pessoas especializadas para trabalhar na área de Hospitalidade e Lazer e uma boa infraestrutura e de corpo docente capaz de oferecer ensino de qualidade, o Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo (IF Sudeste MG) Câmpus Barbacena apresentará o diferencial de mercado inerente às instituições de ensino superior federais do Brasil, ou seja, a qualidade e o foco no mercado, suas tendências e necessidades atuais e futuras. 10

11 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Planejamento e Filosofia O Projeto Pedagógico do Curso foi concebido a partir da Resolução CNE/CP no. 03/2002, que institui as diretrizes curriculares para os cursos de nível tecnológico; da Portaria INEP no. 142 de 24 de junho de 2009, que estabelece as condições e conteúdos para o Exame Nacional de Desempenho e dos Estudantes (ENADE) dos cursos superiores de tecnologia em gestão de turismo; e do Catálogo Nacional de Cursos de Tecnologia, eixo tecnológico de Hospitalidade e Lazer. A organização didático-pedagógica foi elaborada de tal forma que proporcione ao egresso do Curso condições para desenvolver ações no âmbito do planejamento turístico, agenciamento de viagens (emissivas, receptivas e operadoras de turismo), transportadoras turísticas e consultorias voltadas para o gerenciamento das políticas públicas e para a comercialização e promoção dos serviços relativos à atividade. Poderá também realizar a identificação dos potenciais turísticos do receptivo, considerando a diversidade cultural e os aspectos socioambientais para o desenvolvimento local e regional. Nesta perspectiva, visa refletir o compromisso social do IF Sudeste MG, ao formar profissionais competentes, cientes de suas possibilidades de ação no mercado de trabalho e nas comunidades em que irão atuar, a fim de contribuir para o progresso social, baseando-se em valores éticos e humanísticos. Conforme Luckesi (2011, p. 94) a formação do educando é o foco central da prática educativa, e o currículo, como um recurso fundamental, deve estar a serviço desse processo e não acima dele, possibilitando que o futuro profissional tenha condições de servir-se dos conteúdos aprendidos para relacionar-se consigo mesmo, com o mundo e com os outros. Assim, os conteúdos curriculares foram organizados com o intuito de oferecer uma interrelação entre as disciplinas, possibilitando ao aluno uma visão integrada e articulada das áreas de atuação do Tecnólogo em Gestão de Turismo, sendo que a disciplina de Projeto Integrador, 11

12 presente do 1º ao 6º períodos do curso, atuará como elo entre a teoria e a prática. A organização e administração dos conteúdos buscam fomentar a proposta de interdisciplinaridade entre estas áreas de conhecimento, preparando profissionais aptos a participar ativamente do processo ensino-aprendizagem e organizacional das instituições onde estiver inserido, sejam públicas ou privadas, a partir de uma formação integral e complementar abrangendo as diversas áreas da formação, suplementando uma proposta que propicie a articulação entre as disciplinas, como meio complementar de interação conforme currículo proposto. A organização curricular contempla uma sequência lógica de disciplinas teórico-práticas, obrigatórias, perfazendo uma média de aproximadamente 300 horas (400 horas-aula) por semestre. Esta disposição procura estimular o senso critico num contexto real, procurando desenvolver o espírito reflexivo do discente. O universo temático dos fundamentos, tanto teórico quanto metodológicos, na priorização do âmbito regional, em suas articulações com o contexto global, contemplará métodos e técnicas de aprendizagem, utilizando variados recursos didáticos. As aulas teóricas serão desenvolvidas essencialmente em salas de aula. A exposição do conteúdo, apoiada por material ilustrativo em geral, incluindo recursos midiáticos com diferentes situações e exemplos de atuação profissional, é o ponto de partida para a efetivação do processo de ensino-aprendizagem. Posteriormente, é relevante que o aluno desempenhe um papel mais ativo no processo, tendo possibilidades de exercitar e aplicar o conteúdo, inclusive tendo condições de recriar e criar soluções para problemas ou desafios. As aulas práticas serão ministradas em laboratórios ou em campo, com abordagem de áreas formativas. Paralelamente às aulas, ocorrerão os estágios supervisionados, onde o discente terá oportunidade de conciliar os ensinamentos teóricos à realidade profissional. Atividades extraclasses serão realizadas durante o curso, como seminários, palestras, visitas técnicas, entre outros. Além disso, os docentes estarão disponíveis em horários pré-determinados para atendimentos aos 12

13 discentes. O aluno deverá ser estimulado a buscar outros conhecimentos, devendo participar de trabalhos em grupo, discussões acadêmicas, seminários, visitas técnicas, e similares, realizar estágios, práticas extencionistas, escrever, apresentar e discutir seus trabalhos. As atividades complementares (AC), em geral, são articuladas interdisciplinariamente, fundamentando-se essencialmente em visitas técnicas, pesquisa em campo, projetos, realização e/ou participação em seminários temáticos, entre outros, a fim de articular e dar significado aos conteúdos das diversas unidades curriculares. Essa articulação se dará também através da disciplina Projeto Integrador onde o discente terá oportunidade de planejar refletir e sistematizar os resultados da interrelação teoria e prática. De acordo com Porto (2006), as tecnologias são produtos das relações estabelecidas entre sujeitos com as ferramentas tecnológicas que têm como resultado a produção e disseminação de informações e conhecimentos. A tecnologia no IF Sudeste MG é vista como um instrumento que pode viabilizar a formação de profissionais e auxiliar no cotidiano administrativo, desse modo a instituição atua no sentido de colocar as novas tecnologias da informação e comunicação a serviço da formação integral do sujeito. Mais do que utilizar a tecnologia como ferramenta de educação, a disponibilização de tais recursos visa contribuir para inclusão digital e com a preparação de jovens e adultos para o mercado de trabalho. Para viabilizar tal desenvolvimento foi necessário investimento em infraestrutura tecnológica como os laboratórios de informática para acesso à internet por alunos e professores, instalação de uma rede de largo alcance conectando o câmpus Barbacena e a atualização constante de equipamentos, softwares, servidores e recursos humanos. À comunidade escolar são oferecidos vários serviços por meio dos sítios institucionais que contam com atualizações constantes, permitindo acesso a notícias, requerimentos diversos, materiais didáticos e programação de atividades 13

14 acadêmicas, calendário e horário escolar, acesso ao acervo bibliográfico, dentre outros. E, no contexto da sala de aula, a utilização das tecnologias de informação e comunicação ultrapassa a utilização destas como equipamentos e/ou ferramentas, o grande desafio é articular as informações presentes nas tecnologias e os conhecimentos científicos, ou seja, o processo educativo acontece com e através das tecnologias. Objetivo Geral Visa preparar profissionais para atuar no planejamento e desenvolvimento da atividade turística nos segmentos públicos e privados, bem como dar o suporte necessário ao desenvolvimento e qualificação do ramo turístico, nos seus mais variados aspectos e setores, colaborando para o desenvolvimento social, respeitando, preservando e valorizando as características culturais, históricas e ambientais locais e regionais. Objetivos Específicos Orientar o processo de formatação dos conteúdos curriculares no sentido de contemplar a formação do pensamento crítico, a promoção dos processos de mudanças através do planejamento; Contemplar no contexto acadêmico, seja através dos conteúdos curriculares, seja nos estágios ou atividades complementares, os conhecimentos acerca do desenvolvimento sustentável e suas aplicações no Turismo e; Sensibilizar os discentes para a importância da constante busca por atualizações de conhecimentos. Perfil Profissiográfico O mercado atual busca um profissional capaz de atuar com grande versatilidade e transitar nas diversas áreas de conhecimento. Em especial, o 14

15 Tecnólogo em Gestão de Turismo habilitado pelo Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do IF Sudeste MG Câmpus Barbacena terá uma formação profissional que o torne um vetor de contribuição capaz de compreender a importância do desenvolvimento da atividade turística nas sociedades atuais e futuras, não só em termos econômicos, mas também ambientais, sociais e culturais, especialmente no que tange ao desenvolvimento e oferta de produtos e serviços sustentáveis e coerentes com a capacidade de oferta das destinações turísticas e das comunidades locais inseridas nesta atividade. Terá uma formação amalgamada por sólidos conhecimentos teóricopráticos nas áreas de gestão, planejamento, agenciamento, transporte e marketing, alicerçada numa base humanística e uma visão global que possibilite compreender o meio social em seus aspectos político, econômico, cultural e ambiental, capaz de atuar de forma polivalente, contextualizada e competente. O egresso do Curso, conforme o Catálogo nacional de cursos superiores de tecnologia, estará apto a desenvolver ações no âmbito do planejamento turístico, agenciamento de viagens (emissivas, receptivas e operadoras de turismo), transportadoras turísticas e consultorias voltadas para o gerenciamento das políticas públicas e para a comercialização e promoção dos serviços relativos a atividade (BRASIL, 2010, p.45). Especificamente o curso desenvolverá competência profissional, habilidades e atitudes comportamentais, tais como: I - Planejar, gerenciar e operar: a) agências de viagens e operadoras de turismo receptivo e emissivo; b) empresas de transporte turístico; c) negócios e serviços turísticos; d) marketing e vendas de produtos e serviços turísticos. II - Conhecer, interpretar e aplicar: a) legislação turística, legislação ambiental e código de defesa do consumidor; 15

16 b) políticas públicas de turismo; c) códigos, siglas e sinais usados na comunicação turística; d) pesquisas, sondagens e indicadores socioeconômicos. III - Integrar, atuar e lidar : a) equipes multidisciplinares; b) planos, programas e projetos relacionados ao patrimônio natural, histórico e cultural IV Utilizar: a) técnicas de elaboração de programas, roteiros e itinerários; b) modelos matemáticos de avaliação de gestão econômica e financeira. Estrutura Curricular A carga horária mínima total para a integralização do curso de Tecnologia em Gestão de Turismo é de 1980 horas, distribuídas em atividades complementares (60 horas), estágio supervisionado (240 horas), disciplinas obrigatórias (1500 horas) e disciplinas optativas (180 horas). O discente dispõe de um conjunto de disciplinas optativas que permitirão direcionamento da sua formação, segundo seu perfil e interesses. Além de disciplinas optativas oferecidas de forma complementar pelo próprio Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo, há outras provenientes das Matrizes Curriculares dos Cursos de Tecnologia em Gestão Ambiental e de Sistemas para Internet, de Bacharelado em Administração e de Licenciatura (Ciências Biológicas, Educação Física e Química). O Trabalho de conclusão de curso será desenvolvido nas disciplinas Projeto Integrador I, II, III, IV, V e VI nas quais os alunos serão preparados para desenvolver a capacidade de aplicação dos conceitos e teorias adquiridos durante o curso de forma integrada às demais disciplinas. Entre os objetivos, destacam-se despertar o interesse pela pesquisa como meio para a resolução de problemas e 16

17 intensificar a extensão acadêmica por meio da resolução de problemas existentes na área de turismo. 17

18 MATRIZ CURRICULAR No. Per Disciplina A/S CH / S CH Cré- Pré- Total ditos Requis. 1 1º. Fundamentos do Turismo e Hospitalidade 4 3:00 60: º. Economia 4 3:00 60: º. História Aplicada ao Turismo 4 3:00 60: º. Português Instrumental 2 1:30 30: º. Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável 2 1:30 30: º. Fundamentos do Lazer 2 1:30 30: º. Projeto Integrador I 2 1:30 30: Total 300: º. Agenciamento de Viagens 4 3:00 60: º. Teoria Geral da Administração 4 3:00 60: º. Espanhol 4 3:00 60: º. Matemática 4 3:00 60: º. Optativa 2 1:30 30: º. Projeto Integrador II 2 1:30 30: Total 600: º. Psicossociologia Aplicada ao Turismo 4 3:00 60: º. Administração Estratégica 4 3:00 60: º. Espanhol Aplicado ao Turismo 4 3:00 60: º. Matemática Financeira 2 1:30 30: º. Estatística Básica 2 1:30 30: º. Optativa 2 1:30 30: º. Projeto Integrador III 2 1:30 30: Total 900: º. Planejamento Turístico 4 3:00 60: º. Inglês 4 3:00 60: º. Geografia Aplicada ao Turismo 4 3:00 60: º. Sistemas de Transporte 2 1:30 30: º. Contabilidade Gerencial 2 1:30 30: º. Optativa 2 1:30 30: º. Projeto Integrador IV 2 1:30 30: Total 1200: º. Recursos Humanos 4 3:00 60: º. Inglês Aplicado ao Turismo 4 3:00 60: º. História da Arte e Cultura 4 3:00 60: º. Legislação Aplicada ao Turismo 2 1:30 30: º. Técnicas de Elaboração e Operacionalização de Roteiros 2 1:30 30: º. Optativa 2 1:30 30: º. Projeto Integrador V 2 1:30 30: Total 1500: º. Marketing Turístico 2 1:30 30: º. Patrimônio Histórico Cultural 2 1:30 30: º. Ética e Responsabilidade Social 2 1:30 30: º. Optativa (s) 4 3:00 60: º. Projeto Integrador VI 2 1:30 30: Total 1680: Estágio Supervisionado 240:00 16 Atividades Complementares 60:00 4 Total 1980:

19 Disciplinas Optativas A. Ecoturismo (Gestão de turismo) 2 1:30 30: B. Recreação e Jogos (Educação física) 4 3:00 60: C. Empreendedorismo (Administração) 2 1:30 30: D. Informática Instrumental (Sistemas p/ internet) 2 1:30 30: E. Língua Bras. de Sinais - LIBRAS (licenciaturas) 2 1:30 30: F. Planej. Urbano e Meio Ambiente (Gestão ambiental) 2 1:30 60:00: G. Planejamento e Gestão de áreas naturais protegidas (Gestão ambiental) 4 3:00 60: H. Esportes Complementares I (Educação física) 2 1:30 45:00: I. Administração de Projetos (Administração) 2 1:30 30: J. Turismo no Espaço Rural (Gestão de turismo) 2 1:30 30: K. Primeiros Socorros (Educação Física) 2 1:30 30: L. Administração de Sistemas de Informações (Administração) 2 1:30 30: M. Matemática comercial e financeira (Administração) 2 1:30 30: N. Planejamento e Organização de Eventos (Gestão de turismo) 4 3:00 60: O. Educação Ambiental (Gestão Ambiental) 2 1:30 30:

20 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA 1º período 2º período 3º período 4º período 5º período 6º período Fundamentos do Turismo e Hospitalidade Recursos Humanos Marketing Turístico 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 40h/a Economia 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 40h/a História Aplicada ao Turismo Espanhol 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 80h/a 40h/a Português Instrumental Matemática Inglês Optativa(s) 40h/a 80h/a 40h/a 40h/a 40h/a 80h/a Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Agenciamento de Viagens Teoria Geral da Administração Psicossociologia Aplicada ao Turismo Administração Estratégica Espanhol Aplicado ao Turismo Planejamento Turístico Geografia Aplicada ao Turismo Inglês Aplicado ao Turismo História da Arte e Cultura Técnicas de Optativa Estatística Básica Contabilidade Elaboração e Gerencial Operacionalização de Projeto Integrador VI Roteiros 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a Fundamentos do Lazer Matemática Financeira Sistemas de Transporte Legislação Aplicada ao Turismo Projeto Integrador II Optativa Optativa Optativa 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a Projeto Integrador I Projeto Integrador III Projeto Integrador IV Projeto Integrador V 40h/a 40h/a 40h/a 40h/a Patrimônio Histórico Cultural Ética e Responsabilidade Social Atividades complementares 80 horas-aula (60 horas) a serem cumpridas a partir do 1º período. Estágio Supervisionado horas-aula (240 horas) a serem cumpridas a partir do 2º período. 20

21 COMPONENTES CURRICULARES Disciplinas Obrigatórias Disciplina: Fundamentos do Turismo e Hospitalidade Período no qual é ofertado: 1º Carga Horária (hora-relógio): 60h Ementa: Conceito de turismo ao longo do tempo. Definições segundo a Organização Mundial do Turismo. Evolução da atividade turística. Principais elementos formadores do produto turístico. Diferentes formas de turismo e sua segmentação.terminologia turística. Necessidades e motivações turísticas. Hospitalidade: evolução do termo e diferentes conceituações. Tempos e espaços da hospitalidade. 1. IGNARRA, L.R. Fundamentos do turismo. São Paulo: Pioneira, ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO. Introdução ao turismo. Trad. Dolores M. R. Corner. São Paulo: Roca, CAMARGO, Luiz Octávio de Lima. Hospitalidade. Campinas: Aleph, DIAS, Reinaldo. Introdução ao turismo. São Paulo: Atlas, ANSARAH, Marília Gomes dos Reis (org.). Turismo: como aprender, como ensinar. 2ªed. São Paulo: Ed. Senac SP, TRIGO, Luiz G.G. Turismo básico. 4ªed. São Paulo: Senac, DIAS, Célia Maria de Moraes (org.). Hospitalidade: reflexões e perspectivas. São Paulo: Manole, DENCKER, Ada de Freitas Maneti; BUENO, Marielys Siqueira. (orgs). Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Cengage Learning, Período no qual é ofertado: 1º Carga Horária (hora-relógio): 60h Disciplina: Economia Ementa: Introdução à economia. Demanda, oferta e equilíbrio de mercado. Estruturas de mercado. Fundamentos de macroeconomia. Inflação. Crescimento e desenvolvimento econômico. 21

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PLANEJAMENTO TURÍSTICO / HOTELARIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PLANEJAMENTO TURÍSTICO / HOTELARIA Pág. 1 Caracterização Curso: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PLANEJAMENTO TURÍSTICO / HOTELARIA Período/Série: 1º Turno: Ano/Semestre letivo: 2010/2 ( ) Matutino ( ) Vespertino ( X ) Noturno Carga horária

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) INGLÊS INTERMEDIÁRIO Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Curso TUR D1 - Turismo. Ênfase. Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado

Plano de Ensino. Identificação. Curso TUR D1 - Turismo. Ênfase. Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado Curso TUR D1 - Turismo Ênfase Identificação Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado Docente(s) Fernando Protti Bueno Unidade Câmpus Experimental de Rosana Departamento Coordenadoria

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Gestão de Turismo FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( x ) tecnólogo

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Português para fins acadêmicos

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Português para fins acadêmicos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS GAROPABA Aprovação do curso e Autorização da oferta

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. nº 6195 de 22.03.02. Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

CONTEÚDOS CURRICULARES 2012-2014. Disciplinas obrigatórias

CONTEÚDOS CURRICULARES 2012-2014. Disciplinas obrigatórias CONTEÚDOS CURRICULARES 2012-2014 Os conteúdos curriculares propostos visam atender aos objetivos do curso, em consonância com o perfil pretendido do egresso. Neste contexto, os conteúdos serão analisados

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. nº 6195 de 22.03.02. Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO

Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO Eixo Tecnilógico: Apoio Educacional Local de oferta: IFBA Campus Ilhéus Modalidade: Presencial Turno de oferta:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM AVINIO, Carina de S.¹; ENDERLE, Mariana G.²; VISENTINI, Lucas³. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA.

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

ANO ECOLOGIA DA PAISAGEM

ANO ECOLOGIA DA PAISAGEM Turismo 1 o ANO ECOLOGIA DA PAISAGEM Os principais elementos fisiográficos da superfície da Terra (mares, oceanos, rios, lagos, geleiras, desertos, cadeias de montanhas, planaltos, planícies e relevos

Leia mais

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre

Curso de Pedagogia Portaria de Autorização ME nº 2415, de 14 de Setembro de 2001- Reconhecimento -Portaria ME. 58/2007. INÍCIO-01/08/2006 1º Semestre Inciso II Programa de cada curso oferecido e demais componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios de Avaliação: Instituto Educacional do Estado de São Paulo Autorização de Credenciamento:

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 06/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de do Centro de Ciências Humanas, Letras

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Espanhol Básico. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Espanhol Básico. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS OBJETIVO GERAL DO CURSO:

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS OBJETIVO GERAL DO CURSO: EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 36 / 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Línguas Estrangeiras

Leia mais

Pág. 1. Caracterização. Pré-requisitos. Ementa. Objetivo da disciplina. Descrição do conteúdo Objetivos Conteúdo Data Aulas Estratégias de Ensino

Pág. 1. Caracterização. Pré-requisitos. Ementa. Objetivo da disciplina. Descrição do conteúdo Objetivos Conteúdo Data Aulas Estratégias de Ensino Pág. 1 Caracterização Curso: C U R S O S U P E R I O R D E T E C N O L O G I A E M H O T E L A R I A Ano/Semestre letivo: 2010/2 Período/Série: 5 Carga horária semanal: 4 aulas (1 h 30) Carga horária total:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia GESTÃO E PRÁTICAS EMPREENDEDORAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ceilândia, Fevereiro de 2014. CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE S (ÁREA: GESTÃO) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Jairo de Oliveira EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Jairo de Oliveira EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em Hospedagem FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura (

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET

Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET 1º Período Instituição Carga-horária Introdução a Informática UFF 75 Seminários de Educação à Distancia em Turismo CEFET/RJ

Leia mais

Bibliografia do Curso Gestão de Turismo - EAD. ANDRADE, N.; BRITO, P.; JORGE, W. Hotel: planejamento e projeto. São Paulo: SENAC, 2004.

Bibliografia do Curso Gestão de Turismo - EAD. ANDRADE, N.; BRITO, P.; JORGE, W. Hotel: planejamento e projeto. São Paulo: SENAC, 2004. Pág: 1 de 5 ALMEIDA, Alessandro; KOGAN, André; ZAINA JUNIOR, Rinaldo. Elaboração de Roteiros e Pacotes. Curitiba: IESDE, 2007. ANDRADE, Carlos Frederico. Marketing, o que é? Quem faz? Quais as tendências?

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: AMPE - ADM DE MICRO E PEQ EMPRESAS Código: ADM 253 Pré-requisito: ------ Período Letivo: 2013.2

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

INTERESSADA: Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA

INTERESSADA: Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA INTERESSADA: Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA EMENTA: Renova o reconhecimento do Curso Sequencial de Formação Específica em Gestão de Negócios em Turismo e Hotelaria, ofertado pela Universidade

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS. COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br

SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS. COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 375 Bacharelado ATUAÇÃO O curso de Secretariado

Leia mais

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO Dispõe sobre Normas para criação de cursos Técnicos de Nível

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Rua Esmeralda, 430 Faixa Nova Camobi -97110-767 Santa Maria RS Fone/FAX: (55) 3217 0625 E-Mail: prensino@iffarroupilha.edu.br.

Rua Esmeralda, 430 Faixa Nova Camobi -97110-767 Santa Maria RS Fone/FAX: (55) 3217 0625 E-Mail: prensino@iffarroupilha.edu.br. Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: TURISMO, HOSPITALIDADE E LAZER CURSO: TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

COMPONENTES CURRICULARES. Disciplinas Obrigatórias

COMPONENTES CURRICULARES. Disciplinas Obrigatórias COMPONENTES CURRICULARES Disciplinas Obrigatórias Disciplina: Fundamentos do Turismo e Hospitalidade Período no qual é ofertado: 1º Ementa: Conceito de turismo ao longo do tempo. Definições segundo a Organização

Leia mais

Programa e Bibliografia Edital 100/12

Programa e Bibliografia Edital 100/12 Programa e Bibliografia Edital 100/12 Campus Área Pontos Bibliografia Jaguarão Administração, Cultura e Turismo 1. Administração e Gerência Cultural 2. Gestão de agência de viagens 3. Gestão de recursos

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante)

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE

CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: TURISMO E HOTELARIA Graduação: BACHARELADO Regime: SERIADO ANUAL - NOTURNO Duração: 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS -

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO INGLÊS BÁSICO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO INGLÊS BÁSICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO INGLÊS BÁSICO Câmpus Santa Rosa/RS 2013 SUMÁRIO 1 Apresentação... 3 2

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS BARBACENA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº 129/2012 PROFESSOR SUBSTITUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS EDITAL DE SELEÇÃO Nº 129/2012 PROFESSOR SUBSTITUTO MINISTÉRI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário - Viçosa, MG - 36570-000 - Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail:

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA Engenharia Logística 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Programa de Pós-Graduação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS S DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Tecnólogo em Gestão em Turismo FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 092/07-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a:

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a: CURSO: Graduação em Marketing ( graduação) Missão O Curso de Graduação em Marketing tem como missão formar profissionais com capacidade de criar, planejar, executar e controlar processos de marketing que

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ESPANHOL BÁSICO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ESPANHOL BÁSICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ESPANHOL BÁSICO Câmpus Júlio de Castilhos RS 2013 2 Dilma Rousseff Presidente

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Custos Operacionais e de Produtos. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Custos Operacionais e de Produtos. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS Alan do Nascimento RIBEIRO, Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves Universidade do Estado de Minas Gerais Maria Amarante Pastor BARACHO,

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Controle Financeiro. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Controle Financeiro. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negocios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnologia em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Diretoria de Graduação e Educação Profissional - DIRGRAD Departamento de Educação Campus XXXXXXX ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Vivência da docência em instituições de Educação Infantil. Articulação do conhecimento teórico à prática pedagógica. Vivência das rotinas de cuidado e educação na Educação Infantil. Planejamento

Leia mais