Assimetria Informacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assimetria Informacional"

Transcrição

1 FURG UAB 2007 Aplicações para a Web Especialização Internet & Sociedade Assimetria Informacional

2 Informação sempre foi considerada pelos economistas como fonte de poder e força. No passado, especialistas se valiam da vantagem informacional para seus propósitos. Hoje, há um deslocamento desse poder para uma parcela dita dos consumidores.

3 No final da década de 90 caiu o custo do seguro de vida a termo, nos EUA. Sem causa aparente, pois os demais tipos de seguro não se desvalorizaram. O que aconteceu? A Internet...

4 Quotesmith.com tornou-se em abril de 1996 o primeiro site que permitiu aos consumidores. Comparar os preços dos seguros de vida a termo vendidos por dezenas de companhias. Seguros a termo são idênticos entre si, diferentemente de outros tipos de seguro que dependem de eventos imprevisíveis O preço é só o que importa. Logo as companhias mais careiras tiveram que nivelar seus preços. Em um ano, o custo desse tipo de seguro caiu em 1 bilhão de dólares.

5 Interferir no poder de informação ou de comunicação da Ku Klux Klan ou nos preços das companhias de seguro são operações diferentes: -- uma trafica informação visando engendrar o medo social; -- outras, se valem do fato das informações que lhes são importantes estarem registradas ou alocadas de formas que dificultam a comparação. MAS, em ambos os casos, disseminar a informação dilui o poder dela derivado.

6 Informação toma o lugar de produto em muitos casos. Informação é tão poderosa, que mesmo a presunção da informação, mesmo que não exista de fato, pode ter um efeito significativo. Exemplo: um carro absolutamente novo, no dia seguinte à compra já pode valer 25% menos. Quem for comprar pressupõe que o dono sabe algo que ele, comprador, não sabe, provavelmente de ruim, sobre o carro. Pior para o dono, nesse caso. E se o carro for mesmo ruim? Melhor esperar um ano. A essa altura, a suspeita de algo errado com o carro já terá diminuído muito e a falta de qualidade até poderá ser vendida junto com ele... Por um preço melhor do que ele vale.

7 É comum uma parte num negócio ter melhor informação que outra. É a assimetria de informação, como dizem os economistas. É usual que um (o especialista) tenha mais conhecimento que outro (o consumidor) sobre os produtos e os detalhes da transação. Mas esta assimetria foi gravemente atingida pela Internet. A Internet atua como um magneto de arrancar agulhas do palheiro. Ela fez encolherem-se as distâncias entre os experts e o público.

8 A internet mostrou-se particularmente útil numa certa classe de situações: Aquelas em que um nosso encontro face a face com um expert pode exacerbar a assimetria informacional... Situações em que o expert nos faz nos sentirmos provincianos, ignorantes, estúpidos, sem valor nenhum... O fato é que, ao dispor da Internet, o comprador do ataúde de R$ 7.000,00 pode deixar para se decidir depois de uma consultazinha ao pool virtual de funerárias e descobrir que o seu preço médio é R$ 2.000,00...

9 Referências LEVIT, Steven D. ; DUBNER, Stephen J. The Ku Klux Klan and real-estate agents. Freakanomics (excerto). In: PAPARELLA, Maureen Sheehan ; SIMKO, Eugene (orgs.) Current topics in technology: social, legal, ethical and industry issues for computers and Internet. Boston, Thomson Learning, Inc., 2007.

10 Questões para discussão Antes da grande disponibilidade na Internet a informação para o consumo estava disponível para os consumidores? Como, na sua opinião, a disseminação da informação dilui o poder dos agentes econômicos? Como a disseminação da informação dilui o poder de organizações como a Ku Klux Klan? Um juiz da Suprema Corte americana certa vez afirmou: A luz do sol é o melhor desinfetante (Louis D. Brandeis). Como a Internet desinfetou as relações econômicas da assimetria informacional? Será que a disponibilidade de informação para o consumo tem induzido práticas comerciais mais éticas? Sendo a própria informação a mais valiosa moeda da Internet, em que sentido a informação sobre a informação (ou sobre meios de obtê-la) pode afetar negativamente o equilíbrio informacional entre as pessoas? Na medida em que a Internet propicia este reequilíbrio nos relacionamentos de consumo, até que ponto a não disponibilidade da própria Internet cria ainda maior desequilíbrio nessas relações?

Segurança da Informação I

Segurança da Informação I Internet & Sociedade Segurança da Informação I Segurança da Informação Segurança pessoal em meio digital Intrusão eletrônica Segurança pessoal em meio digital Os jovens são os maiores alvos de roubo de

Leia mais

GESTÃO DE IMAGEM CORPORATIVA

GESTÃO DE IMAGEM CORPORATIVA GESTÃO DE IMAGEM CORPORATIVA G ESTÃO DE I MAG A reputação de uma empresa pode corresponder a cerca de 40% de seu valor de mercado negócio. Pesquisas de universidades norte-americanas revelaram que o nível

Leia mais

CURSO DE MICROECONOMIA 2

CURSO DE MICROECONOMIA 2 CURSO DE MICROECONOMIA 2 TEORIA DOS CONTRATOS - Seleção Adversa PROF Mônica Viegas e Flavia Chein Cedeplar/UFMG 2/2009 Cedeplar/UFMG (Institute) MICRO 2 2/2009 1 / 30 Seleção Adversa Seleção adversa: se

Leia mais

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado.

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado. Módulo 4 Como Organizar a Pesquisa O questionário e a observação são dois métodos básicos de coleta de dados. No questionário os dados são coletados através de perguntas, enquanto que no outro método apenas

Leia mais

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Folheto do produto Genesys Chat Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Hoje os clientes querem e esperam opções de autoatendimento quando participam de vendas on-line e

Leia mais

Unidade 1.1 Teorias de Comércio Internacional Baseado Livro: Manual de Comércio Exterior (Cap. 2) Causas do Comércio Internacional Os países comerciam por que? São diferentes uns dos outros, isto é apresentam

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação?

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação? O que é uma ação? Por definição é uma fração de uma empresa. Por isso, quem detém ações de uma companhia é dono de uma parte dela, ou melhor, é um dos seus sócios e por conseguinte passa a ganhar dinheiro

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO E NOÇÕES BÁSICAS DE MATEMÁTICA (Itens 31 a 40)

RACIOCÍNIO LÓGICO E NOÇÕES BÁSICAS DE MATEMÁTICA (Itens 31 a 40) ITEM 31 RACIOCÍNIO LÓGICO E NOÇÕES BÁSICAS DE MATEMÁTICA (Itens 31 a 40) O apartamento que Renato gostaria de comprar custava 40 mil reais em janeiro. Em fevereiro, o preço do apartamento teve um aumento

Leia mais

A Análise IS-LM: Uma visão Geral

A Análise IS-LM: Uma visão Geral Interligação entre o lado real e o lado monetário: análise IS-LM Capítulo V A análise IS-LM procura sintetizar, em um só esquema gráfico, muitas situações da política econômica, por meio de duas curvas:

Leia mais

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR MISSÃO DA UNIDADE: O PRODEC tem como objetivo promover o equilíbrio nas relações de consumo entre fornecedor e consumidor, baseado nos princípios

Leia mais

COMÉRCIO E CIDADE : UMA RELAÇÃO DE ORIGEM

COMÉRCIO E CIDADE : UMA RELAÇÃO DE ORIGEM 1 COMÉRCIO E CIDADE : UMA RELAÇÃO DE ORIGEM Heliana Comin Vargas Publicado no Portal do Estado de São Paulo. www.estadao.com.br/ext/eleicoes/artigos31/08/2000 Desde o início das civilizações, comércio

Leia mais

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de

Promoção de vendas é a pressão de marketing de mídia ou não mídia exercida durante um período predeterminado e limitado de tempo ao nível de Metas das Comunicações de Marketing: Criação de consciência informar os mercados sobre produtos, marcas, lojas ou organizações. Formação de imagens positivas desenvolver avaliações positivas nas mentes

Leia mais

CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor

CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor Novembro 2010 Sobre Insider Buying/Selling Uma das perguntas cuja resposta todo analista ou investidor de ações gostaria de ter se refere à opinião daquelas pessoas

Leia mais

A NATUREZA DA FIRMA (1937)

A NATUREZA DA FIRMA (1937) A NATUREZA DA FIRMA (1937) COASE, R. H. (1937). The nature of the firm. In: WILLIAMSON, O. & WINTER, S. (eds.) (1991) The nature of the firm: origin, evolution and development. Oxford: Oxford University

Leia mais

Realidade vs Virtualidade

Realidade vs Virtualidade Realidade vs Virtualidade Vivendo entre quem Somos e quem queremos Ser Necessidade de sermos felizes Necessidade de sermos aceitos Necessidades de Sermos A CONSTRUÇÃO DA NOSSA IDENTIDADE Vivendo entre

Leia mais

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas.

SUPERENDIVIDAMENTO. Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. SUPERENDIVIDAMENTO Saiba planejar seus gastos e evite dívidas. Nos últimos anos, houve um crescimento significativo de endividados no Brasil. A expansão da oferta de crédito e a falta de controle do orçamento

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS WESLLEYMOURA@GMAIL.COM INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS ANÁLISE DE SISTEMAS Introdução aos métodos ágeis Metodologias tradicionais Estes tipos de metodologias dominaram a forma de desenvolvimento de software

Leia mais

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE Proposta Técnica Desenvolvimento de software CONTEÚDO Resumo Executivo...3 1.1 Duração e Datas Especiais... 3 1.2 Fatores Críticos de Sucesso... 3 A Hi Level...3 Solução Proposta...4 1.3 Escopo... 4 1.4

Leia mais

7 Modelos de Négocio para o PLC

7 Modelos de Négocio para o PLC 87 7 Modelos de Négocio para o PLC Há basicamente três modelos de negócio que podem ser usados para o PLC baseados no valor de investimento e nível de risco que as empresas de energia se dispõem em aceitar

Leia mais

Registro de Propriedades - «Survey_Economy» www.doingbusiness.org

Registro de Propriedades - «Survey_Economy» www.doingbusiness.org Registro de Propriedades - «Survey_Economy» www.doingbusiness.org Prezado Sr./Prezada Sra.,«Title» «FirstName» «LastName» Gostaríamos de lhe agradecer pela sua colaboração. Seu conhecimento na área de

Leia mais

Gestão da Segurança da Informação

Gestão da Segurança da Informação Gestão da Segurança da Informação Mercado Empresas levam 200 dias até descobrirem que foram hackeadas Companhias precisam estabelecer uma visão holística de segurança para serem mais ágeis na detecção

Leia mais

Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br

Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br Um dos ramos mais importantes do mercado segurador brasileiro é o de saúde. Surgido sobretudo com uma opção

Leia mais

Internet e Adolescência - Pontos Positivos

Internet e Adolescência - Pontos Positivos Internet e Adolescência - Pontos Positivos Computadores e Sociedade I Edson A. Storolli F. Gláucia Campiche Bressan Rafael Prandi Guedes Moreira Vitor Manha Utino Introdução Como é o acesso à Internet

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E b o o k E x c l u s i v o SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO P r i n c í p i o s e A p l i c ações Especialista em Serviços Gerenciados de S e g u r a n ç a de Perímetro Sumário Princípios Conceito P.3 Breve Histórico

Leia mais

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café ED 2180/14 15 maio 2014 Original: espanhol P Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café 1. O Diretor Executivo apresenta seus cumprimentos e, em nome da Colômbia, encaminha aos Membros

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br 3 Agenda» A nova Economia» Segurança da

Leia mais

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor Movimento incentiva a escolha pelos pequenos negócios na hora da compra A iniciativa visa conscientizar o consumidor que comprar dos pequenos é um ato de cidadania que contribui para gerar mais empregos,

Leia mais

Teorias de Comércio Internacional. Baseado Livro: Manual de Comércio Exterior (Cap. 2)

Teorias de Comércio Internacional. Baseado Livro: Manual de Comércio Exterior (Cap. 2) Teorias de Comércio Internacional Baseado Livro: Manual de Comércio Exterior (Cap. 2) Causas do Comércio Internacional Os países comerciam por que? São diferentes uns dos outros, isto é apresentam diferenças

Leia mais

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Sistemas de Informação O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Objetivos Impactos na gestão das empresas: Macro mudanças no ambiente Novas tecnologias de comunicação e informática Macro

Leia mais

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance SEVERO¹, Ana Beatrice Santana SILVA², Danielle Rousy Dias da ANJOS 3, Eudisley Gomes dos PRESTES 4, Mateus Augusto Santos FERNANDES 5, Raul Felipe de

Leia mais

SAIBA COMO SE PREVENIR DAS FRAUDES E EVITAR PREJUÍZOS NAS VENDAS PELA INTERNET

SAIBA COMO SE PREVENIR DAS FRAUDES E EVITAR PREJUÍZOS NAS VENDAS PELA INTERNET Conteúdo 1. FRAUDES... 2 1.1. A história das fraudes na Indústria de Cartões... 2 1.2. O que o estabelecimento deve fazer para vender de forma segura pela Internet?... 2 1.3. Como a Cielo pode ajudar seu

Leia mais

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO!

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! Como deixar seu negócio on-line Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! A palavra de ordem das redes sociais é interação. Comparando a internet com outros meios de comunicação em massa como

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA 032/2015. Discusssão conceitual do Generation Scaling Factor (GSF) ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S/A

CONTRIBUIÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA 032/2015. Discusssão conceitual do Generation Scaling Factor (GSF) ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S/A CONRIBUIÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA 032/2015 Discusssão conceitual do Generation Scaling Factor (GSF) ELEKRO ELERICIDADE E SERVIÇOS S/A 1. Introdução Inicialmente, cumpre ressaltar a qualidade do material disponibilizado

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SETOR EXTERNO BRASILEIRO NO SEGUNDO BIMESTRE DE 2013

ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SETOR EXTERNO BRASILEIRO NO SEGUNDO BIMESTRE DE 2013 ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SETOR EXTERNO BRASILEIRO NO SEGUNDO BIMESTRE DE 2013 QUIRINO, José Renato Dias 1 ; MEDEIROS 2, Rennan Kertlly de; RAMOS FILHO 3, Hélio S. RESUMO O estudo das relações econômicas

Leia mais

76 Anos Educando para a Vida

76 Anos Educando para a Vida CIANSP - COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Rua Monsenhor Domingos Pinheiro, 35 Calafate/BH Fone: (31) 3334 6913 - coorden acao@colegiopied ade.co m.b r 76 Anos Educando para a Vida DISCIPLINA: REDAÇÃO PROFESSORA:

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Lavanderia digital. Resumo executivo. Uma análise das moedas on-line e seu uso no crime cibernético

Lavanderia digital. Resumo executivo. Uma análise das moedas on-line e seu uso no crime cibernético Resumo executivo Lavanderia digital Uma análise das moedas on-line e seu uso no crime cibernético Por Raj Samani, EMEA (Europa, Oriente Médio e África), McAfee François Paget e Matthew Hart, McAfee Labs

Leia mais

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes

Leia mais

Teoria Macroeconômica I

Teoria Macroeconômica I Teoria Macroeconômica I Prof. Anderson Litaiff Prof. Salomão Neves Teoria Macroeconômica I - Prof. Anderson Litaiff/ Prof. Salomão Neves 1 2 Conteúdo Programático 2ª Avaliação Noções básicas de macroeconomia

Leia mais

StarMoney Câmbio Exchange & Centurion Aluguel de Carros Av. Osaka, 600 Loja 6 Fone: (11) 4651-5649 - Centro Industrial de Arujá Arujá/SP

StarMoney Câmbio Exchange & Centurion Aluguel de Carros Av. Osaka, 600 Loja 6 Fone: (11) 4651-5649 - Centro Industrial de Arujá Arujá/SP STARMONEY CÂMBIO/EXCHANGE - Quem Somos A StarMoney é a uma credenciada da Mega Corretora de Câmbio Ltda, instituição autorizada pelo Banco Central do Brasil. É mais segurança na hora de fechar negócios

Leia mais

Professor: Tiago Tripodi

Professor: Tiago Tripodi Professor: Tiago Tripodi Quando temos uma situação em que acontece o processo de troca, envolvendo desejo e necessidade de se obter um bem ou serviço, neste momento se realiza uma ação de marketing As

Leia mais

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú Fernando Deodato Crispim Junior 1 ; Matheus dos Santos Modesti 2 ; Nadia Rocha Veriguine 3 RESUMO O trabalho aborda a temática da

Leia mais

RGIS POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO

RGIS POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO RGIS POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO I. DECLARAÇÃO DA POLÍTICA A política da RGIS ( Companhia ) é conduzir as operações mundiais de forma ética e conforme as leis aplicáveis, não só nos EUA como em outros países.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 10 de Outubro de 2013. Revisão aula anterior Documento de Requisitos Estrutura Padrões Template Descoberta

Leia mais

COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE

COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE COMECE CERTO: PLANEJAMENTO E ANÁLISE 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 COMECE CERTO QUESTÕES FUNDAMENTAIS PARA O PLANEJAMENTO E ANÁLISE DE NOVOS NEGÓCIOS OBJETIVO DO DEBATE Apresentar

Leia mais

IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL

IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL IDENTIFICANDO O COMPORTAMENTO INADEQUADO DOS VAGÕES SOFTWARE ESPECIALISTA PARA AUTOMATIZAÇÃO COMPLETA LYNXRAIL Kris Kilian MESc, Monica Kilian PhD, Vladimir Mazur PhD Lynxrail, Austrália James Robeda B

Leia mais

ni t núcleo de inovação tecnológica Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira

ni t núcleo de inovação tecnológica Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira ni t Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira março de 2015 Introdução A marca é o elemento central de uma identidade visual. Quando bem utilizada, torna-se o item primário para o reconhecimento de

Leia mais

TRATAMENTO POR FATORES NA AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS

TRATAMENTO POR FATORES NA AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS TRATAMENTO POR FATORES NA AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS URBANOS O tratamento por fatores tem por objetivo tornar comparáveis os dados coletados na pesquisa. É a parte mais trabalhosa da avaliação. O tratamento

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

ESD 126 ESD 126 Mercados Econômicos de Energia

ESD 126 ESD 126 Mercados Econômicos de Energia Mercados Econômicos de Energia Características da Demanda Elétrica Demanda de Eletricidade em Hokkaido 5 de março de 2001 Cortesia da Hokkaido Electric Power Co., Inc.: Utilização permitida Dois Dias em

Leia mais

Brasil, País do ingresso mais caro do Mundo

Brasil, País do ingresso mais caro do Mundo PLURI Especial Brasil, País do ingresso mais caro do Mundo Fernando Ferreira - Economista, Especialista em Gestão e Marketing do Esporte e Pesquisa de Mercado, Diretor da Pluri Consultoria, da BrSM Brasil

Leia mais

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito.

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. INFORMAÇÕES GERAIS. O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. A rendibilidade é a taxa de rendimento gerado pelo investimento durante

Leia mais

TELEMEDICINA:NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR

TELEMEDICINA:NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR TELEMEDICINA:NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR Alessandra R. M. de Castro-HE-UFPEL/FAU 1 Resumo: O presente estudo trata do relato de experiência a partir de uma nova tecnologia, denominada telemedicina,

Leia mais

Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Aula 3

Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Aula 3 Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Quando a chuva cai, necessariamente, a rua fica molhada. Se a rua está molhada, pode ter chovido. Mas, não necessariamente!

Leia mais

Informática Básica. Internet Intranet Extranet

Informática Básica. Internet Intranet Extranet Informática Básica Internet Intranet Extranet Para começar... O que é Internet? Como a Internet nasceu? Como funciona a Internet? Serviços da Internet Considerações finais O que é Internet? Ah, essa eu

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

Fundamentos da Matemática

Fundamentos da Matemática Fundamentos da Matemática Aula 10 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

Em meu entendimento, ela foi abaixo das expectativas. Prova fácil, cobrando conceitos básicos de Microeconomia, sem muita sofisticação.

Em meu entendimento, ela foi abaixo das expectativas. Prova fácil, cobrando conceitos básicos de Microeconomia, sem muita sofisticação. Comentários Microeconomia (Área 3) Olá Pessoal. O que acharam das questões de micro (área 3)? Em meu entendimento, ela foi abaixo das expectativas. Prova fácil, cobrando conceitos básicos de Microeconomia,

Leia mais

Elementos de Direito Aduaneiro

Elementos de Direito Aduaneiro Elementos de Direito Aduaneiro Marcelo Alvares Vicente Professor universitário, mestre em Direito Tributário pela PUC/SP, advogado Março / 2011 Normas de direito aduaneiro Diversos instrumentos normativos,

Leia mais

Títulos de Capitalização: Análise comercial indica mudanças estratégicas Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Dezembro/2000

Títulos de Capitalização: Análise comercial indica mudanças estratégicas Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Dezembro/2000 Títulos de Capitalização: Análise comercial indica mudanças estratégicas Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Dezembro/2000 I) Introdução O objetivo deste estudo é avaliar a estratégia comercial de

Leia mais

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação do CEFOR como parte das exigências do curso de Especialização em

Leia mais

Margem% Mark-up% Qual a diferença? Pricing Consultoria, Treinamento e Auditoria. Ebook: Margem% ou Mark-up%, qual a diferença?

Margem% Mark-up% Qual a diferença? Pricing Consultoria, Treinamento e Auditoria. Ebook: Margem% ou Mark-up%, qual a diferença? Margem% OU Mark-up% Qual a diferença? Pricing Consultoria, Treinamento e Auditoria Introdução A maioria dos leigos e até mesmo profissionais ficam em dúvida quando se fala em Margem e Mark-up. Muitos acreditam

Leia mais

XEROX GLOBAL ETHICS HELPLINE

XEROX GLOBAL ETHICS HELPLINE ALCANCE: Xerox Corporation e suas subsidiárias. OBJETIVO: Este documento descreve a conduta ética que deve ser adotada durante as negociações pelos empregagos da Xerox Corporation. Todos os empregados

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

ISO 9001 O que significa para quem compra?

ISO 9001 O que significa para quem compra? ISO 9001 O que significa para quem compra? Introdução Como alguém que é responsável pelas decisões de compra, você pode ter visto ou usado bens e serviços que utilizam referências a ISO 9001 como propaganda.

Leia mais

Introdução à Matemática Financeira

Introdução à Matemática Financeira Introdução à Matemática Financeira Atividade 1 Por que estudar matemática financeira? A primeira coisa que você deve pensar ao responder esta pergunta é que a matemática financeira está presente em muitos

Leia mais

Introdução Ao Marketing

Introdução Ao Marketing Introdução Ao Marketing O que é Marketing? Isso não é Marketing Muitas pessoas pensam em marketing apenas como vendas e propaganda e isso não causa nenhuma surpresa; Entretanto, vendas e propaganda constituem

Leia mais

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO

Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Tecnologia da Informação na FG AUTO - ATENDIMENTO ALUNO Jaboatão dos Guararapes / PE PAG.1 Tecnologia da Informação na Faculdade Guararapes A Faculdade Guararapes através do Setor de Tecnologia da Informação

Leia mais

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila.

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila. UnB Universidade de Brasília Administração de Recursos Materiais Tema: Gestão de estoque Alunos: - Beliza de Ávila - Felipe Jordán - Guilherme de Miranda - Jefferson Coelho O conceito de ocupação física

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Moedas Estrangeiras

Leia mais

Departamento de Engenharia Informática Universidade de Coimbra 3030 Coimbra, Portugal ralberto@student.dei.uc.pt

Departamento de Engenharia Informática Universidade de Coimbra 3030 Coimbra, Portugal ralberto@student.dei.uc.pt &RPpUFLRHOHFWUyQLFRSULQFLSDLVTXHVW}HVHVXDGLYXOJDomRHP 3RUWXJDO SRU 5RGULJR$OEHUWR$OPHLGD%DSWLVWD Departamento de Engenharia Informática Universidade de Coimbra 3030 Coimbra, Portugal ralberto@student.dei.uc.pt

Leia mais

C X 0 C x 0,5 D x 0,5 =

C X 0 C x 0,5 D x 0,5 = Classificação: Valores *UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR* Dep. de Gestão e Economia Exame de 2.ª Chamada de Gestão da Informação e do Conhecimento Ano lectivo 2005-2006 Licenciatura em: Data: 2006-02-22

Leia mais

A quem se destina: empresas, ONGs e instituições, personalidades, lideranças, profissionais liberais, CEOs e executivos.

A quem se destina: empresas, ONGs e instituições, personalidades, lideranças, profissionais liberais, CEOs e executivos. 1 REPUTAÇÃO DIGITAL Na era da informação digital, sua reputação não é construída apenas e partir das informações que você disponibiliza. Blogueiros, ativistas, funcionários, clientes e outras pessoas participam

Leia mais

Economia Financeira Internacional Ano Lectivo 2000/2001

Economia Financeira Internacional Ano Lectivo 2000/2001 Economia Financeira Internacional Ano Lectivo 2000/2001 PAER 09/2001 Duração: 2 horas Parte A (em consulta 60 minutos) 1. uponha que tem um depósito em escudos no valor de 100 000$00 e que decide trocar

Leia mais

Neurodinâmica do Mercado de Ações

Neurodinâmica do Mercado de Ações Neurodinâmica do Mercado de Ações Armando Freitas da Rocha Eina Estudos em Inteligência Natural e Artificial Rua Tenente Ary Aps, 172 13207-110 Jundiaí Fone: (11) 4535-1414 Direitos Reservados: Eina The

Leia mais

Faculdades Santa Cruz - Inove. Plano de Aula Base: Livro - Distributed Systems Professor: Jean Louis de Oliveira.

Faculdades Santa Cruz - Inove. Plano de Aula Base: Livro - Distributed Systems Professor: Jean Louis de Oliveira. Período letivo: 4 Semestre. Quinzena: 5ª. Faculdades Santa Cruz - Inove Plano de Aula Base: Livro - Distributed Systems Professor: Jean Louis de Oliveira. Unidade Curricular Sistemas Distribuídos Processos

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers O investidor-anjo e acadêmico Antonio Botelho discute as barreiras ao empreendedorismo e à inovação colaborativa no Brasil, e as formas de

Leia mais

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos?

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos? Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agronômicas Depto. de Economia, Sociologia e Tecnologia e Balança de Pagamentos Economia e Administração 3 º sem./medicina Veterinária Núria R. G. Quintana

Leia mais

ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL

ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL Prof.ª Mônica Ferreira dos Santos José Augusto Guilhon de Albuquerque é sociólogo e professor da USP. No Serviço Social alguns autores já usaram seu referencial. Weisshaupt

Leia mais

3. Mercados Incompletos

3. Mercados Incompletos 3. Mercados Incompletos Externalidades são, na verdade, casos especiais clássicos de mercados incompletos para um patrimônio ambiental. Um requerimento chave para se evitar falhas de mercado é a de que

Leia mais

A PATENTE DE SOFTWARE E A INOVAÇÃO NO PAÍS Por Luiz Antonio Xavier dos Santos 10 jul. 2008

A PATENTE DE SOFTWARE E A INOVAÇÃO NO PAÍS Por Luiz Antonio Xavier dos Santos 10 jul. 2008 A PATENTE DE SOFTWARE E A INOVAÇÃO NO PAÍS Por Luiz Antonio Xavier dos Santos 10 jul. 2008 No momento em que o software apresenta-se como um fator de desenvolvimento econômico e tecnológico para a maioria

Leia mais

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Definição Toda atividade de compra e venda realizada com recursos eletrônicos; Uso de mecanismos eletrônicos para a

Leia mais

Assuntos ligados a pessoas que devem estar na pauta dos Conselhos de Administração

Assuntos ligados a pessoas que devem estar na pauta dos Conselhos de Administração 2º Encontro para Conselheiros Painel 02 Assuntos ligados a pessoas que devem estar na pauta dos Conselhos de Administração Neste painel, os convidados destacaram os desafios de inserir esse tema de forma

Leia mais

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES O Instituto Assaf comparou diversos indicadores de desempenho dos bancos grandes e dos bancos médios de 2009 a 2011. Primeiramente

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Comércio Eletrônico rveras@unip.br Aula - 04 Agenda Comércio Eletrônico 2 Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico 3 O que é o comércio eletrônico Evolução Transações convencionais

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva². Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC. renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail.

Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva². Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC. renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail. Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva² Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail.com² Há algum tempo o termo computação em nuvem ou Cloud Computing

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir?

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir? Engenharia de Software O Estudo de Viabilidade Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício Alternativas de comparação 1 2 Idéias

Leia mais

APARECIDA LIBERATO E BETO JUNQUEYRA &CIA. CRIE A SUA! A verdadeira energia de marcas e nomes vencedores

APARECIDA LIBERATO E BETO JUNQUEYRA &CIA. CRIE A SUA! A verdadeira energia de marcas e nomes vencedores APARECIDA LIBERATO E BETO JUNQUEYRA CRIE A SUA! &CIA. A verdadeira energia de marcas e nomes vencedores Rio de Janeiro 2014 A maior energia de um Nome e de uma grande Marca! F im do século XIX. Em Atlanta,

Leia mais

Lição 3. Instrução Programada

Lição 3. Instrução Programada Lição 3 É IMPORTANTE A ATENTA LEITURA DAS INSTRUÇÕES FORNECIDAS NAS LIÇÕES 1 e 2. NOSSO CURSO NÃO SE TRATA DE UM CURSO POR COR RESPONDENCIA; NÃO NOS DEVERÃO SER MAN- DADAS FOLHAS COM AS QUESTÕES PARA SEREM

Leia mais

IDEÁGORAS. Mercados para idéias, inovações e mentes singulares qualificadas. WIKINOMICS Capítulo 4

IDEÁGORAS. Mercados para idéias, inovações e mentes singulares qualificadas. WIKINOMICS Capítulo 4 IDEÁGORAS Mercados para idéias, inovações e mentes singulares qualificadas WIKINOMICS Capítulo 4 A SITUAÇÃO As empresas todo dia enfrentam problemas difíceis e em algum lugar do mundo existe uma mente

Leia mais