Sistema de Vod e IPTV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Vod e IPTV"

Transcrição

1 Sistema de Vd e IPTV Intrduçã: O sistema de víde a pedid e televisã a pedid é cnstituíd pr dis sftwares distints, live555, servidr a pedid de vídes e VLC, servidr de IPTV, que permite a recepçã de canais pr váris meis (analógic terrestre, através de uma placa cdificadra para hardware e através de interfaces digitais, cm satélite e ainda ficheirs). O sftware permite ainda a gravaçã de cnteúds. Para estas funcinalidades referidas fi usada uma parte d VLC que se chama VLM, que que permite é ter váris canais em simultâne a ser transmitids para a rede. Para interagir cm prgrama usa-se a sua interface telnet. Dad VLC nã ter uma arquitectura em que as cnfigurações sã guardadas em base de dads, fi necessári desenvlver uma aplicaçã que cnsulta a base de dads e gera cm essa infrmaçã script de arranque. A infrmaçã é registada na base de dads, através da interface utilizadr u através de intrduçã directa. Executar prgrama IPTV O prgrama é executad sempre que servidr reinicia, sempre cm a pçã de interface telnet e cm um ficheir de cnfiguraçã assciad, através d seguinte cmand: vlc -I telnet --vlm-cnf /hme/luis/iptvserver/vlm.cfg O ficheir que é dad a servidr IPTV para cnfiguraçã é gerad através de um prgrama java, executad antes de iniciar servidr IPTV. O prgrama java, tem pr funçã gerar td script de cnfiguraçã d servidr IPTV, nmeadamente sbre s canais analógics e satélite dispníveis, agendament da vigilância, agendaments de prgramas frequentes, cm telejrnal e agendaments ds utilizadres. O script é gerad através da cnsulta a duas base de dads, a base de dads da interface para bter s agendaments ds utilizadres e a base de dads de cnfiguraçã d servidr IPTV. Executar prgrama VD O prgrama de VD é excutad a arranque, nã precisand de qualquer cnfiguraçã, desde que seja executad na pasta nde estã s vídes ds quais querems fazer VD. Quand sã efectuads agendaments da parte d utilizadr, é inserid na base de dads um regist crrespndente a esse agendament, que é também enviad através de uma ligaçã telnet estabelecida pela interface d sistema a servidr IPTV.

2 Esse agendament é sempre armazenad na paste nde se encntram s vídes, pela limitaçã cnhecida d servidr VD em nã suprtar pastas. Relativamente a servidr VD, existiu apenas uma alteraçã a códig fnte, que se prende cm a prta nde sã servids s pedids, existind duas prtas 554 e 8554, seria difícil a sincrnizaçã de tds s cmpnentes d sistema, infrmand quais as prtas, assim alteru-se códig d prgrama para que este seja sempre executad na prta 554. Base de dads de cnfiguraçã d servidr IPTV Funcinalidades implementadas: - Gerar canais analógics, cm pções - Gerar canais digitais, DVB-S - Gerar canais mms - Gerar agendaments de cameras, cm peridicidade definida, u seja, a duraçã das gravações 6 hras, pr exempl. - Gerar agendaments de prgramas cm peridicidade definida, semanal, quinzenal, etc. Funcinalidades pr implementar: - Transcdificaçã (cdecs, limitaçã de débits, etc) Nã é pssível aplicar uma transcdificaçã. Nã se implementu nesta fase, pr nã ser priritária e pr esta aumentar a carga n prcessadr. Base de dads A base de dads é cnstituída pr 11 tabelas, que se passam a enumerar: Cameras Lista das câmaras a gravar Id chave primária da tabela Name nme da câmara Address endereç Peridicity_id peridicidade da gravaçã Active Activa a gravaçã u nã

3 Channels Lista de tds s canais Id chave primária da tabela Name nme d canal Input definiçã d input d canal Channeltype_id id d tip de canal Active Activa canal u nã Channeltypes Tips de canais Id chave primária da tabela Name tip de canal (dvb, pvr, mms u utr) Dvb_utputs N dvb existe um parâmetr adicinal assciad a cada utput, nmeadamente qual prgram id assciad, esta tabela mantém essa infrmaçã Id chave primária da tabela Output_id id d utput Prgram prgram id assciad Optins Opções assciadas as canais Id chave primária Channel_id id d canal Name nme da pçã Value valr da pçã, se fr deixad em branc significa uma pçã sem valr assciad Outputs Destins ds canais Id chave primária Channel_id id d canal Ip IP para nde é transmitid canal (unicast u multicast) Prt prta para nde é transmitid canal Packet_id id d pacte assciad a este utput Transcde_id id da transcdificaçã assciada

4 Packets Pactes dispníveis Id chave primária Access tip de acess Mux tip de multiplexer Parameters Lista de parâmetrs de transcdificaçã Id id d parâmetr Name nme d parâmetr Peridicities Lista das peridicidades dispníveis Id chave primária da tabela Name nme da peridicidade (semanal, diária, etc) Value valr da peridicidade, sã aceites s seguintes m,h,d,m e s m minuts h hras d dias M mês S semana Exempl: 1d, 1m, 1s; Schedules Agendaments periódics Id chave primária Name nme d prgrama sem espaçs Channel_id canal que será gravad Start hra de inici Duratin duraçã Peridicity_id id da peridicidade Active Trna agendament activ u nã Transcdes

5 Id chave primária Parameter_id id d parametr Value valr BUGS cnhecids: - A tabela schedules deveria cnter utput_id em vez de channel_id, para cas ds canais satélite; Actualizaçã das ntícias Existe um prgrama que frequentemente (prgramaçã através d crntab) actualiza a base de dads de ntícias, este prgrama efectua cnsultas a base de dads para saber quais s endereçs de RSS e em seguida cnsulta um a um, inserind na base de dads infrmações sbre a nticia e a sua fnte. O prgrama que efectua esta gestã chama-se Actualiza jrnais. O prgrama usa um pacte da Sun, rssutils que efectua parsing de RSS. Cnsiderações sbre prgrama Cada vez que é executad verifica se as nticias que está a receber sã mais recentes que aquelas que estã já em base de dads. Se frem mais recentes insere na base de dads, se nã descarta as ntícias. Esta verificaçã efectua-se cm base numa data e hra presente na base de dads para cada tema de ntícias. Limitações Este prgrama encntra-se à medida das ntícias prduzidas pela sic. Cas seja necessári incluir utras ntícias será necessári efectuar alterações n prgrama.

6 Actualiza filmes Existe um prgrama que é executad cada vez que é feit um rebt que actualiza s filmes dispníveis em cada cinema que cnsta na base de dads. Antes de actualizar é efectuada uma verificaçã se já fram actualizadas as ntícias hje, cas afirmativ nã actualiza. Limitações e cnstrangiments Cas haja alguma alteraçã à estrutura d site que frnece s cnteúds aqui actualizads este prgrama deixará de funcinar perfeitamente, pdend inclusive intrduzir alguns errs na base de dads, necessitará pr iss de um acmpanhament, quant a seu funcinament. Prblemas detectads Existia um prblema relacinad cm a cdificaçã, que levava a caracteres incrrects depis de efectuada a cnsulta na internet, iss tinha pr cnsequência errs quer na execuçã quer na visualizaçã desta funcinalidade. O prblema fi reslvid esclhend a cdificaçã a usar na execuçã. O prblema fi detectad prque a execuçã em Windws crria bem e em Linux apresentava prblemas, em seguida fez-se a impressã de qual cding usad e verificu-se a diferença. Assim prgrama passu a ser executad através d cmand: java -Dfile.encding=Cp1252 -jar /hme/luis/actualizarfilmes/actualizarfilmes.jar

7 Actualizar MMS Existe um prgrama que actualiza endereç da sic nticias na base de dads, esse prgrama é executad antes de ser gerad script de IPTV, que prgrama faz é executar script pythn que reclhe s endereçs, registand da sic nticias em base de dads. Limitações e cnstrangiments Este prgrama depende seu sucess d script pythn, se a estrutura da página mudar e script pythn falhar nã será pssível actualizar endereç da sic nticias na base de dads. Prgramas que faltam fazer u questões pendentes: Saber espaç em disc de cada utilizadr; OK Impedir agendament se espaç d utilizadr ultrapassar a sua quta; OK Permitir eliminar vídes d sistema. OK A SIC nticias pr algum mtiv pr vezes nã arranca, será necessári para iss ter um prgrama que se certifique que a sic nticias arrancu. Cruzar s dads ds vídes existentes na base de dads cm s ficheirs n disc; OK Eliminar s vídes/gravaçã periódics; OK Definir regras para essa eliminaçã. OK Permitir ter imagens ns agendaments periódics, classificar esses prgramas pr tip e uma descriçã. OK Err crrigids Actualizaçã das pastas nde sã armazenads s vídes; Remçã d text de debug que ainda permanecia nas listagens de rádis; Algumas referências: Servidr VD Servidr IPTV Manual servidr IPTV

8 Manual d cakephp - Framewrk php usada Interface A interface d sistema acedida preferencialmente pela STB d utilizadr é mei através d qual utilizadr acede a tds s serviçs, trna-se pr iss imprtante que esta seja simples, de fácil utilizaçã e mais mecanizada pssível (autmática). Segue-se nas próximas páginas a descriçã da base de dads de suprte à interface e d funcinament da Framewrk que implementa a interface, bem cm as principais cnsiderações. A Framewrk utilizada permite a prgramaçã da interface em três camadas, acess as dads, lógica de negóci e apresentaçã. N cntext da interface e deixand de lad a teria, na camada de acess as lads, implementam-se cnsultas para bter dads que a lógica de negóci slicita. Pr exempl bter a lista de filmes, a lógica de negóci slícita à camada de acess as dads, a lógica de negóci executa uma funçã declarada n respectiv mdel que devlve s dads pretendids. Mdels implementam acess as dads Existem váris mdels de acess as dads, geralmente um pr cada tabela, mdel aparece sem relacinad cm a tabela e cntém s métds necessáris a extracçã desses dads. Os mdels cmeçam sempre a sua declaraçã pr: <? class Channel extends AppMdel { var $name='channel'; A variável name existe pr uma questã de cmpatibilidade cm versões anterires d PHP, nme da classe é nme da tabela à qual mdel está assciada cm inicial maiúscula. Seguidamente existe a indicaçã de qual é a cnfiguraçã de base de dads, declarada pela seguinte frase var $usedbcnfig = 'default'. Estas cnfigurações encntram-se declaradas n ficheir database.php que está na pasta cnfig. Ns métds ds mdels, prcediment é sempre declarar a query, executar e retrnar resultad, nã send efectuads na mair parte ds cass qualquer tip de peraçã sbre s dads, deixand-se essa tarefa para a lógica d negóci.

9 As classes Channel, Radi, Music e Vide sã semelhantes n seu funcinamente, pr esse fact fi apenas cmentada a classe Channel. Cntrladres implementam a lógica de negóci Os cntrladres existentes na interface tratam s dads recebids pela camada de acess as dads e enviam-ns para a camada de apresentaçã. Os cntrladres têm nme d mdel a que se referem n plural e em letras minúsculas, except a primeira, acrescentand Cntrller a nme, send nme d ficheir tda em minúsculas separand nme d cntrladr e a palavra cntrller pr _. A declaraçã de um cntrladr é feita da seguinte frma: class ChannelsCntrller extends AppCntrller { var $name="channels"; var $scaffld; var $uses = array("channel","makepage"); var $helpers = array('html','myhtml'); Mais uma vez a variável name, aparece pr uma questã de cmpatibilidade; a variável scaffld se estiver declarada permite us de uma aplicaçã que permite adicinar, remver e editar regists através de uma interface php, já existente na Framewrk; a variável uses cntém um array (um vectr) de nmes de mdels que sã utilizadres n presente cntrladr. Finalmente na declaraçã de um cntrladr aparece a variável helpers, que indica quais as biblitecas de ajuda que estã a ser usadas nas views que dependem deste cntrladr. O prcediment geral ns cntrladres é verificar se utilizadr já efectuu lgin, se sim deixa prsseguir, cas cntrári redireccina- para a página de lgin, segue um exempl desse prcediment: if(!$this->sessin->check('user_id')) $this->redirect("/makepages/lgin"); Depis de verificad se utilizadr já tinha efectuad lgin, deduz-se se na sessã já estiver guardad id d user, lê da sessã ID d utilizadr, d grup e d idima assciad a este utilizadr, segue-se exempl: $user_id=$this->sessin->read('user_id'); $grup_id=$this->sessin->read('grup_id'); $language_id=$this->sessin->read('language_id');

10 Depis de efectuads estes dis passs brigatóris segue-se a declaraçã de variáveis a usar nas views, variáveis cm valres cnsultads na base de dads, segue-se um exempl: $this->set("canais",$this->channel->btercanaisdtip($tip,$grup_id)); Guarda-se na variável canais resultad retrnad pel métd btercanaisdtip cm s parâmetrs tip e grup_id, d mdel Channel. Existe um cntrladr muit imprtante na interface, que é cntrladr makepages, dad que este é respnsável pelas principais funcinalidades, nmeadamente a geraçã das páginas de acrd cm as pções, u cnfigurações de um determinad utilizadr, que estã patentes em base de dads. Para esta geraçã de páginas persnalizadas cntribuem métds cm s seguintes: $this->set("titul",$this->makepage->btertitul ("telefne", $grup_id,$language_id)); $this->set("menus",$this->makepage->btermenus ("telefne",$grup_id, $language_id)); Nestes métds é indicad qual grup para qual estams a gerar a página, bem cm idima e nme da página. Este retrna s parâmetrs para este utilizadr que pertence a um grup, nmeadamente s menus e títuls das páginas. Os cntrladres, channels, radis, vídes e musics funcinam da mesma frma assim fi apenas cmentad channels. Os classes lcalizadas na pasta vendrs têm uma funçã imprtantíssima, dad que sã elas que efectuam cmunicaçã cm exterir, nmeadamente s serviçs de click t call e a cmunicaçã cm servidr de IPTV, bem cm representam entidades u métds auxiliares, usads em váris cntrllers. Uma das funcinalidades da interface que recrre a uma classe destas que cmunica cm servidr IPTV é a ds agendaments, prvavelmente a funcinalidade da interface que apresenta mais pnts fracs e que para funcinar precisa de muita lógica, dad depender e mexer esta cm váris serviçs. O que implica um agendament? [1] Apresentar uma página a utilizadr da interface que permita agendar gravações, nmeadamente, ter uma dada de iníci, superir u igual à actual; ter uma lista de canais nde ele pde efectuar agendaments; ter uma lista de durações, que utilizadr pde seleccinar, tend sid definida uma duraçã máxima de agendament, esta limitaçã nã existe n códig, existe apenas d pnt de vista das durações que utilizadr pde seleccinar; ter uma lista de canais dispníveis, nde utilizadr pde realizar agendaments.

11 Esta é a infrmaçã que utilizadr necessita para agendar, a partir daqui a lógica é tda n servidr. [2] Depis de seleccinads s dads d agendament a infrmaçã é enviada para servidr, a data e hra é tratada para frmat crrespndente, é identificada a duraçã e frmatada a data de fim da gravaçã, assim cm identificar canal, nmeadamente endereç nde se pde gravar canal pretendid. [3] Depis de frmata a data de inici e fim, bem cm as durações e endreç d canal, esta infrmaçã é enviada para vendr Agendament.php, esta classe é respnsável pr receber s dads e gerar s cmands a enviar para servidr IPTV que permitem agendar e efectuar a gravaçã ds cnteúds pretendids. Sã gerads três principais cmands enviads para servidr IPTV, um que efectua a gravaçã de um canal para um ficheir, um que inicia esta gravaçã e utr que termina esta gravaçã, cmand que termina esta gravaçã é respnsável pr limpar s agendaments d servidr, u seja remver cmand que permitir guardar em ficheir, remver cmand de inici e cmand de fim. [4] Seguidamente é necessári armazenar em base de dads s agendaments e a infrmaçã d víde que agendament irá prprcinar, é acrescentad na tabela ds agendaments, infrmaçã sbre este agendament, bem cm infrmaçã na tabela ds vídes dispníveis para visualizaçã, definind uma data a partir da qual víde se encntra dispnível para ser visualizad. A partir dessa data e hra filme encntra-se na interface d utilizadr e pde ser seleccinad. [5] Para que agendament se efective existe mais uma cmpnente que já se referiu, nmeadamente aquele que carrega para servidr IPTV tds s agendaments cada vez que cmputadr reinicia. NOTA: Esta funcinalidade ds agendaments cm já fi referid é bastante crítica, tend alguns prblemas de sincrnizaçã ds ficheirs em disc cm a infrmaçã em base de dads. Será necessári incrementar a sincrnizaçã através de ferramentas externas, cm a que fi realizada para carregar tds s agendaments aquand d rebt.

12 Alguns cnceits: Layut Aspect que é cmum a várias páginas, pr exempl fact de tdas terem um rdapé cm imagem, fact de tdas terem uma tabela cm determinadas pções, a esclha d layut a usar é feita n métd d cntrladr e refere-se à view que apresenta resultad prduzid pr esse métd. Vistas implementam a camada de visualizaçã ds dads As vistas rganizam-se em pastas, crrespndend nme da pasta a nme d cntrladr a que se referem n plural e escrit apenas cm letras minúsculas, sem a palavra cntrller, pr exempl a pasta das views d cntrladr channels_cntrller tem nme channels e cntém dentr dessa pasta um ficheir pr cada métd declarad n cntrladr. Existe uma lógica na camada de visualizaçã ds dads que se repete, que tem a ver cm a geraçã de páginas de menus, nmeadamente n menu inicial e ns utrs menus. A lógica cncretiza-se sempre da mesma frma, métd d cntrladr que crrespnde à view cnsulta na base de dads títul e s menus existentes para a página referida e envia-s à view, esta escreve titul e psterirmente elabra uma tabela cm tds s menus. A frma de elabrar a tabela é sempre recrrend a fr u freach. Pasta Webrt, dentr das views Esta cntém 4 pastas, css, files, img e js, dentr da css é guardad estil da página, dentr da js sã guardads tds s javascript, neste cas apenas javascript d calendári e dentr da pasta img sã guardadas tdas as imagens da interface. Maires limitações e cuidads a ter: Sincrnizaçã da base de dads; Prtecçã cntra SQL Injectin (prtecçã d códig); Aspects de segurança diverss;

13 SCRIPT DE ARRANQUE Sã executadas as perações necessárias após rebt case "$1" in start) rute add -net /4 dev eth5 ech "/usr/sbin/asterisk &" su rt ech "ASTERISK"; ech "java -Dfile.encding=Cp1252 -jar /hme/luis/actualizarfilmes/actualizarfilmes.jar" su luis ech "FILMES ACTUALIZADOS"; ech "java -jar /hme/luis/vigilancia/remvervigilancia.jar" su luis ech "VIGILANCIA REMOVIDA" ech "java -jar /hme/luis/mms/actualizarmms.jar" su luis ech "MMS ACTUALIZADOS"; ech "java -jar /hme/luis/calcspace/calcspace.jar" su luis ech "ESPACO CALCULADO"; ech "java -jar /hme/luis/eliminarvides/eliminarvides.jar" su luis ech "VIDEOS ELIMINADOS"; ech "java -jar /hme/luis/iptvserver/iptvcnfiguratin.jar > /hme/luis/iptvserver/vlm.cfg" su luis esac *) ech "SCRIPT GERADO"; ech "vlc -I telnet --vlm-cnf /hme/luis/iptvserver/vlm.cfg &" su luis ech "SERVIDOR IPTV ARRANCOU"; ech "/hme/luis/live &" su rt ech "SERVIDOR VOD ARRANCOU"; ;;

14 Alguns aspects slts imprtantes: - Na tabela vídes existe uma cluna chamada datahra, que crrespnde à data/hra a partir d qual víde está dispnível para visualizaçã;

15 Instalaçã das placas de recepçã terrestre Para instalaçã e cnfiguraçã das placas de recepçã terrestre, efectuar dwnlad d firmware das placas em Ficheirs d firmware Em seguida vams instalar sftware da placa, dependend da versã d kernel, pdems verificar nesta página qual a versã recmendada: cm estams a usar kerner , efectuams dwnlad da versã 1.0.3, u psterir. Efectuams make e encntrams um err, para reslver err fi necessári cpiar ficheir ivtv.h para a pasta ds Linux headers, subpasta media, em seguia fizems make cm utilizadr nrmal, make install cm rut e ficu instalad. Psterirmente efectuams dwnlad d scantv e fizems uma prcura das frequências para testar n vlc que entretant fi instalad se estava tud crrect cm as placas de recepçã. Prgramas instalads: Mysql Freeradius Freeradius mysql Php5 Apache Asterisk Vlc Ppp-server -

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Aula 11 Bibliotecas de função

Aula 11 Bibliotecas de função Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 11 Biblitecas de funçã 1. Intrduçã À medida que um prgrama cresce

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador Reprts Relatóris à sua Medida Reprts Cpyright 1999-2006 GrupPIE Prtugal, S.A. Reprts 1. WinREST Reprts...5 1.1. Licença...6 1.2. Linguagem...7 1.3. Lgin...7 1.4. Página Web...8 2. Empresas...9 2.1. Cm

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17)

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17) Base de Dads 2013/2014 Trabalh prátic Versã 1.0 (2013-11-17) Embra a cmpnente prática da disciplina crrespnda a sete valres na nta final, individualmente cada alun pde ter uma classificaçã diferente. Nas

Leia mais

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1 Manual de cnfiguraçã de equipament Huawei G73 Huawei G73 Pagina 1 Índice 1. Breve intrduçã... 3 2. Guia rápid de utilizaçã...errr! Bkmark nt defined. 3. Serviçs e Funcinalidades suprtads...errr! Bkmark

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

Processador de Texto Funcionalidades Avançadas

Processador de Texto Funcionalidades Avançadas Prcessadr de Text Funcinalidades Avançadas ÍNDICE INTRODUÇÃO...4 MODELOS...4 Criar Mdels...5 MODELO NORMAL...6 Alterar mdel Nrmal.dtm...7 IMPRESSÃO EM SÉRIE MAILINGS...7 Cartas e mensagens de crrei electrónic...8

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463 Mdel de Negócis Trabalh n âmbit da disciplina de Mdelaçã de dads. Criaçã de uma platafrma utilizand as tecnlgias SQL PHP e Javascript.. TRABALHO REALIZADO POR: Antni Gme- 2007009 // Jrge Teixeira - 2008463

Leia mais

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador Unidade 1: Fundaments 1 - Intrduçã a Cmputadr Cnceits básics e Terminlgias O cmputadr é uma máquina eletrônica capaz de realizar uma grande variedade de tarefas cm alta velcidade e precisã, desde que receba

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7)

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7) PAINT 1 (Windws7) O Paint é uma funcinalidade n Windws 7 que pde ser utilizada para criar desenhs numa área de desenh em branc u em imagens existentes. Muitas das ferramentas utilizadas n Paint estã lcalizadas

Leia mais

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR

SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR SOGILUB.NET MANUAL DO UTILIZADOR Índice Intrduçã... 3 Aspect Gráfic... 4 Regist na aplicaçã... 5 Recuperaçã de Códigs de Acess... 6 Área Reservada... 8 Entrar na Área Reservada... 8 Editar Perfil... 9

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Actualização de reports personalidados 1

Actualização de reports personalidados 1 Actualizaçã de reprts persnalidads 1 Cnteúd Intrduçã...3 Atualizaçã da V13.00.03/27 para a V13.00.03/32 (Fiscalidade ambiental - verde)...3 Dcuments elabrads em Crystal reprts (.rpt)...3 Dcuments elabrads

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Integração Ayty CRM e Altitude

Integração Ayty CRM e Altitude Dcumentaçã Elabrada pr: Ayty CRM Data / Lcal: 30/10/2011 Prjet: Ayty CRM cm Discadr Altitude Versã: 1.0 Dcument: Integraçã AytyCRM e Discadr Altitude Integraçã Ayty CRM e Altitude Sumári: Principais Fluxs:...

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

PDF Livre com o Ghostscript

PDF Livre com o Ghostscript PDF Livre cm Ghstscript Um tutrial para criaçã de um geradr de arquivs PDF em Windws, basead em ferramentas gratuitas. Márci d'ávila, 05 de mai de 2004. Revisã 8, 20 de setembr de 2007. Categria: Text

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

1 Criando uma conta no EndNote

1 Criando uma conta no EndNote O EndNte Basic (anterirmente cnhecid pr EndNte Web), é um sftware gerenciadr de referências desenvlvid pela Editra Thmsn Reuters. Permite rganizar referências bibligráficas para citaçã em artigs, mngrafias,

Leia mais

Informática II INFORMÁTICA II

Informática II INFORMÁTICA II Jrge Alexandre jureir@di.estv.ipv.pt - gab. 30 Artur Susa ajas@di.estv.ipv.pt - gab. 27 1 INFORMÁTICA II Plan Parte I - Cmplementar cnheciment d Excel cm ferramenta de análise bases de dads tabelas dinâmicas

Leia mais

Aplicação Hibernate1 no NetBeans

Aplicação Hibernate1 no NetBeans Aplicaçã Hibernate1 n NetBeans Hibernate é um framewrk que frnece ferramentas para efetuar mapeament bjet/relacinal para Java. Mapeament bjet/relacinal é prcess de cnversã bidirecinal entre bjets e tabelas

Leia mais

DVDShrink (programa que permite fazer cópias de segurança dos seus DVD's originais)

DVDShrink (programa que permite fazer cópias de segurança dos seus DVD's originais) (prgrama que permite fazer cópias de segurança ds seus DVD's riginais) Guia de Utilizaçã Luís Franc Nme d Prgrama: DVDShrink Funçã: Cpia de Filmes em DVD Grátis: Sim Em prtuguês: Nã Índice 1. Obter Prgrama...

Leia mais

Aula prática 6 Modelos Conceptuais e cenários de actividade

Aula prática 6 Modelos Conceptuais e cenários de actividade Aula prática 6 Mdels Cnceptuais e cenáris de actividade 1. Objetiv 1. Pretende-se que s aluns prduzam mdel cnceptual d prject e desenhem cenáris de actividade cm base nesse mdel. 2. Pretende-se ainda que

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares MIT Kerbers V5 Dig Dias Jã Sares Objectiv Case Study de uma pssível utilizaçã d Kerbers Verificaçã das ferramentas existentes Estad da tecnlgia (nmeadamente, Open Surce) Alguma aplicaçã na rede FEUPNET

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

- Documentação, Informática e Desenvolvimento, Lda.

- Documentação, Informática e Desenvolvimento, Lda. - Dcumentaçã, Infrmática e Desenvlviment, Lda. Impressã de Cartões A impressã de cartões de identificaçã é feita através d prgrama DcbCard chamad pel módul de Empréstims na Ediçã de Leitres. Utiliza as

Leia mais

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt.

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt. SIIFSE Manual d Utilizadr QREN Versã 1.0 21 de Dezembr de 2007 SIIFSE - Manual d Utilizadr QREN 1 Acess a SIIFSE 1.1 Hmepage d SIIFSE O acess a Sistema é efectuad através d endereç siifse.igfse.pt. Na

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

Sistemas de Alarme. Anunciador de Alarmes Digital e.tool ME3011 view Manual de Software PRODUTOS SERIADOS

Sistemas de Alarme. Anunciador de Alarmes Digital e.tool ME3011 view Manual de Software PRODUTOS SERIADOS Sistemas de Alarme PRODUTOS SERIADOS Anunciadr de Alarmes Digital e.tl ME3011 view Manual de Sftware Manual e.tl ME3011 view 5.06.3_P r08 5.02.1 1/53 1 Infrmações Intrduçã 5 Cnsiderações 6 2 Instaland

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt)

Introdução. Atualização da V12.60.00/56 para a V13.00.00. Documentos elaborados em Crystal reports (.rpt) 1 Cnteúd Intrduçã...3 Atualizaçã da V12.60.00/56 para a V13.00.00...3 Dcuments elabrads em Crystal reprts (.rpt)...3 Dcuments elabrads em Reprting Services (.rdl)...5 Atualizaçã da V12.60.00/48 para a

Leia mais

Analyzing the Effects of Disk- Pointer Corruption João Dias e João Isento

Analyzing the Effects of Disk- Pointer Corruption João Dias e João Isento Analyzing the Effects f Disk- Pinter Crruptin Jã Dias e Jã Isent Estrutura da Apresentaçã Intrduçã; Sistemas de Ficheirs; Mtivações; Type-Aware Pint Crruptin; Resultads; Cnclusões Intrduçã A dispnibilidade

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais

BANKSYNC ALGORITMO PARA GERAÇÃO DO CÓDIGO DE BARRAS (DLL)

BANKSYNC ALGORITMO PARA GERAÇÃO DO CÓDIGO DE BARRAS (DLL) OBJETIVO O algritm para geraçã d códig de barras (dll) utilizad n SAP Business One (SBO) deve ser instalad e cnfigurad adequadamente para pssibilitar a visualizaçã e impressã de blets lcalmente, assim

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo GT-ATER: Aceleraçã d Transprte de Dads cm Empreg de Redes de Circuits Dinâmics RT3 - Avaliaçã ds resultads d prtótip Sand Luz Crrêa Kleber Vieira Cards 03/08/2013 1. Apresentaçã d prtótip desenvlvid Nesta

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã SIDC-Sistema Infrmaçã Descentralizad Cntabilidade Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema de Infrmaçã Descentralizad

Leia mais

Guia de Instalação SIAM. Módulo GPRS/GSM Instalação e Manual do Usuário

Guia de Instalação SIAM. Módulo GPRS/GSM Instalação e Manual do Usuário Guia de Instalaçã SIAM Módul GPRS/GSM Instalaçã e Manual d Usuári Dcument Gerad pr: Amir Bavar Criad em: 02/06/2006 Última mdificaçã: 28/09/2008 SIAM Módul GPRS/GSM Intrduçã: O módul GPRS/GSM é uma pçã

Leia mais

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião M A N U A L D O A D M I N I S T R A D O R Micrsft Live Meeting 2007 Cm Gravar uma Reuniã O Micrsft Office Live Meeting ferece um recurs de gravaçã que lhe permite capturar td pressinament de teclas, slides

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados.

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados. IBOCnsle Instalaçã e Cnfiguraçã Ferramenta para gerenciament d banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE INSTALAÇÃO IBOCONSOLE... 3 CONFIGURAÇÃO IBOCONSOLE... 6 Menu Cnsle... 6 Menu View... 8 Menu Server... 8 Menu

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Ntas de Aplicaçã Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm cntrladres HI HI Tecnlgia Dcument de acess públic ENA.00034 Versã 1.00 setembr-2010 HI Tecnlgia Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos Versã 14.0 Junh 2015 www.psr-inc.cm Cntat: sddp@psr-inc.cm SDDP VERSÃO 14.0 Nvidades Representaçã mais detalhada da peraçã em cada estági: 21 blcs Tradicinalmente, a peraçã de cada estági (semana u mês)

Leia mais

Controle de Atendimento de Cobrança

Controle de Atendimento de Cobrança Cntrle de Atendiment de Cbrança Intrduçã Visand criar um gerenciament n prcess d cntrle de atendiment de cbrança d sistema TCar, fi aprimrad pela Tecinc Infrmática prcess de atendiment, incluind s títuls

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1 Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL Nvas funcinalidades d Sftware ALERT versã 261 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, SA Tds s direits reservads A ALERT Life Sciences Cmputing, SA dispnibiliza presente

Leia mais

Manual. Autorizador da UNIMED

Manual. Autorizador da UNIMED Manual Prtal Autrizadr da UNIMED Pass a Pass para um jeit simples de trabalhar cm Nv Prtal Unimed 1. Períd de Atualizaçã Prezads Cperads e Rede Credenciada, A Unimed Sul Capixaba irá atualizar seu sistema

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Cnfiguraçã Pnt de Venda (PDV) Versã: 1.1 Índice 1 EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.1 INSTALANDO O TERMINAL EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.2 CAPTURANDO O NÚMERO DE SÉRIE E O GT DO

Leia mais

Programação. Para estas funções, é necessário incluir a biblioteca: Seguem as operações mais comuns com arquivos.

Programação. Para estas funções, é necessário incluir a biblioteca: Seguem as operações mais comuns com arquivos. 1. Funções de E/S cm Arquiv: Prgramaçã Para estas funções, é necessári incluir a bibliteca: #include Para manipular um arquiv através das funções, é necessári criar um pnteir de arquiv que é um

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

MANUAL DOS GESTORES DAA

MANUAL DOS GESTORES DAA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI MANUAL DOS GESTORES DAA MÓDULOS: M atrícula e P rgramas e C DP [Digite resum d dcument aqui. Em geral, um resum é um apanhad

Leia mais

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection)

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection) Prjet de Sexta-feira: Prfessra Lucélia 1º Pass Criar banc de dads u selecinar banc de dads. Ntas: Camps nas tabelas nã pdem cnter caracteres acentuads, especiais e exclusivs de línguas latinas. Nã há necessidade

Leia mais

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras FKcrreisg2_cp1 - Cmplement Transprtadras Instalaçã d módul Faça dwnlad d arquiv FKcrreisg2_cp1.zip, salvand- em uma pasta em seu cmputadr. Entre na área administrativa de sua lja: Entre n menu Móduls/Móduls.

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea T12 Resluçã de prblemas peracinais numa Cmpanhia Aérea Objectiv Criar um Sistema Multi-Agente (SMA) que permita mnitrizar e reslver s prblemas relacinads cm s aviões, tripulações e passageirs de uma cmpanhia

Leia mais

Fundamentos de Informática 1ºSemestre

Fundamentos de Informática 1ºSemestre Fundaments de Infrmática 1ºSemestre Aula 4 Prf. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Descrevend Sistemas de um Cmputadr

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES 1 Breve Históric Sbre Design Patterns A rigem ds Design Patterns (Padrões de Desenh u ainda Padrões de Prjet) vem d trabalh de um arquitet chamad

Leia mais

Microsoft Live Meeting 2007 Manual Para Programar Reuniões

Microsoft Live Meeting 2007 Manual Para Programar Reuniões M A N U A L D O A D M I N I S T R A D O R Micrsft Live Meeting 2007 Manual Para Prgramar Reuniões Intrduçã Esta seçã detalha cm ter acess a sua cnta e estabelecer suas pções predeterminadas de reuniã.

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Fundos de Compensação do Trabalho)

DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Fundos de Compensação do Trabalho) DOCUMENTO DE APOIO À UTILIZAÇÃO DE WSDL (Funds de Cmpensaçã d Trabalh) Versã 1.1 16 de julh de 2015 1 Índice Índice... 2 INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVO... 4 SEGURANÇA... 5 DESCRIÇÃO DOS WEB SERVICE... 6 Serviç

Leia mais

Shavlik Protect. Guia de Atualização

Shavlik Protect. Guia de Atualização Shavlik Prtect Guia de Atualizaçã Cpyright e Marcas cmerciais Cpyright Cpyright 2009 2015 LANDESK Sftware, Inc. Tds s direits reservads. Este prdut está prtegid pr cpyright e leis de prpriedade intelectual

Leia mais

Tarefa Excel Nº 8. Objectivos: Trabalhar com listas de dados: Criação de listas Ordenação de listas Filtros Tabelas e gráficos dinâmicos

Tarefa Excel Nº 8. Objectivos: Trabalhar com listas de dados: Criação de listas Ordenação de listas Filtros Tabelas e gráficos dinâmicos Escla Secundária Infanta D. Maria Objectivs: Trabalhar cm listas de dads: Criaçã de listas Ordenaçã de listas Filtrs Tabelas e gráfics dinâmics Tarefa Excel Nº 8 Flha de cálcul Uma lista de dads é um cnjunt

Leia mais

Lumine Database Mapping for PHP. Treinamento Básico

Lumine Database Mapping for PHP. Treinamento Básico Lumine Database Mapping fr PHP Treinament Básic Cnhecend as características básicas de um ds framewrks de mapeament de banc de dads relacinais mais fáceis de ser utilizad. Hug Ferreira da Silva 13/12/2010

Leia mais

Event Viewer - Criando um Custom View

Event Viewer - Criando um Custom View Event Viewer - Criand um Custm View Qui, 06 de Nvembr de 2008 18:21 Escrit pr Daniel Dnda Cnhecend Event Viewer Muit imprtante na manutençã e mnitrament de servidres Event Viewer é uma ferramenta que gera

Leia mais

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados.

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados. IBOCnsle Recuperaçã d Banc de Dads Ferramenta de manutençã para recuperaçã de banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE MAINTENANCE... 3 VALIDATION... 4 BACKUP/RESTORE... 6 BACKUP... 7 RESTORE... 10 3 IBOCnsle MAINTENANCE

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

SITAF - Manual de Utilizador

SITAF - Manual de Utilizador SITAF - Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Nvembr 2009 SITAF Sistema de Infrmaçã ds Tribunais Administrativs e Fiscais Manual de Utilizadr Entrega de Peças Prcessuais Apresentaçã O frmulári

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais