Lucas Corazzini. Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lucas Corazzini. Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral"

Transcrição

1 Lucas Corazzini Análise Semiótica da Propaganda Eleitoral UNICAMP Campinas

2 Resumo: O trabalho a seguir foca-se inicialmente na conceituação da propaganda eleitoral quanto sua construção de significados, buscando razões para a utilização de diferentes cores e formas. A partir da apresentação ampla do campo publicitário segue rumo a especificidade da propaganda eleitoral, e por fim busca através de um estudo de caso exemplificar os conceitos apresentados e mostrar como diversos elementos visuais e linguísticos se articulam no sentido de produzir determinado significado. Palavras-Chave: Análise visual, Propaganda, Propaganda Eleitoral, Campanha Presidencial. Introdução Toda propaganda se utiliza de inúmeros elementos visuais e sonoros. As formas, cores e sons são as ferramentas o idealizador para manipular as ideias e o pensamento do público sobre o produto anunciado. Esta premissa que rege a propaganda convencional também se aplica à propaganda eleitoral. Assim como qualquer outra publicidade, a eleitoral, se vale de estruturas visuais muito bem construídas para vender seu produto. Talvez até mais importantes na propaganda eleitoral as cores são essenciais, pois cada partido criou durante sua história uma forte relação entre cor e nome. Por exemplo o vermelho simboliza no Brasil o Partido dos Trabalhadores, PT. Está questão de representatividade é fortíssima pois o candidato muitas vezes torna-se conhecido pelos elementos que a ele são associados durante a campanha. Um exemplo muito forte disto são os jingles e slogans eleitorais que muito tempo após as campanhas continuam simbolizando o candidato. Aqui abre-se outra ponto que muito interessa aos responsáveis pela propaganda eleitoral, a memorização. Quanto mais conhecido pelo povo melhor para o candidato, portanto elementos que favoreçam a inesquecibilidade auxiliam na propaganda. Tomando estes elementos básicos este trabalho objetiva a analise das estruturas visuais da propaganda de um modo geral e mais especificamente da propaganda eleitoral. Iniciando com uma breve conceituação de alguns princípios da propaganda eleitoral e ao dedica-se a análise de duas peças publicitarias referentes à campanha presidencial de 2010 no Brasil, a qual busca exemplificar os conceitos apresentados e mostrar como os 2

3 elementos visuais se constroem no sentido de oferecer um determinado significado à propaganda. 1. A Propaganda A publicidade tem como primícia vender o produto ou serviço anunciado, para tal utiliza-se de diversos mecanismos de persuasão e convencimento, joga com o inconsciente do consumidor o influenciando. Ao transmitir certas informações, não somente sobre o anunciado, a propaganda provoca determinadas reações no publico. A grande aliada da publicidade é a comunicação massiva, que proporciona uma enorme amplitude de ação para o mercado publicitário. "De forma neutra, propaganda é definida como forma propositada e sistemática de persuasão que visa influenciar com fins ideológicos, políticos ou comerciais, as emoções, atitudes, opiniões e ações do públicos-alvo através da transmissão controlada de informação parcial (que pode ou não ser factual) através de canais diretos e de mídia." - Richard Alan Nelson, A Chronology and Glossary of Propaganda in the United States, 1996 Desta maneira diversos elementos visuais e textuais são explorados no sentido de, em uma primeira análise, entreter o consumidor, mas com um olhar mais aprofundado nota-se a intencionalidade por traz destes elementos. Cada forma, cor ou palavra traz consigo uma enorme significância, atrelada à mensagem que se deseja transmitir. Em um anúncio diversos elementos estão dispostos porem um deles traz a mensagem principal, frequentemente o formato e as cores evidenciam aos olhos do leitor este elemento. A vista humana tende a concentrar sua atenção na parte principal do design e a isolá-la do que está em volta. Assim, evidenciando a parte principal com o auxilio de elementos visuais como cor e forma, os olhos do consumidor a selecionará e fixará imediatamente. Quanto aos elementos não literários, o slogan ocupa o lugar de maior destaque. Seu objetivo é simples transmitir uma mensagem de fácil entendimento com o minimo de originalidade. Segundo Umberto Eco, a comunicação eficiente fundamenta-se na proposta de arquétipos de gosto que preenche as mais previsíveis expectativas. Entretanto, para não se tornar repetitiva e exaustiva, a publicidade baseia-se no pressuposto de atrair a atenção do espectador, quanto mais violar as normas comunicacionais conhecidas, realizando apelos através de soluções originais. - Thomas Hohl, Recursos visuais e 3

4 idéias de uma campanha eleitoral, 2000 O principio da propaganda nos meios de comunicação em massa é de que os canais de televisão, por exemplo, vendem os espaços na programação para que os anunciantes divulguem seu produto. Seguindo esta lógica as empresas de conteúdo comunicacional vendem a audiência (os espectadores) para os anunciantes. 2. A Propaganda Eleitoral Tomando essas características básicas da propaganda, a propaganda eleitoral tem os mesmos princípios. Ao passo que a propaganda de um modo geral tem como objetivo vender um produto ou serviço, a campanha eleitoral vende um candidato e suas propostas. Também utiliza os meios de comunicação em massa como uma forma de fácil disseminação e que atinge todas as camadas da população. Os elementos visuais e não visuais são tidos com a mesma importância, talvez até maior. O símbolo e o slogan são considerados os elementos chaves para garantir a memorização A propaganda política ganhou importância durante o regime nazista de Hitler, utilizada com pericia proporcionou a unidade no Terceiro Reich. Hitler disse: A propaganda permitiu-nos conservar o poder, a propaganda nos possibilitará a conquista do mundo. Tratando mais especificamente a propaganda eleitoral, nota-se que ela se utiliza de fatos e elementos comuns à sociedade, seja um mito nacional ou complexos de ódios e de preconceitos tradicionais. A maior preocupação numa propaganda eleitoral é buscar a identificação do espectador com os valores transmitidos, explorando o gosto popular. A aproximação com o espectador facilita o processo de tornar unanime a opinião popular. Com o reconhecimento da maioria na propaganda, a minoria sente-se pressionada a seguir o senso comum. Este reconhecimento proporciona também um conformismo, a partir do momento em que o povo reconhece elementos tradicionais na propaganda, passa a entender aquilo como algo natural e imutável. Então a opinião geral força as pessoas a seguirem um senso comum, gerando o conformismo social. Manifestações de massa, como, desfiles e comícios reforçam a unidade das pessoas, a grande quantidade de pessoas que tais manifestações reúnem é uma forma de pressionar outras pessoas no sentido de obter unidade. O candidato deve escolher atentamente os elementos que vai utilizar em sua propaganda, eles serão atrelados à sua imagem. Deve-se analisar cuidadosamente os 4

5 significados que cada estrutura, visual ou literária, pode proporcionar. Os valores que o candidato quer transmitir tem forte ligação com as imagens e textos que acompanham sua campanha. Também é de extrema importância utilizar recursos visuais que tragam características fortes e marcantes, pois há uma grande necessidade de diferenciar os candidatos. É necessário utilizar elementos que diferenciem a campanha de um candidato para outro para que o publico reconheça com mais facilidade cada um. Isto proporciona uma grau de memorização bem maior. A escolha dos formatos, cores e outros elementos da campanha estão diretamente ligados com a intenção de criar condições para que os componentes racionais e emocionais se apresentem integrados. Saber dizer aquilo que o povo quer ouvir é uma grande qualidade de uma campanha eleitoral. Uma boa campanha deve saber vender seus valores atrelados aos discursos que a população quer ouvir. O grau de memorização da campanha também se deve à aparência do candidato, algumas falhas de aparência são frequentemente corrigidas. A imagem que o candidato transmite também deve ser analisada conforme o publico ao que se destina. O ataque aos adversários com dados concretos, por exemplo pesquisas, também favorece o fácil reconhecimento pelo publico. Em casos de campanha eleitoral visando a reeleição do atual ocupante do cargo, algumas diferenças devem ser levadas em conta. Diferentemente dos outros candidatos, aquele que pretende uma reeleição não deve apresentar algo novo que proponha mudança, sua campanha deve se basear na transmissão de segurança ao eleitor. O proposito da campanha é reafirmar suas propostas e convencer o publico de sua boa atuação no ultimo mandato, reafirmando seu voto. Durante sua gestão, o candidato à reeleição, deve criar elementos que caracterizem seu trabalho, para que em uma eventual campanha para um segundo mandato possa utilizar-se destes elementos em seu favor. 3. Análise de Propagandas Eleitorais Recentemente tivemos eleições no Brasil, por tanto tomarei como objeto de análise peças publicitarias da campanha presidencial deste ano de Serão analisados dois pequenos comerciais veiculados pela televisão, sendo um da candidata eleita Dilma Rousseff e outro do candidato José Serra. Também será analisados os elementos que compuseram a identidade visual das campanhas. Começando então pelo comercial exibido durante a campanha de Dilma na televisão. Trata-se de um apresentador que ao passar por diversos ambientes explora as 5

6 diversas melhorias que o governo de Lula proporcionou e que Dilma pode continuar melhorando. No ambiente inicial vemos uma família numa mesa, obviamente as pessoas estão sorrindo e a mesa está completa, cheia de alimentos. Pela disposição das pessoas à mesa entende-se que é uma família composta pelo pai, mãe e dois filhos. Isso transmite a ideia de uma família comum, generalizando a imagem de felicidade do comercial a todas famílias brasileiras. É uma casa bem arrumada, todas coisas nos seus lugares, isso associado ao discurso do apresentador representa o acesso à casa própria. A casa retratada também trás consigo algum significado, a presença mais a frente de uma televisão traduzem o poder de compra que o governo possibilitou às famílias. Outro momento que apresenta muitos significados dentro do comercial é o momento em que o apresentador entra no que parece ser uma ambulância. Neste ponto as cores assumem um papel essencial, como se pode ver o vermelho e o branco são predominantes neste quadro. Isto tem um significado, em se tratando da área da saúde as cores mais recorrentes são o branco dos hospitais e o vermelho presente em símbolos como a cruz vermelha. Por simbolizar o partido de Dilma o vermelho ganha destaque, criando um paralelo entre os avanços na saúde e o governo do PT. 6

7 Mais adiante, no que parece ser uma feira livre, notamos novamente a presença predominante do vermelho. Também representando os avanços proporcionados pelo governo do PT, agora na agricultura, o comercial novamente valoriza o uso da cor vermelha que assim como anteriormente está ligada à cor que representa o partido. A repetida utilização de uma cor, como o vermelho neste caso, auxilia no processo de memorização e assimilação de alguns conceitos pelo espectador. O PT utiliza a cor vermelha há muito tempo, e isto tornou a cor um simbolo do partido. Portanto sua utilização em um comercial sempre remeto o espectador ao partido. Por fim o comercial mostra o logo da campanha de Dilma. Juntamente com o discursos de que todas as melhorias proporcionadas pelo governo Lula podem se expandir se Dilma for eleita. Aqui claramente se materializa o conceito apresentado anteriormente sobre um candidato à reeleição, que deve reafirmar os valores da situação e se comprometer a seguir o mesmo caminho do governo atual. Apesar de Dilma não ser candidata diretamente à uma reeleição, isto é quase um fato, pois sua campanha se basei na ideia de continuar o trabalho que vinha sendo feito pelo governo atual. O logo da campanha de Dilma apresenta uma diagramação simples. Utiliza-se da 7

8 cor base do seu partido, o vermelho, assim como o simbolo do próprio partido. A cor vermelha remete da origem do partido de esquerda, associada ao ideal comunista, atualmente perdeu em muito este significado, ficando reduzido apenas à identidade visual do partido. Apesar da simplicidade ele trás todas informações necessárias de maneira fácil e memorizável. O nome da candidata e seu numero de urna estão em evidencia facilitando a associação do nome ao numero e facilitando sua memorização. Seguimos então para a analise de um comercial do candidato José Serra. A propaganda a ser analisada exalta programas do PSDB que foram implantados a um certo tempo e até hoje beneficiam a população. Os programas são simbolizados por bolos de aniversário bem coloridos e com cores vibrantes. A utilização destas cores oferece um significado de sucesso, pois estão sendo festejados. Os programas mostrados são o do remédio genérico, a plano Real e o seguro desemprego. 8

9 O foco do comercial é demonstrar que as propostas do PSDB que foram cumpridas trouxeram e ainda trazem beneficio para o brasileiro. Vende-se uma imagem do ultimo mandato presidencial do PSDB com Fernando Henrique Cardoso, no qual José Serra era ministro. Evidencia-se uma posição de afirmação do nome do candidato frente ao partido, o objetivo é vincular o candidato às realizações do partido. 9

10 O enquadramento acima exemplifica esta associação, o narrador afirma que os programas apresentados anteriormente são conquistas do PSDB e a imagem mostra o candidato frente o simbolo do partido. Ocorre então uma associação quase que inconsciente. Na sequencia seguinte aparecem uma sobreposição da bandeira nacional e pessoas, aparentemente militantes, celebrando. Isto também força uma associação entre o partido e bem nacional. As cores do partido facilitam esta associação, durante toda a campanha as coras azul e amarelo do partido se relacionam com as coras da bandeira. Por fim o comercial não apresenta o logo da campanha de Serra, mas sim o nome do partido, oferecendo assim mais que um candidato, mas sim o partido está buscando o voto. Porém como forma de comparação analisarei o logo da campanha de Serra. 10

11 O logo de sua campanha, assim como o de Dilma, é bem simples e apresenta as informações necessárias em destaque. Utiliza-se da relação entre as cores do partido (azul e amarelo) e as cores da bandeira nacional. Todo o texto está em caixa alta transmitindo um significado de imponência, é quase como uma forma de imposição. Considerações Finais A propaganda eleitoral se utilizando dos elementos básicos da propaganda, exerce o mesmo poder de influência no público. Dentre os elementos visuais, as coras são claramente valorizadas, pois fazem parte da identidade visual dos partidos, isto é, ocorre uma associação direta entre cor, partido e proposta. Este reconhecimento é o alvo da propaganda. Mostrando as propostas do candidato ela insere elementos visuais e sonoros que favorecerão na reconhecibilidade e memorização da campanha. 11

12 Referências BARTHES, R. Elementos de Semiologia. São Paulo: Cultrix, São Paulo: Cultrix, CALAZANS, F. M. A. Propaganda subliminar multimédia. São Paulo: Summus, DOMENACH, J. A Propaganda Política Disponível em: <http://www.ebooksbrasil.org/elibris/proppol.html> Acesso em: 23 de novembro 2010 HOHL, T. Recursos visuais e idéias de uma campanha eleitoral Disponível em: <http://www.kplus.com.br/materia.asp?co=18&rv=direito> Acesso em: 18 de novembro 2010 RICHARD, A. A Chronology and Glossary of Propaganda in the United States. Connecticut, SANTAELLA, Lucia. A teoria geral dos signos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, VASCONCELLOS, M. Política e mídia: as fotografias dizem tudo! São Paulo. Disponível em: <http://encipecom.metodista.br/mediawiki/images/d/d8/gt5_-_13_-_politica_e_midia- _Mercia.pdf> Acesso em: 24 de novembro

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propaganda ideológica Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propagandas: comerciais e eleitorais Estão em todo parte: televisão, rádio, cartazes; veículos; objetos... As

Leia mais

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE 48 Monalisa Soares Lopes Universidade Federal do Ceará (UFC) monalisaslopes@gmail.com Os estudos da política contemporânea,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em Propaganda Eleitoral 6.05.200 A. Introdução A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em + - 998 O tema esquentou

Leia mais

O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO

O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO Pela primeira vez desde 1984 uma das grandes figuras da política moderna no Brasil, Luis Ignácio Lula da Silva, não será candidato a

Leia mais

presidente Brasil Por Nízea Coelho

presidente Brasil Por Nízea Coelho a PRIMEIRA presidente do Brasil Por Nízea Coelho 1 Lula é um fenômeno no mundo Historiador, mestre e futuro doutor. Este é Leandro Pereira Gonçalves, professor de História do Centro de Ensino Superior

Leia mais

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO Constelação 1 Bruno Henrique de S. EVANGELISTA 2 Daniel HERRERA 3 Rafaela BERNARDAZZI 4 Williane Patrícia GOMES 5 Ubiratan NASCIMENTO 6 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO Este

Leia mais

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008 Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho Propaganda Institucional Definição: é a publicidade destinada a divulgar os atos, programas, obras,

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC gdelbem@tre-sc.gov.br ; gdelbem@yahoo.com.br Proposta de valores no Planejamento Estratégico da Justiça Eleitoral Gestão

Leia mais

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados Datafolha, propaganda e eleitores nos estados 23 de agosto de 2010 1. Vitória de Dilma no 1º turno Bastou uma semana de horário eleitoral gratuito em rádio e televisão ao lado do presidente Lula para Dilma

Leia mais

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR.

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. Autor: Wagner de Araújo Baldêz 1 - UFOP. Orientador: William Augusto Menezes 2 - UFOP. O objetivo desse artigo é relatar

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010 Regional Julho de 2010 Pesquisa de Avaliação Campanha Brasil 2010 - Regional No período entre 28 de junho e 02 de julho de 2010 foram realizados os Grupos Focais

Leia mais

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff Homero de Oliveira Costa Revista Jurídica Consulex, Ano XV n. 335, 01/Janeiro/2011 Brasília DF A reforma política, entendida como o conjunto

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008.

A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008. A guerra dos slogans:um estudo sobre os efeitos da comunicação política na campanha para Prefeito de São José dos Campos/SP em 2008. Margarete Salles Iwanikow 1 RESUMO Este artigo mostra a importância

Leia mais

PESQUISAS, ESTRATÉGIAS ELEITORAIS E A DISPUTA PRESIDENCIAL DE 2010.

PESQUISAS, ESTRATÉGIAS ELEITORAIS E A DISPUTA PRESIDENCIAL DE 2010. 6 PESQUISAS, ESTRATÉGIAS ELEITORAIS E A DISPUTA PRESIDENCIAL DE 2010. Pools, electoral strategies and the presidential dispute in 2010. Adriano Oliveira Universidade Federal de Pernambuco - UFPE adrianopolitica@uol.com.br

Leia mais

Análise Semiótica de Anúncio de TV

Análise Semiótica de Anúncio de TV Análise Semiótica de Anúncio de TV DADOS TÉCNICOS: Título: Segredos; Anunciante: Etti ; Criação: Fábio Fernandes e Renata Flori; Agência: F/Nazca; Produto: Molho de Tomate Salsaretti; Ano de veiculação

Leia mais

Análise Semiótica e Identidade Visual: a logomarca da Citroën¹

Análise Semiótica e Identidade Visual: a logomarca da Citroën¹ Análise Semiótica e Identidade Visual: a logomarca da Citroën¹ Morgana Peruffo Forti² Tassiara Baldissera Camatti³ Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, RS RESUMO A logomarca é um elemento extremamente

Leia mais

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Aline Bruno Soares Rio de Janeiro, julho de 2010. Desde seu início, o ano de 2010 tem se mostrado marcante em relação

Leia mais

Propaganda Política e Marketing Político: estudos das eleições municipais de São Borja RS 1

Propaganda Política e Marketing Político: estudos das eleições municipais de São Borja RS 1 Propaganda Política e Marketing Político: estudos das eleições municipais de São Borja RS 1 Helen Piegas Barcelos 2 Flavi Ferreira Lisboa Filho 3 Universidade Federal do Pampa Resumo Este trabalho tem

Leia mais

TÍTULO: TEORIA DA RELEVÂNCIA E DISCURSO PUBLICITÁRIO: UMA ANÁLISE PRAGMÁTICA DA FORMAÇÃO DOS SENTIDOS

TÍTULO: TEORIA DA RELEVÂNCIA E DISCURSO PUBLICITÁRIO: UMA ANÁLISE PRAGMÁTICA DA FORMAÇÃO DOS SENTIDOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TEORIA DA RELEVÂNCIA E DISCURSO PUBLICITÁRIO: UMA ANÁLISE PRAGMÁTICA DA FORMAÇÃO DOS SENTIDOS

Leia mais

ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL

ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL ADDITIONAL TEXT PASSO A PASSO CAMPANHA ELEITORAL COMO FAZER UMA CAMPANHA POLÍTICA? Passo-a-passo para você vencer as eleições internet + mídias sociais Para um político conseguir ser eleito, ele precisa

Leia mais

Apropaganda é considerada uma comunicação de massa, visto seu

Apropaganda é considerada uma comunicação de massa, visto seu Do Diálogo Grego à Propaganda Moderna João Paulo Freire Wayhs Universidade Federal de Santa Maria Apropaganda é considerada uma comunicação de massa, visto seu caráter ser um ato comunicativo entre um

Leia mais

Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1

Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1 RESUMO Outdoor: Semana Mundial de Aleitamento Materno 1 Adriely Cristiny de Lima CUNHA 2 Rafael Duarte SILVA 3 Rita Carla da Conceição SILVA 4 Paula Apolinário ZAGUI 5 Universidade Do Estado do Rio Grande

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq QUESTÕES INOVADORAS DO PROJETO DE DESIGN GRÁFICO PARA A COMUNICAÇÃO DO PRODUTO: análise da aplicação de traços da identidade gaúcha como elemento de persuasão no design gráfico dos rótulos de

Leia mais

Semiótica da Estrela: Análise da campanha do prefeito de Itapema em 2008. Karine Bono PATERNO 1 Thayla Fernanda PAVESI 2 Hans Peder BEHLING 3

Semiótica da Estrela: Análise da campanha do prefeito de Itapema em 2008. Karine Bono PATERNO 1 Thayla Fernanda PAVESI 2 Hans Peder BEHLING 3 Semiótica da Estrela: Análise da campanha do prefeito de Itapema em 2008 Karine Bono PATERNO 1 Thayla Fernanda PAVESI 2 Hans Peder BEHLING 3 UNIVALI, Itajaí, SC RESUMO O objetivo deste trabalho foi analisar

Leia mais

ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO

ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO ENTENDENDO AS ETAPAS INSCRIÇÃO A inscrição no projeto deverá ser feita na área para professores. Para fazê-la, o educador deverá enviar uma imagem de sua turma, um apelido que a identifique e um breve

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Superinteressante: uma desconstrução de conceitos ambientais 1

Superinteressante: uma desconstrução de conceitos ambientais 1 Superinteressante: uma desconstrução de conceitos ambientais 1 Tamara Deina de Oliveira 2 Neusa de Oliveira Carneiro 3 Jéssica Câmara de Oliveira 4 Juliana de Sá França 5 Univel (Faculdade de Ciências

Leia mais

Uma Vida Saudável Mesmo Temperada Com Muito Sal 1. Carla Jullyene Lima SANTOS 2 Ayslan Monteiro SANTOS 3 Adelson Alves dos Santos JÚNIOR 4

Uma Vida Saudável Mesmo Temperada Com Muito Sal 1. Carla Jullyene Lima SANTOS 2 Ayslan Monteiro SANTOS 3 Adelson Alves dos Santos JÚNIOR 4 Uma Vida Saudável Mesmo Temperada Com Muito Sal 1 Carla Jullyene Lima SANTOS 2 Ayslan Monteiro SANTOS 3 Adelson Alves dos Santos JÚNIOR 4 RESUMO O ano de 2014 foi decisivo para o Surf Brasileiro. Graças

Leia mais

Trabalho Integrado. Ana Luiza. Isabella Souza. Nathália Roberta. Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado. Direção de Arte

Trabalho Integrado. Ana Luiza. Isabella Souza. Nathália Roberta. Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado. Direção de Arte Trabalho Integrado Teoria de Pesquisa Opinião e Mercado Direção de Arte Ana Luiza Isabella Souza Nathália Roberta Like Store A Like Store é um aplicativo recém chegado no Brasil, que funciona dentro do

Leia mais

PLANO DE ENSINO I EMENTA

PLANO DE ENSINO I EMENTA PLANO DE ENSINO CURSO: Comunicação Social Publicidade e Propaganda Série: 4º semestre TURNO: Diurno e Noturno DISCIPLINA: Oficina De Criação E Redação CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4h/aula I EMENTA O curso instruirá

Leia mais

O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI

O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI 1517 O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI Flaviano Carvalho de Souza Pibic/CNPq - UFPB Ana Cristina de Sousa Aldrigue PROLING - UFPB Muitas mudanças ocorreram

Leia mais

Homofobia, Intolerância Absurda. 1. George Gustavo Moura de FREITAS 2 Sávio Wesley Moura GOMES 3 Renata Campos MOREIRA 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5

Homofobia, Intolerância Absurda. 1. George Gustavo Moura de FREITAS 2 Sávio Wesley Moura GOMES 3 Renata Campos MOREIRA 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5 Homofobia, Intolerância Absurda. 1 George Gustavo Moura de FREITAS 2 Sávio Wesley Moura GOMES 3 Renata Campos MOREIRA 4 Talita Garcez GUIMARÃES 5 Faculdade Sete de Setembro, Fortaleza, CE RESUMO Este artigo

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

Marketing político e eleitoral

Marketing político e eleitoral Marketing político e eleitoral Eloá Muniz Inicialmente é preciso conceituar diferentemente marketing político e marketing eleitoral. O marketing político é um conjunto de técnicas e procedimentos que tem

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010)

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010) GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE Questão 1 DESVENDANDO A NOTÍCIA Certos acontecimentos que ganham destaque na mídia internacional costumam, como se diz na linguagem corrente, esconder problemas ou polêmicas

Leia mais

MIDIATIZAÇÃO E ESPETACULARIZAÇÃO NA CAMPANHA ELEITORAL 2010: PRODUÇÃO DE EFEITOS DE SENTIDOS EM CAPAS DE REVISTAS NACIONAIS

MIDIATIZAÇÃO E ESPETACULARIZAÇÃO NA CAMPANHA ELEITORAL 2010: PRODUÇÃO DE EFEITOS DE SENTIDOS EM CAPAS DE REVISTAS NACIONAIS MIDIATIZAÇÃO E ESPETACULARIZAÇÃO NA CAMPANHA ELEITORAL 2010: PRODUÇÃO DE EFEITOS DE SENTIDOS EM CAPAS DE REVISTAS NACIONAIS Tcharla Cristina da SILVA (UEM) Viviane Rochtashel FOSS (UEM) Introdução A cada

Leia mais

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010

Relatório de Pesquisa Qualitativa. Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Relatório de Pesquisa Qualitativa Avaliação da Campanha de Fim de Ano 2010 Dezembro de 2010 2 Sumário Introdução... 3 1. Avaliação do Filme Fim de Ano - 2010... 5 1.1. Percepção do Filme no Break... 5

Leia mais

Wanessa Valeze Ferrari Bighetti Universidade Estadual Paulista, Bauru/SP e-mail: wanessa_ferrari@hotmail.com

Wanessa Valeze Ferrari Bighetti Universidade Estadual Paulista, Bauru/SP e-mail: wanessa_ferrari@hotmail.com O papel da media literacy na capacitação de jovens eleitores para o exercício da cidadania um estudo sobre o reconhecimento do apelo à memória como ferramenta de convencimento nas eleições de 2014 Wanessa

Leia mais

O IDEAL DA MUDANÇA E OS ATAQUES NOS SPOTS DO PRIMEIRO TURNO DAS

O IDEAL DA MUDANÇA E OS ATAQUES NOS SPOTS DO PRIMEIRO TURNO DAS O IDEAL DA MUDANÇA E OS ATAQUES NOS SPOTS DO PRIMEIRO TURNO DAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE 2014 Luma Doné Miranda 1 RESUMO: Este artigo analisa as inserções na programação de televisão dos candidatos à

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA Ivania Skura 1, Julia Cristina Paixão 2, Joaquim

Leia mais

Campanha Publicitária Abrigo Infantil Monte Salém 1

Campanha Publicitária Abrigo Infantil Monte Salém 1 Campanha Publicitária Abrigo Infantil Monte Salém 1 Adriana LIZARDO 2 Ellen MALHEIROS 3 Eusélio CARDOSO 4 Leomax AZEVEDO 5 Vanessa DAMASCENO 6 Djalma da PAZ 7 Elisa PEREIRA 8 Centro Federal de Educação

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 IMAGENS CONTEMPORÂNEAS: ABORDAGENS ACERCA DA ANÁLISE DA IMAGEM Elis Crokidakis Castro (UFRJ/UNESA/UNIABEU) eliscrokidakis@yahoo.it Caminhei até o horizonte onde me afoguei no azul (Emil de Castro) Para

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1

O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1 O processo de significação nas capas da Revista Elle Brasil em maio e junho de 2015 1 Pierre Míchel 2 Luãn Chagas 3 Faculdade Campo Real, Guarapuava, PR Resumo A partir dos estudos semióticos serão analisadas

Leia mais

GUARDANAPO: UMA PROPOSTA DE SUPORTE PUBLICITÁRIO (Área temática: L4 Teoria e Análise Linguística)

GUARDANAPO: UMA PROPOSTA DE SUPORTE PUBLICITÁRIO (Área temática: L4 Teoria e Análise Linguística) GUARDANAPO: UMA PROPOSTA DE SUPORTE PUBLICITÁRIO (Área temática: L4 Teoria e Análise Linguística) Luana Gerçossimo Oliveira 1 Universidade Federal de Viçosa (UFV) Este artigo traz uma breve discussão teórica

Leia mais

Percepções acerca da autoestima na propaganda da Coca-Cola¹

Percepções acerca da autoestima na propaganda da Coca-Cola¹ Percepções acerca da autoestima na propaganda da Coca-Cola¹ Resumo Jasmine HORST² Nincía Cecília Ribas Borges TEIXEIRA³ Universidade Estadual do Centro Oeste - Unicentro Atualmente, a publicidade é um

Leia mais

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa ELEIÇÕES ELEIÇÕES 5 0 a O - fu dame tal Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa PROJETOS CULTURAIS Estamos em época de eleições, em tempo de discutir ideias para fazer a melhor

Leia mais

ANÁLISE DO DISCURSO E DA IMAGEM DA PROPAGANDA FRUTHOS NA REVISTA INFANTIL RECREIO (ANO 10 Nº 471)

ANÁLISE DO DISCURSO E DA IMAGEM DA PROPAGANDA FRUTHOS NA REVISTA INFANTIL RECREIO (ANO 10 Nº 471) ANÁLISE DO DISCURSO E DA IMAGEM DA PROPAGANDA FRUTHOS NA REVISTA INFANTIL RECREIO (ANO 10 Nº 471) PAIVA, Carlos Eduardo e ALVARADO, Ronny 1 Resumo: Este artigo tem como objetivo analisar, do ponto de vista

Leia mais

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP Brasil: qual é o teu negócio? 1 Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP RESUMO Baseado na composição

Leia mais

Surpresas do Cotidiano: Campanha para a Loja Virtual Surpreenda

Surpresas do Cotidiano: Campanha para a Loja Virtual Surpreenda Surpresas do Cotidiano: Campanha para a Loja Virtual Surpreenda Rita Carla da Conceição SILVA 1 Adriely Cristiny de Lima CUNHA 2 Rafael Duarte SILVA 3 Paula Apolinário ZAGUI 4 Universidade Do Estado do

Leia mais

Campanha ONG Animais 1

Campanha ONG Animais 1 Campanha ONG Animais 1 Bruna CARVALHO 2 Carlos VALÉRIO 3 Mayara BARBOSA 4 Rafaela ALVES 5 Renan MADEIRA 6 Romulo SOUZA 7 Marcelo PRADA 8 Paulo César D ELBOUX 9 Faculdade Anhanguera Santa Bárbara, Santa

Leia mais

Estética da Cerveja: apontamentos sobre 20 anos de discursos gráficos da bebida nacional 1

Estética da Cerveja: apontamentos sobre 20 anos de discursos gráficos da bebida nacional 1 Estética da Cerveja: apontamentos sobre 20 anos de discursos gráficos da bebida nacional 1 Sergio Marilson KULAK UNICENTRO Universidade Estadual do Centro-Oeste/PR RESUMO O presente trabalho ressalta aspectos

Leia mais

ESTEREÓTIPOS NA PROPAGANDA ELEITORAL: ESTUDO DE CASO

ESTEREÓTIPOS NA PROPAGANDA ELEITORAL: ESTUDO DE CASO ESTEREÓTIPOS NA PROPAGANDA ELEITORAL: ESTUDO DE CASO Luana Aparecida Matos Leal Edvania Gomes da Silva Considerações iniciais Este trabalho analisa as formulações linguísticas e não linguísticas que constituem

Leia mais

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos QUADRO CURSO D PUBLICIDAD PROPAGANDA QUADRO ANTRIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGNT NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos DISCIPLINA A DISCIPLINA B CÓDIGO DISCIPLINA - 2008 C/H CUR -SO DISCIPLINA C/H CÓDIGO

Leia mais

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS

O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS O USO DA METÁFORA NOS SLOGANS CARNEIRO, Carla Maria Bessa e STANCATO, Francine Teles 1 RESUMO: Este estudo tem como objetivo mostrar a eficácia da metáfora nos slogans para a construção de um anúncio.

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Marketing Político na Internet - Eleições 2016

Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Implementar e administrar um Plano de Marketing Digital para as campanhas eleitorais de 2016 CEO da Agência AC7, Elcio Castilho, com 24 anos de experiência

Leia mais

Aspectos Visuais e de Representação de um Slogan 1. Luciana da Silva Souza REINO 2 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA

Aspectos Visuais e de Representação de um Slogan 1. Luciana da Silva Souza REINO 2 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA RESUMO Aspectos Visuais e de Representação de um Slogan 1 Luciana da Silva Souza REINO 2 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA O objetivo deste trabalho foi fazer uma análise dos aspectos visuais

Leia mais

Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE

Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE Aluno(a): 6º ano Florianópolis: / /2014 Professor(a): 2º Trimestre NOTA EXERCÍCIO ESTRUTURAL FINAL 4ª UNIDADE 01) Considerando-se que não somente as palavras, mas também as imagens dizem algo, analise

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE SERVIDORES DE CÂMARAS MUNICIPAIS X ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES - ABRASCAM. RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA Adriana Nóbrega Comunicação e Marketing Político

Leia mais

PROGRAMA DA CHAPA PARTIDO E GOVERNO COM O POVO PARA O PT CONTINUAR LIDERARANDO UM NOVO CICLO DE TRANSFORMAÇÕES NO BRASIL E EM GUARULHOS

PROGRAMA DA CHAPA PARTIDO E GOVERNO COM O POVO PARA O PT CONTINUAR LIDERARANDO UM NOVO CICLO DE TRANSFORMAÇÕES NO BRASIL E EM GUARULHOS PROGRAMA DA CHAPA PARTIDO E GOVERNO COM O POVO PARA O PT CONTINUAR LIDERARANDO UM NOVO CICLO DE TRANSFORMAÇÕES NO BRASIL E EM GUARULHOS "As manifestações são parte indissociável do nosso processo de ascensão

Leia mais

ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS VISUAIS E RELAÇÕES INTERSEMIÓTICAS. Reinaldo dos Santos Cordeiro

ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS VISUAIS E RELAÇÕES INTERSEMIÓTICAS. Reinaldo dos Santos Cordeiro ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS VISUAIS E RELAÇÕES INTERSEMIÓTICAS. Reinaldo dos Santos Cordeiro Resumo O objetivo deste artigo é resgatar alguns dos modelos de análise do anúncio, protótipo da publicidade

Leia mais

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1

Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Projeto Integrado de Comunicação Do Bem Sucos Integrais: Peça de Mídia Impressa Recado do Bem 1 Amanda DIAS 2 Ana Carolina SACCOMANN 3 Beatriz REBELO 4 Bruna CLARA 5 Isabela SANTOS 6 Nathalia COBRA 7 Antonio

Leia mais

Características da publicidade

Características da publicidade Nível B1 B2 B3 X Secundário Área de competência chave Cultura, Língua e Comunicação UFCD CLC-5 Cultura, Comunicação e Média Conteúdo O texto publicitário Tema A publicidade Breve história da publicidade

Leia mais

FORMAÇÃO IDEOLÓGICA: O CONCEITO BASILAR E O AVANÇO DA TEORIA

FORMAÇÃO IDEOLÓGICA: O CONCEITO BASILAR E O AVANÇO DA TEORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 FORMAÇÃO

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

IMAGENS EM SALA DE AULA 1

IMAGENS EM SALA DE AULA 1 IMAGENS EM SALA DE AULA 1 Reinaldo Nishikawa 2 (UNOPAR) reinaldo1@unopar.br Continuidade de palavras não significa necessariamente continuidade de significados. (Carlo Ginzburg) Vivemos numa sociedade

Leia mais

A diferença entre marketing, propaganda publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu

A diferença entre marketing, propaganda publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu A diferença entre marketing, propaganda e publicidade, relações públicas e jornalismo Por Renato Galisteu Communication and social media specialist, passionate tech journalism and Noah's Dad A comunicação

Leia mais

Vinheta Sala de Cinema 1. Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM

Vinheta Sala de Cinema 1. Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM Vinheta Sala de Cinema 1 Felipe Bruno 2 Graciene Silva de SIQUEIRA 3 Universidade Federal do Amazonas, Parintins, AM RESUMO Esse trabalho surgiu a partir das atividades de um projeto de extensão (Pibex)

Leia mais

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento.

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. 2º Seminário Nacional de REDES SOCIAIS e E-GOV para Administração Pública O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. Daniel Machado Especialista em Marketing

Leia mais

AS ELEIÇÕES DE 2014 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A POLÍTICA ECONÔMICA. Abril/2013

AS ELEIÇÕES DE 2014 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A POLÍTICA ECONÔMICA. Abril/2013 AS ELEIÇÕES DE 2014 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A POLÍTICA ECONÔMICA Abril/2013 Cenário Político 2 A conjuntura política brasileira aponta uma antecipação dos debates em torno da eleição presidencial de 2014,

Leia mais

e-scrita ISSN 2177-6288

e-scrita ISSN 2177-6288 194 e-scrita ISSN 2177-6288 COMO LER IMAGENS? SANTAELLA, Lucia. Leitura de imagens. São Paulo. Melhoramentos. 2012. 184 p. (Coleção Como eu ensino). Rodrigo da Costa Araujo 1 Como ler imagens? Como elas

Leia mais

ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO

ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS CHOCANTES : QUANDO O DESVIO LEXICAL CAUSA O EFEITO CONTRÁRIO 1 INTRODUÇÃO Dulcinéia de Castro Viana Fernando da Silva Negreiros Lays Cristina Fragate Natalia Lamino Camilo Ulisses

Leia mais

A PROPAGANDA SOCIAL NA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DO ALUNO DO ENSINO MÉDIO

A PROPAGANDA SOCIAL NA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DO ALUNO DO ENSINO MÉDIO A PROPAGANDA SOCIAL NA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DO ALUNO DO ENSINO MÉDIO O presente trabalho foi desenvolvido tendo em vista o contexto sociointeracionista presente nas Diretrizes Curriculares e a nova forma

Leia mais

Introdução à Semiótica

Introdução à Semiótica Introdução à Semiótica Prof. Ecivaldo Matos Dept. de Ciência da Computação Colégio Pedro II Pesquisador LEAH - UERJ Março/2008 Síntese dos principais tópicos O que a Semiótica estuda Signos, significação

Leia mais

Cartaz: 12º Made 1. Dihego Feliciano da SILVA 2 Felipe Augusto NÓBREGA 3 Mariana Falcão do Rego BARROS 4 Tiago Pinheiro CUNHA 5

Cartaz: 12º Made 1. Dihego Feliciano da SILVA 2 Felipe Augusto NÓBREGA 3 Mariana Falcão do Rego BARROS 4 Tiago Pinheiro CUNHA 5 Cartaz: 12º Made 1 Dihego Feliciano da SILVA 2 Felipe Augusto NÓBREGA 3 Mariana Falcão do Rego BARROS 4 Tiago Pinheiro CUNHA 5 Prof. Gabriela Rocha Barros COELHO 6 UNINASSAU Centro Universitário Maurício

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 Nathália Sene GARIERI/ Licenciada em História Aline Rafaela Portílio LEMES Aline Aparecida SILVA Samuel Douglas Farias COSTA RESUMO A propaganda ocupa um largo

Leia mais

Anúncio Institucional: Organização das Cooperativas do Brasil 1

Anúncio Institucional: Organização das Cooperativas do Brasil 1 Anúncio Institucional: Organização das Cooperativas do Brasil 1 Débora MOUSSALLEM 2 Raisa CASTRO 3 Tayara WANDERLEY 4 Aline LIRA 5 Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM RESUMO Este trabalho é resultado

Leia mais

Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno

Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno Panorama Edição 07 Sexta-feira, 3 de de 2014 Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno das eleições presidenciais demonstrou a importância da internet e das redes sociais. Elas

Leia mais

O PAPEL DA PROPAGANDA NO AMBIENTE ESCOLAR

O PAPEL DA PROPAGANDA NO AMBIENTE ESCOLAR O PAPEL DA PROPAGANDA NO AMBIENTE ESCOLAR Izabele Silva Gomes Vívian Galvão Barbosa Universidade Federal de Campina Grande UFCG izabelesilvag@gmail.com viviangbarbosa@msn.com INTRODUÇÃO Termos como Era

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A/484566 Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A cobertura de eleições presidenciais na imprensa e na televisão (1976-2001) Edições Colibri Instituto Politécnico de Lisboa ÍNDICE Introdução 23

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 3.771, DE 2004 Dispõe sobre a identificação obrigatória da localização de paisagens de interesse turístico nas condições que

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

Seda Especialista em Brasilidade 1. Cláudia Machado 2. Simone Barbosa 3 Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre, RS

Seda Especialista em Brasilidade 1. Cláudia Machado 2. Simone Barbosa 3 Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre, RS Resumo Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Seda Especialista em Brasilidade 1 Cláudia Machado 2 Simone Barbosa 3 Centro Universitário Metodista IPA, Porto Alegre,

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

Anais do 6o. CONAPE. São Carlos, SP: UNICEP, 2007.

Anais do 6o. CONAPE. São Carlos, SP: UNICEP, 2007. Anais do 6o. CONAPE. São Carlos, SP: UNICEP, 2007. SABER INGLÊS TRAZ FELICIDADE? UMA ANÁLISE SEMIÓTICA DE UM MANUAL DIDÁTICO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NO BRASIL. Maíra Sueco Maegava Córdula 1 Maria

Leia mais

Prof. Me. Souvenir Maria Graczyk Dornelles FAMECOS / PUCRS

Prof. Me. Souvenir Maria Graczyk Dornelles FAMECOS / PUCRS A PESQUISA QUALITATIVA NO MARKETING POLÍTICO Prof. Me. Souvenir Maria Graczyk Dornelles FAMECOS / PUCRS RESUMO Este texto procura demonstrar o influente papel das Pesquisas de Opinião Qualitativas no contexto

Leia mais

Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura

Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura Fonte: O Globo 'Ficam dizendo que vou sair de novo' Tucano nega plano para 2014 e atribui rejeição à ideia, explorada por adversários, de que deixaria prefeitura Fernanda da Escóssia, Germano Oliveira,

Leia mais

ICBA: Campanha Publicitária Vem falar com a gente 1

ICBA: Campanha Publicitária Vem falar com a gente 1 ICBA: Campanha Publicitária Vem falar com a gente 1 Alexandra Teixeira de ROSSO 2 Janildo TAVARES 3 Daniele VARGAS 4 Luciele Beatriz KESSLER 5 Danielle Aline CORRÊA 6 Lorena das Chagas CORREA 7 Fabrícia

Leia mais

Manual de Identidade Visual e Aplicação da marca do Governo do Estado de Mato Grosso

Manual de Identidade Visual e Aplicação da marca do Governo do Estado de Mato Grosso Manual de Identidade Visual e Aplicação da marca do Governo do Estado de Mato Grosso Manual de Identidade Visual e Aplicação da Logomarca do Governo do Estado de Mato Grosso Este manual foi desenvolvido

Leia mais