ANEXO 8. RELAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA ESAG/UDESC COM PUBLICAÇÕES E PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO 2008, 2009 e 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO 8. RELAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA ESAG/UDESC COM PUBLICAÇÕES E PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO 2008, 2009 e 2010"

Transcrição

1 244 ANEXO 8 RELAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA ESAG/UDESC COM PUBLICAÇÕES E PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO 2008, 2009 e 2010 PROCESSO DE RENOVAÇÃO DO RFECONHECIMENTO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO: LINHA DE FORMAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EMPRESARIAL Florianópolis, SC 2010.

2 245 Quadro 43: Titulação e regime de trabalho do corpo docente SITUAÇÃO FUNCIONAL REGIME DE TRABALHO TITULAÇÃO NOME E S DI G E M D Adrian Sanchez Abraham x x x Alberto Russi Júnior x x x Carlos Eduardo Freitas da Cunha x x x Carlos Roberto de Rolt x x x Carlos Tramontin x x x Clerilei Aparecida Bier x x x Constantino Assis x x x Daniel Augusto de Souza x x x Dannyela da Cunha Lemos x x x Denise Pinheiro x x x Eduardo Jara x x x Eduardo Trauer x x x Enio Luiz Spaniol x x Everton Luiz P L Cancelier x x x Fabiano Maury Raupp x x x Fábio Pugliesi x x x Felipe Gontijo x x x Francisco de Resende Baima x x x Giselle Meira Kersten x x x Giuliano Barbato Wolf x x x Graziela Dias Alperstedt x x x Isabela Regina Fornari Muller x x x Janaina Lopes Schmitz x x x Jane Iara Pereira da Costa x x x

3 246 José Luiz Fonseca da Silva Filho x x x Jovane Medina Azevedo x x x Julio da Silva Dias x x x Julíbio David Ardigo x x x Leandro da Costa Schmitz x x x Luis Gonzaga Mattos Monteiro x x x Marcelo Ribeiro Martins x x x Marcus Tomasi x x x Maria Aparecida Pascale x x x Maria Cristina Fleischmann Alves Zambon x x x Marli Dias de Souza Pinto x x x Mário César Barreto Moraes x x x Nério Amboni x x x Octávio Rene Lebarbechon Neto Odila Terezinha Mecabô Staudt x x x x x x Paulo Henrique Simon x x x Raimundo Zumblick x x x Reinaldo Coelho x x x Renato Altemani x x x Ronaldo Valente Canali x x x Ruth F R Rossi x x x Legenda: E-efetivo; S- substituto; G-graduado; E-especialista; M-mestre; D-doutor

4 247 Nome do professor: Carlos Eduardo Freitas da Cunha Matrícula Produção de material didático referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 Análise comparativa da gestão estratégica do Composto de Marketing em empresas de Tecnologia da Informação - mercado Brasil e Espanha. Período: 2010 a 2011 Este estudo objetiva analisar comparativamente a gestão estratégica do composto de marketing (produto, preço, praça e promoção) de empresas da área de Tecnologia da Informação sediadas no Brasil e na Espanha. A pesquisa assumiu caráter qualitativo, uma vez que foi utilizada como forma de obtenção de dados, a entrevista em profundidade. A coleta de dados envolveu os dirigentes e/ou profissionais de marketing das empresas, por serem eles os mais indicados para responder as questões que nortearam o estudo. Também assumiu características quantitativas quando do tratamento estatístico dos dados referentes às seguintes questões básicas: Caracterização da empresa e de sua estrutura de marketing; Forças competitivas da organização; Público-alvo; Concorrência; Estratégias de desenvolvimento dos serviços, de formação de preços, de distribuição e entrega do serviço e de comunicação. As organizações de serviço, alvo desta pesquisa, foram selecionadas por amostragem não-probabilística definida por acessibilidade, compondo um total de vinte empresas investigadas. A primeira etapa da pesquisa foi desenvolvida na Espanha, entre dezembro/2009 e março/2010, com o apoio da Universidad Jaume I, sediada em Castellon. A segunda etapa será elaborada no Brasil, até agosto de Comunicação em tempos de crise: as estratégias de comunicação das empresas frente aos novos desafios ambientais. Período: 2009 a 2010 O trabalho analisou as estratégias de comunicação de empresas da Grande Florianópolis frente ao novo ambiente econômico e competitivo, surgido após a crise econômica de 2008, com origem nos Estados Unidos da América. A pesquisa teve abordagem qualitativa, de concepção exploratória, fazendo uso de entrevistas em profundidade através de questionário. Com relação à amplitude e profundidade a pesquisa é do tipo descritiva e conclusiva. A população é composta por empresas de micro, pequeno, médio e grande portes dos setores: Público, Tecnologia, Iindustrial, Hoteleiro, Alimentício e Comércio varejista, totalizando 59 empresas. 03 Análise da gestão estratégica do composto de marketing em empresas prestadoras de serviços de Florianópolis/SC. Período: 2008 a 2009 Este estudo analisa a gestão estratégica do composto de marketing (produto, preço, praça e promoção) de empresas de serviços do setor privado sediadas em Florianópolis pertencentes aos seguintes ramos de atividade: Serviços de alimentação (bar e/ou restaurante); Serviços de ensino (colégios e/ou instituições de ensino superior); Serviços de informática; Serviços de hotelaria (hotel, pousada); Serviços de comunicação (agências de propaganda e/ou veículos de comunicação); Serviços de transporte de carga e armazenagem (transportadora); Serviços bancários. A pesquisa assumiu caráter qualitativo, uma vez que foi utilizada como forma de obtenção de dados a entrevista em profundidade. A coleta de dados envolveu os dirigentes e/ou profissionais de marketing das empresas, por serem eles os mais indicados para responder as questões que nortearam o estudo. Também assumiu características quantitativas quando do tratamento estatístico dos dados referentes às seguintes questões básicas: Caracterização da empresa e de sua estrutura de marketing; Forças competitivas da organização; Público-alvo; Concorrência; Estratégias de desenvolvimento dos serviços, de formação de preços, de distribuição e entrega do serviço e de comunicação. As organizações de serviço, alvo desta pesquisa, foram selecionadas por amostragem não-probabilística definida por acessibilidade. O estudo desenvolvido com 22 empresas de sete setores de

5 serviços diferentes permite afirmar que a forma como a gestão estratégica do composto de marketing é feita varia muito tanto entre os segmentos, como entre as empresas. Nem sempre o porte ou a disponibilidade maior ou menor de recursos financeiros é proporcional à qualidade da gestão. Outros fatores, como a qualificação e conhecimento dos profissionais responsáveis pelo marketing das organizações, conhecimento dos ambientes geral (externo) e de tarefa (interno) de marketing são decisivos na forma como as empresas administram o mix de marketing em tempos cada vez mais turbulentos, instáveis e competitivos. 04 Origem e reflexos da concentração de empresas de comunicação na região da Grande Florianópolis nas estratégias de marketing das organizações e no mercado de trabalho. Período: 2007 a 2008 O estudo analisou as causas e efeitos da grande concentração de empresas de comunicação na região da Grande Florianópolis, comparativamente com as demais regiões do Estado de Santa Catarina, no que concerne as estratégias de marketing e ao mercado de trabalho. Historicamente, as empresas do ramo publicitário agências de propaganda, veículos de comunicação e fornecedores de serviços de comunicação concentram seus negócios na Grande Florianópolis por razões ainda não estudadas cientificamente. Ainda que atuem em todo o Estado e até nas demais regiões do país, fisicamente estão aqui instaladas. Esse desequilíbrio impacta em todo o negócio da comunicação de Santa Catarina, inclusive no mercado de trabalho. Essa pesquisa permite que as empresas do setor de comunicação reavaliem suas estratégias de marketing e seus mercados, discutindo as vantagens e desvantagens da instalação de empresas desse segmento em Florianópolis. O desenho metodológico do estudo contempla uma pesquisa qualitativa, com aspectos quantitativos. O levantamento de dados foi efetivado através de entrevistas e questionários, aplicados em agências de propaganda, fornecedores de serviços publicitários e veículos de comunicação localizados na região da Grande Florianópolis. Com relação ao grau de complexidade a pesquisa é do tipo descritiva, fazendo uso do estudo multi-caso e complementada por pesquisa bibliográfica. 05 CUNHA, C. E. F. Apostila de Administração de marketing I. Florianópolis, Apostila básica da disciplina de Administração de marketing I, contendo os seguintes tópicos: Base conceitual do Marketing:conceito e evolução.o ambiente, suas variáveis e mudanças e a formação do conceito de marketing. As funções do marketing. O sistema de marketing. O processo de marketing. Segmentação do mercado. O composto de marketing: composto do produto, de preço, de distribuição e de comunicação. Aspectos éticos e legais. Responsabilidade social do marketing. 06 CUNHA, C. E. F. Apostila de Administração de empresas de serviços. Florianópolis, Apostila básica da disciplina de Administração de empresas de serviços, contendo os seguintes tópicos: Fundamentos para administração de serviços. Conceitos de serviços. Tipos de Serviços. Criação de valor por meio dos serviços. Estruturação da empresa de serviços. Gestão das operações de serviços. Qualidade em serviços. 248

6 249 Nome do professor: CLERILEI APARECIDA BIER Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 Ethics and power in business schools and organizations Authors: Stewart R. Clegg a ; Clerilei Aparecida Bier b Journal of Power Vol. 3, No. 2, August 2010, ISSN print/issn online 2010 Taylor & Francis Abstract The history of the business school as an institution stretches back 127 years to its foundations in the Wharton School in Philadelphia. Initially, it was an explicitly ethical project, centred on an ethic of professionalism, an ethics that was never stabilized and settled. Instead, a managerial ethic of the organization man was established in the USA during the post-war ascendancy and mimesis of the institution. From the 1980s onwards, in a response to the emergence of neo-liberal governmental projects, two strong and antithetical tendencies emerged. On the one hand, there was an enormous growth in economic rationalism organized around market fundamentalism. On the other hand, there was a growth of critical management, initially Marxist in derivation but increasingly Foucauldian. Just as labour process analysis seemed to run out of steam with endless empirical accounts of resistance so the Foucault effect seems to have become fixated with the gaze of surveillance and the panopticon. What next, after the ethic of the organization man and the administered society, the ethic of disinterest of science, the ethic of the survival of the fittest of neo-liberalism and the ethic of resistance characterizing critical management? The paper outlines some ideas from the Portuguese sociologist Boaventura de Sousa Santos to suggest a possible 'fifth way' of building more positive power relations in the business school and thus rekindling an ethical spark. Keywords: ethics; management history; power 02 Sociedade, empresa e governo: uma experiência de implementação de um novo paradigma de democracia participativa Clerilei Aparecida Bier;Simone Ghisi Feuerschütte;Leandro Costa Schmitz;Rodrigo Bousfield;Tatiane Amanda Simm;Francisco Tiago Garcia Pena Cadernos EBAPE-FGV- volume 8 numero 4, dezembro de As limitações do Estado para fornecer bens e serviços públicos motivam a instauração de programas reformistas adequáveis a diferentes modelos de administração pública. Este artigo apresenta uma experiência de participação de atores da sociedade civil, do Estado e dos setores privados lucrativo e sem fins lucrativos na coprodução de bens e serviços públicos. Os exemplos de uma associação de artesãos de Florianópolis (SC) ilustram o conceito de coprodução, estabelecendo um referencial empírico e teórico para outras iniciativas de participação e articulação da sociedade no suprimento das próprias demandas. O estudo, de natureza qualitativa, foi desenvolvido na forma de pesquisa-ação, como estratégia de pesquisa participativa. Os procedimentos metodológicos utilizados foram a observação participante,

7 250 reuniões sistemáticas e o acompanhamento dos pesquisadores na implementação das ações. Os resultados demonstraram a possibilidade de reconfigurar a realidade social, propondo a coprodução pelos três setores como alternativa para a criação de um novo modelo institucional de realização conjunta do bem comum. Palavras-chave: coprodução; bem comum; democracia participativa. 03 Participação Cidadã na Formulação da Política Pública do Esporte Catarinense Clerilei Bier; Joao Paulo Bittencourt; Caue Martins Franco; Clarissa Iser Colóquio Internacional sobre Poder Local (11.: 2009: Salvador,BA) Caderno de s [do] XI Colóquio Internacional sobre Poder Local: desenvolvimento e gestão social de territórios, Salvador, BA, 14 a 16 de dezembro de Salvador: CIAGS/UFBA, O presente estudo descreve a participação cidadã no processo de elaboração da política publica do esporte catarinense sendo, portanto, caracterizado quanto ao seu objetivo, como uma pesquisa descritiva. O período analisado iniciou-se em 1992 e estende-se ate o ano de O método utilizado foi o estudo de caso. A coleta de dados foi realizada através de diferentes técnicas pertinentes ao estudo de caso, sendo elas: observação participante, entrevistas em profundidade e pesquisa documental. Os resultados demonstraram que, embora os principais atores sociais que participaram do processo de elaboração da política publica foram, principalmente, aqueles que ja estavam engajados anteriormente no processo da public policy making, a participação cidadã existiu sob a forma cooperativa e por meio de colegiados públicos. Palavras-chave : Participação, Empoderamento e Subjetividade 04 Transformações nas relações coletivas de trabalho: por uma concepção democrática de sindicalismo Clerilei A. Bier Seqüência: estudos jurídicos e políticos, V. 29 n. 56 (2008)Seqüência. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, e ISSN O texto analisa a urgente necessidade de mudança e democratização do modelo brasileiro de relações coletivas de trabalho face às transformações, crise e descoletivização do direito do trabalho, e à manutenção do modelo sindical corporativista vigente no Brasil, bem como algumas propostas de reforma do sistema sindical surgidas nos últimos anos e as alterações por elas pretendidas, especialmente em relação à liberdade sindical. Destaca que o único consenso obtido foi que o mesmo não cumpre mais sua finalidade, devendo ser necessariamente repensado, e propõe que no bojo das discussões sobre renovação do modelo sindical e do sistema negocial brasileiros se tente inserir uma nova concepção de sindicalismo, assente na idéia de solidariedade, emancipação social e democracia participativa. A co-produção do bem público e Mobilização para a cidadania:uma experiência de implementação de um novo paradigma de democracia participativa Clerilei Aparecida Bier, Leandro Costa Schmitz, Rodrigo Bousfield, Simone Ghisi Feuerschütte

8 251 EnANPAD2009 As limitações do Estado para fornecer bens e serviços públicos motiva a instauração de programas reformistas aderentes a diferentes modelos de administração pública. O presente artigo apresenta uma experiência que considera a participação de uma diversidade de agentes atores a sociedade civil, o Estado, o setor privado lucrativo e o não-lucrativo na coprodução de bens e serviços públicos, analisando-a sob a perspectiva de um novo paradigma de democracia participativa. Os exemplos da Magiarte-ArteFloripa, uma associação de artesãos de Florianópolis, Santa Catarina, ilustra o conceito de co-produção e estabelece um referencial empírico e teórico para outras iniciativas de participação e articulação da sociedade no suprimento de suas próprias demandas. O estudo aqui relatado, de natureza qualitativa, foi desenvolvido na forma de pesquisa-ação, enquanto estratégia de pesquisa participativa. Para guardar coerência ao método adotado, foram utilizadas técnicas de observação participante, realização de reuniões sistemáticas e acompanhamento dos pesquisadores na implementação das ações.os resultados do estudo demonstraram a possibilidade de construção de uma nova realidade social, mais democrática, na qual a coprodução dos três setores constitui uma alternativa para a criação de um novo modelo institucional de realização conjunta do bem comum. Criação da Associação de Artesãos e da Feira de Artesanato Arte Floripa: Um Exemplo de Implementação de Ações de Co-Produção de Bens e Serviços Públicos por meio da mobilização das forças da Sociedade Civil em ordem ao Fomento do Artesanato e Geração de Renda de Emancipação Social. BIER, C. A. ; ROCHA, Tatiana ; Tatiane Amanda Simm ; Pablo Procópio Martins UDESC em Ação, v. 1, p. 3, 2008.

9 252 Nome do professor: Clerilei Bier Matrícula Produção de material didático referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 ELABORAÇÃO DO PROJETO DIDÁTICO PEDAGOGICO PARA CRIAÇÃO DO CURSO DE DIREITO - CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO E SÓCIO- ECONÔMICAS ESAG/CCA- UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA Fevereiro/2010 Portaria num. 041/09- DGESAG. A proposta pedagógica do Curso de Direito, do CCA/ESAG se diferencia por ter um viés empresarial e constitucional, coerente com o desenvolvimento industrial e socioeconômico regional e estadual. Essa proposta ressalta, de forma única no Estado, uma concepção constitucionalista e empresarial, que alia o reconhecido desempenho dos atuais cursos do Centro ao ineditismo apresentado em seus objetivos. Além do conteúdo enciclopédico e abrangente das múltiplas áreas do direito, com a inclusão de todas as disciplinas presentes na estrutura curricular do ensino jurídico tradicional, o currículo é dotado de uma organização que permite ao aluno, a partir do terceiro ano, selecionar um conjunto de disciplinas optativas, focadas no Direito Empresarial ou outro conjunto de disciplinas optativas focadas no Direito Constitucional, de modo a receber uma formação complementar especializada nessas áreas. A criação do curso de Direito da ESAG/UDESC tem por objetivo precípuo formar juristas dotados de uma visão dinâmica e aberta do Direito, com uma formação profissional diferenciada, seja no enfoque Constitucional ou no enfoque Empresarial e ao mesmo tempo abrangente, capaz de lhe oferecer os melhores e mais eficientes meios de ação, tendo em vista a dinamização prática dos princípios teóricos transmitidos. 02 ELABORAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO E SÓCIO-ECONÔMICAS ESAG/CCA- UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA-Aprovado no CONCENTRO em Setembro/2010 Portaria num. 011/10- DGESAG. O referido Código de Ética destina-se a nortear as relações humanas no âmbito da ESAG, tendo como postulados o pluralismo, a liberdade de expressão, a democracia, a moralidade, a transparência, a tolerância, a solidariedade, a autonomia em relação aos poderes políticos, o respeito à dignidade da pessoa e seus direitos fundamentais e à integridade acadêmica da instituição, e o respeito a deveres e obrigações, através de disposições de Conduta que se aplicam aos membros da ESAG e também aos que aspiram a serem seus membros. 03 PARECER JURÍDICO SOBRE A CORRETA NOMENCLATURA E ENQUADRAMENTIO FUNCIONAL DOS ADVOGADOS DA UDESC em resposta à solicitação do Magnífico Vice-Reitor SR. ANTÔNIO HERONALDO DE SOUSA referente a solicitação da CAERG COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DO ESTATUTO E REGIMENTO GERAL DA UDESC Conforme Ofício Nº de 20/09/2010.Reitoria/UDESC.Outubro de 2010

10 253 Nome do professor: Daniel Augusto de Souza Matrícula: Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 SOUZA, D. A. Formulação de cenários baseados no efeito da elasticidade-preço da demanda sobre o fluxo de caixa. RACE - Revista de Administração do Cesusc, Florianópolis/SC, p , 30 jan O presente artigo demonstra a aplicação do conceito de elasticidade-preço da demanda em uma análise de investimentos imobiliários. O campo de estudo desse artio é a análise de investimentos e microeconomia. Verifica-se que a elasticidade tem influência direta sobre a rentabilidade do empreendimento. Para tanto, partiu-se de um exemplo hipotético onde uma imobiliária deseja lançar um edifício de apartamentos. O método proposto tem início com o registro histórico das vendas obtidas anteriormente pela imobiliária, decorrentes dos preços praticados. Assim, foi possível calcular elasticidade-preço da demanda dos seus apartamentos. Com base na série histórica das vendas da imobiliária, foi possível, também, estimar a sua função demanda, a qual foi a determinante do comportamento das vendas futuras. Posteriormente, procedeu-se com simulações de cenários, onde os preços futuros foram reajustados a taxas crescentes. Os resultados finais indicam que o exemplo proposto apresenta considerável sensibilidade às variações de preço.

11 254 Nome do professor: Dannyela da Cunha Lemos Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 Trabalho publicado em anais de evento Evento: II Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho Curitiba/PR 15 a 17 de novembro de 2009 Título do trabalho: O processo de Incorporação de uma Instituição bancária sob o ponto de vista dos empregados O presente estudo apresenta os resultados de uma pesquisa realizada com os empregados de uma instituição bancária em processo de incorporação, resultante de uma aquisição realizada por outra empresa do mesmo segmento. O principal objetivo foi identificar, a partir da percepção dos empregados, a eficácia das ferramentas de comunicação utilizadas no processo, bem como o sentimento predominante na organização e as questões daí decorrentes criados em virtude das mudanças provocadas pela situação de aquisição. Neste sentido, como referencial teórico foram exploradas basicamente as questões relacionadas à dimensão humana no contexto de fusões e aquisições, buscando uma correlação com a realidade estudada. Do ponto de vista metodológico, foi realizado um estudo de caso descritivo e explicativo, de caráter quanti-qualitativo, cuja perspectiva temporal é sincrônica, de corte transversal. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário, respondido por empregados do banco, distribuídos entre a Direção Regional (sede) e as seis Regionais (rede de agências). As respostas obtidas foram cruzadas com dados do perfil dos respondentes para uma análise mais apurada, o que permitiu identificar os pontos críticos do processo, bem mapear ações de intervenção no sentido de evitar possíveis conflitos advindos da situação de mudança, no caso, provocada pela aquisição.

12 255 Nome do professor: Denise Pinheiro Matrícula Produção de material didático referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 Roteiro das aulas, fornecido aos alunos, da disciplina de Instituições de Direito Público e Privado, ministrada no curso de Administração Pública. Do mesmo modo, para cada uma das aulas houve a preparação de slides de power point, a fim de se utilizar o recurso visual, que aliás é grande aliado (juntamente com a internet) para a consulta, durante os encontros, à legislação e à jurisprudência. A proposta de elaboração de roteiro para cada uma das unidades abordadas na disciplina surgiu da dificuldade em extrair do amplo universo de temas jurídicos e, de conseguinte, da infinidade de obras bibliográficas, uma linha de estudo, que, ao contrário, de limitar o conhecimento, objetivou oferecer os subsídios básicos e formar uma compreensão mínima sobre a matéria, para que, instigando, despertando o interesse e estimulando a leitura em livros, o acadêmico, de um curso não jurídico, a partir da orientação dos roteiros, tivesse um melhor aproveitamento. Os temas abordados no material produzido para as aulas compreendem: Teoria Geral do Direito, Direito Constitucional, Direito Administrativo; Direito Civil, Direito Penal, Direito do Trabalho e Direito Empresarial. 02 Roteiro das aulas, fornecido aos alunos, da disciplina de Direito Administrativo, ministrada no curso de Administração Pública. Do mesmo modo, para cada uma das aulas houve a preparação de slides de power point, a fim de se utilizar o recurso visual, que aliás é grande aliado (juntamente com a internet) para a consulta, durante os encontros, à legislação e à jurisprudência. A proposta de elaboração de roteiro para cada uma das unidades abordadas na disciplina surgiu da dificuldade em extrair do amplo universo de temas jurídicos e, de conseguinte, da infinidade de obras bibliográficas, uma linha de estudo, que, ao contrário, de limitar o conhecimento, objetivou oferecer os subsídios básicos e formar uma compreensão mínima sobre a matéria, para que, instigando, despertando o interesse e estimulando a leitura em livros, o acadêmico, de um curso não jurídico, a partir da orientação dos roteiros, tivesse um melhor aproveitamento. Os temas abordados no material produzido para as aulas compreendem: Premissas Político-Institucionais do Estudo do Direito Administrativo. Direito Administrativo. Noções Preliminares; Administração Pública Organização; Princípios Constitucionais e de Direito Administrativo; Atividades da Administração Pública. Poder e Função no âmbito administrativo; Poder de Polícia; Ato Administrativo; Controle e participação na Administração Pública Processo Administrativo; Aspectos jurídicos do Serviço Público; Servidores Públicos; Responsabilidade civil do Estado; Atuação do Estado no Domínio Econômico.

13 256 Nome do professor: Eduardo Janicsek Jara Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos 01 sem produção Incluir Nome do professor: Eduardo Trauer Matrícula Produção de material didático 01 Material Didático Profissional Estratégia em Pesquisa de Marketing, Apresentação multimídia com a teoria e exemplos práticos de técnicas de Pesquisa Mercadológica, Material Didático Profissional Estratégia de Marketing utilizando Cubo de Mercado e Matriz de Marketing, Apresentação multimídia abordando técnicas de estratégia Mercadológica, Material Didático Profissional Mídias Sociais e Estratégias de Marketing, Apresentação multimídia abordando as mídias sociais, tecnologias e estratégias de marketing, Material Didático Profissional Marketing para a Moda, Apresentação multimídia abordando estratégias de posicionamento e comunicação de marketing para a moda, Material Didático Profissional Criatividade e Empreendedorismo, Apresentação multimídia abordando a criatividade aliada às características de empreendedorismo e técnicas de gestão, 2010

14 257 Nome do professor: Éverton Luís Pellizzaro de Lorenzi Cancellier Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos Artigos em Periódicos 01 HOFFMANN, R. A. ; HOFFMANN, Valmir Emil ; CANCELLIER, E. L. P. L.. As estratégias da microempresa varejista e seus estágios de informatização. Revista de Administração Mackenzie, v. 10, p , Usualmente, os estudos relacionados à estratégia organizacional verificam como os comportamentos estratégicos (MILES; SNOW, 1978) são abordados pelas organizações. Este trabalho contrapõe tais comportamentos aos estágios de informatização detectados, visando à possibilidade de o comportamento estratégico da empresa influenciar ou não sua percepção da tecnologia da informação (TI). A determinação do estágio de informatização em que as empresas desta pesquisa se encontravam foi embasada nos processos de absorção da TI, elaborados por Nolan (1979), nos quais se detectou predominância de abstenções (não uso) e estágios mais avançados (controle), desmistificando a fase de iniciação como proeminente. O comportamento estratégico predominante detectado foi o defensivo. Com base nos elementos diagnosticados (estágio e comportamento), verificouse a correlação entre eles por meio de um teste ANOVA, que indicou, de forma conclusiva, a existência dessa dependência nas variáveis envolvidas, resultando que as empresas pesquisadas podem estar utilizando a informatização como uma ferramenta estratégica. MACADAR, M. A. ; CANCELLIER, E. L. P. L. ; BECKER, G. V.. Depois do Boom: o pioneirismo de empresas do ramo varejista brasileiro na adoção de comércio eletrônico. Revista de Negócios, v. 14, p , Com o olhar no presente, analisa-se o pioneirismo de empresas do ramo varejista brasileiro na incorporação de atividades de Comércio Eletrônico (CE) às operações existentes. Neste sentido, são investigados os seguintes aspectos: a evolução dos negócios virtuais, as novas estruturas organizacionais criadas para apoiar as atividades de CE, os impactos exercidos por estas atividades na estrutura organizacional dos casos estudados e a posição das empresas diante de modelos de análise e compreensão dos negócios virtuais. Erros e acertos, avanços e retrocessos são discutidos com base em três estudos de caso realizados e analisados sob o foco de dois modelos teóricos. Constata-se que o principal desafio ainda continua sendo o de transformar bits em átomos. 03 CANCELLIER, E. L. P. L. ; ALBERTON, Anete ; SILVA, A. B. ; MARCON, R.. O monitoramento de informações estratégicas do ambiente externo em pequenas empresas. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 8, p , Este trabalho tem por objetivo estudar o monitoramento de informações estratégicas do ambiente externo em pequenas empresas e sua relevância situa-se no fato de que os estudos em pequenas empresas e sobre monitoramento serem muito incipientes no Brasil.. A pesquisa caracteriza-se por ser um estudo do tipo levantamento ou survey, com aplicação de questionário respondido pelos dirigentes das unidades pesquisadas. Dentre os principais resultados obtidos destaca-se que as empresas privilegiam o monitoramento de alguns aspectos do ambiente em detrimento de outros, baseiam-se em um reduzido número

15 258 de fontes de informações e que as barreiras ao monitoramento parecem situar-se mais no perfil gerencial dos dirigentes do que em limitações de recursos humanos e financeiros CANCELLIER, E. L. P. L. ; ALBERTON, Anete. O monitoramento do ambiente em meios de hospedagem: um estudo comparativo nas regiões de Florianópolis e Balneário Camboriú. Encontros Bibli (UFSC), v. Espec., p , Embora mais desenvolvidos no exterior, as pesquisa sobre monitoramento do ambiente ainda são incipientes no Brasil e, apensar dos bravos esforços já iniciados, pouco se tem feito para conhecer o processo de monitoramento ambiental em especial quando se trata de organizações inseridas no setor de viagens e turismo. Esse estudo tem por objetivo analisar as práticas de monitoramento do ambiente em meios de hospedagem da região de Florianópolis comparando os resultados com os dados obtidos em pesquisa semelhante realizada na região de Balneário Camboriú. A pesquisa caracteriza-se por ser exploratóriodescritivo, de corte transversal, do tipo levantamento com envio de questionários autoadministrados. Dentre os principais resultados verificou-se as empresas das duas regiões apresentaram maiores diferenças na utilização de fontes de informação do que nos aspectos do ambiente monitorados. XAVIER, W. G. ; CANCELLIER, E. L. P. L.. Atividades de monitoramento em empresas de startup de base tecnológica na indústria do turismo. Análise (PUC/RS), v. 19, p , Este trabalho pretende contribuir para o conhecimento das práticas de gestão das pequenas empresas do ramo hoteleiro ao estudar o monitoramento de informações estratégicas do ambiente externo nestas organizações. A relevância da pesquisa situa-se no fato dos estudos em pequenas empresas hoteleiras serem incipientes no Brasil e, especialmente, de que pouco se tem feito para conhecer o processo de monitoramento ambiental nas organizações deste importante setor da economia. A pesquisa caracteriza-se por ser um estudo exploratório, de corte transversal, do tipo levantamento ou survey, com envio de questionários auto-administrados. Dentre os resultados, destaca-se que os hotéis de pequeno porte pesquisados privilegiam alguns tipos de informação enquanto outras são negligenciadas no processo de monitoramento e que, de forma geral, adotam sistemas poucos estruturados de monitoramento do ambiente. Nome do professor: Éverton Luís Pellizzaro de Lorenzi Cancellier Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos Capítulos de Livros 01 CANCELLIER, E. L. P. L. ; SANCHEZ, M. C. B.. Canais de distribuição em turismo & hotelaria: mudanças e perspectivas. In: Arlindo Philippi Jr.; Doris Van de Meene Ruschmann. (Org.). Gestão ambiental e sustentabilidade no turismo. 1ª ed. Barueri-SP: Manole, 2010, v., p Os canais de distribuição sempre exerceram importante papel para a indústria do turismo. Desde os primeiros pacotes organizados por Tomas Cook, ainda no século XIX, até os tempos atuais, as empresas produtoras lançam mão de intermediários para fazer seus produtos e serviços chegarem até os consumidores.

16 259 Não obstante essa importância, e mesmo o fato de terem evoluído ao longo do tempo, as fortes transformações dos tempos modernos têm imposto um ritmo de mudança que exige adaptação constante tanto de fornecedores de serviços como das próprias organizações distribuidoras. A distribuição tem emergido como um dos mais dinâmicos elementos da indústria do turismo (BUHALIS, 2000) e a tecnologia de informação tem possibilitado novas formas de distribuição que podem oferecer tanto oportunidades como desafios aos participantes desse dinâmico setor. Este capítulo tem por objetivo apresentar a evolução e as principais mudanças pelas quais estão passando os canais de distribuição na área de viagens e turismo, dentre os quais se destacam o impacto da internet, a desintermediação e a reintermediação eletrônica, finalizando com algumas ações possíveis que podem ser empreendidas por estabelecimentos hoteleiros para administrar a distribuição de seus produtos. 02 CANCELLIER, E. L. P. L. ; SALUM, A. R. C.. Monitoração de informações estratégicas do ambiente externo: proposição de um processo para a pequena empresa. In: Fernando Gimenez, Jane Mendes Ferreira, Simone Cristina Ramos. (Org.). Empreendedorismo e estratégia de empresas de pequeno porte - 3Es eps. Curitiba-PR: Champagnat, 2010, v. 1, p Para sobreviver e prosperar as organizações precisam de informações do meio externo que permita ligar sua estratégia ao ambiente. Embora a literatura sobre monitoração e busca de informações ambientais seja rica e diversificada, os estudos ainda estão muito focados nos desafios enfrentados pelas grandes empresas e corporações. Verificando as limitações dos sistemas prescritivos existentes na literatura quando aplicados a um pequeno negócio e os desafios reais enfrentados por ele, esta pesquisa tem por objetivo elaborar proposições para um processo de monitoração do ambiente externo voltado para a realidade vivida por pequenas empresas. Nome do professor: Éverton Luís Pellizzaro de Lorenzi Cancellier Matrícula Publicações referência completa acompanhada de resumo dos últimos 03 anos Anais de Eventos 01 MACAGNAN, C. ; ALBERTON, Anete ; CANCELLIER, E. L. P. L.. As relações interorganizacionais no processo de formação da imagem turística regional: um estudo do Consórcio Rota das Terras - RS. In: IV EMA - Encontro de Marketing, 2010, Florianópolis-SC. Anais do IV EMA - Encontro de Marketing. Rio de Janeiro-RJ : ANPAD, v. 1. p O processo de formação da imagem turística no contexto regional forma-se a partir de ações das instituições municipais, praticadas ou não de forma coordenada através da cooperação interorganizacional. Ancorado por duas abordagens teóricas: imagem organizacional (DUTTON e DUKERICH, 1991; DUTTON, DUKERICH E HARQUAIL, 1994; GIOIA e THOMAS, 1996; GIOIA, SCHULTZ e CORLEY, 2000; DOWLING, 2004) e relações interorganizacionais (CASAROTTO FILHO e PIRES, 2001; VERSCHOORE FILHO, 2003; HOFFMANN, MOLINA-MORALES e MARTINEZ- FERNÁNDES, 2004; CUNHA e MELO, 2005; COSTA, 2005) esta pesquisa objetivou analisar as relações interorganizacionais no processo de formação da imagem turística regional da Rota das Terras/RS. O estudo foi realizado em duas fases, uma análise

17 260 qualitativa dos materiais de divulgação impressos e outra análise quantitativa com a aplicação de um questionário aos atores da promoção turística da região, utilizando-se das técnicas: descritiva (freqüência, impacto médio, desvio padrão), análise de variância e multivariada (fatorial e clusters). Os resultados indicam que as organizações públicas são as instituições que mais promovem os atrativos locais e regionais. As instituições, em geral, vêem a região com projeção de crescimento, mas ainda pouco preparada para o turismo. Quanto às relações interorganizacionais, embora as organizações se identifiquem com a Rota das Terras e sintam-se aglomeradas, o que poderia reverter em cooperação, elas mantêm pouco contato entre si e tanto a comunicação, como o poder de influência das decisões é unilateral, sendo os órgãos públicos centralizadores das decisões para o desenvolvimento do turismo regional. 02 ALPERSTEDT, G. D. ; QUINTELLA, R. H. ; CANCELLIER, E. L. P. L. ; SOUZA, L. R.. Motivações, limitações e aspectos facilitadores na adoção de estratégias de gestão ambiental: um estudo comparativo em empresas de pequeno, médio e grande porte. In: VI EGEPE - Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 2010, Recife-PE. Anais do VI EGEPE. Recife-PE : UFPE - Universidade Federal de Pernambuco, v. 1. p O objetivo desta pesquisa consiste em analisar os aspectos motivadores, limitadores e facilitadores na adoção de estratégias de gestão ambiental por parte das empresas industriais em seus diversos portes. Foram utilizados os fundamentos teóricos sobre Gestão Ambiental, Teoria Institucional e Visão Baseada em Recursos. Os dados foram coletados por meio de questionário dirigido a aproximadamente duas mil empresas e analisados por meio de correlação. Os resultados revelam que na amostra estudada o porte das empresas não possui influência no que se refere à percepção dos aspectos motivadores e limitadores à gestão ambiental. No que tange aos aspectos facilitadores, foi encontrada uma dependência pouco significativa com o porte das empresas. Por fim constatou-se que a Teoria Institucional e a Teoria Baseada em Recursos contribuem para o entendimento dos aspectos estudados CANCELLIER, E. L. P. L. ; SALUM, A. R. C.. O monitoramento de informações estratégicas em pequenas empresas varejistas. In: VI EGEPE - Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 2010, Recife-PE. Anais do VI EPEGE. Recife-PE : UFPE - Universidade Federal de Pernambuco, v. 1. p Esta pesquisa teve como objetivo estudar o monitoramento da informação estratégica em pequenas empresas do comércio varejista, apontando quais os tipos de informação do ambiente externo são mais monitoradas pelos dirigentes e quais as fontes utilizadas pelas empresas para obtenção destas informações. A pesquisa se caracterizou por ser um estudo do tipo levantamento, com corte transversal com aplicação de questionário com perguntas fechadas respondido pelos dirigentes de oitenta e duas empresas localizadas na região central do município de Biguaçu/SC. Para análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva com cálculos de média, desvio padrão e contagem de freqüência. Dentre os principais resultados obtidos destaca-se que as pequenas empresas monitoram mais os clientes e as fontes mais utilizadas são as do tipo externas escritas. BARBOSA, Fabrício Silva ; CANCELLIER, E. L. P. L.. Análise dos canais de distribuição em hotel de pequeno porte em Balneário Camboriú (SC). In: XI Seminário Internacional de Turismo, 2009, Curitiba. Anais do XI Seminário Internacional de

18 261 Turismo. Curitiba : Universidade Positivo / Universidade Federal do Paraná, v. 1. p A cidade de Balneário Camboriú desponta como uma grande destinação turística nacional visitada por milhares de turistas todos os anos e sua hotelaria destaca-se no cenário da economia da região. Este trabalho teve como objetivo mostrar como os diferentes canais de marketing estão sendo utilizados pela rede hoteleira local. Sendo uma pesquisa de caráter qualitativo, exploratório, teve como procedimentos metodológicos a aplicação de questionário semi estruturado complementado pela análise bibliográfica. Os resultados mostram a utilização de canais de distribuição diretos e indiretos e a utilização da internet como grande ferramenta de marketing na comercialização dos serviços do hotel, pois pela facilidade dos tempos atuais de acesso aos meios eletrônicos a internet tornou-se a grande ferramenta de marketing do mercado turístico. 05 CANCELLIER, E. L. P. L. ; BLAGESKI JUNIOR, Elton José. Comportamento estratégico, monitoramento do ambiente, características organizacionais e desempenho em empresas de pequeno porte. In: XXXIII EnANPAD, 2009, São Paulo. Anais do XXXIII EnANPAD Rio de Janeiro : ANPAD, v. 1. p O tema deste artigo reside na interação entre estratégia e ambiente organizacional no âmbito das pequenas empresas e seu objetivo está em analisar a relação entre comportamento estratégico, monitoramento ambiental, características organizacionais e desempenho. Optou-se pela abordagem quantitativa, do tipo survey, com a aplicação de questionários e análise dos dados utilizando a técnica de análise de variância para verificar as diferenças existentes entre empresas prospectoras, analistas, defensivas e reativas quanto ao seu esforço de monitoramento e uso de fontes de informação. Os principais resultados indicam que as prospectoras monitoram concorrentes e aspectos tecnológicos e acessam fontes do tipo internas e escritas com maior freqüência do que as que adotam outros tipos de comportamento. 06 CANCELLIER, E. L. P. L. ; BLAGESKI JUNIOR, Elton José ; ROSSETTO, Carlos Ricardo. A relação entre estratégia e monitoramento do ambiente externo em pequenas empresas. In: International Conference of the Iberoamerican Academy of Management (IAM), 2009, Buenos Aires/Argentina. Anais do IAM, v. 1. p O tema deste artigo reside na interação entre estratégia e ambiente organizacional no âmbito das pequenas empresas e seu objetivo consiste em analisar as diferenças no monitoramento do ambiente entre empresas que adotam estratégias diversas. Para a estratégia utilizou-se a taxionomia que classifica o comportamento estratégico em prospector, defensivo, analista e reativo. Para o monitoramento utilizou-se a freqüência de obtenção de informações sobre o ambiente e a freqüência de uso de fontes de informação. A metodologia envolve uma abordagem quantitativa com pesquisa do tipo survey, com a aplicação de questionários e análise dos dados utilizando a técnica de análise de variância para verificar as diferenças existentes entre empresas prospectoras, analistas, defensivas e reativas quanto ao seu esforço de monitoramento e uso de fontes de informação. Os principais resultados indicam que as prospectoras monitoram concorrentes e aspectos tecnológicos e acessam fontes do tipo internas e escritas com maior freqüência do que as que adotam outros tipos de comportamento estratégico.

19 HOFFMANN, R. A. ; HOFFMANN, Valmir Emil ; CANCELLIER, E. L. P. L.. As estratégias da microempresa varejista e seus estágios de informatização.. In: EGEPE Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 2008, São Paulo. V EGEPE Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. São Paulo : Universidade Mackenzie, v. V. p A informática atua como coadjuvante em todas as áreas de conhecimento, influenciando sem exceção, a administração e sua gestão. Em termos de estratégia, a abordagem do processo de elaboração citada por Mintzberg (1973) e o comportamento estratégico decorrente dos escritos de Miles e Snow (1978) são estudos que fundamentam grande parte dos trabalhos acadêmicos sobre o tema. Nesse contexto, procurou-se contrapor as idéias desses dois autores à informatização, a partir do modelo de Nolan (1979), objetivando avaliar uma inter-relação. Esse modelo (NOLAN, 1979) foi revisitado e modificado, adaptando-se à realidade das empresas de pequeno porte. Os resultados apontam para a predominância de abstenções, ou seja, a não informatização, e para estágios de informatização mais avançados, desmistificando a fase de iniciação como proeminente. O modo de Elaboração de Estratégias mais freqüente foi o empreendedor e o comportamento estratégico mais característico, o defensivo. Com base nos elementos diagnosticados, verificou-se a correlação entre eles na busca de influências sofridas pelo estágio de informatização. Determinou-se uma dependência entre o comportamento estratégico e o estágio de informatização, concluindo-se que as empresas podem estar utilizando a informatização como uma ferramenta estratégica. 08 CANCELLIER, E. L. P. L. ; FIORUSSI, A.. Vantagens e desvantagens das modalidades de distribuição na ótica dos hoteleiros. In: V ANPTUR - Seminário da Associação de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 2008, Belo Horizonte. V Seminário da Associação de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo. São Paulo : Aleph, Os canais de distribuição têm sofrido profundas modificações nos últimos anos e imposto novos desafios à gestão dos empreendimentos hoteleiros, os quais têm se encontrado em relacionamentos ambíguos com seus intermediários, ora colaborando com eles, ora competindo. Essa pesquisa teve por objetivo analisar a utilização dos canais de distribuição pelo setor hoteleiro, bem como as vantagens e desvantagens percebidas em cada modalidade de canal. De caráter qualitativo, foram realizadas entrevistas semiestruturadas em quatro estabelecimentos. Os resultados sugerem que melhores taxas de ocupação parecem estar relacionadas com empreendimentos que conseguem manter um equilíbrio na utilização destes canais não se tornando dependente de nenhum deles. 09 CANCELLIER, E. L. P. L. ; ALBERTON, Anete. O monitoramento do ambiente externo em empresas hoteleiras catarinenses. In: XXXII Encontro da ANPAD, 2008, Rio de Janeiro. XXXII EnANPAD, p. 1-x. Embora mais desenvolvidos no exterior, os estudos sobre monitoramento do ambiente ainda são incipientes no Brasil. Apesar dos esforços já iniciados, pouco se tem feito para conhecer o processo de monitoramento ambiental em especial quando se trata de organizações inseridas no setor de viagens e turismo. Esse estudo tem por objetivo analisar as práticas de monitoramento do ambiente em meios de hospedagem da região de

20 263 Florianópolis comparando os resultados com os dados obtidos em pesquisa semelhante realizada na região de Balneário Camboriú. A pesquisa caracteriza-se por ser exploratóriodescritiva, de corte transversal, do tipo levantamento com envio de questionários autoadministrados. Dentre os principais resultados verificou-se que as empresas das duas regiões apresentaram maiores diferenças na utilização de fontes de informação do que nos aspectos monitorados do ambiente. 10 XAVIER, W. G. ; CANCELLIER, E. L. P. L.. Estratégia e monitoramento em empresas startup de tecnologia um estudo de caso. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 2008, Brasília. XXV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Rio de Janeiro : ANPAD, v. XXV. p O monitoramento ambiental de empresas startup da área de tecnologia é abordado nesse trabalho. Apesar de existir diversificada literatura sobre monitoramento em empresas de grande e pequeno porte, não foram identificados estudos sobre empresas nascentes de base tecnológica. Essa investigação descreve o processo de monitoramento ambiental segundo um modelo adaptado de Aaker (1983) e Cancellier, Almeida e Estrada (2005). As dimensões utilizadas são: variáveis e necessidades de informação, responsabilidade pelo monitoramento, freqüência de monitoramento, fontes utilizadas e armazenamento, análise e disseminação da informação. Foi utilizada metodologia de estudo de caso único desenvolvido em uma empresa brasileira de tecnologia em fase pré-operacional. Resultados indicam que a atividade é desenvolvida de forma desestruturada e há pouca aderência às recomendações da literatura.

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO EMPRESARIAL

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO EMPRESARIAL DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO EMPRESARIAL Nome Disciplina Curso Parecer Data de Aprovação Adrián Sánches Abraham Instituições de Direito Público Instituições de Direito Privado Direito do Consumidor Direito

Leia mais

Aos vinte e um dias do mês de outubro de dois mil e dez, às 17h00min horas na sala nº 145 da ESAG, reuniu-se o Departamento de Administração

Aos vinte e um dias do mês de outubro de dois mil e dez, às 17h00min horas na sala nº 145 da ESAG, reuniu-se o Departamento de Administração 1 1 1 1 1 1 1 1 0 1 0 1 Aos vinte e um dias do mês de outubro de dois mil e dez, às 1h00min horas na sala nº 1 da ESAG, reuniu-se o Departamento de Administração Empresarial da ESAG, com as seguintes presenças:

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC. RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.) Chamada Pública Universal 03/2006 1.1. N do Contrato:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS. Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS. Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição Arnaldo José de Lima Bolsista: Fernando César Fiorini Ribas O objetivo

Leia mais

TRABALHOS PREMIADOS. Tema 1: Empreendedorismo, pequenas empresas e inovação

TRABALHOS PREMIADOS. Tema 1: Empreendedorismo, pequenas empresas e inovação TRABALHOS PREMIADOS Tema 1: Empreendedorismo, pequenas empresas e inovação Trabalho: ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO DOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NITS) NO BRASIL: ESTRUTURA, GESTÃO E RELAÇÃO

Leia mais

As aplicações do Balanced Scorecard na Engenharia de Produção: uma análise baseada nas publicações do ENEGEP

As aplicações do Balanced Scorecard na Engenharia de Produção: uma análise baseada nas publicações do ENEGEP XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 6 As aplicações do Balanced Scorecard na Engenharia de Produção: uma análise baseada nas publicações do ENEGEP Sérgio Henrique Barszcz (União/UTFPR)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 013/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL

ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL 1 ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL Florianópolis - SC - abril/2015 Júlio César da Costa Ribas IFSC julio@ifsc.edu.br Andreza Regina

Leia mais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONALIZANTE MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1.325 de 18 de maio de 2004, publicada no DOU em 20 de maio de 2004. Diretor da Faculdade: Elita Grosch Maba Diretor

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING

ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING ETEC TAKASHI MORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO EM MARKETING PLANO TRABALHO DOCENTE 2º SEMESTRE 2013 1 ETEC TAKASORITA - EXTENSÃO PARELHEIROS INDICE

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 MESTRADO: EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Estudos Organizacionais e Sociedade e Marketing e Cadeias

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA EM NÍVEL MÉDIO

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo Ementas das Disciplinas 1. Teorias Administrativas e a Gestão Escolar - 30 horas Ementa: Gestão Educacional conceitos, funções e princípios básicos. A função administrativa da unidade escolar e do gestor.

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 39 de 13 de janeiro de 2012, publicada no DOU em 16 de janeiro de 2012. Diretor da Faculdade: Ivanir Salete Bazzei

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 553 A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Irene Caires da Silva 1, Tamires Fernanda Costa de Jesus, Tiago Pinheiro 1 Docente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Discente

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

OFICINA: ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO. Professores Ministrantes: Simone G. Feuerschütte e Nério Amboni. Florianópolis, setembro de 2012.

OFICINA: ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO. Professores Ministrantes: Simone G. Feuerschütte e Nério Amboni. Florianópolis, setembro de 2012. OFICINA: ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Professores Ministrantes: Simone G. Feuerschütte e Nério Amboni Florianópolis, setembro de 2012. Objetivo e conteúdo da Oficina: Orientar os participantes da oficina

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

Fornecer conteúdos e refletir sobre práticas atualizadas de comunicação e marketing, como as técnicas e ferramentas de marketing digital.

Fornecer conteúdos e refletir sobre práticas atualizadas de comunicação e marketing, como as técnicas e ferramentas de marketing digital. MBA em Marketing Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 09 --> A globalização e os avanços tecnológicos estão abrindo oportunidades de negócios, novas formas de comercialização e despertando

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados 1-OBJETIVOS OBJETIVO GERAL: Especializar profissionais com diploma do curso superior, que atuem nos setores empresariais, estratégicos, gerenciais e técnicos

Leia mais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONALIZANTE MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE SERVIÇOS E HOSPITALIDADE EM EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS E EVENTOS

MBA EM GESTÃO DE SERVIÇOS E HOSPITALIDADE EM EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS E EVENTOS MBA EM GESTÃO DE SERVIÇOS E HOSPITALIDADE EM EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS E EVENTOS O programa foi desenvolvido para capacitar o aluno a atuar no segmento Business de Turismo e Eventos, dando-lhe competências

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09) Publicada no D.O.U. nº 217, de 13/11/09 Seção 1 Página 183 e 184 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09) Aprova o registro profissional

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de Lisboa. Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONALIZANTE MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA

LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior Exportação e Importação Gerência

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA Agenda do Futuro Iniciativa do Grupo TV1 criada em 2008 para gerar conhecimento e incentivar a reflexão sobre as mudanças em curso na Comunicação

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016 A Fundação de Rotarianos de São Caetano do Sul - ROTARY Colégio Eduardo Gomes objetivando o desenvolvimento profissional de seus associados e seus familiares estabeleceu parceria educacional com a Fundação

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ Fabiano Ceretta 1 Resumo: O projeto interdisciplinar do módulo de Agências

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. nº 6195 de 22.03.02. Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Manual Administrativo A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Teresina 07/10/2009 SUMÁRIO Empresa Júnior ICF 03 Áreas de atuação da A.D.M Consultoria Jr. 04 Organograma 08 Competências 09 Das Atribuições do

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. nº 6195 de 22.03.02. Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ

Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ 19/11/2009 Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ (fonte: CFA) Nos últimos anos cresceu significativamente

Leia mais

METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO

METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO Mauricio João Atamanczuk (UTFPR) atamanczuk@hotmail.com Prof. Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br RESUMO:

Leia mais

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL O programa irá prepara-lo para especializar-se no desenvolvimento e planejamento da gestão de marcas; capacitando-o

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÂ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO Qualificação:

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ATIVIDADES DOCENTES

DECLARAÇÃO DE ATIVIDADES DOCENTES ADRIANA LANA RAMOS 00328096 ACD Apoio Acadêmico 1 Orientação de Monografias. ADM Atividade Administrativa 29 Vice-Diretora da Faculdade de Adminiostração e Finanças. EXT Extensão 10 Coordenadora do Projeto

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO Ementa: Identificar os elementos básicos das organizações: recursos, objetivos e decisões. Desenvolver

Leia mais

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO PROGRAMA NACIONAL DE ESTRUTURAÇÃO DE DESTINOS TURÍSTICOS (Documento base Câmara Temática de Regionalização) Brasília, 08.02.2013 SUMÁRIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO... 2 2. DIRETRIZES...

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Recursos Humanos 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Recursos Humanos 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Recursos Humanos 2011-1 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO LIDERANÇA AUTOCRÁTICA: O RELACIONAMENTO

Leia mais

ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO VII FICHA DE INSCRIÇÃO MINISTÉRIO SUPERVISOR: Ministério da Educação ÓRGÃO/ENTIDADE: Universidade Federal de Santa Maria/RS DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Campus Centro de Educação da UFSM RESPONSÁVEL:

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UM ESTUDO COM OS EMPREENDEDORES INCUBADOS NA INCTECh

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UM ESTUDO COM OS EMPREENDEDORES INCUBADOS NA INCTECh RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UM ESTUDO COM OS EMPREENDEDORES INCUBADOS NA INCTECh TEMA: PARQUES TECNOLÓGICOS MODELANDO NOVAS CIDADES AUTOR: Andreici Daiani Vitor Vedovatto RESUMO ESTRUTURADO: Frente

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS

A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS Michelle Mike Nose 1, Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto 2 Universidade de São Paulo 1 Escola de Engenharia de São Carlos Av. Trabalhador

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva Sandely Fernandes de Araújo (UFRN) sandely.araujo@pep.ufrn.br Anatália Saraiva Martins Ramos (UFRN) anatalia@pep.ufrn.br Resumo

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO O programa irá desenvolver no aluno competências sobre planejamento e força de Vendas, bem como habilidades para liderar, trabalhar em equipe, negociar

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado)

MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado) MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado) Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições Abertas Turma 14 (Nova) -->Início Confirmado:05/07/2013 Mercados dinâmicos têm imposto desafios crescentes para as empresas:

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM Lidiane Nazaré da Silva Dias Instituto de Estudos Superiores da Amazônia

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE TUBARÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE TUBARÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE TUBARÃO CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 83 de 30 de janeiro de 2014, publicada no DOU em 31 de janeiro de 2014. Diretor da Faculdade: Marisa Martini Coordenador

Leia mais

Plano Educação. www.planoeducacao.com.br LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO. Área Assunto Titulo

Plano Educação. www.planoeducacao.com.br LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO. Área Assunto Titulo Plano Educação LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO 1 Administração Comércio, Vendas e Negociações Administração de Mercado Exterior Administração Comércio, Vendas e Negociações Atendimento ao cliente

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE S (ÁREA: GESTÃO) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profª. Dra. Neyde Lopes de Souza Prof. Ms. Luiz Vieira da Costa SUMÁRIO Pág. 1. Apresentação...

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) Regulamenta o exercício do Profissional de Marketing, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1 0 - Quem é o que faz o profissional

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria, 18-9-2013

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria, 18-9-2013 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria, 18-9-2013 Pauta 1)Introdução: Cronograma Geral da Fase III do PDI e da elaboração do capítulo 3 - Planejamento Estratégico Objetivos da

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

PROPOSTA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO COM ADMINISTRAÇÃO PARTE TÉCNICA GESTÃO EMPRESARIAL

PROPOSTA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO COM ADMINISTRAÇÃO PARTE TÉCNICA GESTÃO EMPRESARIAL PROPOSTA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO COM ADMINISTRAÇÃO PARTE TÉCNICA GESTÃO EMPRESARIAL 1. História da Teoria da Administração: fundamentos da Administração: Era Clássica; Revolução Industrial;

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais