Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Flauta Transversal 1º Grau

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Flauta Transversal 1º Grau"

Transcrição

1 Matriz de Prova Final de Avaliação de Flauta Transversal 1º Grau Duas das seguintes escalas numa oitava (mínimo): - Fá M - Sol M - Sib M - Ré M - Dó M Um estudo de entre os métodos propostos para o nível do grau em que o aluno se encontra ou de dificuldade igual ou superior. Duas peças ou uma peça e um exercício de escalas e arpejos. Memorização: executar de memória uma canção ou pequeno trecho melódico. O aluno deve ser capaz de manter uma afinação estável e com qualidade Tímbria nos diferentes registos; O aluno deve demonstrar um bom domínio técnico do instrumento bem como das diferentes articulações. O aluno deve ser capaz de manter uma postura estável, demonstrando domínio no manuseamento do instrumento; O aluno deve ter uma pulsação estável, bem como deve estar apto a executar e reconhecer com facilidade diversos tipos de ritmos mais complexos que anteriormente. O aluno deve ser capaz de manter uma afinação estável e com qualidade Tímbria; O aluno deverá demonstrar domínio da respiração diafragmática; O aluno deve ser capaz de realizar diferentes articulações; O aluno deve ser capaz de reproduzir dinâmicas. Todos os anteriores. Capacidade de memorização. (0-0%)

2 Matriz de Prova Global de Flauta Transversal 2º Grau melódica e harmónica) e respetivos arpejos; escala cromática. Afinação e destreza digital; Qualidade tímbrica. Um estudo dos presentes no programa entre 1º e 2º Graus. Duas peças de entre as presentes no programa do 2º Grau, ou de dificuldade igual ou superior. Uma leitura à primeira vista. Capacidade de raciocínio rápido reconhecimento de notação (incluindo de armação de clave tonalidade), ritmo, articulação e sua rápida aplicação na execução.

3 Matriz de Prova Final de Avaliação de Flauta Transversal 3º Grau melódica e harmónica) e respetivos arpejos; escala cromática. Afinação e destreza digital; Qualidade Tímbria. Um estudo dos presentes no programa entre 2º e 3º Graus. Duas peças, andamentos de uma sonata ou concerto, de entre as presentes no programa do 3º Grau, ou de dificuldade igual ou superior. Uma leitura à primeira vista. Capacidade de raciocínio rápido reconhecimento de notação (incluindo de armação de clave tonalidade), ritmo, articulação e sua rápida aplicação na execução.

4 Matriz de Prova Final de Avaliação de Flauta Transversal 4º Grau melódica e harmónica) e respetivos arpejos; Escala cromática ou de tons inteiros. Um estudo dos presentes no programa entre 3º e 4º Grau. Qualidade Tímbria. Duas peças, andamentos de uma sonata ou concerto, de entre as presentes no programa do 4º Grau, ou de dificuldade igual ou superior. Uma leitura à primeira vista. Capacidade de raciocínio rápido reconhecimento de notação (incluindo de armação de clave tonalidade), ritmo, articulação e sua rápida aplicação na execução.

5 Matriz de Prova Global de Flauta Transversal 5º Grau melódica e harmónica) e respetivos arpejos; Escala cromática ou de tons inteiros. Um estudo à escolha do aluno de entre os apresentados no programa de 5º Grau. Qualidade tímbrica. Três obras contrastantes (a solo ou acompanhadas) de entre as estudadas no decorrer do ano lectivo, situadas entre o período Barroco e o Presente. Nota: poder-se-á considerar uma obra o seguinte: - Uma peça isolada; - Um andamento de sonata/partita/suite; - Um andamento de concerto. 60 Uma leitura à primeira vista de uma peça ou excerto de orquestra. Interpretação rápida da sinalética musical. Qualidade da rapidez de reflexos do aluno face a uma situação em que não existe uma preparação prévia do material apresentado.

6 Matriz de Prova Global de Flauta Transversal 5º Grau melódica e harmónica) e respetivos arpejos; Escala cromática ou de tons inteiros. Um estudo à escolha do aluno de entre os apresentados no programa de 5º Grau. Qualidade tímbrica. Três obras contrastantes (a solo ou acompanhadas) de entre as estudadas no decorrer do ano lectivo, situadas entre o período Barroco e o Presente. Nota: poder-se-á considerar uma obra o seguinte: - Uma peça isolada; - Um andamento de sonata/partita/suite; - Um andamento de concerto. 60 Uma leitura à primeira vista de uma peça ou excerto de orquestra. Interpretação rápida da sinalética musical. Qualidade da rapidez de reflexos do aluno face a uma situação em que não existe uma preparação prévia do material apresentado. Pousos, de Novembro de 2012 Professora Carla Antunes

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Violino 1º Grau Conteúdos (mínimos) Objectivos Cotações

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Violino 1º Grau Conteúdos (mínimos) Objectivos Cotações 1º Grau Duas das seguintes escalas numa oitava (mínimo): - Sol M - Ré M - Lá M - Outra de dificuldade superior Um estudo de entre os métodos propostos para o nível do grau em que se encontra o aluno ou

Leia mais

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Violoncelo 1º Grau Conteúdos (mínimos) Objectivos Cotações

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Violoncelo 1º Grau Conteúdos (mínimos) Objectivos Cotações Matriz de Prova Final de Avaliação de Violoncelo 1º Grau Duas das seguintes escalas numa oitava (mínimo): - Sol M - Ré M - Dó M Um estudo de entre os métodos propostos para o nível do grau em que se encontra

Leia mais

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Percussão

Escola de Artes SAMP. Matriz de Prova Final de Avaliação de Percussão Preparatório Escalas: executar de memória escala (Maior, menor ou um modo) e respetivo harpejo sem inversões, ambos com pelo menos uma oitava de âmbito. 0% Estudos: apresentar e executar estudos. Obras:

Leia mais

ANEXO 4 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DAS PROVAS DE AFERIÇÃO E EXAMES DOS DIFERENTES INSTRUMENTOS PARA O ENSINO ESPECIALIZADO DE MÚSICA

ANEXO 4 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DAS PROVAS DE AFERIÇÃO E EXAMES DOS DIFERENTES INSTRUMENTOS PARA O ENSINO ESPECIALIZADO DE MÚSICA ANEXO 4 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DAS PROVAS DE AFERIÇÃO E EXAMES DOS DIFERENTES INSTRUMENTOS PARA O ENSINO ESPECIALIZADO DE MÚSICA 1 GRUPO DE SOPROS A- Conteúdos programáticos das Provas de Aferição 1.

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Escola de Música da UEM Educação Profissional Av. Colombo 5790 Campus Universitário Tel 44 3011-4383

Universidade Estadual de Maringá Escola de Música da UEM Educação Profissional Av. Colombo 5790 Campus Universitário Tel 44 3011-4383 EDITAL Nº 021/2013- EMU CERTIDÃO Certifico que o presente edital foi afixado em local de costume, nesta Escola e no site http://www.emu.uem.br, no dia 28/08/2013. Elizabeth Bif, Secretária. O Prof. Ms.

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Perfil do aluno no final do 5.º Ano O aluno canta a solo e em grupo, com intencionalidade expressiva, canções em diferentes tonalidades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012 ) No caso específico da disciplina de E. Musical, do 5ºano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO

PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO OBJECTIVOS GERAIS Desenvolver competências técnicas e artísticas através do estudo de um repertório diversificado. Trabalhar a compreensão do texto musical de modo a favorecer

Leia mais

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo,

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo, PROVA ESCRITA 1. De acordo com o trecho musical abaixo assinale a alternativa que corresponde as notas escritas em suas devidas alturas, segundo a escala geral. A) Lá3-Sol3-Fá3-Fá4-Sol4-Lá4-Si2-Dó3-Lá2-Sol2-Lá3-Si3-Dó3.

Leia mais

PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical

PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical 1º Ano Sons do meio ambiente e da natureza / silêncio Sons do corpo (níveis corporais) Sons naturais e artificiais Sons fortes e fracos Sons pianos (p), médios (mf)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE LETRAS E ARTES INSTITUTO VILLA-LOBOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE LETRAS E ARTES INSTITUTO VILLA-LOBOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PROCESSO SELETIVO DISCENTE THE 2015 CANDIDATOS AOS CURSOS DE MÚSICA Testes de Habilidades Específicas (THE) INFORMATIVO PROVAS E PROGRAMAS Os Testes

Leia mais

- MATRIZES DAS DISCIPLINAS -

- MATRIZES DAS DISCIPLINAS - - MATRIZES DAS DISCIPLINAS - SOPROS E PERCUSSÃO Anexo II Matrizes das Disciplinas Admissões 2017/2018 Página 45 de 81 FLAUTA DE BISEL, FLAUTA TRANSVERSAL, OBOÉ, CLARINETE, FAGOTE E SAXOFONE Admissão/aferição

Leia mais

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA Curso: ( ) Licenciatura ( ) Canto ( ) Instrumento ( ) Regência ( ) Composição

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO-PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO-PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova Final de Ciclo de Prova Escrita e prática Educação Musical 2º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS CURSO BÁSICO Desenvolver competências técnicas e artísticas através do estudo de um repertório diversificado. Trabalhar a compreensão do texto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MÚSICA Vestibular 2011 Prova escrita - Teoria e Ditado. Nome do candidato: Curso: 1 - TEORIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MÚSICA Vestibular 2011 Prova escrita - Teoria e Ditado. Nome do candidato: Curso: 1 - TEORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MÚSICA Vestibular 2011 Prova escrita - Teoria e Ditado Nome do candidato: Curso: 1 - TEORIA Marque a alternativa correta em cada questão. As questões 1 a 3 referem-se

Leia mais

ACORDEÃO. Admissão/aferição ao 2º grau/6º ano de escolaridade

ACORDEÃO. Admissão/aferição ao 2º grau/6º ano de escolaridade ACORDEÃO Admissão/aferição ao 2º grau/6º ano de escolaridade 1. Uma escala maior na extensão de uma oitava, de livre escolha; Respetivo arpejo sobre o acorde perfeito maior no estado fundamental. 2. Dois

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Critérios de Avaliação, 1º Ciclo - Ano Letivo 2014-15 Página 1 de 10 1. Domínios de avaliação: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º

Leia mais

Educação Musical Prova 12 2015

Educação Musical Prova 12 2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Musical Prova 12 2015 2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Projeto de Orquestra de Sopros e Percussão de Penacova

Projeto de Orquestra de Sopros e Percussão de Penacova Projeto de Orquestra de Sopros e Percussão de Penacova Nome do Projeto Orquestra de Sopros do Centro Cultural de Penacova (este nome será discutido à posteriori) Local onde se irá desenvolver Centro Cultural

Leia mais

Edital 03/FOSPA/2015. Viola de Arco turno tarde 1 Violoncelo turno tarde 2 Contrabaixo Acústico tocado com Arco turno tarde

Edital 03/FOSPA/2015. Viola de Arco turno tarde 1 Violoncelo turno tarde 2 Contrabaixo Acústico tocado com Arco turno tarde Edital 03/FOSPA/2015 O PRESIDENTE DA - FOSPA, no uso de suas atribuições legais que lhe confere o art. 17, inciso VII, Decreto nº 51.370, de 10 de abril de 2014, TORNA PÚBLICO A ABERTURA DAS INSCRIÇÕES

Leia mais

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA VIOLINO CURSO DE MÚSICA TESTES FINAIS E PROVAS GLOBAIS 2016/2017

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA VIOLINO CURSO DE MÚSICA TESTES FINAIS E PROVAS GLOBAIS 2016/2017 INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA PREPARATÓRIO I VIOLINO CURSO DE MÚSICA TESTES FINAIS E PROVAS GLOBAIS 2016/2017 Uma escala diatónica maior na tonalidade de Ré, Lá ou Sol na extensão de uma oitava e o respectivo

Leia mais

Música 2. PROGRAMA. Modalidades composição, regência e instrumento

Música 2. PROGRAMA. Modalidades composição, regência e instrumento Aptidão Música 1. INTRODUÇÃO O exame de aptidão em Música tem por objetivo avaliar a formação musical do candidato, bem como o seu potencial artístico. Em seu aspecto técnico, o exame avalia o conhecimento

Leia mais

Departamento de Expressões. Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016. 5º Ano

Departamento de Expressões. Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016. 5º Ano Departamento de Expressões Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016 5º Ano 1º PERÍODO Conceitos Conteúdos Objetivos Meio ambiente, vocal, corporal e Instrumentos de percussão: família das peles,

Leia mais

Informação para os Testes de Ingresso Prova de Execução Instrumental - 5º Ano

Informação para os Testes de Ingresso Prova de Execução Instrumental - 5º Ano Percussão planificações da disciplina. 1 Peça de Peles (2) 1 Peça de Lâminas (2) 1 Peça de Peles 1 Peça de Lâminas Notas: 1 A seleção do programa a executar realiza-se no momento da prova. 2 - Cada andamento

Leia mais

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova:

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova: INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO MUSICAL Prova Escrita Abril de 2015 Prova nº 12 2015 ---------------------------------------------------------------------------------------- 2º Ciclo

Leia mais

CONCURSO JOVEM.COM REGULAMENTO 2015 - EMCN

CONCURSO JOVEM.COM REGULAMENTO 2015 - EMCN CONCURSO JOVEM.COM REGULAMENTO 2015 - EMCN A) CONCURSO 1- O Concurso Jovem.COM é um concurso de Interpretação. Tem como objetivos: - Promover os Conservatórios Oficiais de Música e suas cidades; - Premiar

Leia mais

INST I T U T O G R E G O RI A N O D E L ISB O A

INST I T U T O G R E G O RI A N O D E L ISB O A 1º G R A U ãos, com vista à obtenção de boa sonoridade e afinação rigorosa; a a sua extensão; ª posição, com a utilização de todos os dedos da mão esquerda; lógico e da flexibilidade cognitiva; apacidade

Leia mais

FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo. Cursos de Formação de Professores

FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo. Cursos de Formação de Professores FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo Cursos de Formação de Professores António José Ferreira 08/03/2008 Com a acção Formação Musical e Música no 1º Ciclo

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Inscrição. Assinatura: PROVA COLETIVA

CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Inscrição. Assinatura: PROVA COLETIVA CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA Nome do Candidato Inscrição Sala Assinatura: PROVA COLETIVA 1- A prova está dividida em 4 questões com as seguintes pontuações: Questão

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO

CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO AUTORIZAÇÃO: Resolução nº 31/93 CONSUNI e Resolução nº 374/2005 CONSUNI RECONHECIMENTO: Decreto Estadual nº 1495/2000

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores

Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores ATENÇÃO: O candidato deve apresentar-se com 30 minutos de antecedência, munido da cédula de identidade e do seguinte material para realização da prova: -

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 35/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Música, Modalidade

Leia mais

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos a Podem encontrar-se exemplos dos testes em Modelos de Testes Auditivos, publicados em dois livros, um para os Níveis 1 5 e outro para os

Leia mais

Você quer se formar em Música?

Você quer se formar em Música? Você quer se formar em Música? Faça um dos cursos de Graduação em Música oferecidos pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (EMAC/UFG)! 1) Quais são os Cursos Superiores

Leia mais

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00)

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) PROVA DE APTIDÃO MÚSICA COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) 1. ANÁLISE COMPARATIVA (01:00:00) Ouça atentamente os três trechos musicais a serem reproduzidos durante o exame 1.1 Esboce uma representação

Leia mais

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e Planificação 2014/2015 6º ano Educação Musical Núcleos organizadores Interpretação e Comunicação Metas de aprendizagem O aluno decide sobre a aplicação de elementos de dinâmica e agógica na interpretação

Leia mais

CONTRABAIXO. Admissão/aferição ao 2º grau/6º ano de escolaridade. 1. Escala em uma oitava com respetivo arpejo 50 pontos

CONTRABAIXO. Admissão/aferição ao 2º grau/6º ano de escolaridade. 1. Escala em uma oitava com respetivo arpejo 50 pontos CONTRABAIXO Admissão/aferição ao 2º /6º ano de escolaridade 1. Escala em uma oitava com respetivo arpejo 2. Estudo baseado nos objetivos e conteúdos definidos para o 1º 3. Uma peça musical ou qualquer

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio O Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A, de 12 de Abril, cria o novo regime jurídico para a educação extra-escolar e ensino recorrente.

Leia mais

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO DE CERTIFICAÇÃO EM HABILIDADES ESPECÍFICAS UFU 2015-1 EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 02/2015 Composição da Certificação A Certificação de Habilidades Específicas

Leia mais

Audições para Clarinete (1 º Solista Auxiliar) com obrigatoriedade de Clarinete Baixo e em Mib

Audições para Clarinete (1 º Solista Auxiliar) com obrigatoriedade de Clarinete Baixo e em Mib Audições para Clarinete (1 º Solista Auxiliar) com obrigatoriedade de Clarinete Baixo e em Mib Orquestra Gulbenkian 8 de Junho de 2016 1. ÂMBITO... 4 2. CANDIDATURAS... 4 3. PRÉ-SELECÇÃO... 4 3.1 PRÉ-AUDIÇÃO...

Leia mais

Música 1. INTRODUÇÃO 2. PROGRAMA. Instrumentos exigidos: Modalidades composição, regência e instrumento. Teoria Musical.

Música 1. INTRODUÇÃO 2. PROGRAMA. Instrumentos exigidos: Modalidades composição, regência e instrumento. Teoria Musical. Aptidão Música 1. INTRODUÇÃO O exame de aptidão em Música tem por objetivo avaliar a formação musical do candidato, bem como o seu potencial artístico. Em seu aspecto técnico, o exame avalia o conhecimento

Leia mais

Índice. Introdução... 3 Trocas... 3 Substituições... 4 Reposição de Aulas... 5 Omissões... 5 ANEXO I... 6. Regulamento de trocas e Substituições - 2

Índice. Introdução... 3 Trocas... 3 Substituições... 4 Reposição de Aulas... 5 Omissões... 5 ANEXO I... 6. Regulamento de trocas e Substituições - 2 Em aprovação julho de 2015 Índice Introdução... 3 Trocas... 3 Substituições... 4 Reposição de Aulas... 5 Omissões... 5 ANEXO I... 6 Regulamento de trocas e Substituições - 2 Introdução O Regime de Trocas

Leia mais

Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004

Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004 Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004 JORNAL OFICIAL Nº 43 I SÉRIE 21-10-2004 Ao abrigo do regime jurídico da educação extra-escolar, criado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A, de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) Ano Lectivo 201 / 2016 1 INTRODUÇÃO A prática do canto constitui a base da expressão e educação musical no 1º ciclo. É uma atividade de síntese na

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 -Saber/saber fazer- Ponderação: 85% 5º Ano de escolaridade - Interpretação: Cantar,

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVAS GLOBAIS DE FORMAÇÃO MUSICAL 2014/2015 12.º ANO / 8.º GRAU

INFORMAÇÃO PROVAS GLOBAIS DE FORMAÇÃO MUSICAL 2014/2015 12.º ANO / 8.º GRAU INFORMAÇÃO PROVAS GLOBAIS DE FORMAÇÃO MUSICAL 2014/2015 12.º ANO / 8.º GRAU 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova global do ensino secundário da disciplina de Formação

Leia mais

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima 1. Formação Inicial e Continuada / Qualificação Profissional pretendida: Curso de Formação Inicial e Continuada em Regência

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO TOM JOBIM Edital de 30 de janeiro de 2015 Processo Seletivo Nº 2 para ingresso de alunos na EMESP em 2015

ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO TOM JOBIM Edital de 30 de janeiro de 2015 Processo Seletivo Nº 2 para ingresso de alunos na EMESP em 2015 ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO TOM JOBIM Edital de 30 de janeiro de 2015 Processo Seletivo Nº 2 para ingresso de alunos na EMESP em 2015 ÍNDICE Dispõe sobre o segundo Processo Seletivo para preenchimento

Leia mais

I CFD. Área: ARTE Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL

I CFD. Área: ARTE Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL Série: 6º ANO 1º TRIMESTRE ARTE VISUAL. Arte Rupestre. Arte Africana. Arte Indígena Brasileira Valorizar o(s) autor (es) dos objetos culturais apreciados, conhecendo aspectos de suas principais obras;

Leia mais

PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO

PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO - HABILITAÇÃO EM INSTRUMENTO - HABILITAÇÃO EM CANTO PROVA PRÁTICA DE INSTRUMENTO OU CANTO INFORMAÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO. Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens

PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO. Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens Ana Estevens, nº 120138001 Trabalho realizado na Unidade Curricular de Processos de Experimentação

Leia mais

ENCAMINHAMENTO TRIMESTRAL AVALIAÇÃO

ENCAMINHAMENTO TRIMESTRAL AVALIAÇÃO 1ª ano Teoria Música dos continentes, Rock (Elvis e Beatles), instrumentos da orquestra. Comportamento atividades Concentrar-se na aula, atendendo bem ao chamado da professora, realizando as audições.

Leia mais

ANEXO. Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado

ANEXO. Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado ANEXO Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado EXAME DE HABILIDADE PARA OS CANDIDATOS A FACULDADE DE ARTES VISUAIS MODALIDADE LICENCIATURA E BACHARELADO ARTES VISUAIS Para candidatar-se ao

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE ARACAJU DEA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SERGIPE

GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE ARACAJU DEA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SERGIPE B GOVERNO DO ESTADO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE ARACAJU DEA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SERGIPE PROCESSO DE SELEÇÃO 2011 INFORMATIVO EXAME DE SELEÇÃO PARA O

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Formação Musical - 2º Ciclo Contínua COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Leitura - Ler frases rítmicas em diferentes unidades de tempo e compassos; - Entoar afinadamente, melodias nos modos

Leia mais

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli.

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. Teoria Musical O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. 01. Com base no trecho musical acima, analise as proposições a seguir. 0-0) As notas Sol sustenido

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 34/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Música, Modalidade

Leia mais

Conservatório de Música de Barcelos

Conservatório de Música de Barcelos Atividades 2013/2014 Calendarização Atividades Local 27/09/2013 às 21:30h 01/10/2013 às 19:30h 18/10/2013 às 21:30h 12/11/2013 22/11/2013 23/11/2013 às 21:00H 29/11/2013 às 10 e 12/12/2013 às 21:00h 14/12/2013

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Expressões e Tecnologias Planificação Anual de Educação Musical 5º ano Ano Letivo 2013/2014

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA CONCURSO PARA ADMISSÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO NOS QUADROS PERMANENTES NA CATEGORIA DE PRAÇAS DA CLASSE DE MÚSICOS NORMAS DO CONCURSO Marinha Sistema

Leia mais

3 Fraseologia Musical - Conteúdo

3 Fraseologia Musical - Conteúdo Introdução Inciso Semifrase Frase Do ponto de vista do início e terminação Do ponto de vista quantitativo Frases quadradas ou quadratura Do ponto de vista qualitativo Período Período simples Período composto

Leia mais

EDITAL N o 40/2010-DAA

EDITAL N o 40/2010-DAA EDITAL N o 40/2010-DAA CERTIDÃO Certifico que o presente Edital foi publicado no dia 23/9/2010 no endereço eletrônico www.daa.uem.br, na Secretaria da DAA e nas Secretarias Acadêmicas dos Câmpus Regionais

Leia mais

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM. EDUCAÇÃO VISUAL - 7º Ano

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM. EDUCAÇÃO VISUAL - 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 Covilhã PLANO DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM - A definir em função das características das Turmas e dos interesses dos alunos. COMUNICAÇÃO TEMÁTICOS CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

Comissão organizadora do XV Festival da Canção Infantil da Ilha das Flores Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores

Comissão organizadora do XV Festival da Canção Infantil da Ilha das Flores Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores Comissão organizadora do XV Festival da Canção Infantil da Ilha das Flores Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores Agrupamento de Escuteiros Nº 691 de Nª Sr.ª da Conceição R E G U L A M E N T O FESTIVAL

Leia mais

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016

ESCOLA BÁSICA SANTA CLARA. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Educação Visual (5ºAno) 2015-2016 1 1 Não conhece os materiais riscadores e respetivos suportes físicos. Não domina os materiais básicos de desenho técnico. Não domina a aquisição de conhecimento prático. Não compreende a geometria enquanto

Leia mais

Princípios do programa de Expressão Musical

Princípios do programa de Expressão Musical Princípios do programa de Expressão Musical Voz: Dizer, entoar e cantar rimas e lengalengas; cantar canções; experimentar sons vocais. Corpo: Experimentar percussão corporal; acompanhar canções e gravações

Leia mais

ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES

ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES Normas Complementares, relativas aos temas e as especificações das Provas

Leia mais

A ordem do nome das notas

A ordem do nome das notas Teoria Musical1 Cap.1 Altura dos sons João Carlos Almeida 1 1. ALTURA O SOM tem quatro características principais: Altura sons graves, médios e agudos; Duração sons curtos e longos; Intensidade sons muito

Leia mais

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Percepção Ditado Melódico 1: Reconhecimento de notas erradas na partitura (duração da questão 01min 30s). 1. Ouviremos a seguir um

Leia mais

Maria Manuela Martins Dias da Costa. Fundamentos da Abordagem Pianística. Escalas e Arpejos. Volume II DIREITOS RESERVADOS ALL RIGHTS RESERVED

Maria Manuela Martins Dias da Costa. Fundamentos da Abordagem Pianística. Escalas e Arpejos. Volume II DIREITOS RESERVADOS ALL RIGHTS RESERVED Maria Manuela Martins Dias da Costa Fundamentos da Abordagem Pianística Escalas e Arpejos Volume II DIREITOS RESERVADOS ALL RIGHTS RESERVED AvA MUSICAL EDITIONS Arpejo de dó maior (duas oitavas) Estado

Leia mais

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO DE CERTIFICAÇÃO EM HABILIDADES ESPECÍFICAS UFU 2015-2 EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 10/2015 Composição da Certificação A Certificação de Habilidades Específicas

Leia mais

TONALIDADE X FREQUÊNICA

TONALIDADE X FREQUÊNICA Som, notas e tons TONALIDADE X FREQUÊNICA O violão é um instrumento musical e o seu objetivo é fazer música. Música é a organização de sons em padrões que o cérebro humano acha agradável (ou pelo menos

Leia mais

EB1/JI DO FEIJÓ N.º 1 EB1/JI DE VALE FLORES

EB1/JI DO FEIJÓ N.º 1 EB1/JI DE VALE FLORES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ROMEU CORREIA EB1/JI DO FEIJÓ N.º 1 EB1/JI DE VALE FLORES EDUCAÇÃO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012-2013 Plano Curricular Simplificado Áreas de Conteúdo FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL Domínio

Leia mais

CURSOS COMPLEMENTARES DE MÚSICA

CURSOS COMPLEMENTARES DE MÚSICA CURSOS COMPLEMENTARES DE MÚSICA APRESENTAÇÃO O ensino artístico de música, de nível equivalente ao ensino secundário, corresponde aos Cursos Complementares de Música, que são ministrados em escolas especializadas

Leia mais

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário).

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário). CURSOS DE MÚSICA DO SESC (2º Semestre) MODALIDADE INICIANTE 1) VIOLÃO POPULAR Este curso está direcionado ao estudo da música popular com acompanhamento harmônico. Serão praticadas canções do repertório

Leia mais

Desenvolvimento do pensamento e imaginação musical, isto é, a capacidade de imaginar e relacionar sons;

Desenvolvimento do pensamento e imaginação musical, isto é, a capacidade de imaginar e relacionar sons; DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA Educação Musical _ º ANO _ A Ano Letivo: 0/0. Introdução / Finalidades O processo de ensino e aprendizagem da educação musical consiste na interação de um conjunto

Leia mais

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado Construção: Obras licenciadas e concluídas 4º Trimestre de 2015 - Dados preliminares 15 de março de 2016 Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado No 4º trimestre de 2015 os edifícios

Leia mais

EDITAL N o 031/2014-DAA

EDITAL N o 031/2014-DAA EDITAL N o 031/2014-DAA CERTIDÃO Certifico que o presente Edital foi publicado no dia 19/02/2014 no endereço eletrônico www.daa.uem.br, na Secretaria da DAA e nas Secretarias Acadêmicas dos Câmpus Regionais

Leia mais

09/10. Projecto Plano Nacional de Leitura. Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar. Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9

09/10. Projecto Plano Nacional de Leitura. Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar. Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9 Projecto Plano Nacional de Leitura 09/10 Agrupamento de Escolas D. Nuno Álvares Pereira Tomar Projecto PNL AEDNAP 09/10 1-9 Índice 1. Introdução 3 2. Avaliação das actividades realizadas / Resultados alcançados

Leia mais

RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS (RVCC Profissional) Fevereiro/2014

RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS (RVCC Profissional) Fevereiro/2014 RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS (RVCC Profissional) Fevereiro/2014 Enquadramento Legal RVCC Profissional Decreto Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro Cria o Quadro

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA BACHARELADO EM MÚSICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA BACHARELADO EM MÚSICA A questão 01 é acompanhada de um exemplo musical gravado, que será repetido 4 vezes, com um silêncio de 30 segundos entre cada repetição; um som de aviso (quatro toques ) aparecerá antes do extrato musical

Leia mais

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA Para responder às questões de 01 a 09, consulte a obra Kanonisches Liedchen, de Robert Schumann, do Álbum Para Juventude Op. 68, que se encontra reproduzida

Leia mais

0,6% para atualização de todos os acordos de cooperação relativos às respostas sociais constantes do Anexo I e II ao Protocolo de Cooperação.

0,6% para atualização de todos os acordos de cooperação relativos às respostas sociais constantes do Anexo I e II ao Protocolo de Cooperação. ADENDA PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO 2013-2014 ENTRE O MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL E A UNIÃO DAS MISERICORDIAS PORTUGUESAS, A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE SOLIDARIEDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO DE ARTES VISUAIS I. NOÇÕES DE PERCEPÇÃO E PERSPECTIVA

Leia mais

PROVA COM RESPOSTAS 18 QUESTÕES. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2015.1

PROVA COM RESPOSTAS 18 QUESTÕES. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2015.1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2015.1 CURSO DE MÚSICA EXAME DE HABILIDADE ESPECÍFICA EHE PROVA COM RESPOSTAS LOCAL DA PROVA CAMPUS DO ITAPERI N o DA SALA EXAME

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Educação Pré-Escolar 2014/15 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em cada nível de educação e

Leia mais

PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL

PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA Metodologia da Educação Musical Profª Viviane Beineke PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL - exemplo de planejamento para a 2ª

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO EXAME INTELECTUAL AOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS 2016-17 SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MÚSICA Quando

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa MESTRADO EM ENSINO DA MÚSICA REGULAMENTO SECÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO CURSO Artigo 1º Objecto 1 O presente regulamento aplica-se

Leia mais

O Ensaio-aula: uma proposta de metodologia de ensaio para banda de música

O Ensaio-aula: uma proposta de metodologia de ensaio para banda de música Revista do Conservatório de Música da UFPel Pelotas, nº4, 2011. p. 127-161 O Ensaio-aula: uma proposta de metodologia de ensaio para banda de música Lélio Eduardo Alves da Silva UFBA leliotrombone@gmail.com

Leia mais

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento TECLADO (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento O Piano e o Órgão são os instrumentos musicais mais tradicionais

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA Plano de Atividades 2013/2014 1 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES O Plano Anual de Atividades PAA do Conservatório é fundamental na valorização do currículo

Leia mais

Grelhas de conteúdos programáticos

Grelhas de conteúdos programáticos Grelhas de conteúdos programáticos > disciplina de Iniciação Musical ACADEMIA MUSICAL DOS AMIGOS DAS CRIANÇAS AMAC - GRELHAS DE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE INICIAÇÃO MUSICAL 1 RITMO frases

Leia mais

Roteiro vídeo aula de flauta doce

Roteiro vídeo aula de flauta doce Roteirovídeoauladeflautadoce Iniciaçãoàflautadoce 1. HistóriadoInstrumento 2. TécnicadoInstrumento 2.1 Conceitos 2.2 ProduçãoSonora 2.3 Respiração 2.4 Articulação 2.5 Dedilhado 3. Cuidadoscomoinstrumento

Leia mais

NOTA FUNDAMENTAL Desse conjunto de sons simultâneos, o que é mais bem identificado é o som da nota principal ou também chamada de nota fundamental.

NOTA FUNDAMENTAL Desse conjunto de sons simultâneos, o que é mais bem identificado é o som da nota principal ou também chamada de nota fundamental. Sons Harmônicos Esse assunto é extenso e bastante complexo, sendo objeto de estudo de diversos cursos especializados e de uma vasta literatura no campo da física e da matemática. Como esse não é nosso

Leia mais

Formação Pedagógica de Docentes. 1º Semestre do Ano Lectivo 2005/06

Formação Pedagógica de Docentes. 1º Semestre do Ano Lectivo 2005/06 Formação Pedagógica de Docentes 1º Semestre do Ano Lectivo 2005/06 Curso S1.1 Formação Pedagógica de Docentes 1 Formador: Drª Odete Fachada 2 Duração: 32 horas, repartidas por 4 dias. 3 Calendário: 1,

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3.598, de 14.10.08, D.O.E. nº 7.827 de 14.10.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº. 5.395,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO Critérios de Avaliação 1º Ano Disciplina: PORTUGUÊS Domínio Parâmetros de Avaliação Instrumentos de avaliação Ponderação Oralidade Assimilar e expressar

Leia mais

MÉTODO BÁSICO PARA CLARINETE Elaboração: Prof. MS Costa Holanda e Jardilino Maciel

MÉTODO BÁSICO PARA CLARINETE Elaboração: Prof. MS Costa Holanda e Jardilino Maciel MÉTODO BÁSICO PARA CLARINETE Elaboração: Prof. MS Costa Holanda e Jardilino Maciel INTRODUÇÃO Este método consiste em orientar de uma maneira mais direta e didática o aprendizado no Clarinete, instrumento

Leia mais