Danças Luso Ibéricas 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Danças Luso Ibéricas 2011"

Transcrição

1 Danças Luso Ibéricas Sevilhanas Pilar Madeira 11

2 Conteúdo 1. Introdução: Identificação de necessidades: Fundamentação da acção: Objectivo geral: Objectivo específico: Caracterização do publico alvo: Número de pessoas: Perfil de entrada: Perfil de saída: Estrutura modular: Níveis de qualificação: Conteúdos programáticos: Metodologias: Competências a desenvolver:

3 1. Introdução: As sevilhanas são um tipo de música popular, cantada e escrita em Sevilha. Derivam da música popular de Castela apimentada com uns ritmos de origem Árabe. Normalmente as suas letras são baseadas em histórias de Amor, falam do campo e da vida na cidade. É um tipo de dança muito graciosa, cheia de vivacidade e dinamismo, uma vez que, as cores e padrões dos vestidos lhe dão muita alegria. É uma dança muito sensual onde há jogo de olhares, sorrisos e em que os movimentos subtis tranformam-na numa dança com bastante linguagem corporal. Nas aulas de sevilhanas embarcaremos nos momentos iconográficos do país vizinho. O povo andaluz sempre celebrou com cantes e bailes de sevilhanas, eventos como as feiras de gado, as cruzes de Maio e todas as outras festas que os fazem um dos destinos turísticos do Mundo e que inspiraram obras de outras artes como a mítica ópera Cármen. Retrocederemos na história para ver as sevilhanas como um baile de origem folclórico (século XIX), primeiro na forma de seguidilla, seguindo como bolero até à divisão em quatro coreografias que existem nos dias de hoje. Abordaremos o tema das Sevilhanas e as várias formas de abordagem da dança. No fim teremos um intricado e misterioso jogo de mãos, a contorção dos corpos em harmoniosas voltas, jogos de pés e das saias. 3

4 2. Identificação de necessidades: Com a implementação do Musiberia - Centro Internacional de Musicas e Danças do Mundo Ibérico, Serpa passou a ser um ponto forte de encontro cultural, o que ao longo dos anos já se vinha ambicionando com as várias actividades relacionadas com a música. Em Portugal existem varias escolas de dança flamenca com grande afluência e aqui em Serpa seria aliciante a implementação de aulas de sevilhanas. Com a implantação do Musiberia, as sevilhanas seriam um dos pontos fortes para a escola uma vez que, Serpa pela sua localização, perto da fronteira com Espanha poderia atrair vários indivíduos de todas as idades. As sevilhanas pela sua graciosidade dinamismo fomentam o gosto desde os mais pequenos até os mais graúdos. 3. Fundamentação da acção: Com as aulas de sevilhanas o aluno vai adquirir uma formação aprofunda o que lhe vai permitir dançar e qualquer evento que assim lho permita, como também criar um grupo de flamenco, para posteriormente participar em espectáculos. Para além disso, dançar apresenta um conjunto de benefícios que proporcionam bemestar físico e psicológico. Funciona como uma terapia de relaxamento para libertar a mente dos problemas que afectam o ser humano diariamente. Ajuda a eliminar as tensões e ansiedades do quotidiano e a melhorar o aspecto pessoal, pois exercita os músculos do corpo de forma suave e sem causar danos. Melhora a postura, torna os gestos mais elegantes e permite perder calorias sem grande esforço e de forma divertida. 4

5 Principais benefícios: -Regula a frequência respiratória; -Corrige a postura; -Aumenta a flexibilidade; -Reduz a fadiga; -Aumenta os estímulos sensoriais melhorando a consciência corporal, a atenção e a concentração; -Melhora a capacidade de comunicação; -Fortalece a identidade pessoal e a auto-estima; -Aumenta a resistência ao stress e à ansiedade; -Facilita a integração. 4. Objectivo geral: Aprender os conceitos e técnicas básicas de iniciação á dança de sevilhanas. 4.1 Objectivo específico: Aprendizagem das quatro coreografias tradicionais de sevilhanas divididas pelas três coplas; Aprendizagem de trabalho a solo, a pares e em grupo; Trabalho de postura, técnica de mãos e braços; Expressão corporal e consciencialização corporal; Desenvolvimento da consciência rítmica; Domínio do tempo musical com palmas; Desenvolvimento da memória corporal. 5

6 5. Caracterização do publico alvo: 5.1 Número de pessoas: As turmas serão formadas por 20 alunos. 5.2 Perfil de entrada: Indivíduos que queiram desenvolver competências a nível da dança na vertente de musicas espanholas, com idades compreendidas entre os 7 e os 55 anos 5.3 Perfil de saída: No fim desta acção os indivíduos devem promover comportamentos seguros na aplicação das quatro coreografias tradicionais de sevilhanas divididas pelas três coplas, domínio da postura, controle da técnica de mãos e braços, consciencialização corporal e do tempo musical. 6. Estrutura modular: Serão aulas trimestrais, sem interrupção e no final de cada trimestre será atribuído um nível de aprendizagem, com o qual os alunos conseguirão utilizar os conceitos que aprenderam nesse nível sem obrigatoriedade de frequência no próximo nível. 6

7 6.1 Níveis de qualificação: Nível 1-Aprendizagem 1ª sevilhana, dividida por três coplas. Este nível decorrerá no 1º trimestre composto por 13 aulas. Nível 2- Aprendizagem 2ª sevilhana, dividida por três coplas. Este nível decorrerá no 2º trimestre composto por 13 aulas. Nível 3- Aprendizagem 3ª sevilhana, dividida por três coplas. Este nível decorrerá no 3º trimestre composto por 13 aulas. Nível 3- Aprendizagem 4ª sevilhana, dividida por três coplas. Este nível decorrerá no 4º trimestre composto por 13 aulas. 7

8 6.2 Conteúdos programáticos: Duração Nível Objetivo Conteúdos programáticos 1º Trimestre 1 -Dominar o passeilho; -Aplicar o passeilho na técnica do triangulo; -Compreender o movimento corporal para a passada; -Aplicar o passo da ancora; -Controlar o movimento do corpo para as quatro passadas -Realizar o movimento das mãos com a técnica das árvores; -Executar todos os movimentos num todo com harmonia; -Compreender as várias formas de termino da sevilhana; -História das sevilhanas -Conceitos relativos á sua estrutura; -Compasso musical; -Introdução da 1ª sevilhana e as suas três coplas; -Introdução ao movimento das saias. Instrumentos Pedagógicos -Utilização de formas geométricas feitas de papel autocolante; -Figuras imaginaria da natureza; -Utilização da saia de baile. 2º Trimestre 2 -Dominar o passe cruzado; -Executar os movimentos equilibrados da volta; -Executar com rapidez o passe picado; -Realizar o movimento das mãos e braços; -Aplicar as duas formas de passadas do final da ultima copla; - Compreender as várias formas de término da sevilhana; -Introdução a 2ª sevilhana as suas três coplas; -Conceitos relativos á sua estrutura; Desenvolviment o dos conhecimentos relativos s saia; -Utilização da saia de baile. 3º Trimestre 3 -Realizar as voltas com harmonia; -Coordenar o movimento dos pés para o sapateado; -Realizar o movimento das mãos e braços como impulsionadoras do movimento corporal; - Compreender as várias formas de término da sevilhana; -Introdução a 3ª sevilhana e as suas três coplas; -Conceitos relativos á sua estrutura; -Saias e a sua utilização para o sapateado. -Utilização da saia de baile. 4º Trimestre 4 -Aprender os movimentos dos remolinos; -Utilizar as quatro sevilhanas em movimentos coordenados; -Realizar o movimento das mãos e -Introdução a 4ª sevilhana e as suas três coplas; Conceitos relativos á sua -Utilização da saia de baile. 8

9 braços; -Executar as quatro sevilhanas em quadrado e círculo; estrutura; 7. Metodologias: Ao início daremos relevância particularmente as necessidades de cada aluno tentando encontrar a orientação necessária para tentar oferecer as condições óptimas aos alunos que apresentem mais dificuldades. Em cada caso traçaremos objectivos mais particulares com cada aluno, não afectando o resto da turma uma vez que, é um curso flexível que adoptaremos as melhores medidas para aproveitamento de todos os alunos, inclusive as pessoas de idade mais avançada e os mais pequenos. As aulas constarão de 60 minutos e em cada serão introduzidas palavras-chave do uso quotidiano, alguns instrumentos pedagógicos e áudio visuais de forma a facilitar a aprendizagem. Cada aula é constituída por três partes: Uma primeira parte com exercício de aquecimento, concentração e consciencialização corporal; Exercícios, de técnica de braços, mãos e pés; Aprendizagem das coreografias. 9

10 8. Competências a desenvolver: Com o nível um, o aluno estará apto para dançar a 1ª sevilhana e utilizar os mesmos passos nas restantes. No nível dois, o aluno utilizara a 1ª e 2ª sevilhana. No nível três, dançara até a 3ª sevilhana, mas já com um grau bastante desenvolvido já que há uma maior consciencialização de passos, ritmos e movimento corporal. No nível quatro e último, o aluno saberá aplicar todas as quatro etapas numa junção harmoniosa onde os movimentos são mais coordenados, onde existirá jogo de cintura e de olhares, em que o domínio das saias será bastante visível e onde o aluno conseguirá facilmente entrar em novas coreografias dentro das sevilhanas. 10

Capacidades a desenvolver ao longo da opção de Dança

Capacidades a desenvolver ao longo da opção de Dança AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Opção de Dança Aulas Previstas 7º ano (50 minutos) 1ºP - 14 2ºP - 13 3ºP - 7 8º ano (50+50) 1ºP - 27 2ºP - 26 3ºP - 14 Os grandes

Leia mais

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2014/2015 TURMA 12º I CURSO PROFISSIONAL MULTIMÉDIA PROFESSOR: JOÃO MOTA

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2014/2015 TURMA 12º I CURSO PROFISSIONAL MULTIMÉDIA PROFESSOR: JOÃO MOTA 1º Período 3ºª Feira Módulo 3 JOGOS DESP. COLETIVOSIII (VOLEIBOL) 22 tempos Início16/09/14 Fim: 25/11/14 VOLEIBOL (Módulo 3) Nível Avançado - O aluno: 1. Em exercício 1x1; 3x3 e situação de jogo 4x4 e

Leia mais

INTRODUÇÃO. A educação física é uma disciplina curricular que pedagogicamente bem orientada contribui para o desenvolvimento integral do homem.

INTRODUÇÃO. A educação física é uma disciplina curricular que pedagogicamente bem orientada contribui para o desenvolvimento integral do homem. INTRODUÇÃO O ensino da educação física no 1º nível de ensino joga um papel importante no desenvolvimento das diferentes qualidades físicas, assim como das diversas habilidades motoras dos educandos. Através

Leia mais

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Manual da Formanda drmadorr1manda. Dança Movimento Amalgama

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Manual da Formanda drmadorr1manda. Dança Movimento Amalgama ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Manual da Formanda drmadorr1manda Dança Movimento Amalgama Autor: Amalgama Companhia de Dança (Ana Alexandra Battaglia) Título: Dança Movimento

Leia mais

Animação Sénior. Animação

Animação Sénior. Animação Animação Animar-se ou distrair-se é uma necessidade essencial de todos nós, e aquele que se diverte com uma ocupação agradável com o fim de se descontrair física e psicologicamente consegue satisfazer

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2 º SEMESTRE DE 2015 CAPOEIRA ESCOLA DO SÍTIO / RESPONSÁVEL: MESTRE LU PIMENTA Coordenação das atividades: Ludmila Santos

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2 º SEMESTRE DE 2015 CAPOEIRA ESCOLA DO SÍTIO / RESPONSÁVEL: MESTRE LU PIMENTA Coordenação das atividades: Ludmila Santos RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2 º SEMESTRE DE 2015 CAPOEIRA ESCOLA DO SÍTIO / RESPONSÁVEL: MESTRE LU PIMENTA Coordenação das atividades: Ludmila Santos A CAPOEIRA A capoeira uma expressão cultural que se manifesta

Leia mais

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal O Lúdico na Sala de Aula O lúdico tem vindo a desempenhar um importante papel

Leia mais

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular Ano Lectivo: 2015-2016 Curso: Técnico de Gestão Ano: 11º Turma: Q Disciplina: Educação Física Módulo nº: 7 Data de início: 28/09/2011 TEMA do MÓDULO:

Leia mais

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação.

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação. Colégio Tutto Amore Colégio Sapience Carinho, Amor e Educação. Trabalhamos com meio-período e integral em todos os níveis de ensino. www.tuttoamore.com.br Nossa História No ano de 1993 deu-se o ponto de

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PLANO DE ATIVIDADES 2013 DEZEMBRO 2012 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Os grandes objetivos delineados para o quadriénio 2013-2016, onde se enquadram as atividades a realizar durante o ano de 2013: ACERVOS Inventariação

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA. Parâmetros Gerais

ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA. Parâmetros Gerais ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO FUNDÃO ANO LECTIVO 2011 / 2012 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Plano de unidade didáctica Ginástica acrobática (complemento da

Leia mais

Formação revista e validada por: www.babyogaportugal.com escola@babyogaportugal.com

Formação revista e validada por: www.babyogaportugal.com escola@babyogaportugal.com Formação revista e validada por: A primeira Escola em Portugal especializada na prática de Yoga com bebés, crianças e famílias. Uma Escola inovadora que introduziu esta prática na nossa sociedade pela

Leia mais

Anexo ao Regulamento/ Condições de funcionamento

Anexo ao Regulamento/ Condições de funcionamento Anexo ao Regulamento/ Condições de funcionamento INSCRIÇÕES Documentação a entregar: o Atestado médico: De acordo com o Decreto-Lei n.º 385/99, de 28 de setembro, que declare a inexistência de quaisquer

Leia mais

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social.

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social. EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

Casa do Povo de Óbidos - Creche e Jardim de Infância Ano lectivo de 2011/2012 1

Casa do Povo de Óbidos - Creche e Jardim de Infância Ano lectivo de 2011/2012 1 PROJECTO DE VALÊNCIA DE CRECHE Ano lectivo de 2011/2012 1 Índice 1-INTRODUÇÃO... 1 2-PRINCÍPIOS GERAIS E OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS DA CRECHE... 2 3-ÁREAS DE CONTEÚDO... 4 3.1 - ÁREA DE FORMAÇÃO PESSOAL E

Leia mais

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Unidades Conteúdos Competências Actividades Recursos/Materiais Unidade 1 Unidade 2 Primeira Abordagem lúdica de Sensibilização e exploração do

Leia mais

Metodologias de intervenção:

Metodologias de intervenção: Metodologias de intervenção: Algumas estratégias de intervenção Na intervenção directa com as crianças tenta-se reflectir o clima institucional da Casa da Praia. A dinâmica do funcionamento em Equipa,

Leia mais

ATIVIDADES EDUCATIVAS

ATIVIDADES EDUCATIVAS ATIVIDADES EDUCATIVAS 2014/2015 Be Smart Rua Álvares Cabral, 56 1º andar Sala 2 4400-017 Vila Nova de Gaia Tlf.: 220 160 662 E-mail: besmart.es@gmail.com Website: www.besmart-es.com APRESENTAÇÃO A escola

Leia mais

PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS

PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS PARTE DIVERSIFICADA 2º TRIMESTRE TEMA- CUIDAR DA CASA COMUM LEMA: A FESTA JUNINA RESGATANDO A IDENTIDADE COMUM ATRAVÉS DE DANÇAS TÍPICAS Educadores: Ano/turma: 6º ao 9º anos Vespertino / Matutino Disciplina:

Leia mais

Curso de Formação 1. www.snoezelen-idosos.com 1. Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial

Curso de Formação 1. www.snoezelen-idosos.com 1. Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial Curso de Formação 1 Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial Perspetivas lúdicas e aprendizagens no Snoezelen Objetivo Geral do Curso: Promover a aquisição de conhecimentos sobre

Leia mais

TEMAS e QUANTIDADE DE AULAS. 1. Conceitos de Música - 6 aulas. 2. Criação de Canção - 6 aulas. 3. Pedal e Ostinato - 6 aulas

TEMAS e QUANTIDADE DE AULAS. 1. Conceitos de Música - 6 aulas. 2. Criação de Canção - 6 aulas. 3. Pedal e Ostinato - 6 aulas RELAÇÃO DE AULAS PUBLICADAS NO PORTAL DO PROFESSOR - MEC http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html Colégio de Aplicação da UFRJ Equipe de Música Período: outubro, novembro e dezembro de 2009; maio,

Leia mais

Planificação Anual. Competências Aprendizagens Atividades/Estratégias Avaliação. Registo e produções - Confiança

Planificação Anual. Competências Aprendizagens Atividades/Estratégias Avaliação. Registo e produções - Confiança Planificação Anual Professor: Gabriela Maria R. D. T. L. C. Silva Disciplina: Ano: préescolar Turma: I Ano letivo: 2014-2015 Competências Aprendizagens Atividades/Estratégias Avaliação Facilitar a adaptação

Leia mais

Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC)

Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC) Atividades de Enriquecimento do Currículo (AEC) INTRODUÇÃO: De acordo com o DL 91/2013, artº 14º e os despachos normativos da organização do ano letivo n.s 7 e 7-A/2013 e o recente despacho de organização

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO CENTRO DE FÉRIAS DESPORTIVAS DE VERÃO N OS MOCHOS - 2013 - PROJETO DINAMIZADO PELA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE ESPINHO PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO Espinho, 2 de Maio de 2013 ÍNDICE Página Introdução 3

Leia mais

Comércio Exterior. Cursos Completos

Comércio Exterior. Cursos Completos Comércio Exterior Relação de Cursos Cursos Completos Curso Completo de Comércio Exterior: Este curso inclui o conteúdo de quase todos os cursos que oferecemos na área de comércio exterior. Este curso é

Leia mais

BLOCOS CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES

BLOCOS CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES 1.º PERÍODO PLANIFICAÇÃO DA ATIVIDADE DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR BLOCOS CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES. Reconhecimento da importância das artes plásticas;. Desenvolvimento progressivo das possibilidades

Leia mais

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ARTE-EDUCAÇÃO 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Curso de Especialização Lato Sensu

Leia mais

Aulas de Inglês implementando técnicas de Yoga na Educação (T.Y.E.)

Aulas de Inglês implementando técnicas de Yoga na Educação (T.Y.E.) Aulas de Inglês implementando técnicas de Yoga na Educação (T.Y.E.) Maria Fernanda Teixeira Pinto Hoje em dia as crianças e jovens tem uma vida muito cheia de tarefas e compromissos, correndo de um lugar

Leia mais

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo 1 PROGRAMA DA ESCOLA DE PAIS I. Introdução A escola de pais apresenta-se com um espaço de formação para famílias (preferencialmente famílias de crianças com necessidades especiais), estando igualmente

Leia mais

Relatório de reflexão crítica

Relatório de reflexão crítica Centro de Formação de Associação das Escolas de Matosinhos C304. Abordagem Multidisciplinar do Atletismo Relatório de reflexão crítica Maria Alcina Jorge Almeida Formadores : Mário Paiva e Sara Fernandes

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal Ano de escolaridade: 3.º e 4.º Ano Ano lectivo: 2011/2012 Professor/a da Disciplina:... Agrupamento/Escola:.

Leia mais

Escola Especial Renascer Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Lucas do Rio Verde- MT PROJETO DANÇA TERAPIA

Escola Especial Renascer Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Lucas do Rio Verde- MT PROJETO DANÇA TERAPIA Escola Especial Renascer Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Lucas do Rio Verde- MT PROJETO DANÇA TERAPIA PROFESSORA: ALESSANDRA DOS SANTOS MEIRA LUCAS DO RIO VERDE 2009 1. ESCOLA / PROFESSOR

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS GERAIS Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, a melhoria da

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA 11ª, 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Metodologia do Ensino de Educação

Leia mais

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A DINÂMICA

Leia mais

MASSAGEM DE RELAXAMENTO MUSCULAR

MASSAGEM DE RELAXAMENTO MUSCULAR Holismo" - Doutrina que concebe o indivíduo como um todo que não se explica apenas pela soma das suas partes, apenas podendo ser entendido na sua integridade - in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

Leia mais

COMPETÊNCIAS. Reconhecer a importância das artes visuais como valor cultural indispensável ao desenvolvimento do ser humano.

COMPETÊNCIAS. Reconhecer a importância das artes visuais como valor cultural indispensável ao desenvolvimento do ser humano. COMPETÊNCIAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Ao longo do ensino básico as competências que o aluno deve adquirir em Artes Visuais articulam-se em três eixos estruturantes fruição - contemplação, produção criação,

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA ARTE E EXPRESSIVIDADE Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA ARTE E EXPRESSIVIDADE Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA ARTE E EXPRESSIVIDADE Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Coaching Para a EXCELÊNCIA

Coaching Para a EXCELÊNCIA Coaching Para a EXCELÊNCIA António Santos António Santos Coaching ferramenta que permite elevar o nível de lucidez Mudanças que alargam horizontes. COACHING para a EXCELÊNCIA Mudanças que alargam horizontes.

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

Departamento das Educação Pré-escolar

Departamento das Educação Pré-escolar Departamento das Educação Pré-escolar A melhoria da qualidade das aprendizagens, a avaliação implica, no quadro da relação entre o jardim-de-infância, a família e a escola, uma construção partilhada que

Leia mais

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE Anexo 2 O documento que se apresenta em seguida é um dos que consideramos mais apelativos neste estudo visto ser possível ver Cecília Menano e João dos Santos e a cumplicidade que caracterizou a sua parceria

Leia mais

Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão. Palavras-chave: transição, instrução, empenhamento motor, exemplificação, comunicação.

Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão. Palavras-chave: transição, instrução, empenhamento motor, exemplificação, comunicação. Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão Quinta-feira 05 De Novembro de 2009 Turma: 12ºCSEAV --» Aula do professor estagiário Nuno Rodrigues. Palavras-chave: transição, instrução, empenhamento motor, exemplificação,

Leia mais

Metas de Aprendizagem Pré-escolar Expressões. Introdução

Metas de Aprendizagem Pré-escolar Expressões. Introdução Metas de Aprendizagem Pré-escolar Expressões Introdução A apresentação das metas para as Expressões baseia-se nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar integrando, as Expressões Motora.

Leia mais

PROJETO MÚSICA NA ESCOLA

PROJETO MÚSICA NA ESCOLA Rede Salesiana de Escolas. Entusiasmo diante da vida. PROJETO MÚSICA NA ESCOLA Escola: Nossa Senhora Auxiliadora Níveis de Ensino: Fundamental II Coordenação Pedagógica: Maria das Graças L. N. Ferreira

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Profissional Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de Matemática

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Jesus. EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais

Colégio Sagrado Coração de Jesus. EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais Colégio Sagrado Coração de Jesus EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais 2015 Que neste novo ano cada canto seja abençoado. Que sejamos todos acolhedores e que nos sintamos acolhidos. Queremos renovar nossa

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL A vida é a arte de pintar e sentir a nossa própria história. Somos riscos, rabiscos, traços, curvas e cores que fazem da nossa vida uma verdadeira obra de arte! Autor

Leia mais

ACTIVIDADES DE RELAXAÇÃO

ACTIVIDADES DE RELAXAÇÃO ACTIVIDADES DE RELAXAÇÃO Momentos de bem-estar, a pensar em si. ACAPO Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal Delegação do Algarve Ano 2011 A relaxação actua como um mecanismo regulador das emoções

Leia mais

ENSINO ESPECIAL PLANO PEDAGÓGICO

ENSINO ESPECIAL PLANO PEDAGÓGICO INTRODUÇÃO O nosso Projeto de classes de Ensino Especial com Educadoras, Professores e Técnicos especializados para crianças com NEES, é um projecto de integração dessas crianças no dia-a-dia da comunidade

Leia mais

Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas. Introdução

Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas. Introdução Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas Introdução A Educação Artística no Ensino Básico desenvolve-se em quatro grandes áreas (Expressão Plástica e Educação Visual; Expressão e Educação

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano Anual de Atividades de Animação 2015/2016

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano Anual de Atividades de Animação 2015/2016 Calendarização / Mês Tema Objetivos Responsáveis pela Atividade Outubro Outono - Desenvolver o gosto pelo saber; Halloween - Valorizar diferentes formas de conhecimento, Dia Mundial da Alimentação comunicação

Leia mais

EXPLICOLÂNDIA Centros de Estudo

EXPLICOLÂNDIA Centros de Estudo VERÃO EM GRANDE www.explicolandia.com PÁG: 2 / 8 1. QUEM SOMOS Na EXPLICOLÂNDIA durante o período de férias escolares existe um programa específico que engloba um conjunto de atividades diversificadas

Leia mais

Projeto Clube de Inglês - PCA

Projeto Clube de Inglês - PCA Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-escolar da Nazaré Projeto Clube de Inglês - PCA Ano letivo 2014-2015 Docente: Ana Neves Índice Págs. Introdução.. 3 Objetivos Gerais... 4 Objetivos Específicos... 5 Proposta

Leia mais

Projeto de Música Pop e Rock

Projeto de Música Pop e Rock Projeto de Música Pop e Rock Docentes: Ângelo Cunha Paulo Bispo Teresa Laranjeira Externato Marista de Lisboa Introdução A Música é única para os seres humanos e como as outras artes, é tão básico como

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria Nº 37/2003 de 22 de Maio O Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A, de 12 de Abril, cria o novo regime jurídico para a educação extra-escolar e ensino recorrente.

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS:

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS: INTRODUÇÃO NÍVEL I O Gira-Volei é um jogo de iniciação à modalidade destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 8 e 15 anos, onde através do jogo simplificado (2x2) e utilização do passe faz

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Informação - Prova de Equivalência à Frequência Prova de Equivalência à Frequência de EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 28 Ano de escolaridade: 6º ano (Decreto Lei n.º 139/2012, de 5 de julho e Despacho Normativo

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular/Ciclo: 1º Ciclo Disciplina: Expressões Artísticas e Físico-Motora Ano de escolaridade: 4º ano Ano letivo: 2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala

Leia mais

Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014

Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014 Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014 16 de Julho de 2013 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO... 4 3. OBJECTIVOS DA AVM... 4 3.1. OBJECTIVOS GERAIS... 4 3.2. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS...

Leia mais

18. (Ausência de resposta).

18. (Ausência de resposta). Na sua opinião, a sua formação inicial contemplou de forma adequada o desenvolvimento de competências profissionais na área das Expressões Artísticas? Respostas Categorias 1. (Ausência de resposta). 2.

Leia mais

DESCRIÇÃO MASTERS ALVARO LOPES

DESCRIÇÃO MASTERS ALVARO LOPES DESCRIÇÃO ALVARO LOPES MASTERS HIP HOP FOR EVERYONE Aula caracterizada pelo seu estilo MTV moves, com base em passos de new school, passando pelos estilos mais actuais de hip hop. RAGGA MOOVES Uma aula

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 EBI João Gonçalves Zarco Objectivos pedagógicos e gerais do projecto VITAMINA: Proporcionar um espaço onde as famílias, por razões profissionais

Leia mais

Personal Training. Guia de Curso. Nível III

Personal Training. Guia de Curso. Nível III Guia de Curso Personal Training Nível III Centro Estudos Fitness T.217 901 600 F.217 901 609 Índice Apresentação CEF...... 3 Cursos Nível III:... 3 Personal Training... 3 Publico Alvo... 3 Modalidade de

Leia mais

5º e 6º anos Via A... 4. 5º e 6º anos Via B... 5. 2. Objetivos Curriculares... 6. 3. Prioridades de ação dos Planos Curriculares...

5º e 6º anos Via A... 4. 5º e 6º anos Via B... 5. 2. Objetivos Curriculares... 6. 3. Prioridades de ação dos Planos Curriculares... ÍNDICE 1. Matrizes Curriculares 5º e 6º anos Via A... 4 5º e 6º anos Via B... 5 2. Objetivos Curriculares... 6 3. Prioridades de ação dos Planos Curriculares... 7 4. Horário Letivo... 10 1. MATRIZES CURRICULARES

Leia mais

2º passo: trabalho com a exploração dos Sentidos. Tato Visão Olfato Gustação Audição. 3º passo: trabalho com uma ou mais Linguagens

2º passo: trabalho com a exploração dos Sentidos. Tato Visão Olfato Gustação Audição. 3º passo: trabalho com uma ou mais Linguagens Para que aconteça então a sequência didática os demais passos podem ser encaixados nos horários diários da escola sem nenhuma outra imposição. temos apenas que lembrar que a Sequência aqui apresentada

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) Ano Lectivo 201 / 2016 1 INTRODUÇÃO A prática do canto constitui a base da expressão e educação musical no 1º ciclo. É uma atividade de síntese na

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz xcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl

Leia mais

Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol. Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias

Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol. Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias 1 Posição Básica Ofensiva; Passe (Peito e Picado) /recepção; Drible de Avaliar a prestação motora

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 JI Roberto Ivens

PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 JI Roberto Ivens PROJETO PEDAGÓGICO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ano lectivo 2014/2015 JI Roberto Ivens Objectivos pedagógicos e gerais do projecto VITAMINA: Assegurar o acompanhamento das na educação pré-escolar depois do

Leia mais

Ano Europeu dos Cidadãos

Ano Europeu dos Cidadãos PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES Lar e Centro de Dia Plano de Actividades Intergeracionais 2012 / 2013 Ano Europeu dos Cidadãos Somos diferentes, mas sentimos o mesmo A Comissão Europeia designou o ano de 2013

Leia mais

PROJECTO DE REALIZAÇÃO

PROJECTO DE REALIZAÇÃO APPEUC Associação de Professores de Português dos Estados Unidos e Canadá MONTREAL 2007 13, 14 e 15 de Abril de 2007 no Hotel Auberge Universel em Montreal PROJECTO DE REALIZAÇÃO Comissão Organizadora:

Leia mais

ARTE CIRCENSE E A EDUCAÇÃO

ARTE CIRCENSE E A EDUCAÇÃO ARTE CIRCENSE E A EDUCAÇÃO Magali Deckert Arndt 1 Noemi Boer 2 Marjorie Dariane da Silva Machado³ Ingrid Mello 4 INTRODUÇÃO O teatro é uma das mais antigas manifestações culturais do homem e o tem acompanhado

Leia mais

Índice 2.1. 2.2. 2.3. 2.4.

Índice 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. Índice 1. Introdução... p.2 2. Orientações programáticas do 1º Ciclo do Ensino Básico... p.4 2.1. Finalidades... p.4 2.2. Princípios Orientadores... p.4 2.3. Propostas de operacionalização curricular...

Leia mais

3. OBJETIVO E CONCEPÇÃO DA PROVA

3. OBJETIVO E CONCEPÇÃO DA PROVA Aptidão Dança 1. INTRODUÇÃO O curso de graduação em Dança da Unicamp tem como objetivo formar o Intérprete em Dança, profissional capaz de: contribuir como agente transformador da realidade, ser responsável

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Critérios de Avaliação Educação Pré Escolar Departamento Educação Pré Escolar Ano letivo 2013/2014 A avaliação do processo permite reconhecer a pertinência e sentido

Leia mais

Escola Mangwana. Escolha do local para implementação do Projeto

Escola Mangwana. Escolha do local para implementação do Projeto Escola Mangwana Construção de uma escola comunitária de acesso gratuito, destinada a crianças e jovens desfavorecidos, em Macanda. A escola compreenderá o ensino pré-escolar, primário e secundário completos

Leia mais

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão ENTREVISTA Alfabetização na inclusão Entrevistadora:Amarílis Hernandes Santos Formação: Aluna da graduação de Pedagogia USP Formada em Ciências Biológicas Mackenzie Contato: amarilishernandes@yahoo.com.br

Leia mais

AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA A PARTIR DO DESENHO INFANTIL. Otília Damaris Psicopedagoga

AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA A PARTIR DO DESENHO INFANTIL. Otília Damaris Psicopedagoga AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA A PARTIR DO DESENHO INFANTIL Otília Damaris Psicopedagoga AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA A PARTIR DO DESENHO INFANTIL O desenho é uma das formas de expressão

Leia mais

Ateliers de Verão Câmara Municipal do Barreiro

Ateliers de Verão Câmara Municipal do Barreiro Programação de Actividades Julho 02 (4ª) 15h00 Edifício Américo Marinho Hum! Hum! Hum! Que delícia!, sessão I 04 (6ª) 15h00 Auditório Municipal Augusto Cabrita Atelier de Movimento, sessão I 07 (2ª) 15h00

Leia mais

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA...

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... JUSTIFICATIVA Desde o nascimento a criança está imersa em um contexto social, que a identifica enquanto ser

Leia mais

PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe

PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Disciplina de Educação Física Ficha Técnica Título Programa de Futebol - 10ª Classe Formação de Professores do 1º

Leia mais

A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel

A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel Artigo publicado em: Anais do VI Encontro da ABEM, Recife, 1998. A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel Durante alguns anos ministrei as disciplinas

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE Uma proposta educativa própria de uma instituição e a forma global como se organiza para proporcionar às crianças o desenvolvimento do seu potencial, a experienciá-lo e a vivenciá-lo.

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Artes Sonoras II Área Científica SI Som e Imagem Ciclo de Estudos 1º Ciclo - Licenciatura Carácter: Obrigatória e opcional Ano Lectivo 2008/2009

Leia mais

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio:

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio: Projeto Educativo Creche Humanus C.A.M. 1 de 11 Índice Introdução... 3 Quem somos?...3 As Dimensões do Projeto Educativo Dimensão Global da Criança.. 5 Dimensão Individual.... 6 Dimensão das Aquisições..

Leia mais

8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva

8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva 8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva Manifestações de Arte Popular No Brasil a arte popular é aquela produzida por alguém que não possui uma instrução acadêmica em arte, mas produz obras que contém

Leia mais

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e Planificação 2014/2015 6º ano Educação Musical Núcleos organizadores Interpretação e Comunicação Metas de aprendizagem O aluno decide sobre a aplicação de elementos de dinâmica e agógica na interpretação

Leia mais

O que é? Prof. Claudina Correia. Sextas-feiras 19h30-20h30. Todas as idades EXPERIMENTE!

O que é? Prof. Claudina Correia. Sextas-feiras 19h30-20h30. Todas as idades EXPERIMENTE! Danças e ritmos que despertam o ritmo e as expressões corporais que existem dentro de nós, inspirando o corpo e a alma, onde a música se entrelaça com o dinamismo e alegria de viver. Dançadas individualmente

Leia mais

Apresentação. Questões a serem discutidas 09/12/2014. Resgatando a conversa de ontem... Promoção de atividade física na escola

Apresentação. Questões a serem discutidas 09/12/2014. Resgatando a conversa de ontem... Promoção de atividade física na escola Apresentação Promoção de atividade física na escola Professor da ESEF/UFPel Mestrado e Doutorado em Epidemiologia UFPel GEEAF UFPel Mario R Azevedo Jr GEEAF/ESEF/UFPel Áreas de estudo Educação Física escolar

Leia mais

Departamento de Formação

Departamento de Formação FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BADMINTON Departamento de Formação Documento Orientador de Formação de Treinadores Nível I, II e III Com apoio de: ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 OBJECTIVOS 4 FUNÇÃO DO TREINADOR 4 SISTEMA

Leia mais

PROGRAMA DE GINÁSTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE GINÁSTICA 11ª Classe PROGRAMA DE GINÁSTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Disciplina de Educação Física Ficha Técnica Título Programa de Ginástica - 11ª Classe Formação de Professores do

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014 2015 GRUPO: 110 1.º Ciclo

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014 2015 GRUPO: 110 1.º Ciclo ATIVIDADE Recepção aos alunos do 1ºano CALENDARIZAÇÃO Promover uma boa integração na escola, explicando e mostrando, ao pormenor, as instalações e a dinâmica da escola. 1º ano ATIVIDADE Receção aos alunos

Leia mais

TAI CHI CHUAN CARTA DE APRESENTAÇÃO À APMP

TAI CHI CHUAN CARTA DE APRESENTAÇÃO À APMP CARTA DE APRESENTAÇÃO À APMP APRESENTAÇÃO A Qualidade de Vida é importante para a manutenção da saúde e da paz, pois, quando um ser está bem consigo, gera ao seu redor um clima de tranqüilidade e bem-estar

Leia mais

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO Sobre o curso: A criatividade, produtividade e a estabilidade emocional são a base para o progresso de qualquer natureza, mas, infelizmente, a rotina, responsabilidades

Leia mais