ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS"

Transcrição

1 ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS Bicudo, S.D.*; Azevedo, H.C.; Silva Maia, M.S.; Sousa, D.B.; Rodello, L. DRARV - FMVZ UNESP Botucatu - Características reprodutivas da espécie ovina A espécie ovina é caracterizada por apresentar um intervalo entre gerações muito curto. A puberdade pode ser desencadeada em algumas raças no quatro mês de idade. A gestação é de apenas cinco meses e o puerpério se completa entre 35 e 60 dias. Nas raças com aptidão para a produção de carne a terminação dos cordeiros destinados ao abate pode ser alcançada entre 60 e 90 dias de idade. Alem disso o ciclo estral se caracteriza por um intervalo interestro de 16 dias. O estro, com duração aproximada de 30 horas apresenta como característica a ocorrência da ovulação em seu terço final. A estacionalidade reprodutiva típica da espécie é mais marcante em raças produtoras de lã e menos em raças lanadas especializadas em produção de carne e praticamente inexistente em raças deslanadas. Independente da especialização ou raça, no hemisfério Sul a época mais favorável a reprodução da espécie ocorre nos meses de outono de março a maio. O sêmen do carneiro O ejaculado do ovino é caracterizado por volume em torno de um a dois mililitros e total de espermatozóides ejaculados variando entre dois e seis bilhões. Não raramente constata-se no carneiro saudável alta motilidade com 80% ou mais de células com movimento retilíneo progressivo. As características de cinética e morfologia espermáticas são semelhantes a dos demais ruminantes. Para aplicações biotecnológicas o sêmen ovino é facilmente obtido por meio de vagina artificial, não requerendo condicionamento prévio dos reprodutores. Modalidades de inseminação A adoção e viabilização da técnica de I.A. exigem um módulo mínimo do rebanho para que haja retorno econômico adequado. Em todos os casos deve-se

2 questionar se a monta natural, não é a opção que melhor atende aos interesses econômicos e do programa de melhoramento genético a ser implementado. Deve-se levar em conta que a I.A. exige requisitos mínimos de intensificação de manejo reprodutivo e condições mínimas devem ser atendidas. A escolha da modalidade de inseminação depende fundamentalmente da sua adequação ao nível tecnológico do rebanho. A utilização de sêmen a fresco ou refrigerado, apresenta como característica requerer um maior volume de trabalho quando comparada à monta natural, representada pela detecção do estro das ovelhas a serem inseminadas, a colheita, avaliação e manipulação do sêmen e o ato com contenção individualizadas das ovelhas. A refrigeração permite a utilização do sêmen por até 24 horas após sua colheita, com excelente resultado de fertilidade, com isso torna possível seu transporte, desde que se utilizem dispositivos isotérmicos adequados a este fim. Meios diluidores são indispensáveis à criopreservação por refrigeração, sendo a proporção de diluição desejável de 1:1 a 1:2 (v:v). Diluições acima desse patamar geralmente resultam em baixa densidade final da mistura, o que implica em maior risco de refluxo nas inseminações cervicais superficiais. A dose inseminante deve conter entre 150 e 200 milhões de espermatozóides viáveis o que resulta na possibilidade de inseminação de 15 a 30 ovelhas com um único ejaculado. A principal exigência diferencial entre a utilização do sêmen a fresco ou refrigerado, refere-se ao maior conhecimento e rigor técnico quando da refrigeração do sêmen. As I.A. com sêmen fresco ou refrigerado ao serem comparadas a com sêmen congelado, apresentam maiores chances de popularização, por requererem técnicas menos sofisticadas de deposição do sêmen no genital feminino, requerem equipamentos menos onerosos e menor rigor na cronologia do momento de inseminação. Deve-se levar em conta que a utilização de sêmen congelado possibilita uma maior pressão de seleção permitindo obter-se maior impacto sobre os programas de melhoramento genético e na dependência do estádio tecnológico do rebanho esta vantagem supera em muito as restrições técnicas impostas à sua utilização. A criopreservação do sêmen ovino Os princípios e técnicas a serem utilizadas na criopresevação do sêmen ovino se equivalem as dos demais ruminantes domésticos. Cada espécie possui composição seminal distinta, havendo ainda peculiaridades quanto a composição e sensibilidade das

3 membranas espermáticas ao processo de criopreservação. Algumas modificações se fazem necessárias visando-se atender a estas particularidades. Foram constatados alguns efeitos mais contundentes impostos pela congelação sobre os espermatozóides ovinos caracterizados por modificação da atividade respiratória, criocapacitação em larga escala, modificação da interação com as células do oviduto e suspeita-se que pode haver pequeno incremento nas taxas de mortalidade de embriões obtidos com espermatozóides criopreservados. Todos estes efeitos resultam na necessidade de se depositar os espermatozóides criopreservados intra-uterinamente e em um momento adequado em relação à ovulação. Esses pontos críticos têm merecido a atenção de inúmeros grupos de pesquisa em todo mundo, para o incremento nos resultados da I.A, que já atingiram patamares de excelência e flexibilização das técnicas de deposição do sêmen no genital da ovelha, como alternativa a realização das laparoscopias. As técnicas de Inseminação A ovelha apresenta excelente competência no fechamento do canal cervical, decorrente do maior pregamento cervical interno determinando a formação de quatro a seis constrições (anéis) com intenso desalinhamento entre eles dificultando a transposição cervical por aplicadores de sêmen mesmo durante a vigência do estro. Há marcante diferença entre as raças ovinas quanto à possibilidade de transposição transcervical. Diversas técnicas de têm sido propostas, porém a eficiência das manobras tem sido inconstante e principalmente as taxas de prenhez empregando sêmen congelado apresentam-se inferiores aos da inseminação por laparoscopia. As inseminações envolvendo sêmen fresco ou resfriado são feitas pela técnica cervical superficial, empregando-se um especulo com fonte de luz que permita visualização e reconhecimento da abertura vaginal da cérvix e deposição no início do canal cervical de 100 a 150 microlitros de sêmen in natura ou diluído conforme discutido anteriormente. A colonização e longevidade espermáticas no genital da ovelha são suficientemente eficientes para permitirem a flexibilização do momento da inseminação, tanto que é possível empregar-se rufiação noturna com um turno de inseminações pela manhã. O emprego do sêmen congelado requer inseminação intrauterina e mundialmente a técnica de eleição é a laparoscópica, por apresentar maior repetibilidade de resultados.

4 Diversas técnicas de transposição cervical possibilitam a deposição do sêmen no interior do útero, porém os resultados nem sempre comparáveis aos da laparoscopia permitem inferir-se hipóteses de que a manipulação cervical pode induzir efeitos ainda não conhecidos sobre a eficiência das inseminações. Especula-se ainda a existência de fatores de interação entre a inseminação por via trans-cervical e os padrões qualitativos da dose inseminante. O relaxamento cervical pelo emprego de fármacos como a prostaglandina do grupo E ou mesmo ocitocina, embora com eficiência demonstrada na literatura científica, ainda não é adotado em trabalhos rotineiros. Como biotécnica associada indissociável a inseminação artificial empregando sêmen congelado está a indução/ sincronização do estro. Dos métodos disponíveis para este fim encontram-se o efeito macho e o flushing alimentar, mas o mais eficiente é aquele que emprega fármacos, pois permite controle eficaz do momento ovulatório. O uso de dispositivos vaginais impregnados com progesterona natural ou sintética por 12 a 14 dias, associados a aplicação de gonadotrofina coriônica eqüina (ecg) entre 250 a 500UI no momento da retirada do dispositivo, permite grande eficiência na ocorrência do estro e agrupamento do momento ovulatório das ovelhas. As inseminações por laparoscopia são realizadas de maneira sistemáticas entre 55 e 60 horas após a retirada dos dispositivos vaginais e aplicação do ecg, de maneira a constituir-se num sistema de inseminação artificial em tempo pré-estabelecido (IATF) com uso consagrado na espécie ovina a décadas. Considerações finais A aplicação de biotecnologia da reprodução na espécie ovina, principalmente aquelas relacionadas a I.A., permitem aliar a intensificação do manejo à precocidade potencial da espécie além de maximizar a utilização de reprodutores de alto mérito genético promovendo adequação ao seu valor econômico. Bibliografia Bicudo, S.D., Sousa, D.B., Takada, L., Possibilidades e limitações da inseminação com sêmen ovinorefrigerado. Rev.Bras.deReprod.Anim. v.27, p.120-7, Gillan, L.; Maxwell, W.M.C.; Evans, G. Current state in semen preservation. Reprod Fert Dev 16(4):447-54, 2004

5 Moraes, J.C.F., Souza, C.J.H., Gonçalves, P.B.D. Controle do estro e da ovulação em bovinos e ovinos. IN: Gonçalves, P.B.D., Figueiredo, J.R., Freitas, V.J.F. Biotécnicas aplicadas à rerodução animal. Varela, São Paulo, 2002, p Salamon, S., Maxwell, W.M.C. Storage of ram semen. Anim.Reprod.Sci, v.62. p , Wulster-Rradcliffe, M.C.; Lewis, G.S. Transcervical artificial insemination in sheep. Theriogenology, 62: , 2004.

V Seminário de Iniciação Científica e Pós-Graduação da Embrapa Tabuleiros Costeiros 110

V Seminário de Iniciação Científica e Pós-Graduação da Embrapa Tabuleiros Costeiros 110 V Seminário de Iniciação Científica e Pós-Graduação da Embrapa Tabuleiros Costeiros 110 Reconcentração do sêmen congelado de carneiros por centrifugação: efeito sobre a ocorrência de refluxo da dose inseminante

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM OVINOS: RELATO DE CASO

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM OVINOS: RELATO DE CASO SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM OVINOS: RELATO DE CASO ZANATTA, Giliardi 1 ; CORSETTI, Angel 1 ;SOUZA, Déborah Andrade¹;BORGES, Luiz F.K 2. Palavras-chave: Acetato

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL Caroline

Leia mais

O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas

O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas ISSN 0100-8625 O Emprego da Inseminação Artificial nas Ovelhas 25 Bagé, RS Junho, 2002 Autor José Carlos Ferrugem Moraes Méd. Vet., Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Caixa Postal 242, Bagé, RS,

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS Prof. Dr. Jurandir Ferreira da Cruz Eng. Agr. Rita de Cássia Nunes Ferraz Introdução A eficiência da produção de um rebanho está diretamente relacionada com o número

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO

RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO RESPOSTAS REPRODUTIVAS DE OVELHAS SUBMETIDAS A PROTOCOLOS DE INDUÇÃO DE ESTRO DE CURTA E LONGA DURAÇÃO Josilaine Aparecida da Costa Lima 1 ; Aya Sasa 2 1 Acadêmica do curso de Zootecnia da UEMS, Unidade

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Manejo reprodutivo de caprinos Qual a importância de um bom manejo reprodutivo? Determina a eficiência do sistema de produção Estacionalidade

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos

Leia mais

EFEITO DAS TÉCNICAS TRANSCERVICAL E LAPAROSCÓPICA SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE OVELHAS INSEMINADAS EM TEMPO-FIXO

EFEITO DAS TÉCNICAS TRANSCERVICAL E LAPAROSCÓPICA SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE OVELHAS INSEMINADAS EM TEMPO-FIXO EFEITO DAS TÉCNICAS TRANSCERVICAL E LAPAROSCÓPICA SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE OVELHAS INSEMINADAS EM TEMPO-FIXO VIVIANE ROHRIG RABASSA, 1 VINÍCIUS COITINHO TABELEÃO, 2 LUIZ FRANCISCO MACHADO PFEIFER, 3

Leia mais

Biotecnologias Reprodutivas em Felinos. Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br

Biotecnologias Reprodutivas em Felinos. Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br Biotecnologias Reprodutivas em Felinos Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br INTRODUÇÃO Cães e gatos além de considerados animais de estimação são também modelos comparativos importantes

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL EM OVINOS

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL EM OVINOS INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL EM OVINOS TOMA, Hugo Shisei 1 ; LANDIM-ALVARENGA, Fernanda Cruz 2 ; MONTEIRO, Claudia Dias 2 1 Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária

Leia mais

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais

Archives of Veterinary Science v.5, p.35-39, 2000 Printed in Brazil ISSN: 1517-784X

Archives of Veterinary Science v.5, p.35-39, 2000 Printed in Brazil ISSN: 1517-784X Printed in Brazil ISSN: 1517-784X INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INTRAUTERINA E CERVICAL EM UTILIZANDO SÊMEN REFRIGERADO (Intrauterine and cervical artificial insemination in sheep using cooled semen) MILCZEWSKI,

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM SUINOS RELATO DE CASO ÁVILA, Francielly Castro de 1 ; COPETTI, Gabriel Pissinin¹; HENKES, Thalis¹; GARLET, Ricardo¹; MUNCHEM, Gustavo Ruan¹; KAISER, Vagner Ventura¹; BORGES, Luiz

Leia mais

ISSN 1517-5111 Maio, 2006 156. Inseminação Artificial em Ovinos

ISSN 1517-5111 Maio, 2006 156. Inseminação Artificial em Ovinos ISSN 1517-5111 Maio, 2006 156 Inseminação Artificial em Ovinos ISSN 1517-5111 Maio, 2006 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA).

PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA). PLANO DE ENSINO Unidade: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ (UFPA) / EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL / UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA). Curso: MESTRADO EM CIÊNCIA ANIMAL ( ) ESPECIALIZAÇÃO ( x ) MESTRADO

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada.

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada. !"#"! $"%!! Introdução Durante sua evolução, os ovinos e os caprinos desenvolveram alternativas reprodutivas para assegurar o nascimento de suas crias nos períodos de maior fartura de água e alimentos.

Leia mais

Palavras-chave Key-words: 1. Introdução 2. Inseminação ovina com sêmen refrigerado 2.1. Meios diluidores:

Palavras-chave Key-words: 1. Introdução 2. Inseminação ovina com sêmen refrigerado 2.1. Meios diluidores: POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES DA INSEMINAÇÃO COM SÊMEN OVINO REFRIGERADO E BIOTÉCNICAS ASSOCIADAS COMO ESTRATÉGIAS DE INTENSIFICAÇÃO DO MANEJO REPRODUTIVO Bicudo, S.D.; Sousa, D.B.; Takada, L. Faculdade

Leia mais

Indução e sincronização de cio em caprinos

Indução e sincronização de cio em caprinos Indução e sincronização de cio em caprinos Plínio de Oliveira FASSIO 1 ; Larissa de Oliveira FASSIO 2 ; Angélica Campos MARTINS 3 ; Claudiane de Assis SOUZA 3 ; Vanessa Daniela Lázara de ASSIS 3 ; André

Leia mais

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Introdução Brasil -> Nordeste Maior Produtor II)Canindé - Leite I)Boer - Carne III)Saanen - Leite Retirado de: www.caprilproduction.com Manejo Reprodutivo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PLANO DE AULA 01. DADOS PROFESSOR: EVELYN RABELO ANDRADE ÁREA / DISCIPLINA: BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO (VET30066) UNIDADE: ROLIM DE MOURA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 80 HORAS CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 HORAS

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

AULA DE RUFIÕES. Prof. Emerson Antonio Contesini Disciplina de Técnica Cirúrgica Faculdade de Veterinária - UFRGS

AULA DE RUFIÕES. Prof. Emerson Antonio Contesini Disciplina de Técnica Cirúrgica Faculdade de Veterinária - UFRGS AULA DE RUFIÕES Prof. Emerson Antonio Contesini Disciplina de Técnica Cirúrgica Faculdade de Veterinária - UFRGS DEFINIÇÃO É o animal utilizado para controle de matrizes no estro, com machos preparados

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Um dos diferenciais da Tecnopec é desenvolver e apoiar pesquisas visando obter protocolos

Leia mais

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO I Mostra de Iniciação Científica I MIC 30/09 e 01/10 de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA MEDICINA VETERINÁRIA VITRIFICAÇÃO

Leia mais

KAREN MARTINS LEÃO TÉCNICAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

KAREN MARTINS LEÃO TÉCNICAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL KAREN MARTINS LEÃO TÉCNICAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL BOTUCATU 2003 KAREN MARTINS LEÃO TÉCNICAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Monografia realizada durante a disciplina Seminários II do Programa de Pósgraduação

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICAL EM CÃES REVISÃO ARTIFICAL INSEMINATION IN DOGS - REVIEW

INSEMINAÇÃO ARTIFICAL EM CÃES REVISÃO ARTIFICAL INSEMINATION IN DOGS - REVIEW INSEMINAÇÃO ARTIFICAL EM CÃES REVISÃO ARTIFICAL INSEMINATION IN DOGS - REVIEW MONTANHA, Francisco Pizzolato Docente do curso de Medicina Veterinária da FAMED/ACEG Garça/SP. E-mail: faef.estagio@gmail.com

Leia mais

CONTROLE DO CICLO ESTRAL EM CAPRINOS: REVISÃO

CONTROLE DO CICLO ESTRAL EM CAPRINOS: REVISÃO CONTROLE DO CICLO ESTRAL EM CAPRINOS: REVISÃO [Control of the estrous cycle in goats: review] Keilla Moreira Maia 1 Ana Carla Diógenes Suassuna Bezerra 2,* Laboratório de Conservação de Germoplasma Animal,

Leia mais

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas.

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas. PROGRAMA PARA O CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DAS VAGAS PARA O CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO, EDITAL Nº 764, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015, NA ÁREA DE REPRODUÇÃO ANIMAL 1) FÊMEA - PARTE TEÓRICA: 1.1 Revisão

Leia mais

MÉTODOS E TÉCNICAS PARA VIABILIZAR A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL COM SÊMEN CONGELADO EM OVINOS

MÉTODOS E TÉCNICAS PARA VIABILIZAR A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL COM SÊMEN CONGELADO EM OVINOS HYMERSON COSTA AZEVEDO MÉTODOS E TÉCNICAS PARA VIABILIZAR A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL COM SÊMEN CONGELADO EM OVINOS Monografia apresentada à disciplina Seminários I, do Programa de Pós-graduação

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS

Leia mais

RUTE MARIA DE PAULA OLIVEIRA COMPORTAMENTO SEXUAL DE CABRAS TOGGENBURG DURANTE A ESTAÇÃO REPRODUTIVA APÓS LUTEÓLISE NATURAL OU INDUZIDA

RUTE MARIA DE PAULA OLIVEIRA COMPORTAMENTO SEXUAL DE CABRAS TOGGENBURG DURANTE A ESTAÇÃO REPRODUTIVA APÓS LUTEÓLISE NATURAL OU INDUZIDA RUTE MARIA DE PAULA OLIVEIRA COMPORTAMENTO SEXUAL DE CABRAS TOGGENBURG DURANTE A ESTAÇÃO REPRODUTIVA APÓS LUTEÓLISE NATURAL OU INDUZIDA Dissertação apresentada à Universidade Federal de Minas Gerais, como

Leia mais

PIOMETRA: TÉCNICAS CIRÚRGICAS E CLÍNICAS PARA O TRATAMENTO.

PIOMETRA: TÉCNICAS CIRÚRGICAS E CLÍNICAS PARA O TRATAMENTO. PIOMETRA: TÉCNICAS CIRÚRGICAS E CLÍNICAS PARA O TRATAMENTO. BOCARDO, Marcelo HAMZÈ, Abdul L. Discentes de Medicina Veterinária FAMED- GARÇA ZAPPA, Vanessa Doscente de Medicina Veterinária FAMED- GARÇA.

Leia mais

DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE

DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE-CAMPUS CONCÓRDIA DESEMPENHO REPRODUTIVO DE UM REBANHO OVINO DA RAÇA TEXEL NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE RODRIGO KRAMER RODRIGUES- Aluno do curso de M. Veterinária

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução Programa Analítico de Disciplina Departamento de Veterinária - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal Períodos

Leia mais

Criopreservação de sêmen. Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta

Criopreservação de sêmen. Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta Criopreservação de sêmen Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta Sumário 1. Introdução 2. Criopreservação de sêmen 3. Efeito da criopreservação 1. No metabolismo dos espermatozoides 2. Na ultra- estrutura dos espermatozoides

Leia mais

AUMENTO DA ASSINALAÇÃO DE CORDEIROS:

AUMENTO DA ASSINALAÇÃO DE CORDEIROS: CENTRO DE ESTUDOS DE PEQUENOS RUMINANTES AUMENTO DA ASSINALAÇÃO DE CORDEIROS: Luiz Alberto O. Ribeiro Departamento de Medicina Animal Faculdade de Veterinária Porto Alegre / BRASIL Causas do baixo desempenho

Leia mais

Estratégias de manejo reprodutivo em ovinos criados nos trópicos

Estratégias de manejo reprodutivo em ovinos criados nos trópicos UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Disciplina: SEMINÁRIOS APLICADOS Estratégias de manejo reprodutivo em ovinos criados nos trópicos

Leia mais

RECURSO DIDÁTICO ALTERNATIVO PARA AULAS PRÁTICAS DE MEDICINA VETERINÁRIA: FISIOPATOLOGIA DA REPRODUÇÃO E OBSTETRÍCIA

RECURSO DIDÁTICO ALTERNATIVO PARA AULAS PRÁTICAS DE MEDICINA VETERINÁRIA: FISIOPATOLOGIA DA REPRODUÇÃO E OBSTETRÍCIA RECURSO DIDÁTICO ALTERNATIVO PARA AULAS PRÁTICAS DE MEDICINA VETERINÁRIA: FISIOPATOLOGIA DA REPRODUÇÃO E OBSTETRÍCIA Matter, Fabiano de Lima¹; Lenoch, Robert²; Milczewski, Viviane³; Oliveira Júnior, Juahil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISCIPLINA: ZOO 003U - TÓPICOS ESPECIAIS EM ZOOTECNIA - Avanços em reprodução de bovinos de corte

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Chronogest CR, 20 mg, esponja vaginal de libertação controlada para ovinos.

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Chronogest CR, 20 mg, esponja vaginal de libertação controlada para ovinos. RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Chronogest CR, 20 mg, esponja vaginal de libertação controlada para ovinos. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada esponja

Leia mais

SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste

SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste SANTA INÊS: Uma boa alternativa para a produção intensiva de carne de cordeiros na região Sudeste INTRODUÇÃO Mauro Sartori Bueno Eduardo Antonio da Cunha Luiz Eduardo dos Santos Cecília José Veríssimo

Leia mais

[CICLO ESTRAL (CIO) NAS CADELAS]

[CICLO ESTRAL (CIO) NAS CADELAS] [CICLO ESTRAL (CIO) NAS CADELAS] Somente as cadelas possuem ciclo estral e os machos sentem se atraídos pelas que estão no cio; 2 Ciclo estral (cio) nas cadelas O início dos cios nas cadelas sadias ocorre

Leia mais

Importância do cachaço. Manejo do cachaço. Funções do cachaço. Preparação de cachaços jovens. Causas de impotência coeundi

Importância do cachaço. Manejo do cachaço. Funções do cachaço. Preparação de cachaços jovens. Causas de impotência coeundi Disciplina AZ044 - Suinocultura Manejo do cachaço Prof. Marson Bruck Warpechowski Importância do cachaço Eficiência reprodutiva: precocidade sexual, ritmo reprodutivo, raças e cruzamentos, alimentação,

Leia mais

CLAUDINO MATOS. Pastor, pastorinho, onde vais sozinho? Vou àquela serra buscar uma ovelha.

CLAUDINO MATOS. Pastor, pastorinho, onde vais sozinho? Vou àquela serra buscar uma ovelha. Pastor, pastorinho, onde vais sozinho? Vou àquela serra buscar uma ovelha. Porque vais sozinho, pastor, pastorinho? Não tenho ninguém que me queira bem. Não tens um amigo? Deixa-me ir contigo. Eugénio

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE Prof. Adelmo Ferreira de Santana Caprinocultura e Ovinocultura E-mail afs@ufba.br Departamento de Produção Animal Escola de Medicina Veterinária

Leia mais

Otimização da Eficiência Reprodutiva em Caprinos e Ovinos

Otimização da Eficiência Reprodutiva em Caprinos e Ovinos Otimização da Eficiência Reprodutiva em Caprinos e Ovinos Jeferson Ferreira da Fonseca (1) (1) Embrapa Caprinos, CP D1, CEP 6211-97, Sobral CE, Brasil, jeferson@cnpc.embrapa.br Introdução A eficiência

Leia mais

CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES

CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES CRUZAMENTOS NA OVINOCULTURA TROPICAL. PRÍNCIPIOS, PRÁTICAS E RECOMENDAÇÕES Autor: Arnaldo Dantas B. Neto Médico Veterinário, Especialista em Gestão de Negócios, Coordenador do Programa de Melhoramento

Leia mais

Manual de Inseminação. Artificial em Tempo Fixo. (IATF) em gado leiteiro.

Manual de Inseminação. Artificial em Tempo Fixo. (IATF) em gado leiteiro. Manual de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) em gado leiteiro. Introdução: As vacas leiteiras, durante a lactação, apresentam características fisiológicas particulares que diferenciam o comportamento

Leia mais

ASPECTOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL UTILIZANDO SÊMEN FRESCO OU CONGELADO EM OVINOS DA RAÇA SANTA INÊS ELISANGELA CARDOSO

ASPECTOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL UTILIZANDO SÊMEN FRESCO OU CONGELADO EM OVINOS DA RAÇA SANTA INÊS ELISANGELA CARDOSO ASPECTOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL UTILIZANDO SÊMEN FRESCO OU CONGELADO EM OVINOS DA RAÇA SANTA INÊS ELISANGELA CARDOSO ITAPETINGA - BAHIA 2008 ELISANGELA CARDOSO ASPECTOS TÉCNICOS

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

Escolha de Reprodutrizes

Escolha de Reprodutrizes UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Escolha de Reprodutrizes Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA

SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA SINCRONIZAÇÃO DE OVULAÇÃO COMO ESTRATÉGIA PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE FÊMEAS BOVINAS, EM LARGA ESCALA José Luiz Moraes Vasconcelos e Mauro Meneghetti DPA FMVZ UNESP, Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br

Leia mais

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE Éder Augusto Gonçalves 1 ; Fábio Luiz Bim Cavalieri 2 ; José Mauricio Gonçalves

Leia mais

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Controle Hormonal da Gametogênese Feminina Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Ovários Formato

Leia mais

Prof. José Antonio Ribas

Prof. José Antonio Ribas 1 CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM EQUINOS Prof. José Antonio Ribas 2 INTRODUÇÃO Viabilidade da criação de cavalos = sucesso na reprodução Industria do cavalo - movimenta cerca de R$

Leia mais

Parâmetros utilizados na avaliação do sêmen congelado ovino para inseminação laparoscópica

Parâmetros utilizados na avaliação do sêmen congelado ovino para inseminação laparoscópica Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. v.37 n.2 São Paulo 2000 doi: 10.1590/S1413-95962000000200010 Parâmetros utilizados na avaliação do sêmen congelado ovino para inseminação laparoscópica Parameters to evaluate

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozoides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e ocorrer a fecundação. Espermicidas

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA ZANATTA, Guilherme Machado 1 ; SCHEEREN, Verônica Flores da Cunha 2 ; ARAUJO, Laurence Boligon de 3; PESSOA, Gilson Antônio 4 ; RUBIN, Mara

Leia mais

Universidade Paulista UNIP INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM CAPRINOS. São Paulo 2003 Adriana Paula Muniz

Universidade Paulista UNIP INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM CAPRINOS. São Paulo 2003 Adriana Paula Muniz 1 Universidade Paulista UNIP INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM CAPRINOS São Paulo 2003 Adriana Paula Muniz 2 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM CAPRINOS Monografia apresentada como exigência parcial para obtenção do título

Leia mais

PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1

PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1 Ciência Animal Brasileira 4(1): 61-67, jan./jun. 03 6 1 PARÂMETROS REPRODUTIVOS DE MATRIZES SUÍNAS INSEMINADAS COM SÊMEN DILUÍDO EM ÁGUA DE COCO APÓS MONITORAMENTO ULTRA-SONOGRÁFICO TRANSCUTÂNEO 1 EDNA

Leia mais

Cenários futuros para a produção de bovinos e ovinos no Sul do Brasil. segunda-feira, 13 de junho de 2011

Cenários futuros para a produção de bovinos e ovinos no Sul do Brasil. segunda-feira, 13 de junho de 2011 Cenários futuros para a produção de bovinos e ovinos no Sul do Brasil 1 Predição ou cartomancia? População humana e de bovinos e ovinos criados na Região Sul do Brasil 30000000 22500000 15000000 7500000

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Manipulação do ciclo estral em ovinos Roseane Pinto Martins de Oliveira 1 e Franklyn

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas INFLUÊNCIA DA CONDIÇÃO CORPORAL E CATEGORIA REPRODUTIVA NAS TAXAS DE GESTAÇÃO DE VACAS NELORE SUBMETIDAS À PROTOCOLO DE IATF, NA REGIÃO DA AMAZÔNIA LEGAL. TOLEDO, G.A. ¹ ; RIBEIRO, A.P.C.²; RIBEIRO, G.M.³

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAUÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAUÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAUÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA Inseminação artificial em ovinos José Ailton de Oliveira Lucena 2010

Leia mais

BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA. Biotecnologia

BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA. Biotecnologia BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA Biotecnologia O que é isso??? É qualquer técnica que utilize organismos vivos ou suas partes, para fazer ou modificar produtos, melhorar plantas ou animais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA Inseminação artificial em caprinos Renato Dias Maia 2010 UNIVERSIDADE

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

EDITAL Nº 02 CONCURSO DE MONITORIA

EDITAL Nº 02 CONCURSO DE MONITORIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº 02 - O Departamento de Reprodução e Avaliação Animal do Instituto de Zootecnia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Leia mais

Sêmen refrigerado e congelado para inseminação artificial em ovinos

Sêmen refrigerado e congelado para inseminação artificial em ovinos UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Disciplina: SEMINÁRIOS APLICADOS Sêmen refrigerado e congelado para inseminação artificial em

Leia mais

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE

EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE EMPREGO DE IATF (INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO) COMO ALTERNATIVA NA REPRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE INFORZATO, Guilherme Repas SANTOS, William Ribeiro Martins dos CLIMENI, Bruno Santi Orsi DELLALIBERA,

Leia mais

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil Revista Ovinos, Ano 4, N 12, Porto Alegre, Março de 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil João Garibaldi Almeida Viana 1 Os ovinos foram uma das primeiras espécies de animais domesticadas

Leia mais

Sincronização do estro, indução da ovulação e fertilidade de ovelhas deslanadas após tratamento hormonal com gonadotrofina coriônica eqüina

Sincronização do estro, indução da ovulação e fertilidade de ovelhas deslanadas após tratamento hormonal com gonadotrofina coriônica eqüina Sincronização do estro, indução da ovulação e fertilidade de ovelhas... Sincronização do estro, indução da ovulação e fertilidade de ovelhas deslanadas após tratamento hormonal com gonadotrofina coriônica

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS

UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO PÓS-GRADUAÇÃO EM REPRODUÇÃO E PRODUÇÃO EM BOVINOS UTILIZAÇÃO DE GnRH COMO EFEITO SOMATÓRIO NA INDUÇÃO DE OVULAÇÃO DE BOVINOS MATHEUS GUAPO PAVARINA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SP

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL

AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL JOÃO GARIBALDI ALMEIDA VIANA; VICENTE C. P. SILVEIRA; ADRIANA FERREIRA VARGAS; UFSM SANTA MARIA - RS - BRASIL joaogaribaldi@brturbo.com.br

Leia mais