Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros"

Transcrição

1 Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG)

2 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos do controle reprodutivo.

3 3/35 Controle nervoso Controle das funções orgânicas Impulsos elétricos Controle rápido Controle endócrino Controle das funções orgânicas Mensageiros químicos ou hormônios Controle lento

4 4/35 Objetivos do capítulo Discutir os conceitos de hormônios, bem como seus tipos e modos regulatórios; Discutir a anatomia funcional das glândulas endócrinas e seus principais hormônios envolvidos no controle reprodutivo das fêmeas bovinas; Discutir a importância do eixo-hipotalâmico-hipofisário-gonadal na regulação hormonal reprodutiva; Descrever a cronologia da ocorrência da puberdade em fêmeas bovinas; Descrever os eventos celulares e endócrinos durante a foliculogênese, maturação oocitária e ovulação, bem como a regulação hormonal e sua importância na fisiologia reprodutiva dos bovinos; Discutir a endocrinologia do ciclo estral das fêmeas bovinas.

5 5/35 Conceito de hormônio Substância química, fisiológica e orgânica Glândula endócrina sem ducto Corrente sanguínea Estimular, inibir ou regular Órgão ou tecido-alvo Exemplos de exceções: útero e hipotálamo.

6 6/35 Tipos de hormônios Hormônios Peptídicos Esteroides Ác. Graxos Aminas FSH, LH E OCITOCINA E2 e P4 PGF2α MELATONINA

7 7/35 Comunicação intercelular PGF2α Andrógenos FSH

8 8/35 Regulação da secreção hormonal Feedback ou Retroalimentação Positiva

9 9/35 Regulação da secreção hormonal Feedback ou Retroalimentação Negativa

10 10/35 Regulação da secreção hormonal Complexo Hipotálamo-Hipófise

11 11/35 Outros mecanismos de regulação Reflexo imunoendócrino Reflexo neuroendócrino Reflexo da descida do leite

12 12/35 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS Hipotálamo Hipófise Anterior Posterior Intermediário Núcleos hipotalâmicos e hipofisários

13 13/35 Hormônios hipotalâmicos Hormônio Órgão secretor Órgão-alvo Principal ação GnRH Hipotálamo Hipófise anterior Secreção de FSH e LH PIF Hipotálamo Hipófise anterior Inibe a secreção de PRL PRF (TRH) Hipotálamo Hipófise anterior Secreção de PRL Ocitocina Hipotálamo Glândula mamária Liberação do leite

14 14/35 Hormônios hipofisários Hormônio Órgão secretor Órgão-alvo Principal ação Prolactina Hipófise anterior Glândula mamária Favorece a lactação FSH Hipófise anterior Folículo ovariano Maturação folicular LH Hipófise anterior Ovário Ovulação, manutenção do CL e maturação oocitária

15 15/35 Meia-vida das gonadotrofinas Hormônio PM (Dáltons) Glicídios (%) Ácido Siálico (%) Meia-vida (horas) LH ,5 FSH hcg ,5 11 ecg ,4 26

16 16/35 Cortisol Hipotálamo + Estresse GnRH CRH Hipófise anterior FSH e LH - Hipófise anterior ACTH Ovários Córtex adrenal E2 e P4 Cortisol

17 17/35 Ocitocina Corpo lúteo Parto Contração uterina e luteólise

18 18/35 Ovários LH Céls da teca e granulosa Corpo Lúteo P4

19 19/35 Colesterol e hormônios sexuais

20 20/35 Folículos ovarianos Desenvolvimento folicular

21 21/35 Hormônios ovarianos Hormônio Órgão secretor Órgão-alvo Principal ação Estrógeno Ovário (FOL) Órgãos sexuais secundários Função cíclica ovariana e caracteres sexuais Estrógeno Ovário (FOL) Glândula mamária Desenvolvimento Progesterona Ovário (CL) Glândula mamária Desenvolvimento mamário Progesterona Ovário (CL) Útero Manutenção da gestação Relaxina Ovário (CL) Sínfise pubiana, cérvix e vagina Relaxamento do canal do parto Inibina Ovário (FOL) Hipófise anterior Inibe a secreção de FSH Ativina Ovário (FOL) Hipófise anterior Estimula a secreção de FSH Folistatina Ovário (FOL) Hipófise anterior Inibe a secreção de FSH e neutraliza a ação da ativina

22 22/35 ESTRÓGENOS (E2) Comportamento de estro (cio) na vaca; Contração uterina, potencializando os efeitos da ocitocina e PGF2α; Desenvolvimento físico das características sexuais secundárias femininas; Crescimento dos ductos e desenvolvimento as glândulas mamárias;»» Exercem efeitos de Feedback tanto negativos quanto positivos no controle da liberação de LH e FSH no hipotálamo. O efeito negativo ocorre no centro tônico do hipotálamo e o efeito positivo, no centro de pré-ovulatório.

23 23/35 PROGESTERONA (P4) Prepara o endométrio para a implantação embrionária e a manutenção da prenhez; Atua sinergicamente com os estrógenos na indução do comportamento do estro; Auxilia no desenvolvimento do tecido secretor (alvéolos) da glândula mamária; Provoca a inibição do estro e do pico pré-ovulatório do LH quando em níveis elevados. Portanto, a progesterona desempenha papel fundamental na regulação hormonal do ciclo estral; Inibe a motilidade uterina.

24 24/35 PGF2α Liberação de gonadotrofinas Ovulação; Regressão do corpo lúteo; Motilidade uterina; Parto Involução uterina pós-parto Transporte de espermatozoides. Hormônios placentários ecg e hcg

25 25/35 Regulação hormonal

26 26/35 Ciclo estral

27 27/35

28 28/35 Crescimento folicular

29 29/35 Crescimento folicular Produção hormonal nos folículos pré-antrais

30 30/35 Crescimento folicular 2 ondas foliculares

31 31/35 Crescimento folicular 3 ondas foliculares

32 2 Maturação oocitária 32/35

33 33/35 Mudanças endócrinas, fisiológicas e comportamentais associadas ao estro (aceitação da monta) na vaca.

34 34/35 Considerações finais

35 35/35 Obrigado pela atenção!

ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA. M.S. Cássio Cassal Brauner FAEM-UFPel

ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA. M.S. Cássio Cassal Brauner FAEM-UFPel ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA M.S. Cássio Cassal Brauner Prof. DZ-FAEM FAEM-UFPel ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA Endocrinologia é parte das ciências médicas que trata da secreção das glândulas internas (hormônios)

Leia mais

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO Localização Importância -controle de secreção de vários hormônios -controle de vários processos fisiológicos: reprodução desenvolvimento e crescimento metabolismo energético

Leia mais

AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS

AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS AULA 02 - Eixo Hipotálamo-Hipofisário DOTS - JOGO DOS PONTOS 1. A neuro-hipófise armazena e libera dois hormônios. Quais são estes? a) Hormônio antidiurético (ADH) e folículo estimulante (FSH) b) Prolactina

Leia mais

Conhecer a morfologia do complexo hipotálamo-hipófise.

Conhecer a morfologia do complexo hipotálamo-hipófise. Conhecer a morfologia do complexo hipotálamo-hipófise. Compreender o mecanismo de regulação do hipotálamo sobre a hipófise. Conhecer a ação das principais hormonas sexuais femininas estrogénios e progesterona.

Leia mais

http://www.boggiostudios.com/galleries/gallery/pregnancy 1 1- Espermatozoide atravessa a corona radiata. 2- Cabeça do espermatozoide adere à zona pelúcida 3- Reação acrossômica: o conteúdo do acrossomo

Leia mais

Manejo reprodutivo em bovinos

Manejo reprodutivo em bovinos Manejo reprodutivo em bovinos Índices Zootécnicos Bovinos de corte Atual Preconizado Natalidade 60% 75-80% Desmame 55% 76% Idade ao primeiro parto Intervalo entre partos 21 meses Bovinos de leite 48 meses

Leia mais

HIPOTÁLAMO INSTITUTO BIOMÉDICO. Prof. Dr. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia - UFF

HIPOTÁLAMO INSTITUTO BIOMÉDICO. Prof. Dr. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia - UFF HIPOTÁLAMO INSTITUTO BIOMÉDICO Prof. Dr. Ismar Araujo de Moraes Departamento de Fisiologia e Farmacologia - UFF HIPOTÁLAMO INTRODUÇÃO http://www.med.mun.ca/anatomyts/head/brain.gif Corresponde a uma pequena

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino. Introdução e Conceitos Gerais. Profa. Dra. Rosângela F. Garcia

Fisiologia do Sistema Endócrino. Introdução e Conceitos Gerais. Profa. Dra. Rosângela F. Garcia Fisiologia do Sistema Endócrino Introdução e Conceitos Gerais Profa. Dra. Rosângela F. Garcia SISTEMA ENDÓCRINO 1- INTRODUÇÃO SISTEMA DE CONTROLE HOMEOSTASE MENSAGEIROS HORMÔNIOS *não formam um sistema

Leia mais

GLÂNDULAS DEFINIÇÃO TIPOS DE SECREÇÕES. São um conjunto de células especializadas que têm como finalidade produzir secreções.

GLÂNDULAS DEFINIÇÃO TIPOS DE SECREÇÕES. São um conjunto de células especializadas que têm como finalidade produzir secreções. DEFINIÇÃO São um conjunto de células especializadas que têm como finalidade produzir secreções. TIPOS DE SECREÇÕES Hormônios substâncias químicas que vão atuar em locais distantes da sua fabricação, tendo

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO Anatomia Genitália externa: pênis e bolsa escrotal; Órgãos reprodutores internos: testículos culos, epidídimos dimos, ductos(deferente, ejaculador e uretra) e as glândulas

Leia mais

EXERCÌCIOS GLOBAIS. - as células 3 são duas vezes mais numerosas do que as 2; - as células 4 são duas vezes mais numerosas do que as 3;

EXERCÌCIOS GLOBAIS. - as células 3 são duas vezes mais numerosas do que as 2; - as células 4 são duas vezes mais numerosas do que as 3; EXERCÌCIOS GLOBAIS 1. Atente às figuras 1 e 2 e responda às questões que se seguem: A fig.1 mostra um corte esquemático de uma estrutura estudada e a sua análise mostra que: - as células 3 são duas vezes

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: Sistema Endócrino Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Hormônios: Substâncias informacionais distribuídas pelo sangue. Eles modificam o funcionamento

Leia mais

SUMÁRIO Aula 9: Eixo hipotálamo-hipófise

SUMÁRIO Aula 9: Eixo hipotálamo-hipófise SUMÁRIO Aula 9: Eixo hipotálamo-hipófise 9.1 Introdução: o hipotálamo e a glândula hipófise 9.2 Hipófise posterior (neuro-hipófise) 9.3 Hipófise anterior (adeno-hipófise) 9.1 Introdução: o hipotálamo e

Leia mais

Obstetrícia Veterinária (Parto Fisiológico) Parto. Parto 29/10/2009. Prof. Msc. Marcelo Arne Feckinghaus

Obstetrícia Veterinária (Parto Fisiológico) Parto. Parto 29/10/2009. Prof. Msc. Marcelo Arne Feckinghaus Obstetrícia Veterinária ( Fisiológico) Prof. Msc. Marcelo Arne Feckinghaus Conhecimento essencial Saber intervir Diferenciar fisiológico de patológico Segurança materna e fetal Mudanças fisiológicas e

Leia mais

FERNANDES, I. C. 1 ; MATOS, A. T. de².

FERNANDES, I. C. 1 ; MATOS, A. T. de². 8 ISSN: 23170336 INDUÇÃO HORMONAL EM NOVILHAS NULÍPARAS COM POSTERIOR PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) COMO ALTERNATIVA PARA MAXIMIZAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA FERNANDES, I. C.

Leia mais

8. Quando ocorre a produção de calcitonina e paratormônio no organismo? Qual (is) glândula(s) o(s) produz(em)?

8. Quando ocorre a produção de calcitonina e paratormônio no organismo? Qual (is) glândula(s) o(s) produz(em)? CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS FUNDAMENTAL NII Listas 13 Sistema Endócrino 8º anos 3º período - 2012 1. Observe a imagem: a) Nomeie as glândulas indicadas pelas setas b) Relacione os seus hormônios 2. Diferencie

Leia mais

EFEITOS DO ESTRESSE TÉRMICO T A REPRODUÇÃO DE VACAS DE LEITE

EFEITOS DO ESTRESSE TÉRMICO T A REPRODUÇÃO DE VACAS DE LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MESTRADO EM ZOOTECNIA EFEITOS DO ESTRESSE TÉRMICO T SOBRE A REPRODUÇÃO DE VACAS DE LEITE DAVID RAMOS DA ROCHA AIRTON ALENCAR DE ARAÚJO DEZ/2006 INTRODUÇÃO

Leia mais

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O BIOLOGIA Módulo 1 12º CTec CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO DE

Leia mais

Prof. Cassio C. Brauner DZ FAEM -UFPel

Prof. Cassio C. Brauner DZ FAEM -UFPel Prof. Cassio C. Brauner DZ FAEM -UFPel Ciclo estral Poliéstricas estacionais Ciclos estrais normais durante uma determinada época do ano. Ciclo estral Poliéstricas estacionais Em zonas temperadas ambos

Leia mais

2

2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 O ovário mamífero é um órgão dinâmico encarregado de proporcionar um ambiente ideal para a produção de hormônios e liberação dos gametas femininos. No ovário, estão contidos milhares

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA LUIZA RIBEIRO ROOS

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA LUIZA RIBEIRO ROOS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA LUIZA RIBEIRO ROOS ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA DOS SUÍNOS E HORMÔNIOS EXÓGENOS COMERCIAIS UTILIZADOS NA INDÚSTRIA SUINÍCOLA REVISÃO

Leia mais

Componentes do Sistema Endócrino

Componentes do Sistema Endócrino Fisiologia 7 O sistema endócrino Iniciando a conversa Quem nunca sentiu os efeitos dos hormônios? Nesta aula, vamos conhecer um pouco mais sobre essas intrigantes moléculas, sua fabricação e seus efeitos.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS EDITAL 107/2016 CAMPUS BAMBUI

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Ciclos estrais de curta duração em vacas no pós-parto

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Ciclos estrais de curta duração em vacas no pós-parto PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Ciclos estrais de curta duração em vacas no pós-parto Jose Eduardo Jardim Murta 1, Venício Jose de Andrade 2 1 Professor de Educação Superior (Departamento

Leia mais

Reprodutor. Constituição. - 2 Ovários - 2 Tubas uterinas - Útero - Vagina - Genitália externa. - Glândulas mamárias

Reprodutor. Constituição. - 2 Ovários - 2 Tubas uterinas - Útero - Vagina - Genitália externa. - Glândulas mamárias SISTEMA REPRODUTOR Constituição Reprodutor - 2 Ovários - 2 Tubas uterinas - Útero - Vagina - Genitália externa - Glândulas mamárias Funções Reprodutor Produção de gametas (ovócitos): OVOGÊNESE Produção

Leia mais

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti MGA Premix Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte Mauro Meneghetti mauro.menghetti@pfizer.com Pré-Monta + MGA Premix: Um novo conceito em sincronização de vacas de corte

Leia mais

Curso Técnico em Enfermagem AULA 01

Curso Técnico em Enfermagem AULA 01 FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO AULA 01 PUBERDADE: os testículos da criança permanecem inativos até que são estimulados entre 10 e 14 anos pelos hormônios gonadotróficos da glândula

Leia mais

Aula Programada Ciências Eduardo

Aula Programada Ciências Eduardo Aula Programada Ciências Eduardo Tema: Sistema Endócrino 1) Introdução O sistema endócrino é responsável pelo controle das atividades metabólicas do organismo. Atua a longo prazo, através de sinais químicos,

Leia mais

II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS

II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS Jeferson Ferreira da Fonseca Pesquisador Embrapa Caprinos 1 1 Fácil transporte! 3 Sociáveis e interativos!

Leia mais

ATENÇÃO. Enunciado de Prova Escrita de Avaliação Sumativa

ATENÇÃO. Enunciado de Prova Escrita de Avaliação Sumativa Enunciado de Prova Escrita de Avaliação Sumativa Ano Lectivo: 2008/2009 Disciplina: Biologia Ano: 12º Turma: CT Curso: C.H. - C.T. Duração: 90 min. Data: 24 / 10 /2008 Docente: Catarina Reis NOTA: Todas

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO órgãos hormônios

SISTEMA ENDÓCRINO órgãos hormônios SISTEMA ENDÓCRINO Conjunto de órgãos que apresentam como atividade característica a produção de secreções denominadas hormônios, que são lançados na corrente sanguínea e irão atuar em outra parte do organismo,

Leia mais

Anovulação. Profª. Keyla Ruzi

Anovulação. Profª. Keyla Ruzi Anovulação Profª. Keyla Ruzi Síndrome da Anovulação Crônica Caracteriza-se pela ausência persistente de ovulação. 15 a 20% da população feminina em idade fértil. Pode ocorrer em condições fisiológicas

Leia mais

COMO AS BOAS PRÁTICAS DE BEM-ESTAR ANIMAL PODEM MELHORAR A PERFORMANCE NA BOVINOCULTUTA DE CORTE

COMO AS BOAS PRÁTICAS DE BEM-ESTAR ANIMAL PODEM MELHORAR A PERFORMANCE NA BOVINOCULTUTA DE CORTE COMO AS BOAS PRÁTICAS DE BEM-ESTAR ANIMAL PODEM MELHORAR A PERFORMANCE NA BOVINOCULTUTA DE CORTE Mateus Paranhos da Costa Departamento de Zootecnia, FCAV-UNESP, Jaboticabal-SP, Brasil mpcosta@fcav.unesp.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ULTRASSONOGRAFIA TRANSRETAL NO CONTROLE FOLICULAR E UTERINO NA ESPÉCIE EQUINA 1

A IMPORTÂNCIA DA ULTRASSONOGRAFIA TRANSRETAL NO CONTROLE FOLICULAR E UTERINO NA ESPÉCIE EQUINA 1 A IMPORTÂNCIA DA ULTRASSONOGRAFIA TRANSRETAL NO CONTROLE FOLICULAR E UTERINO NA ESPÉCIE EQUINA 1 Joel Neves De Oliveira 2, Andriélli Trentin Pereira 3, Nathálie Bonotto Ruivo 4. 1 Pesquisa relacionada

Leia mais

Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia

Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DOS SISTEMAS TEGUMENTAR, LOCOMOTOR E REPRODUTOR Profa. Msc. Ângela Cristina Ito Sistema reprodutor

Leia mais

Exercícios de Revisão do 4º Bimestre 2013

Exercícios de Revisão do 4º Bimestre 2013 GDF - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO DF SUBSECRETARIA DE SUPORTE EDUCACIONAL DO DF GERÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PLANALTINA CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 02 Exercícios de Revisão do 4º Bimestre 2013

Leia mais

Manejo Reprodutivo em Suínos. Rafael Ulguim

Manejo Reprodutivo em Suínos. Rafael Ulguim Manejo Reprodutivo em Suínos Rafael Ulguim Reposição Oportunistas Creche Recria / Terminação Abate Parto Desmame Estro Parto Ciclo produtivo da porca Lactação IDE Gestação 18-25 dias 3-7 dias 114 dias

Leia mais

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou)

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou) Amenorréia Amenorréia Definição: Amenorréia Primária: Ausência de menstruação aos 14 anos de idade sem características sexuais visíveis, ou aos 16 anos de idade na presença de características secundárias

Leia mais

Regulação Hormonal da Reprodução Humana

Regulação Hormonal da Reprodução Humana Regulação Hormonal da Reprodução Humana Reprodução Humana Sistema genital masculino Bolsa escotral Testiculos Epididimo Canal deferente Vesicula seminal Prostata Glândulas bulbo-uretrais Uretra Pénis Retirado:http://biologiacesaresezar.editorasaraiva.com.br/navitacontent_/userFiles/File/Biologia_Cesar_Sezar/BIO2_355.jpg

Leia mais

28/10/2016. Módulo: Embriologia OS GAMETAS. Formação e desenvolvimento de células germinativas especializadas

28/10/2016. Módulo: Embriologia OS GAMETAS. Formação e desenvolvimento de células germinativas especializadas Faculdade Maurício de Nassau Disciplina Citologia e Embriologia Cursos: Farmácia e Biomedicina Módulo: Embriologia Profª Drª Danielle Ribeiro dannyrrc_bio08@yahoo.com.br Aracaju/2016.2 1 2 GAMETOGÊNESE

Leia mais

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuroendocrinologia Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuro-endocrinologia O campo de neuro-endocrinologia - papel significante no entendimento

Leia mais

No Contexto Bioclimatológico, não se refere a um simples parâmetro ou conjunto de reações, mas sim a uma classificação do fenômeno;

No Contexto Bioclimatológico, não se refere a um simples parâmetro ou conjunto de reações, mas sim a uma classificação do fenômeno; ESTRESSE Conceito ainda é abstrato; No Contexto Bioclimatológico, não se refere a um simples parâmetro ou conjunto de reações, mas sim a uma classificação do fenômeno; Do inglês: STRESS; HANS SELYE (1936);

Leia mais

Aditivo Nutracêutico

Aditivo Nutracêutico Bem Vindos Dia de Campo Fazenda True Type Aditivo Nutracêutico Rico em Ácidos Graxos Essenciais Linolêico Ômega 6 Linolênico Ômega 3 Ação Reprodução Saúde Animal Fontes de Ômega-3 e 6 400g de ingestão

Leia mais

PUBERDADE EM NOVILHAS DE CORTE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

PUBERDADE EM NOVILHAS DE CORTE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA PUBERDADE EM NOVILHAS DE CORTE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DA SILVA, Thiana Franco¹; VELASKI, Cassieli 1 ; ALTERMANN, Maria Alice¹; ARALDI, Daniele Furian 2 Palavras-Chave: Maturidade. Bovinos. Reprodução.

Leia mais

CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3

CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3 CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3 1. (Unir-RO) Sobre a reprodução humana, todos os itens abaixo estão corretos, exceto: a) A fecundação ocorre no útero. b) A espermatogênese

Leia mais

PROSTAGLANDINA (PGF2α) COMO INDUTORA DE OVULAÇÃO EM PROTOCOLOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BOVINO

PROSTAGLANDINA (PGF2α) COMO INDUTORA DE OVULAÇÃO EM PROTOCOLOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BOVINO PROSTAGLANDINA (PGF2α) COMO INDUTORA DE OVULAÇÃO EM PROTOCOLOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) EM BOVINO Modalidade:( ) Ensino ( x ) Pesquisa ( ) Extensão Nível:( ) Médio ( x ) Superior

Leia mais

COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE

COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE Rogério Taveira Barbosa 1 1 - Méd. Veterinário, Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, São Carlos, SP PANORAMA DO REBANHO

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Tecido Epitelial FUNÇÕES :

TECIDO EPITELIAL. Tecido Epitelial FUNÇÕES : TECIDO EPITELIAL 2 Características principais dos quatro tipos básicos de tecidos Tecido Nervoso Epitelial Muscular Células Longos prolongamentos Células poliédricas justapostas Células alongadas contráteis

Leia mais

Sistema Endócrino. O que é um SISTEMA? SISTEMA 5/6/2010. Prof. Mst. Sandro de Souza CÉLULAS TECIDOS ÓRGÃOS. Disciplina: FISIOLOGIA HUMANA

Sistema Endócrino. O que é um SISTEMA? SISTEMA 5/6/2010. Prof. Mst. Sandro de Souza CÉLULAS TECIDOS ÓRGÃOS. Disciplina: FISIOLOGIA HUMANA Disciplina: FISIOLOGIA HUMANA Sistema Endócrino Prof. Mst. Sandro de Souza O que é um SISTEMA? CÉLULAS TECIDOS ÓRGÃOS SISTEMA É um grupo de Órgãos 1 Sistema Endócrino É composto de um grupo diverso de

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA. Lásaro Henrique

REPRODUÇÃO HUMANA. Lásaro Henrique REPRODUÇÃO HUMANA Lásaro Henrique GAMETOGÊNESE Processo de formação de gametas. Pode ser: Espermatogênese Ovulogênese ESPERMATOGÊNESE Ocorre nos tubos seminíferos,das paredes para a luz de cada tubo. ETAPAS

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO ANIMAL E HUMANO

SISTEMA ENDÓCRINO ANIMAL E HUMANO 1. (PUCSP 2016) Uma pessoa apresenta um quadro clinicamente conhecido por diabetes insípido: ela sente muita sede e elimina grande volume de urina. Seus exames revelaram uma taxa alterada de hormônio antidiurético.

Leia mais

Para que serve a reprodução?

Para que serve a reprodução? REPRODUÇÃO HUMANA Para que serve a reprodução? QUAIS OS TIPOS DE REPRODUÇÃO QUE ADOPTAM OS SERES VIVOS? QUAIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DE CADA UM DOS TIPOS DE REPRODUÇÃO? Ciclo de Vida Ciclo de Vida:

Leia mais

Bibliografia. Referências Básicas:

Bibliografia. Referências Básicas: Bibliografia Referências Básicas: KARDONG, K.V. Vertebrados: Anatomia comparada, Função e Evolução. 5.ed. São Paulo: Roca, 2011. 913p. LIEM, K., BEMIS, W., WALKER Jr, W. F., & GRANDE, L. Anatomia funcional

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO BRUM, Valeska Anhanha 1 ; DURIGON, Raquel 1 ; BORGES, Luiz Felipe Kruel 2 Palavras-Chave: Bovinos. Cio. Cloprostenol. Introdução

Leia mais

MÉTODOS DE TREINO FLEXIBILIDADE

MÉTODOS DE TREINO FLEXIBILIDADE MÉTODOS DE TREINO FLEXIBILIDADE FLEXIBILIDADE REVISÕES Formas de manifestação da flexibilidade: CONCEITO: Flexibilidade pode ser definida como a capacidade dos tecidos corporais em permitir, sem danos

Leia mais

Manejo reprodutivo I. Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc.

Manejo reprodutivo I. Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc. Manejo reprodutivo I Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc. MNEJO REPRODUTIVO Escolha do macho Escolha da fêmea Flushing Efeito macho Seleção Melhoramento MNEJO REPRODUTIVO Exame andrológicos

Leia mais

Reprodução, sistema genital, ontogênese

Reprodução, sistema genital, ontogênese 4 Ciclo reprodutor feminino e métodos contraceptivos 4.1 Introdução 4.2 O ciclo reprodutor feminino 4.3 O controle hormonal do ciclo reprodutor feminino 4.4 Métodos contraceptivos 4.4.1 Métodos de barreira

Leia mais

Sistema endócrino. Epitélio glandular. Funcionalmente:

Sistema endócrino. Epitélio glandular. Funcionalmente: Sistema endócrino Epitélio glandular Endócrina: secreção de hormônios diretamente no sangue Exócrina: secreção de seus produtos em ductos Funcionalmente: Merócrinas Apócrinas Holócrinas Unicelulares (Células

Leia mais

ESTERÓIDES ANABOLIZANTES: INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E DOPING

ESTERÓIDES ANABOLIZANTES: INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E DOPING ESTERÓIDES ANABOLIZANTES: INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS E DOPING USO CLÍNICO (TERAPÊUTICO) 1. Reposição hormonal Hipogonadismo masculino (doença hipofisária ou testicular) Hipossexualidade feminina (após ovariectomia)

Leia mais

A análise do gráfico permite concluir que

A análise do gráfico permite concluir que 37 e BIOLOGIA A análise do gráfico permite concluir que a) na época do nascimento a criança não está protegida, pois produz poucos anticorpos. b) antes do nascimento o feto nunca produz anticorpos. c)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS ÍTALO CÂMARA DE ALMEIDA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS ÍTALO CÂMARA DE ALMEIDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS ÍTALO CÂMARA DE ALMEIDA EFEITO DO PROTOCOLO DE PRÉ-SINCRONIZAÇÃO EM VACAS MESTIÇAS

Leia mais

Diapositivo 1. RL1 Raquel Lopes;

Diapositivo 1. RL1 Raquel Lopes; Biologia Humana 11º ano Escola Secundária Júlio Dinis Ovar BIOLOGIA HUMANA 11º ano TD Reprodução Humana??? raquelopes 09 raquelopes15@gmail.com RL1 Diapositivo 1 RL1 Raquel Lopes; 05-01-2009 Biologia Humana

Leia mais

A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO COMO BIOTÉCNICA APLICADA NA REPRODUÇÃO DOS BOVINOS DE CORTE

A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO COMO BIOTÉCNICA APLICADA NA REPRODUÇÃO DOS BOVINOS DE CORTE A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO COMO BIOTÉCNICA APLICADA NA REPRODUÇÃO DOS BOVINOS DE CORTE Rui Machado 1 Rogério T. Barbosa 1 Marco A.C.M. Bergamaschi 2 Ricardo A. Figueiredo 3 Introdução A sincronização

Leia mais

Dinâmica follicular e fertilidade em Nelore testando protocolos de IATF com produtos Globalgen e sêmen CRI

Dinâmica follicular e fertilidade em Nelore testando protocolos de IATF com produtos Globalgen e sêmen CRI Dinâmica follicular e fertilidade em Nelore testando protocolos de IATF com produtos Globalgen e sêmen CRI Roberto Sartori Alexandre Prata, Carlos Consentini, Guilherme Madureira, Jéssica Drum, Jéssica

Leia mais

Fisiologia celular I. Fisiologia Prof. Msc Brunno Macedo

Fisiologia celular I. Fisiologia Prof. Msc Brunno Macedo celular I celular I Objetivo Conhecer os aspectos relacionados a manutenção da homeostasia e sinalização celular Conteúdo Ambiente interno da célula Os meios de comunicação e sinalização As bases moleculares

Leia mais

Regulação Hormonal. Sistema endócrino é o conjunto formado por glândulas endócrinas e exócrinas

Regulação Hormonal. Sistema endócrino é o conjunto formado por glândulas endócrinas e exócrinas Regulação Hormonal Sistema endócrino é o conjunto formado por glândulas endócrinas e exócrinas que apresentam como actividade característica a produção de secreções denominadas hormonas, que são lançados

Leia mais

Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Artur Henrique Soares da Silva Filho

Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Artur Henrique Soares da Silva Filho Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Veterinária Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Artur Henrique Soares da Silva Filho MÉTODOS DE INDUÇÃO E SINCRONIZAÇÃO DO ESTRO E DA OVULAÇÃO

Leia mais

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?.

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?. Professor: Altemar Santos. Exercícios sobre os sistemas urinário (excretor), reprodutores masculino e feminino e fecundação para o 8º ano do ensino fundamental. 1) Analise o esquema: Identifica-se pelas

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Sincronização do estro em novilhas girolandas: Comparação entre os protocolos CIDR-B e OVSYNCH 1

Sincronização do estro em novilhas girolandas: Comparação entre os protocolos CIDR-B e OVSYNCH 1 Rev. Ciên. Agron., Fortaleza, v. 39, n. 01, p. 137-141, Jan.- Mar., 2008 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará www.ccarevista.ufc.br ISSN 1806-6690 Sincronização do estro em novilhas

Leia mais

4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1

4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1 4/19/2007 Fisiologia Animal - Arlindo Moura 1 HIPOTALAMO Neuronios do hipotalamo sintetizam TRH (hormonio tireotrofico) Sistema portahipotalamico hipofisario TRH estimula a sintese e secreacao de TSH (hormonio

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MATEUS PELISSARI DE MACEDO

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MATEUS PELISSARI DE MACEDO UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MATEUS PELISSARI DE MACEDO RELAÇÃO ENTRE TAXA DE PRENHEZ, CATEGORIA E ESCORE CORPORAL DE BOVINOS

Leia mais

Tratamento com hcg 7 dias após IA para aumentar a sobre a taxa de concepção em vaca Holandesas de alta produção relato de caso

Tratamento com hcg 7 dias após IA para aumentar a sobre a taxa de concepção em vaca Holandesas de alta produção relato de caso Tratamento com hcg 7 dias após IA para aumentar a sobre a taxa de concepção em vaca Holandesas de alta produção relato de caso FREITAS, Rogério Ernandes refveterinaria@hotmail.com Acadêmico da Faculdade

Leia mais

Sistema Reprodutor Feminino

Sistema Reprodutor Feminino Lâmina 72A: Ovário infantil e trompas uterinas OVÁRIO: (opção lâmina 35 caixa B) Região do Hilo: vasos sanguíneos, inervação e tecido conjuntivo denso Superfície do ovário -epitélio germinativo: tecido

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Mário Neto DISCIPLINA: Ciências da natureza SÉRIE: 8º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Biológicas e da Natureza BR 364 Km 04 Distrito Industrial Rio Branco AC CEP

Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Biológicas e da Natureza BR 364 Km 04 Distrito Industrial Rio Branco AC CEP Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Biológicas e da Natureza BR 364 Km 04 Distrito Industrial Rio Branco AC CEP- 69900-915 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR

Leia mais

Transmissão da Vida Bases morfológicas e fisiológicas da reprodução 1.2. Noções básicas de hereditariedade. Ciências Naturais 9ºano

Transmissão da Vida Bases morfológicas e fisiológicas da reprodução 1.2. Noções básicas de hereditariedade. Ciências Naturais 9ºano Ciências Naturais 9ºano Transmissão da Vida 1.1. Bases morfológicas e 1.2. Noções básicas de hereditariedade A partir da puberdade, as gónadas atingem a maturidade e começam a produzir gâmetas. Ovários

Leia mais

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO Anualpec, 2010 1 O - UNIÃO EUROPÉIA (27) 2 O - ÍNDIA 3 O - EUA 4 O - RÚSSIA 5 O - CHINA 6 O - BRASIL PRODUÇÃO MUNDIAL DE LEITE PERSPECTIVA MAIORES PRODUTORES DE LEITE

Leia mais

PLANO DE AULA. Plano de Estudo

PLANO DE AULA. Plano de Estudo PLANO DE AULA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA UNESP BOTUCATU FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA FMVZ DISCIPLINA (hipotética): FISIOLOGIA E BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL TÍTULO DA AULA: TRATO

Leia mais

Metabolismo dos Lipídios

Metabolismo dos Lipídios QUÍMCA E BIOQUÍMICA Curso Técnico em Nutrição e Dietética Metabolismo dos Lipídios Professor: Adriano Silva Os lipídios são um grupo de biomoléculas e/ou compostos orgânicos caracterizados por serem insolúveis

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Ano Lectivo 2009/2010 Feito por: Carlos Grilo Caracteres sexuais primários e secundários.3 Sistema reprodutor masculino.4 Sistema reprodutor feminino.5 Ciclo ovário.5 Ciclo uterino.7 Fecundação 9 Caracteres

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P1-4º BIMESTRE 8º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Identificar as principais mudanças pelas quais o indivíduo passa

Leia mais

BENEDITO GARDINALLI JUNIOR

BENEDITO GARDINALLI JUNIOR UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ESPECIALIZAÇÃO lato sensu REPRODUÇÃO E CLÍNICA MÉDICA DE BOVINOS E EQUINOS BENEDITO GARDINALLI JUNIOR CISTO OVARIANO FOLICULAR EM BOVINOS Piracicaba, 02 de Maio de 2012 BENEDITO

Leia mais

Fisiologia Humana Sistema Endócrino. 3 ano - Biologia I 1 período / 2016 Equipe Biologia

Fisiologia Humana Sistema Endócrino. 3 ano - Biologia I 1 período / 2016 Equipe Biologia Fisiologia Humana Sistema Endócrino 3 ano - Biologia I 1 período / 2016 Equipe Biologia Glândula!Agrupamento de células ou órgãos especializados na produção e na eliminação (secreção) de substâncias, a

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA Portal Educação CURSO DE BIOQUÍMICA CLÍNICA Aluno: EaD - Educação a Distância Portal Educação 179 CURSO DE BIOQUÍMICA CLÍNICA MÓDULO V Atenção: O material deste

Leia mais

Alcançar índices reprodutivos elevados e persistentes em rebanhos de corte é

Alcançar índices reprodutivos elevados e persistentes em rebanhos de corte é Aumento da eficiência reprodutiva de rebanhos de corte: controle de perdas no período inicial de gestação João Batista Souza Borges Unidade de Reprodução de Bovinos, Faculdade de Veterinária UFRGS 1 Introdução

Leia mais

REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO PROTEÍCO

REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO PROTEÍCO REGULAÇÃO HORMONAL DO METABOLISMO PROTEÍCO Giovanni Resende de Oliveira giovanni@epamig.br Fonte: ROCHA,C e OLIVEIRA, R.S INTRODUÇÃO Crescimento do Animal Crescimento dos Tecidos Grau de hiperplasia e

Leia mais

Fisiologia Endócrina

Fisiologia Endócrina Fisiologia Endócrina Profa. Letícia Lotufo Claude Bernard: pai da endocrinologia Definiu o termo milieu intérieur Endocrinologia estudo das secreções internas do organismos. 1 Sistema Endócrino e Homeostasia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA CÂMPUS DE BOTUCATU THIAGO MARTINS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA CÂMPUS DE BOTUCATU THIAGO MARTINS UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA CÂMPUS DE BOTUCATU Efeitos das concentrações de progesterona, duração do proestro e diâmetro folicular sobre a taxa de concepção

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino. Glândula Suprarenal. Glândulas Adrenais. SISTEMA ENDÓCRINO Adrenais. Adrenal

Fisiologia do Sistema Endócrino. Glândula Suprarenal. Glândulas Adrenais. SISTEMA ENDÓCRINO Adrenais. Adrenal Fisiologia do Sistema Endócrino Glândula Suprarenal Prof. Dr. Leonardo Rigoldi Bonjardim Profa. Adjunto do Depto. De Fisiologia-CCBS-UFS Material disponível em: 1 http://www.fisiologiaufs.xpg.com.br 2006

Leia mais

PROTOCOLO DE INDUÇÃO DE LACTAÇÃO PARA VACAS HOLANDESAS

PROTOCOLO DE INDUÇÃO DE LACTAÇÃO PARA VACAS HOLANDESAS PROTOCOLO DE INDUÇÃO DE LACTAÇÃO PARA VACAS HOLANDESAS MACHADO, João Matheus Costa Acadêmico do Curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva GONÇALVES, Antonio Fernando

Leia mais

TAXAS DE GESTAÇÃO E FORMAÇÃO DE CORPO LÚTEO ACESSÓRIO EM NOVILHAS NELORE TRATADAS COM hcg APÓS A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO

TAXAS DE GESTAÇÃO E FORMAÇÃO DE CORPO LÚTEO ACESSÓRIO EM NOVILHAS NELORE TRATADAS COM hcg APÓS A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO TAXAS DE GESTAÇÃO E FORMAÇÃO DE CORPO LÚTEO ACESSÓRIO EM NOVILHAS NELORE TRATADAS COM hcg APÓS A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO [Pregnancy rates and formation of accessory corpora lutea in Nelore

Leia mais

Embriologia Humana. Embriologia Humana. Embriologia Humana 09/11/2016

Embriologia Humana. Embriologia Humana. Embriologia Humana 09/11/2016 Embriologia Humana Embriologia Humana Prof. a Dr. a Sara Tatiana Moreira UTFPR Campus Santa Helena 1 1 Definição Períodos Terminologia embriológica Sistema reprodutor masculino e feminino Gametogênese

Leia mais

USO DA GONADOTROFINA CORIÔNICA EQUINA E PROGESTERONA INJETÁVEL EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM VACAS HOLANDESAS

USO DA GONADOTROFINA CORIÔNICA EQUINA E PROGESTERONA INJETÁVEL EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM VACAS HOLANDESAS PALMER DE CASTRO SAMPAIO USO DA GONADOTROFINA CORIÔNICA EQUINA E PROGESTERONA INJETÁVEL EM PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO EM VACAS HOLANDESAS LAVRAS MG 2013 PALMER DE CASTRO SAMPAIO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS UTILIZAÇÃO DE UM ANÁLOGO DO HORMÔNIO LIBERADOR DE GONADOTROFINAS (LECIRELINA) NA

Leia mais

Sistema reprodutor feminino: função, anatomia e aspectos fisiopatológicos CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DOS SISTEMAS TEGUMENTAR, LOCOMOTOR E REPRODUTOR

Sistema reprodutor feminino: função, anatomia e aspectos fisiopatológicos CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DOS SISTEMAS TEGUMENTAR, LOCOMOTOR E REPRODUTOR Sistema reprodutor feminino: função, anatomia e aspectos fisiopatológicos CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DOS SISTEMAS TEGUMENTAR, LOCOMOTOR E REPRODUTOR Profa. Msc. Ângela Cristina Ito Sistema reprodutor feminino

Leia mais

Controle Endocrinológico da Puberdade

Controle Endocrinológico da Puberdade Controle Endocrinológico da Puberdade A Gonadarca e a Adrenarca Profa. Dra. Tamara Beres Lederer Goldberg Departamento de Pediatria Disciplina de Medicina do Adolescente Faculdade de Medicina de Botucatu

Leia mais

Criação de Novilhas Leiteiras

Criação de Novilhas Leiteiras Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador,

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO Recria - Gestação Lactação Cachaço Msc. Daniela Junqueira Rodrigues Exigências nutricionais de fêmeas suínas 1. Linhagem 2. Estágio de desenvolvimento do animal 3. Consumo de ração

Leia mais

Manejo reprodutivo determina resultados econômicos

Manejo reprodutivo determina resultados econômicos Eficiência Manejo reprodutivo determina resultados econômicos Ed Hoffmann Madureira e José Rodrigo Valim Pimentel * A eficiência reprodutiva é um dado que interfere diretamente nos resultados econômicos

Leia mais