A COPA DO MUNDO NOSSA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A COPA DO MUNDO NOSSA"

Transcrição

1 A COPA DO MUNDO E NOSSA

2

3 SANTA E BELA CATARINA

4 Multifacetada e rica em oportunidades

5

6 para a Copa do Mundo 2014!

7

8 Oportunidades Copa 2014 Em 2014 o Brasil terá uma oportunidade única para mostrar ao mundo sua potencialidade turística e econômica em diversos setores, podendo consolidar-se como um polo mundial de turismo. A Copa do Mundo de futebol é um evento internacional que mobiliza milhares de pessoas, provenientes dos quatro cantos do mundo e bilhões de espectadores que acompanham os jogos pela televisão. Durante 30 dias, todos os olhares do mundo estarão sobre o território brasileiro, focados em suas belezas, manifestações culturais e suas pessoas. De forma signifi cativa, a Copa do Mundo de 2014 será um divisor de águas para a história do turismo e da economia brasileira. Além do movimento esperado de turistas para o evento, a Copa irá mobilizar um montante signifi cativo de investimentos em infraestrutura na fase que antecede o evento, estimado em R$ 22,46 bilhões, que deverão impactar inúmeros setores da economia de forma indireta. Estima-se que a Copa gere uma receita de R$ 142,39 bilhões de forma direta e indireta, oportunizando 3,63 milhões de emprego por ano ( ). O país terá 12 sedes para a realização dos jogos e, infelizmente, Santa Catarina não foi contemplada pela FIFA. Entretanto, isso não signifi ca que o turismo e a economia no Estado perderão oportunidades, pelo contrário: Santa Catarina poderá vender produtos e serviços na fase de pré-evento e tornar-se um centro de lazer e entretenimento para os turistas que visitarem o Brasil no período da Copa. Novos produtos turísticos e associados ao turismo podem ser criados e organizados, de modo a captar para Santa Catarina os visitantes que estarão em circulação no país.

9 O desafi o do SEBRAE de Santa Catarina, em sua missão de promover o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas, será o de potencializar as oportunidades geradas pelo evento mobilizador Copa do Mundo 2014 no Estado e preparar as empresas catarinenses para que colham benefícios antes, durante e após a Copa, de forma que esse legado seja signifi cativo para o desenvolvimento do turismo e da economia catarinense dos próximos anos. MANAUS (AM) FORTALEZA (CE) NATAL (RN) CUIABÁ (MT) BRASÍLIA (DF) BELO HORIZONTE (MG) SALVADOR (BA) RECIFE (PE) Inserção competitiva das empresas catarinenses neste cenário de oportunidades SÃO PAULO (SP) RIO DE JANEIRO (RJ) CURITIBA (PR) SANTA CATARINA PORTO ALEGRE (RS)

10 Oportunidades e Investimentos para Micro e Pequenas Empresas mapeados pela FGV Segundo pesquisa encomendada pelo SEBRAE Nacional à FGV, o evento Copa do Mundo de 2014 irá mobilizar diversos setores da economia brasileira, proporcionando a realização de negócios antes, durante e após o evento. Serão setores contemplados por oportunidades e investimentos: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO VESTUÁRIO TURISMO MADEIRA E MÓVEIS PRODUÇÃO ASSOCIADA AO TURISMO AGRONEGÓCIO COMÉRCIO VAREJISTA CONSTRUÇÃO CIVIL SERVIÇOS Apresenta-se a seguir as oportunidades relacionadas à Copa já mapeadas pela FGV para os setores de turismo, produção associada ao turismo e tecnologia da informação e comunicação.

11 Turismo Agências de viagem Empreendedores individuais Operadoras e consolidadoras Serviços complementares AGENCIAMENTO DE VIAGENS ATRATIVOS Entretenimento Eventos Refeições Outros tipos de serviços de alimentação ALIMENTOS E BEBIDAS TURISMO ALOJAMENTO Aluguel Meios de hospedagem Aéreo Ferroviário Hidroviário Rodoviário Manutenção e reparação TRANSPORTE SERVIÇOS DE APOIO AO TURISMO Capacitação Serviços direcionados ao turista Segurança Serviços técnicos e operacionais Consultorias Serviços de WEB

12 Mapeamento de Oportunidades e Investimentos por setor identificado pela FGV Produção Associada ao Turismo Bebidas Internet Companhias e grupos Insumos minerais Insumos naturais Insumos sintéticos ARTESANATO ATIVIDADES ARTÍSTICAS PRODUTOS ALIMENTÍCIOS ASSOCIADOS AO TURISMO Laticínios Açougue Grãos Apicultura Doces Derivados de cana-de-açucar Sementes Frutas Produção cultural Produção cultural MANIFESTAÇÕES CULTURAIS PROGRAMAÇÃO CULTURAL PRODUÇÃO ASSOCIADA AO TURISMO Conservas Condimentos Orgânicos ARTIGOS DE USO PESSOAL Vestuário Acessório Consultoria ARTIGOS DE ORNAMENTAÇÃO Decoração Plantas Aspectos legais Locação de equipamentos Editoração SERVIÇOS DE APOIO BEM ESTAR Beleza Saúde Lapidação Concepção Esotéricos Reforma e restauração ECONOMIA CRIATIVA Pesquisa Produção audiovisual Educação e formação

13 Tecnologia da Informação e Comunicação Infraestrutura de TI Assistência Técnica, Manutenção e Suporte HARDWARE TELEFONIA TRONCALIZADA Projeto e implantação Internet Consultoria e projetos Suporte SERVIÇOS DE TI Armazenamento e Hospedagem Consultoria, Projetos e Implantação COMUNICAÇÃO DE DADOS Projeto e implantação Assistência Técnica, Manuteção e Suporte Operação Projeto e implantação Assistência Técnica, Manutenção e Suporte Aluguel de equipamentos e sistemas Operação RADIODIFUSÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SERVIÇOS ESPECIAIS Operação Projeto e implantação Assistência Técnica, Manutenção e Suporte TELEVISÃO Operação Projeto e implantação Assistência Técnica, Manutenção e Suporte Operação TELEFONIA FIXA SOFTWARE Contenção de taludes e encostas Desapropriação Drenagem Edificações Projeto e implantação TELEFONIA MÓVEL CELULAR

14 Perfil Econômico de Santa Catarina Polo têxtil/vestuário O Vale do Itajaí abriga a maior concentração de indústrias desse setor na América Latina - São 8,7 mil empresas, que dão emprego a 162 mil trabalhadores. Polo eletrometalomecânico Formado por 5,2 mil indústrias, é responsável por 22% das exportações catarinenses - US$ 1,7 bilhão ao ano. As empresas de metalurgia, autopeças, materiais elétricos, máquinas e equipamentos empregam cerca de 120 mil trabalhadores na região Norte do estado. Mafra São Bento do Sul Joinville Jaraguá do Sul Chapecó Concórdia Videira Blumenau Brusque Itajaí Balneário Camboriú Lages São José FLORIANÓPOLIS Polo agroindustrial O Oeste é a grande região produtora de alimentos em Santa Catarina. Só de grangos e suínos são exportados US$ 2,3 bilhões ao ano, um terço do total das vendas catarinenses ao exterior. Polo florestal Santa Catarina abriga um dos maiores parques moveleiros da América Latina e tem uma das mais relevantes produções de papel e celulose do país, com aproximadamente 400 indústrias atuantes na área. Criciúma Tubarão

15 Polo turístico Os municípios de Santa Catarina Recebem mais de 10 milhões de turístas por ano, incluindo os catarinenses que viajam dentro do próprio estado. Há aproximadamente 3 mil meios de hospedagem instalados, com capacidade de cerca de 170 mil leitos. O setor gera 300 mil empregos diretos e indiretos. Os municípios que mais atraem visitantes são Florianópolis, Balneário Camboriú, Blumenau e Joinville, mas os atrativos turísticos estão distribuídos por todo o estado. Polo pesqueiro Segundo levantamento da Associação Brasileira de Construtores de Barcos (Acobar), Santa Catarina tem 41 estaleiros de barcos de pesca, com 2,2 mil empregados. A pesca artesanal envolve 6,1 mil embarcações e 25 mil pescadores, que capturam em torno de 20 mil toneladas de pescado ao ano, movimentando R$ 95 milhões. Polo tecnológico Os estado tem cerca de 1,6 mil empresas de tecnologia, que faturam R$ 2,5 bilhões ao ano e empregam 25 mil trabalhadores. Grande parte do setor está concentrada em Florianópolis, Blumenau e Joinville, com polos emergentes em São José, Chapecó e Criciúma. Polo comercial e de serviços Embora Santa Catarina seja reconhecida pela força de sua indústria, os demais setores produtivos exibem igual pujança. A área de serviços fatura R$ 24,9 bilhões por ano, com 64,5 mil empresas que dão emprego a 750,5 mil trabalhadores. O comércio conta com 72 mil estabelecimentos, 368,4 mil empregados e faturamento anual de R$ 80,6 bilhões Polo mineral Os segmentos carbonífero e cerâmico, concentrados na região Sul do estado, somam mais de 2,1 mil empresas. As indústrias de cerâmica catarinenses são responsáveis por 60% da produção brasileira de pisos e revestimentos. O estado é também o maior produtor de carvão mineral do país, com 47% do total naciona.

16 Mapeamento de Oportunidades e Investimentos para Micro e Pequenas Empresas segundo pesquisa realizada pela FGV Polo eletrometalomecânico Polo têxtil/vestuário Mafra São Bento do Sul Joinville Jaraguá do Sul Videira Chapecó Blumenau Concórdia Brusque São José Lages Polo agroindustrial Polo florestal São Joaquim Urubici Bom Jardim da Serra Tubarão Criciúma Itajaí Balneário Camboriú FLORIANÓPOLIS

17 Polo turístico Setores identificados pela FGV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Polo pesqueiro TURISMO PRODUÇÃO ASSOCIADA AO TURISMO Polo tecnológico COMÉRCIO VAREJISTA Polo comercial e de serviços SERVIÇOS VESTUÁRIO Polo mineral MADEIRA E MÓVEIS AGRONEGÓCIO

18 OBJETIVO Identifi car, disseminar e fomentar oportunidades de negócios para o Estado de Santa Catarina relacionadas ao evento mobilizador Copa do Mundo 2014, com o intuito de contribuir para a competitividade e desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas, antes, durante e após o evento, criando um produto turístico integrado em formato adequado para ser comercializado durante a Copa. FOCO ESTRATÉGICO Identifi car as oportunidades de negócios para a economia e o turismo de Santa Catarina relacionadas ao evento mobilizador Copa do Mundo 2014; Qualifi car, capacitar e preparar os empresários catarinenses para o atendimento a esta demanda relacionada à Copa do Mundo 2014; Desenvolver um produto turístico integrado e um plano de marketing e comunicação que possa garantir sua venda; Avaliar os resultados alcançados, de modo que o legado pós-copa seja positivo ao setor.

19 PÚBLICO-ALVO micro e pequenas empresas catarinenses dentro dos seguintes segmentos: tecnologia da informação, turismo, produção associada ao turismo, comércio varejista, serviços em geral, vestuário, madeira e móveis, e agronegócio. Para as ações no turismo, será público-alvo as micro e pequenas empresas localizadas nas 10 macrorregiões turísticas do Estado de Santa Catarina. PREMISSAS Inserção das micro e pequenas empresas catarinenses no cenário de oportunidades da Copa do Mundo 2014; Promoção da competitividade por meio de consultoria, qualifi cação e capacitação profi ssional; Integração estratégica das empresas para formação de um produto turístico competitivo para a Copa do Mundo 2014 em Santa Catarina.

20 Plano de Ações Mafra São Bento do Sul Joinville Jaraguá do Sul Videira Chapecó Blumenau Concórdia Brusque São José Lages São Joaquim Urubici Bom Jardim da Serra Tubarão Criciúma Itajaí Balneário Camboriú FLORIANÓPOLIS

21 MAPEAMENTO DE OPORTUNIDADES PARA AS MPEs Estudos e análises de oportunidades de negócios, estudos técnicos e de público-alvo Diagnóstico setorial ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL Visitas ao Governo Federal, Governo Estadual, Entidades representativas de classe e Instituições Financeiras Banco de oportunidade para investidores INSERÇÃO COMPETITIVA Seminários de oportunidades Workshops setoriais Rodadas de negócio FORTALECIMENTO E DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL Consultoria, qualifi cação e capacitação Inteligência competitiva Seminários especiais de infraestrutura, acessibilidade e marketing digital INTEGRAÇÃO ESTRATÉGICA Desenvolvimento de produto turístico integrado Elaboração de Plano de Marketing e Comunicação integrado Press Trips e Famtours AVALIAÇÃO DO LEGADO Seminário de avaliação Pós-Copa

22 Ações 1.Estruturação do projeto 1.1 Planejamento do projeto e defi nição da estratégia de divulgação 1.2 Sistema de Gestão Orientada para Resultados 2. Gestão e Monitoramento do Projeto 2.1 Criação e lançamento do comitê gestor e rede de apoio das 10 regiões 2.2 Formação de banco de dados para comunicação e envolvimento com o público-alvo do projeto 2.3 Documentação e organização do projeto 2.4 Acompanhamento e monitoramento das ações 2.5 Assessoria de comunicação e imprensa 3. Acompanhamento da Execução das Mensurações 3.1 Elaboração de relatórios e preenchimento dos dados no SIGEOR 4. Acompanhamento da Execução das Avaliações 4.1 Realização das pesquisas de mensuração de indicadores de projeto 4.2 Avaliação dos resultados

23 5. Realização de estudos e análises de oportunidades de negócios, estudos técnicos e de público-alvo (ambiente externo) 5.1 Realização de benchmarking sobre países que já sediaram Copas do Mundo 5.2 Realização de pesquisa de oportunidades relacionadas à Copa do Mundo 2014 no Brasil 5.3 Realização de pesquisa sobre o público-alvo da Copa do Mundo 2014 para Santa Catarina 5.4 Realização de pesquisa sobre comercialização de produtos turísticos para Copas 6. Realização de inventário setorial (ambiente interno) 6.1 Realização de inventário de produtos turísticos de Santa Catarina no eixo territorial foco do projeto (10 regiões turísticas) 6.2 Realização de inventário de programas e projetos do SEBRAE SC e Governo do Estado de Santa Catarina que podem ser oferecidos dentro do projeto, direcionados à Copa do Mundo Realização de inventário da cadeia produtiva da Copa em SC Levantamento das empresas fornecedoras Levantamento dos equipamentos e serviços turísticos Levantamento da demanda por mão-de-obra para o turismo 6.4 Elaboração da Matriz de Requisitos de Contratação para os setores estudados e certifi cação 6.5 Aplicação da Matriz ao inventário da cadeia produtiva - Identifi cação das empresas clientes

24 7. Promoção de articulação institucional com o Governo Federal, Estadual, Municipal, Trade de Turismo e Instituições Financeiras para geração de oportunidades relacionadas ao evento Copa 7.1 Realização de visita à Brasília para articulação institucional com o Ministério do Turismo, Ministério do Esporte e EMBRATUR 7.2 Realização de seminário com entidades públicas de Santa Catarina (Governo do Estado, Secretaria de Estado, SANTUR, FCC, FESPORTE, Secretarias Municipais das cidades foco do projeto) 7.3 Realização de seminário com entidades do trade de turismo de Santa Catarina para envolvimento institucional com o projeto 7.4 Visita às principais instituições fi nanceiras do país para levantamento de oportunidades de investimento e facilitação de acesso ao crédito para as empresas catarinenses 8. Campanha de divulgação e lançamento da marca 8.1 Criação de marca e identidade visual para o projeto 8.2 Criação de material promocional para divulgação do projeto 8.3 Produção de material promocional para divulgação do projeto 8.4 Veiculação de peças promocionais para divulgação do projeto 8.5 Criação e veiculação de hotsite para divulgação do projeto

25 9. Realização de seminários de oportunidades 9.1 Realização de Seminário com especialistas nas 10 regiões 9.2 Missões empresariais por região 10. Criação de banco de oportunidades para investidores 10.1 Compilação de projetos e oportunidades de investimento em Santa Catarina 10.2 Produção de material impresso Portfólio e Showcase 10.3 Estruturação das bases de informações e dados Implantação do Observatório do Turismo (base de dados e informações) Implantação de Sistema de Inteligência Competitiva para todos os setores 10.3 Realização de rodada de negócios com investidores 11. Promoção de consultoria, qualificação e capacitação 11.1 Organização da pactuação e adesão ao projeto 11.2 Consultoria tecnológica por setor e por região 11.3 Consultoria em gestão por setor e por região 11.4 Qualifi cação e capacitação por setor e por região 11.5 Certifi cação dos empreendimentos enquadrados na Matriz de Requisitos - Selo de Qualidade 11.6 Palestras de inserção competitiva no cenário de oportunidades

26 12. Desenvolvimento de produto turístico integrado 12.1 Planejamento estratégico 12.2 Desenvolvimento do produto, em conjunto com operadoras turísticas 12.3 Formatação do produto para comercialização 12.4 Realização de rodadas de negócios para composição do produto 13. Elaboração de plano de marketing e comunicação integrado 13.1 Planejamento de marketing e comunicação de acordo com as diretrizes do SEBRAE Nacional 13.2 Elaboração de estratégia de vendas, com contratação de consultoria para adequação de produto 13.3 Elaboração de estratégia de marketing digital, com contratação de consultoria para adequação de produto 13.4 Desenvolvimento do plano de marketing e comunicação 13.5 Criação e veiculação de website do projeto 13.6 Criação de materiais promocionais do projeto 13.7 Produção de materiais promocionais do projeto 13.8 Veiculação de peças promocionais do projeto 13.9 Exposição em eventos nacionais e internacionais de turismo Realização de famtour e presstrips para divulgação do produto Realização de rodadas de negócios nacionais e internacionais

27 14. Realização de seminário especial para infraestrutura turística e acessibilidade 14.1 Contratação de consultor especializado na área 14.2 Realização do seminário 15. Realização de seminário especial de marketing digital 15.1 Contratação de consultor especializado na área 15.2 Realização do seminário 16. Realização de seminário de avaliação pós-copa 16.1 Aplicação de pesquisa de avaliação 16.2 Realização do seminário

28 Plano de Ações 1 Pré-evento INVESTIMENTOS AÇÕES Mapeamento de oportunidades para as micro e pequenas empresas Articulação institucional RESULTADOS MPEs preparadas para o atendimento das demandas da Copa na fase de pré-evento Formalização de microempreendedores individuais Captação de novos investimentos Geração de negócios

29 2 Evento 2014 RECEITAS AÇÕES Inserção competitiva Fortalecimento e Desenvolvimento Empresarial Integração Estratégica RESULTADOS MPEs preparadas para realizar vendas durante o evento Aumento da competitividade das empresas 3 Pós-evento LEGADO Seminário de avaliação Pós-Copa Avaliação do legado

30 Estratégia para o turismo Considerando que Santa Catarina não será uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, torna-se necessário desenvolver ações especiais para a área de turismo, potencializando o Estado como um centro de lazer e entretenimento para a Copa. Desta forma, o SEBRAE SC irá desenvolver um roteiro integrado para contemplar as cidades das 10 macrorregiões turísticas de Santa Catarina. PRODUTO TURÍSTICO INTEGRADO Portal turístico na web Roteiros turísticos com qualidade internacional Definição de requisitos para contratação Plano estratégico e Plano de marketing para vendas Comunicação internacional Rodadas de negócios Participação em feiras nacionais e internacionais Press Trips e Famtours Divulgação e promoção Venda direta para as MPEs catarinenses do segmento de turismo e produtos associados ao turismo

31 Produto esperado PORTAL DO TURISMO EM SANTA CATARINA Roteiros turísticos de qualidade internacional Tradução em 6 idiomas Vídeos e Fotos Informações Turísticas Portal de Negócios Empresas capacitadas pelo SEBRAE SC Venda de produtos associados ao turismo

32 Resultados Esperados OPORTUNIDADES PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS CATARINENSES Qualificação e fortalecimento das empresas Abertura de novos negócios em Santa Catarina Criação de novos produtos associados ao turismo Resultado de vendas antes, durante e após o evento Geração de Empregos Criação de um produto turístico integrado e competitivo no cenário internacional Captação de financiamento para novos investimentos Melhoria da Acessibilidade para o Turismo Qualificação em Marketing Digital Criação de dois produtos turísticos integrados e competitivos no cenário nacional e/ou internacional até dezembro de 2012; Aumento do faturamento em 5% até julho de 2013 e 10% até dezembro de 2014; Aumentar o número de postos de trabalho em 5% até julho de 2013 e 10% até dezembro de 2014.

33 Apoio governamental ORÇAMENTO Mapeamento de Oportunidades: R$ ,00 Articulação Institucional: R$ ,00 Inserção Competitiva: R$ ,00 Fortalecimento e Desenvolvimento Empresarial: R$ ,00 Integração Estratégica: R$ ,00 Avaliação do Legado: R$ ,00 TOTAL: R$ ,00 FONTES SEBRAE Nacional: R$ ,00 SEBRAE SC: R$ ,00 Alavancagem: R$ ,00 CRONOGRAMA Janeiro de 2012 a Dezembro de 2014

34 Orçamento NUM AÇÃO QUANT. UNID. MESES VALOR UNIT. VALOR TOTAL Estruturação do Projeto R$ - R$ - R$ Planejam ento do projeto 120 H/T 1 R$ R$ - R$ - R$ - R$ Sistema de Gestão Orientada para Resultados R$ - R$ - R$ - R$ - R$ - 2. Gestão e Monitoramento do Projeto R$ 168, R$ 50, R$ 30, R$ 88, Criação e lançamento do comitê gestor e rede de apoio das 10 regiões 240 H/T 1 R$ R$ 24, R$ - R$ - R$ Formação de banco de dados para comunicação 120 H/T 2 R$ R$ 24, R$ - R$ - R$ Documentação e organização do projeto 120 H/T 2 R$ R$ 24, R$ - R$ - R$ Acompanhamento e monitoramento das ações 6 Diária 30 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Assessoria de comunicação e imprensa 20 H/T 30 R$ R$ 60, R$ - R$ - R$ - 3. Acompanhamento da Execução das Mensurações R$ - R$ - R$ - R$ Elaboração de relatórios e preenchimento SIGEOR 0 H/T 0 R$ - R$ - R$ - R$ - R$ - 4. Acompanhamento da Execução das Avaliações R$ 100, R$ 20, R$ 20, R$ 60, Realização de pesquisas de mensuração 3 H/T 1 R$ 30, R$ 90, R$ - R$ - R$ Avaliação dos resultados 5 H/T 1 R$ 2, R$ 10, R$ - R$ - R$ - 5. Realização de estudos e análises (ambiente externo) R$ 138, R$ 100, R$ 38, R$ Benchmarking sobre países que já sediaram Copas do Mundo 120 H/T 3 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Pesquisa de oportunidades relacionadas à Copa no Brasil 120 H/T 3 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Pesquisa sobre perfil do turista para a Copa 120 em Santa Catarina H/T 4 R$ R$ 48, R$ - R$ - R$ - Pesquisa sobre a comercialização de 5.4 produtos turísticos para Copas junto à operadoras turísticas internacionais 100 H/T 3 R$ R$ 18, R$ - R$ - R$ -

35 NUM AÇÃO QUANT. UNID. MESES VALOR UNIT. VALOR TOTAL Realização de inventário setorial (ambiente interno) R$ 384, R$ 280, R$ 104, R$ Inventário de produtos turísticos no eixo territorial foco (10 regiões turísticas) 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Inventário de programas e projetos do SEBRAE SC e Governo do Estado de SC 120 H/T 3 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Inventário da cadeia produtiva para a Copa em SC Levantamento das empresas fornecedoras 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Levantamento dos equipamentos e serviços turísticos 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Levantamento da demanda por mão-deobra para o turismo 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Elaboração da Matriz de Requisitos de Contratação para os setores estudados e 200 H/T 2 R$ R$ 40, R$ - R$ - R$ - certificação 6.5 Aplicação da Matriz ao inventário da cadeia produtiva - Identificação das empresas 200 H/T 1 R$ R$ 20, R$ - R$ - R$ - clientes 7. Promoção de articulação institucional R$ 52, R$ 30, R$ 22, R$ Articulação com Min. do Turismo, Min. do Esporte e EMBRATUR 4 viagens 2 R$ 2, R$ 20, R$ - R$ - R$ Realização de seminário com Governo em SC 1 verba 3 R$ 2, R$ 6, R$ - R$ - R$ Realização de seminário com o trade de turismo de Santa Catarina 1 verba 3 R$ 2, R$ 6, R$ - R$ - R$ Visita às instituições financeiras (BB, BNDES, BADESC, BRDE, CAIXA) 4 viagens 2 R$ 2, R$ 20, R$ - R$ - R$ - 8. Campanha de divulgação e lançamento da marca R$ 315, R$ 200, R$ 115, R$ Criação de marca e identidade visual 120 H/T 3 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Criação de material promocional para divulgação 120 H/T 3 R$ R$ 36, R$ - R$ - R$ Produção de material promocional para divulgação 1 verba 1 R$ 60, R$ 60, R$ - R$ - R$ Veiculação de peças promocionais para divulgação 1 verba 1 R$ 159, R$ 159, R$ - R$ - R$ Criação e veiculação de hotsite para divulgação 120 H/T 2 R$ R$ 24, R$ - R$ - R$ -

36 NUM AÇÃO QUANT. UNID. MESES VALOR UNIT. VALOR TOTAL Realização de seminários de oportunidades R$ 450, R$ 200, R$ 200, R$ 50, Realização de seminário com especialistas nas 10 regiões 10 verba 1 R$ 25, R$ 250, R$ - R$ - R$ Missões empresariais por região 10 verba 1 R$ 20, R$ 200, R$ - R$ - R$ Criação de banco de oportunidades para investidores R$ 652, R$ 188, R$ 235, R$ 229, Compilação de projetos e oportunidades de investimento 60 H/T 9 R$ R$ 54, R$ - R$ - R$ Produção de material impresso - Portfólio e Showcase 1 verba 1 R$ 38, R$ 38, R$ - R$ - R$ Estruturação das bases de informações e dados Implantação do Observatório do Turismo (base de dados e informações) 1 verba 1 R$ 200, R$ 200, R$ - R$ - R$ Implantação de Sistema de Inteligência Competitiva para todos os setores 1 verba 1 R$ 320, R$ 320, R$ - R$ - R$ Realização de rodada de negócios com investidores 1 verba 1 R$ 40, R$ 40, R$ - R$ - R$ Promoção de consultoria, qualificação e capacitação Organização da pactuação e adesão ao projeto Consultoria tecnológica por setor e por região Consultoria em gestão por setor e por região Qualificação e capacitação por setor e por região Certificação dos empreendimentos enquadrados na Matriz de Requisitos - Selo de Qualidade Palestras de inserção competitiva no cenário de oportunidades R$ 2,572, R$ 932, R$ 937, R$ 703, H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ H/T 12 R$ R$ 960, R$ 750, R$ - R$ H/T 12 R$ R$ 960, R$ - R$ - R$ Curso 1 R$ 3, R$ 350, R$ 150, R$ - R$ H/T 2 R$ R$ 140, R$ - R$ - R$ - 60 palestras 1 R$ 1, R$ 90, R$ 32, R$ - R$ -

37 NUM AÇÃO QUANT. UNID. MESES VALOR UNIT. VALOR TOTAL Desenvolvimento de produto turístico R$ 287, R$ R$ R$ - integrado 200, , Planejamento estratégico 360 H/T 3 R$ R$ 108, R$ - R$ - R$ Desenvolvimento do produto (com operadoras) 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Formatação do produto para comercialização 240 H/T 3 R$ R$ 72, R$ - R$ - R$ Rodadas de negócios para composição do produto 1 verba 1 R$ 35, R$ 35, R$ - R$ - R$ Elaboração de plano de marketing e comunicação R$ 703, R$ - R$ 312, R$ 391, Planejamento de marketing e comunicação 240 H/T 2 R$ R$ 48, R$ - R$ - R$ Elaboração de estratégia de vendas (consultoria 240 H/T 2 R$ R$ 48, R$ - R$ - R$ - de adequação) 13.3 Elaboração de estratégia de markting digital 240 H/T 2 R$ R$ 48, R$ - R$ - R$ - (consultoria de adequação) 13.4 Desenvolvimento do plano de marketing e 240 H/T 2 R$ R$ 48, R$ - R$ - R$ - comunicação 13.5 Criação e veiculação de website do projeto 1 serv 1 R$ 40, R$ 40, R$ - R$ - R$ Criação de materiais promocionais 1 serv 1 R$ 40, R$ 40, R$ - R$ - R$ Produção de materiais promocionais 1 verba 1 R$ 100, R$ 100, R$ - R$ - R$ Veiculação de peças promocionais para 1 verba 1 R$ 50, R$ 62, R$ - R$ - R$ - divulgação 13.9 Exposição em eventos nacionais e internacionais 1 verba 1 R$ 50, R$ 50, R$ - R$ - R$ - de turismo Realização de famtours e presstrips 1 verba 1 R$ 200, R$ 200, R$ - R$ - R$ Realização de rodadas de negócios nacionais e 1 verba 1 R$ 19, R$ 19, R$ - R$ - R$ - internacionais 14. Seminário especial para infraestrutura e R$ 50, R$ - R$ R$ - acessibilidade 50, Contratação de consultor especializado na área 1 espec 1 R$ 15, R$ 15, R$ - R$ - R$ Realização do seminário 1 verba 1 R$ 35, R$ 35, R$ - R$ - R$ Seminário especial de marketing digital R$ 50, R$ - R$ R$ - 50, Contratação de consultor especializado na área 1 espec 1 R$ 15, R$ 15, R$ - R$ - R$ Realização do seminário 1 verba 1 R$ 35, R$ 35, R$ - R$ - R$ Realização de seminário de avaliação Pós- R$ 79, R$ - R$ - R$ 79, Copa 16.1 Aplicação de pesquisa de avaliação 30 H/T 7 R$ R$ 21, R$ - R$ - R$ Realização do seminário 1 verba 1 R$ 58, R$ 58, R$ - R$ - R$ - TOTAL ESTIMADO R$ 6,000, R$ 2,200, R$ 2,200, R$ 1,600,000.00

38 A COPA DO MUNDO E NOSSA Quem tem conhecimento vai pra frente.

CARACTERIZAÇÃO DA FLORICULTURA BRASILEIRA

CARACTERIZAÇÃO DA FLORICULTURA BRASILEIRA Hoje a floricultura é um dos principais segmentos do agronegócio no Brasil. A qualidade das flores, a crescente competitividade e o crescimento do segmento são percebidos quando observa-se que muitos estados

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

CTNDT - CÂMARA TEMÁTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO

CTNDT - CÂMARA TEMÁTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO CTNDT - CÂMARA TEMÁTICA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO PAUTA HISTÓRICO CTNDT / METODOLOGIA DE TRABALHO CTNDT / PROPOSTA DE TEMAS PARA DEBATE/EIXO TEMÁTICO HISTÓRICO BRASIL

Leia mais

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo AS CONQUISTAS DO BRASIL COM O MEGA EVENTO - COPA DO MUNDO DE FUTEBOL 2014 CONCEITO Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo turístico, cobertura pela mídia, construção

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada BRA-MEB001-100209-0 Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada São Paulo, 9 de março de 2010 0 BRA-MEB001-100209-1 O que o Brasil quer com uma Copa do Mundo FIFA Mobilizar

Leia mais

MODELO DE GOVERNANÇA CTNDT AÇÕES EM CURSO NOMTur LINHAS DE FINANCIAMENTO

MODELO DE GOVERNANÇA CTNDT AÇÕES EM CURSO NOMTur LINHAS DE FINANCIAMENTO CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - CDES PLANO ESTRATÉGICO DO A COPA DO MUNDO FIFA 24/11/2010 PLANO ESTRATÉGICO DO TURISMO TURISMO BRASILEIRO BRASILEIRO PARA PARA A A COPA COPA DO DO MUNDO

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia Petróleo, Gás e Energia Como tornar-se fornecedor da cadeia produtiva Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia 25/out/2011 Agenda 1) O CIESP 2) PETROBRAS - Plano de

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

A empresa fica na feira de Sapatilha?

A empresa fica na feira de Sapatilha? A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (FECOMÉRCIO-SC), com o intuito de mapear o perfil do turista e o impacto do festival para o empresário do município, realizou um projeto

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Brasília, 18 de maio de 2010. MPE? Conceituação Brasil REPRESENTATIVIDADE

Leia mais

- Análise de consistência. Agosto Tabulação das adesões, proponente

- Análise de consistência. Agosto Tabulação das adesões, proponente Histórico de ações Dezembro 2008- Fortalecimento de Parceiros e Resgate de atores e mapeamento de novos atores Janeiro e Fevereiro 2009 - dimensionamento para detectar o potencial turístico e levantar

Leia mais

TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS

TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS FOCO EM INICIATIVAS E OPORTUNIDADES PARA ASSOCIADOS DE PEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTES Mais do que representar legitimamente

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais

Apoio à Inovação nas micro e pequenas empresas. O papel do Cartão BNDES no incentivo à inovação

Apoio à Inovação nas micro e pequenas empresas. O papel do Cartão BNDES no incentivo à inovação Apoio à Inovação nas micro e pequenas empresas O papel do Cartão BNDES no incentivo à inovação São Paulo, 09 de Agosto de 2012 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Santa Catarina - 20 de Novembro de 2010 IMPORTÂNCIA DA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS As MPEs correspondem à 98,81%* (CNE/IBGE 2009) das empresas

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS DO SIMPESC

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS DO SIMPESC PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS DO SIMPESC Anderson Ramos dos Santos IEL Mirela das Neves IEL Edison Dacol IEL Agosto, 2011 Pauta Apresentação do Programa (revisão); Ações de Relacionamento;

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Mobilidade Urbana Sustentável Seminário Infraestrutura turística, megaeventos e promoção da imagem do Brasil no exterior 16 e 17 de agosto de 2011 MINISTÉRIO DAS CIDADES MISSÃO Combate

Leia mais

APL DE TURISMO E ARTESANATO DE BONITO SERRA DA BODOQUENA

APL DE TURISMO E ARTESANATO DE BONITO SERRA DA BODOQUENA APL DE TURISMO E ARTESANATO DE BONITO SERRA DA BODOQUENA CONTEXTUALIZAÇÃO Contempla os municípios de Bodoquena, Bonito e Jardim; O Turismo e a Pecuária são as principais eixos de desenvolvimento; Possui

Leia mais

3 A 6 SETEMBRO PLANOS DE PATROCÍNIO PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR

3 A 6 SETEMBRO PLANOS DE PATROCÍNIO PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR 3 A 6 SETEMBRO 2014 PARQUE VILA GERMÂNICA BLUMENAU - SC FEIRAMULHERBRASIL.COM.BR PLANOS DE PATROCÍNIO INFOFAIR BRASIL Feira de Equipamentos, Serviços, Softwares e Tecnologias da Informação Idealizada pela

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

Copa do Mundo de 2014. em Brasília. Prof. Dr. Rômulo Ribeiro PPG-FAU e FUP/UnB

Copa do Mundo de 2014. em Brasília. Prof. Dr. Rômulo Ribeiro PPG-FAU e FUP/UnB Copa do Mundo de 2014 em Brasília Prof. Dr. Rômulo Ribeiro PPG-FAU e FUP/UnB A Escolha A pergunta que nos move: Por que escolher cidades sem tradição em futebol? Brasília por ser capital do Brasil Será

Leia mais

Luiz Carlos Bueno de Lima

Luiz Carlos Bueno de Lima A política nacional de transporte t e da mobilidade urbana Luiz Carlos Bueno de Lima Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário FNO-ITINERANTE 2012. São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário FNO-ITINERANTE 2012. São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012 BANCO DA AMAZÔNIA Seminário FNO-ITINERANTE 2012 São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012 Município de São Gabriel da Cachoeira - AM Principais Destaques. Considerado um ponto estratégico pelo país e,

Leia mais

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Data da divulgação do estudo 17/09/2015 CONTEXTO A consultoria Oxford Economics,

Leia mais

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para Code-P0 Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para a engenharia brasileira O Mundial e o Desenvolvimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Manaus, 30 de março de 2012 Code-P1

Leia mais

DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA

DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA DIRETRIZ ESTRATÉGICA DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA O segmento do turismo vem se constituindo na Bahia uma importante atividade na geração de ocupação e renda, especialmente

Leia mais

Política Estadual de Cultura

Política Estadual de Cultura Política Estadual de Cultura Governo do Estado de Diretora de Políticas Integradas do Lazer Elisa Wypes Sant Ana de Liz SECRETARIA DE ESTADO DE TURISMO CULTURA E ESPORTE. Foi instituída pela Lei Complementar

Leia mais

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7)

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROPOSTA FNE-PROATUR INCLUSÃO DO APOIO A PROJETOS DE ARENAS MULTI-USOS NAS FINALIDADES DE FINANCIAMENTO A - Fundamentação

Leia mais

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012 Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia SINAENCO 18 de Maio de 2012 AGENDA 1. Linha do Tempo 2. A Copa em números 3. Programa Copa 2014 na Bahia 4. Plano Diretor

Leia mais

Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010

Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010 Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010 Missão: Atuar para o desenvolvimento solidário e participativo de Paraty articulando a sociedade civil organizada e poder público para

Leia mais

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015

Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 Dados sobre a Feira do Empreendedor 2015 1 Feira do Empreendedor 2015 O sucesso é grande. Há pessoas que demostram o interesse em adquirir até 10 máquinas de uma só vez. Alexandre Ronconi, diretor da Hot

Leia mais

ESTADO MÁXIMO DA INOVAÇÃO

ESTADO MÁXIMO DA INOVAÇÃO ESTADO MÁXIMO DA INOVAÇÃO Folder SC@2022_A4_01.indd 1 29/01/13 16:45 ESTADO MÁ XIMO DA INOVAÇÃ O VISÃO Santa Catarina, referência nacional e internacional no uso da inovação para o desenvolvimento sustentável.

Leia mais

ORÇAMENTO DA NACIONAL 2002 1

ORÇAMENTO DA NACIONAL 2002 1 ORÇAMENTO DA NACIONAL 2002 1 ORÇAMENTO NACIONAL ANO FISCAL 2002 I. Introdução A Assembléia Ordinária e Extraordinária de 30.10.2001 aprovou o Orçamento para Exercício Financeiro de 2.002, conforme determinam

Leia mais

[Ano] TERMO DE REFERÊNCIA DO SEBRAE-SP DE ACESSO A MERCADOS PARA CIRCUITOS TURÍSTICOS

[Ano] TERMO DE REFERÊNCIA DO SEBRAE-SP DE ACESSO A MERCADOS PARA CIRCUITOS TURÍSTICOS TERMO DE REFERÊNCIA DO SEBRAE-SP DE ACESSO A MERCADOS PARA CIRCUITOS TURÍSTICOS Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Unidade Organizacional de Acesso a Mercados Unidade Organizacional

Leia mais

Ações do Sebrae no fomento às IG Brasileiras SEBRAE. Congresso Internacional da Origin 11 de novembro de 2015. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.

Ações do Sebrae no fomento às IG Brasileiras SEBRAE. Congresso Internacional da Origin 11 de novembro de 2015. 0800 570 0800 / www.sebrae.com. Ações do Sebrae no fomento às IG Brasileiras Congresso Internacional da Origin 11 de novembro de 2015 99% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO

Leia mais

Recife - Responsabilidades do Setor de Turismo na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Eixo Qualificação

Recife - Responsabilidades do Setor de Turismo na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Eixo Qualificação Recife - do Setor de Turismo na Prevenção Início e Termino Realizar mapeamento da demanda de formação profissional junto ao trade turístico (nas regiões turísticas 69 municípios). -SEBRAE - UFPE e outras

Leia mais

ATRATIVOS TURÍSTICOS. Fundamentos do Turismo 2013 Profa. Rafaela Malerba rafaelamalerba.weebly.com

ATRATIVOS TURÍSTICOS. Fundamentos do Turismo 2013 Profa. Rafaela Malerba rafaelamalerba.weebly.com ATRATIVOS TURÍSTICOS Fundamentos do Turismo 2013 Profa. Rafaela Malerba rafaelamalerba.weebly.com Conceituação Oferta turística Todos os bens e serviços à disposição dos consumidores-turistas, por um dado

Leia mais

SDS PREFÁCIO. João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina

SDS PREFÁCIO. João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina 1 PREFÁCIO João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina Eduardo Pinho Moreira Vice-governador do Estado de Santa Catarina Lucia Gomes Vieira Dellagnelo Secretária de Estado do Desenvolvimento

Leia mais

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL Programa 0410 Turismo: a Indústria do Novo Milênio Objetivo Aumentar o fluxo, a taxa de permanência e o gasto de turistas no País. Público Alvo Turistas brasileiros e estrangeiros Ações Orçamentárias Indicador(es)

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA MINISTÉRIO DA CULTURA ECONOMIA DA CULTURA UM SETOR ESTRATÉGICO PARA O PAÍS Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec A produção, a circulação e o consumo de bens e

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 2 1. ESTUDO DE COMPETITIVIDADE... 4 2. RESULTADOS... 6. 2.1 Total geral... 6. 2.2 Infraestrutura geral... 7. 2.3 Acesso...

APRESENTAÇÃO... 2 1. ESTUDO DE COMPETITIVIDADE... 4 2. RESULTADOS... 6. 2.1 Total geral... 6. 2.2 Infraestrutura geral... 7. 2.3 Acesso... PORTO SEGURO APRESENTAÇÃO Qualquer forma de desenvolvimento econômico requer um trabalho de planejamento consistente para atingir o objetivo proposto. O turismo é apresentado hoje como um setor capaz de

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL PUBLICAÇÕES SISTEMA FIRJAN PESQUISAS E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS AMBIENTE DE NEGÓCIOS O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL Setembro/2015 Esta publicação contempla os seguintes

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 Por Milton Karam 06.outubro.2010 COPA FIFA 2014 CRONOLOGIA 2003 03 de junho - a Confederação Sul-Americana de Futebol CONMEBOL anuncia Argentina, Brasil e Colômbia 2006

Leia mais

FAÇA COMO AS INDÚSTRIAS CATARINENSES: AUMENTE SUA COMPETITIVIDADE COM A FIESC.

FAÇA COMO AS INDÚSTRIAS CATARINENSES: AUMENTE SUA COMPETITIVIDADE COM A FIESC. FAÇA COMO AS INDÚSTRIAS CATARINENSES: AUMENTE SUA COMPETITIVIDADE COM A FIESC. QUANTO MAIOR A COMPETITIVIDADE, MAIS NEGÓCIOS SUA EMPRESA FAZ. A FIESC produz uma série de publicações destinadas a empresários,

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES A Feira do Empreendedor é promovida pelo Sebrae desde 1992 em todos os estados do país. É considerado o maior evento presencial de

Leia mais

Fundo Setorial do Audiovisual - FSA. Débora Ivanov Agosto/2014

Fundo Setorial do Audiovisual - FSA. Débora Ivanov Agosto/2014 Fundo Setorial do Audiovisual - FSA Débora Ivanov Agosto/2014 As chamadas - produção, comercialização e desenvolvimento - Chamadas SELETIVO Longas Produção Prodecine 1 Distribuidor Prodecine 2 FSA Produção

Leia mais

P R O D E T U R C O N S U L T O R I A D E P R O J E T O S

P R O D E T U R C O N S U L T O R I A D E P R O J E T O S P R O D E T U R Agenda Apresentação Programas do BID PRODETUR Financiamento Projetos Casos de Sucesso Encerramento A P R E S E N T A Ç Ã O Consultoria de Projetos nasceu com o objetivo de ajudar as Prefeituras

Leia mais

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS POLÍTICA INDUSTRIAL DO RS Modelo de Desenvolvimento Industrial do Estado do RS Março de 2012. 2 Sumário MODELO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RS Destaques

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO DE OPORTUNIDADES COMERCIAIS PARA PEQUENOS PRODUTORES RURAIS TERMO DE REFERÊNCIA

PROGRAMA DE FOMENTO DE OPORTUNIDADES COMERCIAIS PARA PEQUENOS PRODUTORES RURAIS TERMO DE REFERÊNCIA IICA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA BID BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO FLS FUNDAÇÃO LYNDOLPHO SILVA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PROGRAMA

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Programa HPPC Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Gestor: Alexandre Ribeiro Pereira Lopes Coordenador-Geral das Indústrias Químicas e de Transformados

Leia mais

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO Por: Carlos Eduardo Cruz Tavares 1 São várias as cadeias produtivas que constituem o complexo agroalimentar, destacando-se entre elas,

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Aranranguá 29 e 30 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta

Leia mais

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Apresentação Valdecir de Oliveira Pereira Diretorde Desenvolvimento valdecir@grvsoftware.com.br www.grvsoftware.com.br GRV Software

Leia mais

GT de Economia Criativa

GT de Economia Criativa GT de Economia Criativa Santa Maria, 02 de outubro de 2012 Pauta da reunião 1) Ações após a 1ª reunião do GT 2) Apresentação do Projeto de Mapeamento Georreferenciado da Economia Criativa 3) Apresentação

Leia mais

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO O Governo do Estado de Santa Catarina apresenta o Programa Catarinense de Inovação (PCI). O PCI promoverá ações que permitam ao Estado

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP

Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP Simpósio Polo Gesseiro do Araripe Potencidades Problemas e Soluções UFRPE 12 a 14 de agosto de 2014 Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP Centro Tecnológico do Araripe CTA Rua Antônio

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

PROJETO RODADA DE NEGÓCIOS

PROJETO RODADA DE NEGÓCIOS PROJETO RODADA DE NEGÓCIOS 10 SETEMBRO DE 2013 SUMÁRIO 1. CONCEITO DE RODADA DE NEGÓCIOS 2. OBJETIVO 3. ATORES 4. MODELO E MECÂNICA 5. SEGMENTOS TURÍSTICOS SUGERIDOS 6. ESTRUTURA E RESPONSABILIDADES 7.

Leia mais

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS

AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS AS MELHORES OPORTUNIDADES DE EMPREGO NO SETOR DE SERVIÇOS O setor de serviços é, tradicionalmente, a principal porta de entrada no mercado de trabalho. Responsável por aproximadamente 60% do produto interno

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS

SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL ConectaDEL - Programa Regional de Formação para o Desenvolvimento Econômico Local com Inclusão Social Brasil SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS Foz do Iguaçu,

Leia mais

COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO?

COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO? COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO? Léa Lagares Coordenadora Nacional da Fruticultura e Vitivinicultura Unidade de Atendimento Coletivo Agronegócio - UAGRO

Leia mais

368 municípios visitados

368 municípios visitados TURISTAS INTERNACIONAIS 60,3% visitaram o Brasil pela primeira vez 91,4 % Copa como o principal motivo da viagem 83% o Brasil atendeu plenamente ou superou suas expectativas 95% tem intenção de retornar

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER TESOURO ANO DE APLICAÇÃO OUTRAS FONTES INVESTIMENTO DAS ESTATAIS TOTAL TOTAL 1. PODER EXECUTIVO 27.077.936.019 7.531.552.666 2.360.538.563 36.970.027.248 115.631.082.846 1.1. ORÇAMENTO FISCAL 19.037.128.944

Leia mais

MG TI 2022 PROGRAMA DE GOVERNO DEZEMBRO DE 2012

MG TI 2022 PROGRAMA DE GOVERNO DEZEMBRO DE 2012 MG TI 2022 PROGRAMA DE GOVERNO DEZEMBRO DE 2012 Qual é o desafio? O programa BH TI 2022 começou com o desafio de fazer de Belo Horizonte a capital nacional de TI* até 2022 e evoluiu para uma proposta de

Leia mais

Economia Criativa conceito

Economia Criativa conceito Economia Criativa conceito A Economia Criativa é um conceito ainda em desenvolvimento, que compreende a gestão da criatividade para gerar riquezas culturais, sociais e econômicas. Abrange os ciclos de

Leia mais

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste MACUCO SÃO SEBASTIÃO DO ALTO FRIBURGO CACHOEIRAS DE MACACU SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS BARRA MANSA RIO CLARO BARRA DO PIRAÍ VALENÇA 5º Congresso Fluminense de

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República POLÍTICA OPERACIONAL 2012-2014 Presidente da República Dilma Vana Rousseff Vice-Presidente da República Michel Temer Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antonio Raupp Secretário

Leia mais

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora.

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora. 1 Grande Expediente proferido pela Dep. Profª Raquel Teixeira Brasília, 20.03.2006 Uma recente pesquisa publicada pelo Global Entrepreneurship Monitor coloca o Brasil em 7º lugar entre as nações mais empreendedoras

Leia mais

PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010

PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010 PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010 DESIGN COMO DIFERENCIAL NA EXPORTAÇÃO : O CASO DO IBGM PRINCIPAIS INSTRUMENTOS : Caderno de Tendências / Preview / Fontes de

Leia mais

Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA

Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA Aliança euro-latino americana de cooperação entre cidades Financiado pela União Europeia Objetivo de fortalecer suas relações internacionais para melhorar

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DANÇA

PLANO NACIONAL DE DANÇA PLANO NACIONAL DE DANÇA I APRESENTAÇÃO II - DIRETRIZES E AÇÕES II HISTÓRICO DO SETOR NO PAÍS III DIAGNOSE DE POTENCIAL E PONTOS CRÍTICOS DO SETOR IV DADOS DO SETOR PARA O SISTEMA DE INFORMAÇÕES E INDICADORES

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Tubarão 27 e 28 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta de

Leia mais

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual)

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual) PRODETUR NACIONAL / Bahia Unidade Coordenadora de Projetos UCP/Bahia Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMOS DE REFERÊNCIA Nº 002/2011 SETUR / BAHIA Categoria de Investimento: Consultoria 1. Do

Leia mais

Indústria Têxtil de Santa Catarina, Perspectivas e Desafios para o Crescimento

Indústria Têxtil de Santa Catarina, Perspectivas e Desafios para o Crescimento apresenta: Indústria Têxtil de Santa Catarina, Perspectivas e Desafios para o Crescimento Junho de 2015 apoio: patrocínio: Setor Têxtil em SC Polo Têxtil de Blumenau Dimensões e Importância de Santa Catarina

Leia mais

Oportunidades para Empresas Locais de TI de Pequeno Porte

Oportunidades para Empresas Locais de TI de Pequeno Porte O Cenário de TI na Bahia: Perspectivas e Oportunidades Oportunidades para Empresas Locais de TI de Pequeno Porte FIEB :: 23/11/2012 Agenda Agenda Quem é a ASSESPRO Importância das MPEs O cenário de tecnologia

Leia mais

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Fundação Getulio Vargas, Abril de 2011 REGIÃO PODE TER LEGADO COMPATÍVEL COM DESENVOLVIMENTO INOVADOR E SUSTENTÁVEL Deixar um legado

Leia mais

Plano de Desenvolvimento integrado do arranjo produtivo local da madeira de Porto União da Vitória

Plano de Desenvolvimento integrado do arranjo produtivo local da madeira de Porto União da Vitória Plano de Desenvolvimento integrado do arranjo produtivo local da madeira de Porto União da Vitória ETAPAS DE EXECUÇÃO Validação do Plano de Desenvolvimento pelo Comitê Gestor do APL e empresas participantes

Leia mais

Estudo da demanda turística internacional 2007-2013

Estudo da demanda turística internacional 2007-2013 Departamento de Estudos e Pesquisas Secretária Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Estudo da demanda turística internacional 2007-2013 Brasília, novembro de 2014 Sumário 1 Perfil da

Leia mais

PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Novembro/2012 Fortaleza- CE

PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Novembro/2012 Fortaleza- CE PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Novembro/2012 Fortaleza- CE Currículo do Palestrante Estudou no CMF no período de 1974-1980. saindo como reservista pelo CFR (3º. Sgt). Ingressou na EFOMM CIAGA (1981).

Leia mais

Perfil. A RHBrasil é uma das maiores consultorias em recursos humanos do país. Atende nacionalmente com rede de unidades própria e presta serviços de

Perfil. A RHBrasil é uma das maiores consultorias em recursos humanos do país. Atende nacionalmente com rede de unidades própria e presta serviços de 1 Perfil 2 A RHBrasil é uma das maiores consultorias em recursos humanos do país. Atende nacionalmente com rede de unidades própria e presta serviços de recrutamento e seleção, administração de mão de

Leia mais

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo?

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? BRDE INOVA O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor)

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Principais obstáculos à ampliação da produtividade do trabalho

Leia mais

Análise dos investimentos industriais previstos para a Bahia por Territórios de Identidade e setores de atividade econômica entre 2008 e 2012

Análise dos investimentos industriais previstos para a Bahia por Territórios de Identidade e setores de atividade econômica entre 2008 e 2012 ARTIGOS Análise dos investimentos industriais previstos para a Bahia por Territórios de Identidade e setores de atividade econômica entre 2008 e 2012 Fabiana Karine S. Andrade* Os investimentos industriais

Leia mais

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO PLANEJAMENTO TERRITORIAL E TURISMO: UM ESTUDO DAS ESTÂNCIAS TURÍSTICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO RIBEIRO, RENATA MARIA 1 MARGARETE ARAUJO TELES 2 Resumo: Esse estudo defende a pertinência em aliar o planejamento

Leia mais

CERTIFICAÇÃO: QUALIDADE PARA O VAREJO BRASILEIRO

CERTIFICAÇÃO: QUALIDADE PARA O VAREJO BRASILEIRO ENTENDA O QUE SÃO E OS PROCESSOS PARA CERTIFICAÇÕES As certificações são diferenciais para conquistar consumidores externos que buscam a garantia de processos e normas de qualidade dos produtos Os processos

Leia mais

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS)

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) RESUMO: O objetivo deste trabalho é apresentar um Plano de Marketing para uma agência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ INSTITUTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ INSTITUTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ INSTITUTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÓS-INCUBAÇÃO DE EMPRESAS Conceituação e Estudos de Caso BRENO BASTOS MIGUEZ 15653 FERNANDA HELENA COSTA

Leia mais

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Comissão de Elaboração do Plano Municipal de Cultura: Anderson Beluzzo, Celso Peixoto, Dagma Castro, Elias Alcides Luciano, Guilhermina Stuker, João Alexandre

Leia mais