Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios"

Transcrição

1

2 Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios

3 As MPEs As micro e pequenas empresas contribuem de forma significativa para o desenvolvimento econômico de um País. No Brasil, elas representam 99% de todas as empresas e empregam 52% dos trabalhadores com carteira assinada (CLT).

4 Brasil As MPEs em números Microempresas: Empresas de pequeno porte: Total: Nº de empregos gerados: 52% (carteira assinada) Nº de empreendedores individuais: Micro e pequenas: 99% das empresas formais do Brasil 28% do faturamento das empresas está nas MPEs 20% do PIB está nas MPEs

5 A importância dos negócios de pequeno porte no cenário econômico

6 A importância dos negócios de pequeno porte no cenário econômico Pequenas empresas participam cada vez mais do processo de desenvolvimento do Brasil. Matriz do desenvolvimento não se apoia apenas nas grandes empresas, mas no encadeamento de atividades que envolvem empresas de todos os portes.

7 Faturamento das MPEs Faturamento Real MPEs do Estado de São Paulo Variação (%) no mês no ano em 12 meses Setores de atividade Out 12 Jan - Out 12 Out 12 Set 12 Jan - Out 11 Out 11 Estado de São Paulo 7,9 8,6 15,3 Setores Indústria 14,0 6,1 15,8 Comércio 12,0 9,4 20,9 Serviços 0,4 8,7 7,7 Regiões RMSP 5,0 6,7 16,5 Interior 11,1 10,6 14,1 Grande ABC 24,1 11,0 26,3 Município de São Paulo 5,8 6,0 20,6

8 Setores das MPEs O setor de comércio tem a maior participação no número de MPEs com 48% do total, ou 880 mil estabelecimentos Serviços fica em segundo lugar com 40% do total de MPEs, ou 770 mil estabelecimentos. O setor deverá ultrapassar o comércio, em número de MPEs, pela primeira vez em 2015 Indústria vem em terceiro, com 12%, ou 220 mil estabelecimentos em números absolutos

9 Ranking do setor de serviços Alimentação: Compostas principalmente por lanchonetes, bares e restaurantes representam a atividade com maior número de empresas de pequeno porte no setor. São mais de 140 mil estabelecimentos no Estado, com 260 mil empregos e R$ 2,7 bilhões em pagamentos de salários. A tendência é que a liderança desta atividade se mantenha, abrindo diversas oportunidades para os empreendedores - 19,4% do total, com taxa de crescimento anual de 3,3%. Serviços de escritório e apoio administrativo: Representados, principalmente, pelas empresas fornecedoras de serviços em virtude da forte tendência de terceirização - 11,5% de participação no número de MPEs, com 6,7% de crescimento médio anual Transporte Terrestre: 9,2% de participação no número de MPEs e 4,8% de crescimento médio anual.

10 Empreendedores: quem são eles?

11 Os empreendedores iniciais Brasil: distribuição dos empreendedores iniciais por gênero Gênero/ ano Masculino 57,6% 53,2% 56,6% 50,0% 56,2% 47,6% 52,7% 47,0% 50,7% 51,4% Feminino 42,4% 46,8% 43,4% 50,0% 43,8% 52,4% 47,3% 53,0% 49,3% 48,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Relatório GEM. Empreendedores iniciais Empreendedores que em um prazo de 3,5 anos iniciaram um empreendimento formal ou informal, ou realizaram ações no sentido de iniciar um empreendimento.

12 A mulher no mercado

13 A mulher no mercado De cada 100 empreendedores iniciais (envolvidos na criação de negócio ou que já têm negócio com até 42 meses), 49 têm comando feminino no Brasil. Média mundial (54 países pesquisados) é 37. Mulheres preferem empreender em negócios como estética e tratamento de beleza, comércio de vestuário, fornecimento de comida preparada e confecções. Homens preferem atividades ligadas à manutenção e reparação de veículos automotores, minimercados, lanchonetes e similares, e transporte de passageiros. Fonte: Global Entrepreneurship Monitor (GEM)

14 Participação da mulher brasileira (em %) Fonte: Elaborado pelo SEBRAE-SP, a partir da PNAD/IBGE.

15 Faixa etária dos empreendedores Até 24 anos: 13%; 25 a 39 anos: 49% 40 a 49 anos: 24% 50 anos ou mais: 13% ** Nota: O total pode diferir de 100% devido a arredondamentos. ** Nota: Empresas constituídas entre 2003 e 2007 Fonte: Pesquisa do Sebrae-SP Doze anos de monitoramento da sobrevivência e mortalidade de empresas

16 Faixa etária dos empresários no momento da abertura

17 Por que os empreendedores abriram uma MPE? 40% desejavam ter o próprio negócio 33% identificaram uma oportunidade 9% queriam melhorar de vida (aumentar a renda) 8% abriram por exigência de clientes 4% estavam desempregados 6% alegaram outros motivos

18 Grau de escolaridade

19 Necessidade x Oportunidade 23% Necessidade 23% Oportunidade 77% 77%

20 Mortalidade das empresas Taxa de Sobrevivência de Empresas no país nos primeiros dois anos: 73,1%

21 Mortalidade das empresas 80,0% 74,8% 75,1% 72,2% 74,1% 71,3% 71,7% 66,2% 62,6% 60,0% Indústria Comércio Serviços Construção Civil Empresas constituídas em 2005 Empresas constituídas em 2006

22 Taxa de sobrevivência das empresas, até dois anos no mercado, por Unidade da Federação (empresas constituídas em 2006)

23 Por que as empresas fecham? comportamento empreendedor pouco desenvolvido; falta de planejamento prévio; flutuações na conjuntura econômica; gestão deficiente do negócio; problemas pessoais dos proprietários; insuficiência de políticas de apoio.

24 Sobrevivência das empresas As chances de sobrevivência no mercado são similares, independente da faixa etária dos proprietários. As empresas dirigidas por jovens (pessoas de 18 a 24 anos) ou por aposentados (na faixa a partir dos 50 anos ou mais) não tem chances maiores de fechar prematuramente (de um a cinco anos no mercado).

25 Inovação

26 Inovação Pesquisa Inovação e Competitividade nas MPEs no Brasil/2009 indicou que no período de 12 meses: 25% das MPEs introduziram um novo processo ou método no estabelecimento; 24% introduziram um novo produto ou serviço; 17% conquistaram um novo mercado.

27 Volume de recursos gastos com inovação Processo ou método: 50% das MPEs gastaram até R$ 2,5 mil; Produto ou serviço: 50% das MPEs gastaram até R$ 3 mil; Mercados: 50% das MPEs não tiveram custos financeiros.

28 Grau de inovação Não-inovadoras - 54% Inovadoras - 43% Muito inovadoras - 4%

29 As MPEs que inovam têm desempenho superior Na comparação de 2008 com 2007, 86% das MPEs muito inovadoras e 64% das MPEs inovadoras declararam aumento de faturamento, ante 47% das MPEs não-inovadoras.

30 O Empreendedor Individual

31 O Empreendedor Individual Trabalha por conta própria Fatura no máximo até R$ ,00 por ano Não tem participação em outra empresa como sócio ou titular Pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

32 O Empreendedor Individual Tem entre 25 e 39 anos 43% Trabalham em casa 96% não têm empregados Foco no setor de serviços e comércio, assim como a MPE 54% homens e 46% mulheres 38% já praticavam a atividade antes da formalização 23% estavam desempregados.

33 Os EIs em números No Estado de SP, em 2011 os Empreendedores Individuais formalizados eram Em outubro deste ano o número passou para O Brasil conta com 2,9 milhões de EIs 69% dos EIs buscaram a formalização pela oportunidade de abrir um negócio e ter o CNPJ. 94% dos EIs recomendam a formalização. A formalização aumentou 55% o faturamento dos EIs 51% dos EIs afirmam ter melhorado o controle financeiro da empresa com a formalização. Em 2014, o número de EIs no Brasil será de 4,3 milhões, contra 4,2 milhões de MPEs.

34 Educação empreendedora no Sebrae

35 Educação empreendedora no Sebrae Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos O JEPP é destinado a crianças e jovens de 7 a 14 anos do nível fundamental de ensino. O programa tem como objetivo disseminação da cultura empreendedora a fim de despertar na população escolar a iniciativa na busca de possibilidades de inserção no mercado de trabalho por meio da criação do próprio negócio.

36 Educação empreendedora no Sebrae Formação de Jovens Empreendedores O FJE estimula a gerar novas ideias e, a partir de seu conhecimento técnico e gerencial, transformar uma ideia em produto ou serviço. É aplicado nas escolas públicas, privadas e técnicas de Ensino Médio como curso extracurricular e poderá também, de acordo com os critérios da instituição, ser integrado ao currículo regular da escola. O curso leva aos participantes o conhecimento e o desenvolvimento de habilidades e atitudes sobre empreendedorismo, mercado e finanças para a gestão de pequenos negócios.

37 Educação empreendedora no Sebrae Disciplina Empreendedorismo Tem como objetivo incluir na grade curricular a disciplina sobre empreendedorismo e, assim, desenvolver essa cultura entre os jovens universitários. A disciplina tem 60 horas de duração e conta com três módulos: o primeiro trabalha o comportamento empreendedor, o segundo o mercado e o terceiro plano de negócios. O Sebrae-SP capacita os professores para que eles multipliquem os conhecimentos aos alunos.

38 Educação empreendedora no Sebrae Desafio Sebrae Jogo de negócios que simula a concorrência entre empresas em um mercado virtual. Busca desenvolver conhecimentos de gestão de negócios e competências empreendedoras. Considerado por especialistas como o maior business game do mundo, o Desafio Sebrae representa hoje a principal contribuição do Sebrae para a difusão da cultura empreendedora no meio universitário. Este ano, inscreveram-se mais de 154 mil alunos, sendo que 58% estão na faixa de 18 a 22 anos.

39 Desafios para o futuro A Copa do Mundo da FIFA de 2014

40 A Copa do Mundo da FIFA de 2014 A Copa do Mundo da FIFA de 2014 deverá corresponder a 2 Paradas Gay e 3 Prêmios de Fórmula 1. De acordo com o mapeamento do Sebrae, encomendado à Fundação Getúlio Vargas (FGV), haverá possibilidades de negócios para pequenos empreendimentos antes, durante e após o evento Segundo o estudo da Ernest Young realizado em parceria com a FGV, a Copa do Mundo de 2014 vai representar um movimento adicional de R$142,39 bilhões no Brasil, entre 2010 e 2014.

41 As conquistas do Brasil com a Copa

42 Setores e números de oportunidades SETOR NÚMERO DE OPORTUNIDADES IDENTIFICADAS SP CONSTRUÇÃO CIVIL 128 MADEIRA E MÓVEIS 39 TEXTIL E VESTUÁRIO 60 TURISMO 74 PRODUÇÃO ASSOCIADA AO TURISMO 65 SERVIÇOS 63 AGRONEGÓCIOS 75 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 80 COMÉRCIO VAREJISTA 122

43 Tipos de oportunidades para as MPEs REALIZAÇÃO DE NEGÓCIOS DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL (INCREMENTO DE COMPETITIVIDADE)

44 Obrigado twitter.com/bcaetano facebook.com/bcaetano1

45

PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ

PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ 1 PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ Marta Paiz 1 Márcia Bonifácio Stooc 2 Adriana Picagevicz Mellk 3 Jaime Antonio Stoffel 4 Nelson Alpini

Leia mais

O PERFIL DAS MULHERES EMPREENDEDORAS

O PERFIL DAS MULHERES EMPREENDEDORAS O PERFIL DAS MULHERES EMPREENDEDORAS EMPREENDEDORISMO NO BRASIL 1. Popularizou-se a partir da década de 1990. 2. Fortalecimento 2007 Lei Geral da Micro e Pequena Empresa 2008 Lei do Microempreendedor Individual

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, criada em 1972. Desvinculado da administração pública

Leia mais

10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas. 13/Outubro/2008

10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas. 13/Outubro/2008 10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas 13/Outubro/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar (atualizar) a taxa de mortalidade das empresas; Identificar os principais

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Empreendedorismo, transformando idéias em negócios. (Introdução)

Empreendedorismo, transformando idéias em negócios. (Introdução) Empreendedorismo, transformando idéias em negócios (Introdução) Prof. Dr. José Dornelas A revolução do empreendedorismo O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do

Leia mais

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social Florianópolis - SC 27 de outubro de 2014 A INFORMALIDADE NO BRASIL A INFORMALIDADE Pesquisa ECINF IBGE Pertencem ao setor

Leia mais

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Subsecretaria de Pequenas Empresas A Subsecretaria é uma unidade orgânica subordinada ao Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Gestão dos Pequenos Negócios

Gestão dos Pequenos Negócios Gestão dos Pequenos Negócios x Rangel Miranda Gerente Regional do Sebrae Porto Velho, RO, 20 de outubro de 2015 A Conjuntura Atual Queda na produção industrial Desemprego Alta dos juros Restrição ao crédito

Leia mais

PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Novembro/2012 Fortaleza- CE

PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Novembro/2012 Fortaleza- CE PAESTRA: OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Novembro/2012 Fortaleza- CE Currículo do Palestrante Estudou no CMF no período de 1974-1980. saindo como reservista pelo CFR (3º. Sgt). Ingressou na EFOMM CIAGA (1981).

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS MICROFINANÇAS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DAS MICROFINANÇAS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DAS MICROFINANÇAS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS V Seminário Banco Central sobre Microfinanças 8 e 9 de junho de 2006 Recife PE Carlos Alberto dos Santos A IMPORTÂNCIA DAS MICROFINANÇAS

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE CASOS PARA PARTICIPAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INICIATIVAS INOVADORAS PARA SUSTENTABILIDADE EM DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA

EDITAL CHAMADA DE CASOS PARA PARTICIPAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INICIATIVAS INOVADORAS PARA SUSTENTABILIDADE EM DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA EDITAL CHAMADA DE CASOS PARA PARTICIPAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INICIATIVAS INOVADORAS PARA SUSTENTABILIDADE EM DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio

Leia mais

Sobrevivência e Mortalidade das Empresas Paulistas de 1 a 5 anos. Outubro de 2005

Sobrevivência e Mortalidade das Empresas Paulistas de 1 a 5 anos. Outubro de 2005 Sobrevivência e Mortalidade das Empresas Paulistas de 1 a 5 anos Outubro de 2005 1 Objetivos: Características da pesquisa Identificar (atualizar) a taxa de mortalidade das empresas de 1 a 5 anos. Identificar

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora.

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora. 1 Grande Expediente proferido pela Dep. Profª Raquel Teixeira Brasília, 20.03.2006 Uma recente pesquisa publicada pelo Global Entrepreneurship Monitor coloca o Brasil em 7º lugar entre as nações mais empreendedoras

Leia mais

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa

DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa São Paulo, 05 de dezembro de 2011 NOTA À IMPRENSA DIEESE e SEBRAE lançam Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa O aumento no número de estabelecimentos de micro e pequenas empresas no Brasil, bem

Leia mais

Empreender. A chave para o sucesso profissional. José Dornelas. www.josedornelas.com. www.josedornelas.com

Empreender. A chave para o sucesso profissional. José Dornelas. www.josedornelas.com. www.josedornelas.com Empreender A chave para o sucesso profissional José Dornelas Empreendedorismo = Criar Empresa? SIM NÃO Por que empreendedorismo? Geração de emprego e renda Desenvolvimento econômico Desenvolvimento local

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Capacidade Empresarial (Não Capital) Em Foz do Iguaçu, o Capital Humano é Protagonista na Excelência do Destino

Melhor Prática vencedora: Capacidade Empresarial (Não Capital) Em Foz do Iguaçu, o Capital Humano é Protagonista na Excelência do Destino 1 Melhor Prática vencedora: Capacidade Empresarial (Não Capital) Em Foz do Iguaçu, o Capital Humano é Protagonista na Excelência do Destino DESTINO: Foz do Iguaçu/PR INSTITUIÇÃO PROMOTORA: Secretaria Municipal

Leia mais

Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. SEBRAE. Curitiba, 24 de janeiro de 2012. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.

Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. SEBRAE. Curitiba, 24 de janeiro de 2012. 0800 570 0800 / www.sebrae.com. Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. Curitiba, 24 de janeiro de 2012 REPRESENTATIVIDADE DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL 7 milhões de negócios formais (99%) e 10 milhões

Leia mais

ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE

ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE EMPREENDEDORISMO Empreendedorismo A Administração da revolução O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial foi

Leia mais

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL Um estudo de perfil sócio-econômico para subsidiar ações estratégicas na categoria MARÇO DE 2010 ALOISIO LEÃO DA COSTA

Leia mais

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo AS CONQUISTAS DO BRASIL COM O MEGA EVENTO - COPA DO MUNDO DE FUTEBOL 2014 CONCEITO Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo turístico, cobertura pela mídia, construção

Leia mais

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2013: análise dos principais resultados de Goiás

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2013: análise dos principais resultados de Goiás Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2013: análise dos principais resultados de Goiás A 6ª edição do Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa é um dos produtos elaborados por meio da parceria

Leia mais

Sebrae: O jovem empreendedor

Sebrae: O jovem empreendedor Sebrae: O jovem empreendedor JOSÉ LUIZ RICCA COM O FIM do ciclo da Revolução Industrial, o mundo do trabalho vem passando por transformações que, no seu conjunto, configuram o ingresso em uma nova etapa

Leia mais

Etapas para a preparação de um plano de negócios

Etapas para a preparação de um plano de negócios 1 Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: EMPREENDEDORISMO Turma: 5 ADN Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: O PLANO DE NEGÓCIO A necessidade de um plano de negócio

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI ISSN 27-702 Ano 5 Número 24 Agosto de 205 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Crise econômica I - Mercado de trabalho 24 Crise econômica muda relação de brasileiros com o mercado de trabalho

Leia mais

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2 A mulher no mercado de trabalho e na organização sindical Expediente: Produzido pelo Instituto Latinoamericano de Estudos Socioeconômicos. Praça Padre Manuel da Nóbrega, 16-4º andar. Sé - São Paulo SP.

Leia mais

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001.

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001. O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * Adalberto Luiz de Souza ** RESUMO: Este texto tem por finalidade descrever o papel do representante da direção, referente ao atendimento de requisito

Leia mais

PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA

PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA OBJETIVO GERAL: Estimular o crescimento e o desenvolvimento econômico e social do DF, por meio do fortalecimento do Sistema Público de Emprego, garantindo

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS A POPULAÇÃO IDOSA NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE SETEMBRO - 2008 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

Leia mais

GT de Economia Criativa

GT de Economia Criativa GT de Economia Criativa Santa Maria, 02 de outubro de 2012 Pauta da reunião 1) Ações após a 1ª reunião do GT 2) Apresentação do Projeto de Mapeamento Georreferenciado da Economia Criativa 3) Apresentação

Leia mais

Elaboração e Avaliação de Projetos Sociais. Prof. Lucas Henrique da Luz E-mail: lhluz@unisinos.br Telefone:(51) 95076495

Elaboração e Avaliação de Projetos Sociais. Prof. Lucas Henrique da Luz E-mail: lhluz@unisinos.br Telefone:(51) 95076495 Elaboração e Avaliação de Projetos Sociais com Prof. Lucas Henrique da Luz Elaboração e Avaliação de Projetos Sociais Prof. Lucas Henrique da Luz E-mail: lhluz@unisinos.br Telefone:(51) 95076495 O que

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO Orientador Empresarial Microempreendedor Individual-Formalização-Setor de Serviços-Crescimento SETOR DE SERVIÇOS É CAMPEÃO EM

Leia mais

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa?

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa? Destaque: Somos, nós mulheres, tradicionalmente responsáveis pelas ações de reprodução da vida no espaço doméstico e a partir da última metade do século passado estamos cada vez mais inseridas diretamente

Leia mais

O Empreendedor Fabiano Marques

O Empreendedor Fabiano Marques O Empreendedor Fabiano Marques O interesse pelo empreendedorismo no mundo é algo recente. Neste sentido, podese dizer que houve um crescimento acentuado da atividade empreendedora a partir de 1990. Com

Leia mais

Pesquisa de Avaliação da Feira do Empreendedor 2010. Visitantes e Expositores SEBRAE/SE SETEMBRO/2010

Pesquisa de Avaliação da Feira do Empreendedor 2010. Visitantes e Expositores SEBRAE/SE SETEMBRO/2010 Pesquisa de Avaliação da Feira do Empreendedor 2010 Visitantes e Expositores SEBRAE/SE SETEMBRO/2010 Sumário Introdução 3 Objetivos Estratégicos 4 Metodologia 5 Resultados Estratégicos 9 Resultados Reação

Leia mais

O Desafio do Educador no Ensino do Empreendedorismo

O Desafio do Educador no Ensino do Empreendedorismo O Desafio do Educador no Ensino do Empreendedorismo José Dornelas www.josedornelas.com.br Premissas do Ensino Eficaz de Empreendedorismo 1. Não há regras rígidas 2. Não existe um modelo único de ensino

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 10 ÍNDICE DO PORTFOLIO Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 3 Consultoria...

Leia mais

B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5

B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5 B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5 O I N V E S T I M E N T O P E L A L Ó G I C A D A D E M A N D A R E N A T O M E I R E L L E S r e n a t o @ d a t a p

Leia mais

Secretaria Nacional da Juventude da Força Sindical BRASIL BRASIL MERCADO DE TRABALHO DESEMPREGO POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O PRIMEIRO EMPREGO

Secretaria Nacional da Juventude da Força Sindical BRASIL BRASIL MERCADO DE TRABALHO DESEMPREGO POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O PRIMEIRO EMPREGO Secretaria Nacional da Juventude da Força Sindical BRASIL População Jovem no Brasil 17% Não Jovens Jovens 83% 180 Milhões de Habitantes 30,8 Milhões de Jovens (17,1%) Fonte: IBGE 2004 BRASIL Distribuição

Leia mais

- BRASIL: 10ª NAÇÃO + EMPREENDEDORA DO MUNDO!! - RAZÕES: 1) QUER SER DONO DO PRÓPRIO NEGÓCIO 2) IDENTIFICOU OPORTUNIDADE 3) QUER MELHORAR DE VIDA

- BRASIL: 10ª NAÇÃO + EMPREENDEDORA DO MUNDO!! - RAZÕES: 1) QUER SER DONO DO PRÓPRIO NEGÓCIO 2) IDENTIFICOU OPORTUNIDADE 3) QUER MELHORAR DE VIDA SETEMBRO 2010 - BRASIL: 10ª NAÇÃO + EMPREENDEDORA DO MUNDO!! - RAZÕES: 1) QUER SER DONO DO PRÓPRIO NEGÓCIO 2) IDENTIFICOU OPORTUNIDADE 3) QUER MELHORAR DE VIDA - CAPITAL: PRÓPRIO: 83% EMPRÉSTIMO: 14% -

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio

EMPREENDEDORISMO. Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio EMPREENDEDORISMO Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio RESUMO: O trabalho visa abordar o que vem a ser empreendedorismo e iconoclastas, bem

Leia mais

Como IDENTIFICAr AS oportunidades E CoNqUISTAr o ClIENTE

Como IDENTIFICAr AS oportunidades E CoNqUISTAr o ClIENTE Como IDENTIFICAr AS oportunidades E CoNqUISTAr o ClIENTE A abertura de empresas tem uma grande importância na sociedade em que vivemos, pois gera diversos benefícios, como empregos e riquezas para o país.

Leia mais

PERUINCUBA 2008 Semana del Emprendimiento y la Incubacion "De la Idea a la Realidad

PERUINCUBA 2008 Semana del Emprendimiento y la Incubacion De la Idea a la Realidad P rograma SEBRAE SP de Incubadoras de Empresas PERUINCUBA 2008 Semana del Emprendimiento y la Incubacion "De la Idea a la Realidad O que as MPE s representam para a economia brasileira? Número de Empresas...98

Leia mais

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae)

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais feitas em abril de 2015. Análise da base de dados do Microempreendedor Individual

Leia mais

Liderança empreendedora

Liderança empreendedora Liderança empreendedora Oportunidades de negócios para empreendedores em 2020 Nilson Redis Caldeira Cenário para os próximos anos Ênfase na inovação Busca por qualidade de vida Envelhecimento da população

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Empreenda (Quase) Sem Dinheiro

Empreenda (Quase) Sem Dinheiro Empreenda (Quase) Sem Dinheiro Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br Bem-vindoà versão de demonstração do curso Empreenda (Quase) Sem Dinheiro! Vocêpoderá conferir alguns vídeos do curso antes

Leia mais

PARTE VI ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA. Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br www.justocantins.com.br

PARTE VI ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA. Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br www.justocantins.com.br PARTE VI ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA REFLEXÃO O que leva uma pessoa a ser empresário? A realidade de ser empresário. Nem tudo são flores, os espinhos sempre estão juntos... BRASIL Um país Empreendedor

Leia mais

Zootecnia: Gestão e Inovação. III Seminário Nacional de Ensino de Zootecnia Foz do Iguaçu/PR 07/05/2013

Zootecnia: Gestão e Inovação. III Seminário Nacional de Ensino de Zootecnia Foz do Iguaçu/PR 07/05/2013 Zootecnia: Gestão e Inovação III Seminário Nacional de Ensino de Zootecnia Foz do Iguaçu/PR 07/05/2013 Prof. Dr. Celso da Costa Carrer Faculdade Zootecnia e Engenharia de Alimentos - FZEA/USP Agenda Introdução

Leia mais

EMPREENDEDORISMO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMPREENDEDORISMO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMPREENDEDORISMO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA A revolução do empreendedorismo O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial

Leia mais

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a mobilidade, a coesão social e a igualdade de género,

Leia mais

FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO EMPRETEC

FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO EMPRETEC FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO EMPRETEC PROGRAMA PARA EMPREENDEDORES DADOS PESSOAIS E DA EMPRESA (Interesse do Sebrae) PONTUAÇÃO: DATA DA ENTREVISTA: / / 1. NOME COMPLETO: E-mail: 2. SEXO: ( ) MASCULINO ( )

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

2. Desenvolver Pesquisa de Campo sobre uma pequena empresa conforme modelo de pesquisa anexo.

2. Desenvolver Pesquisa de Campo sobre uma pequena empresa conforme modelo de pesquisa anexo. 1 1. ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2. OBJETIVO Resolução nº 01 de 02/02/2004 do Conselho Nacional de Educação CNEC/CN/MEC. Proporcionar ao estudante oportunidade de desenvolver suas habilidades, analisar situações

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, dezembro

Leia mais

Atribuições dos Tecnólogos

Atribuições dos Tecnólogos UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONTRUÇÃO CIVIL EDIFÍCIOS E ESTRADAS Atribuições dos Tecnólogos Prof.ª Me. Fabiana Marques Maio / 2014 SOBRE O TECNÓLOGO Segundo

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais

Formalização das relações de trabalho

Formalização das relações de trabalho PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Formalização das relações de trabalho SÚMARIO EXECUTIVO O aumento da proporção de ocupações com relações de trabalho formalizadas,

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 -

PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 - PRESTAÇÃO DE CONTAS - projetos e ações da Seger em 2011 - MELHORIA DA GESTÃO PÚBLICA E VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR Este eixo estratégico tem por objetivo ampliar e modernizar o atendimento ao cidadão, a formação,

Leia mais

O Que se entende por Educação Empreendedora?

O Que se entende por Educação Empreendedora? O Que se entende por Educação Empreendedora? Ensino e aprendizagem de empreendedorismo envolvem o desenvolvimento de conhecimento, habilidades, atitudes e qualidades pessoais apropriadas à idade e desenvolvimento

Leia mais

Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve

Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL. O QUE É E PARA QUE SERVE Objetivo específico - Ao concluir este módulo, você vai ser capaz de

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

CRIANDO A NOVA GERAÇÃO DE EMPREENDEDORES BRASILEIROS

CRIANDO A NOVA GERAÇÃO DE EMPREENDEDORES BRASILEIROS CRIANDO A NOVA GERAÇÃO DE EMPREENDEDORES BRASILEIROS ONDE ESTÃO OS FUTUROS EMPREENDEDORES QUE TRANSFORMARÃO O BRASIL? PROVAVELMENTE, NA SALA AO LADO. DOS UNIVERSITÁRIOS PENSAM EM ABRIR UM NOVO NEGÓCIO

Leia mais

Qualidade & Produtividade

Qualidade & Produtividade Qualidade & Produtividade Conceitos que mudam um negócio! rev. 10/05 Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo O QUE PODEMOS

Leia mais

Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem

Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem Henrique Montserrat Fernandez Muitas pessoas, antes de abrir a empresa, já têm uma idéia do que ela produzirá. Mas será que é isso que os clientes

Leia mais

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Fundação Getulio Vargas, Abril de 2011 REGIÃO PODE TER LEGADO COMPATÍVEL COM DESENVOLVIMENTO INOVADOR E SUSTENTÁVEL Deixar um legado

Leia mais

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Comitê Temático Investimento e Financiamento Diretoria de Micro e Pequenas Empresas setembro/2008 Agenda Atuação do BB no Segmento MPE Evolução

Leia mais

Esse projeto enfatiza duas questões principais:

Esse projeto enfatiza duas questões principais: 1 Introdução O principal objetivo desta dissertação o é contribuir para o debate sobre a internacionalização de pequenas e médias empresas, destacando um tipo peculiar de empresas desta categoria, as empresas

Leia mais

Reflexões. Quando o problema tem solução, pense na solução! Quando o problema não tem solução, esqueça-o e, então, deixa de ser um problema!

Reflexões. Quando o problema tem solução, pense na solução! Quando o problema não tem solução, esqueça-o e, então, deixa de ser um problema! A Sucessão Familiar Reflexões Quando o problema tem solução, pense na solução! Quando o problema não tem solução, esqueça-o e, então, deixa de ser um problema! (Autor desconhecido) Enquanto, o pessimista

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe 2º Ciclo do Ensino Secundário Geral Ensino Técnico-Profissional FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais

Leia mais

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS.

ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. ANÁLISE CUSTO - VOLUME - LUCRO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Thaisa Rodrigues Marcondes 1, Maria Auxiliadora Antunes 2 ¹ Universidade do Vale do Paraíba/Faculdade de Ciências

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2010 SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO FINANCEIRA EM CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA. Contatos Luiz Augusto Gonçalves de

Leia mais

DIGITAL & IMPRESSO O BOLETIM DO EMPRESÁRIO DIGITAL & IMPRESSO

DIGITAL & IMPRESSO O BOLETIM DO EMPRESÁRIO DIGITAL & IMPRESSO A EDITORA A Balaminut editora, fundada em 1997, tem seu negócio centrado no mercado editorial de revistas e boletins informativos, integrado com tecnologia e comunicação como ação estratégica. editora

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das

Leia mais

O EMPREGO DOMÉSTICO. Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Região Metropolitana de São Paulo. Abril 2007

O EMPREGO DOMÉSTICO. Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Região Metropolitana de São Paulo. Abril 2007 O EMPREGO DOMÉSTICO Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Abril 2007 Perfil de um emprego que responde por 17,7% do total da ocupação feminina e tem 95,9% de seus postos de trabalho

Leia mais

Oficina DESENVOLVA A SUA EMPRESA

Oficina DESENVOLVA A SUA EMPRESA Oficina DESENVOLVA A SUA EMPRESA Henrique Rafael da Silva Romão Escritório Regional de Sorocaba Unidade de Educação 1 IDENTIDADE INSTITUCIONAL NEGÓCIO Espaço que a organização pretende ocupar em relação

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

ENADE 2015 CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

ENADE 2015 CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS ENADE 2015 CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS 24/08/2015 O QUE É O ENADE? Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) é um componente da avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da

Leia mais

DEPARTAMENTO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FIESP/DEMPI

DEPARTAMENTO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FIESP/DEMPI DEPARTAMENTO DA MICRO, PEQUENA FIESP/DEMPI DEMPI DEPARTAMENTO DA MICRO, PEQUENA QUAL PERFIL DAS MPEs NO CENÁRIO ECONÔMICO DO PAÍS? REPRESENTATIVIDADE BRASIL SÃO PAULO Total de Empresas: 5,6 milhões Micro

Leia mais

Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS

Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Resenha: A vida sem emprego: Por que jovens talentosos estão trocando a segurança da carteira assinada pela liberdade de empreender Aluna: Carine Ebert Disciplina:

Leia mais

ANEXO II PROJETO PEDAGÓGICO

ANEXO II PROJETO PEDAGÓGICO ANEXO II PROJETO PEDAGÓGICO 1 IDENTIFICAÇÃO 1.1 DA INSTITUIÇÃO FEDERAL: Nome da instituição: CNPJ: Nome do Reitor(a) ou do Diretor(a)-Geral do CEFET: Endereço da reitoria ou unidade sede: Telefones (comercial

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade I PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade I PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade I PLANO DE NEGÓCIOS O que vamos ver hoje Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de oportunidades

Leia mais

Workshop sobre Empreendedorismo

Workshop sobre Empreendedorismo Workshop sobre Empreendedorismo Vasco Pinto 11 e 12/ Dez/ 2012 O que é o Empreendedorismo? O que é ser Empreendedor? Principais Características de um Empreendedor Diferenças entre Empreendedor e Empresário

Leia mais

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007

OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007 MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ESPECIAL NEGROS Novembro de 2008 NOVEMBRO de 2008 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA RMBH EM 2007 Na Região Metropolitana de Belo Horizonte

Leia mais

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Planejamento e Orçamento 3º trimestre/2015 Julho de 2015 Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br

Leia mais

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003 PLANEJAMENTO E GESTÃO DE NOVOS NEGÓCIOS APRESENTAÇÃO: Um terço das empresas brasileiras fecham no primeiro ano de atividade e praticamente dois terços fecham após 5 anos de existência. Do total de empresas

Leia mais

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Planejamento e Orçamento 3º trimestre/2014 Julho de 2014 Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br

Leia mais

Formação de jovens rurais. Wilson Schmidt

Formação de jovens rurais. Wilson Schmidt Formação de jovens rurais Wilson Schmidt Seleção negativa Rural: Fatalidade X Opção de vida A importância da formação e de ações voltadas aos jovens rurais. Evitar a evasão de talentos do espaço rural

Leia mais

Capítulo 7 Colocando o PN em prática

Capítulo 7 Colocando o PN em prática Política de Negócios e Empreendedorismo Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 7 Colocando o PN em prática O plano de negócios é

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS

GUIA DE BOAS PRÁTICAS GUIA DE BOAS PRÁTICAS A RODADA DE NEGÓCIOS A RODADA DE NEGÓCIOS É UM EVENTO EMPRESARIAL ORGANIZADO PARA PROMOVER NEGÓCIOS E PARCERIAS. Em um mesmo local estão empresas convidadas com interesse em comprar,

Leia mais

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio Direito à Educação Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Objetivos Refletir sobre: O que é Direito à Educação e como chegamos até aqui Garantia do direito à educação no Brasil Papel atual do Gestor

Leia mais

O RELACIONAMENTO COMO FONTE DE INOVAÇÃO: O PROGRAMA ALI EM DROGARIAS E FARMÁCIAS DE ANÁPOLIS - GO

O RELACIONAMENTO COMO FONTE DE INOVAÇÃO: O PROGRAMA ALI EM DROGARIAS E FARMÁCIAS DE ANÁPOLIS - GO O RELACIONAMENTO COMO FONTE DE INOVAÇÃO: O PROGRAMA ALI EM DROGARIAS E FARMÁCIAS DE ANÁPOLIS - GO Jordana Laís Miranda Ricardo Soares Agente Local de Inovação atuante na regional Centro - Anápolis do Programa

Leia mais

Educação Financeira: mil razões para estudar

Educação Financeira: mil razões para estudar Educação Financeira: mil razões para estudar Educação Financeira: mil razões para estudar Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola de Administração

Leia mais

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Curso/Habilitação: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Disciplina: Empreendimentos em Informática

Leia mais