A diabetes é uma doença crônica. Ela não tem cura mas tem controle com o uso da medicação correta.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A diabetes é uma doença crônica. Ela não tem cura mas tem controle com o uso da medicação correta."

Transcrição

1 Diabetes: conceito básico, dieta e dicas. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Conceito básico Por algum motivo o pâncreas deixa de fabricar a insulina necessária para fazer a glicose entrar na célula e, assim, alimentá-la. Sem glicose as células ficam famintas e, começamos a sentir muita fome. Ao mesmo tempo, como a glicose não entra na célula, ela fica sobrando no sangue, o que faz com que transborde na urina, nos levando a urinar muito também e a sentir muita sede. Algumas pessoas desenvolvem diabetes após doenças no pâncreas. Outras pessoas (a grande maioria) desenvolvem diabetes e não conseguimos descobrir a causa. Mas, sabemos que em qualquer das situações, o pâncreas não está funcionando corretamente. Seja não fabricando nenhuma insulina (diabetes insulino-dependente), seja fabricando pouca insulina ou uma insulina fraca (diabetes não insulino-dependente). A diabetes é uma doença crônica. Ela não tem cura mas tem controle com o uso da medicação correta. O não controle da diabetes leva a pessoa a um processo de envelhecimento rápido, com falência de órgãos importantes como rins, olhos, cérebro pois o excesso de glicose na circulação promove lesão de pequenos vasos sanguíneos que pode ocorrer em qualquer órgão do corpo. Por isso, cuide-se. Tome sua medicação corretamente, faça dieta, evite açúcares, doces, etc. Coma verduras, legumes, saladas, cereais, alimentos integrais e não deixe de realizar atividade física. Dieta para Diabetes Alimentos a serem EVITADOS: Açúcar, balas, chocolates, bombons Vinhos, doces, champanha Bolos, tortas Refrigerante e sorvete Mel, geléias Cerveja Alimentos fritos Alimentos PERMITIDOS sem restrições: Cominho, louro, oréganos Café e chá (sem açúcar) Limão Salsa

2 Salsão Alho Cebola Vinagre Pimenta Carnes e peixes devem ser cozidos, grelhados ou assados Verduras devem ser preparadas sem gorduras ou farinha Dicas Importantes para Diabetes: 1. Faça 5 a 6 refeições ao dia (café da manhã, almoço, jantar e lanches nos intervalos), de preferência em horários determinados. 2. Os doces devem ser ingeridos, de preferência, junto às grandes refeições, pois estas possuem um maior teor de gordura e, consequentemente, digestão mais lenta. 3. Coma alimentos ricos em fibras: verduras e legumes (crus e cozidos) e frutas (com casca ou bagaço), pois o conteúdo de fibras nos alimentos diminui a velocidade de absorção dos carboidratos. 4. Não exagere na quantidade de frutas numa mesma refeição. Lembre-se que as frutas também possuem um tipo de açúcar (frutose). 5. Cuidado com alimentos lights, eles podem conter açúcar. Lembre-se que o alimento diet, é o alimento modificado em que um ingrediente é substituído por outro, por exemplo o açúcar pelo adoçante, sendo assim indicado para o diabético. Já o light, é o alimento que contém uma porcentagem menor de um ingrediente (por exemplo: gordura, açúcar) e nem sempre é indicado para o diabético refresco light contém açúcar. 6. Lembrar que os alimentos diets, frequentemente, possuem outros ingredientes como farinhas, leite, ovos etc, os quais devem ser considerados. 7. Sempre que tiver dúvida, verifique os ingredientes no rótulo, ou ligue para o Serviço de Atendimento ao Consumidor do fabricante do produto. 8. Cuidado com água tônica, apesar do sabor amargo, contém açúcar, só beba na versão diet. Exemplo de dieta para diabetes com cerca de quilocalorias: Desjejum: 1 copo de leite ou Coalhada ou 5 colheres de mesa niveladas de leite em pó ou 1 fatia de queijo + 1/2 porção de fruta; Café a gosto com adoçante sintético; 1 pãozinho francês (50g); 1 ponta de faca de margarina (5g) Ou Chá, mate, chá de ervadoce; torradas ou 4 crackers; 60g de pão integral ou de gluten; Manteiga. Almoço: salada crua com vinagre ou limão, à vontade; 1 vegetal verde, 1 branco e 1 vermelho ou amarelo. Folhosos cozidos - à vontade; 2 colheres de sopa cheias de arroz (de preferencia integral)ou 3 colheres de mesa de massas: macarrão, talharim, etc. (pref. Integrais) ou 3 colheres de mesa de feculentos: batata inglesa ou doce, aipim, angu. Metade das porções acima poderá ser substituída por 3 colheres de sopa de feijão, soja, ervilha seca, lentilha, outras leguminosas. 1 porção normal de carnes (preferir frescas); 1 porção normal de legumes cozidos de qualquer tipo, mesmo beterraba (4 colheres de mesa). Pouca quantidade de óleo: girassol, soja, milho, etc. (1 colher de sobremesa).

3 Quantidade normal de fruta (qualquer tipo); 1 copo de suco natural de fruta; Merenda: o mesmo que o desjejum Jantar: o mesmo que o almoço. Ceia: 1 copo de leite; 1 pãozinho francês (50g); 1 ponta de faca de margarina (5g), como no desjejum. Mas o ideal é que você passe por uma consulta com nutricionista que poderá calcular uma dieta equilibrada de acordo com seu peso, altura e gastos em atividades. Não se esqueça que para uma vida saudável há necessidade de exercícios físicos, tipo caminhada sistemáticos. Sobre Diabetes mellitus, consulte a Wikipédia Visite: Sociedade Brasileira de Diabetes Diabetes: controle através de exames periódicos Pronto! Diagnóstico firmado: estou com Diabetes e agora? O melhor caminho é entender a doença para aprender a manejá-la corretamente visando uma boa qualidade de vida e o controle das complicações. É importante entender que o controle da Diabetes vai depender do bom conhecimento sobre a doença, o que vai permitir um bom controle da glicemia, do uso correto da medicação, da realização e boa interpretação dos exames, da adoção de uma dieta adequada e da realização de atividade física. Aliás, todos nós deveríamos perseguir esses objetivos, apresentando ou não Diabetes, pois este é o caminho na busca da prevenção das doenças e da longevidade com saúde. As pessoas portadoras de Diabetes necessitam realizar exames periódicos, pois podem se sentir bem mesmo com altas taxas de açúcar no sangue. É importante entender porque esses exames são feitos e como interpretá-los corretamente para que se possa corrigir a glicemia através dos medicamentos, da dieta e dos exercícios. São eles: Glicemia de Jejum Este exame será solicitado pelo seu médico pelo menos de 3/3 ou 4/4 ou até de 6/6 meses por ocasião das consultas e de como se apresentar o quadro da doença.

4 Consiste na coleta de uma amostra de sangue após jejum de 8 horas. O diabético não deve fazer jejum maior que 8 horas e, quando for fazer o exame não tome insulina se for insulino-dependente ou a medicação antidiabetogênica, pois como ficará em jejum, e o risco de hipoglicemia é grande. Deixe para tomar a medicação após realizar o exame e puder alimentar-se. Quando chegar ao local de coleta de exame, avise que é portador de Diabetes para que possa ser atendido com maior rapidez, reduzindo o risco de hipoglicemia. O objetivo a ser alcançado é uma glicemia abaixo de 180 mg%. Glicemias acima de 180 mg% indicam mau controle do Diabetes e possibilidade de ocorrência de glicosúria (presença de glicose na urina) e de cetonúria (presença de corpos cetônicos na urina). Hemoglobina Glicosilada: sabemos que a hemoglobina é uma célula encontrada no sangue; sabemos que a vida média da hemoglobina no sangue é de 3 meses; sabemos também que quanto mais a hemoglobina for exposta a maiores quantidades de glicose, maior quantidade de Hemoglobina Glicosilada será formada. Então, a Hemoglobina Glicosilada mede a média de glicose sanguínea em 3 meses, tornando-se um marcador do controle da glicemia e um preditor das complicações da doença microvascular. Pessoas sem Diabetes apresentam Hemoglobina Glicosilada abaixo de 6%. O esquema abaixo faz a correlação do nível de Hemoglobina Glicosilada com o nível de glicose no sangue: 4%=50 5%==80 6%===115 7%=====150 8%=======180 9%=========210 10%==========245 11%============280 12%==============310 13%================345 14%====================360

5 Assim, para considerarmos um bom controle, os resultados de Hemoglobina Glicosilada devem estar abaixo de 7%, o que corresponde a uma média de Glicemia de Jejum de 150 mg% em 3 meses. Portanto, se a pessoa apresenta Hemoglobina Glicosilada em 10%, sua média de Glicemia de Jejum durante 3 meses será de 245 mg% e ela estará correndo maior risco de desenvolver complicações. Não há porque realizar o teste de Hemoglobina Glicosilada com maior freqüência que 3 meses, pois não haverá modificação nos resultado. Teste de Glicemia Capilar: É o teste feito com uma gota de sangue colhida no dedo. Ele serve para a monitorização dos níveis de açúcar no sangue e controle da dose de insulina. Pacientes bem controlados podem medir sua glicemia duas a três vezes por semana, antes das refeições em alguns dias e pós-refeições em outros dias. Pacientes diabéticos instáveis, grávidas, ou com infecção ou stress grave, deverão medir com maior freqüência, como antes e duas horas após as refeições, antes de deitar e, às vezes, de madrugada. Por exemplo, se a pessoa faz uso de insulina NPH 30 unidades às 7 horas da manhã e 10 unidades às 22 horas da noite e quer saber se o controle está sendo bem realizado, deverá fazer uma glicemia capilar às 15 horas em um dia da semana, pois esta vai medir como está a glicemia 8 horas após a 1ª dose de insulina e vai dizer se esta dose foi suficiente ou se a ingestão de carboidratos foi muito adequada. A mesma coisa deverá ser feita em outro dia para checar a dose noturna de insulina. Se ela foi feita ás 22 horas, uma medida às 6 horas da manhã (8 horas depois) do dia seguinte vai conferir a dose de insulina, a quantidade de carboidratos ingeridos no jantar e a intensidade dos exercícios realizados durante o dia. É importante ter uma memória dessas medições, assim, um caderno com as anotações do horário e da dose de insulina, do que foi ingerido na refeição anterior e do exercício realizado se faz necessário para que se possa analisar, manter o que está certo e corrigir eventuais erros e, também para que se possa discutir com o médico as dúvidas que surgirem. Os valores normais de glicemia são: Em jejum até 110mg%. Duas horas após as refeições até 160mg%, idealmente até 140mg%. Como já foi dito, Glicemias acima de 180 mg% indicam mau controle da Diabetes. Outros exames importantes são: Glicosúria: Mede o teor de glicose urinária. Como já foi dito, a presença de glicose na urina significa que a glicose no sangue está em pelo menos 180 mg% (se não estiver maior), o que indica mau controle da glicemia e risco de desenvolvimento de

6 complicações. Este exame será feito através de diferentes tipos de fitas que em contato com a urina vão indicar se o exame é positivo (glicose presente na urina) ou negativo. Cetonúria: Mede a quantidade de corpos cetônicos na urina. Cetonas podem aparecer na urina, quando se tem aumento importante da glicose sangüínea (geralmente maior que 250mg% ou glicosúria maior que três cruzes), jejum prolongado ou hipoglicemia. Quando isso acontece, o corpo começa a utilizar as gorduras como fonte de energia, pois não consegue utilizar a glicose. Quando a gordura é quebrada os corpos cetônicos são produzidos, caem na corrente sanguínea e de lá vão para os rins, aparecendo na urina. Quando houver HIPERGLICEMIA COM CETOSE (diabetes descompensado) temos glicosúria positiva e cetonúria positiva, além dos sinais de descontrole do diabetes. Na HIPOGLICEMIA, a glicosúria é negativa e a cetonúria pode ser negativa ou positiva, estando presentes também, os sintomas de queda de açúcar. Portanto quando você tiver: Glicosúria positiva + Cetonúria positiva = falta insulina. Glicosúria negativa + Cetonúria positiva = falta alimentação. A cetona na urina (cetonúria) demora mais para desaparecer que a glicosúria, mesmo quando se faz o tratamento correto. É muito importante checar se corpos cetônicos estão sendo produzidos, quando a glicemia estiver acima de 300 em duas medidas seguidas ou quando a pessoa apresentar algum mal estar. Se isso acontecer hidrate-se (beba bastante líquido sem açúcar) e procure seu médico imediatamente! Bibliografia: Consenso Brasileiro de Diabetes, Ministério da Saúde; Diabetes Care Manual, McNeely Pediatrics Diabetes Center; Diabetes, o que fazer em situações especiais, Dr Walter José Minicucci DIABETES - CUIDADOS COM OS PÉS

7 É neles que nos apoiamos; são eles que nos levam de um lado para o outro. Dependemos deles para não dependermos de ninguém... Sim, escrevo sobre os pés. São eles que nos ligam a terra, simbolizando raízes, trocando energia. A palavra pé, que vem de podos, em grego, relaciona-se à palavra paidos, que quer dizer criança. Cuidar dos pés de alguém é cuidar da criança que o habita, cuidar de nossas raízes, do começo de tudo. Todas as pessoas devem aprender a cuidar dos pés, os portadores de Diabetes devem aprender a cuidar com muito mais afinco, pois complicações freqüentes podem ser evitadas com prevenção. A Diabetes facilita o aparecimento de infecções através da Neuropatia Diabética (doença dos nervos periféricos) e de problemas devido à má circulação do sangue. Como todas as partes do corpo, os pés necessitam de aportes apropriados de sangue e com ele de oxigênio. Se isso não acontece, as infecções, as doenças vasculares e as doenças decorrentes da falta de circulação podem ocorrer. Sinais que podem significar problemas: Dormência nos pés; Ausência ou não crescimento de pelos nos pés e pernas; Micoses interdigitais; Presença de feridas e secreções; Pele seca, escamosa ou brilhante; Pontas dos pés arroxeadas, cianóticas; Aparecimento de rachaduras nos calcanhares; Perda de sensibilidade; Formigamento ou dor nos pés; Presença de calos em pontos de pressão dos pés; Aparecimento de cãibras em repouso ou ao caminhar. Roteiro simplificado para cuidado dos pés: o o Examine seus pés todos os dias: preste atenção em mudanças de coloração e temperatura; olhe cada um dos dedos e entre eles; procure por infecções, cortes, bolhas, calos, feridas. Se não conseguir fazer isso sozinho, peça ajuda a um familiar ou amigo, use um espelho para olhar a sola dos pés. Para a higienização dos pés, use água morna. Nunca verifique a temperatura da água diretamente com os pés. Faça isso com o cotovelo. Deixe a água cair devagar, passe o sabonete delicadamente e enxágüe. Na hora de secar, não esfregue, enxugue entre os dedos, aplique creme hidratante ou óleo sobre a pele do dorso, nunca entre os dedos, na sola dos pés e em feridas e cortes. Evite talco, pois pode causar ressecamento da pele.

8 o o o o o o o o Aproveite para cortar as unhas após o banho, pois elas estarão amolecidas. Faça isso em um local com boa iluminação. Se não puder ver as unhas ou apresentar problemas de sensibilidade nos pés, peça alguém para fazer por você. Dê preferência a cortadores de unhas ou a tesouras com pontas redondas, pois a possibilidade de se machucar diminui bastante. Corte as unhas retas, nunca corte os cantos das unhas, assim você evita a unha encravada e muitas infecções. Não use objetos afiados e pontiagudos, pois eles podem machucar. Não corte calos com gilete, no máximo use lixas próprias. Consulte um podólogo para tratar os calos e consulte um médico em caso de micose nas unhas e entre os dedos. Nunca ande descalço! Lembre-se que quem é portador de Diabetes pode apresentar diminuição da sensibilidade dos pés, o que facilita o trauma e o aparecimento de feridas e infecções indesejadas. Na hora de escolher o calçado, vá sempre na parte da tarde, que é quando o pé está do tamanho certo e não vai ficar apertado depois. O uso do calçado de tamanho adequado, evita calos, bolhas, joanetes, feridas e infecções. Procure sapatos macios, sem costuras, sem bico fino ou com salto muito alto; evite sandálias que tenham tiras ou fivelas. Em relação às meias, prefira aquelas que deixam a pele dos pés respirarem. Troque as meias quando sentir que estão molhadas de suor. Prefira aquelas de algodão e que não tenham costuras. Evite as meias apertadas e as meias de nylon. Caminhar é a vocação dos pés e seu melhor exercício! Procure caminhar com um calçado adequado e confortável e em superfície plana. Evite caminhar se apresentar feridas ou dor e procure o seu médico nesse caso. Evite cruzar as pernas quando estiver sentado, pois piora a circulação do sangue nos pés. Se for viajar, evite ficar sentado por muito tempo. Levante-se, ande um pouco. Se isso não for possível, estique os pés, movimente-os para cima, para baixo e para os lados, mova os dedos, faça círculos com os pés. Hidrate-se adequadamente durante as viagens, isso evita desidratação e embolias. Quando estiver sentado use um banquinho para manter os pés elevados, isso auxilia o retorno do sangue, fazendo com que as toxinas sejam eliminadas mais rapidamente. Lembre-se também que tudo isso funcionará muito melhor se estiver acompanhado de um bom controle glicêmico!!! O cuidado com os pés começa com o uso adequado da medicação e com o cumprimento da dieta alimentar adequada a cada pessoa. Bibliografia: Consenso Brasileiro de Diabetes, Ministério da Saúde;

9 Diabetes Care Manual, McNeely Pediatrics Diabetes Center; Diabetes, o que fazer em situações especiais, Dr Walter José Minicucci Diabetes: insulinas uso e controle A insulina será sempre necessária no tratamento do Diabetes Tipo 1, e seu uso deve ser iniciado imediatamente após o diagnóstico. As necessidades diárias de insulina variam de acordo com a idade, rotina diária, padrão alimentar e sobretudo, a presença ou não de alguma secreção residual de insulina pelas células ß pancreáticas. De uma maneira geral, no início do quadro a necessidade diária de uma pessoa oscila entre 0,3 a 0,6 U/Kg, podendo chegar a 1U/Kg no final do primeiro ano de doença. Há inúmeras preparações insulínicas, que variam de acordo com a origem e o tempo de ação. Escolhemos abordar neste texto a insulina de ação rápida, regular e a NPH, ambas de origem humana, por serem as utilizadas pela grande maioria das pessoas. Tipos de Insulina: Regular: também chamada de insulina de ação rápida. Seu início de ação leva de 30 minutos a uma hora, o pico máximo de atividade ocorre de 2 a 3 horas depois e a duração da ação vai de 4 a 6 horas. É usada quando um ação rápida é necessária, como na cetoacidose diabética. Pode ser misturada com a insulina NPH. A figura 1 demonstra a ação da insulina regular: Se a insulina regular é administrada às 7 horas da manhã, sua ação máxima será por volta das 9 horas e a duração de atividade será até as 11 horas. NPH: é a insulina de ação intermediária. Inicia sua ação em 30 minutos a uma hora e meia, com pico máximo de ação em 4 a 7 horas, podendo a duração alcançar 14 a 18 horas após a aplicação. A figura 2 demonstra a ação da insulina NPH:

10 Se a insulina NPH for aplicada às 7 horas da manhã, seu pico máximo de ação ocorrerá por volta das 13 horas, com duração máxima até as 19 horas. Uma grande vantagem dessas insulinas humanas, regular e NPH é que elas podem ser misturadas em uma única aplicação. A forma, quantidade e periodicidade de aplicação das insulinas vai depender de cada caso, de cada pessoa, do modo como cada um responde ao tratamento e deve ser minuciosamente discutido e decidido em conjunto com o médico. Para que o controle da glicemia possa ser realizado de forma satisfatória, sugere-se utilizar uma tabela como a abaixo: Data: HbAc: Dia Insulina Glicosúria Glicemia Observações Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h Para melhor entendimento de seu uso vamos aos exemplos: Exemplo 1: Data: 01/02/2009 HbAc: 7,8% Dia Insulina Glicosúria Glicemia Observações 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h Dom Hipo 2x Seg Hipo 1x Ter Hipo 1x Qua

11 Qui Hipo 1x Sex Sab Acima se tem o controle da semana de 01 a 07 de fevereiro, neste período a última leitura da hemoglobina glicosilada (HbAc) foi de 7,8%. Esta pessoa só faz uso de Insulina uma vez ao dia. Nota-se que não apresentou leitura positiva de glicosúria em nenhum dia da semana. No domingo fez uso de 8 U NPH às 7 horas da manhã e teve 2 hipoglicemias, às 13 e às 18 horas. No dia seguinte, continuou com a mesma dose e apresentou uma hipo às 22 horas. Na terça-feira continua com a mesma dose e apresenta nova hipoglicemia desta vez às 18 horas. Reduz, então, então para 7 U NPH na quarta-feira e passa sem hipoglicemia. Na quinta-feira, com as mesmas 7 U NPH, apresenta uma hipoglicemia às 13 horas. Assim, na sexta-feira reduz para 6 U NPH e passa sem hipoglicemia nas últimas medidas. Exemplo 2: Data: 08/02/09 HbAc: 10,2% Dia Insulina Glicosúria Glicemia Observações 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h 7h 13h 18h 22h Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Este acima só usa insulina NPH uma vez ao dia também e sua hemoglobina glicosilada está bem alterada. No início da semana (domingo, segunda e terça) não há aparecimento de glicose na urina. Não existem episódios de hipoglicemia e a glicemia apresenta bom controle. Porém, na terça-feira à tarde a glicemia começa a aumentar (180 mg%) e no dia seguinte, já aparece glicose na urina, então é hora de ajustar a dose de insulina para 14 U. Vemos que na sexta-feira já não há mais glicose na urina e no sábado a glicemia está bem controlada. Para os ajustes da dose de insulina NPH pode-se usar as seguinte regra: Se usa de 1 a 10 U, reduza ou aumente 1 unidade; Se usa de 11 a 20 U, reduza ou aumente 2 unidades; Se usa de 21 a 30 U, reduza ou aumente 3 unidades. Concluímos que o manejo da Diabetes e o ajuste das doses de insulina é muito importante para o controle da doença. Ajude seu médico a te ajudar.

12 Bibliografia: Consenso Brasileiro de Diabetes, Ministério da Saúde; Diabetes Care Manual, McNeely Pediatrics Diabetes Center; Diabetes, o que fazer em situações especiais, Dr Walter José Minicucci. Diabetes: orientações para quem usa insulina A insulina é um hormônio fabricado naturalmente por algumas células localizadas no pâncreas. Pessoas portadoras de Diabetes que necessitam utilizar insulina, o fazem porque seu organismo não a produz ou produz em quantidade insuficiente, necessitando de complementação diária. A insulina é um MEDICAMENTO!!! Surgiu para salvar vidas. Antes de sua descoberta, as pessoas afetadas pela diabetes morriam à mingua, sem que se pudesse fazer nada por elas. Como todo medicamento, a insulina só deve ser utilizada quando prescrita por um médico. O uso da insulina não cura o Diabetes, pois essa é uma doença crônica, onde a cura ainda não foi descoberta. Assim, ela deve ser administrada todos os dias, às vezes, mais de uma vez ao dia. Sua ação é de redução dos níveis de glicose do sangue, protegendo a pessoa das complicações da doença. Existem vários tipos de insulina. As mais usadas atualmente são as insulinas humanas tipo NPH, de ação mais lenta e a regular de ação rápida, utilizada para correção da glicemia elevada. A concentração das insulinas no Brasil vem em U-100, isto é, para cada 1ml correspondem 100 unidades de insulina. Elas se apresentam em frascos de 10 ml, logo, contendo 1000 unidades para utilização em seringas. Os frascos fechados de insulina devem ser armazenados em geladeira entre 2º a 8ºC, fora da embalagem térmica ou de isopor, longe do congelador, de preferência na gaveta ou próximo a ela, longe da porta também, pois lá não temos como manter uma temperatura adequada. Uma vez congelada, a insulina perde suas propriedades de tratamento, podendo ser desprezada. Se a insulina não puder ser guardada em geladeira, procure um lugar fresco, limpo e que não pegue sol diretamente para armazená-la. Ela pode ser mantida em temperatura ambiente, entre 15º e 30ºC.

13 Uma vez aberto o frasco de insulina, ele deverá ser utilizado no período de 30 dias, por isso, para seu controle, marque a data de abertura no frasco. Evite transportar o frasco de insulina quando a temperatura ambiente estiver acima de 40ºC e use sempre uma caixa de isopor ou bolsa térmica. Se o transporte for de longa distância, além da embalagem térmica, utilize gelo reciclável separado do frasco de insulina por isolante para evitar seu congelamento. Nunca utiliza gelo seco. Para a aplicação da insulina: Inicialmente, lave suas mãos cuidadosamente; Retire o frasco de insulina da geladeira de 10 a 20 minutos antes, pois a insulina gelada causa dor e irritação após a aplicação; Separe todo o material que irá utilizar: seringa, agulhas, algodão e álcool 70%; Gire o frasco de insulina leitosa (NPH) com movimentos suaves das mãos, sem agitar, pois o excesso de agitação também torna a substância inútil. Ela não deve espumar; A insulina transparente (Regular) não necessita de homogeneização prévia; Promova a desinfecção da tampa emborrachada do frasco de insulina com algodão embebido em álcool 70%; Pegue a seringa de insulina e puxe o êmbolo até a graduação correspondente à dose prescrita, tomando o cuidado de não tocar na parte interna do êmbolo; Retire o protetor da agulha e injete o ar dentro do frasco até o final. A introdução de ar no frasco facilita a aspiração e ajuda na retirada correta da dose de insulina; Sem retirar a seringa vire o frasco de cabeça para baixo e puxe o êmbolo até a dose prescrita. Se bolhas de ar aparecerem, dê pequenos golpes na seringa com as pontas dos dedos. Quando as bolhas saírem confira se a quantidade de insulina aspirada é a prescrita e, se necessário, corrija; Retire a seringa com a agulha do frasco e proteja-as, preparando-se para a aplicação. Locais de aplicação de insulina: Regiões lateral direita e esquerda do abdome, de 4 a 6 cm distante da cicatriz umbilical, face anterior e lateral externa da coxa, face posterior do braço e quadrante superior lateral externo das nádegas, como na figura:

14 Fonte: Diabetes Care Manual, from MacNeely Pediatric Diabetes Center É muito importante fazer o rodízio do local de aplicação visando a melhor absorção da insulina e a prevenção de complicações como a lipodistrofia. Deve-se organizar as aplicações por região escolhida, explorando uma determinada área até que se esgote as possibilidades de aplicação, respeitando-se o intervalo de 2 cm entre aplicações em um mesmo local. A aplicação feita no abdome é a de maior velocidade de absorção, seguida dos braços, coxas e nádegas. Não é aconselhável realizar a aplicação de insulina logo após a prática esportiva, pois o fluxo sanguíneo está aumentado, o que aumenta a velocidade de absorção. Técnica de aplicação de insulina: Com as mãos limpas e a insulina já preparada, limpe o local escolhido para aplicação com algodão; Faça uma prega cutânea na pele do local escolhido e introduza a agulha em ângulo de 90 graus soltando a prega logo após; Injete a insulina delicadamente e retire a agulha da pele. O descarte da seringa e agulha não deve ser feito no lixo normal, pois pode machucar quem recolhe e manipula o lixo. Arrume uma garrafa plástica usada (a melhor é a de água sanitária) e vá descartando ali suas agulhas e seringas. Quando a garrafa estiver cheia, tampe-a e leve ao posto de saúde mais próximo de sua casa para que eles possam descartar no local apropriado.

15 Seringas e agulhas descartáveis de insulina podem ser reutilizadas em nível doméstico, desde que guardados alguns cuidados como a higiene das mãos e a proteção da agulha com sua capa própria. Cuidado para não se machucar na hora de re-encapar a agulha. Se você estiver fazendo a insulina em alguém, peça para a própria pessoa re-encapar a agulha. O Ministério da Saúde considera possível a reutilização das seringas pela mesma pessoa até oito aplicações em ambiente doméstico. Em caso de hospitais, unidades e postos de saúde exija sempre uso único de seringas e agulhas. Em casa, as seringas e agulhas podem ser guardadas em local limpo á temperatura ambiente ou junto com a insulina na geladeira. Na reutilização da agulha, não é necessária a limpeza com álcool, pois este retira a camada de silicone da agulha, o que torna a aplicação mais dolorosa. Para quem usa canetas para aplicar insulina: Prepare a insulina e os materiais como já descrito acima; Retirar a tampa da caneta; Separe a caneta em duas partes (corpo e parte mecânica); Gire o parafuso interno até ficar completamente dentro da parte mecânica; Acomode o refil de insulina no corpo da caneta; Recoloque a parte mecânica ao corpo da caneta; Conecte a agulha na caneta; Selecione 2 unidades e pressione completamente o botão injetor. Repita a operação até o aparecimento de uma gota de insulina na ponta da agulha; Selecione o número de unidades de insulina necessárias; Introduza a agulha no subcutâneo; Pressione o botão injetor; Após a administração, aguarde 5 segundos antes de retirar a agulha; Retire a agulha e pressione o local por mais 5 segundos; Retire e descarte a agulha utilizada; Recoloque a tampa da caneta; Guarde a caneta em uso em temperatura ambiente (nunca poderá ser guardada no refrigerador) Abaixo você assiste a um filme de aproximadamente 14 minutos sobre a aplicação de insulina, apresentado pelo Dr. Walter Minicucci. A produção é uma iniciativa da Editora Lua. Bibliografia: Grossi SAA. Tratamento insulinoterápico da pessoa com diabetes mellitus. In: Duarte YAO, Diogo MJD. Atendimento domiciliar: um enfoque gerontológico. São Paulo,

16 Atheneu, cap.24.2, p Diabetes sem mistério: conforto e segurança na aplicação de insulina. Centro BD de Educação em Diabetes, s./d. American Diabetes Association. Insulin administration. Diabetes Care, 2004, 27: s ,. Supplement 1. UK Prospective Diabetes Study (UKPDS) Group: Intensive blood-glucose control with sulphonylureas or insulin compared with convencional treatment and risk of complications in patients with type 2 diabetes (UKPDS 33). Lancet, v. 351, p , Ferreira, SRG. Análise crítica do uso de canetas injetoras de insulina,aventis Pharma, OLIVEIRA, MC. Escolha a seringa e a agulha BD Ultra-Fine adequadas ao seu tratamento com insulina. BD Bom Dia, São Paulo, n.76, p.8-9, Dez HIPOGLICEMIA na Diabetes A hipoglicemia é a complicação mais comum e freqüente do uso de insulina pelos diabéticos. A hipoglicemia representa um transtorno para essas pessoas, pois faz com que algumas passem a temer a hipoglicemia de tal forma que preferem se acostumar a manter glicemias mais altas ou se tornam resistentes ao uso da insulina quando prescritas pela primeira vez pelo médico. Em decorrência, têm-se uma enorme dificuldade na introdução da insulina para o tratamento e o controle do Diabetes. A hipoglicemia é a diminuição da taxa de glicose no sangue abaixo de 60 mg%, quando os níveis de glicose estão normais. Ou pode representar uma baixa abrupta de glicemia para aqueles que se mantêm com glicemias mais elevadas. Por exemplo, para uma pessoa que se mantenha com glicemia por volta de 300 mg%, se ocorre uma queda repentina a 100 mg%, ela pode apresentar sintomas de hipoglicemia. A hipoglicemia está principalmente associada a erros e irregularidades alimentares, a atividade física excessiva e mal executada e a doses elevadas de insulina. Porém, pessoas que utilizam medicações orais contra a diabetes, como as sulfoniluréias, a repaglinida ou a nateglinida também podem apresentar o quadro. Todas as pessoas que iniciam o tratamento com insulina devem ser orientadas em relação ao diagnóstico precoce da hipoglicemia, sua correção e sua prevenção. A hipoglicemia pode ser confirmada através do exame de glicemia capilar, porém ela não depende disso para ser tratada. Isto é, o tratamento da hipoglicemia deve ser imediatamente ministrado assim que for levantada a suspeita, independente de exame confirmatório.

17 As pessoas que variam muito seu padrão dietético e a realização de atividade física, as que são portadoras de diabetes há muitos anos e os que já apresentam neuropatia diabética grave, têm um risco maior de apresentar hipoglicemia. São situações comuns que acontecem no dia-a-dia das pessoas e que podem provocar uma hipoglicemia: Não realizar refeições no horário programado, comer pouco ou, simplesmente, não se alimentar; Realizar exercícios ou atividades físicas pesadas ou que não estão acostumados a realizar; Consumir bebida alcoólica em excesso, em jejum ou fora da dose segura; Erro na utilização da insulina (por problemas visuais, por exemplo) ou das outras medicações anti-diabéticas. Visando o controle dessas situações, a pessoa diabética deve: Aprender a se alimentar, a balancear a dieta e seguir rigorosamente os horários, sem pular refeições de acordo com o plano alimentar prescrito; Realizar atividade física compatível com suas necessidades e possibilidades sempre sob supervisão de um profissional de saúde, entendendo seus limites e, principalmente, respeitando-os; Evitar o consumo de álcool. Se isso não for possível, não ultrapassar o limite de uma dose por dia ou duas doses uma vez na semana. Entendo que uma dose é igual a 12 g de álcool, ou seja: 1 tulipa de chope = 350 ml = 12 g de álcool; 1 taça de vinho = 140 ml = 12 g de álcool; 1 dose de pinga, conhaque, uísque, etc = 40 ml = 12 g de álcool; Aprender a administrar corretamente o medicamento injetável ou oral. Se isso não for possível, receber auxílio de familiares ou amigos; Aprender a reconhecer os sintomas precoces da hipoglicemia. As hipoglicemias podem ser assintomáticas ou sintomáticas. As primeiras ocorrem sem que a pessoa perceba, pois os sintomas são muito sutis. Essas são muito perigosas. As sintomáticas, isto é, as que apresentam sintomas, são subdivididas em leves e graves. A grande maioria das hipoglicemias é sintomática e leve, sendo facilmente tratáveis pelos próprios pacientes. Os sintomas são decorrentes da falta de açúcar no sistema nervoso e, são eles: fome, tontura, fraqueza, dor de cabeça, confusão, alteração de comportamento, convulsão e coma. Percebe-se um agravamento gradativo desses sintomas. Quanto mais importante a falta de glicose, mais grave o sintoma.

18 As outras manifestações serão decorrentes da liberação de adrenalina pelo sistema simpático, são elas: sudorese, palidez, tremores, taquicardia, apreensão, medo. O ideal é evitar que as hipoglicemias se tornem graves. Isso é possível, reconhecendo precocemente os sintomas leves e tratando-os adequadamente o mais rápido possível, sustando o agravamento da hipoglicemia. A detecção precoce ocorre quando se está atento a sinais como sudorese, dor de cabeça, palpitações, tremores, sensação de medo ou apreensão. Familiares, amigos, colegas de escola ou trabalho também devem ser orientados a colaborar, pois eles também podem ajudar a identificar um sintoma que pode não ser conscientizado pelo paciente, como a sudorese e a alteração de comportamento. O tratamento deve ser imediato e não deve depender de exame confirmatório, pois este pode demorar muito a ser realizado e agravar a hipoglicemia. Se a pessoa estiver consciente, o tratamento é realizado com carboidrato de liberação rápida, ou seja, açúcar. Ingerir uma colher de sopa de açúcar (aproximadamente 10 a 15 g) diluído em meio copo d água ou meia lata de refrigerante normal ou utilizar sachets contendo 15g de açúcar, que são vendidos em lojas especializadas para diabéticos. Esse tratamento varia conforme a idade: Menos de 6 anos, de 5 a 10 gramas de açúcar; De 6 a 10 anos, de 10 a 15 gramas de açúcar; Acima de 10 anos, de 10 a 15 gramas de açúcar. A remissão dos sintomas é o parâmetro de melhora a ser utilizado. Se, os sintomas persistem, repete-se a ingestão das 15g de açúcar após 15 minutos da primeira dose. Erros comuns do tratamento da hipoglicemia são retardar o tratamento, pois se está no meio de uma tarefa e queremos terminá-la, ou no meio de uma corrida, ou exagerar na dose inicial de açúcar, que pode levar a um quadro de hiperglicemia subseqüente. Se a pessoa está inconsciente, ela deve ser tratada por pessoal treinado, por isso chame o SAMU (ligação gratuita no número 192). Atitude muito importante é o fato do diabético portar uma carteirinha de identificação com o relato de sua condição de diabético e de seu risco de hipoglicemia, pois algumas vezes, seu comportamento pode ser confundido, o que leva ao retardo do tratamento e agravamento da hipoglicemia. Bibliografia:

19 - Blackbook de Clínica Médica, Pedroso, E.R. e Oliveira, R.G., Editora Bleckbook, Cadernos de Atenção Básica, Diabetes Mellitus, Ministério da Saúde, 2006.

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

Entendendo Melhor o Diabetes. Hipoglicemia X Hiperglicemia

Entendendo Melhor o Diabetes. Hipoglicemia X Hiperglicemia Diabetes Diabetes O setor de Promoção da Saúde da Fundação Fiat preparou para você esta cartilha com informações importantes relacionadas ao cuidado com a sua saúde. Embora ainda não haja cura para o

Leia mais

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...

SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO... 2 SUMÁRIO DIABETES...4 O QUE É PRÉ-DIABETES...5 TIPO DE DIABETES...6 PREVENÇÃO...8 DIAGNÓSTICO...8 DETECÇÃO DO DIABETES...9 TRATAMENTO...10 PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA...17 PLANO ALIMENTAR...18 CUIDANDO

Leia mais

TIPOS: Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 Diabetes secundária Diabetes gestacional

TIPOS: Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 Diabetes secundária Diabetes gestacional INSULINOTERAPIA DIABETES MELLITUS: conjunto de síndromes metabólicas que cursam com hiperglicemia, decorrente de uma deficiência absoluta ou relativa de insulina. Alteração no metab do carboidrato, lipídios

Leia mais

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog DICAS PARA UTILIZAÇÃO DESTA CARTILHA 1. Você pode distribuí-la para todos os

Leia mais

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes?

Quais são os sintomas? O sucesso no controle do diabetes depende de quais fatores? O que é monitorização da glicemia? O que é diabetes? Quais são os sintomas? Muita sede, muita fome, muita urina, desânimo e perda de peso. Esses sintomas podem ser observados antes do diagnóstico ou quando o controle glicêmico está inadequado. O aluno com

Leia mais

Como viver bem com diabetes

Como viver bem com diabetes Como viver bem com diabetes Sumário 3 5 7 8 10 12 14 15 16 17 19 O que é diabetes? Como saber se tenho diabetes? Por que controlar bem o diabetes? Alimentação Por que fazer exercícios físicos? Tratamento

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento,

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, fome e sede constantes, vontade de urinar diversas vezes,

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIABETES MELLITUS CORAÇÃO: Doença arterial coronariana e risco de infarto do miocárdio RINS: Nefropatia CÉREBRO: Acidente vascular cerebral

Leia mais

PROGRAMA Viver Bem. Gerenciamento de Crônicos. Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde.

PROGRAMA Viver Bem. Gerenciamento de Crônicos. Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde. PROGRAMA Viver Bem Gerenciamento de Crônicos Dicas para aproveitar a melhor idade com saúde. Apresentação Este material foi elaborado por profissionais de saúde da Unimed, com o objetivo de orientar e

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite

Insulinização. http://www.imepen.com/niepen. Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS. Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite Insulinização http://www.imepen.com/niepen Niepen Programa de Educação Continuada Educação Continuada para APS Dra Carla Lanna Dra Christiane Leite CONTROLE GLICÊMICO NO BRASIL: Mendes AB, et al. Acta

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

NOSSO ALUNOCOM DIABETES

NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES NOSSO ALUNOCOM DIABETES Estamos fornecendo algumas informações importantes sobre diabetes para auxiliar a equipe da escola na rotina escolar do aluno com Diabetes. Quando houver

Leia mais

Cartilha Medicamentos para Diabetes

Cartilha Medicamentos para Diabetes Universidade Federal de São João del-rei Campus Centro-Oeste - Dona Lindu Divinópolis, Minas Gerais Cartilha Medicamentos para Diabetes Projeto Empoderamento Farmacoterapêutico de pacientes com Diabetes

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

Saúde. Equilíbrio. Diabetes. Consulte nosso farmacêutico ou o seu médico.

Saúde. Equilíbrio. Diabetes. Consulte nosso farmacêutico ou o seu médico. Como posso prevenir as complicações do? Mantenha os valores de açúcar no sangue sob controle Mantenha a pressão arterial dentro dos valores normais (130/80mmHg) Perca peso e controle o colesterol Cuide

Leia mais

especial iate LIAMARA MENDES

especial iate LIAMARA MENDES 54 Maio / Junho de 2013 especial use os alimentos a seu favor iate por LIAMARA MENDES Uma dieta equilibrada aliada a exercícios físicos pode ser considerada a fórmula ideal para a conquista do corpo perfeito.

Leia mais

Dicas Para Emagrecer com Saúde

Dicas Para Emagrecer com Saúde 2011 www.blog.vivaplenamente.com Página 1 DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO Você pode distribuir este e-book livremente, assim como presenteá-lo a través do seu site ou blog aos seus visitantes e clientes. A única

Leia mais

Pegadas de Neil Armstrong na superfície lunar. Créditos: NASA.

Pegadas de Neil Armstrong na superfície lunar. Créditos: NASA. Em 20 de julho comemoramos o aniversário de 45 anos da viagem do homem à Lua. Neil Armstrong é o dono de uma das pegadas mais famosas que a humanidade conhece. Como você tem cuidado de quem o ajuda com

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DIABETES ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Governo do Estado da Bahia Jacques Wagner Secretário de Saúde do Estado da Bahia Jorge José Santos Pereira Solla Superintendência de Atenção

Leia mais

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa Vou passar a você, algumas receitas que usei para poder emagrecer mais rápido e com saúde. Não direi apenas só sobre como preparar algumas receitas, mas também direi como perder peso sem sofrimento e de

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo SUPER 9 DIETAS Esta dieta é baseada principalmente na ingestão de alimentos que aumentam a densidade nutricional e diminuir a densidade calórica. É uma das dietas mais equilibradas, uma vez que não se

Leia mais

Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes

Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes Manual com Diretrizes para Professores de Crianças com Diabetes Índice Página 1. Aprendendo a conviver com o diabetes. 3 2. O que é diabetes? 4-5 3. Hiperglicemia e Cetoacidose. 6 4. Planeje com antecedência.

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Profa. Ms. Priscilla Sete de Carvalho Onofre

DIABETES MELLITUS. Profa. Ms. Priscilla Sete de Carvalho Onofre MELLITUS Profa. Ms. Priscilla Sete de Carvalho Onofre O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônicas não transmissíveis (DCNT), de alta prevalência cujos fatores de risco e complicações representam hoje

Leia mais

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Índice Tratando seu diabetes tipo 2 com DAPAGLIFLOZINA 3 Como funciona? 4 Como devo utilizar? 5 Quais são os principais efeitos colaterais do tratamento com DAPAGLIFLOZINA?

Leia mais

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA 12 apoios ao doente diabético Para usufruir dos apoios previstos, os utentes diabéticos necessitam possuir o GUIA DO DIABÉTICO que é distribuído pelo CENTRO DE SAÚDE O FORNECIMENTO DOS MEDICAMENTOS PARA

Leia mais

Viver bem com DIABETES

Viver bem com DIABETES Viver bem com DIABETES Índice O que é diabetes?...4 Tipos de diabetes...5 Como saber se tenho diabetes?...6 Por que controlar bem o diabetes?...9 Alimentação...12 Por que fazer exercícios físicos?...17

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Alimentação saudável É saborosa, variada, colorida e com harmonia entre quantidades e qualidade! Sempre que possível faça as refeições junto à família,

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM)

Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Aula 10: Diabetes Mellitus (DM) Diabetes Mellitus (DM) Doença provocada pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina, que leva a sintomas agudos e a complicações crônicas características; Insulina:

Leia mais

1 Por que tomar café da manhã?

1 Por que tomar café da manhã? A U A UL LA Por que tomar café da manhã? Exercícios Acordar, lavar o rosto, escovar os dentes, trocar de roupa e... tomar o café da manhã. É assim que muitas pessoas começam o dia, antes de ir trabalhar.

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha:

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha: Café da manha: Dieta opção 1 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado 1 pão francês sem miolo na chapa com 1 col. (sopa) rasa de margarina ou 1 fatia de queijo fresco ½ xíc. (chá) de cereal 1 xíc. (chá)

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel

DIABETES MELLITUS. Prof. Claudia Witzel DIABETES MELLITUS Diabetes mellitus Definição Aumento dos níveis de glicose no sangue, e diminuição da capacidade corpórea em responder à insulina e ou uma diminuição ou ausência de insulina produzida

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica Coronariana

CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica Coronariana HOSPITAL DAS CLÍNICAS - UFMG Programa de Reabilitação Cardiovascular e Metabólica Residência Multiprofissional em Saúde Cardiovascular CUIDANDO DO SEU CORAÇÃO Controle e Prevenção da Doença Aterosclerótica

Leia mais

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes

N o 36. Abril 2015. Insulina com duração de até 42 horas: nova opção para os insulinodependentes N o 36 Abril 2015 Centro de Farmacovigilância da UNIFAL-MG Site: www2.unifal-mg.edu.br/cefal Email: cefal@unifal-mg.edu.br Tel: (35) 3299-1273 Equipe editorial: prof. Dr. Ricardo Rascado; profa. Drª. Luciene

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO ALIMENTAÇÃO NO VERÃO 1 - Quais os alimentos devem ser privilegiados no verão e quais devem ser evitados? Os alimentos que devem ser privilegiados no verão são as frutas, verduras e legumes, pois são ótimas

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

25 Dicas Para Viver Com Menos Açúcar

25 Dicas Para Viver Com Menos Açúcar 25 Dicas Para Viver Com Menos Açúcar O açúcar pode ser ótimo para o nosso humor, mas é péssimo para a nossa saúde. O excesso dele conduz à obesidade, diabetes, ao câncer, entre outros. Às vezes, muitos

Leia mais

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada 1 Água ALIMENTE-SE DE FORMA EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. A alimentação influi na sua segurança ao volante. Uma alimentação incorreta pode gerar fadiga,

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle?

Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Agora que tenho diabetes... O que posso fazer para permanecer no controle? Tenho diabetes: o que isso significa, afinal? Agora que você recebeu o diagnóstico de diabetes, você começará a pensar em muitas

Leia mais

Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico

Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico Centro Regional de Hematologia e Oncologia Importância da alimentação durante o tratamento do câncer Cuidar da alimentação durante a vida é importante

Leia mais

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física LAHOR CLÍNICA MÉDICA Tatiana Oliveira Nutricionista - CRN 7508 Rua Mário Amaral, 267 - Paraíso - SP Tel/Fax: (11) 3884-7127 Tel: (11) 3051-5554 Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA CELÍACA 2 O QUE É GLÚTEN? É um conjunto de proteínas presente no Trigo, Aveia, Centeio, Cevada, e no Malte, que são cereais muito utilizados na composição de alimentos,

Leia mais

Manual do Sistema de Aplicação de Betaferon

Manual do Sistema de Aplicação de Betaferon Assessoria de Propaganda Bayer Manual do Sistema de Aplicação de Betaferon www.esclarecimentomultiplo.com.br www.bayerscheringpharma.com.br facilitando seu dia-a-dia Este material destina-se a pacientes

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

Elaboração de Cardápios

Elaboração de Cardápios Elaboração de Cardápios Junho 2013 1 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para o consumo.

Leia mais

Diabetes - Introdução

Diabetes - Introdução Diabetes - Introdução Diabetes Mellitus, conhecida simplesmente como diabetes, é uma disfunção do metabolismo de carboidratos, caracterizada pelo alto índice de açúcar no sangue (hiperglicemia) e presença

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM INSULINOTERAPIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM INSULINOTERAPIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM INSULINOTERAPIA Instrutora: Enf. Dra.Thaís S Guerra Stacciarini DIABETES MELLITUS: conjunto de síndromes

Leia mais

Diabetes. Introdução. Sintomas

Diabetes. Introdução. Sintomas Diabetes Introdução A diabetes desenvolve-se quando o organismo não consegue controlar a quantidade de glicose (açúcar) no sangue. Isto pode acontecer se o corpo não produzir quantidades suficientes da

Leia mais

Principais propriedades físicas da água.

Principais propriedades físicas da água. BIOQUÍMICA CELULAR Principais propriedades físicas da água. Muitas substâncias se dissolvem na água e ela é comumente chamada "solvente universal". Por isso, a água na natureza e em uso raramente é pura,

Leia mais

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas.

Os portadores de diabetes representam 30% dos pacientes que se internam em unidades coronarianas. A Diabetes é a sexta causa mais frequente de internação hospitalar e contribui de forma significativa (30% a 50%) para outras causas como cardiopatias isquêmicas, insuficiência cardíacas, AVC e hipertensão.

Leia mais

2 Cartilha Aleitamento Materno

2 Cartilha Aleitamento Materno 2 Cartilha Aleitamento Materno AMAMENTAÇÃO São inúmeros os benefícios da amamentação para o bebê, mãe e família. O leite materno é o melhor alimento para o bebê e deve ser a única fonte de alimento para

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas

Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas Óleo Ducoco 100% virgem é a nova opção no preparo de receitas saudáveis e deliciosas Benéfico para a saúde, o produto substitui com vantagens outros óleos vegetais na cozinha, no preparo de saladas, bolos,

Leia mais

Dicas Para Emagrecer. Oferecimento

Dicas Para Emagrecer. Oferecimento 7 Dicas Para Emagrecer Oferecimento O que você encontrará Blog Para Emagrecer 2015. Todos os direitos reservados. neste e-book? 1º - Sem Pressa 5 2º - Correção dos Hábitos Alimentares 7 3º - A sua comida

Leia mais

HUMULIN N insulina humana (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04918

HUMULIN N insulina humana (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04918 1 CDS12JUL06 HUMULIN N insulina humana (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04918 FORMA FARMACÊUTICA, APRESENTAÇÃO E COMPOSIÇÃO Preparação aquosa para administração subcutânea contendo 100 unidades (U-100)

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS 2ª edição SUMÁRIO Nutrição Enteral: definição 1. Cuidados no preparo da Nutrição Enteral Higiene

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP

Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP Protocolo para controle glicêmico em paciente não crítico HCFMUSP OBJETIVOS DE TRATAMENTO: Alvos glicêmicos: -Pré prandial: entre 100 e 140mg/dL -Pós prandial: < 180mg/dL -Evitar hipoglicemia Este protocolo

Leia mais

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN FICHA TÉCNICA Título: A criança e a Diabetes: Aqui aprendes a comer! Direcção Editorial: Alexandra Bento Concepção: Delphine Dias Corpo Redactorial: Delphine Dias, Ana Martins Produção Gráfica: Delphine

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

Guia de administração para os doentes pediátricos dirigido aos cuidadores. Leia este guia antes de administrar a injeção à sua criança.

Guia de administração para os doentes pediátricos dirigido aos cuidadores. Leia este guia antes de administrar a injeção à sua criança. Humira Guia de administração para os doentes pediátricos dirigido aos cuidadores Leia este guia antes de administrar a injeção à sua criança. Mantenha o medicamento no frigorífico (a uma temperatura entre

Leia mais

Como se preparar para a semana de provas

Como se preparar para a semana de provas Como se preparar para a semana de provas REGRAS DE ESTUDO (APLICAR DIARIAMENTE) ANTES DO INÍCIO DE CADA ATIVIDADE 1º CONCENTRAÇÃO (1 A 2 MINUTOS) PROCURE A SEQUÊNCIA: * FIQUE EM POSIÇÃO CONFORTÁVEL; *

Leia mais

Novolin N insulina humana

Novolin N insulina humana Novolin N insulina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Novolin N insulina humana APRESENTAÇÕES Suspensão injetável de insulina humana em um frasco-ampola. 100 UI/mL Um frasco-ampola contém 10 ml equivalente

Leia mais

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos:

Dependendo dos motivos, o diabetes pode ser de dois tipos: DIABETES O diabetes já é tratado como uma epidemia nos EUA. O Brasil é o quinto país no mundo em número de diabéticos, com 7,6 milhões de casos em 2007 ele estava na oitava posição, dos quais 50% não sabem

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Uma alimentação equilibrada proporciona uma quantidade correcta

Leia mais

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo?

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? Seja Inverno ou Verão, abrace esta refeição! Sabia que o Pequeno-almoço ajuda a controlar

Leia mais

Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês

Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês A diabetes tipo II se tornou uma das doenças mais comuns nos tempos modernos. A boa notícia é que em pouco menos de um mês, seguindo um plano de alimentação

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam. Dieta durante o tratamento O que comer e o que evitar de comer Após a cirurgia A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante)

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) 1 CDS12JUL06 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) FORMAS FARMACÊUTICAS, APRESENTAÇÕES E COMPOSIÇÃO HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea

Leia mais

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças FACTORES DE RISCO Factores de risco de doença cardiovascular são condições cuja presença num dado indivíduo aumentam a possibilidade do seu aparecimento. Os mais importantes são o tabaco, a hipertensão

Leia mais

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10 Acompanhamento Salada Sobremesa 01/09/10 Frango Assado com Creme de Cebola Brócolis alho e óleo Tomate Abacaxi 02/09/10 Bife a Role Purê de Batata cozida

Leia mais

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia.

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. REVISTA ELETRÔNICA O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. CEIA SAUDável e em conta chester ou peru?

Leia mais

Novolin R insulina humana

Novolin R insulina humana Novolin R insulina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Novolin R insulina humana APRESENTAÇÕES Solução injetável em um frasco-ampola. 100 UI/mL Embalagem contendo 1 frasco-ampola com 10 ml. O frasco-ampola

Leia mais

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde.

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde. Nutrição O alimento como aliado da sua saúde. alimentação saúdavel Alimentação saúdavel e cuidados nutricionais são importantes em todas as fases da vida e devem ser tratados com distinção em cada período.

Leia mais

Vegetarianos que não são ativos

Vegetarianos que não são ativos Vegetarianos que não são ativos Abaixo irá encontrar planos de dieta para ter sucesso. Cada um desses planos foi especificamente formatado com um número preciso de calorias, proteínas e hidratos de carbono

Leia mais