Machada em Família Educação Ambiental Espécies exóticas invasoras Abelharuco. número 16 Junho 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Machada em Família Educação Ambiental Espécies exóticas invasoras Abelharuco. número 16 Junho 2009"

Transcrição

1 número 16 Junho 2009 REVISTA DE AMBIENTE DO CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA MATA NACIONAL DA MACHADA E SAPAL DO RIO COINA Impresso em papel reciclado Machada em Família Educação Ambiental Espécies exóticas invasoras Abelharuco

2 2 caminhos Almanaque MAIO Pensar o ambiente é perspectivar um futuro melhor O caminho para o desenvolvimento sustentável compreende diferentes perspectivas, onde incluímos o ambiente. Pensar o ambiente é perspectivar um futuro melhor. No momento em que o Concelho do Barreiro vive um período de grande transformação, com o anúncio da Terceira Travessia sobre o Tejo, nas vertentes rodo -ferroviária no corredor central Barreiro-Chelas, é de grande importância e necessário pensar o Barreiro na perspectiva do desenvolvimento sustentável que tanto desejamos. A defesa do ambiente e a preservação dos recursos naturais é um objectivo que todos devemos perseguir. Devemos estar despertos para uma maior consciência ambiental, que se concretize no plano individual e colectivo em acções concretas. Cabe-nos agir de modo responsável, desenvolvendo mecanismos adequados e eficazes, que envolvam toda a comunidade na defesa do ambiente. Podemos começar por inscrever pequenos gestos no nosso quotidiano, adoptando práticas de redução, reutilização e reciclagem através das quais nos aproximaremos de uma efectiva mudança de mentalidades e comportamentos. A Feira Pedagógica, que este ano conhece a VIII edição, reflecte toda a dinâmica da Comunidade Educativa do Barreiro, e o modo como se relaciona e interage com o próprio Concelho. FICHA TÉCNICA Câmara Municipal do Barreiro Rua Miguel Bombarda Barreiro Divisão de Sustentabilidade Ambiental Rua Stinville nº Barreiro Tel.: Fax: Linha Verde: Centro de Educação Ambiental da Mata Nacional da Machada e Sapal do Rio Coina Tel.: Tel./Fax: Em todas as edições, podemos contar com a abordagem e sensibilização para as questões ambientais protagonizadas pelos mais novos. A escola, proporcionando o contacto com diferentes realidades, permite uma educação cada vez mais transversal, que favorece e estimula o aprofundamento da cidadania e da participação entre os mais novos. O papel da escola e da autarquia revelam- -se essenciais na formação e educação ambiental, contribuindo assim para a sustentabilidade a nível local, ao possibilitar um contacto directo com a natureza, dando a conhecer o nosso património natural, a Mata Nacional da Machada, os Rios Tejo e Coina, e os múltiplos espaços verdes espalhados pelo Concelho. A ideia de desenvolvimento sustentável e respeito pelo ambiente deve ser partilhada por todos, estendendo-se às famílias, empresas, organizações, e outras entidades. Contamos com o Vosso contributo na construção de um mundo melhor, mais justo e fraterno. Regina Janeiro Vereadora do Pelouro da Educação e Cultura Câmara Municipal do Barreiro Coordenação de Edição e Redacção: Divisão de Sustentabilidade Ambiental Design e Paginação: Rostos da Cidade Impressão: Gráfica, Lda. Praceta José Sebastião e Silva, lote 50 Parque Industrial do Seixal Aldeia de Paio Pires Depósito legal n.º: /09 Data de Edição: Junho de 2009 Quarto Crescente 1 Maio 2009 às 20h44m Lua Cheia 9 Maio 2009 às 04h01m Quarto Minguante 17 Maio 2009 às 07h26m Lua Nova 24 Maio 2009 às 12h11m Quarto Crescente 31 Maio 2009 às 03h22m Em Maio verás a água com que regarás. JUNHO Lua Cheia 7 Junho 2009 às 18h12m Quarto Minguante 15 Junho 2009 às 22h15m Lua Nova 22 Junho 2009 às 19h35m Quarto Crescente 29 Junho 2009 às 11h28m Em Junho abafadiço, fica a abelha no cortiço. JULHO Lua Cheia 7 Julho 2009 às 09h21m Quarto Minguante 15 Junho 2009 às 09h53m Lua Nova 22 Junho 2009 às 02h35m Quarto Crescente 28 Junho 2009 às 22h00m Água de Julho, no rio não faz barulho. PARA APRENDER Na estrutura da Terra encontramos três camadas: crosta, manto e núcleo. A crosta é a camada mais externa do planeta, com uma espessura que varia entre 5 e 70 km. É constituída principalmente por basalto e granito e fisicamente é a camada menos rígida e mais fria da Terra. O manto é a camada imediatamente abaixo, constituída por uma mistura de rochas derretidas, gases e vapor de água, que tem o nome de magma. Estende-se desde os cerca de 30 km (podendo ser bastante menos nas zonas oceânicas) até aos 2900 km de profundidade. As temperaturas variam entre 100ºC (junto à crosta) e 3500ºC (junto ao núcleo). O núcleo é constituído essencialmente por ferro e níquel, apresentando uma temperatura de cerca de 4000ºC. É constituído por uma parte sólida, denominada de núcleo interno, envolvida por uma líquida, o núcleo externo. É esta camada líquida que dá origem ao campo magnético terrestre.

3 paisagens 3 Educação Ambiental Mais um ano lectivo que chega ao fim. À semelhança de anos anteriores, a Divisão de Sustentabilidade Ambiental da Câmara Municipal do Barreiro promoveu um conjunto de iniciativas que, de uma forma geral, ajudaram a alertar os mais novos (e não só) para a importância do meio ambiente e para a necessidade da sua preservação. Através do concurso Árvores de Natal Recicladas e ateliers diversos, procurámos sensibilizar para a possibilidade da reutilização de materiais na criação de objectos de carácter lúdico e decorativo. Assinalámos datas específicas, como o Dia Mundial da Árvore onde, entre jogos e diversões, os mais novos puderam contribuir para o equilíbrio da Mata da Machada, através da plantação de uma árvore. Comemorámos o Dia Europeu sem Carros e promovemos a mobilidade sustentável. No Centro de Educação Ambiental recebemos escolas e grupos, do concelho e não só, e realizámos ATL s nas interrupções lectivas, fomentando o contacto directo com a natureza. Trabalhámos ainda activamente com o público do pré-escolar, nas Actividades de Apoio à Família onde, pelo terceiro ano consecutivo, pudemos desenvolver a Educação Ambiental nos Jardins-de-infância da rede pública do Concelho. Apoiámos projectos como o Eco-Escolas e o Coastwatch. E o Projecto de Recolha de Resíduos para Reciclagem Tens Atitude?, que iniciou no ano passado junto das Escolas Secundárias, foi alargado às EB 2/3, a algumas IPSS e outras entidades, como as Corporações de Bombeiros. Um sucesso!! Limpámos a Mata da Machada, subimos o Rio Coina e tornámo-nos Guardiões da Floresta. Foi um ano em cheio CLICK! FOTOREPORTAGEM Coastwatch Árvores de Natal Recicladas Dia Europeu sem Carros Dia Mundial da Árvore Eco-Escolas Guardiões da Floresta Limpeza da Mata Subida do Rio Coina Tens Atitude?

4 4 projecto na escola Projecto: Animação Sociocultural em Contextos Ambientais Escola Profissional Bento Jesus Caraça No seguimento do projecto educativo designado para a turma do 10º ano do curso de Animação Sociocultural da Escola Profissional Bento Jesus Caraça, e que teve como tema principal A Animação Sociocultural em Contextos Ambientais, foi realizada uma visita de estudo à Divisão de Sustentabilidade Ambiental da Câmara Municipal do Barreiro e ao Centro de Educação Ambiental da Mata da Machada. Na primeira visita, os alunos receberam uma formação ministrada pelo Vereador Bruno Vitorino e pela restante equipa da Divisão. Foram abordados temas bastante diversos, referentes aos problemas actuais do ambiente e às respectivas soluções para o futuro, tendo sido uma sessão bastante esclarecedora, que contribuiu para a sensibilização e alerta de atitudes que todos os cidadãos têm e que importa alterar. Os alunos tiveram a oportunidade de colocar todo o tipo de questões referentes às diferentes temáticas estudadas - Poluição Atmosférica, Poluição Marítima, Reciclagem e Aquecimento Global. Na visita de estudo realizada ao Centro de Educação Ambiental, os alunos receberam mais uma formação, ministrada por uma técnica da Divisão, que serviu, essencialmente, para os alunos perceberem de que forma se pode sensibilizar crianças e jovens, através de actividades de animação sociocultural e de cariz ambiental, contribuindo desta forma para um mundo mais agradável para todos nós. Depois das visitas efectuadas, os alunos conceberam, ao longo de duas semanas, e através de grupos de trabalho, projectos de intervenção sociocultural, que foram apresentados à comunidade educativa e à comunidade externa na Cooperativa Popular Cultural Barreirense. BREVES Projecto Eco-Escolas - Escola Básica 2/3 Álvaro Velho Feira do Ambiente O Eco-Escolas é um Programa Internacional que pretende encorajar acções e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental. A Escola Básica 2,3 Álvaro Velho é uma Eco-Escola e, como tal, tem sido palco de diversas actividades em prol do ambiente ou, mais propriamente, em prol da educação pelo ambiente. A educação para a cidadania e o desenvolvimento sustentável são duas das áreas mais relevantes do Projecto Educativo do Agrupamento de Escolas Álvaro Velho. É neste sentido que queremos partilhar com todos o trabalho que temos desenvolvido e, simultaneamente, comemorar o Dia Mundial do Ambiente, realizando uma FEIRA DO AMBIENTE, no dia 5 de Junho, entre as 14 e as 19h. Será uma tarde em que a Escola estará aberta a toda a comunidade educativa, haverá diversas actividades lúdicas e pedagógicas, nomeadamente venda de artesanato fabricado pelos alunos, desfile de moda ecológica, momentos musicais, jogos e muito boa disposição! Juntem-se a nós, neste dia! PARTICIPEM nesta festa que será de todos e por todos! Não esqueçam: dia 5 de JUNHO, entre as 14 e as 19h. Até lá! Prof. Luis Dias

5 paisagens 5 Novo Guia Ecológico do Munícipe Brevemente disponível. Machada em Família 09 A iniciativa Machada em Família conta com mais uma edição este ano. Pelo quarto ano consecutivo, e durante todos os fins-de-semana do mês de Junho, decorrerão diversas actividades na Mata Nacional da Machada, tendo como objectivo promover o potencial daquele que é considerado o pulmão do concelho do Barreiro. Estarão disponíveis bicicletas para empréstimo, actividades radicais, percursos pedestres, jogos de laser, jogos tradicionais, ginástica ao ar livre, eurobungy, entre outras actividades que farão as delícias das famílias e amigos que pretendam passar um dia diferente, em contacto com a natureza. Este ano, a abertura desta iniciativa coincide com a inauguração do circuito de manutenção, a 30 de Maio. A Autarquia, através da Divisão de Sustentabilidade Ambiental, ciente da importância da prática desportiva e da necessidade de equipamento apropriado ao desenvolvimento da mesma, adquiriu um novo circuito de manutenção, de forma a substituir as antigas estruturas, que se encontravam já degradadas. Com um programa tão variado de actividades, contamos com a sua presença. Traga a família e divirta-se, tendo como pano de fundo a mancha florestal de maior relevância do Barreiro. Precisamos de si para construir, hoje um melhor Barreiro amanhã. Estou satisfeito por estar cumprido mais um dos compromissos por mim assumidos junto da população. Bruno Vitorino Vereador do Ambiente da CMB APOIOS: Para além das actividades promovidas pela Autarquia, a Machada em Família conta ainda com a participação dos agrupamentos de escuteiros, que prestarão um apoio fundamental. Também alguns ginásios do concelho se associaram à iniciativa, promovendo aulas de ginástica e yôga para a população que visita este espaço. CALENDÁRIO DAS AULAS DE GINÁSTICA MAIO JUNHO 31 Domingo 6 Sábado 7 Domingo 13 Sábado 14 Domingo 20 Sábado Kangaroo Body & Mind Kai Gobu Kangaroo Dance Aikido + Kai Gobu Kangaroo Body & Mind + Kangaroo Dance Kai Gobu 11h Korpus Dance Yôga Shakti Korpus Dance Korpus Dance 18h Aula Grupo Aula Grupo Aula Grupo 10h 21 Domingo Aula Aeróbica 27 Sábado 28 Domingo Aikido + Kai Gobu Body Combat Korpus Dance Yôga Shakti Aula Grupo

6 6 impressões coloridas Dia Internacional da Biodiversidade alerta para as espécies exóticas invasoras O Dia Internacional da Biodiversidade comemora-se a 22 de Maio. As celebrações de 2009 foram dedicadas a um problema que é considerado como uma das principais causas de ameaça à biodiversidade: as espécies exóticas invasoras. Vejamos pois, que ameaça é esta. Há espécies que, por não serem originárias do território nacional ou de uma sua área geograficamente isolada, são designadas espécies exóticas, não indígenas ou alóctones. A sua disseminação ou libertação na natureza, de forma intencional ou acidental é considerada uma introdução. Há várias espécies exóticas que não são invasoras, por exemplo, o milho e a batata (originárias da América do Sul) e o castanheiro. Todavia, algumas das exóticas introduzidas podem causar prejuízos irreversíveis à flora e fauna indígenas ou nativas (i. e. naturais da região) e afectar seriamente as actividades económicas e a saúde pública, incluindo a transmissão de agentes patogénicos ou parasitas. Nestes casos, quando uma espécie exótica desequilibra a estrutura ou o funcionamento de um ecossistema, designa-se por invasora. Este facto contraria o equívoco generalizado de que a um maior número de espécies na Natureza corresponde uma maior biodiversidade, pois o maior impacto originado é a competição, a predação e a hibridação com espécies nativas, que provocam uma diminuição da biodiversidade com alteração de processos biológicos. As espécies exóticas invasoras têm características que facilitam a colonização, tais como crescimento rápido, maturidade sexual mais adiantada, elevada fecundidade, adaptabilidade a diferentes habitats e/ou condições e associação com actividades humanas. Se não tiverem predadores e competidores naturais, nas zonas onde foram introduzidas, a sua dispersão é ainda mais rápida. A introdução de uma espécie invasora pode originar uma uniformização biológica, de que são exemplo várias zonas do nosso país cobertas, quase exclusivamente, por mimosas. O processo para impedir ou retardar a expansão de uma invasora é geralmente dispendioso e muitas vezes impossível, pelo que a melhor solução é a prevenção, impedindo a sua instalação! Por isso se proíbe a compra, a venda, o cultivo, a criação e a utilização como planta ornamental ou animal de companhia de espécies consideradas como invasoras ou de risco ecológico. Em Portugal, há várias espécies invasoras introduzidas de modo intencional ou inadvertidamente (ex. espécies de peixes ou plantas disseminadas pela mudança de água dos aquários ou da água de lastro dos navios, fugas acidentais de cativeiro ou espécies introduzidas através da importação de mercadorias). Algumas invasoras podem levar à extinção de espécies nativas cujos números sejam diminutos, por exemplo, se se alimentarem dessa espécie ou se transmitirem doenças que a afectem. Um caso célebre é o da mixomatose, doença que afectava levemente os coelhos brasileiros. Foi introduzida na Austrália (para controlar a praga provocada pela introdução dos coelhos) e na Europa. Porém, ela é mortal para os coelhos bravos europeus e colocou em risco outros animais que deles se alimentam (ex. lince-ibérico que caça essencialmente coelhos). Chorão-das-praias (Carpobrotus edulis) Entre as espécies invasoras mais conhecidas e problemáticas no nosso país, encontram-se várias Acácias entre as quais a Mimosa (Acacia dealbata), o Chorãodas-praias (Carpobrotus edulis), que invade as dunas e zonas arenosas onde ocorrem algumas espécies endémicas, e a Árvore-do-céu ou Ailanto (Ailanthus altissima) que, em conjunto com a Árvore-do-incenso (Pittosporum undulatum), são um problema tanto no continente como nas Regiões Autónomas. Também as Háquias (Hakea spp.) formam rapidamente bosques densos, reduzindo a disponibilidade de água e aumentando o risco de incêndio. A Azeda (Oxalis pescaprea) invade extensas áreas agrícolas e descampados. O Jacinto-de-água (Eichornia crassipes), as Azolas (Azolla spp.), Jacinto-de-água (Eichornia crassipes) Foto: Hugo Raposo o Estrume-novo (Elodea canadensis) e o Pinheirinho-de-água (Myriophillum brasiliensis) proliferam nos cursos de água, valas, albufeiras e pauis. Também a Alga-verde (Caulerpa taxifolia), usada em aquários, foi introduzida em estuários através dos esgotos. Outras espécies invasoras são a Cana (Arundo donax) e a Erva-das-pampas ou Plumas (Cortaderia selloana), utilizada como planta ornamental. Entre as espécies da fauna invasoras estão a Perca-sol (Lepomis gibbosus), a Gambúsia (Gambusia holbrooki), a Tartaruga da Florida (Trachemys scripta), o Caranguejo-peludo-chinês (Eriocheir sinensis) e o Lagostim vermelho da Louisiana (Procambarus clarkii). As espécies de peixes foram introduzidas nos rios para controlo das larvas de mosquitos e para fomento piscícola, tendo-se posteriormente verificado a predação e competição com as espécies de peixes autóctones, muitas delas exclusivas do nosso país. Deter ou cultivar uma espécie não indígena, seja para embelezamento ou para actividade económica, tem regras e é uma grande responsabilidade. Com efeito, as

7 impressões coloridas 7 Tome nota Antes de comprar animais ou plantas exóticos, certifique-se de que a sua venda é legal, para evitar a compra quer de espécies invasoras quer de espécies protegidas. Vagens da Acácia Foto: Elisabete e Hélia Marchante Erva-das-pampas ou Plumas (Cortadeira selloana) Foto: Elisabete e Hélia Marchante espécies exóticas são muito atractivas, mas importa ter em atenção os riscos que poderão causar. Por isso, há que ter cuidado para prevenir a introdução de espécies invasoras. decorrentes do estabelecido por legislação nacional relativa às áreas protegidas, transposição das Directivas Comunitárias e Convenções Internacionais regulamentadas num diploma específico sobre esta matéria, o Decreto-Lei nº 565/99, de 21/12 (em revisão). A introdução de espécies exóticas está, por regra, PROIBIDA, incorrendo os infractores em responsabilidade contraordenacional sancionada com coimas, para além do pagamento dos custos de activação de mecanismos de controlo a que possam dar origem e de reposição da situação anterior à infracção. O ICNB - Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade é a autoridade nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, tendo competências na regulamentação de espécies exóticas. Estas advêm das obrigações No caso de não poder manter uma espécie exótica, não a liberte na natureza, contacte o ICNB. Se proceder a arranjos de espaços exteriores, tenha em atenção que não pode utilizar espécies invasoras ou Todavia, cada cidadão pode e deve contribuir para a Conservação da Natureza e da Biodiversidade, pelo que a ajuda do(a) leitor(a) é essencial. Se é educador, aqui fica o desafio para abordar este tema quer em 2009 quer em 2010 Ano Internacional da Biodiversidade! Texto ICNB - Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, I. P. com risco ecológico conhecido. Se comercializar plantas ornamentais ou animais de companhia, informe-se das condicionantes legais relativas ao comércio de espécies não indígenas. Determinadas actividades (p. ex. apicultura ou aquacultura) são consideradas explorações económicas em espaços não confinados, pelo que são também regulamentadas pela legislação sobre a introdução de espécies não indígenas. Contactos ICNB - Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, I. P. Rua de Sta. Marta, n.º Lisboa Tel: Fax: Mimosa (Acacia dealbata) Foto: Elisabete e Hélia Marchante

8 8 observatório Abelharuco Merops apiaster comum observarem-se grupos com várias dezenas de indivíduos, que são especialistas em capturar insectos voadores (ex. abelhas, borboletas, vespas, etc.) em movimentos ondulatórios longos a grande altitude. O abelharuco é uma espécie migradora que pode ser observada em Portugal de final de Março/início de Abril a Setembro, altura em que migra para a África tropical e subsaariana. São migradores diurnos, voando em pequenos grupos. Abelharuco junto a ninho (foto de Henrique Oliveira Pires em A palete de cores do abelharuco, bastante invulgar entre as aves residentes em Portugal, é inconfundível. Esta ave terrestre de garganta amarela, peito e ventre azulados, dorso vermelho, máscara facial preta e as duas penas centrais da cauda a destacarem-se das restantes, é bastante fácil de encontrar pousada em fios telefónicos e cercas. Apresentam hábitos gregários, pelo que é Esta espécie reproduz-se em colónias e o ninho é um buraco no solo, sob a forma de um túnel, que pode atingir os 2 metros de comprimento, forrado com folhas ou restos de insectos e escavado pelo casal, frequentemente, nas margens de rios ou em areeiros. Está localizado normalmente em paredes verticais, embora possa ser encontrado igualmente em zonas apenas ligeiramente inclinadas. Põem 2 a 6 ovos que são incubados ao longo de cerca de 20 dias por ambos os progenitores, que alimentam os juvenis durante cerca de um mês, no ninho, e mais três semanas fora do ninho. Reproduz-se em áreas abertas nas regiões quentes, áreas cultivadas ou terrenos abertos intercalados em pastagens, arbustos, árvores dispersas ou pequenos bosques, muitas vezes próximo de rios com margens íngremes. Esta desconfiada ave é comum em quase toda a região a sul do Tejo, estando, no entanto, presente apenas na zona interior a Norte deste rio. Classificação Científica Abelharuco Reino Animalia Família Meropidae Filo Chordata Género Merops Classe Aves Espécie Merops apiaster Ordem Coraciiformes Ninho de abelharuco (www.ariege-discovery.com) Curiosidades O nome desta ave deve-se ao facto de se alimentar principalmente de abelhas e antes de as ingerir retira-lhes o ferrão, esmagando-o contra uma superfície dura. Um abelharuco pode comer mais de 255 insectos por dia. Este gosto por abelhas originou algumas perseguições por parte dos apicultores. Esta é uma das poucas aves europeias cujas crias podem também ser alimentadas por ajudantes, pertencentes ao mesmo grupo, ou seja, familiares directos (ex. irmãos mais velhos). Comprimento: cm Envergadura: cm Estatuto de conservação: Pouco preocupante Abelharuco

9 Vamos jogar? eco-páginas 9 O Verão está aí e traz fruta deliciosa. Preenche estas palavras cruzadas com algumas das frutas que podes encontrar nesta época. Soluções: Vamos aprender? Certamente já ouviste falar em alguns destes senhores. Mas sabes quais foram os seus contributos para a Ciência? Preenche os espaços em branco e descobre. Albert Einstein formulou a T r d e _ a d _. Alexander Fleming descobriu a p i _ i n a. Guglielmo Marconi inventou o t e l _ g r o s _ m _ i o _. Antoine Lavoisier identificou o O g _ n. Galileu Galilei foi o primeiro a usar o _ e l e ó _ i _ para observar o céu. Charles Darwin formulou a teoria sobre a O g e _ d E é c_ e _ Louis Pasteur descobriu a c _ n _ c o _ t _ a _ r v a. Leonardo da Vinci fez o primeiro projecto de b i _ l e. Wilhelm Roentgen descobriu os _ a _ o s _. Samuel Morse inventou o _ ó g o M _ r _ e. 4 - b i c i c l e t a 5 - L e i d a G r a v i d a d e 6 - p e n i c i l i n a 7 - t e l e s c ó p i o 8 - R a i o s x 9 - c ó d i g o M o r s e 10 - T e r r a gira em torno do S o l 11 - t e l é g r a f o s e m f i o s 12 - O r i g e m d a s E s p é c i e s Isaac Newton formulou a L _ i d a G v i _ a _ e. Nicolau Copérnico descobriu que a _ e _ r a gira em torno do S _ l. Soluções: 1 Amor-perfeito, 2- Antúrio, 3 Crisântemo, 4 Gerbera, 5 Girassol, 6 Hortência, 7 Jarro, 8- Margarida, 9 Narciso, 10 Orquídea, 11 Papoila, 12 Petúnia, 13 Rosa, 14 - Violeta Soluções: 1 - T e o r i a d a R e l a t i v i d a d e 2 - O x i g é n i o 3 - v a c i n a c o n t r a a r a i v a

10 10 eco-páginas Vamos jogar? Os animais têm características muito curiosas. Será que sabes tudo sobre eles? Ora adivinha lá que particularidade está associada a que espécie. Une o balão à foto correcta. 1 3 Sou o único animal que se queima com o sol, além do homem. mpar as Posso li orelhas próprias. minhas u ng a com a lí Baleia azul 8 Sou o maior mamífero. Tartaruga gigante 5 2 lho é O meu o e o o qu maior d bro. re é c u me Espreguiço-m e pela manhã quando acordo. Formiga Coruja Avestruz 4co Durmo m os o abert lhos os. 7 Besouro rinoceronte 6 Sou o mais forte de todos os animais, pois posso erguer oitocentas cinquenta vezes meu próprio peso. 10 Ornitorrinco Preguiça Vivo mais de 150 anos, pelo que sou o animal que mais tempo vive. O meu cérebro é tamanho de uma azeitona. 9 Sou um e piscar capaz d ém girar a b m olho e ta três quartos até cabeça ão total. da rotaç Sou o ú mamíf nico ero qu e põe o vos. Girafa Porco Golfinho Soluções: 1-girafa; 2-formiga; 3-porco; 4-golfinho; 5-avestruz; 6-besouro; rinoceronte; 7-tartaruga gigante; 8-baleia azul; 9-ornitorrinco; 10- preguiça; 11-coruja Vamos cozinhar? Com o calor à porta, que tal um gelado? Pede ajuda a um adulto e toca a preparar a sobremesa!! VAIS PRECISAR DE: Num copo liquidificador, deita todos os ingredientes. 250 ml de leite Bate tudo até ficares com uma mistura homogénea. 2 bananas Depois, deita a mistura num recipiente e leva ao con- Raspa de 1 limão gelador, durante 2h. 2 ovos 100g de açúcar Quando fores comer, poder juntar nozes ou amêndoas torradas. Vais ver que fica uma delícia!!

11 Centro de Interpretação da Natureza do Zambujalinho síntese 11 Cinzambu O Centro de Interpretação da Natureza do Zambujalinho Cinzambu é um espaço privilegiado de contacto com a natureza, onde crianças e adultos motivados pelo saber, aprendem a apreciar os valores naturais, históricos e culturais, e são estimulados a protegê-los adoptando um novo apreço por este tipo de espaços de importância relevante no mundo rural. Com uma equipa multidisciplinar de guias da natureza, credenciados pelo Instituto de Conservação da Natureza ICNB, e de animadores, este Centro desenvolve acções de educação ambiental para diferentes públicos Escolas, Empresas, Turismo e Público em geral com programas personalizados e adequados aos objectivos dos visitantes. Situado a apenas 15 minutos de Setúbal e a 40 minutos de Lisboa, o Cinzambu localiza-se na Península de Setúbal, na Herdade do Zambujal, em pleno coração da Reserva Natural do Estuário do Sado. O Centro de Interpretação está actualmente mais vocacionado para actividades de exterior e para tal dispõe de um conjunto de infraestruturas: recepção, percursos interpretativos terra e água, anfiteatro, casas de banho completas, zona de refeições e equipamentos de desporto da natureza. Os nossos programas incluem 4 tipos de actividades: Percursos pedestres e interpretativos, Jogos de Cooperação, Desportos na Natureza e Ateliers Temáticos. Organizamos Actividades para Escolas, adaptadas aos programas curriculares, Festas de Aniversário, Actividades em Família, Acções de Team Building, Férias na Natureza, em regime de acampamento e em regime aberto, e dispomos de programas destinados a turistas. Estamos abertos durante todo o ano e aceitamos marcações para fins-de-semana e pausas escolares. Para mais informações: Catarina Magalhães Coastwatch: Um olhar sobre a Biodiversidade O Projecto Coastwatch desafiou este ano todos os seus participantes a lançarem um olhar mais atento sobre a Biodiversidade. Para concluir o trabalho realizado durante os últimos meses do ano 2008, que incluiu a recolha de dados no campo e o preenchimento de uma base de dados final, teve lugar na Madeira, na cidade do Funchal, o seminário de encerramento da Campanha Coastwatch 2008/09: Um Olhar Sobre a Biodiversidade, de 30 de Abril a 2 de Maio de O Seminário teve como principais objectivos a divulgação dos resultados da campanha, a promoção para a educação e cidadania ambiental, a partilha de experiências e o debate sobre a importância da conservação da biodiversidade. A Divisão de Sustentabilidade Ambiental, em representação da Câmara Municipal do Barreiro, teve oportunidade de apresentar as actividades e projectos desenvolvidos na área da educação ambiental, ao longo do ano, pela autarquia. Tens Atitude? na EB 2/3 Padre Abílio Mendes O projecto de separação de resíduos para reciclagem Tens Atitude? chegou finalmente à EB 2/3 Padre Abílio Mendes. Pelas características de acesso, esta escola não poderia dispor do mesmo tipo de contentores que foi distribuído nas restantes escolas onde o projecto está já implementado. O acentuado desnível na entrada não permitia o transporte dos contentores rodados, pelo que se optou pela disponibilização de contentores mais pequenos, afixados na parede, graças à motivação e trabalho conjunto de alunos, funcionários e professores. Cabe ainda aos alunos, através de um trabalho de voluntariado, fazer a verificação dos contentores, substituição de sacos e transporte de resíduos, para reciclagem, para os ecopontos que se encontram no exterior da escola. Bom trabalho!!

12 12 dicas e sugestões Sugestões História (Mesmo) Breve de Quase Tudo Bill Byrson Agenda de Actividades VIII Feira Pedagógica A VIII Feira Pedagógica decorre de 1 a 7 de Junho, no Parque da Cidade, tendo por tema Os 150 anos do Caminho-de-ferro no Barreiro. Estarão presentes os estabelecimentos de ensino do concelho, com uma mostra do trabalho realizado ao longo do ano lectivo. Animação, jogos, desporto e novidades não faltarão neste que é já um acontecimento de referência, no concelho e não só. Horário: 9h30 12:30 / 21h00 22h30, de 3ª a 6ª feira 9h30 12:30 / 18h00 22h30, 2ª feira e fim-de-semana. Para mais informações, poderá contactar a Divisão de Educação, através do Dia Mundial do Ambiente A Divisão de Sustentabilidade irá comemorar esta data, que se assinala a 5 de Junho, no Parque da Cidade, com um conjunto de actividades lúdico-pedagógicas que visam a sensibilização para a preservação do ambiente, com destaque para a peça de teatro Os Pólos da nossa Terra e para presença do Parque Natural da Arrábida, com actividades sobre o meio marinho. Para mais informações, poderá contactar a Divisão de Sustentabilidade Ambiental, através do Machada em Família Nos dias 30 e 31 de Maio e durante os fins-de-semana de Junho, decorre a 4ª edição da Machada em Família. Entre as 9h e as 19h, poderá participar nas inúmeras actividades disponíveis na Mata Nacional da Machada. Desportos radicais, empréstimo de bicicletas, percursos de orientação e de manutenção são alguns dos destaques. Para mais informações, consulte o programa ou contacte a Divisão de Sustentabilidade Ambiental, através do ATL s de Verão De Julho a Setembro vão ter lugar os ATL s de Verão, dinamizados pelo Centro de Educação Ambiental da Mata da Machada. As inscrições estão abertas para crianças entre os 6 e os 12 anos. Cada grupo tem no máximo 30 participantes, que durante 2 semanas poderão usufruir de jogos e outras actividades lúdico-pedagógicas, cujas temáticas incidem essencialmente sobre o ambiente e o respeito pela natureza. Para mais informações, poderá contactar a Divisão de Sustentabilidade Ambiental, através do Astronomia, arqueologia, física, química, geologia, antropologia ou filosofia, entre tantos e tantos outros temas, este livro é um divertido inventário de tudo o que sabemos sobre o mundo. Desde a origem do Universo até à actualidade. Concebido especialmente a pensar nos mais pequenos, (linguagem acessível, breves textos e ilustrações muito engraçadas) deve ser consultado com moderação pelos adultos pois pode causar dependência. Bryson escreve de uma forma extremamente acessível e teve o cuidado de organizar o livro de uma forma lógica, em que um tema se segue ao outro naturalmente. Começando com o Big Bang, termina com a evolução do homem, tendo estabelecido anteriormente tudo o que é necessário para entender o processo de evolução do universo. São mais de 13 bilhões de anos em apenas 170 páginas! Uma leitura muito compensadora, sem dúvida, para miúdos e graúdos. Dicas ambientais NAS FÉRIAS - Programa viagens de aventura. Fazer caminhadas, andar de bicicleta ou de canoa, para além de muito divertido, permite explorar mais detalhadamente a natureza. - Se fizeres caminhadas, mantém-te nos trilhos, de forma a não danificar a vegetação. - Sempre que possível, utiliza uma máquina fotográfica digital. Por ano, processam-se cerca de 680 milhões de rolos de fotografia, que utilizam químicos perigosos que poluem o ambiente. Evita também usar máquinas descartáveis. - Leva o teu próprio champô e sabonete para tomares banho, em vez de usares os que te são oferecidos nos hotéis. Não só estarás a usar o teu produto habitual, como criarás menos desperdício de plástico. - Ao comprares lembranças, prefere as que são elaboradas pelos artesãos locais. Não compres conchas, nem objectos feitos a partir de animais exóticos. - Respeita a natureza, não arranques plantas, não recolhas corais nem conchas do mar e não perturbes os animais. Para receber o seu Folha Viva, ligue grátis para a Linha Verde: Ou envie os seus dados (nome, morada e ) para

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Enquadramento geral Os Programas de Educação para a Sustentabilidade têm como principal objectivo promover a educação e a sensibilização ambiental de todos

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA FAMÍLIAS Grelha Resumo por Sector Sector Rios/Espaços Verdes Animais Dias comemorativos Férias Datas

Leia mais

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente PLANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2011/2012 CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente 2011/2012 Índice: Introdução Ações de Sensibilização: Ateliers: Datas Comemorativas: Visitas de Estudo: Concursos: Projetos:

Leia mais

1. Acções de sensibilização

1. Acções de sensibilização PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL / 2013-2014 As atividades propostas compreendem diferentes momentos de reflexão, discussão e ação, dirigindo-se a toda a comunidade educativa que contempla diferentes níveis

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

NEURÓNIOS CURIOSOS NA ESCOLA ANO LETIVO 2014/2015

NEURÓNIOS CURIOSOS NA ESCOLA ANO LETIVO 2014/2015 NEURÓNIOS CURIOSOS NA ESCOLA ANO LETIVO 2014/2015 Porque aprender Pode ser ainda mais divertido! www.neuronioscuriosos.pt neuronioscuriosos.escolas@gmail.com 967 176 939 Neurónios Curiosos NEURÓNIOS CURIOSOS

Leia mais

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7 Página 1 de 7 Diagnóstico Objectivos Diagnóstico Acções Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transportes Biodiversidade Mar Plano de Acção Elementos do Plano de Acção Temas em que

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL RELATÓRIO DEATIVIDADES2014-2015 SETOR DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 À DESCOBERTA DO CEA 4 VISITAS AOS ESPAÇOS EXTERIORES,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR

PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR PLANO MUNICIPAL DE AMBIENTE PROPOSTA DO PLANO ELABORADO POR CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR FICHA TÉCNICA Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar Eng.º Duarte Marques Eng.ª Cristina Vieira Divisão

Leia mais

Carta Ambiental do Colégio Penas Real

Carta Ambiental do Colégio Penas Real Carta Ambiental do Colégio Penas Real O Colégio Penas Real está atento à importância de um ensino ambiental de qualidade na escola, tendo por isso vindo a assumir um papel preponderante no desenvolvimento

Leia mais

Catálogo de Atividades...

Catálogo de Atividades... Catálogo de Atividades.... 2015 2016 .... O Parque YMCA CAMP ALAMBRE / PARQUE AMBIENTAL DO ALAMBRE Breve apresentação O Parque Ambiental do Alambre representa o Centro de Campo da Associação Cristã da

Leia mais

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Plano de Atividades Programa de Educação para a Sustentabilidade O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo 2014/2015 integra

Leia mais

Controlo dos impactes das catástrofes

Controlo dos impactes das catástrofes L Controlo dos impactes das catástrofes MEDIDAS DE PROTEÇÃO DOS ECOSSISTEMAS Fenómenos geológicos Sismos Vulcões Deslizamentos de terras Algumas medidas de prevenção e controlo de danos Ter uma atitude

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

Programa de Educação Ambiental

Programa de Educação Ambiental Programa de Educação Ambiental 2015 / 2016 Escolas Centro de Formação Ambiental SEDE - Lisboa 2 Horário de Funcionamento das Actividades 2ª feira a 6ª feira: 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30 4 horários:

Leia mais

Controlo de Espécies Vegetais Exóticas Invasoras

Controlo de Espécies Vegetais Exóticas Invasoras Programa de Ocupação dos Tempos Livres RELATÓRIO DO PROJECTO Controlo de Espécies Vegetais Exóticas Invasoras Julho de 2006 Programa de Ocupação dos Tempos Livres RELATÓRIO DO PROJECTO Controlo de Espécies

Leia mais

Acção de Formação. Sabores com Muita Sabedoria. 3ª Sessão. Actividades Propostas

Acção de Formação. Sabores com Muita Sabedoria. 3ª Sessão. Actividades Propostas Acção de Formação Sabores com Muita Sabedoria 3ª Sessão Actividades Propostas Obra Proposta na Acção para a introdução do estudo de temas de ciência: O Grilo Verde Autor António Mota Editora Gailivro O

Leia mais

Programação Oficinas Férias de Verão. Centro de Educação Ambiental

Programação Oficinas Férias de Verão. Centro de Educação Ambiental Programação Oficinas Férias de Verão Centro de Educação Ambiental Semana de 24 a 28 de Junho Oficina À 24 de junho 09h30m às 12h00 -Oficina À Esta atividade está inserida nas atividades de educação ambiental

Leia mais

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta Floresta Comum, Qual o objectivo principal do Floresta Comum? O objectivo? O Floresta Comum, é um programa de incentivo à reflorestação com a floresta autóctone portuguesa. Para a concretização deste objectivo,

Leia mais

Cada instituição tem que obrigatoriamente apresentar as facturas das respectivas despesas no âmbito do projecto candidatado.

Cada instituição tem que obrigatoriamente apresentar as facturas das respectivas despesas no âmbito do projecto candidatado. Programa de Educação Ambiental Círculo Mágico 2007/2008 O programa Círculo Mágico, ano lectivo 2007/2008, seguirá a seguinte metodologia: Abordará, no âmbito do apoio aos projectos candidatados pelas escolas,

Leia mais

Plano Atividades Câmara Municipal do Funchal

Plano Atividades Câmara Municipal do Funchal 2015 Plano Atividades 1 Câmara Municipal do Funchal Departamento de Educação e Promoção Social 2 A Câmara Municipal do Funchal, no âmbito do seu Programa de Educação para a Cidadania, desenvolve, através

Leia mais

actividades d educação ambiental Centro Ambiental da Pena 2011 2012

actividades d educação ambiental Centro Ambiental da Pena 2011 2012 actividades d educação ambiental Centro Ambiental da Pena 2011 2012 Introdução O desenvolvimento económico, industrial e tecnológico verificado nas últimas décadas trouxe novas oportunidades mas, também,

Leia mais

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores!

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores! 1 Prezados alunos e professores! O livro Somos os Senhores do Planeta é fruto de um trabalho didático que tem por objetivo reunir em uma única publicação temas sobre o meio ambiente, são textos de fácil

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática de actividades de animação regular e sistemática,

Leia mais

ACTIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar & 1º Ciclo

ACTIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar & 1º Ciclo ACTIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar & 1º Ciclo CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE ALBUFEIRA Localização: Quinta da Palmeira - R. dos Bombeiros Voluntários - 8200 ALBUFEIRA TEL.: 289 51 32

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA. apoie esta campanha em www.ppl.com.pt

ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA. apoie esta campanha em www.ppl.com.pt ASSOCIAÇÃO TRANSUMÂNCIA E NATUREZA apoie esta campanha em www.ppl.com.pt A Pombal do Coto Fernando Romão A Faia Brava é a primeira área protegida privada do país, no coração do vale do Côa, no Nordeste

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013/14

PLANO DE AÇÃO 2013/14 Tema Diagnóstico (situações a melhorar) Objetivo(s) Meta(s) Ações e Atividades Previstas Sensibilizar a comunidade escolar para a necessidade crescente de reutilização de materiais; PLANO DE AÇÃO 2013/14

Leia mais

Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade

Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade Inovação, Cultura, Ambiente e Biodiversidade O projecto SONS DO ARCO RIBEIRINHO SUL acompanha o OUT.FEST Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, e procura, através de uma abordagem artística

Leia mais

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA)

Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades (PMPA) Definições O Plano Municipal de Promoção das Acessibilidades irá conter um programa das intenções necessárias para assegurar a acessibilidade física

Leia mais

Departamento Educacional do ICCE. sob os auspícios da UNESCO

Departamento Educacional do ICCE. sob os auspícios da UNESCO sob os auspícios da UNESCO Education for all is important for three reasons. First, education is a right. Second, education enhances individual freedom. Third, education yields important development benefits.

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

P R O G R A M A D E E D U C A Ç Ã O A M B I E N T A L

P R O G R A M A D E E D U C A Ç Ã O A M B I E N T A L P R O G R A M A D E E D U C A Ç Ã O A M B I E N T A L SINES 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO EDITORIAL METODOLOGIA VISUALIZAÇÂO DE FILME AMBIENTAL VISITA À AMBILITAL HORTAS VERTICAIS VERMICOMPOSTAGEM RECICLAGEM

Leia mais

Politicas Municipais de Apoio à Criança

Politicas Municipais de Apoio à Criança Politicas Municipais de Apoio à Criança MUNICIPIO DA MOITA DASC / Divisão de Assuntos Sociais Projectos Dirigidos à Comunidade em Geral Bibliotecas - Biblioteca Fora d Horas - Pé Direito Juventude - Férias

Leia mais

Nas compras: Evite ir às compras com crianças, normalmente incentivam o consumo de produtos desnecessários.

Nas compras: Evite ir às compras com crianças, normalmente incentivam o consumo de produtos desnecessários. Dicas Consumo Sustentável 5.jan.2015 Nas compras: Evite ir às compras com crianças, normalmente incentivam o consumo de produtos desnecessários. Na alimentação: Procure produtos oriundos da agricultura

Leia mais

Terra: O Planeta que queremos ter!

Terra: O Planeta que queremos ter! Terra: O Planeta que queremos ter! 1. Localização da Acção: Centro Cultural e de Congressos de Aveiro (Grande Auditório) 2. Data de realização da Acção: 22 e 23 de Abril de 2008 3. Descrição e objectivos

Leia mais

INDICE. 1. Introdução 3. 2. Objectivos 4. 3. Público alvo 4. 4. Material 4. 5. Conteúdos programáticos 5. 6. Actividades Propostas 5

INDICE. 1. Introdução 3. 2. Objectivos 4. 3. Público alvo 4. 4. Material 4. 5. Conteúdos programáticos 5. 6. Actividades Propostas 5 INTRODUÇÃO INDICE 1. Introdução 3 2. Objectivos 4 3. Público alvo 4 4. Material 4 5. Conteúdos programáticos 5 6. Actividades Propostas 5 7. Descrição das Actividades 6 7.1 Formação em sala de aula: 6

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Queimadas: o que

Leia mais

Invasões biológicas: uma das principais ameaças à biodiversidade

Invasões biológicas: uma das principais ameaças à biodiversidade Invasões biológicas: uma das principais ameaças à biodiversidade Hélia Marchante Escola Superior Agrária de Coimbra/IPC Centro de Ecologia Funcional/ Universidade de Coimbra Resumo Invasões biológicas

Leia mais

Revista de Actividades de Educação Ambiental. Junho 2010 n.º 7

Revista de Actividades de Educação Ambiental. Junho 2010 n.º 7 Revista de Actividades de Educação Ambiental Junho 2010 n.º 7 Quanta honra o nosso Henrique ter sido o Ecomosqueteiro do ano 2010... Henrique, sabias que em 2009 o nosso Município produziu uma quantidade

Leia mais

Sessão de informação. Janeiro de 2007

Sessão de informação. Janeiro de 2007 Sessão de informação Janeiro de 2007 Agenda Agenda 03 1. Enquadramento do tema Contexto do consumo energético em Portugal Protocolo de Quioto Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável 2. Apresentação

Leia mais

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta

Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta Município de Freixo de Espada à Cinta PLANO DE ACÇÃO (2009-2010) Conselho Local de Acção Social de Freixo de Espada à Cinta FICHA TÉCNICA Relatório do Plano de Acção de Freixo de Espada à Cinta Conselho

Leia mais

CAMPANHA PAPEL POR ALIMENTOS PROJECTO ESCOLAS 2013/ 2014

CAMPANHA PAPEL POR ALIMENTOS PROJECTO ESCOLAS 2013/ 2014 CAMPANHA PAPEL POR ALIMENTOS PROJECTO ESCOLAS 2013/ 2014 APRESENTAÇÃO Muitos particulares, empresas e instituições já aderiram à Campanha Papel por Alimentos numa importante parceria na luta contra a fome:

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

Rede de Centros de Educação Ambiental

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE DE S. ROQUE Apresentação do Centro Situado num espaço privilegiado da zona oriental da Cidade, a Quinta da Lameira, hoje conhecida por Parque de S. Roque, constitui

Leia mais

OFERTA PEDAGÓGICA. Educação Pré-Escolar

OFERTA PEDAGÓGICA. Educação Pré-Escolar OFERTA PEDAGÓGICA Educação Pré-Escolar ANO LECTIVO 2014 2015 Durante todo o percurso escolar, é importante desenvolver ferramentas que permitam a compreensão do mundo que nos rodeia e despertar a curiosidade

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

Educação para a Ciência para o 1.º e 2.º Ciclos

Educação para a Ciência para o 1.º e 2.º Ciclos Educação para a Ciência para o 1.º e 2.º Ciclos por ÍNDICE ENQUADRAMENTO CURRICULAR 2 ACTIVIDADES 3 ACTIVIDADES EM MONSANTO 3 ACTIVIDADES NA ESCOLA 5 FUN SCIENCE 6 DURAÇÃO 9 ORÇAMENTO 9 CONTACTOS 9 1 Natureza

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Lisboa, 20 de Maio 2011 ECOTECA DE OLHÃO Fátima Monteiro . Auxiliar de Serviços Gerais.Técnica Administrativa.

Leia mais

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

Projecto de Enquadramento Geral

Projecto de Enquadramento Geral A Política de Biodiversidade da EDP e o Envolvimento da Projecto de Enquadramento Geral Outubro 2010 A Politica de Biodiversidade da EDP no Envolvimento da Direcção de Sustentabilidade e Ambiente 1 Módulo

Leia mais

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Associação de Defesa do Paul de Tornada PATO Foi fundada, legalmente, em Outubro de 1988 A sua sede é em Tornada,

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL -

Rede de Centros de Educação Ambiental CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL - CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO NÚCLEO RURAL - PARQUE DA CIDADE Apresentação do Centro Integrando território das freguesias de Aldoar e Nevogilde, o Parque da Cidade é o maior parque urbano do país, inserido

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA. A visita virtual ao ExpoLab, está disponível em: http://expolab.centrosciencia.azores.gov.pt/visita-virtual

NOTA INTRODUTÓRIA. A visita virtual ao ExpoLab, está disponível em: http://expolab.centrosciencia.azores.gov.pt/visita-virtual OFERTA EDUCATIVA Ano letivo 2015/2016 NOTA INTRODUTÓRIA O ExpoLab é um centro de ciência viva, na Lagoa, cuja missão é a promoção da cultura científica e tecnológica, através da divulgação de conceitos

Leia mais

Visitas às Eco-Escolas. Auditorias de Qualidade do Programa. - Guião de preenchimento do inquérito -

Visitas às Eco-Escolas. Auditorias de Qualidade do Programa. - Guião de preenchimento do inquérito - Visitas às Eco-Escolas Auditorias de Qualidade do Programa - Guião de preenchimento do inquérito - NOTAS PRÉVIAS O presente documento serve de guião à aplicação da ficha de visita às Eco-Escolas fornecendo

Leia mais

Figuras de Natal Ecológicas REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO

Figuras de Natal Ecológicas REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO Organização A Câmara Municipal do Barreiro (CMB), através do Centro de Educação Ambiental da Mata da Machada e Sapal do Rio Coina, vai realizar um concurso subordinado ao tema:

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 Preâmbulo A ocupação dos tempos livres dos jovens em tempo de aulas, através de actividades que contribuam significativamente para o enriquecimento da sua formação pessoal, funcionando

Leia mais

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil APCOI lança 4ª edição do projeto que incentiva os alunos a comer mais fruta no lanche escolar Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil Depois do sucesso das edições anteriores

Leia mais

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO EIXO 1 EMPREGO, FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E EMPREENDEDORISMO 01 - BALCÃO DE EMPREGABILIDADE; O Balcão de Empregabilidade pretende apoiar os desempregados

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT

RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT RELATÓRIO SOBRE AS ATIVIDADES REALIZADAS NO ANO LETIVO 2014/15 NO ÂMBITO DOS OBJETIVOS DA GLOBAL COMPACT Objetivos gerais: Promover os valores fundamentais nas áreas de direitos humanos, direito do trabalho,

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA. Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA

PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA. Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA [ PROJECTO PEDAGÓGICO] 2010/2011 PROJECTO PEDAGÓGICO Levantamento Teórico Este projecto foi concebido para alargar os

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E

REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E REGULAMENTO MUNICIPAL DE CEDÊNCIA DE VIATURAS MUNICIPAIS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO, AGENTES CULTURAIS, SOCIAIS E INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO CONCELHO Aprovado na 3.ª Reunião Ordinária

Leia mais

CÂMARA MU NI CIPAL DE A ZAMBU JA. Centro de Educação Ambiental de Azambuja

CÂMARA MU NI CIPAL DE A ZAMBU JA. Centro de Educação Ambiental de Azambuja CÂMARA MU NI CIPAL DE A ZAMBU JA Centro de Educação Ambiental de Azambuja Página 2 Página 11 Índice Educação Ambiental.. 3 Centro de Educação Ambiental de Azambuja.... 4 Objetivos. 5 Atribuição visitas.

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Informação sobre Ecossistemas Locais

Informação sobre Ecossistemas Locais Informação sobre Ecossistemas Locais Bandeira Azul 2015 1. Biodiversidade local O litoral de Vila Nova de Gaia apresenta uma considerável biodiversidade, com fauna e flora característica dos substratos

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

O CNPV. e as Estruturas Locais de Voluntariado. 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás

O CNPV. e as Estruturas Locais de Voluntariado. 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás O CNPV e as Estruturas Locais de Voluntariado 4 de Dezembro de 2009 Cláudia Amanajás As Origens do Voluntariado O Voluntariado sempre existiu. Nuns casos, de maneira difusa, noutros de forma organizada.

Leia mais

Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015

Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015 Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015 Nas compras: Se gosta de produtos mais exóticos que não se encontram no comércio local, então poderá optar pelo comércio justo. Existem já algumas lojas no nosso país

Leia mais

Revista de Imprensa Dezembro 2008. 11 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival

Revista de Imprensa Dezembro 2008. 11 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival Revista de Imprensa Dezembro 2008 Cascais Atlântico 1 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival 2 - Jornal da Costa do Sol, 18-12-2008, Cascais aposta na intervenção

Leia mais

turismo industrial AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande

turismo industrial AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande 11.MARÇO.2013 25 anos da elevação a cidade APRESENTAÇÃO OFICIAL Circuitos Industriais Marinha Grande turismo industrial Marinha Grande www.cm-mgrande.pt MARÇO 2013 AGENDAMarinhaGrande GUIA CULTURAL DESTAQUE

Leia mais

Relatório de Actividades 2008

Relatório de Actividades 2008 Relatório de Actividades 2008 Elaborado por: Grupo Dinamizador da Comissão Social de Freguesia de Stº Antº dos Cavaleiros, 2009 Nota Introdutória O presente documento tem como principal objectivo a avaliação

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Técnico: Maria das Dores de V. C. Melo Coordenação Administrativa-Financeira:

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

O MUNDO ONDE VIVEMOS!

O MUNDO ONDE VIVEMOS! O MUNDO ONDE VIVEMOS! PLANETA TERRA BIOSFERA (SERES VIVOS) ATMOSFERA (AR) HIDROSFERA (ÁGUA) LITOSFERA (TERRA) AMBIENTE NO SÉC. S XX A TEMPERATURA DA TERRA AUMENTOU MAIS OU MENOS DE 0,6ºC C A 2ºC. 2 AS

Leia mais

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS. Educação, Saúde e Ambiente em rede O Futuro também é o que queremos que ele seja

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS. Educação, Saúde e Ambiente em rede O Futuro também é o que queremos que ele seja ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Associação Portuguesa de Educação Ambiental C aretakers of the Environment - Portugal Educação, Saúde e Ambiente em rede O Futuro também é o que queremos que ele seja Concurso e exposição

Leia mais

Insígnia Mundial de Conservação da Natureza

Insígnia Mundial de Conservação da Natureza Insígnia Mundial de Conservação da Natureza A Insígnia Mundial de Conservação da Natureza foi lançada há já alguns anos pelo Bureau Mundial do Escutismo, em cooperação com o Fundo Mundial para a Natureza

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010 Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra Temas permanentes - consultar/retirar formulário: www.uc.pt/jardimbotanico Temas sazonais Junho e Julho 2010 ACÇÃO: Visita Ateliê Celebração

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL DE ALENQUER RELATÓRIO DO 4º FÓRUM DE PARTICIPAÇÃO VECTOR: AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS / POLUIÇÕES 20 DE SETEMBRO DE 2008

AGENDA 21 LOCAL DE ALENQUER RELATÓRIO DO 4º FÓRUM DE PARTICIPAÇÃO VECTOR: AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS / POLUIÇÕES 20 DE SETEMBRO DE 2008 AGENDA 21 LOCAL DE ALENQUER RELATÓRIO DO 4º FÓRUM DE PARTICIPAÇÃO VECTOR: AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS / POLUIÇÕES 20 DE SETEMBRO DE 2008 Elaborado para a Câmara Municipal de Alenquer Por CIVITAS/DCEA/FCT/UNL

Leia mais

Princípios de Bom Governo

Princípios de Bom Governo Princípios de Bom Governo Regulamentos internos e externos a que a empresa está sujeita Foi aprovado pela tutela no ano de 2008 o Regulamento Interno do Centro Hospitalar do Porto que passou a reger a

Leia mais

Divulgação verbal das informações ambientais aos alunos das Eco-Escolas

Divulgação verbal das informações ambientais aos alunos das Eco-Escolas Divulgação verbal das informações ambientais aos alunos das Eco-Escolas 1.ª Semana (data de divulgação: de 2 a 6 de Fevereiro) Temas: Dia das Zonas Húmidas e Zonas Ecológicas Versão oratória Caros professores

Leia mais

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto Eventos Eixo I Emprego, Formação e Qualificação Acção: Bom Porto - Gabinete de Empregabilidade e Empreendedorismo: Uma das acções do projecto consiste na criação de um Gabinete de atendimento na área da

Leia mais

O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado das palavras gregas Chamai (na terra, no chão) e Leon (leão).

O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado das palavras gregas Chamai (na terra, no chão) e Leon (leão). Nome científico: Chamaeleo chamaeleon Nome popular: camaleão-comum Classe: Reptilia Ordem: Squamata Subordem: Sauria Família: Chamaeleontidae Etimologia: O nome Camaleão significa Leão da Terra e é derivado

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES DE

GUIA DE ATIVIDADES DE ATIVIDADES DE ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar & 1º Ciclo CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE ALBUFEIRA Localização: Quinta da Palmeira - R. dos Bombeiros Voluntários - 8200 ALBUFEIRA TEL.:

Leia mais

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL INTRODUÇÃO A Educação não formal distingue-se, nas últimas décadas da Educação formal ou ensino tradicional, uma vez que confere outro tipo de reconhecimento, organização, qualificação e estrutura. A Educação

Leia mais

Apoio a crianças e jovens em situação de risco

Apoio a crianças e jovens em situação de risco Ficha de Projecto Dezembro/2006 Designação Parceria Acordo de Parceiros de 20.12.05 Gabinete para a Cooperação do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social de Portugal Gabinete do Ministro do Trabalho,

Leia mais