Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para »

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020»"

Transcrição

1 Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para » 29.Abril.2014 Idanha-a-Nova DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere

2 Histórico > projecto cooperação interterritorial (8 ADL) Região Solidária - Imagens da minha Terra, perspectivas do meu futuro > projecto Dueceira-GAL/ELOZ A Hora da Controvérsia [novas práticas educativas para a construção de uma região solidária] Preocupações Motivações crescente falta de identificação das pessoas com os elementos de identidade das suas terras contínuo abandono das regiões pela população em idade activa suporte referencial solidariedade = responsabilidade recíproca

3 1º. ETAPA População- alvo Escolas / Comunidade Jovem Objectivo desenvolver e promover Valores e Princípios Identidade Local Desenvolvimento Sustentável Solidariedade Cidadania conhecer interpretar criar mecanismos acções demonstrativas projectos-piloto reforçar atitudes colectivas pró-activas participar

4 1º. ETAPA produção de material lúdico, didáctico e pedagógico de apoio ao Professor e ao Aluno concepção conteúdos produção materiais preparação técnica professores formação / docência Pasta de Actividades Manual Electrónico de Apoio Jogos de Tabuleiro e de Chão Mascotes Cartazes e Desdobráveis organização eventos de animação local acompanhamento, avaliação 40 concelhos - Região Centro / 923 escolas / alunos ELOZ 47 Escolas 2342 Alunos

5 1º. ETAPA produção de material lúdico, didáctico e pedagógico de apoio ao Professor e ao Aluno produção materiais Pasta de Actividades Manual Electrónico de Apoio Jogos de Tabuleiro e de Chão Mascotes Cartazes e Desdobráveis

6 2º. ETAPA cada escola um Espaço Jovem reflexão / partilha / debate / tomada de decisões para falar sobre temas que preocupam os jovens incentivar à partilha de ideias e sentimentos e à identificação de ideias e soluções para os problemas do seu dia-a-dia e das suas comunidades A Hora da Controvérsia Novas Práticas Educativas para a Construção de uma Região Solidária

7 2º. ETAPA Ideias Palavras Atitudes Acções A Hora da Controvérsia Novas Práticas Educativas para a Construção de uma Região Solidária

8 3º. ETAPA 01 acção de formação creditada 10 oficinas de formação 04 protocolos Centros de Formação 07 concelhos 12 escolas 2º, 3º ciclos e secundárias 178 Professores 360 horas de formação presenciais / trabalho autónomo 01 plataforma pedagógica digital 200 manuais pedagógicos papel e digital 02 acções de disseminação de Boas Práticas Brasil e Cabo Verde A Hora da Controvérsia Novas Práticas Educativas para a Construção de uma Região Solidária

9 População- alvo Comunidade Escolar professores e alunos Objectivos Consolidar o capital humano do território Fixar população jovem Criar competências-chave para aplicação ao longo da vida Estimular dinâmicas económico-sociais

10 Componentes Afecto/Apego e Auto-estima Territorial Sentimento/espírito de pertença eu gosto / eu sou / eu vivo / eu estudo / eu trabalho AQUI!!! Estrutura de Pensamento dirigido Ideia Criatividade Inovação Conceito de Projecto Tomada de Decisão Atitude pró-activa apropriação social de um espírito empreendedor Competências sociais futuros Agentes de Desenvolvimento Conjunto multidisciplinar e transversal de competências: Elementos-Chave do projecto [conhecimentos/capacidades/atitudes]

11 Operacionalização Formação de Docentes Envolvimento das Crianças e Jovens Definição de ideias e construção de micro-projectos Realização de Actividades-Estímulo Apresentação dos resultados à Comunidade Oficinas de Formação Aplicação Conhecimentos em contexto de escola TPC - Todos Podemos Colaborar Feiras Locais Feira Regional Concurso de Ideias Visitas de contacto e intercâmbio (realidade económica de empresas empreendedoras)

12

13 praticar a troca (conceito de comercialização) reconhecer e valorizar os produtos locais

14 reconhecer recursos e inovar na sua (re)utilização

15 trabalhar conceitos > o Valor dos Bens

16 aprender a comercializar os bens > métodos de venda

17 interagir com a comunidade

18 estimular a CRIATIVIDADE

19 trabalhar ideias e conceitos promoção e divulgação > a Imagem > a Marca > o Logotipo > o Rótulo

20 trabalhar ideias e conceitos promoção e divulgação > a Imagem > a Marca > o Logotipo > o Rótulo

21 trabalhar ideias e conceitos promoção e divulgação > a Imagem > a Marca > o Logotipo > o Rótulo Imagem > a

22

23 trabalhar conceitos > a higiene e segurança alimentar> a qualidade

24 estimular o Apego / o Afecto «nossa terra»

25

26 Colocar à prova/teste o planeamento/eficácia do projecto

27 aprender a idealizar e a produzir novos bens

28 estimular o Apego / o Afecto «nossos produtos»

29 idealizar projectos > reflectir em conjunto > premiar melhores ideias

30 partilhar resultados > idealizar o futuro Alunos de Hoje > Empreendedores de Amanhã

31 01 acção de formação 22 sessões de formação resultados 07 concelhos 31 escolas e centros educativos dos 1º.2º, 3º ciclos 49 Professores 150 horas de formação presenciais / trabalho autónomo 802 Alunos (sala) / 690 Alunos (práticas) 06 Feiras Locais (Mercados) 415 alunos/33 professores 01 Feira Regional 221 alunos/17 professores 01 Concurso de Ideias 54 alunos/10 professores / 18 Projectos

32 5º. ETAPA Investimos AGORA nos Cidadãos do AMANHÃ > Visão de futuro Construção de uma Metodologia para os 1ºs, 2ºs 3 ºs ciclos resultante da experiência e resultados obtidos (concepção de produto pedagógico) Articulação com iniciativas existentes no território [Gabinetes de Empreendedorismo; Orçamento Jovem Participativo; Start-Up s; outras] Aplicação prática nas escolas do produto pedagógico para estímulo metodológico de espíritos empreendedores Concepção de projecto-piloto para teste de microempresas jovens em ambiente protegido e incentivo ao seu desenvolvimento Parceria entre Escolas/Empresas/Entidades Locais/ Comunidade Promoção cultura empreendedora [individual/turma/grupo/escola/comunidade] Contributo efectivo para o Desenvolvimento sustentado do território

33 em cada criança e jovem a construção do território o trabalho continua. DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere

ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA CIM VISEU DÃO LAFÕES

ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA CIM VISEU DÃO LAFÕES ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA 2013/2014 Tondela, 23 de Outubro de 2013 Objetivos do projeto Criar uma cultura empreendedora; Promover o espírito de iniciativa, de cooperação e criatividade; Partilhar experiências

Leia mais

Região Solidária. Imagens da minha Terra Perspectivas do meu futuro. Região Solidária. Imagens da Minha Terra Perspectivas do meu futuro

Região Solidária. Imagens da minha Terra Perspectivas do meu futuro. Região Solidária. Imagens da Minha Terra Perspectivas do meu futuro Imagens da minha Terra Dueceira-Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça Programa Leader+ELOZ. Entre LOusã e Zêzere o projecto é um projecto pluridisciplinar idealizado pelas ADL- Associações de

Leia mais

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 -

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 - Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas - Ano Lectivo 2010/2011 - Empreendedorismo como ensiná-lo aos nossos jovens? Contudo, e mesmo sendo possível fazê-lo, o espírito empresarial não é normalmente

Leia mais

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO O Capítulo 36 da Agenda 21 decorrente da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada em 1992, declara que a educação possui um papel fundamental na promoção do desenvolvimento

Leia mais

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições Sementes para a Criatividade É uma acção de formação constituída por duas oficinas, uma de escrita criativa e outra de artes plásticas, em que se prevê: a criação de uma narrativa ilustrada que será submetida

Leia mais

PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS. Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego

PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS. Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego outubro 2013 EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA A necessidade A Estratégia EU2020 refere que deve ser colocada ênfase em áreas prioritárias

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 O ano de 2008 é marcado, em termos internacionais, pela comemoração dos vinte anos do Movimento Internacional de Cidades Saudáveis. Esta efeméride terá lugar em Zagreb,

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA Extracto do PARECER TÉCNICO emitido pelo Especialista da Formação PREÂMBULO O presente Parecer tem como objectivo a análise do Projecto de Investigação

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f)

AVISO. Admissão de Pessoal. (m/f) AVISO Admissão de Pessoal (m/f) A AJITER Associação Juvenil da Ilha Terceira pretende admitir jovens recém-licenciados à procura do primeiro emprego, para estágio no seu serviço, ao abrigo do Programa

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

O Futuro da Política Europeia de Coesão. Inovação, Coesão e Competitividade

O Futuro da Política Europeia de Coesão. Inovação, Coesão e Competitividade O Futuro da Política Europeia de Coesão Inovação, Coesão e Competitividade 20 de Abril de 2009 António Bob Santos Gabinete do Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico Desafios

Leia mais

EBI de Angra do Heroísmo

EBI de Angra do Heroísmo EBI de Angra do Heroísmo ENQUADRAMENTO GERAL Estratégia intervenção Ministério Educação promover o empreendedorismo no ambiente escolar Consonância com linhas orientadoras da Comissão Europeia Projectos

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

Caracterização do Projecto

Caracterização do Projecto Caracterização do Projecto http://www.cm-lousa.pt/educacao/alimbem_crscsaud.htm O Projecto "Alimenta-te bem, Cresce saudável" tem a sua base na preocupação da Autarquia em garantir a todas as crianças

Leia mais

Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário

Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário Mais e Melhor no Desenvolvimento Comunitário Responsabilidade Social Como estratégia de Sustentabilidade a Responsabilidade Social das Organizações, tornou-se de vital importância para o Terceiro Sector,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

Programa de Educação em Empreendedorismo. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes.

Programa de Educação em Empreendedorismo. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes. 1 ÂMBITO Programa de Educação em Empreendedorismo. Através dos Professores para os Alunos. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes. Alargar horizontes sociais

Leia mais

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações:

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações: Nr Área Recomendação Valido Abstenh o-me C/6 E/7 F/7 Voluntariado Aproveitar espaços sem utilização para fazer jardins, espaços para convívio e locais de desporto para a população. Promover a limpeza dos

Leia mais

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO

IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO IIDENTIFICAÇÃO SUMARIA DO PROJETO Título do projeto: Pensar Global, Agir Global Oito objetivos de Desenvolvimento para o Milénio, Oito Caminhos para mudar o Mundo Localização detalhada da ação (país, província,

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009

Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009 www.aguaonline.net Projecto Mil Escolas e Portal www.aguaonline.net Feira do Ambiente de Paços de Ferreira 10 a 13 Setembro de 2009 Administrador da Águas do Douro e Paiva, Prof. Arménio Pereira, em visita

Leia mais

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA Proposta de planos anuais 1.º Ciclo do Ensino Básico Introdução O objetivo principal deste projeto é promover e estimular

Leia mais

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa.

Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. Intervenção do Secretário Regional da Presidência Apresentação do projecto Incube = Incubadora de Empresas + Júnior Empresa. 17 de Março de 2011, Salão Nobre da Reitoria da Universidade dos Açores Magnífico

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 1 Índice: I Enquadramento II Eixos de Intervenção Estratégica III Proposta de Orçamento IV Candidaturas a Programas de Apoio 2 I Enquadramento Estratégico

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira

1. Objectivos do Observatório da Inclusão Financeira Inclusão Financeira Inclusão Financeira Ao longo da última década, Angola tem dado importantes passos na construção dos pilares que hoje sustentam o caminho do desenvolvimento económico, melhoria das

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO GRUPO DE TRABALHO Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010 O Plano de Acção da Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal é um instrumento de trabalho ao nível da organização e

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social II Fórum de Informação em Saúde IV Encontro da Rede BiblioSUS O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social Maria de Fátima Ramos Brandão Outubro/2007 1 Apresentação O Projeto Casa Brasil Modelos

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

Curso de Formação Complementar. Apresentação

Curso de Formação Complementar. Apresentação Curso de Formação Complementar I Apresentação O curso de Formação Complementar destina-se a jovens titulares de cursos de Tipo 2, Tipo 3 ou outros cursos de qualificação inicial de nível 2, que pretendam

Leia mais

Critérios de selecção

Critérios de selecção Emissor: GRATER Entrada em vigor: 01-06-2009 Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem LEADER Critérios de selecção Os projectos serão pontuados através de fórmulas ponderadas e terão de atingir

Leia mais

Projecto de Empreendedorismo nas Escolas. ano lectivo 2011/2012

Projecto de Empreendedorismo nas Escolas. ano lectivo 2011/2012 Projecto de Empreendedorismo nas Escolas ano lectivo 2011/2012 As Fases do Projecto ANO LECTIVO 2011/2012 Fase a fase Formação de Professores Disseminação do projecto Ateliers de Criatividade 4 acções

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

atuarte jovens ativos na inclusão pela arte

atuarte jovens ativos na inclusão pela arte 2 Os TUB possuem um autocarro convertido num teatro que é um excelente recurso para levar aos bairros da periferia da cidade (Enguardas, Santa Tecla, Andorinhas, Parretas ou outros), oficinas de artes

Leia mais

Introdução ao projecto Gaia Global

Introdução ao projecto Gaia Global Introdução ao projecto Gaia Global Autarquia de Vila Nova de Gaia Luís BorgesGouveia A sociedade da informação A Sociedade da Informação é uma sociedade que predominantemente utiliza o recurso às tecnologias

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

2010/2011 Plano Anual de Actividades

2010/2011 Plano Anual de Actividades 2010/2011 Plano Anual de Actividades Cristiana Fonseca Departamento de Educação para a Saúde 01-07-2010 2 Plano Anual de Actividades Introdução Quando em 1948 a Organização Mundial de Saúde definiu a saúde

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

nossa vida mundo mais vasto

nossa vida mundo mais vasto Mudar o Mundo Mudar o Mundo O mundo começa aqui, na nossa vida, na nossa experiência de vida. Propomos descobrir um mundo mais vasto, Propomos mudar o mundo com um projecto que criou outros projectos,

Leia mais

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores Projeto Educativo Educar para a Cidadania Preâmbulo O Projeto Educativo é o documento que consagra a orientação educativa

Leia mais

PROGRAMA PRODER COOPERAR EM PORTUGUÊS MISSÃO A CABO VERDE ENSINO TÉCNICO-PROFISSIONAL DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL. 14 a 19 de Novembro 2011

PROGRAMA PRODER COOPERAR EM PORTUGUÊS MISSÃO A CABO VERDE ENSINO TÉCNICO-PROFISSIONAL DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL. 14 a 19 de Novembro 2011 PROGRAMA PRODER COOPERAR EM PORTUGUÊS MISSÃO A CABO VERDE ENSINO TÉCNICO-PROFISSIONAL DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 14 a 19 de Novembro 2011 QUEM NÃO SAI DE SUA CASA, CRIA MIL OLHOS PARA NADA A TERRAS DE

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Preâmbulo

REGULAMENTO INTERNO. Preâmbulo REGULAMENTO INTERNO Preâmbulo O (adiante designado de Pacto Territorial), é uma plataforma de intervenção integrada, criada no âmbito do Projecto EQUAL Migrações e Desenvolvimento com vista à dinamização

Leia mais

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO BERTO MESSIAS EMPREENDEDORISMO. Empreendedorismo pode ser definido como uma dinâmica de identificação e

INTERVENÇÃO DO DEPUTADO BERTO MESSIAS EMPREENDEDORISMO. Empreendedorismo pode ser definido como uma dinâmica de identificação e INTERVENÇÃO DO DEPUTADO BERTO MESSIAS EMPREENDEDORISMO Empreendedorismo pode ser definido como uma dinâmica de identificação e aproveitamento de oportunidades, que favorece o desenvolvimento económico

Leia mais

2014/2015. 9º Ano Turma A. Orientação Escolar e Vocacional

2014/2015. 9º Ano Turma A. Orientação Escolar e Vocacional 2014/2015 9º Ano Turma A Orientação Escolar e Vocacional Programa de Orientação Escolar e Profissional 9.º Ano e agora??? Serviço de Apoios Educativos Ano Lectivo 2014/2015 Orientação Escolar e Profissional

Leia mais

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial

CONFERÊNCIA: O futuro dos territórios rurais. - Desenvolvimento Local de Base Comunitária. Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial Painel 1: Coesão e Sustentabilidade Territorial 5 Augusto Ferreira Departamento Técnico - CONFAGRI MINHA TERRA - Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local 20.Set.2013 Hotel da Estrela

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

Contributo para um Processo Territorial de Proximidade

Contributo para um Processo Territorial de Proximidade Contributo para um Processo Territorial de Proximidade O que é? O PROVE - Promover e Vender é uma metodologia desenvolvida no âmbito da iniciativa comunitária EQUAL que visa a promoção de novas formas

Leia mais

V Jornadas de Assumar Qualidade em saúde mental: A gestão, a promoção e as parcerias para a mudança

V Jornadas de Assumar Qualidade em saúde mental: A gestão, a promoção e as parcerias para a mudança V Jornadas de Assumar Qualidade em saúde mental: A gestão, a promoção e as parcerias para a mudança As parcerias e as suas dinâmicas: considerações a ter em conta para a promoção da mudança O olhar da

Leia mais

Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE)

Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE) Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE) 1. Título alusivo à iniciativa Programa de Apoio à Qualidade nas Escolas (PAQUE). 2. Entidades parceiras Identificação das organizações (Organismo público,

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Departamento: Ciências 2

Departamento: Ciências 2 Setembro Outubro Novembro Dezembro Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS 2 Ano Letivo: 2013/14 PLANIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES A CONSTAR DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Departamento:

Leia mais

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos 1.º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos 18 a 21 abril 2012 Luísa Ribeiro Trigo*,

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARCO DE CANAVESES Nº 1 (150745) Actividades/Iniciativas Objectivos Intervenientes/ Público-alvo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARCO DE CANAVESES Nº 1 (150745) Actividades/Iniciativas Objectivos Intervenientes/ Público-alvo Escola E.B. 2,3 de Toutosa Ano letivo: 2013/2014 PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES BIBLIOTECA ESCOLAR D Gestão da BE Actividades diárias: ü Orientação do serviço das Assistentes Operacionais ü Orientação do trabalho

Leia mais

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011 Pl de Acção de 2009/2011 «Nas Pegadas de Paulo Criamos Caminhos» CNE Douro Sul 1 Introdução «Nas Pegadas de Paulo» Queremos criar um claro espírito de patrulha, rica pela diversidade de opiniões, idades

Leia mais

CIEM2011 CASCAIS 27 E 28 DE OUTUBRO 1ª CONFERÊNCIA IBÉRICA DE EMPREENDEDORISMO

CIEM2011 CASCAIS 27 E 28 DE OUTUBRO 1ª CONFERÊNCIA IBÉRICA DE EMPREENDEDORISMO CIEM2011 CASCAIS 27 E 28 DE OUTUBRO 1ª CONFERÊNCIA IBÉRICA DE EMPREENDEDORISMO Reflexões sobre o Empreendedorismo na Escola Manuela Malheiro Ferreira manuelamalheirof@gmail.com Universidade Aberta CEMRI

Leia mais

MINHO INovação 2014/2020

MINHO INovação 2014/2020 MINHO INovação 2014/2020 O MINHO IN Estratégia de Eficiência Coletiva O Minho IN é estratégia de eficiência coletiva, isto é uma ação conjunta assente numa parceria que partilha um objetivo em concreto:

Leia mais

A comunidade promovendo o DL

A comunidade promovendo o DL A comunidade promovendo o DL O que eu faço que contribui com o desenvolvimento de meu município? Vamos entender melhor a importância do local! Políticas Macro Econômicas As políticas macro econômicas são

Leia mais

1. Quem é a ASFAC. 2. Actividades desenvolvidas. 3. Programa de responsabilidade social. 4. Educação Financeira. 5. O Concurso

1. Quem é a ASFAC. 2. Actividades desenvolvidas. 3. Programa de responsabilidade social. 4. Educação Financeira. 5. O Concurso Briefing aos participantes 13 Outubro 1. Quem é a ASFAC 2. Actividades desenvolvidas 3. Programa de responsabilidade social 5. O Concurso 1. Quem é a ASFAC A ASFAC Associação de Instituições de Crédito

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

Galp Energia Projecto Vidas Galp

Galp Energia Projecto Vidas Galp Galp Energia Projecto Vidas Galp Situação Informação sobre a empresa O Grupo Galp Energia é constituído pela Galp Energia e subsidiárias, as quais incluem a Petróleos de Portugal Petrogal, S.A., a Galp

Leia mais

DESAFIOS URBANOS 15. concurso. de arquitectura

DESAFIOS URBANOS 15. concurso. de arquitectura Espaço de Arquitectura O Espaço de Arquitectura é um portal dedicado à Arquitectura em Portugal, que assumiu o seu posicionamento em 2010, com o propósito de privilegiar a proximidade entre arquitectos

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

Enquadramento e critérios de Candidatura

Enquadramento e critérios de Candidatura Enquadramento e critérios de Candidatura A cidadania ativa constitui um elemento chave do reforço da coesão social. O Conselho da União Europeia instituiu o ano de 2011, como Ano Europeu do Voluntariado

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

IERA um contributo para o desenvolvimento económico regional

IERA um contributo para o desenvolvimento económico regional IERA um contributo para o desenvolvimento económico regional Rotas da Inovação Empresarial, 18 novembro 2015, Aveiro, Celso Guedes de Carvalho IERA INCUBADORA DE EMPRESAS DA REGIÃO DE AVEIRO conceito diferenciador

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO O Programa Nacional de Microcrédito, criado pela Resolução do Conselho de Ministros Nº 16/2010, pretende ser uma medida de estímulo à criação de emprego e ao empreendedorismo entre

Leia mais

CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL.

CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL. CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 309 CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA ACERCA DO PATRIMÓNIO CULTURAL. Artigo 9.º (Tarefas fundamentais do Estado) São tarefas fundamentais do Estado:. a) Garantir a independência

Leia mais

Valencia, 14/10/2014 Med on the Move

Valencia, 14/10/2014 Med on the Move Valencia, 14/10/2014 Med on the Move Origens do projecto: 3C4 Incubators juntou 9 parceiros de 6 países, de diversos projectos previamente desenvolvidos, financiados pelo Programa MED e pelo INTERREG IV-C.

Leia mais

Seminário: Os Novos Papéis Dos Pais na Construção de uma Escola de Qualidade. Míriam Aço DREALG

Seminário: Os Novos Papéis Dos Pais na Construção de uma Escola de Qualidade. Míriam Aço DREALG Seminário: Os Novos Papéis Dos Pais na Construção de uma Escola de Qualidade 1 Míriam Aço DREALG A Parentalidade É o exercício das funções parentais e das representações mentais que a elas se associam,

Leia mais

Espaço t Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária. Instituição Particular de Solidariedade Social

Espaço t Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária. Instituição Particular de Solidariedade Social Associação para o Apoio à Integração Social e Comunitária Instituição Particular de Solidariedade Social Missão O Espaço t Associação para Apoio à Integração Social e Comunitária, criada em 1994, é uma

Leia mais

Agenda Digital Local Sessão IV Aspectos técnicos

Agenda Digital Local Sessão IV Aspectos técnicos Agenda Digital Local Sessão IV Aspectos técnicos Segurança de dados Penafiel Ricardo Oliveira, rmo@eurotux.com AGENDA - FORMAÇÃO Apresentação ADL Barcelos: Múltiplas plataformas Questões-Chave para a Segurança

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES A intervenção do Psicólogo na escola baseia-se num modelo relacional e construtivista, que fundamenta uma prática psicológica

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO -

II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO - II Edição 2014/2015 - REGULAMENTO - Iniciativa de: Com o apoio de: 1. Apresentação O voluntariado é considerado como uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal 18 DE FEVEREIRO A 13 DE MARÇO DE 2008 A inducar (http://www.inducar.pt) é uma organização de direito

Leia mais

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Famalicão Cidade Educadora Vila Nova de Famalicão, cidade educadora, aderente ao movimento das Cidades Educadoras,

Leia mais

O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP

O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP O PAPEL DA GESTÃO DE ÁREA URBANA NO SUCESSO DAS OPERAÇÕES INTEGRADAS DE REABILITAÇÃO J. Braz Pereira UGAU CHP PORTO VIVO, SRU SEMINÁRIO ALFÂNDEGA DO PORTO 4 E 5 DE DEZEMBRO DE 2009 Pressuposto O impacto

Leia mais

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C.

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Declaração de Princípios Quem Somos Somos uma organização não-governamental dedicada à promoção da liderança juvenil e da participação da cultura da juventude

Leia mais

Empreender para Crescer

Empreender para Crescer Empreender para Crescer R. Miguel Coelho Chief EntusiastPersonalBrands Caros Pais e Encarregados de Educação, este ano lectivo, por iniciativa da Assoc. Pais do Colégio, vai iniciar-se em Novembro uma

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

Programa. Versão provisória

Programa. Versão provisória Programa Versão provisória A FORMAÇÃO FINANCEIRA NO APOIO AO EMPREENDEDORISMO Dia de Formação Financeira 2014 A 31 de outubro, Dia Mundial da Poupança, o Plano Nacional de Formação Financeira comemora

Leia mais

REFORÇAR Objectivo 1. Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa

REFORÇAR Objectivo 1. Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa CORECARD > MONITORIZAÇÃO Organização e Processos de Gestão Estratégica Liderar e criar uma cultura de escola Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa

Leia mais

Democracia participativa p e cultura cidadã. Porto Alegre, 25 de novembro de 2011

Democracia participativa p e cultura cidadã. Porto Alegre, 25 de novembro de 2011 Democracia participativa p e cultura cidadã Porto Alegre, 25 de novembro de 2011 Da Reivindicação à Wikicidadania INOVAÇÕES DA PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA INOVAÇÕES DA PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA E DA GESTÃO

Leia mais

PROJETO CLUBE EUROPEU

PROJETO CLUBE EUROPEU ESCOLAS BÁSICA DE EIXO PROJETO CLUBE EUROPEU Título: CLUBE EUROPEU Responsáveis: Maria de Lurdes Silva Maria Isaura Teixeira Páginas: 5 Ano letivo: 2014-2015 Escola Básica de Eixo Impresso a 12.11.14 Conteúdo

Leia mais

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL ÍNDICE 1. OBJETIVOS E METODOLOGIA 1.1. Objetivos 1.2. Metodologia de Trabalho 2. IDENTIFICAÇÃO DAS INICIATIVAS PILOTO 3. INICIATIVAS PILOTO 4. IMPLEMENTAÇÃO DE INICIATIVAS PILOTO - MATERIAIS DE SUPORTE

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais