Proposta de Investigação para o Programa Doutoral em CTI. Escola ETA, ISCTE-IUL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta de Investigação para o Programa Doutoral em CTI. Escola ETA, ISCTE-IUL"

Transcrição

1 Proposta de Investigação para o Programa Doutoral em CTI Escola ETA, ISCTE-IUL Título: A Influência das Tecnologias da Informação e Comunicação sobre o desenvolvimento da aprendizagem organizacional: um estudo de múltiplos casos em empresas brasileiras e portuguesas. Candidato: Adriana Lopes Fernandes Orientador: Bráulio Alturas Área de Especialização: Informática Aplicada à Gestão e às Ciências Sociais 1 Objectivos da Proposta. O atual cenário de crescente competitividade entre empresas e nações tem estabelecido a necessidade de introduzir e cultivar as noções de mudança e inovação nas organizações. É de importância substancial que as organizações se adaptem às modificações, caso contrário, correm o risco de serem superadas pela concorrência. Sendo assim, as organizações necessitam dispor de elementos internos que visem garantir a sua sobrevivência. Um desses elementos é a aprendizagem organizacional que vem se destacando como um diferencial competitivo sustentável e singular (STATA, 1989; LOCKE; JAIN, 1995). A formulação de estudos e conceitos sobre o tema aprendizagem organizacional surgiu na década de 60, por intermédio de estudos sobre a teoria comportamental (BELL; WHITWELL; LUKAS, 2002). No entanto, foi na década de 90 que muitas empresas passaram a ter contato com o assunto, após a divulgação das idéias de Peter Senge que invocaram a imagem de pessoas e grupos trabalhando para melhorar a inteligência, a criatividade e a capacidade organizacional. Senge (2000) afirma que as organizações que aprendem são mais competitivas, na medida em que se adaptam mais rapidamente que as suas concorrentes, garantindo práticas mais eficazes e levando a organização a um novo patamar de desenvolvimento e de conquista de sua sustentabilidade no mercado. Não há um consenso sobre o conceito de aprendizagem organizacional e nem uma única escola que defina como ela acontece. Segundo Tsang (1997) a literatura sobre aprendizagem organizacional está mais orientada para a ação e pelo uso de ferramentas metodológicas específicas para diagnosticar, avaliar e promover o desenvolvimento dos processos de aprendizagem dentro das organizações. Para melhor compreensão de como a aprendizagem organizacional ocorre, destacam-se alguns dos principais modelos, sendo:

2 Autores que discorrem a respeito do assunto Senge (1990) Argyris e Schon (1974) Kim (1993) Nonaka e Takeuchi (1997) Modelo apresentado Propõe uma abordagem sistêmica para a aprendizagem e uma forma para seu desenvolvimento, onde as organizações devem desenvolver cinco disciplinas para um efetivo processo de inovação e aprendizagem: domínio pessoal, modelos mentais, visão compartilhada, aprendizagem em equipe e pensamento sistêmico. Por disciplina, o autor entende um conjunto de teoria e técnica que deve ser estudado e dominado para que leve à aprendizagem organizacional. O sucesso nas organizações comprometidas, segundo ele, decorre da existência de uma comunidade diversificada de líderes capazes de sustentar o comprometimento com a mudança. (SENGE, 1990) Os autores desenvolveram modelos buscando auxiliar as pessoas a agir com comportamentos alinhados aos mapas mentais (de como planejar, implementar e analisar suas ações) que possuem, com coerência entre o discurso e a prática concebendo os conceitos de aprendizagem de circuito simples (as mudanças decorrentes da aprendizagem se limitam à correção na ação que levou a uma conseqüência, colocando o indivíduo em uma situação reativa) e aprendizagem de circuito duplo (há exame, reflexão e associação entre as ações e o que motiva a ação, que pode ser alterada, assim como as próprias ações). (ARGYRIS; SCHON, 1974) Modelo que visualiza a aprendizagem segundo uma roda girando em que durante uma metade do ciclo, enquanto se testam os conceitos e observa-se o que acontece de fato, aprende-se o como. E, na outra metade, enquanto se reflete sobre as observações e formam-se os conceitos, aprende-se o porquê. O exercício do porquê desenvolve a consciência, e o como a capacidade de realizar ou a competência. Assim, na medida em que se assimilam os comos e os porquês, constroem-se modelos mentais imagens profundas do mundo e de como ele funciona. Os modelos mentais são formados pelos giros de roda, mas também determinam a velocidade de cada giro pela forma como assimilamos a aprendizagem. (KIM, 1993) Propõem o modelo de aprendizagem em espiral ou Espiral do Conhecimento, onde a aprendizagem ocorre por meio da interação contínua e dinâmica entre o conhecimento tácito e o conhecimento explícito. Essa integração é moldada pelas mudanças entre diferentes modos de conversão do conhecimento que, por sua vez, são introduzidos por vários fatores. (NONAKA; TAKEUCHI, 1997)

3 Autores que discorrem a respeito do assunto Schein (1996) Kolb (1997) Modelo apresentado Argumenta que as condições necessárias ao estabelecimento da aprendizagem na organização estão ligadas a cultura organizacional. Uma cultura de estímulo à aprendizagem deve equilibrar os interesses de todos os envolvidos, concentrar-se nas pessoas e não nos sistemas, sendo necessário criar um idealismo sobre a natureza humana, fazer as pessoas acreditarem na possibilidade de mudar o seu ambiente e disponibilizar tempo para a aprendizagem. Acredita que os aspectos culturais da organização estão presentes como facilitadores ou inibidores da aprendizagem e por relacionar fortemente a aprendizagem com mudança organizacional. (SCHEIN, 1996) O modelo de aprendizagem vivencial que baseia-se num ciclo de quatro fases, no qual a experiência concreta é a base para as observações e reflexões que, ao serem realizadas, levam à formação de conceitos e teorias. A partir destes conceitos são concebidas novas implicações para a ação, levando a novas experiências concretas. A aprendizagem compreende, neste modelo, um processo cíclico envolvendo fazerrefletir-analisar-decidir. (KOLB, 1997) Tendo em vista os modelos existentes, a questão chave para as empresas passa a envolver então, reflexões sobre qual o melhor caminho a ser construído para que a aprendizagem organizacional ocorra, identificando as práticas que estimulem o aprendizado em cada organização. Segundo Souza e Bitencourt (2003) quanto mais interativa e social a abordagem, maior será a possibilidade de desenvolver a aprendizagem. Sendo assim, entende-se que as Tecnologias da Informação e Comunicação podem ser utilizadas como instrumento mediador e facilitador no ambiente de aprendizagem e seus recursos utilizados pelas empresas considerados a memória dinâmica de todo o processo de aprendizagem organizacional. Teixeira Filho (2003) afirma que o papel das TIC está diretamente relacionado à formulação de estratégias, ao desenvolvimento do conhecimento coletivo, e ao aprendizado contínuo, tornando mais fácil às pessoas na organização compartilharem problemas, perspectivas, idéias e soluções. É importante salientar que essas tecnologias possibilitam a aprendizagem por meio do ensaio-erro-acerto, mediante a utilização de simuladores, permitindo a construção de cenários onde o ator social pode errar, experimentando as conseqüências das decisões incorretas sem, na realidade, causar danos às organizações. Com a utilização das TIC pode-se aprender pela experiência sem na realidade experienciá-la. Após realizar a revisão da literatura concluiu-se que não há um modelo de aprendizagem organizacional que leve em consideração as melhorias introduzidas nomeadamente pela introdução da influencia das TIC. Tendo em vista o contexto apresentado a presente investigação terá o objectivo de analisar a influência das Tecnologias da Informação e Comunicação sobre o desenvolvimento da aprendizagem organizacional em empresas brasileiras e portuguesas. Como obcjetivos específicos este trabalho pretende: Mapear um processo organizacional semelhante em empresas brasileiras e portuguesas.

4 Compreender as práticas de aprendizagem organizacional desenvolvidas no processo mapeado nas organizações investigadas; Analisar as principais características dessas práticas, identificando fatores organizacionais internos, tais como a cultura, a comunicação, o clima organizacional, que as influenciam. Analisar se as práticas utilizadas correspondem há algum dos modelos de aprendizagem organizacional e apontá-lo; Identificar os recursos das TIC e compreender como eles são utilizados no modelo de aprendizagem organizacional identificado; Descrever o modelo encontrado com as melhorias introduzidas nomeadamente pela introdução da influencia das TIC, quantificando o impacto das mesmas no desenvolvimento da aprendizagem. 2 Motivação e Contribuição Um dos motivos que orientaram este estudo foi o fato de que o conhecimento ser o ativo mais importante de qualquer organização. É o conhecimento que leva a novos tipos de modelos organizacionais e novos métodos gerenciais (STEWART, 2002). Tendo em vista esse pensamento, a questão chave para as empresas passa a envolver reflexões sobre um caminho a ser construído para que se crie conhecimento, um ambiente que estimule a aprendizagem na organização. Entende-se que a Aprendizagem Organizacional é um processo socialmente construído (EASTERBY-SMITH et al., 2001), onde o conhecimento individual e coletivo é transferido através da organização, possibilitando a aprendizagem organizacional. Um motivo, não menos relevante, é o fato de que para que a aprendizagem organizacional aconteça é necessária uma abordagem mais interativa e social tendo em vista a própria natureza do processo (SOUZA; BITENCOURT, 2003). As TIC podem auxiliar esse processo, fazendo com que o conhecimento gerado no nível individual e grupal possa ser mais facilmente compartilhado com toda a organização, favorecendo o desenvolvimento do conhecimento coletivo, gerando competitividade e intensificando ainda mais a velocidade do desenvolvimento humano e organizacional (TEIXEIRA FILHO, 2003). Uma outra questão relevante que motiva este estudo é o tímido crescimento de pesquisas que levem em consideração a relação entre a aprendizagem organizacional e as TIC. O fato pode ser notado pela escassez de publicações em periódicos e congressos nas áreas relacionadas à ciência da informação, principalmente dando foco às práticas que auxiliam o processo de aprendizagem organizacional. O intuito desta investigação é contribuir para a compreensão e descrição da influência das Tecnologias da Informação e Comunicação sobre o desenvolvimento da aprendizagem organizacional. Pretende-se entender como a tecnologia está sendo utilizada nesse processo e como ela poderia de certa forma, ajudar ainda mais no processo de aprendizagem e transmissão do conhecimento. O estudo pretende captar a percepção dos diversos agentes organizacionais envolvidos no processo de aprendizagem organizacional, de forma a esclarecer, para as empresas, como e quanto as TIC têm influenciado as práticas utilizadas pelas empresas na aprendizagem

5 organizacional, auxiliando e facilitando o processo, quais as práticas e os procedimentos mais adequados. Tendo em vista que não há um modelo de aprendizagem organizacional proveniente das melhorias introduzidas nomeadamente pela influência das TIC, o estudo pretende ainda descrever um esse modelo, quantificando o impacto dessa influência na melhoria do processo de aprendizagem. Pretende-se ainda fazer com que as TIC sejam vistas como um fator que auxilia e facilita o processo de aprendizagem organizacional contribuindo para que as organizações sejam mais competitivas. Levando em consideração a literatura pesquisada, entende-se que há uma necessidade de inovação e de troca de paradigmas e, ao mesmo tempo, de busca de um modelo de aprendizagem que possa dar sustentação à gestão eficiente dos processos organizacionais. 3 Abordagem Conforme a natureza dos objetivos propostos e com base nas características peculiares ao tema do trabalho, serão utilizadas para desenvolver o presente estudo as abordagens quantitativa e qualitativa. Percebe-se uma diferenciação entre estes dois tipos de investigação no que diz respeito à profundidade dos dados coletados e analisados, destacando-se, porém, que as duas abordagens não se opõem necessariamente, mas se complementam. A escolha da estratégia qualitativa se deu pelo fato da investigação ter o objetivo de compreender um processo e a visão das pessoas nele envolvidas (GODOY, 2005). A estratégia quantitativa vem complementar o estudo por possibilitar o tratamento das informações pelo meio estatístico (DIEHL; TATIM, 2004). Considera-se o tipo de pesquisa exploratório-descritiva o mais adequado por possibilitar que se alcançasse uma compreensão mais ampla acerca dos levantamentos fundamentais. Esse modelo será adotado devido à escassez de estudos e conceitos sobre a relação entre as TIC e a aprendizagem organizacional e pelo fato de não haver métodos de coleta de dados previamente definidos. Nesse tipo de pesquisa exploratória, empregar-se-á como método o estudo de caso. Essa escolha se justifica pela própria definição do estudo de caso que é uma investigação empírica que averigua um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto real (YIN, 2005). O estudo irá contemplar dois casos, sendo um em uma empresa brasileira denominada CEMIG e outro em uma empresa portuguesa, ambas do setor de energia elétrica. A intenção é comparar os processos de aprendizagem, verificando os tipos de recursos das TIC utilizados e o quanto esses recursos impactam no processo, gerando informações que possam auxiliar no desenvolvimento de um novo modelo de aprendizagem. Os dados serão coletados a partir de fontes diferentes de evidências, como questionários, observação direta nos locais onde o processo ocorre, investigação documental, registros internos e exame de artefatos culturais das empresas investigadas. O fato de se utilizar diferentes fontes de coleta de dados permite a triangulação de dados, além de, na verdade, serem essas fontes altamente complementares (YIN, 2005).

6 4 Avaliação dos resultados obtidos Os resultados obtidos serão avaliados por meio estatística multivariada, pois a análise quantitativa dos dados visa identificar e classificar a relação entre os constructos apresentados (RICHARDSON, 1989) e da constante relação com a teoria já existente sobre o assunto. Os resultados obtidos proporcionarão as empresas pesquisadas melhorias nos métodos de trabalho, produção, pesquisa e utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação com reflexo em toda a organização. Além disso, irão contribuir com o enriquecimento da literatura existente sobre pesquisas que levem em consideração a relação entre a aprendizagem organizacional e as TIC. 5 Tarefas e calendarização. Ano Período Atividade 1º Ano 1º Semestre Elaboração do projeto com o primeiro estado da arte e refinamento do problema e dos objetivos caso necessário. 2º Semestre Conclusão do estado da arte 2º Ano 1º Semestre Conclusão da metodologia, definição das empresas participantes da pesquisa e validação do instrumento de coleta de dados 2º Semestre Pré-teste do instrumento de coleta de dados; refinamento; coleta de dados 3º Ano 1º Semestre Análise dos dados 2º Semestre Conclusão da tese

7 REFERÊNCIAS ARGYRIS, C; SCHON, D. Theory in pratice. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, BELL, Simon J; WHITWELL, Gregory J ; LUKAS, Bryan A. Schools of thought in organizational learning. Academy of Marketing Science. Journal; Winter 2002; 30, 1; DIEHL, A.A. TATIM, D.C. Pesquisa em ciências sociais aplicadas. São Paulo: Prentice Hall, 2004 EASTERBY-SMITH, M.; ARAUJO, L.; BURGOYNE, J. Aprendizagem organizacional e organização de aprendizagem. São Paulo: Atlas, GODOY, Arilda Schmidit. Refletindo sobre critérios de qualidade da pesquisa qualitativa. Revista eletrônica de gestão organizacional. São Paulo, v.3, n.1, jan/abr., LOCKE, E. E JAIN, V. Organizational learning and continuos improvement. The International Journal of Organizational Analysis, 3(1):45-68, KIM, D. The link between individual learning and organizational learning. Sloan Management Review, v. 35, n. 1, p , fall KOLB, D. A. A gestão e o processo de aprendizagem. In: Starkey, Ken. Como as organizações aprendem: relatos do sucesso das grandes empresas. São Paulo: Futura, NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, RICHARDSON, R. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, SCHEIN, Edgar H. Three Cultures of Management: The Key to Organizational Learning, volume 38, Number 1 (Reprint 3811), Fall SENGE, P. M. The leader s new work: building learning organizations. Sloan Management Review, v. 32, n. 1, p. 7-23, SENGE, Peter. A dança das mudanças. Rio de Janeiro: Campus, SOUZA, Yeda Swirski; BITENCOURT, Cláudia Cristina. Das Práticas de Aprendizagem à Aprendizagem Organizacional. In: XXVII ENANPAD, 2003, Atibaia/ SP. XXVII ENANPAD, STATA, R.. Organizational learning - the key to management innovation. Sloan Management Review, spring, pp , STEWART, T. A. A riqueza do conhecimento: o capital intelectual e a organização do século XXI. Rio de Janeiro: Campus, TEIXEIRA FILHO, J. Gerenciando Conhecimento. 2ª edição, Editora Senac, Rio de Janeiro, 2003.

8 TSANG, E.W.K. Organizational learning and the learning organization: a dichotomy between descriptive and prescriptive research, Human Relations, Vol. 50 No. 1, p , YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Práticas de Apoio à Gestão

Práticas de Apoio à Gestão Práticas de Apoio à Gestão Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Organizações de Aprendizagem Learning Organization Conceitos Organizações de Aprendizagem

Leia mais

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Sílvia Maria Berté Volpato (TCE/SC) - silviaberte@hotmail.com

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO

GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO Prof. Dr. Egon Walter Wildauer egon0910@gmail.com INTRODUÇÃO Trabalho: conceito formas A importância do conhecimento e do talento como diferencial competitivo; O conhecimento e o estudo das organizações;

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO

TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE DOS NOVOS CONTEXTOS DE GERENCIAMENTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: CAPITAL INTELECTUAL E GESTÃO DO CONHECIMENTO: OS DESAFIOS DOS GESTORES DE RECURSOS HUMANOS DIANTE

Leia mais

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM?

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? Marlene Fernandes Universidade Luterana do Brasil RESUMO O mundo está em constante transformação, com segmentos funcionais altamente globalizados,

Leia mais

O Projeto MelhorAção e a Gestão do Conhecimento

O Projeto MelhorAção e a Gestão do Conhecimento Prof a Dr a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação Universidade de Brasília Coordenadora Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados Instituto Brasileiro de Informação em Ciência

Leia mais

UNEMAT. Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br

UNEMAT. Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br UNEMAT GESTÃO DA INFORMAÇÃO, DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL (GICIO) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br SINOP MT 2015-2 CONCEITO DE CONHECIMENTO Conhecimento

Leia mais

Contribuição da Gestão do Conhecimento para o avanço do Planejamento Estratégico articulado pela Comunicação

Contribuição da Gestão do Conhecimento para o avanço do Planejamento Estratégico articulado pela Comunicação Contribuição da Gestão do Conhecimento para o avanço do Planejamento Estratégico articulado pela Comunicação Agueda Gonçalves dos SANTOS² Beatriz Costa Alves dos SANTOS³ Francine Ferreira de Nardi GOLIA

Leia mais

Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares

Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Tecnologia e Gestão O principal papel da Tecnologia da Informação na Gestão do Conhecimento consiste em: Ampliar o alcance

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação Prof a.

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação Prof a. Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação Prof a. Lillian Alvares Tecnologia e Gestão O principal papel da Tecnologia

Leia mais

Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos

Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos 1 Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Sátiro Santiago Junior 1. Introdução A estruturação de processos voltados para a medição e monitoramentos das

Leia mais

OS ATIVOS INTANGÍVEIS E O CAPITAL INTELECTUAL. Arthur Hyppólito de Moura - 2004

OS ATIVOS INTANGÍVEIS E O CAPITAL INTELECTUAL. Arthur Hyppólito de Moura - 2004 OS ATIVOS INTANGÍVEIS E O CAPITAL INTELECTUAL - 2004 Sumário Mudanças na Sociedade Industrial - fatores e tendências Novos caminhos da organização Elementos críticos do diferencial competetitivo Os recursos

Leia mais

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS Marino, Reynaldo Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde - FASU/ACEG GARÇA/SP-

Leia mais

Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Tecnologia e Gestão O principal papel da Tecnologia da Informação na Gestão do Conhecimento consiste em: Ampliar o alcance

Leia mais

O sistema de gestão ambiental baseado nas normas ISO 14000 como modelo de aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento

O sistema de gestão ambiental baseado nas normas ISO 14000 como modelo de aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento O sistema de gestão ambiental baseado nas normas ISO 14000 como modelo de aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento Carlos Cesar Cavalcante Dias (UNIP/UNIFIEO) carlos.cesar@unifieo.br Dra. Irenilza

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento

Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento Noel Teodoro de Castilho (FAENQUIL) noelteodoro@uol.com.br Carlos Eduardo Sanches da Silva (UNIFEI) sanches@unifei.edu.br João Batista Turrioni (UNIFEI)

Leia mais

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO.

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO. APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA INDÚSTRIA MOVELEIRA NAS REGIÕES FRONTEIRA NOROESTE E CELEIRO RS, NO ÂMBITO DO PROJETO EXTENSÃO PRODUTIVA E INOVAÇÃO. 1 Maria Aparecida Da Silva Buss 2, Pedro Luís Büttenbender

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO 2009 Renata Araújo Volpe Estudante do curso de Engenharia de Produção (Brasil) Docente orientadora Carla Bittencourt Lorusso Email: revolpe@pop.com.br

Leia mais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais

Evolução da Disciplina. Modelo de Gestão CONTEXTUALIZAÇÃO. As Funções Gerenciais e as Mudanças. As Funções Gerenciais Evolução da Disciplina Modelos de Gestão Aula 1: Principais Modelos das Teorias da Administração Aula 2: Origem, Evolução, Classificação e Tipologia das Organizações Aula 3: Termos comuns às Organizações;

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico

Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico Ensino da Estatística na Educação Básica: Ferramenta Computacional como proposta para o processo pedagógico José Carlos Coelho Saraiva 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação à Distância

Leia mais

Desenvolvimento da universidade empreendedora sob a visão da criação do conhecimento

Desenvolvimento da universidade empreendedora sob a visão da criação do conhecimento Desenvolvimento da universidade empreendedora sob a visão da criação do conhecimento Rodrigo Sant Anna Cotrim (UERJ) rscotrim@yahoo.com.br Ian Fernandes de Carvalho (UERJ) ian.carvalho@globo.com Resumo

Leia mais

6 Resultados e Conclusões

6 Resultados e Conclusões 6 Resultados e Conclusões Esta tese começou com a apresentação da importância das PMEs de manufatura para o desenvolvimento econômico-regional, focalizando especialmente o setor de alimentos e bebidas.

Leia mais

PALESTRA: GESTÃO DO CONHECIMENTO COMO PROCESSO ORGANIZACIONAL: O CONTEXTO DA GESTÃO PÚBLICA PROF. HEITOR JOSÉ PEREIRA ( Doutor em Administração EAESP/ FGV - Presidente da SBGC Gestão 2005-2007 ) Revolução

Leia mais

A comunicação empresarial e a gestão da mudança

A comunicação empresarial e a gestão da mudança Renato Dias Baptista Índice 1 As mudanças organizacionais 1 1.1 Comunicação e mudança organizacional............. 2 2 Considerações Finais 4 3 Referências Bibliográficas 4 1 As mudanças organizacionais

Leia mais

Métodos qualitativos:

Métodos qualitativos: Métodos AULA 11 qualitativos: Pesquisa-Ação Quando iniciou-se a pesquisa-ação? Para Susman e Evered (1978), o termo pesquisa-ação foi introduzido por Kurt Lewin em 1946 para denotar uma abordagem pioneira

Leia mais

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N. Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.º 32603 INTRODUÇÃO Na área do controlo de gestão chamamos atenção para

Leia mais

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento Profa. Marta Valentim Marília 2014 Modelos,

Leia mais

O Trabalhador do Conhecimento na Sociedade do Conhecimento

O Trabalhador do Conhecimento na Sociedade do Conhecimento O Trabalhador do Conhecimento na Sociedade do Conhecimento Letícia Baggio (UTFPR) leticia@uniao.edu.br Isaura Alberton de Lima, Dra (UTFPR) alberton@utfpr.edu.br Maria Salete Waltrick, Ms (UNIAO) salete@uniao.edu.br

Leia mais

Introdução. Gestão do Conhecimento GC

Introdução. Gestão do Conhecimento GC Introdução A tecnologia da informação tem um aspecto muito peculiar quanto aos seus resultados, uma vez que a simples disponibilização dos recursos computacionais (banco de dados, sistemas de ERP, CRM,

Leia mais

O Conhecimento e a Aprendizagem das Organizações: Estudo de Caso em uma Consultoria Nacional

O Conhecimento e a Aprendizagem das Organizações: Estudo de Caso em uma Consultoria Nacional Sistemas Produtivos e Desenvolvimento Profissional: Desafios e Perspectivas O Conhecimento e a Aprendizagem das Organizações: Estudo de Caso em uma Consultoria Nacional Julia Rosa Borges Muniz Barreto

Leia mais

MÉTODO PARA IMPLANTAR O CRM APOIADO A GESTÃO DO CONHECIMENTO

MÉTODO PARA IMPLANTAR O CRM APOIADO A GESTÃO DO CONHECIMENTO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MÉTODO PARA IMPLANTAR O CRM APOIADO A GESTÃO DO CONHECIMENTO E A SERVIÇOS DIGITAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I Aluno: Fábio Schmidt

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Gestão do Conhecimento Aula 1 Gestão do Conhecimento e do Capital Intelectual

Gestão do Conhecimento Aula 1 Gestão do Conhecimento e do Capital Intelectual Gestão do Conhecimento Aula 1 Gestão do Conhecimento e do Capital Intelectual Apresentação Parecer Técnico: Yaeko Ozaki Revisão Gramatical: Alexandre Rocha Prof.ª MSC. NATÉRCIA GOMIDE Sumário 1) Introdução

Leia mais

Ambientes e fluxos de informação: transversalidades. Profa. Dra. Marta Valentim

Ambientes e fluxos de informação: transversalidades. Profa. Dra. Marta Valentim Ambientes e fluxos de informação: transversalidades Profa. Dra. Marta Valentim Brasília / Brasil 2013 Introdução As transformações políticas, econômicas, tecnológicas, sociais e culturais, tem impactado

Leia mais

6 Referências bibliográficas

6 Referências bibliográficas 6 Referências bibliográficas BOIRAL, O. ISO 9000: Outside the iron cage. Organization Science, v. 14, n. 6, p. 720-737, nov-dez 2003. CARVALHO, C. A. P.; VIEIRA, M. M. F.; LOPES, F. D. Contribuições da

Leia mais

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Informática Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel Belo Horizonte - MG Outubro/2007 Síntese

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 Heide Miranda da SILVA 2 RESUMO As exigências do mercado atual somadas aos avanços das tecnologias de informação

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA SILVA, Lourdes Helena da - UFV GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora:

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Principais Autores Michael Polanyi Karl M. Wiig Henry Mitzenberg Betty Ann Mackintosh Gordon Petrash Ikujiro Nonaka Hirotaka

Leia mais

Gestão do. Sustentabilidade e Inovação Organizacional. como fator de. Carlos Legal

Gestão do. Sustentabilidade e Inovação Organizacional. como fator de. Carlos Legal Gestão do Conhecimento como fator de Sustentabilidade e Inovação Organizacional Carlos Legal Resultados melhores podem ser alcançados de forma sustentável. Pessoas melhores, geram lideranças e organizações

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Edward Luis de Araújo edward@pontal.ufu.br Evaneide Alves Carneiro eva@pontal.ufu.br Germano Abud de Rezende germano@pontal.ufu.br

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA EM NÍVEL MÉDIO

Leia mais

XXVIII ENCONTRO NACIONAL

XXVIII ENCONTRO NACIONAL OS ESTILOS DE APRENDIZAGEM COMO AUXÍLIO À GESTÃO DO CONHECIMENTO EM ORGANIZAÇÕES QUE ESTABELECEM RELACIONAMENTOS INTERORGANIZACIONAIS HORIZONTAIS: ESTABELECENDO RELAÇÕES ENTRE OS CONSTRUTOS Vania de Fátima

Leia mais

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 Apresentação Doutora e Mestre em Ciências da Comunicação / Bibliotecária (ECA/USP); Docente do curso de

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS 1 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS São Carlos SP Abril 2011 Euro Marques Júnior USP eurojr@uol.com.br Educação Universitária Serviços

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS. TURMA 2015/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO)

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS. TURMA 2015/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO) PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESEMVOLVIMENTO DE PESSOAS POR COMPÊTENCIAS TURMA 15/1 (Segunda e Quarta - Unidade CENTRO) COORDENADOR: Prof. Carmen Rizzotto Disciplina CH EMENTA Data Professor

Leia mais

Elaboração e aplicação de um modelo de Gestão do Conhecimento adaptado para o departamento comercial de uma indústria farmacêutica

Elaboração e aplicação de um modelo de Gestão do Conhecimento adaptado para o departamento comercial de uma indústria farmacêutica Elaboração e aplicação de um modelo de Gestão do Conhecimento adaptado para o departamento comercial de uma indústria farmacêutica Roberto Rego Vieira da Rocha (UFRGS) roberto.rocha@roche.com Paulo Fernando

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL 1

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL 1 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL 1 DALCOL, Charlene Coser 2 ; SILUK, Julio Cezar 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Pós-Graduação em Gestão de Pessoas e Marketing

Leia mais

O impacto das cinco disciplinas de Peter Senge na competitividade da empresa: o caso de uma rede de lojas do setor comercial

O impacto das cinco disciplinas de Peter Senge na competitividade da empresa: o caso de uma rede de lojas do setor comercial O impacto das cinco disciplinas de Peter Senge na competitividade da empresa: o caso de uma rede de lojas do setor comercial Ivanilde Scussiatto Eyng (UTFPR) adm.ivanilde@uol.com.br Dálcio Roberto dos

Leia mais

www.odmconsulting.com.br www.odmconsulting.com

www.odmconsulting.com.br www.odmconsulting.com www.odmconsulting.com.br www.odmconsulting.com Quem somos 3 Remuneração e Desempenho 4 Desenvolvimento de Pessoas 5 Engajamento Funcional 6 Desenvolvimento Organizacional 7 Desenvolvimento do RH 8 Treinamento

Leia mais

A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL: UMA DISCUSSÃO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO

A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL: UMA DISCUSSÃO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO A COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL: UMA DISCUSSÃO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO Priscila Gomez Soares de Moraes 1 Fabrício Ziviani 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo questionar

Leia mais

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO INTEGRADA: PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TURMA V E EIXOS TEMÁTICOS PARA A MONOGRAFIA FINAL Professor Ms. Carlos Henrique

Leia mais

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 Tendências de pesquisa acadêmica na área de Gestão Pública e Fontes de Informação para Pesquisa Foco em CASP Prof. Ariel

Leia mais

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 1 FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 2 Sumário 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Projeto Interdisciplinar... 3 3. Disciplinas Contempladas... 4 4. Material

Leia mais

APRENDIZAGEM E INFORMÁTICA: UMA ANÁLISE SOBRE OS ALUNOS USUÁRIOS DO NPI

APRENDIZAGEM E INFORMÁTICA: UMA ANÁLISE SOBRE OS ALUNOS USUÁRIOS DO NPI APRENDIZAGEM E INFORMÁTICA: UMA ANÁLISE SOBRE OS ALUNOS USUÁRIOS DO NPI * Centro Universitário Filadélfia Unifil. mariana.munk@unifil.br Mariana Gomes Musetti Munck* Roberto Yukio Nishimura* Edison Sahd*

Leia mais

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos.

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos. Marketing Visão 360º O Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International está realizando pesquisas mensais com profissionais da área de marketing para investigar temas relacionados ao dia-a-dia

Leia mais

FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH

FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH Liderança Roberto Carvalho robertjc@uol.com.br Ambientes Turbulentos & Competitivos 10/30/2009 1 Passado Pensamentos mecanicistas! Você não é pago para questionar

Leia mais

A Gestão do Conhecimento em uma Organização Bancária: competências profissionais num contexto de mudanças

A Gestão do Conhecimento em uma Organização Bancária: competências profissionais num contexto de mudanças A Gestão do Conhecimento em uma Organização Bancária: competências profissionais num contexto de mudanças Enise Barth Teixeira (UNIJUI) enise@unijui.tche.br Maira Fátima Pizolotto (UNIJUI) mairafp@mksnet.com.br

Leia mais

Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com.

Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com. HORTON INTERNATIONAL EXECUTIVE SEARCH MANAGEMENT CONSULTANTS Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com.br

Leia mais

MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado)

MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado) MBA em Gestão de Negócios (Sexta e Sábado) Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições Abertas Turma 14 (Nova) -->Início Confirmado:05/07/2013 Mercados dinâmicos têm imposto desafios crescentes para as empresas:

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 MESTRADO: EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Estudos Organizacionais e Sociedade e Marketing e Cadeias

Leia mais

Administração 7ª Série Administração Mercadológica

Administração 7ª Série Administração Mercadológica Administração 7ª Série Administração Mercadológica A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO MODELO SECI DE NONAKA E TAKEUCHI PARA A APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

CONTRIBUIÇÕES DO MODELO SECI DE NONAKA E TAKEUCHI PARA A APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL CONTRIBUIÇÕES DO MODELO SECI DE NONAKA E TAKEUCHI PARA A APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL Marthin Leo Mallmann Isabela Regina Fornari Müller Pierry Teza Gertrudes Aparecida Dandolini João Artur de Souza Resumo:

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Mudança organizacional e suas implicações na aprendizagem

Mudança organizacional e suas implicações na aprendizagem Mudança organizacional e suas implicações na aprendizagem Anielson Barbosa da Silva (MPA/UnP) anielson@uol.com.br Luzia Fröhlich Nunes (PMA/Univali) lfnunes@redel.com.br Anete Alberton (PMA/Univali) anete@univali.br

Leia mais

Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas

Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas Aula 12 Tecnologia da Informação e a Gestão de Pessoas Objetivos da aula: Os objetivos desta aula visam permitir com que você compreenda melhor a relação da área de recursos humanos com a tecnologia da

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO

GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO contextualização e conceitos básicos a necessidade indispensável da aprendizagem organizacional um começo o de conversa sobre... GESTÃO DO CONHECIMENTO MUDANÇA DE PARADIGMA Visão

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Arquivologia:

Gestão do Conhecimento e Arquivologia: Gestão do Conhecimento e Arquivologia: entrelaçamentos e possibilidades na formação do profissional arquivista. Profa. Dra. Maria do Rocio F. Teixeira DCI/FABICO/UFRGS Arquivologia Salvador, 2013. Apresentação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS - SP Área de conhecimento: GESTÃO E NEGÓCIOS Componente Curricular: MARKETING INSTITUCIONAL Série:

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR

GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR Área: ADMINISTRAÇÃO Categoria: EXTENSÃO Francielle Cwikla Fundação Getulio Vargas, Rua Canafistula 96 Vila B, francwikla@gmail.com Resumo A gestão do conhecimento

Leia mais

P-06. Revendo o Treinamento Comportamental. Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br

P-06. Revendo o Treinamento Comportamental. Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br P-06 Revendo o Treinamento Comportamental Bernardo Leite - bernardo@rhestrategia.com.br www.bernardoleite.com.br Proposta Refletir e analisar a metodologia de treinamentos comportamentais. O que acontece

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

A Aprendizagem como Processo de Aquisição e Construção do Conhecimento e a Capacidade de Absorção da Organização com Base nas Novas Tecnologias

A Aprendizagem como Processo de Aquisição e Construção do Conhecimento e a Capacidade de Absorção da Organização com Base nas Novas Tecnologias A Aprendizagem como Processo de Aquisição e Construção do Conhecimento e a Capacidade de Absorção da Organização com Base nas Novas Tecnologias Rui Franganito Resumo A importância da capacidade de do conhecimento

Leia mais

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II 1 A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II Donizeth Henrique Aleluia Vieira 1 Paula Rodrigues de Souza 2 Suely Miranda Cavalcante Bastos 3 Resumo: Juntamente com o campo dos Números

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM www.executivebc.com.br NOSSA ABORDAGEM Nós da Executive acreditamos que necessidades específicas de educação devam ser atendidas por soluções específicas. Desse

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO PARTE 9 Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO ATIVO INTANGÍVEL Ativos que não têm substância física, mas proporcionam benefícios econômicos, como: competência dos gerentes, sua experiência e conhecimento

Leia mais

Módulo V. Conhecimento

Módulo V. Conhecimento Módulo V Conhecimento "Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um o ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida. Sandra Carey MÓDULO 5 CONHECIMENTO 5.1 Gestão do Conhecimento A Gestão do

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROGRAMA: MBA EM DESENVLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS Disciplina TURMA 2015/2 Segunda e Quarta - Unidade BUENO COORDENADOR: Profa. Camen Rizzotto da Trindade CH

Leia mais

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão Disciplinas Liderança Organizacional O processo de formação e desenvolvimento de líderes. Experiências com aprendizagem ativa focalizando os conceitos e fundamentos da liderança. Liderança compartilhada.

Leia mais

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)?

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Divulgação Portal - METROCAMP Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Torne se um Trabalhador de Conhecimento (Kowledge Worker) de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br

Leia mais

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. Resumo INCLUSÃO DIGITAL Leandro Durães 1 A inclusão digital que vem sendo praticada no país tem abordado, em sua

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS NOS PARQUES DE MATERIAL AERONÁUTICO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA.

CAPACITAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS NOS PARQUES DE MATERIAL AERONÁUTICO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA. Programa de Pós-graduação em Ciências Aeroespaciais - UNIFA 218 CAPACITAÇÃO EM RECURSOS HUMANOS NOS PARQUES DE MATERIAL AERONÁUTICO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA. RESUMO Paulo Roberto de Castro Gomes 1 A pesquisa

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

Gestão do conhecimento Wikipédia, a enciclopédia livre

Gestão do conhecimento Wikipédia, a enciclopédia livre Página 1 de 5 Gestão do conhecimento Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A Gestão do Conhecimento, do inglês KM - Knowledge Management, é uma disciplina que tem suscitado cada vez mais atenção nas

Leia mais