PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB."

Transcrição

1 1 PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB. ¹Thatiany de Sousa Pereira; ¹ Sebastião Ângelo da Silva; ¹Adeilma Fernandes de Sousa ¹Francisca Graça Nascimento 1-Estudantes bolsistas do PIBID, Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas UFCG/CES. Resumo: A promoção de hábitos alimentares saudáveis é de suma importância para a saúde da criança e do adolescente. As práticas alimentares também podem influenciar diretamente na eficácia do processo de ensino-aprendizagem e é papel da escola seguir esse viés para que tenha resultados positivos no que se refere a mediação e produção do conhecimento. Esse trabalho teve como objetivo conhecer e qualificar a alimentação dos alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental André Vidal de Negreiros. Para conhecer a alimentação diária do alunado na escola, foi aplicado um questionário nas turmas do fundamental II e na Educação de jovens e adultos (EJA). O estudo possibilitou apontar algumas carências com relação a inclusão de determinados tipos de alimentos, principalmente aqueles ricos em vitaminas como frutas e verduras. O perfil alimentar dos alunos em todas as turmas desta instituição de ensino apresentou um caráter igualitário, sendo formado, em primeiro lugar, por alimentos energéticos, e em segundo, por alimentos construtores, mas deixando a desejar na inclusão de alimentos reguladores como frutas e verduras. A escola precisa desenvolver novas estratégias educativas para que os alunos se conscientizem sobre a importância da promoção de hábitos alimentares saudáveis e prática de atividades físicas constantes, bem como, propiciar o conhecimento aos mesmos sobre os perigos da carência de alimentos essenciais para a manutenção da saúde. Palavras-chave: Alimentação, qualidade, aprendizagem. INTRODUÇÃO A formação dos seres vivos acontece com alguns eventos indispensáveis para um desenvolvimento saudável. A alimentação aparece como elemento essencial para a formação física, social e a saúde em geral. Os pais influenciam diretamente sobre os

2 2 futuros hábitos das crianças e muitas vezes a insistência do consumo de determinados alimentos podem reforçar a rejeição (MELLO,2004). A escola também atua como corresponsável na construção de hábitos alimentares saudáveis. A merenda escolar em muitos países é vista não só como uma alimentação diária, mas uma atividade integradora e necessária no cotidiano escola para a vivência dos alunos (Collares, Moysés, 1989, p.83). Uma alimentação inadequada pode ser construída através da quantidade excessiva e alimentos ricos em gordura e açúcar (PONTES, 2009). Conseguir que os alunos se tornem críticos no que se refere à alimentação é atividade que apresenta algumas dificuldades devido ao fato de já existir uma cultura errônea das pessoas se alimentarem preferencialmente por alimentos com baixo nível de nutrientes e altos níveis de gordura. Assim cada vez é maior a taxa de crianças e adolescentes obesas. Na atualidade, com o advento de TVs, videogames e computadores, as crianças e adolescentes deixaram de praticar hábitos saudáveis como correr e jogar futebol para se divertirem com atividades virtuais, onde, geralmente, não se movimentam e passam horas na mesma posição podendo também provocar problemas de postura. E a mudança de hábitos incluindo praticas saudáveis, se aplicam como difíceis mas necessárias em muitos casos (VIANA.2008), visto que a alimentação passou a ser tratada como algo secundário, sem a devida importância. Frequentemente, as pessoas se alimentam fora de hora, sem se importar com os valores nutricionais do alimento. A Escola André Vidal de Negreiros é uma das mais importantes instituições de ensino na cidade de Cuité, tendo participação significativa na promoção da educação e formação crítica de grande parte dos jovens deste município. A adoção de hábitos alimentares saudáveis é de suma importância para o desenvolvimento cognitivo e manutenção de vida saudável de seus alunos. A importância de uma boa alimentação pode interferir diretamente no rendimento do aluno na escola, visto que nosso corpo necessita constantemente de uma dieta saudável e balanceada de alimentos energéticos, reguladores, construtores e mistos. Para a promoção de hábitos saudáveis na escola deve-se promover ações que propiciem o desenvolvimento de estratégias inovadoras para educar os alunos para a prática de uma alimentação saudável. Esse trabalho teve como objetivo, conhecer os hábitos alimentares dos alunos, para estabelecer estratégias de promoção de uma

3 3 alimentação saudável e conscientização dos mesmos sobre os perigos da carência de alimentos essenciais para a manutenção da saúde. Essas ações podem contribuir para uma vida mais saudável e para a prevenção das doenças veiculadas por alimentos, das doenças crônicas não transmissíveis (obesidade, hipertensão, diabetes mellitus tipo 2, doenças cardiovasculares, câncer) e para o controle das carências nutricionais, como a anemia por deficiência de ferro, a deficiência de vitamina A e os distúrbios por deficiência de iodo (bócio). METODOLOGIA O trabalho consistiu na aplicação de um questionário sobre hábitos alimentares de estudantes do ensino fundamental II e EJA (Educação de Jovens a Adultos) da Escola Estadual de Ensino Fundamental André Vidal de Negreiros. A escola é constituída por turmas do Fundamental I, II e EJA, sendo que o Fundamental I funciona em um anexo. A amostragem da pesquisa foi composta por 12 turmas distribuídas nos três turnos de funcionamento da escola. Aplicação de questionários e entrevistas. Para conhecer a alimentação diária do alunado na escola, aplicamos um questionário elaborado por bolsistas do Pibid/Subprojeto de Biologia atuantes na referida escola nas turmas do 6º Ano; 7º Ano; 8º Ano e 9º Ano nos turnos matutino; vespertino e noturno (EJA). O questionário (ANEXO) envolveu questões sobre as refeições diárias, as preferências alimentares, frequências de atividades físicas e questões socioeconômicas. As entrevistas foram feitas a alguns gestores e funcionários sobre a disposição dos alimentos e como eles eram armazenados preparados e distribuídos. Análise dos dados Os dados foram analisados, quantificados e abordados através da montagem de gráficos estatísticos, resultando em uma avaliação sobre a qualidade alimentar da escola. Sendo assim, nos permitiu traçar o perfil alimentar dos estudantes. RESULTADOS E DISCUSSÃO Analisamos por meio dos questionários, que os alunos da Escola André Vidal de Negreiros têm um perfil alimentar semelhante, no qual, está incluso diariamente no café da manhã, uma dieta rica em massas e pouca ingestão de frutas; no almoço, arroz,

4 4 feijão, carne, verduras e legumes; no lanche da tarde, bolachas, doces e massas; na janta, geralmente sopa, arroz de leite ou sobra do almoço. Com base neste estudo, observamos que os alimentos classificados no grupo dos energéticos como os ricos em massa estão sendo consumidos em grande quantidade, enquanto que os alimentos reguladores e essenciais ricos em vitaminas como frutas e verduras estão sendo desconsiderados da dieta dos alunos. Observamos que a escola precisa promover ações educativas que estimulem os educandos a incluírem em suas dietas maior quantidade de frutas e verduras. 6ºAno As turmas do sexto ano nos turnos manhã e tarde apresentam uma faixa etária similar entre 10 a 12 anos, quanto ao número das pessoas residentes nas casas trabalham. Todos disseram ser residentes na cidade de cuité, 54% diz ter estudado sempre em escola pública e 46% já estudaram em escola particular, a maioria não participa de outros programas além do estudo regular.com relação as refeições feitas na escola a maioria dos alunos afirmaram lanchar na escola, mas não descartando a ideia de comprar alguns lanches. 87% dos alunos do 6º diz incluir em sua alimentação diária legumes e verduras O questionário apontou a frequência das atividades físicas praticadas pelos estudantes 61% afirmou o uso de bicicletas 30% jogos de futebol 8% responderam que não praticavam nenhuma atividade física. Fatores socioeconômicos foram abordados através de informações sobre os benefícios sociais que algumas famílias recebem, os dados sobre bolsa família representaram 82% dos alunos, 4% garantia safra e 5% mais de um benefício e 9% não recebiam nenhum benefício. 7ºAno Apresentaram-se com uma faixa etária de 12 a 14 anos a defasagem idade/série não foi elevada. Todos os estudantes afirmaram ser residentes do município Cuité.Com relação a merenda fornecida 72% costuma lanchar na escola, sendo que 28% preferem comprar o lanche. 54% costumam incluir em sua dieta legumes e verduras. Com relação as atividades físicas 48% dos alunos preferem andar de bicicleta. Outros esportes foram citados nessa série como karatê e natação. Quanto aos benefícios sociais, 71% diz receber o bolsa família, e 10% outros benefícios 8º Ano

5 5 As turmas do oitavo ano nos turnos manhã e tarde apresentam uma faixa etária de 13 a 15 anos, com um número de moradores máximo de quatro por residência apresentando casos de até dez moradores por residência sendo que apenas 28% a 38% das pessoas residentes nas casas trabalham. Todos disseram ser residentes na cidade de cuité, 58% diz ter estudado sempre em escola pública e 42% já estudaram em escolas particulares, demonstrando um bom número de alunos que estudaram em escolas privadas. 97% dos entrevistados diz participar do programa mais educação, e a grande maioria diz lanchar na escola, sendo aqueles que preferem não comer o lanche da escola diz comprar doces e salgados. 69% dos alunos do 8º diz incluir em sua alimentação diária legumes e verduras, e quanto às atividades físicas realizadas, a grande maioria respondeu que prefere andar de bicicleta. Em relação á benefícios sociais, 82% responderam receber bolsa família, 9% garantia safra e 9% mais de um benefício, ou seja, todos recebem algum benefício do governo. 9º Ano Apresentaram-se com uma faixa etária de 13 a 15 anos, sendo a grande maioria dos alunos com 74% da turma com idade de 14 anos. O número de moradores variou de 2 a 7 por residência sendo 3 o nº que obteve maior percentual com 37%. O número de pessoas que trabalham por residência ficou dividido entre duas pessoas e uma, sendo que uma pessoa atingiu 52% demonstrando que muito pouca gente trabalha por residência, como por exemplo, na casa que se apresenta com sete pessoas. Todos são residentes na cidade de cuité, 85% sempre estudou em escola pública, e 96% da turma participam do programa mais educação. 63% costuma lanchar na escola, sendo que 37% preferem comprar o lanche. 75% costuma incluir em sua dieta legumes e verduras, e 59% prefere andar de bicicleta como atividade física. Quanto a benefícios sociais, 66% diz receber o bolsa família, aposentadoria 15% e a demais garantia safra e outros benefícios. Análise dos hábitos alimentares Através da pesquisa podemos perceber como os alunos estão se alimentando em casa e na escola, atrelando essa realidade não só ao consumo dos alimentos mais também na realidade social. O questionário abordou algumas problemáticas como a ideia de preferência por determinados alimentos fornecidos pela escola, mas no contexto geral são muitas vezes citados como repetitivos. As turmas noturnas também deixaram

6 6 evidenciadas na pesquisa a insatisfação com a merenda oferecida pela pouca quantidade e frequência dos alimentos. Já no ambiente domiciliar problemas mais frequentes, devido pouco consumo de frutas e verduras. Análise dos parâmetros curriculares O Plano nacional de alimentação escolar (PNAE) é um programa do Governo federal que atende estudantes de todas as faixas etárias, desde as séries iniciais até turmas da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Sua função primordial é implantar nas escolas uma alimentação saudável e promover conhecimentos de hábitos saudáveis que possam ser levados para suas comunidades e a sociedade em geral. O programa foi implantado em 1955, e como prevê o artigo 208, incisos IV e VII, da Constituição Federal, determina que a União, estados e municípios são responsáveis por programas suplementares para alimentação. Desse modo o repasse do dinheiro reservado para alimentação escolar é entregue diretamente aos estados, com base no censo escolar realizado no ano anterior, e esses fazem o uso do dinheiro de acordo com as necessidades alimentares dos estudantes. Segundo informações do PNAE o orçamento do programa de 2014 é de R$ 3,5 bilhões, beneficiando 43 milhões de estudantes da educação básica e de jovens e adultos. Com a lei nº de 2009, 30% desse valor (R$ 1,05 bilhão) deve ser investido em produtos da agricultura familiar, como um método para desenvolvimento econômico das comunidades rurais. A resolução/ CD/ FNDE nº38 de 2009 em seu 4º artigo que: O PNAE tem por objetivo contribuir para crescimento e o desenvolvimento biopsicossocial, a aprendizagem, o rendimento escolar e a formação de práticas alimentares saudáveis dos alunos, por meio de ações de educação alimentar e nutricional e da oferta de refeições que cubram as suas necessidades nutricionais durante o período letivo. (BRASIL,2009) Desse modo, o PNAE entende que a alimentação está diretamente ligada há um bom rendimento escolar e que se investindo em hábitos saudáveis está se investindo numa qualidade de educação melhor.

7 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS A Escola Municipal de Ensino Fundamental André Vidal de Negreiros, para desenvolver uma educação de qualidade precisa promover hábitos alimentares saudáveis na dieta dos seus alunos, bem como mediar ações educativas que conscientizem os mesmos sobre a importância da alimentação de qualidade para a manutenção da saúde. Os alunos bolsistas do Projeto Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Pibid/Subprojeto de Biologia, atuantes na referida escola em conjunto com os professores objetivam trabalhar com este tema tão importante, visto que o processo de ensino-aprendizagem significativo de qualidade só é eficaz se os discentes estiverem bem alimentados. REFERÊNCIAS BRASIL, Resolução/ CD/ FNDE nº38 de 16 de julho de PNAE. Ministério da Educação. Brasília, 2009 BRASIL, Lei No , DE 16 de junho de , de 24 de agosto de 2001, e a Lei no 8.913, de 12 de julho de 1994; e dá outras providências. União: Diário oficial. Brasília, 2009 BRASIL/MS/SAS/DAB/CGPAN. Novas curvas de avaliação de crescimento infantiladotadas pelo Ministério da Saúde. Disponível em: <http://dtr2004.saude.gov.br/nutricao/documentos/apresentacao_cgpan_curvas1.pdf. Acesso em 2014 BRASIL, Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira. Promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde, 2006b. CARVALHO, M. H. S. A merenda Escolar no Brasil. Disponível em:http://penta.ufrgs.br/edu/dee/merenda.htm. Acesso em agosto de 2014 PONTES, Tatiane Elias.Marum,Annete Bressan.R.F.BRASIL,Anne,Lise. Orientação nutricional de crianças e adolescentes e os novos padrões de consumo: propagandas, embalagens e rótulos.2009 VIANA.Victor; Santos L.P; Guimarães,J, M. Comportamento e hábitos alimentares em criançase jovens: umarevisão daliteratura COLLARES, Cecília, MOYSÉS, Maria Aparecida (Orgs.). Fracasso escolar: uma questão médica? Cadernos do CEDES, São Paulo, n.15,1985.

8 8 MELLO,ELZA,D, LUFT Vivian C, MEYER Flavia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? ANEXO -QUESTIONÁRIO Idade:: Sexo: feminino ( ) masculino ( ) 1. Quantas pessoas moram em sua casa e quantos trabalham? 2. Onde você mora? 3. Você sempre estudou em escola Pública? Sim ( ) Não ( ) 4. Faz parte do programa mais educação? Sim ( ) Não ( ) 5. Você costuma lanchar na escola? Sim ( ) Não ( ) As vezes ( ) 6. Se respondeu sim para a pergunta anterior assinale uma das alternativas abaixo: ( ) Compra ( ) Lanche fornecido pela escola 4.-Se tiver respondido Não, explique o porquê (Pode marcar mais de uma resposta) ( ) Não gosta do cardápio do dia (aparência, sabor, odor) ( ) As opções de refeições são repetitivas ( ) Nunca comeu/ Não sente vontade de comer ( ) Traz comida de casa/ Traz dinheiro para comprar comida ( ) Outra razão: 7. O que você compra na escola : ( )Pipoca Balas, pirulitos ( )Salgados, Refrigerante, chocolates

9 9 ( ) Depende do que tenho em dinheiro ( ) Quase não compro 8. O que você costuma comer? ( ) Refrigerante ( ) Batata frita, coxinha, pastel... ( ) Leite ( ) Legumes, verduras ( ) Iogurte ( ) Queijo, ( ) Frutas ( ) Pipoca, salgadinhos ( ) Pão, bolo ( ) Café, suco 9. Descreva sua refeição ao longo do dia Café da manhâ: Almoço: Jantar: Outros lanches : 10- Faz parte de seus hábitos alimentares consumir legumes e verduras? Sim ( ) Em parte ( ) Não ( )Não, porque não gosto ( ) Outros 11-Quanto ao lanche oferecido pela escola, cite os três que você mais gosta. 1) 2) 3) 12-Que tipo de atividade física você pratica? a) Joga futebol b) Natação c) Corrida d) Anda de bicicleta e) Nenhuma das alternativas 13- Seus pais recebem algum beneficio do governo como: ( ) Bolsa família ( ) garantia safra ( )Bolsa estiagem entre outros Figura 1 : gráfico representando a preferência dos alunos em fazer suas refeições na escola

10 10 Figura 2 : gráfico representando a quantidade de alunos que lancham diariamente na escola. Figura 3:Gráfico representando as atividades esportivas praticadas pelos alunos.

11 11

Hábitos saudáveis na creche

Hábitos saudáveis na creche 11 Hábitos saudáveis na creche Elvira Bezerra Pessoa: elvirabe@gmail.com Patrícia Edióne da Silva Graduada edionne.jp@hotmail.com Adeilson Paulino de Barros UEPB 1.INTRODUÇÃO No Brasil o atendimento á

Leia mais

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome:

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: 1- A alimentação é uma necessidade de todas as pessoas. Para termos uma alimentação saudável, é preciso comer alimentos variados e em quantidades adequadas.

Leia mais

PROPONDO UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR NA ESCOLA: DO ASPECTO INFORMATIVO À PRÁTICAS TRANSFORMADAS

PROPONDO UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR NA ESCOLA: DO ASPECTO INFORMATIVO À PRÁTICAS TRANSFORMADAS PROPONDO UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR NA ESCOLA: DO ASPECTO INFORMATIVO À PRÁTICAS TRANSFORMADAS RESUMO Maria Márcia Melo de Castro Martins 1 Leandra Fernandes Nascimento 2 Maria Gorete de Gois 3

Leia mais

AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA

AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA Margareth Machado e Silva Sousa (1), Maria Rizoneide Araújo Belarmino

Leia mais

QFase REVISTA TJ 11. Tiago Elias Junior. Volume 02 julho/2014 Ano 1 Bebedouro SP. Redator chefe. Experiências. Bebe da Semana. Obesidade infantil

QFase REVISTA TJ 11. Tiago Elias Junior. Volume 02 julho/2014 Ano 1 Bebedouro SP. Redator chefe. Experiências. Bebe da Semana. Obesidade infantil Marca registrada Volume 02 julho/2014 no 1 Bebedouro SP QFase REVIST Obesidade infantil Por : Dr. Tiago Elias Diferença da criança gordinha da criança obesa Bebe da Semana O Bebê da semana do facebook

Leia mais

Congregação das Filhas do Amor Divino

Congregação das Filhas do Amor Divino Congregação das Filhas do Amor Divino EXERCÍCIO FÍSICO E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Em se tratando dos conhecimentos necessários para a prática de exercícios e/ou atividades físicas, a alimentação deve ser considerada

Leia mais

EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1

EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1 393 EXCESSO DE PESO E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ENTRE CRIANÇAS DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE MINAS GERAIS 1 Marceli Almeida Mendonça 1, Mônica de Paula Jorge 1, Simone Angélica Meneses Torres

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

Atividade física no ambiente escolar

Atividade física no ambiente escolar Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção BásicaB Coordenação ão-geral da Política de Alimentação e Nutrição Atividade física x alimentação saudável no ambiente escolar

Leia mais

Palavras chave: adolescentes, alimentação, biologia, ensino, PIBID.

Palavras chave: adolescentes, alimentação, biologia, ensino, PIBID. ANÁLISE E AMOSTRAGEM DA QUANTIDADE DE CARBOIDRATO, SÓDIO E GORDURAS DOS PRINCIPAIS ALIMENTOS CONSUMIDOS POR ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE BETIM EM MINAS GERAIS, POR BOLSISTAS DO PIBID.

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESCOLARES E A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NO CONSUMO DE ALIMENTOS CARNEIRO, Alessandra Rosa de Araújo ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br RESUMO: Introdução:

Leia mais

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR 1 Justificativa O Observatório Social do Brasil lança uma ação conjunta para a Rede de Observatórios Sociais que consistirá num

Leia mais

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO 1 PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO Iara de Souza Assunção 1 Josiane Kênia de Freitas 2 Viviane Modesto Arruda 3 Silvana Rodrigues Pires Moreira 4

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL X ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL X ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL X ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS Resumo PRZYBYSZ, Mariângela Prefeitura Mun. Curitiba mari_prz@yahoo.com.br MENEGAZZO, Raquel Cristina Serafin Prefeitura Mun. Araucária Prefeitura Mun.

Leia mais

MÉDIO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE CAMPO GRANDE/MS

MÉDIO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE CAMPO GRANDE/MS HÁBITOS ALIMENTARES E NUTRICIONAIS DE JOVENS DO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE CAMPO GRANDE/MS Daniela Santana de Carvalho Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Vera de Mattos Machado

Leia mais

Comer bem, Viver melhor

Comer bem, Viver melhor Unidade Cuidados Comunidade ACES Gondomar Comer bem, Viver melhor Enf.º José Lima josebarbosalima@gmail.com 01-02-2011 01-02-2011 ACeS GRANDE PORTO II GONDOMAR UCC INOVAR Início de Funções 1 de fevereiro

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

ELES QUE FAÇAM O QUE EU DIGO!

ELES QUE FAÇAM O QUE EU DIGO! ELES QUE FAÇAM O QUE EU DIGO! ESTRATÉGIAS PARA COMBATER A OBESIDADE PROPOSTAS PELAS CRIANÇAS NAS PASE 2008 Rosalina Gabriel, Ana Moura Arroz, Ana Cristina Palos, Isabel Estrela Rego, António Félix Rodrigues,

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Biologia. 8 o ano. Caderno 2

Biologia. 8 o ano. Caderno 2 Biologia 8 o ano Caderno 2 Módulos 7 e 8 1 A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do grau de acidez do meio. Observe o gráfico e responda: Qual curva representa o local da ação da

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

PIBID EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ANÁLISE DO CONCEITO DE SAÚDE DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE MONTES CLAROS MG.

PIBID EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ANÁLISE DO CONCEITO DE SAÚDE DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE MONTES CLAROS MG. PIBID EDUCAÇÃO EM SAÚDE: UMA ANÁLISE DO CONCEITO DE SAÚDE DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE MONTES CLAROS MG. 1.0 RESUMO O presente trabalho tem como objetivo analisar o conceito

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Alimentação saudável É saborosa, variada, colorida e com harmonia entre quantidades e qualidade! Sempre que possível faça as refeições junto à família,

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

O LANCHE EM ESCOLAS PARTICULARES E SUA RELAÇÃO COM AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ALUNOS DE 6ª SÉRIE.

O LANCHE EM ESCOLAS PARTICULARES E SUA RELAÇÃO COM AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ALUNOS DE 6ª SÉRIE. O LANCHE EM ESCOLAS PARTICULARES E SUA RELAÇÃO COM AS AULAS Bruno da Silva Freire Carlos Vinícius da Silva Fonseca Diogo José dos Santos Ferreira DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ALUNOS DE 6ª SÉRIE. RESUMO O estudo

Leia mais

DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS

DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS -GRUPO DOS CEREAIS -GRUPO DA COMIDA -GRUPO DAS FRUTAS -GRUPO DAS GULOSEIMAS -GRUPO DAS HORTALIÇAS -GRUPO DAS SOBREMESAS Assessoria de Apoio à Alimentação Escolar

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Programa Bolsa Família AGENDA DA FAMÍLIA DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Copyright 2009 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Todos os direitos

Leia mais

Alimentação Escolar Saudável. Apresentação: Lidiane Farias lidianefarias@quas.com.br

Alimentação Escolar Saudável. Apresentação: Lidiane Farias lidianefarias@quas.com.br Alimentação Escolar Saudável 1. 2. 3. Agenda 4. 5. 6. A infância é o período no qual os hábitos alimentares são desenvolvidos. É uma fase onde as necessidades nutricionais estão aumentadas e devem ser

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio Direito à Educação Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Objetivos Refletir sobre: O que é Direito à Educação e como chegamos até aqui Garantia do direito à educação no Brasil Papel atual do Gestor

Leia mais

AVALIANDO E CONSCIENTIZANDO HÁBITOS SAUDÁVEIS NA CRECHE PÚBLICA EM CAMPINA GRANDE-PB

AVALIANDO E CONSCIENTIZANDO HÁBITOS SAUDÁVEIS NA CRECHE PÚBLICA EM CAMPINA GRANDE-PB AVALIANDO E CONSCIENTIZANDO HÁBITOS SAUDÁVEIS NA CRECHE PÚBLICA EM CAMPINA GRANDE-PB Elvira Bezerra Pessoa Profª Dra.Universidade Estadual da Paraíba bioelvira@gmail.com Adeilson Paulino de Barros Graduando

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Rothchild Sousa de Morais Carvalho Filho 1 Naiana Machado Pontes 2 Laiane Viana de Andrade 2 Antonio

Leia mais

INCLUSÃO: POSSIBILIDADES DA PSICOLOGIA ESCOLAR RESUMO

INCLUSÃO: POSSIBILIDADES DA PSICOLOGIA ESCOLAR RESUMO INCLUSÃO: POSSIBILIDADES DA PSICOLOGIA ESCOLAR RESUMO INTRODUÇÃO: Experiência de Estágio de Núcleo Básico III com crianças do Ensino Fundamental sobre Inclusão. OBJETIVO: conscientizar a aceitação das

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

ALTERNATIVA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE ALIMENTOS INTEGRADA COM A PIRÂMIDE ALIMENTAR BRASILEIRA

ALTERNATIVA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE ALIMENTOS INTEGRADA COM A PIRÂMIDE ALIMENTAR BRASILEIRA ALTERNATIVA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE ALIMENTOS INTEGRADA COM A PIRÂMIDE ALIMENTAR BRASILEIRA Lucas da Silva Monção¹; Antonio Alves Viana Neto¹; Bruno Gabriel Nunes Pralon² 1 Bolsistas PIBID da Universidade

Leia mais

O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO?

O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO? ISBN 97-5-191-5-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 3 de outubro de 9 O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO? Pâmela Carla de Andrade¹, Fabíola Roberta

Leia mais

ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins Gerência de Alimentação e Nutrição E-mail: nutricao@saude.to.gov.br (63) 3218 1789 Terezinha Franco Nutricionista ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

Obesidade Infantil. O que é a obesidade

Obesidade Infantil. O que é a obesidade Obesidade Infantil O que é a obesidade A obesidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar

Leia mais

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR Eliane Santana de Souza 1 - UEFS annystar_@hotmail.com Nadson de Jesus Lima 2 -UEFS nado_19jl@hotmail.com Orientadora:

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E O PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO TRANSPORTE DO ESCOLAR

AUDIÊNCIA PÚBLICA: PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E O PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO TRANSPORTE DO ESCOLAR AUDIÊNCIA PÚBLICA: PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E O PROGRAMA NACIONAL DE APOIO AO TRANSPORTE DO ESCOLAR Profª. Marcia Adriana de Carvalho Dirigente Municipal de Educação de São Francisco de

Leia mais

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento 9 Estilo de Vida Ativo: A Importância do Estímulo por parte dos Adultos Erika da Silva Maciel Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos - USP Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - ATIVIDADE DE OBSERVAÇÃO ELABORAÇÃO DE DIAGNÓSTICO SOBRE

Leia mais

OBSERVATÓRIO JOSUÉ DE CASTRO. Lutar pela Alimentação Saudável dos Brasileiros. PARA QUÊ E COMO???? Sandra Chemin

OBSERVATÓRIO JOSUÉ DE CASTRO. Lutar pela Alimentação Saudável dos Brasileiros. PARA QUÊ E COMO???? Sandra Chemin OBSERVATÓRIO JOSUÉ DE CASTRO Lutar pela Alimentação Saudável dos Brasileiros. PARA QUÊ E COMO???? Sandra Chemin A alimentação saudável é essencial para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da saúde.

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA

IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA INTRODUÇÃO Taciane Ávila Lazari Flavia Germinari Rodrigues Santos Solange da Silva Iurak Oliveira Laudicéia Soares Urbano A formação dos hábitos alimentares

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 Solicitação de Trabalho nº 252/2014 CONOF Solicitante: Deputado Pauderney Avelino ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 ASPECTOS ORÇAMENTÁRIOS E FINANCEIROS SOBRE A INCLUSÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR COMO DESPESA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS.

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. Fernanda Gabriely Andrade 1 Lindeberg Ventura de Sousa 2 Antônio Gautier Falconiere

Leia mais

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Meta 1 Educação Infantil Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 4 e

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA PERSPECTIVA DO ALUNO DE EJA EM ESCOLA PÚBLICA, LUCENA PB.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA PERSPECTIVA DO ALUNO DE EJA EM ESCOLA PÚBLICA, LUCENA PB. ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA PERSPECTIVA DO ALUNO DE EJA EM ESCOLA PÚBLICA, LUCENA PB. Resumo SILVA, Débora da Conceição Sales 1 - PML NASCIMENTO, Ivonete Lima 2 - PML SANTOS, Josilene Silva 3 - PML Grupo de

Leia mais

Revista Diálogos Interdisciplinares - GEPFIP

Revista Diálogos Interdisciplinares - GEPFIP 231 ARTE E CULTURA NA EDUCAÇÃO: uma parceria imprescindível para aprendizagem Ariane Silva CASTRO 1 Glaucimar Carlos SANCHES 2 Rigoberto Delvalle ORTEGA 3 RESUMO O presente relato tem por objetivo relatar

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL ENTRE CRIANÇAS

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL ENTRE CRIANÇAS EDUCAÇÃO NUTRICIONAL ENTRE CRIANÇAS Nayara Andrade de Oliveira 1, Vivian Rahmeier Fietz 2, Emmanuela Alves Inácio Carvalho 1 Estudante do Curso de Enfermagem da UEMS, Unidade Universitária de Dourados;

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ESCOLA CORONEL ARAÚJO CHAVES PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA Prof. Francisco Junielison Correia Lopes (Educação Física) Colaboração: Prof. Gleidson Mendes Melo

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE

A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE Raquel Silva Borges, Bolsista PET (Re) Conectando Saberes - UFU Ana Paula de Assis, Bolsista PIBID- Subprojeto

Leia mais

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO

IMPLANTANDO O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA A GARANTIA DO PERCURSO ESCOLAR DO ALUNO NA CONVIVÊNCIA DOS DOIS REGIMES DE ENSINO: ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE OITO ANOS E ENSINO FUNDAMENTAL COM DURAÇÃO DE NOVE ANOS. IMPLANTANDO

Leia mais

PAPEL DO NUTRICIONISTA NO SISTEMA DE SAÚDE¹

PAPEL DO NUTRICIONISTA NO SISTEMA DE SAÚDE¹ 453 PAPEL DO NUTRICIONISTA NO SISTEMA DE SAÚDE¹ Aparecida Elaine de Assis Cardoso 2, Jacira Francisca Matias 2, Mônica de Paula Jorge 2, Jaqueline Miranda 2, Maria Aparecida Resende Marques 2, Luciana

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE USUÁRIO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO UNILAB

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE USUÁRIO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO UNILAB PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE USUÁRIO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO UNILAB Seção de Alimentação e Nutrição - PROPAE Elaborado por: Haquila Andréa Martins/ Julliane Nunes/Nágela Martins/ Natália Caldas Acarape

Leia mais

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA Amanda dos Santos Souza (Licencianda em Matemática/UFPB - amanda.souza13@hotmail.com) Carla Manuelle Silva de Almeida

Leia mais

ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA

ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA ESTEQUIMETRIA LÚDICA: RESSIGNIFICANDO A APRENDIZAGEM POR MEIO DE UMA MARATONA QUÍMICA Patrícia Severiano de Oliveira* (1) (1) Universidade Federal de Alagoas Campus Arapiraca *patríciaufal2011@gmail.com

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO ENSINO DAS CIÊNCIAS NOS HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS DAS CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS

A INFLUÊNCIA DO ENSINO DAS CIÊNCIAS NOS HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS DAS CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS A INFLUÊNCIA DO ENSINO DAS CIÊNCIAS NOS HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS DAS CRIANÇAS DAS SÉRIES INICIAIS Josefa Cristiane Ferreira de Oliveira 1 Glória Maria Duarte Cavalcanti 2 Anamélia Sales Assis 3 EIXO

Leia mais

Informações básicas. Programa Ensino Integral

Informações básicas. Programa Ensino Integral Informações básicas Programa Ensino Integral Abril/2014 1) Premissas básicas do novo modelo de Ensino Integral O novo modelo de Ensino Integral pressupõe inovações em alguns componentes fundamentais da

Leia mais

Organização e operação de cozinhas escolares

Organização e operação de cozinhas escolares - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação / Técnico Alimentação Escolar: Organização e operação de cozinhas escolares. pro uncionário Curso Técnico de Formação para os Funcionários da

Leia mais

Estudo sobre o Uso de Drogas entre estudantes do Ensino Médio e EJA na Escola Estadual Silveira Martins/Bagé-RS

Estudo sobre o Uso de Drogas entre estudantes do Ensino Médio e EJA na Escola Estadual Silveira Martins/Bagé-RS Estudo sobre o Uso de Drogas entre estudantes do Ensino Médio e EJA na Escola Estadual Silveira Martins/Bagé-RS *Elenilson F. Alves 1 (PQ), *Clarissa M. Sousa 2 (FM), *Juliana O. Ehlers 1 (IC), *Tais B.

Leia mais

Semana de Alimentação Escolar - 2005. Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia

Semana de Alimentação Escolar - 2005. Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia Semana de Alimentação Escolar - 2005 Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia s e m a n a d e a l i m e n t a ç ã o s e m a n a d e a l i m e n t a ç ã o Semana de Alimentação Escolar

Leia mais

Atividades de Fixação. Nutrição Infantil Fabiana Borrego

Atividades de Fixação. Nutrição Infantil Fabiana Borrego Atividades de Fixação Nutrição Infantil Fabiana Borrego Gestante Gestante de 18 anos com 22 semanas gestacionais, acompanhada no centro de saúde, foi encaminhada a nutrição por apresentar baixo peso. Fumante:

Leia mais

Universidade Pública na Formação de Professores: ensino, pesquisa e extensão. São Carlos, 23 e 24 de outubro de 2014. ISBN: 978-85-87837-25-7.

Universidade Pública na Formação de Professores: ensino, pesquisa e extensão. São Carlos, 23 e 24 de outubro de 2014. ISBN: 978-85-87837-25-7. Curso pré-vestibular para jovens oriundo da rede pública de ensino de Catanduva e região Bruno Ruiz Gomes¹, Cristiane Silvestre Valerio¹, Gabriele Freitas¹, Isabela Rocha¹, José Eduardo Grefener filho¹,

Leia mais

PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO

PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO OBJETIVOS QUALIDADE NAS ESCOLAS Mapear percepções de Professores, Pais e Alunos de São Paulo sobre o que

Leia mais

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Fundação Euclides da Cunha FEC/Data UFF Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS P.L.L. Nº 082/02 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em diferentes artigos, trazem a discussão que subsidia a argumentação

Leia mais

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS

O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS O USO DE PROJETOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS Andreza Olivieri Lopes Carmignolli1 UNESP Eva Poliana Carlindo2 UNESP Grupo de Trabalho Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não

Leia mais

PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL

PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL ARTIGO PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL Flávio Petrônio Cabral de Castro Docente da Escola Estadual Antonia Rangel

Leia mais

O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância

O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância e necessidade do uso de tecnologias no trabalho escolar

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

Plano de Aula: Caderno de Receitas Saudáveis

Plano de Aula: Caderno de Receitas Saudáveis Objetivos: Escrever um caderno de receitas saudáveis para ser utilizado tanto na escola como em casa. Conteúdos: Meio Ambiente e Saúde: valorização e prática de dieta saudável. Língua Portuguesa: escrita

Leia mais

BRINCANDO DE ATOR: UMA PEÇA DE TEATRO SOBRE A ÁGUA

BRINCANDO DE ATOR: UMA PEÇA DE TEATRO SOBRE A ÁGUA BRINCANDO DE ATOR: UMA PEÇA DE TEATRO SOBRE A ÁGUA Elvis Alves de Oliveira 1 Maria José Mourato 1 Ana Patrícia Santos da Silva 1 Lisângela Costa dos Santos 2 1-Bolsistas PIBID Ciências-CAV 2- Supervisora

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO FERRAMENTA PARA UM ENSINO SIGNIFICATIVO

A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO FERRAMENTA PARA UM ENSINO SIGNIFICATIVO A MODELAGEM MATEMÁTICA COMO FERRAMENTA PARA UM ENSINO SIGNIFICATIVO Ranieri Miranda Imperatori (IF-Sudeste/Rio Pomba) Silvana Lucas Bomtempo Matos (IF-Sudeste/Rio Pomba) RESUMO Este artigo tem como objetivo,

Leia mais

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA,

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, Giana²; GÖRSKI, Bruna²; PAZ, Fabiane²; ORSOLIN, Giulianna²; ROSA, Izabel²; TONETTO, Priscila²; SACCOL, Ana Lúcia de Freitas² ¹ Trabalho desenvolvido durante

Leia mais

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II DA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II DA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II DA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL VIDAL DE NEGREIROS CUITÉ/PB Fabíola da Cruz Martins UFCG fabiolaa--@hotmail.com 1 ; Renato Cristiano

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

4.00.00.00-1 CIÊNCIAS DA SAÚDE NUTRIÇÃO 4.05.00.00-4

4.00.00.00-1 CIÊNCIAS DA SAÚDE NUTRIÇÃO 4.05.00.00-4 4.00.00.00-1 CIÊNCIAS DA SAÚDE NUTRIÇÃO 4.05.00.00-4 AVALIAÇÃO DO PERFIL NUTRICIONAL E ANTROPOMÉTRICO DE PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE MARINGÁ Pr. Débora Janaina Aymoré;

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio Afonso Henrique Leonardo da Conceição e-mail: afonso.conceicao_dc@hotmail.com Tatiane Cristina Camargo e-mail: tatianecamargo.ferreira@gmail.com

Leia mais

VIOLÊNCIA NO ESPAÇO ESCOLAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DA ESCOLA CAMPO

VIOLÊNCIA NO ESPAÇO ESCOLAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DA ESCOLA CAMPO VIOLÊNCIA NO ESPAÇO ESCOLAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DA ESCOLA CAMPO Franscimere Cordeiro de Souza franscimere@gmail.com Nayara Katiucia de Lima Domingues Dias nanalima1923@hotmail.com Maria Geralda de Almeida

Leia mais

Renata de Araujo Ferreira Especialista - GGPRO/ANVISA GGPRO

Renata de Araujo Ferreira Especialista - GGPRO/ANVISA GGPRO Mesa Redonda 15 de outubro de 2009 Regulamentação da publicidade de alimentos Renata de Araujo Ferreira Especialista - /ANVISA Perfil da Publicidade de Alimentos no Brasil: Monteiro,R. A. 2009: - Analisou

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 07/2011 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E DE SAÚDE DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA 07/2011 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E DE SAÚDE DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 07/2011 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E DE SAÚDE DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO Estabelece os procedimentos para a avaliação nutricional e saúde dos profissionais da educação. 1. DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS Vanessa dos Santos Ortega Jéssica de Paula Francisco Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO As crianças estão entre as populações

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ

PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX DIRETORIA DE PROGRAMAS SOCI PLANO DE AÇÃO 2012 PROJETO ALFABETIZAÇÃO CIDADÃ Gestora do Projeto: Gleice Amélia Gomes Lemos 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 JUSTIFICATIVA... 4 RECURSOS

Leia mais

ATUAÇÃO DO PET NUTRIÇÃO NA COMUNIDADE

ATUAÇÃO DO PET NUTRIÇÃO NA COMUNIDADE ATUAÇÃO DO PET NUTRIÇÃO NA COMUNIDADE SANT ANA 1, Rita de Cássia Oliveira; ZANI 1, Karine; CUSTÓDIO 1, Isis Danyelle Dias; BELING 1, Maria Tereza Cordeiro; SILVEIRA 1, Lívia Tibiriçá; MARQUES 1, Emanuele

Leia mais

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com.

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com. - SECRETARIA DE SAÚDE - SÃO TIAGO MINAS GERAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 04 A 19 ANOS 1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE

Leia mais

ACESSO E USO DE BASES PÚBLICAS DE DADOS SECUNDÁRIOS EM NUTRIÇÃO E SAÚDE: PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE, 2013

ACESSO E USO DE BASES PÚBLICAS DE DADOS SECUNDÁRIOS EM NUTRIÇÃO E SAÚDE: PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE, 2013 ACESSO E USO DE BASES PÚBLICAS DE DADOS SECUNDÁRIOS EM NUTRIÇÃO E SAÚDE: PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE, 2013 CRISTIANO SIQUEIRA BOCCOLINI - ICICT/Fiocruz cristiano.boccolini@icict.fiocruz.br Concepção Metodologia

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Educação Física - Licenciatura

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Educação Física - Licenciatura EMENTÁRIO ANATOMIA I Ementa:. Estudo da forma, estrutura, função e localização de órgãos que compõem os sistemas que formam o aparelho locomotor: sistema esquelético, sistema articular, sistema muscular

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA Resumo MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA Clara Celina Ferreira Dias Universidade Federal de Santa Maria UFSM claracelinafd@professor.rs.gov.br

Leia mais