Intolerância à lactose: diagnóstico e conduta clínica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Intolerância à lactose: diagnóstico e conduta clínica"

Transcrição

1 Intolerância à lactose: diagnóstico e conduta clínica

2

3 Biossíntese da lactase no enterócito do intestino delgado 1- gene RNAm 2- pré-enzima 3- glicosilada 4- forma dímero 5- perde fragmentos 6- expressada na borda em escova enterócito Troelsen JT. Adult-type hypolactasia and regulation of lactase expression. Biochim Biophys Acta 2005; 1723:19-32.

4 Dahlqvist A. Anal Biochem 1968, 22: Mattar R, Mazzo DFC, Carrilho FJ. Clin Exp Gastroenterol 2012; 5: Atividade da lactase Menor no duodeno, jejuno distal e íleo Diagnóstico por biópsia jejunal Primeiro método diagnóstico, muito invasivo. Atividade no duodeno menor, pouco confiável. Maior a partir do jejuno proximal

5 Teste de tolerância à lactose-curva Glicemia de jejum glicêmica Ingere lactose dose de 50g (~ 1 litro de leite) Curva glicêmica- 15, 30, 60 e 90min. Aumento menor de 20 mg/dl na glicemiasugere má digestão de lactose, pode se acompanhar de sintomas. Sensibilidade 78%, especificidade 93% Hovde O, Farup PG. BMC Gastroenterol 2009;9:82.

6 Lactose não digerida pela lactase, chega no intestino grosso Flora intestinal Fermenta lactose em H 2, metano, CO 2 e ácidos orgânicos. SINTOMAS INTOLERÂNCIA Flatulência, borborigmos, distensão, cólica e eventualmente diarreia He T, et al. Colonic fermentation may play a role in lactose intolerance in humans. Nutr.J 2006;136:

7 Sintomas- outras causas Feijão, brócolis, batata, couve-flor, cebola- rafinose e estaquiose, o intestino humano não produz enzimas que os digerem; Produtos dietéticos que são usados como adoçantes, sucralose, manitol, sorbitol; Fibras e suplementos de fibras. Síndrome do intestino irritável e supercrescimento bacteriano (inibidores de secreção ácida gástrica, por exemplo omeprazol). É necessário fazer diagnóstico, se a causa dos sintomas é a hipolactasia. Evita a retirada desnecessária do leite e demais produtos lácteos com consequências futuras nos ossos. Mattar R, Mazzo DFC, Carrilho FJ. Clin Exp Gastroenterol 2012; 5:113-21; Johnson DA. Belching, bloating, and flatus: helping the patient who has intestinal gas. Medscape gastroenterology

8 ppm Teste respiratório do hidrogênio para tolerância à lactose. 1- Preparo, dieta, não pode fumar, jejum 2- desafio 25 g lactose 3- amostras ar expirado Positivo Negativo 4- demorado 5- provoca sintomas 6- laborioso realizado por médico

9

10 - 9 famílias finlandesas com hipolactasia; - análise de haplótipos com marcadores de microssatélite no intervalo 47kb no 2q21, - identificaram alelo polimórfico LCT-13910C>T distante do gene da lactase associado com a hipolactasia primária. - estudo em diversos grupos populacionais europeus, asiáticos e americanos mostrou associação completa do LCT-13910C>T com hipolactasia e lactase persistente. Enattah NS et al. Nat Genet 2002; 30:

11 Genótipos Teste respiratório - Teste respiratório + Total CC 1 (3.6%) 27 (96.4%) 28 (56%) CT (38%) TT 3 3 (6%) Total 23 (46%) 27 (54%) 50 (100%) 50 adultos brasileiros, 38 caucasianos e 12 de origem africana Genético- 100% sensibilidade e 96% especificidade A concordância com o teste respiratório foi quase perfeita (Índice Kappa=0,96, p<0,0001). Vantagens- sem preparo, dispensa jejum, simples coleta de sangue, não provoca sintomas.

12 Genótipos Brancos Mulatos Negros Japoneses Total CC 226 (56,6) 37 (56,9) 40 (80) 53 (100) 356 (62,8) CT 149 (37,3) 26 (40) 8 (16) 183 (32,3) TT 24 (6) 2 (3,1) 2 (4) 28 (4,9) CT e TT 173 (43,4) 28 (43,1) 10 (20) a None a 211 (37,2) Total 399 (100) 65 (100) 50 (100) 53 (100) 567 (100) a p<0,01

13 Japoneses LCT-22018GA LCT-22018GG Total LCT-13910CC 3 (5.4%) 53 (94.6%) 56 (100%)

14 Detecção molecular de hipolactasia PCR-RFLP HinfI HhaI

15 Distribuição dos polimorfismos de persistência da lactase no mundo. LCT C>T LCT-22018G>A/-13910CC LCT-13915T>G LCT G>C LCT C>G Mattar R, Mazzo DFC, Carrilho FJ. Clin Exp Gastroenterol 2012; 5:

16 Stephen P Wooding A capacidade de digerir a lactose na idade adulta é um traço evolutivo recente que surgiu em alta frequência em algumas populações, coincidindo com a domesticação do gado. Um novo estudo mostra que variantes responsáveis por este traço surgiram independentemente em Europeus e Africanos. NATURE GENETICS VOLUME 39 NUMBER 1 JANUARY 2007

17 Comparison of Quick Lactose Intolerance Test in duodenal biopsies of dyspeptic patients with LCT-13910C>T genotypes. Rejane Mattar, Anibal Basile-Filho, Rafael Kemp, José Sebastião dos Santos FMRP-USP, FMUSP submetido para a publicação 2 Biópsias do duodeno (pós bulbar)- 2 mm cada, obtidas durante endoscopia digestiva alta.

18

19 Questionário alimentar ingestão de alimentos com lactose e presença de sintomas Tipo de alimento ingerido e presença de sintomas SIM NÃO Leite Leite condensado Creme de leite, chantilly Sorvete e milk shake Pudim Manteiga, margarina Iogurte Queijos Salsicha branca Bolos em geral, bolachas, chocolates Pizzas, massas Sopas cremosas

20 Associação dos sintomas após ingestão de alimentos com lactose e genótipos de hipolactasia e lactase persistente, p=0,062. Sintomas Genótipo hipolactasia Genótipo lactase persistente Total SIM NÃO Total Associação dos sintomas após ingestão de alimentos com lactose e resultado do Quick Test (fenótipo), p<0,05. Sintomas Normolactasia Hipolactasia leve Hipolactasia severa Total SIM (31%) NÃO Total

21 Dados demográficos dos pacientes com sintomas e resultados do Quick Test e genótipos LCT-13910C>T. Idade Gênero Raça Sintomas Hipolactasia Genótipo 27 F Caucasiano Leite, produtos lácteos Severa CC 38 F Africano Leite, produtos lácteos Severa CC 27 M Caucasiano Leite, produtos lácteos Severa CC 46 M Africano Leite Severa CC 55 F Africano Leite, produtos lácteos Severa CC 51 F Caucasiano Leite, produtos lácteos Leve CC 46 F Caucasiano Leite Normolactasia CT 58 F Africano Queijo e massas Severa CC 44 F Caucasiano Leite Severa CC 71 F Africano Leite grande volume Severa CC

22 Concordância dos genótipos com o Quick Test Quick Test/Genótipos Normolactasia Hipolactasia leve Hipolactasia severa Genótipo CC (Hipolactasia) Genótipo CT (Persistente) 6 1 Genótipo TT (Persistente) 3 100% sensibilidade e 90% especificidade. A concordância com o exame genético foi quase perfeita (Índice Kappa=0,92, p<0,0001).

23 Conduta clínica- manter os produtos lácteos Restrição inicial, introduzir lactose sintomas. Leite até 1 copo bem tolerado com refeições. Leite com baixo teor de lactose, coalhada e queijos têm baixo teor lactose, bem tolerados. Lactase com certos alimentos. Mattar R, Mazzo DFC, Carrilho FJ. Clin Exp Gastroenterol 2012; 5:113-21

24 Obrigada Dra. Rejane Mattar- médica assistente do Laboratório de Provas Funcionais do Aparelho Digestivo do Serviço de Gastroenterologia Clínica Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar 155, 2 andar, BLOCO 6 São Paulo, SP, EQUIPE DE COLABORADORES Telefone:

Intolerância à Lactose

Intolerância à Lactose Intolerância à Lactose A intolerância à lactose é a condição que se refere aos sintomas decorrentes da má digestão da lactose. Esta situação ocorre quando o organismo não produz lactase suficiente, uma

Leia mais

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

INTOLERÂNCIA À LACTOSE INTOLERÂNCIA À LACTOSE e produtos lácteos com baixo teor de lactose A lactose (galactose β-1,4 glucose) é um tipo de glicídio que possui ligação glisídica. É o açúcar presente no leite e seus derivados.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Nelson Marchezan Junior) Torna obrigatória a informação sobre a presença de lactose nas embalagens ou rótulos de alimentos, bebidas e medicamentos. O Congresso Nacional

Leia mais

Conduta dietética na intolerância à lactose

Conduta dietética na intolerância à lactose UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA DISCIPLINA DE GASTROENTEROLOGIA PEDIÁTRICA Conduta dietética na intolerância à lactose Karina Akemi Yamasaki Nutricionista Especializanda Disciplina

Leia mais

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

INTOLERÂNCIA À LACTOSE INTOLERÂNCIA À LACTOSE Intolerância à lactose é a incapacidade ou dificuldade de digerir o açúcar natural (lactose) contido no leite e seus derivados. Ocorre como resultado da deficiência ou ausência de

Leia mais

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA No dia-a-dia de um consultório de alergia é muito comum o cliente chegar achando que seu problema alérgico está relacionado à alergia alimentar, principalmente quando

Leia mais

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR?

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? ALGUMAS SUGESTÕES CURIOSIDADES: SABIAS QUE A ORIGEM DO IOGURTE No período 10.000

Leia mais

Departamento do Agronegócio. AgroLegis. Federal. Acompanhamento de Legislações. 24 de junho de 2014 Edição 137. Documento Interno

Departamento do Agronegócio. AgroLegis. Federal. Acompanhamento de Legislações. 24 de junho de 2014 Edição 137. Documento Interno Departamento do Agronegócio AgroLegis Acompanhamento de Legislações 24 de junho de 2014 Edição 137 Documento Interno Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Presidente: Paulo Skaf Departamento

Leia mais

DESVENDANDO 8 MITOS SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE

DESVENDANDO 8 MITOS SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE 1 DESVENDANDO 8 S SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE 2 3 Conhecendo a INTOLERÂNCIA À LACTOSE DESVENDANDO S Contém lactose A lactose, encontrada no leite e seus derivados é um carboidrato, e é conhecida popularmente

Leia mais

Nossa Linha de Produtos

Nossa Linha de Produtos Nossa Linha de Produtos PerSHAKE Chocolate e Baunilha Fonte de proteína de soja, vitaminas, minerais e fibras. 0% Gordura, 0% Açúcar e 0% Sódio. A alimentação equilibrada vai além do bom funcionamento

Leia mais

QUICHE LORRAINE PETIT-FOUR DE CHOCOLATE. Integral. Integral INGREDIENTES: MODO DE FAZER:

QUICHE LORRAINE PETIT-FOUR DE CHOCOLATE. Integral. Integral INGREDIENTES: MODO DE FAZER: QUICHE LORRAINE Massa: - 1 clara de ovo - 3 colheres de sopa de manteiga - 3 colheres de sopa de óleo - 3 colheres de sopa de azeite - Farinha de trigo (até dar o ponto) Recheio: - 4 ovos inteiros - 1

Leia mais

Análise molecular da hipolactasia primária do tipo adulto: uma nova visão do diagnóstico de um problema antigo e frequente

Análise molecular da hipolactasia primária do tipo adulto: uma nova visão do diagnóstico de um problema antigo e frequente ARTIGO ESPECIAL Análise molecular da hipolactasia primária do tipo adulto: uma nova visão do diagnóstico de um problema antigo e frequente Molecular analysis of adult-type hypolactasia: a new view into

Leia mais

CARBOIDRATOS. Prof. Esp. Manoel Costa Neto

CARBOIDRATOS. Prof. Esp. Manoel Costa Neto CARBOIDRATOS Prof. Esp. Manoel Costa Neto OBJETIVOS Definição e classificação; Funções dos carboidratos no organismo; Digestão, absorção e transporte de seus derivados no plasma; Descrição de vias metabólicas

Leia mais

MEMÓRIA FINAL DE CURSO

MEMÓRIA FINAL DE CURSO Licenciatura em Ciências da Nutrição MEMÓRIA FINAL DE CURSO Volume II Elaborado por Carla Tomás Aluno nº 200992055 Orientadores: Professora Doutora Piedade Sande Lemos e Doutora Maria Ana Carvalho Barcarena

Leia mais

Orientação ao paciente. Doença de Crohn

Orientação ao paciente. Doença de Crohn Orientação ao paciente Doença de Crohn Índice O QUE É a Doença de Crohn?... 04 O quão FREQUENTE é a Doença de Crohn?... 04 A Doença de Crohn é CONTAGIOSA?... 04 Qual a sua CAUSA?... 05 Quais os sintomas

Leia mais

Como Prescrever Enzimas Digestivas

Como Prescrever Enzimas Digestivas Como Prescrever Enzimas Digestivas Pancreatina Reduz Sintomas de Má- Absorção na Insuficiência Pancreática Lipase Reduz Esteatorreia Associada à Insuficiência Pancreática Lactase Promove Redução Maior

Leia mais

Biologia I. Sistema Digestório. Módulos 3 e 4: Digestão Humana I e II. Prof a. Fabíola Martins

Biologia I. Sistema Digestório. Módulos 3 e 4: Digestão Humana I e II. Prof a. Fabíola Martins Biologia I Sistema Digestório Módulos 3 e 4: Digestão Humana I e II Prof a. Fabíola Martins 1- Sistema digestório humano 1.1-Tubo digestório: Cavidade bucal faringe esôfago estômago Intestino delgado Intestino

Leia mais

O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO

O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO O sistema digestivo é um dos componentes essenciais do nosso organismo. Segundo um inquérito recente, as pessoas manifestam grande interesse nas questões

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA Jamile Batista Rocha Graduanda em Nutrição Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Rafaela Ribeiro de

Leia mais

CONSTIPÇÃO INTESTINAL

CONSTIPÇÃO INTESTINAL AEROFAGIA A maior parte do gás intestinal é constituída de cinco gases: N², O², CO², H² e CH4 {metano}. O indivíduo normal usualmente elimina menos de 100ml de gás por hora. Se esta quantidade for excedida,

Leia mais

DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS

DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS DIGESTÃO E SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES = Ingestão e Digestão = Alimentos = Absorção = Nutrientes = Eliminação = Restos (não-digeridos / não-absorvidos) 1. Mecânicos

Leia mais

COMPLICAÇÕES DIGESTIVAS DE CRIANÇAS COM CDG

COMPLICAÇÕES DIGESTIVAS DE CRIANÇAS COM CDG COMPLICAÇÕES DIGESTIVAS DE CRIANÇAS COM CDG As crianças com CDG têm frequentemente queixas digestivas e problemas nutricionais. As causas não estão bem esclarecidas, são múltiplas e em última análise,

Leia mais

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010.

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1 * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. NAS OPERAÇÕES COM PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Acrescentado pelo DECRETO nº 26.258 de 30.12.2009 DOE: 30.12.2009

Leia mais

Queijo cremoso e maionese Adicione a sanduíches, bagels, biscoitos e fruta

Queijo cremoso e maionese Adicione a sanduíches, bagels, biscoitos e fruta Adição de calorias e de proteínas à sua dieta Princess Margaret Increasing Calories and Protein in Your Diet - Portuguese Para pacientes com dificuldades em comer durante os tratamentos oncológicos Este

Leia mais

Objectivos pedagógicos

Objectivos pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) Os Micróbios O capítulo 1.2, Micróbios Inofensivos, chama a atenção para o facto

Leia mais

Nutrição Normal: Carboidratos. Histórico. Monossacarídeos. Características químicas Estrutura química

Nutrição Normal: Carboidratos. Histórico. Monossacarídeos. Características químicas Estrutura química Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Nutrição Nutrição Normal: Carboidratos Daniela Saes Sartorelli Histórico Principal fonte de energia utilizada pelos seres vivos. Seres

Leia mais

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa?

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa? Hérnia de Hiato e Refluxo Gastroesofágico. Atualmente cresce o número de pessoas que estão apresentando sintomas relativas ao aparelho digestivo, como má digestão ou sensação de queimação no estômago entre

Leia mais

Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia

Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia Os tratamentos de quimioterapia e radioterapia geralmente causam diversos efeitos colaterais que, apesar de serem temporários,

Leia mais

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões:

Recuperação. Células tecidos órgãos sistemas. - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: Recuperação Capítulo 01 - Níveis de organização Células tecidos órgãos sistemas - As células são as menores unidades vivas e são formadas por três regiões: A- Membrana Plasmática - Revestimento da célula;

Leia mais

E L R O R B ETSE SO L O R C FALAS O VAM

E L R O R B ETSE SO L O R C FALAS O VAM SOBRE COLESTEROL VAMOS FALAR COLESTEROL O nome colesterol vem do grego e significa cálculo biliar. Ele foi batizado pelo químico francês Michel Eugene Chevreul, em 1815. Presente nas gorduras animais,

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010 Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.010 D.O.U.: 10.08.010 Altera o Protocolo ICMS 8/09, que dispõe sobre a substituição

Leia mais

Dieta Sólida Recomendações:

Dieta Sólida Recomendações: Dieta Sólida Sua dieta voltará a ter consistência normal, porém, de agora em diante, siga uma alimentação adequada, tanto em quantidade quanto em qualidade. Inclua fontes de vitaminas, minerais e proteínas

Leia mais

Cachorro Quente de Forno

Cachorro Quente de Forno Cachorro Quente de Forno 2 xícaras (chá) de farinha de trigo 2 xícaras (chá) de leite 2 ovos 3 colher de sopa de fermentem pó 100 g de queijo parmesão ralado Recheio: 8 salsichas cozidas e picadas 1 cebola

Leia mais

BIOLOGIA Nutrição e digestão

BIOLOGIA Nutrição e digestão Módulo 29 Página 29 à 41 MORFOFISIOLOGIA É o estudo da estrutura e do funcionamento do corpo humano Sobre os sistemas dos animais: Finalidade Importância Sobre os filos: As adaptações Aspectos gerais da

Leia mais

XXV REUNIÃO SOCIEDADE PORTUGUESA DE GASTRENTEROLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA

XXV REUNIÃO SOCIEDADE PORTUGUESA DE GASTRENTEROLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA XXV REUNIÃO SOCIEDADE PORTUGUESA DE GASTRENTEROLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA O polimorfismo C/T-13910 como teste genético para o diagnóstico de hipolactasia tipo adulto em crianças João Nascimento 1, Pierre

Leia mais

Dicas para comer quando tem feridas na boca e dores de garganta

Dicas para comer quando tem feridas na boca e dores de garganta Dicas para comer quando tem feridas na boca e dores de garganta UHN Eating Tips for Sore Throat and Mouth Portuguese Para pacientes que têm feridas na boca e dores de garganta durante o tratamento oncológico.

Leia mais

Alimentação Saudável! Faça mais pela sua Saúde!

Alimentação Saudável! Faça mais pela sua Saúde! Alimentação Saudável! Faça mais pela sua Saúde! Alimentação Saudável! Faça mais pela sua Saúde! Ficha Técnica Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Produção Gráfica: Propriedade: Alimentação

Leia mais

Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico

Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico Cuidado nutricional no tratamento quimioterápico Centro Regional de Hematologia e Oncologia Importância da alimentação durante o tratamento do câncer Cuidar da alimentação durante a vida é importante

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg I - CHOCOLATES 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1704.90.10 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior 1806.31.10 ou igual a 1kg 1806.31.20

Leia mais

O que comer quando não tem apetite

O que comer quando não tem apetite O que comer quando não tem apetite Princess Margaret What to eat when you don t feel like eating Portuguese Para pacientes que têm falta de apetite devido ao cancer e seu tratamento Please visit the UHN

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 00/00/12 00/00/12 00/00/12 01/03/12 02/03/12

CARDÁPIO ESCOLAR 00/00/12 00/00/12 00/00/12 01/03/12 02/03/12 00/00/12 00/00/12 00/00/12 01/03/12 02/03/12 PÊRA FEIJÃO, QUIBE ASSADO, REPOLHO ROXO REFOGADO E SALADA DE ESPINAFRE E SOBREMESA: AMEIXA TORTA BURACO (Atum e azeitona preta) PANQUECA DE FRANGO COM BRÓCOLIS,

Leia mais

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA "Deus seja Louvado"

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA Deus seja Louvado PROJETO DE LEI Nº /2015 EMENTA: DISPÕE SOBRE CRIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO DIFERENCIADA PARA ALUNOS ALÉRGICOS NA REDE DE ENSINO MUNICIPAL DE VILA VELHA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal

Leia mais

Biologia. 8 o ano. Caderno 2

Biologia. 8 o ano. Caderno 2 Biologia 8 o ano Caderno 2 Módulos 7 e 8 1 A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do grau de acidez do meio. Observe o gráfico e responda: Qual curva representa o local da ação da

Leia mais

BIOLOGIA AULA 03. c) diabetes tipo II. d) hipertensão arterial.

BIOLOGIA AULA 03. c) diabetes tipo II. d) hipertensão arterial. BIOLOGIA Prof. Hélder Telles AULA 03 1. (Fgv 2015) O pâncreas é uma glândula anfícrina, ou seja, com dupla função, desempenhando um papel junto ao sistema digestório na produção de enzimas, tais como amilases

Leia mais

Residência Saúde 2012. Nutrição Clínica. Discursiva C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL

Residência Saúde 2012. Nutrição Clínica. Discursiva C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Nutrição Clínica Discursiva Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito - Prova Discursiva 31/10/2011

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino SISTEMA DIGESTÓRIO Quitéria Paravidino PROCESSOS DIGESTÓRIOS Ingestão:captar alimento pela boca; Mistura e movimentação do alimento:contrações musculares misturam o alimento e as secreções e movimentam

Leia mais

1,ROT000LO :11_ SP :8/NOW201: 18:52 10006715

1,ROT000LO :11_ SP :8/NOW201: 18:52 10006715 1,ROT000LO :11_ SP :8/NOW201: 18:52 10006715 / PROJETO DE LEI N 3/-3 /2013 ITUI A SEMANA DE PREVENÇÃO E CO ROLE DA DIABETE E COLESTEROL NO M ICÍPIO DE LIMEIRA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". Art. 1 - Fica instituída

Leia mais

Anexo A. Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas

Anexo A. Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas Anexo A Descrição e especificação dos tipos de dietas de refeições confeccionadas I) As dietas abaixo referidas deverão cumprir com as especificações do anexo B (Capitações máximas dos alimentos de refeições

Leia mais

A organização do sistema digestório

A organização do sistema digestório A organização do sistema digestório Dentes Boca Língua Esôfago Faringe Gland. Salivares Sistema digestório Fígado Vesícula Biliar Estômago Pâncreas Int. Delgado Int. Grosso Apêndice vermiforme Reto Baço

Leia mais

Portuguese Summary. Resumo

Portuguese Summary. Resumo Portuguese Summary Resumo 176 Resumo Cerca de 1 em 100 indivíduos não podem comer pão, macarrão ou biscoitos, pois eles têm uma condição chamada de doença celíaca (DC). DC é causada por uma das intolerâncias

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM

RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM FOI EM 2008 QUE O HOTEL REAL PALÁCIO CRIOU UM BOMBOM FEITO DE AMOR VERDADEIRO. Sobremesa de

Leia mais

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

INTOLERÂNCIA À LACTOSE INTOLERÂNCIA À LACTOSE Flávio Antonio Quilici Alessandra Missio Nutricionista do HMCP da PUC Campinas Introdução Os carboidratos são macronutrientes essenciais para uma alimentação equilibrada e saudável.

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

Diet & Light VIVA COM MAIS SAÚDE OFERTAS VÁLIDAS DE 3/02/2016 A 22/02/2016. Sem perigo de pesar na balança: Frango com granola e linhaça dourada.

Diet & Light VIVA COM MAIS SAÚDE OFERTAS VÁLIDAS DE 3/02/2016 A 22/02/2016. Sem perigo de pesar na balança: Frango com granola e linhaça dourada. Diet & Light OFERTAS VÁLIDAS DE 3/02/2016 A 22/02/2016 VIVA COM MAIS SAÚDE Conheça os alimentos que podem auxiliar no funcionamento do cérebro Brownie funcional: sem lactose e glúten. As vantagens dos

Leia mais

MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO LANCHE LANCHE LANCHE

MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO LANCHE LANCHE LANCHE MENÚ 1 SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA CRECHE Sopa de Bróculos Empadão de Carne Pêra Puré de Abóbora Massada de Peixe Sala Verde Sala Azul Sala Verde Sala Azul Cerelac Leite e Pão Pápa de Iogurte e Pão c/ Chocolate

Leia mais

1.2 Microrganismos Micróbios Bons

1.2 Microrganismos Micróbios Bons 1.2 Microrganismos Micróbios Bons Ligação ao Currículo Nacional 2ª Fase Principal Ciências 1: 1a, 1b, 2a, 2b, 2c, 2d, 2g, 2j Ciências 2: 1a, 2b, 2g, 5f Unidade de Estudo Unidade 6 Microrganismos Tempo

Leia mais

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado APRESENTAÇÃO

Leia mais

Intestino Delgado. Bárbara Andrade Silva Allyson Cândido de Abreu

Intestino Delgado. Bárbara Andrade Silva Allyson Cândido de Abreu Intestino Delgado Bárbara Andrade Silva Allyson Cândido de Abreu Irrigação do Intestino Delgado Duodeno Artérias duodenais Origem Irrigação Duodeno proximal Duodeno distal Anastomose Jejuno e íleo

Leia mais

ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS

ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS Fabiana Silva Rodrigues Gasparin Docente Mestre do Departamento de Farmácia e Nutrição do Centro Universitário

Leia mais

COLONOSCOPIA UNIDADE DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA. Dr. Pedro Moutinho Ribeiro

COLONOSCOPIA UNIDADE DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA. Dr. Pedro Moutinho Ribeiro UNIDADE DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA Dr. Pedro Moutinho Ribeiro COLONOSCOPIA A colonoscopia é um exame que tem como objectivo a observação do recto e do intestino grosso (cólon), na sua totalidade (COLONOSCOPIA

Leia mais

PRODIETNUTRICAO.COM.BR. 0800 702 8845 faleconosco@prodietnutricao.com.br

PRODIETNUTRICAO.COM.BR. 0800 702 8845 faleconosco@prodietnutricao.com.br PRODIETNUTRICAO.COM.BR 0800 702 8845 faleconosco@prodietnutricao.com.br índice Limonada Suíça Vitamina com Morango Frapê de chocolate Cremoso de Baunilha Shake DE Coco 4 Energyzip Tropical I Batido de

Leia mais

Tortas Salgadas. Bolo de Batata. Ingredientes: - 1 Kg batata cozida. - sal. - pimenta-do-reino. - 2 colheres de sopa de margarina

Tortas Salgadas. Bolo de Batata. Ingredientes: - 1 Kg batata cozida. - sal. - pimenta-do-reino. - 2 colheres de sopa de margarina Tortas Salgadas Bolo de Batata Ingredientes: - 1 Kg batata cozida - sal - pimenta-do-reino - 2 colheres de sopa de margarina - 1 xícara de queijo ralado - 3 colheres de sopa de maisena 1 / 27 - 1 xícara

Leia mais

O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO

O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO 84 Manual do Desafio de Perda de Peso SECÇÃO CINCO: 6ª Semana: Apoio Digestivo O CONTROLO DE PESO COMEÇA COM UM BOM APOIO DIGESTIVO O sistema digestivo é um dos componentes essenciais do nosso organismo.

Leia mais

Prof Weber Ciências 7ºANO

Prof Weber Ciências 7ºANO Prof Weber Ciências 7ºANO O que é a digestão? É a transformação dos alimentos em moléculas menores para que possam ser absorvidos pelo nosso corpo. Acontece em um tubo chamado TUBO DIGESTÓRIO. O tubo digestório

Leia mais

RESPOSTA TÉCNICA. Título. Iogurte. Resumo. Informações sobre iogurte. Palavras-chave

RESPOSTA TÉCNICA. Título. Iogurte. Resumo. Informações sobre iogurte. Palavras-chave RESPOSTA TÉCNICA Título Iogurte Resumo Informações sobre iogurte. Palavras-chave Iogurte; lacticínio; bebida láctea; alimento; natural; sabores; leite Assunto 1052-0/00 - Fabricação de leite fermentado

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos Folheto informativo: Informação para o utilizador Acarbose Linacal 50 mg Comprimidos Acarbose Linacal 100 mg Comprimidos Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois

Leia mais

Estrutura Funcional do TGI. Fisiologia do Sistema Digestório. Função do trato gastrintestinal:

Estrutura Funcional do TGI. Fisiologia do Sistema Digestório. Função do trato gastrintestinal: Fisiologia do Sistema Digestório Organização Anatomofuncional e Funções do Trato Gastrintestinal Prof. Dr. Leonardo Rigoldi Bonjardim Prof. Adjunto do Depto. de Fisiologia- CCBS-UFS Material disponível

Leia mais

Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM. Profa Dra Milena Baptista Bueno

Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM. Profa Dra Milena Baptista Bueno Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM Profa Dra Milena Baptista Bueno Diabetes melitus A dieta adequada para pacientes diabéticos poderá reduzir

Leia mais

S I S T E M A A D I G E S T Ó R I O P r o f º Fe r n a n d o B e l a n - B I O L O G I A M A I S

S I S T E M A A D I G E S T Ó R I O P r o f º Fe r n a n d o B e l a n - B I O L O G I A M A I S SISTEMA DIGESTÓRIO Profº Fe r n a n d o Belan - BIOLOGIA MAIS DIGESTÃO INTRACELULAR DIGESTÃO INTRACELULAR DIGESTÃO EXTRACELULAR DIGESTÓRIO INCOMPLETO Cnidários Platelmintos DIGESTÓRIO COMPLETO Nematelmintos

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia.

O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. REVISTA ELETRÔNICA O programa Meu Prato Saudável é um modelo nutricional que serve como referência para uma alimentação saudável nas principais refeições do dia. Nem toda gordura é ruim! Entenda a intolerância

Leia mais

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral Bolinho de amor 1 pitada de carinho 2 colheres de mel 3 colheres de doçura 4 Colheres de paixão 5 Colheres de amor a gosto 6 Colheres de dedicação Modo de Preparo: Faça a mistura de carinho, mel, doçura.

Leia mais

Gordura. Monoinsaturada

Gordura. Monoinsaturada No contexto de uma alimentação saudável, as gorduras provenientes de diferentes alimentos são essenciais ao bom funcionamento do nosso organismo e, quando consumidas nas proporções recomendadas (não excedendo

Leia mais

LEITE UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO

LEITE UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE GRADUAÇAO EM NUTRIÇÃO DISCIPLINA DIETÉTICA I CONCEITO LEITE O leite é o produto da secreção das glândulas mamárias dos mamíferos. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS O leite é

Leia mais

AS MELHORES RECEITAS para a Bimby

AS MELHORES RECEITAS para a Bimby AS MELHORES RECEITAS para a Bimby Clube Top Chefe edição limitada Bolo de Chocolate com Calda 200 gr de farinha 50 gr chocolate em pó 200 gr de açucar 100 gr de margarina derretida 200 gr leite 3 ovos

Leia mais

Hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis

Hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis Hábitos alimentares e estilo de vida saudáveis Fabrille Carneiro Corrêa Nutricionista CRN 08101589 E-MAIL: fabrillenut@ig.com.br Tel: 9877-6593 O QUE É SAÚDE? "Saúde é um estado de completo bem-estar físico,

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 1 a SEMANA: CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 2 a 03/08/2015 Mini francês com margarina Banana picado Frango em Cubos com Legumes Abobrinha refogada Cenoura salteada no alho e manteiga Farofa Brasileira

Leia mais

Unidade: Cie-Curitiba Curso: Técnico em Radiologia Temas: Esofagografia EED Uretrocistografia Miccinonal

Unidade: Cie-Curitiba Curso: Técnico em Radiologia Temas: Esofagografia EED Uretrocistografia Miccinonal Unidade: Cie-Curitiba Curso: Técnico em Radiologia Temas: Esofagografia EED Uretrocistografia Miccinonal Nomes: Marcia R. Gzeckailo, Denise Bonatti, Katy Carolina R. Rossetto, Claudineia Mancias Turma:

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

SISTEMA DIGESTIVO. Ciências Naturais 9º ano

SISTEMA DIGESTIVO. Ciências Naturais 9º ano SISTEMA DIGESTIVO Ciências Naturais 9º ano Digestão e Sistema Digestivo A digestão é o processo através do qual moléculas complexas dos alimentos são desdobradas, em moléculas mais simples que podem ser

Leia mais

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO ALIMENTAÇÃO NO VERÃO 1 - Quais os alimentos devem ser privilegiados no verão e quais devem ser evitados? Os alimentos que devem ser privilegiados no verão são as frutas, verduras e legumes, pois são ótimas

Leia mais

É fundamental ler com atenção as embalagens dos produtos que devem ter a informação: NÃO CONTÉM GLÚTEN. Mix de farinha sem glúten

É fundamental ler com atenção as embalagens dos produtos que devem ter a informação: NÃO CONTÉM GLÚTEN. Mix de farinha sem glúten Tema: Glúten O glúten é uma proteína presente em alguns grãos como trigo, cevada e centeio. A intolerância ao glúten de forma permanente é denominada doença celíaca. Nesse caso, o intestino apresenta dificuldade

Leia mais

Alimentação saudável

Alimentação saudável dicas Alimentação saudável O que é uma alimentação saudável? É aquela que tem todos os alimentos de que necessitamos, com variedade e equilíbrio. Para quem vive com HIV e aids, a alimentação adequada ajuda

Leia mais

Trato Digestivo do Suíno

Trato Digestivo do Suíno Trato Digestivo do Suíno Monogástrico onívoro com limitada fermentação pós-gástrica Estômago simples, incapaz de utilizar dietas ricas em forragem Incapaz de digerir algumas substâncias presentes em grãos,

Leia mais

Docinho de abacaxi...4 Cheesecake de goiabada...5 Pavê de doce de leite com amendoim...6 Torta de chocolate...7 Bolo de fubá...8 Pão de coco...

Docinho de abacaxi...4 Cheesecake de goiabada...5 Pavê de doce de leite com amendoim...6 Torta de chocolate...7 Bolo de fubá...8 Pão de coco... www.liquigas.com.br Docinho de abacaxi...4 Cheesecake de goiabada...5 Pavê de doce de leite com amendoim...6 Torta de chocolate...7 Bolo de fubá...8 Pão de coco...9 Cocada de forno...10 Petit gateau...11

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS 2014/01

CATÁLOGO DE PRODUTOS 2014/01 CATÁLOGO DE PRODUTOS 2014/01 2 A Lacticínios Tirol foi fundada em 1974, na maior colônia austríaca do país Treze Tílias (SC), com industrialização, na época, de 200 litros de leite por dia. Hoje, 40 anos

Leia mais

ANEXO C SUPLEMENTOS ALIMENTARES. CAPITAÇÃO Quantidade Unidade Açúcar D.I. 8 g Açúcar Kg 1 kg Adoçante D.I. (s/ciclamatos, DESIGNAÇÃO

ANEXO C SUPLEMENTOS ALIMENTARES. CAPITAÇÃO Quantidade Unidade Açúcar D.I. 8 g Açúcar Kg 1 kg Adoçante D.I. (s/ciclamatos, DESIGNAÇÃO ANEXO C SUPLEMENTOS ALIMENTARES DESIGNAÇÃO CAPITAÇÃO Quantidade Unidade Açúcar 8 g Açúcar Kg 1 kg Adoçante (s/ciclamatos, 1 saqueta s/sacarina) Água de Arroz 500 ml Água Gaseificada 250 ml Água Natural

Leia mais

DIGESTÃO HUMANA. Sistema Digestório. Professor: Fernando Stuchi. Enzimas Caminho da digestão Etapas da digestão

DIGESTÃO HUMANA. Sistema Digestório. Professor: Fernando Stuchi. Enzimas Caminho da digestão Etapas da digestão DIGESTÃO HUMANA 1. 2. 3. Enzimas Caminho da digestão Etapas da digestão Sistema Digestório Professor: Fernando Stuchi Dúvidas sobre Digestão Afinal o que é digestão? Conjunto de transformações físico-químicas

Leia mais

RECEITAS SEM GLÚTEN BOLO DE BANANA CARAMELADA

RECEITAS SEM GLÚTEN BOLO DE BANANA CARAMELADA RECEITAS SEM GLÚTEN BOLO DE BANANA CARAMELADA COBERTURA: 1/ 1/4 de xíc de água 06 bananas-nanicas maduras firmes, cortadas ao meio no sentido do comprimento Margarina para untar a fôrma. MASSA: 4 ovos

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

PLESONAX. (bisacodil)

PLESONAX. (bisacodil) PLESONAX (bisacodil) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimidos Revestidos 5mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: PLESONAX bisacodil APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos Embalagem contendo

Leia mais

Cozinhar com produtos Continente sem glúten. continente

Cozinhar com produtos Continente sem glúten. continente Cozinhar com produtos Continente sem glúten continente Índice 3 Mensagem da Associação Portuguesa de Celíacos 5 O que são produtos sem glúten? 6 Cuidados na confeção 8 Receitas 8 Entradas e Petiscos 13

Leia mais

SUBSTITUTOS DE LEITE ANIMAL PARA INTOLERANTES À LACTOSE

SUBSTITUTOS DE LEITE ANIMAL PARA INTOLERANTES À LACTOSE SUBSTITUTOS DE LEITE ANIMAL PARA INTOLERANTES À LACTOSE Thaís Naves Abath Matrícula: 10/07351 Orientadora: Raquel Botelho Brasília DF Março 2013 INTRODUÇÃO A maioria das mulheres inicia o aleitamento

Leia mais

Aula 13: Distúrbios gastrointestinais

Aula 13: Distúrbios gastrointestinais Aula 13: Distúrbios gastrointestinais Distúrbios gastrointestinais Distúrbios gastrointestinais são aqueles que afetam todo o tubo gastrointestinal e órgãos anexos; Os mais frequentes são: azia, gastrite,

Leia mais

MAPEAMENTO DA SAÚDE GASTRINTESTINAL DE MULHERES BRASILEIRAS E SEU IMPACTO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA

MAPEAMENTO DA SAÚDE GASTRINTESTINAL DE MULHERES BRASILEIRAS E SEU IMPACTO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA MAPEAMENTO DA SAÚDE GASTRINTESTINAL DE MULHERES BRASILEIRAS E SEU IMPACTO SOBRE A QUALIDADE DE VIDA Coordenado por: Parceria: 1. INTRODUÇÃO... 03 2. OBJETIVOS... 05 3. O ESTUDO... 06 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO...

Leia mais