INPE T U T O R I A L (EXERCÍCIOS PRÁTICOS) BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS. Setembro de 2001 DPI-INPE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INPE T U T O R I A L (EXERCÍCIOS PRÁTICOS) BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS. Setembro de 2001 DPI-INPE"

Transcrição

1 T U T O R I A L (EXERCÍCIOS PRÁTICOS) BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS JOÃO ARGEMIRO PAIVA EYMAR SILVA S. LOPES FERNANDO Y. YAMAGUCHI INPE Setembro de 2001 DPI-INPE

2 2 Cursos DPI -INPE

3 SINTAXE DOS COMANDOS Os procedimentos para realização dos exercícios práticos seguem a seguinte sintaxe: Descreve uma sequência de operações: #Comando a ser executado a partir do menu Iniciar do Windows [Função] - Opção do menu a selecionar {Nome: Nome a preencher} - Nome a preencher {Campo - Nome: Nome a preencher} - Nome de campo específico a preencher {Campo - Nome: Nome1 a preencher, Nome2 a preencher } - Nomes de campo (Botão) - Botão a selecionar (Campo Botão) - Botão de campo específico a selecionar (Lista Elemento) - Elemento de lista a selecionar (Lista Elemento1, Elemento2, Elemento3,...) - Elementos de lista não exclusiva a selecionar Janela - Janela de interface ativa * Ative um PI no Painel Comentário ou descrição de um procedimento a ser executado Os botões de atalho como Banco de Dados Windows. estão disponíveis somente na barra de ferramentas da versão IMPORTANTE Este tutorial é parte integrante da apostila de Banco de Dados Geográficos. DADOS para executar o tutorial: O aluno/usuário deve instalar em seu micro os dados para executar os exercícios contidos neste tutorial. Portanto, o arquivo tutor_bdg.exe deve ser executado. Para instalar os dados: Clique duplamente sobre o arquivo "tutor_bdg.exe ". Será solicitado o diretório c:\curso_bdg\ para instalar os dados. Clique em Próximo nas mensagens apresentadas. NOTA DE CRÉDITO: Parte dos dados deste tutorial foram fornecidos pela Prefeitura do Município de São Paulo (PMSP) em Julho de 2001, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) e da Secretaria Municipal do Planejamento Urbano (SEMPLA). Tais dados integram o "Atlas Ambiental do Minicípio de São Paulo" (www.prodam.sp.gov.br/svma/atlas_amb). INPE INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS INPE - 3

4 4 Cursos DPI -INPE

5 SUMÁRIO Exercício 1 - Definição de BD no Access...7 Exercício 2 - Consulta em SQL no Access...7 Exercício 3 - Consulta em SQL no Access...8 Exercício 4 - Projeto de Banco de Dados e Consulta...9 Exercício 5 - Consulta em SQL no Access...9 Exercício 6 - Junção de Tabelas no Access...10 Exercício 7 - Reconhecimento dos Mapas do mundo real...11 Exercício 8 - Reconhecimento do Universo de Representação dos Mapas...14 Exercício 8 - Modelagem com...17 Exercício 9 - Modelando um Banco da Dados Geográfico - Geo-OMT...23 Exercício 10 - Modelagem de um Banco de Dados Geográfico...24 Exercício 11 - Consultas no...25 Exercício 12 - Outras Consultas no...30 Exercício 13 - Consultas combinadas de Objetos...34 Exercício 14 - Construção de BDG com - Parte Exercício 15 - Construção de BDG com - Parte Exercício 16 - Construção de BDG com - Parte Exercício 17 - Construção de BDG com - Parte Exercício 18 - Construção de BDG com - Parte Exercício 19 - Construção de BDG com - Parte Exercício 20 - Construção de BDG com - Parte Exercício 21 - Simplificando a Rede de Drenagem...75 Exercício 22 - Elaboração de Mapas de Objetos de arquivos DXF...77 Exercício 23 - Criação de Aplicativo WEB com SpringWeb...78 ANEXO 1 - Definições no e recursos gerais...a - 2 ANEXO 3 - Consulta a Mapa de Objetos no...a - 10 ANEXO 3 - WEB...A - 43 INPE - 5

6 6 Cursos DPI -INPE

7 Exercício 1 - Definição de BD no Access A partir das entidades apresentadas na figura abaixo e de seus relacionamentos (E-R), implemente estas entidades projetando um banco relacional equivalente no Access, definido os tipos dos atributos e depois preencha com alguns dados. Dica: Cada entidade do modelo E-R gera uma tabela no modelo relacional. Cada relacionamento pode gerar uma tabela, ou ser modelado através de um atributo. nome modelo cpf custo endereco ano licenca data motorista registro pessoa possui carro relatorio acidente Parte I: Definição das tabelas no Access: Inicialize o Access e crie um novo banco de dados vazio (escolha o diretório c:\curso_bdg\bancos_access e nome DETRAN Clique no menu principal Inserir - Tabela ; Defina modo de criação da tabela Modo estrutura ; Defina os campos da tabela (atributos) definindo nome e tipo; No atributo correspondente à chave primária clique no ícone chave localizado na barra de ferramentas; Feche o modo estrutura definindo o nome da tabela. Parte II: Preencha as tabelas no Access: Antes de preencher as tabelas com dados, defina em Ferramentas Relacionamentos entre as tabelas. Preencha as tabelas criadas com valores para os atributos. Basta um duplo clique no nome da tabela ou selecionar a tabela e clicar Abrir. Os dados são salvos automaticamente ao fecha a janela de edição. Observe que o campo com chave primária não permitirá que a tabela tenha o mesmo conteúdo, por exemplo; duas pessoas não tem o mesmo CPF. Exercício 2 - Consulta em SQL no Access A partir do banco de dados DETRAN criado acima realizar as consultas abaixo. Caso não tenha completado o exercício acima poderá utilizar o banco de dados Tutorial1.mdb que se encontra em c:\curso_bdg\bancos_access. INPE - 7

8 Parte I: Procedimento para criar uma consulta em SQL no Access: Selecione menu Inserir opção Consulta Defina modo de criação da consulta Modo estrutura e aperte OK Uma tela de consulta aparece. Altere para modo SQL selecionando no menu Exibir a opção MODO SQL Uma tela para se colocar a consulta aparece. Preencha a expressão de consulta e selecione menu Consulta opção Executar. Parte II: Crie as seguintes Consultas no Access: 1. O nome de uma pessoa dado um cpf 2. Os modelos de carro que uma pessoa possui 3. Os acidentes em que esteve envolvido uma pessoa 4. Todos os acidentes em uma determinada data 5. Todos os carros existentes a partir de um ano Exercício 3 - Consulta em SQL no Access Considere um banco relacional abaixo com as seguintes tabelas: EMPREGADO emp_nome rua cidade Paulo 100 SJC Maria 200 SP Carlos 300 LP TRABALHO emp_nome empresa_nome salario Paulo Brasil 800 Maria Brasil Carlos Real EMPRESA empresa_nome cidade Brasil SJC Real SJC Real SJB GERENCIA emp_nome gerente_nome Paulo Kant Maria Kant Carlos Jung A partir do banco de dados apresentado acima, que encontra-se definido através do arquivo Tutorial2.mdb (em c:\curso_bdg\bancos_access), execute as consultas abaixo. 8 Cursos DPI -INPE

9 Defina os comandos em SQL para responder as seguintes perguntas: 1. Encontre os nomes de todos os empregados que trabalham no Banco do Brasil. 2. Encontre os nomes e cidades dos empregados do Banco do Brasil. 3. Encontre os nomes, endereços, e cidades de todos os funcionários do Banco do Brasil que ganham mais de R$1000, Encontre os empregados de uma mesma companhia que moram na mesma cidade. 5. Encontre os empregados que vivem na mesma cidade e na mesma rua que seus gerentes. 6. Encontre todos os empregados que não trabalham no Banco do Brasil, ordenados por endereço. 7. Encontre todos os empregados do Banco do Brasil que ganham mais do que qualquer empregado do Banco Real. 8. Assumindo que uma companhia possa ter sedes em várias cidades, encontre todas as cidades onde o Banco do Brasil tem sede. Exercício 4 - Projeto de Banco de Dados e Consulta Imagine uma situação onde desejamos localizar informações a partir de um endereço qualquer, a partir de alguns atributos como: nome do logradouro, se tipo avenida ou rua, um determinado trecho de uma rua e ainda os números de cada trecho. Projete uma relação de banco de dados no Access (utilize o nome "URBANO" para o banco) que suporte os seguintes casos: Obter os CEPs de uma rua; Dado um número e nome da rua, obter as informações do trecho que este endereço pertence; Quais as faixas de números de uma rua; Seja possível associar a rua à uma localização espacial Exercício 5 - Consulta em SQL no Access Caso não tenha completado o exercício acima poderá utilizar o banco de dados Tutorial3.mdb que se encontra em c:\curso_bdg\bancos_access. para realizar as seguintes consultas: 1. Quais os CEPs de uma rua "Palmeira"; 2. Dado um número 2500 da rua "Carvalho", apresente todas as informações do trecho que este endereço pertence; 3. Quais as faixas de números de uma rua "Ipe"; INPE - 9

10 Exercício 6 - Junção de Tabelas no Access A partir do banco de dados apresentado através do arquivo Tutorial4.mdb (em c:\curso_bdg\bancos_access), com as relações LOTE e PROPRIETARIO, crie um outra relação (como no exemplo LoteT ) utilizando uma junção externa para que não haja perda de informação. A nova tabela deve conter todos os atributos das duas tabelas. LOTE ID Rótulo Área Tipo Cod_Proprietário IPTU 1 L A L A L A L B L B L A PROPRIETARIO Cod_Proprietário Nome salario Marcos Antonio Tadeu LoteT ID Rótulo Área Tipo Cod_Proprietário IPTU Nome salario 1 L A L A Marcos L A L B Antonio L B Tadeu L A Dica: Utilize o atributo Cod_Proprietario para ligar as duas relações. 10 Cursos DPI -INPE

11 Exercício 7 - Reconhecimento dos Mapas do mundo real Este exercício visa apresentar os dados do mundo real no processo de modelagem, isto é, os diversos tipos de mapas. Iniciando o : - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG springdb - (Banco de Dados Banco_DF) - (Ativar) Responda Sim caso tenha outro Banco/Projeto ativo. - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - (Projetos Brasilia) - (Ativar) NOTA : A janela é apresentada para o usuário juntamente com a janela principal do Spring quando se ativa um Projeto. É nesta janela que se faz seleção de dados e controle das telas de visualização dos diversos mapas. Todas as funções do módulo Spring são acessadas através do menu principal, ou da barra de ferramentas. Observe que o nome do banco e projeto ativo aparece na barra de título do módulo. É através da janela que os Planos de Informações e suas diferentes representações são selecionados tanto para a visualização quanto para outra operação qualquer. Visualizando mapas do tipo imagem: - [Exibir] [] ou botão, caso tenha fechado a janela. - (Categorias Imagem_TM) - (Planos de Informação TM5) - (M) - para visualizar em níveis de cinza. - [Executar] [Desenhar] ou botão - (Exibir Tela 2) - (Ativar Tela 2) - (Categorias Imagem_TM) - (Planos de Informação Comp_3B_4G_5R) - (Imagem Sintética) para visualizar em cores esta imagem. Observe se PI ficou selecionado. - Tela 2 - [Executar] [Desenhar] ou botão. INPE - 11

12 NOTA : Compare as duas imagens. Na tela 1 temos um mapa do tipo imagem (monocromática) em níveis de cinza, refletindo os diferentes alvos da cena. Níveis mais claros representam alvos que têm a propriedade de refletir mais a luz solar, por exemplo, áreas onde praticamente não existe a cobertura vegetal. Já os níveis negros representam o corpo d'água do Lago Paranoá - em Brasília. Na tela 2 temos a mesma imagem, porém trata-se de uma imagem sintética de três bandas que foram processadas e codificadas. Visualizando uma Composição Colorida (RGB) na tela principal - (Ativar Tela 1) - (Categorias Imagem_TM) - (Plano de Informação TM3) - (R) para visualizar PI na LUT vermelha. - (Plano de Informação TM4) - (G) para visualizar PI na LUT verde. - (Plano de Informação TM5) - (B) para visualizar PI na LUT azul. - [Executar] [Desenhar] ou botão * Nesta imagem os pixels de cada banda (monocromática) estão associados a LUT (canhão de cores primárias RGB). * Experimente fazer outras composições, por exemplo: TM3 em B, TM4 em R e TM5 em G * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados ao terminar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. Visualizando mapa temático de rios na tela principal: - (Ativar Tela 1) - (Categorias Drenagem) - (Plano de Informação Mapa_rios) - (Linhas), (Classes) - [Executar] [Desenhar] ou botão NOTA : Observe na tela 1 que temos algumas linhas e alguns polígonos (Lago Paranoá). Visualizando mapa temático de declividade na tela principal e legenda de classes: * Mantenha o mapa de rios selecionado. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Solos) - (Plano de Informação Mapa_solos) - (Linhas), (Classes) e (Texto) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Exibir] [Legenda...] 12 Cursos DPI -INPE

13 Legenda - (Mapa Rios) - sobre o botão triangular. - (Mapa_solos) - sobre o botão triangular. NOTA : Observe que agora tem-se o mapa temático de classes de declividade preenchendo toda área do projeto, onde cada cor representa um intervalo de medida (ordinal). Visualizando um mapa numérico na tela principal: * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Altimetria) - (Plano de Informação Mapa_altimetrico) - (Amostras) e (Textos) - [Executar] [Desenhar] ou botão NOTA : Observe na tela 1 que temos isolinhas e alguns pontos cotados. A cada entidade gráfica tem-se associado uma cota Z, além das próprias coordenadas XY de cada isolinha e ponto cotado. Visualizando um mapa cadastral na tela principal e seus atributos: * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Cad_Urbano) - (Plano de Informação Mapa_quadras) - (Linhas), (Objetos), (Textos) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Editar] [Objeto...] Editar Objetos - (Categorias de Objetos Quadras) - (Modo de Seleção Tela) * clique sobre qualquer das quadras na tela ativa e observe seu rótulo. - (Atributos...) Valores de Atributos * clique sobre outras quadras e observe seu atributos (Asa, População, Renda, etc) são apresentados na lista de valores. Editar Objetos NOTA : Observe que cada polígono está associado a um objeto geográfico individual, isto é, cada um tem um rótulo e nome específico, além de atributos descritivos. INPE - 13

14 Visualizando um mapa de redes na tela principal e seus objetos: * desmarque todos os PI's que estiverem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Rede_Vias) - (Plano de Informação Mapa_vias) - (Linhas), (Objetos) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Editar] [Objeto...] Editar Objetos - (Categorias de Objetos Vias) - (Modo de Seleção Tela) * clique sobre qualquer das linhas (vias) que estão em vermelho na tela ativa. As linhas em preto não estão associadas a nenhum objeto. NOTA : Observe que tem-se somente entidades do tipo linhas e nós (extremos e cruzamento de linhas) e quando associado, atributos descritivos. Exercício 8 - Reconhecimento do Universo de Representação dos Mapas Este exercício visa apresentar alguns mapas com destaque para o universo de representação dos mesmos. Ativando um Banco e um Projeto no : - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG\springdb - (Banco de Dados Billings) - (Ativar) Responda Sim caso tenha outro Banco/Projeto ativo. - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - (Projetos Billings) - (Ativar) Analisando as representações do mapa temático de geologia (vetorial): - (Ativar Tela 1) - (Categorias Geologia) observe que é temático. - (Plano de Informação Geologia - vetorial) - (Linhas), (Classes) - [Executar] [Desenhar] ou botão 14 Cursos DPI -INPE

15 NOTA : Observe que mesmo ampliando várias vezes uma região do mapa, o usuário não perde a qualidade do preenchimento dos polígonos, pois segue exatamente os contornos das linhas que limitam as classes de geologia. Analisando as representações dos mapas temáticos de geologia (matriciais): * clique em (Classes) para desmarcar o preenchimento do PI Geologia vetorial, deixando somente as linhas de contorno. - (Categorias Geologia) observe que também é temático. - (Plano de Informação Geologia matricial 2x2) - (Matriz) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Exibir] [Cursor de Área] ou botão - utilize o recurso de zoom para ampliar uma região do mapa. - (Ativar 2) e (Exibir 2) para abrir a Tela 2. - (Categorias Geologia) - (Plano de Informação Geologia matricial 10x10) - (Matriz) - [Executar] [Desenhar] ou botão na Tela 2 - [Exibir] [Cursor de Área] ou botão - utilize o recurso de zoom para ampliar a mesma região do mapa na Tela 1. NOTA : Compare os dois mapas temáticos de geologia. Observe que ambos representam as mesmas classes de geologia, mas o mapa com resolução de 2x2 (metros) se aproxima mais da representação vetorial. Analise a seguir seus tamanhos no seu sistema de arquivos. Analisando as representações matriciais dos mapas de geologia: - (Categorias Geologia) - (Plano de Informação Geologia matricial 2x2) para ativar tal PI. - [Editar] [Plano de Informação...] Planos de Informação - (Representações...) Informações sobre as Representações * analise os dados apresentados. - (Plano de Informação Geologia matricial 10x10) para o outro PI. Informações sobre as Representações * novos dados são apresentados. Planos de Informação NOTA : Observamos que ambos mapas matriciais têm tamanhos (número de Colunas e Linhas) diferentes e consequentemente ocupam espaços diferentes no sistema de arquivo. O PI Geologia matricial 2x2, de 2295 colunas X 3000 linhas, requer Mbytes para ser armazenado, enquanto o PI Geologia matricial 10x10, de 459 colunas X 600 linhas, requer Mbytes. Este último tem a vantagem de ocupar menos espaço em disco, porém de menor precisão comparado à representação vetorial. INPE - 15

16 IMPORTANTE : O usuário deve aprender a escolher a melhor representação para seus mapas temáticos, pois dependendo do tipo de análise terá de optar entre uma ou outra. Muitas vezes uma resolução maior pode agilizar e economizar espaço de armazenamento, considerando uma mesma escala para representar a qualidade dos resultados. Analisando as representações do mapa numérico de altimetria: * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados ao terminar o procedimento acima. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Altimetria) observe que é numérico. - (Plano de Informação MNT) - (Amostras), (TIN) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Exibir] [Cursor de Área] ou botão - utilize o recurso de zoom para ampliar algumas regiões do mapa. NOTA : Observe que sobre a representação vetorial das amostras (isolinhas + pontos cotatos) foi criada a representação, também vetorial, da grade triangular. Todos os pontos cotados, principalmente nas regiões mais planas ou de inflexão, foram utilizados como vértices dos triângulos, enquanto que alguns pontos das isolinhas não foram considerados, principalmente quando isolinhas estão muito próximas ou muito sinuosas. Normalmente, parâmetros como: tolerância de isolinhas, distância entre pontos e menor aresta são préestabelecidos para criar a grade triangular. Analisando as representações do mapa numérico de altimetria: * clique em (TIN) para desmarcar a grade triangular do PI MNT, deixando somente as amostras. - (Categorias Altimetria) - (Plano de Informação MNT_grade 2x2 ) - (Grade) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Exibir] [Cursor de Área] ou botão - utilize o recurso de zoom para ampliar uma região do mapa. NOTA : Observe agora que em outro plano de informação foi criada uma grade retangular (matricial) com uma resolução pré-definida pelo usuário. A resolução ideal da grade dependerá dos produtos e análises a serem efetuadas posteriormente. Normalmente uma grade deste tipo, para que represente bem a superfície, deve ter uma resolução que seja menor ou igual a menor distância entre duas isolinhas. Encerrando o : - [Arquivo] [Sair] * Confirme com SIM a pergunta, se realmente deseja fechar o. 16 Cursos DPI -INPE

17 Exercício 8 - Modelagem com Uma empresa de cana de açúcar tem várias fazendas espalhadas pelo Estado de São Paulo. Cada fazenda tem vários talhões que estão cadastrados no BD da empresa. PARTE A - Modele um BDG para tal empresa utilizando o Geo-OMT que permita responder as seguintes consultas: 1- Quais fazendas estão dentro de um determinado município? 2- Quais fazendas tem maior produção para um determinado tipo de cana? 3- Quais os municípios que são cortados por uma rodovia e que tem pelo menos uma fazenda. 4- Qual o menor caminho para escoar a produção de cada fazenda? NOTAS: Somente as entidades geográficas Fazenda e Talhão contém atributos convencionais (descritivos); A tabela Talhão tem uma chave composta (Cod_Talhão/Cod_FZ), pois o número do talhão somente pode repetir em diferentes fazendas; Como cada talhão pode ter várias safras, a tabela Produção tem uma chave composta (Cod_Talhão/Cod_FZ/Safra), para identificar os diferentes plantios e consequentemente, as diferentes produções em cada talhão. RESPOSTA - PARTE A: O modelo Geo-OMT está na figura abaixo. Veja observações a seguir. Modelo Geo-OMT - Empresa de Cana de Açucar C ESTADOS U 1...* MUNICÍPIO COD_MUNICÍPIO Contém 1 Dentro de Cruza / Atravessa / Dentro de 1...* FAZENDA COD_FZ Rodovias DSC_NOME_Rod Descrição da Fazenda 1...* Fazenda Cod_FZ Área_plantada Técnico_responsavel 1...* Talhão COD_Talhão * Descrição Talhão Ruas DSC_NOME_RUA 1...* 1...* Talhão Cod_Talhão Cod_FZ Área/Perímetro Tipo_solo 1...* Produção Cod_Talhão Cod_FZ Safra Especie Data_plantio Data_colheita Produção Preço Cruza / Toca INPE - 17

18 Para responder as consultas acima, os seguintes comentários são necessários: 1- As entidades geográficas Município e Fazenda são necessárias coexistirem no mesmo banco de dados, onde uma simples consulta espacial topológica permite responder tal consulta; 2- Este tipo de consulta exige somente que o banco de dados com os atributos apresente em ordem decrescente as fazendas em função da produção e da espécie de cana. Como a tabela de produção está vinculada a cada lote, será necessário utilizar na expressão de consulta uma função de agregação (no caso, SOMA) e um agrupamento em função do código da fazenda; 3- Para executar tal consulta basta analisar espacialmente os mapas Fazenda, Município e Rodovias. Primeiro pode-se verificar o relacionamento topológico de linhas e polígonos (do tipo cruza, atravessa ou dentro de), para os municípios que são cortados por uma determinada rodovia, e em seguida, dos municípios resultantes, analisar o relacionamento topológico de polígono com polígono (do tipo dentro de), para as fazendas que estão dentro de tais municípios; 4- O escoamento da produção utiliza uma malha de redes com as ruas internas a cada fazenda e as rodovias (estaduais/municipais) dentro do estado. PARTE B - Utilizando o Spring descreva como tal BDG será construído (nome de PI's, temas ou layers, tipo de representação e tabelas associadas). RESPOSTA - PARTE B: No caso do o banco de dados geográfico teria a seguinte configuração: Banco de Dados: Cana de Açúcar Modelo de Dados: Categorias: Cad_Fazendas ( modelo Cadastral ) Fazenda ( modelo Objeto) Atributos: Cod_Fazenda (tipo Texto) Rótulo Nome_Fazenda (tipo Texto) Nome Área_Plantada (tipo Real) Técnico_responsável (tipo Texto) Cad_Talhão ( modelo Cadastral ) Talhão ( modelo Objeto) Atributos : Produção ( modelo Não_espacial) Atributos : Cod_Fazenda+Cod_Talhão (tipo Texto) Rótulo Cod_Talhão (tipo Texto) Nome = Rótulo Área_Plantada (tipo Real) Perímetro (tipo Real) Tipo_solo (tipo Texto) Cod_Fazenda+Cod_Talhão (tipo Texto) Rótulo Cod_Talhão (tipo Texto) Chave Composta Safra (tipo Texto) Chave Composta Espécie (tipo Texto) Data_Plantio (tipo Data) Data_Colheita (tipo Data) Produção (tipo Real) Preço (tipo Real) Cad_Municipios ( modelo Cadastral ) Município ( modelo Objeto) Tabela : Cod_Municipio (tipo Texto) Rótulo e Nome 18 Cursos DPI -INPE

19 Nome_Municipio (tipo Texto) Nome Rede_Vias ( modelo Redes ) Ruas ( modelo Objeto) internas as fazendas Tabela : Cod_Ruas (tipo Texto) Chave Primária Rodovias ( modelo Objeto) internas ao estado Tabela : Cod_Rodovias (tipo Texto) Chave Primária Projetos: Estado_SP (um projeto para todo estado) Planos de Informações: Mapa_fazendas polígonos (vetorial) tabela Fazenda Mapa_talhões polígonos (vetorial) tabela Talhão Mapa_município polígonos (vetorial) Mapa_vias linhas conectadas (vetorial) com objetos ruas e rodovias Veja os procedimentos no a seguir: Iniciando o e criando um banco: - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG\springdb - {Nome: Cana_de_Acúcar} - (Gerenciador Access) - (Criar) responda Não a pergunta para inserir senha. - (Ativar) Responda Sim caso tenha outro Banco/Projeto ativo. Definindo o modelo de dados do banco criado acima : - [Arquivo] [Modelo de Dados...] ou botão Modelo de Dados - {Categorias - Nome: Cad_Fazendas } - (Modelo Cadastral) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Fazenda} - (Modelo Objeto) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Cad_Talhão } - (Modelo Cadastral) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Talhão} - (Modelo Objeto) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Produção} - (Modelo Não-Espacial) - {Tabela - Nome: Produção} - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Cad_Municípios } - (Modelo Cadastral) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Município} INPE - 19

20 - (Modelo Objeto) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Rede_Vias } - (Modelo Rede) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Ruas} - (Modelo Objeto) - (Categorias Criar) - {Categorias - Nome: Rodovias} - (Modelo Objeto) - (Categorias Criar) - para salvar as categorias criadas. Definindo atributos para objetos no dados do banco: - [Arquivo] [Modelo de Dados...] ou botão Modelo de Dados - (Categorias Fazendas) - (Atributos...) * Lembre-se que o Rótulo e Nome já fazem parte do objeto. Atributos de Categoria - {Nome: AREA_P } - para área plantada - (Tipo Real) - (Inserir) - {Nome: TECNICO } - para técnico responsável - (Tipo Texto) - {Tamanho: 35 } - (Inserir) Modelo de Dados - (Categorias Talhão) - (Atributos...) Atributos de Categoria - {Nome: AREA_P } - para área plantada - (Tipo Real) - (Inserir) - {Nome: PERIM_P } - para perímetro plantado - (Tipo Real) - (Inserir) - {Nome: TIPO_SOLO } - para tipo de solo - (Tipo Texto) - {Tamanho: 30 } - (Inserir) Modelo de Dados - (Categorias Produção) - (Atributos...) Atributos de Categoria 20 Cursos DPI -INPE

21 - {Nome: TALHAO } - código que inclui Fazenda+Talhão - (Tipo Texto) - {Tamanho: 15 } - (Inserir) - {Nome: SAFRA } - (Tipo Data) - (Inserir) - {Nome: ESPECIE } - para espécie da cana no talhão - (Tipo Texto) - {Tamanho: 18 } - (Inserir) - {Nome: PLANTIO } - para data do plantio - (Tipo Data) - (Inserir) - {Nome: COLHEITA } - para data da colheita - (Tipo Data) - (Inserir) - {Nome: PRODUCAO } - para produção na safra - (Tipo Real) - (Inserir) - {Nome: PRECO } - para preço da produção - (Tipo Real) - (Inserir) Modelo de Dados - (Categorias Município) - (Atributos...) Atributos de Categoria * Rótulo e Nome serão o código do IBGE Atributos de Categoria - {Nome: DENOMINA } - para nome do IBGE - (Tipo Texto) - {Tamanho: 40 } - (Inserir) Modelo de Dados - (Categorias Ruas) - (Atributos...) Atributos de Categoria - {Nome: DENO } - para nome da rua - (Tipo Texto) - {Tamanho: 30 } - (Inserir) Modelo de Dados - (Categorias Rodovias) - (Atributos...) INPE - 21

22 Atributos de Categoria - {Nome: DENO } - para nome da rodovia - (Tipo Texto) - {Tamanho: 30 } - (Inserir) Modelo de Dados A seguir deve-se criar o projeto que envolva a área do Estado de São Paulo. Criando o Projeto: - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - {Nome: Estado_SP} - (Projeção...) Projeções - (Sistemas POLICONIC) - (Modelos da Terra SAD69) - {Lat: s 0 0 0} - não utilize os caracteres º, " ou ' - apenas um espaço em branco para separar graus, minutos e segundos. - {Long: o } - não utilize os caracteres º, " ou ' - apenas um espaço em branco para separar graus, minutos e segundos. Projetos - (Retângulo Envolvente - Coordenadas Geográficas) - {Long1: o }, {Lat1: o } - {Long2: s }, {Lat2: s } - (Criar) - (Ativar) NOTA : A janela é apresentada para o usuário juntamente com a janela principal do Spring quando ativa-se um Projeto. É nesta janela que se faz seleção de dados e controle das telas de visualização dos PI s. Entretanto, observe que as duas listas Categorias e Planos de Informação estão vazias, pois nenhum mapa foi criado ainda, apesar do modelo de dados já existir. Crie alguns PI a seguir. Criando Planos de Informação para o Projeto: - [Editar][Plano de Informação...] ou Planos de Informação - (Categorias Cad_Fazendas) - {Nome: Mapa_Santa_Helena} - exemplo de uma fazenda - {Escala: 10000} - (Criar) - (Categorias Cad_Fazendas) - {Nome: Mapa_Santa_Rita} - exemplo de outra fazenda - {Escala: 10000} 22 Cursos DPI -INPE

23 - (Criar) * Observe que os dois PI's aparecem no - (Categorias Cad_Talhão) - {Nome: Mapa_Talhão_Santa_Helena} - exemplo de talhões de uma fazenda - {Escala: 10000} - (Criar) - (Categorias Cad_Municipios) - {Nome: Mapa_Municípios} - {Escala: 50000} - (Criar) - (Categorias Rede_Vias) - {Nome: Mapa_vias} - {Escala: 10000} - (Criar) Exercício 9 - Modelando um Banco da Dados Geográfico - Geo-OMT O objetivo deste exercício é o aluno a modelar uma aplicação qualquer, no caso, o problema da reforma agrária no Brasil. É recomendado que o usuário defina o modelo de dados utilizando o Geo_OMT numa folha de papel e depois utilizando o sistema, implemente tal modelo. Problema: Reforma Agrária Objetivo: Seleção de áreas para desapropriação, reparticionamento e acompanhamento das áreas de projetos de assentamentos. Critérios da modelagem áreas improdutivas: imagens de satélite multitemporais e fotos aéreas seleção de terras: topografia e solos legislação: áreas de proteção ambiental cadastro de novas propriedades (lotes) identificação das moradias dos lotes dados dos proprietários dos lotes cadastro das vias de acesso às áreas demarcadas e externas NOTAS: 1. Cada propriedade (projeto de assentamento fundiário) deve permitir representar além dos lotes, as áreas de proteção ambiental, além de pertencer a somente um município. 2. A demarcação das áreas dentro de cada projeto dependem da declividade do terreno (calculada a partir da altimetria) e da fertilidade do solo (% de argila do solo). Quando possível os rios devem ser considerados na modelagem numérica para obtenção da declividade. INPE - 23

24 3. As vias de acesso (ruas) dentro das áreas dos projetos de assentamento devem, além de serem utilizadas para planejar o escoamento da produção, permitir computar a sua área dentro de cada projeto. Estas vias devem-se conectar com estradas municipais. 4. Um lote pode conter uma ou mais moradias. 5. Cada proprietário pode ter somente um lote. 6. Para compor a cartografia deve-se existir uma representação para drenagem (represa, lagos e rios), considerando inclusive a representação em diferentes escalas para rios. Exercício 10 - Modelagem de um Banco de Dados Geográfico A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, cadastrou as informações sobre mortalidade no ano de 97 para os bairros da cidade. As informações espaciais dos bairros e das localizações de cada morte estão disponíveis. A Secretaria deseja criar um banco de dados geográfico que permita associar os dados tabulares com a informação espacial. Cada bairro e cada óbito dever ser tratado como um objeto no banco de dados. Usando o, crie um modelo de dados que permita armazenar as seguintes informações: Representação poligonal com as linhas que delimitam os bairros. Representação pontual com os pontos referentes à localização das mortes. Objetos dos tipos Bairros e Óbitos. Cada bairro deve possuir os seguintes atributos: Código do bairro (COD_BAIRRO, inteiro) Nome do bairro (NOM_BAIRRO, texto, tamanho = 15) Cada morte (óbito) deve possuir os seguintes atributos: Cartório (CARTORIO, texto, tamanho = 1) Registro (REGISTRO, texto, tamanho = 6) Data do registro (DATAREG, inteiro) Data de nascimento (DATANASC, texto, tamanho = 10) Sexo (SEXO, texto, tamanho = 1) Endereço (ENDERECO, texto, tamanho = 50) NOTA: Crie um Banco de Dados de nome "Modelagem". 24 Cursos DPI -INPE

25 Exercício 11 - Consultas no Este exercício objetiva apresentar alguns recursos de consulta de um Banco de Dados do, que utiliza arquitetura dual. Iniciando o : - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG\springdb - (Banco de Dados Banco_DF) - (Ativar) Responda Sim caso tenha outro Banco/Projeto ativo. - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - (Projetos Brasilia) - (Ativar) Visualizando um mapa cadastral na tela principal e seus atributos: * desmarque todos os PI's que estivem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias Cad_Urbano) - (Plano de Informação Mapa_quadras) - (Linhas), (Objetos), (Textos) - [Executar] [Desenhar] ou botão - [Editar] [Objeto...] Editar Objetos - (Categorias de Objetos Quadras) - (Modo de Seleção Tela) * clique sobre qualquer das quadras na tela ativa e observe seu rótulo. - (Atributos...) Valores de Atributos * clique sobre outras quadras e observe seu atributos (Asa, População, Renda, etc) são apresentados na lista de valores. Editar Objetos NOTA: Observe que cada quadra tem como primeiro campo o GEOID, o qual faz a ligação da tabela Quadras (arquivo em DBF) com o polígono correspondente. OBS: Se desejar, ative o Cursor de Info e clique sobre uma quadra, verificando na janela Relatório de Dados os dados de cada polígono. No caso, temos os atributos ASA, USO, NUM_IMOV (número de imóveis) e POPULAC (população) ao objeto Quadras. Os atributos de AREA e PERIMETRO são fornecidos por default pelo sistema. INPE - 25

26 Consultando o mapa cadastral na tela principal e seus atributos: * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. - (Ativar Tela 1) - (Categorias... Cad_Urbano) - (Planos de Informação Mapa_quadras) - (Linhas) (Objetos) - (Consultar..) Geração e Seleção de Coleção - (Categorias de Objeto Quadras) - (Coleções ALL) - (Aplicar) as janelas Visualização de Objetos e Tabela são apresentadas. NOTA: Observe que, além da Tela de Visualização, as janelas Visualização de Objetos e Tabela de Atributos, Consulta, Consulta Espacial e Agrupamento estão disponíveis. Veja mais detalhes no ANEXO 2. Consultando o módulo Tabela com o mapa Mapa_quadras: Tabela Tabela de Atributos X Tela - Selecione um objeto na TABELA de atributos, pressionando BE (botão esquerdo) na primeira coluna da linha desejada. O objeto será automaticamente realçado, na cor corrente (cor apresentada no canto superior esquerdo da tabela), na Tela de visualização. - Selecione vários objetos consecutivos na TABELA de atributos, clicando e arrastando com BE na primeira coluna dos objetos desejados. Os objetos serão automaticamente realçados, na cor corrente atual. Tela X Tabela de Atributos - Selecione uma objeto, neste caso um polígono, na Tela de visualização pressionando BE sobre o mesmo. O objeto correspondentes será destacado na tabela de atributos com a cor corrente. Veja a seguir alguns recursos sobre as colunas da tabela Mudando a color corrente para posterior seleção de linhas: - Pressione BD (botão direito) sobre a cor corrente, no canto superior esquerdo da tabela. - Selecione a cor desejada. - Selecione outros objetos que desejar. Desmarcando TODAS as linhas selecionadas na tabela: - Pressione BD sobre a primeira coluna da linha. - Selecione no menu Remover, a opção: [Todas] 26 Cursos DPI -INPE

27 Desmarcando o conjunto de linhas selecionadas com a cor corrente - Pressione BD sobre a primeira coluna da linha. - Selecione no menu Remover, a opção: [Cor-Corrente]. Ampliando na tela o objeto selecionado ou todos * para facilitar a localização de um objeto selecionado ou de um grupo pode-se utilizar a opção de Zoom - Pressione BD sobre a primeira coluna da linha. - Selecione no menu [Zoom], a opção: [Toda-Seleção] (todas linhas marcadas, independente da cor) ou [Seleção-Corrente] (somente a linha onde estivar o mouse). Veja a seguir alguns recursos sobre as colunas da tabela Exibindo estatísticas básicas para atributos numéricos * Desmarque todas a linha primeiro, veja como fazer acima - Pressione o BD sobre o nome do atributo POPULAC. - Selecione a opção [Estatística...] * Válido somente para atributos numéricos. Relatório de Dados * observe os valores apresentados: N.Amostras, N.Ausentes, Média, Mediana, Mínimo, Máximo, D.Padrão, C.variação - Se desejar clique em (Salvar...) e forneça um nome de arquivo. Ordenamento por atributos * Para facilitar a localização de um dado qualquer, ordene por coluna - Pressione BD sobre o nome do atributo USO por exemplo. - Selecione a opção [Ordenar]. - Selecione a opção [Crescente] ou [Decrescente]. * A tabela toda é exibida em função do ordenamento selecionado. Ocultando coluna durante a exibição da tabela * Tabelas muito extensas (muitos atributos) pode ser útil ocultar determinadas colunas. - Pressione BD sobre o nome atributo NOME, por exemplo. - Selecione a opção [Remover Coluna]. * A coluna selecionada deixa de ser visualizada na tabela. Exibindo colunas ocultas - Pressione BD sobre o nome de um atributo qualquer (primeira linha). - Selecione a opção [Exibir Colunas...] Exibir Colunas - Clique sobre o nome do atributo na lista para exibir ou ocultar. * Atributos marcados por uma tarja azul estão visíveis na tabela, caso contrário estão ocultos. Veja a seguir alguns recursos de análises gráficas das linhas e colunas da tabela Exibindo histograma * A condição para se obter o histograma é não ter nenhuma linha selecionada e somente uma coluna marcada (SOMENTE para colunas do tipo Real ou Inteiro). INPE - 27

28 - Pressione BD sobre o nome do atributo desejado (primeira linha). Por exemplo NUM_IMOV - Selecione a opção [Gráfico...] * A tela gráfica é apresentada. Se desejar aumente nas laterais. Exibindo diagrama de dispersão * A condição para obter o diagrama de dispersão (Scatter Plot) é não ter nenhuma linha selecionada e sim ter duas colunas marcadas. - Pressione BE sobre o nome do primeiro atributo desejado ( NUM_IMOV ). - Pressione BE sobre o nome do segundo atributo desejado ( POPULAC ). * Observe que cada coluna é pintada com uma cor - Pressione BD sobre um dos nomes de atributos marcados (primeira linha). - Selecione a opção [Gráfico...] * A tela gráfica é apresentada. Se desejar aumente nas laterais. Exibindo gráfico Pie Chart * A condição para obter o gráfico de pizza (Pie Chart) é ter pelo menos uma linha selecionada. - Selecione uma ou mais linhas com a cor corrente. - Mude a cor corrente e selecione outro conjunto de linhas. - Pressione BD sobre o atributo desejado (primeira linha). - Selecione a opção [Gráfico...] * A tela gráfica é apresentada. Se desejar aumente nas laterais. NOTA: Antes de fechar o módulo Tabela, remova as marcas de todas as linha e colunas, para que não interfira na próxima análise. Agrupamento de objetos A técnica de agrupamento é usada para visualizar a distribuição espacial de um determinado atributo. As várias técnicas de agrupamento disponíveis (Passo Igual, Quantil, Estatístico e Valor Único) possibilitam a geração de diferentes mapas a partir dos mesmos dados. Quando o método é Passo Igual, o passo é estabelecido fazendo-se a seguinte conta: (maior valor menor valor )/ (número de partes). Quanto o método é por Quantil, o número de partes define a porcentagem de objetos que será colocado em cada grupo (se for em 5 partes, a porcentagem será 20%). Desta forma, leva-se em consideração o número total de objetos e procura-se agrupar a mesma porcentagem de objetos em cada grupo, de modo que o intervalo de valores de cada grupo pode ser totalmente diferente do agrupamento por partes iguais. O método de agrupamento por Valor Único é usado para determinar grupos que possuem o mesmo valor para um determinado atributo. O método de agrupamento por Estatística deve ser usado somente quando o histograma se aproxima de uma distribuição normal. Analisando-se o histograma, o intervalo de valores pode ser alterado. Agrupamento de objetos por: Passo igual/5 partes Visualização de Objetos - [Editar][Agrupamento...] Agrupar Objetos: Quadra - (Modo Passo Igual) - (Atributos AREA) - (Número de Partes 5) 28 Cursos DPI -INPE

29 - (Gradação de Cores Verm. Verde Azul) - (Agrupar) - Analisar resultado na Tela de visualização Agrupamento de objetos por: Quantil/5 partes Visualização de Objetos - [Editar][Agrupamento...] Agrupar Objetos: Quadra - (Modo Quantil) - (Atributos RENDA) - (Número de Partes 5) - (Gradação de Cores Verm. Verde Azul) - (Agrupar) - Analisar resultado na Tela de visualização * Teste outras opções de agrupamento. * Desfazer o agrupamento antes de fechar a janela - (Desagrupar) Agrupamento de objetos por: Valor Único Visualização de Objetos - [Editar][Agrupamento...] Agrupar Objetos: Quadra - (Modo Valor Único) - (Atributos USO) - (Gradação de Cores Verm. Verde Azul) - (Agrupar) - Analisar resultado na Tela de visualização Agrupamento de objetos por: Estatística Visualização de Objetos - [Editar][Agrupamento...] Agrupar Objetos: Quadra - (Modo Estatístico) - (Atributos RENDA) - (Desvio Padrão 1) - (Agrupar) - Analisar resultado na Tela de visualização INPE - 29

30 Seleção de Objetos por atributos usando uma expressão de consulta O módulo que controla a visualização de objetos permite que um subconjunto de objetos seja selecionado através de uma expressão de consulta, para posterior exploração do dado usando outras funções, tais como agrupamento, nova seleção etc. Definindo um subconjunto de objetos para ser explorado Visualização de Objetos - [Editar][Consulta...] Seleção de Objetos - (Atributos Renda) - (Operação > ) - (Mostrar) - (Valores 6000) - ou outro valor, de acordo com os dados fornecido pelo usuário. Se desejar digite um valor qualquer no campo abaixo da lista de valores. * Observe que a expressão lógica é apresentada durante sua seleção. - Somente os objetos cuja renda satisfizer a expressão fornecida serão apresentados na TELA de visualização e na TABELA. Desfazendo a seleção de um subconjunto de objetos * Desfazer a expressão antes de fechar a interface de consulta: - (Cancelar) - várias vezes até remover toda equação na lista Expressão Lógica. (Fechar) Exercício 12 - Outras Consultas no Este exercício objetiva apresentar os recursos de consulta espacial e atributos, de um Banco de Dados do, utilizando o projeto de PortoAlegre. NOTA: Este exercício é semelhante ao banco de dados que foi modelado no exercício 10, porém com dados reais. Iniciando o : - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG\springdb - (Banco de Dados Banco_PortoAlegre) - (Ativar) Responda Sim caso tenha outro Banco/Projeto ativo. - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - (Projetos PortoAlegre) - (Ativar) Visualizando um mapa cadastral dos bairros na tela principal: * Desmarque todos os PI's que estivem selecionados antes de começar. Um duplo clique sobre a categoria desmarca todos PI's da mesma. 30 Cursos DPI -INPE

31 - (Ativar Tela 1) - (Categorias Cad_Bairros) - (Plano de Informação Mapa_bairros) - (Linhas), (Objetos), (Textos) - [Executar] [Desenhar] ou botão Executar as seguintes consultas no usando os dados de Porto Alegre (mortalidade e bairros): Consulta 1 Selecione todos os bairros vizinhos ao bairro Vila Ipiranga. Criando uma coleção para Objeto Vila Ipiranga: - Ativar PI Mapa_bairros - (Linhas), (Objetos), (Textos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - {Coleção: VIpiranga} - (Criar) - (Atributos NOM_BAIRRO) - (Operador = ) - (Valores T) - selecionar item Vila Ipiranga na lista. - (Gerar) Iniciando a consulta com todos os bairros: Geração e Seleção de Coleção - (Coleções ALL) - (Aplicar) NOTA: As janelas "Tabela" e "Visualização de Objetos" serão apresentadas. Importante deixar a janela "Visualização de Objetos" aberta, pois todo controle está sobre esta. Executando a consulta espacial: Visualização de Objetos - [Editar] [Consulta Espacial...] Consulta Espacial - (Operação Topologia) - (Relacionamento Toca) - (Objeto Bairros) - em Dados a Comparar - (PI Mapa_bairros:Cad_Bairros) - (Coleção VIpiranga) - (Opção de Seleção Nova) - o resultado é apresentado na tela ativa. RESULTADO: Os bairros vizinhos são num total de 9. INPE - 31

32 NOTA: Caso feche a janela "Visualização de Objetos", será mantido os objetos destacados da última consulta executada. Caso não deseje manter a última consulta clique em - [Executar] [Limpar] [Tudo]. Consulta 2 Selecione todas as mortes ocorridas no bairro Santa Teresa usando o plano de mortalidade como o plano ativo. IMPORTANTE: Antes de iniciar o próximo exercício cancele toda e qualquer consulta que tenha sido feita anteriormente. Clique em - [Executar] [Limpar] [Tudo]. Criando uma coleção para objeto Bairro Santa Teresa: - Ativar PI Mapa_bairros - (Objetos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - {Coleção: BSTeresa} - (Criar) - (Atributos NOM_BAIRRO) - (Operador = ) - (Valores T) - selecionar item Santa Teresa na lista. - (Gerar) Iniciando a consulta com todas as mortes: - Ativar e desenhar Pontos e Objetos do PI mortal - (Pontos), (Objetos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - (Coleções ALL) - (Aplicar) Executando a consulta espacial: Visualização de Objetos - [Editar] [Consulta Espacial...] Consulta Espacial - (Operação Topologia) - (Relacionamento Dentro) - (Objeto Bairros) - em Dados a Comparar - (PI Mapa_bairros:Cad_Bairros) - (Coleção BSTeresa) - (Opção de Seleção Nova) - o resultado é apresentado na tela ativa. Visualização de Objetos 32 Cursos DPI -INPE

33 RESULTADO: Os óbitos procurados são num total de 17. Consulta 3 Selecione todos os bairros com área maior do que metros quadrados. IMPORTANTE: Antes de iniciar o próximo exercício cancele toda e qualquer consulta que tenha sido feita anteriormente. Clique em - [Executar] [Limpar] [Tudo]. Iniciando a consulta com todos os bairros: - Ativar PI Mapa_bairros - (Linhas), (Objetos), (Textos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - (Coleção ALL) - (Aplicar...) Executando a consulta espacial: Visualização de Objetos - [Editar] [Consulta...] Seleção de Objeto - (Atributos AREA) - (Operação >) - {Valor: } (CR) - o resultado é apresentado na tela ativa. - (Cancelar) - volta a mostrar todos objetos bairros. RESULTADO: Os bairros são num total de 35. Consulta 4 Selecionar todas as mortes que estejam a 4000 m do bairro Arquipélago. IMPORTANTE: Antes de iniciar o próximo exercício cancele toda e qualquer consulta que tenha sido feita anteriormente. Clique em - [Executar] [Limpar] [Tudo]. Criando uma coleção para objeto Bairro Arquipélago: - Ativar PI Mapa_bairros - (Objetos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - {Coleção: BArquipelago} - (Criar) - (Atributos NOM_BAIRRO) - (Operador = ) INPE - 33

34 - (Valores T) - selecionar item Arquipelago na lista. - (Gerar) Iniciando a consulta com todas as mortes: - Ativar e desenhar Pontos e Objetos do PI mortal - Ativar o PI mortal - (Pontos) (Objetos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - (Coleções ALL) - (Aplicar) Executando a consulta espacial: Visualização de Objetos - [Editar] [Consulta Espacial...] Consulta Espacial - (Operação Métrico) - (Distância < ) - {Valor: 4000} - (Objeto Bairros) - em Dados a Comparar - (PI Mapa_bairros:Cad_Bairros) - (Coleção BArquipelago) - (Opção de Seleção Nova) - o resultado é apresentado na tela ativa. RESULTADO: Os óbitos são num total de 51. Exercício 13 - Consultas combinadas de Objetos Inicialmente, ative o banco de dados Banco_DF e o projeto DF. Carregando o projeto do Plano Piloto: - # Iniciar Programas Spring - [Arquivo] [Banco de Dados...] ou botão Banco de Dados - (Diretório...) selecionar o caminho C:\Curso_BDG\springdb - {Nome: Banco_DF} - (Ativar) - caso não seja o projeto ativo. - [Arquivo] [Projeto...] ou botão Projetos - {Nome: DF} - (Ativar) Apresentamos a seguir algumas consultas a serem executas. 34 Cursos DPI -INPE

35 Consulta 1 O exercício a seguir permite responder a seguinte pergunta - Calcule o número total de salas de aulas da rede pública com ensino regular da região administrativa Brasília (RA I ).? Observe que está consulta depende somente dos atributos descritivos (NO_SALAS, ENSINO, NOME_RA e TIPO) do objeto escolas. Executando uma consulta por atributos Consulta 1 - (Ativar Tela 1) - (Categorias Cad_Escolas) - (Plano de Informação Mapa_Escolas) - (Objetos) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - (Categorias de Objeto escolas) - (Coleções ALL) - (Aplicar) * Espere carregar as janelas Tabela e Visualização de Objetos. TELA 1 - [Executar] [Desenhar] ou botão Visualização de Objetos - [Editar][Consulta...] Seleção de Objetos - (Atributos NOME_RA) - (Operação = ) - (Mostrar) - {Valores: RA I - BRASILIA} - (AND) - (Atributos TIPO) - (Operação = ) - (Mostrar) - {Valores: Publica} - (AND) - (Atributos ENSINO) - (Operação = ) - (Mostrar) - {Valores: Regular} * Observe que na janela Tabela: escola encontram-se trinta e cinco (35) objetos que atendem a expressão de consulta. Caso tenha fechado esta janela execute: Visualização de Objetos - [Editar][Tabela...] Tabela: escolas * Clique botão da direita sobre o nome do atributo, no caso, NO_SALAS, e escolha a operação Estatística. Relatório de Dados * O valor de procurado é 474 (salas). Outros dados estão disponíveis, veja a seguir: INPE - 35

36 N. AMOSTRAS 35 N. AUSENTES 0 MINIMO 5 MEDIANA 9 MAXIMO 92 SOMA TOTAL 474 MEDIA D. PADRAO C. VARIACAO A figura a seguir apresenta o resultado da Consulta 1. Consulta 2 O exercício a seguir permite responder a seguinte pergunta - Quais são as regiões administrativas vizinhas a RA X Guara e que tenham a densidade demográfica maior que 1000?. Observe que está consulta depende somente do mapa de regiões administrativas e do atributo DENS_DEMOG do objeto adm. IMPORTANTE: Antes de iniciar o próximo exercício cancele toda e qualquer consulta que tenha sido feita anteriormente. Clique em - [Executar] [Limpar] [Tudo]. Em primeiro lugar será necessário criar uma coleção com a RA X - Guara. Definindo uma coleção para RA X Guara: - (Ativar Tela 1) - (Categorias Unidades_Políticas) - (Plano de Informação Mapa_ADM) - (Linhas), (Objetos), (Texto) - (Consultar...) Geração e Seleção de Coleção - (Categorias de Objeto adm) 36 Cursos DPI -INPE

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING Dr. Carlos A Felgueiras (carlos@dpi.inpe.br) Gerente de Desenvolvimento do SPRING DPI - Divisão de Processamento de Imagens INPE Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico Junho de 2006 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas 3.1 AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas Neste capítulo serão apresentadas algumas ferramentas de análise de dados com representação vetorial disponíveis no TerraView. Para isso será usado o banco de

Leia mais

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o uso do TerraView Essa aula apresenta a interface principal do TerraView e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados nesse documento são disponibilizados junto

Leia mais

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas 3.1 AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas Nesse capítulo serão apresentadas algumas ferramentas de análise de dados com representação vetorial disponíveis no TerraView. Para isso será usado o banco de

Leia mais

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico Junho de 1999 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS Tutorial Banco de Dados Geográficos ANEXO 1 - Definições no SPRING e recursos gerais Entender o modelo de dados do sistema SPRING é fundamental para este tutorial, pois

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView Essa aula apresenta o software TerraView apresentando sua interface e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados neste documento bem como o executável

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Autor: Julho de 2010 Material para Exercícios Práticos APRENDENDO TerraView 3x tem graduação e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso e atualmente

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS Qualquer tipo de tratamento de imagens deve ser efetuado antes de seu registro, ou seja, com a imagem original. As imagens CBERS aparecem com aspecto

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Registro é uma transformação geométrica que relaciona coordenadas da imagem (linha e coluna) com coordenadas geográficas (latitude e longitude) de um

Leia mais

Vetorização no Spring

Vetorização no Spring UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Vetorização no Spring Grazielle Anjos Carvalho Beatriz Trindade Laender Belo Horizonte,

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6 Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação CCE/FAED Deapartamento de Geografia DG Curso Mestrado em Planejamento Regional e Desenvolvimento Sócio Ambiental

Leia mais

ABERTURA DO BANCO DE DADOS. Felipe Correa Prof. Waterloo Pereira Filho

ABERTURA DO BANCO DE DADOS. Felipe Correa Prof. Waterloo Pereira Filho Tutorial Básico de Processamento de Imagens no Spring 4.3.3 Abertura do banco de dados Composição cor verdadeira Composição falsa-cor Ampliação linear de contraste Classificação não-supervisionada Classificação

Leia mais

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Suely Franco Siqueira Lima Teresa Gallotti Florenzano Eliana Maria

Leia mais

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Projetos Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Projetos Como abrir um projeto existente _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar o programa.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

SPRING 3.6.03 - Apresentação

SPRING 3.6.03 - Apresentação SPRING 3.6.03 - Apresentação GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informações espaciais, geração de saídas na forma de mapas, relatórios, arquivos digitais, etc;

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Basicão de Estatística no EXCEL

Basicão de Estatística no EXCEL Basicão de Estatística no EXCEL Bertolo, Luiz A. Agosto 2008 2 I. Introdução II. Ferramentas III. Planilha de dados 3.1 Introdução 3.2 Formatação de células 3.3 Inserir ou excluir linhas e colunas 3.4

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS Obter uma imagem temática a partir de métodos de classificação de imagens multi- espectrais 1. CLASSIFICAÇÃO POR PIXEL é o processo de extração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

AULA 4 Manipulando Tabelas

AULA 4 Manipulando Tabelas 4.1 AULA 4 Manipulando Tabelas Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades relativas a manipulação de tabelas de atributos no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado nas Aulas

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão 01 Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão Rodrigo G. Trevisan¹; José P. Molin² ¹ Eng. Agrônomo, Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas (ESALQ-USP); ² Prof. Dr. Associado

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã

GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ ções espaciais, geraçã ção o de saídas na forma de mapas, relatórios, rios, arquivos digitais, etc; Deve prover recursos

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE)

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) Jorge Santos 2015 QGIS 2.8: Novas Rampas de Cores Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Download e Processos no MDE...

Leia mais

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM SPRING 5.0 1 O objetivo deste tutorial é apresentar de forma simples e prática como construir, no Spring, mapa de declividade a partir de dados do SRTM.

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

Composição de Layout no Terraview

Composição de Layout no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO

APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO ESTÁGIO DOCÊNCIA ALUNA: ADRIANA AFFONSO (PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO NO INPE MESTRADO EM SENSORIAMENTO REMOTO) ORIENTADOR: PROF. DR.

Leia mais

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Ministério da Defesa Exército Brasileiro Maio/2012 Sumário 1- Introdução...2 1.1- O que é o BDGEx?...2 1.2- Entrando no Sistema...2 1.3- Apresentando a Área de Trabalho

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Aula 10 - Geração de Cartas e Impressão

Aula 10 - Geração de Cartas e Impressão 1. Elementos de uma Carta Título Aula 10 - Geração de Cartas e Impressão O Título descreve o propósito da carta e, portanto deve estar em local de destaque. Tamanho Escala O tamanho depende do propósito

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

3. FERRAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO... 8 4. IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO... 12

3. FERRAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO... 8 4. IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO... 12 1. O SOFTWARE TERRAVIEW... 4 2. BANCOS DE DADOS... 4 2.1 CRIANDO UM BANCO DE DADOS... 4 2.2 ABRINDO UM BANCO DE DADOS... 6 3. FERRAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO... 8 3.1 SELEÇÃO DE OBJETOS... 9 4. IMPORTAÇÃO

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

SISTEMA CR CAMPEIRO 7

SISTEMA CR CAMPEIRO 7 SISTEMA CR CAMPEIRO 7 Tópico 2 Estrutura de Gestão Conceitos e Procedimentos 1. Introdução: A Estrutura de gestão empregada no Sistema CR Campeiro 7, obedece a uma hierarquia, que consiste no registro

Leia mais

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes 1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes Janelas são estruturas do software que guardam todo o conteúdo exibido de um programa, cada vez que um aplicativo é solicitado à janela do sistema

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático:

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático: Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de ciências Humanas e da Educação FAED Mestrado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socio- Ambiental - MPPT Disciplina: Geoprocessamento

Leia mais

Estatística Usando EXCEL

Estatística Usando EXCEL Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Estatística Estatística Usando EXCEL Distribuição de alunos segundo idade e sexo > =23 60% 40% 21 ---23 67% 33% 19 ---21

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos.

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Fórmulas e Funções Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Operadores matemáticos O Excel usa algumas convenções

Leia mais

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados TerraView O TerraView é um aplicativo desenvolvido pelo DPI/INPE e construído sobre a biblioteca de geoprocessamento TerraLib, tendo como principais objetivos: - Apresentar à comunidade um fácil visualizador

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna O que é uma planilha eletrônica? É um aplicativo que oferece recursos para manipular dados organizados em tabelas. A partir deles pode-se gerar gráficos facilitando a análise e interpretação dos dados

Leia mais

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário (versão 1.0) 1 APRESENTAÇÃO O Tribunal Superior Eleitoral usando de suas atribuições

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard.

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard. 1 Windows Movie Maker XP O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos que permite criar e editar filmes caseiros, inserindo efeitos, músicas, legendas e transições. O vídeo pode ser criado a

Leia mais

Manual de Apoio ao Treinamento. Expresso

Manual de Apoio ao Treinamento. Expresso Manual de Apoio ao Treinamento Expresso 1 EXPRESSO MAIL É dividido em algumas partes principais como: Caixa de Entrada: local onde ficam as mensagens recebidas. O número em vermelho entre parênteses refere-se

Leia mais

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.0A-01 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Histórico das Revisões

Histórico das Revisões TerraSIG MANUAL DO USUÁRIO Dezembro/2007 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 17.12.2007 1.0 Confecção Cristhiane 20.12.2007 1.0 Confecção Cristhiane 20.12.2007 1.0 Integração Isabele 21.12.2007

Leia mais

Tutorial Mapa-Temático

Tutorial Mapa-Temático Tutorial Mapa-Temático O objetivo deste tutorial é apresentar o passo-a-passo da produção de mapas temáticos, uma das diversas utilidades do TerraView (software livre de geoprocessamento que adotamos por

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

EXCEL: VISÃO GERAL 4

EXCEL: VISÃO GERAL 4 EXCEL: VISÃO GERAL 4 Conhecendo o Excel 4 Conhecendo a área de trabalho 5 Entrada na barra de Fórmulas 6 Iniciando o programa 6 Abrindo uma pasta de planilhas 6 Inserindo dados 6 Apagando o conteúdo de

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14 Guia do Usuário idocsscan v.2.1.14 2013 BBPaper_Ds - 2 - Sumário Introdução... 5 Instalação... 7 Inicializando a aplicação... 12 Barras de acesso e informações... 13 Teclas de atalho... 14 Barra de Ferramentas...

Leia mais

COMO USAR O CADASTRO REMOTO?

COMO USAR O CADASTRO REMOTO? COMO USAR O CADASTRO REMOTO? Este documento fornece um passo a passo explicativo e ilustrado das principais ferramentas de visualização das informações do Cadastro Remoto. APRESENTAÇÃO O cadastramento

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor

SIAP - Sistema de Apoio ao Professor Introdução O SIAP, Sistema de Apoio ao Professor, é um programa que vai contribuir, de forma decisiva, com o cotidiano escolar de alunos, professores, gestores e funcionários administrativos. Com a implantação

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Análise de Dados do Financeiro

Análise de Dados do Financeiro Análise de Dados do Financeiro Introdução Para reunir em um só local as informações de contas a pagar e receber cadastradas e/ou geradas no sistema TTransp existe a interface de análise de dados do financeiro.

Leia mais

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 1 INDICE 1. Instalação do Software...3 2. Tela Inicial...3 3. Criando arquivo de configurações (Alt + C + C)...4 3.1 Sensores

Leia mais

iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica

iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica Conteúdo iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica... 3 1. Feedback do Cliente...3 1.1 Feedback do Cliente no Email da Pesquisa Dinâmica... 3 1.2 Página de

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Uruaçu - 2009 Núcleo de Tecnologia Educacional de Uruaçu Rua Maranhão Quadra 02 Lote 01 Bairro JK Uruaçu Goiás Telefone: (62)3357-4237 - Fax : 3357-4217 E-mail nteuruacu@hotmail.com

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 1 MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 2 TERMO DE CONFIDENCIALIDADE As informações contidas neste documento são confidenciais e se constituem em propriedade da BLOCKSAT SISTEMAS DE SEGURANÇA LTDA

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica

Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Aula 09 - Atualização de uma tabela dinâmica. Sumário. Atualizando a tabela dinâmica Sumário Atualizando a tabela dinâmica Exibição de páginas em planilhas separadas Detalhando / ocultando os dados da planilha Gráfico dinâmico Gráfico dinâmico (cont.) Alterando a formatação do gráfico

Leia mais

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x TUTORIAL /2005 Elizete Domingues Salvador SUREG-SP elizete@sp.cprm.gov.br ÍNDICE 1. Adicionar imagem Geocover na área de trabalho do

Leia mais

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN O programa TabWin pode ser utilizado para calcular indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose bem como para análise da qualidade da base de dados do Sinan. O usuário deve ter a versão atualizada

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I. Aula Excel

Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I. Aula Excel Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I Aula Excel O que é o Excel? O Excel é um aplicativo Windows - uma planilha eletrônica - que

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES

GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES GUIA DE AUXÍLIO PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA IFES SUMÁRIO 1. PREENCHIMENTO DA PLANILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS...3 1.1 Menu...3 1.2 Termo de Abertura...4 1.3 Plano do Projeto...5 1.4

Leia mais

Guia do Usuário ader OEC Tr Conta 18 de Junho de 2008

Guia do Usuário ader OEC Tr Conta 18 de Junho de 2008 Guia do Usuário OEC Trader Conta 18 de Junho de 2008 Página 2 18 de Junho de 2008 Tabela de Conteúdos POSIÇÕES MÉDIAS... 4 Exibir e reorganizar colunas... 6 Definições de Posições de cabeçalho na janela...

Leia mais

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ÍNDICE BLUELAB RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ELEMENTOS DA TELA INICIAL DO BLUELAB PROFESSOR guia Meu Espaço de Trabalho...07 A INTERFACE DO BLUELAB...07 INICIANDO

Leia mais

1) Como acessar a aplicação

1) Como acessar a aplicação Guia de Uso V1.0.0 1) Como acessar a aplicação 2 1 2 3 3 4 Ao clicar em Banco de Necessidades, será aberta uma nova guia do navegador com o formulário mostrado abaixo, o qual possui dois botões : Consulta

Leia mais

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER. I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa.

MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER. I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa. MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa. 1. Entrar na site www.gpstm.com/downloads.php?lang=port, clique no Download da versão GPS TrackMaker

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT Power Point Básico Santa Maria, julho de 2006 O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações.

Leia mais

SIG - Sistemas de Informação Geográfica

SIG - Sistemas de Informação Geográfica SIG - Sistemas de Informação Geográfica Gestão da Informação Para gestão das informações relativas ao desenvolvimento e implantação dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Leia mais

Tour pela área de trabalho

Tour pela área de trabalho Tour pela área de trabalho Bem-vindo ao CorelDRAW, um programa abrangente de desenho e design gráfico baseado em vetor para o profissional gráfico. Neste tutorial, você se familiarizará com a terminologia

Leia mais