UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS"

Transcrição

1 UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS Obter uma imagem temática a partir de métodos de classificação de imagens multi- espectrais 1. CLASSIFICAÇÃO POR PIXEL é o processo de extração de informação em imagens para reconhecer padrões e objetos homogêneos. Os Classificadores "pixel a pixel" utilizam apenas a informação espectral isoladamente de cada pixel para achar regiões homogêneas. O resultado final de um processo de classificação é uma imagem digital que constitui um mapa de "pixels" classificados, representados por símbolos gráficos ou cores. As técnicas de classificação multiespectral "pixel a pixel" mais comuns são: máxima verossimilhança (MAXVER), distância mínima método do paralelepípedo. MAXVER considera a ponderação das distâncias entre médias dos níveis digitais das classes, utilizando parâmetros estatísticos. Para que a classificação por máxima verossimilhança seja precisa o suficiente, é necessário um número razoavelmente elevado de "pixels", para cada conjunt o de treinamento. Os conjuntos de treinamento definem o diagrama de dispersão das classes e suas distribuições de probabilidade, considerando a distribuição de probabilidade normal para cada classe do treinamento. Antes de apresentarmos os procedimentos para executar uma classificação descreve- se a seguir a seqüência lógica de operações a ser seguida: 1. Criar o arquivo de Contexto - este arquivo armazena quais as bandas farão parte do processo de classificação, qual o método utilizado (pixel ou região) e as amostras no caso da classificação por pixel; 2. Executar o treinamento - deve ser feita amostragens sobre uma imagem na área de desenho; 3. Analisar as amostras - permite verificar a validade das amostras coletadas; 4. Executar a - de posse da amostras e das bandas escolhidas a imagem é classificada; 5. Executar uma Pós classificação - processo de extração de pixels isolados em função de um limiar e um peso fornecidos pelo usuário (não obrigatório); 6. Executar o Mapeamento para Classes - permite transformar a imagem classificada (categoria Imagem) para um mapa temático raster (categoria Temática). PRÁTICA 1 por Pixel: - # Iniciar Programas Spring SPRING * Ativar banco de dados Banco_1 * Ativar projeto Proj_3 * Visualizar uma composição colorida RGB ou apenas uma banda. - [Imagem][...] Criando arquivo de contexto:

2 - (Criar...) Criação de Contexto - {Nome : contx1} - (Tipo de Análise : Pixel) - (Bandas b2_real2, b3_real2 e b4_real2) - selecionar bandas Treinando classificação: * uma imagem deve estar ativa no Painel de controle. - (Contextos contx1) - selecionar arquivo de contexto - (...) na janela que aparece Adquira amostra clique Ok. - {Nome: vegetacao} * Selecionar cor - (Criar) - (Tipo : Aquisição) Adquirindo amostras retangulares: - (Contorno : Retangular) * Selecionar amostra sobre a imagem como se fosse efetuar um zoom. - (Adquirir) Adquirindo amostras poligonais: - (Contorno : Poligonal) *Digitalizar contorno da amostra sobre a imagem, encerrando a linha com o botão do Meio ou direito. Automaticamente o primeiro ponto se fecha com o último. Pode-se usar o Cursor de Zoom, Cursos de Vôo, Recompor, Zoon In e Zoon Out. - (Adquirir) * Adquirir amostras suficientes para o tema * Repetir para outros temas: urbano, solo, agua, agricultura, pastagens Visualização de temas e amostras: - (Temas vegetação) clique sobre e verá as amostras na tela com a cor selecionada anteriormente. - (Amostras qualquer uma) a borda da amostra na tela será aumentada com a cor selecionada anteriormente. OBS: Após analisar as amostras (item mais a frente) pode ser necessário mudar o tipo da amostra, sem necessidade de eliminá-la. Ao alterar uma amostra do tipo Aquisição p/ Teste, essa será analisada mas não será considerada no classificador. Alterando tipo de amostras: - (Amostras qualquer uma)

3 - (Tipo : Teste) - (Alterar) fazer algumas alterações e voltar todas ao tipo Aquisição. Exportar temas: - (Categoria: CAT_Uso_Terra) - {PI: Temas_1} - (Exportar) - com opção Aquisição e o diretório AgroGeo/Textos. - (Salvar) Classificando a imagem: - (...) de Imagens - (Classificador : Maxver) - (Limiar de Aceitação: 99%) - (Analisar Amostras...) aguarde. Análise de Amostras * Analisar as amostras de aquisição e de teste para cada tema * Para as amostras com confusão alta, retornar ao treinamento para edição (anotar alguns temas amostras com alta confusão) - (Gravar) antes de alterar as amostras, fornecer o nome Anamostras_1 e o diretório AgroGeo/Textos; quando alterar pela primeira vez, analisar novamente e salvar Anamostras _2; estes arquivos podem ser abertos em editor de texto e impressos para melhor análise. de Imagens - (Nome: b_clas_1) não se esquecer de dar o nome de saída; se pretende utilizar mais de um classificador, acrescentar mais um sufixo (mver, deucl...). aguardar e após o término indicando o tempo consumido, clique OK. *Visualizar a imagem classificada na janela Auxiliar aberta automaticamente (minimize a janela ); usando o botão Cursor de info se pode identificar as classes sobre a imagem classificada. * cada alteração nas amostras se deve fazer outra classificação (b_clas_2...) Eliminando o ruídos de classificação - Pos-classificação: (se a janela não estiver aberta, abri-la novamente) - (Pós-...) Pós - - (Imagens Classificadas b_clas_1) - (Peso : 2) já vem como padrão. - (Limiar : 5) já vem como padrão. * Visualizar a imagem resultante, na tela Auxiliar que é gerada automaticamente ou fechando-a e acionando a imagem classificada no Painel de controle (b_clas_1_pos).

4 * Testar outros pesos e limiares Mapeando temas da imagem classificada para classes do banco de dados: - (Mapeamento...) Mapeamento para Classes - (Categoria Cat_Uso_Terra) - (Imagens Classificadas b_clas_1_pos) - (Temas vegetacao) - (Classes vegetação) - Repetir para os todos os temas. Para cada tema deve haver uma classe temática associada. É preciso primeiramente criar uma Categoria temática com as devidas classes. - * Visualizar na janela Auxiliar que se abre automaticamente o PI b_clas_1_pos-t. Mapeamento para Classes OBS: Após a classificação é preciso analisar as duas imagens (original e classificada) para ver se todas as áreas foram classificadas. Na imagem classificada ou na pós-classificada podemos perceber que algumas áreas ficaram em branco, ou seja, não foram classificadas. Neste caso, podemos refazer a classificação, adquirindo mais amostras de cada classe, até que toda a imagem esteja classificada, ou então fazer uma edição matricial, na qual selecionaremos os pixels que não foram classificados, e de acordo com a imagem, editar para a classe correspondente. Percebendo a diferença entre imagem classificada e mapa temático: - (Modelo de dados) Modelo de dados - (Categorias: Cat_Uso_Terra) - (Classes temáticas: vegetação) - (Visual) Visuais de apresentação gráfica - (Cor... Lima) * repetir para todas as outras classes optando pelas cores: solo/salmão, água/azul real, urbano/preto, agricultura/amarelo, pastagens/madeira. * para ver a diferença: mantenha b_clas_1_pos na tela Principal e acione a tela Auxiliar selecionando b_clas_1_pos-t. 2. SEGMENTAÇÃO

5 Neste processo, divide-se a imagem em regiões que devem corresponder às áreas de interesse da aplicação. As regiões são um conjunto de "pixels" contíguos, que se espalham bidirecionalmente e que apresentam uniformidade. Crescimento de regiões É uma técnica de agrupamento de dados, na qual somente as regiões adjacentes, espacialmente, podem ser agrupadas. Inicialmente, este processo de segmentação rotula cada "pixel" como uma região distinta. Calcula- se um critério de similaridade para cada par de região adjacente espacialmente. O critério de similaridade baseia- se em um teste de hipótese estatístico que testa a média entre as regiões. A seguir, divide- se a imagem em um conjunto de sub-imagens e então realiza- se a união entre elas, segundo um limiar de agregação definido. O resultado é uma imagem rotulada, cada região apresentando um rótulo (valor de nível digital), que devem ser classificadas por classificadores de região. Os seguintes passos devem ser seguidos para gerar uma classificação a partir de uma imagem segmentada. 1. Criar uma imagem segmentada - gerar uma imagem, separada em regiões com base na análise dos níveis de cinza. 2. Criar o arquivo de Contexto - este arquivo armazena quais as bandas farão parte do processo de classificação por regiões. 3. Executar o treinamento - deve ser feita amostragens sobre uma imagem na área de desenho; 4. Analisar as amostras - permite verificar a validade das amostras coletadas; 5. Extração de regiões - neste procedimento o algoritmo extrai as informações estatísticas de média e variável de cada região, considerando as bandas indicadas no contexto; 6. -para a realizar a classificação de uma imagem segmentada deve- se usar o classificador por regiões; 7. Executar a - de posse da amostras e das bandas escolhidas a imagem é classificada; 8. Executar o Mapeamento para Classes - permite transformar a imagem classificada (categoria Imagem) para um mapa temático raster (categoria Temático). PRÁTICA 2 Executando uma Segmentação -# Iniciar Programas Spring SPRING * Ativar banco de dados Banco_1 * Ativar projeto Proj_3 - [Imagem][Segmentação...] Segmentação - (Método Crescimento de regiões) - (Bandas b2_real2, b3_real2 e b4_real2) BGR. - (Similaridade 8) - (Área (pixels) 125) 5 ha. - (Categoria...: CAT_Ima_CBERS2B) - {Imagem Segmentada: b_real2_seg_8-125}

6 - (Suavização de Arcos Sim) aguardar, talvez entre cinco a dez minutos; sós terá terminado quando a tela Auxiliar surgir automaticamente e a janela de tempo transcorrido também aparecer. Na tela auxiliar aparecerão as linhas geradas pela segmentação; ambas podem ser fechadas. * Visualizar imagem rotulada b_real2_seg_8-125, sobreposta à imagem b_real2_sint ou outra imagem. * Testar outros valores de similaridade e área, por exemplo 10 e 125 e comparar. por Região Os Classificadores por regiões utilizam, além de informação espectral de cada "pixel", a informação espacial que envolve a relação entre os "pixels" e seus vizinhos. Estes classificadores procuram simular o comportamento de um foto-intérprete, ao reconhecer áreas homogêneas de imagens, baseados nas propriedades espectrais e espaciais de imagens. A informação de borda é utilizada inicialmente para separar regiões e as propriedades espaciais e espectrais irão unir áreas com mesma textura. O classificador Isoseg é o algoritmo disponível no SPRING para classificar regiões de uma imagem segmentada. É um algoritmo de agrupamento de dados não- supervisionado, aplicado sobre o conjunto de regiões, que por sua vez são caracterizadas por seus atributos estatísticos de média e matriz de covariância e também pela área. por Região: - # Iniciar Programas Spring SPRING * Ativar banco de dados Banco_1 * Ativar projeto Proj_3 * Visualizar as imagens b2_real2, b3_real2 e b4_real2 (BGR) - [Imagem][...] - (Criar...) Criando arquivo de Contexto: Criação de Contexto - {Nome: b_clasreg_1} - (Tipo de Análise Região) - (Bandas b2_real2, b3_real2, b4_real2) selecionar bandas. - (Imagens Segmentadas b_real2_seg_8-125) Extraindo regiões: - (Extração de Atributos das Regiões) aguardar. Classificando sem supervisão: - (...) por Regiões - (Classificador Isoseg)

7 - (Limiar de Aceitação 99%) - (Categoria...: CAT_Ima_CBERS2B) - {Nome: b_isoseg_99} aguarde a tela de tempo transcorrido, dê OK e observe o lançamento da tela Auxiliar que contêm a imagem classificada e feche-a. OBS executar: a) Acionar o módulo b) Executar a Pós-classificação da mesma forma já aplicada na Prática 1 (usando os padrões sugeridos pelo sistema) c) Executar o Mapeamento da mesma forma já aplicada na Prática 1

Aula 5 - Classificação

Aula 5 - Classificação AULA 5 - Aula 5-1. por Pixel é o processo de extração de informação em imagens para reconhecer padrões e objetos homogêneos. Os Classificadores "pixel a pixel" utilizam apenas a informação espectral isoladamente

Leia mais

APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO

APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO APLICAÇÕES PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS EM SENSORIAMENTO REMOTO ESTÁGIO DOCÊNCIA ALUNA: ADRIANA AFFONSO (PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO NO INPE MESTRADO EM SENSORIAMENTO REMOTO) ORIENTADOR: PROF. DR.

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

Classificação de Imagens

Classificação de Imagens Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil Classificação de Imagens Profa. Adriana Goulart dos Santos Extração de Informação da Imagem A partir de uma visualização das imagens,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGEM

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGEM DISCIPLINA SIG OFICINA: Classificação de Imagens de Sensoriamento Remoto Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: BRUNO ZUCHERATO E KATIA CRISTINA BORTOLETTO CLASSIFICAÇÃO DE IMAGEM Para realizar

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS

CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS SIG Profa.. Dra. Maria Isabel Castreghini de Freitas ifreitas@rc.unesp.br Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher medinilha@linkway.com.br O que é classificação? É o processo de

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS Qualquer tipo de tratamento de imagens deve ser efetuado antes de seu registro, ou seja, com a imagem original. As imagens CBERS aparecem com aspecto

Leia mais

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING Dr. Carlos A Felgueiras (carlos@dpi.inpe.br) Gerente de Desenvolvimento do SPRING DPI - Divisão de Processamento de Imagens INPE Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

ABERTURA DO BANCO DE DADOS. Felipe Correa Prof. Waterloo Pereira Filho

ABERTURA DO BANCO DE DADOS. Felipe Correa Prof. Waterloo Pereira Filho Tutorial Básico de Processamento de Imagens no Spring 4.3.3 Abertura do banco de dados Composição cor verdadeira Composição falsa-cor Ampliação linear de contraste Classificação não-supervisionada Classificação

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6 Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação CCE/FAED Deapartamento de Geografia DG Curso Mestrado em Planejamento Regional e Desenvolvimento Sócio Ambiental

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Registro é uma transformação geométrica que relaciona coordenadas da imagem (linha e coluna) com coordenadas geográficas (latitude e longitude) de um

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail.

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail. GERAÇÃO DE MAPA DE USO E COBERTURA DE SOLO UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE LANDSAT 8 PARA O SUPORTE AO PLANEJAMENTO MUNICIPAL DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ. Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³ 1 Universidade

Leia mais

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático:

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático: Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de ciências Humanas e da Educação FAED Mestrado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socio- Ambiental - MPPT Disciplina: Geoprocessamento

Leia mais

Aula 4 - Processamento de Imagem

Aula 4 - Processamento de Imagem 1. Contraste de Imagens Aula 4 - Processamento de Imagem A técnica de realce de contraste tem por objetivo melhorar a qualidade das imagens sob os critérios subjetivos do olho humano. É normalmente utilizada

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Centro de Estudos Gerais Instituto de Geociências Departamento de Análise Geoambiental Disciplina: Sensoriamento Remoto I

Centro de Estudos Gerais Instituto de Geociências Departamento de Análise Geoambiental Disciplina: Sensoriamento Remoto I Centro de Estudos Gerais Instituto de Geociências Departamento de Análise Geoambiental Disciplina: Sensoriamento Remoto I Organizado por: Cesar Augusto Valdeger de Oliveira Revisado e editado por: Angelica

Leia mais

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo.

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo. O que é o Gimp? O GIMP é um editor de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos e logotipos, redimensionar fotos, alterar cores, combinar imagens utilizando o paradigma de camadas, remover

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ - 79 - A última lição trata sobre a questão ambiental. Iremos estudar sobre a importância da preservação da vegetação, principalmente da mata ciliar.

Leia mais

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico Junho de 2006 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

AULA 15 Plugin Preenchimento de Células

AULA 15 Plugin Preenchimento de Células 15.1 AULA 15 Plugin Preenchimento de Células Nessa aula são apresentadas as funcionalidades do plugin de preenchimento de células. O plugin Preenchimento de Células possibilita calcular valores para atributos

Leia mais

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o uso do TerraView Essa aula apresenta a interface principal do TerraView e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados nesse documento são disponibilizados junto

Leia mais

GERENCIADOR ELETRÔNICO

GERENCIADOR ELETRÔNICO MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS Sumário Menu Arquivos Empresas Usuárias... 04 Ativar Empresas... 04 Cadastro (Assunto/Documento)... 05 Sair... 07 Menu Digitalização Normal... 08

Leia mais

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM SPRING 5.0 1 O objetivo deste tutorial é apresentar de forma simples e prática como construir, no Spring, mapa de declividade a partir de dados do SRTM.

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

2.1.2 Definição Matemática de Imagem

2.1.2 Definição Matemática de Imagem Capítulo 2 Fundamentação Teórica Este capítulo descreve os fundamentos e as etapas do processamento digital de imagens. 2.1 Fundamentos para Processamento Digital de Imagens Esta seção apresenta as propriedades

Leia mais

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE)

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) Jorge Santos 2015 QGIS 2.8: Novas Rampas de Cores Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Download e Processos no MDE...

Leia mais

REGISTRO DE IMAGENS COM RELAÇÃO AO MOSAICO GEOCOVER 2000. Programa ENVI @

REGISTRO DE IMAGENS COM RELAÇÃO AO MOSAICO GEOCOVER 2000. Programa ENVI @ REGISTRO DE IMAGENS COM RELAÇÃO AO MOSAICO GEOCOVER 2000 Programa ENVI @ TUTORIAL /2005 Mônica Mazzini Perrotta perrotta@sp.cprm.gov.br ÍNDICE Introdução 1 Preliminares 1 1. Leitura da imagem Geocover

Leia mais

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes

1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes 1 UNIT Universidade do Trabalhador Dr. Abel dos Santos Nunes Janelas são estruturas do software que guardam todo o conteúdo exibido de um programa, cada vez que um aplicativo é solicitado à janela do sistema

Leia mais

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas

AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas 3.1 AULA 3 Ferramentas de Análise Básicas Neste capítulo serão apresentadas algumas ferramentas de análise de dados com representação vetorial disponíveis no TerraView. Para isso será usado o banco de

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS Tutorial Banco de Dados Geográficos ANEXO 1 - Definições no SPRING e recursos gerais Entender o modelo de dados do sistema SPRING é fundamental para este tutorial, pois

Leia mais

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA 16 - SCARTA Módulo do SPRING que permite editar uma carta e gerar arquivo para impressão, permitindo a apresentação na forma de um documento cartográfico. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra

Leia mais

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView Essa aula apresenta o software TerraView apresentando sua interface e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados neste documento bem como o executável

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga

Manual do Artikulate. Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga Andreas Cord-Landwehr Ondrila Gupta Tradução: André Marcelo Alvarenga 2 Conteúdo 1 Introdução 5 1.1 Conceito de aprendizagem................................. 5 1.2 Primeiros passos no Artikulate..............................

Leia mais

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL

VERSÃO 1 PRELIMINAR - 2010 MÓDULO 3 - PRESENCIAL MÓDULO 3 - PRESENCIAL CmapTools É um software para autoria de Mapas Conceituais desenvolvido pelo Institute for Human Machine Cognition da University of West Florida1, sob a supervisão do Dr. Alberto J.

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento Atividade Prática: Laboratório SIG Docentes: Prof. Dr Claudio Luiz Marte Prof. Dr. José Alberto Quintanilha Elaboração Roteiro: Mariana Abrantes Giannotti Colaboração:

Leia mais

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x TUTORIAL /2005 Elizete Domingues Salvador SUREG-SP elizete@sp.cprm.gov.br ÍNDICE 1. Adicionar imagem Geocover na área de trabalho do

Leia mais

Microsoft PowerPoint

Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint é utilizado para desenvolver apresentações. Os trabalhos desenvolvidos com este aplicativo normalmente são apresentados com o auxílio de um datashow. Apresentações

Leia mais

Vetorização no Spring

Vetorização no Spring UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Vetorização no Spring Grazielle Anjos Carvalho Beatriz Trindade Laender Belo Horizonte,

Leia mais

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico Junho de 1999 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

Apostila de CmapTools 3.4

Apostila de CmapTools 3.4 Apostila de CmapTools 3.4 Índice Definição do software... 3 Criando um novo mapa... 3 Adicionando um conceito... 3 Alterando a formatação das caixas (Barra de Ferramentas Estilos Paleta Styles)... 7 Guia

Leia mais

Banner Flutuante. Dreamweaver

Banner Flutuante. Dreamweaver Banner Flutuante Dreamweaver Começamos com um arquivo em branco no Dreamweaver MX. Para que o banner apareça sobre a página, precisamos inserir uma camada a mais no arquivo HTML. Selecione o menu Inserir

Leia mais

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Suely Franco Siqueira Lima Teresa Gallotti Florenzano Eliana Maria

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Processamento de Imagens Tratamento da Imagem - Filtros Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/033 Sumário 2 Conceito de de Filtragem Filtros

Leia mais

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 CURITIBA 2015 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007... 3 JANELA PRINCIPAL... 3 1 - BOTÃO OFFICE... 4 2 - FERRAMENTAS DE ACESSO

Leia mais

Processamento digital de imagens. introdução

Processamento digital de imagens. introdução Processamento digital de imagens introdução Imagem digital Imagem digital pode ser descrita como uma matriz bidimensional de números inteiros que corresponde a medidas discretas da energia eletromagnética

Leia mais

Aprendendo a Usar o ArcExplorer

Aprendendo a Usar o ArcExplorer Aprendendo a Usar o ArcExplorer O ArcExplorer é um software simples de visualização e consultas de arquivos utilizados em geoprocessamento. Muito embora seja um software livre e conseqüentemente, para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice Índice Capítulo 10 Inserindo figuras e objetos... 2 Configurando AutoFormas... 2 Criando Caixas de Texto... 3 Inserindo Linhas e Setas... 3 Utilizando WordArt... 4 Inserindo Figuras... 5 Configurando figuras...

Leia mais

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK 1 SÚMARIO ASSUNTO PÁGINA Componentes da Lousa... 03 Função Básica... 04 Função Bandeja de Canetas... 05 Calibrando a Lousa... 06

Leia mais

Quanto menor o comprimento de onda mais o efeito da atmosfera. A Banda 1 do Landsat 5 TM serve para estudar sedimentos (menor comprimento de onda)

Quanto menor o comprimento de onda mais o efeito da atmosfera. A Banda 1 do Landsat 5 TM serve para estudar sedimentos (menor comprimento de onda) Para mapear áreas de cultura (áborea) natural (floresta, reflorestamento) usar imagens de agosto, setembro. Para mapear produtividade, contaminação, praga, usar imagens de janeiro ou dezembro. Para mapear

Leia mais

AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo

AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo 10.1 AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo Nessa aula serão apresentados dois plugins do TerraView que permitem acesso a fontes de dados externos ao banco de dados ao qual se está conectado, como

Leia mais

SPRING 3.6.03 - Apresentação

SPRING 3.6.03 - Apresentação SPRING 3.6.03 - Apresentação GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informações espaciais, geração de saídas na forma de mapas, relatórios, arquivos digitais, etc;

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Uruaçu - 2009 Núcleo de Tecnologia Educacional de Uruaçu Rua Maranhão Quadra 02 Lote 01 Bairro JK Uruaçu Goiás Telefone: (62)3357-4237 - Fax : 3357-4217 E-mail nteuruacu@hotmail.com

Leia mais

Scanners da série i4000

Scanners da série i4000 Scanners da série i4000 Guia de Configuração de digitalização para aplicativos TWAIN A-61653_pt-br Usando a fonte de dados TWAIN Iniciando a Ferramenta de validação de scanner (SVT)... 2 Caixa de diálogo

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD 1 - INTRODUÇÃO O ArcPad é um software de mapeamento e tratamento de Informações Geográficas desenvolvido pela ESRI cujo objetivo principal é a portabilidade e mobilidade dos dados. O ArcPad pode ser utilizado

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia

Wordpress - Designtec. Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia Wordpress - Designtec Manual básico de gerenciamento Práticas de Geografia 1 Índice Acessando o painel administrativo... 3 Gerenciamento de edições... 3 Gerenciamento de artigos... 3 Publicando mídias...

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Word 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Leia mais

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner

MANUAL DO CatBib* * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online. Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner MANUAL DO CatBib* Elaborado por: Maria do Socorro Gomes de Almeida e Edwin Hübner RIO DE JANEIRO 2002 * Este manual deve ser usado junto com o Sistema Bibliodata Online SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRADA

Leia mais

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Ministério da Defesa Exército Brasileiro Maio/2012 Sumário 1- Introdução...2 1.1- O que é o BDGEx?...2 1.2- Entrando no Sistema...2 1.3- Apresentando a Área de Trabalho

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

TUTORIAL DO EMBRAPEC

TUTORIAL DO EMBRAPEC TUTORIAL DO EMBRAPEC I Instalação 1 Instalale o Java (JRE) versão 5 a partir do site da Sun Microsystem http://java.sun.com/javase/downloads/index_jdk5.jsp. Selecione a opção Java Runtime Environment (JRE)

Leia mais

selecionado. DICAS 1. Explore, sempre, o ícone

selecionado. DICAS 1. Explore, sempre, o ícone COMO USAR O MAPA COM INDICADORES DO GEOPORTAL DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE DA BAHIA? Este documento fornece um passo a passo explicativo e ilustrado das principais ferramentas do Mapa com Indicadores do GeoPortal

Leia mais

Scanner ScanMate i1120

Scanner ScanMate i1120 Scanner ScanMate i1120 Guia de configuração de digitalização A-61619_pt-br 5K2153 Guia de configuração de digitalização para Fonte de dados TWAIN Iniciando a Ferramenta de validação de digitalização...

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Nota Técnica Aplicação de Física Médica em imagens de Tomografia de Crânio e Tórax Autores: Dário Oliveira - dario@cbpf.br Marcelo Albuquerque - marcelo@cbpf.br

Leia mais

Aula 3. Word Administrativo. Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo

Aula 3. Word Administrativo. Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo Aula 3 Solicitamos que guarde seus arquivos, para o projeto final do módulo Microsoft Word Tema da aula: Criando um Papel Timbrado Características do Papel Timbrado 1. Nome da empresa no cabeçalho 2. Design

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8

GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8 GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8 Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 4 O Problema do Pixel Valor Zero... 4 1.1 Transformação Radiométrica... 4 1.2 Equalização

Leia mais

Classificação da imagem (ou reconhecimento de padrões): objectivos Métodos de reconhecimento de padrões

Classificação da imagem (ou reconhecimento de padrões): objectivos Métodos de reconhecimento de padrões Classificação de imagens Autor: Gil Gonçalves Disciplinas: Detecção Remota/Detecção Remota Aplicada Cursos: MEG/MTIG Ano Lectivo: 11/12 Sumário Classificação da imagem (ou reconhecimento de padrões): objectivos

Leia mais

CRIANDO MDT. Para criar o MDT Selecione o botão Modelagem ou clique na área esquerda da do programa onde se terá a opção criar Nova Modelagem.

CRIANDO MDT. Para criar o MDT Selecione o botão Modelagem ou clique na área esquerda da do programa onde se terá a opção criar Nova Modelagem. CRIANDO MDT Um MDT no programa AutoGeo tem como finalidade servir como base de dados para informações que servirão para os cálculos a serem realizados tudo que se for projetado a base vem do modelo digital

Leia mais

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Material de Apoio... 3 1.1 Cartografia de Referência... 3 1.2 Base Cartográfica Vetorial de Referência...

Leia mais

Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw

Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw Como Efetuar o Corte de Contorno pelo Corel Draw Corte de Contorno de Imagens vetorizadas pelo Corel Draw É necessario utilizar as versões 11, 12 ou 13 para efetuar o corte de contorno Para começar, instale

Leia mais

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

Banco de Dados. Microsoft Access

Banco de Dados. Microsoft Access Banco de Dados Microsoft Access PARTE 01 edição 2007 Índice 01-) Conceito... 2 02) Sistema Gerenciador de Banco de Dados Relacional (SGBDR)... 3 03) Access... 3 04) Etapas para elaboração de um Banco de

Leia mais

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros:

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Menu Notas Fiscais Entradas (não é um manual) Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Loja desejada. Fornecedor desejado (com marcas homologadas). Filtro para ignorar

Leia mais

AULA 6 - Operações Espaciais

AULA 6 - Operações Espaciais 6.1 AULA 6 - Operações Espaciais Essa aula descreve as operações espaciais disponíveis no TerraView. Antes de iniciar sua descrição é necessário importar alguns dados que serão usados nos exemplos. Exercício:

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS

GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS GUIA PRÁTICO PARA EDIÇÃO DE FOTOS E IMAGENS CRÉDITOS: Márcio Corrente Gonçalves Mônica Norris Ribeiro 1 REDIMENSIONANDO IMAGENS / FOTOS Para uma melhor formatação dos POSTS é necessário padronizar as imagens

Leia mais

Manual Software CMS. Introdução:

Manual Software CMS. Introdução: Introdução: O CMS é uma central de gerenciamento de DVRs, é responsável por integrar imagens de DVRs distintos, com ele é possível realizar comunicação bidirecional, vídeo conferência, função mapa eletrônico

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO PAIVA PIOVESAN

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO PAIVA PIOVESAN MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO PAIVA PIOVESAN CONTEÚDO: 1 Instruções para acesso a Central de Atendimento Página 3 2 Instruções para criação e edição de Atendimentos Página 4 a 09 3 Instruções

Leia mais

ICC - DIA Manual de Uso Versão 1.0 Desenvolvido pelo Setor de T.I

ICC - DIA Manual de Uso Versão 1.0 Desenvolvido pelo Setor de T.I ICC - DIA Manual de Uso Versão 1.0 Desenvolvido pelo Setor de T.I Daniela Távora Elidiane Martins Luana Fernandes Índice 1 Introdução... 3 2 Iniciando o DIA... 4 3 Gerando um fluxograma... 7 4 Propriedades

Leia mais