ANABB apóia a Chapa 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANABB apóia a Chapa 1"

Transcrição

1 de 15 a 29 de maio/2006 ANABB apóia a Chapa 1 compromisso com os associados 1

2 2 CARTA Unidade na Previ, a melhor opção O funcionalismo do Banco do Brasil sempre esteve acostumado a discutir a gestão dos seus representantes nas entidades como Cassi e Previ, ao sabor do momento político. Quem não se lembra de quando os votos eram colhidos por colegas de trabalho, em cada dependência do Banco, misturando a figura de mesário com a de cabo eleitoral? A chapa sugerida pela direção da empresa era sempre a vencedora. Em 1988 a história começou a mudar, e uma chapa encabeçada pelos colegas Francisco Parra e José Valdir, com o apoio das entidades do funcionalismo, venceu as eleições. Naquele momento, os sindicatos ainda não se interessavam pelas eleições da Previ e da Cassi. Foi a primeira campanha para a Previ na qual trabalhamos, com um carrinho velho, o Parra e eu. Rodamos o interior de São Paulo em busca de votos. A partir de 1994, nossa Associação passou a participar das discussões sobre a montagem das chapas e, desde o primeiro momento, nossa contribuição sempre foi no sentido de buscar a unidade. A pluralidade sempre foi a palavra-chave para ajudarmos na composição dos quadros que deveriam administrar a Previ e a Cassi. A importância da Anabb na composição das chapas foi crescendo na mesma proporção em que crescia o prestígio da entidade junto ao funcionalismo, fruto de importantes vitórias conquistadas neste e em outros campos de luta. É importante registrar que, em nenhum momento, a entidade aceitou discutir o tema do ponto de vista das disputas menores, ou seja: associações versus sindicatos, partidos políticos versus partidos políticos, correntes sindicais versus correntes sindicais, direção geral versus dependências do BB, entre outras formas de composições. É claro que as disputas foram ficando cada vez mais pesadas, no campo dos participantes, afastando definitivamente as possibilidades de a direção da empre- sa bancar candidatos vitoriosos. Neste momento estamos vivendo uma situação peculiar, na qual um partido político, vencedor nas últimas eleições presidenciais, continua tendo representantes nas diversas representações de trabalhadores. Mais uma vez a Anabb surpreende e, apesar de ter grandes chances de eleger uma chapa pura na Previ veja o resultado na eleição da Cassi aposta na unidade. Nossa entidade considera mais as pessoas que os partidos políticos. Na Cassi, o papel dos representantes dos trabalhadores, oriundos de partidos políticos aliados ao governo, deixou a desejar. Assim, nossa entidade resolveu disputar com um grupo mais técnico e menos político. Com nossa vitória, o tempo fará o julgamento de nossa decisão. Na Previ, o papel dos eleitos, alguns oriundos do partido do governo, também foi de uma ação diferenciada e de muita luta. Não é o caso de estar defendendo a gestão dos indicados pelo Banco e pelo governo, mas daqueles que demonstraram capacidade de enfrentamento e ajudaram na construção de muitos avanços para os participantes da Previ. Um novo estatuto, a redução da Parcela Previ, a nova Capec, a Carim III, novos parâmetros para empréstimos simples, a redução da contribuição em 40%, o aumento do benefício mínimo e, com a grande margem de superávit, a possibilidade concreta de novas conquistas com aumentos nos benefícios. A Anabb não é contra pessoas, partidos políticos, entidades sindicais, associações e representações de aposentados. Sempre que é possível, mesmo quando a chance de vitória isolada pode parecer um prêmio pelo trabalho de muitos anos, nós preferimos apostar na unidade. Assim, pedimos o seu voto e o seu trabalho para elegermos a Chapa 1 Unidade na Previ. A Previ vai bem obrigado, mas não pode ser vítima de aventuras. O tempo, também, fará o julgamento. Valmir Camilo é presidente da ANABB e conselheiro deliberativo eleito da Previ

3 ENTREVISTA Qual é a importância da diretoria de planejamento? É uma diretoria importante, pois está preparada para a análise de risco de todas as operações feitas pela Previ. Além disso, elabora a política de investimentos de longo prazo, acompanha a atuação da área de investimentos e pode determinar e monitorar os investimentos em renda fixa. A carioca Cecília Garcez sempre enfrentou os desafios que surgiram ao longo de sua vida pessoal e profissional. Com o apoio do Conselho Deliberativo da ANABB, teve a oportunidade de exercer, em duas gestões, cargo de diretora da Associação. Atualmente está licenciada da diretoria de Planejamento da PREVI, cargo que assumiu com o incentivo da ANABB e com o apoio de outras lideranças do BB. E, novamente, concorre ao cargo de diretora da Previ na mesma área em que já vem atuando com muita competência. Nesta entrevista, a candidata Cecília Garcez com a experiência que adquiriu durante os dois anos como titular da DIPLA - Diretoria de Planejamento da Previ destaca as principais características, responsabilidades e resultados de sua gestão Quais são as principais mudanças que devem ser feitas na Previ? A chapa 1 Unidade na Previ tem um programa de gestão bem elaborado. Além disso, gostaria de salientar que existem vários estudos importantes para os participantes, que estão em andamento na Previ e que devem ser implementados, como exemplo: aumento do teto de cálculo do benefício, que hoje é 75%; aumento do benefício mínimo; mudança na fórmula de cálculo para quem adere à aposentadoria antecipada (50 anos); alteração da fórmula de cálculo do benefício para quem contribui mais que 30 anos; aumento do percentual das pensões. Muitos mutuários da Carim estão tendo problemas para liquidar o saldo devedor. Em que moldes a chapa 1 quer reabrir a Carim? A proposta é que a concessão seja a partir da demanda dos associados e não como era feito antes, com uma espera interminável e com uma burocracia descabida. Buscar a forma mais prática para atender o maior número de colegas. Recursos suficientes existem. A redução das contribuições comprometerá o futuro da Previ? Existe um entendimento equivocado de que a redução da contribuição diminuirá a reserva matemática ou o benefício dos associados no futuro. Reduzir a contribuição em 40% teve um custo de R$ 3,5 bilhões, que será coberto pelo valor provisionado na reserva especial, que acumula R$ 7,3 bilhões. Não existe risco para os associados. Temos que lembrar que esses recursos são dos associados. Um fundo de pensão deve apresentar equilíbrio financeiro: o superávit ou déficit demonstra que algo precisa ser ajustado. Em sua opinião, quais são as perspectivas para o Plano Previ Futuro dos funcionários após-98? O Previ Futuro começou bem estruturado, porém sem a diversificação necessária de investimentos. Hoje, os recursos são aplicados em operações de empréstimo simples e em renda fixa. Para 2006, a política de investimentos foi modificada para que 10% do patrimônio sejam investidos em renda variável. Em um cenário futuro de queda de juros a diversificação é importante. Trabalhamos para que a médio prazo, os participantes do Previ Futuro possam optar por investimentos agressivos ou conservadores em bolsa de valores ou em renda fixa. 3

4 BALANÇO DE GESTÃO Propostas de 2004 foram implementadas PROPOSTAS DE 2004 Recuperação do estatuto democrático SITUAÇÃO EM 2006 CUMPRIDO EM PARTE Aprovado novo estatuto, apesar das resistências do Banco. Eleição direta para diretores CUMPRIDO O novo estatuto restabeleceu eleição direta para os 3 diretores que representam os associados. Fundo Paridade CUMPRIDO O fundo será utilizado para melhorar benefícios, com a redução da PP. Aumento do benefício mínimo CUMPRIDO Com a nova PP, o benefício mínimo passou de R$ 440 para R$ 587. Parcela Previ (PP) CUMPRIDO Mais de 87% dos votantes aprovaram em plebiscito, a nova PP. 4 OUTRAS MELHORIAS QUE BENEFICIARAM OS PARTICIPANTES - aumento do limite dos empréstimos simples para R$ 30 mil; - abertura de empréstimos simples para quitar financiamentos imobiliários; - reingresso no Plano Previ Futuro recolhendo somente as contribuições para benefícios de risco (aguardando aprovação da SPC); - empréstimo simples série 10.

5 Agora é hora de fazer um balanço de gestão e mostrar o que foi realizado, tomando por base o programa de luta da chapa vitoriosa na eleição de A Chapa 1 Unidade na Previ foi composta com base nas representações que formaram a chapa eleita naquela eleição. O programa apresentado aos associados àquela época foi executado quase que na sua totalidade pelos atuais dirigentes eleitos, que batalharam durante os dois últimos anos por mudanças favoráveis aos participantes. Veja no quadro abaixo o que foi proposto como plano de luta e o que foi realizado. PROPOSTAS DE 2004 REABERTURA DA CARIM SITUAÇÃO EM 2006 CUMPRIDO EM PARTE Aprovada a reabertura dos financiamentos para os associados do plano 1. Até junho será viabilizada. ÍNDICE DE ATUALIZAÇÃO DA PP CUMPRIDO A PP será reajustada pelos índices de reajuste salarial do pessoal da ativa, evitando novos descasamentos. CONSELHO CONSULTIVO DOS PLANOS CUMPRIDO Foram criados conselhos por plano, incorporando os associados do Previ Futuro à gestão da Previ. USO DO FGTS CUMPRIDO Acordo com a CEF permitiu o uso de FGTS para quitar financiamentos. NOVA CARIM CUMPRIDO Foi implantada a Nova Carim, com redução de saldos devedores e prestações limitadas a 30% do salário. CONTRIBUIÇÕES SÃO REDUZIDAS EM 40% Entre as medidas da atual gestão, esta se destaca entre as mais importantes, pois reduz definitivamente a contribuição de todos os participantes do Plano em 40%. Para implementá-la foi utilizada parte do superávit acumulado, transformando o que era contribuição em ganhos para 100% dos participantes do Plano 1. 5

6 PROPOSTAS Novas propostas, novos desafios A Chapa 1 Unidade na Previ mostrou nos últimos dois anos que tem capacidade de negociar e implantar propostas, sempre com apoio e referência no conjunto do funcionalismo e em suas entidades representativas. Ouvir as demandas dos associados, construir soluções viáveis, lutar pelas reivindicações de todos, administrar a Previ com transparência e segurança. Esses são os compromissos da Chapa 1 Unidade na Previ. Os componentes da Chapa reúnem a experiência de diretores e conselheiros eleitos da Previ com a motivação de novas lideranças que somarão esforços para conservar a Previ numa rota de transparência, segurança e conquista de melhores benefícios. Estão juntos segmentos importantes do funcionalismo e de suas representações (ANABB, sindicatos, AABBs e associações de aposentados) para aumentar nossa força e pressionar o Banco a aceitar a implementação de novas propostas. PROPOSTAS DA UNIDADE NA PREVI MAIS DEMOCRACIA Apesar dos avanços incorporados pelo novo estatuto aprovado em março, o Banco não atendeu a todas as nossas reivindicações. A chapa 1 Unidade na Previ continuará lutando para reconquistar direitos que foram usurpados com a intervenção de FIM DO VOTO DE MINERVA Queremos o fim do voto de minerva, para não correr o risco de o Banco tomar decisões à revelia dos associados. A Previ já tem parecer da SPC que aceita a possibilidade de decisões mais significativas do fundo serem tomadas em quorum qualificado e votação por maioria. 6 DIREITOS DOS ASSOCIADOS Pressionaremos o Banco a mudar de idéia e reincorporar o direito dos associados de decidir por voto direto a aprovação de balanço, alterações nos estatutos e nos regulamentos dos planos.

7 MAIS BENEFÍCIOS MELHORIAS NO PLANO 1 REABERTURA DA CARIM A reabertura dos financiamentos já está decidida. Falta a implementação. Nosso compromisso é agilizar a implantação para atender a todos os associados, começando pelos que nunca usaram a Carim. BENEFÍCIO MÍNIMO Com a nova Parcela Previ, o benefício mínimo (40% da PP) aumentou, mas é possível melhorar ainda mais. Nossa proposta é que o benefício mínimo seja calculado a partir da soma da reserva de poupança de cada associado mais 80% desse valor, sem levar em conta somente o valor da reserva de poupança, como hoje acontece. MUDANÇA DA FÓRMULA DE CÁLCULO DO BENEFÍCIO Essa é uma medida que visa melhorar os benefícios daqueles que se aposentam com menos de 30 anos de contribuição. O objetivo da mudança é garantir eqüidade na hora de calcular o benefício, principalmente as mulheres que são as mais prejudicadas pelo método atual. Nosso compromisso é buscar solução para alterar o cálculo e garantir a todos um benefício equânime. AUMENTO NO TETO DE BENEFÍCIOS Existem dois tetos de benefícios: 136% do Vencimento Padrão mais anuênios ou 75% da remuneração. A Previ considera o que for maior para efeito de aposentadoria. Nossa proposta é aumentar o teto para 90% da remuneração para melhorar a aposentadoria de milhares de pessoas. ALTERAÇÃO DO TETO DE BENEFÍCIO PARA QUEM FICA MAIS DE 30 ANOS NO PLANO A nova lei de previdência estabeleceu idade mínima para aposentadoria proporcional, obrigando muitos participantes a permanecerem mais tempo na ativa. A mudança obriga-os a contribuir por mais de 30 anos antes de adquirir direito ao benefício do INSS. A regra de cálculo atual estabelece um teto que pune aqueles que ficam mais de trinta anos na ativa. Propomos corrigir essa distorção introduzida pela reforma. AUMENTO NAS PENSÕES A pensão paga aos beneficiários dos participantes falecidos é de no mínimo 60% do valor da aposentadoria. Propomos aumentar esse patamar para 80% do benefício de complementação de aposentadoria. 7

8 PROPOSTAS MAIS BENEFÍCIOS MELHORIAS NO PLANO PREVI FUTURO RESGATE DAS RESERVAS Os participantes do plano Previ Futuro não têm o direito de resgatar parte das contribuições do Banco, como é garantido no plano 1. Nossa proposta é que o participante do Previ Futuro tenha o direito de resgatar as contribuições do Banco, descontadas despesas administrativas e custeio do benefício de risco. CUSTEIO DO BENEFÍCIO DE RISCO O benefício de risco (aposentadoria por invalidez e pensão por morte de ativos) é custeado por 0,7% de contribuições do Banco e outro 0,7% dos participantes. Na hora do resgate, esse percentual não é devolvido ao participante. Propomos que o benefício de risco seja custeado somente pela contribuição patronal, para melhorar o montante das reservas individuais de cada um. FINANCIAMENTOS IMOBILIÁRIOS O plano Previ Futuro não tem recursos suficientes para abertura de financiamentos imobiliários, pois este ano atingirá o teto legal de 15% dos ativos somente com empréstimos simples. Nossa proposta é continuar as tratativas com o BB, outros bancos e cooperativas para viabilizar a abertura de financiamento imobiliário mais barato aos associados do plano Previ Futuro. REVISÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Propomos rever a política de investimentos do plano Previ Futuro e investir parte das reservas em fundos de renda variável, de maneira a melhorar a rentabilidade e aumentar o valor das cotas. Tudo feito com segurança e acompanhado pelo Conselho Consultivo do plano. 8

9 PERFIL UNIDADE NA PREVI Os candidatos da Chapa 1 Unidade na Previ já demostraram competência para bem representar os associados na gestão da entidade e garantir o futuro de todos. Os bons resultados apresentados nos últimos anos, reverteram o déficit de 2002 e garantiram três superávits seguidos, atingindo R$ 18,9 bilhões em dezembro de Mesmo num ano de grandes investidas para relacionar a Previ com a crise política, os eleitos não foram envolvidos em nenhum caso e tampouco foram chamados para prestar depoimentos nas CPIs. Com a quebra dos sigilos fiscal, telefônico e contábil do fundo, em nenhum momento apareceu qualquer referência aos eleitos. Continuar tratando os recursos dos participantes com seriedade e zelo é compromisso da Chapa Unidade na Previ. DIRETORIA EXECUTIVA Diretora de Planejamento Diretor de Administração Diretor de Benefícios CECÍLIA GARCEZ Diretora de Planejamento da Previ. MBA em Formação Geral para Altos Executivos; MBA em Previdência e Gestão de Fundos de Pensão ambos pela FGV. Especialização em Gestão de Fundos de Pensão pela Wharton School-Philadelphia. Mestrando em Administração (IBMEC). Foi diretora da ANABB e conselheira deliberativa da Previ. É conselheira deliberativa da ANABB. FRANCISCO ALEXANDRE É atual diretor de Administração, representando os participantes. Engenheiro Civil, advogado, pós-graduado em Economia e Gestão de Pessoas (PUC- SP), MBA em Finanças (PUC-RJ). Foi coordenador da Comissão de Empresa dos funcionários do BB e secretário de Imprensa da Confederação Nacional dos Bancários. JOSÉ RICARDO SASSERON É conselheiro deliberativo da Previ. Formado em História pela USP. Foi diretor de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de São Paulo. Coordenou a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil. Foi conselheiro fiscal eleito da Previ. É presidente da Associação Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão, Anapar. 9

10 PERFIL CONSELHO DELIBERATIVO TITULAR SUPLENTE CONSELHO FISCAL ODALI DIAS CARDOSO Aposentado.Possui MBA em Administração Pública e Marketing pela FGV (RJ). É presidente da AABB Rio de Janeiro. Foi da AABB Tijuca (RJ). Foi assistente técnico em contabilidade e Comércio Exterior na Cacex. TITULAR LUIZ CARLOS TEIXEIRA MBA em Administração. É conselheiro fiscal eleito da Previ e da Fras-Le. Dirigente da Central Autônoma dos Trabalhadores (CAT), da Federação de SP e MS e do Sindicato de Ribeirão Preto. SUPLENTE 10 CARLOS ALBERTO GUIMA- RÃES DE SOUSA Formado em Economia pela PUC/SP. Foi conselheiro da AABB- SP, é do Conselho Deliberativo do Cesabb-SP e do Conselho de Administração da Fenabb. É presidente do Satélite Esporte Clube. FERNANDA CARISIO É pós-graduada em Gestão e Planejamento. Foi conselheira Fiscal da Previ e presidente da Confederação Nacional dos Bancários e do Sindicato do Rio de Janeiro.

11 PERFIL CONSELHO CONSULTIVO - PLANO 1 TITULARES JOÃO ANTÔNIO MAIA FILHO Pós-graduado em Administração de Cooperativas e MBA em Informática. Foi conselheiro deliberativo da Anapar e, atualmente, é presidente da Afago - Goiás. Aposentado, é conselheiro fiscal da Cassi. ROMILDO GOUVEIA PINTO Possui MBA Altos Executivos pela USP/ SP. É membro do Conselho Deliberativo da Anabb e conselheiro da Cooperforte. Foi diretor da Cassi. JOSÉ PAULO STAUB Possui especialização em Gestão de Negócios pela Universidade Federal/ PR. Vice-presidente da Associação dos Aposentados e Funcionários do BB no Paraná. É secretário-geral do Sindicato dos Bancários de Curitiba. SUPLENTES OSWALDO DE ASSIS GOMES JÚNIOR Advogado, é diretor jurídico do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte, foi delegado sindical. EMÍLIO SANTIAGO RIBAS RODRIGUES Advogado, é diretor de Relações Externas e Parlamentares da Anabb, já presidiu a entidade por duas vezes. Ex-diretor do Sindicato de Alegrete (RS), foi conselheiro fiscal da Cassi. MÉRCIA PIMENTEL Possui MBA em Gestão e Saúde, MBA Marketing Executivo pela FGV. É conselheira deliberativa da Anabb. Foi assessora da Superintendência do Banco do Brasil na Bahia. 11

12 PERFIL CONSELHO CONSULTIVO - PREVI FUTURO TITULARES HUMBERTO FERNANDES DE OLIVEIRA Gerente de contas na agência de Araçatuba, foi presidente da AABB no município. Fez MBA Executivo em Finanças pelo Consórcio INEPAD/Universidade de Brasília. ISABEL CRISTINA DOS SAN- TOS SOUZA Gerente de contas no Escritório Private em São Paulo. Foi analista na Superintendência Estadual. Pós-graduada em Mercado de Capitais pela Unip. RODRIGO LOPES BRITTO Graduação em Direito. É diretor do Sindicato de Brasília. Foi gerente de expediente na agência Setor Bancário Sul em Brasília/ DF. SUPLENTES 12 PABLO SANCHES BRAGA É advogado formado pela PUC da Bahia. Tomou posse no Banco do Brasil em É funcionário da agência Cidade Alta em Salvador/ BA. LUCIANO F. OLIVEIRA Pós-graduado em Administração. Foi professor e chefe de departamento na Secretaria Estadual de Administração/RS. Assistente de negócios na agência Jerônimo Coelho de Porto Alegre (RS). É diretor do Sindicato de Porto Alegre. WAGNER DE SOUSA NASCI- MENTO Diretor do Sindicato de Belo Horizonte, é membro do Conselho de Usuários da Cassi em MG. Foi secretário de Administração da Prefeitura de Divisópolis/ MG.

13 AVALIAÇÃO O Conselho Deliberativo da Previ decidiu reduzir em 40% as contribuições dos associados. Os aposentados passarão a recolher 4,8% sobre suas aposentadorias, no lugar dos 8%, e os ativos passarão a contribuir com 5,4% em média, no lugar dos 9% atuais. A medida representa ganho imediato para todos, já que pagar menos significa receber salários ou benefícios líquidos maiores. A medida foi tomada porque a Previ já não precisa arrecadar as contribuições que recebia para manter os benefícios nos níveis atuais. Podemos e devemos questionar se a medida gera riscos para a Previ, se poderá desequilibrála e obrigar no futuro o retorno do aumento da contribuição. Para responder a essas preocupações, façamos uma pergunta: A Previ já reduziu contribuições anteriormente? Sim, mais de uma vez. Em 1995, o maior percentual de contribuição dos associados foi reduzido de 17,5% para 13%, e o Banco do Brasil permaneceu contribuindo com o dobro. Em 2001, por força da Reforma da Previdência de 1998, que mandou instituir a paridade contributiva nos fundos de pensão, as contribuições do Banco foram reduzidas pela metade. Nestes dois casos, foi utilizado superávit para suportar as reduções. A redução de contribuições não desequilibra a Previ? A redução das contribuições só foi possível porque a Previ atingiu em 2005 o superávit de R$ 18,9 bilhões. Deste montante, R$ 11,6 bilhões foram contabilizados como Reserva de Contingência, como determina a lei. É um montante guardado ex- Redução de contribuição e melhoria de benefícios clusivamente para contingências como oscilação de bolsas de valores, eventuais prejuízos e queda nos valores dos investimentos. É um colchão de segurança para manter a Previ em equilíbrio. O Conselho Deliberativo foi bastante cauteloso, cumpriu a lei e preservou com folga o equilíbrio da Previ. E se no futuro eventualmente for necessário aumentar as contribuições? Isso acontecerá somente se houver déficit. Neste caso, a lei garante que déficits serão cobertos com contribuições do patrocinador (Banco do Brasil) e dos participantes. Portanto, a lei nos dá garantia de que o Banco terá de arcar com sua parte, no mesmo nível das contribuições atuais. Não seria melhor aumentar benefícios? Parte do superávit R$ 7,3 bilhões foi contabilizada como Reserva Especial para Revisão de Plano. A revisão pode ser feita pela redução de contribuições ou aumento de benefícios. A Previ pode fazer as duas coisas, pois há recursos suficientes para isso. E a decisão de reduzir contribuições de imediato só foi tomada porque sobrarão recursos para aumentar benefícios. A redução de contribuições é uma medida que contempla 100% dos associados do plano 1 e foi tomada porque não faz sentido a Previ continuar onerando os associados com contribuições que irão aumentar o superávit. Para a redução serão utilizados R$ 3,5 bilhões do superávit, por conta das contribuições futuras que não serão pagas à Previ. Restarão R$ 3,8 bilhões, reservados para melhoria de benefícios. Cinco propostas de melhoria foram apresentadas pelos conselheiros eleitos da Previ: aumentar o teto de benefícios; aumentar o benefício mínimo; aumentar o valor das pensões; aumentar os benefícios de quem contribui por mais de 30 anos e não tem nenhum 13

14 14 benefício adicional e mudar a regra de proporcionalidade para melhorar os benefícios de quem se aposenta com menos de 30 anos de Previ. São propostas que transformam superávit em mais benefícios para todos. O BB terá sessenta dias para apresentar seu posicionamento ao Conselho Deliberativo da Previ. Então terá início o processo de negociação, que envolverá dirigentes eleitos, Anabb, sindicatos e outras entidades representativas. Continuar com o mesmo nível de contribuição significaria onerar desnecessariamente os associados. A decisão desonera também o BB, e não há como fugir disso, pois a lei manda que, quando houver redução de contribuições, serão reduzidas também as contribuições da patrocinadora. COMO VOTAR APOSENTADOS De posse da senha do auto-atendimento PREVI, que está no contracheque do mês de abril, ligue para o DISQUE PREVI A eleição é digital, por isso, para votar o telefone deve estar no modo tone e não no pulse. Para mudar de modo, coloque a chave, que fica na lateral ou embaixo do telefone, na posição T (tone). Após a mensagem de abertura, será solicitado que você digite sua matrícula sem o dígito verificador; em seguida será solicitado que você digite a senha do auto-atendimento PREVI. Para segurança da votação, será pedido ainda que você digite o ano de ingresso no BB, data de nascimento ou parte de seu CPF. Logo depois será solicitado que você digite o número da chapa em que deseja votar e, por fim, será solicitada a confirmação de seu voto, com a tecla 2. Para cancelar o voto e repetir a operação, tecle 4. Após a confirmação do voto, você ouvirá uma mensagem final que dirá que você votou na chapa X e que a votação foi concluída com sucesso. EM CASO DE DÚVIDA LIGUE FUNCIONÁRIOS DA ATIVA Para votar pelo SisBB: Digite a letra F, a sua matrícula sem o dígito verificador e a senha de oito dígitos; no campo aplicativo, escreva Pessoal. Vá até a opção 41 Eleições Previ/ Cassi e siga as instruções. Para votar pelo auto-atendimento: Passe o seu cartão BB; selecione Outras Opções ; selecione o código 26 que está na segunda tela; tecle FIM. Selecione a opção Eleições Previ 2006 e marque Continua. Digite sua senha e tecle FIM. APOIOS AABBs Barbacena MG Belo Horizonte MG Boca do Acre AM Campina Grande PB Curitiba PR Florianópolis SC Fortaleza CE Lagoa RJ Maceió AL Porto Velho RO Rio Branco AC ANABB CONTRAF-CUT - Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro FEDERAÇÕES FETRAF/ MG FETEPR FETEC/ SP FEEB -SP/MS FETEC - CN FETEC - NE SINDICATOS Alagoas Extremo Sul BA Ceará Cariri CE Brasília DF Cuiabá DF Rondonópolis MT Naviraí MS Ponta porã MS Três Lagoas MS Belo Horizonte MG Cataguases MG Divinópolis MG Governador Valadares MG Ipatinga MG Juiz de Fora MG Patos de Minas MG Teófilo Otoni MG João Pessoa PB Campina Grande PB Curitiba PR Apucarana PR Arapoti PR Campo Mourão PR Cornélio Procópio PR Guarapuava PR Londrina PR Paranavai PR Toledo PR Umuarama PR Pernambuco Piauí Rio de Janeiro RJ Petrópolis RJ Sul Fluminense RJ Alegrete RS Bagé RS Frederico Westphalen RS Guaporé RS Horizontina RS São Borja RS Itaqui RS Vale do Paranhama RS Rondônia Sergipe São Paulo SP Abc SP Andradina SP Araçatuba SP Araraquara SP Assis SP Barretos SP Bragança Paulista SP Catanduva SP Guaratinguetá SP Guarulhos SP Jaú SP Jundiaí SP Limeira SP Marília SP Mogi das Cruzes SP Piracicaba SP Presidente Prudente SP Ribeirão Preto SP São José dos Campos SP São José do Rio Preto SP Taubaté SP Vale do Ribeira SP Votuporanga SP

15 O Time da ANABB apóia a Chapa 1 APOIOS DIRETORIA-EXECUTIVA Valmir Camilo William José Alves Bento Douglas Scortegagna Graça Machado CONSELHO DELIBERATIVO Antonio Gonçalves Ana Lúcia Landin Antilhon Saraiva dos Santos Augusto Silveira de Carvalho Camillo Calazans Cláudio José Zucco Denise Lopes Vianna José Antônio Diniz de Oliveira José Branisso José Sampaio de L. Júnior Luiz Antonio Careli Nilton Brunelli de Azevedo Vitor Paulo C. Gonçalves CONSELHO FISCAL Humberto Eudes Vieira Diniz Armando César F. dos Santos Saul Mário Mattei Dorilene Moreira da Costa DIRETORIA ESTADUAL Paulo Crivano de Moraes Ivan Pita de Araújo Marlene Carvalho Franz Siqueira Francisco Henrique Ellery Elias Kury Pedro Vilaça Neto Saulo Sartre Ubaldino Joel Duarte de Oliveira Francisco Alves e Silva Edson Trombine Leite José Humberto Carvalho Maria Aurinete de Oliveira Carolina Godoy Matos Benedito Dias S. da Silva Moacir Finardi Antonio Paulo R. Pedroso Valdenice Fernandes Edmundo Velho Brandão Carlos Francisco Pamplona Emanuel Messias Júnior Walcinyr Bragatto Saulo Antonio de Matos 15

16 APOIOS Sempre que é possível, mesmo quando a chance de vitória isolada da Anabb parece viável, nós preferimos apostar na unidade. Peço seu voto e seu trabalho para a Chapa 1 Unidade na Previ. Valmir Camilo Presidente da ANABB e Conselheiro Deliberativo, eleito, da Previ É política da ANABB formar quadros para atuar em favor das melhores causas do funcionalismo, e a nossa Previ é uma delas. Por isso, estamos indicando dirigentes experimentados para participar da gestão da Previ. Conto com o apoio dos nossos associados. Antonio Gonçalves Presidente do Conselho Deliberativo da ANABB O meu voto é para aqueles que lutaram e conseguiram resolver o problema da parcela Previ e ainda estão lutando pela redução da contribuição do funcionalismo. Mesmo havendo diferenças políticas, é impossível não reconhecer os resultados que esta administração conquistou. Denise Lopes Vianna Diretora da COOP-ANABB 16 A PREVI é o maior diferencial positivo do funcionalismo do Banco do Brasil. Não podemos arriscá-lo através de discursos e promessas inconseqüentes. Por isso o meu voto é para a Chapa 1 - Unidade na Previ. Humberto Eudes Presidente do Conselho Fiscal da ANABB Seriedade, competência e profissionalismo são atributos indispensáveis para se administrar uma empresa, principalmente do porte da PREVI. Os componentes da Chapa 1 - Unidade na Previ reúnem essas qualidades. Por isso, tem o nosso apoio. Carlos de A. Barreto Presidente da FECOB A administração de um fundo de pensão não comporta demagogias e propostas fáceis. A defesa dos interesses dos trabalhadores precisa ser tratada com firmeza e profundo conhecimento. A Chapa 1 reúne esses requisitos. Davi Zaia Presidente da Federação dos Bancários São Paulo e Mato Grosso do Sul

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008 / 2009 ADITIVA ASSISTENCIAL

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008 / 2009 ADITIVA ASSISTENCIAL CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008 / 2009 ADITIVA ASSISTENCIAL De um lado, representando a categoria profissional, a CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DO RAMO FINANCEIRO CONTRAF/CUT, por seu presidente,

Leia mais

TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO

TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO A Federação Nacional dos Bancos o Sindicato dos Bancos nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Amazonas, Para, Amapá, Rondonia e Roraima, o Sindicato

Leia mais

PREÂMBULO DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS

PREÂMBULO DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS Acordo Coletivo de Trabalho de âmbito nacional celebrado entre o BANCO DO BRASIL S.A. e a CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DO RAMO FINANCEIRO CONTRAF, as FEDERAÇÕES e os SINDICATOS DOS EMPREGADOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS (PPR), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000-2008

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS (PPR), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000-2008 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS (PPR), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000-2008 O BANCO SANTANDER S/A, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 90.400.888/0001-42, estabelecido

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

CONSULTA EPISTOLAR nº 01/2014 ELEIÇÕES CASSI E PREVI. CONSELHEIRO VOTO REGISTRO 1. Ana Lúcia Landin

CONSULTA EPISTOLAR nº 01/2014 ELEIÇÕES CASSI E PREVI. CONSELHEIRO VOTO REGISTRO 1. Ana Lúcia Landin CONSULTA EPISTOLAR nº 01/2014 ELEIÇÕES CASSI E PREVI CONSELHEIRO VOTO REGISTRO 1. Ana Lúcia Landin Acompanho o voto da Conselheira Graça Machado, a seguir descrito: A FAVOR DA ANABB ajudar todas as chapas

Leia mais

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência

As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência As mudanças mais importantes no Bradesco Previdência No dia 21 de julho, o RH do Banco Bradesco e diretores do Bradesco Previdência expuseram, a cerca de 50 dirigentes sindicais, as mudanças no plano de

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CAIXA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CAIXA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS DA CAIXA - PLR, CELEBRADO ENTRE A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (CAIXA) E A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NO RAMO FINANCEIRO CONTRAF/CUT

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000 BIÊNIO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000 BIÊNIO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), DISCIPLINADO PELA LEI Nº 10.101/2000 BIÊNIO 2009/2010 O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., Santander Asset Management

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

PREÂMBULO DA EXCLUSÃO DA INCIDÊNCIA DE ENCARGOS TRABALHISTAS DAS DISPOSIÇÕES CONTRATUAIS COLETIVAS

PREÂMBULO DA EXCLUSÃO DA INCIDÊNCIA DE ENCARGOS TRABALHISTAS DAS DISPOSIÇÕES CONTRATUAIS COLETIVAS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE ÂMBITO NACIONAL ENTRE BANCO DO BRASIL S.A., CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DO RAMO FINANCEIRO - CONTRAF, FEDERAÇÕES E SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), EM CONFORMIDADE COM A LEI Nº 10.101/2000 ANO BASE 2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), EM CONFORMIDADE COM A LEI Nº 10.101/2000 ANO BASE 2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DO PROGRAMA DA PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS SANTANDER (PPRS), EM CONFORMIDADE COM A LEI Nº 10.101/2000 ANO BASE 2011 O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., Santander Asset Management

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS NOS LUCROS OU RESULTADOS DOS BANCOS EM 2009

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS NOS LUCROS OU RESULTADOS DOS BANCOS EM 2009 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS NOS LUCROS OU RESULTADOS DOS BANCOS EM 2009 OS SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS infra-assinados, por delegação recebida

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO para estabelecer a PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS (P.L.R) no exercício de 2005

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO para estabelecer a PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS (P.L.R) no exercício de 2005 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO para estabelecer a PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS (P.L.R) no exercício de 2005 1 OS SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS infraassinados, por delegação

Leia mais

Eleição para. Conheça os candidatos inscritos e saiba como votar por meio do site da Cooperativa. Participe e exerça seu direito!

Eleição para. Conheça os candidatos inscritos e saiba como votar por meio do site da Cooperativa. Participe e exerça seu direito! Eleição para Delegado da COOP-ANABB Conheça os candidatos inscritos e saiba como votar por meio do site da Cooperativa Participe e exerça seu direito! VOTAÇÃO DE 14 A 16 DE FEVEREIRO DE 2011 1 A força

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

DIZER SIM É PRECISO, POIS VIVER NÃO É PRECISO

DIZER SIM É PRECISO, POIS VIVER NÃO É PRECISO Ação Julho2007 EDITORIAL DIZER SIM É PRECISO, POIS VIVER NÃO É PRECISO No último processo eleitoral da Cassi, a ANABB tomou a decisão de disputar as eleições com chapa própria, sem qualquer aliança política.

Leia mais

REFORMAS ESTATUTÁRIAS

REFORMAS ESTATUTÁRIAS REFORMAS ESTATUTÁRIAS Dar nova redação a aliena k do artigo 2º k) elaborar e imprimir em gráfica própria ou de terceiros, jornais, revistas e periódicos de interesse da categoria e do público em geral,

Leia mais

Plano de Trabalho da ASPAS Gestão 2008/2011. Atividades e Metas para 2008

Plano de Trabalho da ASPAS Gestão 2008/2011. Atividades e Metas para 2008 Plano de Trabalho da ASPAS Gestão 2008/2011 Atividades e Metas para 2008 1 - Ações institucionais 1.1 - Acompanhar a gestão atuarial e de investimentos do PS-I e do PS-II, tomando medidas em defesa dos

Leia mais

BB ACORDO PLR 2008/2009

BB ACORDO PLR 2008/2009 BB ACORDO PLR 2008/2009 Acordo Coletivo de Trabalho, de âmbito nacional, celebrado entre o BANCO DO BRASIL S.A. e a CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DO RAMO FINANCEIRO - CONTRAF, as FEDERAÇÕES e

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

PERFIS DE INVESTIMENTO

PERFIS DE INVESTIMENTO PERFIS DE INVESTIMENTO Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a ELETROS? 4 Como são os investimentos em renda variável? 5 Como são os investimentos em renda fixa? 6 Como são os investimentos nos demais

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

WILLIAM BENTO Presidente em exercício

WILLIAM BENTO Presidente em exercício DIRETOR ESTADUAL Walcinyr Bragatto (SP) DIRETORIA-EXECUTIVA VALMIR CAMILO Presidente WILLIAM JOSÉ ALVES BENTO Diretor Administrativo e Financeiro DENISE LOPES VIANNA Diretora de Comunicação e Desenvolvimento

Leia mais

POR UMA CASSI PARA TODOS

POR UMA CASSI PARA TODOS CHAPA1 Todos pela Cassi POR UMA CASSI PARA TODOS www.facebook.com/chapa1todospelacassi twitter: @TodospelaCassi1 2 www.todospelacassi.com.br CHAPA1 Todos pela Cassi De 9 a 22 de abril, haverá eleição para

Leia mais

Boletos VSM. Atendimento VSM

Boletos VSM. Atendimento VSM 1 3 7 8 9 Boletos VSM SAT (Sistema de Autenticação e Transmissão de Cupom Fiscal Eletrônico) Versão 2.8 para o estado de MT e MS Atendimento VSM 2 BOLETOS VSM Os boletos das mensalidades do sistema e demais

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA JUNHO DE 2007 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública nacional Universo Eleitores e potenciais eleitores brasileiros que

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta 1. A remoção sem permuta é o deslocamento do servidor sem contrapartida para o órgão que possui os claros de

Leia mais

Assessoria e Consultoria Atuarial. Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015

Assessoria e Consultoria Atuarial. Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015 Assessoria e Consultoria Atuarial Luiz Claudio Kogut Atuário Miba 1.308 (41)3322-2110 kogut@actuarial.com.br 28 de Março de 2015 Apresentação Luiz Claudio Kogut Bacharel em Ciências Atuariais MIBA 1.308

Leia mais

Número 130 - novembro de 2013. Fator Previdenciário: por que mudar?

Número 130 - novembro de 2013. Fator Previdenciário: por que mudar? Número 130 - novembro de 2013 Fator Previdenciário: por que mudar? FATOR PREVIDENCIÁRIO: POR QUE MUDAR? 1 Como surgiu o Fator Previdenciário? A Reforma Previdenciária de 1998, por meio da Emenda Constitucional

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

COM17109. São Paulo, 20 de outubro de 2009 De: Contraf-CUT Para: Entidades Sindicais Bancárias PREÂMBULO

COM17109. São Paulo, 20 de outubro de 2009 De: Contraf-CUT Para: Entidades Sindicais Bancárias PREÂMBULO COM17109 São Paulo, 20 de outubro de 2009 De: Contraf-CUT Para: Entidades Sindicais Bancárias Acordo Coletivo de Trabalho, de âmbito nacional, celebrado entre o BANCO DO BRASIL S.A. e a CONFEDERAÇÃO NACIONAL

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

PREÂMBULO DA EXCLUSÃO DA INCIDÊNCIA DE ENCARGOS TRABALHISTAS

PREÂMBULO DA EXCLUSÃO DA INCIDÊNCIA DE ENCARGOS TRABALHISTAS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE ÂMBITO NACIONAL ENTRE BANCO DO BRASIL S.A., CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DO RAMO FINANCEIRO - CONTRAF, FEDERAÇÕES E SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS

Leia mais

Brasília, 27.08.2015

Brasília, 27.08.2015 Brasília, 27.08.2015 1/23 FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS Fundo de Pensão instituído em 1º.08.1977 Investidor de longo prazo Patrocinadores: a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL e a própria FUNCEF Planos administrados:

Leia mais

Prestação de Contas 2013

Prestação de Contas 2013 Jornal do Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo Março 2014 Nº 1039 Prestação de Contas 2013 A direção Mobilização: União e Lutas assumiu a gestão no final de outubro de 2013, enfrentando uma situação

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS PLR CONTRAF 2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS PLR CONTRAF 2012 Acordo Coletivo de Trabalho, Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho 2012/2013, que celebram, de um lado, como empregadora, a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CAIXA e, de outro, representando a categoria profissional,

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER

PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER PRÊMIO ABF-AFRAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2010 CATEGORIA FRANQUEADOR MASTER Seus Dados Nome empresa Água Doce Data de fundação 1990 Número de funcionários 28 colaboradores Localização (cidade e estado

Leia mais

Plano TELOS Contribuição Variável - I

Plano TELOS Contribuição Variável - I Plano TELOS Contribuição Variável - I A sua empresa QUER INVESTIR NO SEU FUTURO, E VOCÊ? A sua empresa sempre acreditou na importância de oferecer um elenco de benefícios que pudesse proporcionar a seus

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS Atualmente, no Brasil, aproximadamente 3000 municípios possuem Regimes Próprios de Previdência. Ao final do ano

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD MATERIAL EXPlICatIvo Plano BAYER CD 1 Prezado Colaborador! você, que está sendo admitido agora ou ainda não aderiu ao Plano de Previdência oferecido pelo Grupo Bayer, tem a oportunidade de conhecer, nas

Leia mais

Material Explicativo

Material Explicativo Material Explicativo Material Explicativo Índice Introdução 4 Sobre o Plano Previplan 5 Adesão 5 Benefícios do Plano 6 Entenda o Plano 7 Rentabilidade 8 Veja como funciona a Tributação 9 O que acontece

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional COORDENADORES REGIONAIS ACRE Josenir de Araújo Calixto Coordenador do Ensino Médio Coordenação de Ensino Médio Secretaria de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907 Aeroporto Velho 69903-420

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL março de 2013 UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL os três eixos balizadores de nossa plataforma Vamos mudar: vote a favor de uma UNAFISCO comprometida

Leia mais

O que fazer para reformar o Senado?

O que fazer para reformar o Senado? O que fazer para reformar o Senado? Cristovam Buarque As m e d i d a s para enfrentar a crise do momento não serão suficientes sem mudanças na estrutura do Senado. Pelo menos 26 medidas seriam necessárias

Leia mais

Boletos VSM. Backup. Atendimento VSM

Boletos VSM. Backup. Atendimento VSM 1 3 4 10 Boletos VSM Backup Atendimento VSM 2 BOLETOS VSM Os boletos das mensalidades do sistema e demais serviços que geram cobrança são encaminhados via e-mail com antecedência de no mínimo 05 (cinco)

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7 Sumário A função do 3 Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4 Contribuições do Participante 6 Contribuições da Patrocinadora 7 Controle de Contas 8 Investimento dos Recursos 9 Benefícios 10 Em caso de

Leia mais

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim ad minim veniam.

Leia mais

PREVI LIVRE, FORTE E DE TODOS.

PREVI LIVRE, FORTE E DE TODOS. E AÍ, VAI ENCARAR? INFORMATIVO CHAPA 3-2014 PREVI FORTE, LIVRE E DE TODOS As Eleições Previ 2014 lembram o confronto de Davi e Golias. Mas o poder político, as promessas típicas de eleição e o uso indevido

Leia mais

Versão 2.8 para MS. Boletos VSM. Backup. Atendimento VSM

Versão 2.8 para MS. Boletos VSM. Backup. Atendimento VSM 1 3 7 8 14 Versão 2.8 para MS Boletos VSM Backup Atendimento VSM 2 VERSÃO 2.8 PARA MS Solicitamos à todos os nossos clientes do estado de Mato Grosso do Sul para que entrem em contato com o departamento

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos)

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) O que muda Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) 1. Por que é necessário criar a Fundação de Previdência Complementar do Servidor

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA

PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA I. Intróito Na qualidade de Professor de Servidor Público da UESB e de advogado da ADUSB, nos fora solicitado pela Diretoria desta entidade sindical

Leia mais

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 Redefine os limites financeiros destinados ao custeio da Nefrologia (TRS), dos Estados, Distrito Federal e Municípios. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso

Leia mais

Veja cidades que mais contrataram e as que mais demitiram em julho

Veja cidades que mais contrataram e as que mais demitiram em julho Page 1 of 7 20/08/2010 06h53 - Atualizado em 20/08/2010 06h53 Veja cidades que mais contrataram e as que mais demitiram em julho Cinco capitais demitiram mais do que contrataram, entre elas Brasília (DF).

Leia mais

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Conforme aprovado pelo Conselho Deliberativo em reunião realizada em 4 de abril de 2011 a São Bernardo implementará em 1º de julho de 2011

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS NOS LUCROS OU RESULTADOS DOS BANCOS EM 2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SOBRE PARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS NOS LUCROS OU RESULTADOS DOS BANCOS EM 2013 OS SINDICATOS DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS infra-assinados, por delegação recebida dos empregados dos bancos, em assembléias convocadas especialmente para este fim, constituído, cada qual,

Leia mais

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES A Previdência dos Servidores após 2004 Previdência Complementar Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES Recife, PE 15 e 16/09/2011 Formas de aposentadoria Invalidez Com proventos proporcionais

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

REVISÕES JUDICIAIS DE APOSENTADORIA E PENSÃO:

REVISÕES JUDICIAIS DE APOSENTADORIA E PENSÃO: REVISÕES JUDICIAIS DE APOSENTADORIA E PENSÃO: 1) Pedido de concessão de benefício na Justiça: Todo o segurado que tenha um pedido de concessão ou revisão de benefício previdenciário, que foi requerido

Leia mais

VOCÊ QUER SABER? A FUNDAÇÃO RESPONDE.

VOCÊ QUER SABER? A FUNDAÇÃO RESPONDE. VOCÊ QUER SABER? A FUNDAÇÃO RESPONDE. ACESSO WEB QUEM PODE ENTRAR NA ÁREA RESTRITA ATRAVÉS DO SITE FBSS? Participantes Ativos Assistidos (Aposentados e Pensionistas) Importante: Dependentes e pessoas que

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO C Cartilha do Plano C APRESENTAÇÃO O plano de benefícios previdenciários conhecido como Plano C foi implantado em 1997. O regulamento do Plano C foi adaptado à Lei Complementar nº 109,

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país.

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. A REDEVIDA QUEM SOMOS Cobertura em canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. Atende à e às Alcance de mais de VHF e UHF. 1.500 municípios. Possui a maior distribuição de TV

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA Armando Leite Ferreira Carlos Alberto Würth Teixeira CATALOGAÇÃO NA FONTE DO DEPARTAMENTO NACIONAL DO LIVRO F383m Ferreira, Armando Leite, Matemática financeira / Armando Leite Ferreira,

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba

Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba ACRE Rio Branco SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO - SEMEIA Arthur César Pinheiro Leite Antônio da Rocha

Leia mais

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Recursos destinados pelo Ministério da Saúde também vão melhorar a qualidade da assistência aos usuários da rede pública na área de nefrologia.

Leia mais

Criada em 1904, antes da Previdência Oficial no Brasil. Maior fundo de pensão da América Latina; e,

Criada em 1904, antes da Previdência Oficial no Brasil. Maior fundo de pensão da América Latina; e, Fundos de Pensão NASCIMENTO Criada em 1904, antes da Previdência Oficial no Brasil STATUS ATUAL Maior fundo de pensão da América Latina; e, 25º do mundo, em patrimônio. (*) () k d l d l l (*) Ranking divulgado

Leia mais

AçãoEstadual - eleições2006 DIRETOR ESTADUAL DIRETORIA-EXECUTIVA CONSELHO DELIBERATIVO

AçãoEstadual - eleições2006 DIRETOR ESTADUAL DIRETORIA-EXECUTIVA CONSELHO DELIBERATIVO DIRETOR ESTADUAL Francisco Alves e Silva - Xixico (MG) DIRETORIA-EXECUTIVA VALMIR CAMILO Presidente WILLIAM JOSÉ ALVES BENTO Diretor Administrativo e Financeiro DENISE LOPES VIANNA Diretora de Comunicação

Leia mais

AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O...

AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O... ÍNDICE AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O... 6 1 O ATUAL ESTÁGIO DE IMPLANTAÇÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NO SETOR PÚBLICO... 7 2 VARIÁVEIS E DADOS UTILIZADOS... 8 VARIÁVEL I... 8 VARIÁVEL

Leia mais

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas

PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS. Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas Superintendência Regional Alagoas PROGRAMAS HABITACIONAIS DESENVOLVIMENTO PARA OS MUNICIPIOS Moradia para as famílias Renda para os trabalhadores Desenvolvimento para Alagoas ALTERNATIVAS DE SOLUÇÕES PARA

Leia mais

Tranquilidade e segurança para você e sua família.

Tranquilidade e segurança para você e sua família. Material de uso exclusivo do Bradesco. Produzido pelo Departamento de Marketing em fevereiro/2009. Reprodução proibida. Não jogue este impresso em via pública. Bradesco PGBL Proteção Familiar Para informações

Leia mais

Agenda. Principais números da Fundação. Estrutura organizacional. Resultados. Medidas implantadas a partir de março/2015

Agenda. Principais números da Fundação. Estrutura organizacional. Resultados. Medidas implantadas a partir de março/2015 Agenda Principais números da Fundação Estrutura organizacional Resultados Medidas implantadas a partir de março/2015 2 PRINCIPAIS NÚMEROS DA FUNDAÇÃO Maior entidade de previdência fechada multipatrocinada

Leia mais

Aspec Informática - Tecnologia da Informação Plano de Numeração dos Ramais. Revisão 07/07/2015 12:02:36

Aspec Informática - Tecnologia da Informação Plano de Numeração dos Ramais. Revisão 07/07/2015 12:02:36 UF Estado Capital DDD SP São Paulo São Paulo 11 RJ Rio de Janeiro Rio de Janeiro 21 ES Espírito Santo Vitória 27 MG Minas Gerais Belo Horizonte 31 PR Paraná Curitiba 41 SC Santa Catarina Florianópolis

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho

A fórmula da Alterdata. Ladmir Carvalho A fórmula da Alterdata Ladmir Carvalho Transformações expressivas ao longo do tempo 1989 A Alterdata é fundada em Petrópolis/RJ com sistemas de DP e Contabilidade 1990 Nasce a Escrita Fiscal 1991 Filial

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

Prezado Associado, Todos os dados estão atualizados até março de 2014.

Prezado Associado, Todos os dados estão atualizados até março de 2014. Prezado Associado, Estamos lhe enviando neste encarte, a relação a lista de todos os PROCONs, com nome do Dirigente, Cargo que ocupa, endereço, telefone e e-mail de contato. Alem disso, estamos enviando

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais