FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO"

Transcrição

1 FAELI REGIONAL DE KART FESTIVAL DE KART RD 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO ART 1º- Campeonato a ser realizado no Kartódromo de Farroupilha, em 2011, com organização da Bepi Kart - Competições e Lazer, e supervisão da FGA. ART 2º- CATEGORIAS : Cadete: para pilotos mirim e cadete com suas respectivas carteiras, e motores sorteados. Tomada de tempo e duas baterias de 15 voltas conforme grade de horários. Pró-400: conforme adendo anexo. Elétrica: para pilotos júnior menor, júnior, novatos, graduados e sênior, com suas respectivas carteiras e com motores Parilla TAG e Fireball. Tomada de tempos e duas baterias de 20 voltas conforme grade de horários. Fórmula: para pilotos júnior menor, júnior, novatos, graduados e sênior, com suas respectivas carteiras e com qualquer motor de kart 125 cc, 2 tempos a ar e água sem partida elétrica. Tomada de tempos e duas baterias de 20 voltas conforme grade de horários. Speed Kart: para pilotos novatos, graduados e sênior, com suas respectivas carteiras, e motores RD com preparação conforme regulamento adiante. Grid por sorteio e três baterias de 15 voltas conforme grade de horários. Meio Século: para pilotos com idade mínima de 45 anos completos na data da prova. Grid por tomada de tempo e duas baterias de 15 voltas conforme grade de horários. ART 3º- PONTUAÇÃO 1º lugar - 15 pontos 2º lugar - 12 pontos 3º lugar - 10 pontos 4º lugar - 8 pontos 5º lugar - 6 pontos 6º lugar - 5 pontos 7º lugar - 4 pontos 8º lugar - 3 pontos 9º lugar - 2 pontos 10º lugar - 1 ponto ART 3.1-CRITÉRIO DESEMPATE Caso haja empate na pontuação das baterias será usado como critério desempate a melhor classificação da última bateria. Caso haja empate na pontuação do campeonato será usado como critério desempate os melhores resultados. ART 4º-PARTICIPANTES Poderão participar da prova os pilotos portadores das cédulas desportivas 2011, estando, portanto, devidamente habilitados.

2 ART 5º- INSCRIÇÕES Serão realizadas na Secretaria do clube sede da prova, já no sábado a partir das 9:00 horas. Desde a 1ª sessão de treinos oficiais, só poderão treinar os pilotos que estiverem regularmente inscritos, ou ter pago a taxa de treino da pista. Pilotos que não quiserem efetuar a inscrição da prova, deverão pagar a taxa de treino da pista. Caso a inscrição venha a ser feita depois, o piloto só pagará a diferença para o valor da inscrição VALOR DA INSCRIÇÃO DA PROVA: R$ 160,00 REAIS VALOR DA TAXA DE TREINO: R$ 50,00 REAIS ART 6º- WARM-UP Será realizado um treino de aquecimento (warm-up) antes da tomada de tempo com duração de 10 min conforme grade de horários adiante. ART 7º- TOMADAS DE TEMPO As categorias que farão tomadas de tempo terão 10 min. de classificação, conforme grade de horários adiante. Para a definição do grid de largada da 1ª bateria será utilizado o resultado da tomada de tempos independente da categoria dos karts participantes. O grid de largada da 2ª bateria será definido pela ordem de chegada da 1ª bateria. As categorias que não tomam tempo terão seus grids formados por sorteio. A 1ª bateria será formada pelo resultado direto do sorteio, a segunda bateria será formada pelo inverso do sorteio, e a terceira bateria, quando houver, será formada pela soma de pontos das baterias anteriores. ART 8º- PREMIAÇÃO Serão oferecidos troféus aos cinco primeiros colocados em cada uma das categorias participantes. REGULAMENTO TÉCNICO POR CATEGORIA CATEGORIA CADETE: Motor: motor 4 tempos, fornecido pela organização da prova, com mesa, carburador, escapamento e embreagem. Custo do aluguel por conta do piloto. Combustível: gasolina comercial fornecida pela organização da prova. Abastecimento no parque fechado. Chassis: homologado de qualquer ano de fabricação passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Para-choque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório, não sendo Pneus: 01 jogo novo ou usado, específico para a categoria, lacrado no parque fechado para a Peso: 100 kg conjunto kart/piloto Identificação: placa verde com n amarelo Coroa: A definir

3 CATEGORIA ELÉTRICA : Duas categoria que correm juntas e classificam em separado. Divididas em: ELÉTRICA TAG Motor: Será utilizado o motor Parilla 125 Sudam MY TAG, refrigerado à água, original de fábrica, devendo ser mantidas as medidas da ficha de homologação do cilindro do MY, proibindo qualquer preparação e quaisquer artifícios que venham impedir, dificultar, ou mascarar a medição da câmara de combustão, não podendo ainda fazer a criação de quaisquer outras câmaras, mesmo que interligadas, ou ainda fazer quaisquer tratamento térmico ou químico. O retrabalho da rosca de assentamento da vela do diâmetro 14mm e passo de 1,25mm, e ainda a invasão do espaço da câmera de combustão pela vela, serão também proibidos. O volume mínimo obrigatório no interior da câmara de combustão será de 11cm3, conforme Ficha de Homologação. Será permitido somente o ajuste na terceira luz, apenas na camisa, para adequação na diagramação do motor, respeitando as medidas da ficha de homologação, e, será tomada como base o motor do fabricante à disposição da Comissão Técnica. Permitido rasquetear o canto vivo das janelas de transferência na parte inferior. Será permitido o uso do kit radiador fornecido por outro fabricante Relação: Pinhão 11 dentes e coroa máximo de 77 dentes Combustível: livre e de responsabilidade do piloto. O abastecimento pode ser feito no próprio box Peso: 170 kg conjunto kart/piloto Identificação: placa preta com n amarelo Chassis: homologado de qualquer ano de fabricação passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Para-choque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório não sendo Pneus: 01 jogo de pneu vermelho, livre a marca, novo ou usado, lacrado no parque fechado para a ELÉTRICA FIREBALL Motor: Fireball 125 cc de 2 tempos com partida elétrica, originais sem preparo, com carburadores de até 28 mm e venturi livre, de qualquer marca, com duas agulhas. Preparo do carburador livre. Relação: Pinhão de 11 dentes e coroa máximo de 77 dentes. Combustível: livre e de responsabilidade do piloto. O abastecimento pode ser feito no próprio Box Peso: 160 kg conjunto kart/piloto Identificação: placa preta com n branco Chassis: homologado de qualquer ano de fabricação passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Para-choque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório, não sendo Pneus: 01 jogo de pneu vermelho, livre a marca, novo ou usado, lacrado no parque fechado para a

4 CATEGORIA FÓRMULA Motor: Nessa categoria poderá ser utilizado qualquer motor de kart, 2 tempos, 125 cc refrigerados a água ou ar, com preparação livre, com até dois carburadores de 28 mm e Venturi livre, Combustível: livre e de responsabilidade do piloto. O abastecimento pode ser feito no próprio Box Chassis: homologado de qualquer ano de fabricação passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Para-choque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório não sendo Pneus: 01 jogo de pneu vermelho, livre a marca, novo ou usado, lacrado no parque fechado para a Peso: 160 kg conjunto kart/piloto Identificação: placa amarela com n preto. CATEGORIA MEIO SÉCULO Motor: poderá ser utilizado qualquer tipo de motor de kart, ou adaptado para kart de até 200 cc.de 2 tempos ou até 400 cc de 4 tempos. Combustível: livre e de responsabilidade do piloto. O abastecimento pode ser feito no próprio Box Chassis: homologado de qualquer ano de fabricação passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Fica a liberado um corte na lateral direita, se necessário. Parachoque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório não sendo Pneus: 01 jogo de pneu vermelho, livre a marca, novo ou usado, lacrado no parque fechado para a Peso: 170 kg conjunto kart/piloto Identificação: placa azul com nº branco. CATEGORIA SPEED KART Chassis: Homologado sendo livre o ano de fabricação. Passível de vistoria técnica. Carenagens: Plásticas de acordo com o RNK, não precisando ser homologada, mas passível de vistoria pela comissão técnica. Fica a liberado um corte na lateral direita, se necessário. Parachoque traseiro, plástico ou de ferro, é obrigatório não sendo Pneus: 01 jogo de pneu vermelho, livre a marca, novo ou usado, lacrado no parque fechado para a Motor: Yamaha RD/RDZ 125/135 com cilindrada máxima de 141 cc, mantendo-se as características externas do motor. A preparação é livre, sem acréscimo de material. Permitindo fechar os furos do virabrequim. Diâmetro máximo do pistão de 59,75 mm e o curso máximo de 50 mm. O volume da câmara de combustão é livre. Proibida a utilização de peças de outros modelos de motores. Biela: Livre a marca mas própria para o modelo do motor. Quando retrabalhado, deve manter a marca do fabricante. Proibido o uso de biela forjada. Pistão: Livre a marca e próprio para o modelo do motor. Quando retrabalhado deve manter a marca do fabricante. Proibido o uso se pistão forjado. Rolamentos: De livre procedência, mantendo as dimensões originais. Juntas: Livre sua utilização, porém não será permitida entrada falsa de ar no motor.

5 Vela: Livre procedência. Deve ter diâmetro da rosca de 14 mm e passo de 1,25, podendo usar calço. Fica liberado o uso de rosca de aço ou bucha para a rosca da vela. Quando usadas, estas não deverão invadir a câmara de combustão. Filtro de ar: Uso obrigatório do filtro de ar do Kart ou tipo Turbo, não sendo necessário ser homologado. Passível de vistoria técnica. Ignição: Liberadas para uso a original do motor RD/RDZ, com livre retrabalho, Motoplat, PVL analógica modelo , Seleta analógica modelo P 3356-E, Magnetron de competição (própria para RD), Bepi Kart mod IG 900, ou de fabricação própria desde que seja de ponto fixo. É permitido o conserto das ignições, desde que mantenham suas características e medidas originais. Carburador: Liberado o uso de um carburador de Kart, qualquer marca ou modelo, de duas agulhas, com até 28 mm de diâmetro na altura da borboleta, com livre retrabalho, sem acréscimo de material. Pirâmide: Original do motor RD/RDZ, com livre retrabalho. Palhetas: De qualquer procedência e material, própria para RD. Câmbio: Caixa de 5 marchas completa, com relação de marchas original. Não será permitido intercâmbio de peças com o de outros modelos de motores. Livre retrabalho, sem acréscimo de material. Liberado o uso de engrenagens de fabricação paralela. Embreagem: Original do motor RD/RDZ. Deve conter todas as peças do sistema sem acréscimo de material, não podendo estar travada. Deve apresentar funcionamento normal. Fica liberado o uso da campana de dural, coroa e pinhão de dentes retos, separadores de embreagem, molas de embreagem e borrachas da campana de fabricação paralela, desde que seja seu uso específico para motores RD/RDZ 125 e 135. Pinhão: Passo original de 13 a 17 dentes. Sistema de Câmbio: O acionamento do câmbio deverá ser feito manualmente através de alavanca ou manetes fixa ao volante ou ao suporte do tanque com acionamento por cabos ou varão. Escapamento: Deverá estar firmemente fixado ao motor por meio de molas e suportes. O abafador, quando for separado do escapamento, também terá que ter suporte. Estes serão passíveis de vistoria técnica. O escapamento em hipótese alguma poderá ultrapassar a linha lateral da carenagem e a linha do para-choque traseiro e tampouco ficar apontado reto para trás. O nível de ruído deverá se mantido dentro de um padrão aceitável, fiscalizado pela organização da prova. Será obrigatório o uso do abafador em treinos livres, treinos oficiais e provas. Protetor de corrente: Uso obrigatório, podendo ser de material plástico ou lona, flexível e resistente. Peso: 175 Kg. conjunto kart/piloto Identificação: Placa preta com números brancos Caxias do Sul, 05 de Julho de * O QUE NÃO ESTÁ EXPLICITAMENTE LIBERADO NESTE REGULAMENTO FICA TERMINANTEMENTE PROIBIDO. * CASO HAJA DUPLICIDADE NA INTERPRETAÇÃO DE ALGUM ARTIGO DESTE REGULAMENTO, A DECISÃO FINAL SERÁ DOS COMISSÁRIOS DESPORTIVOS. * TODAS AS DÚVIDAS E OUTROS ASSUNTOS NÃO MENCIONADOS NESTE REGULAMENTO SERÃO RESOLVIDOS PELOS COMISSÁRIOS DESPORTIVOS.

6 ADENDO DA CATEGORIA PRÓ 400 Em virtude da 3ª etapa do Campeonato Faeli Regional de Kart ser Open do Campeonato Gaúcho de kart, essa categoria utilizará o mesmo regulamento desse campeonato. Serão duas categorias distintas que correrão juntas, mas classificando e premiando em separado. PRÓ 400 LIGHT: pilotos novatos, graduados e sênior, com suas respectivas carteiras. Tomada de tempos e duas baterias de 20 voltas conforme grade de horários. PRÓ 400 PREPARADA : pilotos novatos, graduados e sênior, com suas respectivas carteiras, Tomada de tempos e duas baterias de 20 voltas conforme grade de horários. REGUALAMENTO TÉCNICO PRO 400 LIGHT: Chassis: Homologado CBA de acordo com o artigo 36 do RNK/11, sendo livre o ano de fabricação. Passível de vistoria pela comissão técnica. Motor: sorteado pelo Clube organizador. Peso: 185 kg Relação: 13 X 38 Corrente: de moto Identificação: Placa branca números vermelhos PRO 400 PREPARADA: Chassis: Homologado CBA de acordo com o artigo 36 do RNK/11, sendo livre o ano de fabricação. Passível de vistoria pela comissão técnica. Motor: 13,0 HP do piloto com preparação livre nacional. Proibido a retirada do Balanceiro e uso do kit importado). A lateral do Motor poderá ser aberta para medição/verificação. É permitido o uso de motores Honda GX 390 de quatro tempos monocilíndrico ou similares. O motor deve manter suas características originais de fábrica em relação ao posicionamento dos componentes, virabrequim, comando de válvulas, balanceiro, cabeçote, e etc. O comando de válvulas, virabrequim, balanceiro, biela, pinos, parafusos, travas, pistão, anéis, tuchos, varetas, rolamentos, retentores, tampa do bloco, deverão ser de origem NACIONAL Sistema de ignição: O sistema de ignição deve ser mantido o original do motor bem como seus componentes, bobina magneto, não podem ser trabalhados. O volante deve ser o original do motor fornecido pelo fabricante, podendo ainda ser retrabalhado para alivio de peso, podendo chegar ao peso mínimo de 3,500Kg (este item será rigorosamente conferido pela comissão técnica). O sistema de partida do motor deve ser o original do mesmo com acionamento por corda. Sistema de arrefecimento: Deve ser o original do motor refrigerado a ar, fica proibida a retirada de qualquer componente, sendo permitido o retrabalho do ventilador, é também permitido a retirada ou o retrabalho das duas placas direcionadoras de refrigeração do cabeçote do motor. Fica proibido também qualquer tipo de artifício bloqueio de sucção de ar (por fitas e etc.).

7 Cabeçote: O cabeçote deve ser obrigatoriamente o original do motor fornecido pelo fabricante, podendo ser retrabalhado, fica liberado o retrabalho ou substituição da placa guia das varetas que deve estar presente na sua posição original, o posicionamento dos balancins o os componentes que os ligam devem ser mantidos na posição original, assim como as válvulas, e sedes. As válvulas e sedes e guias podem ser retrabalhadas, ou ainda substituídas, caso sejam substituídas devem ser de origem nacional. Fica expressamente proibido a alteração do numero de válvulas. Os balancins devem ser os originais do motor, fornecidos pelo fabricante, estes podem ser retrabalhados apenas com o intuito de reforço ou alivio de peso, fica opcional o uso de retentores de válvula. Molas e pratos e os componentes que os ligam são liberados desde que sejam de origem nacional, fica liberado o uso de mola dupla. Biela: uso somente da original do motor, com retrabalho de no máximo até 1mm e mantendo a marca do fabricante (proibido uso de Biela Forjada). Pistão: uso somente do original do motor, com retrabalho até a medida máxima de 88,75mm de diâmetro e mantendo a marca do fabricante (proibido uso de pistão forjado). Carburador: uso somente do original motor com retrabalho livre. Relação/Corrente: livres. Escape: proibido cano reto s/ abafador (liberado cano de 2 furos com miolo oco ). Volante: peso mínimo limitado em 3,5kg com retrabalho livre. Após essa prova a categoria Pró 400 não mais fará parte do Campeonato Faeli Regional de Kart. Caxias do Sul, 05 de Julho de 2011.

REGIONAL DA SERRA DE KART 2012 REGULAMENTO DESPORTIVO

REGIONAL DA SERRA DE KART 2012 REGULAMENTO DESPORTIVO REGIONAL DA SERRA DE KART 2012 REGULAMENTO DESPORTIVO ART 1º- Campeonato a ser realizado no Kartódromo de Farroupilha, em 2012, com organização da Bepi Kart - Competições e Lazer, e supervisão da FGA.

Leia mais

CAMPEONATO REGIONAL DA SERRA DE KART 2015 (TROFÉU JOSÉ CARLOS FEDRIZZI - BEPI)

CAMPEONATO REGIONAL DA SERRA DE KART 2015 (TROFÉU JOSÉ CARLOS FEDRIZZI - BEPI) CAMPEONATO REGIONAL DA SERRA DE KART 2015 (TROFÉU JOSÉ CARLOS FEDRIZZI - BEPI) REGULAMENTO DESPORTIVO ART 1º - DO CAMPEONATO O Farroupilha Kart Clube (FKC) realizará nesta temporada o Campeonato Regional

Leia mais

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014

CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 CAMPEONATO SCHIN DE KART 2014 JÚNIOR MENOR DE KART - ITAL SISTEM PMJK: Parágrafo 1º - Prova A duração da prova, será definido através do adendo 2 da etapa. Parágrafo 2º - Da Categoria - O Campeonato será

Leia mais

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO

CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO CAMPEONATO PARARANAENSE LIGHT DE KART - 2015 REGULAMENTO TÉCNICO DESPORTIVO A Federação Paranaense de Automobilismo FPrA, e suas filiadas: AKRL Associação dos Kartistas da Região de Londrina, farão realizar

Leia mais

FEDERAÇÃO MATOGROSSENSE DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART CAMPEONATO REGIONAL DE KART GRANDE CUIABÁ 2015

FEDERAÇÃO MATOGROSSENSE DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART CAMPEONATO REGIONAL DE KART GRANDE CUIABÁ 2015 FEDERAÇÃO MATOGROSSENSE DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART CAMPEONATO REGIONAL DE KART GRANDE CUIABÁ 2015 REGULAMENTO PARTICULAR Capítulo I A CONFEDERACAO BRASILEIRA

Leia mais

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014

Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014 Campeonato Paranaense de Motovelocidade 2014 Regulamento Técnico ART. 1 - MOTOCICLETAS E CLASSES SUPERBIKE - Pró Motocicletas acima de 980cc, motor de 4 tempos e de 04 cilindros de até 1050cc, e 3 cilindros

Leia mais

GP SANTA CATARINA KARTÓDROMO ARENA SAPIENS FLORIANÓPOLIS SC 19 A 23 DE ABRIL DE 2016 REGULAMENTO PARTICULAR

GP SANTA CATARINA KARTÓDROMO ARENA SAPIENS FLORIANÓPOLIS SC 19 A 23 DE ABRIL DE 2016 REGULAMENTO PARTICULAR TOP KART Brasil 2016 GP SANTA CATARINA KARTÓDROMO ARENA SAPIENS FLORIANÓPOLIS SC 19 A 23 DE ABRIL DE 2016 REGULAMENTO PARTICULAR 1 REGULAMENTAÇÃO: Este evento estará submetido ao CDI, ao CDA, ao Regulamento

Leia mais

14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C

14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C 14 - REGULAMENTO TÉCNICO DA CATEGORIA TURBO C 14 DEFINIÇÃO Participam desta categoria veículos de turismo de grande produção em série, coupê ou sedan, de 2, 3, 4 ou 5 portas Veículos de tração dianteira

Leia mais

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2014

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2014 Índice: Artigo 01 Organização Artigo 02 Supervisão Artigo 03 Prova Artigo 04 Categoria B Artigo 05 Equipes Artigo 06 Entrada box/parada obrigatória Artigo 07 Numeração Artigo 08 Equipamento dos pilotos

Leia mais

R E G U L A M E N T O T É C N I C O revisado 20/08/13

R E G U L A M E N T O T É C N I C O revisado 20/08/13 8º FESTIVAL BRASILEIRO de KART 2013 125cc 2T // Honda 5,5 hp // SF 4-13hp // Shifter Six Speed Dias: 27 a 29 setembro 2013 Kartódromo San Marino - Paulínia/SP R E G U L A M E N T O T É C N I C O revisado

Leia mais

07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C )

07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C ) 07 - REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C (TURBO C ) 07.1 NORMAS TÉCNICAS: A categoria Dianteira Turbo C deverá seguir as normas técnicas constantes neste regulamento específico. 07.2 DEFINIÇÃO

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS XY200-5 RACING

CATÁLOGO DE PEÇAS XY200-5 RACING RACING CHASSI ÍNDICE ELÉTRICA ÍNDICE CHASSI... 04 GUIDÃO... 06 CARENAGEM DO FAROL... 10 SISTEMA DE DIREÇÃO... 12 SUSPENSÃO DIANTEIRA... 14 PARALAMA DIANTEIRO... 16 CAVALETES... 18 PEDALEIRAS... 20 SUSPENSÃO

Leia mais

CABEÇOTE / COMANDO DE VÁLVULAS

CABEÇOTE / COMANDO DE VÁLVULAS MOTOR GASOLINA - BFG. cv e cv. CABEÇOTE / COMANDO DE VÁLVULAS 0 0 0.. 0. 0... 0.. 0 CÓDIGO 0 0 0 0 0 0 PEÇA (CABEÇOTE / COMANDO DE VÁLVULAS) Tampa Do Cabeçote Junta Da Tampa Do Cabeçote Parafuso Mx - Cabeçote

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA CAMPEONATO CATARINENSE DE KART 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO/TECNICO CAPITULO I

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA CAMPEONATO CATARINENSE DE KART 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO/TECNICO CAPITULO I FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA CAMPEONATO CATARINENSE DE KART 2011 REGULAMENTO DESPORTIVO/TECNICO CAPITULO I REGULAMENTO DESPORTIVO 1 1. DAS RESPONSABILIDADES E COMPETÊNCIAS A Federação

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA COPA BRASIL DE VELOCIDADE NA TERRA

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA COPA BRASIL DE VELOCIDADE NA TERRA 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE NA TERRA COPA BRASIL DE VELOCIDADE NA TERRA CATEGORIA MINI-FÓRMULA TUBULAR CATEGORIAS A E B REGULAMENTO TÉCNICO 2013 CATEGORIAS MINI

Leia mais

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 Rua Comendador Azevedo, 440 - Conj. 1 - Fone/Fax (51)3224 4808 CEP 90220-150 - Porto

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO DESPORTIVO SEÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO, DO CALENDÁRIO E DAS CATEGORIAS

REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO DESPORTIVO SEÇÃO I DA ORGANIZAÇÃO, DO CALENDÁRIO E DAS CATEGORIAS REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO DO REGULAMENTO DESPORTO SEÇÃO DA ORGANZAÇÃO, DO CALENDÁRO E DAS CATEGORAS Artigo 1º - Organização e Supervisão: A Federação de Automobilismo do Estado de Santa Catarina FAUESC,

Leia mais

1 ÍNDICE L-35 PRO / L-45 PRO 2 CONJUNTO CAIXA DE ENGRENAGENS 2 EIXO DE TRANSMISSÃO 3 GUIDÃO E ACELERADOR 4 SISTEMA DA EMBREAGEM 5 CINTO / ÓCULOS 6

1 ÍNDICE L-35 PRO / L-45 PRO 2 CONJUNTO CAIXA DE ENGRENAGENS 2 EIXO DE TRANSMISSÃO 3 GUIDÃO E ACELERADOR 4 SISTEMA DA EMBREAGEM 5 CINTO / ÓCULOS 6 ÍNDICE DESCRIÇÃO PÁGINA L- PRO / L- PRO CONJUNTO CAIXA DE ENGRENAGENS EIXO DE TRANSMISSÃO GUIDÃO E ACELERADOR SISTEMA DA EMBREAGEM CINTO / ÓCULOS L- PRO SISTEMA CABEÇOTE E CILINDRO VÁLVULAS E COMANDO PISTÃO

Leia mais

11ª COPA BRASIL DE KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR

11ª COPA BRASIL DE KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR 11ª COPA BRASIL DE KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CBA, através de suas filiadas (FAUs), fará realizar a prova aberta denominada "11ª COPA BRASIL DE KART"

Leia mais

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento.

Os comissários podem solicitar a qualquer momento que sejam feitas as verificações necessárias em qualquer veiculo inscrito no evento. REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ADAPTADO TURBO 1-REGULAMENTAÇÃO Todos os veículos inscritos deveram passar por vistoria prévia. Os competidores deverão provar ao comissário técnicos e desportivos do evento,

Leia mais

I Dispositivos Gerais:

I Dispositivos Gerais: REGULAMENTO DESPORTIVO I Dispositivos Gerais: 1. ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO 1.1- O Campeonato de Arrancadas para Motos 2016 será supervisionado e organizado pela comissão organizadora e promotora de eventos

Leia mais

4º Campeonato Paulista de Protótipo. Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES

4º Campeonato Paulista de Protótipo. Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES 4º Campeonato Paulista de Protótipo Turismo (Falcon e G12) 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO PONTUAÇÃO E DESCARTES Tabela de pontuação: O Campeonato Paulista TURISMO 2014, será disputado em 6 etapas, conforme

Leia mais

4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I

4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I 4 CAMPEONATO BRASILEIRO DE SHIFTER KART - 2009 REGULAMENTO PARTICULAR CAPÍTULO I A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CBA, através de suas filiadas (FAUs), fará realizar o 4º CAMPEONATO BRASILEIRO

Leia mais

TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE

TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE TROFÉU BRASIL 2.015 OPEN FORCE REGULAMENTO REGULAMENTO GERAL ITEM 1. DISPOSIÇÕES PREMILIMARES 1.1 - O presente regulamento estabelece regras que devem ser cumpridas, visando evitar, e dirimir possíveis

Leia mais

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES

PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES 1.1.NORMAS TÉCNICAS PREGULAMENTO ARRANCADÃO DE JERICOS 2015 CATEGORIA AGRICULTORES As categorias da Corrida de jerico deverão seguir as normas técnicas constantes neste regulamento específico. 1.2.DEFINIÇÃO

Leia mais

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO PATRIMÔNIAL GERÊNCIA DE BENS MÓVEIS GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE G E 2007 1 2 ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA

Leia mais

b) Permitido o uso de veículos de no mínimo 02 (dois) lugares ou mais. c) A denominação desta categoria será Dianteira Turbo A.

b) Permitido o uso de veículos de no mínimo 02 (dois) lugares ou mais. c) A denominação desta categoria será Dianteira Turbo A. 6 - CATEGORIA DIANTEIRA TURBO A - DT- A 6.1) DEFINIÇÃO: a) Participam desta categoria veículos de turismo de grande produção em série, nacionais ou importados, coupê, sedan ou pick- up, de 2, 3, 4 ou 5

Leia mais

5. Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa.

5. Fica reservada à AMIKA a aprovação, ou não, dos pilotos que se inscreverem, sem que haja necessidade de justificativa. GERAL 1. O Campeonato Brasileiro de Kart Indoor tem como criadora, idealizadora e organizadora a Associação de Amigos do Kart Amador (AMIKA) que juntamente com o Kartódromo Granja Viana realizará o evento

Leia mais

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO DE SANTA CATARINA FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO XXIV PROVA DE ARRANCADA INTERNACIONAL DE CAMINHÕES EM BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA / SC 1 - DAS INSCRIÇÕES DE 13 A 16 DE MARÇO DE 2014 REGULAMENTO GERAL 1.1 - As inscrições poderão

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO REGULAMENTO DESPORTIVO 2015 ART. 01 REGULAMENTO DESPORTIVO TEMPORADA 2015 A Pokemon Pneus, é a realizadora da Copa Paraná Superbike com 7 etapas, elabora o presente regulamento, entrando em vigor imediatamente

Leia mais

SuperBike Brasil 2016 Atualizado 05/05/2016 v2 Regulamento Técnico Especifico Copa Kawasaki Ninja 300

SuperBike Brasil 2016 Atualizado 05/05/2016 v2 Regulamento Técnico Especifico Copa Kawasaki Ninja 300 SuperBike Brasil 2016 Atualizado 05/05/2016 v2 Regulamento Técnico Especifico Copa Kawasaki Ninja 300 O Regulamento técnico específico de cada categoria se sobrepõe ao texto do Regulamento Técnico Geral.

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO PAULISTA DE KART 2015 REGULAMENTO TÉCNICO ARTIGO 1º Tudo aquilo que não é especificamente permitido neste Regulamento, é expressamente proibido e, assim sendo, todos os itens omissos neste Regulamento,

Leia mais

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO GAÚCHO DE MINI FÓRMULA TUBULAR EM PISTA DE TERRA REGULAMENTO DESPORTIVO E TÉCNICO 2014 Art. 1º - DEFINIÇÃO: A Federação Gaúcha de Automobilismo, com a colaboração

Leia mais

ANEXO. carcaça externa da embreagem 8483.60.90. carcaça inferior do acelerador (para veículos de 8714.19.00

ANEXO. carcaça externa da embreagem 8483.60.90. carcaça inferior do acelerador (para veículos de 8714.19.00 ANEXO I- PARTES E PEÇAS FUNDIDAS NCM alavanca da embreagem do guidão, de alumínio 8714.19.00 alavanca do freio dianteiro do guidão, de alumínio 8714.19.00 alça lateral direita 8714.19.00 alça lateral esquerda

Leia mais

COPA METROPOLITANA DE KART DE LONDRINA - 2011

COPA METROPOLITANA DE KART DE LONDRINA - 2011 1 COPA METROPOLITANA DE KART DE LONDRINA - 2011 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO DA PROVA A Federação Paranaense de Automobilismo FPA fará realizar, no Kartódromo Luigi Borghesi, em Londrina,

Leia mais

1ª 120 MILHAS CAPIXABA DE KART

1ª 120 MILHAS CAPIXABA DE KART FEDERAÇÃO DE AUTOMOBILISMO DO ESTADO ESPIRITO SANTO ASSOCIAÇÃO ESPIRITOSSANTENSE DE PAIS E PILOTOS DE KART 1ª 120 MILHAS CAPIXABA DE KART REGULAMENTO DESPORTIVO CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO, DO CALENDÁRIO

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2010 REGULAMENTO:

CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2010 REGULAMENTO: CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2010 REGULAMENTO: OBJETIVO: ART.01 - A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE MOTOCICLISMO, é a única entidade capacitada por lei a, autorizar, aprovar, coordenar, planificar e supervisionar

Leia mais

Campeonato de Paulínia 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO (GERAL PARA TODAS AS CATEGORIAS)

Campeonato de Paulínia 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO (GERAL PARA TODAS AS CATEGORIAS) Campeonato de Paulínia 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO (GERAL PARA TODAS AS CATEGORIAS) CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO ARTIGO 1º - A supervisão do CAMPEONATO DE PAULÍNIA - 2015, será exercida pelo Departamento

Leia mais

V COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC

V COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC V COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC REGULAMENTO TÉCNICO - 2012 ARTIGO 1º - Somente poderão ser utilizados os equipamentos homologados, ou autorizados, pela CBA ou CIK/CBA. Parágrafo 1º - Tudo aquilo que

Leia mais

7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD

7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD 1 7 - CATEGORIA FORÇA LIVRE DIANTEIRA FLD REGULAMENTAÇÃO: Todos os veículos inscritos deverão passar por vistoria prévia. Todos pilotos deverão ter a cédula de piloto vigente no ano corrente para participar

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO 2014 CATEGORIA GPR 250 REGULAMENTO TÉCNICO. Página 1 de 18

REGULAMENTO TÉCNICO 2014 CATEGORIA GPR 250 REGULAMENTO TÉCNICO. Página 1 de 18 REGULAMENTO TÉCNICO 2014 Atualização 16/03/2014 Página 1 de 18 5. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GPR 250 As motos admitidas na categoria GPR 250 do MOTO 1000 GP, devem ter motorização do modelo originalmente

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO SPYDER RACE CATEGORIA P3 2014 Regulamento Técnico ARTIGO 1 : VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS. ARTIGO 2 : CARROCERIA E DIMENSÕES. ARTIGO 3 : HABITACULO ARTIGO 4 : PESO ARTIGO 5 : MOTOR ARTIGO

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2

REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2 REGULAMENTO TÉCNICO PARA CLASSIC CUP DIVISÃO 2 2011 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CATEGORIAS ARTIGO 3: IDENTIFICAÇÃO ARTIGO 4: CARROCERIA E DIMENSÕES ARTIGO 5: PESO ARTIGO 6: MOTOR

Leia mais

SPEED 1600 Regulamento Técnico. 2013 Revisado em 14/02/2013

SPEED 1600 Regulamento Técnico. 2013 Revisado em 14/02/2013 SPEED 1600 Regulamento Técnico 2013 Revisado em 14/02/2013 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CARROCERIA E DIMENSÕES ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR ARTIGO 5: COMBUSTÍVEL ARTIGO 6: LUBRIFICAÇÃO

Leia mais

14 - CATEGORIA STREET TRAÇÃO TRASEIRA STT

14 - CATEGORIA STREET TRAÇÃO TRASEIRA STT 14 - CATEGORIA STREET TRAÇÃO TRASEIRA STT 14.1) DEFINIÇÃO: a) Participam desta categoria veículos de turismo de grande produção em série, coupê, sedan ou pick-up, de 2, 3, 4 ou 5 portas de tração traseira

Leia mais

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO CONSELHO TÉCNICO E DESPORTIVO GAÚCHO CAMPEONATO GAÚCHO DE MARCAS E PILOTOS 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Art. 1º - Introdução REGULAMENTO DESPORTIVO A Federação Gaúcha de

Leia mais

REGULAMENTO CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2011

REGULAMENTO CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2011 REGULAMENTO CAMPEONATO BRASILEIRO DE VELOCROSS 2011 OBJETIVO: ART.01 - A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE MOTOCICLISMO, é a única entidade capacitada por lei a, autorizar, aprovar, coordenar, planificar e supervisionar

Leia mais

CAMPEONATO PAULISTA DE KART 2012 REGULAMENTO TÉCNICO

CAMPEONATO PAULISTA DE KART 2012 REGULAMENTO TÉCNICO CAMPEONATO PAULISTA DE KART 2012 REGULAMENTO TÉCNICO ARTIGO 1º Tudo aquilo que não é especificamente permitido neste Regulamento, é expressamente proibido e, assim sendo, todos os itens omissos neste Regulamento,

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 6 - CATEGORIA DIANTEIRA TURBO A - DT-A 6.1) DEFINIÇÃO: a) Participam

Leia mais

SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO

SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO SEQ. CODIGO PEÇA DESCRIÇÃO 1 FOX-M1187-00 COBERTURA, CILINDRO LE 1 2 SUP-M1186-00 TAMPA, VALVULAS 2 3 12313-063-0000 PORCA CAPA 4 4 12246-063-0000 ANEL 30.8X3.2 2 5 12135-063-0000

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP

REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP ARTIGO 1º - Organização REGULAMENTO PARTICULAR VI -6 HORAS 2015 VI 6 HORAS 2015 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA SP A VI 6 HORAS 2015 Aldeia da Serra, edição de 21/11/2015, será organizada pelo Kartódromo Aldeia

Leia mais

CÓDIGO CIMM REFERENCIA DESCRIÇÃO PEÇA DESENHO

CÓDIGO CIMM REFERENCIA DESCRIÇÃO PEÇA DESENHO 01 MG4601001 1 CILINDRO COMPLETO 46cc (ITENS 1,33,34,35,36) MG5301001 1 CILINDRO COMPLETO 50cc (ITENS 1,33,34,35,36) MG5801001 1 CILINDRO COMPLETO 54cc (ITENS 1,33,34,35,36) MG4601002 2 COLETOR DE ADMISSAO

Leia mais

ROTAX MAX CHALLENGE BRASIL 2014 REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS, ROTAX MICRO-MAX, MINI-MAX, JÚNIOR-MAX, MAX, MAX-MASTERS, DD2, DD2-MASTERS

ROTAX MAX CHALLENGE BRASIL 2014 REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS, ROTAX MICRO-MAX, MINI-MAX, JÚNIOR-MAX, MAX, MAX-MASTERS, DD2, DD2-MASTERS i ROTAX MAX CHALLENGE BRASIL 2014 CATEGORIAS, ROTAX MICRO-MAX, MINI-MAX, JÚNIOR-MAX, MAX, MAX-MASTERS, DD2, DD2-MASTERS 1/19 ATUALIZADO EM 17-Dezembro-2013 1.2.5 Categoria Max-Masters Serão permitidos

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP

REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP REGULAMENTO PARTICULAR II - 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 KARTÓDROMO ALDEIA DA SERRA - SP ARTIGO 1º- Organização II 6 HRS AGRAUPE/HONDA 2009 - Aldeia da Serra, 1ª edição / 19/12/2009, será organizada pela Revenda

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO VIII COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO VIII COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC VIII COPA SÃO PAULO LIGHT DE KART - RBC REGULAMENTO TÉCNICO 2015 Regulamento revisado em 29 de Janeiro de 2015 ARTIGO 1º - Somente poderão ser utilizados os equipamentos homologados, ou autorizados, pela

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 402 METROS REGULAMENTO TÉCNICO 2015 2 - CATEGORIA DIANTEIRA ORIGINAL DO 2.1) DEFINIÇÃO: a) Participam

Leia mais

Comandos. MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 920 MASTER Caixa Engrenagens Completas

Comandos. MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 920 MASTER Caixa Engrenagens Completas MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 0 MASTER Caixa Engrenagens Completas Comandos 00 00 PEÇA (CAIXA DE ENGRENAGEM COMPLETA) Caixa Engren. Rotativas Porca M Chapa Espacadora União Caixas Chapa União Caixas Engrenagens

Leia mais

Desenho Explodido: MG-950 - Conjunto Volante Magnético e Retratil

Desenho Explodido: MG-950 - Conjunto Volante Magnético e Retratil Desenho Explodido: MG-950 - Conjunto Volante Magnético e Retratil Lista de Peças: MG-950 - Conjunto Volante Magnético e Retrátil Nº Código Referência Descrição 1 08110.7 MG 95003100 Capa do Cilindro 2

Leia mais

MOTOSSERRAS BF45 2T - BF56 2T - BF62 2T

MOTOSSERRAS BF45 2T - BF56 2T - BF62 2T MOTOSSERRAS BF T - BF6 T - BF6 T MOTOSSERRA BF MOTOR 90 MOTOSSERRA BF 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 08 09 0 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 6 7 8 9 0 6 6 7 8 9 0 PEÇAS (MOTOR) Cilindro Porca M

Leia mais

REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015

REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015 REGULAMENTO 3ª COPA SPORT KART MG - EDIÇÃO 2016/01 VERSÃO 1 08/12/2015 Art. 1º - DA ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO. 1. Este campeonato de kart amador tem como idealizadora a COMISSÃO ORGANIZADORA SPORT KART

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART 50 CAMPEONATO BRASILEIRO DE KART 2015 REGULAMENTO PARTICULAR

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART 50 CAMPEONATO BRASILEIRO DE KART 2015 REGULAMENTO PARTICULAR 1 Capítulo I CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE KART 50 CAMPEONATO BRASILEIRO DE KART 2015 REGULAMENTO PARTICULAR A CONFEDERACAO CBA, através de sua filiada FGA Federação Gaúcha

Leia mais

CAMPEONATO PAULISTA DE VELOCIDADE NA TERRA ESPECÍFICO DOS MODELOS ATÉ 1600 CC REGULAMENTO TÉCNICO 2008

CAMPEONATO PAULISTA DE VELOCIDADE NA TERRA ESPECÍFICO DOS MODELOS ATÉ 1600 CC REGULAMENTO TÉCNICO 2008 CAMPEONATO PAULISTA DE VELOCIDADE NA TERRA ESPECÍFICO DOS MODELOS ATÉ 1600 CC REGULAMENTO TÉCNICO 2008 Regulamentação aprovada para veículos nacionais 1.4 injetado; 1.6 carburado e 1.6 injetado, homologados

Leia mais

MULTISPRAY 2000 RECOMENDAÇÕES CUIDADOS NO MANUSEIO DE PRODUTOS QUÍMICOS

MULTISPRAY 2000 RECOMENDAÇÕES CUIDADOS NO MANUSEIO DE PRODUTOS QUÍMICOS RECOMENDAÇÕES CUIDADOS NO MANUSEIO DE PRODUTOS QUÍMICOS Os defensivos agrícolas são classificados de acordo com a sua classe toxicológica. Para cada uma das classes existe uma recomendação especial em

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O D E A U T O M O B I L I S M O D O E S T A D O D O R I O D E J A N E I R O

F E D E R A Ç Ã O D E A U T O M O B I L I S M O D O E S T A D O D O R I O D E J A N E I R O REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA Art. 1º - Regulamentação A Prova SUPER KART 200 - ENDURANCE, será regida por este Regulamento Particular de Prova, pelo Regulamento Nacional de Kart - RNK/CBA 2013 e pelo

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2013 REGULAMENTO TÉCNICO

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2013 REGULAMENTO TÉCNICO 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2013 REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DIANTEIRA TURBO C DT-C 4.1) - DEFINIÇÃO: a) Participam desta

Leia mais

STOCK CAR PAULISTA LIGHT E SUPER. STOCK PAULISTA LIGHT (novo nome da categoria) REGULAMENTO TÉCNICO

STOCK CAR PAULISTA LIGHT E SUPER. STOCK PAULISTA LIGHT (novo nome da categoria) REGULAMENTO TÉCNICO STOCK CAR PAULISTA LIGHT E SUPER STOCK PAULISTA LIGHT (novo nome da categoria) REGULAMENTO TÉCNICO 2011 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CARROCERIAS E DIMENSÕES ARTIGO 3: PESO ARTIGO

Leia mais

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento.

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2 Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. Aviso Importante Certifique-se de verificar o nível de óleo como é descrito a seguir: 1. Nível

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2014 REGULAMENTO TÉCNICO

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2014 REGULAMENTO TÉCNICO 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE ARRANCADA CAMPEONATO BRASILEIRO DE ARRANCADA 2014 REGULAMENTO TÉCNICO 10 - CATEGORIA TURBO TRASEIRA TT 10.1) DEFINIÇÃO: a) Participam desta categoria

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO DE MOTOCROSS 2013

REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO DE MOTOCROSS 2013 REGULAMENTO GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO DE MOTOCROSS 2013 1 - TÍTULO E GENERALIDADES O Campeonato Brasileiro de Motocross é organizado e supervisionado pela Confederação. Brasileira de Motociclismo, montado

Leia mais

E-1 - CONJUNTO CABEÇOTE SEQ. CODIGO PEÇA DESCRIÇÃO QTDE/MOD.

E-1 - CONJUNTO CABEÇOTE SEQ. CODIGO PEÇA DESCRIÇÃO QTDE/MOD. BOBBER E-1 - CONJUNTO CABEÇOTE 1 SPY-M1111-00 CABEÇOTE 1 2 SPY-12165-00 MANGUEIRA DE CONEXÃO 1 3 SPY-12166-00 PLACA AJUSTE MANGUEIRA CONEXÃO 1 4 2.23.0101.02600 ANEL 17X2 1 5 SPY-M3585-00 COLETOR DE ADMISSÃO

Leia mais

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010

Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010 Regulamento Particular da Prova 500 Milhas de Kart 2010 ARTIGO 1º- Organização 500 Milhas de Kart Granja Viana, 14ª edição / 2010, será organizado pelo Clube Granja Viana com supervisão da Federação de

Leia mais

TAMPA DO CARTER REF DESCRIÇÃO CODIGO IPI NCM IVA

TAMPA DO CARTER REF DESCRIÇÃO CODIGO IPI NCM IVA TAMPA DO CARTER 1 ENGRENAGEM BOMBA ÓLEO NG1200001001 5 84.13.91.90 26,5 2 ESPAÇADOR NG1200001002 0 84.09.91.90 26,5 3 TAMPA BOMBA DE ÓLEO NG1200001003 5 84.09.99.90 26,5 4 5 6 CONJUNTO BOMBA DE ÓLEO NG1200001004

Leia mais

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO PATRIMÔNIAL GERÊNCIA DE BENS MÓVEIS GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE G E VEÍCULOS LEVES 2007 1 2 ESTADO DE SANTA

Leia mais

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N.º TR-350XL-3-00101/EX-10 TR-350XL DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m LANÇA 4 seções, 9,95 m - 32,0 m DIMENSÕES GERAIS

Leia mais

TURUNA (3100001~) CA TÁLOGO DE PEÇAS MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. - 1988 83

TURUNA (3100001~) CA TÁLOGO DE PEÇAS MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. - 1988 83 (3100001~) CA TÁLOGO DE PEÇAS 12 MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. - 1988 83 ÍNDICE ÍNDICE POR BLOCOS 1 INSTRUÇÕES (Uso do catálogo de peças) 2 GRUPO DO MOTOR 3 GRUPO DO CHASSI 4 ÍNDICE DE NÚMERO E NOME DE

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CAMPEONATO PAULISTA DE DRAG RACE 2014 REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA DRAG RACE DIANTEIRA DD 1- REGULAMENTAÇÃO: Todos os veículos inscritos deverão passar por vistoria prévia. Todos os pilotos deverão ter

Leia mais

Desenho Explodido: CARTER

Desenho Explodido: CARTER Desenho Explodido: CARTER Lista de Peças: CARTER Nº Código Referência Aplicação Nº Código Referência Aplicação 1 00028515.5 11110 - CARTER MD-188 20 00028532.5 11152/C178F - JUNTA DE VEDAÇAO DO AR MD-188

Leia mais

Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE

Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE MODELOS: MG-5000 CL MG- 6000 CLE MGT-6000 CLE MGG- 8000 CLE MGT-8000 CLE Nº Código Referência Aplicação

Leia mais

REF. DESCRIÇÃO NG8000E NG8000E3 NG6000E NG60000E3

REF. DESCRIÇÃO NG8000E NG8000E3 NG6000E NG60000E3 1 PARAFUSO TAMPA DA VALVULA NP08001 2 ARRUELA NP08002 3 RETENTOR NP08003 4 TAMPA CABEÇOTE NP08004 5 VEDACAO DA TAMPA NP08005 6 PARAFUSO M10X80 NP08006 7 VELA NP08007 8 PRISIONEIRO EXAUSTAO NP08008 9 CABEÇOTE

Leia mais

17ª COPA BRASIL DE KART 2015 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR

17ª COPA BRASIL DE KART 2015 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR 17ª COPA BRASIL DE KART 2015 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO CBA, através de sua filiada FMA fará realizar a prova aberta denominada "17ª COPA BRASIL DE

Leia mais

FÓRMULA VEE BRAZIL. Regulamento Técnico 2012 ARTIGO 1: VEÍCULOS PERMITIDOS ARTIGO 2: CARENAGEM E ASSOALHO ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR

FÓRMULA VEE BRAZIL. Regulamento Técnico 2012 ARTIGO 1: VEÍCULOS PERMITIDOS ARTIGO 2: CARENAGEM E ASSOALHO ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR FÓRMULA VEE BRAZIL Regulamento Técnico 2012 ARTIGO 1: VEÍCULOS PERMITIDOS ARTIGO 2: CARENAGEM E ASSOALHO ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR ARTIGO 5: COMBUSTÍVEL ARTIGO 6: LUBRIFICAÇÃO E ARREFECIMENTO ARTIGO

Leia mais

Este regulamento está organizado conforme o CDI Código Desportivo Internacional e CDA Código Desportivo do Automobilismo.

Este regulamento está organizado conforme o CDI Código Desportivo Internacional e CDA Código Desportivo do Automobilismo. 15 - CATEGORIA TRASEIRA STREET TURBO. Este regulamento está organizado conforme o CDI Código Desportivo Internacional e CDA Código Desportivo do Automobilismo. 15.1) DEFINIÇÃO: a) Participam desta categoria

Leia mais

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança

Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança Regulamento Técnico - Regras Gerais/Segurança As normas e regras aqui estabelecidas são complementares aos regulamentos técnicos de cada categoria, portanto devem ser seguidas e obedecidas por competidores

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL. F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition. Regulamento Desportivo 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition Regulamento Desportivo A CBA supervisionará técnica e desportivamente o torneio F3 BRAZIL OPEN, 2012 Edition, que é promovido pela empresa

Leia mais

Em caso de não encontrar, ligue ( 0xx11 ) 2018-0501

Em caso de não encontrar, ligue ( 0xx11 ) 2018-0501 DSL0067 BUCHA BRAÇO TENSOR TOPIC DSL0058 Bucha Barra Estabilizadora topic DSL0083 Bucha Jumelo Traseiro topic DSL0001 ROLAMENTO GUIA DSL0008 Junta do Carter topic DSL0009 Fechadura Porta Deslizante topic

Leia mais

Instruções para uso do peso de bater automático

Instruções para uso do peso de bater automático Este equipamento foi desenvolvido com as finalidades de: 1) Agilizar e otimizar o tempo necessário para os testes de penetração de solo; 2) Melhorar a ergonomia do procedimento, evitando esforços físicos

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO.

COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. COPA GOIÁS DE FÓRMULA 200-2015. REGULAMENTO. ARTIGO 1º- Este regulamento é exclusivo da COPA GOIÁS DE FORMULA 200 ano 2015. 2 A categoria que fará parte deste Regulamento, será assim denominada: 2.1 Categoria

Leia mais

15ª COPA BRASIL DE KART 2013 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR

15ª COPA BRASIL DE KART 2013 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR 1 15ª COPA BRASIL DE KART 2013 VESPASIANO - MG REGULAMENTO PARTICULAR A CBA, através de sua filiada FMA fará realizar a prova aberta denominada "15ª COPA BRASIL DE KART" 2013, de acordo CODE SPORTIF INTERNATIONAL

Leia mais

CRF450X5 CRF450X6 CATÁLOGO DE PEÇAS 00X1B-MEY-001. Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006

CRF450X5 CRF450X6 CATÁLOGO DE PEÇAS 00X1B-MEY-001. Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006 5 6 CATÁLOGO DE PEÇAS 1 00X1B-MEY-001 Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006 ÍNDICE 1 GRUPO DO MOTOR 2 GRUPO DO CHASSI 3 ÍNDICE DOS NÚMEROS DAS PEÇAS 4 Instruções para o Uso do Catálogo de Peças ÍNDICE Este

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015

CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015 1 CONSELHO TÉCNICO DESPORTIVO NACIONAL COMISSÃO NACIONAL DE VELOCIDADE CAMPEONATO BRASILEIRO DE TURISMO REGULAMENTO TÉCNICO 2015 ARTIGO Nº. 1 DEFINIÇÕES... 2 ARTIGO Nº. 2 ENTENDIMENTO GERAL... 2 ARTIGO

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO Mini Moto 49cc 2T Modelo DB710 MANUAL DO PROPRIETÁRIO (06 PÁGINAS) Para o bom funcionamento de seu produto siga corretamente as instruções deste manual. ATENÇÃO! É proibido o tráfego

Leia mais

ARTIGO 1º- Organização 500 Milhas de Kart Granja Viana, 19ª edição / 2015, será organizado pelo Clube Granja Viana.

ARTIGO 1º- Organização 500 Milhas de Kart Granja Viana, 19ª edição / 2015, será organizado pelo Clube Granja Viana. Índice: Artigo 01 Organização Artigo 02 Prova Artigo 03 Das categorias Artigo 04 Equipes Artigo 05 Entrada box / parada obrigatória Artigo 06 Numeração Artigo 07 Equipamento dos pilotos Artigo 08 Briefing

Leia mais

ADENDO 02. Pelo presente ADENDO o Regulamento do 40º. Campeonato Catarinense de Kart 2016 fica acrescido nos seguintes itens: REGULAMENTO TÉCNICO TAG

ADENDO 02. Pelo presente ADENDO o Regulamento do 40º. Campeonato Catarinense de Kart 2016 fica acrescido nos seguintes itens: REGULAMENTO TÉCNICO TAG ADENDO 02 Pelo presente ADENDO o Regulamento do 40º. Campeonato Catarinense de Kart 2016 fica acrescido nos seguintes itens: REGULAMENTO TÉCNICO TAG 1. Somente poderão ser utilizados os equipamentos homologados

Leia mais

Peças para reposição - Equipamentos Royce

Peças para reposição - Equipamentos Royce RC.500.137 Visor Indicador de Gás da Máquina Werther FR2003 RC.500.170 RC.500.141 Visor de Óleo da Bomba de Vácuo da Máquina MM6F RC.500.150 RC.500.227 Celula da Balança da Máquina Werther FR2003 RC.500.170

Leia mais

1º ENDURANCE NOTURNO 2015 210km 4 HORAS DE CORRIDA. REGULAMENTO: ORGANIZAÇÃO E SUPERVISÃO: Kartódromo RBC Racing APOIO: JORNAL E TV BALCÃO ORGUEL

1º ENDURANCE NOTURNO 2015 210km 4 HORAS DE CORRIDA. REGULAMENTO: ORGANIZAÇÃO E SUPERVISÃO: Kartódromo RBC Racing APOIO: JORNAL E TV BALCÃO ORGUEL 1º ENDURANCE NOTURNO 2015 210km 4 HORAS DE CORRIDA REGULAMENTO: ORGANIZAÇÃO E SUPERVISÃO: Kartódromo RBC Racing APOIO: JORNAL E TV BALCÃO ORGUEL 1 - PARTICIPAÇÃO: Para participar do Endurance RBC Racing,

Leia mais

CARVE MOTOR. 50cc V.05

CARVE MOTOR. 50cc V.05 CARVE MOTOR 50cc V.05 Leia atentamente as instruções deste manual. O usuário deve seguir rigorosamente todos os procedimentos descritos, bem como estar ciente dos riscos inerentes à prática de esportes

Leia mais

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO

Federação de Automobilismo de São Paulo FILIADA À CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FORÇA LIVRE REGULAMENTO TÉCNICO 2015 ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS ARTIGO 2: CARROCERIA E DIMENSÕES ARTIGO 3: PESO ARTIGO 4: MOTOR ARTIGO 5: COMBUSTÍVEL ARTIGO 6: LUBRIFICAÇÃO ARTIGO 7:

Leia mais

renault Kangoo express

renault Kangoo express renault Kangoo express renault Kangoo express A Renault está sempre ao seu lado e acredita no crescimento de seus negócios. Por isso, oferece a você um carro ágil, versátil e com grande capacidade de carga.

Leia mais

Estrada do Engenho D água 1295, Anil. Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240. Contato via telefone:

Estrada do Engenho D água 1295, Anil. Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240. Contato via telefone: Estrada do Engenho D água 1295, Anil. Rio de Janeiro, RJ, Cep: 22765-240 Contato via telefone: Rio de Janeiro: (21) 3072-3333 São Paulo: (11) 3522-4773 Vitória: (27) 4062-8307 Belo Horizonte: (31) 4063-8307

Leia mais