COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice"

Transcrição

1 COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA Índice 1. Introdução 2. Objectivo 3. Âmbito de aplicação 4. Activação do plano 4.1. Cadeia de Gestão 4.2. Cadeia de Comando e Controlo 4.3. Actividades Essenciais e Prioritárias e respectivas Medidas de Manutenção da Actividade Escolar em situação de crise 5. Medidas de Prevenção e Controlo da Gripe 5.1. Informação e Capacitação 5.2. Medidas de Higiene do Ambiente Escolar 5.3. Medidas de Isolamento e Distanciamento Social 6. Plano de Comunicação 7. Elaboração e Divulgação do Plano 8. Avaliação

2 1. INTRODUÇÃO Face à situação actual, as autoridades nacionais de saúde têm vindo a alertar para a eventual ameaça duma possível pandemia de Gripe A, recomendando a elaboração de um Plano de Contingência. Conhecer as manifestações da doença e as suas formas de transmissão, constitui a melhor forma de, sem alarmismos, adoptar as medidas de prevenção mais adequadas. Uma das consequências dos efeitos da pandemia será o elevado nível de absentismo dos profissionais e dos alunos e consequente perturbação no normal decorrer das actividades escolares e no ambiente familiar e social de toda a comunidade educativa. Como tal, a resposta a esta ameaça passa pela elaboração de um Plano de Contingência, definindo linhas orientadoras a seguir no COLÉGIO DA TROFA, numa situação de Gripe A pandémica, de forma a manter a actividade da Instituição. O presente Plano de Contingência é o considerado mais adequado neste momento. O mesmo poderá ser revisto e actualizado face a novas informações ou acontecimentos. 2. OBJECTIVO O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade do Colégio, em face dos possíveis efeitos da pandemia, nomeadamente o absentismo de professores e alunos, ou funcionários e respectivas repercussões nas actividades escolares e no ambiente familiar e social de toda a comunidade educativa. Consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente, de modo articulado, em cada fase da evolução da pandemia da gripe. O presente Plano de Contingência, pretende antecipar e gerir o impacto de uma eventual situação de pandemia de Gripe A na comunidade escolar, visando: 1. Definir a estrutura de decisão e de coordenação no Colégio; 2. Preparar a resposta operacional para minimizar as condições de propagação da pandemia e manter os serviços essenciais em funcionamento; 3. Preparar respostas às necessidades de notificação e comunicação para a Comunidade Escolar; 4. Estabelecer previamente uma estreita articulação com as famílias, os serviços de saúde e bem como com outras estruturas pertinentes; 5. Preparar o restabelecimento da situação e actividades normais tão rápido e seguro quanto possível. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 2

3 3. AMBITO DE APLICAÇÃO O Plano de Contingência estabelece e documenta os procedimentos de decisão e coordenação das acções ao nível do Colégio, bem como, os processos de comunicação interna e externa, nomeadamente, com as entidades nacionais de saúde. Este conjunto de medidas e acções deverão ser aplicados no momento oportuno, tendo em conta a fase de evolução da pandemia da gripe. A organização Mundial da Saúde (OMS) considera as seguintes fases na evolução da gripe pandémica: Fase 1 Fase 2 PERÍODO PRÉ-PANDÉMICO Não foram detectados novos subtipos de vírus de gripe. Se foram identificados em animais, o risco de infecção para o homem é considerado baixo. Não foram detectados novos subtipos de vírus de gripe em humanos. Contudo a existência de um novo subtipo de vírus em circulação em animais aumenta o risco de doença para os humanos. NÍVEL DE ALERTA RESPOSTA ESPERA (Stand by) PERÍODO DE ALERTA PANDÉMICO Fase 3 Fase 4 (Fase actual) Período de Alerta Ocorreram infecções em humanos com um novo subtipo de vírus, mas não transmissão pessoa a pessoa, ou aconteceram em casos muito raros devido a grande proximidade. Risco Elevado Pequenas bolsas com transmissão pessoa a pessoa limitada, de difusão muito localizada, sugerindo que o vírus não está bem adaptado a humanos. ELEVADO Fase 5 Fase 6 Pandemia Iminente Largas bolsas, mas com transmissão pessoa a pessoa ainda localizada, sugerindo que o vírus está a adaptar-se cada vez melhor a humanos. Pandemia Transmissão crescente e sustentada na população em geral. SEVERO Os momentos para a implementação das medidas preconizadas neste Plano serão determinados pela Equipa Operativa, tendo como referência as indicações que surgirão das autoridades de saúde. Em cada fase serão definidas directivas para a execução do plano e respectiva avaliação. De acordo com o decorrer da evolução da Gripe, este Plano será revisto e actualizado pela Equipa Operativa tendo em atenção as orientações formuladas pelas entidades competentes. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 3

4 4.1. Cadeia de Gestão 4. ACTIVAÇÃO DO PLANO A gestão da situação de pandemia depende da pertinência das decisões e das acções levadas à prática em cada momento. A organização da cadeia de gestão respeita uma estrutura piramidal: a coordenação global do plano é dirigida pelo Director Pedagógico, apoiado por um Adjunto para as áreas de segurança, higiene e saúde e uma Equipa Operativa. COORDENADOR A Director Pedagógico / Coordenador do Plano EQUIPA OPERATIVA A1 A2 A3 A4 A5 Aprovisionamento de material Adjunto para a área da segurança, higiene e saúde Coordenador do Secundário Coordenador dos 2º e 3º ciclos Coordenador do 1º CEB Coordenador da Infantil José Serrano e Paulo Serra 4.2. Cadeia de comando e controlo Dado que a pandemia pode levar a um elevado absentismo, todos os elementos têm designado um substituto especificamente preparado para desempenhar as mesmas funções. Quer os responsáveis quer os substitutos detêm a preparação necessária para poderem executar devidamente as funções que lhes são atribuídas. RESPONSÁVEL FUNÇÃO SUBSTITUTO COORDENAÇÃO A A1 Responsável pelo Plano de Contingência EQUIPA OPERATIVA Manter permanente atenção e vigilância ao evoluir da situação e assegurar a eficácia da aplicação das medidas contidas no Plano de Contingência A1 ( sempre que possível com apoio de um elemento da entidade titular ) A2/A3/A4/A5 ( sempre que possível com apoio de um elemento da entidade titular ) Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 4

5 4.3. Actividades essenciais e prioritárias e respectivas medidas de manutenção da actividade escolar em situação de crise Apesar do Colégio funcionar como um todo, existem algumas actividades consideradas essenciais e prioritárias. Dada a importância destas, foram criadas algumas medidas de manutenção da actividade escolar. Actividades essenciais e prioritárias Direcção da escola Medidas de manutenção da actividade escolar No caso de se verificar Gripe A no Director Pedagógico, caberá ao Coordenador do Secundário a sua substituição e, no caso do mesmo ocorrer neste, caberá aos Coordenadores de Ciclo ( 2º e 3º Ciclos, 1º Ciclo e Infantil - por esta ordem ) a substituição das funções de direcção pedagógica do Colégio da Trofa, com apoio do representante da entidade proprietária do Colégio. O Director manterá, contudo, uma participação activa no exercício das suas responsabilidades, através de contacto telefónico, correio electrónico e/ou normal e todos os meios julgados por adequados. No caso dos serviços administrativos, as funções do(s) profissional(ais) com Gripe A deverão ser asseguradas pelos restantes elementos dos serviços administrativos. Serviços administrativos No entanto, estes quando doentes, deverão articular e dar continuidade às suas funções no seu domicílio, por intermédio de um computador ligado à rede ou outros meios alternativos. As actividades lectivas no Colégio serão mantidas enquanto tal for possível ou até indicação em contrário do Delegado de Saúde. Num contexto de absentismo baixo a moderado, deverão ser accionados os mecanismos de substituição previstos na organização interna do Colégio, por forma a minimizar as suas consequências. Serão ainda consideradas as possibilidades de: redistribuição e acumulação de funções dos docentes ao serviço e/ou interrupção temporária da disciplina com sequente recurso a aulas de apoio e/ou de substituição. Leccionação Nos casos de absentismo moderado a forte, procurar-se-ão outras alternativas para assegurar o serviço docente a partir da residência do docente afectado, desde que haja condições para o efeito ou, caso tal não se verifique, proceder à substituição temporária do docente. No início do ano lectivo, os docentes definirão estratégias por forma a minimizar os efeitos do absentismo provocado pela Gripe A No caso de algum aluno manifestar temperatura e outros sintomas gripais, deverá o mesmo ser conduzidos a uma sala de isolamento e ser contactada a respectiva família para vir buscar o aluno em causa. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 5

6 A empresa ITAU a quem está concessionado o serviço de refeitório tem, também, estabelecido um Plano de Contingência próprio. Refeições Ao nível do serviço de Bar, será criada uma reserva de segurança de água engarrafada e de outros produtos não perecíveis capaz de abastecer o mesmo durante 3 semanas, tendo em vista minimizar o impacto de eventuais falhas de fornecimento. Quanto aos produtos de higiene e limpeza, será constituído um stock adequado às necessidades, reforçando os produtos de desinfecção de chão, móveis e equipamentos, higienização das mãos, toalhetes de higiene para as mãos e ainda de desinfectantes de base alcoólica para as mãos. Serviço de higiene e limpeza O serviço de limpeza terá que ser assegurado pelas funcionárias que se encontram ao serviço, devendo estas acumular as funções dos colegas que se encontram com Gripe A. Caso esta medida não seja suficiente, será ponderada a necessidade de contratação pontual de mais funcionários. Serviço de apoio aos alunos e pessoal docente Transportes Dada a natureza da pandemia, serão prioritários os serviços de higiene e limpeza. Os serviços de portaria, telefone, reprografia, bar serão assegurados pelo pessoal que se encontra ao serviço. Dada a especificidade deste serviço, actuar-se-á conforme o evoluir da situação Perante um cenário de elevado absentismo dos docentes ou outros profissionais, as condições mínimas para assegurar o funcionamento do Colégio, são: Serviços Mínimos para assegurar o funcionamento do Colégio Portaria Bufete Manutenção e limpeza/desinfecção das instalações e apoio às actividades lectivas Cantina Serviços administrativos Actividades lectivas Cumprimento do plano de emergência e evacuação da escola N.º de elementos necessários 1 elemento 2 elementos 5 elementos Definido pelo ITAU 1 elemento A definir por ano/turma conforme docentes em falta Todos os elementos presentes Para a manutenção das actividades consideradas essenciais será assegurada a entrada dos fornecedores de bens ou serviços, nomeadamente fornecedores de artigos alimentares para a cantina e Bar e material de higiene e limpeza, mediante o uso de máscara a ser disponibilizada na portaria. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 6

7 O encerramento da escola será efectuado pela Direcção do Colégio, ou por decisão das autoridades de saúde competentes, após avaliação epidemiológica da situação. Neste caso, deverão ser efectuadas tarefas de higienização dos espaços, de acordo com as indicações do Delegado de Saúde, e mantidos os serviços mínimos para serem asseguradas algumas das actividades consideradas essenciais: Serviços Mínimos em caso de encerramento do Colégio da Trofa Direcção Segurança (portaria) / Auxiliares Serviços Administrativos Serviço Docente N.º de elementos necessários 1 Elemento 2 Elementos 1 Elemento 1 docente por ano/turma se possível 5. MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA GRIPE Considerando o importante papel que as escolas apresentam na prevenção de uma pandemia de gripe, devido à possibilidade de contágio e rápida propagação da doença entre os seus alunos e profissionais, serão adoptadas medidas adequadas de prevenção e contenção da doença. As medidas serão tomadas em estreita articulação com os pais ou encarregados de educação e as autoridades de Saúde Pública Informação e capacitação Para divulgar a informação necessária e adequada à prevenção da infecção pelo Vírus da Gripe A (H1N1) higiene pessoal e do ambiente escolar serão utilizados vários meios nas instalações da escola e através dos meios telemáticos disponíveis: Realização de reuniões de esclarecimento e formação de profissionais, de pais e de alunos, a realizar no início do ano lectivo (Setembro de 2009) e sempre que se considere oportuno; Distribuição e afixação de informação oficial acerca de procedimentos individuais e colectivos que visam minimizar contágio, com instruções e procedimentos específicos, nomeadamente Como Lavar as Mãos e Como se pode proteger a si e aos outros Fornecidos pela DGS; Afixação nas casas de banho de cartazes informativos sobre outras medidas de higiene; Divulgação na página da internet do Colégio da Trofa e na plataforma Moodle de toda a informação necessária e adequada Medidas de higiene do ambiente escolar Visando a redução do risco de contágio e a diminuição da propagação da doença, será dada especial atenção aos cuidados de higiene e limpeza das instalações e equipamentos escolares. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 7

8 Para o efeito, o Colégio da Trofa instalará, também e na quantidade julgada necessária, no início do ano lectivo, os equipamentos de higiene recomendados pelas autoridades de saúde, nomeadamente, doseadores e dispositivos de toalhetes de papel, cestos de recolha de lixo com tampa e com comando de pé, termómetros, máscaras, luvas e dispositivos com soluções de limpeza das mãos à base de álcool. Adoptar-se-ão os seguintes procedimentos mais relevantes: Situações Entrada de escola Saída dos transportes escolares Ajuntamento à porta das salas de aula Intervalos Visitas de estudo Desinfecção das mãos Antes das Refeições Procedimentos A entrada na escola irá ocorrer com desfasamento dos horários de entrada; Todos os alunos, professores e funcionários deverão lavar/desinfectar as mãos à entrada; Incentivar a lavagem/desinfecção das mãos na escola e em casa; Será evitado. Os intervalos devem ocorrer, dentro do possível, de forma desfasada. Durante os intervalos será definida área preferencial de ocupação para cada turma. Serão suspensas, se tal se justificar. Estarão disponíveis em vários locais do Colégio aparelhos de desinfecção de mãos. Será obrigatório a lavagem das mãos. Espaços e lugares Espaços fechados da escola (salas de aula, gabinetes, casas de banho, etc) Ginásio material Ginásio balneários Procedimentos Serão mantidas as janelas abertas sempre que possível, para promover o arejamento. O professor deverá ser a pessoa responsável por deixar as janelas abertas durante os intervalos. As salas serão limpas frequentemente. Todo o material será limpo frequentemente e o uso de colchões será evitado. A limpeza será reforçada. Bar Recreios Serão evitadas as filas. Reforçar a higiene e sanidade das funcionárias. O horário dos recreios será desfasado, sempre que possível. Transportes escolares Bebedouros Brinquedos e material didáctico Portas /corrimãos Superfícies Vidradas Conforme o evoluir da situação, serão definidas as estratégias que se entendam por mais adequadas. Serão suspensos. Serão limpos frequentemente com desinfectante ou detergente recomendado. Sempre que possível as portas ficarão abertas. Puxadores/maçanetas e corrimãos serão limpos e desinfectados frequentemente. Limpeza frequente. Os alunos serão prevenidos para não tocar nas mesmas. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 8

9 5.3. Medidas de isolamento e distanciamento social Visando a saúde da comunidade educativa do Colégio e a eficaz prevenção da pandemia de Gripe A, serão tidas em conta as seguintes regras e procedimentos de isolamento e distanciamento social: Não serão admitidos no Colégio da Trofa alunos, professores e demais colaboradores, assim como outros visitantes que manifestem febre ou outros sinais de gripe, a fim de evitar o contágio, Sempre que surja um caso de dúvida a Equipa Operativa contactará a Linha de Saúde 24 ( ), o Centro de Saúde e/ou o Delegado de Saúde. Nos lugares de atendimento ao público deverá ser garantida uma distância de pelo menos 1 metro. Intensificar a divulgação das normas de higiene individual, em particular das mãos, constantes dos folhetos e cartazes da DGS; Aceitar as orientações que são transmitidas superiormente Suspender, sempre que necessário, actividades não prioritárias; Comunicar à Equipa Operativa deslocações ao estrangeiro a título pessoal No caso de alguém manifestar sintomas de gripe, será imediatamente efectuado o respectivo isolamento nos seguintes termos: o Encaminhar a pessoa para a sala X que irá funcionar como sala de isolamento, durante a permanência na escola. o Contactar a Linha Saúde ; o Manter o aluno na referida sala até que os pais/encarregados de educação sejam contactados ou o mesmo seja encaminhado para estabelecimento de saúde mediante indicação dos profissionais da Linha Saúde ; o Durante o isolamento, esta sala deve ser utilizada apenas para esse fim, mantendo pelo menos uma janela aberta, a fim de poder ser ventilada para o exterior e a porta fechada; o A sala irá dispor um termómetro, máscaras de protecção, luvas e um dispensador de solução anti-séptica de base alcoólica para desinfecção das mãos; o A sala será limpa e arejada após a sua utilização por eventuais pessoas doentes. 6. PLANO DE COMUNICAÇÃO Uma boa rede de comunicação interna e externa será assegurada, nomeadamente com o Centro de Saúde, Bombeiros Voluntários e famílias dos alunos. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 9

10 7. ELABORAÇÃO E DIVULGAÇÃO DO PLANO O presente plano foi elaborado de acordo com as directrizes emanadas pela Direcção-Geral da Saúde e os serviços do Ministério da Educação. Por forma a garantir uma difusão eficaz e eficiente da informação pela comunidade escolar, o Colégio divulgará, profusamente, toda a informação oficial, recorrendo aos meios e recursos disponíveis. O Plano será divulgado na página do Colégio da Trofa na Internet e explicado aos Pais e Encarregados de Educação nas reuniões de recepção a realizar em Setembro. 8. AVALIAÇÃO O presente Plano deve ser considerado como estando em permanente actualização, competindo ao Coordenador e à Equipa Operativa proceder, em todo o momento, à sua reavaliação. Uma vez terminada a fase pandémica, será elaborado um breve relatório que evidencie os aspectos mais relevantes da sua aplicação, tendo em vista melhorar o Plano de Contingência e a capacidade de resposta a situações de crise que possam vir a ocorrer no futuro. Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 10

11 9. LISTA DE VERIFICAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO Coordenação e Planeamento Não iniciado Em curso Executado Designar um coordenador e respectiva equipa operativa Definir a cadeia de comando e controlo para implementação do Plano Assegurar que os responsáveis pelas diferentes tarefas e respectivos substitutos têm a informação e o treino necessários para a sua execução Identificar as actividades essenciais e prioritárias Prever o impacto que os diferentes níveis de absentismo terão nas actividades escolares, em particular nas consideradas essenciais Definir os recursos humanos mínimos para cada uma das áreas prioritárias e prever a sua substituição, em caso de necessidade Planear formas de manter as actividades administrativas e de segurança da escola, em caso de elevado absentismo ou de encerramento Identificar os fornecedores de bens ou serviços essenciais para o funcionamento da instituição como, por exemplo, refeições, segurança, etc Verificar se os fornecedores de bens ou serviços considerados essenciais podem garantir a continuidade desses fornecimentos Equacionar soluções alternativas para a manutenção dos fornecimentos essenciais Identificar os parceiros com quem deve ser estabelecida uma articulação prioritária Assegurar a existência de uma reserva estratégica de bens ou produtos cuja falta possa comprometer o exercício das actividades mínimas ou consideradas prioritárias (durante o período crítico da pandemia) Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 11

12 Manutenção das actividades escolares Não iniciado Em curso Executado Planear formas de manter a actividade escolar das crianças, por exemplo, através de , no caso de encerramento da escola ou de absentismo de professores Encorajar os pais a apoiarem a realização dos trabalhos escolares em articulação com os professores, em caso de encerramento da escola Encorajar os pais a encontrarem formas alternativas para guarda das crianças, no caso de a escola ter de encerrar Encontrar, em articulação com a Autarquia e os pais, formas de fornecimento de alimentação às crianças apoiadas pelo programa de refeições escolares em caso de encerramento da escola Encontrar, em articulação com a Autarquia e os pais, formas de garantir os transportes escolares Medidas de Prevenção e controlo da Gripe Não iniciado Em curso Executado Efectuar sessões de esclarecimento e formação dos profissionais sobre as medidas de prevenção a adoptar, sempre que necessário Efectuar sessões de esclarecimento com os pais sobre as medidas de prevenção a adoptar Informar os pais de que as crianças não serão admitidas se apresentarem febre ou outros sinais de gripe Promover a reflexão e a realização de trabalhos sobre o tema e discutir dúvidas com os alunos Distribuir e afixar materiais informativos sobre medidas de prevenção e controlo Prever uma reserva estratégica de produtos de higiene e limpeza, ou outros considerados essenciais, para fazer face a uma eventual ruptura no seu fornecimento Proceder a uma avaliação das instalações e equipamentos para lavagem das mãos e reparar eventuais deficiências Proceder à instalação de dispositivos de desinfecção das mãos com solução à base de álcool em locais estratégicos e onde não seja possível lavar as mãos entrada de salas de bebés e crianças, sala de isolamento, local de marcação biométrica de ponto, etc. Designar um responsável que assegure a manutenção destes dispositivos Definir e implementar rotinas de lavagem das mãos das crianças e dos outros profissionais Definir e implementar regras e rotinas de lavagem das instalações e equipamentos Definir e implementar regras de lavagem e higienização dos brinquedos Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 12

13 Definir e implementar regras de arejamento das instalações Impor a regra de que as crianças com febre ou sintomas gripais permaneçam em casa e não frequentem a escola Impor a regra de que os profissionais com febre ou sintomas gripais permaneçam em casa e não frequentem a escola Criar uma sala de isolamento para crianças que manifestam febre ou sintomas gripais, até que os encarregados de educação as retirem da escola Estabelecer regras de utilização desta sala Medidas de Prevenção e controlo da Gripe Não iniciado Em curso Executado Divulgar o Plano de Contingência junto dos profissionais da escola Divulgar o Plano de Contingência junto dos pais e encarregados de educação Divulgar o Plano de contingência junto da restante comunidade educativa Manter uma lista actualizada dos contactos dos encarregados de educação e de todos os profissionais da escola Estabelecer formas de comunicação com a Equipa de Saúde Escolar e a Autoridade de Saúde Local Prever formas de comunicação com os ais e com os profissionais da escola, através de vias alternativas telemóvel ou Explicar o Plano de Contingência aos pais e retirar possíveis dúvidas Fornecer informação aos pais sobre a evolução da situação na escola e esclarecer eventuais dúvidas Estabelecer formas de comunicação com os profissionais da escola Manter uma listagem de contactos dos principais parceiros actualizada Fonte: DGS Plano de Contingência Gripe A [H1N1]v 13

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino GRIPE A (H1N1) v Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino Orientações para a sua elaboração Este documento contém: Metodologia de elaboração

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Ano Lectivo 2009/2010 PLANO DE CONTINGÊNCIA A principal finalidade do Nacional é a de minimizar o impacte de uma eventual pandemia em território nacional, sobretudo no que diz respeito à

Leia mais

Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA

Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA ANTERO DE QUENTAL Largo Mártires da Pátria 9504 520 Ponta Delgada Tel.: 296 20 55 40 Fax: 296 20 55 44 www.esaq.pt Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe H1N1_PLANO DE CONTIGÊNCIA

Leia mais

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1)

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 2009-2010 Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 1. Introdução No sentido de colmatar a possibilidade de contágio e a rápida propagação da gripe A,

Leia mais

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão 1. Introdução O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos

Leia mais

Plano de contingência da gripe A (H1N1)

Plano de contingência da gripe A (H1N1) 0. Informação introdutória A. O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e todo o sistema respiratório, provocada por um novo vírus da Gripe: vírus

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Creche, Jardim-de-infância e ATL da ASSTAS Índice I INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVOS... 3 III PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE A GRIPE A... 4 A) Quais os sintomas?... 4 B)

Leia mais

Plano de Contingência APPACDM de Elvas

Plano de Contingência APPACDM de Elvas Plano de Contingência APPACDM de, Setembro 2009 Índice: 1. Introdução 1 2. Objectivos e Âmbito de aplicação 2 3. Políticas e Princípios 3 4. Pressupostos 4 5. Activação do Plano 5 6. Plano de Contingência

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância 1. Enquadramento 1.1 Nota Introdutória Através da Organização Mundial de Saúde e das respectivas autoridades nacionais de Saúde, Ministério

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS ANO LECTIVO 2009/2010 Introdução O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos de uma pandemia

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A Horta, 24 de Agosto de 2009 Índice 1. Introdução 3 2. Objectivo e âmbito de aplicação 4 3. Coordenador e equipa operativa 4 4. Cadeia de

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MATOSINHOS PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v) Pré-Escolar, 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Cursos de Educação Formação Escolas do Agrupamento: Escola sede E.B 2,3 de

Leia mais

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA Plano de Contingência para a Pandemia da Ano Lectivo 2009/2010 1. Coordenação do plano: A coordenação global do plano é da responsabilidade da Direcção

Leia mais

COLÉGIO DE S.GONÇALO. PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1)

COLÉGIO DE S.GONÇALO. PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) COLÉGIO DE S.GONÇALO PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) Ano Lectivo 2009 / 2010 INDICE 1.Introdução 3 2. Coordenador e Equipa Operativa 4 3. Cadeia de Comando e Controlo 5 4. Actividades Essenciais e

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1)

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1) Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1) Índice I. Introdução... 2 II. Objectivos...... 2 III. A Gripe A (H1N1). 3 1. Definição e Prevalência. 3 2. Modos de Transmissão. 3 3. Sintomas.. 3 IV. Aplicação

Leia mais

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA Setembro 2009 ÍNDICE 1. Introdução ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Vírus (H1N1)v. Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009

Vírus (H1N1)v. Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009 ESCOLA SECUNDÁRIA D. MARIA II PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DA GRIPE A Vírus (H1N1)v Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009 Formas de Transmissão

Leia mais

Plano de Contingência UCP

Plano de Contingência UCP Universidade Católica Portuguesa Plano de Contingência UCP Lisboa Sede Campus de Sintra Residência Universitária Feminina Pandemia de Gripe A (H1N1) Lisboa-Versão02-28 Setembro 09 Índice 1. LISTA DE SIGLAS

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) ÍNDICE PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. DETERMINANTES DA GRIPE... 4 3. OBJECTIVOS ESPECIFICOS... 7 4. DEFINIÇÃO DA CADEIA DE COMANDO E CONTROLO...

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 No seguimento das recomendações efectuadas pelas autoridades de saúde nacionais, entendeu o Instituto Superior de

Leia mais

PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1)

PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1) PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Por indicações da Direcção Geral de Saúde, que identificou este, como sendo o momento em que a necessidade de criação de Planos de Contingência para a pandemia

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A (H1N1)

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Plano de Contingência Gripe A (H1N1) ESCOLA SECUNDÁRIA DE EÇA DE QUEIRÓS DA PÓVOA DE VARZIM ÍNDICE Introdução 3 A gripe como doença pandémica 4 O vírus da Gripe A (H1N1) Sintomas da doença pelo vírus da

Leia mais

Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CASTELO DA MAIA 2009/2010 Índice Introdução... 3 Objectivos do Plano de Contingência...

Leia mais

(H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A. Plano de Contingência - Gripe A 1. Escola Secundária de Manuel da Fonseca

(H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A. Plano de Contingência - Gripe A 1. Escola Secundária de Manuel da Fonseca PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v Plano de Contingência - Gripe A 1 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Plano de Contingência da Escola.... 3 3. Equipa operativa e respectivas competências...

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v INTRODUÇÃO No início de mais um ano lectivo, uma preocupação nova existe nas escolas: o vírus H1N1 que poderá marcar

Leia mais

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1)

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Introdução: As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA Agrupamento de Escolas de Abrigada PLANO DE CONTINGÊNCIA - GRIPE A JULHO DE 2009 Plano de Contingência para a Gripe A Agrupamento de Escolas de Abrigada 1 ÍNDICE ÍNDICE... 2 NOTA INTRODUTÓRIA... 3 FINALIDADE...

Leia mais

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços.

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços. PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A (H1N1) A Direcção do Externato Frei Luís Sousa recebeu solicitação, do Centro Saú Almada/Autorida Saú, do envio confirmação da existência um Plano Contingência da Gripe

Leia mais

GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA

GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA ÍNDICE 1. Introdução Pág. 3 2. Prevenção Pág. 4 3. Contingência Pág. 5 3.1 Equipas de Comando Pág. 5 3.2 Manutenção das Actividades Escolares Pág. 6 3.2.1

Leia mais

PlanodeContingênciaGripeA_Plano. decontingênciagripea_planodeco. ntingênciagripea_planodecontingê. nciagripea_planodecontingênciag

PlanodeContingênciaGripeA_Plano. decontingênciagripea_planodeco. ntingênciagripea_planodecontingê. nciagripea_planodecontingênciag PlanodeContingênciaGripeA_Plano decontingênciagripea_planodeco ntingênciagripea_planodecontingê nciagripea_planodecontingênciag ripea_planod ênciagripea _PlanodPlContingênciaGripeA_Plan de 2009-2009/2010

Leia mais

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura PANDEMIA (H1N1) 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura Município de Paredes de Coura Aprovado por: Presidente da Câmara Municipal ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVO... 4 III ÂMBITO

Leia mais

Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009

Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009 Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESEC - GRIPE A - (H1N1) O presente Plano foi apresentado por Ana Coelho (Vice-Presidente do CD) Data: 30/09/2009 Revisão:

Leia mais

Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira

Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira Leiria 1. Introdução As escolas assumem um papel muito importante na divulgação das medidas de prevenção de uma pandemia de gripe, pela grande possibilidade de contágio

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE PANDÉMICA (GRIPE A / H1N1) 1/15 Índice 1. Introdução 2. Objectivos 3. Âmbito de aplicação 4. Planeamento e coordenação 5. Fases da gripe pandémica 6. Saúde e medidas de controlo

Leia mais

Gripe A Plano de contingência

Gripe A Plano de contingência Escola Secundária de Camões Praça José Fontana 1050 129 Lisboa Gripe A Plano de contingência O presente pretende identificar as medidas a concretizar pela escola de modo a minorar as consequências da pandemia

Leia mais

PLANO DE CONTIGÊNCIA

PLANO DE CONTIGÊNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO CENTRO DA ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I 7800-478 BEJA I PRÓLOGO PLANO DE

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Por três vezes no século XX (1918-1919; 1957-1958; 1968-1969) a gripe manifestou-se como uma pandemia, quando um novo subtipo de vírus

Leia mais

Plano de Contingência para Serviços e Empresas

Plano de Contingência para Serviços e Empresas Plano de Contingência para Este documento contém: Lista de Verificação de Medidas e Procedimentos para O Plano de Contingência consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente,

Leia mais

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas GRIPE A (H1N1)v Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas 1. Objectivo O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar Agrupamento de Escolas de Pico

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Agrupamento de Escolas Ruy Belo Rua D. Diniz, 2745-262 Queluz Telefones: Geral 214389640 Direcção: 214389644 Fax Direcção: 214389649 Email: eb23ruybelo1@mail.telepac.pt Plano de Contingência GRIPE A Introdução

Leia mais

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA -

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - Plano de Contingência Gripe A Ano lectivo 2009/2010 Acções a organizar na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe. Inquérito aos Estudantes

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010. Gripe A (H1N1)v

PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010. Gripe A (H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010 Gripe A (H1N1)v Barroselas, 2009 INTRODUÇÃO As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de contágio e rápida propagação

Leia mais

(GRIPE A H1N1) 2009-2010

(GRIPE A H1N1) 2009-2010 (GRIPE A H1N1) 2009-2010 1 PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Os organismos internacionais e as autoridades nacionais de saúde alertaram a sociedade, as escolas e as empresas para a ameaça

Leia mais

Medidas gerais de higiene pessoal:

Medidas gerais de higiene pessoal: Plano de Contingência Gripe A O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto contagiosa que afecta o nariz, a garganta e a árvore respiratória, provocada por um novo vírus da Gripe, o designado

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1 Agostode2009 ÍNDICE 1 OPlanodeContingência,suanaturezaeenquadramento...3 2 Anaturezadaameaça...3 3 ObjectivosdoPlanodeContingênciadaESHTE...5

Leia mais

GRIPE A (H1N1)v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino

GRIPE A (H1N1)v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino GRIPE A (H1N1)v Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino Orientações para a sua elaboração O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução Verificada a incidência do vírus da Gripe A (H1N1), vários organismos nacionais e internacionais, nomeadamente a Organização Mundial de Saúde (OMS) e

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SOURE

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SOURE PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SOURE Versão 1 - Setembro de 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. Objectivos do Plano 4 3. Coordenador e equipa operativa

Leia mais

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V Gripe A(H1N1)v Quais os sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: RECOMENDAÇÕES Qual o modo de contágio? Pessoa a pessoa através de gotículas quando tosse

Leia mais

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1)

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) SETEMBRO DE 2009 ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) Preâmbulo: O objectivo

Leia mais

A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas

A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas Patrocinador do Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Infecção Associada aos Cuidados de Saúde Índice 1. O que é a estratégia

Leia mais

Anexo 3 - Lista de fornecedores de bens e prestadores de serviços. Inquérito a enviar aos fornecedores de bens e prestadores de serviços.

Anexo 3 - Lista de fornecedores de bens e prestadores de serviços. Inquérito a enviar aos fornecedores de bens e prestadores de serviços. Plano de Contingência para a Gripe A Outubro 2009 Índice 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 4 3. Comissão de elaboração do plano de contingência para a gripe A (H1N1)... 4 4. Equipas de intervenção constituídas

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

Actualização ao plano de contingência

Actualização ao plano de contingência Actualização ao plano de contingência ALTERNATIVA ÀS REUNIÕES NO AUDITÓRIO DO IPB, DESTINADAS AOS ALUNOS, PREVISTAS NO PONTO 3.5.1. DO PLANO DE CONTINGÊNCIA Atendendo às recomendações da Direcção Geral

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Plano de Contingência Gripe A (H1N1) SANTARÉM, JULHO, 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Gripe A (H1N1) Informações Gerais SANTARÉM, JULHO, 2009 Primeira pandemia

Leia mais

INDICE. CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação.

INDICE. CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação. PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA PANDEMIA DE GRIPE A (H1 N1) Agosto/Setembro 2009 INDICE CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação. CAPITULO II Plano de Comunicação. 1. Comunicação enquanto ameaça de

Leia mais

Agir contra a Gripe A

Agir contra a Gripe A Agir contra a Gripe A O papel dos estabelecimentos de educação e ensino Maria Neto Responsável pela área funcional da Promoção e Protecção da Saúde Responsável pelo Programa Nacional de Saúde Escolar na

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1 1 Situação Geral Uma pandemia de gripe ocorre quando um novo vírus do tipo A, para o qual a população tem uma susceptibilidade quase universal, surge

Leia mais

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A A E A B I B L I O T E C A GRIPE A É fundamental que o Plano de Contingência da escola/agrupamento defina claramente o papel da biblioteca e as acções a realizar, quer em termos de informação e prevenção,

Leia mais

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro O artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 410/98, de 23 de Dezembro, que aprovou o Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios de Tipo Administrativo, determina

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação

Regimento do Conselho Municipal de Educação Considerando que: 1- No Município do Seixal, a construção de um futuro melhor para os cidadãos tem passado pela promoção de um ensino público de qualidade, através da assunção de um importante conjunto

Leia mais

Plano de Contingência. para a Pandemia de Gripe A (H1N1)

Plano de Contingência. para a Pandemia de Gripe A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO 171300 Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) REDACÇÃO : Grupo de Trabalho para a Elaboração do Plano de Contingência Versão Inicial - Agosto/09

Leia mais

MUITO URGENTE 非 常 緊 急

MUITO URGENTE 非 常 緊 急 SAFP00481165 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 行 政 暨 公 職 局 Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública MUITO URGENTE 非 常 緊 急 致 : 各 公 共 部 門 / 機 構 Para: Os

Leia mais

INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA. nep.010.1 Página 1 de 9

INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA. nep.010.1 Página 1 de 9 COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO REGULAMENTO Serviços de Psicologia e de Orientação INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA nep.010.1 Página 1 de 9 Índice Índice... 2 1. Definição dos Serviços... 3 2.Objectivos....3

Leia mais

Escola Secundária/3 José Cardoso Pires 403532. R. Vergílio Ferreira, Torres da Bela Vista 2660-350 SANTO ANTÓNIO DOS CAVALEIROS

Escola Secundária/3 José Cardoso Pires 403532. R. Vergílio Ferreira, Torres da Bela Vista 2660-350 SANTO ANTÓNIO DOS CAVALEIROS Gripe A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução Os estabelecimentos de ensino assumem um papel importante na prevenção de uma pandemia de gripe, na medida em que são espaços de fácil contágio e rápida

Leia mais

Introdução. O objectivo desta apresentação:

Introdução. O objectivo desta apresentação: Prevenção da Gripe A Introdução O objectivo desta apresentação: Consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente, de modo, articulado, em cada fase da evolução da pandemia.

Leia mais

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência CIRCULAR N/ REFª: 68/2009 DATA: 27/07/09 ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência Exmos. Senhores, Junto se remete documento sobre o assunto em epígrafe distribuído,

Leia mais

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos.

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos. egurança Segurança Segurança A segurança deve ser uma preocupação comum a todos os membros da comunidade educativa pessoal docente e não docente, alunos, pais, encarregados de educação e representantes

Leia mais

Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas*

Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 - OMS Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas* A propósito da nova estirpe de vírus da gripe A(H1N1) recentemente

Leia mais

GRIPE A Plano de Contingência

GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A Plano de Contingência Direcção de Serviços de Planeamento e Controlo 03-09-2009 Mirandela 2009 ÍNDICE ÍNDICE... 2 I. Introdução... 3 II. Objectivos... 4 A. Objectivos estratégicos... 4 B. Objectivos

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal. Pandemia do Vírus H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal. Pandemia do Vírus H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Covilhã Portugal Pandemia do Vírus H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Versão 1.1 19 Outubro 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJECTIVOS... 5 3. IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR,

Leia mais

PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil

PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil 1/24 PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil Aprovação Actualizado em 16-07-2009 2/24 REGISTO DE ALTERAÇÕES EDIÇÃO ENTRADA EM VIGOR 0 16 de Julho de 2009 Aprovação

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES Setembro de 2009 ÍNDICE I - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 II - PLANO DE CONTINGÊNCIA... 4 A. OBJECTIVOS... 4 B. IDENTIFICAÇÃO DA COORDENAÇÃO

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A - 1 Gripe A Plano de Contingência da Adaptado de: Pandemic contingency planning at ThyssenKrupp Elevator Dr. Jörg Arnold, Saúde & Segurança Dortmund, 30 de Junho de 2009 GRIPE A - 2 Contextualização

Leia mais

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Decreto-Lei n.º 279/93, de 11 de Agosto (alterado pelo Decreto Lei N.º15/98, de 29 de Janeiro) (alterado pelo Decreto-Lei n.º 195/2001, de 27 de Junho) (alterado pelo

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO E TREINO PARA A PREVENÇÃO E ACTUAÇÃO NO VIRUS ÉBOLA

PLANO DE FORMAÇÃO E TREINO PARA A PREVENÇÃO E ACTUAÇÃO NO VIRUS ÉBOLA PLANO DE FORMAÇÃO E TREINO PARA A PREVENÇÃO E ACTUAÇÃO NO VIRUS ÉBOLA ATUALIZAÇÃO 05.01.2015 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. OBJECTIVO DO PLANO... 3 3. RESPONSABILIDADE SOBRE O PLANO... 3 4. ESTRATÉGIA

Leia mais

Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados

Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados O que é a gripe A (H1N1) ou gripe suína? É uma doença infecto-contagiosa aguda, causada pelo vírus influenza A (H1N1), que afeta o sistema respiratório e causa diversos

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação ESCOLA SECUNDÁRIA DAS LARANJEIRAS Proposta de PLANO DE TRABALHO Do Serviço de Psicologia e Orientação A Psicóloga: Sara Quaresma ANO LECTIVO 2010/2011 PLANO DE TRABALHO Ao longo deste ano lectivo serão

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. Coordenação e planeamento... 5 1.1. Identificação

Leia mais

Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos

Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos Escola de Tecnologia e Gestão de Barcelos PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Índice NOTA INTRODUTÓRIA...3 1. IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR E DA EQUIPA OPERATIVA...4 2. DEFINIÇÃO DA CADEIA DE COMANDO E

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A(H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A(H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A(H1N1) DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA BEJA AGOSTO/ Aprovado pelo Conselho de Gestão em reunião de 03-09- 1. PREÂMBULO INTRODUTÓRIO A elaboração de um Plano de Contingência

Leia mais

Prevenção da Gripe A(H1N1)v

Prevenção da Gripe A(H1N1)v Prevenção da Gripe A(H1N1)v Recomendações DSD Departamento da Qualidade na Saúde Quais os Sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: Febre de início súbito (superior a 38ºC) Tosse Dores

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS PLANO PLANO DE CONTIGÊNCIA: GRIPE A Introdução O presente Plano de Contingência pretende manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos da pandemia,

Leia mais

AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL PLANO DE OPERAÇÕES NACIONAL PARA A GRIPE A (PONGA)

AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL PLANO DE OPERAÇÕES NACIONAL PARA A GRIPE A (PONGA) AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL PLANO DE OPERAÇÕES NACIONAL PARA A GRIPE A (PONGA) JULHO 2009 Edição Autoridade Nacional de Protecção Civil Julho de 2009 Proposta e validação Comandante Operacional

Leia mais

Normas conjuntas da Comissão de Controlo da Infecção e do Serviço de Saúde Ocupacional

Normas conjuntas da Comissão de Controlo da Infecção e do Serviço de Saúde Ocupacional NORMA DE PROCEDIMENTO Nº3 COMISSÃO DE CONTROLO DA INFECÇÃO E SERVIÇO DE SAÚDE OCUPACIONAL Elaborado em Agosto de 2009 Revisão nº Próxima revisão Assunto: RECOMENDAÇÕES PARA A PREVENÇÃO E CONTROLO DA INFECÇÃO

Leia mais

SIGLAS... 4 1. INTRODUÇÃO... 5 2. OBJECTIVO... 6 4. FASES DA GRIPE... 9 5. OPERACIONALIZAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA... 11

SIGLAS... 4 1. INTRODUÇÃO... 5 2. OBJECTIVO... 6 4. FASES DA GRIPE... 9 5. OPERACIONALIZAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA... 11 CÂMARA MUNICIPAL VILA DO BISPO Pag. 2/25 ÍNDICE SIGLAS... 4 1. INTRODUÇÃO... 5 2. OBJECTIVO... 6 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 8 4. FASES DA GRIPE... 9 5. OPERACIONALIZAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA... 11 5.1

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Manual de Procedimentos POSI-E3

Manual de Procedimentos POSI-E3 Manual de Procedimentos POSI-E3 13 de Abril de 2012 1 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. COORDENAÇÃO GERAL 5 3. DOCENTES E DISCIPLINAS 7 3.1 INFORMAÇÃO AOS ALUNOS 7 3.2 RELAÇÕES ALUNOS / DOCENTES 8 4.1 ÁREA PEDAGÓGICA

Leia mais

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL COMUNICADO OFICIAL N.: 193 DATA: 2009.11.20 PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, Sad s e demais

Leia mais

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação ÍNDICE 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA 3.1 História 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Processos 4.2 Requisitos da Documentação 4.3 Controlo dos

Leia mais