PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1)"

Transcrição

1 PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DE GRIPE A (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Por três vezes no século XX ( ; ; ) a gripe manifestou-se como uma pandemia, quando um novo subtipo de vírus da gripe do tipo A, se transmitiu de forma eficaz e sustentada entre os seres humanos. Resultante da susceptibilidade generalizada da população ao novo vírus, a gripe ocorreu simultaneamente em diversas partes do mundo, afectando uma elevada proporção de pessoas. Os organismos internacionais e as autoridades nacionais de saúde têm vindo a alertar a sociedade e as empresas para uma nova pandemia de gripe, recomendando a preparação de planos de contingência, cujo objectivo será possibilitar, com a detecção de qualquer situação de alerta pandémico ou de pandemia, uma resposta abrangente, organizada e eficiente. Perante o cenário de uma eventual pandemia, a sociedade em geral e as empresas em particular têm um papel fulcral a desempenhar na protecção da saúde e na segurança dos seus colaboradores e clientes, assim como na limitação do impacto negativo sobre a economia e a sociedade. 2. OBJECTIVO O Plano de Contingência Nacional toma como referência as orientações internacionais, nomeadamente, da Organização Mundial de Saúde (OMS), da Comissão Europeia e do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças. O seu objectivo é minimizar o impacto de uma eventual pandemia em território nacional, sobretudo no que respeita à mortalidade e à disfunção social. Numa empresa, um Plano de Contingência deve contemplar a redução dos riscos para a saúde dos colaboradores e a continuidade das actividades essenciais, de forma a minimizar o impacto de qualquer disrupção. Assim, os principais objectivos do Plano de Contingência da Sensor, são: Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 1

2 Detecção precoce de suspeitas clínicas de Gripe A (H1N1); Preparação de uma resposta operacional para minimizar as condições de propagação da pandemia; Manter os serviços essenciais em funcionamento; Desta forma estaremos a colaborar: Na redução da incidência da Gripe A (H1N1); Na minimização de uma eventual disrupção social e económica; 3. PRESSUPOSTOS A ocorrência de uma Pandemia pode afectar parcelas significativas da população, provocando rupturas significativas nos domínios social e económico. Na elaboração do Plano da Sensor foram considerados os seguintes pressupostos, que devem ser tomados como referência: 1º Salvaguardar a vida das pessoas, reduzindo o risco de contaminação no local de trabalho (por via do contacto com colegas ou por contacto com terceiros) e limitando a propagação no interior das instalações; 2º Assegurar os serviços essenciais a um nível equivalente ao normal esperado (expectativas dos clientes); 3º Período critico de duração da situação de pandemia de 12 semanas; 4º Até 40% dos colaboradores poderão estar ausentes por períodos de cerca de duas semanas; 4. DA GRIPE PANDÉMICA Os momentos para a implementação das medidas preconizadas no Plano da Sensor tomam como referência as indicações que vierem do Plano de Contingência Nacional, das autoridades ou das entidades nacionais de saúde. Para cada fase serão definidas directivas para a execução do Plano, sendo este alvo de permanente revisão e actualização de acordo com as fases evolutivas da actividade gripal. Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 2

3 A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera as seguintes fases na evolução da gripe pandémica: Periodo FASE 1 Ausência de casos de infecção em pessoas por vírus da gripe em circulação nos animais Inter- FASE 2 Casos de infecção humana por vírus da gripe de origem animal (animais domést icos e selvagens), Pandémico represent ando pot encial ameaça pandémica Periodo FASE 3 Casos esporádicos ou pequenos clust ers de infecção humana por vírus da gripe de origem de animal, ou de rearranjo humano-animal, mas sem t ransmissão suficient e ent re pessoas para Alerta causar surt os na comunidade Risco FASE 4 Transmissão ent re pessoas do vírus da gripe de origem animal ou de rearranjo humano-animal Elevado capaz de provocar surtos na comunidade Pandemia FASE 5 Surt os sust ent ados na comunidade, em dois ou mais países, numa única região da OMS, Eminente provocados pelo mesmo vírus (ident ificado na fase anterior) Pandemia FASE 6 Surt os sust ent ados na comunidade, pelo menos num out ro país e numa out ra região da OMS, causados pelo mesmo vírus, em acumulação com os crit érios definidos na fase 6 NIVEL DE ALERTA/ RESPOSTA Espera Espera Espera Elevado Severo Severo 5. PLANO DE CONTIGÊNCIA DA SENSOR 5.1 Conteúdo O Plano de Contingência da Sensor: Identifica os serviços essenciais, com vista a facilitar a aplicação dos procedimentos na preparação para a resposta à pandemia; Identifica as condições, recursos e meios para assegurar o funcionamento dos serviços essenciais, nomeadamente: a) Equipas de Trabalho; b) Condições de trabalho das equipas; Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 3

4 c) Definição dos serviços que possam ficar temporariamente desactivados; d) Definição das Instalações que possam servir de suporte; e) Necessidades de formação acelerada para potenciais reservas/substituições; Identifica os clientes considerados mais importantes, que devam ser considerados nos serviços essenciais; Identifica a necessidade de garantir previamente determinados equipamentos de protecção contra a propagação da gripe: a) Equipamentos de protecção individual para o pessoal (luvas, máscaras); b) Equipamentos para limpeza geral (luvas, sprays desinfectantes, toalhetes de álcool); 5.2 Actividades que podem ser temporariamente suspensas Consoante a evolução da situação poderá ser aconselhável, para diminuir os riscos de contágio, suspender temporariamente as actividades que não sejam absolutamente necessárias para a prestação dos serviços essenciais. Prevê-se igualmente que o atendimento aos clientes seja feito exclusivamente por telefone ou por correio electrónico. 6. EQUIPAMENTOS DE PROTECÇÃO Perante o actual enquadramento, a utilização de equipamento de protecção individual será decidida considerando as indicações e recomendações das autoridades nacionais de saúde e a evolução da situação a nível nacional e local. Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 4

5 7. ÁREAS OPERACIONAIS ÁREA 1: IMPACTO DA PANDEMIA DE GRIPE SOBRE A EMPRESA 1.1 Designar uma equipa para a elaboração de um Plano de preparação e resposta à pandemia de gripe, com papeis e responsabilidades bem definidos. 1.2 Identificar os colaboradores e outros recursos essenciais (matériasprimas, fornecedores) necessários para manter a empresa em funcionamento durante a pandemia 1.3 Equacionar a preparação de uma lista adicional de colaboradores e dar-lhes formação para estarem aptos a desempenhar tarefas essenciais/prioritárias 1.4 Desenvolver cenários plausiveis, passiveis de resultar num aumento ou redução de procura de serviços, durante a eventual pandemia. Planear tendo em conta os cenários. 1.5 Procurar manter informação actualizada e fiável sobre a eventual pandemia, em articulação com a Direcção-Geral da Saúde (DGS) 1.6 Implementar exercicios/treinos para testar o Plano de Contingência. Revê-lo periodicamente ÁREA 2: IMPACTO DA PANDEMIA DE GRIPE SOBRE OS COLABORADORES E CLIENTES 2.1 Prever o absentismo dos colaboradores durante a pandemia. Tais ausências podem ser devidas a doença pessoal ou familiar, medidas de contenção e quarentenas impostas pelas autoridades (encerramento de escolas e/ou empresas, etc). 2.2 Implementar medidas com o objectivo de diminuir a disseminação da infecção. Alterar a frequência e/ou a forma de contacto (aperto de mão, reuniões presenciais) entre os colaboradores e entre estes e os clientes. 2.3 Identificar as necessidades dos clientes durante a pandemia. Se necessário rever e adaptar os modelos de funcionamento da empresa para continuar a satisfazer os clientes ÁREA 3: ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS A IMPLEMENTAR DURANTE A PANDEMIA DE GRIPE 3.1 Definir estratégias e procedimentos a aplicar exclusivamente em caso de pandemia, para ausências por doença, bem como regras para voltar ao trabalho em segurança 3.2 Definir estratégias e procedimentos para prevenir a propagação da gripe no local de trabalho (promoção de regras de higiene geral e de etiqueta respiratória e imediata exclusão das pessoas com sintomas de gripe. 3.3 Definir estratégias e procedimentos para os colaboradores que tenham sido expostos a um caso de gripe pandémica, que se suspeite estarem doentes ou que adoeçam no local de trabalho (licença por doença imediata). 3.4 Estabelecer os procedimentos para activar e terminar o Plano de Contingência da empresa, assim como para alterar as actividades da empresa. Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 5

6 ÁREA 4: ATRIBUIÇÃO DE RECURSOS PARA PROTEGER OS COLABORADORES E CLIENTES DURANTE A PANDEM IA DE GRIPE 4.1 Disponibilizar equipamentos suficientes e acessiveis em todos os locais da empresa para reduzir a disseminação da infecção (equipamento para lavar as mãos, toalhetes e receptáculos para a sua eliminação; máscaras cirúrgicas) 4.2 Considerar implementar medidas adicionais para reduzir o risco de infecção, como limpeza mais frequente das instalações. Assegurar a disponibilidade de recursos. 4.3 Reforçar se necessário as infra-estruturas tecnológicas de comunicação e informação ÁREA 5: COM UNICAÇÃO E INFORM AÇÃO AOS COLABORADORES 5.1 Desenvolver e divulgar informação acessivel, de fácil compreensão e adequada à fase de alerta em que se encontra a pandemia de gripe. A informação deve transmitir estratégias de protecção pessoal e familiar. 5.2 Assegurar que a comunicação é cultural e linguisticamente adquada aos colaboradores a que se destina 5.3 Divulgar o Plano de contingência da empresa, junto de todos os colaboradores 5.4 Desenvolver infra-estruturas(linhas directas, websites dedicados) para comunicar, aos colaboradores, fornecedores e clientes, a situação da pandemia e quais as acções em curso e as que são necessárias desencadear 5.5 Identificar as fontes para a obtenção de informação actual e precisa sobre a pandemia (nacional e internacional) Plano de Contingência para a Pandemia de Gripe A (H1N1) 6

Plano de Contingência para Serviços e Empresas

Plano de Contingência para Serviços e Empresas Plano de Contingência para Este documento contém: Lista de Verificação de Medidas e Procedimentos para O Plano de Contingência consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente,

Leia mais

Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas*

Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 - OMS Lista de verificação de medidas e procedimentos para serviços e empresas* A propósito da nova estirpe de vírus da gripe A(H1N1) recentemente

Leia mais

CIRCULAR GRIPE Nº 05 DE 15/07/2009

CIRCULAR GRIPE Nº 05 DE 15/07/2009 CIRCULAR GRIPE Nº 05 DE 15/07/2009 Disponibilizada on line em www.arscentro.min-saude.pt DE: Presidente do Conselho Directivo e Delegado Regional de Saúde DESTINATÁRIOS: Directores executivos dos agrupamentos

Leia mais

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA Setembro 2009 ÍNDICE 1. Introdução ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA MUNICIPAL PARA A GRIPE A H1N1 1 Situação Geral Uma pandemia de gripe ocorre quando um novo vírus do tipo A, para o qual a população tem uma susceptibilidade quase universal, surge

Leia mais

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES Diversos Circular n.º 72/2009 15 de Julho de 2009 Assunto: Gripe A (H1N1) Algumas considerações importantes. Caro Associado: Considerando a nova estirpe de vírus da Gripe A (H1N1), e perante o seu risco

Leia mais

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA -

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - Plano de Contingência Gripe A Ano lectivo 2009/2010 Acções a organizar na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe. Inquérito aos Estudantes

Leia mais

(GRIPE A H1N1) 2009-2010

(GRIPE A H1N1) 2009-2010 (GRIPE A H1N1) 2009-2010 1 PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Os organismos internacionais e as autoridades nacionais de saúde alertaram a sociedade, as escolas e as empresas para a ameaça

Leia mais

Plano de Contingência UCP

Plano de Contingência UCP Universidade Católica Portuguesa Plano de Contingência UCP Lisboa Sede Campus de Sintra Residência Universitária Feminina Pandemia de Gripe A (H1N1) Lisboa-Versão02-28 Setembro 09 Índice 1. LISTA DE SIGLAS

Leia mais

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência CIRCULAR N/ REFª: 68/2009 DATA: 27/07/09 ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência Exmos. Senhores, Junto se remete documento sobre o assunto em epígrafe distribuído,

Leia mais

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A - 1 Gripe A Plano de Contingência da Adaptado de: Pandemic contingency planning at ThyssenKrupp Elevator Dr. Jörg Arnold, Saúde & Segurança Dortmund, 30 de Junho de 2009 GRIPE A - 2 Contextualização

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância 1. Enquadramento 1.1 Nota Introdutória Através da Organização Mundial de Saúde e das respectivas autoridades nacionais de Saúde, Ministério

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 No seguimento das recomendações efectuadas pelas autoridades de saúde nacionais, entendeu o Instituto Superior de

Leia mais

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1)

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Introdução: As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Plano de Contingência Gripe A (H1N1) SANTARÉM, JULHO, 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Gripe A (H1N1) Informações Gerais SANTARÉM, JULHO, 2009 Primeira pandemia

Leia mais

Plano de Contingência APPACDM de Elvas

Plano de Contingência APPACDM de Elvas Plano de Contingência APPACDM de, Setembro 2009 Índice: 1. Introdução 1 2. Objectivos e Âmbito de aplicação 2 3. Políticas e Princípios 3 4. Pressupostos 4 5. Activação do Plano 5 6. Plano de Contingência

Leia mais

Introdução. O objectivo desta apresentação:

Introdução. O objectivo desta apresentação: Prevenção da Gripe A Introdução O objectivo desta apresentação: Consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente, de modo, articulado, em cada fase da evolução da pandemia.

Leia mais

GRIPE A Plano de Contingência

GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A Plano de Contingência Direcção de Serviços de Planeamento e Controlo 03-09-2009 Mirandela 2009 ÍNDICE ÍNDICE... 2 I. Introdução... 3 II. Objectivos... 4 A. Objectivos estratégicos... 4 B. Objectivos

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino GRIPE A (H1N1) v Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino Orientações para a sua elaboração Este documento contém: Metodologia de elaboração

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 AUDIÊNCIA 3 IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÃO E DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 3 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 5 RESPONSABILIDADES NA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 6 MANUTENÇÃO E COMUNICAÇÃO DAS

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. AUDIÊNCIA 3 3. VALOR DA INFORMAÇÃO 4 4. IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 5 5. MODELO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 6 6. RESPONSABILIDADES NA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 7 7. MANUTENÇÃO

Leia mais

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA Índice 1. Introdução 2. Objectivo 3. Âmbito de aplicação 4. Activação do plano 4.1. Cadeia de Gestão 4.2. Cadeia de Comando e Controlo 4.3. Actividades Essenciais

Leia mais

Campanha Nacional de Higiene das MãosMinistério Resultados Nacionais

Campanha Nacional de Higiene das MãosMinistério Resultados Nacionais Campanha Nacional de Higiene das MãosMinistério da Saúde Resultados Nacionais Dia 5 de Maio, Compromisso Mundial de Higienização das mãos Direcção-Geral da Saúde Campanha Nacional de Higiene das mãos Situação

Leia mais

GRIPE A H1N1 Plano de Contingência Empresarial contra Influenza e para outras Emergências Médicas.

GRIPE A H1N1 Plano de Contingência Empresarial contra Influenza e para outras Emergências Médicas. GRIPE A H1N1 Plano de Contingência Empresarial contra Influenza e para outras Emergências Médicas. Federação da Indústria do Estado do Rio de Janeiro Serviço Social da Indústria - SESI Diretoria de Saúde

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução Verificada a incidência do vírus da Gripe A (H1N1), vários organismos nacionais e internacionais, nomeadamente a Organização Mundial de Saúde (OMS) e

Leia mais

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1)

PLANO DE CONTI T NG N ÊNC N I C A F AC A E C À EVOLUÇÃO PAN A DÉ D MI M CA D A A GRIPE A (VÍRUS H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) SETEMBRO DE 2009 ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO PLANO DE CONTINGÊNCIA FACE À EVOLUÇÃO PANDÉMICA DA GRIPE A (VÍRUS H1N1) Preâmbulo: O objectivo

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA GRIPE A

PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA GRIPE A Gripe Pandémica 30-06-2009 Título: PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA GRIPE A (Manual de Governo) Natureza do documento Versão Data Redacção Procedimento de Segurança Inicial 31-01-2007 R1 04-05-2009 R2 30-06-2009

Leia mais

Prevenção da Gripe A(H1N1)v

Prevenção da Gripe A(H1N1)v Prevenção da Gripe A(H1N1)v Recomendações DSD Departamento da Qualidade na Saúde Quais os Sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: Febre de início súbito (superior a 38ºC) Tosse Dores

Leia mais

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL COMUNICADO OFICIAL N.: 193 DATA: 2009.11.20 PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, Sad s e demais

Leia mais

ÍNDICE CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA DIVISÃO DE ÁGUAS E SANEAMENTO

ÍNDICE CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA DIVISÃO DE ÁGUAS E SANEAMENTO ÍNDICE 1. OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 2. INFORMAÇÕES A TRANSMITIR AOS FUNCIONÁRIOS... 2 2.1. QUAIS OS SINTOMAS DA GRIPE A?... 2 2.2. MODOS DE CONTÁGIO... 3 2.3. MEDIDAS DE PROTECÇÃO E PREVENÇÃO...

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Creche, Jardim-de-infância e ATL da ASSTAS Índice I INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVOS... 3 III PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE A GRIPE A... 4 A) Quais os sintomas?... 4 B)

Leia mais

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet O B J E CT I V O Estabelecer critérios para acesso à Internet utilizando recursos do Projecto Portal do Governo de Angola. Orientar os Utilizadores sobre as competências, o uso e responsabilidades associadas

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. Coordenação e planeamento... 5 1.1. Identificação

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v INTRODUÇÃO No início de mais um ano lectivo, uma preocupação nova existe nas escolas: o vírus H1N1 que poderá marcar

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008

PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 PLANO DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2008 O ano de 2008 é marcado, em termos internacionais, pela comemoração dos vinte anos do Movimento Internacional de Cidades Saudáveis. Esta efeméride terá lugar em Zagreb,

Leia mais

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002)

PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) TÍTULO: Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.º 139 (Março/Abril de 2002) KÉRAMICA n.º 249 (Julho/Agosto de 2002) FUNDAMENTOS A nível dos países

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança

Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança Como melhorar a Sustentabilidade através da implementação de um Sistema Integrado de Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança ENQUADRAMENTO O QUE SE PRETENDE? A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Leia mais

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1)

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 2009-2010 Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 1. Introdução No sentido de colmatar a possibilidade de contágio e a rápida propagação da gripe A,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO INTRODUÇÃO A cultura Comunitária é a expressão concreta de tentar proporcionar aqueles que mais precisam a ajuda necessária para começar de novo a viver. O Centro

Leia mais

Agir contra a Gripe A

Agir contra a Gripe A Agir contra a Gripe A O papel dos estabelecimentos de educação e ensino Maria Neto Responsável pela área funcional da Promoção e Protecção da Saúde Responsável pelo Programa Nacional de Saúde Escolar na

Leia mais

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços.

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços. PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A (H1N1) A Direcção do Externato Frei Luís Sousa recebeu solicitação, do Centro Saú Almada/Autorida Saú, do envio confirmação da existência um Plano Contingência da Gripe

Leia mais

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho,

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convocada em Genebra pelo Conselho de Administração

Leia mais

Plano de contingência da gripe A (H1N1)

Plano de contingência da gripe A (H1N1) 0. Informação introdutória A. O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e todo o sistema respiratório, provocada por um novo vírus da Gripe: vírus

Leia mais

TELEDIAGNÓSTICO DO CASINO ONLINE UNIBET

TELEDIAGNÓSTICO DO CASINO ONLINE UNIBET TELEDIAGNÓSTICO DO CASINO ONLINE UNIBET 9 PRÁTICAS RESPONSÁVEIS CARACTERIZADAS POR UM AMBIENTE SEGURO E FIÁVEL O Casino Online UNIBET e as Normas para a Estrutura de Administração e Imputabilidade 9.1.

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS GUIA PARA A MOBILIDADE DE SERVIÇOS BANCÁRIOS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS GUIA PARA A MOBILIDADE DE SERVIÇOS BANCÁRIOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS GUIA PARA A MOBILIDADE DE SERVIÇOS BANCÁRIOS simplifica Como nasce este Guia O presente Guia baseia-se nos Princípios Comuns Para a Mobilidade de Serviços Bancários", adoptados

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) ÍNDICE PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. DETERMINANTES DA GRIPE... 4 3. OBJECTIVOS ESPECIFICOS... 7 4. DEFINIÇÃO DA CADEIA DE COMANDO E CONTROLO...

Leia mais

Serviço a Pedido ( On Demand ) da CA - Termos e Política de Manutenção Em vigor a partir de 1 de Setembro de 2010

Serviço a Pedido ( On Demand ) da CA - Termos e Política de Manutenção Em vigor a partir de 1 de Setembro de 2010 Serviço a Pedido ( On Demand ) da CA - Termos e Política de Manutenção Em vigor a partir de 1 de Setembro de 2010 A Manutenção do Serviço a Pedido ( On Demand ) da CA consiste numa infra-estrutura de disponibilidade

Leia mais

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão 1. Introdução O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos

Leia mais

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura PANDEMIA (H1N1) 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura Município de Paredes de Coura Aprovado por: Presidente da Câmara Municipal ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVO... 4 III ÂMBITO

Leia mais

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Criação 1. A Conferência dos Ministros da Justiça

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES Setembro de 2009 ÍNDICE I - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 II - PLANO DE CONTINGÊNCIA... 4 A. OBJECTIVOS... 4 B. IDENTIFICAÇÃO DA COORDENAÇÃO

Leia mais

MUNICÍPIO DE SEIA Plano de Contingência GRIPE A (H1N1)

MUNICÍPIO DE SEIA Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) MUNICÍPIO DE SEIA Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Outubro 2009 Câmara Municipal de Seia Página I de 42 ÍNDICE ÍNDICE... II 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Objectivos... 3 1.2 Âmbito de aplicação...3 1.3.

Leia mais

MEIO AMBIENTE DE TRABALHO (RUÍDO E VIBRAÇÕES)

MEIO AMBIENTE DE TRABALHO (RUÍDO E VIBRAÇÕES) Convenção 148 MEIO AMBIENTE DE TRABALHO (RUÍDO E VIBRAÇÕES) A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho convocada em Genebra pelo Conselho de Administração do Departamento Internacional

Leia mais

Anexo 3 - Lista de fornecedores de bens e prestadores de serviços. Inquérito a enviar aos fornecedores de bens e prestadores de serviços.

Anexo 3 - Lista de fornecedores de bens e prestadores de serviços. Inquérito a enviar aos fornecedores de bens e prestadores de serviços. Plano de Contingência para a Gripe A Outubro 2009 Índice 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 4 3. Comissão de elaboração do plano de contingência para a gripe A (H1N1)... 4 4. Equipas de intervenção constituídas

Leia mais

TP.100. Política de Segurança da Informação

TP.100. Política de Segurança da Informação Manual do utilizador TP.100 Política de Segurança da Informação Órgão: Versão: 1.0 Data inicial: 2006/05/25 Última alteração: 2006/05/25 (referência) 2/8 Índice de conteúdos 1.- INTRODUÇÃO... 3 2.- INFORMAÇÃO...

Leia mais

PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil

PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil 1/24 PANDEMIA (H1N1) 2009 Plano de Contingência da Autoridade Nacional de Protecção Civil Aprovação Actualizado em 16-07-2009 2/24 REGISTO DE ALTERAÇÕES EDIÇÃO ENTRADA EM VIGOR 0 16 de Julho de 2009 Aprovação

Leia mais

PANDEMIA DE GRIPE. Informação importante para si e para a sua família

PANDEMIA DE GRIPE. Informação importante para si e para a sua família PANDEMIA DE GRIPE Informação importante para si e para a sua família Os peritos da Organização Mundial de Saúde estão actualmente a prever uma pandemia de gripe. O presente folheto descreve uma pandemia

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fedrave - Fundação Para O Estudo E

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/734/UE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) (2010/734/UE) L 316/10 Jornal Oficial da União Europeia 2.12.2010 DECISÃO DA COMISSÃO de 30 de Novembro de 2010 que altera as Decisões 2005/692/CE, 2005/734/CE, 2006/415/CE, 2007/25/CE e 2009/494/CE no que diz respeito

Leia mais

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas GRIPE A (H1N1)v Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas 1. Objectivo O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar Agrupamento de Escolas de Pico

Leia mais

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Descrição

Leia mais

Selling Tools. Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt

Selling Tools. Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt Enquadramento As vendas têm um ambiente próprio; técnicas e processos específicos. A forma de estar, o networking, os

Leia mais

Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso

Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso Pedro João 28 de Abril 2011 Fundação António Cupertino de Miranda Introdução ao Plano de Negócios Modelo de Negócio Análise Financeira Estrutura do Plano de

Leia mais

Center for Innovation, Technology and Policy Research Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento

Center for Innovation, Technology and Policy Research Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento IN+ Center for Innovation, Technology and Policy Research Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento REGULAMENTO INTERNO (aprovado pelo Conselho Científico em 12/03/1999)

Leia mais

(85/577/CEE) Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º,

(85/577/CEE) Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o seu artigo 100º, DIRECTIVA DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 1985 relativa à protecção dos consumidores no caso de contratos negociados fora dos estabelecimentos comerciais (85/577/CEE) O CONSELHO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS,

Leia mais

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Ponto de situação em 31 de Outubro de 2007 As listas de consumidores com direito à restituição de caução foram

Leia mais

Processo do Serviços de Manutenção de Sistemas de Informação

Processo do Serviços de Manutenção de Sistemas de Informação Processo do Serviços de Manutenção de Sistemas de Informação 070112=SINFIC HM Processo Manutencao MSI.doc, Página 1 Ex.mo(s) Senhor(es): A SINFIC agradece a possibilidade de poder apresentar uma proposta

Leia mais

INSTRUTIVO Nº. 1/98. Artigo 1º

INSTRUTIVO Nº. 1/98. Artigo 1º INSTRUTIVO Nº. 1/98 ASSUNTO: BANCOS COMERCIAIS NORMAS-DE -CONTROLO INTERNO E AUDITORIA EXIERNA Considerando a necessidade de se regulamentar os relatórios exigidos no Artigo 3º da Lei nº. 5/91, de 20 de

Leia mais

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Norma ISO 9000 Norma ISO 9001 Norma ISO 9004 FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO REQUISITOS LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA MELHORIA DE DESEMPENHO 1. CAMPO

Leia mais

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA Plano de Contingência para a Pandemia da Ano Lectivo 2009/2010 1. Coordenação do plano: A coordenação global do plano é da responsabilidade da Direcção

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO www.zonaverde.pt Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Os acidentes nas organizações/estabelecimentos são sempre eventos inesperados, em que a falta de conhecimentos/formação,

Leia mais

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas

Apresentação da Solução. Divisão Área Saúde. Solução: Gestão de Camas Apresentação da Solução Solução: Gestão de Camas Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros, 82-A, 1500-060

Leia mais

GRIPE DAS AVES. Informação e Recomendações. Elaborado por: Castro Correia Director Clínico. 14 de Setembro de 2005

GRIPE DAS AVES. Informação e Recomendações. Elaborado por: Castro Correia Director Clínico. 14 de Setembro de 2005 GRIPE DAS AVES Informação e Recomendações Elaborado por: Castro Correia Director Clínico 14 de Setembro de 2005 Escritórios: Rua da Garagem, 1, 4º Piso / 2790-078 CARNAXIDE Sede Social: Avenida do Forte,

Leia mais

Medidas de Controlo de Incidentes de Segurança Informática

Medidas de Controlo de Incidentes de Segurança Informática Medidas de Controlo de Incidentes de Segurança Informática Política de actuação do CERT.PT para mitigação de impacto de incidentes de segurança informática Serviço CERT.PT Abril de 2010 Medidas de Controlo

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE PANDÉMICA (GRIPE A / H1N1) 1/15 Índice 1. Introdução 2. Objectivos 3. Âmbito de aplicação 4. Planeamento e coordenação 5. Fases da gripe pandémica 6. Saúde e medidas de controlo

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira

Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira Escola Secundária/3 Afonso Lopes Vieira Leiria 1. Introdução As escolas assumem um papel muito importante na divulgação das medidas de prevenção de uma pandemia de gripe, pela grande possibilidade de contágio

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVIII Plano de Emergência um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO

Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO Regulamento Interno do Centro de Informática e Tecnologias da Informação da Universidade Nova de Lisboa PREÂMBULO Os princípios de orientação do presente regulamento do CITI são os seguintes: 1º Participação

Leia mais

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 22 de Setembro de 2014

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 22 de Setembro de 2014 1 OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 22 de Setembro de 2014 De acordo com a estrutura do roteiro 1, os relatórios dos países recaem em duas categorias: países com transmissão generalizada

Leia mais

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h Ministério da Saúde Gabinete Permanente de Emergências em Saúde Pública ALERTA DE EMERGÊNCIA DE SAÚDE PÚBLICA DE IMPORTÂNCIA INTERNACIONAL Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010

BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010 BANCO CENTRAL DO BRASIL 2009/2010 CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS E PLANOS DE CONTINGÊNCIA Professor: Hêlbert A Continuidade de Negócios tem como base a Segurança Organizacional e tem por objeto promover a proteção

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

REGULAMENTO SANITÁRIO INTERNACIONAL (2005) Relatório do Director Regional RESUMO

REGULAMENTO SANITÁRIO INTERNACIONAL (2005) Relatório do Director Regional RESUMO 15 de Junho de 2006 COMITÉ REGIONAL AFRICANO ORIGINAL: FRANCÊS Quinquagésima-sexta sessão Addis Abeba, Etiópia, 28 de Agosto - 1 de Setembro de 2006 REGULAMENTO SANITÁRIO INTERNACIONAL (2005) Relatório

Leia mais

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO OS RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO CRESCIMENTO GLOBAL DO NEGÓCIO Com a crescente globalização e o crescimento acelerado das economias emergentes, as empresas, independentemente da sua dimensão, estão em

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA Este folheto contém informação importante para o ajudar a si e à sua família Guarde-o Bem Contactos Úteis Para se manter informado acerca da gripe suína telefone

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Ano Lectivo 2009/2010 PLANO DE CONTINGÊNCIA A principal finalidade do Nacional é a de minimizar o impacte de uma eventual pandemia em território nacional, sobretudo no que diz respeito à

Leia mais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para alunos e Pais O que éo vírus da Gripe A(H1N1)v? O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos. Esta nova estirpe,

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Fernando Correia Capitão-de-fragata EN-AEL 14 de Dezembro de 2013

Leia mais

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A A E A B I B L I O T E C A GRIPE A É fundamental que o Plano de Contingência da escola/agrupamento defina claramente o papel da biblioteca e as acções a realizar, quer em termos de informação e prevenção,

Leia mais