INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM"

Transcrição

1 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Plano de Contingência Gripe A (H1N1) SANTARÉM, JULHO, 2009

2 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Gripe A (H1N1) Informações Gerais SANTARÉM, JULHO, 2009

3 Primeira pandemia do Século XXI Pandemia 2009 A(H1N1) Gripe A

4 Gripe pneumónica Espanha: pneumonica ou Espanhola : A(H1N1) 1918 Gripe Asiática : Asiática : A(H2N2) 1957 Gripe H.Kong : A(H3N2) 1968

5 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Modo de Transmissão: Através partículas/gotículas, que se disseminam pelo espirro, tosse ou fala de pessoas infectadas Contacto com superfícies ou objectos contaminados Contaminação ambiental

6 Via de Transmissão -Inalatória -Contacto com superfícies/objectos contaminados Período de Contágio 1 dia antes do início dos sintomas, até 7 dias depois

7 Sinais e Sintomas Febre de início súbito > a 38ºC Tosse Dores de cabeça Dores musculares Dores nas articulações Dores de garganta Arrepios de frio Corrimento nasal Vómitos e/ou diarreia

8 Gripe A (H1N1) Como se pode proteger a si e aos outros Sempre que tossir ou espirrar tape o nariz e a boca com lenço de papel DGS

9 Lave as mãos frequentemente com água e sabão DGS

10 Se tiver sintomas de gripe guarde uma distância de, pelo menos, um metro, quando falar com outras pessoas DGS

11 Deite no caixote do lixo os lenços de papel usados DGS

12 Se tiver sintomas de gripe, evite cumprimentar com abraços, beijos ou apertos demão DGS

13 Se não tiver as mãos lavadas, evite mexer nos olhos, nonarizenaboca DGS

14 Se tiver sintomas de gripe fique em casa, não vá trabalhar, nem à escola e evite locais com muitas pessoas DGS

15 Se tiver sintomas de gripe, ligue para a linha Saúde 24: DGS

16 Caso suspeito -Pessoa que: Apresente febre alta súbita (> 38ºC) e tosse, acompanhadas ou não de cefaleia, dores articulares, e: Tenha regressado há 10 dias de zonas de elevada incidência/prevalência de Gripe A(H1N1) ou Tenha tido nos últimos 10 dias contacto próximo (cuidar, conviver, contacto directo com fluidos corporais) com um caso suspeito de Gripe A(H1N1)

17 Caso confirmado Pessoa com sintomas de Gripe A (H1N1), com pesquisa positiva nas secreções respiratórias para o vírus (H1N1).

18 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Identificação da Coordenação e de Grupos Operativos (Central e Periférico) SANTARÉM, JULHO, 2009

19 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Atribuições de Comando e Controlo SANTARÉM, JULHO, 2009

20 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Manutenção de actividades essenciais SANTARÉM, JULHO, 2009

21 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Estratégias de informação e capacitação SANTARÉM, JULHO, 2009

22 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Manutenção da higiene pessoal e dos espaços SANTARÉM, JULHO, 2009

23 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Medidas de isolamento E distanciamento social SANTARÉM, JULHO, 2009

24 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Avaliação SANTARÉM, JULHO, 2009

25 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Sistematização das principais actividades a desenvolver SANTARÉM, JULHO, 2009

26 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM FLUXOGRAMA DE ACÇÕES DO PLANO DE CONTINGÊNCIA SANTARÉM, JULHO, 2009

27 INTERVENÇÃO DO GRUPO PERIFÉRICO INFORMAÇÃO PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO COMUNICAÇÃO AVALIAÇÃO

28 INTERVENÇÃO DO GRUPO PERIFÉRICO INFORMAÇÃO PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO COMUNICAÇÃO AVALIAÇÃO

29 INFORMAÇÃO Afixar Materiais Informativos (DGS) - Locais lavagem mãos -Locais de maior fluxo de atendimento (salas de aula, sectores de atendimento)

30 INFORMAÇÃO Assegurar divulgação da informação - Validar endereços de todos os estudantes, professores e funcionários - Manter lista de contactos actualizados - Newsletter - Actualizar página - SMS

31 INTERVENÇÃO DO GRUPO PERIFÉRICO INFORMAÇÃO PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO COMUNICAÇÃO AVALIAÇÃO

32 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Preparatória (Agosto/Setembro) - Preparar material toalhetes de papel em todas as casas de banho dispositivos de parede com soluções de limpeza receptáculos (com pedal) máscaras (cirúrgica plana -Norma EN 149:2001)

33

34 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Preparatória (Agosto/Setembro) - Preparar material Definir indicadores e critérios dos produtos a utilizar Identificar as fichas técnicas dos produtos utilizados para higienização dos espaços

35 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Preparatória (Agosto/Setembro) - Preparar espaços limitar circuitos de utilização preparar espaço de isolamento limpeza diária

36 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Projectada (Setembro/ ) - Assegurar higiene dos espaços limpeza bi diária: superfícies de trabalho, maçanetas das portas; e WC Arejamento (salas de aula, gabinetes laboratórios, serviços académicos )

37 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Projectada (Setembro/ ) - Assegurar higiene dos espaços Designar um responsável que assegure a manutenção dos dispositivos e cumprimento das regras de higiene

38 PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO Fase Projectada (Setembro/ ) Controlar Circuitos Definir circuitos internos Notificar e encaminhar os circuitos alternativos (domicílio, residência)

39 INTERVENÇÃO DO GRUPO PERIFÉRICO INFORMAÇÃO PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO COMUNICAÇÃO AVALIAÇÃO

40 COMUNICAÇÃO Divulgar o Plano de contingência: - Utilização da intranet para informação - Sessão informativa interna -Sessões informais/contingenciais

41 COMUNICAÇÃO Estratégias de comunicação intra GOP - Elemento de referencia por sector - Forma de contacto Estratégias de comunicação GOP/GOC - Informação da evolução epidemiológica da situação de gripe em todas as UO.

42 INTERVENÇÃO DO GRUPO PERIFÉRICO INFORMAÇÃO PREVENÇÃO CONTENÇÃO CONTROLO COMUNICAÇÃO AVALIAÇÃO

43 AVALIAÇÃO Avaliar e manter o Plano actualizado - Reavaliar a operacionalização sempre que necessário Prever estratégias face ao absentismo - Plataforma moodle, teletrabalho, , - Substitutos - Matrículas, inscrições, pagamentos (on line)

44 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM É necessário manter um Plano de Contingência actualizado para ajudar a garantir que a instituição possui a informação e os recursos mínimos para funcionar. SANTARÉM, JULHO, 2009

Plano de Contingência Vírus INFLUENZA A (H1N1)v. Setembro 2009

Plano de Contingência Vírus INFLUENZA A (H1N1)v. Setembro 2009 Plano de Contingência Vírus INFLUENZA A (H1N1)v Setembro 2009 Plano de Contingência na EPRG FINALIDADE: Diminuir os efeitos gerais da pandemia. PÚBLICO ALVO: Formandos, Formadores, Funcionários, Colaboradores,

Leia mais

Gripes, Constipações e Vacinação. Com Setembro chega o frio e com este, a Gripe. Saiba como se proteger e qual a melhor maneira de lidar com ela.

Gripes, Constipações e Vacinação. Com Setembro chega o frio e com este, a Gripe. Saiba como se proteger e qual a melhor maneira de lidar com ela. Com Setembro chega o frio e com este, a Gripe. Saiba como se proteger e qual a melhor maneira de lidar com ela. Gripes, Constipações e Vacinação 1 / 13 Muitas vezes confundidas, as gripes e as constipações

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Centros Educativos da Apresentação de Maria Associação (Externato de São Francisco de Sales Gaula) Ano Lectivo 2009/2010 Setembro, 2009 Introdução A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o

Leia mais

Externato Paraíso dos Pequeninos. Colégio das Terras de Santa Maria. Plano de Contingência: Gripe A (Versão Reduzida)

Externato Paraíso dos Pequeninos. Colégio das Terras de Santa Maria. Plano de Contingência: Gripe A (Versão Reduzida) Externato Paraíso dos Pequeninos Mod 0/A Colégio das Terras de Santa Maria Data: 31/08/09 Pág. 1 de 7 Plano de Contingência: Gripe A (Versão Reduzida) A Introdução Este Plano de Contingência tem como objectivo

Leia mais

O vírus é um organismo infecioso que não é constituído por células e é invisível ao microscópio ótico. A bactéria é um micróbio unicelular que se apre

O vírus é um organismo infecioso que não é constituído por células e é invisível ao microscópio ótico. A bactéria é um micróbio unicelular que se apre Bactérias e vírus CRUZ VERMELHA PORTUGUESA Medidas de proteção O vírus é um organismo infecioso que não é constituído por células e é invisível ao microscópio ótico. A bactéria é um micróbio unicelular

Leia mais

CENTRO INFANTIL PALMO E MEIO Rua Catarina Eufémia, nº1 Horta das Figueiras Telefone: Fax: PLANO CONTIGÊNCIA

CENTRO INFANTIL PALMO E MEIO Rua Catarina Eufémia, nº1 Horta das Figueiras Telefone: Fax: PLANO CONTIGÊNCIA CENTRO INFANTIL PALMO E MEIO Rua Catarina Eufémia, nº1 Horta das Figueiras Telefone: 266 742 118 Fax: 266 742 120 PLANO DE CONTIGÊNCIA CENTRO INFANTIL PALMO E MEIO Rua Catarina Eufémia, nº1 Horta das Figueiras

Leia mais

HC UFPR COMITÊ DE INFLUENZA SUÍNA

HC UFPR COMITÊ DE INFLUENZA SUÍNA HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR HC UFPR COMITÊ DE INFLUENZA SUÍNA 27 de abril DIREÇÃO DE ASSISTÊNCIA SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA INFECTOLOGIA CLÍNICA - ADULTO E PEDIÁTRICA SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E CRECHE DE SÃO JORGE PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA H1N1

ESCOLA BÁSICA E CRECHE DE SÃO JORGE PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA H1N1 ESCOLA BÁSICA E CRECHE DE SÃO JORGE PLANO DE CONTINGÊNCIA PANDEMIA H1N1 Setembro de 2009 ÍNDICE 1 - O Plano de Contingência, sua natureza e enquadramento...3 2 - Natureza da ameaça...4 3 - Identificação

Leia mais

O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados

O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados Com o inverno se aproximando o risco de transmissão de doenças respiratórias aumenta, por isso temos que dobrar os cuidados nessa época. Vejamos juntos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFORNELOS H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFORNELOS H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFORNELOS H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA COORDENADOR E EQUIPA OPERATIVA COORDENADOR Director do Agrupamento Prof. Duarte Nuno Alão Coordenadora PES Prof.ª Anabela Olival Prof.ª Ana

Leia mais

Gripe A (H1N1)v. Plano de Contingência

Gripe A (H1N1)v. Plano de Contingência Gripe A (H1N1)v Plano de Contingência Outubro de 2009 Índice 1 - Introdução, 2 2 - Objectivos, 3 3 - Coordenador e Equipa Operativa, 4 3.1 - Coordenador Geral do Plano, 4 3.2 - Equipa Operativa, 4 4 -

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DE SAÚDE DE... NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E IMUNIZAÇÃO DE...

DIRETORIA REGIONAL DE SAÚDE DE... NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E IMUNIZAÇÃO DE... GDF-SES - Subsecretaria de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica DIRETORIA REGIONAL DE SAÚDE DE... NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E IMUNIZAÇÃO DE... CONTATO: e-mail... Telefone:

Leia mais

Influenza (gripe) 05/07/2013

Influenza (gripe) 05/07/2013 Influenza (gripe) 05/07/2013 O que é? Doença infecciosa aguda Vírus Influenza A e B Sazonal (outono e inverno) Incubação: 1 a 4 dias Transmissibilidade: Adultos: 24h antes dos sintomas e 24h após febre

Leia mais

Orientações sobre a gripe suína (Influenza A / H1N1)

Orientações sobre a gripe suína (Influenza A / H1N1) Orientações sobre a gripe suína (Influenza A / H1N1) A Associação Médica Brasileira (AMB) e a Sociedade Brasileira de Infectologia divulgaram nesta sexta-feira, 8 de maio, dois documentos contendo orientações

Leia mais

Actualizado em * O que as mulheres grávidas precisam de saber acerca do novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009

Actualizado em * O que as mulheres grávidas precisam de saber acerca do novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 ANEXO 1 O que as mulheres grávidas precisam de saber acerca do novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 1- E se eu estiver grávida e contrair esta nova gripe? Na maioria das grávidas a infecção pelo novo

Leia mais

Influenza A (H1N1). João Pedro Monteiro (Colégio de São Bento) Orientador: André Assis Medicina UFRJ

Influenza A (H1N1). João Pedro Monteiro (Colégio de São Bento) Orientador: André Assis Medicina UFRJ Influenza A (H1N1). João Pedro Monteiro (Colégio de São Bento) Orientador: André Assis Medicina UFRJ Éuma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus A (H1N1) que normalmente provoca surtos de

Leia mais

Pl P an a o o de Con o tingê n ncica GRIPE A (H1N1) Set e em e b m r b o r o 2009

Pl P an a o o de Con o tingê n ncica GRIPE A (H1N1) Set e em e b m r b o r o 2009 Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Setembro 2009 1. Introdução 1.1. O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e a árvore respiratória, provocada

Leia mais

SECRETARIA SECRET MUNICIP ARIA

SECRETARIA SECRET MUNICIP ARIA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL Influenza A (H1N1) Estratégias para Atenuação de Epidemia Márcio Garcia Centro de Informações Estratégicas em Vig. em Saúde marciogarcia@rio.rj.gov.br cievs.rio@gmail.com

Leia mais

Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010

Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010 Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010 No âmbito do Projecto «Ler +, agir contra a Gripe», uma iniciativa do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde, impulsionado

Leia mais

2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1

2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1 2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1 Ébola-Sensibilização 7 Outubro 2014 Portuguese Disclaimer: Esta apresentação foi desenvolvida apenas para fins educacionais e está correcta

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL JARDIM PORTO ALEGRE- ENSINO FUNDAMENTAL MÉDIO E PROFISSIONAL. Plano de trabalho Disciplina de Ciências

COLÉGIO ESTADUAL JARDIM PORTO ALEGRE- ENSINO FUNDAMENTAL MÉDIO E PROFISSIONAL. Plano de trabalho Disciplina de Ciências COLÉGIO ESTADUAL JARDIM PORTO ALEGRE- ENSINO FUNDAMENTAL MÉDIO E PROFISSIONAL NOME: Lavinha Vier Conti MUNICIPIO: Toledo - Pr CONTEÚDO: Gripe A SÉRIE: 5ª, 6ª, 7ª, 8ª. CONTEÚDO ESTRUTURANTE: Corpo Humano

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA Assunto: GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA INTRODUÇÃO A ACC Consultores Associados, Lda., dando cumprimento às recomendações da Organização Mundial de Saúde, bem como do Ministério da Saúde, através

Leia mais

Plano de Contingência Escolar contra a GRIPE A (H1N1) Colégio de S. Mamede Setembro de 2009

Plano de Contingência Escolar contra a GRIPE A (H1N1) Colégio de S. Mamede Setembro de 2009 Plano de Contingência Escolar contra a GRIPE A (H1N1) Colégio de S. Mamede Setembro de 2009 Imp. 553.3-0 1/21 SUMÁRIO 1. Caracterização da doença - Gripe A (H1N1) 2. Caracterização da escola e da comunidade

Leia mais

GRIPE A (H1 N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DA GRIPE COLÉGIO DE NOSSA SENHORA DA BONANÇA

GRIPE A (H1 N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DA GRIPE COLÉGIO DE NOSSA SENHORA DA BONANÇA GRIPE A (H1 N1)v GRIPE A ( PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DA GRIPE COLÉGIO DE NOSSA SENHORA DA BONANÇA Rua Francisco de Sá Carneiro 1366 Vila Nova de Gaia Telefone: 223751530 Fax: 223793051 Email:

Leia mais

Para pensares em grande.

Para pensares em grande. PEQUENO LIVRO SAÚDE 24 Para pensares em grande. Conselhos de Saúde Telefones úteis Livro 12x17,5cm.indd 1 09/02/20 17:14:21 Autocolantes Saúde 24 Vais encontrar dentro do livro uma folha com autocolantes.

Leia mais

INFECÇÕES. Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto

INFECÇÕES. Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto INFECÇÕES Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto Definição É a colonização de um organismo hospedeiro por uma espécie estranha. Numa infecção, o organismo infectante procura utilizar os recursos do hospedeiro para

Leia mais

GRIPE SUÍNA. Raquel Rocha Gomes

GRIPE SUÍNA. Raquel Rocha Gomes GRIPE SUÍNA Raquel Rocha Gomes Considerando-se o aumento do número de casos da nova gripe H1N1, que tem se espalhado por todo mundo e inclusive já registrou casos suspeitos e confirmados em Vitória, a

Leia mais

Actualizado em * Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Grávidas e Puérperas

Actualizado em * Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Grávidas e Puérperas Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Grávidas e Puérperas Destaques A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas e puérperas (até aos 15 dias após o parto e

Leia mais

O PETIZ, Associação Cultural e Educativa de Apoio à Criança PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE (H1N1)

O PETIZ, Associação Cultural e Educativa de Apoio à Criança PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE (H1N1) O PETIZ, Associação Cultural e Educativa de Apoio à Criança PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE (H1N1) 14 de Setembro 2009 Índice Plano de Contingência Gripe A H1N1 Índice...2 1. Introdução...3 1.2. Medidas gerais

Leia mais

Busca por vacina contra febre amarela lota postos de saúde em Novo Progresso

Busca por vacina contra febre amarela lota postos de saúde em Novo Progresso Busca por vacina contra febre amarela lota postos de saúde em Novo Progresso Em Novo Progresso à preocupação com a febre amarela só aumenta, já que a doença está avançando em outros Estados. Na região

Leia mais

Introdução: 1.O Plano de Contingência, sua natureza e enquadramento

Introdução: 1.O Plano de Contingência, sua natureza e enquadramento Plano de Contingência EJAF Introdução: 1.O Plano de Contingência, sua natureza e enquadramento No seguimento das recomendações efectuadas pelas autoridades de saúde e ensino o EJAF procedeu à elaboração

Leia mais

2009 /2010 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA

2009 /2010 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CONDEIXA-A-NOVA 2009 /2010 1º NÃO DÊ BOLEIA AOS MICRÓBIOS: Lave bem as mãos com água e sabão 2º PREVINA A CONTAMINAÇÃO: Quando espirra, tape o nariz e a boca com o braço ou com

Leia mais

Ofício Circular S/SUBPAV/SAP n.º 019/2015 Rio de Janeiro, 03 de novembro de 2015.

Ofício Circular S/SUBPAV/SAP n.º 019/2015 Rio de Janeiro, 03 de novembro de 2015. 1 Ofício Circular S/SUBPAV/SAP n.º 019/2015 Rio de Janeiro, 03 de novembro de 2015. Às Coordenadorias Gerais de Atenção Primária com vistas às Unidades de Saúde Assunto: Procedimentos para notificação

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A CAMPANHA DE VACINAÇÃO SESC CONTRA A GRIPE

INFORMAÇÕES SOBRE A CAMPANHA DE VACINAÇÃO SESC CONTRA A GRIPE INFORMAÇÕES SOBRE A CAMPANHA DE VACINAÇÃO SESC CONTRA A GRIPE INFORMAÇÕES SOBRE A VACINA NOME - Fluarix Tetra - vírus inativado. ORIGEM - Alemanha. TIPO - Tetravalente - OMS para 2017-4 cepas O que previne:

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO

NOTA TÉCNICA. Vigilância da Influenza ALERTA PARA A OCORRÊNCIA DA INFLUENZA E ORIENTAÇÃO PARA INTENSIFICAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE E PREVENÇÃO 12 de abril de 2016 Página 1/5 VIGILÂNCIA DA INFLUENZA A vigilância da influenza no Ceará é composta pela vigilância sentinela da SG e vigilância universal da SRAG, além da vigilância de surtos de SG.

Leia mais

Gripe A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA

Gripe A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de contágio

Leia mais

Boletim Informativo INFLUENZA

Boletim Informativo INFLUENZA CRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE Porto Alegre, 22 de Julho de 16. Boletim Informativo INFLUENZA Até a Semana Epidemiológica () 29 (3//16 a *23/7/16) foram investigados 1841 casos suspeitos de Síndrome Respiratória

Leia mais

Serviços Técnicos Área de Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho

Serviços Técnicos Área de Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho Serviços Técnicos Área de Higiene, Segurança e Medicina no Trabalho Versão 0.0 Data: Julho 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. OBJECTIVOS DO PLANO... 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 3 4. PRINCÍPIOS... 4 5. FASES

Leia mais

Cartilha Gripe Suína

Cartilha Gripe Suína Cartilha Gripe Suína na DÚVIDAS Existe transmissão sustentada do vírus da Influenza A (H1N1) no Brasil? Desde 24 de abril, data do primeiro alerta dado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre

Leia mais

HIGIENE É PREVENÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE

HIGIENE É PREVENÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE REPÚBLICA DE HIGIENE É PREVENÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE FICHA TÉCNICA Título: Higiene é Prevenção Autores: MISAU / UNICEF Ilustrações: Zacarias Chemane Tiragem: 150 Exemplares 2ª Edição: 2011 ORIENTAÇÕES

Leia mais

Precauções em controlo de. Maria Teresa Neto

Precauções em controlo de. Maria Teresa Neto Precauções em controlo de infecção Maria Teresa Neto Tipos de precauções Precauções universais Precauções baseadas na via de transmissão Precauções universais Indicação para serem aplicadas a todos os

Leia mais

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 3 de Outubro de 2014

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 3 de Outubro de 2014 OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 3 de Outubro de 2014 De acordo com a estrutura do roteiro 1, os relatórios dos países recaem em duas categorias: países com transmissão generalizada e

Leia mais

Investigação epidemiológica de doenças transmitidas pela fêmea do Aedes aegypti: dengue, chikungunya e zika. Deborah Bunn Inácio

Investigação epidemiológica de doenças transmitidas pela fêmea do Aedes aegypti: dengue, chikungunya e zika. Deborah Bunn Inácio Investigação epidemiológica de doenças transmitidas pela fêmea do Aedes aegypti: dengue, chikungunya e zika Deborah Bunn Inácio Investigação epidemiológica de doenças transmitidas pela fêmea do Aedes aegypti:

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. JOÃO LÚCIO. Gripe A (H1N1)

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. JOÃO LÚCIO. Gripe A (H1N1) AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. JOÃO LÚCIO Gripe A (H1N1) ANO LECTIVO 2009/2010 SUMÁRIO Página Introdução 3 1. Coordenador e Equipa Operativa 4 2. Cadeia de Comando e Controlo 5 3. Actividades essenciais

Leia mais

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae Hepatite A Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae 160 casos de Hepatite A foram notificados de 1 de janeiro a 7 de abril 50% dos quais foram internados Do total de doentes, 93% eram adultos jovens

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA - FUNDÃO. Plano de Contingência. Gripe A/H1N1

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA - FUNDÃO. Plano de Contingência. Gripe A/H1N1 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SERRA DA GARDUNHA - FUNDÃO Plano de Contingência Gripe A/H1N1 1 Os vírus da gripe do tipo A, os únicos com potencial pandémico, têm como reservatório habitual as aves silvestres

Leia mais

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 26 Setembro 2014

OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 26 Setembro 2014 1 OMS: ACTUALIZAÇÃO DO ROTEIRO DE RESPOSTA AO ÉBOLA 26 Setembro 2014 De acordo com a estrutura do roteiro 1, os relatórios dos países recaem em duas categorias: países com transmissão generalizada e intensa

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA Dos Serviços da Presidência do Instituto Politécnico de Coimbra Versão 1.00 Autor: Maria João Cardoso (VICE-PRESIDENTE) Aprovado: Rui Antunes (PRESIDENTE), em 01-10-2009 Data de activação: 02-10-2009 Âmbito:

Leia mais

Fundo de Segurança Social Serviço de Declarações Electrónicas

Fundo de Segurança Social Serviço de Declarações Electrónicas 1 Fundo de Segurança Social Serviço de Declarações Electrónicas 2 Serviço de Declarações Electrónicas 1 2 Apresentação do serviço de declarações electrónicas Apresentação do sistema de declarações electrónicas

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD CONCURSO PISM III - TRIÊNIO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO I:

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD CONCURSO PISM III - TRIÊNIO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO I: TEXTO I: Leia, com atenção, os fragmentos do texto abaixo, de Luís Indriunas: No início, não havia nada. A saúde no Brasil praticamente inexistiu nos tempos de colônia. O modelo exploratório nem pensava

Leia mais

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Guarda Junho 2015 Arminda Jorge Particularidades na criança Prematuridade Alteração da barreira cutânea Imunodepressão Ambientes

Leia mais

Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC

Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC 2012 4 de Maio Sexta-feira Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC Agostinho Marques Definição de DPOC GOLD 2011 A DPOC, uma doença prevenível e tratável, é caracterizada por limitação persistente

Leia mais

Vacina Influenza. Andrea Lucchesi de Carvalho Pediatra/Infectologista Pediátrica Presidente do Comitê de Infectologia Pediátrica da SMP

Vacina Influenza. Andrea Lucchesi de Carvalho Pediatra/Infectologista Pediátrica Presidente do Comitê de Infectologia Pediátrica da SMP Vacina Influenza Andrea Lucchesi de Carvalho Pediatra/Infectologista Pediátrica Presidente do Comitê de Infectologia Pediátrica da SMP Influenza Orthomyxoviridae Três tipos antigênicos: A.B e C Influenza

Leia mais

MANEJO DOS CASOS SUSPEITOS E CONFIRMADOS DE INFLUENZA NO HIAE E UNIDADES

MANEJO DOS CASOS SUSPEITOS E CONFIRMADOS DE INFLUENZA NO HIAE E UNIDADES MANEJO DOS CASOS SUSPEITOS E CONFIRMADOS DE INFLUENZA NO HIAE E UNIDADES AVANÇADAS Maio de 2013 Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Conteúdo Definições atualmente utilizadas Diagnóstico Tratamento

Leia mais

Campanha Nacional da Higiene das Mãos no Centro Hospitalar do Porto

Campanha Nacional da Higiene das Mãos no Centro Hospitalar do Porto Campanha Nacional da Higiene das Mãos no Centro Hospitalar do Porto HSA MJD HMP Comissão de Controlo de Infeção Implementação da Campanha de Higiene das Mãos Avaliação das estruturas e aumento do nº de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO BARREIRO PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO BARREIRO PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO BARREIRO PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A Contexto escolar Barreiro, Agosto de 2009 1 ÍNDICE Nota Introdutória...3 Equipa Operativa...4 Cadeia de Comando e Controlo...5 Identificação

Leia mais

Informação é a melhor proteção. AIDS

Informação é a melhor proteção. AIDS Informação é a melhor proteção. AIDS AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

TRANSPULMIN XAROPE ADULTO. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. xarope 13,33 mg/ml

TRANSPULMIN XAROPE ADULTO. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. xarope 13,33 mg/ml TRANSPULMIN XAROPE ADULTO Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. xarope 13,33 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Transpulmin guaifenesina

Leia mais

SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE POR INFLUENZA Dr. Mauricio F. Favaleça Infectologista CRM/SP

SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE POR INFLUENZA Dr. Mauricio F. Favaleça Infectologista CRM/SP SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE POR INFLUENZA 2016 Dr. Mauricio F. Favaleça Infectologista CRM/SP 146.389 De acordo com o Código de ÉTICA Médica em vigor e com as exigências da ANVISA, regulamentadas

Leia mais

São doenças relacionadas à água contaminada. Sua transmissão pode acontecer de algumas formas:

São doenças relacionadas à água contaminada. Sua transmissão pode acontecer de algumas formas: São doenças relacionadas à água contaminada. Sua transmissão pode acontecer de algumas formas: Ingestão dessa água; Contato com água contendo fezes ou urina; Falta de higiene pessoal; Comer frutas e verduras

Leia mais

N e w s l e t t e r AAPS Edição 02/2016

N e w s l e t t e r AAPS Edição 02/2016 Prezados associados Em 30 de junho próximo encerrar-se-ão os mandatos dos atuais diretores e conselheiros membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da AAPS. Conforme regula nosso Estatuto Social, a Diretoria

Leia mais

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 09 de 2016

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 09 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 9 de 216 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Dor de Cabeça ou cefaleia

Dor de Cabeça ou cefaleia MEDICAMENTOS NÃO SUJEITOS A RECEITA MÉDICA PARA UMA SAÚDE RESPONSÁVEL Dor de Cabeça ou cefaleia tratardemim@apifarma.pt www.apifarma.pt/tratardemim www.facebook.com/ programatratardemim VENCEDOR Tipos

Leia mais

Cenário Epidemiológico da Dengue no Rio Grande do Norte

Cenário Epidemiológico da Dengue no Rio Grande do Norte GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA COORDENADORIA DE PROMOÇÃO À SAÚDE PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE NO RN Cenário Epidemiológico da Dengue no Rio Grande

Leia mais

São Paulo, 27 de abril de Setor: Ensino Fundamental II - 6º ano Ref.: Minas Gerais - Informações Senhores Pais,

São Paulo, 27 de abril de Setor: Ensino Fundamental II - 6º ano Ref.: Minas Gerais - Informações Senhores Pais, São Paulo, 27 de abril de 2015. Setor: Ensino Fundamental II - 6º ano Ref.: Minas Gerais - Informações Senhores Pais, Verbo Divino Encaminhamos abaixo a lista do enxoval, ficha informativa e formulários

Leia mais

Proteger o seu filho da gripe

Proteger o seu filho da gripe PORTUGUESE translation Pre-school Flu Leaflet Proteger o seu filho da gripe Vacinação para crianças pequenas ou em idade pré-escolar 2016 Proteger o seu filho da gripe O programa anual de vacinação contra

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR

HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR A higiene é um conjunto de regras que promove a limpeza e o asseio. Conjunto de regras que combate á sujidade e os factores nocivos, possibilitando assim a todo o indivíduo

Leia mais

Ganhos em Saúde na Região do Algarve

Ganhos em Saúde na Região do Algarve Ganhos em Saúde na Região do Algarve Factos Governo de 15 Janeiro 1971 Ministro Dr. Baltazar Rebello de Souza Secretário de Estado Professor Gonçalves Ferreira Traziam no seu programa o projecto da reorganização

Leia mais

Experiência de Avaliação das Capacidades Básicas e de implementação do RSI(2005) em Cabo Verde

Experiência de Avaliação das Capacidades Básicas e de implementação do RSI(2005) em Cabo Verde Experiência de Avaliação das Capacidades Básicas e de implementação do RSI(2005) em Cabo Verde Delegação : Dra. Maria Lourdes Monteiro Dra. Ana Paula dos Santos Breve apresentação do país O arquipélago

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS

INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno GRAÇA FREITAS Direção-Geral da Saúde 17/12/2014 1 INFEÇÕES RESPIRATÓRIAS Plano de Prevenção e Resposta para o Outono/Inverno Plano:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE PRIMEIROS SOCORROS

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE PRIMEIROS SOCORROS PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE PRIMEIROS SOCORROS PROFESSOR: Henrique Pereira Faria 1. EMENTA: A disciplina de primeiros socorros aborda: Suporte básico de vida Técnicas básicas de socorro Prestação

Leia mais

Novo informe epidemiológico mostra redução de 73% dos casos de dengue no Pará

Novo informe epidemiológico mostra redução de 73% dos casos de dengue no Pará Novo informe epidemiológico mostra redução de 73% dos casos de dengue no Pará O segundo informe do ano apresenta 212 casos de dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti Dados do novo informe

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Transpulmina (Infantil) 25 mg/g mg/g Pomada. Cânfora Eucaliptol

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Transpulmina (Infantil) 25 mg/g mg/g Pomada. Cânfora Eucaliptol Folheto informativo: Informação para o utilizador Transpulmina (Infantil) 25 mg/g + 100 mg/g Pomada Cânfora Eucaliptol Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento pois

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA. Gripe A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA. Gripe A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) 14 de Setembro de 2009 Conteúdo 1. INTRODUÇÃO... 4 2. INFORMAÇÕES GERAIS... 5 2.1. «O que é a Gripe A (H1N1)?... 5 2.2. Quais os sintomas da Gripe? É gripe ou constipação?...

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS PRODUTO: ALCOOL ETÍLICO HIDRATADO INDUSTRIAL FLOP S. Liquido Inflamável Inflamável 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO Nome do comercial: Álcool Etílico Hidratado 92,8º INPM NOME DO FABRICANTE Indústria Comercio de Produtos Químicos Tangara ENDEREÇO Rod. Comte João

Leia mais

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml

Sorine Adulto. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml Sorine Adulto Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Solução nasal 0,5 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Sorine cloridrato de nafazolina

Leia mais

PLANO ESPANHOL DE PREPARAÇÃO E RESPOSTA FACE A UMA PANDEMIA DE GRIPE

PLANO ESPANHOL DE PREPARAÇÃO E RESPOSTA FACE A UMA PANDEMIA DE GRIPE PLANO ESPANHOL DE PREPARAÇÃO E RESPOSTA FACE A UMA PANDEMIA DE GRIPE Pandemia de Gripe O que é? Por que é necessário um Plano? Pandemia de Gripe O que sabemos e o que desconhecemos Outra pandemia é INEVITÁVEL

Leia mais

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 36 de 2009

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 36 de 2009 Edição n o 8 setembro de 2009 Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 36 de 2009 APRESENTAÇÃO Desde 16 de julho de 2009, após a declaração de transmissão

Leia mais

PREVINA-SE CONTRA FEBRE TIFÓIDE

PREVINA-SE CONTRA FEBRE TIFÓIDE PREVINA-SE CONTRA FEBRE TIFÓIDE DOENÇA A Febre Tifóide é uma doença bacteriana aguda, causada pela Salmonella typhi e está relacionada a baixos níveis sócioeconômicos, de saneamento básico, higiene pessoal

Leia mais

Spectolab Balsâmico. (guaifenesina) Multilab Ind. e Com.de Produtos Farmacêuticos Ltda Xarope 13,33 mg/ml. REV A Bula Paciente Xarope Adulto 1

Spectolab Balsâmico. (guaifenesina) Multilab Ind. e Com.de Produtos Farmacêuticos Ltda Xarope 13,33 mg/ml. REV A Bula Paciente Xarope Adulto 1 Spectolab Balsâmico (guaifenesina) Multilab Ind. e Com.de Produtos Farmacêuticos Ltda Xarope 13,33 mg/ml REV A Bula Paciente Xarope Adulto 1 Spectolab Balsâmico guaifenesina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE

RELATÓRIO DE ATIVIDADE RELATÓRIO DE ATIVIDADE INTEGRATIVA - A IMPORTÂNCIA DOS ALIMENTOS E DA HIGIENE Integrantes das equipes: Manhã: Bianca Domingues, Fábio Glanso, Jaqueline Camargo, Karen Luko e Thais Cury. Tarde: Evandro

Leia mais

AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR «Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei 6/89, de 15 de Abril) de RESPOSTA OBRIGATÓRIA, registado no INE sob o n.º 9761, válido até 31/08/2007» AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

Leia mais

Organograma Composição de um organograma de manutenção Análise do factor humano no organograma de um serviço de manutenção

Organograma Composição de um organograma de manutenção Análise do factor humano no organograma de um serviço de manutenção ÍNDICE Capítulo I - MANUTENÇÃO INDUSTRIAL - CONCEITOS GERAIS Pág. Definição..................... 7 Condições ideais de funcionamento.......... 8 Espírito do pessoal de manutenção... 9 Manutenção organizada...

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES:

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES: 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: FORTH Condicionador Gramados Código interno de identificação do produto: 153-4 Nome da empresa: EVERALDO JUNIOR ELLER Endereço: Rod Antonio Romano

Leia mais

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 31 de 2009

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 31 de 2009 Edição n o 3 agosto de 2009 Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, até semana epidemiológica 31 de 2009 APRESENTAÇÃO Desde 16 de julho de 2009, após a declaração de transmissão sustentada,

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DO AR N. 45/2016

BOLETIM INFORMATIVO DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DO AR N. 45/2016 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PÚBLICA BOLETIM INFORMATIVO DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DO AR N. 45/2016 01 - Monitoramento da qualidade do ar, período de 01/11/2016 a

Leia mais

Galáxias. Chegou o momento de ser um verdadeiro astrónomo! Ana Rita Guerra

Galáxias. Chegou o momento de ser um verdadeiro astrónomo! Ana Rita Guerra Galáxias I Antes de iniciar a sua investigação, é necessário que tenha alguns pré-requisitos relativamente à utilização de um computador, tais como: ligar um sistema computacional; iniciar uma sessão de

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS INFECÇÕES DE SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)¹ MANUAL DA CCIH. POP nº 10. Versão: 01

CLASSIFICAÇÃO DAS INFECÇÕES DE SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)¹ MANUAL DA CCIH. POP nº 10. Versão: 01 PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO DE CIRURGIA CARDÍACA OBJETIVO Padronizar a prática de medidas preventivas para minimizar a ocorrência de infecção de sítio cirúrgico, destinadas a equipe multiprofissional

Leia mais

REGULAMENTO DA COLÓNIA DE FÉRIAS INFANTIL MUNICIPAL PREÂMBULO

REGULAMENTO DA COLÓNIA DE FÉRIAS INFANTIL MUNICIPAL PREÂMBULO PREÂMBULO Procurar respostas sociais dirigidas a utentes dos diferentes grupos etários e à família, significa responder a necessidades humanas (psicológicas, afectivas, sociais, ) por forma a prevenir,

Leia mais

Com altos índices, Santarém está entre municípios prioritários no combate à tuberculose

Com altos índices, Santarém está entre municípios prioritários no combate à tuberculose Com altos índices, Santarém está entre municípios prioritários no combate à tuberculose Nos últimos cinco anos, o município teve mais de 600 registros, apontou a Sespa. No 1º semestre de 2017, 51 casos

Leia mais

Epidemiológico. Informe. Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 13 de 2016

Epidemiológico. Informe. Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 13 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a 13 de 216 A vigilância da influenza no é composta pela vigilância sentinela de Síndrome Gripal

Leia mais

CROMOGLICATO DISSÓDICO

CROMOGLICATO DISSÓDICO CROMOGLICATO DISSÓDICO Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Solução nasal 40mg/mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: CROMOGLICATO DISSÓDICO Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Ensino, investigação e serviços à comunidade em saúde ocupacional - o contributo do ensino superior politécnico Carla Viegas

Ensino, investigação e serviços à comunidade em saúde ocupacional - o contributo do ensino superior politécnico Carla Viegas Ensino, investigação e serviços à comunidade em saúde ocupacional - o contributo do ensino superior politécnico Carla Viegas Environment & Health Research Group Lisbon School of Health Technology Polytechnic

Leia mais

Em Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.), a gripe deve-se a uma infiltração de uma energia (frio ou calor associados ao vento), que através da pele

Em Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.), a gripe deve-se a uma infiltração de uma energia (frio ou calor associados ao vento), que através da pele A GRIPE EM M.T.C. Em Medicina Tradicional Chinesa (M.T.C.), a gripe deve-se a uma infiltração de uma energia (frio ou calor associados ao vento), que através da pele ou do sistema rino-faríngico, atravessa

Leia mais

Vacinação nos Locais de Trabalho

Vacinação nos Locais de Trabalho Vacinação nos Locais de Trabalho Fátima Ramalho Equipa de Coordenação do Programa Nacional de Saúde Ocupacional Divisão de Saúde Ambiental e Ocupacional da Direção-Geral da Saúde Encontro Nacional de Saúde

Leia mais

11/03/2011. Elaboração de Alimentos. Ministério da Agricultura

11/03/2011. Elaboração de Alimentos. Ministério da Agricultura Regulamentação Boas Práticas de Fabricação Ministério da Agricultura Portaria Nº 368 4 de Setembro de 1997 Regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de boas práticas de elaboração para

Leia mais

Manual de instruções. Bicicleta de exercício

Manual de instruções. Bicicleta de exercício Manual de instruções GB1132 Bicicleta de exercício Vista explodida do produto: 17 16 18 19 12 11 15 9 10 7 5 8 14 2 4 3 13 1 6 5 Ferramentas: Chave sextavada aberta 13-15 Chave sextava interior 16 13-15

Leia mais

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, 2009

Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, 2009 Ano 09 - N⁰ 02 23 de Julho de 2009 Influenza Edição Especial Situação epidemiológica da nova influenza A (H1N1) no Brasil, 2009 APRESENTAÇÃO Desde a declaração de Emergência de Saúde Pública de Importância

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO E-SHOP

GUIA PRÁTICO DO E-SHOP GUIA PRÁTICO DO E-SHOP Este guia prático pretende mostrar como aceder e colocar uma encomenda no e-shop. Após o registo do utilizador, o carrinho de compras fica imediatamente activo. No entanto, os preços

Leia mais