GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA"

Transcrição

1 GRIPE A (H1N1)v PLANO DE PREVENÇÃO E CONTINGÊNCIA

2 ÍNDICE 1. Introdução Pág Prevenção Pág Contingência Pág Equipas de Comando Pág Manutenção das Actividades Escolares Pág º Ciclo Pág Pré-Escolar Pág Limpeza Pág Autocarro Pág Controlo da Gripe Pág. 8

3 1 - INTRODUÇÃO Como consequência da potencial pandemia de gripe A (H1N1)v, tornouse necessária a criação de um Plano de Prevenção e Contingência com diversos objectivos. Numa fase inicial (Junho de 2009), demos início à fase da prevenção, cujas medidas serão descritas mais adiante, para que possamos minimizar o impacto da doença na comunidade escolar do Externato São Cristóvão. Numa segunda fase, que terá o seu início com as primeiras manifestações da doença, procederemos à contingência cujo objectivo será a manutenção das actividades lectivas. Pretende-se que o Plano de Prevenção e Contingência seja um documento sucinto e objectivo que torne claras, para todos, as medidas nele descritas. É de extrema importância referir que este plano só terá eficácia com a colaboração de toda a comunidade escolar. Entenda-se por comunidade escolar, neste âmbito, os pais e encarregados de educação, familiares de alunos, colaboradores e prestadores de serviços do Externato São Cristóvão. Torna-se, por isso, necessário que as medidas dispostas nos capítulos Prevenção e Contingência sejam criteriosamente cumpridas por toda a comunidade escolar. O Plano de Prevenção e Contingência é dinâmico pelo que, potencialmente, sofrerá alterações mediante a evolução da doença. Algumas da medidas previstas no capítulo Prevenção poderão manterse mesmo após a fase pandémica da doença, por forma a prevenir não só esta como outras doenças infecto-contagiosas.

4 2 - PREVENÇÃO Neste capítulo iremos identificar quais as medidas já implementadas no sentido da minimização do impacto da doença. Tratam-se de medidas com impacto directo nas rotinas diárias que envolvem a comunidade escolar e que irão, naturalmente, alterar essas mesmas rotinas. Medidas já implementadas: - Colocação de cartazes em todas as instalações sanitárias e salas de aula com a indicação de como efectuar uma correcta lavagem das mãos e medidas de prevenção contra a gripe; - Colocação de ponto obrigatório de higienização à entrada da escola para ser utilizado sempre que se entra na mesma (aplicável a toda a comunidade escolar: alunos, colaboradores, pais e encarregados de educação, fornecedores, etc.). É importante referir que apenas pode passar deste ponto quem efectuar a higienização; - Colocação de ponto de higienização no autocarro do Externato; - Colocação de ponto de higienização junto do refeitório, exclusivamente, para situações de excepção; - Reforço das medidas de higienização já tomadas pelos alunos e colaboradores através de uma mais frequente higienização das mãos durante o dia; - Proibição de qualquer aluno frequentar a escola sempre que apresente, à entrada, febre alta (acima dos 38º) e outro dos sintomas gripais; - Proibição de entrada de brinquedos externos à escola. Sempre que tal se verifique, os mesmo serão colocados na mochila do aluno, não podendo ser retirados dentro do espaço escolar; - Criação de sala de isolamento profilático para ser utilizada em casos com suspeita de gripe. A mesma dispõe de todo o vestuário descartável e ponto de higienização; - Encerramento do bebedouro comum, passando os alunos a trazer uma garrafa de àgua de casa, bem como lenços de papel; - Sensibilização para a temática da gripe feita aos alunos semanalmente pelas Professoras e Educadoras; - Higienização frequente (várias vezes por dia) de superfícies, objectos de trabalho e brinquedos; - Reforço da desinfecção e higienização das instalações sanitárias; - Colocação de recipientes com pedal para depósito de lenços de papel utilizados, em todas as salas de aula; - Manutenção de stock mínimo de bens alimentares não perecíveis, bem como detergentes para limpeza e desinfecção.

5 3 CONTINGÊNCIA Neste capítulo iremos abordar quais as equipas de comando definidas para as àreas prioritárias e secundárias, e quais os seus substitutos. Abordaremos, adicionalmente, que medidas serão tomadas nos casos de ausência por infecção do vírus H1N1v, caso se verifiquem em alunos, docentes e não-docentes. Por fim, abordaremos as medidas a tomar após a identificação de casos supeitos. 1. Equipas de comando Departamento Comando 1 Comando 2 Órgão de Gestão (Gestão geral do estabelecimento de ensino) Mafalda Azevedo Miguel Pais Ana Cristina Bleguinhas Áreas Prioritárias Professores titulares, Informática, Música (Garantir a efectivação da actividade lectiva seja via pessoal ou via e-learning) Educadoras, educação física, expressão plástica, Artes plásticas (Garantir a efectivação da actividade lectiva seja via pessoal ou via e-learning) Auxiliares (Função de acordo com o código de conduta interno. Garantir o permanente asseio e higienização das instalações escolares, incidindo a limpeza no material escolar, WC, maçanetas das portas, e outros locais de fácil toque) Cozinha e Refeitório (Assegurar o funcionamento da cozinha e refeitório no que concerne à produção de refeições e assegurar a devida higienização do espaço) Ana Cristina Bleguinhas Mafalda Azevedo Maria Piedade Monteiro Idalinda Ferreira Luísa Moura Margarida Tavares Maria dos Anjos Pesqueira Maria Celeste Azevedo Limpeza (Assegurar a higienização e desinfecção dos vários espaços escolares e de todo o material escolar. Ter especial enfoque a pontos de fácil toque como Sandra Ferreira Eugénia Diniz

6 maçanetas, torneiras, cacifos.) Autocarro (Assegurar o transporte colectivo de crianças e a higienização do transporte.) João Paulo Castelão Maria Celeste Azevedo António Lobato Áreas secundárias Porteira (assegurar as entradas e saídas em segurança. Garantir a desinfecção de todas as pessoas que entram no Ext.) Secretaria (Trabalho administrativo) Biblioteca Antónia Silva Ana Brás Teresa Spínola Auxiliar a definir Órgão de Gestão Funcionamento em função da utilização dos docentes 2. Manutenção das actividades escolares (lectivas e não lectivas) Em caso de ausência: 2.1 1º Ciclo Dos alunos Poucos alunos Muitos alunos - Envio de trabalhos via para garantir a aquisição de matérias. As fichas são reenviadas para a professora para a devida correcção. Caso o período de ausência colida com a exposição de novas matérias, serão ministradas aulas de recuperação no regresso do aluno. Durante o período que está em casa deve estudar as matérias anteriores de forma a garantir a consolidação das mesmas. Professora garante o envio de trabalhos via . Os trabalhos devem ser reenviados para a professora fazer a devida correcção. Assim que a maioria da turma regressar é dada continuidade ao currículo. Dos professores Professores Titulares Enviam os trabalhos via para secretaria e as auxiliares ou professores coadjuvantes garantem a sua

7 Professores coadjuvantes aplicação. As professoras titulares garantem a aplicação dos planos elaborados pelos professores coadvujantes para a respectiva área. 2.2 Pré escolar Alunos Poucos alunos Muitos alunos Não aplicável Não aplicável Educadoras de infância As auxiliares dão seguimento à planificação elaborada pela docente. 2.3 Cozinha e Refeitório Ausência de 1 cozinheira Ausência de 2 cozinheiras Ausência 1 empregada refeitório Assegurada pela cozinheira 2 + auxiliar destacada para o efeito Todos os alunos trazem cesto de casa em termo ( cozinha que não requeira aquecimento) Auxiliar destacada para o efeito 2.4 Limpeza A limpeza das instalações é da responsabilidade de todas as auxiliares de acção educativa e das empregadas de limpeza. É imperativo que todo o material escolar seja limpo e desinfectado várias vezes ao dia, incidindo com maior preocupação em pontos de fácil toque como maçanetas, cacifos, torneiras, etc. A limpeza das instalações sanitárias tem obrigatoriamente que ser efectuada de acordo com os seguintes horários: 1. Jardim de Infância - 9:30-10:50-14:00 - A partir das 16:00

8 Nota: Estes são os horários mínimos exigidos. O material escolar deve ser limpo e desinfectado várias vezes ao dia principalmente após espirros, tosses. Após a higienização das instalações sanitárias é obrigatório o preenchimento da ficha disponibilizada para o efeito. 2. 1º Ciclo - 9:30-10:45-12:30-14:45 Nota: Estes são os horários mínimos exigidos. O material escolar deve ser limpo e desinfectado várias vezes ao dia principalmente após espirros e tosses. Após a higienização das instalações sanitárias é obrigatório o preenchimento da ficha disponibilizada para o efeito. 2.5 Autocarro Na impossibilidade de garantir o devido transporte, os encarregados de educação são avisados o mais rapidamente. Nestas circunstâncias deixa também de haver natação. 3. Controlo da Gripe *A criança que apresente sintomas gripais não pode permanecerr na escola (regulamento interno (ponto 2, alínea c). * Somente somos alertados com a seguinte sintomatologia: - Febre (> 38º): Sintoma Major - Tosse - Dores de garganta - Dores de cabeça - Arrepios de frio - Dores musculares e/ou articulares - Cansaço - Vómitos e diarreia (mais frequente em crianças até aos 30 meses) Para ser diagnosticada gripe, na maioria das vezes considera-se o sintoma major mais 2 critérios.

9 *Após a triagem da febre, e caso a mesma se manifeste a criança deve ser levada para a sala de isolamento - Sala de professores, Onde permanecerá acompanhada por uma auxiliar. 1. À chegada, ambos passam pelo ponto de desinfecção, colocam máscara e a auxiliar veste uma bata e luvas descartáveis. A criança deve ser arrefecida (despida não ficando completamente desnudada) até à autorização dos pais para ser ministrado o paracetamol. É, no entanto, aconselhável e altamente recomendado a todos os pais que pré-autorizem a administração de paracetamol aos seus filhos quando se verifique que os mesmos apresentam os sintomas já referidos. A auxiliar coloca a manga de plástico nas estantes para proteger os livros, presos com as molas. 2. Em simultâneo, na secretaria inicia-se o processo de chamada para a linha saúde 24, que é transferida para a sala de isolamento aquando do questionário de triagem. 3. Paralelamente os pais são informados da situação e devem vir de imediato para a escola. 4. Durante a permanência na sala a criança só pode manipular o material disponibilizado para o efeito. 5. A criança e a auxiliar acompanhante devem ficar limitados à utilização de apenas uma cadeira de plástico (não utilizar as cadeiras com estofos azuis) 6. Aquando da chegada dos pais, a criança deve descer pela saída de emergência (porta 1º piso) directamente para a saída da escola evitando assim mais contactos. 7. A sala deve ser arejada (abrir janelas) e desinfectada. O material utilizado pelas crianças deve ser desinfectado e enxaguado. Caso a criança manipule algum livro, a utilização deste fica interdita durante 24 horas num local arejado (varanda da sala dos professores). A criança tem que ficar 7 dias em casa. Apenas pode regressar com a apresentação de atestado médico.

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância

Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância Plano de Contingência Gripe A Creche do Povo Jardim de Infância 1. Enquadramento 1.1 Nota Introdutória Através da Organização Mundial de Saúde e das respectivas autoridades nacionais de Saúde, Ministério

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Creche, Jardim-de-infância e ATL da ASSTAS Índice I INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVOS... 3 III PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE A GRIPE A... 4 A) Quais os sintomas?... 4 B)

Leia mais

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA Plano de Contingência para a Pandemia da Ano Lectivo 2009/2010 1. Coordenação do plano: A coordenação global do plano é da responsabilidade da Direcção

Leia mais

Vírus (H1N1)v. Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009

Vírus (H1N1)v. Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009 ESCOLA SECUNDÁRIA D. MARIA II PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA A PANDEMIA DA GRIPE A Vírus (H1N1)v Medidas de Prevenção e Controlo Informação para Assistentes Operacionais 14 de Setembro 2009 Formas de Transmissão

Leia mais

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA Índice 1. Introdução 2. Objectivo 3. Âmbito de aplicação 4. Activação do plano 4.1. Cadeia de Gestão 4.2. Cadeia de Comando e Controlo 4.3. Actividades Essenciais

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Ano Lectivo 2009/2010 PLANO DE CONTINGÊNCIA A principal finalidade do Nacional é a de minimizar o impacte de uma eventual pandemia em território nacional, sobretudo no que diz respeito à

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A (H1N1)

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Plano de Contingência Gripe A (H1N1) ESCOLA SECUNDÁRIA DE EÇA DE QUEIRÓS DA PÓVOA DE VARZIM ÍNDICE Introdução 3 A gripe como doença pandémica 4 O vírus da Gripe A (H1N1) Sintomas da doença pelo vírus da

Leia mais

Plano de contingência da gripe A (H1N1)

Plano de contingência da gripe A (H1N1) 0. Informação introdutória A. O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e todo o sistema respiratório, provocada por um novo vírus da Gripe: vírus

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DE ARRIAGA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A Horta, 24 de Agosto de 2009 Índice 1. Introdução 3 2. Objectivo e âmbito de aplicação 4 3. Coordenador e equipa operativa 4 4. Cadeia de

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino GRIPE A (H1N1) v Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino Orientações para a sua elaboração Este documento contém: Metodologia de elaboração

Leia mais

COLÉGIO DE S.GONÇALO. PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1)

COLÉGIO DE S.GONÇALO. PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) COLÉGIO DE S.GONÇALO PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe A (H1N1) Ano Lectivo 2009 / 2010 INDICE 1.Introdução 3 2. Coordenador e Equipa Operativa 4 3. Cadeia de Comando e Controlo 5 4. Actividades Essenciais e

Leia mais

Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA

Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA ANTERO DE QUENTAL Largo Mártires da Pátria 9504 520 Ponta Delgada Tel.: 296 20 55 40 Fax: 296 20 55 44 www.esaq.pt Gripe A (H1N1)_PLANO DE CONTINGÊNCIA Gripe H1N1_PLANO DE CONTIGÊNCIA

Leia mais

PLANO DE CONTIGÊNCIA

PLANO DE CONTIGÊNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO CENTRO DA ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I 7800-478 BEJA I PRÓLOGO PLANO DE

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MATOSINHOS PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1v) Pré-Escolar, 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e Cursos de Educação Formação Escolas do Agrupamento: Escola sede E.B 2,3 de

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1)

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1) Plano de Contingência Gripe A (H1N1) (H1N1) Índice I. Introdução... 2 II. Objectivos...... 2 III. A Gripe A (H1N1). 3 1. Definição e Prevalência. 3 2. Modos de Transmissão. 3 3. Sintomas.. 3 IV. Aplicação

Leia mais

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão

Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão Plano de Contingência Da Gripe A (H1N1) Do Jardim de Infância de Alcoitão 1. Introdução O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos

Leia mais

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1)

2009-2010. Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 2009-2010 Agrupamento Vertical de Escolas de Ferreira do Alentejo PLANO DE CONTINGÊNGIA GRIPE A (H1N1) 1. Introdução No sentido de colmatar a possibilidade de contágio e a rápida propagação da gripe A,

Leia mais

PlanodeContingênciaGripeA_Plano. decontingênciagripea_planodeco. ntingênciagripea_planodecontingê. nciagripea_planodecontingênciag

PlanodeContingênciaGripeA_Plano. decontingênciagripea_planodeco. ntingênciagripea_planodecontingê. nciagripea_planodecontingênciag PlanodeContingênciaGripeA_Plano decontingênciagripea_planodeco ntingênciagripea_planodecontingê nciagripea_planodecontingênciag ripea_planod ênciagripea _PlanodPlContingênciaGripeA_Plan de 2009-2009/2010

Leia mais

PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1)

PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1) PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE (H1N1) 1. INTRODUÇÃO Por indicações da Direcção Geral de Saúde, que identificou este, como sendo o momento em que a necessidade de criação de Planos de Contingência para a pandemia

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 No seguimento das recomendações efectuadas pelas autoridades de saúde nacionais, entendeu o Instituto Superior de

Leia mais

Gripe A Plano de contingência

Gripe A Plano de contingência Escola Secundária de Camões Praça José Fontana 1050 129 Lisboa Gripe A Plano de contingência O presente pretende identificar as medidas a concretizar pela escola de modo a minorar as consequências da pandemia

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS Nº2 DE ELVAS ANO LECTIVO 2009/2010 Introdução O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos de uma pandemia

Leia mais

Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) Imagem microscópica do vírus H1N1, responsável pela gripe A PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CASTELO DA MAIA 2009/2010 Índice Introdução... 3 Objectivos do Plano de Contingência...

Leia mais

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V Gripe A(H1N1)v Quais os sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: RECOMENDAÇÕES Qual o modo de contágio? Pessoa a pessoa através de gotículas quando tosse

Leia mais

Normas conjuntas da Comissão de Controlo da Infecção e do Serviço de Saúde Ocupacional

Normas conjuntas da Comissão de Controlo da Infecção e do Serviço de Saúde Ocupacional NORMA DE PROCEDIMENTO Nº3 COMISSÃO DE CONTROLO DA INFECÇÃO E SERVIÇO DE SAÚDE OCUPACIONAL Elaborado em Agosto de 2009 Revisão nº Próxima revisão Assunto: RECOMENDAÇÕES PARA A PREVENÇÃO E CONTROLO DA INFECÇÃO

Leia mais

Actualização ao plano de contingência

Actualização ao plano de contingência Actualização ao plano de contingência ALTERNATIVA ÀS REUNIÕES NO AUDITÓRIO DO IPB, DESTINADAS AOS ALUNOS, PREVISTAS NO PONTO 3.5.1. DO PLANO DE CONTINGÊNCIA Atendendo às recomendações da Direcção Geral

Leia mais

Plano de Contingência APPACDM de Elvas

Plano de Contingência APPACDM de Elvas Plano de Contingência APPACDM de, Setembro 2009 Índice: 1. Introdução 1 2. Objectivos e Âmbito de aplicação 2 3. Políticas e Princípios 3 4. Pressupostos 4 5. Activação do Plano 5 6. Plano de Contingência

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA DOS SASIPC GRIPE A (H1N1) ÍNDICE PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. DETERMINANTES DA GRIPE... 4 3. OBJECTIVOS ESPECIFICOS... 7 4. DEFINIÇÃO DA CADEIA DE COMANDO E CONTROLO...

Leia mais

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços.

dos alunos, trabalhadores e demais população utilizadora dos vossos serviços. PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE A (H1N1) A Direcção do Externato Frei Luís Sousa recebeu solicitação, do Centro Saú Almada/Autorida Saú, do envio confirmação da existência um Plano Contingência da Gripe

Leia mais

(H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A. Plano de Contingência - Gripe A 1. Escola Secundária de Manuel da Fonseca

(H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A. Plano de Contingência - Gripe A 1. Escola Secundária de Manuel da Fonseca PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v Plano de Contingência - Gripe A 1 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Plano de Contingência da Escola.... 3 3. Equipa operativa e respectivas competências...

Leia mais

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A

A E A B I B L I O T E C A GRIPE A A E A B I B L I O T E C A GRIPE A É fundamental que o Plano de Contingência da escola/agrupamento defina claramente o papel da biblioteca e as acções a realizar, quer em termos de informação e prevenção,

Leia mais

Medidas gerais de higiene pessoal:

Medidas gerais de higiene pessoal: Plano de Contingência Gripe A O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto contagiosa que afecta o nariz, a garganta e a árvore respiratória, provocada por um novo vírus da Gripe, o designado

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA Agrupamento de Escolas de Abrigada PLANO DE CONTINGÊNCIA - GRIPE A JULHO DE 2009 Plano de Contingência para a Gripe A Agrupamento de Escolas de Abrigada 1 ÍNDICE ÍNDICE... 2 NOTA INTRODUTÓRIA... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010. Gripe A (H1N1)v

PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010. Gripe A (H1N1)v PLANO DE CONTINGÊNCIA 2009-2010 Gripe A (H1N1)v Barroselas, 2009 INTRODUÇÃO As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de contágio e rápida propagação

Leia mais

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA -

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - Plano de Contingência Gripe A Ano lectivo 2009/2010 Acções a organizar na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe. Inquérito aos Estudantes

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL PANDEMIA H1N1 Agostode2009 ÍNDICE 1 OPlanodeContingência,suanaturezaeenquadramento...3 2 Anaturezadaameaça...3 3 ObjectivosdoPlanodeContingênciadaESHTE...5

Leia mais

Agir contra a Gripe A

Agir contra a Gripe A Agir contra a Gripe A O papel dos estabelecimentos de educação e ensino Maria Neto Responsável pela área funcional da Promoção e Protecção da Saúde Responsável pelo Programa Nacional de Saúde Escolar na

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura

PANDEMIA (H1N1) 2009. PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura PANDEMIA (H1N1) 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA do Município de Paredes de Coura Município de Paredes de Coura Aprovado por: Presidente da Câmara Municipal ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVO... 4 III ÂMBITO

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

INDICE. CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação.

INDICE. CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação. PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA PANDEMIA DE GRIPE A (H1 N1) Agosto/Setembro 2009 INDICE CAPITULO I Objectivos, Organização e Coordenação. CAPITULO II Plano de Comunicação. 1. Comunicação enquanto ameaça de

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE PANDÉMICA (GRIPE A / H1N1) 1/15 Índice 1. Introdução 2. Objectivos 3. Âmbito de aplicação 4. Planeamento e coordenação 5. Fases da gripe pandémica 6. Saúde e medidas de controlo

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES. PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)v INTRODUÇÃO No início de mais um ano lectivo, uma preocupação nova existe nas escolas: o vírus H1N1 que poderá marcar

Leia mais

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos.

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos. egurança Segurança Segurança A segurança deve ser uma preocupação comum a todos os membros da comunidade educativa pessoal docente e não docente, alunos, pais, encarregados de educação e representantes

Leia mais

TURMA DOM BOSCO EM AÇÃO PARA CONTROLE DA INFLUENZA A/H1N1 GRIPE SUÍNA

TURMA DOM BOSCO EM AÇÃO PARA CONTROLE DA INFLUENZA A/H1N1 GRIPE SUÍNA TURMA DOM BOSCO EM AÇÃO PARA CONTROLE DA INFLUENZA A/H1N1 GRIPE SUÍNA GUIA DE PREVENÇÃO A comunicação é fundamental no controle de qualquer doença. INFORME-SE E VIVA MELHOR! O Colégio Dom Bosco, fiel a

Leia mais

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1)

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Introdução: As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de

Leia mais

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA

PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA PANDEMIA GRIPE A/H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE FREIXO DE ESPADA À CINTA Setembro 2009 ÍNDICE 1. Introdução ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas

Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas GRIPE A (H1N1)v Plano de Contingência para os Jardins-de-infância e Escolas 1. Objectivo O objectivo do Plano de Contingência é manter a actividade da instituição escolar Agrupamento de Escolas de Pico

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA - INFANTIL ANO LECTIVO 2009/2010 Condições e Serviços do Externato João Alberto Faria Infantil I - NOÇÕES INTRODUTÓRIAS 1- O Externato João Alberto Faria - Infantil destina-se

Leia mais

Plano de Contingência UCP

Plano de Contingência UCP Universidade Católica Portuguesa Plano de Contingência UCP Lisboa Sede Campus de Sintra Residência Universitária Feminina Pandemia de Gripe A (H1N1) Lisboa-Versão02-28 Setembro 09 Índice 1. LISTA DE SIGLAS

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Plano de Contingência Gripe A (H1N1) SANTARÉM, JULHO, 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Gripe A (H1N1) Informações Gerais SANTARÉM, JULHO, 2009 Primeira pandemia

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução Verificada a incidência do vírus da Gripe A (H1N1), vários organismos nacionais e internacionais, nomeadamente a Organização Mundial de Saúde (OMS) e

Leia mais

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL

PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL COMUNICADO OFICIAL N.: 193 DATA: 2009.11.20 PROCEDIMENTOS RELATIVOS À GRIPE A (H1N1) PARA AS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, Sad s e demais

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

Introdução. O objectivo desta apresentação:

Introdução. O objectivo desta apresentação: Prevenção da Gripe A Introdução O objectivo desta apresentação: Consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente, de modo, articulado, em cada fase da evolução da pandemia.

Leia mais

Projecto de Avaliação do Desempenho Docente. Preâmbulo. Artigo 1.º. Objecto. Básico e Secundário, adiante abreviadamente designado por ECD. Artigo 2.

Projecto de Avaliação do Desempenho Docente. Preâmbulo. Artigo 1.º. Objecto. Básico e Secundário, adiante abreviadamente designado por ECD. Artigo 2. Projecto de Avaliação do Desempenho Docente Preâmbulo ( ) Artigo 1.º Objecto O presente diploma regulamenta o sistema de avaliação do desempenho do pessoal docente estabelecido no Estatuto da Carreira

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) ESCOLA PROFISSIONAL NOVOS HORIZONTES Setembro de 2009 ÍNDICE I - CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 II - PLANO DE CONTINGÊNCIA... 4 A. OBJECTIVOS... 4 B. IDENTIFICAÇÃO DA COORDENAÇÃO

Leia mais

Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados

Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados Gripe A (H1 N1) Orientações e cuidados O que é a gripe A (H1N1) ou gripe suína? É uma doença infecto-contagiosa aguda, causada pelo vírus influenza A (H1N1), que afeta o sistema respiratório e causa diversos

Leia mais

Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009

Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009 Aprovado pelo Conselho Directivo Data: 30 de Setembro de 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA ESEC - GRIPE A - (H1N1) O presente Plano foi apresentado por Ana Coelho (Vice-Presidente do CD) Data: 30/09/2009 Revisão:

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar

Actualizado em 21-09-2009* Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar Destaques A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de risco, pelo

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: Para: Recomendações para controlo da infecção pela nova estirpe de vírus da gripe A(H1N1)v na população de doentes Insuficientes Renais Crónicos (IRC) Profissionais de Saúde das Unidades de Diálise

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5 Recomendar procedimentos de segurança na rotina diária das instituições de educação infantil - públicas e privadas.. A Secretária Municipal da Educação do Município de Curitiba,

Leia mais

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência

CIRCULAR. ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência CIRCULAR N/ REFª: 68/2009 DATA: 27/07/09 ASSUNTO: Prevenção da Gripe A Orientações para a concepção de um plano de contingência Exmos. Senhores, Junto se remete documento sobre o assunto em epígrafe distribuído,

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

CAPÍTULO I. Objectivos e Definição. Artigo 1º. Objectivos

CAPÍTULO I. Objectivos e Definição. Artigo 1º. Objectivos REGULAMENTO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO INTEGRADO EM CONTABILIDADE LICENCIATURA EM GESTÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR CAPÍTULO I Objectivos e Definição Artigo 1º

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A

Plano de Contingência Gripe A Versão 2 Aprovado na generalidade em 27 de Julho de 2009, por deliberação da Comissão Executiva da AIP CE. Actualizado em 17 de Setembro de 2009, por deliberação do Grupo de Acompanhamento da Gripe A da

Leia mais

Regulamento de Transportes Escolares

Regulamento de Transportes Escolares Regulamento de Transportes Escolares PREÂMBULO Considerando que, A descentralização de competências da Administração Central do Estado, através da atribuição de mais competências às autarquias locais,

Leia mais

Ficha Técnica de Fiscalização

Ficha Técnica de Fiscalização FTF: 64//07 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome/Designação Social: Morada: IDENTIFICAÇÃO DA BRIGADA Brigada: Direcção Regional: Data de Controlo: / / Hora: h m LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Licenciamento: o

Leia mais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para alunos e Pais O que éo vírus da Gripe A(H1N1)v? O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos. Esta nova estirpe,

Leia mais

Regulamento de Educação Física

Regulamento de Educação Física Regulamento de Educação Física 1.Utilização das instalações As instalações desportivas (pavilhão, campo de Voleibol, polivalente exterior) são utilizadas prioritariamente, segundo a seguinte ordem: 1.

Leia mais

Colégio Luso-Suíço. Plano de Contingência da Gripe H1N1

Colégio Luso-Suíço. Plano de Contingência da Gripe H1N1 Colégio Luso-Suíço Plano de Contingência da Gripe H1N1 Introdução A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 25 de Abril 2009 que a epidemia de Gripe A é um caso de emergência na saúde pública internacional,

Leia mais

Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Albergaria-a-Velha

Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Albergaria-a-Velha Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Albergaria-a-Velha Preâmbulo Na perspectiva de garantir a todos os cidadãos a participação solidária em acções de voluntariado, a Lei n.º 71/98,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO BOSCH SUMMER CAMPUS VERÃO 2015

REGULAMENTO INTERNO BOSCH SUMMER CAMPUS VERÃO 2015 REGULAMENTO INTERNO BOSCH SUMMER CAMPUS VERÃO 2015 CAPITULO I NATUREZA, FINS E OBJETIVOS A empresa de consultoria e assessoria de eventos PORMENOR MÁGICO, com sede em Guimarães juntamente com a empresa

Leia mais

Prevenção da Gripe A(H1N1)v

Prevenção da Gripe A(H1N1)v Prevenção da Gripe A(H1N1)v Recomendações DSD Departamento da Qualidade na Saúde Quais os Sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: Febre de início súbito (superior a 38ºC) Tosse Dores

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009

PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 PLANO DE CONTINGÊNCIA DA GRIPE (H1N1 (v) ) DO A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E R I O T I N T O N º 2 VERSÃO 01 AGOSTO 2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. Coordenação e planeamento... 5 1.1. Identificação

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS PLANO PLANO DE CONTIGÊNCIA: GRIPE A Introdução O presente Plano de Contingência pretende manter a actividade da instituição escolar, em face dos possíveis efeitos da pandemia,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt REGULAMENTO INTERNO Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt OBJECTIVOS DA CHUPETA "Proporcionar o atendimento individualizado da criança num clima de segurança

Leia mais

Gripe A. Dr. Basil Ribeiro. Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo. Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva

Gripe A. Dr. Basil Ribeiro. Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo. Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva Gripe A Dr. Basil Ribeiro Medicina Desportiva Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva Vírus H1N1 - Introdução Gripe dos porcos altamente

Leia mais

Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12. 1. Objectivo. 2. Aplicação

Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12. 1. Objectivo. 2. Aplicação Código: CHCB.PI..EST.01 Edição: 1 Revisão: 0 Páginas:1 de 12 1. Objectivo o Estabelecer normas para o processamento dos dispositivos médicos, baseadas em padrões de qualidade. o Estabelecer condições de

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação

Regimento do Conselho Municipal de Educação Considerando que: 1- No Município do Seixal, a construção de um futuro melhor para os cidadãos tem passado pela promoção de um ensino público de qualidade, através da assunção de um importante conjunto

Leia mais

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação

PLANO DE TRABALHO. Do Serviço de Psicologia e Orientação ESCOLA SECUNDÁRIA DAS LARANJEIRAS Proposta de PLANO DE TRABALHO Do Serviço de Psicologia e Orientação A Psicóloga: Sara Quaresma ANO LECTIVO 2010/2011 PLANO DE TRABALHO Ao longo deste ano lectivo serão

Leia mais

Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro

Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro O Decreto nº 31/94, de 5 de Agosto, estabelece no ponto 2 do artigo 18º, a obrigatoriedade da criação e organização de Serviços de Segurança e Higiene no Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO K CRECHE K PRÉ-ESCOLAR K 1º CICLO DE ENSINO BÁSICO K ATL

REGULAMENTO INTERNO K CRECHE K PRÉ-ESCOLAR K 1º CICLO DE ENSINO BÁSICO K ATL REGULAMENTO INTERNO K CRECHE K PRÉ-ESCOLAR K 1º CICLO DE ENSINO BÁSICO K ATL O Centro Social Paroquial de São João das Lampas, adiante também designado por Centro Social ou simplesmente Centro, é uma Instituição

Leia mais

CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA A QUINTA DOS SONHOS PROJECTO EDUCATIVO

CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA A QUINTA DOS SONHOS PROJECTO EDUCATIVO CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA A QUINTA DOS SONHOS PROJECTO EDUCATIVO Ano lectivo 2009/2010 Índice 1. Projecto Educativo o que é? 2. Caracterização da Instituição 2.1 Sala de creche 2.2 Salas de Jardim de Infância

Leia mais

UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PLANO DE CONTINGÊNCIA LOCAL PARA AS INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS E GRIPE. Época 2015/2016 IRATÓRIAS

UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PLANO DE CONTINGÊNCIA LOCAL PARA AS INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS E GRIPE. Época 2015/2016 IRATÓRIAS UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PLANO DE CONTINGÊNCIA LOCAL PARA AS INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS E GRIPE Época 2015/2016 IRATÓRIAS Agosto 2015 1 Índice Introdução...3 Estratégias de Intervenção......4 1. Informação

Leia mais

Plano de Contingência para Serviços e Empresas

Plano de Contingência para Serviços e Empresas Plano de Contingência para Este documento contém: Lista de Verificação de Medidas e Procedimentos para O Plano de Contingência consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente,

Leia mais

Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro

Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro Decreto - executivo nº 6/96 de 2 de Fevereiro O Decreto nº 31/94, de 5 de Agosto, estabelece no ponto 2 do artigo 18º, a obrigatoriedade da criação e organização de Serviços de Segurança e Higiene no Trabalho

Leia mais

MUITO URGENTE 非 常 緊 急

MUITO URGENTE 非 常 緊 急 SAFP00481165 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 行 政 暨 公 職 局 Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública MUITO URGENTE 非 常 緊 急 致 : 各 公 共 部 門 / 機 構 Para: Os

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I Princípios Gerais. Artigo Primeiro Objecto

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I Princípios Gerais. Artigo Primeiro Objecto REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Princípios Gerais Artigo Primeiro Objecto O presente Regulamento define o regime de funcionamento interno do Centro de Formação Ciência Viva reconhecido pelo Ministério da

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA FOR.CET Centro de Formação para Cursos de Especialização Tecnológica Regulamento de Funcionamento dos CET Capítulo I Acesso e Frequência Artigo 1º (Acesso e Frequência)

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃO Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA Este folheto contém informação importante para o ajudar a si e à sua família Guarde-o Bem Contactos Úteis Para se manter informado acerca da gripe suína telefone

Leia mais

XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO 2015

XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO 2015 ARTIGO 1º (Objecto e Âmbito) XXIII TASQUINHAS PORTO DE MÓS FESTAS DE SÃO PEDRO REGULAMENTO O presente Regulamento tem por objectivo a definição das condições de realização da XXIII edição das Tasquinhas

Leia mais

Plano de Contingência Gripe A (H1N1)

Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Ano Lectivo 2009/2010 1 Introdução Não podemos ignorar a propósito de uma nova estirpe de vírus da gripe A (H1N1), a ameaça que constitui para a humanidade uma pandemia

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico Relatório 008-009 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGULAMENTO DO CENTRO DE RECOLHA ANIMAL DE CANTANHEDE. Preâmbulo

ALTERAÇÕES AO REGULAMENTO DO CENTRO DE RECOLHA ANIMAL DE CANTANHEDE. Preâmbulo ALTERAÇÕES AO REGULAMENTO DO CENTRO DE RECOLHA ANIMAL DE CANTANHEDE Preâmbulo O Centro de Recolha Animal de Cantanhede constitui a valência central no âmbito da recolha, captura e abate compulsivo de animais

Leia mais