Aula 05. CINEMA: profissões

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 05. CINEMA: profissões"

Transcrição

1 Aula 05 CINEMA: profissões

2 Profissões do Cinema O cinema pode ser dividido em diversos processos, onde se envolvem diferentes tipos de profissionais: Roteiro Produção Realização Decupagem Decupagem de fitas Sonorização Montagem Legendagem Dublagem/Dobragem Distribuição Exibição Na produção tradicional de um filme existem diversas pessoas onde cada uma, realiza diferentes tarefas, porém na produção audiovisual independente, as equipes são mais reduzidas, com a mesma pessoa realizando diferentes tarefas ou até uma pessoa só fazendo todas as funções, o caso mais habitual. Roteirista: Argumentista, guionista ou roteirista (português brasileiro) Referência Portal do Cinema: Profissionais Portal:Cinema/Profissionais é quem escreve o roteiro (guião ou argumento) de um filme, programa de televisão, história de quadrinhos, jogos, rádio ou outros formatos narrativos. O roteirista cria uma história original ou adapta uma já existente. O roteiro adaptado, em geral, consiste na transposição de obras literárias para uma linguagem audiovisual, realizando inclusive roteiros para documentários. Diretor: O diretor de cinema, realizador ou cineasta é considerado, em termos gerais, o criador da obra cinematográfica. O trabalho do diretor de cinema, ao supervisionar e dirigir a execução das filmagens, utilizando recursos humanos, técnicos, dramáticos e artísticos incluindo: Profissões - 01

3 - A definição da orientação artística geral que caracterizará o filme no seu todo; - A análise e interpretação do roteiro do filme, adequando-o à realização cinematográfica; - A direção das interpretações dos actores, tanto sob um ponto de vista técnico (colocando-os em determinado local e enquadramento) como de um ponto de vista dramático, solicitando o gênero de emoção pretendida para a personagem; - A organização e seleção dos cenários do filme; - A direção dos meios técnicos (sonoplastia, iluminação, enquadramento); - Escolha da equipe técnica e do elenco; - Supervisão dos preparativos da produção; - Escolha de locações, cenários, figurinos, cenografia e equipamentos; - Direção e supervisão da montagem, dublagem, confecção da trilha musical e sonora; - Processamento do filme até a cópia final; - Acompanha a confecção do trailer. Produtor: O produtor de cinema ou produtor cinematográfico é o responsável dos aspectos organizativos e técnicos da elaboração de um filme, complementando a atividade criativa do diretor. Está a cargo da contratação dos funcionários, da financiação dos trabalhos e do contato com os distribuidores para a difusão da obra. Em muitos aspectos, suas tarefas se superpõem estreitamente com as do diretor, em especial no controle do elenco ou na seleção da Profissões - 02

4 equipe técnica e artística (diretor de fotografia, montador, efeitos especiais, compositor, iluminação...) que colaborarão na produção, o que pode influenciar no roteiro do filme. A palavra produtor se utiliza indistintamente para designar tanto a figura do empresário cinematográfico (produtor executivo), como a do profissional encarregado de liderar a produção de um filme, às vezes sendo a mesma pessoa, e podendo ser divididas, dependendo do tamanho do filme, assim: - Produtor: o produtor propriamente dito é aquele com um maior envolvimento e controle entre os vários produtores do filme. Em companhias menores ou em projetos independentes é o equivalente ao produtor executivo. - Produtor executivo: normalmente representante, se não o presidente da companhia que está produzindo o filme, apesar de que o título pode ser dado honorariamente ao maior investidor. É, essencialmente, quem cuida da parte financeira do projeto. - Diretor de produção: dirige a produção e os demais produtores, com autoridade de agir em nome do time de produção. É ele quem gerencia as necessidades práticas e, juntamente com os outros diretores, que organiza um orçamento e o cronograma a ser aprovado pelo executivo. - Produtor de set: um representante da companhia designado a estar no set. - Produtor de locação: responsável pela locação assim como achála e autorizá-la. Profissões - 03

5 Diretor de Fotografia: O diretor de fotografia é o técnico de cinema responsável pela forma como o roteiro cinematográfico é transposto para a película ou vídeo, na forma de fotografia, segundo orientações técnicas, consoantes com o pretendido pelo realizador, mantendo um padrão técnico e artístico da imagem. Para isso, o seu trabalho inclui a seleção, aprovação, testes e direção de utilização do equipamento, como a câmara, o negativo (nos casos de um filme captado em película), a câmera de vídeo (nos casos de filmes digitais), as lentes e filtros a usar e o equipamento de iluminação. Em alguns casos, tem também a responsabilidade de examinar e aprovar os locais onde serão feitas as filmagens, trabalhando em conjunto com o diretor artístico (cenários, vestuário, adereços...), o continuísta e os técnicos de maquiagem, do ponto de vista da fotografia. Diretor de Arte: O diretor de arte ou editor de arte é o profissional que gerencia a atividade de design e concepção artística de um produto audiovisual, incorporando uma série de funções, em publicidade, design editorial, internet, videogames,cinema e propaganda. Com o surgimento das Novas mídias esse profissional deve estar sempre buscando novos conhecimentos, pois a cada dia a publicidade se reinventa para atingir o consumidor de uma maneira mais eficaz. Dentro da criação publicitária, o diretor de arte trabalha em conjunto com o redator, para a criação de peças publicitárias. Nesse sentido ele deve ter conhecimento em áreas como design gráfico, audiovisual, multimídia, design editorial, web, TV... Profissões - 04

6 Na web, a figura do diretor de arte é ligada à concepção e execução de elementos de design na internet, como por exemplo banners, hot sites, websites, etc. A principal atividade de um diretor de arte num projeto web é: - Criar o layout e validar com o departamento de desenvolvimento a viabilidade do projeto; - Sugerir animações, que são geralmente feitas por um motion designer (designer de imagens em movimento) ou um programador; - Cobrar dos desenvolvedores (equipe de programadores) a maior fidelidade possível com o layout inicial; - Acompanhar e orientar o trabalho de fotografia e ilustração. Equipe de Arte: Cenógrafo é o profissional que cria, conceitua, projeta e coordena a construção do cenário de teatro, cinema, eventos e entretenimento em geral. Ele supervisiona a realização e montagem de todos os espaços necessários à cena, incluindo a programação. Aquele que idealiza o espaço cênico. Cria, desenha, acompanha e orienta a montagem do projeto cenográfico. Resumindo, é quem prepara o cenário para um espetáculo. Figurinista é o profissional que idealiza ou cria o figurino, o traje usado por uma personagem de uma produção artística (cinema, teatro, TV...). É necessário que o figurinista conheça a fundo a história a ser tratada no trabalho, pois o figurino tem que revelar muito dos personagens. Para elaborá-lo, o figurinista deve levar em conta uma série de fatores como a época em que se passa a trama, o local onde são gravadas as Profissões - 05

7 cenas, o perfil psicológico dos personagens, o tipo físico dos atores e as orientações de luz e cor feitas pelo diretor de arte. Maquiador: No Teatro, desde as origens na Grécia Antiga, bem como nas demais manifestações culturais equivalentes no Oriente, a maquiagem é parte essencial na caracterização dos atores. O Maquiador é uma profissão que visa não apenas atender a funções estéticas, mas também um técnico especializado, com conhecimentos específicos sobre uma gama extensa de substâncias cujo uso transcende o embelezamento, passando mesmo na efetiva caracterização das personagens e ainda na percepção destes efeitos na fotografia (caso do cinema e televisão), ou no palco (no teatro). O operador de câmera ou camerógrafo é o encarregado de manipular a câmera e suas óticas durante as filmagens. Deve levar a imagens o roteiro técnico, no qual se especificam os planos, movimentos de câmera e duração dos mesmos dentro de uma determinada cena ou tomada, cuidando do foco, zoom e a quantidade de luz que entra. Costumam estar acompanhados de um operador de foco que se encarrega de fazer as correções de foco necessárias. Na televisão, o operador de câmera captura as imagens em comunicação com o diretor de câmeras, desde a sala de controle (switcher), que se encarrega da seleção das câmeras e indica que planos obter. A grande diferença entre o operador de cinema e televisão é que o de televisão precisa ter certa agilidade, versatilidade e dinâmica para trabalhar em todo tipo de circunstâncias normalmente com enlaces em vivo, o qual necessita de precisão, pois as tomadas não podem ser editadas nem repetidas. Profissões - 06

8 Som: O operador de som é um técnico que manipula equipamento de som seguindo as instruções do diretor de som ou diretor do filme. Normalmente, conta com o suporte de um assistente de som. Um termo mais amplo é o de técnico em mixagem de áudio, mixador ou técnico em mixagem é o profissional que configura, opera e monitora sistemas de sonorização e gravação; edita, mistura, pré-masteriza e restaura registros sonoros de discos, fitas, vídeo, filmes etc. Cria projetos de sistemas de sonorização e gravação. Prepara, instala e desinstala equipamentos de áudio e acessórios. Continuísta ou anotador é o profissional responsável por manter, durante as diversas cenas e montagens de produções televisivas e cinematográficas a harmonia do enredo, falas, sonoplastia e imagens. Ele é responsável pelo espaço e tempo contado no filme, tornando o enredo verossímil ao espectador, e fazendo com que ele acredite na história. Figurino, objetos de cena, ações, ritmo, tempo são coisas que o continuísta deve cuidar, para que não ocorram grandes falhas nos filmes. Ele é um assistente de direção, que ajuda a pensar nos enquadramentos, conhece o roteiro de cabo a rabo, participa dos ensaios, tem que conhecer bem os atores, dialoga com a equipe de arte, com a equipe de som, com a equipe de fotografia e, principalmente, com a de direção. O continuísta também deve estar atento ao tempo de cada take rodado, controlando e anotando a quantidade de rolo que já foi utilizada e a que ainda existe à disposição, avisando o diretor. É uma área importantíssima para uma telenovela ou um filme narrativo, mas há poucos especialistas na área. Profissões - 07

9 Ator: Um ator ou uma atriz é uma pessoa que interpreta a um personagem numa obra de cinema, televisão, teatro ou rádio. O primeiro ator da história chamava-se Tespis, que criou o monólogo ao apresentar-se em plena Dionisíaca, na Grécia Antiga, no século V a.c. em Atenas. Trazido de Icária pelo tirano Pisístrato, o pretenso ator (que na época chamava-se hipocritès, ou seja fingidor), munido de máscara e vestindo uma túnica, interpretou o deus Dionísio, destacando-se do coro, sobre a sua carroça que mais tarde ficaria conhecida como carro de Tespis, criando um argumento artístico dentro de uma apresentação litúrgica politeísta, criando o papel do protagonista, num movimento que futuramente ficaria conhecido como tragédia grega. Montador: O montador em vídeo, vulgarmente designado por editor, é o profissional responsável pela seleção da imagem da filmagem, registrada na película, em cartões de memória, disco rígido ou outro suporte digital. Através de sistemas de edição, lineares ou não-lineares, o editor de vídeo, pode ainda adicionar efeitos de transição 2D ou 3D, legendagem, através de inserção de caracteres, junção de imagens de síntese e efeitos sonoros, como ruídos e música. Em película, o filme depois de impressionado, durante a filmagem, é revelado e, já em positivo, faz-se a seleção dos fotogramas (24 imagens por segundo, em cinema), procede-se ao chamado, corte e cola, inicialmente de forma manual, depois através de máquinas e hoje em dia, através da digitalização, por edição não-linear. Profissões - 08

10 Crítico de Cinema faz o exame de um filme, feito de modo a estabelecer um valor comparado a um objetivo final, como a verdade, o belo, etc. É uma modalidade de análise da obra cinematográfica que possui características discursivas próprias, e que evoluiu de modo empírico, no sentido de uma busca de respostas aos questionamentos com base em evidências disponíveis fora dos limites da mente do observador e formulam suas interpretações a partir de evidência intersubjetivamente disponível no texto. Referência Michel Gondy: diretor, roteirista, produtor, ator, músico e taxista Taxi Driver Sweded by Michel Gondry [Official version] Videasta: Algumas pessoas consideram o trabalho do videasta equivalente ao do cineasta, porém realizando vídeos ao invés de filmes em película, mas esta consideração é equivocada. O trabalho do videasta é claramente diferente do cineasta, uma vez que cinema é essencialmente montagem e narrativa audiovisual enquanto vídeo engloba toda uma cadeia de mídia, cujos conceitos se subdividem tantas vezes quanto os veículos disponíveis atualmente: televisão, videocast (ou vodcast), videogame, videoarte, VJ ou vjing, mobile media, videolog (ou vlog), videoclip, webdocumentário, videotexto, webcam, etc. O videasta profissional é muitas vezes confundido com o do videomaker (do inglês, fazedor de vídeo ), mas na verdade, e em função do asta do próprio nome, seu trabalho está ligado mais ao aspecto artístico de se fazer vídeo do que puramente o técnico ou documental. Dessa forma, o videasta pode ser considerado um artista da videoarte ou um VJ (Visual Jockey). O videasta frequentemente é o único responsável por toda a cadeia produtiva de um vídeo, executando as funções de produtor, operador de câmera, fotógrafo, editor de vídeo, etc., sendo, então um dos tipos de artista mais completos atualmente, uma vez que seu trabalho é multidisciplinar. Profissões - 09

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani O presente teto faz parte do curso de Produção de Vídeo e é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição Não Comercial 3.0. Não Adaptada. Permissões além do escopo dessa licença podem estar disponíveis

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA

TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA TÍTULO / TÍTULO: A DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA AUDIOVISUAL ENTRE O TELEJORNALISMO E O CINEMA AUTOR / AUTOR: Iara Cardoso INSTITUIÇÃO / INSTITUCIÓN: Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) Unicamp,

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Profª Mariana Villaça SESC-SP, 23/5/2013 Elementos da linguagem cinematográfica: identificando o enredo

Leia mais

Apostila Artes Audiovisuais

Apostila Artes Audiovisuais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPUS SERTÃOZINHO Apostila Artes Audiovisuais ROTEIRO Cinema,Televisão e Vídeo 3a. Revisão 2010 Prof. MS. Ricardo Stefanelli 1 Projeto para Roteiro Audiovisual Vídeo Artes

Leia mais

Pós-Produção. Prof. Adriano Portela

Pós-Produção. Prof. Adriano Portela Pós-Produção Prof. Adriano Portela Pós-Produção A pós-produção pode ser o aspecto menos compreendido pelo produtor. É nessa fase que as cenas e o áudio são editados e mixados para criar uma obra coerente

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 75/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Cinema e Audiovisual, Bacharelado,

Leia mais

WORKSHOPS CINE DESIGN 2010. Workshop 1 FIGURINO Com Luciana Buarque (PE/RJ)

WORKSHOPS CINE DESIGN 2010. Workshop 1 FIGURINO Com Luciana Buarque (PE/RJ) WORKSHOPS CINE DESIGN 10 Workshop 1 FIGURINO Com Luciana Buarque (PE/RJ) A oficina tem como proposta mapear o processo de criação de um figurino, seja qual for a mídia ao qual se destine, desde a compreensão

Leia mais

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo?

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo? Pré-Vestibular Social Grupo SOA Suporte à Orientação Acadêmica Ela faz cinema Ela faz cinema Ela é demais (Chico Buarque) CINEMA Chegou o momento de escolher um curso. Diante de tantas carreiras e faculdades

Leia mais

PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE

PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE 2006. O Presidente, Substituto, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP, no uso de suas atribuições, tendo em vista a Lei nº 10.861,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE TEMA: CIRCO

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE TEMA: CIRCO TEMA: CIRCO 1. ano Reconhecimento e análise de formas visuais presentes na natureza e nas diversas culturas Utilização de elementos da linguagem visual: linha, cor, forma Representação por meio de colagem,

Leia mais

Escolha Certa! As profissões do século 21

Escolha Certa! As profissões do século 21 Produção Multimídia Esse profissional é responsável por garantir a qualidade de som e imagem das mídias eletrônica e digital; produzir material para rádio, cinema, TV e mídia digital; editar imagens e

Leia mais

Videoclipe: Só sei dançar com você 1

Videoclipe: Só sei dançar com você 1 Videoclipe: Só sei dançar com você 1 Bruno Olhero BOTAS 2 Gabriela dos Santos SILVA 3 Grazielli FERRACCIOLLI 4 Guilherme Henrique de SOUZA 5 Isa Dias Colombo SANTOS 6 Rahessa da Silva VITÓRIO 7 Yasmin

Leia mais

Guia PRONATEC de cursos FIC 3ª Edição Eixo Produção Cultural e Design

Guia PRONATEC de cursos FIC 3ª Edição Eixo Produção Cultural e Design Cultura Guia PRONATEC de cursos FIC 3ª Edição Eixo Produção Cultural e Design 1. Aderecista (200 horas) Cria, monta, transforma ou duplica objetos cenográficos ou de indumentária seguindo orientações de

Leia mais

O ciclo dos produtos de moda

O ciclo dos produtos de moda O ciclo dos produtos de moda Documentário Thaísa Fortuni Edição Brasileira 2016 1.Apresentação 2. Objetivo 3. Justificativa 4. Público-alvo 5. Metodologia 6. Panorama geral 7. Direção de projeto 8. Elenco

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação: 108-16

SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação: 108-16 SOLICITAÇÃO DE SERVIÇO Divulgação: 108-16 Em conformidade com o Regulamento de Compras e Contratações de Obras e Serviços da Organização Social de Cultura Associação Amigos do Projeto Guri, decreto nº.

Leia mais

Regulamento das oficinas

Regulamento das oficinas Regulamento das oficinas As oficinas oferecidas pelo Cine Festival Inconfidentes Festival Nacional de Cinema e Vídeo de Mariana são gratuitas e abertas à participação da comunidade; Cada pessoa poderá

Leia mais

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Anexo II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR I Orientações Gerais (Qualquer área) a) Projeto com duração superior a seis meses deverá apresentar, pelo menos, 25% (vinte e cinco

Leia mais

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012 FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012 ANEXO I: REGULAMENTO: PRODUÇÃO DE LONGAS-METRAGENS 1. DO OBJETO DO PATROCÍNIO 1.1 Serão aceitos projetos inéditos para a produção de

Leia mais

As diversas fases da produção publicitária e institucional

As diversas fases da produção publicitária e institucional As diversas fases da produção publicitária e institucional Roteiro Projeto Preparação Pré-produção Filmagem Desprodução Finalização Projeto Uma vez finalizado o roteiro pela agência, o produtor (da produtora)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CAMETÁ. Anexo II do Edital nº 187, de 02.12.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CAMETÁ. Anexo II do Edital nº 187, de 02.12. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CAMETÁ Anexo II do Edital nº 187, de 02.12.2013- UFPA Endereço de entrega da documentação (curriculum da Plataforma Lattes):

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANAGUA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE PARANAGUÁ "NELSON DE FREITAS BARBOSA"

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANAGUA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE PARANAGUÁ NELSON DE FREITAS BARBOSA "" APÊNDICE 1 Requisitos e demandas dos segmentos culturais para a proposição de projetos. Os projetos culturais propostos deverão respeitar e se enquadrar nas seguintes determinações dos seus respectivos

Leia mais

As incompletudes da televisão abrem espaço para a imaginação do telespectador

As incompletudes da televisão abrem espaço para a imaginação do telespectador Ilustração Alessandro Lima As incompletudes da televisão abrem espaço para a imaginação do telespectador Arlindo Machado por Mônica Ramos Arlindo Machado é professor de Comunicação e Semiótica da PUC-SP

Leia mais

AULA I: O processo de produção audiovisual. Visão geral

AULA I: O processo de produção audiovisual. Visão geral AULA I: O processo de produção audiovisual Visão geral Etapas da criação audiovisual IDEIA Roteiro Projeto Captação Preparação Pré-Produção Filmagem Desprodução Finalização A PRODUÇÃO Fases: PRÉ-PRODUÇÃO

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO Nº 01/2016 SEDF

EDITAL DO CONCURSO Nº 01/2016 SEDF MODALIDADE: CONCURSO 2º FESTIVAL DE FILMES DE CURTA-METRAGEM DAS ES COLAS PÚBLICAS DE BRASÍLIA Homenageado Cineasta Sérgio Moriconi REGIME DE EXECUÇÃO: PREMIAÇÃO PROCESSO N O : 460.000.076/2016. INTERESSADO:

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013 CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013 PROJETO ADEMAR GUERRA Conceito e Eixo Curatorial I-Apresentação O Governo do Estado de São

Leia mais

DIA DA SEMANA EVENTO NOME DO EVENTO TURNO HORÁRIO DATAS 20/05, 27/05, 03/06, 10/06 E 17/06/2013. MANHÃ 08:00 às 12:00 2ª FEIRA

DIA DA SEMANA EVENTO NOME DO EVENTO TURNO HORÁRIO DATAS 20/05, 27/05, 03/06, 10/06 E 17/06/2013. MANHÃ 08:00 às 12:00 2ª FEIRA 1 A.M. 69062 LENDO IMAGENS ATRAVÉS DE ALBERTO MANGUEL * Ementa: Leitura de imagens a partir da teoria de Alberto Manguel e por meio de diálogo entre as obras de arte selecionadas, autor e apreciadores.

Leia mais

Conhecendo uma Agência de Publicidade¹

Conhecendo uma Agência de Publicidade¹ Conhecendo uma Agência de Publicidade¹ Anthony Andrade NOBRE² Edmilson da Silva GUSMÃO³ Marla Eglaea da Silva FREIRE 4 Rakel de Araripe Bastos CAMINHA 5 Rodolfo Carlos MARQUES 6 Claúdia Adriane SOUZA 7

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº. 67/2010 Altera a Resolução nº. 39/09 do CONSEPE, que aprova o Projeto Pedagógico do

Leia mais

CATÁLOGO DE CURSOS. www.nacife.com. Adm. Jean Marc Nacife CONTATO: nacife@gmail.com (64) 9963-4589

CATÁLOGO DE CURSOS. www.nacife.com. Adm. Jean Marc Nacife CONTATO: nacife@gmail.com (64) 9963-4589 CATÁLOGO DE CURSOS www.nacife.com 2015 CAPACITAÇÃO DIGITAL Curso Interativo Basic: Informática Curso Interativo Operador: Informática INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA Número de Aulas: 07 Apostila: Não Possui Simulador

Leia mais

O Audiovisual como Propulsor da Produção do Conhecimento na Disciplina Teoria da Comunicação 1

O Audiovisual como Propulsor da Produção do Conhecimento na Disciplina Teoria da Comunicação 1 O Audiovisual como Propulsor da Produção do Conhecimento na Disciplina Teoria da Comunicação 1 RESUMO Kalianny Bezerra de MEDEIROS 2 Victor Manoel Fernandes FONSECA 3 Suelayne Cris Medeiros de SOUSA 4

Leia mais

PRÊMIOS PROMAXBDA AMÉRICA LATINA 2015

PRÊMIOS PROMAXBDA AMÉRICA LATINA 2015 PRÊMIOS PROMAXBDA AMÉRICA LATINA 2015 As diretrizes seguintes foram elaboradas para explicar o CONTEÚDO E MATERIAIS que podem ser entrados em cada categoria. O Prêmio PromaxBDA da América Latina celebra

Leia mais

O aluno que estiver com disciplina pendente no currículo antigo, poderá cursar a sua equivalente, que for oferecida no período, do currículo novo.

O aluno que estiver com disciplina pendente no currículo antigo, poderá cursar a sua equivalente, que for oferecida no período, do currículo novo. Equivalências das disciplinas obrigatórias do currículo antigo do curso de Social (cinema, jornalismo e publicidade) vinculadas ao Departamento de Estudos Culturais e Mídia. O aluno que estiver com disciplina

Leia mais

PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Coordenadora: Sílvia Dotta

PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Coordenadora: Sílvia Dotta PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Coordenadora: Sílvia Dotta Curso: Produção de Vídeo Coordenador: Fernando Teubl (fernando.teubl@ufabc.edu.br) Tutor: Thiago Traue (t.traue@gmail.com) Tutor:

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2007/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2007/1 1 1 ACESSÓRIOS Fase: 5ª Carga Horária: 30h/a Créditos: 02 Pesquisa e planejamento. Conceituação. Concepção de produtos de moda voltada para o mercado de acessórios. 2 ATIVIDADES COMPLRES Fase: -x- Carga

Leia mais

PRODUÇÃO DE CINEMA E VÍDEO

PRODUÇÃO DE CINEMA E VÍDEO Livro Fábio Campos final:produção de Cinema e Vídeo 16/07/2008 13:51 Página 1 PRODUÇÃO DE CINEMA E VÍDEO Produção de Cinema e Vídeo Livro Fábio Campos final:produção de Cinema e Vídeo 16/07/2008 13:51

Leia mais

As esferas acústicas da cena e o cinema

As esferas acústicas da cena e o cinema As esferas acústicas da cena e o cinema César Lignelli Programa de Pós-Graduação em Educação UnB Doutorando Educação e Comunicação Or. Profa. Dra. Laura Coutinho Professor Assistente do Departamento de

Leia mais

Aula 01. Vídeo de bolso: captação

Aula 01. Vídeo de bolso: captação Aula 01 Vídeo de bolso: captação Captação Dispositivos de Captação de Vídeo Atualmente existem muitos dispositivos que tem a capacidade de capturar imagens em movimento, como câmeras digitais de vários

Leia mais

DISCIPLINA DE ARTE CONTEÚDOS:

DISCIPLINA DE ARTE CONTEÚDOS: DISCIPLINA DE ARTE OBJETIVOS: 6 ano Construir, expressar-se e comunicar-se em artes plásticas e visuais, articulando percepção, memória, imaginação, sensibilidade e reflexão. Desenvolver relação de autoconfiança

Leia mais

NÚCLEO EXPERIMENTAL DE CINEMA DO MIS CONVOCATÓRIA PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM 2016 PRIMEIRA EDIÇÃO: GÊNERO TERROR

NÚCLEO EXPERIMENTAL DE CINEMA DO MIS CONVOCATÓRIA PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM 2016 PRIMEIRA EDIÇÃO: GÊNERO TERROR NÚCLEO EXPERIMENTAL DE CINEMA DO MIS CONVOCATÓRIA PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM 2016 PRIMEIRA EDIÇÃO: GÊNERO TERROR Esta convocatória, iniciativa do Museu da Imagem e do Som (MIS), instituição da Secretaria

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ1134 EDITAL Nº 001/2014 1. Perfil: I - Consultoria para monitoramento e avaliação acerca de como se dá a apropriação de conteúdos, conceitos e novas

Leia mais

Guia Básico para Produção Audiovisual

Guia Básico para Produção Audiovisual Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/b/98/ca/mnemocine/public_html/libraries/gantry/core/gantrytemplate.class.php on line 645 Warning: array_key_exists() [function.array-key-exists]:

Leia mais

Guerra dos Mundos em São Luís 1

Guerra dos Mundos em São Luís 1 Guerra dos Mundos em São Luís 1 Ana Paula Silva de SOUSA 2 Dara de Sousa SANTOS 3 Silvanir Fernandes da SIVA 4 Polyana AMORIM 5 Universidade Federal do Maranhão, MA RESUMO O documentário Guerra dos Mundos

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE 1 PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE PROFESSOR: DAVI DOS SANTOS FERREIRA COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO. SÉRIE(S): 8ºANO C/D, 9º ANO A/C, 1º ANO A/B/C/D e Contraturno em Música AVALIAÇÃO: Instrumentos de

Leia mais

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA

EDIFICAÇÕES ELETROMECÂNICA É importante que todo aluno tenha acesso às informações sobre os cursos e faça sua escolha para não haver dúvida no ato da inscrição para o concurso de 2012/2013: EDIFICAÇÕES O Técnico em Edificações é

Leia mais

EMENTÁRIO Entrada: até 2009 1º ANO

EMENTÁRIO Entrada: até 2009 1º ANO EMENTÁRIO Entrada: até 2009 1º ANO TEORIA E TÉCNICAS DAS RELAÇÕES PÚBLICAS EMENTA: Origem das Relações Públicas e sua evolução histórica e conceitual. O mercado de trabalho. Abordagens técnicas do profissional

Leia mais

Produção Cultural e Design Modela, corta, monta e costura peças do vestuário. Aplica as técnicas diferenciadas de costuras em tecidos planos.

Produção Cultural e Design Modela, corta, monta e costura peças do vestuário. Aplica as técnicas diferenciadas de costuras em tecidos planos. co_curso Denominação código eixo tecnologico Eixo Descrição CH Escolaridade Idade 221194 Aderecista 25 Executa e transforma objetos cênicos utilizando diferentes técnicas artesanais, materiais e acabamentos

Leia mais

Programa Sonora Eletrônica 1. Márcio Farias de MELLO 2 Raquel RECUERO 3 Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, RS

Programa Sonora Eletrônica 1. Márcio Farias de MELLO 2 Raquel RECUERO 3 Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, RS Programa Sonora Eletrônica 1 Márcio Farias de MELLO 2 Raquel RECUERO 3 Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, RS RESUMO O uso e a produção áudio-visual no jornalismo hoje, não depende mais exclusivamente

Leia mais

Produção Eletrônica em Rádio e TV

Produção Eletrônica em Rádio e TV Produção Eletrônica em Rádio e TV Conceitos de Produção Audiovisual Etapas de Produção Sinopse, Roteiro, Análise Técnica Equipe Técnica / Produção Planos e Movimentos de Câmera Prof. Dirceu Lemos dirceulemos@yahoo.com.br

Leia mais

FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE CRIAÇÃO AUDIOVISUAL

FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE CRIAÇÃO AUDIOVISUAL FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE CRIAÇÃO AUDIOVISUAL I DO FESTIVAL: EDITAL 2014 1.1. O FUSCA (FESTIVAL UNIVERSITÁRIO DE CRIAÇÃO AUDIOVISUAL) é uma atividade de promoção acadêmica e cultural realizada pela Faculdade

Leia mais

ACORDO DE CO-PRODUÇÃO AUDIOVISUAL ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DO CANADÁ

ACORDO DE CO-PRODUÇÃO AUDIOVISUAL ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DO CANADÁ CANADÁ / CANADA Acordo de Co-Produção Brasil - Canadá - 27/01/1995 Decreto Nº 2.976 de 01/03/1999 Audiovisual Co-Production Agreement (English) Accord de Coproduction Audiovisuelle (Français) Arquivos

Leia mais

ANEXO III FASES DE EXECUÇÃO

ANEXO III FASES DE EXECUÇÃO 1ª FASE MAPEAMENTO E ESTUDOS Na primeira fase do projeto deverão ser mapeadas demandas dos segmentos contemplados pelo projeto a fim de identificar as necessidades desses setores, visando o crescimento

Leia mais

Filme publicitário Agência Germano s Turismo Rotina Improvável 1

Filme publicitário Agência Germano s Turismo Rotina Improvável 1 RESUMO Filme publicitário Agência Germano s Turismo Rotina Improvável 1 Thalita SALVIATTI 2 Jaqueline MASSUCATO 3 Michelly BONIFÁCIO 4 Rafaela ALVES 5 Renata PARDIAL 6 Grécia MARTINS 7 Tiago PATRICIO 8

Leia mais

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som Imagens Sonoras por Caio Amon A Expansão da Imagem pelo Som Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida Aprenda a produzir som e trilha para seus projetos. Imagens Sonoras A Expansão

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté

Guia Curta Fácil 1 Festival Nacional Curta no Celular de Taubaté 1 Conteúdo TIPOS DE PLANOS... 3 PLANO GERAL... 3 PLANO MÉDIO... 3 PLANO AMERICANO... 4 PRIMEIRO PLANO OU CLOSE-UP... 4 PRIMEIRÍSSIMO PLANO... 4 MOVIMENTOS DE CÂMERA... 5 PANORÂMICAS - PANS... 5 PANORÂMICA

Leia mais

Entrevistas cedidas à Marcus Bastos

Entrevistas cedidas à Marcus Bastos entrevistas Entrevistas cedidas à Marcus Bastos luiz duva fernão da costa ciampa 302 304 rodrigo minelli 306 duva luiz duva é um artísta experimental no campo da videoarte que desenvolve desde o início

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA BACHARELADO PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO

Leia mais

Nome do grupo ou Companhia: E-mail: Telefones para contato: Endereço completo atualizado: Bairro: Cidade: Cep: Responsável pelo grupo: Nome da Peça:

Nome do grupo ou Companhia: E-mail: Telefones para contato: Endereço completo atualizado: Bairro: Cidade: Cep: Responsável pelo grupo: Nome da Peça: Anexo 1: FICHA DE INSCRIÇÃO Nome do grupo ou Companhia: E-mail: Telefones para contato: Endereço completo atualizado: Bairro: Cidade: Cep: Responsável pelo grupo: Nome da Peça: Duração: Autor: Contra-regra:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Cine Dom E.E. Ryoiti Yassuda sala 1 - sessão 2

Cine Dom E.E. Ryoiti Yassuda sala 1 - sessão 2 Cine Dom E.E. Ryoiti Yassuda sala 1 - sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Daniela Saar e Saar José Augusto Ribeiro Realização: Foco Levando-se em consideração a dificuldade apresentada pelos alunos

Leia mais

RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1

RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1 RESUMO RÁDIONOVELA ALÉM DA PRODUTORA 1 Felipe Montejano da SILVA 2 Juliana de Carvalho CRAVO 3 Melina Sampaio MANFRINATTI 4 Roberta POMPERMAYER 5 Stéfani Bilibio PARNO 6 Luiz VELOSO 7 Universidade Metodista

Leia mais

II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL

II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL II FESTIVAL NACIONAL CURTA NO CELULAR GUIA CURTA FÁCIL O FEST CURT CELU Guia Curta Fácil 2 A câmera de cinema funciona como se fosse uma máquina fotográfica que dispara milhares de foto em um espaço muito

Leia mais

Arte Ensino Fundamental. Fase Final (6º a 9º ano)

Arte Ensino Fundamental. Fase Final (6º a 9º ano) Arte Ensino Fundamental Fase Final (6º a 9º ano) 2012 APRESENTAÇÃO Caro(a) professor(a), (...) Protege-me das incursões obrigatórias que sufocam o prazer da descoberta e com o silêncio ( intimamente sábio

Leia mais

FESTIVAL AUDIOVISUAL DE CAMPINA GRANDE COMUNICURTAS UEPB X EDIÇÃO REGULAMENTO 1.Organização e Realização: A décima edição do Festival Audiovisual de Campina Grande Comunicurtas UEPB, será realizado entre

Leia mais

Coordenação de (CAC) SUPERINTENDÊNCIA DE FOMENTO SFO

Coordenação de (CAC) SUPERINTENDÊNCIA DE FOMENTO SFO Coordenação de Acompanhamento de Projetos (CAC) SUPERINTENDÊNCIA DE FOMENTO SFO Coordenação de Acompanhamento de Projetos - CAC Prorrogação do Prazo de Captação Controle do Prazo de conclusão/execução

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS Turno: VESPERTINO Autorizado pela Resolução UNIV. nº 25, de16 de setembro de 2002. Para completar o currículo pleno do curso superior de graduação em Licenciatura

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL 1. OFICINAS E CURSOS OPTATIVOS 2 o SEMESTRE 2014

ENSINO FUNDAMENTAL 1. OFICINAS E CURSOS OPTATIVOS 2 o SEMESTRE 2014 1 ENSINO FUNDAMENTAL 1 OFICINAS E CURSOS OPTATIVOS 2 o SEMESTRE 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...5 ARTE E CIÊNCIA...7 CINEMA: ARTE E LINGUAGEM... 8 COMPUTAÇÃO CRIATIVA...9 DESENHO...10 DESENHO ANIMADO...11

Leia mais

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Prof. Dr. Cássio Tomaim Departamento de Ciências da Comunicação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/Cesnors Adaptação: Prof. Claudio Luiz Fernandes

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez Roteiro 1 Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto Autor Professor Conteudista Rafael Moralez PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Curso: Produção de Vídeo. de Massetto, F. I.,

Leia mais

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Disciplinas/Áreas do Conhecimento: Língua Portuguesa; Arte; Inglês; Projeto Interdisciplinar;

Leia mais

XIII Simpósio Brasileiro de Desenvolvimento de Jogos e Entretenimento Digital. Cerimônia de Premiação do Concurso INOVApps

XIII Simpósio Brasileiro de Desenvolvimento de Jogos e Entretenimento Digital. Cerimônia de Premiação do Concurso INOVApps XIII Simpósio Brasileiro de Desenvolvimento de Jogos e Entretenimento Digital Cerimônia de Premiação do Concurso INOVApps Política Nacional de Conteúdos Digitais Criativos Objetivo Integrar e estimular

Leia mais

3ª EXPOQUINHA ETAPA LOCAL DA EXPOCOM/INTERCOM SUDESTE

3ª EXPOQUINHA ETAPA LOCAL DA EXPOCOM/INTERCOM SUDESTE 3ª EXPOQUINHA ETAPA LOCAL DA EXPOCOM/INTERCOM SUDESTE O presente projeto, elaborado pela Plugue Agência de Comunicação Integrada (projeto experimental do curso de Comunicação Social da Uniube), consiste

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1. AUDIOVISUAL NO ENSINO MÉDIO O audiovisual tem como finalidade realizar-se como crítica da cultura,

Leia mais

Produção musical para jogos eletrônicos

Produção musical para jogos eletrônicos Produção musical para jogos eletrônicos 1 1. Descrição do curso! 3 2. Objetivos de aprendizado! 4 3. Duração e metodologia! 5 4. Conteúdo! 6 5. Avaliação! 9 6. Investimento! 10 2 1. Descrição do curso

Leia mais

Projeto itinerante com foco no meio ambiente e sustentabilidade Entretenimento com tema sociocultural

Projeto itinerante com foco no meio ambiente e sustentabilidade Entretenimento com tema sociocultural Projeto itinerante com foco no meio ambiente e sustentabilidade Entretenimento com tema sociocultural A magia do circo nos impele sensações incríveis, fazendo-nos viajar na alegria dos palhaços, nas acrobacias

Leia mais

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Jamer Guterres de Mello 1 Resumo Este trabalho pretende demonstrar de que forma as imagens digitais produzem

Leia mais

Colégio Estadual Pedro Araujo Neto Ensino Fundamental e Médio PROPOSTA CURRICULAR DE ARTE DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

Colégio Estadual Pedro Araujo Neto Ensino Fundamental e Médio PROPOSTA CURRICULAR DE ARTE DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Colégio Estadual Pedro Araujo Neto Ensino Fundamental e Médio PROPOSTA CURRICULAR DE ARTE DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO General Carneiro 2010 APRESENTAÇÃO GERAL DA DISCIPLINA A primeira forma de manifestação

Leia mais

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais

CRÍTICA GENÉTICA E ROTEIROS DE CINEMA

CRÍTICA GENÉTICA E ROTEIROS DE CINEMA CRÍTICA GENÉTICA E ROTEIROS DE CINEMA Carlos Gerbase 1 Resumo Este ensaio mostra as diversas fontes que podem ser utilizadas na crítica genética de roteiros de cinema (incluindo não só textos, mas também

Leia mais

APÊNDICE Como se faz Cinema PARTE 2 Etapas da Produção

APÊNDICE Como se faz Cinema PARTE 2 Etapas da Produção Apostila de Cinematografia Prof. Filipe Salles 103 APÊNDICE Como se faz Cinema PARTE 2 Etapas da Produção 1.Pré-Produção A etapa de pré-produção de um filme começa quando há verba disponível; e portanto,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: COMUNICAÇÃO PUBLICIDADE E PROPOAGANDA 2. Código:HE580 3.Modalidade(s): x Licenciatura Bacharelado

Leia mais

AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL

AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL Sobre a AIC A Academia Internacional de Cinema (AIC) abriu suas portas no dia 5 de agosto de 2004 em Curitiba, PR, oferecendo cursos livres na área de audiovisual além de curso

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE DESIGN CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56 de 16 de JUNHO de 2016, publicado

Leia mais

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO Constelação 1 Bruno Henrique de S. EVANGELISTA 2 Daniel HERRERA 3 Rafaela BERNARDAZZI 4 Williane Patrícia GOMES 5 Ubiratan NASCIMENTO 6 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO Este

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular/Ciclo: 1º Ciclo Disciplina: Expressões Artísticas e Físico-Motora Ano de escolaridade: 4º ano Ano letivo: 2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala

Leia mais

Lei de incentivo do Paraná Decreto 5.570 de 2002

Lei de incentivo do Paraná Decreto 5.570 de 2002 DECRETO 5.570, DE 15 DE ABRIL DE 2002. Regulamenta a Lei nº. 13.133, de 2001, que cria o Programa Estadual de Incentivo à Cultura, institui a Comissão Estadual de Desenvolvimento Cultural e adota outras

Leia mais

FAZENDO TEATRO NA ESCOLA

FAZENDO TEATRO NA ESCOLA Ministério da Cultura e Grupo EcoRodovias apresentam: FAZENDO TEATRO NA ESCOLA Índice Jogos teatrais, criação e dramaturgia...4 Jogos teatrais como ferramenta lúdica e pedagógica...6 Direção de elenco...7

Leia mais

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 Francisco José da Silva ROCHA Filho 2 Nathalia Aparecida Aires da SILVA 3 Sebastião Faustino PEREIRA Filho 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal,

Leia mais

Raízes Manauaras 1. Nicolas Tien-Yun da Silva THAINER 2 Synde Libório dos SANTOS 3 Andriella Paluzza Evelyn dos SANTOS 4 Joana Frota REBOUÇAS 5

Raízes Manauaras 1. Nicolas Tien-Yun da Silva THAINER 2 Synde Libório dos SANTOS 3 Andriella Paluzza Evelyn dos SANTOS 4 Joana Frota REBOUÇAS 5 Raízes Manauaras 1 Nicolas Tien-Yun da Silva THAINER 2 Synde Libório dos SANTOS 3 Andriella Paluzza Evelyn dos SANTOS 4 Joana Frota REBOUÇAS 5 Marcela Medeiros de LEIROS 6 Allan Soljenítisin Barreto RODRIGUES

Leia mais

ESTRUTURAS / BOXTRUSS TRABALHOS EM ALTURA COMERCIAIS / SHOWS / CINEMA ENTRETENIMENTO LOCAÇÕES

ESTRUTURAS / BOXTRUSS TRABALHOS EM ALTURA COMERCIAIS / SHOWS / CINEMA ENTRETENIMENTO LOCAÇÕES ESTRUTURAS / BOXTRUSS TRABALHOS EM ALTURA COMERCIAIS / SHOWS / CINEMA ENTRETENIMENTO LOCAÇÕES 1 ACROBÁTICO FRATELLI QUEM SOMOS ///// Acrobático Fratelli foi fundado em 1990, começamos com o trabalho do

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Campus Nilópolis Ana Paula Inacio Diório AS MÍDIAS

Leia mais

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL PROGRAMA Tronco Comum SESSÃO 1 Apresentação do Workshop e Introdução à Linguagem Audiovisual 3 horas Apresentação dos intervenientes (formador e formandos). Apresentação

Leia mais

FESTIVAL FUNDAÇÃO DAS ARTES DE TEATRO ESTUDANTIL 2016

FESTIVAL FUNDAÇÃO DAS ARTES DE TEATRO ESTUDANTIL 2016 FESTIVAL FUNDAÇÃO DAS ARTES DE TEATRO ESTUDANTIL 2016 REGULAMENTO 1. INSTITUIÇÃO E OBJETO 1.1. A Fundação das Artes de São Caetano do Sul é uma instituição pública da Administração Indireta da Prefeitura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.293, DE 13 DE JUNHO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.293, DE 13 DE JUNHO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.293, DE 13 DE JUNHO DE 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso Técnico de Nível Médio

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 6. CEP: 70.040-020 Brasília/DF Brasil RELATÓRIO DE ATIVIDADES ANO BASE IES

Leia mais

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES AULA 2 Luciano Roberto Rocha Aspectos Técnicos Ponta Grossa, 31 de agosto de 2013 ROTEIRO Papéis Processos Plataformas Ferramentas 2 PAPÉIS O desenvolvimento de um

Leia mais