MANUAL DO EMPRESÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO EMPRESÁRIO"

Transcrição

1 MANUAL DO EMPRESÁRIO ÍNDICE GERAL Pagina CAPITULO I VOCÊ, COMO EMPRESÁRIO E SUA EMPRESA 012 PARTE I TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER 012 ITEM I O QUE VOCÊ DEVE SER E TER 012 PARTE II O PLANEJAMENTO DA SUA EMPRESA 014 ITEM I PESQUISA DE MERCADO 015 ITEM II MERCADO CONSUMIDOR 015 ITEM III SEUS CONCORRENTES 015 ITEM IV FORNECEDORES 016 ITEM V ROTINA DE NEGÓCIOS 016 ITEM VI ASPECTOS FINANCEIROS 016 PARTE III ASPECTOS TRIBUTÁRIOS (IMPOSTOS) 017 PARTE IV O QUE É MICRO EMPRESA E EMP PEQ PORTE? 018 ITEM I MICRO EMPRESA 019 ITEM II EMPRESA DE PEQUENO PORTE 019 PARTE V DETALHES DE REGISTRO DA SUA EMPRESA 020 ITEM I FORMA JURÍDICA DA EMPRESA 020 ITEM II PESQUISAS INICIAIS 022 ITEM III CONTRATO SOCIAL (LTDA) 023 ITEM IV REGISTRO DA EMPRESA (PASSO A PASSO) 024 ITEM V MARCAS E PATENTES 025 CAPITULO II CONTROLES E ORGANIZAÇÃO 027 PARTE I ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 027 ITEM I INVESTIMENTO INICIAL 028 ITEM II CAPITAL DE GIRO 029 PARTE II COLABORADORES (FUNCIONÁRIOS) 030 PARTE III OUTROS ITENS A AGREGAR 030 ITEM I DEPRECIAÇÃO (MANUTENÇÃO/REPOSIÇÃO) 030 PARTE IV TERMOS CONTÁBEIS 030 ITEM I CUSTO DE MERCADORIAS VENDIDAS (OU PROD) 030 ITEM II DESPESAS FIXAS E VARIÁVEIS 031 ITEM III CUSTOS (SOMENTE PARA INDÚSTRIA) 032 ITEM IV PONTO DE EQUILIBRIO 033 ITEM V RECEITA OPERACIONAL 034 ITEM VI LUCRO OPERACIONAL 034 ITEM VII LUCRO LIQUIDO 034

2 ITEM VIII MARGEM DE DISTRIBUIÇÃO 034 ITEM IX MARGEM DE LUCRO 034 ITEM X PRAZO DE RETORNO 034 PARTE V PLANO DE NEGÓCIOS ( IMPLANTAÇÃO ) 034 ITEM I OBJETIVO PRINCIPAL 035 ITEM II COMO CHEGAR NO OBJETIVO 035 ITEM III RECURSOS 035 ITEM IV IMPLANTAÇÃO 035 CAPITULO III PLANO DE NEGÓCIOS (COMPLETOS) (MODELOS PRONTOS PARA CADA ATIVIDADE, COMERCIAL, INDUSTRIAL E SERVIÇO). PARTE I COMÉRCIO 037 PARTE II INDÚSTRIA 051 PARTE III SERVIÇOS 067 NESTE PONTO O EMPREENDEDOR JÁ DEVE COMEÇAR A COLOCAR TUDO NO PAPEL ITEM I INFORMAÇÕES SOBRE A ATIVIDADE ITEM II DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO - O QUE A EMPRESA PRETENDE FAZER? - QUAL A EXPERIÊNCIA DO EMPRESÁRIO? - QUAL A TENDÊNCIA DO MERCADO? - CONHECE SEUS CONCORRENTES? - CONHECE SEUS CLIENTES? - CONHECE SEUS FORNECEDORES? - QUAL A PREVISÃO DE DEMANDA / VENDA? - QUAL O SEU DIFERENCIAL NO MERCADO? ITEM III CARACTERÍSTICAS DO SEU PRODUTO - QUAL SERÁ O PREÇO PRATICADO? - QUAIS SERÃO AS FORMAS DE VENDA? - QUAIS SERÃO AS FORMAS DE DISTRIBUIÇÃO? - QUAL SERÁ A ASSISTÊNCIA PÓS-VENDA? - QUAL SERÁ A ESTRATÉGIA DE MARKETING? ITEM IV EVOLUÇÃO E CRESCIMENTO - QUAL A SUA PREVISÃO PARA CRESCER? - QUAL SERÁ A SUA LUCRATIVIDADE? - QUAL SERÁ O PRAZO DE RETORNO? ITEM V VANTAGENS E DESVANTAGENS - QUAIS AS VANTAGENS DO SEU PRODUTO? - QUAIS AS DESVANTAGENS? - QUAL A VANTAGEM DO SEU CONCORRENTE? - QUAL A DESVANTAGEM DELE? ITEM VI METAS / OBJETIVOS / MISSÃO DA EMPRESA

3 - QUAL É? - MERCADO CONSUMIDOR - MERCADO CONCORRENTE - MERCADO FORNECEDOR - SEUS PRODUTOS (DESCREVER) ITEM VII FLUXOGRAMA DO PROCESSO ITEM VIII MAQUINAS / EQUIPAMENTOS A SEREM UTILIZADOS ITEM IX MÓVEIS, UTENSILIOS E ACESSÓRIOS ITEM X ESTOQUE (MERCADORIA OU MAT PRIMA) ITEM XI INVESTIMENTOS FISICOS (RELACIONAR) ITEM XII INVESTIMENTO FINANCEIRO / ADMINISTRATIVO ITEM XIII INVESTIMENTO INICIAL ITEM XIV DESPESAS MENSAIS FIXAS E VARIÁVEIS ITEM XV COMO CALCULAR O PREÇO DE VENDA ITEM XVI DEMONSTRATIVO DE RESULTADO PREVISTO ITEM XVII LUCRATIVIDADE ITEM XVIII RENTABILIDADE ITEM XIX PRAZO DE RETORNO DO INVESTIMENTO ITEM XX PONTO DE EQUILIBRIO CAPITULO IV OBRIGAÇÕES E LEGISLAÇÃO GERAL 083 PARTE I - PASSO A PASSO NA ABERTURA DA EMPRESA 083 (já incluímos toda a legislação a respeito do Simples Nacional no CD) ITEM I CONTRATAÇÃO DE CONTADOR HABILITADO 083 ITEM II CONSULTA PRÉVIA DO LOCAL DA EMPRESA 083 ITEM III CONSULTA PRÉVIA DA RAZÃO SOCIAL (Jucesp/Inpi) 084 ITEM IV CONSULTA PRÉVIA DOS SÓCIOS NA REC FEDERAL 084 ITEM V REGISTRO DO CONTRATO SOCIAL (JUCESP E INPI) 085 ITEM VI REGISTRO DO CNPJ 091 ITEM VII REGISTRO DA INSCRIÇÃO ESTADUAL 091 ITEM VIII REGISTRO DA INSCRIÇÃO MUNICIPAL 091 ITEM IX ALVARÁ DA LICENÇA DE FUNCIONAMENTO 091 ITEM X INSCRIÇÃO PREVIDENCIÁRIA 092 ITEM XI IMPRESSÃO DE NOTAS FISCAIS 092 ITEM XII REGISTRO DE MARCAS E PATENTES (INPI) 092 ITEM XIII LICENÇA DE PUBLICIDADE 093 ITEM XIII OUTROS REGISTROS (VIGILÂNCIA SANITÁRIA, CETESB, IBAMA, MEIO AMBIENTE, MINISTÉRIO DO TRABALHO (PRÉVIA), POLICIA FEDERAL, CORPO DE BOMBEIROS, SINDICATO DA CATEGORIA, TUDO DE ACORDO COM A SUA ATIVIDADE) 093

4 PARTE II ESCRITURAÇÃO E LIVROS OBRIGATÓRIOS 094 ITEM I ESCRITURAÇÃO CONTABIL E FISCAL 094 ITEM II LIVROS FISCAIS FEDERAIS 094 ITEM III LIVROS FISCAIS ESTADUAIS 095 ITEM IV LIVROS FISCAIS MUNICIPAIS 096 ITEM V DOCUMENTOS FISCAIS FEDERAIS 096 ITEM VI DOCUMENTOS FISCAIS ESTADUAIS 098 ITEM VII DOCUMENTOS FISCAIS MUNICIPAIS 099 PARTE III OBRIGAÇÕES FEDERAIS NAS EMPRESAS 101 ITEM I ME / EPP = TRIBUTO SIMPLES FEDERAL 101 ITEM II LUCRO PRESUMIDO 102 ITEM III LUCRO REAL 103 ITEM IV LUCRO ARBITRADO 103 ITEM V OUTROS IMPOSTOS FEDERAIS PIS/COFINS 104 ITEM VI IPI (IMPOSTO PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS) 105 ITEM VII CIDE COMBUSTÍVEIS 106 ITEM VIII OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS ME/EPP 107 ITEM IX OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS LUCRO PRESUMIDO 107 ITEM X OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS LUCRO REAL 107 ITEM XI RETENÇÃO DE PIS / COFINS / CSLL EM N. FISCAL 107 ITEM XII IMPOSTO DE RENDA RETIDO FONTE 108 ITEM XIII COMPROVANTE DE RENDIMENTOS 109 ITEM XIV INFORMAÇÕES AO FISCO ARQUIVO MAGNÉTICO 109 ITEM XV INFORMAÇÕES AO FISCO DACON 109 ITEM XVI INFORMAÇÕES AO FISCO DCTF 110 ITEM XVII INFORMAÇÕES AO FISCO DIRF 110 ITEM XVIII DIF BEBIDAS 110 ITEM XIX DIF PAPEL IMUNE 110 ITEM XX DECLARAÇÃO DE COMPENSAÇÃO DE TRIBUTOS 111 ITEM XXI DIMOB ( DEMONST OPER. IMOBILIÁRIAS) 111 ITEM XXII DIPJ ( DECL. IMP. RENDA PESSOA JURÍDICA ) 111 ITEM XXIII DITR ( DECL. IMP. PROP. RURAL ) 111 ITEM XXIV DNF ( DEMONSTRATIVO NOTAS FISCAIS ) 111 PARTE IV OBRIGAÇÕES ESTADUAIS NAS EMPRESAS 112 ITEM I ICMS REGIME SIMPLIFICADO 112 ITEM II ICMS REGIME NORMAL 112 ITEM III ICMS REGIME SIMPLIFICADO PARA ME / EPP 112 ITEM IV DECLARAÇÕES DO ICMS 112 PARTE V OBRIGAÇÕES MUNICIPAIS NAS EMPRESAS 113 ITEM I ISSQN REGIME SIMPLIFICADO 113 ITEM II ISSQN REGIME NORMAL 113 ITEM III ESCRITURAÇÃO FISCAL MUNICIPAL 113 PARTE VI OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS 114 ITEM I ADMISSÃO DE FUNCIONÁRIO 114 ITEM II DEMISSÃO DE FUNCIONÁRIO 114 ITEM III FOLHA DE PAGAMENTO 117 ITEM IV FÉRIAS 118

5 ITEM V 13º SALÁRIO 118 ITEM VI SALARIO MATERNIDADE 119 ITEM VII SALÁRIO FAMILIA 119 ITEM VIII VALE TRANSPORTE 120 ITEM IX ADICIONAL PERICULOSIDADE 121 ITEM X ADICIONAL INSALUBRIDADE 121 ITEM XI ADICIONAL NOTURNO 121 ITEM XII CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA 122 ITEM XIII CONTR PREVIDENCIÁRIA RETENÇÃO NA FONTE 123 ITEM XIV CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 125 ITEM XV SAUDE E SEGURANÇA DO TRABALHO 126 ITEM XVI PERFIL PROFISSIONOGRAFICO PREVIDENCIÁRIO 127 ITEM XVII PAT (PROG ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR) 129 ITEM XVIII RAIS (REL ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAS) 129 ITEM XIX REGISTRO DAS INFORMAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS 130 ITEM XX FIXAÇÃO DE DOCUMENTOS OBRIGATORIEDADE 131 ITEM XXI CARTÃO DE PONTO E QUADRO DE HORÁRIO 132 PARTE VII OBRIGAÇÕES CONTÁBEIS 133 ITEM I ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL 133 ITEM II RESPONSABILIDADE DO CONTABILISTA 136 ITEM III MODELO DE CONTRATO PROFISSIONAL 137 PARTE VIII BAIXA / EXTINÇÃO DA EMPRESA 141 ITEM I CANCELAMENTO DE ATOS CONSTITUTIVOS 141 ITEM II APURAÇÃO DO ACERVO LIQUIDO 142 ITEM III ELABORAÇÃO DO DISTRATO SOCIAL 142 ITEM IV ARQUIVAMENTO DO DISTRATO SOCIAL 143 ITEM V CERTIFICADO DE REGULARIDADE DO FGTS 144 ITEM VI CERTIDÃO NEGATIVA DEBITOS DO INSS 144 ITEM VII CERTIDÃO NEGATIVA DÉBITOS TRIB FEDERAIS 145 ITEM VIII CERTIDÃO NEGATIVA DEBITOS DA UNIÃO 146 ITEM IX CANCELAMENTO / BAIXA NO INSS 147 ITEM X CANCELAMENTO / BAIXA DO CNPJ 147 ITEM XI CANCELAMENTO / BAIXA DA INSC ESTADUAL 149 ITEM XII CANCELAMENTO / BAIXA DA INSC MUNICIPAL 149 CAPITULO V FLUXOGRAMAS / DESC FUNÇÕES / CARACT E RESPONS 151 PARTE I FLUXOGRAMAS 151 ITEM I COMPRAS E AQUISIÇÕES 152 ITEM II CAIXA PEQUENO ( DIÁRIO ) 153 ITEM III CONTAS À PAGAR 154 ITEM IV PREPARAÇÃO DOCTOS PARA ENVIO AO CONTADOR 155 ITEM V EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS 156 ITEM VI RECEBIMENTO MATERIAIS / SERVIÇOS 157 ITEM VII SETOR TRABALHISTA 158 ITEM VIII VENDAS (PRODUTOS E SERVIÇOS) 159 PARTE II DESCRIÇÃO DE FUNÇÕES E ATIVIDADES 160 ITEM I AUXILIAR DE COMPRAS 160 ITEM II ASSISTENTE DE COMPRAS 161 ITEM III ASSISTENTE RECURSOS HUMANOS 162 ITEM IV ASSISTENTE DE VENDAS 163

6 ITEM V AUXILIAR DE EXPEDIÇÃO 164 ITEM VI AUXILIAR DE FATURAMENTO 165 ITEM VII AUXILIAR SETOR FINANCEIRO 166 ITEM VIII ASSISTENTE DE ESTOQUE 167 ITEM IX AUXILIAR DE LIMPEZA 168 ITEM X DIRETORIA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA 169 ITEM XI GERENTE DE TI (TECNOLOGIA INFORMAÇÃO) 170 ITEM XII RECEPÇÃO 171 PARTE III CARACTERISTICAS E RESPONSABILIDADES DO PESSOAL 172 ITEM I NOVO PERFIL DO ADMINISTRADOR 172 ITEM II ASSISTENTE DE COMPRAS 175 ITEM III ASSISTENTE DE ESTOQUE 176 ITEM IV ASSISTENTE DE RECURSOS HUMANOS 177 ITEM V ASSISTENTE DE VENDAS 179 ITEM VI AUXILIAR DE ESTOQUE 180 ITEM VII AUXILIAR CONTAS A PAGAR 181 ITEM VIII AUXILIAR CONTAS A RECEBER 182 ITEM IX AUXILIAR EXPEDIÇÃO / RECEBIMENTO 183 ITEM X AUXILIAR FATURAMENTO 184 ITEM XI AUXILIAR DE LIMPEZA 185 ITEM XII AUXILIAR SETOR FINANCEIRO 186 ITEM XIII DIRETORIA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA 187 ITEM XIV GERENTE DE QUALIDADE 189 ITEM XV GERENTE DESENVOLV NOVOS PRODUTOS 190 ITEM XVI GERENTE VENDAS 192 ITEM XVII GERENTE TI 193 ITEM XVIII MOROTISTA 195 ITEM XIX RECEPCIONISTA 196 ITEM XX SUPERVISOR PCP 197 CAPITULO VI DICAS E CONSELHOS ÚTEIS 199 PARTE I 25 DICAS INTELIGENTES 200 PARTE II 10 DICAS PARA QUEM PERDEU O CONTROLE FINANCEIRO 202 PARTE III AÇÕES NO PRESENTE QUE GARANTEM O FUTURO 203 PARTE IV CONSTRUA O SEU FUTURO 204 PARTE V DIFERENCIAL DA SUA EMPRESA 206 PARTE VI ERROS NO 1º NEGÓCIO OU NO 2º PARTE VII ESSÊNCIA COMPETITIVA 213 PARTE VIII 7 ERROS FATAIS DOS EMPREENDEDORES 214 PARTE IX POSICIONAMENTO 220 PARTE X QUANDO ESTIVER PLANEJANDO 221 PARTE XI RELACIONAMENTO DE VERDADE 223 PARTE XII VENDEDOR DE SUCESSO 224

7 PARTE XIII SONHO IMPOSSIVEL? 226 CAPITULO VII PARCEIRO DOS EMPRESÁRIOS ASSESSORIA GERENCIAL LTDA PARTE I CONSULTORIA QUE FAZEMOS 228 ITEM I ADMINISTRATIVA 229 ITEM II FINANCEIRA 229 ITEM III TRIBUTÁRIA 230 ITEM IV VENDAS / MARKETING 231 ITEM V TREINAMENTO EMPRESARIAL 231 PARTE II CURSOS E TREINAMENTOS 231 ITEM I COMO ADMINISTRAR MELHOR A SUA EMPRESA 231 ITEM II FLUXO DE CAIXA 231 ITEM III FLUXOGRAMA / ORGANOGRAMA 231 ITEM IV PLANO DE NEGÓCIOS 231 ITEM V ANALISE ECONOMICA E FINANCEIRA 232 ITEM VI CUSTO MERCADORIA E PRODUTOS 232 ITEM VII ERROS NO 1º NEGÓCIO COMO EVITAR 232 ITEM VIII COLABORADORES PERFIL / RESPONSAB / MISSÃO 232 ITEM IX APRENDENDO A CALCULAR O CUSTO ( PIZZA) 233 ITEM X COMO ORGANIZAR ARQUIVOS 233 ITEM XI A IMPORTÂNCIA DO ATIVO FIXO 233 ITEM XII AS VANTAGENS DA CONTABILIDADE CERTA 234 ITEM XIII SÓCIOS, VAMOS PENSAR NO ASSUNTO 234 ITEM XIV OS 7 PECADOS NA GESTÃO DE PESSOAS 234 ITEM XV A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE DE ESTOQUE 234 ITEM XVI A MELHOR FORMA DE TRIBUTAÇÃO 235 CAPITULO VIII SOS EMPRESARIAL CONSULTORIA CONTABILIDADE 236 PARTE I NOSSAS ESPECIALIDADES 239 PARTE II RELATÓRIOS GERENCIAIS EXCLUSIVOS 240 PARTE III GRÁFICOS GERENCIAIS EXCLUSIVOS 241 PARTE IV TERCEIRIZAÇÃO ADMINISTRATIVA COMPLETA 242 CAPITULO IX BIBLIOGRAFIA E SITES INTERESSANTES 243 PARTE I BIBLIOGRAFIA 244 PARTE I SITES INTERESSANTES E IMPRESCINDÍVEIS 244 CAPITULO X - CONCLUSÃO 245

EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE

EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE 1 50 ANOS DE TRADIÇÃO E INOVAÇÃO NO MERCADO MINEIRO 2 Desde 1963, a Matur tem compromisso com a gestão contábil e empresarial voltada para empresas dos mais diversos segmentos

Leia mais

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS Os honorários estão vinculados ao valor de referência: Honorários Mensais

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS Os honorários estão vinculados ao valor de referência: Honorários Mensais Filiado à: SINCOLPAR - SINDICATO DOS CONTABILISTAS DO LITORAL PARANAENSE Rua Julia da Costa, nº 583, Centro Histórico, Paranaguá-PR CEP 83203-060 - Fone: (41) 3425-8181 e-mail: sincolpar@sincolpar.org.br

Leia mais

Sumário. Apresentação, xi. 1 Introdução, 1. 2 Tributos federais e contribuições sociais, 31. Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), 31

Sumário. Apresentação, xi. 1 Introdução, 1. 2 Tributos federais e contribuições sociais, 31. Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), 31 Apresentação, xi 1 Introdução, 1 1.1 Fundamentos de contabilidade: a obrigatoriedade da escrituração contábil, 1 1.2 Fundamentos de tributos, 9 1.3 Plano de contas de referência, 20 2 Tributos federais

Leia mais

2.3.11.1 Forma alternativa, 108 2.3.11.2 Contabilização da compra de matéria-prima por empresa contribuinte do IPI, 109 2.3.11.3 Contabilização de

2.3.11.1 Forma alternativa, 108 2.3.11.2 Contabilização da compra de matéria-prima por empresa contribuinte do IPI, 109 2.3.11.3 Contabilização de Sumário 1 Introdução, l 1.1 Fundamentos de contabilidade: a obrigatoriedade da escrituração contábil, l 1.2 Fundamentos de tributos, 10 1.3 Plano de contas de referência, 22 2 A contabilização de tributos

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 1) INTRODUÇÃO 2) DADOS CADASTRAIS PESSOA FISICA 3) DADOS CADASTRAIS PESSOA JURÍDICA

PLANO DE NEGÓCIOS 1) INTRODUÇÃO 2) DADOS CADASTRAIS PESSOA FISICA 3) DADOS CADASTRAIS PESSOA JURÍDICA PLANO DE NEGÓCIOS CÓDIGO: DATA: 1) INTRODUÇÃO O plano de negócio é um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido,

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

CALENDÁRIO DE VENCIMENTOS DE TRIBUTOS 2014

CALENDÁRIO DE VENCIMENTOS DE TRIBUTOS 2014 Para facilitar a pesquisa, os tributos abaixo estão apresentados em ordem alfabética. TRIBUTOS CÓDIGOS ADMINISTRAÇÃO BASE DE CÁLCULO ALÍQUOTA PERIODICIDADE VENCIMENTO COFINS - CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO

Leia mais

Previdência Social. Trabalhista

Previdência Social. Trabalhista Previdência Social Comunicação de acidente do trabalho - CAT Comprovantes do exercício da atividade remunerado dos segurados e contribuintes individuais Comprovantes de pagamento (cópias) ou a declaração

Leia mais

ÁREA ADMINISTRATIVA / CONTÁBIL

ÁREA ADMINISTRATIVA / CONTÁBIL ÁREA ADMINISTRATIVA / CONTÁBIL AUX. FATURAMENTO Escolaridade: Superior completo ou em andamento, (administração, contabilidade e/ou áreas afins) Experiência: Desejável experiência com rotinas administrativas,

Leia mais

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7 8. Clique e veja o compromisso do dia.

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7 8. Clique e veja o compromisso do dia. Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA à SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL MANUAL DE PREENCHIMENTO DO TERMO DE EXCLUSÃO DO SIMPLES NACIONAL A pessoa jurídica, optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas

Leia mais

Contabilidade Básica do Terceiro Setor. Benildo Rocha Costa

Contabilidade Básica do Terceiro Setor. Benildo Rocha Costa Contabilidade Básica do Terceiro Setor Benildo Rocha Costa O que é o terceiro setor? Terceiro Setor é um termo usado para fazer referência ao conjunto de sociedades privadas ou associações que atuam no

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS CONTÁBEIS

TABELA DE HONORÁRIOS CONTÁBEIS HONORÁRIOS BASE - CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Escrituração Contábil e Fiscal S/ Fatur. Bruto Comércio Atacadista 0,25% Indústria / Comércio Varejo 0,80% Micro Empresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte

Leia mais

PESQUISA DE PREÇOS E SERVIÇOS PRATICADOS PELAS ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO JULHO 2010

PESQUISA DE PREÇOS E SERVIÇOS PRATICADOS PELAS ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO JULHO 2010 PESQUISA DE PREÇOS E SERVIÇOS PRATICADOS PELAS ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO JULHO 2010 Pesquisa de Preços e Serviços praticados pelas Organizações Contábeis do Estado de São Paulo A B

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

Objetivo: Controladoria, Gerente Administrativa / Financeira, Contadora Geral, Consultoria, Auditoria, Perícia, Analista Contábil.

Objetivo: Controladoria, Gerente Administrativa / Financeira, Contadora Geral, Consultoria, Auditoria, Perícia, Analista Contábil. LUZIA RIBEIRO DA CONCEIÇÃO (31) 9973 2802 luzicon@yahoo.com.br Objetivo: Controladoria, Gerente Administrativa / Financeira, Contadora Geral, Consultoria, Auditoria, Perícia, Analista Contábil. Síntese

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

COORDENADOR ADMINISTRATIVO DE VENDAS

COORDENADOR ADMINISTRATIVO DE VENDAS COORDENADOR ADMINISTRATIVO DE VENDAS Escolaridade: Superior completo em áreas afins Experiência: Necessário experiência em: - Gestão Comercial (preferencialmente como analista de vendas ou outra interna),

Leia mais

O que é o esocial? Empregado

O que é o esocial? Empregado CICLO DE PALESTRAS O que é o esocial? É uma nova forma de registro de informações, também conhecida como folha de pagamento digital que unificará todos os sistemas. Empregado O Ato Declaratório Executivo

Leia mais

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 PizzarIFSC - Pizzaria IFSC Pizzaria IFSC Elaborado por: Edson Watanabe Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 Tipo Empresa: Empresa nascente 1 - Sumário Executivo 1.1 - Resumo

Leia mais

DEVERES INSTRUMENTAIS

DEVERES INSTRUMENTAIS DEVERES INSTRUMENTAIS Funções, limites e sobreposições Elidie P. Bifano Deveres instrumentais: funções, limites e sobreposições Deveres instrumentais: art. 113, 2 e 3 e art. 115, CTN Função: atender o

Leia mais

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014. Apresentação

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014. Apresentação 2013 2014 PORTFÓLIO INSTITUCIONAL GRUPO ASSETS - 2013 2014 Apresentação Assets Contadores e Consultores Associados, fundada ano 2000, é uma empresa jovem e totalmente dinâmica, que busca sempre o melhor

Leia mais

DICAS DE ECONOMIA TRIBUTÁRIA - PJ Por Júlio César Zanluca Verifique se as dicas se aplicam ou não a sua empresa, pois pode haver restrições quanto a

DICAS DE ECONOMIA TRIBUTÁRIA - PJ Por Júlio César Zanluca Verifique se as dicas se aplicam ou não a sua empresa, pois pode haver restrições quanto a DICAS DE ECONOMIA TRIBUTÁRIA - PJ Por Júlio César Zanluca Verifique se as dicas se aplicam ou não a sua empresa, pois pode haver restrições quanto a aplicabilidade, de acordo com a forma de tributação

Leia mais

Assistente Financeiro com Sistema Nasajon

Assistente Financeiro com Sistema Nasajon CURSOS DE ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL Assistente Financeiro com Sistema Nasajon Objetivo: Conhecer, de forma teórica e prática, os conceitos fundamentais de finanças e a aplicação no Controller, o sistema

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

Empresa do Simples Nacional, 15 funcionários, prestadora de serviços, faturamento bruto mensal de R$60.000,00, somente apuração de impostos

Empresa do Simples Nacional, 15 funcionários, prestadora de serviços, faturamento bruto mensal de R$60.000,00, somente apuração de impostos Comércio Atacadista 0,25% Indústria / Comércio Varejo 0,80% Micro Empresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP) - Insc. Simples Nacional 0,70% Prestadora de Serviços / Empresas Imunes e isentas 0,85% Revenda

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE

GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE Leiaute Syspan versão 1.0 Atualização: 3 de abril de 2012 Página 1 de 12 GUIA PRÁTICO DO LEIAUTE SYSPAN ESCRITA FISCAL INTEGRADA COM A CONTABILIDADE Preenchimento de campos Para campos alfanuméricos, representados

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL)

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL) OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE MAIO DE 2011 (ÂMBITO FEDERAL) 04.05 (4ª feira) IOF Imposto Sobre Operações Financeiras Último dia para o recolhimento do IOF referente ao

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

MODIFICAÇÕES DO NACIONAL

MODIFICAÇÕES DO NACIONAL Fecomércio MG Jurídico MODIFICAÇÕES DO NACIONAL Outubro de 2014 www.fecomerciomg.org.br S umário O que é o Simples Nacional... 3 Quem pode optar pelo Simples Nacional... 4 Modificações...5 Principais modificações

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 6 Plano de Negócios Empreendedorismo de Negócios com Informática - Plano de Negócios 1 Conteúdo Sumário Executivo Apresentação da Empresa Plano de Marketing

Leia mais

Roteiro do Plano de Negócio

Roteiro do Plano de Negócio Roteiro do Plano de Negócio 1. Componentes do Plano de Negócios a) Resumo Executivo b) A organização Visão estratégica/modelo de negócio c) Análise de mercado d) Planejamento de marketing - produto ou

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA Equipe Portal de Contabilidade Para encerrar as atividades de uma empresa, é preciso realizar vários procedimentos legais, contábeis e tributários, além de, é claro,

Leia mais

Formação do Preço de Venda

Formação do Preço de Venda CURSO DE ADM - 5º PERÍODO - FASF Objetivo Refletir sobre a importância de se conhecer e identificar a FORMAÇÃO DE PREÇO, como fator determinante para a sobrevivência da exploração da atividade da empresa.

Leia mais

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra...

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... 0 http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... Outubro Notas Cenofisco: 1ª) Além das obrigações relacionadas neste Calendário, o assinante poderá,

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES Sinduscon Ceará - Agosto / 2014 DIAS OBRIGAÇÕES DESCRIÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 05 (terça-feira) IRRF RETIDO NA FONTE Recolher até o 3º dia útil após o último decêndio do mês anterior, os fatos gerados a

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 024, DE 8 DE MAIO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Empresário Empreendedor

Empresário Empreendedor Empresas x Tributação Empresário Empreendedor Carga Tributária Obrigações acessórias Receita Federal Receita Estadual Previdência Social Receita Municipal Situação Tributária do Negócio Para o Empresário

Leia mais

CURSO COMO PLANEJAR E JULGAR AS CONTRATAÇÕES DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACORDO COM A IN Nº 02/08 E ALTERAÇÕES

CURSO COMO PLANEJAR E JULGAR AS CONTRATAÇÕES DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACORDO COM A IN Nº 02/08 E ALTERAÇÕES CURSO COMO PLANEJAR E JULGAR AS CONTRATAÇÕES DE TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACORDO COM A IN Nº 02/08 E ALTERAÇÕES PERÍODO DE REALIZAÇÃO E CARGA HORÁRIA O curso será realizado no período de 02 a 05 de

Leia mais

Dicas de importação na RAIS. Neste bip. Você Sabia? edição 30 Fevereiro de 2013

Dicas de importação na RAIS. Neste bip. Você Sabia? edição 30 Fevereiro de 2013 Neste bip Dicas sobre RAIS... 1 Contribuição Patronal para RAIS... 2 Rumodoc - Ajuda no sistema Rumo... 2 Fechamento contábil... 2 Dispensa da entrega da DACON... 3 Dicas de importação na RAIS Já era um

Leia mais

Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias

Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias Fevereiro de 2016 Tipo Dia Obrigação 01/02-2ª Feira 03/02-4ª Feira INSS GPS - Fixação no Quadro de Horário O art. 225, VI do Decreto n 3.048/1999,

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

COMO ABRIR UMA EMPRESA!!!

COMO ABRIR UMA EMPRESA!!! COMO ABRIR UMA EMPRESA!!! P R O F M S K E I L L A L O P E S M E S T R E E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P E L A U F B A E S P E C I A L I S T A E M G E S T Ã O E M P R E S A R I A L P E L A U E F S G R A

Leia mais

FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS

FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: Ciências Contábeis MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2014.1 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 2015.1 Contabilidade Intermediária I FASE: 3ª fase FASE:

Leia mais

ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Alessandro Dessimoni

ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Alessandro Dessimoni ARQUITETURA TRIBUTÁRIA DA LOGÍSTICA NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUNIDADES Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. CENÁRIO ATUAL DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL; 2. ENTRAVES E PROBLEMAS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO RELACIONADOS

Leia mais

Receita.fazenda.gov.br (05/01/2009)

Receita.fazenda.gov.br (05/01/2009) Instrução Normativa RFB nº 903, de 30 de dezembro de 2008 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUBSTITUTO, no uso da atribuição

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 Até dia Obrigação Histórico 3 IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2011,

Leia mais

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015 Neste bip Indenização Artigo 9º, Lei n.º 7.238/84... 1 Geração do arquivo Homolognet... 1 Escrituração Contábil Digital... 2 Você Sabia? Que no sistema rumo é possível emitir o recibo de devolução e entrega

Leia mais

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2

Análise Panorâmica. Sumário 1. Introdução... 2 Análise Panorâmica Análise Panorâmica Sumário 1. Introdução... 2 2. Indicadores de desempenho... 3 2.1 Carga Tributária da Empresa - Composição Anual... 3 2.2 Grau de Endividamento Tributário... 4 2.3

Leia mais

AGENDA - Janeiro de 2016

AGENDA - Janeiro de 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE JANEIRO.: (ÂMBITO FEDERAL) :. AGENDA - Janeiro de 2016 PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 04.01 08.01 GPS SALÁRIOS CAGED GFIP FGTS SIMPLES DOMÉSTICO

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010

OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010 OBRIGAÇÕES EMPRESARIAIS (FISCAIS,TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS) MARÇO DE 2010 03.03 (4ª feira) Último dia para recolhimento do Imposto de Renda na Fonte referente a juros sobre o capital próprio, aplicações

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 3 IRRF Salário de Agosto de 2015 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra

Leia mais

Conta 603- Venda de produtos (Mercado externo)

Conta 603- Venda de produtos (Mercado externo) BASES DE CÁLCULO DO SIMPLES NACIONAL REVISÃO 1 REVISÃO 2 Para que o sistema possa calcular, enquadrando corretamente os tipos de receita nas devidas tabelas do Simples Nacional, é necessários que as contas/

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

MANTENEDOR E CONTADOR

MANTENEDOR E CONTADOR MANTENEDOR E CONTADOR No ano de 2000, Darci de Paula, Contador formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em Ciências Contábeis e Pós graduado em MBA IFRS(Normas Internacionais de Contabilidade),

Leia mais

COMO ABRIR UMA EMPRESA!!!

COMO ABRIR UMA EMPRESA!!! COMO ABRIR UMA EMPRESA!!! P R O F M S K E I L L A L O P E S M E S T R E E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P E L A U F B A E S P E C I A L I S T A E M G E S T Ã O E M P R E S A R I A L P E L A U E F S G R A

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES

BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES BOLETIM INFORMATIVO LEI COMPLEMENTAR 123/2006 SIMPLES NACIONAL SUPERSIMPLES O Simples Nacional é o regime de apuração instituído pela Lei Complementar nº 123 de 2006, destinado às empresas enquadradas

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES DIA 04 QUARTA F E V E R E I ro/ 2 0 1 5 IMPOSTO /CONTRIBUIÇÃO IRRF (Fato Gerador 21/01/2015 a 31/01/2015) Juros sobre capital próprio e aplicações financeiras,

Leia mais

Você vai aprender como atualmente, no Brasil, é fácil e rápido resolver essa situação.

Você vai aprender como atualmente, no Brasil, é fácil e rápido resolver essa situação. APRESENTAÇÃO O objetivo do e-book COMO REGULARIZAR SEU NEGÓCIO DE DOCES é ajudar você que está começando ou que já tem o seu pequeno negócio de doces, mas ainda trabalha na informalidade. Você vai aprender

Leia mais

Agenda de Obrigações Dezembro/2014

Agenda de Obrigações Dezembro/2014 Agenda de Obrigações Dezembro/204 Federal IOF IOF IR/FONTE IR/FONTE CAGED - CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED - CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CBE - DECLARAÇÃO DE CAPITAL

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre o responsável pela proposta. Nome : Identidade: Órgão Emissor: CPF: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: E-mail Formação Profissional: Atribuições

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: LABORATÓRIO CONTÁBIL Código: CTB-491 Pré-requisito: ---------- Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

Escrito por Galdino WS Seg, 12 de Maio de 2008 06:44 - Última atualização Seg, 12 de Maio de 2008 07:43

Escrito por Galdino WS Seg, 12 de Maio de 2008 06:44 - Última atualização Seg, 12 de Maio de 2008 07:43 Prestamos serviços com o objetivo de atender as necessidades de cada empresa. Trabalhamos com softwares e equipamentos de ponta totalmente integrados em rede. Investimos constantemente na melhoria dos

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO 04 APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing,

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Boletim Mensal - Setembro/2015

Boletim Mensal - Setembro/2015 Boletim Mensal - Setembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Estado quer recuperar até R$ 1,3 bilhão com parcelamento de dívidas. Para aumentar a cobrança de créditos tributários

Leia mais

MODELO DE GESTÃO PARA CORRETORES

MODELO DE GESTÃO PARA CORRETORES SINCOR - ES Cleber Batista de Sousa MODELO DE GESTÃO PARA CORRETORES Estrutura Básica de uma GESTÃO ADMINISTRATIVA ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Gestão Operacional; Gestão de Pessoas; Gestão Financeira; Gestão

Leia mais

Art. 2º) A peça orçamentária e parte integrante desta resolução.

Art. 2º) A peça orçamentária e parte integrante desta resolução. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO CONTESTADO FUnC RESOLUÇÃO 01/2010 FUnC Dispõe sobre o orçamento 2010 da FUnC. O Presidente da Fundação Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art.

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Evolução e conceito de geomarketing. 2. Técnicas de geoprocessamento. Geomarketing : Tomada de Decisão no Varejo

Leia mais

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS Filiado à: SINCOLPAR - SINDICATO DOS CONTABILISTAS DO LITORAL PARANAENSE Alameda Coronel Elysio Pereira, 759, Estradinha, Paranaguá - Pr. Cep. 83.206-000 - Tel. (041) 2152-2500 e-mail: sincolpar@sincolpar.org.br

Leia mais

Table of Contents. Sobre o material. Geo Studio. Apresentação. Mercado de Rastreadores. Mercado de Rastreadores. Equipamentos. Estrutura.

Table of Contents. Sobre o material. Geo Studio. Apresentação. Mercado de Rastreadores. Mercado de Rastreadores. Equipamentos. Estrutura. Table of Contents Sobre o material Geo Studio Apresentação Mercado de Rastreadores Mercado de Rastreadores Equipamentos Estrutura Estrutrua Localização Pessoal Mercadoria Produtividade da Empresa Automação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Palestra no SINCOPEÇAS-RS 22 de maio de 2014 www.alfredo.com.br PREÇO DE VENDA E MARGEM DE LUCRO 2 GOVERNO CONCORRENTES FORNECEDOR EMPRESA CLIENTES PREÇO DE

Leia mais

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 974, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições

Leia mais

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 DIA 2 (Quinta) CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS RECLAMATÓRIA TRABALHISTA PESSOAS OBRIGADAS: Empregadores, inclusive domésticos, que participaram de ação judicial na Justiça

Leia mais

Área 01. Administração Geral. Subárea 01.1. Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30

Área 01. Administração Geral. Subárea 01.1. Rotinas Administrativas. Carga horária: 16 horas. Participantes: 30 EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 017/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE INSTRUTORIA EDITAL DE RETIFICAÇÃO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVIMOS NO ESTADO DE SÃO PAULO SESCOOP/SP, tendo em vista o Edital

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Semestre CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Disciplina CARGA HORÁRIA

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 14 Data Tributos Descrição 03 03 IOF COMPROVANTE MENSAL DE RETENÇÃO DA PARA O PIS/PASEP E DA COFINS - AUTOPEÇAS 03 IR/FONTE 06 SALÁRIOS

Leia mais

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples Wagner Mendes Contador, Pós-Graduado em Controladoria, Auditoria e Tributos, Consultor Tributário, Especialista em Tributos Federais, Contabilidade e Legislação

Leia mais

Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração pela UEFS

Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração pela UEFS DISCIPLINA: Constituição de novos empreendimentos Aula 5 Assunto: Continuando O Plano de Negócios ( segundo o modelo do SEBRAE) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão

Leia mais

Agenda de Obrigações Novembro/2014

Agenda de Obrigações Novembro/2014 Agenda de Obrigações Novembro/14 Federal COMPROVANTE MENSAL DE RETENÇÃO DA PARA O PIS/PASEP E DA COFINS - AUTOPEÇAS COMPROVANTE MENSAL DE RETENÇÃO DA PARA O PIS/PASEP E DA COFINS - AUTOPEÇAS IOF IOF IR/FONTE

Leia mais

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS

PLANILHA ORIENTATIVA PARA COBRANÇA DE HONORÁRIOS Filiado à: SINCOLPAR - SINDICATO DOS CONTABILISTAS DO LITORAL PARANAENSE Rua José Gomes, nº 146, João Gualberto, Paranaguá-PR Cep. 83.203-610 - Tel. (41) 3422-7796 e-mail: sincolpar@sincolpar.org.br CNPJ:

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital

Sistema Público de Escrituração Digital O SPED O Sistema Público de Escrituração Digital tem por objetivo promover a integração entre os órgãos reguladores e de fiscalização da União, FISCOS Estaduais e futuramente Municipais. Isso mediante

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015 Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Outubro de 2015 Nota: Os dias de vencimentos apresentados são de nível nacional e respeitando os referidos feriados, caso for feriado

Leia mais

Atenciosamente, Eliana Couto Freire

Atenciosamente, Eliana Couto Freire ELIANA COUTO FREIRE, 41 anos, 23 anos de experiência na Área Contábil, nos segmentos: indústria, comércio, serviços, escritório de contabilidade, auditoria e perícia. Coloco-me à disposição desta conceituada

Leia mais

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA! As mudanças no PIS e no Cofins! Lucro real e presumido! IR e CSLL! Simples Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Boletim Mensal - Novembro/2015

Boletim Mensal - Novembro/2015 Boletim Mensal - Novembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Fisco irá cruzar informações de bancos com o Imposto de Renda e apertar contribuinte. A partir de janeiro de 2016,

Leia mais

Manual - Relatórios Gerenciais.

Manual - Relatórios Gerenciais. Manual - Relatórios Gerenciais. Perguntas que temos que responder quase que diariamente sobre: Vendas Financeiro Produção Emissão: 04/02/2014 Revisão: 28/05/2015 Revisado por: Juliana 1 Área de Vendas

Leia mais