Unidade III. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade III. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas"

Transcrição

1 Unidade III Comunicação Empresarial Profª. Cleide de Freitas

2 Resumo aula anterior Construção de textos Tipos de parágrafos Texto Narrativo, Descritivo e Dissertativo Resumo Esquema Resenha Sinóptico

3 O que vamos ver hoje Variações Línguísticas Níveis da fala Modelos de redação Veículos de redação administrativa Vantagens e desvantagens da comunicação verbal e não-verbal nas empresas

4 Variações Linguísticas As variações observadas na utilização da língua, individual ou social,são denominadas de variações da língua. Fatores regionais = regionalismos (expressões típicas de cada região) Ex: "Enlameado até a cintura, Tiãozinho cresce de ódio. Se pudesse matar o carreiro... Deixa eu crescer!... Deixa eu ficar grande!... Hei de dar conta deste danisco... Se uma cobra picasse meu Soronho... Tem tanta cascavel nos pastos... Tanta urutu, perto de casa... se uma onça comesse o carreiro, de noite... Um onção grande, da pintada... Que raiva!... (Sagarana Guimarães Rosa)

5 Variações Linguísticas Fatores culturais ou sociológicos (grau de escolaridade e formação cultural) Ex: O senhô vai armoçá gorinha mesmo? Eu ponhei a chave bem dibaxo do tapetinho. Despois nóis vorta.

6 Variações Linguísticas Fatores contextuais (variações situacionais) Ex.: Cara, eu conheço ele desdos tempos do colégio! A gente vai almuçá sempre junto. Você já tinha visto ele?

7 Níveis da fala Na fala das pessoas encontramos o reflexo desses fatores e isso gera os diferentes níveis de fala: Nível formal Nível Informal ou popular Técnico ou profissional Norma vulgar Os níveis da fala são gerados por influências geográficas, sociológicas ou contextuais.

8 Níveis da fala Nível formal - Obedece as regras prescritas pela gramática normativa; Nível Informal ou popular - Não segue a norma gramatical, apresenta gírias. É a forma utilizada no dia-a-dia a das pessoas. Técnico ou profissional conhecidos como jargões, são termos utilizados por determinados grupos como economistas, advogados, médicos, entre outros. Norma vulgar baixo grau de escolaridade.

9 Níveis da fala O importante é utilizar o nível adequado ao momento da comunicação. O ideal é que todo falante domine todos os níveis de linguagem, para empregálos de acordo com as exigências do contexto. Veja que a mesma mensagem pode ser transmitida, usando-se diferentes níveis de linguagem: Que odor desagradável! ; Que mau cheiro! ; Que fedor! ; Que catinga!.

10 Interatividade Na comunicação escrita das empresas, o ideal é manter o nível: a) Técnico b) Informal c) Formal d) Vulgar e) Coerente

11 Tipos e modelos de redação Na comunicação empresarial deve-se cuidar da qualidade: os textos devem ser claros, corretos gramaticalmente, objetivos, concisos. Prioriza-se a norma culta ou formal da escrita. Todo profissional necessita, em algum momento, utilizar-se da comunicação escrita, cujos principais objetivos são: Obter e fornecer informação; Promover uma ação específica; Promover, manter ou encerrar relacionamentos comerciais;

12 Antes de escrever... Pense: a) em seus objetivos: persuadir alguém a comprar produtos ou serviços? Sondar preços ou condições de pagamento? Desculpar-se se por atrasos ou defeitos? Responder a alguma questão de um cliente?; b) no destinatário (público) de sua mensagem. A função e as características do destinatário determinam a escolha do veículo.

13 Antes de escrever... Consulte as correspondências anteriores, os relatórios financeiros e/ou documentação relacionada com o assunto da comunicação; para recuperar o que já foi discutido e realizado; assim, evitam-se repetições e otimiza-se o processo; Analise, conjuntamente, seus objetivos, o destinatário e o tipo de veículo mais adequado.

14 Veículos de redação administrativa Carta: correspondência utilizada para: informar aprovação em concurso; tratar de assuntos gerais com variadas instituições; solicitar ou agradecer colaboração; justificar atos ou atitudes; homenagear, censurar, advertir, entre outros. Componentes: cabeçalho, data, destinatário, assunto, vocativo, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente) e anexo (opcional).

15 Exemplo de carta

16 Circular Circular: correspondência, produzida em várias vias, tratando de interesse amplo e dirigida a multidestinatários. Cada via deve ser assinada ou autenticada, para ter um caráter original. Seu conteúdo, em geral, é composto por orientações e recomendações. Componentes: cabeçalho, data, vocativo, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente).

17 Exemplo de circular

18 Memorando Memorando: correspondência interna para comunicações breves e menos solenes: avisos, consultas, entre outros. Componentes: cabeçalho, número de ordem, data, vocativo, assunto, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente).

19 Exemplo de Memorando (sintético)

20 Relatório Relatório: Documento que contém informações, fatos, estatísticas ou recomendações coletadas por uma pessoa ou grupo, com o objetivo de melhorar processos ou serviços. Descreve fatos, registra observações, pesquisas, investigações, fatos ou historia a execução de serviços ou experiências.

21 Relatório Os relatórios são escritos por várias razões e de várias formas. Devemos cuidar da organização, precisão, clareza, veracidade e boa apresentação das informações. Em geral, utilizam-se gráficos, tabelas, diagramas e estatísticas.

22 Componentes do relatório Componentes: título, relator(es), introdução, referências, quem requisitou, objetivos, entre outros, período, procedimento para coleta de dados, corpo do relatório, informações propriamente ditas, conclusões, deliberações (quando for um relatório de reunião) e recomendações (se cabíveis).

23 Componentes do relatório Tipos de relatório: individual ou coletivo; simples ou complexo; parcial ou completo; Periódico ou eventual; técnico, científico, administrativo, de estágio, visita, cursos realizados, apreciação sobre um tema, entre outros.

24 Redação do relatório Seja qual for o tipo de relatório, ele deverá ser redigido em linguagem simples, correta, objetiva, concisa, denotativa e sem construções rebuscadas, pois, o mais importante, é que ele seja claro e objetivo, sem rodeios, porém contendo todas as informações importantes para a análise por parte do leitor.

25 Interatividade Na redação de um relatório de reunião, o responsável deve manter-se focado em: a) Fazer solicitações ao superior a quem se dirige o relatório; b) Relatar com objetividade e clareza todos os pontos abordados na reunião; c) Comunicar às autoridades a expedição do relatório d) Registrar o evento; e) Notificar o destinatário.

26 Requerimento Requerimento: documento que serve para fazer solicitações a uma autoridade. Também chamado de petição. Componentes: vocativo, contexto, fecho, data e assinatura.

27 Exemplo de requerimento

28 Procuração Procuração: documento pelo qual uma pessoa confere poderes legais a outra, para tratar de negócios, ou agir em seu nome.

29 Ofício Ofício: comunicação oficial expedida por autoridades da administração ou dirigida a particulares. Componentes: número do expediente e sigla do órgão ou departamento que o expede, local e data, vocativo, contexto, fecho, assinatura, nome e cargo do emitente.

30 Notificação Notificação: documento por meio do qual se informa o destinatário, pessoa física ou jurídica, sobre procedimentos a serem tomados pelo interessado, ou medidas que serão tomadas pelo remetente. Componentes: cabeçalho, a expressão Notificação, contexto, data, assinatura, nome e cargo do emitente.

31 Ata Ata: documento de registro do desenvolvimento de uma reunião, assembléia ou sessão. Deve ser escrita com clareza, resumidamente. Os numerais (datas, entre outros) devem ser grafados por extenso.

32 Exemplo de ata Aos oito dias do mês de maio de dois mil e quatro, às oito horas, na sala de reuniões da Escola Estadual de Primeiro Grau, situada na Avenida, sem número, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, realizou-se uma reunião de professores sob a presidência da Professora, Diretora do Colégio, para tratar de assuntos relativos ao Sistema de Avaliação. Estiveram presentes os Professores e do Departamento de ensino da Faculdade de da Universidade, além de professores e técnicos da Escola. Aberta a sessão, usou de palavra a Diretora da Escola, apresentando os palestrantes e o tema que seria tratado. Expostos e debatidos aspectos fundamentais do assunto abordado, concluiu-se pela realização de nova reunião, a efetivar-se no dia vinte e sete do mês em curso, quando serão planejados e elaborados instrumentos t de avaliação a serem utilizados até o final do semestre. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, e eu,, lavrei a presente Ata, que, após lida e aprovada, será por mim assinada, pelas autoridades e pelos demais presentes. Porto Alegre, oito de maio de dois mil e quatro. (Assinaturas)

33 Boletim Boletim: texto produzido para informação interna ou externa. Em geral, é composto de resultados de pesquisa ou resumo de algum evento importante.

34 Manual Manual: texto didático, para ser utilizado por várias pessoas, que apresenta informações e orientações em linguagem técnica.

35 Jornal, revista Jornal, revista: Devem seguir o mesmo formato, linguagem e qualidade técnica dos jornais e revistas em circulação, tratando de assuntos de interesse interno e externo à empresa.

36 Exemplo de jornal

37 ou correio eletrônico E mail ou correio eletrônico: é um recurso que possibilita a troca de mensagens e arquivos digitais de forma rápida e versátil por meio da Internet. Um dos meios que tem substituído algumas formas tradicionais de comunicação, intensamente usado nas empresas.

38 Interatividade Entre os veículos de comunicação administrativa mais importantes, podemos destacar: a) Carta, circular, memorando, relatório e ata. b) Procuração, ofício, carta, ata e circular. c) Requerimento, procuração, ata, memorando e ata d) Jornal, , procuração, circular e memorando e) Manual, boletim, circular, relatório e requerimento.

39 Comunicação verbal e não-verbal A leitura do não-verbal complementa a compreensão da comunicação verbal. O sucesso da nossa comunicação não depende só da habilidade com que usamos as palavras. Tudo que envolve o processo da comunicação é importante: o que falar ou escrever e como o fazemos. A comunicação não-verbal, muitas vezes, tem a solução do que queremos realmente falar, seja oralmente, seja verbalmente. Tanto a comunicação verbal quanto a nãoverbal têm a sua importância; basta saber usá-las adequadamente.

40 Meios de comunicação a) Verbal / Oral: Telefone; Reuniões, palestras, debates, seminários, conferências, convenções e cursos; Encontros; Bate-papos; Reuniões sociais; Conversas com clientes, superiores e subordinados; Entrevista para emprego.

41 Meios de comunicação b) Verbal / Escrito: s; Memorandos (de / para); Bilhetes, lembretes; Avisos internos; Declaração de missão, visão e valores; Manual interno; Portarias (Governo); Cartas / ofícios / memo; Avisos e placas; Jornal interno.

42 Meios de comunicação c) Não-verbal: Gestual, comportamental, olhar, expressões faciais, riso e sorriso, aparência, postura, distância, pontualidade, velocidade da fala, dicção, entonação de voz e ênfase; Avisos sonoros, campainhas; Cartão de ponto; Comunicação visual; Telefone muito baixo ou muito alto; Uniformes, vestuário; Toque; Orientação e proximidade; Paralinguagem.

43 Interatividade Quando falamos sobre a utilização das linguagens verbal e não-verbal nas empresas, podemos afirmar: a) Que somente a linguagem verbal é fundamental; b) Somente a linguagem não-verbal é importante; c) Que a combinação das linguagens verbal e não-verbal pode tornar a comunicação mais eficiente; d) Que as informações oficiais devem ser verbais. e) Que todos devem estar atentos aos gestos.

44 ATÉ A PRÓXIMA!

Introdução Redação Redação Comercial Microsoft Word 2010

Introdução Redação Redação Comercial Microsoft Word 2010 Sumário Introdução... 1 ATA... 3 Circular... 5 DECLARAÇÃO... 8 REQUERIMENTO... 10 Envelopes... 11 MEMORANDOS... 13 PROCURAÇÕES... 16 OFÍCIO... 17 CARTA DE COBRANÇA... 19 ATESTADO... 22 ATESTADO... 23 CURRICULUM

Leia mais

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas Unidade IV Comunicação Empresarial Profª. Cleide de Freitas Resumo aula anterior Variações Línguísticas Níveis da fala Modelos de redação Veículos de redação administrativa Vantagens e desvantagens da

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gêneros Textuais Técnico-Profissionais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gêneros Textuais Técnico-Profissionais Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gêneros Textuais Técnico-Profissionais 2010 0 Unidade: Gêneros Textuais Técnico- Profissionais Você já teve medo de escrever um texto? Sim?

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso INSTRUÇÃO NORMATIVA SLE Nº 004/2011 Versão 01 Unidade Responsável: Secretaria Legislativa Institucional Unidade Executora: Coordenação de Arquivo e Registro/Chefia Registro Legislativo Data da Aprovação:

Leia mais

PRODUÇÃO ORAL E ESCRITA NO EXAME CELPE-BRAS

PRODUÇÃO ORAL E ESCRITA NO EXAME CELPE-BRAS PRODUÇÃO ORAL E ESCRITA NO EXAME CELPE-BRAS Professoras: Luiza Castro Solange López Indagações: Como preparar um aluno para o exame CELPE-Bras? É importante conhecer a cultura do Brasil? Que habilidades

Leia mais

Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade. Um Estudo de Viabilidade

Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade. Um Estudo de Viabilidade Projeto da Disciplina Parte1: Estudo de Viabilidade ENTREGA: 09/04/09 Professor: Carlos José Maria Olguin Um Estudo de Viabilidade Você deve fazer um estudo de viabilidade para um projeto de sistema de

Leia mais

Deve possuir uma sequência ligação direta com o objetivo Causar uma boa impressão garante bons negócios! Prof. Flávia Santos Twardowski Pinto Porto Alegre, 014 de setembro de 2010 Preparação e prática

Leia mais

Profa. Ma. Andrea Morás. Unidade I

Profa. Ma. Andrea Morás. Unidade I Profa. Ma. Andrea Morás Unidade I COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Comunicação empresarial Definição: Compreende um conjunto complexo de atividades, ações, estratégias, produtos e processos desenvolvidos para reforçar

Leia mais

Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial

Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial GESPÚBLICA EGM FAMEM Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial Prof. Tammy de Oliveira Cunha Ramos Licenciada em Letra s UERJ e Coordenadora da Escola de Gestão Municipal/FAMEM Origem Nossa Língua-

Leia mais

3 Metodologia 3.1. Design da pesquisa

3 Metodologia 3.1. Design da pesquisa 3 Metodologia 3.1. Design da pesquisa O objetivo do presente estudo é o de avaliar um processo de comunicação oficial na organização STAR, uma organização do segmento de educação, sem fins lucrativos,

Leia mais

Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios

Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios 69 Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: Associar os instrumentos de correspondências dos Correios às suas respectivas características.

Leia mais

Aula 37.1 Conteúdo. Gênero Textual e-mail Função e características DINÂMICA LOCAL INTERATIVA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 37.1 Conteúdo. Gênero Textual e-mail Função e características DINÂMICA LOCAL INTERATIVA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 37.1 Conteúdo Gênero Textual e-mail Função e características CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA PIC

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA PIC CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E DE FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA PIC 2016 Sumário 1. Critérios de avaliação da primeira etapa... 1 2. Critérios de avaliação da segunda etapa... 2 3. Critérios de avaliação da terceira

Leia mais

Unidade III COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Unidade III COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Unidade III 3 OS NÍVEIS DE FALA E A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL A língua é um código que permite uma diversidade de usos, e nós, falantes, adotamos o mais adequado às exigências situacionais

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Técnico em Desenho de Construção Civil

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: Técnico em Desenho de Construção Civil Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC MASSUYUKI KAWANO Código: 9136 Município: Tupã - SP Eixo Tecnológico: Construção Civil Habilitação Profissional: Técnico em Desenho de Construção Civil

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-503-R00

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-503-R00 MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-503-R00 ACOMPANHAMENTO DOS INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇO DE AEROPORTOS CONCEDIDOS 08/2014 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 11 de agosto de 2014. Aprovado, Fabio

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL Prof. Cassimiro Nogueira Junior RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Metodologias de Pesquisa Qualitativa

Metodologias de Pesquisa Qualitativa Metodologias de Pesquisa Qualitativa Pesquisa Qualitativa Subjetividade e interpretação do avaliador/pesquisador Entender um problema em profundidade. Não usa estatísticas e generalizações. Trabalha com

Leia mais

Unidade 3 Como escrever uma carta

Unidade 3 Como escrever uma carta UNIDADE 3 Inicialmente, é preciso destacar dois tipos básicos de carta. O primeiro é a correspondência oficial e comercial, que nos é enviada pelos poderes políticos ou por empresas privadas (comunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º Os Trabalhos de Conclusão de Curso,

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC de Mairiporã Código: 27 Município: Mairiporã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de técnico

Leia mais

Conhecer a estrutura e identifi car características linguísticas e textuais dos textos profi ssionais.

Conhecer a estrutura e identifi car características linguísticas e textuais dos textos profi ssionais. Leitura e Produção Textual I Textos profissionais Objetivo da Aula Conhecer a estrutura e identifi car características linguísticas e textuais dos textos profi ssionais. Após o curso de graduação (ou concomitante

Leia mais

NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103

NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103 MANUAL DE ORGANIZAÇÃO COD. 100 ASSUNTO: CORRESPONDÊNCIA COD: NOR 103 APROVAÇÃO: Resolução nº 024, de 02/09/03 NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103 1/13 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 02 2. CONCEITUAÇÃO... 02 3.

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre Caro Candidato, Este é o manual do processo seletivo para o 2º. semestre de 2015 para os cursos de Licenciatura em Pedagogia e Letras-Língua Portuguesa

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PALMAS TO, NOVEMBRO 2015 A disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, na Faculdade Católica do Tocantins, está organizada

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DA DISCIPLINA COMUNICAÇÃO OFICIAL

LISTA DE EXERCÍCIOS DA DISCIPLINA COMUNICAÇÃO OFICIAL LISTA DE EXERCÍCIOS DA DISCIPLINA COMUNICAÇÃO OFICIAL Esta série de questões consiste em um material de apoio ao estudo e à fixação de conceitos do programa de Comunicação Oficial. Na prova, as questões

Leia mais

Profª PEDRA SANTANA ALVES Reitora

Profª PEDRA SANTANA ALVES Reitora 0 PORTARIA Nº 11/11 APROVA AD REFERENDUM O REGULAMENTO PARA PROJETO FINAL DOS CURSOS DE ENGENHARIA DA UNERJ. A Reitora do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ, e Presidente do Conselho Universitário

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MOGI GUAÇU - SP

CÂMARA MUNICIPAL DE MOGI GUAÇU - SP CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS Nº 01/2010 ANEXO II CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS E BIBLIOGRÁFICOS CARGO: 1.1 - AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS 03 VAGAS LÍNGUA PORTUGUÊSA - 10 QUESTÕES De acordo com o novo acordo ortográfico

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Técnico em Segurança

Leia mais

CURSO DE INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

CURSO DE INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS APODI COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE

Leia mais

REDAÇÃO EMPRESARIAL. * textos produzidos no ambiente empresarial: - memorando, circular, comunicado, ata, mensagens eletrônicas...

REDAÇÃO EMPRESARIAL. * textos produzidos no ambiente empresarial: - memorando, circular, comunicado, ata, mensagens eletrônicas... REDAÇÃO EMPRESARIAL * textos produzidos no ambiente empresarial: - memorando, circular, comunicado, ata, mensagens eletrônicas... Será que o profissional de uma empresa precisa se preocupar com ocorrência

Leia mais

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais FAFIC Departamento de Comunicação Social DECOM BR 110 Km 46 Bairro Costa e Silva Mossoró-RN CEP 59625-620 Telefone

Leia mais

Gênero em foco: CARTA PESSOAL

Gênero em foco: CARTA PESSOAL Gênero em foco: CARTA PESSOAL CARACTERÍSTICAS Definição e finalidade: A carta pessoal é um gênero textual em que o autor do texto se dirige a um interlocutor específico, com o qual pretende estabelecer

Leia mais

Técnicas de Apresentação e Negociação

Técnicas de Apresentação e Negociação Curso: Logística Profa. Ms. Edilene Garcia Técnicas de Apresentação e Negociação Roteiro da teleaula APRESENTAÇÕES ORAIS Importância; Técnicas para planejar e executar uma apresentação. NEGOCIAÇÕES EMPRESARIAIS

Leia mais

Sumário. Introdução... 7

Sumário. Introdução... 7 3 Sumário Introdução... 7 1. Somos especialistas em linguagem corporal... 9 Como os homens se comunicam, 10Comunicação linguística, 10Comunicação não linguística, 10O ato de comunicação, 11Importante:

Leia mais

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br ENTREVISTA À REVISTA NOVA ESCOLA SOBRE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM (Esta entrevista subsidiou matéria que saiu na Revista Nova Escola de novembro de 2001) 1. O sr. considera as provas e exames instrumentos

Leia mais

FASES CONTEÚDOS/MÉTODOS/MATERIAIS TEMPO Diálogo sobre a importância do requerimento como meio de Introdução comunicação.

FASES CONTEÚDOS/MÉTODOS/MATERIAIS TEMPO Diálogo sobre a importância do requerimento como meio de Introdução comunicação. Nível Área de Competência Chave UFCD Conteúdo Tema Objectivos específicos B2; B3 Linguagem e Comunicação LC2C Produzir textos de acordo com técnicas e finalidades específicas. LC3C - Produzir textos informativos,

Leia mais

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Petrolina PE Julho de 2015 1 Capítulo I Da natureza do TCC Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente obrigatório

Leia mais

CARTA DE EMPREGO. A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas

CARTA DE EMPREGO. A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas CARTA DE EMPREGO A carta de emprego/apresentação deverá ser usada em duas situações: Resposta a ofertas/anúncios de emprego Candidaturas espontâneas ANÚNCIOS DE JORNAIS (CARTA DE RESPOSTA) Redigida de

Leia mais

Relatório do estágio de prática de ensino em ciências sociais

Relatório do estágio de prática de ensino em ciências sociais UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UMANAS IFCH FACULDADE DE EDUCAÇÃO FACED Relatório do estágio de prática de ensino em ciências sociais Curso: Ciências Sociais

Leia mais

Erros mais freqüentes

Erros mais freqüentes Lição 1 Erros mais freqüentes Extraímos de comunicações empresariais alguns erros, que passamos a comentar: 1. Caso se faça necessário maiores esclarecimentos... Apontamos duas falhas: 1. Caso se faça

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE

PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE DAMKE, Anderléia Sotoriva - UFMS anderleia.damke@yahoo.com SIMON, Ingrid FADEP ingrid@fadep.br Resumo Eixo Temático: Formação

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

MANUAL DO ESTAGIÁRIO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO APRESENTAÇÃO

MANUAL DO ESTAGIÁRIO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O estágio supervisionado curricular obrigatório é um momento primordial para a conclusão do curso, permitindo ao aluno o contato mais de perto com a profissão que escolheu, além de inseri-lo

Leia mais

DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA MANUAL DO CANDIDATO

DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA MANUAL DO CANDIDATO DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Julho 2012 ESPM Unidade Porto Alegre Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51) 3218 1400

Leia mais

Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis.

Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis. Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis. 2 Sumário Necessidade do estágio... 3 Realização do Estágio... 3 Documentações

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Consórcio Intermunicipal do Vale do Jacuí CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO VALE DO JACUÍ (CI/JACUÍ) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Estado do Rio Grande do Sul Consórcio Intermunicipal do Vale do Jacuí CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO VALE DO JACUÍ (CI/JACUÍ) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO VALE DO JACUÍ (CI/JACUÍ) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO CA Nº 11/2015 Altera o Anexo I das Resoluções CA 005/2008 e 06/2013 a fim de adequá-los à nova redação do Estatuto

Leia mais

PALESTRA SOBRE ESTATUTO E ATAS PARA IGREAS EM 01/10/2011.

PALESTRA SOBRE ESTATUTO E ATAS PARA IGREAS EM 01/10/2011. PALESTRA SOBRE ESTATUTO E ATAS PARA IGREAS EM 01/10/2011. MINISTRADA PARA A ASSOCIAÇÃO DE PASTORES E LIDERES EVANGÉLICOS DE VIANA ES NA IGREJA PRESBITERIANA DO BAIRRO UNIVERSAL. Membro da PIB Cobilandia

Leia mais

Noções sobre comunicação na Administração Pública. O que é Redação Oficial. Gustavo Justino de Oliveira*

Noções sobre comunicação na Administração Pública. O que é Redação Oficial. Gustavo Justino de Oliveira* Noções sobre comunicação na Administração Pública O que é Redação Oficial Gustavo Justino de Oliveira* O presente material contará principalmente de informações colhidas no Manual de Redação da Presidência

Leia mais

Conteúdos: Funções da Linguagem

Conteúdos: Funções da Linguagem Conteúdos: Funções da Linguagem Habilidades: Analisar a função da linguagem utilizada em diferentes gêneros textuais, de acordo com a sua finalidade comunicativa; Habilidades: Identificar e classificar

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

A comunicação efetiva - Etiqueta em rede

A comunicação efetiva - Etiqueta em rede A comunicação efetiva - Etiqueta em rede Liane Tarouco Os evidentes benefícios proporcionados pelas redes de computadores podem acarretar problemas de igual monta, quando mal utilizadas. Em função disso,

Leia mais

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Pró-Reitoria de Educação a Distância Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Como acessar o ambiente 1. Entre no Ambiente Virtual de Aprendizagem localizado na página principal do Portal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO EDITAL Nº 002/2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO EDITAL Nº 002/2014 EDITAL Nº 002/2014 Dispõe sobre a regulamentação do Concurso de desenho, poesia e redação: Palmas, meu orgulho promovido pela Secretaria Municipal da Educação, em comemoração aos 25 anos da cidade de Palmas.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico.

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO Aula 3 META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno(a) deverá: ler

Leia mais

SP 11/07/80 NT 060/80. As Funções da Sinalização de Trânsito. Eng.º José Ernesto Lima Gonçalves

SP 11/07/80 NT 060/80. As Funções da Sinalização de Trânsito. Eng.º José Ernesto Lima Gonçalves SP 11/07/80 NT 060/80 As Funções da Sinalização de Trânsito Eng.º José Ernesto Lima Gonçalves A sinalização de trânsito é um sistema de comunicação utilizado para a transmissão de mensagens relativas a

Leia mais

Estatuto da ADEPO. Art. 2 - A Associação, para suas atividades, adotará a seguinte sigla: ADEPO;

Estatuto da ADEPO. Art. 2 - A Associação, para suas atividades, adotará a seguinte sigla: ADEPO; Estatuto da ADEPO I - DA CONSTITUIÇÃO Art. 1 - A Associação se constituirá, como sociedade civil, sob a designação de ASSOCIAÇÃO DOS EX - ALUNOS PÓS - GRADUADOS EM ORTODONTIA DA U.F.R.J.; Art. 2 - A Associação,

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Normatização nº 01/2010 - CCEF ESTABELECE NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC - DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Alimentos é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS 1 ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS APRESENTAÇÃO Esse documento é dirigido aos docentes e discentes da Fesp Faculdades com a finalidade de adotar normas

Leia mais

ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017

ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 Rua General Severiano 159 Botafogo Rio de Janeiro RJ 22290-040 escolaeleva@elevaeducacao.com.br ESCOLA ELEVA EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 Edital Nº 1/2016 admissão às turmas do

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1 REDAÇÃO DE DOCUMENTOS... 3 Carta Comercial... 3 Requerimento... 6 Procuração... 7 Memorando... 8 Ofício... 9 Recibo...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 247

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 247 DECRETO Nº 247 Regulamenta os artigos 17 a 20, da Lei Municipal nº 14.544, de 11 de novembro de 2014 e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. FORMA/GRAU:( )integrado (x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. FORMA/GRAU:( )integrado (x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e comunicação CURSO: Técnico em Secretariado FORMA/GRAU:( )integrado (x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso

Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Campus Universitário Ministro Reis Velloso Curso de Biomedicina Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso Parnaíba PI 2010 SUMÁRIO I DO CONCEITO...

Leia mais

Como Falar bem em Público

Como Falar bem em Público Como Falar bem em Público Com Rosélia Andrade - Especialista em Direito Público Oratória É o termo que designa a arte de falar em público. É um conjunto de técnicas que auxiliam na habilidade de quem fala

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSOS PÚBLICOS ROTEIRO DO FISCAL DE SALA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSOS PÚBLICOS ROTEIRO DO FISCAL DE SALA INSTRUÇÕES: 1. Os fiscais de sala são os responsáveis pela guarda de todo o material de aplicação recebido e utilizado na sala de prova, não devendo afastar-se do mesmo, principalmente do envelope cinza

Leia mais

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS.

ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. ANEXO III ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS. 01. SERVENTE Descrição Sintética: compreende os cargos que se destinam a executar, sob supervisão, serviços de limpeza como varrer, lavar, desinfetar e arrumar as dependências

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec:Paulino Botelho/ Professor E.E. Arlindo Bittencourt (extensão) Código: 092-2 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS PALMAS TO, 2015 1. Informações Gerais O presente Manual da Católica do Tocantins, mantida pela União Brasiliense de Educação e Cultura (UBEC)

Leia mais

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet 5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet Uma das verdades absolutas sobre Produtividade que você precisa saber antes de seguir é entender que se ocupar não é produzir. Não sei se é o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA A A Unidade IV Ciência - O homem na construção do conhecimento. 2 A A Aula 39.2 Conteúdos: Anúncio publicitário: A construção de um anúncio publicitário. 3 A A Habilidades: Relacionar linguagem verbal

Leia mais

O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas

O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas Vitória - ES A Carga de Trabalho dos Professores - Pode ser analisada

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PROJETOS EXPERIMENTAIS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO CAPÍTULO I MODALIDADE DE TRABALHO Art. 1º O presente Manual estabelece os princípios teórico-metodológicos

Leia mais

Projeto de Norma Operador de Emissivo Texto para discussão.

Projeto de Norma Operador de Emissivo Texto para discussão. Projeto de Norma Operador de Emissivo Texto para discussão. Prefácio A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade

Leia mais

FUNDAÇÃO CULTURAL PLANALTO DE PASSO FUNDO Rádio Planalto AM / FM e Revista Somando

FUNDAÇÃO CULTURAL PLANALTO DE PASSO FUNDO Rádio Planalto AM / FM e Revista Somando Observação: a seguir alguns modelos de procedimentos operacionais padrão, existem POPs para todas as funções, como coordenador de programação, administração, comercial, técnico, entre outros. Em casos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico 1º Semestre

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico 1º Semestre Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico 1º Semestre ETEC Dr. Júlio Cardoso Código: 078 Município: Franca Eixo tecnológico Controle

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES)

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) SANTA MARIA - RS 2014 1 REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIREITO FACULDADE METODISTA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia Mecânica é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais "LETRAR É MAIS QUE ALFABETIZAR" Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais Nos dias de hoje, em que as sociedades do mundo inteiro estão cada vez mais centradas na escrita,

Leia mais

Compreensão/Expressão oral

Compreensão/Expressão oral ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º C.E.B DISCIPLINA: Português ANO: 7º ANO : 2011/2012 SEQUÊNCIA 1 COMPETÊNCIAS/ Compreensão/Expressão oral Dispor-se a escutar. LEITURA

Leia mais

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL 0 INSTRUÇÃO NORMATIVA 1 ÍNDICE 10/06 ASSUNTO S GENERALIDADES 1 1/2 PLANO DE NUMERAÇÃO 2 1/2 ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO 3 1/5 EMISSÃO 4 1/1 IMPLANTAÇÃO, MANUTENÇÃO E AVALIAÇÃO 5 1/3 DISPOSIÇÕES FINAIS 6

Leia mais

Casos de uso Objetivo:

Casos de uso Objetivo: Casos de uso Objetivo: Auxiliar a comunicação entre os analistas e o cliente. Descreve um cenário que mostra as funcionalidades do sistema do ponto de vista do usuário. O cliente deve ver no diagrama de

Leia mais

DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA. Ingresso Janeiro 2015. Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/cursosdeferias

DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA. Ingresso Janeiro 2015. Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/cursosdeferias DICÇÃO, DESINIBIÇÃO E ORATÓRIA Ingresso Janeiro 2015 Informações: (51) 3218-1400 - www.espm.br/cursosdeferias Dicção, Desinibição e Oratória Desenvolver habilidades de comunicação oral diante do público

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016 Uni-FACEF CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA DOCENTES. Planejamento e Controle de Sistemas de Produção 01

EDITAL Nº 01/2016 Uni-FACEF CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA DOCENTES. Planejamento e Controle de Sistemas de Produção 01 EDITAL Nº 01/2016 Uni-FACEF CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA DOCENTES O Reitor do Centro Universitário Municipal de Franca (Uni-FACEF), no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo seu Regimento

Leia mais

MANUAL MOODLE - PROFESSORES

MANUAL MOODLE - PROFESSORES MANUAL MOODLE - PROFESSORES VERSÃO 2.5 Faculdades Projeção FACULDADE PROJEÇÃO Prof. Oswaldo Luiz Saenger Presidente Prof.ª Catarina Fontoura Costa Diretora Geral das Unidades Educacionais Prof. José Sérgio

Leia mais

CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS

CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS SEÇÃO I 2 DA ESCRITURAÇÃO 1. É atribuição dos Oficiais do Registro Civil das Pessoas Jurídicas: a) registrar os atos constitutivos, contratos sociais

Leia mais

COMO TER TEMPO PARA COMEÇAR MINHA TRANSIÇÃO DE CARREIRA?

COMO TER TEMPO PARA COMEÇAR MINHA TRANSIÇÃO DE CARREIRA? COMO TER TEMPO PARA COMEÇAR MINHA TRANSIÇÃO DE CARREIRA? Um guia de exercícios para você organizar sua vida atual e começar a construir sua vida dos sonhos Existem muitas pessoas que gostariam de fazer

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA O conjunto marca/logotipo é o elemento gráfico e visual pelo qual somos reconhecidos nos diversos meios em que atuamos. As suas formas foram concebidas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DA ÁREA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DA ÁREA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DA ÁREA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Fevereiro de 2008 I Da Exigência das Atividades Complementares As Atividades Complementares - AC dos Cursos de Jornalismo,

Leia mais

5º PRÊMIO NACIONAL DE REDAÇÃO DO PROGRAMA COOPERJOVEM EDIÇÃO 2011 R E G U L A M E N T O

5º PRÊMIO NACIONAL DE REDAÇÃO DO PROGRAMA COOPERJOVEM EDIÇÃO 2011 R E G U L A M E N T O 5º PRÊMIO NACIONAL DE REDAÇÃO DO PROGRAMA COOPERJOVEM EDIÇÃO 2011 R E G U L A M E N T O ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 COMISSÃO NACIONAL ORGANIZADORA DO PRÊMIO... 3 CATEGORIAS E TEMAS... 3 PARCERIA...

Leia mais

CURIOSIDADES GRÁFICAS

CURIOSIDADES GRÁFICAS CURIOSIDADES GRÁFICAS 1. USO DOS PORQUÊS POR QUE: usado em frases interrogativas diretas e indiretas; quando equivale a pelo qual e flexões e quando depois dessa expressão vier escrita ou subentendida

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2016 20/05/2016

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2016 20/05/2016 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2016 20/05/2016 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas observados

Leia mais

EDITAL N.º 120/2012 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO

EDITAL N.º 120/2012 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO EDITAL N.º 120/2012 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no exercício da Reitoria e no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Diagramas de Interação da UML (Diagrama de Sequência e Diagrama de

Diagramas de Interação da UML (Diagrama de Sequência e Diagrama de Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Sistemas de Informação - CPCX Diagramas de Interação da UML (Diagrama de Sequência e Diagrama de Comunicação) - Aula 10 Prof. Fernando Maia da Mota Slides gentilmente

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 E-MAIL: UM GÊNERO TEXTUAL A SER APRESENTADO NA ESCOLA Cassia Teixeira (UERJ) kassiarteixeira@hotmail.com INTRODUÇÃO Sabemos que a comunicação faz parte das necessidades do homem. E desde as civilizações

Leia mais