Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios"

Transcrição

1 69 Lição 4 Instrumentos de Correspondências dos Correios Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: Associar os instrumentos de correspondências dos Correios às suas respectivas características. Identi car a estrutura da Comunicação Interna (CI). Identificar os critérios gerais e específicos para a utilização dos instrumentos de correspondências. Relacionar as competências para emissão de correspondências (internas e externas) às respectivas permissões. Identi car o acesso aos formulários eletrônicos. Veja os temas que você irá estudar nesta lição: Tema 1 Conhecendo os Instrumentos de Correspondências Tema 2 Os Instrumentos de Correspondências e suas Regras Tema 3 A quem compete emitir os instrumentos de correspondências?

2 71 CONVERSA INICIAL Em toda empresa, a comunicação é uma ferramenta que deve ser bem estruturada e de nida, possibilitando que as informações uam de forma útil à organização. Nesta lição você estudará sobre os diversos Instrumentos de Correspondências nos Correios. No Manual de Comunicação dos Correios MAN- COM, você encontra os procedimentos necessários para a correta emissão dos documentos que circulam dentro e fora da empresa.

3 72 Práticas Administrativas TEMA 1 CONHECENDO OS INSTRUMENTOS DE CORRESPONDÊNCIAS CONCEITO DE INSTRUMENTOS DE CORRESPONDÊNCIAS Veja, a seguir, a de nição do MANCOM: É toda a comunicação escrita utilizada para solicitar ou transmitir informações, divulgar despachos, efetivar o contato entre os diversos órgãos da Empresa e entre esta e pessoas ou organismos externos. MANCOM 4/2 1 Com base no conceito apresentado, quais os órgãos internos dos Correios que podem utilizar-se dos instrumentos de correspondências? Se você pensou em todos os órgãos, parabéns! É isso mesmo, todos utilizam os diversos modelos no cotidiano. Estude, a seguir, a classi cação dos instrumentos de correspondências. Isso possibilitará o entendimento de sua utilização, para quando precisar da comunicação, dentro ou fora da empresa. CLASSIFICAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE CORRESPONDÊNCIAS Os instrumentos de correspondência classi cam-se de acordo com seu destino em: Instrumentos de Correspondência Internos, Instrumentos de Correspondência Externos e Instrumentos de Correspondência Internos e Externos. Na sequência, conheça as características de cada documento de acordo com sua classi cação.

4 73 Intrumentos de Correspondência Internos São aqueles utilizados para realizar a comunicação entre pessoas ou órgãos que integram a estrutura organizacional da Empresa. MANCOM 4/ No quadro a seguir, estude os instrumentos de correspondência internos, a aplicação e as respectivas dicas: Instrumento de Correspondência Interno Noti cação Interna (NI) Comunicação Interna (CI) Carta-Circular Utilizado para Agilizar o encaminhamento de documentos. Tratar de assuntos mais rotineiros, entre os órgãos da Empresa. Comunicação entre os órgãos da Empresa. Envio de mensagens para os empregados. Prestar homenagem no âmbito da Empresa. Dicas Correspondência de preenchimento fácil e rápido. Elaboração de forma manual ou eletrônica. Economia de tempo com redação, digitação, revisão, cópias etc. Registro de assuntos formais com redação mais extensa. Cunho informativo, de agradecimento.

5 74 Práticas Administrativas A) Modelo de NI: B) Modelo de CI:

6 75 C) Modelo de Carta-Circular: Intrumentos de Correspondência Externos São aqueles utilizados para realizar a comunicação entre a Empresa e: Pessoas físicas Pessoas jurídicas Entidades governamentais Entidades internacionais que não integram a sua estrutura. MANCOM 4/ No quadro a seguir, veja quais são os instrumentos de correspondência externos e quando utilizar cada um deles, conforme MANCOM 4/ :

7 76 Práticas Administrativas Instrumento de Correspondência Externo Carta Ofício Telegrama Cartão Social Cartão de Visitas Convite para Eventos Utilizado para Comunicação com Entidades de direito privado, pessoas físicas e na comunicação internacional. Comunicação com Entidades da Administração Pública e Órgãos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Comunicação em caráter de urgência. Comunicação de caráter social. É utilizado pelos dirigentes dos Correios. Comunicação de caráter pro ssional, utilizado por dirigentes e empregados que representem os Correios (assistentes comerciais, gerentes de agência etc.) Formalização de eventos relacionados aos Correios (lançamento de selos, carimbos, exposições). É um instrumento de correspondência social. Em se tratando de correspondência internacional, encaminhe previamente ao DEINT. Lembre-se, o texto precisa ser adaptado ao idioma e ao padrão de correspondência de cada país! Intrumentos de Correspondência Internos e Externos Existem dois instrumentos de correspondências utilizados para comunicação interna e externa. De acordo com o MANCOM 4/ são utilizados comumente para realizar a comunicação entre: pessoas ou órgãos da estrutura organizacional da nossa Empresa (internos); e os Correios e pessoas, entidades, empresas ou órgãos públicos (externos).

8 77 Veja, a seguir, os instrumentos de correspondência que podem ser externos e/ou internos, dependendo de sua aplicação e importantes dicas: Instrumento de correspondência Característica Dica Correio eletrônico ( ) Fax Post Administrativo (Fax) Utilizado por órgãos ou empregados autorizados. Agiliza a circulação de informações e, por conseguinte, a comunicação. Interna (entre órgãos) Transmissão de documentos urgentes. Externa Transmissão de documentos para órgãos da Administração Pública, entidades de direito privado e entidades internacionais. Observe as regras para o envio e recebimento de e as recomendações para a boa utilização do serviço de correio eletrônico. Use-o quando o envio de não for possível. Acesse o MANCOM 4/9 (ECT Normas, na intranetac) e enriqueça seu aprendizado com as regras para utilização do (corporativo), principalmente se você gerencia ou possui conta de corporativo. Observe o quadro a seguir: AMBIENTE INTERNO AMBIENTE EXTERNO CI (interno) (interno e externo) OFÍCIO (externo) Órgãos Públicos Departamento Diretoria Regional CARTA (externo) Instituição Privada Comunicação Internacional Pessoa Física Gerência Seção (interno e externo) Órgãos Públicos Pessoa Física Instituição Privada Comunicação Internacional Até aqui você estudou o conceito, a classi cação e os respectivos instrumentos de correspondências nos Correios.

9 78 Práticas Administrativas TEMA 2 OS INSTRUMENTOS DE CORRESPONDÊNCIAS E SUAS REGRAS Conforme MANCOM, 4/3 2 cada tipo de instrumento de correspondência obedece a uma constituição própria. Existem regras gerais que servem para todos os instrumentos de correspondências e regras especí cas, para cada instrumento. REGRAS GERAIS PARA UTILIZAÇÃO Para a correta utilização dos instrumentos de correspondências observe as seguintes recomendações: O conteúdo e urgência da sua informação é que indicará o instrumento mais adequado para você utilizar na comunicação. Utilize o FAX para as comunicações urgentes ou quando o serviço de Correio Eletrônico não estiver disponível. Utilize o , o telefone e o contato verbal entre órgãos de mesmo nível, desde que o assunto não exija um registro. Assim você agiliza a comunicação formal. Elabore documentos utilizando os exemplos previamente formatados e apagando somente o corpo do texto. As demais informações devem ser apenas substituídas, evitando assim, modi car o formato preestabelecido. Utilize a fonte Arial, com tamanho de fonte 11. Utilize os formulários eletrônicos para emissão de correspondência interna e externa (formulários padrão). Utilize os formulários disponibilizados em meio eletrônico para elaboração de forma padronizada das suas correspondências! Além de facilitar, você ganhará em agilidade também!

10 79 Você sabe onde encontrar os formulários eletrônicos? Para acessar os modelos dos instrumentos de correspondências e outros formulários utilizados na Empresa, utilize a Ajuda a seguir. Acessando os Formulários Modelos de instrumentos de correspondências 1) Acesse a intranetac; 2) clique no ícone de acesso rápido FORMULÁRIOS ELETRÔNICOS FORMULÁRIOS ELETRÔNICOS 3) selecione uma das opções a seguir, conforme o formato desejado: a. Lista de Formulários Eletrônicos WORD b. Lista de Formulários Eletrônicos BROf ce 4) clique sobre o respectivo modelo de instrumento de correspondência ou de formulário; 5) clique em Salvar ; 6) clique na aba Salvar em ; 7) selecione Desktop ; 8) clique em Salvar. O arquivo estará disponibilizado na tela inicial do seu computador para futuras consultas. 9) clique em Abrir. Procure sempre observar as normas estabelecidas no MANCOM, Módulo 4, para elaboração de cada tipo de instrumento de correspondência: carta, telegrama, fax, carta circular, CI etc.

11 80 Práticas Administrativas REGRAS ESPECÍFICAS PARA A ELABORAÇÃO DE CI Por tratar-se de um documento mais usual nos Correios, você estudará a estrutura e as principais orientações para elaboração de uma Comunicação Interna (CI). A Comunicação Interna CI é composta por 6 partes. 1. Cabeçalho 2. Corpo do texto 3. Fecho 4. Assinatura 5. Indicações de rodapé 6. Folha de continuação Veja o modelo: 1. Cabeçalho 2. Corpo do Texto 3. Fecho 4. Assinatura 5. Indicações de Rodapé Fonte: MANCOM 4/5 ANEXO 1 6. Folha de continuação

12 81 Aprenda como preencher cada parte de uma CI 1) Cabeçalho De (Remetente)/ Ao (Destinatário) Indique o cargo (para dirigentes), ou função (nos demais casos), seguido pela sigla do órgão de origem e escrito em letras maiúsculas. Identi cação Observe a ordem crescente hierarquia: indique a sigla do órgão emissor, e em seguida, a sigla do órgão superior. Referência Indique, quando for o caso, o documento relacionado com a matéria tratada na CI em emissão. Protocolo Este espaço é destinado ao protocolo pelo órgão que a receber, entre os dois os pré-impressos no modelo. Assunto Indique, de forma sucinta, o assunto a ser tratado na CI, em até duas linhas, com o mesmo tamanho de letra utilizado no texto. Localidade e Data Indique, neste campo, o local e data em que a CI será assinada. A data deve ser por extenso e alinhada à margem direita.

13 82 Práticas Administrativas No exemplo a seguir veri que o preenchimento dos campos do cabeçalho: 2) Corpo do Texto Corpo Inicie o texto com três espaços de linha abaixo da Data, na posição de parágrafo. Observe para que os parágrafos quem alinhados.com o texto do Assunto. A distância entre os parágrafos deve resguardar o espaçamento de 1 (uma) linha. Modelo de CI (corpo do texto): 3) Fecho Fecho Tem por objetivo de registrar o m do texto e de saudar o destinatário. Deve estar centralizado. Seguido de vírgula. Inicie com dois espaços de linha após o nal do texto. E qual fecho você deve utilizar?

14 83 Se a correspondência é então utilize o fecho Interna, Externa e destinada à autoridades que recebem o tratamento Vossa Excelência, Externa e destinada à autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior, Atenciosamente Respeitosamente Atenciosamente 4) Assinatura Assinatura Deve constar no respectivo espaço, de forma centralizada em suas respectivas linhas: O nome completo, em letras maiúsculas e em negrito. O cargo ou função que ocupa no órgão, em letras minúsculas (exceto as iniciais). Exemplo 1: Exemplo 2: (Espaço para assinatura) NOME DO CHEFE DO GABINETE Chefe do Gabinete da Presidência (Espaço para assinatura) NOME DO DIRETOR REGIONAL Diretor Regional de Sergipe Quando um cargo/função for ocupado em caráter eventual, formalizado por portaria, a assinatura do chefe eventual deve constar acima do nome do titular, sendo o cargo/função do titular antecedido da menção p/ e, logo abaixo, o carimbo com nome e cargo/função do eventual. (MANCOM 4/ )

15 84 Práticas Administrativas Veja, a seguir, o exemplo para a situação de assinatura do chefe eventual: (espaço para assinatura do chefe eventual) NOME DO CHEFE TITULAR p/ Chefe do DPLAN (carimbo do chefe eventual) 5) Indicações de rodapé C/Anexo(s) Indique o documento complementar ou comprobatório que acompanha a CI, quando for o caso. C/Cópia Indique a sigla do órgão que receberá cópia da CI, quando for o caso. Indicação de Serviço Indique as iniciais do responsável pela redação da CI, em letras maiúsculas, separada por barra das iniciais do digitador, em letras minúsculas. Ex.: MSCR/mscr Nome do arquivo e caminho Indique o caminho (link do arquivo) e o local onde o documento foi salvo, para facilitar a localização futura. Mensagens de rodapé Utilize para divulgar mensagens, reforçar campanhas etc. O DPLAN é o órgão responsável por autorizar a mensagem.

16 85 Modelo de rodapé: 6) Folha de continuação Folha de Continuação Inicie o texto na folha de continuação, quando necessário, aproximadamente 10 mm (2 espaços de linha), abaixo da logomarca, alinhado à margem esquerda ou na posição de parágrafo, se for o caso. Evite deixar somente a assinatura na folha de continuação! Para você aprofundar seu estudo sobre as regras de emissão de uma CI, consulte o MANCOM 4/5 no ECT Normas. TEMA 3 A QUEM COMPETE EMITIR OS INSTRUMENTOS DE CORRESPONDÊNCIAS? Qualquer empregado pode assinar um instrumento de correspondência nos Correios? Certamente que não! Existem pessoas em funções e cargos especí cos com atribuições e poderes para assinatura nas correspondências dos Correios. Observe a tabela de competências para emissão de correspondências (internas e externas) e aprenda como ui a comunicação o cial na empresa.

17 86 Práticas Administrativas Tabela de competências para Emissão de Correspondência Interna As funções de Presidente Vice-Presidentes Superintendentes executivos Chefes de Departamento e de Órgãos de Mesmo Nível Diretores Regionais Coordenadores de Grupo de Trabalho (Designado pelo Presidente, Diretor, Supex ou Chefe do GAPRE) Coordenadores de Comitê Coordenadores de Comissão Gerentes Corporativos Coordenadores Regionais Coordenadores de Grupo de Trabalho (Designado por Chefe de Departamento) Gerentes regionais e chefes de órgãos de mesmo nível Chefes de REVENs Chefes de Unidades Operacionais (Exceto ACF, ACS, PC e PVP) Podem assinar correspondências internas destinadas para Qualquer autoridade da hierarquia funcional Presidente Vice-Presidentes Superintendentes Executivos Autoridades gestoras de órgãos de mesmo nível Órgãos subordinados administrativa ou tecnicamente Autoridades imediatamente superiores, da mesma DR e/ou da mesma área Autoridades gestoras de órgãos de mesmo nível Órgãos subordinados administrativa ou tecnicamente Autoridades imediatamente superiores da mesma DR Autoridades gestoras de órgãos de mesmo nível Órgãos subordinados administrativa ou tecnicamente A CARTA é o instrumento de comunicação escrita para comunicação com ACF, ACS, PC e PVP!

18 87 2 Diretor Regional A 1 2 Diretor Regional B 2 Gerente A DR A 5 5 Gerente A DR B 4 3 Gerente B DR B Chefe de Seção Chefe de Seção Neste exemplo o uxo das correspondências internas, de acordo com a tabela de competência, acontece entre: Diretoria Regional A e B, órgãos do mesmo nível; diretorias e suas gerências; gerências da mesma diretoria; gerências de diretorias diferentes; gerências e respectivas seções. Tabela de competências para Emissão de Correspondência Externa As funções de Presidente Vice-Presidentes Diretores Regionais Chefes de Regiões Operacionais Chefes de Regiões de Vendas Chefes de Agências (localizadas fora do município-sede das REVENs à qual estão subordinadas) podem assinar correspondências externas destinadas para Órgãos da administração pública (federal, estadual e municipal) Pessoas físicas e jurídicas Dirigentes da administração pública, que exerçam funções equivalentes a seu nível hierárquico Pessoas físicas e jurídicas no âmbito de sua área de jurisdição

19 88 Práticas Administrativas Veja os exemplos a seguir: 1. DIRETORIA REGIONAL A Governdador do Respectivo Estado da DR Diretor Regional A João da Silva Prefeitura de área atendida pela DR Presidente da Empresa X LTDA B Região de Venda REVEN Prefeitura Localizada na sede da respectiva Região de Venda 2. ADMINISTRAÇÃO CENTRAL C Governador do Estado X Presidente da Empresa X LTDA Presidente dos Correios João da Silva Prefeito do Município Y

20 89 Nesta lição você aprendeu que: Os instrumentos de correspondências utilizados nos Correios» para comunicação interna: Noti cação Interna, Comunicação Interna e Carta-Circular;» para comunicação externa: Carta, Ofício, Telegrama, Cartão Social, Cartão de visitas e Convite para eventos.» e o fax-post podem ser usados em ambas as situações (comunicações internas e externas), desde que seguidas as regras do Manual de Comunicação. A Comunicação Interna é um dos instrumentos de correspondências mais utilizados nas atividades diárias. Você deve observar a correta utilização das correspondências (internas e externas) e os padrões de nidos. Existem critérios gerais aplicados em todos os instrumentos e os especí cos a cada um. Você deve cumprir a hierarquia para a assinatura e o encaminhamento das correspondências nos Correios.

21 90 Práticas Administrativas EXERCÍCIO Instruções: 1. Este exercício tem o objetivo de consolidar a sua aprendizagem. 2. Após a conclusão, veri que as Respostas e Comentários das Atividades de Autoavaliação da Aprendizagem, disponíveis no nal deste livro didático. 3. Se necessário, retorne aos conteúdos para reforçar a sua aprendizagem. 4. Este exercício não valerá nota. Questão nº 1 Identi que a alternativa que apresenta somente instrumentos de correspondência utilizados nos Correios: A. ( ) Ofício, Boletim Interno BI, Carta, , Telegrama, Fax e Noti cação Interna NI B. ( ) Ofício, Comunicação Interna CI, Carta, , Telegrama, Fax e Noti cação Interna NI C. ( ) Relatórios, Comunicação Interna CI, Carta, , Telegrama, Fax e Noti cação Interna NI D. ( ) Relatórios, Boletim Técnicos, Carta, , Telegrama, Fax e Noti cação Interna NI

22 91 Questão nº 2 Associe os instrumentos de correspondência às suas respectivas características, relacionando a segunda coluna de acordo com a primeira. (A) NI Noti cação Interna (B) CI Comunicação Interna (C) (D) Ofício (E) Carta ( ) Evitar o uso constante de letras maiúsculas. Existe uma vinculação entre o signi cado de seu uso no correio eletrônico e o ato de gritar. ( ) Sua tramitação pauta-se pela rapidez e simplicidade de procedimentos burocráticos. Deve ser usada pela praticidade de emissão e pelo fácil sistema de controle que oferece. ( ) Utilizado para comunicação com entidades da Administração Pública Direta e Indireta e órgãos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. ( ) Utilizada para comunicação com entidades de direito privado e pessoas físicas, em âmbito nacional e internacional. ( ) Deverá ser evitada sua emissão para o encaminhamento de documentos. Para isso, deve ser utilizada a NI ou a Lista de Remessa, formulários próprios para esse m. ( ) Evitar toda e qualquer atividade que possa contribuir para o congestionamento da rede ou para a ocupação desnecessária dos recursos do sistema.

23 92 Práticas Administrativas Questão nº 3 Analise a CI e responda o que se pede: Com base na CI apresentada acima e no conteúdo que você estudou, assinale as alternativas que indicam o CORRETO preenchimento das partes de uma CI. A. ( ) Remetente/Destinatário (De / Ao). B. ( ) Identi cação da CI. C. ( ) Localidade e data (alinhamento à esquerda). D. ( ) Corpo do texto (fonte Arial 11 e alinhamento dos parágrafos). E. ( ) O fecho e assinatura (centralizados).

24 93 Questão nº 4 Analise o quadro e marque a(s) alternativa(s) que identi ca(m) a situação com o uso adequado e a respectiva competência para emissão do documento de correspondência. AMBIENTE INTERNO AMBIENTE EXTERNO CI (interno) (interno e externo) OFÍCIO (externo) Órgãos Públicos Departamento Diretoria Regional CARTA (externo) Instituição Privada Comunicação Internacional Pessoa Física Gerência Seção (interno e externo) Órgãos Públicos Pessoa Física Instituição Privada Comunicação Internacional A. ( ) O Diretor Regional encaminha uma carta ao cliente João de Jesus respondendo aos questionamentos, referentes ao concurso público, direcionados àquela diretoria. B. ( ) O Gerente de Recursos Humanos encaminha um ofício ao diretor regional solicitando autorizar participação de empregado em um curso externo. C. ( ) O Gerente do CDD encaminha uma CI ao Presidente da Empresa solicitando liberação de empregados. D. ( ) O Presidente dos Correios despacha o encaminhamento de uma carta aos empregados, um ofício ao Ministério Público e uma carta à uma escola que buscava patrocínio.

25 94 Práticas Administrativas Questão nº 5 Identi que corretamente a sequência para a consulta dos Formulários Eletrônicos na Rede Corporativa. A. Clique na opção Formulários Eletrônicos B. Selecione o formulário desejado e salve na área de trabalho. C. Acesse o endereço D. Selecione a Lista de Formulários Eletrônicos WORD ou BROf ce ( ) D, A, C, B ( ) A, D, C, B ( ) C, A, D, B ( ) D, A, C, B

26 95 Você chegou ao nal da lição 4! Faça, agora, uma autoavaliação da sua aprendizagem. Relembre os objetivos de aprendizagem apresentados no início desta lição: Associar os instrumentos de correspondências dos Correios às suas respectivas características. Identi car a estrutura da Comunicação Interna (CI). Identi car os critérios gerais e especí cos para a utilização dos instrumentos de correspondências. Relacionar as competências para emissão de correspondências (internas e externas) às respectivas permissões. Identi car o acesso aos formulários eletrônicos. Veri que agora: Se você então atingiu os objetivos de aprendizagem desta lição, prossiga ao estudo da Lição 5, onde você estudará sobre documentos de divulgação dos Correios. não atingiu os objetivos de aprendizagem desta lição, retorne aos conteúdos necessários para reforçar a sua aprendizagem.

27 96 Práticas Administrativas

Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios

Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios 97 Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: Associar os instrumentos de divulgação utilizados nos Correios às suas respectivas características.

Leia mais

APRESENTAÇÃO. questões que constantemente chegam ao Suporte de Informática do Órgão Central.

APRESENTAÇÃO. questões que constantemente chegam ao Suporte de Informática do Órgão Central. APRESENTAÇÃO O presente documento Aplicativos de E-mail / Webmail Nível Básico Perguntas e Respostas tem como principal objetivo disponibilizar aos servidores das Escolas Estaduais do Estado de Minas Gerais

Leia mais

Manual Configuração Contábil

Manual Configuração Contábil Manual Configuração Contábil MAIO/2013 Sumário Sumário... 2 1. Introdução... 3 2. Funcionalidades... 3 3 Configuração... 3 2 1. Introdução Visa auxiliar o usuário a realizar configuração de uma Nova Empresa

Leia mais

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS - MDA - SPOA - CGMI SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL DO USUÁRIO Administrador do Sistema BRASÍLIA, AGOSTO DE 2007 Versão 1.0 SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

Leia mais

Certificação Digital CETIP. Cartilha de Segurança Digital

Certificação Digital CETIP. Cartilha de Segurança Digital CETIP Cartilha de Segurança Digital Versão: 18/12/2009 Conteúdo Certificação Digital... 1 Introdução...2 Certificação CETIP...3 iii 1 Introdução Atualmente os computadores e a Internet são imprescindíveis

Leia mais

Manual MQS. Logo após colocar essas informações abrirá a página inicial do sistema:

Manual MQS. Logo após colocar essas informações abrirá a página inicial do sistema: Manual MQS Para acessar o sistema MQS na versão em PHP, basta clicar no link: www.mqs.net.br/plus. Colocar login e senha que foram fornecidos por email. Logo após colocar essas informações abrirá a página

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC- Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS- Departamento de Relacionamento com o

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC- Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS- Departamento de Relacionamento com o DERUS- Departamento de Relacionamento com o Usuário DERUS- Departamento de Relacionamento com o Usuário Sumário: Gerando um arquivo PDF 3 Como assinar digitalmente um documento PDF 17 O Assinador Livre

Leia mais

Sistema Nacional de Informação em Vigilância Sanitária

Sistema Nacional de Informação em Vigilância Sanitária Sistema Nacional de Informação em Vigilância Sanitária Manual para Gestores e Usuários VISA Alagoas Versão 0.1 Página - 1 Manual elaborado com o objetivo de capacitar os Gestores e Usuários no Sistema

Leia mais

Transmissor PrestContas. Manual do Usuário MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL

Transmissor PrestContas. Manual do Usuário MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL Transmissor PrestContas Manual do Usuário Versão do documento 1.0 1/14 Sumário 1.Introdução...3 2. Requisitos...3 3. Instalação...3 4. Utilização...4 4.1 Iniciar Aplicativo...4 4.2 Informar configurações

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-501-R00 MAPEAMENTO DE PROCESSOS DA SGP 01/2016 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 07 de janeiro de 2016. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

SICAP - MÓDULO CARDUG. CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras

SICAP - MÓDULO CARDUG. CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras SICAP - MÓDULO CARDUG CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras Apresentação Caro Aluno, Confeccionamos este capítulo para servir de apoio a você, aos gestores e responsáveis das unidades

Leia mais

idcorreios idcorreios Segurança de Acesso ao Portal dos Correios

idcorreios idcorreios Segurança de Acesso ao Portal dos Correios 1 Segurança de Acesso ao Portal dos Correios MANUAL DO USUÁRIO 2015 2 Apresentação: O é um mecanismo de autenticação e autorização única de usuários para acesso ao Portal Correios e seus serviços. O serviço

Leia mais

Cadastro de Usuário e/ou Troca de Lotação no SGP-e

Cadastro de Usuário e/ou Troca de Lotação no SGP-e SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO - SEA Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Cadastro de Usuário e/ou Troca de Lotação no SGP-e Apresentação Este documento tem como objetivo auxiliar os usuários

Leia mais

port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS

port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS port 617-2007 - ANVISA - ATENDIMENTO AO PÚBLICO - POLÍTICA - REGRAS PORTARIA ANVISA Nº 617, DE 30 DE AGOSTO DE 2007 DOU 03.09.2007 Dispõe sobre a Política de Atendimento ao Público da Agência Nacional

Leia mais

Etapa 1: Criação do bloco e escolha da(s) unidade(s) que devem assinar os documentos

Etapa 1: Criação do bloco e escolha da(s) unidade(s) que devem assinar os documentos Passo-a-passo para a utilização do Bloco de Assinatura Etapa 1: Criação do bloco e escolha da(s) unidade(s) que devem assinar os documentos 1- Para criar um Bloco de Assinatura, o primeiro passo é clicar

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Núcleo de Tecnologia da Informação Gerenciamento do Conteúdo de Sítios Institucionais Versão 1.4 Atualizado em: 8/10/2015 Sumário Sumário................................................

Leia mais

Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/2011

Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/2011 Orientações para Pagamento de Diárias e Prestação de Contas Versão nº 05, 06/04/20 Sumário I - REQUISIÇÃO DE DIÁRIA / PAGAMENTO DE DIÁRIA... Solicitante (Servidor que irá realizar a viagem)... Aprovador

Leia mais

DIRETO. Manual do Usuário. PROCERGS Divisão 7

DIRETO. Manual do Usuário. PROCERGS Divisão 7 DIRETO Manual do Usuário PROCERGS Divisão 7 Este documento foi produzido pela PROCERGS Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 210-3100 http:\\www.procergs.com.br Sumário Sobre

Leia mais

Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial

Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial GESPÚBLICA EGM FAMEM Nova Ortografia - Atualização em Redação Oficial Prof. Tammy de Oliveira Cunha Ramos Licenciada em Letra s UERJ e Coordenadora da Escola de Gestão Municipal/FAMEM Origem Nossa Língua-

Leia mais

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO

MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO MANUAL DO SUPERVISOR DE ESTAGIÁRIO Rua Dr. Alberto Ferreira, 179 - Centro - 13480-074 - Limeira/SP - (19) 3404.9634 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO:... 4 2. PERGUNTAS E RESPOSTAS:... 4 1. O que é estágio?... 4

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

LGTi Tecnologia. Manual - Outlook Web App. Soluções Inteligentes. Siner Engenharia

LGTi Tecnologia. Manual - Outlook Web App. Soluções Inteligentes. Siner Engenharia LGTi Tecnologia Soluções Inteligentes Manual - Outlook Web App Siner Engenharia Sumário Acessando o Outlook Web App (Webmail)... 3 Email no Outlook Web App... 5 Criar uma nova mensagem... 6 Trabalhando

Leia mais

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio Curricular Supervisionado Estágio Curricular Supervisionado CURSOS TECNOLÓGICOS FACULDADE PROMOVE DE SETE LAGOAS 2016 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O presente regulamento normatiza o Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral da República, Dr. ROBERTO MONTEIRO GURGEL SANTOS:

Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral da República, Dr. ROBERTO MONTEIRO GURGEL SANTOS: MI 004/ASSPA/PGR Brasília/DF, 10 de outubro de 2010. Memorando de Instrução - MI 004 ASSPA/PGR Versão 2.0 Ementa: Sigilo bancário. Transmissor Bancário SIMBA. Manual do Usuário. Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral

Leia mais

Sistemas Corporativos da USP (Web)

Sistemas Corporativos da USP (Web) Sistemas Corporativos da USP (Web) O sistema de estágios remunerados da USP é fruto da colaboração das seguintes áreas da Reitoria da Universidade de São Paulo: Departamento de Recursos Humanos, Departamento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL 0 INSTRUÇÃO NORMATIVA 1 ÍNDICE 10/06 ASSUNTO S GENERALIDADES 1 1/2 PLANO DE NUMERAÇÃO 2 1/2 ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO 3 1/5 EMISSÃO 4 1/1 IMPLANTAÇÃO, MANUTENÇÃO E AVALIAÇÃO 5 1/3 DISPOSIÇÕES FINAIS 6

Leia mais

MANUAL DO SERIE ALIMENTAÇÃO

MANUAL DO SERIE ALIMENTAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO SECRETÁRIO ADJUNTO DIRETORIA DE APOIO AO ESTUDANTE ASSESSORIA DE ANÁLISE E ESTATÍSTICA GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 3 SUMÁRIO 1. ACESSO... 05 1.1 Alterar

Leia mais

Portal de Vendas Online

Portal de Vendas Online Portal de Vendas Online Manual do Representante Versão 1.0 Manual do Representante 2 Sumário Introdução ao Portal da Dorma... 3 Fluxo de Vendas... 3 Fluxo de Cadastro ou Alteração de Cliente... 4 Orientações

Leia mais

MANUAL DO PETICIONAMENTO ELETRÔNICO

MANUAL DO PETICIONAMENTO ELETRÔNICO 2013 MANUAL DO PETICIONAMENTO ELETRÔNICO Via Sistema de Automação da Justiça (SAJ) DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL Homero Lupo Medeiros Defensor Público de Primeira Instância SUMÁRIO

Leia mais

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

ENTENDENDO A CERTIFICAÇÃO DIGITAL NO TST

ENTENDENDO A CERTIFICAÇÃO DIGITAL NO TST 1 ÍNDICE 1. O que é certificado digital? 2. Para que serve o certificado digital? 3. Para que serve o certificado digital no âmbito do TST? 4. Qual a legislação que envolve a certificação digital? 5. O

Leia mais

Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens

Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens MANUAL: Gerenciamento de Deslocamentos e Viagens Administrador do Sistema de Viagens Versão: 1.0 Sumário Apresentação... 1 1. Acesso ao sistema... 2 2. Perfis do sistema... 2 3. Configurando o sistema

Leia mais

Advogado - Procurador

Advogado - Procurador Advogado - Procurador Conteúdo 1 Cadastro do Advogado 1.1 Verificar requisitos para o Cadastro 1.2 Orientação ao Advogado sobre os Links de instalações 1.3 Preencher o Formulário de Cadastro 1.4 Visualizar

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0)

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0) Parte:Manual Atualização: OriginalPágina 1 Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária () Instalação Se houver alguma versão do FireBird Instalada na máquina desinstale antes de

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.2. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.2. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.2 ExpressoMG 16/12/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Manual do Módulo de Extensão (SiEX) do Sistema de Informação e Gestão de Projeto - SIGPROJ Avaliação e seleção de propostas de

Leia mais

Escritório Virtual - Apresentação. Acesso ao Portal do Escritório Virtual

Escritório Virtual - Apresentação. Acesso ao Portal do Escritório Virtual Página2 Escritório Virtual - Apresentação O escritório Virtual visa uma aproximação entre o escritório e seus clientes, possibilitando encurtar caminhos para envio e recebimento de arquivos e informações

Leia mais

Norma de Procedimento

Norma de Procedimento PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA Código Secretaria Municipal de Administração Assessoria de Planejamento Organizacional Assunto CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO/RENOVAÇÃO/RESCISÃO DE TERMO DE COMPROMISSO 1. Finalidade:

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

2. Desenvolver Pesquisa de Campo sobre uma pequena empresa conforme modelo de pesquisa anexo.

2. Desenvolver Pesquisa de Campo sobre uma pequena empresa conforme modelo de pesquisa anexo. 1 1. ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2. OBJETIVO Resolução nº 01 de 02/02/2004 do Conselho Nacional de Educação CNEC/CN/MEC. Proporcionar ao estudante oportunidade de desenvolver suas habilidades, analisar situações

Leia mais

SECRETARIA DA PRIMEIRA INSTÂNCIA

SECRETARIA DA PRIMEIRA INSTÂNCIA CRIAÇÃO DE MODELOS DE DOCUMENTOS E CONFIGURAÇÃO DE ATOS PROCESSOS DIGITAIS SISTEMA SAJ/PG-5 1 CRIAÇÃO DE MODELOS DE DOCUMENTOS E CONFIGURAÇÃO DE ATOS PARA PROCESSOS DIGITAIS A criação de modelos de grupo

Leia mais

Treinamento de Administrador. Zoho CRM

Treinamento de Administrador. Zoho CRM Treinamento de Administrador Zoho CRM Objetivos Apresentar os principais recursos do CRM a fim de propiciar ao administrador do sistema autonomia para: Criar e alterar campos; Acrescentar, renomear e customizar

Leia mais

M A N U A L D O U S U Á R I O

M A N U A L D O U S U Á R I O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte Secreta ria de Informática Departamento de Desenvolvimento de Sistemas e Aplicativos Última atualização: Abril/2007 Este Manual foi elaborado pelo Departamento

Leia mais

SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS

SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS SISTEMA CADASTRO INTEGRADO MANUAL DO USUÁRIO DAS ENTIDADES ESTADUAIS E MUNICIPAIS, PREFEITURA E CORPO DE BOMBEIROS Abril / 2008 1 INDICE Objetivo do Sistema de Registro de Contribuinte na Junta Comercial...3

Leia mais

ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS

ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS Localize o processo no sistema. Na capa do processo em INFORMAÇÕES ADICIONAIS clique na opção DEPÓSITO JUDICIAL. 1. CADASTRANDO CONTAS JUDICIAIS 1.1- Na tela

Leia mais

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML Observação: O arquivo XML da nota fiscal deve estar salvo em seu computador. Se o seu fornecedor não enviou o arquivo por e-mail, você pode obter o arquivo pela internet,

Leia mais

Treinamento Outlook Express

Treinamento Outlook Express Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS Treinamento Outlook Express Série A. Normas e Manuais Técnicos Brasília DF 2003 1 2003. Ministério da Saúde. É permitida a reprodução

Leia mais

Dezembro/2014 Versão 1.0

Dezembro/2014 Versão 1.0 Orientações de Preenchimento do Questionário de Detalhamento da Estrutura de Gestão de Riscos Orientações da Susep ao Mercado Dezembro/2014 Versão 1.0 Sumário: 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável...

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO 1ª Versão 2 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO 2

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA Versão.0 Sistema de Controle de Concessão de Adiantamentos Sumário O Sistema CCA ----------------------------------------------------- 3 Iniciando a operacionalização do

Leia mais

SERVIÇOS REQUERIMENTO

SERVIÇOS REQUERIMENTO Certidão e Reimpressão de Documentos 1 / 17 todos os direitos reservados. ÍNDICE Introdução... 3 Acesso Restrito... 4 Cadastro... 4 Serviços Requerimento... 6 Certidão Web... 7 Certidão Simplificada...

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Manual de Construção de Vitrine Virtual

Manual de Construção de Vitrine Virtual Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior Manual de Construção de Vitrine Virtual

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SECRETARIA GERAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÕES ADMINISTRATIVAS

Leia mais

Manual de utilização do Sistema de Informação em Ciência e Tecnologia - SISC&T. Perfil: consultor ad-hoc Avaliação do projeto PPSUS

Manual de utilização do Sistema de Informação em Ciência e Tecnologia - SISC&T. Perfil: consultor ad-hoc Avaliação do projeto PPSUS Ministério da Saúde Manual de utilização do Sistema de Informação em Ciência e Tecnologia - SISC&T Perfil: consultor ad-hoc Avaliação do projeto PPSUS Brasília, 28 de abril de 2009 Índice: Informações

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 29 de Abril de 2011. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO Disciplina no âmbito da UDESC o controle dos serviços de postagem e remessa

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA POSTAGEM DE CORRESPONDÊNCIAS E ENDEREÇAMENTO NO ÂMBITO DA UFG

ORIENTAÇÃO PARA POSTAGEM DE CORRESPONDÊNCIAS E ENDEREÇAMENTO NO ÂMBITO DA UFG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS CENTRO DE INFORMAÇÃO, DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVO ORIENTAÇÃO PARA POSTAGEM DE CORRESPONDÊNCIAS E ENDEREÇAMENTO NO

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e)

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) Diretoria Geral de Tributos Biguaçu, Janeiro de 2012 INTRODUÇÃO

Leia mais

Introdução Redação Redação Comercial Microsoft Word 2010

Introdução Redação Redação Comercial Microsoft Word 2010 Sumário Introdução... 1 ATA... 3 Circular... 5 DECLARAÇÃO... 8 REQUERIMENTO... 10 Envelopes... 11 MEMORANDOS... 13 PROCURAÇÕES... 16 OFÍCIO... 17 CARTA DE COBRANÇA... 19 ATESTADO... 22 ATESTADO... 23 CURRICULUM

Leia mais

1º Congresso Internacional e 2º Congresso Brasileiro da Raça Girolando.

1º Congresso Internacional e 2º Congresso Brasileiro da Raça Girolando. 1º Congresso Internacional e 2º Congresso Brasileiro da Raça Girolando. Normas para elaboração do Resumo Expandido INFORMAÇÕES GERAIS 1) Os resumos expandidos e a ficha de inscrição devidamente preenchida

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE COMPRAS

DIVULGAÇÃO DE COMPRAS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS DIVULGAÇÃO DE COMPRAS EVENTOS DE LICITAÇÃO, DISPENSA E INEXIGIBILIDADE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: COORDENADOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: COORDENADOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

1.1. Prestação dos seguintes serviços nos âmbitos nacional e internacional:

1.1. Prestação dos seguintes serviços nos âmbitos nacional e internacional: CONTRATO Nº 12/2010 - ANEXO Nº 08 TELEGRAMA VIA INTERNET e CARTA VIA INTERNET 1. Definições 1.1. Prestação dos seguintes serviços nos âmbitos nacional e internacional: a) Telegrama canal de acesso: Internet

Leia mais

NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103

NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103 MANUAL DE ORGANIZAÇÃO COD. 100 ASSUNTO: CORRESPONDÊNCIA COD: NOR 103 APROVAÇÃO: Resolução nº 024, de 02/09/03 NORMA DE CORRESPONDÊNCIA NOR 103 1/13 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 02 2. CONCEITUAÇÃO... 02 3.

Leia mais

Versão 8.2C-08. Domínio Atendimento

Versão 8.2C-08. Domínio Atendimento Versão 8.2C-08 Domínio Atendimento Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REDE SIRIUS Rede de Bibliotecas UERJ NProtec - Núcleo de Processos Técnicos

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REDE SIRIUS Rede de Bibliotecas UERJ NProtec - Núcleo de Processos Técnicos UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REDE SIRIUS Rede de Bibliotecas UERJ NProtec - Núcleo de Processos Técnicos TDELine Modelo de Padronização On-line para Teses e Dissertações Eletrônicas Guia do

Leia mais

Aquisição. Manual APC

Aquisição. Manual APC Sumário 1. ORÇAMENTO... 1 1.1 CADASTRO DAS VERBAS...3 1.2 UNIDADE ORGANIZACIONAL...4 1.1.1 Orçamento...6 2. SUGESTÕES DE COMPRA... 1 1.3 ITENS...3 2.1.1 VISUALIZAÇÃO...7 1.4 CONSULTA GERAL E GERAÇÃO DE

Leia mais

MÓDULO 3 Cadastros básicos

MÓDULO 3 Cadastros básicos MÓDULO 3 Cadastros básicos Agora que você já conhece o SCAWEB, demonstraremos como realizar os cadastros básicos do HÓRUS. Inicialmente, você precisará acessar o HÓRUS com o email e senha cadastrados no

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML

Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML Manual de instalação, configuração e utilização do Enviador XML 1. Conceitos e termos importantes XML Empresarial: é um sistema web (roda em um servidor remoto) de armazenamento e distribuição de documentos

Leia mais

Configurações dos Sistemas

Configurações dos Sistemas Configurações dos Sistemas Sumário configurações dos sistemas Este manual do Configurações dos Sistemas tem por objetivo explicar as informações referentes a configuração do ambiente, como por exemplo,

Leia mais

Manual do Sistema HDI Online / Worksite (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros )

Manual do Sistema HDI Online / Worksite (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros ) Manual do (Circulação: Corretoras parceiras da HDI Seguros ) HDI Seguros Departamento de Produto Automóvel Produto Auto Magda Dioclecio Martins 01 1/47 1. Introdução 1.1. Objetivo Aplicabilidades múltiplas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO DE SOLICITAÇÃO DE FORMULÁRIOS (SASF) USUÁRIOS MUNICIPAIS VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE EAD (Educação a Distância) ÍNDICE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE EAD (Educação a Distância) ÍNDICE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE EAD (Educação a Distância) ÍNDICE FORMAS DE ACESSO AO AMBIENTE EAD... 2 O AMBIENTE EAD... 2 TERMO DE COMPROMISSO... 3 CONHECENDO A HOME PAGE DO TREINAMENTO EAD... 3 ETAPAS

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS 1 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS TÍTULO I NATUREZA E OBJETIVO Art. 1º Os estágios curriculares supervisionados previstos

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Pré requisitos: Elaboração de questionário Formulário multimídia Publicação na internet Uso de senhas na Web Visualização condicionada ao perfil A

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO 11/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 06 de novembro de 2015. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual do Usuário QWCFP. Versão 1.2.0.1

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual do Usuário QWCFP. Versão 1.2.0.1 Padrão ix Q-Ware Cloud File Publisher Manual do Usuário QWCFP Versão 1.2.0.1 Copyright 2000-2014 Padrão ix Sistemas Abertos Ltda. Todos os direitos reservados. As informações contidas neste manual estão

Leia mais

Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno

Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno Objetivo Configurar Arquivos de Remessa; Gerar Arquivos de Remessa; Configurar Arquivo de Retorno; Receber arquivos de retorno do banco e efetuar a baixa das Contas

Leia mais

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário

Manual do Usuário do Produto EmiteNF-e. Manual do Usuário Manual do Usuário Produto: EmiteNF-e Versão: 1.2 Índice 1. Introdução... 2 2. Acesso ao EmiteNF-e... 2 3. Configurações Gerais... 4 3.1 Gerenciamento de Usuários... 4 3.2 Verificação de Disponibilidade

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA ELABORAÇÃO, CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DO PROJETO OLHAR BRASIL

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA ELABORAÇÃO, CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DO PROJETO OLHAR BRASIL MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA ELABORAÇÃO, CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DO PROJETO OLHAR BRASIL Ministério da Saúde Sumário 1. Apresentação... 3 2. Introdução... 4 3. Sistema de Informação para Elaboração,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 24 DE 8 DE SETEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM

RESOLUÇÃO N 24 DE 8 DE SETEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Reitoria RESOLUÇÃO N 24 DE 8 DE SETEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM Aprova a Norma Técnica NT 3/2015 que dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MATO GROSSO Janeiro 2012 Conteúdo Elaboração do projeto... 3 1. Acesso ao Sistema... 4 2. Tipo de Certificado... 4 2.1. Navegador padrão para acessar

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Balanço Energético Nacional 2012 Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Fevereiro de 2012 Apresentação O Balanço Energético Nacional BEN é o documento tradicional do setor energético brasileiro,

Leia mais

Guia para Utilização do Site. Apoio Integrado à Gestão Descentralizada do SUS

Guia para Utilização do Site. Apoio Integrado à Gestão Descentralizada do SUS Guia para Utilização do Site Apoio Integrado à Gestão Descentralizada do SUS Endereço: http://www.saude.gov.br/apoio Abaixo é apresentada a tela de entrada do Site de Apoio Integrado à Gestão Descentralizada

Leia mais

Portal dos Convênios SICONV

Portal dos Convênios SICONV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios SICONV Execução Processo de Compra, Contrato,

Leia mais

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Para acessar sua senha: 1. Entrar no portal Metodista online Acesse o site www.bennett.br. No lado superior direito aparecerá a janela da área de login,

Leia mais

Assinatura ainda não verificada

Assinatura ainda não verificada Assinatura ainda não verificada Adobe Reader versão 9 Atenção! Se Assinatura não válida for apresentado no painel de assinaturas do documento PDF significa que a assinatura ainda não foi verificada. Siga

Leia mais

Roteiro para encaminhamento de Projeto de Pesquisa ao CEP-FIPA

Roteiro para encaminhamento de Projeto de Pesquisa ao CEP-FIPA 1 Prezado Pesquisador: Comitê de Ética em Pesquisa CEP / FIPA Faculdades Integradas Padre Albino Fundação Padre Albino Rua dos Estudantes, 225 - Cep - 15.809-144 Catanduva SP Fone (17) 33113229 e-mail:

Leia mais

Manual do Usuário. Protocolo

Manual do Usuário. Protocolo Manual do Usuário Protocolo Índice de capítulos Parte I - Processos............................... 01 1 - Buscar................................ 01 2 - Listar................................ 02 3 - Abertura..............................

Leia mais

Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir:

Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir: ColREP Sistema Colore para Representantes Comerciais (INSTALAÇÃO). Pag. 1 Para fazer a INSTALAÇÃO do Sistema ColREP, leia com atenção os Passos a seguir: 1º Caso não esteja de posse od CD-Rom de instalação,

Leia mais

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL ENTIDADE. Versão 2.2.15

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL ENTIDADE. Versão 2.2.15 MANUAL Certificado de Origem Digital PERFIL ENTIDADE Versão 2.2.15 Sumário 1. Inicializando no sistema... 4 2. Perfil de Emissores do Sistema... 4 3. Analisando os certificados emitidos... 5 3.1. Certificados

Leia mais

1. REGISTRO DE PROJETOS

1. REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Nesta aplicação será feito o registro dos projetos/ ações de extensão, informando os dados iniciais do projeto, as classificações cabíveis, os participantes, a definição da região

Leia mais

FORMULÁRIO ONLINE DE CADASTRO INSTITUCIONAL

FORMULÁRIO ONLINE DE CADASTRO INSTITUCIONAL ACESSO AO PATRIMÔNIO GENÉTICO FORMULÁRIO ONLINE DE CADASTRO INSTITUCIONAL INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Sumário 1. Informações importantes... 1 2. Quem pode preencher o Formulário Online?... 1 3. Acessando

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais

MANUAL OPERACIONAL. Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais MANUAL OPERACIONAL Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais Tela 1. Abertura do Sistema Tela 2: 1. Arquivo: Selecione

Leia mais

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online.

Roteiro elaborado com o objetivo de auxiliar os convenentes no registro das prestações de contas no SIGPC Contas Online. FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE Roteiro de orientações ao convenente para prestação de contas do Programa Caminho da Escola no SiGPC Contas Online Roteiro elaborado com o objetivo de

Leia mais

Aoentrar na sua cx de email vc terá uma tela como a abaixo :

Aoentrar na sua cx de email vc terá uma tela como a abaixo : MANUAL DA SUA CX DE EMAIL ( ROUNDCUBE ) Aoentrar na sua cx de email vc terá uma tela como a abaixo : 1. No centro da tela temos a lista de mensagens. Nesta lista serão exibidas as mensagens das pastas

Leia mais

Ano 2010, Número 043 Brasília, quinta-feira, 4 de março de 2010

Ano 2010, Número 043 Brasília, quinta-feira, 4 de março de 2010 Ano 2010, Número 043 Brasília, quinta-feira, 4 de março de 2010 Página 66 AYRES BRITTO, PRESIDENTE- ARNALDO VERSIANI, RELATOR RICARDO LEWANDOWSKI CÁRMEN LÚCIA- FELIX FISCHER- MARCELO RIBEIRO. PUBLICAÇÃO

Leia mais