REGIMENTO INTERNO DA DIVULGAÇÃO DO CEAPIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGIMENTO INTERNO DA DIVULGAÇÃO DO CEAPIA"

Transcrição

1 REGIMENTO INTERNO DA DIVULGAÇÃO DO

2 REGIMENTO INTERNO DA DIVULGAÇÃO Histórico Na gestão de 2008/2009, através da Direção Cientifica, houve a preocupação de dar maior ênfase a divulgação na instituição. Foi a partir desta constatação, que se designou uma pessoa para essa finalidade conforme indicação da direção em exercício. Na ocasião, Andréia Nieckle, associada do, foi escolhida e assumiu essa função, pelo grande envolvimento que tinha em algumas atividades institucionais, tais como: participação do Boletim, organização de Jornadas, Festa de Confraternização. Inicialmente, a divulgação representada pela colega Andréia, ficou inteiramente ligada à Direção Científica, não tendo participação das reuniões de direção, uma vez que tal Direção ficava responsável de fazer essa integração entre direção e divulgação. Percebeu-se que, desta forma, não havia condições de se atingir as metas institucionais tampouco dar à divulgação o espaço necessário. Andréia, então, passou a participar das reuniões da direção, surgindo uma coordenação de divulgação ligada diretamente a presidência do. Pela primeira vez a divulgação teve um olhar mais atento na instituição, passando a ser pensada como uma prioridade. O trabalho iniciou pelo desenvolvimento da primeira versão do site do, partindo para a padronização de materiais de divulgação ( s, cartazes, lay out do folder do curso...). Começou, neste período, a parceria com o Caderno Meu Filho da ZH para responder perguntas aos leitores. A divulgação ficou responsável pela comunicação com gráficas para orçamentos e elaboração de material de divulgação das Jornadas Anuais. Passou essa coordenação a buscar patrocínio para as Jornadas, bem como a divulgar o em outros locais como escolas e universidades por meio da distribuição de cartazes sobre a instituição e o curso de Especialização. Começou a ser atribuição da divulgação auxiliar na organização da festa de confraternização do /formatura, realizando orçamentos dos locais e outros itens da festa. Ficou também acertado que a divulgação faria a comunicação entre os alunos do terceiro ano (formandos) e a Direção na elaboração da festa. No fim desta gestão, passou a se falar cada vez mais na necessidade em investir na divulgação, frente a sua crescente demanda. Avaliou-se a necessidade de um olhar mais técnico, mais especializado, tendo o profissional envolvido maior tempo para se dedicar a função. A partir deste cenário, a gestão de 2010/2011 teve a preocupação em investir na divulgação através da criação de uma Comissão de Divulgação com uma coordenação em contato direto com a Direção, participando de todas suas reuniões. O reconhecimento da necessidade de profissionalizar a divulgação no, bem como de modernizar sua imagem no mercado, mobilizou intensamente essa gestão, a qual passou a ter como uma de suas metas o cuidado e o investimento com os diversos aspectos envolvidos na divulgação.

3 Sem dúvida, priorizar a divulgação foi uma marca da gestão vigente, mas somente esse entendimento foi possível frente aos anos anteriores de trabalho realizados. Ao longo do ano de 2011, houve grande empenho em profissionalizar e modernizar os processos de divulgação no. Para tanto, foi contratada uma empresa para realizar, desenvolver e manter a nova versão do site de nossa instituição, bem como uma design gráfica para reformular toda a identidade visual do. Descrição A Divulgação é uma coordenação diretamente ligada à Direção do. O coordenador de divulgação designado pela Direção vigente conta, atualmente, com uma comissão composta por outros associados da instituição interessados em participar das atividades de divulgação. A comissão de divulgação se encontra em reuniões periódicas, desde o início da gestão 2010/2011, a fim de criar uma identidade de grupo de trabalho, possibilitando identificar a demanda institucional e criar procedimentos de divulgação necessários para dar conta desta. Atribuições 1. Divulgação de eventos internos e externos: A comissão de Divulgação fica encarregada dos diversos eventos da instituição a serem divulgados, sejam estes direcionadas ao público interno ou externo ao. Para tanto, toda e qualquer divulgação na instituição deve passar pelo consentimento da coordenação de divulgação que, por sua vez, se reportará à Direção. Do mesmo modo, toda e qualquer divulgação advinda de outras instituições deve ser submetido à apreciação da coordenação de divulgação. É de responsabilidade da coordenadoria de divulgação sob o auxílio da respectiva comissão, acompanhar e revisar os materiais de divulgação produzidos na instituição, bem como aqueles terceirizados em gráficas (folders curso, cartazes, etc) 2. Site: A comissão de Divulgação é responsável pela atualização permanente de todas as informações contidas no site da instituição, incluindo atender os questionamentos do público que acessa o link Fale Conosco ; contando atualmente com assessoria permanente de empresa especializada no ramo. 3. Organização de Eventos 3.1. Jornada: A comissão de Divulgação em pareceria com a Comissão Científica, que é coordenada pela Direção Científica, auxilia na organização da Jornada Anual do através da realização de orçamentos que se fizerem necessárias (folders,local, coquetel, coffe break entre outros); é de responsabilidade da divulgação acompanhar a elaboração do

4 material de divulgação e, quando necessário, terceirizar este serviço, bem como ajudar na distribuição deste nas instituições: cursos de formação, escolas, universidades, etc Festa de Confraternização: É tarefa da comissão de Divulgação auxiliar na organização da festa de Confraternização Anual e Formatura do. Para tanto, a coordenadora de divulgação fica em contato direto com os alunos do terceiro ano do curso, fazendo uma integração entre direção e alunos neste momento. Fica disponível da direção vigente o valor de 63 unidades de referência de atendimento para os alunos do terceiro ano organizarem sua festa de formatura, tendo maior autonomia neste processo. A festa será realizada conforme regimento da festa de Confraternização da Instituição, ver (Anexo I). Procedimentos de divulgação Para organizar e agilizar a divulgação interna e externa ao, criamos alguns protocolos a serem seguidos pelos associados: 1. Sobre a divulgação de eventos internos: O membro associado do interessado em divulgar alguma atividade interna deverá encaminhar sua solicitação para o informando os seguintes dados: o nome do solicitante, descrição do evento com seu título e texto a ser divulgado, data e hora do evento, instituições para onde se destina a divulgação. Ressaltamos ainda que a escrita do texto deve submeter-se a algumas padronizações: O texto será escrito em Arial, 12. Quando nos referirmos ao, deverá ser escrito todo em letras maiúsculas; Curso de Formação escrito em negrito com as iniciais maiúsculas Curso de Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência do, Núcleo de Estudantes em negrito com inicias maiúsculas; estagiários quando forem descritos como estagiários deve ser designados como estudantes de graduação do curso de psicologia; membros associados e externo descrito como membros associados do e interessados ou somente membros do e interessados. A solicitação deve ocorrer com 15 dias de antecedência para o prazo de divulgação do evento, uma vez que o material necessita ser confeccionado na secretaria do e autorizado pela direção responsável. Para maiores esclarecimentos consultar

5 PROTOCOLO DE DIVULGAÇÃO (Anexo 2). 2. Solicitação de divulgação de eventos externos: As solicitações de divulgação de eventos externos advindas de outras instituições são recebidas em nossa secretaria e encaminhas a coordenadora de divulgação semanalmente para que essa autorize a exposição destes materias, seja nos murais da instituição, seja via site no sublink outras instituições. A coordenadora de divulgação pode contar com auxilio da presidência para autorização deste tipo de divulgação. 3. Atualização do site: Para mantermos o site do em permanente atualização é necessário que as direções (Científica, Ensino e Ambulatório e, Administrativa) revisem o conteúdo relacionado a sua área e indique as alterações desejadas. Essas modificações devem ser encaminhadas para coordenadora de divulgação na última reunião de direção de cada mês. As direções devem também repassar para a Coordenação da divulgação as atualizações mensais referentes às suas direções bem como as datas dos eventos do próximo mês para compor a agenda mensal, que precisa ser organizada com dois meses de antecedência. 4. Cronograma das divulgações: Os eventos internos a serem divulgados através de devem seguir o cronograma estipulado pela comissão de divulgação junto à secretaria, a fim de organizar e padronizar nossas divulgações. Abaixo segue cronograma: Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Ciranda Cultural Evento aberto a interessados e membros Encontros com a comunidade Evento aberto a interessados e membros Reuniões Clínicas ou científicas Evento restrito aos membros Cursos/Grupos de Estudos Evento aberto a interessados e membros Macroequipe (Macro) Macroequipe Evento restrito aos membros Os eventos destinados ao publico interno (associados) e externo (comunidade em geral) são divulgados para todo o mailing da Instituição.

6 Sistemática de trabalho: A comissão de divulgação reúne-se presencialmente uma vez por semana. Nesse encontro são dividas tarefas, tais como: atualização do site, retornos do Fale Conosco, desenvolvimento de textos de cartazes solicitados, organização de divulgação externa à Instituição, entre outros. Para facilitar o funcionamento da Comissão, dividimos as tarefas entre suas participantes. Uma integrante é a responsável pela atualização do site junto à empresa responsável, enquanto outra responde aos s chegados através do Fale Conosco, a seguinte pelo acompanhamento da produção dos cartazes, e assim sucessivamente. É de responsabilidade da coordenadora trazer as demandas e solicitações provenientes da direção para o grupo durante a reunião, para que possa se atender às mesmas. As resoluções semanais da reunião da comissão de divulgação são registradas em um caderno que fica na Instituição, servindo de histórico de nossas atividades.

7 Anexo 1 PROTOCOLO DE FORMATURA E FESTA DE FINAL DE ANO A festa anual de confraternização e solenidade de formatura do será na segunda sexta feira de janeiro. Coquetel e Recepção de Convidados secretária da Direção e/ou ambas)- Boa noite... Pedimos a atenção de todos para darmos início à solenidade de formatura da --- Turma do Curso de Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência do Centro de Estudos Atendimento e Pesquisa da Infância e Adolescência. Para tanto, convidamos para compor esta mesa o Presidente do, --- o Diretor de Ensino, ---, o Paraninfo da Turma, ---, os professores Homenageados, ---, ---, --- e o/a funcionário homenageado. Convidamos os formandos a se dirigirem aos seus lugares. secretária da Direção e/ou ambas) - Passo a palavra para o presidente do, --- para dar início às festividades desta noite. Discurso do Presidente: Em nome do, dou as boas vindas para este grupo de alunos da - -- Turma do Curso de Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência, recém constituído e desejo a todas um bom curso e êxito na caminhada que agora iniciam: (segue a nominata dos alunos da nova Turma) Presidente - Neste momento como presidente do, declaro aberta esta solenidade de formatura da --- Turma do Curso de Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência do Centro de Estudos Atendimento e Pesquisa da Infância e Adolescência. secretária da Direção e/ou ambas) - passamos a palavra ao Diretor de Ensino, --- para leitura da Ata. Diretor de Ensino - Leitura da Ata.

8 secretária da Direção e/ou ambas) - Convidamos o Paraninfo da Turma, a entregar os diplomas para os formandos: (segue a nominata dos Formandos) secretária da Direção e/ou ambas) - Convidamos o orador --- para falar em nome da turma. secretária da Direção e/ou ambas) - Dando seguimento passamos a palavra ao paraninfo, ---. secretária da Direção e/ou ambas) - Convidamos os formandos e os componentes da mesa para assinarem a Ata. Diretor de Ensino - Damos por encerrada esta Solenidade de Formatura. secretária da Direção e/ou ambas) - Convidamos para o Jantar de Confraternização, desejando que compartilhemos todos deste momento festivo. Obrigado!

9 Anexo 2 PROTOCOLO DE DIVULGAÇÃO Tendo em vista a modernização da imagem do através de sua reprogramação visual, novos procedimentos de divulgação estão sendo adotados a fim de melhor atender a demanda institucional. Informamos que as divulgações, seja de setores ou eventos (solicitação de cartazes para vagas de estágio, reuniões ou comunicados de toda ordem) deverão ser requeridos através do Lembramos que, para tanto, será necessário o prazo mínimo de duas semanas para a elaboração do material via e cartaz. No texto desta requisição deverá constar: O nome do solicitante Descrição do evento com seu titulo e texto a ser divulgado Data e hora do evento Instituições para onde se destina a divulgação Importante ressaltar que a escrita do texto deve ser submetida as seguintes padronizações: O texto será escrito em Arial, 12. Quando nos referirmos ao Ceapia ele será escrito: (todo maiúsculas) Curso de formação: Curso de Especialização em Psicoterapia da Infância e Adolescência do. (inicias maiúsculas e negrito) Núcleo de estudantes: Núcleo de Estudantes (iniciais maiúsculas e negrito) Estagiário quando forem referidos enquanto estudantes: estudantes de graduação do curso de psicologia Membros associados e externos: membros associados do e interessados ou somente associados do e interessados.

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade Manual de Formatura Direção Diretora Executiva Renata Carla Castro Diretor Geral Pablo Bittencourt Diretor Acadêmico Ricardo Medeiros Ferreira Este manual tem a finalidade de orientar os procedimentos

Leia mais

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O COLAÇÃO DE GRAU O presente documento tem por objetivo orientar os acadêmicos quanto as normas e procedimentos relativos a Colação de Grau dos Cursos de Graduação do Instituto de Ensino Superior de Londrina

Leia mais

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Por meio deste documento, a Faculdade Campo Limpo Paulista FACCAMP define critérios e regulamenta as seguintes diretrizes para o Cerimonial de Colação de Grau. A Cerimônia

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.01/2010 Dispõe sobre Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau O Conselho

Leia mais

Normas da Assessoria de Comunicação

Normas da Assessoria de Comunicação Normas da Assessoria de Comunicação Julho de 2014 10 passos para uma boa comunicação na internet 10 passos para uma boa comunicação na internet 1) Normas para envio das informações que devem ser publicadas

Leia mais

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau.

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau. REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU Art. 1º A Colação de Grau é ato oficial, público e obrigatório para os acadêmicos que tenham concluído integralmente um Curso de Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMPRADORES E FORNECEDORES FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIFESP 2015 ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Dos Objetivos Específicos... 2 3. Dos Envolvidos

Leia mais

Regulamento Projeto interdisciplinar

Regulamento Projeto interdisciplinar Regulamento Projeto interdisciplinar 1 Apresentação O presente manual tem como objetivo orientar as atividades relativas à elaboração do Projeto Interdisciplinar (PI). O PI é o estudo sobre um tema específico

Leia mais

MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU A Colação de Grau é um ato oficial, público e obrigatório e integra as atividades dos cursos superiores e do calendário acadêmico da Faculdade.

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS DRH-SS-SE 0589-2012-01 A Diretoria de Recursos Humanos do SESI-SP abre

Leia mais

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS NÚCLEO DE PSICOLOGIA

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS NÚCLEO DE PSICOLOGIA 1. Do Horário: O NUPFAI funciona de segunda a sexta- feira das 8h 00 às 19h00 e aos sábados das 8h00 às 12h00. O horário poderá ser revisto pela coordenação do curso quando justificada a necessidade e

Leia mais

2) ATIVIDADES O Conselho Comunitário é um fórum de caráter consultivo e, por natureza a ele compete:

2) ATIVIDADES O Conselho Comunitário é um fórum de caráter consultivo e, por natureza a ele compete: PROTOCOLO PROTOCOLO DE CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO COMUNITÁRIO CONSULTIVO, CELEBRADO ENTRE AS EMPRESAS DO POLO PETROQUÍMICO DO SUL, SIGNATÁRIAS DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL, E OS MEMBROS DAS COMUNIDADES

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - Visita técnica é atividade complementar dos componentes curriculares dos cursos

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA FAPEPE FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE CAPITULO I INTRODUÇÃO Artigo 1 - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA - FESTA DE FORMATURA CONVITES UERJ

PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA - FESTA DE FORMATURA CONVITES UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS FACULDADE DE ENGENHARIA PROCEDIMENTOS PARA CADASTRO DE ALUNO CONCLUINTE COLAÇÃO DE GRAU REGISTRO NO CREA-RJ RECEBIMENTO DO DIPLOMA

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU Sobre normas gerais Art.1º- Os cursos de especialização lato sensu, oferecidos pela Faculdade Católica

Leia mais

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC)

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) O Diretor Geral, no uso das atribuições que lhe confere os incisos

Leia mais

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá 1 Esta norma regulamenta a realização dos eventos institucionais e oficiais da Universidade Federal de Itajubá, padronizando

Leia mais

ESTATUTO DA BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE BRASIL CAPITULO I. Da Apresentação

ESTATUTO DA BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE BRASIL CAPITULO I. Da Apresentação ESTATUTO DA BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE BRASIL CAPITULO I Da Apresentação Art. 1º O presente Estatuto orienta a organização, as competências e o funcionamento do da Biblioteca Virtual em Saúde Brasil (BVS

Leia mais

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete.

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete. O Diretor Presidente do Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras (IAESB) e o Diretor Acadêmico da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), no uso de suas respectivas atribuições estatutárias

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO POR MEIO DA WEB

ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO POR MEIO DA WEB ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO POR MEIO DA WEB 1 Com finalidade de auxiliar nas respostas às perguntas formuladas ou de esclarecer alguma dúvida sobre questões que não foram expressas

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA Como é sabido existe um consenso de que é necessário imprimir qualidade nas ações realizadas pela administração pública. Para alcançar esse objetivo, pressupõe-se

Leia mais

Manual de Formaturas

Manual de Formaturas Manual de Formaturas Rede Romano de Educação Manual de Formatura A conclusão do curso certamente é a celebração de uma grande conquista para o estudante e sua família. A cerimônia de Formatura é um dos

Leia mais

CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU

CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA CRITÉRIOS PARA ACEITAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU (Versão Professor) Botucatu - SP Junho 2015 SUMÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURAS

REGULAMENTO DE FORMATURAS Texto Aprovado CONSU 2008-24 de 24/11/2008 Texto Revisado CONSU 2011-19 de 09/06/2011 Texto Revisado CONSU 2014-01 de 31/03/2014 REGULAMENTO DE FORMATURAS 2014 Sumário Seção I Das Disposições Gerais...

Leia mais

EDITAL PARA ESTAGIÁRIOS BOLSISTAS ACC PERÍODO DE 04/09/2014 A 30 /07/ 2015

EDITAL PARA ESTAGIÁRIOS BOLSISTAS ACC PERÍODO DE 04/09/2014 A 30 /07/ 2015 EDITAL PARA ESTAGIÁRIOS BOLSISTAS ACC PERÍODO DE 04/09/2014 A 30 /07/ 2015 A pró-reitora do UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que as inscrições para o processo seletivo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS EDITAL Nº 001/14 PROEN/DE, de 17 de fevereiro de 2014. PROGRAMA

Leia mais

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção

Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção Verificação do Cumprimento e Avaliação dos Indicadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção JUSTIFICATIVA O método de verificação e avaliação dos

Leia mais

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA MANUAL DE FORMATURA INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura da Universidade Católica de Pelotas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Comissão de Educação Infantil Parecer CME/PoA n.º 012/2011 Processo n.º 001.011607.10.6 Renova a autorização

Leia mais

COLAÇÃO DE GRAU MARÇO DE 2016 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

COLAÇÃO DE GRAU MARÇO DE 2016 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA COLAÇÃO DE GRAU MARÇO DE 2016 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA # O QUE É COLAÇÃO E OUTORGA DE GRAU? É uma sessão acadêmica com dia, hora e local marcados pela Instituição, para conferir o grau aos concluintes

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO DE SELEÇÃO ORIENTADOR DE PÚBLICO

DESCRITIVO DO PROCESSO DE SELEÇÃO ORIENTADOR DE PÚBLICO DESCRITIVO DO PROCESSO DE SELEÇÃO ORIENTADOR DE PÚBLICO O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SESC para este processo seletivo. É de fundamental

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO CANTUQUIRIGUAÇU - CONDETEC CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGIMENTO DO CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO CANTUQUIRIGUAÇU - CONDETEC CAPÍTULO I DA NATUREZA REGIMENTO DO CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO CANTUQUIRIGUAÇU - CONDETEC CAPÍTULO I DA NATUREZA Art 1º - O Conselho de Desenvolvimento do Território CANTUQUIRIGUAÇU - CONDETEC é composto por entidades

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Departamento Regional de São Paulo GUIA DE REFERÊNCIA RÁPIDA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GUIA DO ALUNO Cubatão SP SUMÁRIO página 1. O QUE É ESTÁGIO SUPERVISIONADO?

Leia mais

RESOLUÇÃO N 17 DE 20 DE JULHO DE 2015, DA REITORA DA UFTM

RESOLUÇÃO N 17 DE 20 DE JULHO DE 2015, DA REITORA DA UFTM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO N 17 DE 20 DE JULHO DE 2015, DA REITORA DA UFTM Aprova a Norma Procedimental NP 50.03.015 Utilização de Serviços Gráficos.

Leia mais

COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA

COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA 1. INFORMAÇÕES GERAIS Cargo: ORIENTADOR DE PRÁTICA PROFISSIONAL Carga Horária: 40h semanais 8 horas diárias, de 2ª feira a sábado, podendo compreender

Leia mais

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Regulamento da Colação de Grau 2009 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

Regimento Interno do Encontro Estadual da Família Espírita - ENEFE. Capitulo I Do ENEFE e das Normas Regimentais

Regimento Interno do Encontro Estadual da Família Espírita - ENEFE. Capitulo I Do ENEFE e das Normas Regimentais Regimento Interno do Encontro Estadual da Família Espírita - ENEFE Capitulo I Do ENEFE e das Normas Regimentais Art. 1º - O ENCONTRO ESTADUAL DA FAMÍLIA ESPÍRITA (ENEFE) é coordenado pela Área de Educação

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG RESOLUÇÃO N o 04/2004, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO, AD REFERENDUM Estabelece normas para a Colação de Grau dos alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. O VICE-PRESIDENTE NO EXERCÍCIO

Leia mais

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos Manual de Formaturas Faculdades Opet Normas e procedimentos 2014 0 Prof. José Antonio Karam Presidente do Grupo Educacional Opet Profª Adriana Veríssimo Karam Koleski Superintendente Educacional do Grupo

Leia mais

O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho?

O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho? O que faz o Departamento Técnico de Medicina e Segurança do Trabalho? O DTMST é responsável pela realização dos exames médicos admissional, demissional e periódico, emissão dos abonos de atestados médicos

Leia mais

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR Data: 6 de Dezembro de 2011 Horário: 13:00 às 17:00 horas (hora de Brasília) Nome: e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo de pontos da prova é de 100 pontos (100%),

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL)

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO E LINGUAGEM (CEEL) TÍTULO 1 Da Instituição e seus Fins Art. 1 0 O Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL), criado em 2004, para integrar uma

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIOS. Lei de estágio 11.788/08

MANUAL DE ESTÁGIOS. Lei de estágio 11.788/08 MANUAL DE ESTÁGIOS Lei de estágio 11.788/08 O QUE É ESTÁGIO O estágio tem por finalidade proporcionar a complementação da formação acadêmica e permite que o estudante tenha acesso ao campo de sua futura

Leia mais

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Quando da adesão municipal ao programa suas atribuições são: Indicar e/ou selecionar o coordenador de turmas junto à Seduc;

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA REVISTA DO CEAPIA

REGIMENTO INTERNO DA REVISTA DO CEAPIA REGIMENTO INTERNO DA REVISTA DO CEAPIA PUBLICAÇÃO CEAPIA REVISTA DE PSICOTERAPIA DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA REGIMENTO INTERNO 1 Do Editor O editor deve ser membro titular do CEAPIA, tendo sido convidado

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Setembro de 2012 I - DA ELEIÇÃO ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ - 2012 REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º - A eleição do presidente da Fiocruz será autorizada e acompanhada pelo

Leia mais

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau;

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau; MANUAL DO FORMANDO A Colação de Grau é um ato oficial e obrigatório para Conclusão de Curso e obtenção de diploma realizado em Sessão Solene ou Colação Especial, em data, horário e local previamente autorizado

Leia mais

MANUAL DO PIM Programa de Integração com o Mercado

MANUAL DO PIM Programa de Integração com o Mercado MANUAL DO PIM Programa de Integração com o Mercado Curitiba 2015 Manual do PIM Regras Gerais 2 S U M Á R I O 1. O QUE É O PIM... 3 2. OBJETIVOS DO TRABALHO DE APLICAÇÃO TECNOLÓGICA... 3 3. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir:

1. DOS CURSOS, DA DATA, LOCAL E HORÁRIO PARA A REALIZAÇÃO DA MATRÍCULA. 1.1. A matrícula será realizada conforme a tabela a seguir: A Direção da Faculdade SATC, mantida pela Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, credenciada pela Portaria Ministerial n. 3.556 de 26/11/2003, publicada no D.O.U., em

Leia mais

Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis. Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta

Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis. Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta Cristiano Alfredo Rupp Gilberto Ramos Colaboração:???????

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS

GUIA DE BOAS PRÁTICAS GUIA DE BOAS PRÁTICAS A RODADA DE NEGÓCIOS A RODADA DE NEGÓCIOS É UM EVENTO EMPRESARIAL ORGANIZADO PARA PROMOVER NEGÓCIOS E PARCERIAS. Em um mesmo local estão empresas convidadas com interesse em comprar,

Leia mais

MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO

MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA COORDENAÇÃO DE INTERAÇÃO SERVIÇO ESCOLA-EMPRESA MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO COLINAS

Leia mais

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIVERSIDADE TIRADENTES CEUA/UNIT. Regimento Interno

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIVERSIDADE TIRADENTES CEUA/UNIT. Regimento Interno COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIVERSIDADE TIRADENTES CEUA/UNIT Regimento Interno I DA DEFINIÇÃO, NATUREZA E FINALIDADE: Art. 1º. A comissão de Ética no Uso de Animais da Universidade Tiradentes

Leia mais

A Diretora Geral da Faculdade do Guarujá, no uso de suas atribuições legais, após reuniões com os coordenadores de Curso RESOLVE

A Diretora Geral da Faculdade do Guarujá, no uso de suas atribuições legais, após reuniões com os coordenadores de Curso RESOLVE PORTARIA N.º 03/2010 Guarujá, 8 de fevereiro de 2010. Estabelece procedimentos para a realização dos Estágios obrigatórios definidos nos projetos pedagógicos dos cursos, nos termos regimentais. A Diretora

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACIC FACULDADE VISCONDE DE CAIRU FAVIC NÚCLEO DE EXTENSÃO PROJETO DE MONITORIA DO CURSO DE CIENCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACIC FACULDADE VISCONDE DE CAIRU FAVIC NÚCLEO DE EXTENSÃO PROJETO DE MONITORIA DO CURSO DE CIENCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACIC FACULDADE VISCONDE DE CAIRU FAVIC NÚCLEO DE EXTENSÃO PROJETO DE MONITORIA DO CURSO DE CIENCIAS CONTÁBEIS SALVADOR/ 2015 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...02 2. JUSTIFICATIVA...02

Leia mais

Coordenação Geral de Integração Escola-Comunidade - CGIEC MANUAL DE ESTÁGIO IFC CAMPUS CONCÓRDIA SC

Coordenação Geral de Integração Escola-Comunidade - CGIEC MANUAL DE ESTÁGIO IFC CAMPUS CONCÓRDIA SC MANUAL DE ESTÁGIO IFC CAMPUS CONCÓRDIA SC O ESTÁGIO O estágio é administrado pela Coordenação Geral de Integração Escola- Comunidade (CGIEC) e tem por objetivo visar o aprendizado de competências próprias

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR:

PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR: PESQUISA ASSOCIATIVISMO E REPRESENTAÇÃO POPULAR: Comparações entre a América Latina e a Índia Uma pesquisa internacional desenvolvido pelos institutos de pesquisa IDS CENTRO BRASILEIRO DE ANÁLISE E PLANEJAMENTO-CEBRAP

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FAIBI CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FAIBI CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FAIBI CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - O presente conjunto de normas da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 68 de 01/07/2013 - CAS RESOLVE:

RESOLUÇÃO N o 68 de 01/07/2013 - CAS RESOLVE: RESOLUÇÃO N o 68 de 01/07/2013 - CAS Regulamenta o Serviço Integrado de Atendimento ao Aluno e ao Egresso (SIAE), da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS JUNHO/2011 CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º. Os cursos de Pós Graduação Lato Sensu da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 164/2012 Dispõe sobre as normas e fixa o calendário e número de vagas para o Processo Seletivo/2013 dos cursos presenciais de graduação. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL. Comunicado

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL. Comunicado PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL Comunicado A Coordenação do Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde Mental da

Leia mais

EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015

EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015 EDITAL PARA MONITORIA PERÍODO DE MARÇO DE 2015 A JULHO DE 2015 A pró-reitora do UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que as inscrições para o concurso interno de monitoria

Leia mais

ORIENTAÇÕES FORMATURA FAED-UDESC 2012-1

ORIENTAÇÕES FORMATURA FAED-UDESC 2012-1 ORIENTAÇÕES FORMATURA FAED-UDESC 2012-1 ENSAIO GERAL DA FORMATURA Dia: 06 de agosto de 2012 (Segunda-feira) Local: Auditório da FAED Pauta: *19h às 20h30 - Ensaio dos procedimentos para a cerimônia - Aprendendo

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DO DIRETOR... 2 APRESENTAÇÃO... 2 PROVIDÊNCIAS LEGAIS... 2 COMISSÃO DE FORMATURA... 3 A ESCOLHA DO PATRONO... 3 A ESCOLHA DO PARANINFO...

Leia mais

AGRADECEMOS A GENTILEZA DE ELIMINAR QUALQUER VERSÃO DE CRONOGRAMA ANTERIOR A ESTA. OBRIGADO

AGRADECEMOS A GENTILEZA DE ELIMINAR QUALQUER VERSÃO DE CRONOGRAMA ANTERIOR A ESTA. OBRIGADO Curso: IESAM-PÓS-GRADUAÇÃO / CRONOGRAMA DE AULAS / Data de Atualização do Cronograma: V2. 21.05.2014 Gestão, Consultoria, Auditoria, Perícia e Fiscalização Ambiental E-mail: Celular: 91 96294489/ 80632361

Leia mais

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ?

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ? Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO 1- Como aderir à proposta AMQ? A adesão é realizada através do preenchimento e envio do Formulário de Cadastramento Municipal no site do projeto. O gestor municipal da saúde

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016

RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016 Resolução nº 03/2016 Pág. 1 de 06 RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016 Aprova Regulamento do Colegiado do Curso de Engenharia de Controle e Automação/CEng. A Presidente do Conselho do Ensino, da Pesquisa

Leia mais

Coordena as reuniões da Assembléia Geral (Comissão e todos os formandos da turma); Coordena e supervisiona as atividades da Comissão de Formatura.

Coordena as reuniões da Assembléia Geral (Comissão e todos os formandos da turma); Coordena e supervisiona as atividades da Comissão de Formatura. A comissão O primeiro passo é formar uma Comissão, escolhida pela(s) turma(s). Essa Comissão deve ser composta por pessoas disponíveis, responsáveis e interessadas em acompanhar todas as etapas do processo.

Leia mais

POLÍTICAS DE SELEÇÃO, AQUISIÇÃO, ATUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

POLÍTICAS DE SELEÇÃO, AQUISIÇÃO, ATUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO POLÍTICAS DE SELEÇÃO, AQUISIÇÃO, ATUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO ELABORAÇÃO Janine Silva Figueira Vitória 2015 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ESCLARECIMENTO 2. 3) Qual o prazo para a Telebrás informar a empresa sobre sua qualificação ou desqualificação?

ESCLARECIMENTO 2. 3) Qual o prazo para a Telebrás informar a empresa sobre sua qualificação ou desqualificação? ESCLARECIMENTO 2 1) De acordo com o item 1.2 do Termo de Referência 002 3800/2015, emitido no dia 05 de Junho de 2015, e publicado com o Edital de Pré Qualificação no site da Telebrás, no dia 10 de Agosto

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS)

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS) C Â M A R A D O S D E P U T A D O S COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS) Senhor Presidente, Solicita que seja apreciada a implantação do Blog da Comissão de Educação

Leia mais

-------------------------------------------------------------------------------- RESOLUÇÃO CFM Nº 1772/2005

-------------------------------------------------------------------------------- RESOLUÇÃO CFM Nº 1772/2005 Normas para certificado de atualização profissional O Conselho Federal de Medicina aprovou, em sessão plenária encerrada no dia 12 de agosto, a Resolução 1772/2005, que institui o certificado de atualização

Leia mais

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Política de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC A FACULDADE DINÂMICA prevê mecanismos efetivos de acompanhamento e de cumprimento do Trabalho de Conclusão de Curso, que no momento da construção do seu

Leia mais

AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL

AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS - UFT PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM PERICIA, AUDITORIA E GESTÃO AMBIENTAL EDITAL nº 1/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO A Fundação Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE NUTRIÇÃO CURRÍCULO 2 I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Nutrição é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA

COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA COMUNICADO DE SELEÇÃO INTERNA I. INFORMAÇÕES GERAIS 1 Vaga Cargo: ESPECIALISTA EM SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS Campo de Atuação: INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Lotação: Centro de Treinamento

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I. Da Natureza e Finalidades

REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I. Da Natureza e Finalidades REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidades Art. 1º A educação semipresencial é a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos

Leia mais

Regimento do PQS Programa da Qualidade SESCAP-CE

Regimento do PQS Programa da Qualidade SESCAP-CE Regimento do PQS Programa da Qualidade SESCAP-CE www.sescapce.org.br Página 1 Regimento do PQS Índice: 1. Finalidade... 03 2. Objetivo... 03 3. Requisitos de Admissão... 03 4. Estrutura do PQS... 04 5.

Leia mais

Guia de Proteção às Marcas

Guia de Proteção às Marcas Guia de Proteção às Marcas Comitês Olímpicos Nacionais e Comitês Paralímpicos Nacionais versão 3 Guia de Proteção às Marcas Comitês Olímpicos Nacionais e Comitês Paralímpicos Nacionais Guia de Proteção

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais

Dispõe sobre a regulamentação para a área de gestão de recursos adultos à nível regional.

Dispõe sobre a regulamentação para a área de gestão de recursos adultos à nível regional. RESOLUÇÃO n.º 04/2008 Dispõe sobre a regulamentação para a área de gestão de recursos adultos à nível regional. 1. INTRODUÇÃO: O Presente documento estabelece, para o, as diretrizes que deverão ser observadas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SC Nº. 001/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS E EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES DE COMUNICAÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ. Versão: 01 Aprovação: 26/09/2011 Ato de aprovação: 26/09/2011 Unidade

Leia mais

Processo Seletivo FAEC 2016

Processo Seletivo FAEC 2016 Processo Seletivo FAEC 2016 EDITAL Nº 03/2015 18 de agosto de 2015 A Direção Geral da FAEC, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, de acordo com a legislação vigente e Regimento, torna público

Leia mais

autorizados terão acesso ao preenchimento do check list eletrônico. do evento deverá solicitar ajuda ao Apoio à Coordenação dos Cursos.

autorizados terão acesso ao preenchimento do check list eletrônico. do evento deverá solicitar ajuda ao Apoio à Coordenação dos Cursos. A PUC Minas no São Gabriel em seus sete anos de existência tem desenvolvido, por meio dos seus cursos de graduação, grande número de eventos acadêmicos e institucionais. Devido à complexidade dos eventos,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Diretoria Regional de Método Educativo Finalidade Regulamentar a forma de planejamento e execução de atividades escoteiras nos níveis, local, distrital,

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA REGIMENTO DA EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA EM DERMATOLOGIA EMC-D

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA REGIMENTO DA EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA EM DERMATOLOGIA EMC-D SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA REGIMENTO DA EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA EM DERMATOLOGIA EMC-D CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGIMENTO Art. 1º - O presente regimento tem por objetivo normatizar a Educação

Leia mais

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO ABRACO 00 de 0 OBJETIVO Esta norma estabelece a sistemática adotada pela Associação Brasileira de Corrosão ABRACO para o funcionamento do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação em Corrosão e Proteção.

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FLUXO DO TCC 6o SEM 7o SEM 8o SEM PESQUISA EM INFORMÁTICA Além da ementa da disciplina, o aluno desenvolverá uma proposta de pesquisa, que poderá ou não continuar a ser trabalhada nas disciplinas de TCC1,

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 3 - DAS INSCRIÇÕES... 3 4 - DO ACERVO... 3 5 - DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES... 4 6 - DA

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS SUMÁRIO Introdução... 2 Objetivos... 3 Abrangência... 3 Estrutura Organizacional e Competências... 3 NPA - 1 Fornecimento e Concessão de Convites... 13 NPA - 2 Nomeação de Diretores... 14 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP FACULDADE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ MANTENEDORA: INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E DA CIDADANIA IEC CNPJ: 02.684.150/0001-97 Maringá: Rua dos Gerânios, 1893 CEP: 87060-010 Fone/Fax:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS EDITAL Nº 01/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO A Universidade Federal do Tocantins UFT, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação PROPESQ, torna pública a abertura de inscrições para selecionar candidatos

Leia mais

Edital PIBID/UNISC nº 02/2015 Processo Seletivo de Bolsistas de Supervisão

Edital PIBID/UNISC nº 02/2015 Processo Seletivo de Bolsistas de Supervisão Edital PIBID/UNISC nº 02/2015 Processo Seletivo de Bolsistas de Supervisão 1 DAS NORMAS GERAIS 1.1 O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) visa fomentar a iniciação à docência

Leia mais