Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação mauroguedes@globo.com EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO"

Transcrição

1 EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO "Ciência, Tecnologia, Inovação e Suporte Logístico: possibilidades, estratégias e reais situações para o Exército Brasileiro e o parque industrial do Rio Grande do Sul" Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação 17 Agosto

2 DIRETORIA DE FABRICAÇÃ CENTRO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL / CDI

3 Ao contrário das Histórias Clássicas da II Guerra Mundial, que privilegiam os líderes políticos e militares, em Engenheiros da Vitória Kennedy procura iluminar o esforço daqueles que chama de solucionadores de problemas : cientistas, engenheiros, soldados, e homens de negócios que foram responsáveis por tornar possível a grande estratégia estabelecida em Casablanca

4 Fenômenos Naturais, Ambientais e Comportamentais (UNIVERSO) onde estão os PROBLEMAS Conhecimento Pesquisa Científica (Ciência) Desenvolvimento Experimental Empirismo Conhecimentos de natureza intuitiva Inovação Científico- Tecnológica Mão de Obra, Capital Matéria-Prima, Infraestrutura industrial... Tecnologia (novos materiais, processos...) Engenharia Produtos / Serviços para a sociedade (aplicação do conhecimento e das tecnologias) Comercialização Inovação do modelo de negócio Processos Inovadores MERCADO (Sucesso Exige INOVAÇÃO) Revista AGIR Inovação UFF, 2014

5

6 PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODE

7 Capacidade Militar

8 Capacidade Militar (Entendimento no mais alto nível / político estratégico Clausewitz / abordagem top down ) Ref DoD USA A habilidade de dar conta de um objetivo de guerra especificado. Esta capacidade militar possui 04 componentes: a. Estrutura da Força Composição das Forças - unidades / efetivo Brigadas, Divisões b. Modernização - Grau de sofisticação técnica das Força ( sistemas de armas / equipamentos. c. Prontidão o fato da Força estar pronta / preparada para cumprir a missão para qual foi projetada. d. Sustentabilidade - A capacidade de manter o nível de prontidão durante a atividade operacional.

9 Sensores DOTMLPF Análise de Inteligência DOTMLPF Processamento DOTMLPF Ambiente Decisões de Alto Nível DOTMLPF Atuadores DOTMLPF Decisões de Baixo Nível DOTMLPF

10 The ARCIC Capability Development Process New Agile Process A&ID / BMC Required Capabilities RCs The Deliberate JCIDs Process 10 10

11 Priorizando Capacidades com avaliação de Risco Lições Aprendidas Base Conceitual Programas Disponibilidade de Recursos $ CAPACIDADES NECESSÁRIAS O que a F Ter deve fazer? GAP Como tratar o GAP? Alto Risco para o Cumprimento da missão PARTE DO GAP COM RISCOS (NÃO ACEITÁVEIS) RISCO TOLERÁVEL NECESSITA MAIS RECURSOS $ NÃO NECESSITA MAIS RECURSOS $ CAPACIDADES DISPONÍVEIS ou que já estão programadas RISCOS ACEITÁVEIS Baixo Risco para o Cumprimento da missão Fonte: US Army Tradoc 2012

12

13 Dimensões do Poder de Combate Dimensão Temporal Treinamento Equipamento Pessoal Informação Doutrina Organização Infraestrutura Logistica T(zero) (HORAS) VANT ataca Navio Layers / bases de dados atualizadas Regras de engajamento atualizadas Conexões em rede estabelecida s T 1 (DIAS) Guarnição do VANT faz lançamento e controla Geradores de Imagem Posicionados Coalizão configura estratégias e ROE T 2 (MESES) Treinamneto s mais específicos Atualização e melhorias nos Softwares Desdobrame nto da Equipe do VANT Fusão de dados certificada Regras de engajamento acordadas Rede da coalizão estabelecida Logística operando T 3 (ANOS) Treinamento com Drones Incremento de Capacidades Seleção de Pessoal para a Guarnição do VANT Coalizão formada e com Staff definido Componente da Rede da OTAN desdobrados Elementos de Logística préposicionados T 4 (DÉCADAS) Treinamento Genérico Indústria desenvolve Drone e ILS: Indústria desenvolve imagens e suporte CONOPS consistentes com Regras de Engajamento OTAN pratica COCNOPS e ROE Componente da Rede da OTAN integrados Requisitos Logísticos Definidos

14 Projetos

15 Os Sete Projetos Estratégicos do Exército Recuperação da Capacidade Operacional da Força Terrestre: Visa a dotar as unidades operacionais de Produtos de Defesa imprescindíveis ao seu emprego operacional. Defesa Cibernética: Visa ao desenvolvimento do Setor Cibernético, cuja implantação no âmbito da Defesa está, como previsto na Estratégia Nacional de Defesa, sob coordenação e integração do Exército Brasileiro. Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras Terrestres (SISFRON): O SISFRON, além de fortalecer a presença do Estado na faixa de fronteira terrestre, incrementará a capacidade do Exército de monitorar áreas de interesse para a Defesa Nacional. Sistema Integrado de Proteção de Estruturas Estratégicas Terrestres (PROTEGER): O sistema PROTEGER destina-se à integração de esforços voltados para a proteção das Estruturas Estratégicas Terrestres do País, garantindo o funcionamento de infraestruturas e serviços essenciais ao desenvolvimento socioeconômico. Sistema de Defesa Antiaérea: A atualização do Sistema de Defesa Antiaérea e sua integração aos demais sistemas componentes do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro será fundamental para a Defesa Aérea do Brasil, sendo inclusive utilizados nos Grandes Eventos (Copa do Mundo e Jogos Olímpicos) a serem realizados nos próximos anos.

16

17

18 Resultados nos Projetos Viatura Leve Aerotransportável (VLEGA) CHIVUNK Reparo de Metralhadora Automatizado X ( REMAX) Vtr Módulo Telemática Operacional - MTO Reboque de Engenharia 1 ½ t Vtr MAGE Com

19 Resultados nos Projetos Viatura Leve Aerotransportável (VLEGA) CHIVUNK Arma Leve Anticarro (ALAC) AURORA

20 Morteiros e Munições Morteiro 81 mm e Munições Morteiro 60 mm e Munições Morteiros 60 a 120mm

21 Resultados nos Projetos Radar Secundário do SABER M200 Laboratório Móvel DQBN Optrônicos Radar SABER M60 e COAAe de Seção

22 Simulador SHEFE Homologação como FFS B

23 Simulador de Tiro de Armas Leves Módulo Pst e Módulo Fuzil

24 Torre Operada Remotamente e Estabilizada Canhão 30mm TORC30

25 Viatura Leve de Emprego Geral Aerotransportável (VLEGA) GAÚCHO

26 MSS 1.2 AC Míssil Superfície-Superfície 1.2 Anticarro

27 Radar de Vigilância Terrestre SENTIR M20

28 Radar SABER M200 Radar de Vigilância Antiaérea Longo Alcance SABER M200

29 INÍCIO: DEZ 2012 Rádio Definido por Software (RDS) ENTREGA PARCIAL: MAIO 2016 (Rádio Veicular VHF) CARACTERÍSTICAS: Protótipos de eqp veiculares para plataformas navais e terrestres baseados no conceito RDS; Capacidade de operação com Formas de Onda (FO) analógicas e digitais Hardware para operar nas faixas de HF, VHF e UHF (2 a 512 MHZ), porém software (FO) para operar apenas em VHF;

30 Acreditação Laboratório de Medidas Eletromagnéticas (LME): - Medida de Emissão Radiada (MIL-STD-461 RE 102) - Medida de Emissão Conduzida (MIL-STD-461 CE102

31 Acreditação Laboratório de Análises Químicas (LAQ): - Identificação de ácidos alquilfosfônicos, por Cromatografia Gasosa acoplada à Espectrometria de Massas

32 Acreditação Laboratório de Materiais (LM): - Medição da Dureza Rockwell na escala - Medição da Dureza Rockwell na escala

33 Acreditação Laboratório de Química Militar (LQM): - Determinação de velocidade linear de queim de propelentes pelo método strand burner

34 Assessoramento à DF REMAX

35 Assessoramento à DF CHIVUNK ALAC MRT 60mm

36 Assessoramento à DF FOGUETE 40 km ENTREGAS: MÍSSIL 300 km

37 NOVO MARCO C&T DO EB Pólo Científico e Tecnológico do Exército Brasileiro em Guaratiba (PCTEG)

38

39

40 DISPENSA (art. 24, XXVIII, Lei nº 8.666/93) INTERESSE PÚBLICO + FINALIDADE LEGAL: - Pedido de Informação (RFI) não vincula à Adm. Púb.; - Pedido de Proposta (RFP) vincula os critérios de contratação; - quem pode mais, pode menos - se a Adm. Púb. pode dispensar, com muito mais razão pode escolher mediante aclamação do Princípio da TRANSPARÊNCIA; - atendimento do INTERESSE PÚBLICO PRIMÁRIO.

41 TECNOLOGIA TENDÊNCIAS Fim da evolução exponencial da Tecnologia da Informação; - Amadurecimento da Revolução em Biotecnologia; e - Início de uma Revolução na área de Energias Alternativas Rand Corporation, 2011

42 EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO "Ciência, Tecnologia, Inovação e Suporte Logístico: possibilidades, estratégias e reais situações para o Exército Brasileiro e o parque industrial do Rio Grande do Sul" Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação 17 Agosto

ERA INDUSTRIAL ERA DO CONHECIMENTO

ERA INDUSTRIAL ERA DO CONHECIMENTO ERA INDUSTRIAL TRANSFORMAÇÃO DO EXÉRCITO Talvez a guerra não vos interesse, mas a -se se por vós. ERA DO CONHECIMENTO - ADAPTAÇÃO e MODERNIZAÇÃO seriam lentas e insuficientes. - Demandava-se um processo

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Assuntos de interesse das OM, gerenciados pelo DCT EPCOM 2013 1 Planejar, organizar, dirigir e controlar as atividades científicas e tecnológicas no âmbito do Exército.

Leia mais

Panorama da transferência de tecnologia - "ToT" Apresentação para os Parlamentares Brasileiros

Panorama da transferência de tecnologia - ToT Apresentação para os Parlamentares Brasileiros Panorama da transferência de tecnologia - "ToT" Apresentação para os Parlamentares Brasileiros 1 O Caminho para a Independência Tecnológica (I) : uma parceria estratégica completa entre o Brasil e a França

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS 4º ANO CONSOLIDANDO A INTEROPERABILIDADE ENTRE AS FORÇAS ARMADAS

MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS 4º ANO CONSOLIDANDO A INTEROPERABILIDADE ENTRE AS FORÇAS ARMADAS MINISTÉRIO DA DEFESA GEOINFORMAÇÃO USO DA GEOINFORMAÇÃO PELO MINISTÉRIO DA DEFESA GEOINFORMAÇÃO CONHECER O MINISTÉRIO DA DEFESA E SUAS PECULIARIDADES ; E CONHECER A APLICAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES

Leia mais

CTEX - LABORATORIO DE CONTROLE REMOTO DE SISTEMAS MILITARES

CTEX - LABORATORIO DE CONTROLE REMOTO DE SISTEMAS MILITARES CTEX - LABORATORIO DE CONTROLE REMOTO DE SISTEMAS MILITARES 1 a Adaptação e preparação dos sistemas de freio, direção, alimentação e direção da viatura, para permitir o controle RF e instalação dos atuadores

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR DATASUS Maio 2013 Arquivo: Política de Gestão de Riscos Modelo: DOC-PGR Pág.: 1/12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 1.1. Justificativa...3 1.2. Objetivo...3 1.3. Aplicabilidade...4

Leia mais

Soluções para gerenciamento de clientes e Impressão móvel

Soluções para gerenciamento de clientes e Impressão móvel Soluções para gerenciamento de clientes e Impressão móvel Guia do usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation.

Leia mais

CONSIDERAÇÕES O ESPECTRO COMO PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE; OS ÓRGÃOS PÚBLICOS SÃO MAIS LENTOS NA PRODUÇÃO DE SOLUÇÕES ALTERNATIVAS;

CONSIDERAÇÕES O ESPECTRO COMO PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE; OS ÓRGÃOS PÚBLICOS SÃO MAIS LENTOS NA PRODUÇÃO DE SOLUÇÕES ALTERNATIVAS; CONSIDERAÇÕES O ESPECTRO COMO PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE; OS ÓRGÃOS PÚBLICOS SÃO MAIS LENTOS NA PRODUÇÃO DE SOLUÇÕES ALTERNATIVAS; O SETOR PÚBLICO, COM DEMANDAS MENORES QUE O SETOR PRIVADO, TERÃO QUE SUPORTAR

Leia mais

S I S F R O N SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO DE FRONTEIRAS C R E D N / C D. 06 Mai 14 SENSORES

S I S F R O N SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO DE FRONTEIRAS C R E D N / C D. 06 Mai 14 SENSORES S I S F R O N C R E D N / C D 06 Mai 14 SENSORES SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO DE FRONTEIRAS O SISFRON é um sistema de sensoriamento, apoio à decisão e apoio à atuação integrada, para fortalecer a

Leia mais

OPERAÇÃO DE VANT ASPECTOS RELACIONADOS COM A SEGURANÇA OPERACIONAL

OPERAÇÃO DE VANT ASPECTOS RELACIONADOS COM A SEGURANÇA OPERACIONAL OPERAÇÃO DE VANT ASPECTOS RELACIONADOS COM A SEGURANÇA OPERACIONAL Luiz Munaretto - - - - - - - - - - Anais do 5º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2012) Direitos Reservados - Página 330 de 1112 - - -

Leia mais

A Guerra Eletrônica no Mundo

A Guerra Eletrônica no Mundo O ENSINO DE GUERRA ELETRÔNICA NO CIGE Perspectivas para o futuro Pedro Eduardo de Sousa Dias, Cap Com Ch Sec Psq do CIS Flávio Oliveira da Silva Netto, Cap Com Instr CIGE A Guerra Eletrônica no Mundo Nos

Leia mais

Drone AIR6 Aplicações na Área Pública

Drone AIR6 Aplicações na Área Pública Drone AIR6 Aplicações na Área Pública A mais conceituada fabricante de drones para uso profissional. Os drones da AIRBORNE ROBOTICS são fabricados na Áustria e oferecem voos automatizados para diversas

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITOBRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO ANEXO C À DECLARAÇÃO DE ESCOPO DO PENSE DICIONÁRIO DA EAP

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITOBRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO ANEXO C À DECLARAÇÃO DE ESCOPO DO PENSE DICIONÁRIO DA EAP 1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITOBRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO ANEXO C À DECLARAÇÃO DE ESCOPO DO PENSE DICIONÁRIO DA EAP Item Atividade / Pacote de Trabalho Descrição / Especificação

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20

T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20 T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20 T-55 Veículo de combate foi utilizado por exércitos de 70 países Foto: Egor Eriomov/RIA Nóvosti Por Aleksandr Korolkov Historiador Se alguém pudesse

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO Decreto nº 2.489/06 Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO I - CRITÉRIOS PARA DEFINIÇÃO DO BENEFÍCIO O benefício fiscal será definido em função do enquadramento

Leia mais

Realização Apoio Patrocínio 3 G A AAé Caxias do Sul Criação da Unidade de Artilharia Antiaérea, em 1950. Inicialmente estes alvos eram fornecidos pela FAB. Os B25 rebocavam um alvo chamado Biruta. 1972:

Leia mais

Possibilidades futuras dentro das transformações do Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro: uma visão da tríplice hélice

Possibilidades futuras dentro das transformações do Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro: uma visão da tríplice hélice Possibilidades futuras dentro das transformações do Sistema de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro: uma visão da tríplice hélice Gen Bda Helio de Assis Pegado Diretor de Fabricação SUMÁRIO A Diretoria

Leia mais

Modernização de Operações

Modernização de Operações Modernização de Operações O CAMINHO MAIS CLARO PARA PROTEGER O FUTURO Colocando Você no Caminho para a Modernização de Operações Valor Se você está lindando atualmente com problemas de obsolescência, ou

Leia mais

INSCRIÇÕES DEFERIDAS - 2ª OPÇÃO

INSCRIÇÕES DEFERIDAS - 2ª OPÇÃO INSCRIÇÕES DEFERIDAS - 2ª OPÇÃO MONITORIA ACADÊMICA 2015 11010912 Bacharelado em Ciência da Computação 11023612 Bacharelado em Ciência da Computação 11025711 Bacharelado em Ciência da Computação 11107811

Leia mais

Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR

Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR VBE L Pnt lançando a ponte Fonte: o autor Por Ígor Berta O Exército Brasileiro adquiriu como Carro de Combate as viaturas da família Leopard.

Leia mais

CTEx. CTEx Notícias. CTEx histórico e resultados. Informativo do Centro Tecnológico do Exército

CTEx. CTEx Notícias. CTEx histórico e resultados. Informativo do Centro Tecnológico do Exército CTEx CTEx Notícias Informativo do Centro Tecnológico do Exército Edição de Aniversário Rio de Janeiro RJ ANO I N o 2 16 de outubro de 2006 CTEx histórico e resultados Gen Bda Aléssio Ribeiro Souto Nesta

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA DE ENSAIOS GEOLÓGICOS

DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA DE ENSAIOS GEOLÓGICOS Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA

Leia mais

Data Versão Descrição Autor

Data Versão Descrição Autor Sistema de Controle de Pedidos SISCOP Versão 1.0 Termo de Abertura Versão 2.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 16/08/2010 2.0 Desenvolvimento do Termo de Abertura Adriano Marra Brasília,

Leia mais

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI)

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Coordenador: Paulo Celso Budri Freire Aprovada pelo Conselho do Departamento de Dermatologia da

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA ENTREGA ESPECIAL Na economia globalizada 24/7 de hoje, a logística e a gestão de armazéns eficientes são essenciais para o sucesso operacional. O BEUMER Group possui

Leia mais

CIO;Executivo de N 5 Identificar as dependências críticas e o desempenho atual 1 dia? Qua 01/09/10 Qua 01/09/10

CIO;Executivo de N 5 Identificar as dependências críticas e o desempenho atual 1 dia? Qua 01/09/10 Qua 01/09/10 Id Nome da tarefa Duração Início Término Predecessoras Qua, 01/Set Qui, 02/Set 18 0 6 12 18 0 6 12 1 Projeto de Implantacão da Governanca de TI com CobiT (Nível 3) 3 dias? Qua 01/09/10 Sex 03/09/10 2 PO

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe Cap João André França da Silva 1 RESUMO O presente trabalho visa apresentar alguns aspectos relacionados a modernização da artilharia antiaérea. Esta modernização

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO OPÇÕES DE PIVÔ PIVÔS ZIMMATIC BY LINDSAY ADEQUADOS PARA QUALQUER ÁREA Você pode acoplar componentes e acessórios para construir seu próprio sistema. Com Zimmatic, você escolhe seu

Leia mais

Como trabalhar Cultura de Processos por meio da Colaboração e Compartilhamento de Conhecimento

Como trabalhar Cultura de Processos por meio da Colaboração e Compartilhamento de Conhecimento Como trabalhar Cultura de Processos por meio da Colaboração e Compartilhamento de Conhecimento Abordagem com foco em Pessoas e Gestão da Mudança Fernando Barros de Sá Dr Ricardo Luiz Machado 27/11/2012

Leia mais

WSI. www.weldingservices.com. Criando Integridade Mecânica

WSI. www.weldingservices.com. Criando Integridade Mecânica WSI Energia Químico Petroquímico Papel & Celulose Siderurgia www.weldingservices.com Criando Integridade Mecânica Visão Geral A Aquilex WSI é fornecedora líder de serviços de recondicionamento e reparos

Leia mais

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório José Maria de Macedo Diretor de Distribuição e Comercialização Maio de 2008 1/XX Cemig Distribuição em números Descrições Posição:

Leia mais

Primeiro Foguete Brasileiro com Propulsão Líquida

Primeiro Foguete Brasileiro com Propulsão Líquida Primeiro Foguete Brasileiro com Propulsão Líquida Sucesso na Operação Raposa para lançamento do VS-30 no último dia 01/09 Tendências e tecnologias dos sistemas de testes aeroespacial e de defesa Alisson

Leia mais

EXCELÊNCIA NOS DETALHES.

EXCELÊNCIA NOS DETALHES. EXCELÊNCIA NOS DETALHES. A SEA Engenharia é uma empresa com foco na prestação de serviços de execução, consultoria em instalações elétricas, mecânica e automação industrial. Nosso objetivo principal é

Leia mais

IIº Colóquio da Pós-Graduação do ITA. Planejamento Estratégico para o PPGAO: Visão do EMAER

IIº Colóquio da Pós-Graduação do ITA. Planejamento Estratégico para o PPGAO: Visão do EMAER IIº Colóquio da Pós-Graduação do ITA Planejamento Estratégico para o PPGAO: Visão do EMAER Maio 2004 Palestrante: TOMAZ GUSTAVO MACIEL DE LIMA Tenente-Coronel Intendente Adjunto da 3ª Subchefia do Estado-Maior

Leia mais

Por que os EUA ainda precisam de porta-aviões? Defendendo o emprego de porta-aviões pela US Navy

Por que os EUA ainda precisam de porta-aviões? Defendendo o emprego de porta-aviões pela US Navy Por que os EUA ainda precisam de porta-aviões? Defendendo o emprego de porta-aviões pela US Navy Este texto foi escrito pelo Vice-Almirante David H. Buss, Comandante da Força Aeronaval, Contra-Almirante

Leia mais

SIMBAD RC passa por testes finais antes das primeiras entregas

SIMBAD RC passa por testes finais antes das primeiras entregas SIMBAD RC passa por testes finais antes das primeiras entregas A MBDA concluiu com êxito dois disparos seguidos de Mistral usando um posto de tiro SIMBAD-RC. Estes testes representam a última etapa técnica

Leia mais

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus,

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, Unidades Especializadas de Polícia do Exército Polonês General Boguslaw Pacek, Exército Polonês Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, não há medo de agressão armada por parte de estados

Leia mais

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil Câmara dos Deputados Seminário Internacional TV Digital obstáculos e desafios para uma nova comunicação Sávio Pinheiro Brasília-DF 16 de Maio de 2006

Leia mais

Trabalho pesado em águas turbulentas Tecnologia Offshore. Soluções Completas em Comando e Acionamento

Trabalho pesado em águas turbulentas Tecnologia Offshore. Soluções Completas em Comando e Acionamento Trabalho pesado em águas turbulentas Tecnologia Offshore Soluções Completas em Comando e Acionamento Trabalho pesado em águas turbulentas. A quem você procura se precisa de soluções de acionamento para

Leia mais

JUST GO. UM NOVO CONCEITO EM BLOQUEIOS PARA CONTROLE DE ACESSO.

JUST GO. UM NOVO CONCEITO EM BLOQUEIOS PARA CONTROLE DE ACESSO. JUST GO. UM NOVO CONCEITO EM BLOQUEIOS PARA CONTROLE DE ACESSO. JUST GO. Conheça o novo conceito FREE FLOW de bloqueios para controle de acesso. Esqueça controle de acesso com portas normalmente fechadas.

Leia mais

A AMAZÔNIA NA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA Convergências e Divergências

A AMAZÔNIA NA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA Convergências e Divergências A AMAZÔNIA NA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA Convergências e Divergências Principais Biomas Sul-Americanos Amazônia: mais de 40% da América do Sul Vegetação da Grandeá Regiões Amazônicas dos países sul-americanos

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS ESCRITÓRIO DE PROJETOS DO EXÉRCITO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS ESCRITÓRIO DE PROJETOS DO EXÉRCITO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS ESCRITÓRIO DE PROJETOS DO EXÉRCITO 03.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO GESTÃO DE PORTFÓLIO ESTRUTURA DO EPEX ESTRUTURA DA SACI PEE CONCLUSÃO INTRODUÇÃO Port

Leia mais

Maio - 2011. Minas Solar 2014. Alexandre Heringer Lisboa. Gestor - Cemig Distribuição SA

Maio - 2011. Minas Solar 2014. Alexandre Heringer Lisboa. Gestor - Cemig Distribuição SA Maio - 2011 Minas Solar 2014 Alexandre Heringer Lisboa Gestor - Cemig Distribuição SA Estádios Solares Projeto Minas Solar 2014 Minas Gerais, a Cemig e a Copa do Mundo 2014 Razões para o projeto Minas

Leia mais

Plataforma. Portal Educacional

Plataforma. Portal Educacional Plataforma Portal Educacional O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 18/05/2016 16:38:00 Endereço IP: 200.198.193.162

Leia mais

EDITAL EDUCAÇÃO CORPORATIVA UNISEPE 2º SEMESTRE DE 2011

EDITAL EDUCAÇÃO CORPORATIVA UNISEPE 2º SEMESTRE DE 2011 EDITAL EDUCAÇÃO CORPORATIVA UNISEPE 2º SEMESTRE DE 2011 Evandro Paulo Bolsoni, Diretor das Faculdades Integradas do Vale do Ribeira - FVR, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas

Leia mais

SOBRE A TECNOLOGIA RFID

SOBRE A TECNOLOGIA RFID SOBRE A TECNOLOGIA RFID (*) - RFID Identificação por Rádio Freqüência Usa antenas que lêem e gravam informações em chips para monitoramento de ativos pessoas ou objetos fixos ou móveis. A tecnologia RFID

Leia mais

Portfólio de serviços e suporte da Agilent MANTEMOS SEU LABORATÓRIO FUNCIONANDO. MELHOR.

Portfólio de serviços e suporte da Agilent MANTEMOS SEU LABORATÓRIO FUNCIONANDO. MELHOR. Portfólio de serviços e suporte da Agilent MANTEMOS SEU LABORATÓRIO FUNCIONANDO. MELHOR. NO LABORATÓRIO E EM TODA A SUA EMPRESA Os serviços e suporte Agilent oferecem reparo e muito mais. Na Agilent, temos

Leia mais

NA ÚLTIMA SEMANA do inverno

NA ÚLTIMA SEMANA do inverno Projeto de Força do Futuro Coronel Ramon Marçal da Silva, Exército Brasileiro NA ÚLTIMA SEMANA do inverno norte-americano, cem líderes do Exército dos Estados Unidos da América (EUA) e do Departamento

Leia mais

ROTEIRO. Apresentação de propriedade da ABIMDE (Associação das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) 2

ROTEIRO. Apresentação de propriedade da ABIMDE (Associação das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) 2 A INDÚSTRIA DE DEFESA E SEGURANÇA NO BRASIL 2013 ROTEIRO ABIMDE e a Base Industrial de Defesa Cenário Nacional Transferência de Tecnologia Protecionismo e Comércio Internacional Defesa e Desenvolvimento

Leia mais

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil.

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil. Centro de Treinamento de Combate Sul Santa Maria / RS Brasil. OBJETIVO Apresentar aos participantes do de Demandas Logísticas da Guarnição de Santa Maria/RS o projeto do Centro de Treinamento de Combate

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

Entrevista com o Comandante do NDM 'Bahia' (G 40)

Entrevista com o Comandante do NDM 'Bahia' (G 40) Entrevista com o Comandante do NDM 'Bahia' (G 40) Luiz Padilha, editor do Defesa Aérea & Naval com o CMG Luis Felipe Monteiro Serrão O Capitão-de-Mar-e- Guerra Luis Felipe Monteiro Serrão, é o comandante

Leia mais

Ações do Ministério das Comunicações

Ações do Ministério das Comunicações Ações do Ministério das Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Brasília, março de 2012. Crescimento do setor alguns destaques Serviço Número de Acessos Taxa de Crescimento

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE CONTROLE

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE CONTROLE INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE CONTROLE (Cap. 1 do Dorf & Bishop) 1.1 INTRODUÇÃO Exemplo de um sistema de controle em malha aberta: Forno de microondas em malha fechada (com realimentação) : (retroação) essoa

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto. Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto Definição; Breve Histórico; Princípios do SR; Espectro Eletromagnético; Interação Energia com a Terra; Sensores & Satélites; O que é Sensoriamento

Leia mais

Esse projeto enfatiza duas questões principais:

Esse projeto enfatiza duas questões principais: 1 Introdução O principal objetivo desta dissertação o é contribuir para o debate sobre a internacionalização de pequenas e médias empresas, destacando um tipo peculiar de empresas desta categoria, as empresas

Leia mais

Versão 1.0. 1º. Semestre de 2006 Marcelo Nogueira São José dos Campos - SP

Versão 1.0. 1º. Semestre de 2006 Marcelo Nogueira São José dos Campos - SP Versão 1.0 1. Introdução 1.1 Título ITA Instituto Tecnológico de Aeronáutica Integração de Aplicativos de BD num Banco de Dados Setorial (BDS) e sua Implementação. 1.2 Motivação Aproveitar o ambiente acadêmico

Leia mais

CFOR MATERIAL BÉLICO PLANO DE DISCIPLINAS. Aprovado pelo BI/DESMil nº 081, de 24 de outubro de 2013.

CFOR MATERIAL BÉLICO PLANO DE DISCIPLINAS. Aprovado pelo BI/DESMil nº 081, de 24 de outubro de 2013. CPOR / NPOR CFOR MATERIAL BÉLICO ELABORADO EM 013 ORGANIZAÇÃO E EMPREGO DO MATERIAL BÉLICO INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 7 HORAS PLANO DE DISCIPLINAS Aprovado pelo BI/DESMil nº 081, de 4 de outubro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CAMPUS PROF. ALBERTO CARVALHO DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE I

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CAMPUS PROF. ALBERTO CARVALHO DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CAMPUS PROF. ALBERTO CARVALHO DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE I PROF. MSC. MARCOS BARBOSA DÓSEA ALEXANDRE MENDONÇA LIMA FABRÍCIO OLIVEIRA TADEU

Leia mais

Esquadrão HU-1 participa da operação anfíbia UANFEX-1

Esquadrão HU-1 participa da operação anfíbia UANFEX-1 Esquadrão HU-1 participa da operação anfíbia UANFEX-1 No período de 31 de março a 8 de abril, o 1 Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1), operando com uma aeronave UH-12 Esquilo embarcada na

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais

Soluções de antena para o setor de energia

Soluções de antena para o setor de energia Soluções de antena para o setor de energia As soluções de antena da Laird ajudam você a superar os desafios da conectividade sem fio no setor energético. A Laird em seu setor A energia, setor essencial

Leia mais

Gerenciamento e Impressão

Gerenciamento e Impressão Gerenciamento e Impressão Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation. Intel e Centrino são marcas

Leia mais

Exército já se prepara contra guerra química na Olimpíada

Exército já se prepara contra guerra química na Olimpíada Exército já se prepara contra guerra química na Olimpíada Por Francisco Edson Alves Equipamento monitora e identifica substâncias perigosas a quilômetros, por controle remoto Preparando-se para um desafio

Leia mais

Monitoramento - PrevFogo - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Reno

Monitoramento - PrevFogo - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Reno O monitoramento de queimadas em imagens de satélites é útil para grandes áreas e regiões remotas sem meios intensivos de acompanhamento, como é o caso do Brasil. No monitoramento são utilizados todos os

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

TÍTULO: SIMULADOR DE SUSPENSÃO AUTOMOTIVA - SSA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SIMULADOR DE SUSPENSÃO AUTOMOTIVA - SSA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SIMULADOR DE SUSPENSÃO AUTOMOTIVA - SSA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

EE-T4 OGUM O BLINDADO LEVE DA ENGESA

EE-T4 OGUM O BLINDADO LEVE DA ENGESA EE-T4 OGUM O BLINDADO LEVE DA ENGESA Na segunda metade dos anos 80 a ENGESA Engenheiros Especializados S/A apresentou um veículo blindado leve, sobre lagartas, projetado para possuir grande flexibilidade

Leia mais

SPIN-SP Engenharia de sistemas e software 08/12/2010

SPIN-SP Engenharia de sistemas e software 08/12/2010 Mauro de Mesquita Spinola, Prof. Dr. mauro.spinola@usp.br Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção [Palestra realizada na Universidade Metodista em 08/12/2010] Prof. Dr. Mauro Spinola

Leia mais

Solda de Metais por Ultrassom A melhor solução para solda de metais Não-ferrosos!

Solda de Metais por Ultrassom A melhor solução para solda de metais Não-ferrosos! Solda de Metais por Ultrassom A melhor solução para solda de metais Não-ferrosos! Sistemas Branson de alta performance de Solda por Ultrassom tem solucionado os desafios de solda em metais no mundo inteiro.

Leia mais

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE ANALISTA FISCAL Escolaridade: Necessário Superior completo em Contabilidade Experiência: Experiência na apuração dos impostos Simples Nacional,

Leia mais

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Prof. MARCELO COSTELLA FRANCIELI DALCANTON ISO 9001- INTRODUÇÃO Conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade; Desenvolve

Leia mais

O SECRETÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo Decreto n 15.348, de 06 de agosto de 2014, resolve expedir a seguinte,

O SECRETÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo Decreto n 15.348, de 06 de agosto de 2014, resolve expedir a seguinte, INSTRUÇÃO Nº 011/2015 Orienta os órgãos e entidades da Pública do Poder Executivo Estadual sobre os procedimentos referentes às contratações de serviços da Companhia de Processamento de Dados do Estado

Leia mais

Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa. Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro?

Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa. Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro? Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro? Nos últimos anos, o planejamento governamental, tendo como

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin)

Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin) Pequeno Resumo ( è o link de abertura da pagina principal do site e o resumo do facebook e linkedin) A HAUSCHILD é uma empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) que possui profissionais com

Leia mais

O seu caminho em Tecnologia da Informação.

O seu caminho em Tecnologia da Informação. O seu caminho em Tecnologia da Informação. A Empresa Tecnologia da Informação é a essência da Company, empresa criada para fornecer soluções em produtos e serviços para o mercado composto por empresas

Leia mais

Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Análise Ambiental Análise Ambiental : Matriz SWOT A sigla SWOT Ambiente

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES

GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES GESTÃO DE RISCOS HOSPITALARES Hospital Management Summit Eliana Cardoso Vieira Quintão Tuesday, 12 July 2011 DNV Business Assurance. All rights reserved. 1 Conhecendo a DNV Criada em 1864, na Noruega.

Leia mais

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio Programa 0626 Reaparelhamento e Adequação da Marinha do Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 16 1N470000 Construção de Navios-Patrulha Oceânicos Produto: Navio construído Unidade de Medida: unidade

Leia mais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Visão de Futuro

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Visão de Futuro Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 13.12.2011 SUMÁRIO 1. Visão sobre a atuação do INPE 2. Programas de P&D do Instituto 3. Cronograma de execução do Programa CBERS 4. Programas de Política Industrial

Leia mais

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal Novembro 2013 Marcus Tollendal Diretor Presidente SAVIS Tecnologia e Sistemas S.A. Roteiro Quem: Sobre a SAVIS Porque: Seleção para Implantação

Leia mais

Escritórios de Advocacia Departamentos Jurídicos

Escritórios de Advocacia Departamentos Jurídicos Escritórios de Advocacia Departamentos Jurídicos A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação de serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes

Leia mais

SEG - Sistema Embrapa de Gestão

SEG - Sistema Embrapa de Gestão Relatórios -> Lista e Impressão das Chamadas -> Descrição da Chamada Voltar Imprimir Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento SEG - Sistema Embrapa de Gestão

Leia mais

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Revisada Vigência 2013 2014 Missão, qual nosso negócio? Identidade institucional

Leia mais

Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ;

Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos sobre o meio ambiente ; Certificação pela Norma ISO 14001: Meio Ambiente em Empresas de Saúde NORMA ISO 14001 Gestão Ambiental Identificar e Gerenciar os aspectos ambientais significativos; Controlar consistentemente seus impactos

Leia mais

Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático

Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático Por Roberto Valadares Caiafa Infodefensa visitou no início de dezembro as instalações da mais antiga Indústria Estratégica de Defesa do

Leia mais

CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES

CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES CERTIFICADO DE ESTUDOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA DE TRANSPORTES 3º STT0618 Transporte Aéreo 2 3º STT0625 Introdução à Engenharia de Transportes 2 5º STT0610 Logística e Transportes 2 5º STT0616 Geomática

Leia mais

1.IF BAIANO Campus Uruçuca

1.IF BAIANO Campus Uruçuca 1.IF BAIANO Campus Uruçuca O IF Baiano - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, criado em 2008, pela Lei Federal 11.892, é uma instituição de educação superior, básica e profissional,

Leia mais

DSB Ponte Tática de Apoio. Liderança Mundial em Pontes Táticas Militares DSB. Ponte Tática de Apoio

DSB Ponte Tática de Apoio. Liderança Mundial em Pontes Táticas Militares DSB. Ponte Tática de Apoio DSB Ponte Tática de Apoio Liderança Mundial em Pontes Táticas Militares DSB Ponte Tática de Apoio DSB Ponte Tática de Apoio A DSB (Ponte Tática de Apoio) representa a nova geração das pontes táticas militares.

Leia mais

A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você

A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você A experiência de quem trouxe a internet para o Brasil agora mais perto de você A Escola A Escola Superior de Redes da RNP privilegia um ensino totalmente prático. Os laboratórios são montados de forma

Leia mais