Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS"

Transcrição

1 Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS TESTE SELETIVO TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA Edital n o 096/2009-PRH CADERNO DE PROVA CONHECIMENTO ESPECÍFICO - 38 QUESTÕES ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - 02 QUESTÕES INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA E PREENCHIMENTO DA FOLHA DE RESPOSTAS Verifique se este caderno contém 40 questões e assine-o no local apropriado. Confira os dados da folha de respostas e assine-a no local apropriado. Marque com um X na folha de respostas, a alternativa que considerar correta. Utilize caneta esferográfica com tinta azul ou preta para preenchimento da folha de respostas. Na folha de respostas não poderá haver rasuras e não poderá haver mais de uma alternativa assinalada para cada questão, caso ocorra, a questão será anulada. Não haverá substituição da folha de respostas. A prova terá duração de 4 horas, incluindo o preenchimento da folha de respostas. Este caderno de prova não poderá ser levado. O candidato poderá transcrever as alternativas da folha de respostas para o rascunho abaixo e levá-lo consigo ao término da prova. NOME DO CANDIDATO: ASSINATURA DO CANDIDATO: Maringá, 17 de maio de Recorte aqui UEM Teste Seletivo aberto pelo Edital 096/2009-PRH para a função de. Rascunho - transcreva aqui as alternativas da folha de respostas. 1) 2) 3) 4) 5) 6) 7) 8) 9) 10) 11) 12) 13) 14) 15) 16) 17) 18) 19) 20) 21) 22) 23) 24) 25) 26) 27) 28) 29) 30) 31) 32) 33) 34) 35) 36) 37) 38) 39) 40) CRONOGRAMA Divulgação do gabarito e do caderno de prova: 18/05/2009, 17h30min. Resultado da prova objetiva: 25/05/2009, 17h30min. Local para as publicações: O caderno de prova ficará disponível no endereço eletrônico citado apenas nos dias 18, 19 e 20/05/2009.

2 QUESTÕES SOBRE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DA FUNÇÃO 1. Os elastômeros usados em odontologia são: a) Siliconas, poliéter e polissulfeto ou mercaptana. b) Polissulfetos, siliconas e pasta zinco-enólica. c) Mercaptanas, silicona de condensação e hidrocolóide. d) Poliéter, alginato e siliconas. e) Polieter, hidrocolóide irreversível e siliconas. 2. Dentre os elastômeros, o que apresenta melhor estabilidade dimensional é: a) Silicona de adição. b) Silicona de condensação. c) Polissulfeto. d) Poliéter. e) A e B estão corretas. 3. Qual elastômero produz álcool como produto final e, portanto tem pior estabilidade, e necessidade de vazamento imediato? a) Silicona de adição. b) Poliéter. c) Mercaptana. d) Silicona de condensação. 4. No preparo do gesso, deve-se colocar primeiro a água na tigela e depois o gesso a fim de: a) Evitar inclusão de bolhas de ar. b) Obter menor expansão. c) Conseguir presa mais rápida. d) Aumentar a resistência final do gesso. e) A e B estão corretas. 5. O tempo de vazamento de uma moldagem feita com silicona de adição deve ser: a) Imediatamente após a moldagem para não haver distorção. b) Esperar 10 minutos para recuperação da memória elástica e vazar. c) Esperar 30 minutos e vazar em função da liberação de hidrogênio. d) Esperar uma hora e vazar em função da liberação de hidrogênio. 2

3 6. Para se obter bom escoamento e boa resistência do gesso, devemos prepará-lo: a) Na relação A/P indicada e usando vibrador. b) Aumentando a relação A/P e usando vibrador. c) Fazendo um espatulação mais longa e vazamento sem vibração. d) Conservar a relação A/P e fazer o vazamento de uma só vez. 7. Os moldes de godiva devem ter seus modelos vazados imediatamente, pois do contrário: a) A godiva poderá sofrer distorções pela libertação de tensões induzidas. b) A godiva poderá contrair-se pelo efeito da sinérese. c) A godiva poderá sofrer contração em sua reação química. d) A godiva poderá expandir-se, durante sua presa. e) A godiva poderá amolecer, pois é termoplástico. 8. A principal indicação das godivas como material de moldagem é: a) Moldagem inicial em prótese total. b) Moldagem anatômica em prótese total. c) Moldagem funcional em prótese total. d) Moldagem unitária. e) A e B estão corretas. 9. Aumentando-se o tempo de espatulação do gesso, sua presa se dará: a) Mais rapidamente. b) Mais lentamente. c) Com expansão igual. d) O tempo de espatulação não influi nas propriedades. e) A e C estão corretas. 10. Dentro de certos limites, devemos usar a maior relação pó/líquido possível ao trabalharmos com uma RAAT. Assim, o tempo de duração da reação e a contração serão: a) Ambos menores. b) Maior e menor, respectivamente. c) Menor e maior, respectivamente. d) Ambos maiores. 3

4 11. Caso seja usado mais monômero que o indicado para uma RAAT: a) A contração de polimerização será menor. b) Haverá risco de porosidade interna. c) A fase plástica demorará mais para ocorrer. d) A polimerização será incompleta. e) Nenhuma das alternativas está correta 12. Existe o risco de ocorrer maior aumento da espessura de uma dentadura confeccionada por RAAT prensada: a) Caso seja usada uma relação pó/líquido grande. b) Se não for recortado o excesso. c) Se a resina for usada na fase pegajosa. d) Se não ocorrer polimerização completa. e) Nenhuma das alternativas está correta 13. Na mistura de gesso, a quantidade de água e do pó devem ser medidas e usadas adequadamente. Esta relação é muito importante para se obter qualidade nas propriedades físicas e químicas do gesso. Dentre as afirmativas abaixo, aquela que apresenta corretamente a relação água/pó para o modelo inferior é: a) 150 g de gesso comum / 50 cm3 de água. b) 150 g de gesso comum / 60 cm3 de água. c) 150 g de gesso comum / 75 cm3 de água. d) 150 g de gesso comum / 100 cm3 de água. e) 150 g de gesso comum / 150 cm3 de água. 14. As resinas autopolimerizáveis e termopolimerizáveis, quando misturadas ao monômero, reagem e passam por fases específicas. A seqüência correta das fases das resinas acrílicas é: a) Arenosa, líquida, plástica, fibrilar e borrachóide. b) Líquida, arenosa, plástica, fibrilar e borrachóide. c) Borrachóide, líquida, arenosa, fibrilar e plástica. d) Líquida, arenosa, fibrilar, plástica e borrachóide. e) Líquida, plástica, arenosa, borrachóide e fibrilar. 15. A linha imaginária que tangencia as cúspides dos pré-molares e molares e que, voltada para baixo, vista pelo plano sagital, forma uma linha curva, é denominada: a) Curva de Wilson. b) Curva de Monson. c) Curva de Fischer. d) Curva de Posselt. e) Curva de Spee. 4

5 16. Na seleção dos dentes artificiais de uma prótese total, um dos métodos para determinar a altura dos dentes se dá pela marcação da linha: a) Do sorriso forçado. b) Do sorriso em repouso. c) De Camper. d) De união entre as comissuras labiais. e) Dos caninos. 17. Materiais que são utilizados para obter moldagem anatômica: a) Godiva e silicona de adição. b) Silicona de adição e silicona de condensação. c) Hidrocolóide irreversível e Godiva. d) Godiva e alginato. e) Todas as alternativas estão corretas. 18. Sobre a montagem de dentes em prótese total, é correto afirmar que: a) A montagem dos dentes inicia pelo primeiro molar esquerdo. b) A montagem dos segundos molares é obrigatória. c) Na montagem dos dentes artificial anterior, não se pode realizar desgaste das suas cervicais. d) O técnico de prótese não necessita de linhas de referência traçadas no rodete para montagem dos dentes. e) Previamente ao início da montagem dos dentes, é necessário escolher o tamanho e o tipo dos dentes. 19. Sobre a oclusão balanceada em prótese total (PT), é correto afirmar que: a) O contato dos dentes em movimento protrusivo mandibular deve ser concomitante com contatos bilaterais na região posterior. b) As cúspides vestibulares dos dentes inferiores, consideradas cúspides não cêntricas, fazem contato com as fossas antagonistas. c) A oclusão balanceada bilateral é tecnicamente fácil de ser obtida. d) Atualmente é o padrão de oclusão preconizado. e) É mais indicada para casos onde a PT se relaciona com dentes naturais antagonistas. 5

6 20. A montagem dos dentes artificiais em prótese total é feita em posições determinadas. Quanto à montagem dos dentes, assinale a alternativa que não está de acordo com essas posições determinadas: a) A superfície mesial do incisivo central superior deve tangenciar a linha mediana. b) A borda incisal do incisivo lateral superior deve tocar o arco de oclusão inferior. c) O colo cervical por vestibular do canino superior deve ficar ligeiramente mais para vestibular que o do incisivo central. d) A borda incisal dos dentes anteriores inferiores, em oclusão central, não deve tocar a superfície lingual dos superiores. e) A ponta da cúspide do canino inferior deve apontar para o espaço entre o incisivo e caninos superior. 21. Sobre a caracterização das bases de dentadura, é correto afirmar que: a) A mucosa alveolar é mais clara. b) As papilas interdentais são mais claras. c) A gengiva inserida é geralmente mais escura. d) As resinas para caracterização são aplicadas ao mesmo tempo. e) Deve-se fazer um esquema da distribuição das várias tonalidades gengivais para auxiliar na caracterização. 22. Os planos de orientação devem ser confeccionados: a) Cera utilidade. b) Cera 7. c) Cera 7 ou 9. d) Cera 7 ou utilidade. 23. Qual o objetivo principal do encaixamento dos moldes? a) Proteger o material de moldagem da distorção do gesso. b) Facilitar a confecção do modelo de trabalho, aumentando sua resistência. c) Preservar e proteger a borda do molde (selamento periférico). d) Conseguir um modelo com altura adequada para montagem em articulador semi-ajustável. 6

7 24. Como deve ser executada a prensagem em prótese total: a) Prensa-se até atingir 1250 Kgf. b) Prensa-se até atingir 500 Kgf. c) Prensa-se até atingir 800 Kgf. d) Prensa-se lentamente até 500 Kgf, aumenta para 800 Kgf e eleva até 1250 Kgf. 25. Ao avaliarmos uma moldagem do maxilar inferior deveremos reconhecer detalhes anatômicos relevantes presentes no rebordo remanescente: a) Chanfradura do masseter, papila piriforme. b) Papila piriforme, linha obliqua interna e externa. c) O flangeado da glândula sub-lingual e chanfradura do masseter. d) Apófise geni e flangeado da glândula sub-lingual. e) Todas as alternativas estão corretas. 26. Quais os limites da área chapeável superior? a) Espaço corono maxilar e músculo bucinador. b) Espaço corono maxilar e fundo de vestíbulo. c) Fundo de vestíbulo labial, freio labial e término posterior (linha do A). d) Término posterior e masseter. e) B e C estão corretas. 27. Os materiais de moldagens mais utilizados para execução de moldagens funcionais são: a) Hidrocolóides e siliconas. b) Pastas a base de óxido de zinco e eugenol. c) Elastômeros. d) Godivas e alginatos. e) B e C estão corretas. 28. No método de polimerização lenta: a) A temperatura é mantida em 74 graus C, por 12 horas, com 60 libras de pressão. b) A temperatura é mantida em 80 graus C, por 2 horas, com 60 libras de pressão. c) A temperatura é mantida em 90 graus C, por 24 horas, com 60 libras de pressão. d) A temperatura é mantida em 80 graus C, por 6 horas, com 45 libras de pressão. 7

8 29. A finalidade da remontagem em prótese total é: a) Melhorar o relacionamento estético dos dentes anteriores. b) Adequar à dimensão vertical. c) Conferir a montagem dos modelos no articulador semi-ajustável. d) Verificar se houve alteração dimensional da resina acrílica e fazer o ajuste oclusal. 30. Qual a importância do plano de orientação? a) Determina a posição e altura dos dentes. b) Define o corredor bucal. c) Define o suporte do lábio. d) Determina a dimensão vertical. e) Todas as alternativas estão corretas. 31. O resfriamento da mufla após a polimerização deve ser: a) Lento na temperatura ambiente por 2 horas antes de resfriá-lo em água corrente. b) Rápido mergulhando em seguida em água corrente. c) Lento nos primeiros 30 minutos e depois rapidamente. d) Lentamente em ambiente climatizado por 12 horas. 32. Qual a importância da mesa de camper? a) Auxilia na montagem do modelo superior (chapa de prova). b) Fornece uma correta inclinação antero posterior ao modelo. c) Determina a dimensão vertical. d) Auxilia o ajuste do corredor bucal. e) A e B estão corretas. 33. A escolha dos dentes artificiais é realizada levando em consideração: a) Distância dos seis dentes anteriores em curva. b) Da linha alta do sorriso. c) Do formato do rosto do paciente. d) Da personalidade e idade do paciente. e) Todas as alternativas estão corretas. 8

9 34. As cúspides de contenção cêntrica são responsáveis pela manutenção da dimensão vertical e aumento da eficiência mastigatória em prótese total. Quais são estas cuspides? a) Vestibulares superiores e inferiores. b) Palatina superior e inferior. c) Vestibular superior e palatina inferior. d) Vestibular inferior e palatina superior. 35. Sobre os alginatos assinale a resposta correta: a) São materiais de moldagem usados para confecção de modelos de estudo, diagnóstico e moldagens funcionais (finais) de prótese total. b) O gesso deve ser vazado 1 hora após a recuperação da memória elástica. c) Após a presa do gesso (45 a 60 minutos) deve-se remover o modelo de gesso da moldagem. d) Se demorar muito para separar a moldagem do modelo o alginato ataca a superfície do modelo deixando-o poroso. e) C e D estão corretas. 36. Ao recebermos uma moldagem com pasta zinco eugenólica devemos: a) Vazar imediatamente, pois ela pode sofrer sinérese. b) Esperar 1 hora para vazar, pois ela libera hidrogênio nos primeiros 60 minutos, que ataca as partículas de gesso. c) Os moldes podem ser preservados por vários dias, sem alteração na forma uma vez que a estabilidade dimensional é muito boa. d) Deve ser guardado na geladeira até o momento do vazamento. 37. Um corredor bucal na prótese total é conseguido: a) Através da determinação correta da DVO e RC. b) Quando o plano oclusal da prótese está paralelo à linha do sorriso. c) Através do correto posicionamento dos dentes posteriores. d) Quando existe um EFL de 3 a 4 mm entre os dentes superiores e inferiores. e) Pelo espaço existente entre a face vestibular dos dentes posteriores e a bochecha do paciente. 9

10 38. A delimitação da zona chapeável da mandíbula na região da papila piriforme deve abranger: a) Toda a papila piriforme. b) 2/3 da papila piriforme. c) 1/3 da papila piriforme. d) Não englobar a papila piriforme. QUESTÕES SOBRE O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 39. O Estatuto da Criança e do Adolescente no seu artigo 2º - considera-se adolescente, para os efeitos desta Lei, a pessoa: a) até vinte e um anos de idade completos. b) entre treze e dezoito anos de idade. c) entre doze e dezoito anos de idade. d) entre quinze e dezoito anos de idade. e) nenhuma alternativa está correta. 40. O artigo 4º do Estatuto da Criança e do Adolescente traz a seguinte redação:...assegurar com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária como sendo dever da: a) família, da comunidade, da escola, das pastorais. b) família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público. c) sociedade em geral, da escola, da justiça e da saúde. d) comunidade, da prefeitura, da justiça e da escola. e) família, do Poder Público, da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria Municipal de Assistência Social. 10

Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP

Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP CEETEPS Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP APOSTILA DE MATERIAIS DE PROTESE MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO INGRESSO DE NOVOS OFICIAIS DE SAÚDE DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS SEGUINTES INSTRUÇÕES:

LEIA ATENTAMENTE AS SEGUINTES INSTRUÇÕES: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - CGIC Concurso Público (Aplicação: 20/05/2012) Cargo: Técnico em Prótese Dentária/Classe D-101 LEIA ATENTAMENTE AS SEGUINTES INSTRUÇÕES: Verifique,

Leia mais

MOLDAGEM E CONFECÇÃO DE MODELO DE ESTUDO

MOLDAGEM E CONFECÇÃO DE MODELO DE ESTUDO MOLDAGEM E CONFECÇÃO DE MODELO DE ESTUDO Prof. Dr. Alfredo Júlio Fernandes Neto - 2005 A obtenção do molde e posterior modelo de estudo em gesso é um procedimento crítico e, como em qualquer outro trabalho

Leia mais

Princípios de OCLUSÃO

Princípios de OCLUSÃO Aperfeiçoamento em Prótese Convencional e sobre Implantes Bibliografia Recomendada HOBO, S. et al. Osseointegração e Reabilitação Oclusal. 1 ed. São Paulo: Quintessence, 1997. Princípios de OCLUSÃO Princípios

Leia mais

Fundamentos de Prótese Parcial Fixa

Fundamentos de Prótese Parcial Fixa Fundamentos de Prótese Parcial Fixa Roteiro de estudo - Preparo do Dente: 1. Técnica da silhueta modificada. 2. Desgaste do dente com ponta diamantada (PD) 1,4 mm na região cervical e terço médio respeitando

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá Universidade Estadual de Maringá Pró-reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 057/2013-PRH INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA E PREENCHIMENTO DA FOLHA DE RESPOSTAS

Leia mais

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção

Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Aparelhos Ortodônticos Removíveis com Alta Retenção Um novo conceito de ver e atuar com os aparelhos ortodônticos removíveis José Roberto Ramos Na maioria dos casos, o emprego dos aparelhos ortodônticos

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROTESE DENTÁRIA 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: a) Polígonos de Roy e de Kent. b) Polígono

Leia mais

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual

OCLUSÃO! ! Posições mandibulares. ! Movimentos mandibulares. ! Equilíbrio de forças atuantes - vestibulolingual Universidade de Brasília Departamento de Odontologia OCLUSÃO! NOÇÕES DE OCLUSÃO! Estudo das relações estáticas e dinâmicas entre as estruturas do sistema mastigatório!! Movimentos mandibulares Disciplina

Leia mais

MANUAL DE PRÓTESE FIXA

MANUAL DE PRÓTESE FIXA MANUAL DE PRÓTESE FIXA INDICE Materiais e Equipamentos 05 Materiais e Técnicas de Moldagem 07 Vazamento de Modelos 08 Montagem em Articulador 17 Enceramento 20 Preparo de Troquel 23 Inclusão 25 Fundição

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci

Dr Christian Coachman. Dr Guilherme Cabral. Dr Braulio Paolucci Protócolo Wax-up Dr Christian Coachman Dr Guilherme Cabral Dr Braulio Paolucci Volume 3D / Posicão 3D Centrais 1. Encerar sobre a linha mediana antiga!! 2. Encerar os 2 centrais em um bloco de cera 3.

Leia mais

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior

Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa. o superiores e splint removível vel inferior Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de açoa o superiores e splint removível vel inferior MORO, A.; et al. Descrição, passo a passo, do aparelho de Herbst com coroas de aço superiores

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS QUESTÕES DE 01 A 25 LÍNGUA PORTUGUESA

CONHECIMENTOS GERAIS QUESTÕES DE 01 A 25 LÍNGUA PORTUGUESA TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA/LABORATÓRIO DE PRÓTESE 1 CONHECIMENTOS GERAIS QUESTÕES DE 01 A 25 LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO 1 Folha de S. Paulo, 03 de maio de 2012 Caderno Cotidiano Quem é quem? Pasquale Cipro

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS:

APRESENTAÇÃO DAS BANDAS TIPOS: 1 2 BANDAS ORTODÔNTICAS Introdução Para entendermos a real importância destes componentes de um aparelho ortodôntico, devemos inicialmente compreender qual a função da bandagem frente à um complexo sistema

Leia mais

Reabilitação Oral Estética e Função Relato de caso clínico

Reabilitação Oral Estética e Função Relato de caso clínico Reabilitação Oral Estética e Função Relato de caso clínico Autor: Frederico dos Reis GOYATÁ Especialista, Mestre e Doutor em Prótese Resumo: As reabilitações orais com as próteses totais removíveis contribuem

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Dentários Professora: Patrícia Cé Introdução AULA II Materiais de Moldagem Alginato Polissulfeto Poliéter Silicone de condensação

Leia mais

SIMPLES E EFICIENTES PROCEDIMENTOS PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE DENTES NATURAIS E IMPLANTES

SIMPLES E EFICIENTES PROCEDIMENTOS PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE DENTES NATURAIS E IMPLANTES PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE Dr. Dario Adolfi Dr. Oswaldo Scopin de Andrade Dr. Maurício Adolfi Data: 7 a 11 de outubro de 2013 OBJETIVOS: Saiba como planejar uma reabilitação total e mostrar ao paciente

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL. http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL http://www.bbo.org.br [acesso em 15/02/2009, 07h30] Especificação dos Casos quanto às Categorias A escolha dos casos a serem apresentados deverá seguir

Leia mais

! 1. Alterar forma e/ou cor vestibular dos dentes; 2. Realinhar dentes inclinados para lingual. Restaurações estéticas anteriores diretas.

! 1. Alterar forma e/ou cor vestibular dos dentes; 2. Realinhar dentes inclinados para lingual. Restaurações estéticas anteriores diretas. Restaurações estéticas anteriores diretas. O crescente desenvolvimento de materiais resinosos e técnicas adesivas, possibilita o planejamento e execução de restaurações de resina composta na dentição anterior.

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PRÓTESE DENTÁRIA 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: a) Tratamento endodôntico. b) Perda da estrutura

Leia mais

2 Este Caderno contém uma proposta de Redação e trinta questões de múltipla escolha

2 Este Caderno contém uma proposta de Redação e trinta questões de múltipla escolha CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva MESTRADO EM ODONTOLOGIA INSTRUÇÕES 1 Na parte inferior desta capa, escreva seu nome completo, em letra de forma e assine no local

Leia mais

Técnicas De Fundição. Page 1. Saúde Forma Função Estética. Fundição em areia.

Técnicas De Fundição. Page 1. Saúde Forma Função Estética. Fundição em areia. Disciplina Titulo da aula Expositor Slides 34 Materiais Dentários I Técnicas de fundição Prof. Dr. Eclérion Chaves Duração Aproximadamente 1:30 Plano de aula Publicado em: http://usuarios.upf.br/~fo/disciplinas/materiais%20dentarios/materiais1.htm

Leia mais

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico

Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico Setup: um Auxílio no Diagnóstico Ortodôntico CASO CLÍNICO Setup: a Diagnosis Assistance in Orthodontics Michelle Santos VIANNA* Armando Yukio SAGA** Fernando Augusto CASAGRANDE*** Elisa Souza CAMARGO****

Leia mais

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS

ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS ROTEIRO DE TÉCNICAS ANESTÉSICAS Anestesia em anestésico o mais próximo possível do ápice do dente a ser anestesiado. Objetivo : Propiciar o conhecimento das técnicas anestésicas, principalmente as utilizadas

Leia mais

F U L L S C I E N C E rótese Coluna de P

F U L L S C I E N C E rótese Coluna de P 41 Coluna de Prótese Utilização de prótese parcial acrílica overlay para diagnóstico da dvo prévia a reabilitação estética Gil Montenegro 1 Weider Oliveira Silva 2 Tarcísio Pinto 3 Rames Abraão Basilio

Leia mais

IGC - Índice do Grau de Complexidade

IGC - Índice do Grau de Complexidade IGC - Índice do Grau de Complexidade Uma medida da complexidade do caso DI -American Board of Orthodontics Autorização American Board of Orthodon1cs- ABO Atualização: 13.05.2013 12. Outros Itens pontuados

Leia mais

FECHAMENTO DE ESPAÇOS

FECHAMENTO DE ESPAÇOS FECHAMENTO DE ESPAÇOS Rua 144, n 77 - Setor Marista - Goiânia (GO) - CEP 74170-030 - PABX: (62) 278-4123 - 1 - Introdução Podemos definir essa etapa do tratamento ortodôntico como aquela onde o principal

Leia mais

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

PRÓTESE TOTAL MANUAL DE LABORATÓRIO

PRÓTESE TOTAL MANUAL DE LABORATÓRIO Campus de Araçatuba PRÓTESE TOTAL MANUAL DE LABORATÓRIO Professores. HUMBERTO GENNARI FILHO RENATO SALVIATO FAJARDO MARCELO COELHO GOIATO WIRLEY GONÇALVES ASSUNÇÃO DÉBORA DE BARROS BARBOSA KARINA HELGA

Leia mais

Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas

Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas Instruções de Preenchimento das Guias Odontológicas Outubro/2010 Salutis Administração em Saúde 1 1. GUIA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO SOLICITAÇÃO E COBRANÇA A Guia de Tratamento Odontológico tem como finalidade

Leia mais

pág. 1 Rua Caruaru, casa 1 - Grajaú - Rio de Janeiro / RJ

pág. 1 Rua Caruaru, casa 1 - Grajaú - Rio de Janeiro / RJ Planos de Cera março. 2014 pág. 1 PLANOS DE ORIENTAÇÃO Pode-se dizer que a fase do plano de cera equivale à confecção de um projeto de engenharia. Essa fase deve ser atentamente observada, avaliada e,

Leia mais

Prova de Aptidão Profissional

Prova de Aptidão Profissional D. Manuel Rodríguez Suárez Prótese Total Removível Acrílica Bimaxilar 3809 Daniela Rodrigues 3822 Sara Isabel Silva Fonseca 28 de Maio de 2013 Prótese Total Removível Acrílica Bimaxilar Escola Europeia

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55 QUESTÃO 17 A Prótese Dentária é considerada uma especialidade odontológica de rico intercâmbio com as outras especialidades da odontologia. Esse intercâmbio

Leia mais

Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO: 2008 ANO DO CURSO: 3 Curso: Odontologia Modalidade: Profissionalizante

Leia mais

Prova De Aptidão Profissional. Prótese Total Acrílica - Bi-maxilar

Prova De Aptidão Profissional. Prótese Total Acrílica - Bi-maxilar Escola Europeia De Ensino Profissional Manuel Rodriguez Suaréz Prova De Aptidão Profissional Prótese Total Acrílica - Bi-maxilar Autores: Luciana Pinto & André Luiz 1 Prótese Total Acrílica - Bi-maxilar

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Xote Ecológico (Luiz Gonzaga)

LÍNGUA PORTUGUESA. Xote Ecológico (Luiz Gonzaga) LÍNGUA PORTUGUESA Xote Ecológico (Luiz Gonzaga) Não posso respirar, não posso mais nadar A terra está morrendo, não dá mais pra plantar E se plantar não nasce, se nascer não dá Até pinga da boa é difícil

Leia mais

TYPODONT. 1 - Partes Constituintes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte

TYPODONT. 1 - Partes Constituintes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte TYPODONT 1 - Partes Constituintes: 2 - Preparo: 3 - Finalidade: 4 - Dentes: 1.1 - Bases 1.2 - Plataformas de Suporte 1.3 - Hastes 1.4 - Parafusos de Fixação das Bases 1.5 - Parafusos de Fixação dos Guias

Leia mais

Gesso Odontológico. Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB

Gesso Odontológico. Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB. Prof. Eclérion Chaves Curso de ASB Curso de ASB Gesso Odontológico Modelos Modelos Modelos Modelos Moldes para fabricação de dentaduras GESSO Revestimentos Sulfato de cálcio di-hidratado, quimicamente quase puro (Gipsita) (CaSO 4. 2H 2

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: PROFESSOR NÍVEL III EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: PROFESSOR NÍVEL III EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA MOZAR MARTINS DE SOUZA MANUAL DE PRÓTESE FIXA SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 2 INDICE Materiais e Equipamentos 05 Materiais e Técnicas de Moldagem 07 Vazamento

Leia mais

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst Técnica 1: Faceta I.Dente vital e preparo protético pronto. 1. Medir a altura e a largura do dente homológo do

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá Universidade Estadual de Maringá PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS TESTE SELETIVO EDITAL N O 201/2010-PRH INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA E PREENCHIMENTO DA FOLHA DE RESPOSTAS

Leia mais

Kit de Teste GrandTEC

Kit de Teste GrandTEC Kit de Teste GrandTEC Cara Utilizadora, Caro Utilizador, Este Kit de Teste foi criado para que possa experimentar num modelo a aplicação das tiras GrandTEC, confeccionadas em fibra de vidro impregnadas

Leia mais

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ODONTOLÓGICAS Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

ANÁLISE DISCIPLINA DE OCLUSÃO

ANÁLISE DISCIPLINA DE OCLUSÃO ANÁLISE OCLUSAL DISCIPLINA DE OCLUSÃO FACULDADE DE ODONTOLOGIA da UERJ 2000 Equipe da Disciplina: Ricardo Lessa Bastos Walzer Abrahão Poubel Florence M. Sekito Hilda M. R. Souza Paulo Roberto B. Fernandes

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

MONTAGEM DE MODELOS DE ESTUDO EM ATICULADOR CLASSE III SEMI-AJUSTÁVEL - ASA

MONTAGEM DE MODELOS DE ESTUDO EM ATICULADOR CLASSE III SEMI-AJUSTÁVEL - ASA MONTAGEM DE MODELOS DE ESTUDO EM ATICULADOR CLASSE III SEMI-AJUSTÁVEL - ASA Fernandes Neto, A.J., et al. Univ. Fed. Uberlândia - 2005 A montagem de modelos de estudo em articulador classe III, semi-ajustável

Leia mais

FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE - FPP Comissão do Processo Seletivo Edital nº 005/2014

FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE - FPP Comissão do Processo Seletivo Edital nº 005/2014 FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE - FPP Comissão do Processo Seletivo Edital nº 005/2014 A Comissão do Processo Seletivo da Faculdades Pequeno Príncipe - FPP, designada pela Portaria nº 06/2010 faz saber aos

Leia mais

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo

O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo O aparelho de Herbst com Cantilever (CBJ) Passo a Passo çã APARELHO DE HERBST COM CANTILEVER (CBJ) MAYES, 1994 Utiliza quatro coroas de açoa o nos primeiros molares e um cantilever,, a partir dos primeiros

Leia mais

ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO CARINA SANTOS ALVES DE LIMA A INFUÊNCIA DA CEROPLASTIA EM PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2010

ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO CARINA SANTOS ALVES DE LIMA A INFUÊNCIA DA CEROPLASTIA EM PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2010 1 ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO CARINA SANTOS ALVES DE LIMA A INFUÊNCIA DA CEROPLASTIA EM PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2010 2 ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO CARINA SANTOS ALVES DE LIMA A INFLUÊNCIA

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos

Série Aparelhos Ortodônticos Série Aparelhos Ortodônticos Em geral, o protocolo de tratamento nos casos de Classe III, principalmente naqueles com deficiência maxilar, tem sido a disjunção, seguida pela protração da ma-xila. De acordo

Leia mais

MOVIMENTOS MANDIBULARES

MOVIMENTOS MANDIBULARES MOVIMENTOS MANDIBULARES Alfredo Julio Fernandes Neto, et al. Univ. Fed. Uberlândia - 2006 Para o entendimento da dinâmica dos movimentos mandibulares, além dos quatro determinantes anatômicos do aparelho

Leia mais

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento

O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Dica Clínica O setup ortodôntico como método auxiliar de diagnóstico e planejamento Hallissa Simplício*, Ary dos Santos-Pinto**, Marcus Vinicius Almeida de Araújo***, Sergei Godeiro Fernandes Rabelo Caldas****,

Leia mais

TÉCNICAS DE REEMBASAMENTO PARA PRÓTESE TOTAL

TÉCNICAS DE REEMBASAMENTO PARA PRÓTESE TOTAL TÉCNICAS DE REEMBASAMENTO PARA PRÓTESE TOTAL TECHIQUES FOR RELINING COMPLETE DENTURE Marcelo Coelho Goiato 1 Daniela Micheline dos Santos 1 Rodrigo Antonio de Medeiros 2 Marcela Borghi Paulini 3 Henrique

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, MÉDIO, TÉCNICO E FUNDAMENTAL QUIXADÁ-CE Data da aplicação: 14/03/2010 CADERNO DE PROVAS

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, MÉDIO, TÉCNICO E FUNDAMENTAL QUIXADÁ-CE Data da aplicação: 14/03/2010 CADERNO DE PROVAS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, MÉDIO, TÉCNICO E FUNDAMENTAL QUIXADÁ-CE Data da aplicação: 14/03/2010 CADERNO DE PROVAS Nome do candidato: Número do documento de identidade:

Leia mais

CADERNO DE PROVA ESCRITA

CADERNO DE PROVA ESCRITA ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE ORLEANS CONCURSUL ASSESSORIA E CONSULTORIA LTDA CONCURSO PÚBLICO Nº 02/2011. CADERNO DE PROVA ESCRITA CARGO: AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL (AUXILIAR DE CONSULTÓRIO

Leia mais

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Doença Hereditária: é um desvio da normalidade transmitidos por genes e que podem estar presentes ou

Leia mais

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Técnicas Radiográficas Periapical Exame do dente e osso alveolar que o rodeia; Interproximal Diagnóstico de cáries proximais, excessos marginais de restaurações;

Leia mais

Guia de Autorização Odontológica Instrução de Preenchimento Manual

Guia de Autorização Odontológica Instrução de Preenchimento Manual A Guia de Autorização Odontológica deverá ser preenchida pelo profissional de saúde, na área de perícia odontológica, que mantém compromisso de credenciamento específico firmado com a Eletrobras Furnas

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CURSO: PEDAGOGIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 1. Esta prova contém Redação e 20(vinte) questões objetivas. Caso o caderno esteja incompleto e/ou tenha qualquer

Leia mais

Extração Seriada, uma Alternativa

Extração Seriada, uma Alternativa Artigo de Divulgação Extração Seriada, uma Alternativa Serial Extraction, an Alternative Procedure Evandro Bronzi Resumo A extração seriada é um procedimento ortodôntico que visa harmonizar

Leia mais

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro

Viseu, 6 de Novembro de 2008. Dentição Decidua. UBM IV 2ºano. Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Viseu, 6 de Novembro de 2008 Dentição Decidua UBM IV 2ºano Mestrado Integrado em Medicina Dentária Octávio Ribeiro Dentição Decidua Funções Fisiológicas Funções Fisiológicas Mastigação Formação de um plano

Leia mais

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA.

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA. LABORATÓRIO Joaquín Madrueño Arranz Direção Técnica em laboratório de prótese dental próprio Formação e Peritagem em próteses dentais (Fotografias clínicas cedidas pelo Dr. Villar) REABILITAÇÃO ATRAVÉS

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá Universidade Estadual de Maringá Pró-reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 057/2013-PRH TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Leia mais

EXPERIMENTAÇÃO CENOGRÁFICA COM ÊNFASE EM ILUMINAÇÃO

EXPERIMENTAÇÃO CENOGRÁFICA COM ÊNFASE EM ILUMINAÇÃO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL 2014 EXPERIMENTAÇÃO CENOGRÁFICA COM ÊNFASE EM ILUMINAÇÃO EDITAL N.º 1- UFPA de 13/01/2014 30 de março de 2014 Nome: N.º de Inscrição: BOLETIM DE QUESTÕES

Leia mais

Alagoas CASAL. Saneamento de 2014. Companhia de. Prova Prática ENCANADOR CONCURSO PÚBLICO. Estado de Alagoas COMPANHIA DE SANEAMENTO DE ALAGOAS

Alagoas CASAL. Saneamento de 2014. Companhia de. Prova Prática ENCANADOR CONCURSO PÚBLICO. Estado de Alagoas COMPANHIA DE SANEAMENTO DE ALAGOAS Estado de Alagoas COMPANHIA DE SANEAMENTO DE ALAGOAS CONCURSO PÚBLICO PROVA TIPO 2 Companhia de Saneamento de 2014 Alagoas CASAL Cargo Nível Fundamental: CADERNO DE QUESTÕES Prova Prática ENCANADOR 1.

Leia mais

Técnicas De. Fundição. Fundição. Odontológica. Page 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética

Técnicas De. Fundição. Fundição. Odontológica. Page 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética Técnicas FUNDIÇÃO: DEFINIÇÃO De É o processo de se obter objetos vazando líquidos ou metal viscoso em um molde preparado ou forma. Anusavice, 11ª Ed. - Cap. 12 p. 275 a 324 Fundição O objetivo de uma fundição

Leia mais

DESCRIÇÃO DE TÉCNICA. PALAVRAS-CHAVE: Moldagem; Materiais dentários; Prótese total. Nerildo Luiz Ulbrich* Ana Paula Gebert de Oliveira Franco**

DESCRIÇÃO DE TÉCNICA. PALAVRAS-CHAVE: Moldagem; Materiais dentários; Prótese total. Nerildo Luiz Ulbrich* Ana Paula Gebert de Oliveira Franco** DESCRIÇÃO DE TÉCNICA Simplificação da Técnica de Moldagem Funcional para Prótese Total com a Utilização de uma Resina Autopolimerizável de Baixa Temperatura Simplification of the Functional Molding Technique

Leia mais

COMO REALIZAR O SELAMENTO PERIFÉRICO E A MOLDAGEM FUNCIONAL?

COMO REALIZAR O SELAMENTO PERIFÉRICO E A MOLDAGEM FUNCIONAL? COMO REALIZAR O SELAMENTO PERIFÉRICO E A MOLDAGEM FUNCIONAL? HOW TO PERFORM THE BORDER IMPRESSION AND FUNCTIONAL IMPRESSION TECHNIQUES? Marcelo Coelho GOIATO 1 Daniela Micheline DOS SANTOS 1 Emily Vivianne

Leia mais

AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL LÍNGUA PORTUGUESA

AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL LÍNGUA PORTUGUESA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL LÍNGUA PORTUGUESA 1. O Shopping Popular conta com o armazém da família, o qual funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas, e aos sábados das 9 às 14 horas, além de abrigar

Leia mais

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS

INCISIVOS INCISIVO CENTRAL SUPERIOR INCISIVO LATERAL SUPERIOR INCISIVO CENTRAL INFERIOR INCISIVO LATERAL INFERIOR CANINOS INCISIVOS Os incisivos permanentes são o primeiro e segundo dente a contar da linha média; Juntamente com os caninos constituem os dentes anteriores; Os incisivos superiores são geralmente maiores que

Leia mais

Enceramento. Enceramento. Técnica de coroas e pontes. Friedrich Jetter Christian Pilz. Conceitos para a prótese dentária

Enceramento. Enceramento. Técnica de coroas e pontes. Friedrich Jetter Christian Pilz. Conceitos para a prótese dentária Enceramento Enceramento Técnica de coroas e pontes Friedrich Jetter Christian Pilz Conceitos para a prótese dentária Aparelhos para enceramentos Aparelhos para enceramentos Waxlectric II O Waxlectric é

Leia mais

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA

ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA 1 ANÁLISE DA DENTIÇÃO MISTA INTRODUÇÃO O período da dentição mista inicia-se por volta dos 6 anos de idade com a erupção dos primeiros molares permanentes, e termina ao redor dos 12 anos de idade, com

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Técnico Operacional - Motorista (Natal) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas.

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37. Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37. Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 37 QUESTÃO 17 Em relação à resina composta para restaurações indiretas, é CORRETO afirmar: a) Sua composição química é bem diferente das resinas compostas de uso

Leia mais

ORAL CARE INSTITUTE. Tabelas de Preços. Protocolo "Cofre de Previdência" Estruturas Dento-Alveolares

ORAL CARE INSTITUTE. Tabelas de Preços. Protocolo Cofre de Previdência Estruturas Dento-Alveolares 100.000 CONSULTA 100.001 Consulta 1ª Vez + Plano de Tratamentos Grátis 100.002 Consulta Regular (Semestral) Grátis 101.000 DENTISTERIA 101.100 Restauração (amálgamas e compositórios) 101.101 Restauração

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

Curso de Prótese e Oclusão

Curso de Prótese e Oclusão Curso de Prótese e Oclusão Dr. Marc Obrecht - Director Científico 10 módulos no Porto com 1 dos módulos em parceria com ESORIB & New York University Início: 6 de dezembro de 2014 Durante os módulos são

Leia mais

PLACAS MIORRELAXANTES:CONFECÇÃO E AJUSTE NO LABORATÓRIO RESUMO SUMMARY

PLACAS MIORRELAXANTES:CONFECÇÃO E AJUSTE NO LABORATÓRIO RESUMO SUMMARY PLACAS MIORRELAXANTES:CONFECÇÃO E AJUSTE NO LABORATÓRIO 49 RESUMO ADRIANA SUZART DE PÀDUA (*) CARLOS ROBERTO DE ALMEIDA (*) EVANDRO DOS SANTOS (**) JOÃO MARCOS PEREIRA ALVES (**) MARCUS BUENO OLIVEIRA

Leia mais

ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO KENY PEREIRA DA SILVA SELEÇÃO DE DENTES ARTIFICIAIS PARA PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP 2010

ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO KENY PEREIRA DA SILVA SELEÇÃO DE DENTES ARTIFICIAIS PARA PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP 2010 1 ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO KENY PEREIRA DA SILVA SELEÇÃO DE DENTES ARTIFICIAIS PARA PRÓTESE TOTAL SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP 2010 2 ETEC PHILADELPHO GOUVÊA NETTO KENY PEREIRA DA SILVA SELEÇÃO DE DENTES

Leia mais

Curso de Extensão em Clínica Odontológica Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP

Curso de Extensão em Clínica Odontológica Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP Restauração Indireta em Dente Posterior Associando Adesivo e Compósito com Nanopartículas Mario Fernando de Góes Cristiana Azevedo Vinicius Di Hipólito Luís Roberto Martins Cláudio Bragoto Curso de Extensão

Leia mais

Município de Doutor Pedrinho (Processo Seletivo 01/2014) Data: 25/05/2014 GABARITO FINAL

Município de Doutor Pedrinho (Processo Seletivo 01/2014) Data: 25/05/2014 GABARITO FINAL Município de Doutor Pedrinho (Processo Seletivo 01/2014) Data: 25/05/2014 CARGO Atendente de Odontologia GABARITO FINAL QUESTÃO ALTERNATIVA CORRETA 01 D 02 A 03 B 04 C 05 D 06 A 07 D 08 D 09 B 10 A 11

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso para Técnico-Administrativo em Educação 29 de novembro

Leia mais

Apresentação PROVA BRASIL PREMIADA 2015

Apresentação PROVA BRASIL PREMIADA 2015 Apresentação PROVA BRASIL PREMIADA 2015 A Prova Brasil Premiada é um projeto exclusivo do NAME, que tem como objetivo simular a avaliação oficial realizada pelo MEC, contribuir para que nossos parceiros

Leia mais

Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados

Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados Caso Selecionado Excelência estética obtida com diagnóstico, planejamento e tratamento integrados Carlos Eduardo Francischone O caso clínico apresentado mostra resultados estéticos e funcionais excelentes,

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS. VESTIBULAR 2012 I Processo Seletivo PROVA II

FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS. VESTIBULAR 2012 I Processo Seletivo PROVA II FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS VESTIBULAR 2012 I Processo Seletivo PROVA II SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Este caderno contém uma prova de redação no valor de 40 (quarenta) pontos. 1.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PRÓTESE DENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO PRÓTESE DENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE PÚBLICA QUESTÃO 01 A cárie ainda é a principal doença bucal que acomete a população brasileira. Em relação à cárie, pode-se observar que (A) sua prevalência

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Odontólogo (Unidade Móvel) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas. I N S T R

Leia mais

CAVIDADE BUCAL. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD PhD

CAVIDADE BUCAL. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD PhD CAVIDADE BUCAL Anatomia Aplicada à Odontologia CAVIDADE BUCAL Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD PhD Especialista e Mestre em Cirurgia Bucomaxilofacial - UFPel-RS Doutor (PhD) em Cirurgia Maxilofacial -

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

Manual de Conteúdo e Estrutura GUIA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO (GTO)

Manual de Conteúdo e Estrutura GUIA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO (GTO) Manual de Conteúdo e Estrutura GUIA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO (GTO) Instruções para Preenchimento da Guia Jul/08 O QUE É TISS? A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar TISS

Leia mais

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí)

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (MATEMÁTICA) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) NÚCLEO DE CONCURSOS E PROMOÇÃO DE EVENTOS NUCEPE PROCESSO SELETIVO SEDUC/PI - 2012 FOLHA DE ANOTAÇÃO DO GABARITO - ATENÇÃO: Esta parte somente deverá ser destacada pelo fiscal da sala, após o término da

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. CARGO: AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL DATA: 05/06/2016 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) PROVA ESCRITA OBJETIVA TIPO NM - 03

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. CARGO: AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL DATA: 05/06/2016 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) PROVA ESCRITA OBJETIVA TIPO NM - 03 PROVA ESCRITA OBJETIVA TIPO NM - 03 CARGO: AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL DATA: 05/06/2016 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) LEIA AS INSTRUÇÕES: 01. Você deve receber do fiscal o material abaixo: a) Este

Leia mais

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina

Série Aparelhos Ortodônticos: Barra Transpalatina Série Aparelhos Ortodônticos barra transpalatina INTRODUÇÃO A barra transpalatina (BTP) tem sido aplicada na mecânica ortodôntica de forma crescente e em muitas situações clínicas. Isto pela característica

Leia mais

Fabiana Mansur Varjão

Fabiana Mansur Varjão FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE ARARAQUARA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Fabiana Mansur Varjão Seleção da largura dos dentes ântero-superiores de próteses totais: estudo de quatro

Leia mais