Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013"

Transcrição

1 Mogi das Cruzes, 25 de fevereiro de 2014 A JSL (BM&FBOVESPA: JSLG3 e ADR Nível 1: JSLGY), empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita líquida, apresenta seus resultados do 4T13, o qual inclui, a JSL Logística, e separadamente, os resultados da JSL Concessionárias, (ex-simpar Concessionárias) e Movida que somadas, compõem os resultados da JSL Consolidada. As informações financeiras e operacionais são apresentadas em reais e conforme práticas contábeis adotadas no Brasil, e as comparações referem-se aos dados reportados e auditados do 4T12 e 3T13, exceto onde indicado. As comparações dos resultados da JSL Concessionárias com o 2012 é proforma devido à incorporação em fevereiro de 2012, e as comparações com a Movida com 2013 e 2012 são proforma devido a aquisição em dezembro de Índice Comentários da administração Desempenho dos negócios Análise do resultado Investimentos Estrutura de Capital i Fluxo de Caixa ROIC JSL Concessionárias Movida Mercado de Capitais Glossário Anexos Teleconferência e Webcast 26 de Fevereiro de h00 (Brasília) com tradução simultânea Português: +55 (11) ou +55 (11) Inglês: +1 (516) Código de acesso: JSL Webcast: Relações com Investidores Tel: (11) /7422/ Destaques Financeiros 4T12¹ 3T13 4T13 JSL - Consolidada ¹ 2012² 2013 ² Receita Bruta Total 1.226, , ,1 15,6% 4,6% 4.478, ,8 17,1% Receita Líquida 1.102, , ,2 17,1% 4,8% 4.039, ,5 17,5% Lucro Líquido recorrente² 20,5 26,4 20,5 0,0% -22,3% 91,7 99,9 8,9% Margem Líquida recorrente² 1,9% 2,1% 1,6% -0,3 p.p. -0,5 p.p. 2,3% 2,1% -0,2 p.p. EBITDA recorrente² 143,0 187,8 184,4 29,0% -1,8% 610,6 713,6 16,9% Margem EBITDA recorrente² 13,0% 15,2% 14,3% +1,3 p.p. -0,9 p.p. 15,1% 15,0% -0,1 p.p. ¹ Proforma ² Considera os valores de fevereiro a dezembro de 2012 JSL - Logística Destaques Financeiros Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013 Destaques do ano de 2013 JSL Consolidada (comparações com 2012): Receita bruta recorde de R$ 5,243 bilhões (+17,1%) e EBITDA recorrente Consolidado de R$ 713,6 (+16,9%); Lucro líquido de R$ 99,9 milhões, crescimento de 8,9%; Aquisição da Movida e da BGN Leasing (pendente de aprovação do BACEN); Consolidação das atividades da JSL Logística com a JSL Concessionárias; Abertura de 4 novas lojas de pesados da JSL Concessionárias da marca MAN. Destaques do ano de 2013 JSL Logística (comparações com 2012): Receita bruta recorde de R$ 4,071 bilhões, crescimento de 21,5%; EBITDA recorrente de R$ 683,6 milhões, crescimento de 15,9%; Lucro líquido de R$ 94,8 milhões, margem de 2,6%. Destaques do 4T13 JSL Consolidada (comparações com 4T12): Receita bruta recorde de R$ 1,418 bilhão, crescimento de 15,6%; EBITDA de R$ 184,4 milhões, crescimento de 29,0%; 56,7% das vendas de veículos leves da JSL Logística através da JSL Concessionárias. Destaques do 4T13 JSL Logística (comparações com 4T12): Receita bruta total de R$ 1,094 bilhão, crescimento de 18,6%; EBITDA² de R$ 174,4 milhões, crescimento de 28,8%. 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Receita Bruta Total 923, , ,4 18,6% 2,8% 3.349, ,4 21,5% Receita Bruta de Serviços 842,1 960,5 937,6 11,3% -2,4% 3.075, ,8 19,0% Receita Bruta de Venda de Ativos 80,9 103,7 156,8 93,8% 51,2% 274,2 411,6 50,1% Receita Líquida 819,3 962,8 991,1 21,0% 2,9% 2.993, ,6 22,3% Lucro Líquido recorrente² 20,0 27,7 18,0-10,0% -35,0% 90,9 94,8 4,3% Margem Líquida recorrente² 2,4% 2,9% 1,8% -0,6 p.p. -1,1 p.p. 3,0% 2,6% -0,4 p.p. EBITDA-A¹ recorrente² 215,6 283,4 326,8 51,6% 15,3% 862, ,3 26,2% Margem EBITDA-A¹ recorrente² 26,3% 29,4% 33,0% +6,7 p.p. +3,5 p.p. 28,8% 29,7% +0,8 p.p. EBITDA recorrente² 135,4 181,4 174,4 28,8% -3,9% 589,6 683,6 15,9% Margem EBITDA recorrente² 16,5% 18,8% 17,6% +1,1 p.p. -1,2 p.p. 19,7% 18,7% -1,0 p.p. EBITDA de Serviços recorrente² 134,7 179,7 170,0 26,2% -5,4% 587,9 676,7 15,1% Margem EBITDA de Serviços recorrente² 18,2% 20,9% 20,4% +2,2 p.p. -0,6 p.p. 21,7% 20,8% -0,9 p.p. ¹ Proforma (1) EBITDA-A ou EBITDA Adicionado - corresponde ao EBITDA acrescido do custo contábil residual da Venda de Ativos imobilizados, o qual não representa desembolso operacional de caixa, uma vez que se trata da mera representação contábil da baixa dos ativos no momento de sua alienação. Dessa forma, a Administração da Companhia acredita que o EBITDA-A é a medida prática mais adequada do que o EBITDA tradicional como aproximação da geração de caixa, de modo a aferir a capacidade da Companhia cumprir com suas obrigações financeiras. (2) Exclui efeitos não recorrentes, conforme detalhado na tabela da página 10 deste documento

2 I. COMENTÁRIOS DA ADMINISTRAÇÃO Dados Reportados JSL Logística Em 2013, a JSL Logística registrou recorde de receita bruta de Serviços de R$ 3,660 bilhões, crescimento de 19,0% na comparação com 2012, cumprindo o guidance informado no começo de 2013, mesmo em um ano no qual as projeções para o crescimento do PIB brasileiro foram reduzidas. O crescimento do nosso negócio e sua forte resiliência demonstrada na receita de prestação de serviços ocorre porque a JSL contribui com o aumento de produtividade de seus clientes, além de permitir que possam alocar capital no foco do seu negócio em função de sua alta capacidade de investimento. Isto tudo ancorados em uma atuação cada vez mais diversificada, uma sólida base de clientes e disciplina no fechamento e acompanhamento dos contratos. O EBITDA recorrente atingiu R$ 683,6 milhões no ano de 2013, atingindo o intervalo do guidance, e o lucro líquido R$ 94,8 milhões. No 4T13, a JSL Logística registrou uma receita bruta de Serviços de R$ 937,6 milhões, o que representa um crescimento de 11,3% na comparação com o 4T12. Em relação ao mix de Serviços, continuou focado nas linhas de negócio de maior valor agregado, Serviços Dedicados e Gestão e Terceirização, que juntas somaram uma participação de 79,8% na receita bruta de Serviços. A receita com Revenda Usual de Ativos foi R$ 156,8 milhões, 93,8% maior do que no 4T12. EBITDA recorrente de R$ 174,4 milhões aumentou 28,8% em relação ao 4T12. A margem EBITDA de Serviços recorrente foi de 20,4%, aumento de 2,2 p.p. em relação ao 4T12, devido a maior diluição das despesas operacionais, parcialmente compensadas pelo aumento do custo com terceiros e agregados. A redução de 3,9% no EBITDA recorrente e de 0,5 p.p. na margem EBITDA de Serviço recorrente, na comparação com o 3T13, são oriundos da redução na margem bruta devido a sazonalidade típica no ano. O lucro líquido recorrente total no 4T13 foi de R$ 18,0 milhões, com margem de 1,8%. A redução em relação ao 4T12, é devido principalmente ao aumento de 23,2% nos juros líquidos justificado pelo aumento da dívida líquida média, em função dos investimentos para expansão dos negócios, além do reconhecimento de receita no valor de R$ 9,5 milhões referente à atualização monetária pela SELIC de do saldo negativo de IRPJ/CSLL no 4T12, e uma despesa de R$ 2,5 milhões vinculada a quitação antecipada de empréstimos e financiamentos (baixa do saldo das despesas diferidas na contratação das debêntures). A redução em relação ao 3T13 é devido a sazonalidade típica no ano, além do maior investimento realizado para expansão dos negócios. Para referência, apresentamos na tabela a seguir os resultados da JSL Consolidada (Logística + Concessionárias): Resultado JSL Consolidada JSL Logística 1 JSL Concessionárias 4T Movida Eliminações JSL Consolidada 2 JSL Logística 1 JSL Concessionárias Movida Eliminações JSL Consolidada 1,2 Receita Bruta 1.094,4 351,6 7,1 (35,0) 1.418, , ,7 7,1 (66,4) 5.242,8 Receita Líquida 991,1 328,4 6,8 (35,0) 1.291, , ,4 6,8 (66,4) 4.746,5 Lucro Bruto 145,0 56,3 1,5-202,8 561,8 197,5 1,5-760,8 Margem Bruta 14,6% 17,1% 0,5% - 15,7% 15,3% 17,3% 0,5% 16,0% EBIT recorrente 87,0 6,4 0,2-93,7 341,7 21,5 0,2-363,4 Margem EBIT recorrente 8,8% 1,9% 0,1% - 7,3% 9,3% 1,9% 0,1% 7,7% Lucro Líquido recorrente 18,0 2,4 (0,0) - 20,5 94,8 5,1 (0,0) - 99,9 Margem Líquida recorrente 1,8% 0,7% 0,0% - 1,6% 2,6% 0,4% 0,0% - 2,1% EBITDA recorrente 174,4 8,8 1,2-184,4 683,6 28,8 1,2-713,6 Margem EBITDA recorrente 17,6% 2,7% 0,4% - 14,3% 18,7% 2,5% 0,4% - 15,0% EBITDA-A recorrente 326,8 12,0 2,8-341, ,3 37,9 2, ,0 Margem EBITDA-A recorrente 33,0% 3,7% 0,9% - 26,5% 29,7% 3,3% 0,9% - 23,8% ¹ Proforma ² Desconsidera despesas de empresas pré-operacionais As atividades da JSL focam principalmente a prestação de serviços logísticos, porém a JSL Concessionárias de Veículos e a Movida Rent a Car contribuem para o aumento da competitividade do negócio e fortalecem o posicionamento da Companhia no mercado. A rede de concessionárias e a Movida são operações independentes e altamente complementares, vindo de encontro com as necessidades dos clientes da Companhia, uma vez que a primeira reforça os canais de revenda dos ativos; e a segunda amplia o portfólio de serviços e aumenta a capilaridade das atividades da JSL, pois está posicionada estrategicamente, mitigando o risco ao ampliar o maior portfólio de serviços logísticos do país. ESEMPENHO DOS NEGÓCIOS JSL Logística 2

3 II. DESEMPENHO DOS NEGÓCIOS JSL Logística As comparações referem-se aos dados, reportados e auditados dos períodos do 4T12, exceto onde indicado. Importante ressaltar que tais números não consideram quaisquer resultados da JSL Concessionárias, bem como, quaisquer eliminações entre este negócio e o de logística. Receita Bruta Destaques Financeiros do 4T13 JSL Logística Receita Líquida EBITDA recorrente 1 EBITDA de Serviços recorrente 1 Lucro Líquido recorrente¹ ² ¹ Exclui os efeitos das despesas não recorrentes correspondentes aos gastos com as aquisições da Schio e SIMPAR Concessionárias (atual JSL Concessionárias), projetos especiais, dentre outros, no montante de R$ 2,0 milhões no 4T12, R$ 12,0 milhões em 2012, R$ 3,1 milhões no 4T13 e R$ 6,7 milhões em ² Exclui o impacto das despesas descritas no item 1. Considera alíquota de 34,0% para R$ 0,5 milhão no 4T12, R$ 5,0 milhões em 2012, R$ 3,1 milhões no 4T13, R$ 6,7 milhões em

4 1. Receita Bruta Os dados de receita bruta do 4T13 a seguir, são auditados e diferem daqueles preliminares e não auditados divulgados no Press Release de 03 de fevereiro de Receita Bruta Total JSL - Logística Receita Bruta Receita Bruta de Serviços 842,1 960,5 937,6 11,3% -2,4% 3.075, ,8 19,0% Serviços Dedicados 453,9 506,9 491,8 8,3% -3,0% 1.603, ,5 18,8% Gestão e Terceirização 217,8 261,3 256,1 17,6% -2,0% 807, ,6 24,8% Transporte de Passageiros 97,1 101,2 107,3 10,5% 6,0% 378,0 408,4 8,0% Cargas Gerais 61,6 79,0 69,1 12,2% -12,5% 242,1 290,0 19,8% Outros 11,7 12,1 13,4 14,5% 10,7% 43,9 48,4 10,3% Receita Bruta de Venda de Ativos 80,9 103,7 156,8 93,8% 51,2% 274,2 411,6 50,1% Revenda usual de Ativos 80,9 103,7 156,8 93,8% 51,2% 274,2 411,6 50,1% Venda de Ativos com Gestão n.a. n.a. - - n.a. Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC n.a. n.a. - - n.a. Receita Bruta Total 923, , ,4 18,6% 2,8% 3.349, ,4 21,5% No 4T13, a JSL Logística registrou receita bruta Total de R$ 1,094 bilhão, crescimento de 18,6%, em relação ao 4T12 composta por: Serviços Receita Bruta de Serviços de R$ 937,6 milhões, crescimento de 11,3% em relação ao 4T12, com crescimento em todas as linhas de negócio, com destaque para Serviços Dedicados e Gestão e Terceirização, que juntas representaram 79,8%; Receita com os mesmos contratos (RMC) aumentou 6,7% no 4T13. Venda de Ativos A receita com Revenda Usual de Ativos foi 93,8% maior do que no 4T12. RMC Receita com os Mesmos Contratos RMC 4T12 4T Receita Bruta de Serviços 803,1 857,2 6,7% 2.902, ,0 16,6% Serviços Dedicados 422,3 450,4 6,7% 1.463, ,7 19,1% Gestão e Terceirização 210,6 230,7 9,5% 780,5 951,5 21,9% Transporte de Passageiros 97,1 107,3 10,4% 377,5 408,4 8,2% Cargas Gerais 61,3 55,5-9,6% 236,7 234,0-1,1% Outros 11,7 13,4 14,4% 44,2 48,4 9,4% 4

5 Composição da Receita Bruta de Serviços Por linha de negócio Composição da Receita Bruta de Serviços Por setor da economia A JSL contribui com o aumento da produtividade de seus clientes e além de permitir que possam alocar capital no foco do seu negócio através do mais amplo portfolio de serviços logísticos do Brasil e de sua alta capacidade de investimento. A JSL possui um portfólio diversificado de clientes em vários setores da economia, com base em contratos de longo prazo, e sem ter dependência de nenhum especificamente resultando na resiliência do negócio. Essa estratégia de diversificação de receitas contribui para a mitigação de riscos e amplia as oportunidades para um crescimento sustentável. III. ANÁLISE DO RESULTADO 1. Receita Líquida Receita Líquida Receita Líquida 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Receita Bruta , , % 2.8% 3, , % Receita Bruta de Serviços % -2.4% 3, , % Receita Bruta de Venda de Ativos % 51.2% % Deduções da Receita (103.8) (101.4) (103.4) -0.4% 2.0% (356.1) (408.8) 14.8% Receita Líquida % 2.9% 2, , % Receita Líquida de Serviços % -2.9% 2, , % Receita Líquida de Venda de Ativos % 51.2% % ¹ Proforma JSL - Logística 5

6 O total das deduções registradas no 4T13 foi de R$ 103,4 milhões, composta principalmente por impostos sobre vendas, descontos concedidos e devoluções, o que correspondeu a 11,0% da receita bruta de Serviços da Companhia. A redução de 1,3 p.p. em relação ao 4T12 foi devida principalmente a redução de ICMS, em razão do menor volume de receitas com incidência deste tributo, e descontos concedidos. O aumento de 0,4 p.p. em relação ao 3T13, é oriundo principalmente do aumento de descontos concedidos e COFINS. Seguindo a tendência da receita bruta, a receita líquida de Serviços foi de R$ 834,2 milhões, crescimento de 13,0% comparado ao 4T Custo e Lucro Bruto Custos Custos Custos em % da Receita Líquida 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Custo de Serviços (614,6) (710,7) (693,6) 12,9% -2,4% (2.185,6) (2.696,2) 23,4% Com pessoal (223,5) (255,4) (243,1) 8,8% -4,8% (796,2) (957,1) 20,2% Com agregados e terceiros (116,8) (151,7) (151,4) 29,6% -0,2% (415,2) (571,3) 37,6% Combustíveis e lubrificantes (60,5) (65,5) (55,8) -7,8% -14,8% (210,1) (230,9) 9,9% Peças / pneus / manutenção (51,3) (61,1) (59,7) 16,4% -2,3% (195,8) (236,5) 20,8% Depreciação (78,6) (84,9) (86,0) 9,4% 1,3% (281,6) (336,7) 19,6% Outros (83,9) (92,0) (97,6) 16,3% 6,1% (286,7) (363,6) 26,8% Custo de Venda de Ativos (80,3) (101,9) (152,4) 89,8% 49,6% (272,4) (404,7) 48,6% Revenda Usual de Ativos (80,3) (101,9) (152,4) 89,8% 49,6% (272,4) (404,7) 48,6% Venda de Ativos com Gestão n.a. n.a. - - n.a. Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC n.a. n.a. - - n.a. Custo Total (694,9) (812,7) (846,1) 21,8% 4,1% (2.458,1) (3.100,9) 26,2% ¹ Proforma Custos (% da Receita Líquida) 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ JSL - Logística JSL - Logística 2012¹ 2013 ¹ Custo de Serviços (em % da Receita Líquida de Serviços) 83,2% 82,7% 83,1% -0,1 p.p. +0,4 p.p. 80,4% 82,9% +2,5 p.p. Com pessoal 30,3% 29,7% 29,1% -1,2 p.p. -0,6 p.p. 29,3% 29,4% +0,1 p.p. Com agregados e terceiros 15,8% 17,7% 18,2% +2,4 p.p. +0,5 p.p. 15,3% 17,6% +2,3 p.p. Combustíveis e lubrificantes 8,2% 7,6% 6,7% -1,5 p.p. -0,9 p.p. 7,7% 7,1% -0,6 p.p. Peças / pneus / manutenção 6,9% 7,1% 7,2% +0,3 p.p. +0,1 p.p. 7,2% 7,3% +0,1 p.p. Depreciação 10,6% 9,9% 10,3% -0,3 p.p. +0,4 p.p. 10,4% 10,4% +0,0 p.p. Outros 11,4% 10,7% 11,7% +0,3 p.p. +1,0 p.p. 10,5% 11,2% +0,7 p.p. Custo de Venda de Ativos (em % da Receita Líquida de Venda de Ativos) 99,2% 98,3% 97,2% -2,0 p.p. -1,1 p.p. 99,4% 98,3% -1,1 p.p. Revenda Usual de Ativos (% da Receita Líquida de Revenda) 99,2% 98,3% 97,2% -2,0 p.p. -1,1 p.p. 99,4% 98,3% -1,1 p.p. Venda de Ativos com Gestão (% da Receita Líquida de Venda com Gestão) n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. Aluguel de Máquinas e Equipamentos (valor presente) - CPC06 (% da Receita Líquida de Aluguel) n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. Custo Total (em % da Receita Líquida Total) 84,8% 84,4% 85,4% +0,6 p.p. +1,0 p.p. 82,1% 84,7% +2,6 p.p. ¹ Proforma Lucro Bruto JSL - Logística Lucro Bruto 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Lucro Bruto de Serviços 123,8 148,4 140,6 13,6% -5,3% 533,8 554,9 4,0% Margem Bruta de Serviços (em % da Receita Líquida de Serviços) 16,8% 17,3% 16,9% +0,1 p.p. -0,4 p.p. 19,6% 17,1% -2,5 p.p. Lucro Bruto da Venda de Ativos 0,6 1,7 4,4 633,3% 158,8% 1,7 6,9 305,9% Margem Bruta da Venda de Ativos (em % da Receita Líquida de Venda de Ativos) 0,8% 1,7% 2,8% +2,0 p.p. +1,1 p.p. 0,6% 1,7% +1,1 p.p. Lucro Bruto Total 124,4 150,1 145,0 16,6% -3,4% 535,5 561,8 4,9% Margem Bruta Total (em % da Receita Líquida Total) ¹ Proforma 15,2% 15,6% 14,6% -0,6 p.p. -1,0 p.p. 17,9% 15,3% -2,6 p.p. 6

7 A Margem Bruta Total apresentou uma redução de 0,6 p.p., comparada ao 4T12, devido ao aumento de custos de serviços oriundos principalmente do aumento na utilização de terceiros e agregados em serviços dedicados, parcialmente compensados pela redução no custo com combustível e pela melhora na margem bruta de venda de ativos; A redução de 1,0 p.p. versus o 3T13 é oriunda da maior utilização de terceiros e agregados, parcialmente compensadas pela redução do custo de combustível devido ao fim do período de safra do setor sucroalcooleiro. Custo de Serviços O Custo de Serviços apresentou uma redução de 0,1 p.p. em termos da receita liquida de serviços, na comparação com o 4T12 e aumento de 0,4 p.p. versus o 3T13, conforme detalhado a seguir: Agregados e terceiros O aumento de 2,4 p.p. refere-se basicamente a (i) mudança no perfil das operações de Serviços Dedicados nos setores alimentício, siderurgia, automotivo e máquinas (substituição de frota própria por terceiros e agregados); (ii) novas operações. Combustíveis e lubrificantes A redução de 1,5 p.p. deveu-se principalmente a maior utilização de terceiros e agregados. Combustíveis e lubrificantes O redução de 0,9 p.p. deveu-se essencialmente ao final do período de safra dos clientes do setor sucroalcooleiro. Outros O aumento de 1,0 p.p. corresponde fundamentalmente a (i) aumento nos custos com IPVA das novas operações e aumento de frota de operações existentes (R$ 1,6 milhão); (ii) aumento nos custos com brindes (R$ 0,7 milhão); (iii) multas diversas (R$ 0,7 milhão). Custo de Venda de Ativos Seguindo a tendência da Receita com a Venda de Ativos, o Custo de Venda de Ativos foi de R$ 152,4 milhões, aumento de 89,8% comparado ao 4T Despesas Operacionais e Resultado Financeiro Excluindo os efeitos não recorrentes, as despesas operacionais antes do resultado financeiro representariam 7,0% da receita líquida de Serviços no 4T13, redução de 2,3 p.p. e aumento de 0,7 p.p. em relação ao 4T12 e 3T13, respectivamente, conforme detalhado a seguir: 7

8 Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro JSL - Logística Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Despesas administrativas e comerciais (55,7) (57,1) (58,0) 4,1% 1,6% (205,9) (213,7) 3,8% Despesas tributárias (0,7) (1,1) (1,3) 85,7% 18,2% (3,5) (4,4) 25,7% Outras receitas (despesas) operacionais (14,4) 1,2 (1,8) -87,5% -250,0% (33,5) (8,7) -74,0% Total (70,8) (57,0) (61,1) -13,7% 7,2% (242,9) (226,8) -6,6% Efeitos não recorrentes² (2,0) (2,9) (3,1) 55,0% 6,9% (12,0) (6,7) -44,2% Total sem efeitos não recorrentes (68,8) (54,1) (58,0) -15,7% 7,2% (231,0) (220,1) -4,7% Provisão para Contingências (12,9) (7,7) (12,9) 0,0% 67,5% (35,7) (32,7) -8,4% Total sem efeitos não recorrentes e sem contingências (55,9) (46,4) (45,1) -19,3% -2,8% (195,3) (187,4) -4,0% ¹ Proforma ² Relacionadas às aquisições da Schio e SIMPAR Concessionárias, projetos especiais, dentre outros Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro em % da Receita Líquida de Serviços JSL - Logística Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro (% da Receita Líquida de Serviços) 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Despesas administrativas e comerciais 7,5% 6,6% 6,9% -0,6 p.p. +0,3 p.p. 7,6% 6,6% -1,0 p.p. Despesas tributárias 0,1% 0,1% 0,2% +0,1 p.p. +0,1 p.p. 0,1% 0,1% +0,0 p.p. Outras receitas (despesas) operacionais 1,9% -0,1% 0,2% -1,7 p.p. +0,3 p.p. 1,2% 0,3% -0,9 p.p. Total 9,6% 6,6% 7,3% -2,3 p.p. +0,7 p.p. 8,9% 7,0% -1,9 p.p. Efeitos não recorrentes² 0,3% 0,3% 0,4% +0,1 p.p. +0,1 p.p. 0,4% 0,2% -0,2 p.p. Total sem efeitos não recorrentes 9,3% 6,3% 7,0% -2,3 p.p. +0,7 p.p. 8,5% 6,8% -1,7 p.p. Provisão para Contingências 1,8% 0,9% 1,6% -0,2 p.p. +0,7 p.p. 1,3% 1,0% -0,3 p.p. Total sem efeitos não recorrentes e sem contingências 7,6% 5,4% 5,4% -2,2 p.p. +0,0 p.p. 7,2% 5,8% -1,4 p.p. ¹ Proforma ² Relacionadas às aquisições da Schio e SIMPAR Concessionárias, projetos especiais, dentre outros Despesas Administrativas e Comerciais JSL - Logística Despesas Administrativas e Comerciais 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Pessoal (26,9) (27,7) (27,6) 2,6% -0,4% (105,7) (105,4) -0,3% Prestação de serviços (6,8) (12,8) (11,7) 72,1% -8,6% (32,0) (39,9) 24,7% Comunicação, propaganda e publicidade (5,0) (4,4) (4,4) -12,0% 0,0% (20,2) (16,6) -17,8% Alugueis de imóveis de terceiros (2,8) (2,6) (2,7) -3,6% 3,8% (8,5) (9,8) 15,3% Depreciação (1,3) (0,5) (1,4) 7,7% 180,0% (3,5) (5,1) 45,7% Outros (13,0) (9,3) (10,1) -22,3% 8,6% (36,0) (36,9) 2,5% Total (55,7) (57,1) (58,0) 4,1% 1,6% (205,9) (213,7) 3,8% Total (em % da Receita líquida de Serviços) 7,5% 6,6% 6,9% -0,6 p.p. +0,3 p.p. 7,6% 6,6% -1,0 p.p. Efeitos não recorrentes² (0,5) (2,9) (3,1) 520,0% 6,9% (5,0) (6,7) 34,0% Total sem efeitos não recorrentes (55,2) (54,2) (54,9) -0,5% 1,3% (200,9) (207,0) 3,0% Total sem efeitos não recorrentes (em % da Receita líquida de Serviços) 7,5% 6,3% 6,6% -0,9 p.p. +0,3 p.p. 7,4% 6,4% -1,0 p.p. ¹ Proforma ² Relacionadas às aquisições da Schio e SIMPAR Concessionárias, projetos especiais, dentre outros No 4T13, as despesas administrativas e comerciais, desconsiderando os efeitos não recorrentes, atingiram R$ 54,9 milhões, 0,5% inferior ao 4T12, apresentando uma maior diluição se comparado ao aumento de 13,1% na receita líquida de Serviços. 8

9 Outras Receitas (Despesas) Operacionais JSL - Logística Outras Receitas (Despesas) Operacionais 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Outras Receitas (Despesas) Operacionais (14,4) 1,2 (1,8) -87,5% -250,0% (33,5) (8,7) -74,0% Total (% da Receita Líquida de Serviços) -1,9% 0,1% -0,2% +1,7 p.p. -0,3 p.p. -1,2% -0,3% +0,9 p.p. Ajustes de Efeitos não recorrentes (1,5) (7,0) - - Outras Receitas (Despesas) Operacionais sem Efeitos não recorrentes (12,9) 1,2 (1,8) -86,0% -250,0% (26,6) (8,7) -67,3% Provisão para Contingências (12,9) (7,7) (12,9) 0,0% 67,5% (35,7) (32,7) -8,4% Outras Receitas Operacionais sem Contingências e efeitos não recorrentes Outras Receitas Operacionais sem Contingências e efeitos não recorrentes (% da Receita Líquida de Serviços) ¹ Proforma 0,0 8,9 11,1 n.a. 24,7% 9,2 24,0 160,9% 0,0% 1,0% 1,3% +1,3 p.p. +0,3 p.p. 0,3% 0,7% +0,4 p.p. Resultado Financeiro Resultado Financeiro 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ O aumento de 23,2% e de 8,4% nos juros financeiros líquidos em comparação com o 4T12 e 3T13, respectivamente, é justificado pelo aumento da dívida líquida média que foi de R$ 2,162 bilhões no 4T12, R$ 2,520 no 3T13 e R$ 2,684 bilhões no 4T13, oriunda principalmente dos investimentos em expansão; No 4T13, o custo médio da dívida foi de 9,1% a.a., ficando praticamente estável em relação ao 4T12 e ao 3T13. Custo médio da dívida líquida (a.a.) 2012¹ 2013 ¹ Juros financeiros líquidos (48,2) (54,8) (59,4) 23,2% 8,4% (201,1) (211,7) 5,3% Rendimentos sobre aplicações financeiras 7,0 19,6 21,1 201,4% 7,7% 33,6 54,8 63,1% Juros sobre empréstimos e financiamentos (55,3) (74,4) (80,5) 45,6% 8,2% (234,7) (266,5) 13,5% Outros itens financeiros 12,3 0,9 (7,1) -157,7% -888,9% 27,0 7,0-74,1% Total (36,0) (53,9) (66,5) 84,7% 23,4% (174,1) (204,7) 17,6% Total (em % da Receita líquida de Serviços) 4,9% 6,3% 8,0% +3,1 p.p. +1,7 p.p. 6,4% 6,3% -0,1 p.p. ¹ Proforma JSL - Logística 9

10 4. Lucro Líquido Descrição dos efeitos não recorrentes JSL - Logística Abertura dos efeitos não recorrentes Descrição Linha Impactos no EBITDA (2,0) (2,9) (3,1) (12,0) (6,7) Projetos especiais e aquisições Gastos com as aquisições da Schio Despesas administrativa e e SIMPAR Concessionárias, com comerciais - prestação de serviço projetos especiais, primordialmente e Outras Receitas (Despesas) relacionados à revisão de processos, Operacionais dentre outros. (2,0) (2,9) (3,1) (12,0) (6,7) Total de efeitos não recorrentes (2,0) (2,9) (3,1) (12,0) (6,7) Lucro Líquido excluindo efeitos não recorrentes JSL - Logística Lucro Líquido sem efeitos não recorrentes 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ Lucro antes dos impostos 17,6 39,2 17,4-1,1% -55,6% 118,5 130,3 10,0% Provisão para IR e CS e Diferido 0,6 (13,5) (1,4) -333,3% -89,6% (37,9) (40,0) 5,5% Lucro Líquido Total 18,1 25,8 16,0-11,6% -38,0% 80,6 90,3 12,0% Efeitos não recorrentes ² ³ 1,8 2,0 2,1 16,7% 5,0% 10,3 4,5-56,3% Lucro Líquido Total sem efeitos não recorrentes 20,0 27,7 18,0-10,0% -35,0% 90,9 94,8 4,3% Margem Líquida Total sem efeitos não recorrentes 2,4% 2,9% 1,8% -0,6 p.p. -1,1 p.p. 3,0% 2,6% -0,4 p.p. ¹ Proforma ² Relacionadas às aquisições da Schio e Simpar Concessionárias, projetos especiais dentre outros ³ Considera alíquota de 34,0% para R$ 0,5 milhões no 4T12, R$ 3,3 milhões em 2012, R$ 3,1 milhões no 4T13 e R$ 6,7 milhões em 2013 O lucro líquido sem efeitos não recorrentes foi de R$ 18,0 milhões, redução de 10,0% em relação ao 4T12, devido principalmente ao aumento de 23,2% nos juros líquidos justificado pelo aumento da dívida líquida média, em função dos investimentos para expansão dos negócios, além do reconhecimento de receita no valor de R$ 9,5 milhões referente à atualização monetária pela SELIC de do saldo negativo de IRPJ/CSLL no 4T12, e uma despesa de R$ 2,5 milhões vinculada a quitação antecipada de empréstimos e financiamentos (baixa do saldo das despesas diferidas na contratação das debêntures); A redução de 35,0% no lucro líquido recorrente e de 1,1 p.p. na margem líquida na comparação com o 3T13 é devido à sazonalidade típica do ano, além do maior investimento realizado para expansão dos negócios. 5. EBITDA e EBITDA-A EBITDA-A excluindo efeitos não recorrentes JSL - Logística EBITDA-A sem efeitos não recorrentes 4T12¹ 3T13 4T13 ¹ 2012¹ 2013 ¹ EBITDA de Serviços 132,8 176,8 166,9 25,7% -5,6% 575,9 670,0 16,3% Ajustes de Efeitos não recorrentes² 2,0 2,9 3,1 55,0% 6,9% 12,0 6,7-44,2% EBITDA de Serviços sem efeitos não recorrentes 134,7 179,7 170,0 26,2% -5,4% 587,9 676,7 15,1% Margem EBITDA de Serviços sem efeitos não recorrentes 18,2% 20,9% 20,4% +2,2 p.p. -0,5 p.p. 21,6% 20,8% -0,8 p.p. EBITDA sem efeitos não recorrentes 135,4 181,4 174,4 28,8% -3,9% 589,6 683,6 15,9% Margem EBITDA sem efeitos não recorrentes 16,5% 18,8% 17,6% +1,1 p.p. -1,2 p.p. 19,7% 18,7% -1,0 p.p. EBITDA-A sem efeitos não recorrentes 215,6 283,4 326,8 51,6% 15,3% 862, ,3 26,2% Margem EBITDA-A sem efeitos não recorrentes 26,3% 29,4% 33,0% +6,7 p.p. +3,6 p.p. 28,8% 29,7% +0,9 p.p. ¹ Proforma ² Relacionadas às aquisições da Schio e SIMPAR Concessionárias, projetos especiais, dentre outros O EBITDA recorrente foi de R$ 174,4 milhões com margem EBIDA de Serviços recorrente de 20,4%, aumento de 28,8% e 2,2 p.p. respectivamente, em relação ao 4T12, decorrente da maior diluição nas despesas administrativas, parcialmente compensadas pelo aumento dos custos com terceiros e agregados. A redução de 3,9% no EBITDA recorrente e 0,5 p.p. na margem EBITDA de Serviços recorrente na comparação com o 3T13 é resultado da redução na margem bruta devido à sazonalidade típica do ano. 10

11 Cabe mencionar que, enquanto houver expansão dos negócios da Companhia, a margem EBITDA estará abaixo do seu potencial, dado que a adição de novos contratos demanda um ciclo de implantação que se reflete em custos préoperacionais, ao mesmo tempo em que tais contratos ainda não geram receitas e possuem uma curva gradual até atingir sua plena capacidade; A receita da JSL é o resultado de um somatório de contratos. Cada um desses contratos representa um ciclo que se inicia com a compra financiada dos ativos a serem utilizados na operação. Uma vez implantados os recursos necessários para execução da operação (pessoal, estrutura física, dentre outros) e os ativos equipados, inicia-se a prestação de serviços, a qual gerará fluxo de caixa ao longo de todo o prazo contratual, que pode variar de 2 a 10 anos, dependendo do contrato. A última etapa deste ciclo é a revenda do ativo ao término do contrato, cujo valor residual estimado é levado em conta na precificação e, portanto, compõe o retorno esperado da operação; Dessa forma, com o objetivo de melhor refletir o ciclo de negócio da Companhia, a JSL adiciona ao EBITDA o custo contábil residual da venda de ativos imobilizado, capturando assim, o efeito da última etapa da vida do contrato o que definimos como EBITDA-A ou EBITDA Adicionado. Para mais informações sobre o conceito do EBITDA-A, consulte o glossário deste relatório. IV. INVESTIMENTOS Destinação dos Investimentos no 4T13: 78% para expansão dos negócios; 84% em Gestão e Terceirização e Serviços Dedicados; 52% em veículos leves. No 4T13, o investimento bruto total foi de R$ 264,1 milhões, sendo que para Renovação foi feito um investimento de R$ 46,7 milhões e uma receita com Revenda usual de ativos de R$ 156,8 milhões, perfazendo um investimento líquido de (R$ 110,1) milhões. O investimento total do ano de 2013 foi de R$ 1,295 bilhão, superior ao guidance informado no começo do ano, devido aos novos contratos e antecipação da renovação de ativos, a fim de aproveitar a taxa do FINAME. A seguir a tabela de investimentos: Investimento Investimentos por Natureza 4T13 % do Total 2013 % do Total Investimento Bruto Total 264,1 100,0% 1.295,2 100,0% 1) Renovação líquido (110,1) 36,2 Investimento 46,7 17,7% 447,7 34,6% Receita com Revenda usual de ativos (156,8) (411,6) 2) Expansão 205,3 77,7% 786,9 60,8% 3) Outros (TI, benfeitorias, etc.) 12,0 4,6% 60,6 4,7% Total Investimento Líquido 107,3 883,7 Investimentos Equipamentos 4T13 % do Total 2013 % do Total Caminhões 81,0 30,7% 482,2 37,2% Máquinas e Equipamentos 7,8 3,0% 91,5 7,1% Veículos Leves 137,9 52,2% 486,6 37,6% Ônibus 21,2 8,0% 154,0 11,9% Demais 16,3 6,2% 81,0 6,3% Investimento Total 264,1 100,0% 1.295,2 100,0% Investimentos por Linha de Negócio 4T13 % do Total 2013 % do Total Serviços Dedicados 58,4 22,1% 411,5 31,8% Gestão e Terceirização 163,9 62,0% 629,0 48,6% Transportes de Passageiros 26,0 9,8% 131,3 10,1% Cargas Gerais 15,9 6,0% 43,8 3,4% Demais - 0,0% 79,6 6,1% Investimento Total 264,1 100,0% 1.295,2 100,0% 11

12 O modelo de negócios da Companhia presume que os investimentos são necessariamente atrelados a contratos assinados, os quais garantem a geração de caixa futura das operações, em geral com volumes mínimos garantidos. Sendo assim, a Companhia pode definir os investimentos em expansão, da mesma maneira que pode arbitrar sobre o melhor momento para a compra e venda de seus ativos, podendo postergar sua revenda, sem que prejudique os custos com manutenção, tendo em vista a baixa idade média de sua frota. A JSL fechou o 4T13 com um saldo de R$ 3,809 bilhões de ativo imobilizado bruto. Dos ativos operacionais da JSL, R$ 320,7 milhões estavam alocados no balanço e não estavam gerando receita, conforme composição abaixo: R$ 183,7 milhões não estavam gerando receitas por encontrarem-se em fase de implantação de novos contratos (R$ 171,5 milhões) e em trânsito para serem disponibilizados para as lojas (R$ 12,2 milhões); R$ 137,0 milhões (balanço) estavam contabilizados em bens disponibilizados para venda renovação de frotas, o que corresponde aos ativos nas lojas de seminovos, redução de 20,5% em relação ao 3T13. V. ESTRUTURA DE CAPITAL Endividamento 31/12/ /03/ /06/ /09/ /12/2013 Perfil da Dívida Líquida: Caixa e aplicações financeiras (399,5) (471,9) (871,3) (1.017,3) (738,7) Dívida bruta - Curto prazo 484,9 481,7 532,7 517,0 530,4 Dívida bruta - Longo prazo 2.084, , , , ,8 Dívida bruta total 2.569, , , , ,2 Divida líquida 2.170, , , , ,5 50% da dívida líquida estava atrelada a taxas Pré-Fixadas (inclui financiamentos vinculados a TJLP) e 50% a taxas flutuantes (basicamente a CDI). Composição do endividamento líquido 31/12/2013 Cronograma de amortização ¹Aquisição de veículos leves via recursos próprios para um giro mais eficiente da frota A Companhia possui títulos de dívida emitidos, os quais contém limitação à sua alavancagem, com base no índice Dívida Líquida sobre o EBITDA-A e EBITDA-A sobre os juros líquidos, sendo que tais limites destes indicadores são, respectivamente, de menor ou igual a 3,0 vezes e maior ou igual a 2,0 vezes. Como é possível verificar na tabela a seguir, este índice, ajustado com as despesas não recorrentes com aquisições e projetos especiais, fechou o período, respectivamente em 2,4 e 5,3 vezes, patamar que permite a Companhia continuar crescendo com níveis prudentes de alavancagem, e dentro do planejado. 12

13 Indicadores de Alavancagem (fim do período) Saldos 30/12/ /03/2013 JSL Consolidada 30/06/2013 JSL Consolidada 30/09/2013 JSL Consolidada 31/12/2013 JSL Consolidada Dívida líquida / EBITDA-A² 2.5x 2,6x 2,6x 2,6x 2,4x Dívida líquida / EBITDA² 3.7x 3,7x 3,8x 3,9x 3,8x EBITDA-A²/ Juros líquidos 4,6x 4,5x 4,8x 5,0x 5,3x EBITDA²/ Juros líquidos 3,2x 3,1x 3,3x 3,3x 3,4x Imobilizado¹/ Dívida líquida 1,3x 1,2x 1,3x 1,3x 1,3x Caixa / dívida bruta de curto prazo 0,8x 0,9x 1,5x 2,0x 1,4x * JSL + Schio para os últimos 12 meses ¹ Imobilizado + Recebível e Estoques venda a prazo (Venda de Ativos com Gestão / CPC 06) + Seminovos ² Período acumulado dos últimos 12 meses, recorrente VI. FLUXO DE CAIXA Fluxo de Caixa Sintético¹ Lucro antes dos Impostos 17,6 39,3 17,4-1,3% -55,9% 118,5 130,3 10,0% Depreciação e Amortização 79,5 86,1 87,5 10,1% 1,7% 285,1 342,9 20,3% Custo da Venda de Ativos² 74,3 102,6 152,4 105,0% 48,6% 259,8 404,7 55,8% Outros ajustes não caixa ao lucro líquido 56,4 76,4 74,2 31,6% -2,8% 241,2 259,6 7,6% Contas a receber, Estoque e Fornecedores 105,2 (7,6) 48,7-53,7% 743,2% 94,9 135,0-42,2% Outros Ativos e Passivos (15,7) 18,7 (30,1) 92,3% -260,9% (8,1) (45,8) 465,3% Juros pagos (65,7) (61,8) (56,1) -14,6% -9,1% (234,7) (218,2) -7,0% Geração Operacional de Caixa 251,6 253,7 294,0 16,8% 15,9% 756, ,5 33,3% Aumento do Imobilizado³ (49,1) (84,2) (132,2) 169,0% 56,9% (216,5) (410,7) -89,7% Outros Investimentos 4 (1,2) (86,4) (133,6) 11197,8% -54,5% (50,4) (223,6) -343,3% Caixa Líquido das Atividades de Investimentos 201,3 83,0 28,3-86,0% -66,0% 489,7 374,1-23,6% Aumento (Redução) de Capital n.a n.a - - n.a Dividendos + JCP 2, ,0% n.a. (13,5) (20,7) n.a Empréstimos e Financiamentos (262,1) 63,0 (301,1) 14,9% 578,1% (519,5) (8,4) 98,4% Ações em Tesouraria - - (5,8) n.a n.a (0,5) (5,8) n.a Aumento (Redução) do Caixa (58,5) 146,0 (278,7) 376,4% 290,8% (43,8) 339,2 874,5% ¹ Considera como caixa o montante de aplicações financeiras classificadas como ativo circulante (Títulos e Valores Mobiliários) ² Custo não caixa ³ De acordo com o IFRS, as variações de caixa apresentadas na linha de aumento do imobilizado da demonstração do fluxo de caixa contemplam apenas os valores efetivamente desembolsados pela Companhia. Tais aquisições realizadas com financiamentos vinculados não apresentam reflexo na demonstração do fluxo de caixa quando da sua contratação, pois o banco paga direto o fornecedor. Entretanto, à medida que tais financiamentos são amortizados, os respectivos desembolsos de caixa se refletem na linha de Empréstimos e Financiamentos. 4 No 4T13 houve um AFAC (adiantamento para futuro aumento de capital) de R$ 118,7 milhões para Empresas do Grupo O aumento em 16,8% na geração operacional de caixa é derivado, além dos fatores normais no curso dos negócios, ao maior volume de ativos vendidos que liberaram caixa. A redução de 53,7% em Contas a receber, Estoques e Fornecedores em comparação com o 4T12 é resultado do aumento de R$ 63,6 milhões no saldo de estoques, diretamente relacionados a contratos de Venda de Ativos com Gestão, os quais serão vendidos nos próximos meses, parcialmente compensados pela melhora em contas a receber. A redução de R$ 30,1 milhões em Outros Ativos e Passivos é devido principalmente ao pagamento de férias e de décimo terceiro, parcialmente compensados por impostos a recuperar. Saldo de contas a receber Serviços Venda de Ativos com Gestão CPC06 Revenda de ativos para JSL Concessionárias Total 4T13 562,2-21,8 ~ 7 45,6 ~ 5 11,9 641,4 Expectativa de redução do contas a receber (média por trimestre) Contas a receber de 61 dias em relação à receita líquida de Serviços Eliminado no resultado consolidado As aquisições de ativo imobilizado que representaram efetivo desembolso de caixa totalizaram R$ 116,7 milhões e R$ 77,4 milhões de fornecedores a pagar no 4T13, conforme demonstrado abaixo: 13

14 Aquisição de Imobilizado 12 meses Investimento Total 272,9 368,2 264,1-3,2% -28,3% 1.295,2 Caixa (porção paga e a pagar com recursos próprios)¹ 107,1 134,8 194,1 81,2% 44,0% 615,7 Porção financiada 165,8 233,4 70,0-57,8% -70,0% 679,6 ¹ Referente à porção dos investimentos já desembolsados, conforme a Demonstração do Fluxo de Caixa, e valores a pagar pela Companhia. Impacto no fluxo de caixa Fluxo de caixa livre antes do investimento de expansão Vale ressaltar que os EBITDAs observados nos períodos também estão impactados pelos efeitos do crescimento, uma vez que os novos contratos demandam custos pré-operacionais enquanto ainda não estão gerando receitas, e possuem uma curva gradual até atingir sua plena capacidade; Outro fator relevante é a flexibilidade na gestão do investimento. O modelo de negócios da Companhia presume que os investimentos são necessariamente atrelados a contratos assinados, os quais garantem a geração de caixa futura das operações, em geral com volumes mínimos garantidos. Sendo assim, a Companhia pode definir os investimentos em expansão, da mesma maneira que pode arbitrar sobre o melhor momento para a compra e venda de seus ativos, podendo postergar sua revenda, sem que prejudique os custos com manutenção, tendo em vista a baixa idade média de sua frota. 14

15 VII. ROIC ROIC 2013 JSL Consolidada* JSL Logística Operações com mais de 12 meses de faturamento Outras operações (menos de 12 meses de faturamento) JSL Concessionárias Receita Líquida 4.746, , ,0 474, ,4 Lucro Bruto 760,7 561,8 560,2 1,6 197,5 (-) Despesas Administrativas e de Vendas (397,5) (218,0) (159,4) (50,5) (176,8) (+) Despesas Extraordinárias (M&A e Consultoria de Processos) 12,3 8, ,9 (-) Outros Receitas (Despesas) Operacionais (8,4) (8,7) 4,5 (12,7) 0,0 EBIT 367,2 343,5 405,2 (61,7) 24,6 (-) Impostos¹ (110,1) (103,1) (121,6) 18,5 (7,4) (=) Lucro Operacional Líquido menos Impostos (NOPLAT) (A) 257,0 240,5 283,6 (43,2) 17,2 Dívida Líquida Média (dez/12 + dez/13)/ , , ,2 795,2 172,0 (+) Valor Presente das Operações (CPC 06) - (59,7) (59,7) - - (=) Dívida Líquida Média (dez/12 + dez/13)/2 "menos" efeito CPC , , ,5 795,2 172,0 (=) Capital Investido (B) 3.455, , ,5 795,2 200,7 ROIC (A/B) 7,4% 7,2% 11,9% -5,4% 8,6% Lucro Operacional Líquido menos Impostos (NOPLAT) 257,0 240,5 283,6 (43,2) 17,2 (+) Custo não Caixa: Custo da Venda de Ativos² 415,4 404,7 317,1 87,6 9,1 (=) NOPLAT incluindo o Custo da Venda de Ativos (C) 672,4 645,1 600,8 44,4 26,3 ROIC (C/B) 19,5% 19,3% 25,3% 5,6% 13,1% * Contempla a consolidação dos resultados financeiros da JSL Logística e da JSL Concessionárias, já considerando as eliminações entre os negócios, considera somente o mês de Dezembro da Movida ¹ Considera alíquota efetiva de 30% ² Custo Residual da Venda de Ativos - não caixa 15

16 VIII. JSL Concessionárias de Veículos (denominação anterior: SIMPAR Concessionárias) A SIMPAR Concessionárias, incorporada à JSL em fevereiro de 2012, teve sua razão social modificada em 10 de maio de 2012, para JSL Investimentos em Concessionárias e Lojas de Veículos, Máquinas e Equipamentos S.A. (JSL Concessionárias de Veículos); Vale ressaltar que as Concessionárias impactaram os resultados da JSL Consolidada em 2012 apenas a partir do mês de fevereiro; Apesar disto, as informações de 2012 são apresentadas proforma, para proporcionar melhor comparação. Demonstrações de Resultados 4T12 3T13³ 4T13 ³ Receita Líquida 291,4 283,0 328,4 +12,7% +16,0% 1.164, ,4-1,8% Lucro Bruto 46,4 47,3 56,3 +21,2% +19,1% 185,8 197,5 +6,3% EBIT recorrente 2 6,0 3,5 6,4 +6,9% +81,4% 15,3 21,5 +40,5% Lucro Líquido recorrente 2 0,6 (1,3) 2,4 +334,7% -292,2% (0,2) 5,1-2650,0% EBITDA recorrente 2 7,6 5,5 8,8 +15,0% +58,7% 21,6 28,8 +33,3% Margem Bruta 15,9% 16,7% 17,1% +1,2 p.p. +0,4 p.p. 16,0% 17,3% +1,3 p.p. Margem Líquida Recorrente 2 0,2% -0,4% 0,7% +0,5 p.p. +1,2 p.p. 0,0% 0,4% +0,4 p.p. Margem EBITDA Recorrente 2 2,6% 2,0% 2,7% +0,1 p.p. +0,7 p.p. 1,9% 2,5% +0,6 p.p. ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros ³ No 3T13 houve reclassificação de R$ 0,8 milhão saindo de despesas financeiras para R$ 0,8 em despesas administrativas o que causou diferença no EBIT e EBITDA em relação ao reportado no 3T13 VIII.1) VOLUMES E RECEITAS Os dados de volume de vendas de veículos e de receita bruta do 4T13 a seguir, são auditados e diferem daqueles preliminares e não auditados divulgados no Press Release de 03 de fevereiro de

17 Receita Bruta Leves 189,6 176,0 210,2 +10,9% +19,5% 760,4 738,4-2,9% Vendas Varejo 186,7 172,1 203,2 +8,8% +18,0% 752,1 721,6-4,1% Novos 146,5 120,8 132,5-9,5% +9,7% 583,0 511,5-12,3% Usados 40,2 51,4 70,7 +75,7% +37,6% 169,0 210,1 +24,3% Vendas Diretas # 2,9 3,8 7,0 +145,6% +84,2% 8,3 16,8 +102,9% Pesados 72,3 75,5 83,7 +15,8% +10,9% 296,4 278,7-6,0% Vendas Varejo 69,5 73,7 80,7 +16,2% +9,6% 286,7 267,7-6,6% Novos 63,2 71,0 77,1 +22,0% +8,5% 256,7 251,1-2,2% Usados 6,3 2,6 3,7-41,8% +38,6% 30,0 16,6-44,8% Vendas Diretas# 2,8 1,8 3,0 +7,2% +65,9% 9,7 11,0 +13,8% F&I 8,9 7,1 7,1-19,8% +0,9% 33,7 27,9-17,3% Pós Vendas 40,5 47,1 50,5 +24,7% +7,2% 166,1 185,7 11,8% Total geral 311,2 305,6 351,6 +13,0% +15,0% 1.256, ,7-2,1% ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 # Considera apenas a comissão como receita 4T12 3T13 4T Volume de Vendas de 2012 Veículos 2013 (em unidades) Leves ,2% +54,8% ,5% Vendas Varejo ,4% +13,9% ,2% Novos ,1% +3,5% ,1% Usados ,3% +25,4% ,3% Vendas Diretas ,9% +107,2% ,0% Pesados ,2% +45,5% ,4% Vendas Varejo ,7% +6,4% ,8% Novos ,4% +5,7% ,3% Usados ,4% +17,2% ,7% Vendas Diretas ,3% +109,8% ,4% Total ,4% +54,2% ,4% ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 Nota: o descasamento da evolução do número de veículos vendidos em relação à receita total ocorre, pois na venda direta as unidades vendidas têm sua receita registrada apenas com base na comissão paga pela montadora, e na venda varejo as unidades vendidas são registradas com o valor integral do bem, adicionado de eventuais bonificações. No 4T13 houve aumento de 56,4% no volume total, e aumento de 13,0% em relação à receita bruta Total, face ao aumento de 17,5 p.p. na participação de venda direta no mix de vendas, passando de 41,0% no 4T12 para 58,5% no 4T13. Veja a seguir comentários adicionais. Veículos Leves: Aumento de 59,2% na quantidade de veículos leves vendidos em relação ao 4T12, principalmente em venda direta, que aumentou 130,9%, chegando a veículos vendidos no 4T13, os quais, veículos leves foram vendidos para o grupo JSL no 4T para a JSL Logística e veículos para a Movida. Também contribuiu para o crescimento de 74,3% no volume de veículos usados, o aumento da utilização do canal de distribuição da JSL Concessionárias para venda de ativos, parcialmente compensados pela redução de 21,1% das vendas de leves novos (venda varejo); A receita bruta aumentou 10,9% em relação ao 4T12 influenciada principalmente pelo aumento de 75,7% na receita com a venda de veículos usados apesar do aumento de 18,2 p.p. na participação das Vendas Diretas no mix de vendas, passando de 40,5% no 4T12 para 58,7% no 4T13. 17

18 Veículos Pesados: Aumento de 33,8% na quantidade de veículos novos (vendas varejo e vendas diretas), sendo 59,8% deste crescimento em função das novas lojas em Sergipe e Tocantins, em relação ao 4T12 além da redução de 56,4% das vendas de usados em função do menor saldo de estoque; A receita bruta aumentou 15,8% em relação ao 4T12, não acompanhando a quantidade vendida devido à alteração do mix de vendas entre vendas varejo e diretas. No 4T12, vendas varejo representaram 46,6% do mix de vendas contra 54,9% no 4T13, aumento de 8,3 p.p.. A JSL Concessionárias de Veículos encerrou o período de 31 de dezembro de 2013 com 35 lojas em operação, conforme o quadro a seguir: LOJAS Bandeira Dezembro/2012 Abertas Fechadas Dezembro/2013 Mesmas Lojas ORIGINAL AVANTE PONTO TRANSRIO TOTAL Nota: As lojas abertas foram: Original em São Paulo (Vila Prudente), Original Taubaté II, Transrio em Sergipe e Tocantins. Receita Líquida Receita Líquida 4T12 3T13 4T Leves 182,7 166,8 197,2 +7,9% +18,2% 731,0 701,7-4,0% Novos 143,4 117,7 129,5-9,7% +10,0% 568,2 499,6-12,1% Usados 39,2 49,0 67,7 +72,5% +37,9% 162,8 202,0 +24,1% Pesados 57,7 60,8 68,2 +18,1% +12,1% 232,8 217,6-6,6% Novos 51,7 58,4 64,8 +25,3% +10,9% 204,9 202,4-1,2% Usados 6,0 2,4 3,4-44,3% +41,3% 27,9 15,2-45,7% Vendas Diretas 5,4 5,3 9,7 +80,3% +83,1% 17,0 26,7 +57,2% Leves 2,7 3,6 6,8 +148,3% +88,6% 7,9 16,1 +104,6% Pesados 2,6 1,7 2,9 +9,7% +71,5% 9,1 10,6 +16,2% F&I 8,4 6,6 6,8-19,6% +1,8% 31,5 26,2-16,8% Pós Vendas 37,2 43,6 46,6 +25,2% +6,9% 152,0 171,3 +12,7% Total 291,4 283,0 328,4 +12,7% +16,0% 1.164, ,4-1,8% ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 A variação da receita líquida no 4T13 em relação ao 4T12 e 3T13 praticamente acompanhou a variação da receita bruta nestes períodos. VIII.2) DESEMPENHO FINANCEIRO 18

19 Preços Médios Preço Médio (em R$ mil) 4T12 3T13 4T Leves Vendas Varejo 34,5 32,8 34,0-1,4% +3,7% 33,6 34,0 +1,2% Novos 40,4 43,6 46,3 +14,7% +6,0% 40,4 43,2 +7,1% Usados 22,5 20,7 22,7 +0,8% +9,7% 21,2 22,3 +5,1% Vendas Diretas 0,8 0,9 0,8 +6,4% -11,1% 0,8 0,9 +10,9% Pesados Vendas Varejo 159,7 169,0 174,0 +8,9% +3,0% 154,0 164,9 +7,1% Novos 177,0 174,5 179,2 +1,3% +2,7% 167,7 176,8 +5,5% Usados 80,7 91,1 107,8 +33,5% +18,3% 90,6 81,5-10,0% Vendas Diretas 7,3 6,7 5,3-26,7% -20,9% 6,2 6,1-2,2% ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 Custo dos Produtos Vendidos (CPV) e Lucro Bruto Custos ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de T12 3T13 4T Leves (167,1) (152,3) (178,9) +7,1% +17,4% (669,5) (636,4) -4,9% Novos (133,3) (109,9) (119,4) -10,4% +8,7% (531,0) (462,5) -12,9% Usados (33,8) (42,4) (59,5) +76,2% +40,1% (138,5) (173,9) +25,6% Pesados (54,5) (55,6) (62,6) +14,7% +12,6% (213,7) (198,1) -7,3% Novos (45,1) (53,6) (59,5) +31,8% +11,0% (185,6) (184,4) -0,7% Usados (9,4) (2,0) (3,1) -67,0% +56,4% (28,1) (13,8) -51,0% Vendas Diretas Leves Pesados F&I (0,4) (0,4) (0,5) +15,3% +10,4% (1,6) (1,9) +13,0% Pós Vendas (22,9) (27,4) (30,1) +31,6% +9,7% (93,7) (109,5) +16,8% Total (244,9) (235,8) (272,1) +11,1% +15,4% (978,5) (945,9) -3,3% 2013 Custos (em % da Receita Líquida por linha de negócio) Leves 91,5% 91,4% 90,7% +0,7 p.p. +0,6 p.p. 91,6% 90,7% -0,9 p.p. Novos 92,9% 93,4% 92,2% +0,7 p.p. +1,1 p.p. 93,4% 92,6% -0,8 p.p. Usados 86,1% 86,5% 87,9% -1,9 p.p. -1,4 p.p. 85,1% 86,1% +1,0 p.p. Pesados 94,5% 91,4% 91,8% +2,7 p.p. -0,4 p.p. 91,8% 91,1% -0,7 p.p. Novos 87,3% 91,7% 91,8% -4,5 p.p. -0,0 p.p. 90,6% 91,1% +0,5 p.p. Usados 156,3% 83,6% 92,5% +63,8 p.p. -8,9 p.p. 100,4% 90,6% -9,8 p.p. Vendas Diretas ,0 p.p Leves ,0 p.p Pesados ,0 p.p F&I 5,1% 6,8% 7,3% -2,2 p.p. -0,6 p.p. 5,2% 7,1% +1,9 p.p. Pós Vendas 61,5% 63,0% 64,6% -3,1 p.p. -1,6 p.p. 61,6% 63,9% +2,3 p.p. Total 84,1% 83,3% 82,9% +1,2 p.p. +0,4 p.p. 84,0% 82,7% -1,3 p.p. ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de T12 3T13 4T

20 Lucro Bruto ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de T12 3T13 4T Leves 15,6 14,4 18,3 +17,1% +26,6% 61,6 65,2 +6,0% Novos 10,1 7,8 10,1-0,3% +28,9% 37,2 37,1-0,4% Usados 5,5 6,6 8,2 +49,3% +23,8% 24,3 28,1 +15,6% Pesados 3,2 5,2 5,6 +74,9% +7,1% 19,1 19,4 +1,5% Novos 6,6 4,8 5,3-19,0% +10,5% 19,2 18,0-6,5% Usados (3,4) 0,4 0,3-107,4% -35,5% (0,1) 1,4-1293,5% Vendas Diretas 5,4 5,3 9,7 +80,2% +83,1% 17,0 26,7 +57,2% Leves 2,7 3,6 6,8 +148,3% +88,5% 7,9 16,1 +104,6% Pesados 2,6 1,7 2,9 +9,7% +71,5% 9,1 10,6 +16,2% F&I 8,0 6,2 6,3-21,5% +1,2% 29,8 24,3-18,5% Pós Vendas 14,3 16,1 16,5 +15,1% +2,2% 58,3 61,9 +6,1% Total 46,5 47,3 56,3 +21,2% +19,1% 185,8 197,5 +6,3% 2013 Margem Bruta (em % da Receita Líquida de cada linha de negócio) ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 O aumento de 21,2% no lucro bruto e o aumento de 1,2 p.p. na margem bruta do 4T13 x 4T12, deveu-se principalmente: Veículos Leves: 2012 Leves 8,5% 8,6% 9,3% +0,7 p.p. +0,6 p.p. 8,4% 9,3% +0,9 p.p. Novos 7,1% 6,6% 7,8% +0,7 p.p. +1,1 p.p. 6,6% 7,4% +0,8 p.p. Usados 13,9% 13,5% 12,1% -1,9 p.p. -1,4 p.p. 14,9% 13,9% -1,0 p.p. Pesados 5,5% 8,6% 8,2% +2,7 p.p. -0,4 p.p. 8,2% 8,9% +0,7 p.p. Novos 12,7% 8,3% 8,2% -4,5 p.p. -0,0 p.p. 9,4% 8,9% -0,5 p.p. Usados -56,3% 16,4% 7,5% +63,8 p.p. -8,9 p.p. -0,4% 9,4% +9,8 p.p. Vendas Diretas 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. Leves 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. Pesados 100,0% 100,0% 100,0% +0,0 p.p. +0,0 p.p. 100,0% 100,0% +0,0 p.p. F&I 94,9% 93,2% 92,7% -2,2 p.p. -0,6 p.p. 94,8% 92,9% -1,9 p.p. Pós Vendas 38,5% 37,0% 35,4% -3,1 p.p. -1,6 p.p. 38,4% 36,1% -2,3 p.p. Total 15,9% 16,7% 17,1% +1,2 p.p. +0,4 p.p. 16,0% 17,3% +1,3 p.p. Novos (vendas varejo e vendas diretas): Aumento de 31,0% no lucro bruto e aumento de 3,6 p.p. na margem bruta em função do aumento do volume vendido e do aumento da participação de vendas diretas no mix, conforme explicado anteriormente; Usados: Aumento de 49,1% no lucro bruto causado pelo aumento das vendas, conforme já explicado e redução de 1,9 p.p. na margem bruta devido às condições gerais do mercado Veículos Pesados: Novos (vendas varejo e vendas diretas): Apesar do maior volume de vendas, o lucro bruto apresentou queda de 10,9% devido à piora na margem das vendas varejo e a menor comissão praticada nas vendas diretas; Usados: Reversão da margem bruta negativa no 4T12 em função de liquidação de estoque com baixo giro naquele período, chegando a uma margem de 7,5% no 4T13. Em relação ao 3T13, a piora em 8,9 p.p. na margem bruta foi em função das condições de mercado. 20

21 Despesas Operacionais Antes do Resultado Financeiro Despesas Operacionais 4T12 3T13 ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros ³ No 3T13 houve reclassificação de R$ 0,8 milhão saindo de despesas financeiras para R$ 0,6 milhão em despesas com lojas e R$ 0,2 milhão em despesas gerais 4T Despesas com Vendas (39,1) (41,8) (47,4) +21,1% +13,3% (164,6) (165,2) +0,4% Pessoal (13,8) (14,5) (15,5) +11,8% +6,4% (55,3) (56,9) +2,8% Comissões (5,3) (5,7) (5,7) +7,1% +0,5% (21,3) (22,2) +4,2% Depreciação e Amortização (1,5) (1,5) (2,3) +50,3% +49,4% (6,3) (6,6) +5,7% Lojas³ (16,3) (16,9) (21,1) +29,2% +24,5% (73,6) (69,3) -5,8% Marketing (2,1) (3,1) (2,8) +33,9% -9,5% (8,1) (10,2) +26,2% Despesas Administrativas (1,8) (2,0) (2,5) +44,0% +28,9% (10,5) (11,5) +9,3% Pessoal (1,8) (2,3) (1,5) -19,1% -36,2% (6,3) (9,1) +43,5% Depreciação e Amortização (0,1) (0,5) (0,1) -38,1% -87,7% (0,0) (0,7) +4141,7% Gerais³ 0,1 0,8 (1,0) -851,7% -231,2% (4,2) (1,7) -58,7% Total (40,9) (43,8) (49,9) +22,1% +14,0% (175,1) (176,8) +0,9% Efeitos não recorrentes 2 (0,4) (0,0) (0,0) -91,1% -17,6% (4,5) (0,7) -84,0% Total sem efeitos não recorrentes 2 (40,4) (43,7) (49,9) +23,3% +14,1% (170,6) (176,0) +3,2% 2013 Despesas Operacionais (em % da Receita Líquida) 2012 Despesas com Vendas 13,4% 14,8% 14,4% +1,0 p.p. -0,3 p.p. 14,1% 14,4% +0,3 p.p. Pessoal 4,7% 5,1% 4,7% -0,0 p.p. -0,4 p.p. 4,8% 5,0% +0,2 p.p. Comissões 1,8% 2,0% 1,7% -0,1 p.p. -0,3 p.p. 1,8% 1,9% +0,1 p.p. Depreciação e Amortização 0,5% 0,5% 0,7% +0,2 p.p. +0,2 p.p. 0,5% 0,6% +0,1 p.p. Lojas³ 5,6% 6,0% 6,4% +0,8 p.p. +0,4 p.p. 6,3% 6,1% -0,2 p.p. Marketing 0,7% 1,1% 0,9% +0,1 p.p. -0,2 p.p. 0,7% 0,9% +0,2 p.p. Despesas Administrativas 0,6% 0,7% 0,8% +0,2 p.p. +0,1 p.p. 0,9% 1,0% +0,1 p.p. Pessoal 0,6% 0,8% 0,4% -0,2 p.p. -0,4 p.p. 0,5% 0,8% +0,3 p.p. Depreciação e Amortização 0,0% 0,2% 0,0% -0,0 p.p. -0,1 p.p. 0,0% 0,1% +0,1 p.p. Gerais³ 0,0% 0,3% 0,3% +0,4 p.p. +0,6 p.p. 0,4% 0,2% -0,2 p.p. Total 14,0% 15,5% 15,2% +1,2 p.p. -0,3 p.p. 15,0% 15,5% +0,5 p.p. Efeitos não recorrentes 2 0,1% 0,0% 0,0% -0,1 p.p. -0,0 p.p. 0,4% 0,1% -0,3 p.p. Total sem efeitos não recorrentes 2 13,9% 15,4% 15,2% +1,3 p.p. -0,3 p.p. 14,7% 15,4% +0,7 p.p. ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores, gastos pré-operacionais de novas lojas e outros ³ No 3T13 houve reclassificação de R$ 0,8 milhão saindo de despesas financeiras para R$ 0,6 milhão em despesas com lojas e R$ 0,2 milhão em despesas gerais Aumento das despesas operacionais em 22,1%, ou 1,2 p.p. em relação à receita líquida, na comparação com o 4T12, em função de: Aumento de 21,1% nas despesas com vendas, impactadas principalmente pelas novas lojas (R$ 3,9 milhões) e um impacto negativo de R$ 2,0 milhões devido à constituição da provisão sobre devedores duvidosos, ocorrido no 4T13 em pesados. As despesas administrativas cresceram R$ 0,7 milhão, ou 0,2 p.p. no 4T13 em relação ao 4T12, principalmente em função da variação de R$ 1,0 milhão nas provisões sobre devedores duvidosos

22 Resultado Financeiro Resultado Financeiro 4T12 3T13 ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 ² No 3T13 houve reclassificação de R$ 0,8 milhão saindo de despesas financeiras para R$ 0,6 milhão em despesas com lojas e R$ 0,2 milhão em despesas gerais ³ Reclassificação entre linhas de juros de mútuos. De despesas financeiras para Outros Itens Financeiros em todos os períodos, não altera o Resultado Financeiro 4T Juros Financeiros Líquidos 3 (1,2) (0,5) 0,2-115,4% -141,4% (4,9) (2,8) -42,9% Rendimentos sobre Aplicações Financeiras 0,1 0,2 0,2 +207,5% +18,4% 0,4 0,7 +75,0% Despesas Financeiras (1,3) (0,6) (0,0) -99,6% -99,2% (5,4) (3,5) -35,2% Outros itens financeiros 2,3 (0,8) (1,4) (1,6) +98,0% +10,1% (1,8) (6,2) +244,4% Floor Plan (1,6) (1,3) (1,5) -5,7% +19,1% (3,8) (4,9) +28,9% Total (3,6) (3,1) (2,9) -20,0% -8,2% (10,5) (13,1) +24,8% Total (em % da Receita Líquida Total) 1,2% 1,1% 0,9% +0,4 p.p. +0,2 p.p. 0,9% 1,1% +0,2 p.p. No 4T13, o resultado financeiro líquido totalizou uma receita financeira líquida de R$ 0,2 milhão em comparação com uma despesa financeira líquida de R$ 1,2 milhão no 4T12, em função da diminuição do saldo médio da dívida, que passou de R$ 52,9 milhões no 4T12 para uma posição credora de R$ 16,9 milhões no 4T13, em função da quitação do endividamento em setembro de 2013 através de recursos do AFAC de R$ 85,7 milhões Lucro Líquido e EBITDA Lucro Líquido e EBITDA Lucro Antes do Impostos 2,0 0,4 3,5 +77,2% +872,8% (3,5) 7,7-320,0% Provisão para IR e CS (1,8) (1,7) (1,1) +35,3% +31,3% (1,0) (3,3) +230,0% Lucro Líquido Total 0,2 (1,3) 2, ,4% +281,1% (4,5) 4,4-197,8% Efeitos não recorrentes 2 (0,4) (0,0) (0,0) +91,1% +17,6% (4,5) (0,7) -84,4% Lucro Líquido recorrente 2 0,6 (1,3) 2,4 +334,7% +292,2% (0,1) 5,1-5200,0% Margem Líquida Total recorrente 2 0,2% -0,4% 0,7% +0,6 p.p. +1,2 p.p. 0,0% 0,6% +0,6 p.p. EBITDA recorrente 2 7,6 5,5 8,8 +15,0% +58,7% 21,6 28,8 +33,3% Margem EBITDA recorrente 2 2,6% 2,0% 2,7% +0,1 p.p. +0,7 p.p. 1,9% 2,5% +0,6 p.p. ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 ² Relacionadas às baixas de provisões, depreciação de benfeitorias referentes a exercícios anteriores e gastos pré-operacionais de novas lojas. Considera alíquota de 34% para R$ 0,4 milhão no 4T12, R$ 0,0 milhão no 3T13, R$ 0,0 milhão no 4T13 e R$ 0,7 milhão em O EBITDA recorrente no 4T13 foi de R$ 8,8 milhões, aumento de 15,0% em relação ao 4T12, devido a: (i) aumento do lucro bruto de leves devido ao maior volume de veículos usados; (ii) aumento do lucro bruto de vendas diretas, principalmente pelo aumento de volume de leves comprados pela JSL; (iii) pela melhora das margens brutas em veículos pesados usados, apesar da queda do volume e (iv) parcialmente compensado pelo aumento das despesas com vendas e administrativas; O lucro líquido recorrente no 4T13 foi expressivamente maior do que no 4T12, chegando a R$ 2,4 milhões, com margem líquida de 0,7% em função do aumento do EBITDA, explicado anteriormente, além do melhor resultado financeiro em função da menor dívida líquida média no período. Em relação ao 3T13, houve a reversão do prejuízo líquido principalmente pelo aumento no lucro bruto devido ao maior volume de vendas diretas em leves e pelo aumento do volume de leves usados. 22

23 VIII.3) ESTRUTURA DE CAPITAL E FLUXO DE CAIXA Capital de Giro Operacional Capital de Giro Operacional Final do período 4T12 3T13 4T13 4T13 x 4T12 4T13 x 3T13 Capital de Giro (Em dias) 4T12 3T13 4T13 4T13 x 4T12 4T13 x 3T13 Contas a receber 32,4 50,1 60,5 +86,8% +20,8% Estoques ¹ 156,4 197,2 189,4 +21,1% -4,0% Fornecedores ¹ 63,0 88,5 93,5 +48,6% +5,7% Floor Plan 79,8 84,4 93,4 +17,0% +10,6% Total 46,0 74,4 63,0 +36,7% -15,3% Contas a receber ¹ ,6 1 Estoques ² ,9-13 Fornecedores ² ,7-3 Floor Plan ² ,4-1 Total ,3-8 ¹ Este número foi ajustado com o objetivo de manter a comparabilidade dos dados, houve reclassificação da conta redutora de fornecedores em trânsito para estoques em trânsito, no 2T12. ¹ Calculado sobre a Receita líquida ² Calculado sobre o CPV Aumento de 36,7% no capital de giro operacional na comparação com o 4T12, em função de: (i) aumento de 21,1% em estoques, principalmente de veículos pesados novos em R$ 29,9 milhões, sendo R$ 20,6 milhões destes, fruto da abertura de novas lojas; (ii) aumento de R$ 28,1 milhões em contas a receber, em parte pelo aumento do prazo médio junto aos bancos que financiam as vendas de veículos leves e (iii) parcialmente compensados pelo aumento do saldo de Floor Plan e pelo aumento em R$ 35,6 milhões em Fornecedores (sendo R$ R$ 18,9 milhões em função das novas lojas de pesados). Investimentos Investimentos Lojas 3,1 4,6 30,2 +882,1% +563,6% 10,6 41,9 +295,3% Benfeitorias 0,6 1,0 3,1 +450,0% +223,9% 6,4 8,2 +28,1% Expansão 2,5 3,6 28, ,1% +692,5% 4,2 35,1 +735,7% Veículos Test Drive 1,5 2,5 5,0 +243,7% +102,1% 6,1 14,0 +129,5% Total 4,5 7,0 36,6 +707,8% +420,9% 16,7 57,2 +242,5% ¹ Considera os meses de janeiro a dezembro de 2012 Dos R$ 36,6 milhões investidos no 4T13: R$ 28,5 milhões em expansão, sendo R$ 26,7 milhões nas novas lojas de veículos pesados, principalmente na aquisição de imóveis; R$ 5,0 milhões em 116 veículos para test-drive; R$ 3,1 milhões em benfeitorias, em lojas de veículos leves (R$ 1,0 milhão) e pesados (R$ 2,1 milhões). Dívida Líquida Endividamento - Final do período 4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 Caixa e Aplicações (7,5) (13,3) (11,9) (17,2) (17,4) Dívida Bruta 60,7 60,9 66,9 0,5 0,2 Dívida (Caixa) Líquida(o) 53,3 47,6 54,9 (16,7) (17,1) A diminuição em R$ 72,4 milhões da dívida líquida na comparação com o 4T12 é decorrente de AFAC realizado pela JSL Logística na JSL Concessionárias de R$ 85,7 milhões no 3T13. 23

24 Fluxo de Caixa Fluxo de Caixa Sintético 4T13 x 4T12 4T13 x 3T ¹ x meses Resultado antes da provisão tributária 2,0 0,4 3,5 +77,5% +874,6% (1,5) 7,7 +613,3% 7,7 Depreciação e Amortização 1,7 2,0 2,3 +39,7% +17,4% 4,5 7,3 +62,2% 7,3 Custo da Venda de Ativos 5,3 0,3 3,2-39,5% +946,2% 6,4 9,1 +42,2% 9,1 Outros ajustes não caixa ao lucro líquido 1,2 0,7 0,1-93,5% -88,3% 5,2 5,8 +11,5% 5,8 Contas a receber, Estoque e Fornecedores 16,8 (21,7) 9,4-44,4% +143,2% 28,4 (33,5) -218,0% (33,5) Floor Plan (15,1) (5,4) 2,1 +114,2% +139,8% (22,4) 7,9 +135,3% 7,9 Outros Ativos e Passivos (0,1) 31,6 (22,7) ,9% -172,0% (30,3) 19,7 +165,0% 19,7 Juros pagos (0,9) (2,6) (0,1) +93,4% +97,7% (5,1) (7,1) -39,2% (7,1) Geração Operacional de Caixa 10,8 5,2 (2,2) -120,3% -141,9% (14,9) 16,9 +213,4% 16,9 Aumento do Imobilizado - - (35,7) n.a. n.a. (2,3) (35,7) -1452,2% (35,7) Outros Investimentos n.a. n.a. (0,3) ,0% - Caixa Líquido das Atividades de Investimentos - - (35,7) n.a. n.a. (2,6) (35,7) -1273,1% (35,7) Aumento (Redução) de Capital - 85,7 39,1 n.a. -54,4% 45,0 124,8 +177,3% 124,8 Empréstimos e Financiamentos (8,4) (85,7) (1,0) +88,5% +98,9% (27,0) (96,0) -255,6% (96,0) Outros n.a. n.a. - - n.a. - Aumento (Redução) do Caixa 2,4 5,2 0,2-91,8% -96,2% 0,5 9, ,0% 9,9 ¹ Considera os meses de fevereiro a setembro de 2012 Redução de R$ 13,0 milhões na geração operacional de caixa no 4T13 em comparação com o 4T12 em função de: (i) consumo de R$ 22,7 milhões em outros ativos e passivos, devido principalmente a variação de outros créditos (R$ 14,8 milhões) e adiantamento de terceiros (R$7,2 milhões); (ii) parcialmente compensados pelas contas de capital de giro e floor plan e (iii) pelo maior resultado antes da provisão tributária conforme explicado anteriormente. IX. Movida A Movida foi incorporada à JSL em dezembro de 2013; Vale ressaltar que a Movida impactou os resultados da JSL Consolidada em 2013 apenas no mês de dezembro; Apesar disto, as informações apresentadas são proforma, para proporcionar melhor comparação. Embora a Movida já faça parte do mercado e esteja posicionada de forma estratégica e diferenciada, com base operacional, sistemas e pessoal capacitado, a JSL a considera uma empresa pré-operacional; uma vez que sua viabilidade passa pela expansão da base de ativos e pontos de venda, para diluição dos custos fixos, além do tempo necessário para usufruir das sinergias com a operação da JSL. Movida () Demostrações de Resultados Dez/ Reportado Receita Líquida 19,1 21,2 26,0 36,1% 22,6% 90,3 92,6 2,5% 6,8 EBIT 0,4 (1,9) (2,2) -650,0% 15,8% 1,9 (2,8) -247,4% 0,2 Lucro Líquido (0,2) (4,8) (3,6) 1700,0% -25,0% (4,2) (10,5) 150,0% (0,0) EBITDA de Aluguel 3,3 0,3 (0,8) -124,2% -366,7% 12,9 5,2-59,7% 1,0 EBITDA 3,5 0,7 0,1-97,1% -85,7% 14,4 7,9-45,1% 1,2 EBITDA-A 8,3 8,8 10,9 31,3% 23,9% 46,6 44,6-4,3% 2,8 Margem EBIT 2,2% -8,8% -8,4% -10,6 p.p. +0,3 p.p. 2,1% -3,0% -5,1 p.p. 3,3% Margem Líquida -0,9% -22,7% -14,0% -13,1 p.p. +8,7 p.p. -4,6% -11,4% -6,8 p.p. -0,3% Margem EBITDA de Locação 0,0% 0,0% 0,0% -0,0 p.p. -0,0 p.p. 0,0% 0,0% -0,0 p.p. 0,0% Margem EBITDA 18,1% 3,4% 0,3% -17,8 p.p. -3,1 p.p. 15,9% 8,5% -7,5 p.p. 17,6% Margem EBITDA-A 43,2% 41,6% 42,0% -1,1 p.p. +0,4 p.p. 51,7% 48,1% -3,5 p.p. 41,7% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. IX.1) VOLUMES E RECEITAS Movida () Receita Bruta Receita Bruta de Aluguel e Franchising 15,0 13,6 15,1 0,7% 11,0% 60,4 57,5-4,8% Receita Bruta de Venda de Ativos 5,0 8,5 11,7 134,0% 37,6% 33,7 39,4 16,9% Receita Bruta Total 20,0 22,2 26,8 34,0% 20,7% 94,1 96,9 3,0% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. 24

25 No 4T13 a Movida apresentou um ligeiro crescimento na receita bruta de Aluguel e Franchising em comparação ao 4T12, devido a maior taxa de ocupação, parcialmente compensada pela redução de 8,4% no ticket médio, devido ao aumento da participação de veículos populares no mix de locação. O aumento de R$ 1,5 milhão na comparação com o 3T13 é devido ao aumento na quantidade de diárias e aumento da frota. O crescimento de 134,0% e 37,6%, em comparação com o 4T12 e 3T13 respectivamente, na receita bruta de venda de ativos é devido a maior renovação da frota operacional. Capturando as primeiras sinergias com a JSL Concessionárias, a Movida vendeu 50% dos ativos para a empresa do grupo. Movida () Receita Líquida Receita Líquida de Aluguel e Franchising 14,1 12,6 14,2 0,7% 12,7% 56,5 53,2-5,8% Receita Líquida de Venda de Ativos 5,0 8,5 11,7 134,0% 37,6% 33,7 39,4 16,9% Total 19,1 21,2 26,0 +36,1% +22,6% 90,3 92,6 +2,5% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. Acompanhando a tendência da receita bruta, a receita líquida apresentou ligeira melhora de 0,7% em comparação com o 4T12. Taxa de Ocupação +8,8p.p. 61,7% 57,2% 65,0% 59,4% 62,3% 61,3% 65,0% 68,2% 1T12 2T12 3T12 4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 IX.2) REDE DE ATENDIMENTO A Movida terminou o ano de 2013 com 32 lojas. 25

26 IX.3) CUSTOS E DESPESAS Movida () Custos e Despesas Custo com Aluguel e Franchising (13,0) (10,3) (12,9) -0,8% 25,2% (54,1) (44,1) -18,5% Depreciação (3,0) (2,5) (2,3) -23,3% -8,0% (12,4) (10,5) -15,3% Outros (10,0) (7,8) (10,6) 6,0% 35,9% (41,8) (33,5) -19,9% Custo com Venda de Ativos (4,8) (8,1) (10,8) 125,0% 33,3% (32,2) (36,7) 14,0% Despesas (0,9) (1,7) (1,2) 33,3% -29,4% (2,0) (3,7) 85,0% Total (18,7) (20,1) (24,9) +33,2% +23,9% (88,4) (84,5) -4,4% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. Os custos com Locação e Franchising permaneceram praticamente estáveis no 4T13 em comparação com o 4T12. O aumento em relação ao 3T13 é oriundo principalmente do maior custo com pessoal devido a expansão da equipe operacional e comercial, além de R$ 1,8 milhão em custos com aluguéis de veículos junto a JSL Logística. A redução nos custos com depreciação na comparação com o 4T12 e 3T13 é justificada pela redução na frota própria no período. As despesas aumentaram 33,2% no 4T13 em relação ao 4T12, principalmente em função da criação da provisão de devedores duvidosos, dentro de Outras Receitas e Despesas, que totalizou R$ 0,7 milhão no 4T13. IX.5) RESULTADO FINANCEIRO Movida () Resultado Financeiro Receitas Financeiras 0,2 0,1 0,1-50,0% 0,0% 0,6 0,6 0,0% Despesas Financeiras (2,7) (2,1) (1,5) -44,4% -28,6% (10,0) (8,3) -17,0% Total (2,5) (2,0) (1,4) -44,0% -30,0% (8,8) (7,7) -12,5% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. O resultado financeiro líquido foi uma despesa financeira líquida de R$ 1,4 milhão, 44,0% menor quando comparado com o 4T12 em função da redução do saldo médio da dívida líquida, devido a quitação de empréstimos de capital de giro. IX.6) RESULTADO LÍQUIDO E EBITDA Movida () Lucro Líquido e EBITDA Lucro Antes dos Impostos (2,1) (3,8) (3,6) 71,4% -5,3% (7,5) (10,5) 40,0% Provisão para IR e CS 1,9 (1,0) ,0% -100,0% 3,3 0,0-100,0% Lucro Líquido Total (0,2) (4,8) (3,6) 1700,0% -25,0% (4,2) (10,5) 150,0% Margem Líquida Total (0,0) (0,0) (0,0) -13,1 p.p. +8,7 p.p. (0,0) (0,0) -6,8 p.p. EBITDA 3,5 0,7 0,1-97,1% -85,7% 14,4 7,9-45,1% Margem EBITDA 18,1% 3,4% 0,0-17,8 p.p. -3,1 p.p. 15,9% 8,5% -7,5 p.p. ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. O EBITDA no 4T13 foi de 0,1, redução de 93,4% em relação ao 4T12, principalmente devido a queda da margem bruta, justificada pelo aumento dos custos com venda de ativos, custo com pessoal oriundo do aumento da equipe comercial e operacional, aumento de custo com alugueis de veículos e aumento das despesas. No 4T13 a Movida apresentou um prejuízo de R$ 3,6 milhões, pelos mesmos motivos citados anteriormente, além do impacto negativo de R$ 1,4 milhão devido ao resultado financeiro. 26

27 IX.7) INVESTIMENTOS Movida () Investimentos (em R$ milhões) Frota 9,8 1,6 31,0 215,5% 1888,9% 36,4 50,6 38,8% Renovação 6,3 1,6 17,2 174,5% 1005,7% 32,9 36,8 11,9% Expansão 3,6 0,0 13,8 287,9% n.a. 3,6 13,8 287,9% Lojas 0,0 0,0 1,3 n.a. n.a. 0,0 1,3 n.a. Novas 0,0 0,0 1,0 n.a. n.a. 0,0 1,0 n.a. Antigas 0,0 0,0 0,3 n.a. n.a. 0,0 0,3 n.a. Total 9,8 1,6 32,3 +229,6% +1918,8% 36,4 51,9 +42,6% ¹Movida incorporada em dezembro de As informações são Proforma para melhor comparação. A Movida investiu R$ 31,0 milhões em frota no 4T13, sendo R$ 17,2 milhões em renovação e R$ 13,8 milhões em expansão. Além de R$ 1,3 milhão de investimentos em abertura de novas lojas e adaptação das lojas antigas. Vale ressaltar que esses carros foram comprados através da JSL Concessionárias. IX.8) DÍVIDA Endividamento - Final do Período Movida (Proforma) 4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 Caixa e Aplicações (8,0) (7,6) (6,5) (4,7) (8,1) Dívida Bruta 55,9 52,8 51,2 44,4 2,0 Dívida(Caixa) Líquida(o) 47,9 45,2 44,7 39,7 (6,1) A diminuição em R$ 54,0 milhões da dívida líquida na comparação com o 4T12 e de R$ 45,8 milhões em relação ao 3T13 é decorrente de AFAC realizada pela JSL Logística na Movida de R$ 53,3 milhões no 4T13. 27

28 IX.9) FLUXO DE CAIXA Movida (Proforma) Fluxo de Caixa Sintético¹ Lucro antes dos Impostos (0,2) (4,8) (3,6) 2092,2% -24,3% (7,5) (10,5) 40,2% Depreciação e Amortização 3,5 2,6 2,3-33,1% -9,5% 12,5 10,7-14,5% Custo da Venda de Ativos² 4,8 8,1 10,8 126,0% 34,0% 32,3 36,7 13,8% Outros ajustes não caixa ao lucro líquido 0,1 0, ,0% -100,0% 0,1 0,3 169,1% Contas a receber, Estoque e Fornecedores 1,1 (1,9) 7,4 597,9% 485,7% 2,2 7,0-222,4% Outros Ativos e Passivos (2,8) 4,5 2,1-176,8% -52,8% 0,5 3,2 577,7% Juros pagos n.a n.a - - n.a Geração Operacional de Caixa 6,5 8,6 19,1 193,4% 120,8% 40,0 47,3 18,3% Aumento do Imobilizado³ (10,9) (1,8) (32,2) 195,8% 1721,6% (39,0) (47,8) -22,4% Outros Investimentos (0,2) n.a n.a - (4,1) n.a Caixa Líquido das Atividades de Investimentos (4,4) 6,9 (13,3) 203,7% -294,4% 0,9 (4,6) -591,5% Aumento (Redução) de Capital 2,0 3,6 60,1 2982,4% 1578,9% - - n.a Dividendos + JCP n.a n.a. - - n.a Empréstimos e Financiamentos 2,7 (12,2) (43,4) -1712,7% -255,7% (2,5) (60,3) -2278,0% Ações em Tesouraria n.a n.a - - n.a Aumento (Redução) do Caixa 0,2 (1,8) 3,4 1245,8% 290,0% (1,6) (64,9) -3941,4% ¹ Considera como caixa o montante de aplicações financeiras classificadas como ativo circulante (Títulos e Valores Mobiliários) ² Custo não caixa ³ De acordo com o IFRS, as variações de caixa apresentadas na linha de aumento do imobilizado da demonstração do fluxo de caixa contemplam apenas os valores efetivamente desembolsados pela Companhia. Tais aquisições realizadas com financiamentos vinculados não apresentam reflexo na demonstração do fluxo de caixa quando da sua contratação, pois o banco paga direto o fornecedor. Entretanto, à medida que tais financiamentos são amortizados, os respectivos desembolsos de caixa se refletem na linha de Empréstimos e Financiamentos. No 4T13 houve geração operacional de caixa de R$ 19,1 milhões, principalmente em função da venda de ativos e da melhora das contas de capital de giro, devido a melhora em Fornecedores devido a aquisição de veículos a prazo. O aumento de capital é oriundo de um AFAC que foi utilizado para quitação de empréstimos e financiamentos, gerando assim um aumento do caixa de R$ 3,4 milhões no 4T13. X. MERCADO DE CAPITAIS Performance das ações Desde Janeiro de 2013, a JSLG3 faz parte do Índice BM&FBOVESPA Small Cap (SMLL), que tem como objetivo medir o comportamento das empresas listadas na Bolsa de modo segmentado, sendo que o índice mede o retorno de uma carteira composta por empresas de menor capitalização. Em 2013, o volume médio diário negociado da JSLG3 foi de R$ 3,6 milhões, um aumento de 22,13% em relação à média diária de Indicador Desde IPO ¹ 1T12 2T12 3T12 4T12 1T13 2T13 3T13 4T13 Fechamento 15,96 10,94 8,94 11,05 13,05 16,40 14,54 14,84 15,96 Máximo 16,79 11,88 11,32 11,05 13,05 16,79 16,64 15,40 16,46 Mínimo 7,34 7,34 8,24 8,61 10,91 13,57 13,95 13,50 14,71 Médio 10,80 9,34 9,53 10,00 12,02 15,44 15,71 14,52 15,45 % 85,5% 31,4% -18,3% 23,6% 16,0% 17,1% -11,3% 2,1% 7,5% IBOV -31,7% 13,7% -15,7% 8,9% 3,0% -7,5% -15,8% 10,3% -1,6% ¹Data base - 30/12/2013 Desde o IPO, realizado em 22 de abril de 2010 até 30 de dezembro de 2013, as ações da empresa acumulavam valorização de 99,5%, acima da variação positiva de 13,6% do SMLL11 e da variação negativa de 25,8% do Ibovespa no mesmo período, tendo fechado o dia 30 de dezembro de 2013 cotadas a R$ 15,96, sendo o valor de mercado da Companhia R$ 3,460 bilhões. Atualmente, a Companhia apresenta um free float de 28,6%, além das ações em tesouraria, de um total de ações emitidas. 28

29 Comparativo de Desempenho JSLG3 x SMLL11 x IBOV (Desde o IPO até 31/12/2013 Base 100) JSLG3 R$ 15,96 +99,5% JSLG3 R$ 8,00 SMLL IBOV SMLL ,6% IBOV ,8% A JSL está listada no Novo Mercado da BM&FBOVESPA e suas ações fazem parte do Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC) e do Índice de Ações com Tag Along Diferenciado (ITAG). Ao final do 4T13, das ações em circulação da Companhia, 89,6% estavam concentradas em investidores institucionais, sendo que 59,8% eram estrangeiros, conforme mostra o gráfico abaixo: Composição do free float por região 29

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Janeiro de 2012 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Aquisição da Rodoviário Schio (2011) Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

mensagem da administração

mensagem da administração Alguns dos nossos principais destaques de 204: Receita Bruta consolidada recorde de R$ 6, bilhões, aumento de 6,0% comparado com 203; Crescimento de 3,8% na Receita Bruta de Serviços (JSL Logística + Movida),

Leia mais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Resultados 2T14 e 1S14 Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Belo Horizonte, 5 de agosto de 2014 - A Companhia

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2015 está demonstrando ser muito desafiador, apresentando um cenário macroeconômico incerto, onde as expectativas do mercado preveem redução do PIB, aumento da inflação e da taxa

Leia mais

Estimação do Fluxo de Caixa Livre para a Empresa

Estimação do Fluxo de Caixa Livre para a Empresa Estimação do Fluxo de Caixa Livre para a! Principais passos! O efeito da depreciação! Outros fatores que geram obrigações ou direitos para a empresa Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T05

Divulgação de Resultados 3T05 Localiza Anuncia EBITDA de R$70,8 milhões no 3T05 Receita Líquida cresce 49,1% e EBITDA cresce 31,1% Belo Horizonte, 8 de novembro de 2005 - A Localiza Rent A Car S.A. (Bovespa: RENT3), a maior rede de

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

Release de Resultados do 1T14

Release de Resultados do 1T14 São Paulo, 07 de maio de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados, divisórias

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas Blumenau, 07 de maio de 2008 Cia. Hering (Bovespa: HGTX3), uma das maiores empresas de varejo e design de vestuário do Brasil, divulga os resultados do 1º trimestre de 2008 (1T08). As informações operacionais

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 DUDALINA S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhares de reais) Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9 Receita Líquida¹ no 1T16 atinge R$69,6 milhões, alta de 24,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 Eusébio CE, 09 de novembro de 2006 A M. Dias Branco S.A. (Bovespa: MDIA3), empresa líder nos mercados de biscoitos e de massas no Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T14

Apresentação de Resultados 3T14 Apresentação de Resultados 3T14 Destaques do Período Início da operação comercial dos parques do LER 2009 Maior complexo de energia eólica da América Latina: 14 parques, 184 aerogeradores, 294,4 MW de

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte ao Crescimento Início da Distribuição Urbana

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES A Receita dos Serviços de Locação da Ouro Verde registrou novamente crescimento significativo, de 25,0% na comparação com o 1S13. A receita líquida total, incluindo

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Release de Resultados do 4T13

Release de Resultados do 4T13 São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados,

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 1. Mercado de Capitais Cotações: (14/05/2010) ALPA3 R$ 6,10 ALPA4 R$ 5,95 Valore de Mercado: R$ 2,1 bilhões 2. Teleconferência Data: 18/05/2010 às 16h00

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) Efeitos das Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de Demonstrações Contábeis Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

4 T 10 RESULTADOS DO 4T10. Dados em 31/12/2010. Grazziotin PN (CGRA4) R$ 16,00. Valor de Mercado R$ 338,0 milhões

4 T 10 RESULTADOS DO 4T10. Dados em 31/12/2010. Grazziotin PN (CGRA4) R$ 16,00. Valor de Mercado R$ 338,0 milhões 4 T 10 Passo Fundo, 14 de março de 2011 A Grazziotin (BM&FBOVESPA: CGRA3 e CGRA4), empresa de comércio varejista do segmento de vestuário e utilidades domésticas, localizada na região sul do país, divulga

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 3T 2014. MAHLE Metal Leve S.A. 13 de novembro de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 3T 2014. MAHLE Metal Leve S.A. 13 de novembro de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 3T 2014 MAHLE Metal Leve S.A. 13 de novembro de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 3T 2014 Receita Líquida de Vendas de R$ 595,9 milhões no 3T14, redução

Leia mais

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO PLANO DE CONTAS O plano de Contas normalmente é composto de cinco grupos. ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

Leia mais

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2)

ANEXO COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 02 (R2) COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Deliberação CVM nº 640, de 7 de outubro de 2010 (Pág. 57) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02(R2) do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC sobre efeitos das mudanças

Leia mais

Valid apresenta EBITDA recorde de R$ 78,3 milhões no 3T14

Valid apresenta EBITDA recorde de R$ 78,3 milhões no 3T14 Valid apresenta EBITDA recorde de R$ 78,3 milhões no 3T14 Cotação de Fechamento VLID3 R$ 38,80 Valor de Mercado R$ 2,16 bilhões Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2014 A Valid (BM&FBovespa: VLID3 - ON)

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15. 17 de agosto de 2015

POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15. 17 de agosto de 2015 POSITIVO INFORMÁTICA RESULTADOS 2T15 17 de agosto de 2015 Seção I Destaques & Conjuntura Positivo Informática registra crescimento de 3,1% na receita líquida no varejo no 2T15 Mesmo em um trimestre de

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2014 LUPATECH S.A. CNPJ/MF nº 89.463.822/0001-12 NIRE 43300028534 Companhia Aberta de Capital Autorizado Novo Mercado Relatório da Administração Mensagem da Administração Senhores

Leia mais

Destaques do Período. Crescimento de dois dígitos em Reservas Confirmadas e Embarcadas, EBITDA e Lucro Líquido Ajustado no 2T15

Destaques do Período. Crescimento de dois dígitos em Reservas Confirmadas e Embarcadas, EBITDA e Lucro Líquido Ajustado no 2T15 Santo André, 05 de Agosto de 2015: CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

Destaques do 3º trimestre de 2015

Destaques do 3º trimestre de 2015 Destaques do 3º trimestre Principais Destaques Manutenção dos níveis de EBITDA consolidado e de margem EBITDA, apesar da sobreoferta de aço mundial e das adversidades econômicas no Brasil. Redução de 5,9%

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

Relatório da Administração - IFRS

Relatório da Administração - IFRS Relatório da Administração - IFRS 1 - Conjuntura O desempenho geral da economia brasileira, no primeiro trimestre de 2008, como vem acontecendo desde 2007, mostrou-se favorável, com crescimento real nos

Leia mais

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 São Paulo, 11 de maio de 2015 - A Abril Educação S.A. (BM&FBOVESPA: ABRE3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2015 (1T15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

Press Release 2T15 12/08/2015

Press Release 2T15 12/08/2015 Press Release 2T15 12/08/2015 Sumário 1. Destaques do período... 4 2. Sumário de resultados... 5 3. Receita bruta... 6 3.1 Produtos de bancassurance... 6 3.1.1 Vida... 7 3.1.2 Habitacional... 7 3.1.3 Prestamista...

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Dados da Empresa / Composição do Capital

Dados da Empresa / Composição do Capital Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DESTAQUES DO ANO. Receita Líquida de R$ 662,5 milhões, 15,9% acima de 2013. Geração de caixa operacional de R$ 95,5 milhões e CAPEX de R$ 12,5 milhões

DESTAQUES DO ANO. Receita Líquida de R$ 662,5 milhões, 15,9% acima de 2013. Geração de caixa operacional de R$ 95,5 milhões e CAPEX de R$ 12,5 milhões Blumenau SC, 11 de fevereiro de 2015 A Cremer S.A. (BM&FBovespa: CREM3), fornecedora de produtos para cuidados com a saúde nas áreas de primeiros socorros, cirurgia, tratamento e higiene, anuncia seus

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 9M11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 9M11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 9M11 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte ao Crescimento Início da Distribuição Urbana

Leia mais

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015.

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Bruno Carobrez Diretor de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com Investidores (55 11) 3175-2920

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A.

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 (Não auditado) (Não auditado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 415 7 Fornecedores

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES SA EMP PART Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES SA EMP PART Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08

LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08 LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08 Porto Alegre, 30 de outubro de 2008 LOJAS RENNER S.A. (Bovespa: LREN3), segunda maior rede de lojas de departamentos de vestuário

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Positivo Informática registra EBITDA de R$ 142,0 milhões nos 9M10, crescimento de 27,7%

Positivo Informática registra EBITDA de R$ 142,0 milhões nos 9M10, crescimento de 27,7% Positivo Informática registra EBITDA de R$ 142,0 milhões nos, crescimento de 27,7% Curitiba, 11 de novembro de 2010 A Positivo Informática S.A. (BM&FBovespa: POSI3), maior fabricante de computadores do

Leia mais

CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827

CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827 CONSTRUTORA ADOLPHO LINDENBERG S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 61.022.042/0001-18 NIRE nº 35.300.067.827 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA CONSTRUTORA ADOLPHO

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PI ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PI Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PI realizado no último

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T08. 19 de Maio de 2008

Apresentação de Resultados 1T08. 19 de Maio de 2008 Apresentação de Resultados 1T08 19 de Maio de 2008 Agenda A Companhia Resultados Operacionais Resultados Financeiros 2 Operação Virtual Canal Lojas A Companhia Globex S.A. Globex Utilidades S.A.: operadora

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - ESTACIO PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Índice. e. Fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes

Índice. e. Fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes Formulário de Referência Item 10 Comentário dos Diretores Índice 10.1 Comentários dos diretores 01 a. Condições financeiras e patrimoniais gerais 01 b. Estrutura de capital e possibilidade de resgate de

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - ELEKEIROZ S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - ELEKEIROZ S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7%

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% Mogi Guaçu (SP), 11 de agosto de 2014 - A MAHLE Metal Leve S.A. (BM&FBOVESPA: LEVE3), Companhia líder na fabricação e comercialização de

Leia mais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais . Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2013 Passivo e patrimônio líquido (passivo a descoberto) 2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 200 Empréstimos e

Leia mais

São Carlos reporta aumento de 20% no lucro, vs. 3T10 Portfólio valoriza 26% em 12 meses e NAV atinge R$ 41/ação

São Carlos reporta aumento de 20% no lucro, vs. 3T10 Portfólio valoriza 26% em 12 meses e NAV atinge R$ 41/ação 1 / 15 São Carlos reporta aumento de 20% no lucro, vs. 3T10 Portfólio valoriza 26% em 12 meses e NAV atinge R$ 41/ação A São Carlos Empreendimentos e Participações SA anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

São Carlos Reporta Crescimento no 3T09: FFO cresce 26% para R$ 0,32/ação, com margem de 57%

São Carlos Reporta Crescimento no 3T09: FFO cresce 26% para R$ 0,32/ação, com margem de 57% 1 de 18 páginas São Carlos Reporta Crescimento no 3T09: FFO cresce 26% para R$ 0,32/ação, com margem de 57% São Paulo, Brasil - 13 de novembro de 2009 A São Carlos Empreendimentos e Participações S.A.

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

TREVISA INVESTIMENTOS S.A. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013

TREVISA INVESTIMENTOS S.A. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 TREVISA INVESTIMENTOS S.A. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 TREVISA INVESTIMENTOS S.A. Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Conteúdo Relatório dos auditores

Leia mais

Proposta da Administração. Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63

Proposta da Administração. Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63 Proposta da Administração Indústrias Romi S.A. CNPJ/MF 56.720.428/0001-63 Informações requeridas pela Instrução CVM n o 481/09, em atendimento ao Edital de Convocação das Assembleias Gerais Ordinária e

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11. O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1S11 O maior portfólio de serviços logísticos do Brasil JSL: Histórico e Momento Atual Abertura de Capital: Perpetuidade e Suporte ao Crescimento Início da Distribuição Urbana

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012, de 2011 e de 2010 ABCD Gonçalves & Tortola S.A. Demonstrações financeiras em Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CEMIG TELECOMUNICAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CEMIG TELECOMUNICAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL

Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Empresa Concessionária de Rodovias do Sul S.A. - ECOSUL Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2011 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 Barueri, 29 de Julho de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Derivativos e outras receitas não ligadas a volumes direcionaram o crescimento na receita total Crescimento do lucro líquido ajustado 1 resultou,

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

b) estrutura de capital e possibilidade de resgate de ações ou quotas: c) capacidade de pagamento em relação aos compromissos financeiros assumidos

b) estrutura de capital e possibilidade de resgate de ações ou quotas: c) capacidade de pagamento em relação aos compromissos financeiros assumidos Comentário dos administradores sobre a situação financeira da companhia, nos termos do item 10 do Formulário de Referência ("Comentários dos Diretores") 10. COMENTÁRIOS DOS DIRETORES 10.1. Comentários

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais