XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)"

Transcrição

1 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação: Pôster

2 2 RESUMO O presente trabalho aborda a utilização de indicadores de desempenho na avaliação da qualidade em serviços das bibliotecas universitárias. O objetivo geral foi identificar um conjunto de indicadores de desempenho que possam ser utilizados na avaliação da qualidade do processo de trabalho do serviço de empréstimo entre bibliotecas (EEB). Para isso, foi utilizado o método pesquisa-ação e o objeto de estudo foi a Biblioteca da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (FCA/UNICAMP). Os resultados obtidos foram: 1] Mapeamento do processo de trabalho EEB, 2] Identificação de um conjunto de indicadores de desempenho do processo de trabalho EEB; 3] Identificação das dificuldades encontradas na utilização de indicadores de desempenho pela organização investigada. Conclui-se que para utilizar os indicadores de desempenho, é necessário o envolvimento comprometimento da administração superior para compreender que os recursos mais importantes neste processo de melhoria da qualidade em serviços são os recursos humanos. Palavras-Chave: Avaliação da qualidade; Indicadores de desempenho; Empréstimo ente bibliotecas. ABSTRACT This paper discusses the use of performance indicators to evaluate the service quality of university libraries. The overall objective was to identify a set of performance indicators that can be used to evaluate the quality of the process of the interlibrary loan service. Was used the method action research and the object of study was the Library of the Faculty of Applied Sciences, State University of Campinas (FCA / UNICAMP). The results were: 1] Mapping of the work process of the interlibrary loan service, 2] Identification of a set of performance indicators of the labor process; 3] Identification of the difficulties encountered in the use of performance indicators for the organization investigated. It is concluded that using performance indicators, it is necessary to involve top management commitment to understand that the most important resources in this process of quality improvement in services is human resources. Keywords: Quality evaluation ; Performance indicators; Interlibrary loan.

3 3 1 Introdução Com o desenvolvimento e transformações que tem ocorrido na sociedade da informação, as organizações voltadas à informação têm buscado estratégias para melhorar a qualidade dos serviços, visando à satisfação do usuário. No setor de atendimento a avaliação da qualidade se torna mais importante, pois nele se concentram as atividades que mais impactam na qualidade percebida pelo usuário (CARIBE, 2009). Dada à importância de se avaliar a qualidade do serviço, o objetivo da pesquisa é identificar um conjunto de indicadores que possam avaliar a qualidade do processo de empréstimo entre bibliotecas (EEB). Para isso, foi utilizado o método de pesquisa-ação e o objeto de estudo foi a biblioteca da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (FCA/UNICAMP). Os resultados obtidos neste trabalho podem contribuir para o aprimoramento dos processos de EEB, especialmente em bibliotecas universitárias. Também pode contribuir para a geração de insights sobre a utilização de indicadores na avaliação da qualidade de outros processos, produtos e serviços dessas bibliotecas. 2 Revisão de Literatura A norma da ISO (1998, p. 2) define indicadores de desempenho como uma expressão, usada para caracterizar atividades em termos quantitativos e qualitativos, a fim de determinar o valor das atividades e os métodos associados. Segundo Coletta (2007, p. 130) recomenda-se o uso de indicadores para medir o desempenho das organizações. Em organizações com ou sem fins lucrativos, esses indicadores são de fundamental importância para que as mesmas possam tomar decisões, embasadas em dados coletados através de sua existência, para tanto, a qualidade pode ser referenciada em dados estatísticos coletados com o auxilio de softwares ou de um planejamento pré-estabelecido. Os indicadores obtidos ao longo de um tempo pré-estabelecido, permitem obter informações sobre características, atributos e resultados de um processo, produto ou serviço. Sua utilização é um instrumento fundamental para gestão e planejamento da organização, ao permitir aos gestores estabelecer evidências sobre eficácia dos processos, produtos e serviços,

4 4 e ainda, auxiliar a tomada de decisão para melhoria dos resultados organizacionais. Segundo Takashima e Flores (1996) os indicadores são fundamentais ao planejamento, pois permitem o e estabelecimento de metas quantificadas e seus desdobramentos. Também são essenciais ao controle pois os resultados obtidos através do seu uso permitem análises criticas de desempenho para tomada de decisão, planejamento e controle dos processos das organizações. Para a adoção de indicadores, Belluzzo (1998, p. 127) destaca que seja feita uma análise de cima para baixo do trabalho da biblioteca [...] desde sua missão, objetivos, serviços oferecidos até a determinação de metas a serem alcançadas. Devem ser feitos também levantamentos para verificação das expectativas e das necessidades dos usuários, tornando-os alvo dos padrões (ANDRADE, 2004). Os indicadores de desempenho utilizados pelas unidades de informação, segundo Guimarães (2007, p. 251) é a medida de comparação com o que esta sendo feito (desempenho), com o que deveria ser feito (missão) e com aquilo que se gostaria de fazer (metas). Isso demonstra o caminho que a unidade de informação deve tomar para atingir com precisão seus objetivos, como também para minimizar seus erros no decorrer dos processos. 3 Materiais e Métodos O método de pesquisa utilizado foi a pesquisa-ação, e o objeto de estudo foi a biblioteca da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas - FCA/UNICAMP, selecionada por compreender uma iniciativa em EEB. Contribuiu também para a sua escolha o fato de que a pesquisadora obteve fácil acesso aos dados necessários para a pesquisa, por pertencer a organização. Para o desenvolvimento deste trabalho foi realizado primeiramente uma revisão de literatura sobre indicadores de desempenho aplicados ao contexto das bibliotecas universitárias; em seguida foi realizado o mapeamento do processo de EEB da unidade, utilizando fluxograma como ferramenta. Onde, através da análise do mapeamento dos processos, juntamente com as metas e os objetivos da unidade de informação foi possível identificar os indicadores para avaliação da qualidade do serviço de EEB. A próxima etapa foi a identificação das dificuldades para a utilização de indicadores de desempenho na gestão da qualidade do processo. Terminado isso foi possível a análise e divulgação dos resultados.

5 5 4 Resultados Parciais/Finais Os resultados obtidos foram: o mapeamento do processo de trabalho do EEB, tanto empréstimo como sua solicitação; indicadores de desempenho do EEB (Quadro1) com referencial de comparação (quadro 2) proporcional a qualidade percebida pelo usuário. Os indicadores de desempenhos visualizados por intermédio do Quadro 1 foram elaborados de acordo com a literatura (ISO 11620, 1998; ANDRADE, 2004) e os processos mapeados do EEB junto a Biblioteca FCA/UNICAMP. Quadro1 Indicadores para biblioteca FCA. Indicador Descrição Objetivo 1) Taxa de pedidos não atendidos Através dos dados de quantidade de pedidos não atendidos e de pedidos atendidos, verificar a eficácia do serviço. 2) Tempo médio de atendimento das bibliotecas do sistema de bibliotecas da UNICAMP Verifica a agilidade no atendimento, considerando tempo de atendimento. Verificar a qualidade e eficácia do serviço, confiabilidade. Visa monitorar a rapidez com que a informação chega ao usuário. 3) Taxa de reclamações dos usuários Medir a qualidade do serviço através da quantidade de reclamações do usuário Fonte: Elaborado pelo autor. Verificar o volume de empréstimo, o serviço de EEB é uma vantagem para o usuário, mas pode representar um problema para a biblioteca. A comparação com o padrão indicado no quadro abaixo fornece o desempenho do serviço, que é proporcional a qualidade percebida pelo usuário. Quadro 2 Referencial de comparação Indicador Referencial de comparação 1) Taxa de pedidos não atendidos O índice ideal deste indicador é aproximar-se do zero. Quanto menos pedidos não atendidos, melhor será a eficácia do serviço.

6 6 2) Tempo médio de atendimento das bibliotecas do sistema de bibliotecas da UNICAMP O tempo ideal seria 3 dias. Um tempo maior poderia afetar a expectativa do usuário, afetando a percepção de qualidade do serviço. 3) Taxa de reclamações dos usuários O índice ideal deste indicador é aproximar-se do zero. Quanto menor a taxa de reclamação, maior o numero de usuários satisfeitos com o serviço. Fonte: Elaborado pelo autor 5 Considerações Parciais/Finais Os resultados obtidos podem servir para comparar bibliotecas, avaliar o desempenho, pontos críticos e onde possa haver melhorias, levando em consideração a especificidade de cada unidade de informação, pois os indicadores são elaborados com base nos objetivos, metas e não podem ser simplesmente copias sem que haja verificação. Conclui-se que para utilizar os indicadores de desempenho, é necessário o envolvimento comprometimento da administração superior para compreender que os recursos mais importantes neste processo de melhoria da qualidade em serviços são os recursos humanos. Desse modo a qualidade dos produtos e serviços da Biblioteca depende fundamentalmente do investimento em Gestão de Pessoas e no comprometimento da alta gerência. Uns dos principais fatores que dificultam a utilização de indicadores nas Bibliotecas são a falta de recursos humanos, e de capacitação dos seus funcionários.

7 7 6 Referências CARIBE, R. de C. do V. Sistemas de indicadores: uma introdução. Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação. v. 6, n. 2, COLETTA, T. das G.; ROZENFELD, H. Indicadores de desempenho para bibliotecas universitárias: definições e aplicações sob o ponto de vista da literatura. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 12, n. 3, INTERNATIONAL ORGANIZATION OF STANDARDIZATION. ISO : Information and documentation: library performance indicators. Genebra, TAKASHIMA, N. T.; FLORES, M. C. X. Indicadores da qualidade e do desempenho: como estabelecer metas e medir resultados. Rio de janeiro: Qualitymark, ANDRADE, M. V. M. Gestão pela qualidade em bibliotecas universitárias: indicadores de desempenho e padrões de qualidade f. Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão). Universidade Federal Fluminense, Niterói. GUIMARÃES, M. C. S. et al. Indicadores de desempenho de bibliotecas na Fiocruz: um caminho em construção. Ciência da Informação, v. 35, n. 3, 2006.

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira 15 INTELIGÊNCIA DE MERCADO: TRANSFORMANDO AS OLIMPÍADAS EM NEGÓCIOS 1 RESUMO Um dos grandes desafios das organizações hoje é a aplicabilidade assertiva das técnicas de análise e métodos utilizados em Inteligência

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

EM BUSCA DA QUALIDADE: ESTUDO DE PADRÕES E MEDIDAS APLICADAS NA GESTÃO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS

EM BUSCA DA QUALIDADE: ESTUDO DE PADRÕES E MEDIDAS APLICADAS NA GESTÃO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS EM BUSCA DA QUALIDADE: ESTUDO DE PADRÕES E MEDIDAS APLICADAS NA GESTÃO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Geisa Meirelles Drumond 1, Juliana Tavares de Almeida 2 RESUMO Estuda os padrões e medidas de desempenho

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO PARA BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS: projeto desenvolvido no SIBi/USP

INDICADORES DE DESEMPENHO PARA BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS: projeto desenvolvido no SIBi/USP TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Qualidade dos serviços e foco no usuário INDICADORES DE DESEMPENHO PARA BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS: projeto desenvolvido no SIBi/USP GRANDI,

Leia mais

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 19

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 19 GESTÃO DE REQUISITOS LEGAIS E CONFORMIDADE AMBIENTAL UTILIZANDO O MÉTODO ZOPP Legal requirements and environmental compliance management through Zopp method RIGOLETTO, Ivan de Paula Centro Universitário

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

A coleta de informações no processo de benchmarking: principais fontes utilizadas e dificuldades

A coleta de informações no processo de benchmarking: principais fontes utilizadas e dificuldades A coleta de informações no processo de benchmarking: principais fontes utilizadas e dificuldades Emiliane Januário (USP) emiliane90@hotmail.com Luiz César Ribeiro Carpinetti (USP) carpinet@prod.eesc.sc.usp.br

Leia mais

Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira

Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira Monica Rottmann de Biazzi (DEP/EPUSP) monica.rottmann@poli.usp.br Antonio Rafael Namur Muscat

Leia mais

A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP

A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP A GESTÃO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA INCUBADORA TÉCNOLÓGICA UNIVAP Feitosa, R. 1, Santos, J. 2, Lourenção, P. 3 123 Curso de Administração de Empresas, Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas. Univap

Leia mais

Empresas de Gestão Conservadora: Potencial da Previsão de Demanda e Simulação Computacional

Empresas de Gestão Conservadora: Potencial da Previsão de Demanda e Simulação Computacional Alexandre Magno Castañon Guimarães Empresas de Gestão Conservadora: Potencial da Previsão de Demanda e Simulação Computacional Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para

Leia mais

BAIXA PATRIMONIAL DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS: uma ação desenvolvida por processos

BAIXA PATRIMONIAL DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS: uma ação desenvolvida por processos TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Qualidade dos serviços e foco no usuário BAIXA PATRIMONIAL DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS: uma ação desenvolvida por processos D ASTUTO, F. L.

Leia mais

Sistema de Gestão pela Qualidade Total

Sistema de Gestão pela Qualidade Total Sistema de Gestão pela Qualidade Total Indicadores Márcia Elisa Garcia de Grandi megrandi@usp.br Rosa Maria Fischi rmfzani@usp.br 29/10/2012 Indicadores Segundo a Norma ISO 11620*, indicador de desempenho

Leia mais

Design and Performance Gestão da cadeia de suprimentos

Design and Performance Gestão da cadeia de suprimentos Design and Performance Gestão da cadeia de suprimentos 1 1. Supply Chain Structure 3. Componentes gerenciais 4. Supply Chain Performance Measurement (SCPM) 5. Hot topics in Supply Chain (SC) 6. Dell Case

Leia mais

Palavras-chave: unidade de informação; gerenciamento da rotina diária; qualidade em serviços de informação.

Palavras-chave: unidade de informação; gerenciamento da rotina diária; qualidade em serviços de informação. GERENCIAMENTO DA ROTINA DIÁRIA EM UNIDADES DE INFORMAÇÃO Edilene Galdino dos Santos, CRB-4/ 958 * Izabel França de Lima, CRB-4/098 ** Mônica Paiva Santos de Abrantes, CRB-4/1108 *** RESUMO: O desenvolvimento

Leia mais

4 Proposta de método de avaliação de desempenho em programas

4 Proposta de método de avaliação de desempenho em programas 4 Proposta de método de avaliação de desempenho em programas O método de avaliação foi proposto especialmente para esta pesquisa, mas poderá ser utilizado em outros casos relacionados à avaliação de desempenho

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

8.1 Planejar o Gerenciamento da Qualidade SAÍDAS

8.1 Planejar o Gerenciamento da Qualidade SAÍDAS Plano de Gerenciamento da Qualidade Descreve como as políticas de qualidade de uma organização serão implementadas. Como a equipe de gerenciamento do projeto planeja cumprir os requisitos de qualidade

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL. Carlos Guardado da Silva

INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL. Carlos Guardado da Silva INDICADORES DE DESEMPENHO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO LOCAL Carlos Guardado da Silva 2 Indicadores de Desempenho em Sistemas de Informação para a Administração Local Carlos Guardado

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS Alessandra Lübbe 1 Paulo Roberto de Miranda Samarani 2 RESUMO Este artigo refere-se a proposta de trabalho de conclusão do curso

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Junior Saviniec Ferreira; Letícia Stroparo Tozetti Faculdade Educacional de Araucária RESUMO O problema de estoque elevado é cada vez menos frequente

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL E SELEÇÃO DE INDICADORES. Centro de Tecnologia e Geociência (CTG) da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL E SELEÇÃO DE INDICADORES. Centro de Tecnologia e Geociência (CTG) da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE GIA/003 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XI GRUPO DE ESTUDOS DE IMPACTOS AMBIENTAIS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL E SELEÇÃO DE INDICADORES Ricardo Cavalcanti Furtado 1,

Leia mais

Título: Indicadores e variáveis nos estudos de viabilidade econômica e financeira identificação e relevância para os empreendedores da habitação.

Título: Indicadores e variáveis nos estudos de viabilidade econômica e financeira identificação e relevância para os empreendedores da habitação. Rio de Janeiro, 27 de outubro de 2006. Título: Indicadores e variáveis nos estudos de viabilidade econômica e financeira identificação e relevância para os empreendedores da habitação. Title: Indicators

Leia mais

Programa Piloto de Ensaios de Proficiência em Análises de Compostos Voláteis em Águas

Programa Piloto de Ensaios de Proficiência em Análises de Compostos Voláteis em Águas Programa Piloto de Ensaios de Proficiência em Análises de Compostos Voláteis em Águas Marília Rodrigues 1, Filipe Albano 1, Élida Teixeira 2, Paulo Brabo 2 1 Rede Metrológica RS; 2 CPRM - LAMIN E-mail:

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO 1 ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO Solange de Fátima Machado 1 Renato Francisco Saldanha Silva 2 Valdecil de Souza 3 Resumo No presente estudo foi abordada a análise das ferramentas

Leia mais

IMPACTO DO TRABALHO VOLUNTÁRIO NA ATUAÇÃO DE INSTITUIÇÕES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS: O CASO APAE-RIO.

IMPACTO DO TRABALHO VOLUNTÁRIO NA ATUAÇÃO DE INSTITUIÇÕES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS: O CASO APAE-RIO. FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS CENTRO DE FORMAÇÃO ACADÊMICA E PESQUISA CURSO DE MESTRADO EXECUTIVO IMPACTO DO TRABALHO VOLUNTÁRIO NA ATUAÇÃO DE INSTITUIÇÕES

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL - GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES

PROCEDIMENTO OPERACIONAL - GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES PROCEDIMENTO OPERACIONAL - GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES PROCEDIMENTO OPERACIONAL TÍTULO 2 Presidência Capítulo 5 Gestão Estratégica Seção Nome Revisão 03 Riscos e 01 Procedimento Operacional - Gestão de

Leia mais

Recursos adicionados para produção de fabricação de processo e logística no Microsoft Dynamics AX 2012 R2

Recursos adicionados para produção de fabricação de processo e logística no Microsoft Dynamics AX 2012 R2 Recursos adicionados para produção de fabricação de processo e logística no Dynamics AX 2012 R2 Este documento foi traduzido automaticamente, sem intervenção humana. Ele é fornecido como está e não há

Leia mais

DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP

DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Qualidade dos serviços e foco no usuário DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED DIREÇÃO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED DIREÇÃO DE ENSINO RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - FAED Curso: PEDAGOGIA Departamento: PEDAGOGIA ASPECTOS ATINGIDOS A PARTIR DA AVALIAÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Aspectos a Melhorar: Definir

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Luciana de Souza Martins Ferreira Celso Yamamoto reluferreira@ig.com.br celsoyamamoto@uol.com.br Resumo. Este artigo tem como objetivo avaliar os resultados

Leia mais

SISTEMA DE AVALIAÇÃO E APOIO À QUALIDADE DO ENSINO A DISTÂNCIA

SISTEMA DE AVALIAÇÃO E APOIO À QUALIDADE DO ENSINO A DISTÂNCIA 1 SISTEMA DE AVALIAÇÃO E APOIO À QUALIDADE DO ENSINO A DISTÂNCIA Renato Cislaghi, UFSC, cislaghi@inf.ufsc.br Silvia Modesto Nassar, UFSC, silvia@inf.ufsc.br Beatriz Wilges, UFSC, beaw@inf.ufsc.br Introdução

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE - Exemplo Fictício

MANUAL DA QUALIDADE - Exemplo Fictício Exemplo de Manual da Qualidade (Quality Manufacturing - Empresa Fictícia) Baseado nos 20 elementos da qualidade ISO 9001, existe uma correspondência de um para um entre os sistemas da qualidade da ISO

Leia mais

Governança Corporativa Gestão de Riscos

Governança Corporativa Gestão de Riscos Governança Corporativa Gestão de Riscos Introdução As constantes mudanças no âmbito global têm fomentado a necessidade do aprimoramento dos controles executados pelas organizações e do ambiente de riscos,

Leia mais

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025.

Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Desenvolvimento de ferramenta computacional para o controle de equipamentos de acordo com a ISO/IEC 17025. Computational development tool for equipament control according to ISO/IEC 17025. Heloisa de Campos

Leia mais

Curso Fundamentos de Gerenciamento de Serviços de TI baseado no ITIL V3

Curso Fundamentos de Gerenciamento de Serviços de TI baseado no ITIL V3 Curso Fundamentos de Gerenciamento de Serviços de TI baseado no ITIL V3 Todos nossos cursos são preparados por profissionais certificados e reconhecidos no mercado de Gerenciamento de Serviços de TI. Os

Leia mais

MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA

MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA Duração aproximada: 1h15 Capítulo 2: Critério Liderança (visão geral) Capítulo 3: Cultura organizacional e desenvolvimento da gestão Estabelecimento e atualização dos

Leia mais

Irlene Maria Lanius Saurim 2 e Cristiana Basso 3

Irlene Maria Lanius Saurim 2 e Cristiana Basso 3 Disc. Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 9, n. 1, p. 115-120, 2008. 115 ISSN 2177-3335 AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS DE BUFÊ EM RESTAURANTE COMERCIAL EM SANTA MARIA, RS 1 EVALUATION

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Conteúdo Gerenciais Direcionadores de Arquitetura de TI Tipologia dos sistemas da informação Prof. Ms. Maria C. Lage marialage.prof@gmail.com As preocupações corporativas Gerenciar Mudanças Crescimento

Leia mais

Como pode ser dividido

Como pode ser dividido Planejamento Como pode ser dividido O planejamento estratégico prever o futuro da empresa, em relação ao longo prazo. De uma forma genérica, consiste em saber o que deve ser executado e de que maneira

Leia mais

MODELOS DE REFERÊNCIA PARA BIBLIOTECAS: a experiência do SIBi/USP

MODELOS DE REFERÊNCIA PARA BIBLIOTECAS: a experiência do SIBi/USP MODELOS DE REFERÊNCIA PARA BIBLIOTECAS: a experiência do SIBi/USP Teresinha das Graças Coletta 1, Maria Helena Di Francisco 2, Fabio Muller Guerrini³, Thyerre de Castro Ramazzi 4 1 Mestrado, Escola de

Leia mais

FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO SERVIÇO NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA RENATO AUGUSTO PEDREIRA LEONNI EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO-BA.

FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO SERVIÇO NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA RENATO AUGUSTO PEDREIRA LEONNI EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO-BA. UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MBA EXECUTIVO EM SAÚDE- GESTÃO HOSPITALAR KARLA MICHELLINE OLIVEIRA BOAVENTURA FATORES QUE INTERFEREM NA QUALIDADE DO

Leia mais

PLANEJANDO O PROJETO

PLANEJANDO O PROJETO PLANEJANDO O PROJETO O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão necessários hoje, para

Leia mais

Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa

Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa Mapeamento e Padronização de Processos Organizacionais Mateus Pizetta Aline Milani Todos os Direitos Reservados 2014 Introdução: Este material foi

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO Jorge Luiz Maria Junior 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Resumo Através dos sistemas de informação, as organizações mundiais buscam práticas

Leia mais

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Débora Noronha¹; Jasmin Lemke¹; Carolina Vergnano¹ ¹Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, Diretoria Técnica de Estudos, Projetos

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 SERVIÇO DE REFERENCIA VIRTUAL DA HEMEROTECA DA REDE DE BIBLIOTECAS DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO: RELATO DE CASO Fernanda Spíndola Laíde

Leia mais

Caroline Maria Guimaraes Beasley, Dulce Maria Baptista

Caroline Maria Guimaraes Beasley, Dulce Maria Baptista [X ] PÔSTER A GESTÃO DA INFORMAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES NÃO- GOVERNAMENTAIS (ONG): UM ESTUDO DE CASO EM ONGS AMBIENTAIS FINANCIADAS PELA AGÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS PARA DESENVOLVIMENTO INTERNACIONAL - USAID

Leia mais

Gestão de Performance por KPIs

Gestão de Performance por KPIs Gestão de Performance por KPIs Henrique Brodbeck Diretor, Brodbeck Consultores em Informática Henrique Brodbeck Brodbeck Consultores em Informática e UFRGS Business Intelligence - BI Termo guarda-chuva

Leia mais

Levantamento de Governança de TI 2014

Levantamento de Governança de TI 2014 Levantamento de Governança de TI 2014 Resultado individual: CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA Segmento: Executivo - Sisp Tipo: Autarquia A classificação deste documento é de responsabilidade

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Este material resulta da reunião de fragmentos do módulo I do Curso Gestão Estratégica com uso do Balanced Scorecard (BSC) realizado pelo CNJ. 1. Conceitos de Planejamento Estratégico

Leia mais

Gerenciamento Agrícola com Suporte à Mobilidade: uma ferramenta móvel para automatizar cálculos de plantio

Gerenciamento Agrícola com Suporte à Mobilidade: uma ferramenta móvel para automatizar cálculos de plantio Gerenciamento Agrícola com Suporte à Mobilidade: uma ferramenta móvel para automatizar cálculos de plantio Márcio José Mantau, Carla Diacui Medeiros Berkenbrock PPGCA - Programa de Pós-Graduação em Computação

Leia mais

AMARO Gestão Empresarial Ltda.

AMARO Gestão Empresarial Ltda. Anexo SL Por se tratar de uma tradução livre e de uso somente informativo para os clientes da consultoria, selecionamos somente os trechos importantes do Anexo SL e colocamos abaixo o Apêndice 2 que estrutura

Leia mais

Unidade II. Melhoria contínua do Sistema de Gestão Administrativa. Sistema de Gestão. Responsabilidade da administração. Realização do produto

Unidade II. Melhoria contínua do Sistema de Gestão Administrativa. Sistema de Gestão. Responsabilidade da administração. Realização do produto Unidade II 3 IDENTIFICAÇÃO DOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS 3.1 Macroprocesso Tomando por referência a representação do Sistema de Gestão da Qualidade definida pela NBR ISO 9011:2008, observamos os principais

Leia mais

MAPEAMENTO DE PROCESSOS COMO FATOR DE MELHORIA DA QUALIDADE EM ORGANIZAÇÕES: ESTUDO DE CASO EM UMA ORGANIZAÇÃO PÚBLICA DO ESTADO DE RORAIMA

MAPEAMENTO DE PROCESSOS COMO FATOR DE MELHORIA DA QUALIDADE EM ORGANIZAÇÕES: ESTUDO DE CASO EM UMA ORGANIZAÇÃO PÚBLICA DO ESTADO DE RORAIMA MAPEAMENTO DE PROCESSOS COMO FATOR DE MELHORIA DA QUALIDADE EM ORGANIZAÇÕES: ESTUDO DE CASO EM UMA ORGANIZAÇÃO PÚBLICA DO ESTADO DE RORAIMA RAIANE DAMASIO DE ASSIS bel.belmira@gmail.com ESTÁCIO ATUAL KILDO

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Congratulações, estimado leitor! É muito bom poder estar aqui novamente. Este tópico tem como objetivo abordar, de forma clara e objetiva, o

Congratulações, estimado leitor! É muito bom poder estar aqui novamente. Este tópico tem como objetivo abordar, de forma clara e objetiva, o Congratulações, estimado leitor! É muito bom poder estar aqui novamente. Este tópico tem como objetivo abordar, de forma clara e objetiva, o gerenciamento de riscos corporativos e controles internos Modelo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Conceitos Básicos Ancine 2006 Analista de Sistemas 77 Dados, sistemas aplicativos, sistemas computacionais, instalações físicas e pessoas, conforme o modelo COBIT, são recursos

Leia mais

LABORE Laboratório de Estudos Contemporâneos POLÊM!CA Revista Eletrônica A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS

LABORE Laboratório de Estudos Contemporâneos POLÊM!CA Revista Eletrônica A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS 74 A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS DANNYEL VIANA RANGEL DUARTE Graduando em Administração da Unisuam. ELAINE CAVALCANTE PEIXOTO BORIN Professora Adjunta da

Leia mais

Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação

Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação Use of UML modeling in a management system for a food franchising Richard B. N. Vital, Tatiane M. Vital.

Leia mais

Categorias Temas Significados Propostos

Categorias Temas Significados Propostos 91 5. Conclusão O objetivo do presente trabalho foi descrever a essência do significado da experiência consultiva para profissionais de TI que prestam de serviços de consultoria na área de TI. Para atingir

Leia mais

Projeto ped 01 Título: Orientador: E-mail Curso: Resumo

Projeto ped 01 Título: Orientador: E-mail Curso: Resumo Projeto ped 01 Título: Contribuições de Programas de Iniciação à docência na formação do aluno de Pedagogia: a experiência do Projeto Bolsa Alfabetização e PIBID na Universidade Municipal de São Caetano

Leia mais

mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br TÓPICOS DE PLANEJAMENTO DE PROJETOS EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RESUMO ABSTRACT

mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br TÓPICOS DE PLANEJAMENTO DE PROJETOS EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RESUMO ABSTRACT Mestrando CARLOS C. MASCARENHAS - PG Mestrando ANTONIO RAMALHO DE S. CARVALHO - PG Orientadora Profa. Dra. GLADIS CAMARINI mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção Disciplina: Inovação e Competitividade Empresarial Sistemas de Medicação de Desempenho Fundamentos e Exemplificações

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico OBJETIVOS E DESAFIOS EMPRESARIAIS Roberto César 1 OBJETIVOS E DESAFIOS EMPRESARIAIS Os objetivos podem ser conceituados como o estado, situação ou resultado futuro que o executivo

Leia mais

Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras

Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Versão 5.0 dezembro 2010 Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Sumário 1. Objetivos 2. Conceitos 3. Referências 4. Princípios 5. Diretrizes

Leia mais

EXPERIÊNCIA DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA E INFORMAÇÃO DO IFSC NA PARTICIPAÇÃO DO PRÊMIO PAULISTA DE QUALIDADE DA GESTÃO PPQG

EXPERIÊNCIA DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA E INFORMAÇÃO DO IFSC NA PARTICIPAÇÃO DO PRÊMIO PAULISTA DE QUALIDADE DA GESTÃO PPQG TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Empreendedorismo na gestão da informação e do conhecimento EXPERIÊNCIA DO SERVIÇO DE BIBLIOTECA E INFORMAÇÃO DO IFSC NA PARTICIPAÇÃO DO PRÊMIO

Leia mais

XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009

XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009 XV COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SP 2009 ANÁLISE COMPARATIVA DOS USOS DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS ORBITAIS COM DIFERENTES RESOLUÇÕES ESPACIAIS. JUSSARA D'AMBROSIO

Leia mais

SISTEMA CFC: UMA ABORDAGEM BASEADA NA GOVERNANÇA CORPORATIVA 1

SISTEMA CFC: UMA ABORDAGEM BASEADA NA GOVERNANÇA CORPORATIVA 1 SISTEMA CFC: UMA ABORDAGEM BASEADA NA GOVERNANÇA CORPORATIVA 1 Bruna Faccin Camargo 2, Jaciara Treter 3, Daniel Knebel Baggio 4. 1 Artigo de Conclusão do Curso em Ciências Contábeis 2 Aluna do Curso de

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS TERMO DE REFERENCIA REVISÃO DO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS 1) OBJETO Escolha de instituição pública ou privada, sem fins lucrativos, para desenvolvimento de estudo do Planejamento da Força de Trabalho e

Leia mais

Indicadores e metricas na gestao de RH

Indicadores e metricas na gestao de RH www.pwc.com Indicadores e metricas na gestao de RH Novembro de 2015 Sejam bem-vindos! 2 Sobre a 3 People & Organization Consulting Soluções inovadoras para negócios em constante transformação http://www.pwc.com.br/

Leia mais

ANÁLISE DE UM MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOCENTE PARA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

ANÁLISE DE UM MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOCENTE PARA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ANÁLISE DE UM MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOCENTE PARA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Lucas da Silva Sacramento lucasdssacramento@gmail.com 40210-630 Salvador - Bahia Lucas Marins Batista lucasmarbatista@gmail.com

Leia mais

Aula 1. Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais

Aula 1. Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais Aula 1 Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais Avaliar é... Emitir juízo de valor sobre algo. Avaliação Econômica é... Quantificar o impacto e o retorno econômico de um projeto, com base em

Leia mais

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Meire Ramalho de Oliveira, mestranda, UFSCar, mro_ufscar@yahoo.com.br

Leia mais

PAINEL GERENCIAL BASEADO NA UTILIZAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO, ANÁLISE DE BENCHMARKING E DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO GERENCIAL

PAINEL GERENCIAL BASEADO NA UTILIZAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO, ANÁLISE DE BENCHMARKING E DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO GERENCIAL PAINEL GERENCIAL BASEADO NA UTILIZAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO, ANÁLISE DE BENCHMARKING E DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO GERENCIAL OLIVAN GREINER Instituto de Desenvolvimento Educacional do Alto Uruguai

Leia mais

P G Q P. Gestão de Produtividade. Ivan De Pellegrin. Alexandre Soares. Produttare Consultores Associados. Medabil Sistemas Construtivos

P G Q P. Gestão de Produtividade. Ivan De Pellegrin. Alexandre Soares. Produttare Consultores Associados. Medabil Sistemas Construtivos P G Q P Gestão de Produtividade Ivan De Pellegrin Produttare Consultores Associados Alexandre Soares Medabil Sistemas Construtivos Plano de Vôo 1. Introdução a. Produtividade um dos requisitos... b. Indicadores

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DO MP-GO 2009-2022

GESTÃO ESTRATÉGICA DO MP-GO 2009-2022 A Gestão Estratégica do Ministério Público de Goiás (MP-GO) é o novo paradigma de gestão institucional voltado para a instrumentalização técnica e conceitual de todas as unidades e órgãos, administrativos

Leia mais

REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011

REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011 REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011 AS EMPRESAS Mapa Estratégico Menos níveis hierárquicos Foco no Cliente Novas Lideranças Gestão por processos O RH parceiro da estratégia Terceirizações Foco no core

Leia mais

ANÁLISE GEOESPACIAL DO CÂNCER PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA - BRASIL, CONSIDERANDO OS PARÂMETROS SÓCIO-AMBIENTAIS RELACIONADOS.

ANÁLISE GEOESPACIAL DO CÂNCER PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA - BRASIL, CONSIDERANDO OS PARÂMETROS SÓCIO-AMBIENTAIS RELACIONADOS. ANÁLISE GEOESPACIAL DO CÂNCER PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA - BRASIL, CONSIDERANDO OS PARÂMETROS SÓCIO-AMBIENTAIS RELACIONADOS. * 1 Acad. Cleice Edinara Hübner 2 Prof. Dr. Francisco Henrique de Oliveira

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Rogério Carlos Tavares 1, José Luis Gomes da Silva² 1 Universidade de

Leia mais

Qualidade de vida: Interpretação da sintaxe do SPSS para análise de dados do WHOQOL-100

Qualidade de vida: Interpretação da sintaxe do SPSS para análise de dados do WHOQOL-100 Rev. salud pública. 11 (5): 836-841, 2009 836 REVISTA DE SALUD PÚBLICA Volumen 11(5), Octubre 2009 Nota Técnica/Technical Note Qualidade de vida: Interpretação da sintaxe do SPSS para análise de dados

Leia mais

Faculdade Boa Viagem DeVry Brasil Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Administração - CPPA Mestrado Profissional em Gestão Empresarial

Faculdade Boa Viagem DeVry Brasil Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Administração - CPPA Mestrado Profissional em Gestão Empresarial Faculdade Boa Viagem DeVry Brasil Centro de Pesquisa e Pós-Graduação em Administração - CPPA Mestrado Profissional em Gestão Empresarial KILMA GALINDO DO NASCIMENTO CULTURA ORGANIZACIONAL E TERCEIRIZAÇÃO:

Leia mais

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM)

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM) DCC / ICEx / UFMG Um pouco de história O Modelo CMMI Na década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Objetivos Fornecer software

Leia mais

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo.

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo. 9 Conclusão Neste estudo, eu me propus a investigar os efeitos de práticas de Língua Portuguesa no aprendizado de leitura e como esses efeitos se diferenciam conforme o ano de escolaridade dos alunos e

Leia mais

Carla Cristina Ferreita Hammes (carlahammes@gmail.com, UNISOCIESC, Santa Catarina, Brasil)

Carla Cristina Ferreita Hammes (carlahammes@gmail.com, UNISOCIESC, Santa Catarina, Brasil) O desafio da integração do jovem empreendedor com a cultura das empresas locais The challenge of integrating young entrepreneurs with the culture of local businesses Carla Cristina Ferreita Hammes (carlahammes@gmail.com,

Leia mais

Avaliação de Modelos Gaussianos para Fins Regulatórios Um Estudo para o Verão na Região de Nova Iguaçu, RJ

Avaliação de Modelos Gaussianos para Fins Regulatórios Um Estudo para o Verão na Região de Nova Iguaçu, RJ Avaliação de Modelos Gaussianos para Fins Regulatórios Um Estudo para o Verão na Região de Nova Iguaçu, RJ VELLOSO, Maria Francisca Azeredo (1) ; CUNHA Bruno D Aiuto (2) ; PIMENTEL, Luiz Claudio Gomes

Leia mais

ebook FUNIL DE VENDAS

ebook FUNIL DE VENDAS NO ebook FUNIL DE VENDAS 2 A FERRAMENTA IDEAL PARA PEQUENAS E MÉDIAS EQUIPES DE VENDAS GANHAREM MAIS NEGÓCIOS! Sumário 3 Agradecimento. pág 4 Introdução. pág 5 A importância dos indicadores em Vendas pág

Leia mais

Governança de TI. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com

Governança de TI. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de TI Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança Governar Governança Ato de governar(-se), governo, governação Governar ter mando, direção, dirigir, administrar tratar

Leia mais

O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001

O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001 O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001 Alexandre Nixon Soratto, Msc. (INMETRO) ansoratto@inmetro-sc.gov.br Gregório Varvakis, PhD. (UFSC) grego@egc.ufsc.br Resumo

Leia mais

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA Adriana Richit, Bárbara Pasa, Valéria Lessa, Mauri Luís Tomkelski, André Schaeffer, Andriceli Richit, Angélica Rossi

Leia mais

Recrutamento e seleção de pessoal: análise comparativa entre a iniciativa privada e a pública

Recrutamento e seleção de pessoal: análise comparativa entre a iniciativa privada e a pública Recrutamento e seleção de pessoal: análise comparativa entre a iniciativa privada e a pública ADRIANO SÉRGIO DA CUNHA * & FERNANDO ROSSONI CAVALCANTI ** Resumo Este artigo objetiva comparar características

Leia mais

Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso.

Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso. Sistema de indicadores de qualidade como ferramenta de gestão em um restaurante universitário: estudo de caso. Lúcia Rosa de Carvalho (UFF) lucianut@hotmail.com Sérgio Leusin de Amorim (UFF) leusin@civil.uff.br

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1) Prezado(a) Professor(a), Visando orientar e otimizar as informações que deverão constar no projeto, elencamos, abaixo, os itens imprescindíveis para compreensão e apresentação da sua proposta ao Prêmio

Leia mais