DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA CONTROLE DA CIRCULAÇÃO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA CONTROLE DA CIRCULAÇÃO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO"

Transcrição

1 DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA CONTROLE DA CIRCULAÇÃO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO Marcos Vinicius Mendonça Andrade 1 Sandra Lopes Coelho 2 1 Bibliotecário, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro 2 Bibliotecária, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro RESUMO A Internet e outras tecnologias de comunicação abrem uma série de possibilidades para as bibliotecas universitárias na prestação de serviços. A disponibilização do catálogo - subproduto dos sistemas de automação - é o serviço mais amplamente encontrado na web, que pode ser utilizada para o oferecimento de um grande número de serviços e produtos. Este trabalho descreve o processo de desenvolvimento e avaliação de interface para o serviço de empréstimo em plataforma Web no âmbito do Núcleo de Documentação (NDC) Sistema de Bibliotecas e Arquivo da Universidade Federal Fluminense (UFF). Palavras-Chave: Biblioteca universitária; Serviço de empréstimo; Serviços Web. ABSTRACT The Internet and other communication technologies open up a number of possibilities for university libraries in providing services. The availability of the catalog - byproduct of automation systems - is the service more widely available on the Web, which can be used for offering a wide range of services and products. This paper describes the development process and evaluation of the service interface for Web based lending under the Documentation Center (NDC) - System of Libraries and Archives, Universidade Federal Fluminense (UFF). Keywords: University library; Loan service; Web services. 1 INTRODUÇÃO A Internet e outras tecnologias de comunicação abrem uma série de possibilidades para as bibliotecas universitárias na prestação de serviços. A disponibilização do catálogo - subproduto dos sistemas de automação - é o serviço mais amplamente encontrado na Web, que pode ser utilizada para o fornecimento de um grande número de serviços e produtos. Atualmente dois dos serviços 1 Chefe da Biblioteca da Escola de Arquitetura e Urbanismo 2 Diretora da Divisão de Bibliotecas do Núcleo de Documentação

2 oferecidos pelas bibliotecas da Universidade Federal Fluminense (UFF) são via Web: as interfaces do módulo de consulta e de empréstimo do software Argonauta. A independência de plataforma e a possibilidade de atualização de informações de forma instantânea em diferentes computadores, permitindo aos usuários manter os recursos informacionais o mais atualizado possível, são as principais vantagens da criação de serviços usando a Web. (BAX, 1998) O Núcleo de Documentação (NDC) é responsável pela coordenação técnica e administrativa do Sistema de Bibliotecas e Arquivo da UFF. Seu objetivo é apoiar os programas de ensino, pesquisa e extensão da Universidade através do desenvolvimento de serviços e produtos que atendam às necessidades de informação da comunidade. Sua estrutura organizacional é a seguinte: vinte e cinco bibliotecas; o Arquivo Central; o Centro de Memória Fluminense; o Serviço de Comunicações Administrativas e quatro Protocolos; um Laboratório de Reprografia; e um Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos. Para administrar suas unidades o NDC conta com a seguinte estrutura: Conselho Técnico (CONTEC), Direção (DIR), Divisão de Desenvolvimento (DDS), Divisão de Arquivos (DARQ) e Divisão de Bibliotecas (DBT). A DBT tem como atribuições a coordenação das políticas de atualização do acervo das bibliotecas do sistema; de circulação do material bibliográfico e atendimento aos usuários; e as atividades de informatização desenvolvidas nas unidades do sistema. O processo de informatização das bibliotecas do NDC teve início em 2001 com a aquisição e implantação do software Biblioteca Argonauta - sistema de administração e automação de bibliotecas e arquivos, composto por 5 módulos: cadastramento de acervo, consulta, empréstimo, aquisição e relatórios, desenvolvido pela Datacoop Cooperativa de Bibliotecários, Documentalistas, Arquivistas e Analistas de Informação Ltda. Além da sistematização do processamento técnico, a informatização propiciou ao sistema de Bibliotecas da UFF a implantação de um catálogo único de todas as

3 unidades, a formação de um cadastro de usuários unificado e o controle global dos empréstimos realizados. Com o objetivo de promover a consolidação deste processo, em 2009 foi realizada a atualização do gerenciador de banco de dados e do aplicativo de gerenciamento das rotinas de circulação do material bibliográfico. A captação de recursos que viabilizassem o desenvolvimento destas atividades e a aquisição de novos equipamentos foi possível com a aprovação de um projeto apresentado à Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Dentro deste contexto, este trabalho tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas no âmbito do projeto Desenvolvimento de Interfaces Web para Controle da Circulação e Acesso Universal de Material Bibliográfico, que viabilizaram a atualização do aplicativo do serviço de empréstimo. 2 O SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DOMICILIAR O serviço possibilita o empréstimo de uma ou mais obras existentes no acervo de urna determinada biblioteca para usuários previamente cadastrados e possui as seguintes rotinas: cadastramento de usuários, empréstimo e devolução de obras controle e cobrança de empréstimos vencidos. 2.1 A interface Web: implantação e atualização Idealizada com o objetivo de solucionar os problemas de conexão de rede com as unidades do interior, a interface Web foi implantada em 2005 e bem aceita pelas unidades que já utilizavam o módulo de empréstimos do Argonauta. O formato amigável facilitou o treinamento e a utilização por operadores com conhecimento mínimo de informática. No caso do NDC que controla uma rede de bibliotecas, as características apresentadas pela interface proporcionaram o controle global da circulação do

4 material bibliográfico e a troca de informações entre todas as unidades do sistema - independente de sua localização física - utilizando o banco de dados do Argonauta : Utilização de qualquer biblioteca da rede, a partir do cadastramento em uma delas; Visualização e atualização do cadastro de usuários em qualquer unidade; Utilização de senha para finalização do empréstimo, renovação e reserva; Impedimento de utilização do sistema por usuários inadimplentes em qualquer unidade; Visualização de todas as obras emprestadas, através do perfil do usuário. Implantada inicialmente em nove bibliotecas, atualmente a interface é utilizada por quinze delas: Central do Valonguinho; Central do Gragoatá; Faculdade de Economia; Escola de Arquitetura e Urbanismo; Faculdade de Direito; Faculdade de Medicina; Escola de Enfermagem; Faculdade de Veterinária; Faculdades de Nutrição e Odontologia; Instituto Biomédico; Pós-Graduação em Matemática; Pós- Graduação em Geoquímica; Escola de Engenharia e Instituto de Ciência da Computação (Niterói); Escola de Engenharia Metalúrgica (Volta Redonda) e Pólo Universitário de Rio das Ostras. A atualização do sistema operacional do servidor do NDC e do gerenciador do banco de dados do Argonauta em 2009 culminou com a necessidade de desenvolver uma nova interface em linguagem compatível com o ambiente Linux. O processo de atualização da interface teve as seguintes etapas: Análise da interface em uso e proposta de implementação novas rotinas: autenticação e controle de acesso dos operadores; reserva de obras que se encontrem emprestadas; mecanismos de controle de empréstimos vencidos e cobrança de usuários inadimplentes; módulo de relatórios; Desenvolvimento e testes na nova interface dentro das características propostas. A equipe de trabalho nesta etapa contou com: um bibliotecário, um desenvolvedor e um web designer.

5 A NBR define as características de qualidade que devem ser avaliadas em um produto de software, seja na aquisição ou no desenvolvimento, quando pode ser aplicada durante a realização dos testes de aceitação do produto ou de subprodutos em desenvolvimento: funcionalidade, confiabilidade, usabilidade, eficiência, portabilidade e manutenibilidade. (FERNANDES; VOSTOUPAL, s.d.) Considerando o processo de desenvolvimento e a necessidade de avaliação da interface com ênfase nas características de: Funcionalidade - conjunto de atributos que evidenciam a existência de um conjunto de funções e suas propriedades especificadas; Usabilidade - conjunto de atributos que evidenciam o esforço necessário para poder-se utilizar o software, bem como o julgamento individual deste uso, por um conjunto implícito ou explícito de usuários; foi elaborado um questionário (em anexo) a ser aplicado em todas as unidades que prestam o serviço de empréstimo online. Foram aplicados 33 questionários respondidos pelas chefias das bibliotecas e por operadores do serviço. 3 MATERIAIS E MÉTODOS Café; Macedo e Santos (2001) propõem os critérios para a avaliação de um software de automação de bibliotecas com as seguintes categorias: características gerais do software; ergonomia; tecnologia (hardware, compatibilidade e rede); seleção e aquisição; processamento técnico; circulação; recuperação da informação; disseminação da informação; processo gerencial e características da empresa fornecedora. A proposta também estabelece três pesos para cada critério apresentado: Indispensável coeficiente (3). Atribuído a um critério imprescindível. Importante coeficiente (2). Atribuído a um critério que pode ser interessante para a biblioteca. Dispensável coeficiente (1). Atribuído a um critério considerado 3 A NBR Tecnologia de Informação: Avaliação de Produto de Software é versão brasileira da ISO 9126.

6 desnecessário. Considerando que a interface se restringe ao controle de circulação de material bibliográfico, foram adotados os dez critérios apontados para avaliação desta categoria, mais três critérios que visavam avaliar a interface no quesito ergonomia. Definidos os critérios e os pesos, foi proposta uma nota numa escala de valor de 1 a 5, para cada um deles: Inexistente (1) o critério não existe. Muito ruim (2) o critério existe, com muitos problemas. Ruim (3) o critério existe, com pequenos problemas. Regular (4) o critério funciona. Bom (5) o critério funciona perfeitamente. As notas finais de cada critério tiveram um valor entre 0 e 15 e foram calculadas utilizando-se a seguinte fórmula: F = N x P onde F = nota final do critério avaliado N = média da nota atribuída ao critério P = média do peso atribuído ao critério A avaliação final da interface pelas bibliotecas foi representada pela soma de todas as notas finais (F) de cada critério.

7 Quadro 1- Consolidação das notas Critérios Peso Nota Média Final Máxima Controle integrado do processo de empréstimo Categorização de empréstimo: domiciliar, entre bibliotecas, final de semana Cadastro de perfis de usuários Permite alteração de dados cadastrais do usuário Definição automática de prazos e condições de empréstimo de acordo com o perfil do usuário para cada tipo de documento Definição de parâmetro para a reserva de livros Emissão automática de cartas de cobrança ou correio eletrônico para usuários em atraso Aplicação de suspensões com bloqueio automático de empréstimos Possibilidade de pesquisar o status do documento (disponível, emprestado, reservado) Realização de empréstimo, renovação e reserva online Facilidade de navegação entre as telas Clareza nas mensagens e textos apresentados ao operador* Contempla as rotinas básicas do empréstimo na sua unidade Total RESULTADOS PARCIAIS A nota final obtida com a tabulação dos dados após a aplicação dos questionários representa 77% da nota máxima que poderia ser obtida na avaliação da interface. Este percentual foi considerado muito bom em função do objetivo proposto pela Divisão de Bibliotecas, ou seja, a atualização da interface com a correção de pequenos bugs apresentados pela interface anterior e a implementação de novas rotinas. O critério que obteve nota baixa representa uma rotina nova na interface, a reserva. Também devem ser considerados os critérios que tiveram nota final próxima da nota máxima, pois os critérios não apresentam nenhum problema estrutural na interface. Neste ponto, de acordo com observações feitas pelos operadores no questionário, foi indicada a necessidade de um treinamento na Critérios acrescentados à proposta original.

8 utilização da interface e nova aplicação do questionário para que a avaliação fosse feita de forma mais segura pelas unidades. Desde a implantação em 29/07/2009 foram realizados eventos de empréstimo, e, embora atenda às necessidades básicas do serviço, alguns pontos da interface precisam ser ajustados, em especial aqueles relativos à rotina de reserva que apresentaram notas baixas. 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS A Web pode ser utilizada pelas bibliotecas para o oferecimento de um grande número de serviços e produtos, dentre os quais: catálogo da biblioteca online, serviço de empréstimo e reserva de documentos, referência online entre outros. O profissional de Biblioteconomia é cada vez mais solicitado a conhecer e a empregar as novas tecnologias para o gerenciamento das informações, necessita de soluções criadas especialmente para a sua realidade. Dentro deste contexto a participação de um bibliotecário na equipe de trabalho foi primordial para adaptação da interface às necessidades das Bibliotecas do sistema NDC. 5 REFERÊNCIAS ANDRADE, M. V. M. Gestão da qualidade em bibliotecas universitárias: indicadores de desempenho e padrões de qualidade Dissertação de Mestrado. Niterói: Universidade Federal Fluminense / Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, ANDRADE, M. V. M.; COELHO, S. L. Projetos, parcerias e arranjos inovativos: o caso do Núcleo de Documentação da Universidade Federal Fluminense. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 15., Anais... São Paulo, CREUSP, Disponível em: Acesso em: 03 jul BAX, Marcello Peixoto, JAMIL, G. L. Serviços Web e a evolução dos serviços em TI. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação. Rio de Janeiro, v.2, n.2, Disponível em: < Acesso em: 27 jun BAX, Marcello Peixoto. As bibliotecas na Web e vice-versa. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.3, n.1, p.5-20, jan./jun CAFÉ, Lígia; SANTOS, Christophe dos; MACEDO, Flávia. Proposta de um método para escolha de software de automação de bibliotecas. Ciência da Informação, Brasília, v.30, n.2, p , maio/ago

9 FERNANDES, Rosane Antunes; VOSTOUPAL, Tânia Mara. Avaliação de produto de software: as aplicações da NBR (ISO 9126) na CELEPAR. Petrolina, PE: FACAPE, s.d. Disponível em: <http://www.facape.br/jussaramoreira/mps/material/avaliacao_de_produto_de_software.doc > Acesso em: 27 jun

10 ANEXO Questionário utilizado para avaliação da interface Prezado Colega, Elaboramos uma lista de critérios a serem utilizados na avaliação de softwares para automação de bibliotecas 4, mais especificamente na categoria Circulação, para que você - usuário final - nos ajude no processo de avaliação/homologação da interface de empréstimo desenvolvida em parceria com a Datacoop. Avalie cada critério do quadro abaixo, e dê uma nota, de acordo com a escala a seguir: (1) Inexistente o critério não existe (2) Muito ruim o critério existe, com muitos problemas (3) Ruim o critério existe, com pequenos problemas (4) Regular o critério funciona (5) Bom o critério funciona perfeitamente CRITÉRIO Controle integrado do processo de empréstimo Categorização de empréstimo: domiciliar, entre bibliotecas, final de semana Cadastro de perfis de usuários Permite alteração de dados cadastrais do usuário Definição automática de prazos e condições de empréstimo de acordo com o perfil do usuário para cada tipo de documento Definição de parâmetro para a reserva de livros Emissão automática de cartas de cobrança ou correio eletrônico para usuários em atraso Aplicação de suspensões com bloqueio automático de empréstimos Possibilidade de pesquisar o status do documento (disponível, emprestado, reservado) Realização de empréstimo, renovação e reserva online Facilidade de navegação entre as telas Clareza nas mensagens e textos apresentados ao operador Contempla as rotinas básicas do empréstimo na sua unidade NOTA Observações complementares: Biblioteca: Avaliador: Data: / / 4 Critérios definidos com base no artigo: CAFÉ, Lígia; SANTOS, Christophe dos; MACEDO, Flávia. Proposta de um método para escolha de software de automação de bibliotecas. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 2, p , maio/ago. 2001

PROJETOS, PARCERIAS E ARRANJOS INOVATIVOS: o caso do Núcleo de Documentação da Universidade Federal Fluminense

PROJETOS, PARCERIAS E ARRANJOS INOVATIVOS: o caso do Núcleo de Documentação da Universidade Federal Fluminense TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca PROJETOS, PARCERIAS E ARRANJOS INOVATIVOS: o caso

Leia mais

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas) Projeto de modernização do sistema de automação das bibliotecas da Universidade Federal Fluminense: uma questão de oportunidade... 1 INTRODUÇÃO Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas A Coordenação de Bibliotecas e a informatização do sistema: onde estamos e o que queremos 1988 - Sistema de Automação do NDC (SAND): Controle da Terminologia de Indexação e Sistema de Informações Legislativas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA Dr. PAULO FONTES

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA Dr. PAULO FONTES Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Curso de Biblioteconomia CIN5018 Informatização em Unidades de Informação Professora: Ursula Blattmann PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA

MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA MIGRAÇÃO DO MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP - DEDALUS, DO SOFTWARE ALEPH 300 PARA O ALEPH 500: RELATO DE EXPERIÊNCIA Adriana Domingos Santos 1, Ana Maria de Castro Badiali

Leia mais

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB Relatório Biblioteca Penha Shopping 2015 SUMÁRIO 1 SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS - SIBi... 02 2 NÚCLEO DE COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - NCB... 02 3 UNIDADE

Leia mais

Plano de Utilização do Acervo e Acessos

Plano de Utilização do Acervo e Acessos FACULDADE DE RONDÔNIA INSTITUTO JOÃO NEÓRICO Plano de Utilização do Acervo e Acessos SUMÁRIO 1 OBJETIVO GERAL...2 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS...2 3. ABRANGÊNCIA...2 4. BIBLIOTECA...2 4.1 Espaço Físico...4

Leia mais

BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014. São Paulo

BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014. São Paulo BIBLIOTECA PROF. JOSÉ ROBERTO SECURATO RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 São Paulo 2015 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZAÇÕES... 3 2.1 Acervo... 3 2.2 Plano de atualização e expansão do acervo... 3 2.3 Divulgação...

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DA COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - 2012

RELATÓRIO ANUAL DA COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - 2012 RELATÓRIO ANUAL DA - 2012 Informatização do Sistema Devido aos problemas apresentados pelo servidor de páginas da SDC, as interfaces do catálogo eletrônico e do serviço de empréstimo online ficaram inoperantes

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 Adriana Nascimento Flamino 1, Juliana de Souza Moraes 2 1 Mestre em Ciência

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: AUXILIAR DE BIBLIOTECA NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO: C DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES TÍPICAS DO CARGO: Organizar, manter e disponibilizar os acervos bibliográficos para docentes, técnicos e alunos;

Leia mais

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1. POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1.1. Objetivos Nas últimas décadas as bibliotecas passaram por mudanças

Leia mais

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO A Biblioteca da FAPPES é uma Biblioteca especializada, mantida pela Sociedade

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I DO OBJETO/ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 - Aquisição de Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas, destinado ao Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal Fluminense (UFF), que compreenda funções

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS PLANO DE METAS 2013/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 META 1: MELHORIA DOS SERVIÇOS E PRODUTOS... 4 META 2 : EDUCAÇÃO

Leia mais

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico Biblioteca UPIS 1 SUMÁRIO 1. Biblioteca... 3 2. Infra-Estrutura... 3 2.1 Espaço físico... 3 Campus I... 3 Instalações para estudos individuais... 3 Instalações para estudos em grupo... 3 3. Acervo Bibliográfico...

Leia mais

As etapas de automação

As etapas de automação As etapas de automação NEGREIROS, Leandro Ribeiro. Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação. Dissertação (mestrado em Ciência

Leia mais

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIT ITAPEVA, 2015 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

PDI 2014/2017. Sistema de Bibliotecas do IFRS - SiBIFRS

PDI 2014/2017. Sistema de Bibliotecas do IFRS - SiBIFRS PDI 2014/2017 Sistema de Bibliotecas do IFRS - SiBIFRS O Sistema de Bibliotecas do IFRS (SiBIFRS) está em fase de estruturação. Atualmente ele é composto Grupos de Trabalho (GTs) pelas doze Bibliotecas

Leia mais

Proposta de Implantação do Software MULTIACERVO no Arquivo do DEINFRA

Proposta de Implantação do Software MULTIACERVO no Arquivo do DEINFRA Proposta de Implantação do Software MULTIACERVO no Arquivo do DEINFRA Acadêmicos: CÁSSIA REGINA BATISTA - cassiareginabatista@grad.ufsc.br CLARISSA KELLERMANN clarissakel@gmail.com IVAN MÁRIO DA SILVEIRA

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 Breve histórico 1986 - Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias Programa de Aquisição Planificada de Periódicos 1990

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS 2009

AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS 2009 AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS 2009 Pontos fortes - Atendimento: 74% entre muito bom e ótimo - Lay-out: 80% entre muito bom e ótimo - Sinalização: 82 % entre muito boa e ótima - Número de funcionários: 84%

Leia mais

Gerenciador de Log. Documento Visão. Projeto Integrador 2015/2. Engenharia de Software. Versão 2.0. Engenharia de Software

Gerenciador de Log. Documento Visão. Projeto Integrador 2015/2. Engenharia de Software. Versão 2.0. Engenharia de Software Documento Visão e Documento Suplementar Gerenciador de Log Documento Visão Versão 2.0 1 Índice 1. Histórico de Revisões...3 2. Objetivo do Documento...4 3. Sobre o Problema...4 4. Sobre o produto...4 4.1.

Leia mais

Manual de Utilização do GLPI

Manual de Utilização do GLPI Manual de Utilização do GLPI Perfil Usuário Versão 1.0 NTI Campus Muzambinho 1 Introdução Prezado servidor, o GLPI é um sistema de Service Desk composto por um conjunto de serviços para a administração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA Cássia Regina Batista Clarissa Kellermann de Moraes Ivan Mário da Silveira Márcia Dietrich Santiago Proposta

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS - REGULAMENTO - FORMULÁRIO DE CADASTRO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS - REGULAMENTO - FORMULÁRIO DE CADASTRO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS - REGULAMENTO - FORMULÁRIO DE CADASTRO Belo Horizonte 2011 INSTITUTO MINEIRO DE EDUCAÇÃO E CULTURA (IMEC) Prof. Daniel Faccini Castanho

Leia mais

Gerenciador de Log Documento Visão. Versão 2.0

Gerenciador de Log Documento Visão. Versão 2.0 Gerenciador de Log Documento Visão Versão 2.0 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/05/2014 1.0 Objetivo, descrição, problema. Melina, Kárita, Rodrigo 29/05/2014 1.5 Produto. Melina 30/05/2014

Leia mais

Título I. Das Finalidades

Título I. Das Finalidades REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA VISCONDE DE SÃO LEOPOLDO Título I Das Finalidades Art. 1º - A biblioteca foi criada em 13 de maio de 1961. A missão é contribuir para a melhoria do ensino, da pesquisa e

Leia mais

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 22 a 24 de julho de 205 A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO INTRODUÇÃO Eva Dayane Jesus dos Santos Bibliotecária da Universidade do Estado da Bahia eva@uneb.br Marivaldina

Leia mais

BIBLIOTECA CENTRAL. Estrutura física

BIBLIOTECA CENTRAL. Estrutura física BIBLIOTECA CENTRAL A missão da Biblioteca Central Prof. Eurico Back - UNESC é promover com qualidade a recuperação de informações bibliográficas, com enfoque no desenvolvimento das atividades de ensino,

Leia mais

DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA

DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA FAHESA - Faculdades de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Ltda BIBLIOTECA DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA Araguaína Março / 2014 1.

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 4.1 Motivação Sistemas de Informação são usados em diversos níveis dentro de uma organização, apoiando a tomada de decisão; Precisam estar

Leia mais

gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da Qualidade A gestão eletrônica QUALIDADE QUALIDADE PROJETOS SAC

gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da Qualidade A gestão eletrônica QUALIDADE QUALIDADE PROJETOS SAC TECNOLOGIA WEB QUALIDADE SAC 1 QUALIDADE A gestão eletrônica gestão eletrônica do sistema da qualidade: uma ferramenta para o Coordenador da 2 1 Apresentação do Sistema O AUTODOC é um software para Web

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

Primeiro Encontro de Usuários do Pergamum na UFF: MóduloCirculação. 23 julho 2014

Primeiro Encontro de Usuários do Pergamum na UFF: MóduloCirculação. 23 julho 2014 Primeiro Encontro de Usuários do Pergamum na UFF: MóduloCirculação 23 julho 2014 AFASTAMENTOS: A inclusão e exclusão de afastamentos é restrita às chefias. A versão atual está permitindo ao auxiliar fazer

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU CAMPUS ITAPERUNA CURSO DE DIREITO LABORATÓRIOS

UNIVERSIDADE IGUAÇU CAMPUS ITAPERUNA CURSO DE DIREITO LABORATÓRIOS LABORATÓRIOS ITAPERUNA, Julho/2015 ESTRUTURA DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA ASSOCIADOS AO 1 INTRODUÇÃO Os laboratórios que servem ao curso de Direito têm como objetivo oferecer treinamento prático, auxílio

Leia mais

Informatização e software para bibliotecas comunitárias

Informatização e software para bibliotecas comunitárias Informatização e software para bibliotecas comunitárias Lorena Tavares de Paula Diante da configuração social, na qual o acesso ao computador tornou-se um elemento presente na vida cotidiana de um número

Leia mais

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 ORGANOGRAMA DA EDUCAÇÃO PROCESSOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA QUE AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO TENHAM SEUS CURSOS APROVADOS E REGULAMENTADOS, É NECESSÁRIO

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

i-educar Sistema de Gestão Escolar

i-educar Sistema de Gestão Escolar i-educar Sistema de Gestão Escolar Sistema de Gestão Escolar i-educar O i-educar é um sistema integrado de gestão escolar, desenvolvido com o objetivo principal de centralizar informações sobre o sistema

Leia mais

Tiago Rodrigo Marçal Murakami

Tiago Rodrigo Marçal Murakami Tiago Rodrigo Marçal Murakami Bacharel em Biblioteconomia pela USP Estudante de Administração Pública na UFOP Editor do Blog Bibliotecários sem Fronteiras - BSF Responsável pelo RABCI Estrutura e objetivo

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV VILA VELHA 2010 1. BIBLIOTECAS DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ ESPÍRITO SANTO As Bibliotecas da Faculdade Estácio de Sá Espírito Santo, seguem

Leia mais

CIRCULAÇÃO AUTOMATIZADA NO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFRGS: GERÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO

CIRCULAÇÃO AUTOMATIZADA NO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFRGS: GERÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO CIRCULAÇÃO AUTOMATIZADA NO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFRGS: GERÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO Janise Silva Borges da Costa 1 janise@cpd.ufrgs.br Carla Metzler Saatkamp 2 lala@cpd.ufrgs.br Caterina Groposo Pavão

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da

Leia mais

ATENDIMENTO AO USUÁRIO ATRAVÉS DE CHAT: a experiência da biblioteca da PUC-RIO

ATENDIMENTO AO USUÁRIO ATRAVÉS DE CHAT: a experiência da biblioteca da PUC-RIO TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca ATENDIMENTO AO USUÁRIO ATRAVÉS DE CHAT: a experiência

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações

Tecnologia e Sistemas de Informações Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 3 Componentes de SIs Pessoas SI Organiz. Unidades que exercem diferentes funções, tais

Leia mais

Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO

Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO Sumário Empresa... 3 Missão... 3 Visão... 3 Valores... 3 Solução... 4 Principais características... 4 Lista de funcionalidades...

Leia mais

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas

BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação e perspectivas 2da. Jornada sobre la Biblioteca Digital Universitaria JBD2004 Buenos Aires, 17-18 de junio de 2004 BIBLIOTECA DIGITAL DA UFRGS: implementação

Leia mais

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 Daniel de Faveri HONORATO 2, Renato Bobsin MACHADO 3, Huei Diana LEE 4, Feng Chung WU 5 Escrito para apresentação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UNILESTE SISTEMA DE BIBLIOTECAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UNILESTE SISTEMA DE BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UNILESTE SISTEMA DE BIBLIOTECAS APRESENTAÇÃO O Sistema de Bibliotecas do Unileste, em sua estrutura parcialmente centralizada aprovada pelo Conselho Interdepartamental,

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 Dispõe sobre a criação do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi e aprovação do seu regulamento. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, na conformidade do Processo nº PREX- 1785/2001,

Leia mais

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE INDAIATUBA - IESI INDAIATUBA/SP 2 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES...

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP Antonio Carlos da Cunha Migliano UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP RESUMO Este

Leia mais

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications)

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) ANTUNES, M. S.¹, SILVA, R. E. S. 2 (orientadora) ¹ Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas RS (FATEC-PEL) Rua

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REITORIA ASSESSORIA PARA DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO Biblioteca Universitária Regulamento de Empréstimo entre Bibliotecas Art. 1º O presente documento contém as disposições básicas que regulamentam o serviço de Empréstimo entre Bibliotecas na Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

XVIII SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS SNBU 2014

XVIII SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS SNBU 2014 1 XVIII SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS SNBU 2014 IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO DE DIGITALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS NO SISTEMA DE BIBLIOTECAS (SiBi) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) Fernando

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO SOFTWARE DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP DEDALUS *

ATUALIZAÇÃO DO SOFTWARE DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP DEDALUS * ATUALIZAÇÃO DO SOFTWARE DO BANCO DE DADOS BIBLIOGRÁFICOS DA USP DEDALUS * Adriana Domingos Santos, Adriana Hypólito Nogueira, Edna Knorich, Eliana de Azevedo Marques, Elisabete da Cruz Neves¹, Márcio Pinheiro

Leia mais

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA DE INVENTÁRIO CACIC GOVERNO FEDERAL SOFTWARE PÚBLICO

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA DE INVENTÁRIO CACIC GOVERNO FEDERAL SOFTWARE PÚBLICO MANUAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA DE INVENTÁRIO CACIC Configurador Automático e Coletor de Informações Computacionais GOVERNO FEDERAL SOFTWARE PÚBLICO software livre desenvolvido pela Dataprev Sistema de Administração

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula IV Requisitos Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução Etapa relacionada a descoberta e descrição das funcionalidades do sistema Parte significativa da fase

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA A Biblioteca da ESIC - Business & Marketing School tem por objetivo principal reunir informações necessárias ao aprimoramento profissional, educacional e pessoal, preparando-as

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Gláucio Alves Oliveira; Ildeberto de Genova Bugatti Resumo O trabalho utilizou técnicas de integração entre tecnologia de Realidade

Leia mais

BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE SÃO PAULO CLÉO LIMA

BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE SÃO PAULO CLÉO LIMA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS P MUNICIPAIS DA CIDADE DE SÃO PAULO CLÉO LIMA Contexto Teórico e Empírico AUTOMAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Breve Histórico rico; GRUPO DE TRABALHO

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

O SID e a Tecnologia

O SID e a Tecnologia O SID e a Tecnologia A evolução da automação na Biblioteca do INPE 1966-1969: o início 1966 : Criação da Biblioteca: modelo digital stricto sensu ( a dedo, ou seja, manual...) Modelo manual Cadastramento

Leia mais

Análise de Requisitos

Análise de Requisitos Faculdade de Ciências Sociais de Aplicadas de Petrolina FACAPE Disciplina: Projeto de Sistemas Análise de Requisitos Profª. Cynara Carvalho cynaracarvalho@yahoo.com.br Análise de Requisitos O tratamento

Leia mais

BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA EM REDE: A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAP NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA PERGAMUN RESUMO

BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA EM REDE: A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAP NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA PERGAMUN RESUMO BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA EM REDE: A EXPERIÊNCIA DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNICAP NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA PERGAMUN Simone Rosa Andréa Lins RESUMO Incorporar novas tecnologias em bibliotecas universitárias

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

Departamento de Bibliotecas Conheça sua biblioteca

Departamento de Bibliotecas Conheça sua biblioteca Departamento de Bibliotecas Conheça sua biblioteca Conheça sua biblioteca A Universidade Católica de Santos disponibiliza nas bibliotecas uma vasta coleção de livros, revistas e documentos. Para ter acesso

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais