Ano XII - Mar /Abr n 70. UNIDAS firma parceria para curso de especialização em Miami

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ano XII - Mar /Abr 2014 - n 70. UNIDAS firma parceria para curso de especialização em Miami"

Transcrição

1 Ano XII - Mar /Abr n 70 UNIDAS firma parceria para curso de especialização em Miami Obesidade infantil é tema do Prêmio Saúde UNIDAS 2013

2 EDITORIAL A serviço do trabalhador Foto: Heraldo Palmeira Fortalecer a autogestão, lutar por seus interesses e promover mudanças que favoreçam a sustentabilidade das nossas filiadas, independentemente do porte da operadora, formam o tripé que move a UNIDAS. No cenário atual, um dos grandes desafios do setor é o crescimento ascendente das despesas assistenciais. O seu enfrentamento passa por várias estratégias definidas no nosso plano de trabalho, dentre elas, propostas que inibam as graves distorções da cadeia produtiva de OPME. Esta publicação traz como matéria de capa uma oficina realizada pelo gerente de Tecnologia e Uso de Materiais da ANVISA, Leandro Rodrigues Pereira, além de uma entrevista com Bruno Côrtes, presidente da Sociedade Brasileira de Coluna - Regional RJ. Outra importante atuação da UNIDAS acontece no acompanhamento dos projetos de lei de interesse das autogestões que tramitam no Congresso Nacional, a exemplo do que trata da alteração do art. 34, da Lei 9.656/98, aprovado recentemente na plenária do Senado Federal e encaminhado para a Câmara dos Deputados, agora como Projeto de Lei nº 3.799/2000. A aprovação deste PL garantirá a continuidade da autorização de funcionamento de pelo menos 20 autogestões brasileiras. Veja nesta edição as ações mais recentes da diretoria com o propósito de atingir esta meta. Este jornal aborda ainda a nova parceria da UNIDAS, com a Universidade de Miami (EUA) e com a Câmara Interamericana de Transportes (CIT), que viabiliza condições especiais para a participação das autogestões no Curso de Especialização em Gestão Estratégica da Saúde, oferecido pela instituição americana. Neste ano, estamos promovendo também o lançamento do Prêmio Saúde UNIDAS 2014, com o tema As doenças cardiovasculares e seus danos à saúde do trabalhador brasileiro. Ainda nesta publicação divulgamos a filiação da Caixa de Assistência dos Servidores da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CAC), responsável pela assistência à saúde de 32,6 mil pessoas. Seguindo a diretriz de incentivar cada vez mais programas de promoção da saúde e prevenção de doenças, divulgamos a importante iniciativa da FUNDAFFEMG, que implantou o programa Consciência Postural e já atendeu mais de 345 beneficiários. Vamos, juntos, em frente! Denise Eloi, presidente da UNIDAS Calendário de cursos DATA TEMA PARTICIPANTE CARGA HORÁRIA VALOR FILIADA VALOR NÃO FILIADA 09 Sustentabilidade da Saúde Suplementar: o que estamos fazendo e o que devemos fazer Hênio Braga 8 horas (8h às 17h) até 25/04 - R$ 560,00 R$ 650,00 até 25/04 - R$ 830,00 R$ 940,00 MAIO 23 Utilização de indicadores na regulação Dra. Alba Fleury 8 horas (8h às 17h) até 09/05 - R$ 560,00 R$ 650,00 até 09/05 - R$ 830,00 R$ 940,00 JUNHO 10 Contratualização da rede de prestadores análise prática das normas da ANS Dr. José Luiz Toro da Silva 8 horas (8h às 17h) até 23/05 - R$ 560,00 R$ 650,00 até 23/05 - R$ 830,00 R$ 940,00 22 Jornal UNIDAS EXPEDIENTE JORNAL UNIDAS Publicação bimestral da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde. Alameda Santos, º andar Cerqueira César - SP - CEP: Tel.: (11) Fax: (11) DIRETORIA NACIONAL PRESIDENTE: Denise Rodrigues Eloi de Brito VICE-PRESIDENTE: Sérgio Francisco da Silva DIRETOR ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO: Cleudes Cerqueira de Freitas DIRETOR DE COMUNICAÇÃO: Marcos Neles Anacleto DIRETOR TÉCNICO: Luís Carlos Saraiva Neves DIRETOR DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO: Aníbal de Oliveira Valença DIRETOR DE INTEGRAÇÃO: Alexandre Pires Carvalho Melo Supervisão: Marcos Neles Anacleto Reportagem e edição: Michele Scarasati Diagramação: Leoart Design & Comunicação Tiragem: exemplares

3 FILIADA Programa de consciência postural é aposta da FUNDAFFEMG Foto: Arquivo FUNDAFFEMG Mais de 345 beneficiários já participaram do projeto Pesquisas recentes revelam que as dores lombares são a principal causa de incapacidade no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a lombalgia atinge 80% da população, sendo responsável por um terço dos casos de invalidez provocados pelo trabalho. No Brasil, cerca de 70% dos adultos entre 30 e 39 anos sofrem com a doença, de acordo com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores e ensiná-los a lidar com o próprio corpo, a Fundação AFFEMG de Assistência à Saúde (FUNDAFFEMG) criou, em março de 2011, o projeto Consciência Postural. Nele, um especialista orienta o grupo a realizar exercícios específicos regulares para melhorar a postura, não só no trabalho, mas também em casa, e a prevenir problemas no futuro. Até o fim de 2013, 345 beneficiários de Belo Horizonte e cidades-polo do interior de Minas Gerais haviam participado do programa. A região lombar é a parte da coluna que sofre a maior carga quando a pessoa está sentada de forma incorreta. Quase todas as dores que sentimos nas costas são respostas aos anos de má postura ou sedentarismo. Estes fatores causam problemas musculares. Os mais comuns são hérnia de disco, lombalgia, escoliose, cervicalgia e dorsalgias, explicou Shirlem Faria, gerente de saúde da FUNDAFFEMG. Saiba mais As atividades são realizadas duas vezes por semana, com a duração de uma hora, durante quatro meses. O grupo é composto por, no máximo, 20 participantes e é destinado à pessoas com mais de 35 anos. As ações são realizadas de forma criteriosa, com acompanhamento de um fisioterapeuta. A gerente de saúde contou que é feita uma avaliação no início e final do período de atividade. Nas aulas, são realizados exercícios de alongamentos globais, exercícios de fortalecimentos globais, exercícios posturais, relaxamento e orientações posturais. Nas atividades, são utilizados colchonetes, pesos de pernas e halteres para os braços, de 0,5 kg a 1,0 kg, bolas de tênis, bastão, bolas de borracha (over ball), steep, thera band, anel de pilates e bolas suíças. Os objetivos do projeto são melhorar a flexibilidade e a força muscular do paciente, principalmente tronco e abdômen, para prevenir enfermidades relacionadas à postura incorreta, melhorar a consciência corporal e diminuir tensões musculares, completou Shirlem. Jornal UNIDAS 3

4 GOVERNO UNIDAS se reúne com deputado Amauri Teixeira para pedir apoio na aprovação do PL 3.799/2000 A presidente da UNIDAS, Denise Eloi, e o presidente do Conselho Deliberativo da entidade, Roberto Kupski, reuniram-se com o deputado federal Amauri Teixeira (PT-BA), presidente da Comissão de Seguridade Social e Família, para tratar assuntos de interesse das autogestões. O encontro aconteceu no dia 10 de abril. Além de apresentar a UNIDAS ao parlamentar, Denise e Kupski reforçaram a necessidade imediata de incluir o PL 3.799/2000 na pauta da Comissão. O projeto, de autoria do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), insere parágrafo único ao Art. 34 da Lei 9.656/98 e desobriga as entidades filantrópicas e autogestões, criadas sobre a forma de associações ou fundações até a publicação da referida Lei, de constituir pessoa jurídica independente especificamente para operar plano privado de assistência à saúde, podendo criar departamento ou filial com sequencial ao da mantenedora. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) já se manifestou favorável ao projeto. A medida garantirá a continuidade de mais de 20 operadoras de autogestão, que somadas assistem a mais de 400 mil beneficiários, explicou a presidente da UNIDAS ao parlamentar. Para Kupski, que também é presidente da Febrafite, a aprovação do PL trará justiça e segurança jurídica às autogestões que desenvolvem há décadas trabalho social de qualidade aos associados e familiares. O deputado Amauri Teixeira encaminhou a solicitação à Secretaria Geral da Mesa da Câmara para incluir o PL em votação no Plenário. Votação O PL 3.799/2000 encontra-se na pauta de votação do Plenário da Câmara e na Comissão de Seguridade Social e Família. O projeto de lei foi aprovado no dia 30 de novembro de 2013, no Senado Federal, como Projeto de Lei da Câmara (PLC) 030/2009. Foto: Arquivo Febrafite Deputado Teixeira afirma que aprovação do PL 3799/2000 é prioridade para Câmara 4 Jornal UNIDAS

5 OPME ANVISA realiza oficina sobre OPME na UNIDAS Foto: Arquivo UNIDAS UNIDAS enviará 60 itens para que a ANVISA inclua na consulta de produtos regularizados No dia 31 de março, a sede da UNIDAS recebeu Leandro Rodrigues Pereira, gerente de Tecnologia e Uso de Materiais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (GEMAT/ANVISA), que coordenou uma oficina sobre Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME) e descartáveis, considerados uns dos principais problemas enfrentados pelo setor de saúde suplementar no Brasil, devido ao alto custo destes tipos de materiais. Cerca de 40 pessoas de instituições filiadas à entidade participam do encontro. O objetivo da oficina, destinada a profissionais auditores e reguladores de saúde, foi aprofundar conhecimento sobre o processo de registro de OPME e descartáveis. A ANVISA trabalha diariamente para ampliar a quantidade de produtos para a saúde disponíveis no país, disse Pereira. Ao término do encontro, os participantes sugeriram que alguns itens essenciais para as autogestões fossem incluídos no portal da Agência, no ícone de consulta virtual de produtos regularizados. A presidente Denise Eloi agradeceu a parceria da ANVISA com a entidade e informou que a diretoria da UNIDAS enviará 60 itens considerados mais importantes, na avaliação de suas filiadas, para a inclusão no site. GEMAT No início de sua apresentação, Pereira explicou que a GEMAT coordena o processo de formulação e implementação das diretrizes e normas técnicas sobre materiais de uso em saúde em estabelecimentos sujeitos à vigilância sanitária. Ele acrescentou ainda que a gerência também é responsável por definir e implantar a sistemática operacional de controle de riscos, além de verificar a qualidade do produto e orientar sua regulamentação e certificação. De acordo com Pereira, para que um material seja considerado de uso em saúde, é necessário que preencha algumas regras de classificação estabelecidas, como, por exemplo, indicação de uso, grau de invasividade, entre outros critérios. Após serem classificados como novos medicamentos, alguns itens são incluídos no banco de dados da ANVISA e ficam disponíveis para consulta em seu portal. Outro assunto importante debatido na oficina foi o rastreamento de medicamentos. Além de ser uma questão de segurança, rastrear os remédios e materiais é um estímulo ao progresso tecnológico e uma proteção ao cliente, acrescentou o gerente da GEMAT. Por fim, Pereira afirmou que a ANVISA tem priorizado sistematizar a avaliação e o monitoramento de dispositivos médicos e que todas as sugestões das operadoras são recebidas e criteriosamente avaliadas, visando sempre aprimorar os processos no controle sanitário. Jornal UNIDAS 5

6 5º SEMINÁRIO 28 e 29 de abril de 2014 Naoum Plaza Hotel - Brasília - DF CONSTRUINDO CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS AUTOGESTÕES PATROCínio Manutenção de Marca, GST - Gesto Saúde e Tecnologia, agosto 2013 Apoio Hospital Prof. Dr. João Sampaio Góes Jr. GRUPO GERIATRICS 6 Jornal UNIDAS

7 VEM aí NOVIDADE CAC é nova filiada da UNIDAS A Caixa de Assistência dos Servidores da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CAC), responsável pela assistência de 32,6 mil pessoas, juntou-se às filiadas da UNIDAS e recebeu as boas-vindas da diretoria da entidade. A CAC tem muita satisfação em retornar à UNIDAS, para que juntas as operadoras de autogestão possam buscar soluções para prestar o melhor atendimento a seus associados, ao menor custo possível, disse Clóvis Nascimento, diretor-presidente da CAC. Agora, a nova filiada conta com todos os benefícios oferecidos pela UNIDAS. Jornal UNIDAS 7

8 ENTREVISTA Presidente da Sociedade Brasileira de Coluna do RJ fala sobre avanços na saúde Com duas décadas de atuação na área de medicina, o neurocirurgião Bruno Côrtes, presidente da Sociedade Brasileira de Coluna do Rio de Janeiro, traçou um panorama da evolução da saúde no Brasil e revelou os principais desafios do modelo assistencial para o futuro. Na minha visão como médico, nos últimos 25 anos, foram muitas as mudanças em nível de gerência. Contudo, ainda é preciso melhorar o acesso ao sistema de saúde, além de investir em reformas e construção de novos hospitais, para que a qualidade da assistência prestada à população brasileira melhore a cada dia, afirmou Côrtes. Foto: Arquivo pessoal Segundo ele, mesmo com os esforços dos governos federal, estaduais e municipais para contratar profissionais de saúde, o principal problema no setor público, certamente, ainda é a falta de médicos nas unidades de saúde. No setor privado, os grandes vilões são o alto custo e o aumento dos pedidos de liminares judiciais. Para Côrtes, os desafios para o sistema de saúde como um todo são enormes, mas o primeiro passo, no entendimento dele, é fortalecer a atenção primária, não só para prevenir doenças, mas também para acompanhar de perto pacientes com enfermidades crônicas. Internacional UNIDAS leva filiadas para curso de especialização em Miami G raças a um acordo de mútua cooperação com a Universidade de Miami e com a Câmara Interamericana de Transportes (CIT), membros das filiadas da UNIDAS já podem se inscrever para o curso de Especialização em Gestão Estratégica da Saúde (Health Strategic Management HESTRAM), que será realizado entre os dias 1º e 6 de junho, na Universidade de Miami, nos Estados Unidos. A UNIDAS firmou a parceria para estimular o aprimoramento profissional dos colaboradores das autogestões, com ofertas de vagas exclusivas para a entidade. A duração total da especialização é de 365 horas, sendo 330 por Ensino a Distância (EAD) e 35 horas presenciais na Universidade de Miami, com aulas em espanhol e português. Mais informações A taxa de inscrição, paga diretamente à CIT, é de R$ 400,00. O valor total do programa é de US$ 2.800, pago à Universidade de Miami. O investimento abrange também café da manhã, coffee breaks e almoços; visita a empresas; recepções e conferências; certificação conferida pela Universidade de Miami e Carta de Certificação de Post-baccalaureate in Health Strategic Management. Passagens e hospedagens não estão incluídas. Para mais informações, ligue para a CIT (61) ou fale com a UNIDAS (11) Jornal UNIDAS

Operadoras acolhem 22,3% de idosos, revela Pesquisa UNIDAS

Operadoras acolhem 22,3% de idosos, revela Pesquisa UNIDAS EDITORIAL Viveremos muito e com qualidade Qualificação dos atendimentos e dos serviços assim como a melhor gestão dos custos com assistência médica foram os desafios impostos por grandes empresas que,

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR A ANS, AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR, está estabelecendo novos parâmetros

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas

Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Programa Nacional de Segurança do Paciente: estado da arte e perspectivas Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar

Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Panorama das ações do Ministério da Saúde no âmbito da Farmácia Hospitalar Portaria N 4.283 de 30 de dezembro de 2010 - Diretrizes para ações

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde Experiência Bradesco Saúde Pontos O Mercado de Saúde Suplementar O Contexto da Bradesco Saúde A Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde 2 Despesas Totais

Leia mais

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira A Transição O Cenário Atual O Futuro Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Criação da Primeira Santa Casa de Misericórdia no

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Mercado de Saúde Suplementar Tabela 13 - Operadoras em atividade por porte, segundo modalidade (Brasil março/2012) Modalidade da operadora Total Sem beneficiários

Leia mais

5º Congresso Nacional Unimed de Auditoria em Saúde. O Papel do Prestador. Leonisa Scholz Obrusnik

5º Congresso Nacional Unimed de Auditoria em Saúde. O Papel do Prestador. Leonisa Scholz Obrusnik 5º Congresso Nacional Unimed de Auditoria em Saúde O Papel do Prestador Leonisa Scholz Obrusnik ANAHP ANAHP NO BRASIL ANAHP em números Congrega atualmente 40 Hospitais, em 10 Estados e no Distrito Federal

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 529, DE 1º DE ABRIL DE 2013 Institui o Programa Nacional de Segurança do

Leia mais

ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III

ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III PESQUISA SOBRE SAÚDE CORPORATIVA EFETUADA POR UM CONSORCIO DE EMPRESAS DA ÁREA DE SAUDE CONSTATAÇÕES E IMPLICAÇÕES Duração: 4 semanas 44 respondentes Respondentes

Leia mais

w w w. h t a i 2 0 1 1. o r g

w w w. h t a i 2 0 1 1. o r g w w w. h t a i 2 0 1 1. o r g Plano Promocional Exposição e Patrocínio Pre- M e n s a g e m Prezados Senhores, Temos o prazer de informar que, pela primeira vez, a sociedade internacional Health Technology

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO APRESENTAÇÃO A Casa de Saúde São José foi fundada em 1923 e tem como missão Servir à Vida, promovendo Saúde. É uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, católica,

Leia mais

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos Assistência Farmacêutica, Qualificação de Prestadores, Ouvidoria, CNS e Pagamento por Pacotes Erimar Carlos Brehme de Abreu Águas de Lindóia 13/09/2012

Leia mais

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS Brasília, 08 de junho de 2010. Cumprimento de Contratos das Operadoras com os Laboratórios Clínicos. DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL - DIDES Gerência de

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 259, de 2010 Complementar, que altera a Lei Complementar nº 126, de 15 de janeiro de 2007, que dispõe sobre a

Leia mais

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS N o 152 Abril/2015 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para

Leia mais

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL

ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL ESCLARECIMENTO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA JORNADA DE 30 HORAS PARA ASSISTENTES SOCIAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL Desde a publicação da lei nº 12.317, de 27 de agosto de 2010, que estabeleceu a jornada de trabalho

Leia mais

2.2 ATIVIDADES Atividade 4.2.3 - Formular as sistemáticas de planejamento e avaliação das escolas para uso na implantação do PDE.

2.2 ATIVIDADES Atividade 4.2.3 - Formular as sistemáticas de planejamento e avaliação das escolas para uso na implantação do PDE. Impresso por: ANGELO LUIS MEDEIROS MORAIS Data da impressão: 07/10/2013-10:07:01 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2703 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Histórico 2006/ 2010

Histórico 2006/ 2010 Histórico 2006/ 2010 Programa Na Mão Certa O Programa Na Mão Certa, uma iniciativa da Childhood Brasil, que tem como objetivo reunir esforços para mobilizar governos, empresas e organizações da sociedade

Leia mais

portais corporativos

portais corporativos agenda portais corporativos O portal como ferramenta de engajamento e interatividade D 11 de Dezembro? Hotel Staybridge São Paulo W Mantenha os seus pertences à vista. A Corpbusiness não se responsabiliza

Leia mais

Diretrizes Nacionais em Ligas

Diretrizes Nacionais em Ligas Diretrizes Nacionais em Ligas Acadêmicas de Medicina Introdução As Ligas Acadêmicas são entidades constituídas fundamentalmente por estudantes, em que se busca aprofundar temas em uma determinada área

Leia mais

FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO

FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO A- Membros da Coordenação Geral da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento

Leia mais

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM Fevereiro DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM 2 ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO... 3 Apresentação... 3 Missão... 4 Visão de Futuro... 4 Valores... 4 PERSPECTIVAS...

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

Capacitação dos gestores do serviço público em qualidade e segurança do paciente (com o uso da simulação realística)

Capacitação dos gestores do serviço público em qualidade e segurança do paciente (com o uso da simulação realística) Capacitação dos gestores do serviço público em qualidade e segurança do paciente (com o uso da simulação realística) Parceria da ANVISA com o Centro de Simulação Realística do Hospital Israelita Albert

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE História Recente na Saúde Suplementar Planos de Saúde Contratos Código do Consumidor Planos de Saúde = relação de consumo Lei dos Planos Obrigação de Coberturas

Leia mais

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP

Antonio Bulhões Deputado Federal - PRB/SP Caros amigos e amigas, Comemoramos, no último dia 1º de Outubro, o Dia Internacional da Terceira Idade. Por essa razão, estamos trazendo uma matéria referente ao Estatuto do Idoso, que contém informações

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão. de OPME

Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão. de OPME 1 Comitê Técnico Nacional de Produtos Médicos como ferramenta de Gestão de OPME Palestrante: Diana Indiara Ferreira Jardim diana.jardim@unimedpoa.com.br 2 Sobre as OPME, no site da ANS circula no mercado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para aprimoramento das estratégias e metodologias

Leia mais

com parceiros na produção de informações e conhecimento, compartilhamento de trabalhos com vistas a alavancar os resultados e abolir duplicidades.

com parceiros na produção de informações e conhecimento, compartilhamento de trabalhos com vistas a alavancar os resultados e abolir duplicidades. TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Contratação de consultoria especializada para desenvolvimento dos serviços técnicos necessários à elaboração da metodologia para a estruturação da Rede de Parceiros para o

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2517 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO DATA DE CRIAÇÃO: 29/07/2013

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2517 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO DATA DE CRIAÇÃO: 29/07/2013 Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 07/08/2013-18:06:16 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2517 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO DATA

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO - EAESP FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1- O QUE É UMA LIGA ACADÊMICA? As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos. As Ligas Acadêmicas

Leia mais

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br Psicologia Intensiva uma especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br PSICOLOGIA INTENSIVA O intensivismo é uma especialidade que apresenta um caráter interdisciplinar voltado

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE A realização do I Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

Leia mais

CME BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA PREFEITURA MUNIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

CME BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA PREFEITURA MUNIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CME BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA PREFEITURA MUNIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIAS ENCONTRO DE CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP 1 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP 2 APRESENTAÇÃO O Sindicato da Indústria de Instalação -, identificou

Leia mais

Politica Nacional de Humanizacao , ~ PNH. 1ª edição 1ª reimpressão. Brasília DF 2013

Politica Nacional de Humanizacao , ~ PNH. 1ª edição 1ª reimpressão. Brasília DF 2013 ,, ~ Politica Nacional de Humanizacao PNH 1ª edição 1ª reimpressão Brasília DF 2013 ,, O que e a Politica Nacional de ~ Humanizacao?, Lançada em 2003, a Política Nacional de Humanização (PNH) busca pôr

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 Art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário

Leia mais

PADRÃO TISS COMPONENTE DE CONTEÚDO E ESTRUTURA. Parte V - Formulários do Plano de Contingência

PADRÃO TISS COMPONENTE DE CONTEÚDO E ESTRUTURA. Parte V - Formulários do Plano de Contingência PADRÃO TISS COMPONENTE DE CONTEÚDO E ESTRUTURA Parte V - Formulários do Plano de Contingência Padrão TISS - Componente de Conteúdo e Estrutura - Maio 2014 323 Registro ANS Número da referenciada 2 1 Registro

Leia mais

EDITAL Nº 22/2012 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EAD GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PLANEJAMENTO E GESTÃO

EDITAL Nº 22/2012 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EAD GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PLANEJAMENTO E GESTÃO EDITAL Nº 22/2012 CHAMAMENTO PARA INSCRIÇÃO CURSO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EAD GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PLANEJAMENTO E GESTÃO 1. APRESENTAÇÃO DO CURSO Com a possibilidade de atualização constante

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005 Institui orientação para regulamentação do art. 3º

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Estratégia Saúde Integrada

Estratégia Saúde Integrada Departamento de Saúde e Segurança Por trás de uma vida existem muitas outras. Estratégia Saúde Integrada Fernando Coelho Neto Gerente de Saúde Corporativa Evolução da estratégia em Saúde Corporativa Cultura

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

PORTARIA SMS Nº 001/2013. A Secretária de Saúde do município de Salgueiro, no uso de suas atribuições legais:

PORTARIA SMS Nº 001/2013. A Secretária de Saúde do município de Salgueiro, no uso de suas atribuições legais: PORTARIA SMS Nº 001/2013 EMENTA: Dispõe sobre o Programa de Qualificação Profissional, no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde de Salgueiro, para todos os cargos previstos no ANEXO II da Lei Municipal

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Coordenação Regional de santa Catarina ATENÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Coordenação Regional de santa Catarina ATENÇÃO ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

Manual de Orientação ao Prestador

Manual de Orientação ao Prestador Manual de Orientação ao Prestador ORIENTAÇÕES IMPORTANTES QUANTO AO PREENCHIMENTO DE GUIAS E AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS Com a intenção de melhorar a parceria entre o Plano Santa Casa Saúde, médicos,

Leia mais

Ano XII - Jan / Fev 2014 - n 69

Ano XII - Jan / Fev 2014 - n 69 Ano XII - Jan / Fev 2014 - n 69 UNIDAS participa de curso em Portugal Obesidade infantil é tema do Prêmio Saúde UNIDAS 2013 Foto: Heraldo Palmeira EDITORIAL Navegando em direção ao futuro O ano de 2013

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são:

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são: 24/2010 1. Identificação do Contratante Nº termo de referência: TdR nº 24/2010 Plano de aquisições: Linha 173 Título: consultor para desenvolvimento e venda de produtos e serviços Convênio: ATN/ME-10541-BR

Leia mais

Ref.: PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DO TRANSPORTE ITL CNT

Ref.: PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DO TRANSPORTE ITL CNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE TERRESTRE DE PASSAGEIROS SAUS Quadra 1 Bloco J Edifício CNT 8º andar Entrada 10/20 Torre A / CEP 70070-944 Brasília DF T.: + 55 (61) 3322-2004 F.: + 55

Leia mais

Estratégia Saúde Integrada

Estratégia Saúde Integrada Departamento de Saúde e Segurança Por trás de uma vida existem muitas outras. Estratégia Saúde Integrada Fernando Coelho Neto Gerente de Saúde Corporativa Evolução da estratégia em Saúde Corporativa Cumprimento

Leia mais

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER 1.1-Reunião com a diretoria 1.1.1 03/02 ( sexta feira ) 17h 1.1.1.1 Convocar membros da diretoria

Leia mais

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010 Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde Atibaia, 21 de abril de 2010 Cenário atual DESAFIOS Desafios da Sustentabilidade Pressão constante sobre os custos Incorporação de novas tecnologias

Leia mais

Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora

Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora Abril de 2015 Brasília, DF CENÁRIO DA COMERCIALIZAÇÃO DE

Leia mais

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli O DIREITO À SAÚDE Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli Previsão : Arts. 196 à 200 da CF. Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que

Leia mais

CONTAS CONTROLADAS. Sede do TCU em Brasília R I S K M A N A G E M E N T R E V I E W 1 9 DIVULGAÇÃO

CONTAS CONTROLADAS. Sede do TCU em Brasília R I S K M A N A G E M E N T R E V I E W 1 9 DIVULGAÇÃO CONTAS CONTROLADAS TCU adota modelo de governança de TI no ambiente interno alinhando com seu plano estratégico para realizar o controle externo das contas da União com maior eficiência COMO ÓRGÃO RESPONsável

Leia mais

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Objetivos da 15ª. Reafirmar, impulsionar e efetivar os princípios e diretrizes do SUS- saúde como DH Mobilizar e estabelecer

Leia mais

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Nossa equipe atende empresas que investem em responsabilidade

Leia mais

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS ESTADO DE MINAS 1 2 ESTADO DE MINAS 3 ESTADO DE MINAS http://www.em.com.br PSD de Kassab mira 'órfãos' do PMDB quercista O PSD obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira e corre

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

RELATÓRIO 203 ASSUNTO: 79ª REUNIÃO DO COPISS COORDENADOR. 1. Participantes da 79ª reunião do COPISS; 2. Leitura e aprovação da ata 78ª reunião;

RELATÓRIO 203 ASSUNTO: 79ª REUNIÃO DO COPISS COORDENADOR. 1. Participantes da 79ª reunião do COPISS; 2. Leitura e aprovação da ata 78ª reunião; RELATÓRIO 203 ASSUNTO: 79ª REUNIÃO DO COPISS COORDENADOR DATA: 28/05/2015 LOCAL: ANS HORÁRIO: 09h às 12h30min Pauta: 1. Participantes da 79ª reunião do COPISS; 2. Leitura e aprovação da ata 78ª reunião;

Leia mais

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS)

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Debates GVSaúde Acreditação Operadoras de Planos de Saúde Helton Marcondes Coordenação de Processos e Qualidade - GEPP Roteiro Unimed-BH em Números;

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

Central Cliente Questor (CCQ) UTILIZANDO A CCQ - CENTRAL CLIENTE QUESTOR

Central Cliente Questor (CCQ) UTILIZANDO A CCQ - CENTRAL CLIENTE QUESTOR Central Cliente Questor (CCQ) O que é a Central Cliente Questor? Já é de seu conhecimento que os Usuários do sistema Questor contam com uma grande ferramenta de capacitação e treinamento no pós-venda.

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não!

Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não! Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não! Um dos maiores problemas enfrentados pelos pais na educação alimentar dos filhos é conseguir entender a linha tênue entre

Leia mais

CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Em 08 e 09 de julho de 2015, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realizouse o II Fórum de Ouvidorias Públicas do Estado do Rio de Janeiro. Participaram

Leia mais

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Texto construído com base em diversos trabalhos acadêmicos, dados do Cofen, dados do Coren, Fórum Nacional das 30 horas, Aben e do artigo Jornada

Leia mais

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Cobertura assistencial Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Agência Nacional de Saúde Suplementar Marcos Regulatórios Lei 9656, de 03/06/1998 Dispõe sobre a regulamentação dos planos e seguros

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

O PROCESSO REGULATÓRIO DO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE NO PERÍODO PÓS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

O PROCESSO REGULATÓRIO DO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE NO PERÍODO PÓS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR O PROCESSO REGULATÓRIO DO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE NO PERÍODO PÓS AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Debora Maltez Farias Costa - ANS Garibaldi Dantas Gurgel Júnior - FIOCRUZ Idê Gomes Dantas Gurgel

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor Missão Promover e realizar ações que contribuam para a melhoria da qualidade da educação pública e que fomentem o desenvolvimento social de comunidades de baixa renda. Visão Ser referência como fundação

Leia mais

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014 Debates GVsaúde Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões Denise Eloi Maio/2014 Sistema de Saúde Suplementar 1.274 operadoras de planos de saúde com beneficiários Mais

Leia mais

InfoReggae - Edição 33 Panorama das ONGs no Brasil 25 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior. Coordenador Editorial Marcelo Reis Garcia

InfoReggae - Edição 33 Panorama das ONGs no Brasil 25 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior. Coordenador Editorial Marcelo Reis Garcia O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

Manual Básico do Usuário. Monitoramento de Iniciativas Estratégicas. Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020

Manual Básico do Usuário. Monitoramento de Iniciativas Estratégicas. Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020 Manual Básico do Usuário Monitoramento de Iniciativas Estratégicas Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020 Brasília DF, Maio de 2015 1 Sumário Planejamento Estratégico Anvisa 2010 a 2020:... 4 Supervisão

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

COM. 02 - PUBLICAÇÕES

COM. 02 - PUBLICAÇÕES 1 de 9 PUBLICAÇÕES MACROPROCESSO MARKETING E PROCESSO PUBLICAÇÕES - PUBLICAÇÕES 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde Os custos da saúde sobem mais que a inflação em todo o mundo: EUA Inflação geral de 27% em dez anos, a inflação médica superou 100%; Brasil Inflação geral 150%

Leia mais