Módulo 4 O regime de previdência complementar do servidor público federal e a Funpresp-Exe

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Módulo 4 O regime de previdência complementar do servidor público federal e a Funpresp-Exe"

Transcrição

1 A Previdência Social dos Servidores Públicos Regime A Próprio Previdência e Regime Social dos Previdência Servidores Públicos Complementar Regime Próprio e Regime Previdência Complementar Módulo 4 O regime previdência complementar do servidor público feral e a Funpresp-Exe Brasília 2014 Atualizado em zembro 2013 Brasília

2 Fundação Escola Nacional Administração Pública Presinte Gleisson Rubin Diretor Desenvolvimento Gerencial Paulo Marques Coornadora-Geral Educação a Distância Natália Teles da Mota Teixeira Autor do Conteúdo Valéria Porto (2013) Revisão textual e diagramação 2015 realizada no âmbito do acordo Cooperação TécnicaFUB/CDT/ Laboratório Latitu e ENAP.

3 SUMÁRIO Unida 4 - A previdência complementar do servidor público feral Introdução Principais características do regime previdência complementar Diferenças entre entidas abertas e entidas fechadas previdência complementar As entidas fechadas previdência complementar O regime previdência complementar do servidor público feral e a Funpresp-Exe... 10

4

5 5 Módulo 4 O regime previdência complementar do servidor público feral e a Funpresp-Exe complementar do servidor público: público feral complementar - O regime previdência complementar do servidor público feral e a Funpresp-Exe. 4.1 Introdução A instituição do regime previdência complementar (RPC) para o servidor público feral tornou-se possível pois da publicação da EC 20/1998 e da EC 41/2003, que autorizou à União, aos Estados, ao Distrito Feral e aos Municípios, a possibilida fixar como limite dos benefícios a serem pagos por seus regimes próprios previdência social (RPPS) o limite máximo estabelecido para o pagamento benefícios do regime geral previdência social (RGPS), s que instituíssem regime previdência complementar para seus servidores. Como já ressaltado, há três regimes previdência social previstos na CF/1988: a. o regime geral previdência social, tratado no art. 201, filiação obrigatória para os trabalhadores da iniciativa privada e administrado pelo Estado; b. os regimes próprios previdência Social, tratados no art. 40 da CF/1988, também administrados pelo Estado; e c. o regime previdência complementar, facultativo, contratual e administrado por entidas privadas e, no caso das entidas fechadas previdência complementar para o servidor público feral, natureza pública (art. 202 e 14, 15 e 16 do art. 40 da CF/1988). Portanto, o objetivo principal da previdência privada complementar (art. 202 e art.40, 14, 15 e 16 da CF/1988) é oferecer níveis proteção que possam complementar a previdência pública. 5

6 4.2 Principais características do regime previdência complementar Baseada na constituição reservas, que são contribuições feitas mensalmente por servidores ou empregados e, no caso entidas fechadas, por empregadores e pelo Estado, essa reservas formarão um fundo que, mediante contrato, será gerido por entida previdência complementar por anos, forma a capitalizar esses recursos para garantir o futuro seus beneficiários, a quem serão oferecidos benefícios prestação continuada. Assim, o regime previdência complementar é operado por entidas previdência complementar que têm por objetivo principal a instituição e a execução planos benefícios caráter previnciário. No Brasil, regidas pelas Leis Complementares nº 108 e 109, 29 maio 2001, as entidas previdência complementar divim-se em abertas e fechadas. A previdência complementar é um benefício opcional e autônomo, que proporciona ao servidor um seguro previnciário adicional, conforme sua necessida e vonta. No caso dos servidores públicos ferais cargo efetivo, os benefícios a serem concedidos pelo regime próprio estão, a partir 4 fevereiro 2013, limitados ao valor do teto do benefício do regime geral. E caso o servidor seje proteção superior a esse teto, verá contratar um plano benefícios administrado por Entida Fechada Previdência Complementar (EFPC). E a EFPC criada para administrar e executar planos benefícios caráter previnciário para os servidores públicos cargo efetivo, por meio do Decreto n 7.808, 20 setembro 2012, é a Fundação Previdência Complementar do Servidor Público Feral do Por Executivo Funpresp-Exe. previdência complementar: Complementar Contratual Autônomo 4.3 Diferenças entre entidas abertas e entidas fechadas previdência complementar As entidas previdência complementar são classificadas em fechadas e abertas. As Entidas Abertas Previdência Complementar (EAPC) são constituídas na forma sociedas anônimas (a partir da Lei Complementar nº 109, 2001), com fins lucrativos e operam planos individuais ou coletivos, disponíveis para qualquer pessoa física. São autorizadas a funcionar e fiscalizadas pela 6 Superintendência Seguros Privados (SUSEP), cujas normas são competência do Conselho Nacional Seguros Privados (CNSP).

7 pessoa física. São autorizadas a funcionar e fiscalizadas pela Superintendência Seguros Privados (SUSEP), cujas normas são competência do Conselho Nacional Seguros Privados (CNSP). As Entidas Fechadas Previdência Complementar (EFPC) são formadas por fundações ou sociedas civis, mais conhecidos como fundos pensão, entidas sem fins lucrativos que operam planos coletivos para grupos específicos pessoas, por meio seus empregadores. A autorização funcionamento e a fiscalização das EFPC é feita pela Superintendência Nacional Previdência Complementar (PREVIC) e regulada pela Secretaria Políticas Previdência Complementar (SPPC), do Ministério da Previdência Social. As entidas abertas e fechadas funcionam maneira simples: durante o período em que o servidor (a) estiver no exercício seu cargo, ele (a) contribuirá todo mês com terminada quantia, acordo com a sua disponibilida, e, quando estiver em condições se aposentar, o saldo acumulado porá ser recebido mensalmente, na forma aposentadoria ou pensão. 4.4 As entidas fechadas previdência complementar As entidas fechadas previdência complementar (EFPC) atuam sob a forma fundações direito privado ou socieda civil, mas sem fins lucrativos. Autuação da fiscalização No caso da fundação criada com a finalida administrar e executar planos benefícios Os caráter Ministros previnciário do Tribunal para Contas os servidores da União, públicos por meio cargo do ACÓRDÃO efetivo do Nº Por 3133/2012, Executivo esclareceram a Funpresp-Exe, que os esta recursos foi estruturada que integram na as forma contas individuais fundação, dos participantes natureza pública, das EFPC, com personalida quer oriundos do jurídica patrocínio direito órgãos privado públicos e autonomia ou entida administrativa, natureza financeira jurídica e gerencial direito 1. privado, quer das contribuições individuais dos participantes, enquanto administrados pelas Entidas Fechadas Previdência Complementar (EFPC), são consirados caráter público. Nesse sentido, o Tribunal, empresa, sua os atuação servidores da fiscalizatória União, dos Estados, primeira do Distrito Feral ou segunda e dos Municípios, orm, sobretudo nas hipóteses entes operações nominados que patrocinadores, gerem ou e possam associados gerar ou membros prejuízos pessoas ao erário, verificará o cumprimento dos dispositivos da Constituição Feral, das Leis Complementares nº 108/2001 e nº 109/2001, bem como as regulações expedidas pelo Conselho Nacional Previdência Complementar, pelo Conselho Monetário Nacional, entre outras leis e normas infralegais, mediante a utilização dos procedimentos previstos em seu regimento interno, em A suas estrutura resoluções mínima administrativa, uma EFPC instruções verá contemplar e cisões normativas, um conselho a liberativo, exemplo tomadas um conselho fiscal contas e especiais, uma diretoria-executiva, inspeções, auditorias, e o estatuto acompanhamentos, da entida verá monitoramentos, prever a representação relatórios dos participantes gestão, etc. e assistidos nos conselhos liberativo e fiscal. Todos Assim os sendo, recursos a competência aplicados, e constitucional sua respectiva do rentabilida, TCU para fiscalizar verão a aplicação ser revertidos recursos para o próprio pelas fundo. EFPC, direta Assim, ou os indiretamente, fundos pensão não são ili baseados nem se na sobrepõe constituição a outros reservas controles que previstos são feitas no por ornamento jurídico, como o realizado pelos entes patrocinadores, pela Superintendência Nacional Previdência Complementar e por outros órgãos a quem lei ou Constituição Feral 1. Confira o art. 1, 1, do Decreto n 7.808, atribui competência setembro Por outro lado, não cabe ao TCU impor parâmetros/metas rentabilida/eficiência aos fundos pensão, a seus patrocinadores e aos órgãos fiscalização, não se pondo esquecer que o TCU é competente para verificar a legalida, a legitimida, a eficiência e a eficácia da aplicação dos recursos públicos.

8 4.3 Diferenças entre entidas abertas e entidas fechadas previdência 4.4 complementar As entidas fechadas previdência complementar As As entidas entidas fechadas previdência previdência complementar complementar são classificadas (EFPC) atuam em fechadas sob a forma e abertas. fundações direito privado ou socieda civil, mas sem fins lucrativos. As Entidas Abertas Previdência Complementar (EAPC) No são caso constituídas da fundação na forma criada com sociedas a finalida anônimas administrar (a partir da e executar Lei Complementar planos nº benefícios 109, 2001), caráter com previnciário fins lucrativos e para operam os servidores planos individuais públicos ou coletivos, cargo efetivo disponíveis do Por para Executivo qualquer pessoa a Funpresp-Exe, física. esta foi estruturada na forma fundação, natureza pública, com personalida jurídica direito privado e autonomia administrativa, financeira e gerencial 1. São autorizadas a funcionar e fiscalizadas pela Superintendência Seguros Privados (SUSEP), cujas normas são competência do Conselho Nacional Seguros Privados (CNSP). As Entidas Fechadas Previdência Complementar (EFPC) empresa, os servidores da União, dos Estados, do Distrito Feral e dos Municípios, são formadas por fundações entes ou nominados sociedas patrocinadores, civis, mais e conhecidos os associados ou como membros fundos pessoas pensão, entidas sem fins lucrativos que operam planos coletivos para grupos específicos pessoas, por meio seus empregadores. A autorização funcionamento e a fiscalização das EFPC é feita pela Superintendência A Nacional estrutura mínima Previdência uma Complementar EFPC verá (PREVIC) contemplar e regulada um conselho pela liberativo, Secretaria um Políticas conselho fiscal Previdência e uma Complementar diretoria-executiva, (SPPC), e o do estatuto Ministério da entida da Previdência verá Social. prever a representação dos participantes e assistidos nos conselhos liberativo e fiscal. As entidas abertas e fechadas funcionam maneira simples: durante o período em que o Todos servidor os recursos (a) estiver aplicados, no exercício e sua respectiva seu cargo, rentabilida, ele (a) contribuirá verão todo ser revertidos mês com para terminada o próprio fundo. quantia, Assim, acordo os fundos com a sua pensão disponibilida, são baseados e, quando na constituição estiver em condições reservas que são se aposentar, feitas por meio o saldo acumulado contribuições porá mensais ser recebido dos servidores mensalmente, ou empregados na forma e também aposentadoria dos patrocinadores. ou pensão. Essas reservas são capitalizadas, em forma investimento, e seus rendimentos, adicionados 1. Confira o art. 1, 1, do Decreto n 7.808, às contribuições, servirão para o pagamento dos 7 20 setembro benefícios aos participantes. Esses 4.4 As fundos entidas pensão fechadas administram previdência planos benefícios complementar elaborados pelas entidas, e que dispõem sobre a forma financiamento e pagamento diferentes benefícios previnciários. As entidas fechadas previdência complementar (EFPC) atuam sob a forma fundações Existem direito três privado modalidas ou socieda planos civil, benefícios mas sem fins apresentadas lucrativos. a seguir. No caso da Benefício fundação finido criada com (BD): a finalida nesse tipo administrar plano, o valor e executar do benefício planos é finido benefícios em caráter regulamento previnciário como para percentual os servidores da(s) última(s) públicos renda(s); cargo porém, efetivo o valor do Por da contribuição Executivo a Funpresp-Exe, vai variar ao esta longo foi dos estruturada anos para na garantir forma o valor fundação, do benefício. natureza Quando o pública, participante com personalida reunir jurídica as condições direito para privado se aposentar, e autonomia o benefício administrativa, será calculado financeira acordo e gerencial com as 1. regras estabelecidas no contrato previnciário (regulamento do plano). Contribuição finida (CD): são planos poupança individual, formados por contribuições finidas empresa, previamente, os servidores da União, positadas dos Estados, pelo do Distrito ente Feral público e dos ou Municípios, empresa entes nominados patrocinadores, e os associados ou membros pessoas (patrocinador) e pelo participante. O valor que o participante irá receber quando reunir as condições para se aposentar penrá diretamente dos montantes acumulados em conta individual, do período em que os pósitos foram efetuados e da rentabilida obtida nas aplicações financeiras. A estrutura Contribuição mínima uma variável EFPC (CV): verá nessa contemplar modalida um conselho plano, os liberativo, benefícios programados um conselho fiscal e uma mesclam diretoria-executiva, características e das o estatuto modalidas entida contribuição verá prever finida a representação e benefício dos participantes finido. e assistidos Suas características nos conselhos estão liberativo scritas e fiscal. nos regulamentos cada plano benefícios. Todos os recursos aplicados, e sua respectiva rentabilida, verão ser revertidos para o próprio No fundo. que Assim, se refere os aos fundos membros pensão do plano são baseados benefícios, na constituição estes são constituídos reservas por que patrocinadores, são feitas por pelos participantes ou assistidos e seus beneficiários. 1. Confira o art. 1, 1, do Decreto n 7.808, 20 setembro

9 pelos participantes ou assistidos e seus beneficiários. Patrocinador do plano benefícios é a empresa ou grupo empresas direito privado, e os entes direito público, que oferecem plano benefícios natureza previnciária aos seus empregados ou servidores, operado por Entida Fechada Previdência Complementar (EFPC), sem finalida lucrativa. Em suma, o patrocinador é a pessoa que contribui para a constituição das reservas stinadas a garantir o pagamento benefícios a seus empregados ou servidores. A condição patrocinador um plano benefícios é formalizada mediante a celebração um contrato com a entida previdência, contrato este nominado convênio asão. 8 Portanto, somente se assumir a qualida patrocinador, mediante um convênio asão, porá a administração direta ou indireta, feral, estadual, distrital ou municipal, aportar recursos para um plano previdência complementar. Sua contribuição normal será, no máximo, igual à soma das contribuições normais dos segurados (isto é, os participantes e os assistidos). Trata-se da chamada parida contributiva. Dá-se o nome participante ou assistido à pessoa física que, vinculada a um patrocinador ou instituidor, are ao plano benefício natureza previnciária, operado por Entida Fechada Previdência Complementar EFPC, com o objetivo formar uma poupança previnciária para a garantia renda futura para si ou para os seus beneficiários. Enquanto o participante ainda está na vida laboral ativa, o assistido já se encontra aposentado, em gozo seus benefícios prestação continuada. E o beneficiário é o pennte do participante para fins recebimento dos benefícios previstos nos planos. A pessoa que participa da previdência complementar fechada possui, assim, um mecanismo ampliação da proteção social como recompensa pelos esforços contributivos que fez ao longo da vida laborativa ou contra a perda da capacida laboral. Assim, além dos benefícios natureza programada e continuada, como a aposentadoria e pensão, geralmente os planos benefícios oferecem também proteção contra riscos morte e invaliz, ntre outros. A isso, somam-se as vantagens tributárias que tornam o benefício previnciário melhor, haja vista que as contribuições dos participantes e patrocinadores pom ser duzidas da base cálculo para fins recolhimento do imposto sobre a renda das pessoas físicas e jurídicas, até o limite 12%. 9 Nos planos patrocinados, o esforço contributivo do trabalhador ten a ser ainda menor, já

10 A isso, somam-se as vantagens tributárias que tornam o benefício previnciário melhor, haja vista que as contribuições dos participantes e patrocinadores pom ser duzidas da base cálculo para fins recolhimento do imposto sobre a renda das pessoas físicas e jurídicas, até o limite 12%. Nos planos patrocinados, o esforço contributivo do trabalhador ten a ser ainda menor, já que o patrocinador também aporta recursos para auxiliar o participante na constituição uma reserva que lhe dê uma renda no futuro. No caso dos planos instituídos, o participante empregado também po contar com a contribuição facultativa do seu empregador. Mencione-se ainda que os planos benefícios, acordo com o art. 14 da Lei Complementar nº. 109/2001, verão prever os seguintes institutos para os participantes que cessarem seu vínculo com o patrocinador, a penr da opção do participante permanecer ou se retirar do plano: a) benefício proporcional diferido (BPD); b) portabilida; c) resgate; e d) autopatrocínio. 9 Uma vez cessado o vínculo empregatício entre o participante e o patrocinador, os participantes terão a opção permanecer no plano benefício, mediante o instituto do autopatrocínio (nesse caso o participante passará a arcar com sua própria contribuição e com a contribuição do patrocinador, se for o caso) ou do benefício proporcional diferido (ixando os recursos acumulados no fundo pensão, recursos esses que serão capitalizados até o momento em que o participante cumprir todos os requisitos elegibilida para auferir seus benefícios proporcionais), ou, por outro lado, retirar-se do plano no momento em que o participante romper o vínculo empregatício com o patrocinador, quando porá optar pelos institutos do resgate da totalida das contribuições vertidas ao plano (scontadas as parcelas do custeio administrativo) ou da portabilida do direito acumulado para outro plano. 4.5 O regime previdência complementar do servidor público feral e a Funpresp-Exe A Lei nº , 30 abril 2012, publicada no D.O.U. 2 maio 2012, instituiu o regime da previdência complementar, previsto nos 14, 15 e 16 do art. 40 da CF/1988, e autorizou a criação 3 entidas fechadas previdência complementar, nominadas Fundação Previdência Complementar do Servidor Público Feral do Por Executivo (Funpresp-Exe), do Por Legislativo (Funpresp-Leg) e do Por Judiciário (Funpresp-Jud). Definiu a referida lei que os planos benefícios para os servidores públicos cargo efetivo serão administrados e executados por entidas fechadas previdência complementar, estruturadas na forma fundação natureza pública com personalida jurídica direito privado, que oferecerão aos respectivos participantes planos benefícios na modalida contribuição finida 2. Importante lembrar que ao servidor público somente será instituído plano caráter complementar se ele assim optar, 10 prévia e expressamente. É o que termina o 16 do artigo 40 da CF/1988³.

11 serão administrados e executados por entidas fechadas previdência complementar, estruturadas na forma fundação natureza pública com personalida jurídica direito privado, que oferecerão aos respectivos participantes planos benefícios na modalida contribuição finida 2. Importante lembrar que ao servidor público somente será instituído plano caráter complementar se ele assim optar, prévia e expressamente. É o que termina o 16 do artigo 40 da CF/1988³. O objetivo primordial da lei foi o regulamentar o regime previdência complementar para o servidor público feral, e permitir a recomposição do equilíbrio da previdência pública, garantindo sua solvência em longo prazo. A criação do regime previdência complementar do servidor público estabelece, ainda, o Uma tratamento vez cessado isonômico o vínculo entre empregatício os trabalhadores entre o do participante setor público e o e patrocinador, da iniciativa privada, os participantes uma vez terão que todos a opção estarão permanecer sujeitos ao teto no plano benefícios benefício, do regime mediante geral o instituto previdência do autopatrocínio social. (nesse caso o participante passará a arcar com sua própria contribuição e com a contribuição do Isso patrocinador, porque o servidor for que o caso) agora ou ingressar do benefício no serviço proporcional público contribuirá diferido (ixando com 11% os do recursos valor do acumulados teto RGPS, no e fundo não mais pensão, sobre o recursos total sua esses remuneração. que serão capitalizados Outras contribuições até o momento por parte em que do servidor o participante serão feitas cumprir pela todos via do os regime requisitos complementar, elegibilida em que para a auferir União seus porá benefícios aportar proporcionais), alíquota paritária ou, àquela por outro aportada lado, pelo retirar-se servidor, até plano o limite no momento 8,5%. em que o participante romper o vínculo empregatício com o patrocinador, quando porá optar pelos institutos do Com resgate 2. O controle, isso, da viabilizar-se-á a totalida regulamentação das e a contribuições a gradual fiscalização soneração do segmento vertidas fechado ao plano obrigações previdência (scontadas da complementar União, as parcelas tendo estão a em cargo do vista custeio da Superintendência Nacional Previdência Complementar PREVIC, autarquia natureza especial, vinculada ao Ministério da os valores administrativo) benefícios Previdência Social. ou da superiores portabilida ao teto do direito do RGPS acumulado advirem agora para outro do regime plano. complementar previdência, e não mais do Tesouro Nacional. 10 A 4.5 Fundação O regime Previdência previdência Complementar complementar do Servidor do Público servidor Feral público do Por feral Executivo e a - Funpresp-Exe, foi criada pelo Decreto nº 7.808, 20 setembro 2012, e entrou em funcionamento em 4 fevereiro 2013, data da aprovação do Plano Benefícios da A Lei entida nº , pela PREVIC abril E acordo 2012, com publicada o art. no 30 D.O.U. da Lei nº /2012, maio 2012, a partir instituiu 4 o regime fevereiro da previdência 2013, data complementar, da publicação previsto pelo órgão nos fiscalizador 14, 15 e da 16 autorização do art. 40 da aplicação CF/1988, dos e autorizou regulamentos a criação dos planos 3 entidas benefícios fechadas qualquer previdência das entidas complementar, autorizadas nominadas pela lei, consira-se Fundação instituído Previdência o regime Complementar previdência do Servidor complementar Público Feral do servidor Por público Executivo feral (Funpresp-Exe), cargo efetivo. do Por Legislativo (Funpresp-Leg) e do Por Judiciário (Funpresp-Jud). O Definiu Plano a referida Benefícios lei que administrado os planos pela benefícios Funpresp-Exe para os oferece servidores os seguintes públicos benefícios: cargo efetivo serão administrados e executados por entidas fechadas previdência complementar, estruturadas Aposentadoria na forma normal; fundação natureza pública com personalida jurídica direito privado, Aposentadoria que oferecerão por aos invaliz; respectivos participantes planos benefícios na modalida contribuição Pensão finida por morte; 2. Importante lembrar que ao servidor público somente será instituído plano Benefício caráter complementar por sobrevivência; se ele e assim optar, prévia e expressamente. É o que termina o 16 do Benefício artigo 40 suplementar. da CF/1988³. Assim, O objetivo qualquer primordial servidor da lei público foi o feral regulamentar titular o regime cargo efetivo previdência da União complementar que ingressar para na Administração o servidor público Pública feral, Feral e permitir a partir a recomposição 4 fevereiro do equilíbrio 2013 estará da submetido previdência ao pública, regime garantindo previdência sua complementar. solvência longo prazo. A criação do regime previdência complementar do servidor público estabelece, ainda, o Quanto tratamento aos isonômico servidores entre que já os se trabalhadores encontravam do na setor condição público e da servidores iniciativa públicos privada, ferais uma vez antes que todos da data-marco estarão sujeitos 4 ao fevereiro teto benefícios 2013, aponte-se do regime 3 geral possibilidas previdência conforme social. a seguir scrito. Isso porque o servidor que agora ingressar no serviço público contribuirá com 11% do valor do teto do RGPS, 1- Permanecer e não mais no sobre regime o próprio total nas sua mesmas remuneração. condições Outras em que contribuições ingressou no por serviço parte do servidor público serão feral, feitas contribuindo pela via regime com 11% complementar, sobre o total em sua que remuneração a União porá para aportar o PSS. alíquota paritária àquela aportada pelo servidor, até o limite 8,5%. 2- Migrar para o novo regime previdência complementar; no novo regime, o 2. O controle, servidor(a) a regulamentação contribuirá e a fiscalização com 11% do segmento sobre o fechado teto do previdência RGPS no regime complementar próprio estão e, a caso cargo da queira Superintendência um Nacional benefício Previdência maior Complementar sua aposentadoria, PREVIC, autarquia verá natureza arir à especial, Funpresp-Exe vinculada ao e Ministério contribuir da Previdência Social. para a previdência complementar; em caso migração, o servidor terá direito a um benefício especial, referente às 10 contribuições efetuadas no regime antigo, em conformida com o art. 3o. da Lei no /2012 (atenção! A Lei nº /2012 prevê um prazo 24 meses para a migração para o novo regime!).

12 Com isso, viabilizar-se-á a gradual soneração obrigações da União, tendo em vista os scrito. valores benefícios superiores ao teto do RGPS advirem agora do regime complementar previdência, e não mais do Tesouro Nacional. 1- Permanecer no regime próprio nas mesmas condições em que ingressou no serviço A Fundação público Previdência feral, contribuindo Complementar com 11% do sobre Servidor o total Público sua Feral remuneração do Por para Executivo o PSS. - Funpresp-Exe, foi criada pelo Decreto nº 7.808, 20 setembro 2012, e entrou em funcionamento 2- Migrar para em 4 o novo fevereiro regime 2013, previdência data da complementar; aprovação do Plano novo regime, Benefícios o da entida servidor(a) pela PREVIC contribuirá 4. E com acordo 11% sobre com o teto art. 30 do RGPS da Lei no nº regime /2012, próprio e, a caso partir queira 4 fevereiro um benefício 2013, maior data da em publicação sua aposentadoria, pelo órgão verá fiscalizador arir da à Funpresp-Exe autorização e contribuir aplicação dos regulamentos para a previdência dos planos complementar; benefícios em qualquer caso migração, das entidas o servidor autorizadas terá direito pela lei, a consira-se um benefício instituído especial, o regime referente previdência às contribuições complementar efetuadas do servidor no regime público antigo, feral em cargo conformida efetivo. com o art. 3o. da Lei no /2012 (atenção! A Lei nº /2012 prevê um prazo 24 meses para a migração para o novo regime!). O Plano Benefícios administrado pela Funpresp-Exe oferece os seguintes benefícios: 3- Permanecer no regime em que se encontra e arir à Funpresp-Exe na condição participante Aposentadoria ativo normal; alternativo, sem a contrapartida da União, e lá contratar um plano Aposentadoria benefícios como por invaliz; qualquer outro existente no mercado. Pensão por morte; Benefício por sobrevivência; e Benefício suplementar. Assim, O servidor qualquer público servidor feral, público que tiver feral ingressado titular na cargo APF antes efetivo da 4 União fevereiro que ingressar 2013 e na Administração passar em outro Pública concurso Feral público a partir feral, 4 porá fevereiro optar por 2013 permanecer estará submetido no regime ao antigo regime (contanto previdência que complementar. não haja quebra continuida do vínculo, ou seja, a vacância no antigo cargo e a posse e exercício no novo cargo verão ocorrer no mesmo dia), ou arir ao novo Quanto regime aos previdência servidores complementar. que já se encontravam na condição servidores públicos ferais antes da data-marco 4 fevereiro 2013, aponte-se 3 possibilidas conforme a seguir 3. Cf., sobre o regime previdência completar, as Leis Complementares nº 108 e 109, 29 maio scrito. 4. Estudo Portaria PREVIC caso no. 4: 44, , publicada no D.O.U Permanecer no regime próprio nas mesmas condições em que ingressou no serviço Supondo que você atua na área gestão pessoas um órgão do governo feral e público feral, contribuindo com 11% sobre o total sua remuneração para o PSS. que uma suas atividas é esclarecer dúvidas servidores a respeito do Regime Previdência Complementar, responda as questões que se seguem: 2- Migrar para o novo regime previdência complementar; no novo regime, o servidor(a) contribuirá com 11% sobre o teto do RGPS no regime próprio e, caso queira um benefício maior em sua aposentadoria, verá arir à Funpresp-Exe e contribuir a) Quem po participar do Regime Previdência Complementar do Servidor? para a previdência complementar; em caso migração, o servidor terá direito a um benefício especial, referente às contribuições efetuadas no regime antigo, em conformida com o art. 3o. da Lei no /2012 (atenção! A Lei nº /2012 prevê um prazo 24 meses para a migração para o novo regime!). 3- Permanecer no regime em que se encontra e arir à Funpresp-Exe na condição participante ativo alternativo, sem a contrapartida da União, e lá contratar um plano Conforme a benefícios Lei n.º /2012, como qualquer em seu outro artigo existente 1º e parágrafo no mercado. 1º, pom participar do Regime Previdência Complementar os futuros servidores públicos titulares cargo efetivo da União, suas autarquias e fundações, inclusive os membros do Por Judiciário, do Ministério Público da União e do Tribunal Contas da União e, excepcionalmente, os atuais servidores da União que optarem por arir ao Regime Previdência Complementar. O servidor público feral, que tiver ingressado na APF antes 4 fevereiro 2013 e passar em outro concurso público feral, porá optar por permanecer no regime antigo (contanto que não haja quebra continuida do vínculo, ou seja, a vacância no antigo cargo e a posse e exercício no novo cargo verão ocorrer no mesmo dia), ou arir ao novo regime previdência complementar. 3. Cf., sobre o regime previdência completar, as Leis Complementares nº 108 e 109, 29 maio Portaria PREVIC no. 44, , publicada no D.O.U

13 b) Qual será a modalida plano benefícios oferecida aos servidores? Conforme dispõe a CF, em seu artigo 40, parágrafo 15, o plano benefícios será oferecido na modalida Contribuição Definida - CD, com contas individuais para os participantes. Nessa modalida, o participante é quem ci o valor sua contribuição, sendo que o valor do benefício penrá do montante recursos acumulado pelo servidor, incluídas as contribuições paritárias da União (até 8,5% da base cálculo) e acrescido da rentabilida dos investimentos. c) Quais serão os benefícios oferecidos? Conforme dispõe a Lei n.º /202, em seu artigo 12, serão oferecidos os benefícios aposentadoria programada e, no mínimo, os benefícios risco para os casos invaliz e falecimento do participante, cuja elegibilida será finida em regulamento. d) Como serão as contribuições para o plano benefícios? Conforme dispõe a Lei nº /202, em seu artigo 13, parágrafo único e artigo 16, as contribuições para o plano benefícios serão da seguinte forma: As contribuições que incidirão sobre a parcela da remuneração que excer ao limite máximo estabelecido para os benefícios do RGPS. Participante: Contribuição Normal - Contribuições mensais finidas, anualmente, pelo participante; e Contribuição Facultativa - Contribuições eventuais realizadas pelo participante, em qualquer momento, sem contrapartida do patrocinador. Patrocinadora: Vale stacar que a contribuição será igual à alíquota da contribuição normal do participante, limitada a 8,5%. Não haverá contribuição, por parte da patrocinadora, para o participante que possuir remuneração inferior ao limite máximo estabelecido para os benefícios do Regime Geral Previdência Social. 13

14 Espero que tenham gostado! Até mais! 12 14

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

FAQ. Participante Ativo Alternativo

FAQ. Participante Ativo Alternativo FAQ Participante Ativo Alternativo O que mudou na Previdência do Servidor Público Federal? A previdência do servidor público passou por mudanças nos últimos anos a partir da emenda 41, da Constituição

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Universidade Federal de Mato Grosso Pró-Reitoria Administrativa Secretaria de Gestão de Pessoas PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Cuiabá-MT Abril/2014 O QUE

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br Texto base: MODESTO, Paulo (org). Reforma da Previdência: análise e crítica da Emenda

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

Conceitos básicos de. Previdência Complementar

Conceitos básicos de. Previdência Complementar CALVO E FRAGOAS ADVOGADOS Conceitos básicos de Previdência Complementar Advogado: José Carlos Fragoas ROTEIRO DE APRESENTAÇÃO 1. Apresentação 2. Embasamento Legal 3. Princípios da Previdência Privada contidos

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O futuro que você faz agora FUNPRESP-JUD Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Judiciário 2 Funpresp-Jud seja bem-vindo(a)! A Funpresp-Jud ajudará

Leia mais

Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público. junho de 2007

Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público. junho de 2007 Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público junho de 2007 Sumário Regulamentação do direito de greve dos servidores públicos Previdência complementar dos servidores da

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos)

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) O que muda Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) 1. Por que é necessário criar a Fundação de Previdência Complementar do Servidor

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz - Jornalista, analista político e diretor de Documentação do Diap Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

Material Explicativo Centrus

Material Explicativo Centrus Material Explicativo Centrus De olho no futuro! É natural do ser humano sempre pensar em situações que ainda não aconteceram. Viagem dos sonhos, o emprego ideal, casar, ter filhos, trocar de carro, comprar

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento.

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento. Apresentação A Lei Nº 11.053, de 29.12.2004, faculta aos participantes de Planos de Previdência Complementar, estruturados na modalidade de Contribuição Definida (CD), como é o caso do novo Plano CD Eletrobrás,

Leia mais

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON Í n d i c e Apresentação Sobre a ELETROS Sobre o Plano CD CERON Características do Plano CD CERON 3 4 5 6 A p r e s e n t a ç ã o Bem-vindo! Você agora é um participante do Plano CD CERON, o plano de benefícios

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS

PERGUNTAS & RESPOSTAS PL nº 1992, DE 2007 FUNPRESP PERGUNTAS & RESPOSTAS 1. ORÇAMENTO: PL sem dotação orçamentária? O governo enviou, no dia 06 de fevereiro, de 2012 um projeto de lei (PLN nº 1, de 2012; MSG nº 24/2012) que

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO ACPREV... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativo... 8 Participante Assistido...

Leia mais

Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA

Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA Assunto: Manutenção do regime previdenciário anterior à previdência complementar pelos novos servidores federais que ingressaram no serviço público de outras

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DE GOVERNANÇA

ASPECTOS GERAIS DE GOVERNANÇA ASPECTOS GERAIS DE GOVERNANÇA FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR OPERADO POR ENTIDADES DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, QUE ADMINISTRAM PLANOS DE BENEFÍCOS CLASSIFICADAS EM: ENTIDADES ABERTES

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim ad minim veniam.

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Previdência Complementar do Professor

Previdência Complementar do Professor Previdência Complementar do Professor Conheça o Plano de Benefícios ExecPrev e decida seu futuro. Previdência complementar e Funpresp Apresentação 1. O que mudou na Previdência do Servidor Público Federal?

Leia mais

Funpresp-EXE. Novo regime de previdência para os servidores públicos federais no Brasil. Brasília/DF 04/fevereiro/2013

Funpresp-EXE. Novo regime de previdência para os servidores públicos federais no Brasil. Brasília/DF 04/fevereiro/2013 Funpresp-EXE Novo regime de previdência para os servidores públicos federais no Brasil Brasília/DF 04/fevereiro/2013 Órgão de Administração FUNPRESP/EXE - GOVERNANÇA Conselho Deliberativo (6 paritário)

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens

Material Explicativo. Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens Material Explicativo Plano de Aposentadoria CD da Previ-Siemens Sumário Plano CD - Tranqüilidade no futuro 3 Conheça a previdência 4 A entidade Previ-Siemens 6 Como funciona o Plano CD da Previ-Siemens?

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA:

PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA: PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA: Vejam quais são as principais questões que envolvem o Novo Regime de Tributação e esclareçam suas dúvidas. 1) Como era o tratamento tributário

Leia mais

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Cenário A Seguradora Aegon realizou, no período entre janeiro e fevereiro de 2015, uma pesquisa entre quinze

Leia mais

A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY

A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY A Previdência Complementar do Estado de São S o Paulo CARLOS HENRIQUE FLORY Outubro de 2012 POR QUE O ESTADO DE SÃO S O PAULO ADOTOU A PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR? 1º MOTIVO: O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃ

Leia mais

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007.

FUNPRESP? O que é a. Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. O que é a FUNPRESP? Com base nos melhores modelos existentes hoje, apresentamos a Funpresp, a ser criada pelo Projeto de Lei nº 1.992/2007. Esse projeto prevê a limitação das aposentadorias dos servidores

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

2º Semestre de 2010 2

2º Semestre de 2010 2 1 2 2º Semestre de 2010 O objetivo deste material é abordar os pontos principais do Plano de Benefícios PreviSenac e não substitui o conteúdo do regulamento. 3 4 Índice PreviSenac para um futuro melhor

Leia mais

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7 Sumário A função do 3 Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4 Contribuições do Participante 6 Contribuições da Patrocinadora 7 Controle de Contas 8 Investimento dos Recursos 9 Benefícios 10 Em caso de

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

Plano D. Material Explicativo

Plano D. Material Explicativo Plano D Material Explicativo 2 Material Explicativo Previ Novartis Índice Pág. 4 Introdução Pág. 6 A Previdência no Brasil Pág. 10 A Previdência e o Plano de Benefício D Pág. 24 Questões 3 Material Explicativo

Leia mais

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº 1, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as regras de portabilidade

Leia mais

manual do participante

manual do participante manual do participante Esta cartilha foi criada para, de forma simples, clara e prática, oferecer informações a respeito do Plano de Previdência Complementar dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Plano TELOS Contribuição Variável - I

Plano TELOS Contribuição Variável - I Plano TELOS Contribuição Variável - I A sua empresa QUER INVESTIR NO SEU FUTURO, E VOCÊ? A sua empresa sempre acreditou na importância de oferecer um elenco de benefícios que pudesse proporcionar a seus

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*)

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*) SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*) Orienta os órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (SIPEC) sobre o regime

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007

Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007 Fundo de Previdência Complementar da União PL nº 1.992 de 2007 Assessoria Econômica - ASSEC Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Brasília, maio de 2008 Roteiro Situação atual do Regime Próprio

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS O SISTEMA APÓS AS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nº 20/1998, 41/2003 E 47/2005 SINASEFE 27.2.2013 O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASILEIRO Regime Geral de Previdência Social

Leia mais

Cartilha dos Planos Administrados pela FAECES

Cartilha dos Planos Administrados pela FAECES Cartilha dos Planos Administrados pela FAECES Conheça os planos de benefícios e assistência médica da Fundação 2 3 SUMÁRIO 06 Apresentação 08 Glossário 10 Introdução Geral Entidades Fechadas de Previdência

Leia mais

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social As Entidades Fechadas de participantes desta pesquisa, conhecidas como Fundos de Pensão, fazem parte do Sistema de. Os Fundos de Pensão desenvolveram-se e modernizaram-se ao longo dos últimos anos graças

Leia mais

Cartilha Plano EPE DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS ELETROS

Cartilha Plano EPE DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS ELETROS Cartilha Plano EPE Esta cartilha foi criada com o intuito de oferecer informações objetivas sobre previdência, o plano CV EPE e a importância de poupar para garantir um futuro mais tranqüilo. Os pontos

Leia mais

Sumário. Previdência. Contribuição. Benefícios. Institutos. Custeio. Regime Tributário. Investimentos. Adesão

Sumário. Previdência. Contribuição. Benefícios. Institutos. Custeio. Regime Tributário. Investimentos. Adesão Sumário Previdência Contribuição Benefícios Institutos Custeio Regime Tributário Investimentos Adesão Previdência Aspectos Legais Regimes de Previdência no Brasil (CF) Previdência Social Regime Geral de

Leia mais

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012 Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Plano CV Prevdata II Dúvidas... Renda decorrente do saldo de conta: total acumulado das contribuições

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF)

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-15/FCC/2013): 57. Quanto à relação entre empresas estatais e as

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) Dispõe sobre plano de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência e dá outras

Leia mais

Programa de Certificação Regius (PCR-2015) Módulo II

Programa de Certificação Regius (PCR-2015) Módulo II Programa de Certificação Regius (PCR-2015) Módulo II AGENDA Previdência Complementar - Marco Regulatório Tipos de Planos de Previdência Complementar Elenco dos Benefícios e Institutos Campanha de Ingresso

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

Plano de Previdência Complementar para o Servidor Público Federal

Plano de Previdência Complementar para o Servidor Público Federal Plano de Previdência Complementar para o Servidor Público Federal SINDITAMARATY 29/07/2014 Sumário A Funpresp Governança Participante Ativo Normal Participante Ativo Alternativo Procedimentos de Adesão

Leia mais

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM Aprovado pela Portaria DITEC/PREVIC/MPS nº 44, de 31 de janeiro de 2013. (publicada no DOU nº 24, de 04 de fevereiro de 2013, Seção 1, Página 50) CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM A UNIÃO E A FUNDAÇÃO DE

Leia mais

Previdência Complementar no Serviço Público. Gustavo Carrozzino Atuário MIBA 1.018 Diretor Técnico

Previdência Complementar no Serviço Público. Gustavo Carrozzino Atuário MIBA 1.018 Diretor Técnico Previdência Complementar no Serviço Público Gustavo Carrozzino Atuário MIBA 1.018 Diretor Técnico ORGANOGRAMA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO Assistência Social Seguridade Social Previdência Saúde Social Complementar

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 Dispõe sobre a relação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, suas autarquias, fundações, sociedades de economia mista e outras entidades

Leia mais

O regime complementar do servidor público

O regime complementar do servidor público O regime complementar do servidor público Leandro Madureira* RESUMO: O servidor que ingressou ou venha a ingressar no serviço publico a partir de 4 de fevereiro de 2013 tem a aposentadoria limitada ao

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada A previdência privada é uma aposentadoria que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

Programa de Assistência Médica para Aposentados CargillPrev (Plano Assistencial)

Programa de Assistência Médica para Aposentados CargillPrev (Plano Assistencial) Programa de Assistência Médica para Aposentados CargillPrev (Plano Assistencial) Programa de Assistência Médica para Aposentados CargillPrev (Plano Assistencial) Material Explicativo Encontre aqui as informações

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009 Quadro Comparativo O PRESIDENTE DO CONSELHO DE GESTÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 5º, 18 e 74 da Lei

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

O CARÁTER PREVIDENCIÁRIO DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

O CARÁTER PREVIDENCIÁRIO DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS O CARÁTER PREVIDENCIÁRIO DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS Paulo Cesar dos Santos Economista com especialização em Administração Financeira - FGV, Gestão Atuarial e Financeira - Fipecafi/USP e Gestão Pública Enap.

Leia mais

Cartilha do Participante FIPECqPREV

Cartilha do Participante FIPECqPREV Cartilha do Participante FIPECqPREV Conheça todos os detalhes sobre o novo Plano de Benefícios Sumário 1. Introdução... 3 O que é o FIPECqPREV?... 3 Quem administra o FIPECqPREV?... 3 Qual é a modalidade

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV Florianópolis, janeiro de 2010. Caríssimo Participante, Esta cartilha vai ajudar você a entender melhor a DATUSPREV e o Plano CIASCPREV. O CIASC, pensando em você,

Leia mais

Sistema de Previdência

Sistema de Previdência PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO Lei nº 12.618, de 30 de abril de 2012. Jaime Mariz de Faria Junior * O Sistema Brasileiro de Previdência Social é organizado em três pilares: o Regime Geral

Leia mais

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA SUMÁRIO Qual é o significado de aposentado e pensionista?...3 Quando é realizado

Leia mais

O NOVO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO PARA O SERVIDOR PÚBLICO

O NOVO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO PARA O SERVIDOR PÚBLICO O NOVO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO PARA O SERVIDOR PÚBLICO MEIRELES 1, Jéssica Maria da Silva KATAOKA 2, Sheila Sayuri Centro de Ciências Sociais Aplicadas /Departamento de Finanças, Contabilidade e Atuária

Leia mais

Um novo plano, com muito mais futuro. Plano 5x4. dos Funcionários

Um novo plano, com muito mais futuro. Plano 5x4. dos Funcionários Um novo plano, com muito mais futuro Plano 5x4 dos Funcionários Sumário 03 Um novo plano, com muito mais futuro: 5x4 04 Comparativo entre o plano 4 x 4 e 5 x 4 08 Regras de resgate 10 Como será o amanhã?

Leia mais

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev,

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013 SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013 Estabelece procedimentos operacionais relacionados ao regime de previdência complementar para os servidores públicos federais

Leia mais

1 Introdução. No Brasil, o Sistema Previdenciário é composto pela Previdência Social e pela Previdência Complementar.

1 Introdução. No Brasil, o Sistema Previdenciário é composto pela Previdência Social e pela Previdência Complementar. 1 Introdução A necessidade de uma Previdência Complementar no Brasil surgiu do momento de crise do Sistema Previdenciário Brasileiro, pois a Previdência Social não consegue pagar ao aposentado o mesmo

Leia mais

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES A Previdência dos Servidores após 2004 Previdência Complementar Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES Recife, PE 15 e 16/09/2011 Formas de aposentadoria Invalidez Com proventos proporcionais

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

A IMPORTÂNCIA DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O REGIME DE PREVIDENCIA O Regime de Previdência Complementar - RPC, integrante do Sistema de Previdência Social, apresenta-se como uma das formas de proteção ao trabalhador brasileiro. É desvinculado do

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 DOU de 26.12.2005 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguros de vida com cláusula de cobertura

Leia mais

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico CNPB 2004.0020-18 Prev Pepsico Sociedade Previdenciária CNPJ 00.098.693/0001-05 Atendimento à NOTA Nº 036/2013/CGAT/DITEC/PREVIC Comando 357744092 Juntada

Leia mais

Alterações de Regulamento

Alterações de Regulamento Alterações de Regulamento Síntese das alterações propostas 1. DEFINIÇÕES GERAIS Beneficiários: será excluído o tempo mínimo de união estável com parceiro ou cônjuge para que seja reconhecido como beneficiário

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev MSD Prev Sociedade de Previdência Privada Anexo I Ata de Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo de 17/05/07

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

MANUAL DO PARTICIPANTE

MANUAL DO PARTICIPANTE MANUAL DO PARTICIPANTE LegisPrev O plano de previdência complementar para o servidor público do Poder Legislativo Federal FUNPRESP-EXE FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS - Plano PreVisão -

PERGUNTAS E RESPOSTAS - Plano PreVisão - PERGUNTAS E RESPOSTAS - Plano PreVisão - O que é o plano PreVisão? O plano PreVisão é o novo plano de benefícios administrado pela Visão Prev, resultado de estudos realizados no intuito de buscar uma solução

Leia mais

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ É bom saber... LEI Nº 12.618, DE 30 DE ABRIL DE 2012. Institui o regime de previdência complementar para os servidores públicos federais titulares de

Leia mais

AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA. Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo.

AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA. Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo. AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo. Introdução Através deste Material Explicativo você toma conhecimento

Leia mais

FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA

FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA FUNDAMENTOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Ensino a distância ÍNDICE I) O QUE É PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR? II) SISTEMA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR III) MARCOS REGULATÓRIOS IV) PLANOS DE BENEFÍCIOS V) ENTIDADES

Leia mais

1. O que é um plano de previdência complementar?

1. O que é um plano de previdência complementar? 1 2 Ao assumir com você o compromisso de gerir o seu plano de previdência, a Fachesf se tornou responsável também por lhe manter em dia sobre o que acontece na Fundação, esclarecendo suas dúvidas e atualizando-lhes

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

FUNDOS DE PENSÃO - (Ante)Projeto de Lei Complementar PLC (ENTIDADES ASSOCIADAS: Proposta Consolidada Aprimora LC 108/2001)

FUNDOS DE PENSÃO - (Ante)Projeto de Lei Complementar PLC (ENTIDADES ASSOCIADAS: Proposta Consolidada Aprimora LC 108/2001) FUNDOS DE PENSÃO - (Ante)Projeto de Lei Complementar PLC (ENTIDADES ASSOCIADAS: Proposta Consolidada Aprimora LC 108/2001) Texto Atual Texto Proposto Justificativas Art. 4º. Nas sociedades de economia

Leia mais