SMALL HOUSE. Sejima e Nishizawa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SMALL HOUSE. Sejima e Nishizawa 1999-2000"

Transcrição

1 SMALL HOUSE Sejima e Nishizawa Andressa Rodrigues Melo 11411ARQ028 Ariane Xavier Duarte 11411ARQ023 Guilherme Duarte Cunha 11411ARQ001 Larissa Costa Silva 11411ARQ026

2 Kazuyo Sejima e Ruye Nishizawa Trabalhando juntos a mais de 15 anos, vencedores do Prêmio Pritzker de Arquitetura 2010 e fundadores do grupo SANAA, Kazuyo Sejima e Ruye Nishizawa carregam a visão de um edifício como um todo perfeito, onde a presença física retira e constitui um fundo sensual para as pessoas, objetos, atividades e paisagens. Eles exploram, como poucos, a propriedade fenomenal do espaço contínuo, da luz, da transparência e da materialidade para criar uma síntese sutil. Com uma arquitetura simples mas muito apreciada e com qualidades essenciais, Sejima e Nishizawa defendem que a relação do edifício com o seu contexto é de total importância. Eles têm chamado os edifícios públicos de montanhas na paisagem, acreditando que eles jamais devem perder a conexão natural e significativa com o seu entorno.

3 Entorno O projeto está implantado no fim da alameda 2, localizada no distrito de Aoyama, em Tóquio, Japão, com fachada voltada para a pequena via. Circuncidada de construções de maior porte, Small House insere-se ao ambiente construído com seu tamanho modesto porém com forma projectual contrastante.

4 Implantação A edificação se encontra na parte anterior do lote, com um pequeno estacionamento em frente a casa. Próxima as edificações de seu entorno, Small House possui um único acesso feito a partir de uma escada.

5 Topografia A topografia natural do terreno não possui declividade significativa configurando o terreno como plano, porem seu relevo é modificado criando uma pequena depressão para o melhor aproveitamento e construção do espaço interno.

6 Orientação solar A fachada Leste recebe pouco índice de insolação, se mantendo sombreada durante toda a manhã, devido a proximidade e tamanhos similares das edificações do entorno. Desta forma foi pensado como solução que fachada Oeste se mantenha toda vedada com vidros translúcidos, para que seja absorvido maior quantidade de insolação ajudando no aquecimento e iluminação natural da casa.

7 Circulação e acessos A circulação da casa é evidenciado pelo eixo verticalizado da escada helicoidal, posicionada na parte central da casa, a qual além de ter função de circulação esta também matem uma relação com o panorama visual exterior. Quanto aos acessos a Small House possui apenas o acesso de entrada principal com presença de uma escada localizada na fechada sul. Circulação (escada helicoidal) Acesso principal

8 Planta subsolo Planta baixa 1 pavimento / térreo Planta baixa 2 pavimento Planta baixa 3 pavimento

9 Setorização/Zoneamento A Small House foi projetada de forma que cada pavimento fosse organizado de acordo com sua funcionalidade organizada em quatro áreas distintas: um quarto principal; um quarto de hóspedes que no futuro pode-se tornar um dormitório infantil localizado na área de convívio; uma área de estar, cozinha e banheiro com um terraço semi-privativo. Setorização Zoneamento Banheiros Terraço Cozinha/sala de jantar Área de convívio Semi-privativo Privado Serviço social Dormitório

10 Banheiros Terraço Cozinha/sala de jantar Área de convívio Dormitório Planta subsolo Planta 1 pavimento / térreo Planta 2 pavimento Planta 3º pavimento

11

12 Organização espacial Sejima organiza os espaços por pisos, os quais são dispostos verticalmente, todos conectados pela principal via de circulação (escada helicoidal), propondo neutralidade dos espaços que permite uma interação entre eles, ao eliminar os elementos estruturais tais como colunas, a arquiteta gera espaços abertos e cria uma diversidade de relações, através de elementos visuais e conceitual que relaciona os espaços.

13 Percebe-se que as zonas privadas e semi-privadas estão localizadas nas extremidades, pelo fato que essas são cômodos que necessitam de maior privacidade, já a zona de serviço e social estão posicionados entre estes, por elas não necessitarem tanto dessa particularidade. A área de convívio, onde possui a parede envidraçada na fachada Oeste permite que aproveite da iluminação natural além do visual exterior. Sobre a área de serviço observamos que é organizada de forma que a altura do pé direito é maior em relação aos demais pavimentos além de possuir mais quantidade aberturas o que possibilita maior aeração. Na planta do último pavimento a varanda semi-privativa é localizada na fachada Oeste, que aproveita do mesmo princípio da área de convívio (iluminação natural/visual exterior).

14 Geometria da forma A residência está localizada em um pequeno terreno com recuo apenas na fachada sul da casa, o qual é utilizado eventualmente como uma garagem. Geometricamente pode-se dizer que a casa tem forma retangular com orientação vertical, quanto a simetria observa-se que essa esta presente consideravelmente.

15 Volumetria A volumetria da Small House evidencia uma arquitetura baseada no mover e demonstra isto estabelecendo uma relação com o corpo humano, tanto na forma como no sistema. Por exemplo, a relação entre as fachadas sul (inclinada) e norte, demonstram como seria a forma de um corpo humano em movimento. E a escada funciona como o principal elemento de estrutura da residência onde ocorre movimento e comunicação, sendo comparada com uma coluna vertebral.

16 Fachadas As fachadas possuem formas distintas, graças às necessidades de espaços diferentes para cada pavimento, ou seja, acabam embrulhando esses andares e demonstrando o formato estrutural da residência. E os materiais utilizados em cada vista estão ligados às questões de conforto ambiental, e interação entre o exterior e interior da residência. Além disso, as formas também demonstram a estética modernista, através de painéis simples e uniformes de vidro. Fachada Sudeste Fachada Noroeste Fachada Nordeste Fachada Sudoeste

17 Materiais A Small House é constituída basicamente de três materiais, sendo estes: Vidro: na fachada oeste, norte e sul; Concreto: empregado nas lajes; E o aço galvanizado: para o revestimento da casa, A caixa ao redor da escada, além de servir de apoio para os vidros das fachadas. Vidro Concreto Aço Galvanizado

18 Lógica estrutural A Small House é constituída por quatro lajes, cada uma sobreposta sobre a outra. Estas são sustentadas principalmente por quatro pilares, que também realizam e fazem parte estruturação da escada. Nas fachadas, vidros e lajes são apoiados em outros pilares de aço, mas o que os diferencia do anterior é que estes são mais finos e inclinados. Todo o esquema da casa foi pensado para propiciar iluminação, flexibilidade e interação, baseando-se na religião do xintoísmo que é a religião predominante no Japão. Lajes Pilares de sustentação Pilares de apoio

19 Cobertura Claraboia Apesar da projeto da casa seguir um padrão diferente de residência comum, a cobertura do mesmo é feita de forma simples, com uma laje impermeabilizada possuindo, provavelmente, um pequeno desnível para o escoamento das águas pluviais.

20 Elementos de adequação climáticos Small House possui sua fachada Oeste toda envidraçada, com exceção do último pavimento que contém uma tela de malha de aço. Essa fachada em vidro permite uma iluminação e aquecimento da casa durante a maior parte do dia, fazendo economia com energia e com aquecimento elétrico interno. No último pavimento onde está localizado um banheiro, há uma claraboia no mesmo rumo da banheira, possibilitando uma iluminação interna e uma maior privacidade para quem faz uso da banheira, descartando neste local a presença de janelas na parede. Sejima aborda a iluminação condicionada por distorcer o topo da Small House para dentro no lado sul da construção para permitir iluminação natural em uma paisagem densa e escura.

21 Sistema de Aberturas Fachada Sudeste Fachada Noroeste Fachada Nordeste Fachada Sudoeste Visualização do banheiro para o Deck com a tela de proteção As aberturas se localizam em maior número no pavimento dos quartos e no da cozinha, sendo os lugares de maior uso da residência. Cada fachada da casa está revestida de forma diferente da outra, como correspondendo a visual conexão com a paisagem. As esquadrias fixas são maioria pela maior presença de fachadas em vidro. Sejima utiliza extensas fachadas de vidro transparente e fachadas de malha semitransparentes para convidar o ambiente exterior, numa conversa com o ambiente interior. No último pavimento há uma tela de proteção, na área do deck possibilitando uma ventilação do local

22 Sistema de Aberturas No projeto de Small House o quarto no subsolo foi pensado para dar maior privacidade para os moradores da casa, mas o pavimento do quarto não está totalmente abaixo do solo, possuindo uma pequena parte acima do nível do mesmo. Com uma fachada em vidro, essa elevação do pavimento do quarto possibilita entrada de luz e calor para o mesmo e também propicia ao mesmo tempo privacidade. Quarto Nível do Solo

23 Referências Aço Galvanizado. <http://www.icz.org.br/portaldagalvanizacao/galvanizacao-sustentabilidade.php>. Acesso em: 05/11/2014. Casas: kazuyo sejima + Ryue Nishizawa, SNNA/esposición comisario Agustín Pérez Rubio ; editor, Sam Chermayerff, Agustín Pérez Rubio.Tomoko Sakamoto; traducción Aitor Araúz. Sonia Berjer. Prêmio Pritzker. Disponível em: <http://www.arqbacana.com.br/internal/arq!mix/read/1513/pritzker kazuyo-sejima-&-ryue-nishizawa>. Acesso em: 27/10/2014. SEJIMA, Kazuyo; NISHIZAWA, Ryue. El corquis. Madri. El Croquis Editorial, p. VROOM, Nadine, Small House Kazuyo Sejima Disponível em: < Acesso em: 27/10/2014 <http://es.wikiarquitectura.com/index.php/archivo:maquetas.jpg>. Acesso em: 26/10/2014 <http://www.cityofsound.com/blog/2008/01/houses-kazuyo-s.html>. Acesso em: 29/10/2014 acessado em: 29/10/2014 <http://analisegeo.wordpress.com/carta-solar/>. Acesso em: 31/10/2014 <http://www.busyboo.com/2008/10/05/small-house-kazuyo-sejima/>. Acesso em: 26/10/2014 <http://www.pinterest.com/carter0999/small-house-by-kazuyo-sejima/>. Acesso em: 26/10/2014 <http://www.coroflot.com/esadams3/digital-projects>. Acesso em: 26/10/2014 <http://gregoryhurcomb.com/visual-digital-media-2-arch-124-a/>. Acesso em: 26/10/2014

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO.

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN DISCIPLINA: CONFORTO AMBIENTAL 1 ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. ARQUITETOS: KAZUYO SEJIMA E

Leia mais

FUNCIONAL TOPOGRAFIA SOLAR/ PRIMEIRA METADE DO TERRENO E O INFERIOR LOCADO MAIS A

FUNCIONAL TOPOGRAFIA SOLAR/ PRIMEIRA METADE DO TERRENO E O INFERIOR LOCADO MAIS A FUNCIONAL IMPLANTAÇÃO IDENTIFICAR COMO SE DÁ A OCUPAÇÃO DA PARCELA DO LOTE, A DISPOSIÇÃO DO(S) ACESSO(S) AO LOTE; COMO SE ORGANIZA O AGENCIAMENTO, UMA LEITURA DA RUA PARA O LOTE ACESSO SOCIAL ACESSO ÍNTIMO

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA MURO CERCA

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

CASA EN TERRAVILLE. Implantação e Partido Formal. Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt

CASA EN TERRAVILLE. Implantação e Partido Formal. Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt CASA EN TERRAVILLE Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt Implantação e Partido Formal A Casa em Terraville é uma residência unifamiliar de uso regular

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA ESQUADRIAS/PANOS

Leia mais

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e partido formal A casa Cirurgiões é uma residência unifamiliar de uso regular projetada

Leia mais

ESCALA 1/750 PLANTA BAIXA - SUBSOLO ESCALA 1/750 PISCINA CORTE AA ESCALA 1/400 SOLARIUM PISCINA VARANDA JARDIM SALA DE ESTAR CORTE BB

ESCALA 1/750 PLANTA BAIXA - SUBSOLO ESCALA 1/750 PISCINA CORTE AA ESCALA 1/400 SOLARIUM PISCINA VARANDA JARDIM SALA DE ESTAR CORTE BB LAVANDERIA DEPENDÊNCIA DE GARAGEM GUARITA CASA DE MÁQUINAS HALL DE ENTRADA DEPÓSITO FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR -

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA BAIRRO

Leia mais

OS SENTIDOS. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G.

OS SENTIDOS. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G. Norro PARTIDO GERAL CONDOMÍNIO RESIDENCIAL OS SENTIDOS Acadêmicas: Laura Sirianni

Leia mais

Legendas. Térreo. 16 17 Ocupando um terreno de esquina, a construção evidencia a volumetria e o balanço. Superior

Legendas. Térreo. 16 17 Ocupando um terreno de esquina, a construção evidencia a volumetria e o balanço. Superior Detalhes Balanços arrojados Moderna, a fachada tem importante função estética, mas também é uma grande aliada para minimizar a incidência de raios solares e garantir mais privacidade do projeto Arquiteto:

Leia mais

Empreendimentos Imobiliários

Empreendimentos Imobiliários SINDUSCONPREMIUM 2013 ETAPA LITORAL NORTE 1ª EDIÇÃO Categoria Empreendimentos Imobiliários Edificação Residencial Unifamiliar - Black House 01 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA O escritório Torres & Bello Arquitetos

Leia mais

institucional do projeto, além de permitir uma inserção urbana mais democrática e inusitada no entorno imediato ao prédio.

institucional do projeto, além de permitir uma inserção urbana mais democrática e inusitada no entorno imediato ao prédio. MEMORIAL DESCRITIVO O anteprojeto em questão, referente à instalação da Inspetoria do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia da Paraíba em Campina Grande, surge no contexto atual das

Leia mais

RESIDÊNCIA MDT. Implantação e Partido Formal

RESIDÊNCIA MDT. Implantação e Partido Formal RESIDÊNCIA MDT Local: Fazenda Boa Vista - SP Ano: 2008 Jacobsen Arquitetura Autores: Rafael Susin Baumann, Cristina Piccoli e Ana Elísia da Costa Implantação e Partido Formal Casa MDT está localizada no

Leia mais

CASA ZM CASA CT CASA MDT CASA FB

CASA ZM CASA CT CASA MDT CASA FB CASA ZM CASA CT CASA MDT CASA FB Local: Itacaré - BA Ano: 2005 Local: Bragança Paulista - SP Ano: 2008 Local: Fazenda Boa Vista - SP Ano: 2008 Local: Porto Feliz - SP Ano: 2011 Bernardes e Jacobsen Arquitetura

Leia mais

CASA VARANDA. Implantação e Partido Formal

CASA VARANDA. Implantação e Partido Formal CASA VARANDA Local Itanhangá, Rio de Janeiro Ano 2008 Escritório Carla Juaçaba Arquitetura Autoras: Cristina Piccoli e Natasha Oltramari Implantação e Partido Formal A Casa Varanda é um refúgio de 140,40

Leia mais

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes SEBRAE Memorial Descritivo 1. Diretrizes A identidade do edifício institucional deve se dar pelo caráter da obra singular ou por um conjunto edificado que reconstitua o lugar como uma referência para a

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

REPORTAGENS. de 9 15/02/2011 06:12. Comin. Texto: Débora Borges Fotos: Ale Asbun

REPORTAGENS. de 9 15/02/2011 06:12. Comin. Texto: Débora Borges Fotos: Ale Asbun REPORTAGENS Terreno em declive Mar e floresta ao alcance dos olhos O lote íngreme abriga uma casa "flutuante" com três níveis, cercada pelo verde e com vista para a praia Texto: Débora Borges Fotos: Ale

Leia mais

4 Estudo de casos. Janelas: 1 gene para o percentual da largura total da parede que a janela irá ocupar (número entre 0 e 1);

4 Estudo de casos. Janelas: 1 gene para o percentual da largura total da parede que a janela irá ocupar (número entre 0 e 1); 4 Estudo de casos Este capítulo apresenta estudo de casos para averiguar a eficácia do modelo definido no capítulo 3. Para provar que os conceitos funcionam e que o método é viável, decidiu-se otimizar

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE

SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE 1 SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE Imagem meramente ilustrativa. 2 3 Um novo estilo de vida para o seu dia a dia O Noroeste é a última área residencial do Plano Piloto, que

Leia mais

INICIATIVAS INSPIRADORAS HABITAÇÃO CONJUNTO HABITACIONAL BOX HOUSE SÃO PAULO - SP

INICIATIVAS INSPIRADORAS HABITAÇÃO CONJUNTO HABITACIONAL BOX HOUSE SÃO PAULO - SP HABITAÇÃO INICIATIVAS INSPIRADORAS CONJUNTO HABITACIONAL BOX HOUSE SÃO PAULO - SP ÍNDICE INTRODUÇÃO PERFIL LOCAL DIRETRIZES DE PROJETOS O PROJETO MODULAR A SOLUÇÃO ESTRUTURAL O PROJETO DE IMPLANTAÇÃO PROJETO

Leia mais

FICHA TÉCNICA TOTAL DE UNIDADES: 122 8 APARTAMENTOS POR ANDAR 60 UNIDADES COM 2 DORMITÓRIOS 1 SUÍTE : 64M² 62 UNIDADES COM 3 DORMITÓRIOS 1 SUÍTE: 69M²

FICHA TÉCNICA TOTAL DE UNIDADES: 122 8 APARTAMENTOS POR ANDAR 60 UNIDADES COM 2 DORMITÓRIOS 1 SUÍTE : 64M² 62 UNIDADES COM 3 DORMITÓRIOS 1 SUÍTE: 69M² FICHA TÉCNICA INCORPORAÇÃO: EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S/A CONSTRUÇÃO: EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S/A PROJETO DE ARQUITETURA: JONAS BIRGER ARQUITETURA ENDEREÇO: RUA CEL. FRANCISCO JÚLIO CÉSAR

Leia mais

É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho

É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho chalés Refugiado na mata É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho Texto: Daniella Grinbergas Fotos: Pedro

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PROJETO DE ARQUITETURA

DEPARTAMENTO DE PROJETO DE ARQUITETURA Disciplina: PROJETO DE ARQUITETURA III FAP 355 Professores: MÓDULO 3 1 o. Período Letivo 2009 Cristiane Rose Duarte, Joacir Esteves, Luciana Andrade, Maria Ligia Sanches, Paulo Afonso Rheingantz e Vera

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL PROJETO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Autores: Claudio Libeskind, Sandra Llovet, Mario Lotfi, David Ruscalleda Nesta cidade, feita de sucessivas adições, de fragmentos, o projeto sobrepõe outros, criando

Leia mais

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D 3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D Com finalidade de avaliar alguns aspectos da metodologia BIM e algumas das ferramentas computacionais envolvidas, buscou-se um projeto de engenharia

Leia mais

CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE

CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE CRIATIVIDADE EM PROJETOS IMOBILIÁRIOS CASE BARRA VILLAGE HOUSE LIFE QGDI é uma empresa do Grupo Queiroz Galvão; Atua no segmento Residencial e Comercial de Média-Alta Renda e no segmento Econômico com

Leia mais

Fugindo do tradicional

Fugindo do tradicional construção Fugindo do tradicional Distante do padrão das casas colonial-americanas que predominam no condomínio, o projeto ganhou linhas diferenciadas e muita iluminação natural, com janelas amplas por

Leia mais

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL 57 5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL O conjunto arquitetônico da residência de Antônio de Rezende Costa, que hoje abriga a Escola Estadual Enéas de Oliveira Guimarães foi pelos autores do presente

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL CABO FRIO: TERRAS DAS ÁGUAS Autor: Edvan Isac Santos Filho Cabo Frio e a Concepção Paisagens naturais praianas em tons pastéis que passeiam do branco, bege, ocre e terra das areias, do verde oliva das

Leia mais

O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco, Camilo, Aurélia e Tito.

O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco, Camilo, Aurélia e Tito. CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O condomínio La Dolce VIta Vila Romana, está situado em um terreno de 10.153,29 m², situado entre as Ruas Espártaco,

Leia mais

Local: Luanda, Angola Ano: 2010. Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite

Local: Luanda, Angola Ano: 2010. Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite UMA CASA EM LUANDA Local: Luanda, Angola Ano: 2010 Escritório GRUPO SP Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite HABITAÇÃO SUSTENTÁVEL EM BRASÍLIA Local: Brasília Ano: 2011 Escritório

Leia mais

O QUE É SER ALTO PADRÃO?

O QUE É SER ALTO PADRÃO? O PRODUTO IMPERADOR Concebido para atender as exigências do mercado de Alto Padrão, o produto conta com tudo que hoje é imprescindível para diferenciá-lo dos demais. Imponência, estilo único, elegância

Leia mais

MMBB CASA E ESTÚDIO NA VILA ROMANA

MMBB CASA E ESTÚDIO NA VILA ROMANA CASA E ESTÚDIO NA VILA ROMANA MMBB Esse projeto foi desenvolvido para um artista plástico com um duplo programa: casa e estúdio, a serem resolvidos espacialmente juntos e funcionalmente separados. Foi

Leia mais

SELO CASA AZUL CAIXA. Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010

SELO CASA AZUL CAIXA. Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010 Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010 SELO CASA AZUL CAIXA Sandra Cristina Bertoni Serna Quinto Arquiteta Gerência Nacional de Meio Ambiente SELO CASA AZUL CAIXA CATEGORIAS E CRITÉRIOS SELO

Leia mais

CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE. Casa Solar Acessível Caribenha

CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE. Casa Solar Acessível Caribenha CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE Casa Solar Acessível Caribenha ESCOLHA DA CASA PAÍS LATINO CLIMA TROPICAL CASA PERMEÁVEL POSSIVEL ALCANCE DE INTERESSE SOCIAL CASH HOME Slogan: Ser verde e acessível.

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

Edifícios Consolação I e II

Edifícios Consolação I e II Edifícios Consolação I e II Os edifícios Consolação I e II estão localizados na Rua da Consolação, 2.403/2.411/2387, na quadra delimitada Rua Bela Cintra e Antonio Carlos, Bela Vista - São Paulo, SP. Trata-se

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INSOLAÇÃO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO: CLÍNICA PULSAR - UMUARAMA

AVALIAÇÃO DA INSOLAÇÃO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO: CLÍNICA PULSAR - UMUARAMA AVALIAÇÃO DA INSOLAÇÃO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO: CLÍNICA PULSAR - UMUARAMA José Angelo Antoniassi* José Ricardo Reghin** Carlos Augusto Tamanini*** RESUMO: Este estudo compreende a escolha do edifício, análise

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Tipologia Construtiva. Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Tipologia Construtiva Prefeitura Municipal de Uruguaiana (RS), Maio de 2015. TIPOLOGIA CONSTRUTIVA 1 SUB HABITAÇÃO 1.1- Sub-habitação Compostos

Leia mais

CASA MINIMA API 5. Habitação social - Memorial. Projeto implantado no Jardim Holanda Uberlândia. Mapa do Bairro. Acesso a área de estudo:

CASA MINIMA API 5. Habitação social - Memorial. Projeto implantado no Jardim Holanda Uberlândia. Mapa do Bairro. Acesso a área de estudo: CASA MINIMA API 5 Habitação social - Memorial Projeto implantado no Jardim Holanda Uberlândia Mapa do Bairro Acesso a área de estudo: a- mapa regional Localização escolhida - Por que? Perto de vias rápidas.

Leia mais

Soluções Sustentáveis

Soluções Sustentáveis ANA ROCHA MELHADO Soluções Sustentáveis EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAIS IV SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL RIO DE JANEIRO, junho de 2011 SÍTIO E CONSTRUÇÃO (6 18) 1 - Relação do Edifício com o

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO A utilização de um método de projeto arquitetônico é importante para a otimização do TEMPO e

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

Conforto ambiental: Dicas de projeto para construção, ampliação e reforma de habitação em comunidades de baixa renda

Conforto ambiental: Dicas de projeto para construção, ampliação e reforma de habitação em comunidades de baixa renda Conforto ambiental: Dicas de projeto para construção, ampliação e reforma de habitação em comunidades de baixa renda Cláudia Barroso-Krause. DTC e PROARQ FAU/UFRJ A pesquisa em conforto ambiental nas edificações

Leia mais

Vila do IAPI - Patrimônio Cultural da Cidade

Vila do IAPI - Patrimônio Cultural da Cidade Item Diretriz Tipologia 1. Reformas e Ampliações 1.1. Cosntruções Originais 1.1.1. Não será permitida a demolição da edificação original para construção de uma nova edificação ou para qualquer outro fim.

Leia mais

14/05/2015 AVALIAÇÃO DOS PROJETOS EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

14/05/2015 AVALIAÇÃO DOS PROJETOS EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AVALIAÇÃO DOS PROJETOS Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille 14/05/2015 1 EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015 Avaliação: o Conceitos de projeto (I: 50%, II: 50% e para Exame: 30%) o Representação gráfica

Leia mais

Configuração espacial promove conforto e facilita integração

Configuração espacial promove conforto e facilita integração Athié Wohnrath Associados Projetos e Gerenciamento Categoria arquitetura corporativa Configuração espacial promove conforto e facilita integração Rasgo na laje permitiu inserção de escada As instalações

Leia mais

O GUIA TERMOS DE REFERÊNCIA: EXEMPLO DE APLICAÇÃO

O GUIA TERMOS DE REFERÊNCIA: EXEMPLO DE APLICAÇÃO O GUIA TERMOS DE REFERÊNCIA: EXEMPLO DE APLICAÇÃO VASCO PEIXOTO DE FREITAS Faculdade Engenharia Universidade do Porto Laboratório de Física das Construções /FEUP - AdePorto SUMÁRIO 1. Introdução 2. Tipificação

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes:

Leia mais

PROGRAMA DE NECESSIDADES

PROGRAMA DE NECESSIDADES PROF.ª Msc. ELOANE CANTUÁRIA PROGRAMA DE NECESSIDADES Metodologia do projeto arquitetônico e urbanístico P R O G R A M A D E N E C E S S I D A D E S Espaço arquitetônico definido de acordo com o conjunto

Leia mais

7º Simpósio de Ensino de Graduação

7º Simpósio de Ensino de Graduação INSOLAÇÃO EM EDIFICAÇÕES 7º Simpósio de Ensino de Graduação Autor(es) ISABELA SABOYA PINTO LIMA Orientador(es) SUELI MANÇANARES LEME 1. Introdução O conforto térmico é um atributo necessário em edificações

Leia mais

Reformas. aula 10. www.casa.com.br/cursodedecoracao2012. Por Tania Eustáquio

Reformas. aula 10. www.casa.com.br/cursodedecoracao2012. Por Tania Eustáquio www.casa.com.br/cursodedecoracao2012 aula 10 Por Tania Eustáquio Reformas Para mostrar como é possível fazer interferências na arquitetura de um imóvel sem dor de cabeça com obras, prazos e orçamento,

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Projeto Arquitetônico I 2015/01 Representação de projetos de arquitetura - NBR 6492 Arquitetura

Leia mais

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS

Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS MEMORIAL DESCRITIVO: APRESENTAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: LOCALIZAÇÃO: Rua Dante Francisco Zattera, Quadra 4907, lote 14, Loteamento Cidade Nova II. Bairro Distrito Industrial Caxias do Sul RS DESCRIÇÃO: Edifício

Leia mais

ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO

ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO TIPO 10 - EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS TÉRREAS E ASSOBRADADAS, COM OU SEM SUBSOLO 10.1 - Padrão Rústico Arquitetura: Construídas

Leia mais

Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir.

Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir. Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir. Adendos e notas 1/11 Adendo I de 24/0713 ao Referencial técnico de certificação Edifícios

Leia mais

Residência contemporânea

Residência contemporânea c a s e Residência contemporânea Por Erlei Gobi Fotos: Carlos Mancini Iluminação norteada pela eficiência energética proporciona conforto visual Localizada em um condomínio fechado em Embu das Artes, cidade

Leia mais

Material exclusivo para treinamento de corretores. Proibida a divulgação. As informações aqui constantes poderão ser alteradas a exclusivo critério

Material exclusivo para treinamento de corretores. Proibida a divulgação. As informações aqui constantes poderão ser alteradas a exclusivo critério principais acessos foto aérea ficha técnica fachada implantação N 5 5 12 11 13 LEGENDA 17 1 ACESSO VEÍCULOS 16 2 ACESSO PEDESTRES 3 ESTAR SALÃO DE FESTAS 4 SALÃO DE FESTAS 5 HALL SOCIAL 15 6 ACADEMIA 14

Leia mais

CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS

CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS CAPÍTULO 18 ERRATA DE 14/01/2011 RELAÇÃO DE DESENHOS 18.1 ESTRUTURA - EST... 2 18.2 ARQUITETURA - ARQ... 5 18.3 INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS - ÁGUA IHA... 6 18.4 IRRIGAÇÃO - IRR... 8 18.5 INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS

Leia mais

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA ARQUITETURA Obra racionalizada A alvenaria estrutural reduziu os custos da construção deste sobrado, que, apesar do método construtivo, tem cômodos integrados, no maior estilo contemporâneo POR CÍNTIA

Leia mais

Projeto Racional de Fachadas

Projeto Racional de Fachadas Secretaria de Estado do Meio Ambiente Governo do estado de São Paulo Projeto Racional de Fachadas Projeto Racional de Fachadas Projeto de Desempenho: Conforto Ambiental de Edificações Desenvolvimento Racional

Leia mais

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 DECRETO Nº 1627 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre a atualização do artigo 1º, da Lei da Lei Complementar nº 241 de 24 de Fevereiro de 2015, onde trata da Tabela nº 05, Anexo II - Planta Genérica

Leia mais

FUNCIONAL FACHADA SUDOESTE. esc. 1/100 FACHADA SUDESTE. esc. 1/100 ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS

FUNCIONAL FACHADA SUDOESTE. esc. 1/100 FACHADA SUDESTE. esc. 1/100 ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS PARÂMETRO DESRIÇÃO IMAGEM SÍNTESE FUNIONAL ENTORNO IDENTIFIAR A RELAÇÃO DO EDIFÍIO OM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, ONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFIADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO

Leia mais

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório)

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório) FICHA TÉCNICA Projeto Arquitetônico: Gkalili Arquitetura Design de Fachada: Triptyque Arquitetura Projeto Paisagístico: EKF Arquitetura paisagística Projeto Decoração: Triptyque Arquitetura Dados do Produto

Leia mais

IMÓVEIS DE TERCEIROS

IMÓVEIS DE TERCEIROS BALNEÁRIO CAMBORIÚ EDIFÍCIO TEAHUPPO Endereço: Rua 2300, n.520 Apto 201 2 vagas de garagem (gaveta) Área privativa: 89,50m2 / Área total: 131,1279m2 + vagas 12,50m2 cada Matrículas: 91.299 / 91.317 / 91.318

Leia mais

WHITEHAVEN HARBOUR CENTRAL SITE Whitehaven Harbour Central Site Whitehaven - Inglaterra - 2010. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.

WHITEHAVEN HARBOUR CENTRAL SITE Whitehaven Harbour Central Site Whitehaven - Inglaterra - 2010. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com. WHITEHAVEN HARBOUR CENTRAL SITE Whitehaven Harbour Central Site Whitehaven - Inglaterra - 2010 11 3159 1970 MEMORIAL Olhando para o sol A minha consciência da cidade é, por dentro, a minha consciência

Leia mais

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída.

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. PROJETO RFU 1. Tema Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. 2. Contexto Casal com uma filha que moram na cidade e tem uma chácara para lazer.

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ANEXO II DO DECRETO N 80/2011 DE 02/05/2011 PARTE 01: OBRA NOVA OU AMPLIAÇÃO 1. Planta de situação

Leia mais

Teatro e Bar no Morro da Urca 1986

Teatro e Bar no Morro da Urca 1986 Anexo 1.12 Teatro e Bar no Morro da Urca 1986 1. EDIFÍCIO HISTÓRICO Endereço: Rio de Janeiro RJ, Brasil. Autoria: desconhecida. Data do Projeto: 1912. Data da Construção: 1913. Área do Terreno: não foram

Leia mais

Clássico moderno REFORMA A COBERTURA COM INCRÍVEL VISTA PARA A CAPITAL PAULISTA FOI REFORMULADA E GANHOU AMPLITUDE E FUNCIONALIDADE.

Clássico moderno REFORMA A COBERTURA COM INCRÍVEL VISTA PARA A CAPITAL PAULISTA FOI REFORMULADA E GANHOU AMPLITUDE E FUNCIONALIDADE. REFORMA 01 Clássico moderno 02 A COBERTURA COM INCRÍVEL VISTA PARA A CAPITAL PAULISTA FOI REFORMULADA E GANHOU AMPLITUDE E FUNCIONALIDADE Texto Camila Toledo Fotos Divulgação/Sérgio Israel 42 Construir

Leia mais

Macrolocalização. Conj. Nacional MASP. Parque Trianon. FIESP Reserva Cultura. Top Center FENAC. Hosp. Beneficência Porturguesa. Hosp.

Macrolocalização. Conj. Nacional MASP. Parque Trianon. FIESP Reserva Cultura. Top Center FENAC. Hosp. Beneficência Porturguesa. Hosp. LOCALIZAÇÃO Macrolocalização Conj. Nacional MASP Parque Trianon FIESP Reserva Cultura FENAC Top Center Hosp. Beneficência Porturguesa Hosp. Osvaldo Cruz Shopping Paulista Centro Cultural Hospital do Coração

Leia mais

COLÉGIO. Internacional. Escola verde Green School

COLÉGIO. Internacional. Escola verde Green School Escola verde Green School Sobre o Colégio Positivo Início das aulas: 18 de fevereiro de 2013 Lançamento oficial: 26 de março de 2013 Proposta de ensino bilíngue (português/inglês) Cerca de 350 alunos,

Leia mais

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 BELO HORIZONTE MG Apresentação: Condomínio Edifício Afonso Pena, 2.300 Endereço: Afonso Pena, 2.300 Bairro: Centro Esquina com Rio Grande do Norte Belo Horizonte BH Localização:

Leia mais

CASAS ITARARÉ (2006-2009) Campina Grande, Paraíba, Brasil

CASAS ITARARÉ (2006-2009) Campina Grande, Paraíba, Brasil CASAS ITARARÉ (2006-2009) Campina Grande, Paraíba, Brasil CONJUNTO DE CASAS ITARARÉ, Campina Grande-PB (2006-2009) Estilo reto, estilo caixa, estilo americano, estilo moderno ou, o mais usual, estilo

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL Menção Honrosa Nova Friburgo Autor: Luis Eduardo Loiola de Menezes Aproximações O terreno destinado a implantação do Centro Cultural de Eventos e Exposições consiste em uma gleba, de posse do governo do

Leia mais

BAL NITSCHE ARQUITETOS SÃO PAULO, BRASIL CASA NA BARRA DO SAHY CASA EM SAO F. XAVIER CONCURSO PETROBRÁS CASA EM IPORANGA EDIFÍCIO JOÃO MOURA

BAL NITSCHE ARQUITETOS SÃO PAULO, BRASIL CASA NA BARRA DO SAHY CASA EM SAO F. XAVIER CONCURSO PETROBRÁS CASA EM IPORANGA EDIFÍCIO JOÃO MOURA BAL BienaldeArquitecturaLatinoamericana2011 Lua Nitsche Nascida em 25 de novemo de 1972, São Paulo Brasil. Formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Brasil, em 1996.

Leia mais

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá c a s e Fotos: Rafael Leão Residência Por Claudia Sá Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais ATMOSFERA ACOLHEDORA PARA O DIA-A-DIA E FLEXIBILIDADE para criação de cenários para eventos distintos.

Leia mais

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT

PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT PRODUCED BY AN AUTODESK EDUCATIONAL PRODUCT PLANTA DE IMPLANTACAO PA 0 PAISAGISMO PA 0 4 8.3 QUADRO DE ESQUADRIAS 4.30 5.57 PORTAS TIPO LARGURA ALTURA OBSERVACOES P P P5 P7 3,75 3,50 Porta pivotante de vidro e madeira 4 3,50 Porta de correr de vidro

Leia mais

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br IGREJA PRESBITERIANA UNIDA COREANA DE SÃO PAULO. São Paulo - SP - 2007

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br IGREJA PRESBITERIANA UNIDA COREANA DE SÃO PAULO. São Paulo - SP - 2007 IGREJA PRESBITERIANA UNIDA COREANA DE SÃO PAULO São Paulo - SP - 2007 MEMORIAL Sítio e Programa. Linha, Cubo, Praça e Árvore O projeto arquitetônico para o Complexo Unida parte de duas condicionantes

Leia mais

HOTEL PAINEIRAS Paineiras Hotel Rio de Janeiro - RJ - 2009. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br

HOTEL PAINEIRAS Paineiras Hotel Rio de Janeiro - RJ - 2009. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br HOTEL PAINEIRAS Paineiras Hotel Rio de Janeiro - RJ - 2009 11 3159 1970 MEMORIAL Um novo corpo: uma restauração também significa dar uma nova imagem ao edificio. Eduardo Souto de Moura A privilegiada

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Ministério Público do Trabalho Procuradoria Regional da 23 ª Região Anteprojeto do novo Edifício-Sede Cuiabá MT Memorial Descritivo Terreno localizado no CPA (Centro Político-Administrativo) da cidade

Leia mais

Cálculo de carga térmicat

Cálculo de carga térmicat Cálculo de carga térmicat Consiste em determinar a quantidade de calor que deverá ser retirada de um ambiente, dando-lhe condições climáticas ideais para o conforto humano. Este cálculo c normalmente é

Leia mais

Dossier Promocional. Moradia em Abrantes Santarém

Dossier Promocional. Moradia em Abrantes Santarém Dossier Promocional Moradia em Abrantes Santarém 1 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Imóvel 4. Descrição Detalhada 5. Condições de Comercialização 6. Contactos

Leia mais

86-91 Projeto 05 Crisa Santos Construir 2009 07/03/12 16:30 Page 86 REQUINTE NO INTERIOR. 86 Construir

86-91 Projeto 05 Crisa Santos Construir 2009 07/03/12 16:30 Page 86 REQUINTE NO INTERIOR. 86 Construir 86-91 Projeto 05 Crisa Santos Construir 2009 07/03/12 16:30 Page 86 REQUINTE NO INTERIOR 86 Construir 86-91 Projeto 05 Crisa Santos Construir 2009 07/03/12 16:31 Page 87 Texto Claudia Dino Fotos Divulgação/Lucas

Leia mais

SEU NOVO ESTILO DE VIDA. SQNW 104, BLOCOS D e E - NOROESTE

SEU NOVO ESTILO DE VIDA. SQNW 104, BLOCOS D e E - NOROESTE SEU NOVO ESTILO DE VIDA SQNW 104, BLOCOS D e E - NOROESTE Imagem meramente ilustrativa. O NOROESTE É UM NOVO ESTILO DE VIDA PARA O SEU DIA A DIA O Noroeste é a última área residencial do Plano Piloto,

Leia mais

A paz do campo. NAdA MELhOR do que viver EM uma MORAdA tranquila E ROdEAdA POR MuitO verde

A paz do campo. NAdA MELhOR do que viver EM uma MORAdA tranquila E ROdEAdA POR MuitO verde 40 A paz do campo NAdA MELhOR do que viver EM uma MORAdA tranquila E ROdEAdA POR MuitO verde Abrir A janela e contemplar A natureza, que parece não ter fim. Barulho quase não existe, a não ser o canto

Leia mais

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005 PETOBRAS VITÓRIA Vitória - ES - 2005 MEMORIAL O partido tem como premissa a ocupação do território não considerando-o como perímetro, e sim como volume, ou seja, apreende deste sítio, sua estrutura geomorfológica.

Leia mais

ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB

ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB ACERVO CARTOGRÁFICO DE EGON BELZ ACERVO CENTRO DE MEMÓRIA UNIVERSITÁRIA BU/FURB CATEGORIA Cartografia OBJETO 108 pranchas: Elevação 01-02; Corte e elevação da escada interligação 1; Escada 2 planta substitutiva;

Leia mais

HISTÓRIA DO BAIRRO. Vila Prudente é um distrito da cidade de São Paulo, SP, Brasil. Localiza-se na zona sudeste da cidade

HISTÓRIA DO BAIRRO. Vila Prudente é um distrito da cidade de São Paulo, SP, Brasil. Localiza-se na zona sudeste da cidade LOCALIZAÇÃO HISTÓRIA DO BAIRRO Vila Prudente é um distrito da cidade de São Paulo, SP, Brasil. Localiza-se na zona sudeste da cidade A Vila Prudente é um bairro em constante renovação, que está ficando

Leia mais

Planta do pavimento térreo

Planta do pavimento térreo Planta do pavimento térreo Cortes e elevações típicos Acesso principal e praça de eventos Permeabildade do projeto com seu entorno Ecosistema interno com bosque de mata nativa Telhados verdes e praça de

Leia mais

PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG

PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG ROCHA, Jozielle Marques da 1 GOMES, Adriano P. 2 INTRODUÇÃO Um projeto arquitetônico deve se adaptar às características do meio

Leia mais

FICHA TÉCNICA EDIFÍCIO LIBERTY

FICHA TÉCNICA EDIFÍCIO LIBERTY FICHA TÉCNICA EDIFÍCIO LIBERTY Endereço: Rua Gov. Carlos Lindemberg, nº 94, lote 5A, quadra 14, Jardim Camburi, Vitoria, ES Área do terreno: 2.187,80m 2 Total de unidades: 160 apartamentos e 12 lojas,

Leia mais

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS 1960 01 GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS HISTÓRIA 02 O edifício Metrópole e Centro Metropolitano de Compras, projetado pelos arquitetos Salvador Candia e Gian Carlo Gasperini, é um importante

Leia mais

Residencial. Poucos móveis e muito espaço: minimalista, a casa aposta em espaço para circulação

Residencial. Poucos móveis e muito espaço: minimalista, a casa aposta em espaço para circulação Residencial Poucos móveis e muito espaço: minimalista, a casa aposta em espaço para circulação 22 outono NAS CORES DO Casa de 230m² é aposta em tons terrosos, integração de ambientes e muita iluminação

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 8 Previsão de Cargas Porto Alegre - 2012 Tópicos Cargas dos pontos de utilização Previsão de cargas conforme a norma Exemplo

Leia mais

Aula 7 : Desenho de Ventilação

Aula 7 : Desenho de Ventilação Aula 7 : Desenho de Ventilação Definições: NBR 10821:2001, Caixilho para edificação: Janela Caixilho, geralmente envidraçado, destinado a preencher um vão, em fachadas ou não. Entre outras, sua finalidade

Leia mais