Desenvolvimento de produtos sustentáveis para produção em comunidade de baixa renda

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenvolvimento de produtos sustentáveis para produção em comunidade de baixa renda"

Transcrição

1 Desenvolvimento de produtos sustentáveis para produção em comunidade de baixa renda Development of sustainable products to be made in low-income community Silva, Júlio C. Augusto da; D.Sc.; Instituto Nacional de Tecnologia Carlier, Cristina; Kdô Brindes Sustentáveis Silva, Marcos Garamvölgyi. M.Sc.; Instituto Nacional de Tecnologia Zohrer, Pedro. M.Sc. Pinho, Bruna Madureira; M.Sc.; Instituto Nacional de Tecnologia Cruz, Luiza Falcão; Graduanda; Instituto Nacional de Tecnologia Resumo Este artigo discute o design para sustentabilidade voltado para geração de trabalho e renda de forma não assistencialista. Nele é apresentada uma experiência de pesquisa e desenvolvimento de produtos sustentáveis a serem produzidos em comunidades de baixa renda. Os produtos tiveram todo seu ciclo de vida planejado, com uma política de retorno ao fim da vida útil, seleção de materiais renováveis ou reciclados, otimização do uso dos recursos, aproximação entre manufatura e consumo e estudo de toda cadeia produtiva. Para a fabricação, será fomentada a criação de uma empresa com gerenciamento autônomo, na comunidade. Palavras Chave: design para sustentabilidade; geração de trabalho e renda; ciclo de vida do produto. Abstract This article discusses the design for sustainability toward income generating. It presents an experience of research and development of sustainable products to be produced in low-income communities. The products had all their life cycle planned, with a return policy in the end of life, selection of renewable or recycled materials, optimization of the resources use, manufacturing site close to consumption site, and study of the whole production chain. A company with standalone management will be created in the community for manufacturing the products. Keywords: design for sustainability; income generation; product life cycle.

2 Introdução Este artigo discute o Design para Sustentabilidade sob o âmbito da geração de trabalho e renda, comércio justo e redução de impacto ambiental de produtos de consumo. Nele será abordada uma experiência de desenvolvimento de uma linha de produtos de baixo impacto a ser manufaturada em comunidade de baixa renda, e a partir desta experiência, tecer considerações sobre o design para sustentabilidade na realidade brasileira. A experiência ocorreu a partir de uma parceria estabelecida entre uma empresa privada de representação, um órgão de pesquisa e desenvolvimento em design e uma associação de trabalhadores em uma comunidade de baixa renda. A cadeia produtiva envolvida se estende da comunidade urbana até produtores rurais que praticam agricultura familiar sustentável, passando por pequenas empresas de tecnologia inovadora, que produzem matéria prima de baixo impacto. Essa cadeia produtiva se formou em torno dos produtos desenvolvidos, que se caracterizam pela busca da sustentabilidade, com valor agregado, mas passíveis de serem produzidos na comunidade com os recursos tecnológicos que já possuem ou baixo investimento. A meta que norteou o projeto foi gerar trabalho e renda para as camadas mais desfavorecidas da sociedade, mas com uma abordagem não assistencialista. Outro desafio foi a fabricação de produtos de média complexidade em comunidades, superando a noção comumente aceita de que a produção em favelas deve ser limitada ou a produtos simples com baixo valor agregado, ou a produtos artesanais que exigem talento e habilidade, solução que não gera trabalho de forma universal. E por fim desenvolver uma linha de produtos de baixo impacto ambiental em uma categoria que tradicionalmente têm pouca durabilidade, portanto alto impacto, os brindes. Este tipo de produto normalmente é descartado em pouco tempo, e são produzidos em grandes quantidades, na maioria das vezes na China, sem nenhum tipo de retorno social ou flexibilidade na produção. Os produtos Uma família de brindes de baixo impacto ambiental, de manufatura flexível, personalizável e com design inovador. Atualmente a linha conta com três produtos: pen drive, em bioplástico; sacola de lixo para automóveis e bolsas tipo ecobag (substituta de sacolas descartáveis), em lona de banner descartado. Outros produtos estão em fase de planejamento. O pen drive utiliza Poliuretano a base de Mamona, que substitui plásticos a base de petróleo. O PU de mamona é um material produzido a partir de fonte renovável, biodegradável e socialmente justo. Este material é produzido por pequenas empresas de tecnologia inovadora e emprega matéria prima oriunda de agricultura familiar sustentável. As sacolas e bolsas empregam lona de banners descartados, um material de alta resistência, mas aplicado em um produto com ciclo de vida muito curto, de poucas semanas. Os banners normalmente são usados para divulgar eventos e descartados logo após seu

3 término, ou seja, tem um ciclo de vida de apenas algumas semanas. O reuso como bolsa aproveita as características de resistência e durabilidade do material. Outro aspecto destes produtos que é positivo para o meio ambiente é o processo de manufatura em comunidades. Além de gerar renda para as camadas desfavorecidas da sociedade, esta solução também aproxima a fabricação do consumo, reduzindo impactos da distribuição. Outra inovação ambiental destes produtos, quando comparados com os brindes tradicionais, foi a introdução do pensamento de ciclo de vida. Além dos materiais empregados serem reciclados, recicláveis e / ou biodegradáveis, todo o ciclo de vida do produto foi equacionado, inclusive o retorno ao fim da vida útil para os componentes cujo descarte em lixo doméstico pode produzir toxicidades. Desenvolvimento O desenvolvimento de produtos sustentáveis envolve etapas que normalmente não aparecem nos projetos que não tenham preocupações sociais e ambientais. Neste projeto, como uma das metas era a redução do impacto ambiental, foram aplicados os princípios de Design para o Ciclo de Vida, ou Design for Life Cycle, isto é, durante o projeto foi planejado todo o ciclo de vida do produto. Caso os aspectos ambientais sejam considerados isoladamente, por exemplo, especificação de materiais biodegradáveis ou reciclagem ao fim de vida, não necessariamente ocorrerão os ganhos ambientais esperados, pois medidas para redução do impacto em uma fase podem provocar aumento em outras. Como coloca MORAES (2005) CRULL (2006), BREZET (1997) e SILVA (2009), entre outros, apenas com uma visão integrada de todas as fases de vida do produto é possível garantir que as metas ambientais serão alcançadas. O projeto do ciclo de vida do produto pen drive, resumidamente, é o seguinte: - Produção do óleo de Mamona, em agricultura familiar realizada em ritmos sustentáveis. - Produção do Poliuretano de mamona em pequenas empresas de tecnologia em materiais bioplásticos. - Transporte até comunidade. - Importação da placa eletrônica da China e entrega na comunidade. O ideal seria fornecedores locais para reduzir impactos do transporte, mas atualmente todos os fabricantes deste produto estão na China. Essa é, portanto, uma parte do ciclo de vida que não pode ser melhorada no âmbito deste projeto. - Manufatura empregando tecnologias de baixo impacto: injeção a baixa pressão em moldes de alumínio, impressão da marca do cliente em serigrafia. - Transporte até cliente. - Uso do pen drive, sem impactos, pois o consumo de energia pelo aparelho é insignificante. - Retorno e descarte adequado ao fim da vida útil. O usuário do pen drive retorna a placa eletrônica à empresa de representação, sem custos, enquanto que o gabinete em PU de mamona pode ser descartado em lixo doméstico sem maiores impactos. Para

4 isso, o usuário recebe junto com o produto um envelope com porte pago e instruções para fim de vida. A placa, que como todo eletrônico apresenta impactos no descarte, é devolvida à empresa via correio. Cada placa pesa apenas cinco gramas, logo seu retorno tem o custo de carta comum, pago pela empresa. O acúmulo de placas viabiliza econômica e ambientalmente o envio às empresas especializadas em reciclagem de eletrônicos. O projeto do ciclo de vida para os produtos em banner, resumidamente, é o seguinte: - Transporte dos banners, da empresa doadora até a comunidade. - Manufatura das bolsas em processo de baixo impacto: corte, costura e impressão em serigrafia com tintas de baixo impacto. - Transporte até cliente. - Uso pelo cliente sem impactos significativos, apenas lavagem eventual. - Ao fim da vida, os produtos podem ser descartados no lixo, já que empregam polímeros inertes. A fase de pesquisa e design dos três primeiros produtos foi concluída, e os protótipos já foram testados (figuras 1 a 3). Fig. 1 protótipos dos pen drives. Fig. 2 um dos modelos de ecobag em banner.

5 Fig. 3 protótipo da sacola de lixo para automóveis em banner. Em paralelo ao planejamento do ciclo de vida e desenvolvimento do design, os demais parceiros no projeto trabalharam outros aspectos envolvidos na produção e lançamento do produto, como espaço físico, repasse e treinamento, aquisição de equipamentos, divulgação. O local para a produção foi negociado junto à comunidade. Para isso foi cedido um espaço que conta com uma sala para manufatura, sala de convivência e cozinha. Com estes recursos, as mulheres empregadas no projeto poderão trabalhar e ainda assim preparar suas próprias refeições e de suas famílias. Também será possível para elas manter seus filhos pequenos próximos enquanto trabalham. O repasse das técnicas de produção para os trabalhadores foi realizado pelos próprios designers que desenvolveram os produtos, formando multiplicadores que irão repassar aos demais (figura 4 e 5). Fig. 4 - Designer do projeto realizando o repasse a um grupo de trabalhadoras da comunidade.

6 Fig. 5 treinamento na produção do pen drive em molde de silicone. Parte dos equipamentos necessários para a produção (máquina de costura, ferramentas de corte, acabamento, serigrafia) foi recebidos pela associação como doação, e parte será comprada pela empresa de representação. Os moldes para injeção de PU foram encomendados à ferramentarias. Serão moldes de alumínio bi partidos, que embora mais caros, apresentam durabilidade e precisão maior do que os de silicone usados no treinamento. Com relação aos fornecedores das matérias primas, foi negociada a adesão ao projeto de empresas que trabalham com banners, que se comprometeram a doar o material que seria descartado. Já o PU de mamona para os pen drives serão produzidos por empresas de bioplástico. Estas foram contatadas e estão realizando ajustes finos na composição química do plástico para a aplicação. A divulgação dos produtos também já está ocorrendo. Protótipos foram apresentados a clientes em potencial, com bom retorno, e as primeiras encomendas já foram realizadas. A previsão de início da produção dos produtos é junho de Novos produtos serão desenvolvidos pela equipe de design, para aumentar o portfólio de brindes da empresa. Resultados e perspectivas Além da geração de trabalho e renda que se espera quando for iniciada a produção comercial, o projeto também está contribuindo para valorização dos trabalhadores da comunidade. Ainda que o projeto esteja em fase de implantação, já é possível observar uma recuperação da auto-estima dos envolvidos. Um dos aspectos que contribui para a valorização destes trabalhadores é a política de trabalho participativo implantada. Todos são incentivados a dar sugestões e fazer experimentações com materiais, gerando assim novas soluções estéticas que vão sendo incluídas no design das peças. Outro aspecto que contribui para o crescimento profissional dos trabalhadores é a decisão de organizá-los em uma OSCIP Organização da Sociedade Civil de Interesse

7 Público 1 - de gerenciamento autônomo. Esta foi a solução adotada para o negócio, pois, a despeito da complexidade administrativa, está se mostrando a mais adequada para mobilizar e profissionalizar o grupo, garantido o grau de comprometimento necessário. Além disso, esta solução permite acesso a linhas de apoio financeiro e a alguns incentivos fiscais, o que irá compensar os maiores custos que a produção em comunidade apresenta. Esta solução permite ainda que os lucros sejam revertidos para a melhoria da comunidade, que sabe priorizar os investimentos para solução dos problemas vivenciados pelos envolvidos. Quando a empresa estiver formalizada será a fabricante exclusiva dos brindes, enquanto que a empresa de representação realizará a divulgação e representação dos produtos junto aos clientes. Para viabilizar a administração própria, profissionais com perfil e formação adequadas foram selecionados na própria comunidade e convidados a integrar o grupo. Outra perspectiva de retorno do projeto ocorre na sociedade. O projeto contribui para a cultura do uso de sacolas e bolsas perenes em substituição das descartáveis, tendência que começa a se disseminar no Brasil. E a política de retorno da placa do pen drive estimula outra reflexão no usuário: a responsabilidade que as empresas devem assumir pelo fim de vida de seus produtos, preocupação ainda incipiente no Brasil, mas já alvo de leis em vários países. Do ponto de vista econômico, esses produtos abrem novos mercados, pela conquista de segmentos de clientes que buscam o diferencial da sustentabilidade e personalização, que a flexibilidade da produção local e semi-artesanal oferece. Limitações e desafios A realidade brasileira impõe limites e desafios além dos que tradicionalmente já existem em empreendimentos desta natureza. Uma das limitações do trabalho em comunidade é a falta de segurança que ainda caracteriza a maioria das favelas do Rio de Janeiro. Para este projeto, foi selecionada uma favela que ainda está sob controle tráfico, que estipula regras e horários, o que cria alguns entraves e aumento de custos. Por exemplo, empresas distribuidoras não podem entrar na favela, apenas os motoboys da própria comunidade. Esse e outros entraves, principalmente na distribuição, aumentam custos e tempos em comparação com produtos desenvolvidos em indústrias tradicionais. Mas os diferenciais apresentados pelos ganhos sociais e ambientais estão permitindo alcançar consumidores engajados, dispostos a pagar um valor ligeiramente superior diante dos benefícios do produto. Replicação Não há impedimento logístico ou tecnológico para a expansão do projeto, acompanhando o ritmo de vendas, ou implantação de projetos semelhantes em outras regiões. Para a implantação de projetos similares, o primeiro passo é formar uma parceria com um grupo já estruturado na comunidade. É fundamental ter um grupo mobilizado, disposto e envolvido. 1 OSCIPs são ONGs criadas por iniciativa privada, que obtêm um certificado emitido pelo poder público federal ao comprovar o cumprimento de certos requisitos, especialmente aqueles derivados de normas de transparência administrativas. Em contrapartida, podem celebrar com o poder público os chamados termos de parceria, que são uma alternativa interessante aos convênios para ter maior agilidade e razoabilidade em prestar contas.

8 O ideal é trabalhar com grupos em comunidades seguras. Como o processo de pacificação das favelas do Rio de Janeiro está apenas começando, neste projeto foi escolhida uma área ainda sob o domínio do trafico. Se por um lado é uma dificuldade a mais a ser enfrentada pelo projeto, por outro apresenta outro ganho social por oferecer alternativas de trabalho aos jovens sob risco de serem aliciados pelo tráfico. A produção pode ocorrer em qualquer sala disponibilizada na comunidade (associação de moradores, espaços comunitários, centro esportivos, centros religiosos) ou mesmo em residências, já que não manipula elementos tóxicos ou perigosos, e não necessita de muito espaço. É interessante que o espaço permita manter os filhos próximos, caso a produção envolva mulheres. A manufatura do produto usa tecnologias de baixa complexidade, como corte, costura e serigrafia. É necessário, portanto, equipamentos básicos, como máquina de costura e instrumentos para impressão serigráfica. Os produtos em plástico de mamona serão produzidos via fundição em moldes de alumínio, que tem um custo razoável. Caso não seja possível o emprego de moldes de alumínio, é possível a produção com moldes de silicone, a baixo custo e ainda com razoável produtividade. O treinamento ocorre em uma tarde, podendo ser realizado no próprio local. Conclusão A aplicação prática de soluções de design para sustentabilidade depende do envolvimento e intervenção de diversos atores, onde a pesquisa e projeto em design é apenas um elo. Pode-se citar como fundamental a participação ativa empresas privadas, associação de trabalhadores e parceiros do setor industrial. O design pode contribuir com seu saber para viabilizar economicamente essas iniciativas de geração de trabalho e renda, porque seu método aborda aspectos técnicos, mercadológicos, produtivos e sociais, fundamentais para o sucesso de um produto no mercado e para a correta utilização de matérias primas. Para que os produtos tenham reduzido impacto ambiental, é importante que a equipe de design planeje todo seu ciclo de vida, identificando as fases de maior impacto e formas economicamente viáveis de reduzi-lo. Referências BREZET, Ham. VAN HEMEL, Carolien. Ecodesign, a promising approach to sustainable production and consumption. Delft: Delft University of Technology e United Nations Publication, CRUL, Marcel; DIEHL, Jan Carrel Design for Sustainability: a practical approach for Developing Economies. Delft: Delft University of Technology, MORAES, Ricardo. Ecodesign, uma análise do uso da ferramenta Avaliação de Ciclo de vida. 2005, 158 f. Dissertação (Mestrado em Design) Departamento de Artes & Design, PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2005.

9 SILVA, Julio C. Augusto da. Ferramenta de ecodesign para apoio ao projeto de produtos. 2009, 234 f. Tese (Doutorado em Design) Departamento de Artes & Design, PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2009.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis 1 Foto: Augusto Bartolomei Conteúdo O que são plásticos biodegradáveis e compostáveis Certificação Aplicações Descarte aterro, reciclagem, compostagem Alinhamento

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

SUSTENTABILIDADE 2014

SUSTENTABILIDADE 2014 SUSTENTABILIDADE 2014 Rutivo de no CONSTRUIR, PLANTAR E TRANSFORMAR Nosso objetivo vai além de ser responsável pelo processo construtivo de nossas obras, procuramos estimular e disseminar o conceito de

Leia mais

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg Valores & Princípios Grupo Freudenberg C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o Nossos Princípios & Conduta e Comportamento 3 Os Nossos Princípios e o documento de

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR A Superintendência da Zona Franca de Manaus SUFRAMA e o Centro de Biotecnologia da Amazônia CBA selecionarão

Leia mais

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária Edital de Seleção de Pontos Fixos de Comercialização Solidária Candidatos para Participar da Rede Brasileira de Comercialização Solidária - Rede Comsol (Edital - Ubee/Ims N. 01/2014) 1. Apresentação A

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO Januário Montone II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 23: Inovações gerenciais na saúde O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Desenvolvimento Sustentável Social Econômico Ambiental Lucro Financeiro Resultado Social

Leia mais

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER?

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER? O QUE ESTÁ ACONTECENDO? O futuro é uma incógnita. As tendências são preocupantes, mas uma coisa é certa: cada um tem de fazer sua parte. Todos somos responsáveis. A atual forma de relacionamento da humanidade

Leia mais

Portifólio Empresarial

Portifólio Empresarial Portifólio Empresarial 23/02/11 Rua Jasmim, 609 Santa Catarina - Joinville - SC - Brasil CEP: 89233-040 Fone/Fax: (47) 3025 1010 - contato@execom.inf.br +55 (47) 3025-1010 - Opção 5 comercial@execom.inf.br

Leia mais

Ecobags: Estudo de caso sobre reutilização de

Ecobags: Estudo de caso sobre reutilização de Ecobags: Estudo de caso sobre reutilização de resíduos Ecobags: Case study about reutilization of waste material ROSA, Rodrigo Presotto; Graduando em Design. ; Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A EcoAtitude mantém uma linha básica de produtos que podem ser utilizados conforme a necessidade e os critérios dos clientes.

APRESENTAÇÃO. A EcoAtitude mantém uma linha básica de produtos que podem ser utilizados conforme a necessidade e os critérios dos clientes. Relatório Anual 2011 APRESENTAÇÃO Com um toque artesanal e consciência ecológica, a EcoAtitude fabrica produtos personalizados para eventos, papelarias, brindes corporativos, embalagens e outros. A EcoAtitude

Leia mais

EZO Soluções Interativas

EZO Soluções Interativas EZO Soluções Interativas 01. Conceito sobre a EZO A EZO Soluções Interativas surgiu no ano de 2006 com o foco no desenvolvimento de soluções e tecnologias que aproximassem as pessoas. Em 08 anos conseguimos

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

CNT Brasil Gestão Ambiental

CNT Brasil Gestão Ambiental CNT Brasil Gestão Ambiental Estamos nos integrando ao sistema de gestão ambiental de nosso cliente IBM, logo, estamos realizando atividades de propagação e difusão deste programa para todos nossos parceiros

Leia mais

REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME

REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME REGULAMENTO PRÊMIO ESTADÃO PME 1. O PRÊMIO O Prêmio ESTADÃO PME é uma iniciativa pioneira e única do Grupo Estado e tem como objetivos valorizar as melhores histórias de pequenas e médias empresas e estimular

Leia mais

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO I DA CONVOCAÇÃO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins lucrativos, comunica e convida empresas do setor

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

Empresa #1. O que a empresa busca no Brasil. Parceiros

Empresa #1. O que a empresa busca no Brasil. Parceiros Empresa #1 A empresa oferece a gama completa de serviços de engenharia, do design ao fornecimento de peças de protótipos. Entre os serviços prestados, estão o desenvolvimento e a construção, simulação,

Leia mais

Guia de recomendações para implementação de PLM em PME s

Guia de recomendações para implementação de PLM em PME s 1 Guia de recomendações para implementação de PLM em PME s RESUMO EXECUTIVO Este documento visa informar, de uma forma simples e prática, sobre o que é a gestão do ciclo de vida do Produto (PLM) e quais

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável?

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . Conceitos: Responsabilidade Social Ecoeficiência Conceitos Responsabilidade Social - é a relação ética e transparente da organização

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

www.computadoresparainclusao.gov.br

www.computadoresparainclusao.gov.br Dezembro/2010 Eixos da Política de Inclusão Digital ESCOLAS PÚBLICAS TELECENTROS COMUNITÁRIOS Investimento em Conexão, Equipamentos, Recursos Humanos e Capacitação Processo de Avaliação Sistemática - Indicadores

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÂO

RESULTADOS E DISCUSSÂO LIXO ELETRÔNICO - WIKI E-LIXO Origens e reaproveitamento Marcos Felipe Friske dos Santos 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO Este projeto surgiu com o intuito de dar uma nova função às máquinas caça-níqueis

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais Lei nº 2677 BENEDITO PEREIRA DOS SANTOS, Prefeito do Município de Itajubá, Estado de Minas Gerais, usando das atribuições que lhe são conferidas por Lei, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele

Leia mais

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais:

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais: PROJETO DA SHELL BRASIL LTDA: INICIATIVA JOVEM Apresentação O IniciativaJovem é um programa de empreendedorismo que oferece suporte e estrutura para que jovens empreendedores de 18 a 30 anos desenvolvam

Leia mais

The Contribution of the NGOs, Associations and Foundations to Promote Production and Consumption of Green Products

The Contribution of the NGOs, Associations and Foundations to Promote Production and Consumption of Green Products The Contribution of the NGOs, Associations and Foundations to Promote Production and Consumption of Green Products Ágata Ritter Miriam Borchardt Giancarlo Pereira Introdução ONGs, Associações e Fundações

Leia mais

- Aspectos limitadores: Produção com custo alto; Orçamentos mal elaborados; Dificuldade na análise e avaliação; Inadequação ao perfil empresarial;

- Aspectos limitadores: Produção com custo alto; Orçamentos mal elaborados; Dificuldade na análise e avaliação; Inadequação ao perfil empresarial; MARKETING ESPORTIVO E CULTURAL EAD MÓDULO XIX - RESUMO A evolução do ser humano no decorrer da história está associada diretamente ao conceito de cultura, que engloba os costumes e as experiências repassadas

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

Processo de fundição: Tixofundição

Processo de fundição: Tixofundição Processo de fundição: Tixofundição Disciplina: Processos de Fabricação. Professor Marcelo Carvalho. Aluno: Gabriel Morales 10/44940. Introdução O processo de fabricação conhecido como fundição pode ser

Leia mais

Capa LIXO ELETROELETRÔNICO

Capa LIXO ELETROELETRÔNICO Capa LIXO ELETROELETRÔNICO Eis um assunto que há vários anos vem ganhando cada vez mais espaço na mídia e na literatura científica. Nos últimos 10 anos mais de 3 mil trabalhos sobre impactos ambientais

Leia mais

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Proteção e Participação da Sociedade Março/2015 Lubrificante deterioração contaminação Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado OLUC

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras

Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras Responsabilidade Social e Ambiental na Petrobras Carlos Alberto Ribeiro de Figueiredo Janice Dias PETROBRAS - Comunicação Nacional RESPONSABILIDADE SOCIAL SOCIAL CORPORATIVA Necessidade Assistencialismo

Leia mais

6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC

6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC 6 6 de novembro de 2006 - Blumenau - SC Promoção Apoio Apresentação Com a criação do Dia Municipal do Empreendedor, e também encaminhado no âmbito estadual e nacional, a ACIB Jovem consolida um esforço

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO

HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO HOEPERS USA TECNOLOGIA PARA QUEBRAR PARADIGMAS E OBTER GERENCIAMENTO TOTAL DAS DEMANDAS DA ORGANIZAÇÃO Perfil A Hoepers S.A se posiciona no mercado como uma das três maiores empresas de recuperação de

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

CNPJ: 11.028.088/0001-76

CNPJ: 11.028.088/0001-76 Centro de Vivencia Ecológica e Cultural Entidade da sociedade civil sem fins lucrativos de caráter ecológico, cultural e social. (Fundada em 10 de Julho de 2009) CNPJ: 11.028.088/00-76 1.Nome do projeto

Leia mais

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Abril/2014 Porto Velho/Rondônia Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Terceiro Setor É uma terminologia sociológica que

Leia mais

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ

O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ O BOTICÁRIO - FRANQUIA DE SÃO GONÇALO - RJ RESPEITO AO MEIO AMBIENTE: Programa de Incentivo ao Plantio de Mudas e Manutenção de Vias Públicas e Escolas Municipais Para a franquia O Boticário de São Gonçalo

Leia mais

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida!

O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica. Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Mercado Mata Atlântica Reserva da Biosfera da Mata Atlântica O Mercado como instrumento de conservação da Mata Atlântica Consumo Responsável, Compromisso com a Vida! Apresentação O Programa "Mercado Mata

Leia mais

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE!

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! A EMPRESA A Fast Solution é uma empresa especializada em desenvolver soluções integradas em sistemas de impressão,

Leia mais

O meio ambiente e o planejamento estratégico

O meio ambiente e o planejamento estratégico O meio ambiente e o planejamento estratégico Roberto Sanches Garcia, Prof.Dr.Alfredo Colenci Junior Mestrado em Tecnologia: Gestão, Desenvolvimento e Formação. CEETEPS - São Paulo SP Brasil roberto.sanches4@terra.com.br;

Leia mais

Braskem Máxio. Maio / May 2015

Braskem Máxio. Maio / May 2015 Maio / May 2015 Braskem Máxio Braskem Máxio Braskem Maxio é um selo que identifica resinas de PE, PP ou EVA dentro do portfólio da Braskem com menor impacto ambiental em suas aplicações. Esta exclusiva

Leia mais

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010 Formando o aluno para a responsabilidade social Esther Carvalho Março 2010 Missão "Servir com excelência, por meio da educação, formando cidadãos éticos, solidários e competentes" Visão "Ser referência

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1 O presente regulamento tem por objeto a seleção para patrocínio de projetos a serem realizados

Leia mais

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Engenharia de Produção Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Miriam Borchardt Leonel Augusto C. Poltosi Miguel A. Sellitto Giancarlo M. Pereira Introdução Ecodesign:

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS ECONOMICOS SOLIDÁRIOS (EES) CANDIDATOS A HABILITAÇÃO AO SISTEMA NACIONAL DE COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO - SNCJS

EDITAL DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS ECONOMICOS SOLIDÁRIOS (EES) CANDIDATOS A HABILITAÇÃO AO SISTEMA NACIONAL DE COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO - SNCJS 1. Apresentação União Brasileira de Educação e Ensino UBEE EDITAL DE SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS ECONOMICOS SOLIDÁRIOS (EES) CANDIDATOS A HABILITAÇÃO AO SISTEMA NACIONAL DE COMÉRCIO JUSTO E SOLIDÁRIO -

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: J&I Serviços Educacionais LTDA Nome Fantasia: Wizard Aparecidinha Data de fundação:

Leia mais

DESTINO FINAL AMBIENTALMENTE CORRETO DAS EMBALAGENS VAZIAS DE AGROTÓXICOS

DESTINO FINAL AMBIENTALMENTE CORRETO DAS EMBALAGENS VAZIAS DE AGROTÓXICOS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DESTINO FINAL AMBIENTALMENTE CORRETO DAS EMBALAGENS VAZIAS DE AGROTÓXICOS Raquel Ströher 1, Ana Paula Ströher 2, João Walker Damasceno 3 RESUMO: No Brasil,

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151. Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL 013/2013 Processo Administrativo nº 151 Projeto de implantação de acesso à água para consumo humano MDS/BNB O Centro de Assessoria do Assuruá apresenta abertura de Edital de

Leia mais

Alta Tecnologia em. Injeção de Termoplásticos

Alta Tecnologia em. Injeção de Termoplásticos Alta Tecnologia em Injeção de Termoplásticos História A Jaguar Embalagens é uma unidade de negócios da Jaguar Plásticos, empresa que tem uma história de inovação que prospera há mais de 30 anos. Iniciou

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos

Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos 1 Energia Sustentável para Todos: grande oportunidade e caminhos a serem seguidos António Farinha, Managing Partner São Paulo, 11 de junho de 2012 2 As medidas do Sustainable Energy for All endereçam as

Leia mais

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA E DOS SERVIÇOS AUDITORIA CONSULTORIA EMPRESARIAL CORPORATE FINANCE EXPANSÃO DE NEGÓCIOS CONTABILIDADE INTRODUÇÃO A FATORA tem mais de 10 anos de experiência em auditoria e consultoria

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Produto mais sustentável

Produto mais sustentável Produto mais sustentável De maneira geral, um produto pode ser considerado mais sustentável por diversas razões: a) processo de fabricação com baixo impacto: consiste em produtos que eliminaram ingredientes

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO FUNDO COMUM PARA OS PRODUTOS BÁSICOS (FCPB) BUSCA CANDIDATURAS A APOIO PARA ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS PRODUTOS BÁSICOS Processo de

Leia mais

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS Relatório de Atividades 2014 Sumário 1.0 Introdução - Pág 3 2.0 Quem Somos, Estatísticas, Valores - Pág 4 3.0 Projetos 2014 - Pág 5 a 15 3.1 Novo site - Pág 5 a 12

Leia mais

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S QUEM SOMOS Empresa criada no Brasil no ano de 1996 como joint-venture da SORMA SpA Itália, proprietária de um software ERP para indústrias. Realizou

Leia mais

Soluções Inovadoras. Sumário Executivo JAN 2014. www.qpro.com.br

Soluções Inovadoras. Sumário Executivo JAN 2014. www.qpro.com.br Soluções Inovadoras Sumário Executivo JAN 2014 www.qpro.com.br NOSSA EMPRESA A QPRO é uma empresa jovem, criada em 2010, com uma visão inovadora, aliada a um time experiente com mais de 30 anos de atuação

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O R E G U L A M E N T O www.premioeticanosnegocios.org.br Iniciativa e Realização 2ª Edição - 2011 Inscrições Prorrogadas até 30/09/11 R E G U L A M E N T O INICIATIVA E REALIZAÇÃO A instituição realizadora

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua.

POLÍTICA CORPORATIVA. Todos os profissionais do Grupo Camargo Corrêa, locados em todas as unidades e países onde o Grupo atua. 1 Objetivos Estimular a participação cidadã dos profissionais das empresas do Grupo Camargo Corrêa em ações de voluntariado empresarial por meio do do Instituto Camargo Corrêa; Contribuir com o desenvolvimento

Leia mais