REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA CONCEITOS, TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA CONCEITOS, TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES."

Transcrição

1 1 REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA CONCEITOS, TECNOLOGIAS E APLICAÇÕES. Itamar Albertino de Campos Ciência da Computação 3º Semestre Instituto Cuiabano de Educação Faculdades Integradas Matogrossenses de Ciências Sociais e Humanas ABSTRACT This article concerns the study of a new computer technology: Virtual and Augmented Reality, which covers the fundamentals and concepts which are the areas that currently are being applied. Through the evolution of generations of interfaces between humans and computer systems, we conclude that on account of these developments, Augmented Reality has been able to more acceptance and occupying a larger space, because, Augmented Reality has evolved from the Virtual Reality, however, still today both are seen as a single technology. Keywords: Virtual Reality, Augmented Reality. RESUMO O presente artigo é relativo ao estudo de uma nova tecnologia da informática: Realidade Virtual e Aumentada, no qual aborda os fundamentos e conceitos e quais são as áreas que atualmente vem sendo aplicadas. Através da evolução das gerações das interfaces entre o homem e os sistemas computacionais, concluiremos que por conta dessa evolução, a Realidade Aumentada vem conseguindo maior aceitação e ocupando um maior espaço, até porque, Realidade Aumentada evoluiu a partir da Realidade Virtual, porém, ainda hoje ambas são vistas como uma única tecnologia. Palavras-chave: Realidade Virtual; Realidade Aumentada.

2 2 1. INTRODUÇÃO. A Realidade Virtual e Aumentada é um campo da computação que estuda a percepção do mundo real com informações e dados gerados eletronicamente por meio de um computador. Essa nova tecnologia vem ganhando campo seguindo a evolução da informática. Dessa forma, vamos desvendar de forma sucinta o que é essa tecnologia, quais são as ferramentas que atualmente são usadas para a implementação tanto da realidade virtual quanto da realidade aumentada, as tecnologias dos equipamentos usados e de que forma ela está sendo empregada nos diversos setores que necessitam dela para dar mais agilidade ou conforto às pessoas ou resolver certos problemas. Com isso, pretendemos buscar o possível de informações relativas ao novo campo da computação que vem sendo falado tanto no meio acadêmico quanto para o público em geral. 2. CONCEITOS E DEFINIÇÕES. Analisando a evolução das diversas interfaces ao longo das décadas, percebemos que antes as pessoas tinham que adaptar-se às máquinas, porém, felizmente com os vários esforços dos pesquisadores, professores, estudantes, empresas, etc, aliados à grande corrida evolutiva dos softwares, hardwares e meios de telecomunicações, esse processo se inverteu, hoje as tecnologias da informática tornaram-se uma ferramenta indispensável e até mesmo invisível aos diversos tipos de usuários. Realidade Virtual e Aumentada são duas áreas relacionadas com gerações de interfaces com o usuário, facilitando e potencializando as interações do usuário com as aplicações computacionais (KIRNER e SISCOUTTO,2007, p.02). Ao longo dos anos, as interfaces entre homem e máquina foram melhorando consideravelmente, isso teve início nas décadas de 40 e 50 com as linguagens de máquina, através de chaves e lâmpadas, na década de 60 surgiram as primeiras interfaces gráficas ainda rudimentares, através dos consoles de vídeo, na década de 70 e 80 com o advento dos microcomputadores e por meio dos comandos, surgiu o DOS evoluindo para o Windows, que perdura até hoje, porém,

3 3 há aqueles que entendem que há limitações, tanto nas telas de vídeo quanto nas representações como os menus, janelas e ícones que o Windows proporciona. Diante desse contexto, surgiu a Realidade Virtual e Aumentada, como uma nova interface, usando representações tridimensionais rompendo com as limitações das interfaces existentes, possibilitando interações mais naturais. Porém, na Realidade Virtual há limitações, principalmente se levarmos em conta o custobenefício dos equipamentos usados tais como luvas, óculos estereoscópicos, e mouses 3D, etc, além do transporte do usuário para o ambiente virtual o qual causava a princípio um certo desconforto e também dificuldades de interações e até mesmo treinamento, salientando também que na maioria das vezes o ambiente virtual é projetado em locais fechados. Por conta disso, a tecnologia ainda não se popularizou. Para suprir essa deficiência e na tentativa de popularizar a nova tecnologia, criou-se uma nova concepção com intuito de priorizar aquilo que já existia de melhor e criando mecanismo que pudessem ser mais simplificado e de fácil acesso por conta do usuário, denominou-se então de Realidade Aumentada. Uma vez que esta projeta objetos virtuais no meio físico, por exemplo: pode-se projetar um vaso com flores em uma mesa real, em um ambiente físico, esse processo é conhecido como sobreposição (KIRNER e SISCOUTTO,2007), isso vem tornando possível graças às melhorias dos sistemas computacionais que permitem a execução de objetos mais tangíveis e naturais e desprezando o uso de equipamentos mais caros e priorizando mais os equipamentos com um custobenefício mais acessível. Lembrando que para executar o exemplo dado acima, é imprescindível que haja uma webcam que captura a imagem de um figura contendo a codificação encapsulada da linguagem que implementa a realidade aumentada e as imagens que serão vistas no monitor são a junção do mundo real com um objeto virtual. Tanto a Realidade Virtual quanto a Realidade Aumentada podem ser usadas para fins individuais e coletivos, locais ou remotos, porém a Realidade Aumentada tem uma certa vantagem tendo em vista que pode ser usada tanto em ambientes fechados quanto em abertos, não depende de equipamentos caros e não depende de treinamentos por parte dos usuários, por isso está sendo mais aceito. Assim, a tendência aponta para uma nova interface que seria a realidade aumentada o qual poderia ser implementada nas mais diversas áreas

4 4 desde entretenimento até experimentos científicos e isso é um dos objetivos deste estudo, ou seja, entender como essa nova tecnologia vem contribuindo no melhoramento da execução dos trabalhos nas áreas afins. A Realidade Virtual e Aumentada engloba outras disciplinas como multimídia, hiper-realidade, rastreamento e interação. Multimídia seria de maneira resumida uma técnica para apresentar informações que mesclam texto, som, imagens fixas e animadas. Já a Hiper-realidade seria uma interface ainda mais avançada, segundo (Tiffim,2001 Apud Kirner E Siscoutto,2007,p.12): Hiper-realidade é a capacidade tecnológica de combinar realidade virtual, realidade física, inteligência artificial e inteligência humana, integrando-as de forma natural para acesso do usuário. O Rastreamento dá ao usuário a sensação do controle em ambientes virtuais ou aumentados, podendo agarrar, mover e soltar objetos, há também os equipamentos para desenvolvidos para uso em realidade virtual, são equipamentos mecânicos, magnéticos, de ultra-som, etc. Por fim, a Interação é a capacidade de o usuário atuar em ambientes virtuais e aumentados e para que isso ocorra de maneira eficaz, faz-se necessário um controle do posicionamento do usuário, aqui entra o rastreamento. A interação pode ser observada com freqüência nos jogos de computador. Assim, como se pôde observar, a realidade virtual e aumentada é uma tecnologia multidisciplinar que engloba outros conceitos importantes e que merecem seus respectivos conhecimentos. 3. FERRAMENTAS PARA O DESENVOLVIMENTO. A Realidade Virtual e Aumentada, assim como outras áreas, desenvolveram-se através da evolução das tecnologias e a convergência de diversos fatores, incluindo pesquisas, a disponibilidade de produtos acessíveis entre outros. Os pesquisadores tiveram papel importante, pois disseminaram de maneira gratuita à sociedade esses recursos que são usados para o desenvolvimento da realidade virtual. A linguagem VRML Virtual Reality Modeling Languagem ou Linguagem para Modelagem em Realidade Virtual, (Site dc-ufscar, 2010), É uma

5 5 linguagem independente de plataforma que permite a criação de cenários 3D, por onde se pode passear, visualizar objetos por ângulos diferentes e interagir com eles. Já para o desenvolvimento da realidade aumentada é usada uma biblioteca chamada Artoolkit. Ambas linguagens são gratuitas, além disso há outras disponibilizadas por pesquisadores e até empresas. O desenvolvimento das ferramentas de RV e RA tem sido contínuo e tendem a se tornar cada vez mais sofisticadas e graças ao melhoramento de hardwares gráficos. As ferramentas de RV e RA vem apresentando melhoramentos importantes, no entanto, ainda há problemas, mas esses problemas estão sendo pesquisados e aprimorados para o bom desenvolvimento dos projetos. Podemos citar algumas ferramentas disponíveis atualmente para o desenvolvimento da RV e RA, essas ferramentas ou são engine (KIRNER e SISCOUTTO,2007,p.115)...engine é uma coleção de módulos de simulação que não especifica diretamente o comportamento ou o ambiente do jogo ou um framework (KIRNER e SISCOUTTO,2007,p.243),...framework é um conjunto de classes abstratas e concretas usadas para o desenvolvimento de uma aplicação para o desenvolvimento de uma aplicação com domínio específico ou ainda um editor gráfico e conforme (KIRNER e SISCOUTTO, 2007, p.115 a 125), a começar pela RV temos: Ferramenta Editor Biblioteca Engine Framework Gráfico Panda 3D OGRE OpenSceneGraph OpenSG Crystal Space IrrLicht VRJuggler Blender FluxStudio

6 6 Para a Realidade Aumentada temos as seguintes ferramentas: Ferramenta Editor Gráfico ARToolKit ARToolKit Plus ARTag DART ARSTudio JARToolkit Essas são as ferramentas usadas atualmente para a implantação da Realidade Virtual e Aumenta e elas vêm sofrendo constantes atualizações no intuito de melhorar cada vez mais os trabalhos que venham ser implementados. Tais ferramentas estão disponibilizadas para o público que tenha interesse no aprofundamento da tecnologia, seja através da internet ou através de livros. 4. TECNOLOGIAS. Atualmente o que ainda mais limita a popularização da Realidade Virtual e Aumentada tem sido ainda o custo da tecnologia, porém, as tendências apontam que num futuro próximo a tecnologia se popularize, no entanto, já há setores que já vem usufruindo desta nova tecnologia. Para entender como a tecnologia é aplicada, primeiramente se faz necessário o entendimento do conceito do sistema hepático. Hepático deriva da palavra grega hapthai que quer dizer toque e esta relacionada ao contato físico. Em mundos virtuais esta situação pode ocorrer. Neste caso, é necessário o uso de sistemas hepáticos acoplados aos sistemas de RV e RA para que a identificação dos objetos seja possível (KIRNER e SISCOUTTO, 2007, p.153). Assim, o sistema hepático são os dispositivos usados pelo usuário para a percepção do mundo virtual com o real, através do tato, toque, etc. Esses dispositivos são divididos conforme a parte do corpo e o seu uso, há dispositivos para as mãos, braços e pernas e para o corpo inteiro. Podemos citar exemplos de alguns dispositivos: 1. Para as mãos:

7 7 1.1 Atuador pneumático embutido em uma luva oferece sensação tátil. 1.2 Atuadores vibratórios emitem vibrações durante o contato com algum objeto, encontrados em luvas e dispositivos 2D como mouses. 1.3 Luvas com sistema de captura de movimento e emissão de força. 1.4 Prancha de pinos para reconhecimento de texturas de objetos. 2. Para as pernas: 2.1 Joysticks. 2.2 Braços mecânicos. 3. Para o corpo: 3.1 Plataformas móveis para jogos. 3.2 Simuladores para jogos. Sabe-se que há vários outros dispositivos no mercado como o popular vídeo capacete ou head-mounted display(hmd) que é um dos dispositivos que mais isola o usuário do mundo, muito usado pela NASA e também vários outros projetos em desenvolvimento. 5. APLICAÇÕES. Atualmente várias áreas já usam os benéficos da RV e RA, tendo em vista que a demanda da necessidade de oferecer sistemas mais realistas, fez com que setores como a medicina, a engenharia a aviação entre outros buscassem formas de auxílio e resolução de alguns problemas. A medicina é uma das áreas que mais vêm se beneficiando com os avanços tecnológicos nos últimos anos apresentados pela RV e RA. Segundo (Costa e Ribeiro,2009.p.55): Especialmente, em cirurgias minimamente invasivas, que envolve uma pequena câmera de vídeo e instrumentos específicos para conduzir a cirurgia. Acredita-se que neste cenário as técnicas de Realidade Virtual e Aumentada podem ter uma significativa parcela de contribuição Dessa forma, projetos estão sendo desenvolvidos com o auxílio da realidade virtual para realização de cirurgias à distancia. Por exemplo, num possível campo de batalha um médico poderia realizar uma cirurgia em um soldado usando técnicas de realidade virtual, como controlando os braços de um robô.

8 8 A realidade virtual tem sido utilizada para treinar e realizar vários tipos de cirurgias como da medula, artroscopias e endoscopias, isso reduz o custo do treinamento e da própria cirurgia além dos riscos cirúrgicos dos próprios pacientes. Assim, a RV e RA tem atraído cada vez mais pesquisadores e profissionais da área de saúde devido as técnicas que a tecnologia possui de objetos reais. Recentemente, um sistema de Realidade Aumentada foi apresentado para apoiar casos de traumatologia e cirurgia ortopédica, o sistema EVI (Easy Visualization In-Situ). (COSTA e RIBEIRO,2009.p.55), este sistema serviu para para fortalecer ainda mais a aliança entre a classe médica e a Realidade Virtual e Aumentada. A indústria do petróleo e gás também vem sendo beneficiada com o auxílio da RV e RA, uma vez que, nesses setores há diversos profissionais como geólogos, engenheiros, físicos, profissionais da computação entre outros que necessitam de algum tipo de simulação e RV e RA se encaixou perfeitamente para resolução de algum tipo de problema relacionado, como comunicação, redução de erros e tomada de decisões, aumentando a eficiência. Conforme (Costa E Ribeiro,2009.p.59): É na sede da Petrobrás, empresa brasileira que possui 13 centros de Realidade Virtual espalhados por suas unidades, que está o mais moderno na área de exploração e produção de petróleo. É por meio dessa tecnologia que os geólogos e geofísicos analisam as propriedades do fundo do oceano, reconhecendo com precisão os pontos onde se deverá perfurar para chegar ao petróleo. Identificados os reservatórios, a Realidade Virtual também ajuda a aproveitar ao máximo a extração de cada um deles, o que ajuda a economizar tempo e dinheiro. A Petrobrás é uma das empresas que mais investe na tecnologia, tendo em vista que a maior beneficiária, pois é através da RV que são feitos os treinamentos e simulações para se chegar aos poços de petróleo. A aviação também tem um forte vinculo com a RV e RA, pois é por dessa tecnologia que são realizados as simulações dos vôos, treinamento de pilotos e desenvolvimento de aviões. Na indústria automobilística a realidade aumentada vem sendo implantada de forma iminente principalmente na simulação dos motores dos automóveis, como é o caso da empresa BMW, na qual existe um projeto de realidade aumentada que projeta o que está no painel no vidro do veículo.

9 9 No ensino, a Realidade Virtual e Realidade Aumentada vêm contribuindo de forma surpreendente uma vez que nos últimos anos foram desenvolvidos diversos sistemas de Realidade Virtual e Realidade Aumentada específicos para as áreas científicas como matemática, química e física. Há projetos como o ScienceSpace para aqueles interessados nas disciplinas de física e química, o Construct3D é voltado para os seguidores da geometria além de outros projetos voltados para o desenvolvimento matemático para crianças. Por fim, vale ressaltar que existe também a Tele presença, um tipo de realidade virtual que está sendo muito falado atualmente no qual uma pessoa pode manipular um robô à distância para que realize alguma tarefa. Através da tele presença forças policiais podem efetuar o desarmamento de minas ou bombas preservando a integridade da pessoa responsável por aquela operação. Assim, a Realidade Virtual e Aumentada vem despertando interesse nas mais diversas áreas na proporção que a tecnologia vem sendo aperfeiçoada. 6. CONCLUSÃO. A Realidade Virtual e a Realidade Aumentada são tecnologias que vem sendo aprimoradas com o avanço da tecnologia da informática. Num primeiro momento pressupõe-se que é uma única tecnologia, no entanto, conforme vai se aprofundando nos conceitos e na forma que elas são aplicadas percebe-se nitidamente que são tecnologias análogas. A tendência é que ambas as tecnologias venham a se popularizar, pelo menos é isso que os especialistas no assunto acreditam, todavia, podemos perceber que o assunto está sendo divulgado na mídia e já foi tema de reportagem nos maiores veículos de comunicação. Assim, a finalidade foi conhecer os conceitos, as ferramentas, as tecnologias e onde essa tecnologia vem sendo aplicada para subsidiar de alguma forma na resolução de algum problema ou tornar-se mais simples uma solução.

10 10 RFERÊNCIAS: Acessado em 15/05/ EX,00.jpg&imgrefurl=http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL ,00- TECNOLOGIA%2BJA%2BESTA%2BPRONTA%2BPARA%2BAUMENTAR%2BO%2B MUNDO%2BCOM%2BREALIDADE%2BVIRTUAL.html&usg= tjfl2gs- ARMFruoYVsm3Wv-9TBU=&h=335&w=535&sz=31&hl=pt- BR&start=11&itbs=1&tbnid=yl5r_nUYaUq88M:&tbnh=83&tbnw=132&prev=/images%3Fq %3Drealidade%2Bvirtual%2Baumentada%26hl%3Dpt- BR%26sa%3DG%26rlz%3D1I7RNWZ_pt-BR%26prmdo%3D1%26tbs%3Disch:1, Acessado em 20/05/2010. KIRNER, Cláudio e SISCOUTTO, Robson. Realidade Virtual e Aumenta. Conceitos Projetos e Aplicações.IX Simpósio de RV e RA.Petrópolis-RJ:SBC,2007. COSTA, Rosa Maria e RIBEIRO, Marcos Wagner S. Aplicações de Realidade Virtual e Aumentada. XI Simpósio de RV e RA.Porto Alegre:SBC, Acessado em 20/05/2010 Acessado em 29/05/2010 Acessado em 29/05/2010

O ESTUDO E A IMPLEMENTAÇÃO DE UMA ARQUITETURA COMPUTACIONAL PARA APLICAÇÕES DE ENTRETENIMENTO

O ESTUDO E A IMPLEMENTAÇÃO DE UMA ARQUITETURA COMPUTACIONAL PARA APLICAÇÕES DE ENTRETENIMENTO O ESTUDO E A IMPLEMENTAÇÃO DE UMA ARQUITETURA COMPUTACIONAL PARA APLICAÇÕES DE ENTRETENIMENTO Arion Roberto Krause 1 ; Andrey Alves 1 ; Rafael Jusinskas Labegalini 1 ; Luiz Fernando Braga Lopes 2 RESUMO:

Leia mais

APLICAÇÕES INTERATIVAS EDUCATIVAS UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA

APLICAÇÕES INTERATIVAS EDUCATIVAS UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN 1984-2333, v.4, n. 7, p. 61 69, 2009. 61 APLICAÇÕES INTERATIVAS EDUCATIVAS UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA Aluna. Aryanne Consolaro (FAP) Aluno. Márcio de

Leia mais

Ferramenta auxiliar na modelagem de ambientes utilizando a Realidade Aumentada

Ferramenta auxiliar na modelagem de ambientes utilizando a Realidade Aumentada Ferramenta auxiliar na modelagem de ambientes utilizando a Realidade Aumentada Alan Alberto Alves, Isabel Dillmann Nunes 1 Ciência da Computação Fundação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ) Caixa Postal

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações utilizando realidade aumentada

Desenvolvimento de aplicações utilizando realidade aumentada Leandro Tonin 1 Prof. MS. Klausner Vieira Gonçalves 2 RESUMO A Realidade Aumentada é uma tecnologia bastante promissora, que permite que o mundo virtual e o real se misturem, dando uma maior interatividade

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW "Esse ambiente pode ser usado para simular e explorar as possibilidades e alcances de uma solução empregando visão de máquina, testar

Leia mais

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Empresas e outras organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus

Leia mais

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Quase todos nós vamos precisar de óculos um dia (a menos que a tecnologia médica promova a substituição deste artefato por alguma outra coisa tecnológica,

Leia mais

Introdução à Multimídia Fundamentos de Realidade Aumentada

Introdução à Multimídia Fundamentos de Realidade Aumentada Introdução à Multimídia Fundamentos de Realidade Aumentada Judith Kelner jk@cin.ufpe.br Gabriel Fernandes de Almeida gfa@cin.ufpe.br Grupo de Pesquisa em Realidade Virtual Multimídia Universidade Federal

Leia mais

VIRTUALIZAÇÃO DO MUSEU DO AUTOMÓVEL DE BRASÍLIA

VIRTUALIZAÇÃO DO MUSEU DO AUTOMÓVEL DE BRASÍLIA VIRTUALIZAÇÃO DO MUSEU DO AUTOMÓVEL DE BRASÍLIA Rafael R. Silva¹, João P. T. Lottermann¹, Mateus Rodrigues Miranda², Maria Alzira A. Nunes² e Rita de Cássia Silva² ¹UnB, Universidade de Brasília, Curso

Leia mais

Claudio Kirner UNIFEI. WRVA 2014 Marília-SP

Claudio Kirner UNIFEI. WRVA 2014 Marília-SP Claudio Kirner UNIFEI 2014 WRVA 2014 Marília-SP Sumário Inovação social Realidade Aumentada Cenário das Aplicações Ferramentas de Autoria de Realidade Aumentada Aplicações de Realidade Aumentada Tendências

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS

IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE APRENDIZADO MULTI- AGENTE EM UM TIME DE FUTEBOL DE ROBÔS Aluno: Maurício Pedro Silva Gonçalves Vieira Orientador: Karla Figueiredo Introdução Uma partida de futebol robótico

Leia mais

ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê REALIDADE VIRTUAL NA ARQUITETURA José Luís Farinatti Aymone

ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê ateliê REALIDADE VIRTUAL NA ARQUITETURA José Luís Farinatti Aymone 2004 142 ARQTEXTO 5 A REALIDADE VIRTUAL NA ARQUITETURA José Luís Farinatti Aymone O uso do projeto auxiliado por computador (CAD) em arquitetura é cada vez mais corrente, através do projeto 2D e 3D de

Leia mais

USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA

USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA Fernanda Caroline de Alcântara da Costa 1 Universidade Federal do Pará Fernandalcantara01@yahoo.com.br Aldo Moreira

Leia mais

Perguntas. Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo. Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting

Perguntas. Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo. Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting Perguntas Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting 5 perguntas que todo usuário deveria fazer antes de comprar

Leia mais

ORIENTADOR(ES): JEFFERSON ANTONIO RIBEIRO PASSERINI, MARIA BETÂNIA RICCI BOER

ORIENTADOR(ES): JEFFERSON ANTONIO RIBEIRO PASSERINI, MARIA BETÂNIA RICCI BOER Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: REALIDADE AUMENTADA APLICADA A PUBLICIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS

Leia mais

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional 40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte

Leia mais

REALIDADE VIRTUAL. Tatiane Cruz de Souza Honório

REALIDADE VIRTUAL. Tatiane Cruz de Souza Honório REALIDADE VIRTUAL Tatiane Cruz de Souza Honório A ilusão vai ser tão grande que não seremos mais capazes de distinguir entre o que é real e o que não é. Steve Williams Sumário Introdução Tipos de Sistemas

Leia mais

Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de. Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica,

Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de. Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica, Ambiente de Simulação Virtual para Capacitação e Treinamento na Manutenção de Disjuntores de Subestações de Energia Elétrica Prof. Dr. Lineu Belico dos Reis EPUSP Resumo: O informe técnico apresenta a

Leia mais

FERRAMENTA DIDÁTICA PARA O ENSINO DO APARELHO DIGESTIVO CANINO UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL

FERRAMENTA DIDÁTICA PARA O ENSINO DO APARELHO DIGESTIVO CANINO UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL FERRAMENTA DIDÁTICA PARA O ENSINO DO APARELHO DIGESTIVO CANINO UTILIZANDO TÉCNICAS DE REALIDADE VIRTUAL FERREIRA, Eliane TOLEDO, Miriam Discentes da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG -

Leia mais

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS A Modelix Robotics é pioneira dentre as empresas nacionais no segmento de robótica educacional (uso acadêmico e educação tecnológica) e robótica para usuário

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO 200 AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO Clayton Cardoso de MORAES 1 Guilherme Bernardo SARDINHA 2 O presente

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação)

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a inclusão digital, instalando computadores nas escolas públicas de ensino fundamental

Leia mais

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012.

36 Anais da Semana de Ciência e Tecnologia, Ouro Preto, v. 4, p. 1 120, 2012. CONTROLE À DISTÂNCIA DE UM MOTOR UTILIZANDO RECURSOS DE VISÃO COMPUTACIONAL Matheus Henrique Almeida Nascimento 1, Gean Carlo Neves Correa 2, Cristiano Lúcio Cardoso Rodrigues 3 e Sílvia Grasiella Moreira

Leia mais

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Aula 7 SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA META Discutir a utilização de softwares no ensino de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através da utilização do software carbópolis,

Leia mais

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem.

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem. ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Débora Janaína Ribeiro e Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba debora_jr10@yahoo.com.br Resumo Este trabalho teve como

Leia mais

A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura

A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura HARRIS, Ana Lúcia Nogueira de Camargo (1) Av. Prof. Almeida Prado trav.2 n o 271 Cidade Universitária 05508-900 São Paulo SP Tel.: (011)

Leia mais

Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica

Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica I.1.1 Introdução Começou com Exibição de informação para plotters Telas de tubos de raios catódicos (CRT) Tem se desenvolvido Criação, armazenamento

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 10ª Série Automação Industrial Engenharia Elétrica A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COMUNICAÇÃO E REDES SOCIAIS

FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COMUNICAÇÃO E REDES SOCIAIS FACCAMP - FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU COMUNICAÇÃO E REDES SOCIAIS 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Programa de Pós-Graduação

Leia mais

A criação dos elementos químicos. tridimensionais através da realidade virtual. uma aplicação na química orgânica

A criação dos elementos químicos. tridimensionais através da realidade virtual. uma aplicação na química orgânica A criação dos elementos químicos tridimensionais através da realidade virtual uma aplicação na química orgânica José Avelino dos Santos Moura 1, Alexandre Cardoso 2, Edgard A. Lamounier Jr. 2 1 Faculdade

Leia mais

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware)

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware) Computador Digital SIS17 - Arquitetura de Computadores (Parte I) Máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções que lhe são fornecidas. Executa Programas conjunto de instruções

Leia mais

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP VitorFariasCoreia INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Vitor Farias Correia Graduado em Sistemas de Informação pela FACITEC e especialista em desenvolvimento de jogos

Leia mais

Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor.

Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor. Soluções via.net para otimização de processos paramétricos com Autodesk Inventor. Michel Brites dos Santos MAPData A parametrização quando possível já é uma forma de otimizar o processo de criação na engenharia.

Leia mais

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A 8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A Adriane Hartman Fábio Gomes da Silva Dálcio Roberto dos Reis Luciano Scandelari 1 INTRODUÇÃO Este artigo pretende mostrar

Leia mais

Marketing Digital - 10 conceitos que você precisa conhecer

Marketing Digital - 10 conceitos que você precisa conhecer Marketing Digital - 10 conceitos que você precisa conhecer Por Diego Carmona* Muitas pessoas, ao contrário do que se pensa, não estão utilizando o meio online somente para se divertir. Uma grande maioria

Leia mais

VANTAGENS E DESVANTAGENS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA 1

VANTAGENS E DESVANTAGENS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA 1 VANTAGENS E DESVANTAGENS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA 1 Thais Cerqueira Faria Centro Universitário São José de Itaperuna(UNIFSJ) RESUMO: A internet é um instrumento poderoso nos dias atuais,

Leia mais

3 Jogos Sérios e Educação O avanço tecnológico tem transformado e contribuído para a melhoria da prestação de serviço em diversas áreas. No contexto educacional, novos sistemas e equipamentos têm sido

Leia mais

Evolução da cooperação em populações modeladas por autômatos celulares com o uso de teoria de jogos

Evolução da cooperação em populações modeladas por autômatos celulares com o uso de teoria de jogos Geração de modelos de redes com verificação dos parâmetros topológicos Prof. Pedro Schimit - schimit@uninove.br Muitas coisas podem ser modeladas a partir de modelos de redes (ou grafos). A maneira como

Leia mais

LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO

LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO Aldo Ventura da Silva * RESUMO O presente trabalho teve como objetivo principal apresentar a tecnologia LonWorks, passando por alguns atributos da tecnologia,

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

STC SAD Profº Daniel Gondim

STC SAD Profº Daniel Gondim STC SAD Profº Daniel Gondim Roteiro Sistemas de Trabalhadores do Conhecimento (STC) Conceitos Aplicações Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) Conceitos Aplicações Sistemas de Trabalhadores do Conhecimento

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2. Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com.

PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2. Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com. PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2 1 Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com. 2 Professor Tutor do PET EEEC /UFG; gdeusjr@gmail.com. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

Design de Produto 3D

Design de Produto 3D 1 Design de Produto 3D Formação em O treinamento de Design de Produtos 3D tem a duração de 06 meses e prepara o aluno com os conhecimentos necessários ao desenvolvimento de produtos 3D com alto nível de

Leia mais

UM FRAMEWORK DE REALIDADE AUMENTADA

UM FRAMEWORK DE REALIDADE AUMENTADA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA UM FRAMEWORK DE REALIDADE AUMENTADA PARA O DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PORTÁVEIS PARA A PLATAFORMA POCKET PC

Leia mais

O ENSINO DA FUNÇÃO AFIM COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE GEOGEBRA

O ENSINO DA FUNÇÃO AFIM COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE GEOGEBRA O ENSINO DA FUNÇÃO AFIM COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE GEOGEBRA Conceição BRANDÃO de Lourdes Farias FACIG clfb_05@hotmail.com Evanilson LANDIM Alves UFPE evanilson.landim@ufpe.br RESUMO O uso das tecnologias

Leia mais

RECURSOS DIDÁTICOS E SUA UTILIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA

RECURSOS DIDÁTICOS E SUA UTILIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA RECURSOS DIDÁTICOS E SUA UTILIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA Resumo: Com o enfoque na metodologia de resolução de problemas, nós, bolsistas do PIBID Matemática da UFPR, elaboramos algumas atividades destinadas

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Multimídia & Hipermídia

Prof. Daniel Hasse. Multimídia & Hipermídia Prof. Daniel Hasse Multimídia & Hipermídia Aula 07 Fundamentos de Realidade Aumentada Prof. Daniel Hasse Roteiro Definição Objetivo Exemplos Comparações Componentes Tecnologias Domínios de Aplicação ARToolkit

Leia mais

Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías. Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br ), Hermínio Borges Neto

Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías. Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br ), Hermínio Borges Neto 1. TÍTULO: QUE RECURSOS PODEM CONTRIBURIR PARA OTIMIZAR A APRENDIZAGEM EM UM AMBIENTE VIRTUAL? 1 2. ÁREA TEMÁTICA Capacitación de docentes en el uso de las nuevas tecnologías 3. AUTORES Márcia Campos (marciac@fortalnet.com.br

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Variável: Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Participantes do Aprofundamento da Variável: Coordenador: Mário Vinícius Bueno Cerâmica Betel - Uruaçu-Go Colaboradores: Juarez Rodrigues dos

Leia mais

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE DOCENTE PROFESSOR CELSO CANDIDO QUALIDADE DE SOFTWARE Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Conhecimentos: o Web Designer; o Arquitetura

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Papel de Parede Secreto

Papel de Parede Secreto USO DO WINDOWS o Windows XP finalmente está perdendo forças no mercado de sistemas operacionais. Na pesquisa mais recente feita pelo StatsCounter, com dados de novembro de 2014, a versão foi ultrapassada

Leia mais

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital 1 2 3 4 Já falamos muitas vezes sobre produção de conteúdo ser a base de uma estratégia de marketing digital de resultados para a sua empresa.

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COLÉGIO ESTADUAL VICENTE RIJO Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Av. Juscelino Kubitscheck, 2372. Londrina Paraná Fone: (43) 3323-7630 / 3344-1756 / 3334-0364 www.vicenterijo@sercomtel.com.br CURSO

Leia mais

INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2

INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2 INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Ana Lúcia Teixeira de Araújo Durigan Nelcy Aparecida de Araújo Realização: Apresentação do

Leia mais

INFORMAÇÕES SISTEMAS DE CAPTURAS DE VÍDEO

INFORMAÇÕES SISTEMAS DE CAPTURAS DE VÍDEO INFORMAÇÕES SISTEMAS DE CAPTURAS DE VÍDEO MODALIDADES : US, ECO, ENDO E COLO. CAPTURA DE IMAGENS. Criamos uma linha de produtos denominado PROCapVG para a utilização em serviços de captura de imagens analógicas

Leia mais

APLICAÇÕES MULTIMÍDIA AULA 3. aplicações 3D e Realidade Aumentada. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

APLICAÇÕES MULTIMÍDIA AULA 3. aplicações 3D e Realidade Aumentada. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com APLICAÇÕES MULTIMÍDIA AULA 3 aplicações 3D e Realidade Aumentada professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com Objetivos de aprendizagem Ao estudar esta unidade, você terá conhecimento para: Construir

Leia mais

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO)

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) De acordo com o Edital de produção de conteúdo digitais multimídia, alguns aspectos

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

III Simpósio de Pesquisa e de Práticas Pedagógicas dos Docentes do UGB ANAIS - 2015

III Simpósio de Pesquisa e de Práticas Pedagógicas dos Docentes do UGB ANAIS - 2015 O USO DA TECNOLOGIA CAD PARA O ENSINO DE DESENHO TECNICO NO CURSO DE ENGENHARIA MECANICA GEOVANI NUNES DORNELAS Mestre em Modelagem Matemática e Estatística Aplicada- UNINICOR DADOS DE IDENTIFICAÇÃO O

Leia mais

Acessibilidade Educacional com Realidade Aumentada

Acessibilidade Educacional com Realidade Aumentada Acessibilidade Educacional com Realidade Aumentada Ewerton Daniel de Lima 1, Fabiano Utiyama 1, Daniela Eloise Flôr 1 1 UNIPAR Universidade Paranaense ewertondanieldelima@hotmail.com,{fabianoutiyama, danielaflor}@unipar.br

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)?

Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Profa. Tatiana Aires Tavares tatiana@lavid.ufpb.br Tema: Por que estudar IHC (Interação Humano Computador)? Criar desejos... Resolver problemas do nosso dia-a-dia Facilitar a vida da gente Tornar possível...

Leia mais

Software Livre e Engenharia Elétrica

Software Livre e Engenharia Elétrica Software Livre e Engenharia Elétrica Diego Cézar Silva de Assunção Henrique Ribeiro Soares José Rubens Guimarães Vilaça Lima Pedro Dias de Oliveira Carvalho Rafael Viegas de Carvalho Carlos Gomes O software

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação AUTOMAÇÃO Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Conceitos iniciais Automação é todo um ferramental

Leia mais

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística HOLOFACE Programação de Simulação de Interfaces Interativas Aluno: Leandro Santos Castilho 1 Orientador: Romero Tori 2 Linha de Pesquisa: Ambientes Interativos Projeto: Livro 3D Resumo Os conceitos de

Leia mais

Visão: Um pixel equivalerá a milhares de palavras

Visão: Um pixel equivalerá a milhares de palavras Toque: Você poderá tocar através do seu telefone Imagine usar seu smartphone para comprar um vestido de casamento e poder sentir a seda do vestido, ou a renda do véu, tudo pela superfície da tela. Ou,

Leia mais

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW Ciclo de Vida Aula 2 Revisão 1 Processo de Desenvolvimento de Software 1 O Processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades, parcialmente ordenadas, com a finalidade de obter um produto

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE IOS, ANDROID E WINDOWS PHONE

COMPARATIVO ENTRE IOS, ANDROID E WINDOWS PHONE COMPARATIVO ENTRE IOS, ANDROID E WINDOWS PHONE Carlos Eduardo SARTORELI 1 Nairemilia KUCHAUSKI 2 Alves Uno RESUMO: Este artigo tem por objetivo apresentar algumas diferenças existentes entre três sistemas

Leia mais

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa.

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. 1. INTRODUÇÃO Prof. Carlos Maurício Duque dos Santos Mestre e Doutorando em Ergonomia pela Escola Politécnica

Leia mais

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias

Engenharia de Software. Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Engenharia de Software Tema 1. Introdução à Engenharia de Software Profa. Susana M. Iglesias Sistemas Computacionais Automatiza ou apóia a realização de atividades humanas (processamento da informação)

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Unidade II 3 MODELAGEM DE SISTEMAS 1 20 A fase de desenvolvimento de um novo sistema de informação (Quadro 2) é um momento complexo que exige um significativo esforço no sentido de agregar recursos que

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta MÍDIAS SOCIAIS Manual de Conduta Apresentação O Sistema Ocemg, atento às mudanças de mercado e preocupado em estar sempre próximo de seus públicos de interesse, assume o desafio de se posicionar também

Leia mais

Sistema de vídeo conferência e monitoramento baseado em sistemas abertos estudo de caso

Sistema de vídeo conferência e monitoramento baseado em sistemas abertos estudo de caso Sistema de vídeo conferência e monitoramento baseado em sistemas abertos estudo de caso Roberto Amaral (Mestre) Curso de Ciência da Computação Universidade Tuiuti do Paraná Mauro Sérgio Vosgrau do Valle

Leia mais

USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI.

USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI. USO DA ARQUITETURA AURA - AUTONOMOUS ROBOT ARCHITECTURE EM UM ROBÔ EXPLORADOR DE LABIRINTO CONTROLADO POR RASPBERRY PI. Resumo João Paulo Fernandes da Silva¹, Willame Balbino Bonfim 1. joaopauloibge@hotmail.com

Leia mais

Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação

Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação Design Pedagógico do módulo III Origem dos Movimentos, Variação Escolha do tópico O que um aluno entre 14 e 18 anos acharia de interessante neste tópico? Que aplicações / exemplos do mundo real podem ser

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down

O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down Marília A. Amaral 1,2, Renata Ramos Pires 2 1 Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento UFSC Universidade

Leia mais

2 Trabalhos relacionados

2 Trabalhos relacionados 2 Trabalhos relacionados Esta seção descreve os principais trabalhos relacionados ao framework aqui produzido. Uma discussão sobre os aspectos gerais de jogos está fora dos objetivos deste dissertação.

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA DE INTERFACE DE SOFTWARE PARA GERAÇÃO DE NOTAS MUSICAIS PARA DETECÇÃO DE OBSTÁCULOS MAGNA CAETANO DA SILVA 1, GABRIEL DA SILVA 2 RESUMO Para realização deste trabalho foi realizada

Leia mais

UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT

UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT UM COMPOSITOR MUSICAL TANGÍVEL USANDO O ARTOOLKIT Marcelo Fernandes França (Bolsista PIBIC/CNPq) Felipe Afonso de Almeida (Orientador) Davi D Andréa Baccan (Co-orientador) Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Realidade Virtual. Márcio Serolli Pinho Faculdade de Informática da PUCRS. http://grv.inf.pucrs.br. Grupo de Realidade Virtual

Realidade Virtual. Márcio Serolli Pinho Faculdade de Informática da PUCRS. http://grv.inf.pucrs.br. Grupo de Realidade Virtual Realidade Virtual Márcio Serolli Pinho Faculdade de Informática da PUCRS Grupo de Realidade Virtual http://grv.inf.pucrs.br Interação em Ambientes Tridimensionais Imersivos Tarefas Interativas w Navegação

Leia mais

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação ü Em cinco capítulos, o guia Tecnologia na Educação aborda a importância da tecnologia para a educação; os principais

Leia mais

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1 ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1 Kethleen Da Silva 2, Tânia Michel Pereira 3, Edson Luiz Padoin 4, Matheus Reis De Almeida

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS Dagmar Carnier Neto 1 & Chang Hung Kiang 2 Resumo - O crescente aumento do uso das águas subterrâneas faz com

Leia mais

Introdução. 1 Informação disponível no site www.uscs.edu.br. Acesso em 21/05/2010.

Introdução. 1 Informação disponível no site www.uscs.edu.br. Acesso em 21/05/2010. Introdução O projeto de pesquisa apresentado almejava analisar a produção acadêmica dos alunos de Comunicação Social da Universidade Municipal de São Caetano do Sul desde a criação do programa de iniciação

Leia mais

O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Prof. Leugim Corteze Romio Universidade Regional Integrada URI Campus Santiago-RS leugimcr@urisantiago.br Prof.

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora OpenGL Uma Abordagem Prática e Objetiva Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour Novatec Editora Capítulo 1 Introdução A Computação Gráfica é uma área da Ciência da Computação que se dedica ao estudo e ao desenvolvimento

Leia mais

Gestão patrimonial e a Lei de Responsabilidade Fiscal na Contabilidade Pública, utilizando um software com tecnologia

Gestão patrimonial e a Lei de Responsabilidade Fiscal na Contabilidade Pública, utilizando um software com tecnologia Gestão patrimonial e a Lei de Responsabilidade Fiscal na Contabilidade Pública, utilizando um software com tecnologia O conceitos e as determinações legais que norteiam as gestões de patrimônio e almoxarifado

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA INTRODUÇÃO A ENGENHARIA 1º SEMESTRE 2013 UNIDADE 03 Engenharia Mecânica, Civil, Elétrica e Produção 1º Sem. / 2013-1 - Pág. 9 Unidade III Modelo Conteúdo da Unidade: Modelagem. Classificação dos Modelos.

Leia mais